INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA IFET - PERNAMBUCO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA IFET - PERNAMBUCO."

Transcrição

1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Departamento de Políticas e Articulação Institucional INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA IFET - PERNAMBUCO. INSTITUIÇÕES PROPONENTES: CEFET - RECIFE CEFET - IPOJUCA CEFET - PESQUEIRA ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE BARREIROS ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE BELO JARDIM COLÉGIO DOM AGOSTINHO IKAS CODAI Recife, 5 de março de 8

2 . Introdução Este documento consubstancia a Proposta do CEFET-PE (Recife), CEFET-PE (Ipojuca), do CEFET-PE (Pesqueira), da Escola Agrotécnica Federal de Barreiros, da Escola Agrotécnica Federal de Vitória de Santo Antão, da Escola Agrotécnica Federal de Belo Jardim e do Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas, para constituição do IFET-PE, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco, na forma e condições estabelecidas na Chamada Pública MEC/SETEC No /7 de de dezembro de 7. CONTEXTO EM QUE ESTÁ INSERIDA A PROPOSTA DO IFET-PE Dentro do contexto contemporâneo, é imprescindível na formulação de um novo modelo de educação, levar em conta as mudanças tecnológicas, políticas, econômicas, sociais e culturais ocorridas no campo e na cidade. Esses aspectos conduzem à necessidade de desenvolver competências que incluam os educandos de forma mais competitiva no mundo de trabalho. Cabe a Escola, buscar a inovação e a adequação a realidade, uma vez que vivemos na era da automação e da informação, em que o cerne da capacidade competitiva se concentra cada vez mais na competência em captar e conjugar informações em menor tempo hábil. Também e não menos importante, é a contribuição da educação para vencer o desafio de promover o desenvolvimento e combater a pobreza. No que diz respeito ao campo, este desafio encontra no Ensino Agrícola um instrumento promissor no sentido de reversão dessa realidade. O grande desafio do ensino técnico é ensinar o aluno a utilizar os seus conhecimentos, tanto o que foi desenvolvido durante o curso quanto o adquirido anteriormente a ele. O papel da escola como mediadora de experiências adquire aqui significado especial: o ensino técnico, em sua essência, é uma preparação para o mercado de trabalho e para a formação do cidadão, uma aprendizagem, na qual se adquirem as bases teóricas e práticas para o bom desempenho no ofício. E, como tal, deve responder às expectativas de mercado e da sociedade, que requerem profissionais com determinado perfil. O contexto socioeconômico está mudando com rapidez jamais vista. As tarefas repetitivas vão largamente cedendo lugar a atividades intelectuais, deixando às máquinas a sua execução. Para o mundo de trabalho, não é mais suficiente apenas saber fazer. O foco da atividade profissional contemporânea está no repensar o fazer, reconstruir os métodos de maneira a adaptar a produção às mudanças mercadológicas. Nesse itinerário, cabe à escola a construção da competência técnica e da autonomia intelectual do estudante. Vale salientar que a construção dessas competências implica necessariamente a incorporação de grandes questões que estão sendo postas para a sociedade como, por exemplo, o desenvolvimento sustentável, a preservação ambiental, dentre outras. Outro aspecto a ser destacado é a velocidade com que as mudanças estão ocorrendo no mundo de hoje. A escola precisa não apenas produzir conhecimento, mas também conseguir acompanhar o ritmo com que o conhecimento está sendo produzido no mundo do trabalho. Conceitos são

3 revistos a todo momento. Novas formas de produção são criadas, para que tudo passe a ser feito em menos tempo. O clima de intensa competição no mundo moderno foi radicalizado ao extremo. A concorrência é internacional, não obstante o trabalho ainda guardar muito de local. Essa competitividade, de resto acentuada pela rapidez do desenvolvimento tecnológico acelerado vem mudando a face de nosso mundo. Hoje se privilegia o saber, vale dizer: uma espécie de educação e instrução permanentes, capazes de darem conta de operar os novos programas inteligentes da Informática que a cada dia vão transformando o mundo industrial num mundo pós-industrial, movido pela Tecnologia da Informação. O profissional que emerge dos novos paradigmas e da nova realidade do mundo do trabalho é naturalmente alguém de quem se exige mais que uma mera formação acadêmica, mais que a habilidade exclusivamente técnica de sua área. Seu perfil é bem mais complexo do que o era há coisa de duas gerações, quando as novas informações ainda não bombardeavam o cotidiano como hoje. OBJETIVOS DO IFET-PE Nesse contexto a proposta para constituição do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Pernambuco tem como desafio oferecer uma educação profissional e tecnológica de excelência em todos os seus níveis e modalidades em sintonia com os arranjos produtivos de cada região. Também fará parte da missão do IFET-PE a oferta de educação básica, licenciatura, bacharelado em áreas em que a ciência e tecnologia são componentes determinantes além de cursos de pos-graduação lato e strito sensu. Completando os seus objetivos, o IFET-PE se constituirá em um centro de apoio ao ensino de ciências nas escolas públicas, oferta de programas especiais de formação pedagógica de professores para a educação profissional, tecnológica e educação básica além das atividades de pesquisa e extensão. Este documento é composto além desta introdução por mais quatro capítulos e de dois anexos. O capítulo, com informações sobre a Reitoria da nova instituição a ser criada, o IFET-PE, indicando o município onde ficará situada, sua composição prevista, suas principais atribuições e seus conselhos consultivo e deliberativo. No capítulo, é apresentada a caracterização socioeconômica e educacional da área de abrangência de cada unidade que irá compor o IFETPE e as informações sobre a sua situação atual com relação ao número de professores, alunos, técnicos administrativos, cursos regulares oferecidos e infra-estrutura física constituída. O capítulo 4 apresenta a base territorial de atuação e a caracterização das regiões de desenvolvimento do Estado de Pernambuco onde os Campi estão situados e os dados gerais reunidos das sete unidades que irão compor o IFET-PE No último capítulo estão as considerações finais desta Proposta. Completa ainda o documento, dois anexos, o primeiro com o termo de adesão das instituições ao modelo de Instituto Federal de Educação, Ciência e

4 Tecnologia e o segundo com a aprovação desta proposta em cada uma das autarquias signatárias.. Reitoria da Nova Instituição A administração do IFET-PE terá como órgãos superiores, o Colégio de Dirigentes e o Conselho Superior, cujas presidências serão exercidas pelo reitor da instituição. O Colégio de Dirigentes terá caráter consultivo e será composto pelo Reitor, pelos Pró-reitores e pelos Vice-reitores dos campi que irão compor o IFET-PE. O Conselho Superior terá caráter consultivo e deliberativo, sendo formado por representantes do corpo docente, dos estudantes, do pessoal técnico-administrativo, dos egressos da instituição, da sociedade civil, do Ministério da Educação e do próprio Colégio de Dirigentes. A administração do IFET-PE terá a responsabilidade de buscar suprir os anseios dos vários setores que irão compor esse novo centro de ensino, pesquisa e extensão, procurando convergir as prioridades de cada um com a política pedagógica da instituição, adotando sempre soluções que alcancem a todos através da gestão participativa. A reitoria do IFET-PE funcionará como órgão administrativo central da instituição, exercendo função executiva e será composta pelo Reitor e por cinco Pró-reitores, nomeados de acordo com a legislação referente à regulação de cargos de direção. A reitoria do IFET-PE será instalada na cidade do Recife, em espaço físico ainda a ser definido. Conforme orientação do Ministério da Educação, através da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica, o prédio onde funcionará a reitoria será independente dos campi onde funcionarão as unidades de ensino componentes do IFET-PE. Objetivando uma melhor atuação junto aos vários setores que comporão a comunidade escolar do IFET-PE, a reitoria desempenhará suas funções administrativas contemplando, entre outros, os seguintes eixos: Ensino acadêmico que tuará junto aos estudantes, professores, coordenadores de curso e chefes de departamento, e sua missão será organizar o funcionamento e gerir a política pedagógica dos cursos; efetuar o controle acadêmico dos estudantes (relativos a documentação e demais aspectos); coordenar avaliação da qualidade do ensino e qualificação do corpo docente; dentre outras atribuições. Pesquisa que atuará junto às coordenações, sua missão será garantir o bom andamento das pesquisas. Para isso, terá como atribuições o controle e acompanhamento de pessoal efetivo e temporário (freqüência, férias, licenças, etc.); analisar e controlar os pedidos de auxílio financeiro para as diversas pesquisas; dentre outras atribuições. Planejamento orçamentário que atuará junto às coordenações e outros setores da própria reitoria. Sua missão será promover o bom desempenho financeiro da instituição. Suas principais atribuições serão analisar gastos institucionais; elaborar relatórios orçamentários; elaborar planilhas de custo; entre outras atribuições. 4

5 Ações de integração externa e interna que atuará junto às comunidades interna e externa, sua missão será difundir as atividades do IFET nas localidades circunvizinhas, integrando os dois universos, e na própria instituição. Suas atribuições serão articular e promover ações culturais que estreitem as relações IFET sociedade; estender conhecimentos para a comunidade acadêmica e circunvizinha; apoiar projetos que promovam o desenvolvimento regional; entre outras atribuições. O processo de ensino aprendizagem contemporâneo mostra-se complexo e diversificado, o que enfatiza a importância de uma boa gestão educacional, que atue de forma compartilhada e encontre soluções que supram as aspirações dos vários setores da instituição de educação, integrando-as às necessidades do mercado de trabalho e da sociedade. Dentro desse princípio, a Reitoria do IFET-PE, junto com seus órgãos assessores e como entidade máxima da administração escolar, exercerá suas funções de maneira participativa e transparente, buscando sempre encontrar soluções voltadas para promover uma educação profissional e tecnológica de excelência.. Informações sobre as unidades que passarão a integrar o IFET-PE. CEFET-PE (Recife) O Cefet-Recife, fica situado, no bairro do Curado, na cidade do Recife, ocupa um terreno com 5ha e possui uma área construída de 9. metros quadrados. Ao longo dos seus 98 anos de existência vem formando profissionais qualificados para o mercado de trabalho, prestando assim a sua contribuição para a educação profissional e tecnológica e para o desenvolvimento sócio-econômico do país. A Historia do CEFET-PE teve inicio em 99 quando foram criadas em cada uma das capitais dos Estados as Escolas de Aprendizes Artificies, passando a ser o Liceu Industrial de Pernambuco em (97), Escola Técnica do Recife em (947), Escola Técnica Federal de Pernambuco em (965) e Cefet em (XXXX). Hoje o CEFET-PE possui 5.5 alunos matriculados nos seus 5 cursos e um corpo docente composto por 4 professores, constituindo-se numa das maiores Escolas do país. Se por um lado esses números demonstram a importância dessa instituição de educação, por outro lado são grandes os desafios que precisam ser vencidos para atender a demanda existente na região, como pode ser comprovado pelo numero de inscrições para o seu exame de vestibular 8 que será realizado em fevereiro do corrente, onde.56 candidatos disputarão.6 vagas, o maior entre os Cefets de todo o país. Ainda com relação ao seu exame de seleção, metade das vagas é reservada para estudantes das redes publicas estadual ou municipal como forma de democratizar e ampliar o acesso a educação. Dentre os cursos mais procurados estão os de Segurança do Trabalho e Engenharia de Produção, que apresentaram para as aulas em horário noturno a relação candidato-vaga de 4,8 para o primeiro e 4, para o segundo. O Recife, juntamente com mais municípios formam a RMR, Região Metropolitana do Recife cuja população total é superior a três milhões e meio de habitantes. Essa região destaca-se, do ponto de vista econômico pelas atividades relativas ao terciário moderno: turismo, ensino superior e pesquisa, serviços médicos especializados, tecnologia da informação e varejo. Ainda em 5

6 menor escala estão as atividades ligadas a industria de produtos alimentícios, têxtil, vestuário, movelaria, papel, alem da tradicional industria sucroalcooleira. No final da década de 7 teve inicio a construção do complexo portuário de Suape no municio de Ipojuca no extremo sul da RMR. Os investimentos em infra-estrutura realizados ao longo de quase três décadas, vem impulsionando o desenvolvimento do Estado ao atrair grandes empreendimentos para a região como a implantação da refinaria Abreu e lima e o Estaleiro atlântico Sul dentre outros. No item.5 deste capitulo que refere-se ao Cefet-Ipojuca e no capitulo 4 que trata da caracterização sócio-economica das regiões de desenvolvimento onde estão situados os campi do IFET_PE encontra-se uma descrição detalhada do porte desses investimento que já começam a alavancar a economia de Pernambuco. A cidade do Recife encontra-se praticamente no meio da faixa de quilometros de extensão de costa da RMR, o que confere ao Cefet-Recife uma posição privilegiada por está situado numa posição relativamente eqüidistante dos municípios que compõem essa região de desenvolvimento. Esse fator geográfico, somado ao sistema de transporte urbano integrado existente ligando os 4 municípios e também por ser a maior escola publica de ensino profissional do Estado, faz com que o Cefet-PE receba alunos de toda a RMR e até mesmo de municípios vizinhos como Goiana, Sirinhaém, Escada, chã de Alegria, Vitória de Santo Antão, Paudalho, Tracunhaém dentre outros. A sua organização de cursos está voltada para as demandas sociais econômicas e culturais, tanto locais como regionais. Em sintonia com as mudanças no mundo do trabalho e a necessidade de acompanhar o desenvolvimento tecnológico e de somar a teoria a pratica, o Cefet-Recife desenvolve um intenso programa de cooperação com empresas publicas e privadas através de convênios para obtenção de estágios para os seus estudantes.também nesse sentido são desenvolvidos nos seus vários cursos, projetos de pesquisa e extensão, orientação de iniciação cientifica, trabalhos de conclusão de curso, monografias, cursos de extensão, alem de programas de capacitação para o seu corpo docente e administrativo. Atento ao que diz respeito ao seu papel na inclusão das camadas mais desfavorecidas da sociedade, o Cefet-Recife vem investindo nos cursos na modalidade Proeja e através da Educação a Distancia o que também colabora para o crescimento de uma cultura de responsabilidade social na instituição. Os quadros a seguir apresentam as informações sobre a situação atual do Cefet-Recife com relação ao numero de professores, alunos, técnicos administrativos, cursos regulares oferecidos e infra-estrutura física constituída. 6

7 TABELA - : QUADRO DOS SERVIDORES EFETIVOS - CEFET-PE (RECIFE) PROFESSORES Regime de Trabalho (horas semanais ou dedicação exclusiva) Titulação Total 4 DE Nivel médio 9 Graduação Aperfeiçoamento Especialização Mestrado Doutorado TOTAL ADMINISTRATIVO Regime de Trabalho (horas semanais) Titulação Total 4 Nivel medio 6 6 Graduação Aperfeiçoamento Especialização 4 4 Mestrado Doutorado 5 5 TOTAL TABELA - INFRA-ESTRUTURA CEFET-PE (RECIFE) Área Construida Área Total Equipamento Biblioteca Auditorio Centro esportivo Consultorio médicoodontologico Restaurante Cantina Salas de aula Labtº Informática Laboratorios 8.m² hectáre Quant. poli Descrição sumária para uso simultaneo de alunos, equipada com computadores um com capacidade para pessoas e outro para 5 pessoas campo de futebol medidas ociciais ginásio poli-esportivo quadra coberta poli-esportiva quadras descobertas poli-esportiva quadras de volei de praia pista de atletismo gaiola para arremesso(martelo, dardo e peso) Gabinete Odontólogico Ambulatório Médico p/ atender 8 pessoas simuntaneamente 7 55 para uso de computação gráfica Em diversos campos de atuação Com capacidade aprox. de 45 cadeiras de 7

8 Frota Informática 9 Estacionamento Ônibus, micro-ônibus, vans, carros passeios, pick-up computadores página na Internet intranet cap.aprox. 5 veículos FOTOS DO CAMPUS CEFET PE (RECIFE) 8

9 FACHADA PRINCIPAL VISTA PANORÂMICA BLOCO B RAMPA DE ACESSIBILIDADE GINÁSIO POLIESPORTIVO CONSULTÓRIO MÉDICO-ODONTOLÓGICO AUDITÓRIO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA SALAS DE AULAS. CEFET-PE (Ipojuca) 9

10 Não se sabe, ao certo, a data de fundação de Ipojuca, constando apenas que a criação do distrito é anterior a 68. A vila foi criada, sob a denominação de Nossa Senhora do Ó, através de lei, a de março de 84. A de maio de 849, a vila foi transferida para a povoação de São Miguel de Ipojuca. Pôr decreto estadual de 4 de outubro de 89, a sede foi restabelecida em Nossa Senhora do Ó e, seis anos depois (5 de julho de 896), foi elevada à categoria de cidade. Até a divisão administrativa do Estado, em 9, o hoje município de Ipojuca tinha sua sede em Nossa Senhora do Ó. Ipojuca tem como um dos principais fatores econômicos o turismo. A rede hoteleira é bastante desenvolvida, assim como a gastronômica. O município de Ipojuca também é considerado um dos grandes pólos industriais de Pernambuco, pois ali estão situadas algumas grandes empresas surgidas ao redor do Porto de Suape. É um município, ao mesmo tempo, portuário, industrial, turístico e rural na sua maior porção territorial, pois ainda abriga duas usinas de açúcar e álcool e mais de sessenta engenhos e outros comunidades rurais, que no futuro melhor poderá aproveitar a vocação agrícola da região, inclusi-ve com o cultivo de frutas tropicais, as quais também poderão se destinar à exportação, já que se tem um porto à porta A região onde está instalada a Unidade do CEFET-PE, em Ipojuca é um dos maiores complexos portuários do país, COMPLEXO DE SUAPE, onde existem mais de 7 empresas instaladas das mais diversas, sem contar com a instalação da refinaria, do estaleiro atlântico sul e mais outras empresas. O porto de Suape é um porto brasileiro que fica no estado de Pernambuco, entre os municípios de Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho (Região Metropolitana do Recife). Seu projeto foi baseado na integração porto-indústria a exemplo de países como França e Japão.A construção do porto de Suape foi prevista para operarar produtos combustíveis e cereais a granel, substituindo o porto do Recife. Em 7 de novembro de 978, uma lei estadual criou a empresa Suape Complexo Industrial Portuário para administrar o desenvolvimento das obras, hoje o porto é um dos maiores do Brasil; administrado pelo Governo de Pernambuco. Localizado no litoral sul do estado, distante 4 km do Recife. Sua área de influência abrange todo o estado de Pernambuco e parte dos estados de Alagoas e da Paraíba. O porto tem acesso rodoviário pela PE-6 e pela AL, na divisa de Pernambuco e Alagoas. É considerado o mais tecnologicamente avançado do Brasil, e é o segundo maior em capacidade do país. Um dos principais empreendimentos em fase de implantação em Suape é o estaleiro Atlântico Sul, cujas obras foram iniciadas em fevereiro passado e estarão concluídas em dois anos. O estaleiro, que será o maior do Hemisfério Sul, terá capacidade de processamento de mil toneladas de aço por ano e representa investimentos de R$ 67 milhões. O estaleiro já nasce com uma encomenda de dez navios Suezmax para a Transpetro braço logístico da Petrobrás. O valor do contrato é de R$,4 bilhões. Situa-se na região de Ipojuca o litoral turístico de porto de galinhas, muro alto, maracaípe e serrambi, trazendo para o municípios os olhares internacionais.

11 O complexo industrial e portuário de suape é o mais completo pólo para localização de negócios industriais e portuários da região nordeste. Dispondo de um infra-estrutura completa para atender às necessidades dos mais diversos empreendimentos, Suape tem atraído um número cada vez mais de empresas interessadas em colocar seus produtos no mercado regional ou exportá-lo para outros paises. Suape tem um conjunto de programas ambientais que serão desenvolvidos e implementados. São mais de 6. hectares (45%) da área do complexo legalmente destinados à preservação ecológica. É nesta área onde Suape tem implementado os programas ambientais desde 98. até hoje são cerca de 76 hectares reflorestados. Ipojuca possui aproximadamente 75 escolas municipais e uma creche, sendo 57 na área rural e 8 na área urbana, possui 579 professores sendo 9 no ensino fundamental e os demais nas diversas modalidades de ensino. Já nas unidades particulares são seis escolas do ensino fundamental e duas do ensino médio. A necessidade de expansão e interiorização do ensino técnico do Brasil, através da criação de novas unidades de ensino tecnológicos, tem se constituído numa realidade cada dia mais constatado pelos diversos segmentos da sociedade brasileira, principalmente aqueles ligados à área educacional e ao mercado de trabalho, o qual se recente da falta de mão de obra especializada de nível médio, para dar suporte ao desenvolvimento tecnológico, imprescindível ao crescimento socioeconômico do país. Atenta a essa necessidade e sabendo do interesse do Governo Federal, Ministério de Educação e SETEC, o município do ipojuca em Pernambuco, juntamente com o CEFET-PE, em parceria mostram interesse em formar técnicos de grau em áreas de conhecimento que atendam aos reclamos da região. Diante do exposto o papel do CEFET/IPOJUCA é dotar a região de um centro educacional profissionalizante, com capacidade para formar técnicos de nível médio que atendam às necessidades do mercado de trabalho local e regional. Os quadros a seguir apresentam as informações sobre a situação atual do Cefet-Ipojuca com relação ao numero de professores, alunos, técnicos administrativos, cursos regulares oferecidos e infra-estrutura física constituída. TABELA - : QUADRO DE SERVIDORES EFETIVOS EFETIVO CEFET-PE (IPOJUCA) PROFESSORES

12 Nivel medio Graduação Aperfeiçoamento Especialização Mestrado Doutorado Regime de Trabalho (horas semanais ou Total dedicação exclusiva) 4 DE TOTAL Titulação 4 5 ADMINISTRATIVOS Nivel medio Graduação Aperfeiçoamento Especialização Mestrado Doutorado Regime de Trabalho (horas semanais) Total 4 TOTAL Titulação TABELA - : CURSOS REGULARES E NÚMERO DE ALUNOS CEFET-PE (IPOJUCA) Nível Cursos Automação Industrial Médi Química o Segurança do Trabalho Total nível médio Modalidade/Número de Alunos Presencial A distância Total Integrado Sequenc. Proeja Integrado Sequenc. Proeja TABELA - INFRA-ESTRUTURA CEFET-PE (IPOJUCA) Área Construida Área Total 4m² ha

13 Equipamento Biblioteca Mini Auditorio salas de aula Cantina Quantidade Descrição sumária Para atender aos cursos de Segurança do Trabalho, Automação e Química Capacidade para 4 lugares em poltronas especiais 6 Salas com capacidade para 4 alunos Laboratorios Frota 6 Laboratórios de Química Geral, Química Analitica, Analise Instrumental,Ibnformática,Automação, Segurança do Trabalho Veículo Pick Nissan Frontier Cabine Dupla FOTOS DO CAMPUS - CEFET-PE (IPOJUCA)

14 BLOCO ADMINISTRATIVO VISTA PANORÂMICA SALA DE AULA SALA DE AULA VISTA INTERNA LABORATÓRIO DE QUÍMICA VISTA PANORÂMICA VISTA INTERNA Caracterização (PESQUEIRA) socioeconômica e educacional do CEFET-PE

15 . CEFET-PE (Pesqueira) A Unidade de Ensino de Pesqueira Centro Federal de Educação Tecnológica de Pernambuco está situada às margens da BR km 4, Loteamento Portal no Bairro do Prado em Pesqueira-PE. A aula inaugural aconteceu no dia 5 de Abril de 994. Tem uma área total de 7.59 m² em uma área construída de.647,m². A cidade de Pesqueira está localizada no mesorregião do Agreste Setentrional de Pernambuco, a 4 km da capital Recife. Tem uma área de aproximadamente de km². Sua população é de aproximadamente de 6. habitantes; PIB R$6.85.; PIB per capita de R$.89,; IDH,6 (PNUD/); altitude de 654m e densidade demográfica de 6,5 habitantes por km² (Dados do Censo 4). A região na qual o CEFET Pesqueira se encontra inserida tem a economia baseada no Turismo, na produção de renda renascença, na pecuária leiteira, além do comercio, pequenas fábricas de doces e licores caseiros e do moderno parque industrial em plena ascensão. Com os constantes impactos das inovações tecnológicas necessita-se de mão de obra qualificada. O CEFET Pesqueira tem cumprido sua função social com eficiência, uma vez que vem contribuindo com o desenvolvimento social, econômico, cultural e ético da região, colaborando na ampliação das competências profissionais que relacionam as atividades industriais, de saúde, da construção civil, além de trabalhar a conscientização para a preservação do meio ambiente e oferecer ao aluno perspectivas melhores de ingresso no mercado de trabalho. Com relação das características educacional a cidade de Pesqueira é servida de escolas públicas municipais, estaduais e particulares, uma faculdade particular. Além do CEFET Pesqueira que oferece os níveis de educação básica nas modalidades de Médio Integrado, profissional básico, Técnico, EJA, Nível Superior e pós-graduação e vem trabalhando em prol de uma educação de qualidade a serviço da cidadania e oferecendo qualificação de alunos e trabalhadores e mais, através da prática educacional básica o significado do conhecimento, a partir da realidade social, valorizando a formação do aluno como pessoa humana e a preparação para sua integração ao mercado de trabalho face às exigências do mundo globalizado. Esta Unidade de Ensino funciona nos três turnos; manhã: 7hs às hs; tarde: hs às 7hs e minutos e à noite das 8hs e 4 minutos ás hs. A instituição tem como funcionalidade educativa a formação geral de profissionais com base nos princípios educativos que proporcione sabores e conhecimentos, autonomia intelectual, pensamento crítico, iniciativa empreendedora, levando em consideração o respeito aos valores éticos, políticos e sociais para a formação igualitária e democrática de jovens e adultos tornando-os cidadãos completos eficientes profissionais e socialmente solidários. Isso é possível graça a eficiência dos servidores docentes e administrativos desta Unidade de Ensino e as parcerias e convênios de cooperação técnica com instituições públicas e privadas onde os alunos fazem estágios para devolver os trabalhos administrativos e pedagógicos. Na perspectiva de uma política de inclusão social a Escola em seu processo seletivo realizado anualmente, tem disponibilidade 5% de vagas oferecidas para alunos provenientes de escolas públicas municipais e

16 estaduais o que visa garantir o acesso da população menos favorecida ao ensino profissional público gratuito e de qualidade. No Exame de seleção/ Vestibular 8 a escola oferece 6 vagas e se inscreveram 9 candidatos principalmente das cidades de Pernambuco, mas também tivemos inscritos de estados como Paraíba, Alagoas, Sergipe, Bahia e até São Paulo. Atualmente são 969 alunos regularmente matriculados ( dados de 7.) distribuídos nos cursos de níveis médio e superior que a instituição oferece. Esses alunos utilizam um sistema de transporte constituídos por ônibus municipais, transportes alternativos pagos eles. A escola oferece para alguns mais carentes auxílio transporte, auxílio alimentação dentre outros, que compõem programa Ajuda ao aluno carente, que atualmente beneficia cerca de 7 alunos, além assistência odontológica, psicológica e nutricional. O CEFET Pesqueira dispõe de uma infra-estrutura considerável para atender as necessidades de seus alunos dando condições de complementar a parte teórica com a prática através de experiências em laboratórios e visitas técnicas pedagógicas o que visa à melhoria do ensino aprendizagem. Os quadros a seguir apresentam as informações sobre a situação atual do Cefet-Pesqueira com relação ao numero de professores, alunos, técnicos administrativos, cursos regulares oferecidos e infra-estrutura física constituída. TABELA - : QUADRO DE SERVIDORES EFETIVOS - CEFET-PE (PESQUEIRA) PROFESSORES

17 Regime de Trabalho (horas semanais ou dedicação exclusiva) 4 DE Titulação Nivel medio Graduação Aperfeiçoamento Especialização Mestrado Doutorado TOTAL ADMINISTRATIVO Titulação Nivel medio Graduação Aperfeiçoamento Especialização Mestrado Doutorado TOTAL Regime de Trabalho (horas semanais) TABELA - : CURSOS REGULARES E NÚMERO DE ALUNOS - CEFET-PE (PESQUEIRA) Nível Cursos Médio Ensino Médio Edificações Eletretécnica Eletroeletrônica Enfermagem Turismo Total nível médio Nível Cursos Modalidade / Número de alunos Presencial Normal Integ. Sequenc. Proeja A distância Total Integ. Sequenc. Proeja Modalidade / Número de alunos Presencial A distância Normal Proeja Normal Proeja Total

18 pós Superior Pos-graduação Gestão Pública Licenciatura em Matematica 44 Total nível superior Total de alunos (níveis médio e superior) TABELA - INFRA-ESTRUTURA Área construída: Área total: Equipamento Salas de Áudio Laboratórios Laboratório de Informática Laboratório de Física Laboratório de Química Laboratório de Biologia Laboratório de Enfermagem Laboratório de Área Industrial Laboratório de Edificações Frota Quantidade Descrição sumária Com capacidade para atender 4 alunos cada. Com 5 computadores cada um. Com capacidade para 4 alunos. Com capacidade para 5 alunos. Com capacidade para 5 alunos. Com capacidade para 4 alunos. Com capacidade para 4 alunos cada. Com capacidade para 4 alunos. Microônibus 6, Master da Renault 7,Fiesta 4, Blazer FOTOS DO CAMPUS CEFET-PE (PESQUEIRA)

19 ENTRADA PRINCIPAL AUDITÓRIO BIBLIOTECA CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO SALA DE INFORMÁTICA SALA DE DESENHO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA.4 Escola Agrotécnica Federal de Barreiros

20 A Escola Agrotécnica Federal de Barreiros foi criada em /7/9 e inaugurada em 5//94., com o nome de Patronato Agrícola João Coimbra. A escola funcionou em Tamandaré, então município de Rio Formoso, até o ano de 94, passando a funcionar na Fazenda Sapé, município de Barreiros PE, de 4 até a presente data. Com uma área de mais de ha, está localizada na zona da Mata Sul de Pernambuco, distante km do Recife, a capital do Estado e sua área de influência abrange principalmente municípios dos Estados de Pernambuco e Alagoas. A escola está localizada num município que tem como economia básica o cultivo da cana-de-açúcar. Toda a região é contemplada com a cultura da cana, também outras culturas são desenvolvidas na região, mesmo em menor quantidade como a cultura de hortaliças e a do coco, haja vista a localização privilegiada de nossa região. Duas usinas próximas contribuem para o desenvolvimento da região: a Usina Trapiche e a Usina Santo André, produzindo açúcar e álcool. Com o fechamento da Usina Central de Barreiros, desconfiava-se que a economia, bem como o desenvolvimento do município fosse entrar em decadência. No entanto, para grande surpresa dos munícipes, o comércio, contradizendo todas as expectativas, desenvolveu-se de forma surpreendente e hoje é um dos sustentáculos da economia local. Tanto que a população tem encontrado no comércio um meio de vida sustentável que, podemos até dizer, Barreiros tornou-se um pólo comercial que é visitado e explorado pelos municípios circunvizinhos, principalmente os do Norte de Alagoas. Situada numa região privilegiada, Barreiros está entre algumas das praias mais lindas e convidativas do Litoral Sul de Pernambuco: a tão conhecida Tamandaré e a, digamos, agradabilíssima São José da Coroa Grande. Muito próxima à praia de Maragogi, Alagoas. Com toda essa distribuição natural, o turismo tem contribuído, e muito, para a economia do município e favorecido alguns projetos pedagógicos da nossa instituição, bem como, por causa disto, despertado alguns talentos artísticos, seja nas artes cênicas, seja na produção de artesanato que caracterizam o nosso município. Nosso município, segundo dados da Prefeitura Municpal, do Condepe/Fidem e do IBGE, publicado no JC de 5 de fevereiro de 7: tem uma população de 49 mil habitantes, um ídice de Desenvolvimento Humano (IDH) de, 64, taxa de alfabetização de 7,5%, taxa de desemprego de 7%, infelizmente. O seu PIB é de R$ 89, milhões (,% do PIB de Pernambuco), 4 escolas municipais, 4 estaduais, federal e várias particulares. De acordo com Adriana Guarda, Jornal do Comércio de 5 de fevereiro de 7, Barreiros será encravada no mapa mundial do turismo pelas mãos do grupo espanhol Qualta Resorts, que pretende investir num Complexo Turístico Ecológico já batizado de Reef Club (Clube de Arrecifes). Um empreendimento que está estimado em 5 milhões de euros. Conforme a fala do Coordenador do Projeto em Pernambuco, José Nunes de Figueiredo Neto, a expectativa do empreendimento é atrair cerca de mil turistas por ano. Quando estiver com todas as etapas concluídas, o Reef Club será integrado por dois resorts, duas pousadas e 4 mil moradias. Aproximadamente 5 milhões de euros serão investidos na primeira fase e a expectativa é que sejam abertos.8 postos diretos de trabalho.

Processo Seletivo UFPE SiSU 2015 ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO QUANTO À MODALIDADE DE CONCORRÊNCIA

Processo Seletivo UFPE SiSU 2015 ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO QUANTO À MODALIDADE DE CONCORRÊNCIA Processo Seletivo UFPE SiSU 2015 ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO QUANTO À MODALIDADE DE CONCORRÊNCIA Todos os candidatos deverão especificar no ato da inscrição qual a modalidade de concorrência escolhida,

Leia mais

DA ESCOLA DE APRENDIZES ARTÍFICES AO IFAM: UM BREVE HISTÓRICO SOBRE O PROCESSO DE IFETIZAÇÃO NO AMAZONAS.

DA ESCOLA DE APRENDIZES ARTÍFICES AO IFAM: UM BREVE HISTÓRICO SOBRE O PROCESSO DE IFETIZAÇÃO NO AMAZONAS. DA ESCOLA DE APRENDIZES ARTÍFICES AO IFAM: UM BREVE HISTÓRICO SOBRE O PROCESSO DE IFETIZAÇÃO NO AMAZONAS. Martinho Correia Barros Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas martinho.correia@ifam.edu.br

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

PLANO DE TRABALHO COM AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA A DIREÇÃO GERAL DO IF BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA NO QUADRIÊNIO 2014 2018

PLANO DE TRABALHO COM AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA A DIREÇÃO GERAL DO IF BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA NO QUADRIÊNIO 2014 2018 ~ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA PLANO DE TRABALHO COM AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo

Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo Programa Chapéu de Palha Com a finalidade de adotar medidas de combate aos efeitos do desemprego em massa, decorrentes da entressafra da cana-de-açúcar

Leia mais

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional UESC Missão: Formar profissionais, construir conhecimento e criar cultura fomentadora da cidadania, do desenvolvimento humano, social, econômico, artístico

Leia mais

Políticas para a Educação Superior

Políticas para a Educação Superior Políticas para a Educação Superior A experiência da UFERSA Prof. Augusto Carlos Pavão Pró-Reitor de Graduação A Universidade Políticas Públicas Expansão Acesso Interiorização SISU Lei das Cotas PIBID Bolsas

Leia mais

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil Fernando Jose Spanhol, Dr www.egc.ufsc.br www.led.ufsc.br O Sistema UAB Denominação representativa genérica para a rede

Leia mais

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR Metas PNE - Meta 12 Elevar a taxa bruta de matrícula na Educação Superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Superior Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

Vestibular IFPE. Inscrições serão realizadas de º a de outubro. Isenção da taxa de inscrição deve ser solicitada a partir desta quarta ( )

Vestibular IFPE. Inscrições serão realizadas de º a de outubro. Isenção da taxa de inscrição deve ser solicitada a partir desta quarta ( ) Vest i IFPE bular 2015 Seu fu t uro ma is pert o de vo cê IFPE oferece. vagas em Vestibular Inscrições serão realizadas de º a de outubro. Isenção da taxa de inscrição deve ser solicitada a partir desta

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO A Faculdade Kennedy busca sempre melhorar a qualidade, oferecendo serviços informatizados e uma equipe de profissionais preparada para responder

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE SAPEAÇU, ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições legais,

O PREFEITO MUNICIPAL DE SAPEAÇU, ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições legais, LEI N.º542/ 2014 de 20 de maio de 2014. Dispõe sobre a criação do Pólo de Apoio Presencial da Universidade Aberta do Brasil em Sapeaçu, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE SAPEAÇU, ESTADO

Leia mais

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Segundo substitutivo do PNE, apresentado pelo Deputado Angelo Vanhoni, Abril de 2012 Profa. Dra. Rosilene Lagares PPGE/PET PedPalmas Palmas,

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus PERSPECTIVA OBJETIVO INDICADOR META RESULTADOS INSTITUCIONAIS 1 Nº de cursos técnicos e superiores, articulados com os arranjos produtivos locais por Campus; 2 Oferta de cursos técnicos e superiores por

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

Plano de Gestão 2013-2016 IFSP Campus Caraguatatuba

Plano de Gestão 2013-2016 IFSP Campus Caraguatatuba Visão Institucional O Campus Caraguatatuba do IFSP desenvolveu-se nos últimos anos, ampliando os cursos oferecidos, desde a Formação Inicial e Continuada, passando pelos Cursos Técnicos, de Tecnologia,

Leia mais

Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012

Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012 Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Quadro Resumo- Estatísticas Gerais da Educação Superior por Categoria Administrativa - - 2012 Categoria

Leia mais

PARECER. Justificativa

PARECER. Justificativa Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás IFG - Campus Anápolis Departamento das Áreas Acadêmicas Parecer: Do:

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO BÁSICA: EDUCAÇÃO BÁSICA: 1. Definir os padrões mínimos de qualidade estabelecidos pela LDB, considerando as especificidades

Leia mais

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO. Parte 1 (solicitante)

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO

Leia mais

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME Os desafios da Educação Infantil nos Planos de Educação Porto de Galinhas/PE Outubro/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO

INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO Euro Oliveira de Araújo, graduado em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual da Bahia.

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES - 2012 a 2021 Instituição: ENSINO DE GRADUAÇÃO Programas/Projetos/Ações Ano Natureza Valores Fonte de Recursos Beneficiado Manutenção

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE O Colégio Estadual Djenal Tavares de Queiroz, foi fundado

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES CAMPUS CONGONHAS DEZEMBRO - 2013 INFRA-ESTRUTURA Objetivo

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA.

RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO EM EXERCÍCIO, DES. FERNANDO EDUARDO DE MIRANDA FERREIRA,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO EM EXERCÍCIO, DES. FERNANDO EDUARDO DE MIRANDA FERREIRA, CONVOCAÇÃO O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO EM EXERCÍCIO, DES. FERNANDO EDUARDO DE MIRANDA FERREIRA, no uso de suas atribuições, CONVOCA os seguintes servidores para participarem da Oficina

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

12. POLÍTICA DE EaD A Educação a Distância do IFPE EaD, ao longo dos anos, vem desenvolvendo ações que propiciam mediação didático-pedagógica nos

12. POLÍTICA DE EaD A Educação a Distância do IFPE EaD, ao longo dos anos, vem desenvolvendo ações que propiciam mediação didático-pedagógica nos 12. POLÍTICA DE EaD 12. POLÍTICA DE EaD A Educação a Distância do IFPE EaD, ao longo dos anos, vem desenvolvendo ações que propiciam mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2015 EDITAL

PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2015 EDITAL U N I V E R S I D A D E D E P A S S O F U N D O V i c e - R e i t o r i a d e G r a d u a ç ã o S e c r e t a r i a G e r a l d o s C u r s o s Campus I Rodovia BR 285 Km 292,7 - Bairro São José CEP 99052-900

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA PROPOSTA 1 Curso Nome(s) do(s) Curso(s) ZOOTECNIA Código e-mec 56129 Conceito ENADE 4 Coordenador da Proposta (Tutor do Grupo) ANA MARIA BRIDI 2 Caracterização da Proposta 2.1Área de Conhecimento (código

Leia mais

DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA

DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA Regionalismo e Cooperação Intermunicipal o caso do Grande ABC Paulista Fausto Cestari Filho Características do Grande ABC Primeiro povoado brasileiro fora do litoral

Leia mais

CARTA PROPOSTA CARGO: DIRETORIA GERAL DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL

CARTA PROPOSTA CARGO: DIRETORIA GERAL DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL CARTA PROPOSTA CARGO: DIRETORIA GERAL DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL NOME DO CANDIDATO: SUSANA SLOGAN: TRABALHO QUE FAZ EDUCAÇÃO PERFIL DA CANDIDATA SUSANA LAGO MELLO SOARES, 50 anos, casada, mãe de 3 filhas.

Leia mais

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 O ensino, como a justiça, como a administração, prospera e vive muito mais realmente da verdade e da moralidade, com que se pratica do

Leia mais

ASSISTÊNCIA. AUFLA foi uma das instituições mapeadas ESTUDANTIL

ASSISTÊNCIA. AUFLA foi uma das instituições mapeadas ESTUDANTIL ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL AUFLA foi uma das instituições mapeadas por uma pesquisa realizada em 2010 pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), que resultou

Leia mais

FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT

FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT 1 FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT Dispõe sobre a estruturação e operacionalização do Programa de Iniciação Científica

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA

APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA A FAESA, com atuação na área de ensino há mais de 40 anos, fundou em 2004 a Faculdade de Tecnologia FAESA, CET-FAESA, que há 10 anos oferece graduações Tecnológicas de forma pioneira

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

PROGRAMA SESI EDUCAÇÃO DO TRABALHADOR. Gerência de Educação. Versão Julho_09

PROGRAMA SESI EDUCAÇÃO DO TRABALHADOR. Gerência de Educação. Versão Julho_09 PROGRAMA SESI EDUCAÇÃO DO TRABALHADOR Gerência de Educação Versão Julho_09 O SESI (Serviço Social da Indústria) ao longo de seus sessenta anos de história sempre foi fiel à sua missão de promover a qualidade

Leia mais

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Resumo Gabriel Mathias Carneiro Leão1 - IFPR, UFPR Rosane de Fátima Batista Teixeira2 - IFPR Grupo de Trabalho Cultura, Currículo e Saberes

Leia mais

2. DAS ATRIBUIÇÕES DOS PROFESSOES TUTORES PRESENCIAIS SELECIONADOS: 2.1 Atuar no polo de apoio presencial do campus para o qual foi selecionado.

2. DAS ATRIBUIÇÕES DOS PROFESSOES TUTORES PRESENCIAIS SELECIONADOS: 2.1 Atuar no polo de apoio presencial do campus para o qual foi selecionado. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO - PROPESQ EDITAL Nº. 06, DE 12 DE JULHO DE 2013. SELEÇÃO DE SERVIDORES

Leia mais

Evolução das Matrículas por Modalidade 2000-2004 58.396 43.396 46.277 37.242 30.730

Evolução das Matrículas por Modalidade 2000-2004 58.396 43.396 46.277 37.242 30.730 Informe Técnico do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial APRESENTAÇÃO DESEMPENHO & OFERTA v.2, n.1, março de 25 Criado com o propósito de divulgar o comportamento do desempenho institucional no curto

Leia mais

Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará

Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará O REITOR DA, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral, obedecidas a legislação

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 239, DE 2012

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 239, DE 2012 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 239, DE 2012 O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, que institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE Painel 8: O papel de Instituições Públicas para Desenvolvimento da Cacauicultura Brasileira O Cacau e a Agricultura Familiar Adriana

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI

CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI PROCESSO Nº 011/2012 ASSUNTO: Proposta de adequação das diretrizes para a parceria FURB-UFSC. INTERESSADO: Administração Superior. PROCEDÊNCIA: Reitoria. I - HISTÓRICO: Em

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Página 1 de 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.095, DE 24 DE ABRIL DE 2007. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

O CENÁRIO DO PÓLO DE CONFECÇÕES DO AGRESTE DE PERNAMBUCO

O CENÁRIO DO PÓLO DE CONFECÇÕES DO AGRESTE DE PERNAMBUCO O CENÁRIO DO PÓLO DE CONFECÇÕES DO AGRESTE DE PERNAMBUCO Autora: IZABELLE SOUSA BARROS Resumo Este artigo propõe uma reflexão sobre o atual cenário do Arranjo Produtivo Local de Confecções do Agreste Pernambucano

Leia mais

Profissionais Qualificados

Profissionais Qualificados Profissionais Qualificados Em 1910 foram criadas as primeiras escolas profissionais públicas na cidade de São Paulo, como parte de um projeto de constituir um mercado de mão de obra qualificada. Essas

Leia mais

REGULAMENTO SEMANA UEMG

REGULAMENTO SEMANA UEMG REGULAMENTO SEMANA UEMG Belo Horizonte, abril de 2015 0 SUMÁRIO CAPÍTULO I DA SEDE, DATA E DA INSTITUIÇÃO PROMOTORA... 2 CAPÍTULO II DA ABRANGÊNCIA DA SEMANA UEMG... 2 CAPÍTULO III DOS OBJETIVOS... 2 CAPÍTULO

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO Marcos Neves Comissão Central PDI do IFSC PNE EXIGÊNCIA CONSTITUCIONAL O art.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS LEI Nº 1059, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre a Organização do Sistema Municipal de Ensino do Município de Pinhais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS,, aprovou e eu, PREFEITO

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 15 DE JUNHO DE 2010

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 15 DE JUNHO DE 2010 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 15 DE JUNHO DE 2010 Institui Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos nos aspectos relativos à duração dos

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Esperidião Amin Helou Filho 1 PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010. Ementa: Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2 PROJETO DE LEI

Leia mais

MODALIDADE CURSO INSCRITOS VAGAS CONCORRÊNCIA MODALIDADE CURSO INSCRITOS VAGAS CONCORRÊNCIA

MODALIDADE CURSO INSCRITOS VAGAS CONCORRÊNCIA MODALIDADE CURSO INSCRITOS VAGAS CONCORRÊNCIA CONCORRÊNCIA GERAL Campus Afogados da Ingazeira INTEGRADO TÉCNICO EM SANEAMENTO - MANHÃ 99 30 3,30 TÉCNICO EM INFORMÁTICA - MANHÃ 62 30 2,07 TÉCNICO EM AGROINDÚSTRIA - TARDE 108 40 2,70 TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO Diretores de Unidades Universitárias, coordenadores pedagógicos

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

DEMOCRACIA, ÉTICA E RENOVAÇÃO

DEMOCRACIA, ÉTICA E RENOVAÇÃO PLANO DE GESTÃO CANDIDATURA A DIREÇÃO GERAL DO IFSC CÂMPUS CHAPECÓ ROBERTA PASQUALLI DIRETORA GERAL LUIS FERNANDO POZAS DIRETOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO ELIANDRO LUIZ MINSKI DIRETOR DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional O Serviço Social do Transporte (SEST) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) são entidades civis sem fins lucrativos criadas em 14 de setembro de 1993, pela

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO

ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO Dos cursos mais procurados pelos estudantes, o de Administração é um dos mais novos. Enquanto Medicina e Direito formam profissionais desde o século 19, foi apenas em 1946 que

Leia mais

Autora: MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autora: MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA PERSPECTIVAS PARA OS CURSOS TÉCNICOS DO EIXO HOSPITALIDADE E LAZER: um estudo de caso aplicável ao Curso Técnico de Nível Médio em Eventos da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco.

Leia mais

Encontro de alunos EaD e presencial da UFRRJ. A educação a distancia no Consórcio CEDERJ: Alguns dados

Encontro de alunos EaD e presencial da UFRRJ. A educação a distancia no Consórcio CEDERJ: Alguns dados Encontro de alunos EaD e presencial da UFRRJ A educação a distancia no Consórcio CEDERJ: Alguns dados Masako Oya Masuda Vice-Presidente de Educação a Distância O que é o Consórcio CEDERJ? Consórcio das

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

Educação técnica e desenvolvimento humano e social

Educação técnica e desenvolvimento humano e social Educação técnica e desenvolvimento humano e social Nacim Walter Chieco(*) 1. Educação e desenvolvimento social A partir de 1996 teve início, no Brasil, um processo de ampla e profunda reforma educacional.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília Edital nº 20/CGPE/PRDI/IFB, de 18 de Dezembro de 2009.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília Edital nº 20/CGPE/PRDI/IFB, de 18 de Dezembro de 2009. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília Edital nº 20/CGPE/PRDI/IFB, de 18 de Dezembro de 2009. PROCESSO DE REMOÇÃO INTERNA DE SERVIDORES DOCENTES. Considerando

Leia mais

O NOVO INCRA 1. POR QUE MUDAR O INCRA

O NOVO INCRA 1. POR QUE MUDAR O INCRA O NOVO INCRA Apresentação Estamos chegando ao final do processo de reestruturação do Incra. Foram alguns meses de árduo trabalho, construindo nosso futuro. Chegamos agora ao termo de uma mudança que foi

Leia mais

METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Meta 01. Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de 04 a 5 anos de idade e ampliar, a oferta de educação infantil em creches de forma a atender a 50% da população

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL GLOSSÁRIO EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SENAC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL RIO DE JANEIRO NOVEMBRO/2009 AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Ações educativas destinadas ao desenvolvimento de competências necessárias

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília. Planejamento 2010 Diretrizes e metas

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília. Planejamento 2010 Diretrizes e metas Planejamento 2010 Diretrizes e metas Brasília (DF), março de 2010 Planejamento 2010 Diretrizes e metas Apresentação Este documento é fruto de um intenso e extenso processo de discussões envolvendo a Reitoria

Leia mais

PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica

PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica Pró-Reitoria de Ensino do IFG Gilda Guimarães Dulcinéia de Castro Santana Goiânia_ 2012/1 1- PARÂMETROS LEGAIS LEI Nº 11.892, DE 29 DE

Leia mais

FACULDADE LEÃO SAMPAIO

FACULDADE LEÃO SAMPAIO FACULDADE LEÃO SAMPAIO Edital nº 01/2012 O Diretor Geral da Faculdade de Ciências Aplicadas Dr. Leão Sampaio, no uso das suas prerrogativas institucionais e legais, e considerando o que determina o Art.

Leia mais

LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento

LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento PNE PME LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento locais e nacionais (prova Brasil e IDEB) 10% do

Leia mais

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ME FACULDADE INTEGRADA DE SANTA MARIA PRELIMINARES POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA Santa Maria, RS Junho - 2010 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO... 1 2. POLÍTICAS DE ENSINO

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV Realizar projetos para destinação de resíduos sólidos * Meio Ambiente Desenvolver programas de educação ambiental Apresentar pequenos e médios projetos de recuperação (seqüestro

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS Perguntas mais frequente e respostas do Departamento de Políticas Educacionais. 1. Qual é a nomenclatura adequada para o primeiro ano do ensino fundamental

Leia mais

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso.

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso. Anexo II Dimensões Elementos Indicadores quantitativos Indicadores qualitativos % de cursos com projeto pedagógico/ adequados ao Projeto Condições de implementação dos Projetos Projeto Pedagógico dos Institucional

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO O que buscamos Proporcionar educação com qualidade social para todas as crianças. Erradicar o analfabetismo, ampliar o nível

Leia mais

PROGRAMA : 104 - Educação Superior no Século XXI ÓRGÃOS PARTICIPANTES

PROGRAMA : 104 - Educação Superior no Século XXI ÓRGÃOS PARTICIPANTES Governo do Estado da Bahia Seplan / SPO Cadastro do PPA PPA 22 25 Valores Iniciais Parametrização: Órgão Coordenador Órgão Responsável Órgão Orçamentário 3.11.640 Universidade Estadual de Santa Cruz PROGRAMA

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD A política de Educação a Distância EAD está claramente expressa em diversos documentos e regulamentos internos da instituição Regulamento do NEAD Os

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA DE GESTÃO EFICAZ - Projeto Via Turismo 1.1 Histórico da Prática Eficaz Descrever como surgiu o programa/prática e indicar a data de início das ações. O Projeto Via Turismo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão Quadriênio 2016-2019 Candidata Franciele Ani Caovilla Follador Slogan: CCS em ação! 1 INTRODUÇÃO Em 1991,

Leia mais

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Eixo I O plano Nacional de Educação e o Sistema Nacional de Educação: organização e regulação. Instituir, em cooperação

Leia mais

Instrução Normativa nº 01/2011

Instrução Normativa nº 01/2011 Instrução Normativa nº 01/2011 Institui e normatiza o Programa de Assistência Estudantil do Instituto Federal de Minas Gerais - IFMG. As PRÓ-REITORIAS DE ADMINISTRAÇÃO; ENSINO; EXTENSÃO; PESQUISA, INOVAÇÃO

Leia mais

MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 02/2010 Estabelece Normas Operacionais Complementares em conformidade com o Parecer CNE/CEB nº 06/2010, Resoluções CNE/CEB nº 02/2010

Leia mais

Clipping IFRJ Setembro de 2012

Clipping IFRJ Setembro de 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Assessoria de Comunicação Clipping IFRJ Setembro de 2012 11/09

Leia mais

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Atração de Investimentos, Promoção Comercial e Projeção Internacional Eduardo Bernis Secretaria Municipal de Desenvolvimento Belo Horizonte

Leia mais