Curso Avançado de Direito Administrativo em Exercícios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso Avançado de Direito Administrativo em Exercícios"

Transcrição

1 Bom, a posse é ato solene e formal mesmo. Aliás, tem normalmente uma solenidade mesmo... Parte interessante, mas já vista: a posse pode ocorrer em cargos efetivos OU NÃO. O OU NÃO abrange os cargos em comissão, lembram? Agora, vejam esse artigo da 8.112: Art. 7 o A investidura em cargo público ocorrerá com a posse. Um monte de gente lê isso aí e não se dá conta do que significa... Podem entender assim: o ingresso do servidor, mas o ingresso mesmo, nos quadros da Administração só ocorre com a posse. Esse o sentido da investidura, citada no dispositivo transcrito. Daí, a nomeação consolidase só, apenas com a posse, pois neste momento, solene e formal, é que há a aceitação do cargo por parte do servidor. Todavia, nas formas de provimento derivado, que são todas as outras, menos a nomeação (única forma de provimento originário), não existe posse, pois esta já ocorreu quando da nomeação. Assim, da maneira como o examinador coloca, não quer se falar em consolidação da nomeação nas formas de provimento derivado, pois nestas não há nomeação e/ou posse GABARITO: CERTO 112

2 21 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) Não se admite que a posse no cargo público ocorra mediante procuração específica. (Certo/Errado) É possível sim. Basta ver o 3º, art. 13, Lei 8.112/ GABARITO: ERRADO 22 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) O prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em exercício é de trinta dias, contados da data da posse. (Certo/Errado) O prazo é de QUINZE DIAS para entrar em exercício, depois da posse. Da nomeação para a posse é que o prazo é de TRINTA DIAS. O examinador trocou o prazo. Esse é o erro desse item GABARITO: ERRADO 23 - (2010/CESPE/TRE-MT/Técnico) Vacância é o ato administrativo pelo qual o servidor é destituído do cargo, emprego ou função. Decorre de demissão ou de aposentadoria, mas não de exoneração, pois esta só existe para os cargos em comissão. (Certo/Errado) Bom, a questão já começa mal... vacância é ato que se refere, a princípio, a cargos, não a empregos ou funções. Além disso, pela vacância o servidor não é destituído do cargo. Destituição é uma punição para quem ocupa cargos comissionados, conforme o art. 127 da Já a vacância (PADREFP) ocorre por diversas formas na Lei nº 8.112/1990, que são (art. 33): Promoção, Aposentadoria, Demissão, Readaptação, Exoneração, Falecimento e Posse em outro cargo inacumulável. Ver figura na questão 19. A exoneração, portanto, é forma de vacância. Outro erro na questão, portanto. 113

3 23 - GABARITO: ERRADO Adriana ocupou por dois anos um cargo comissionado no TST, tendo sido esse o seu primeiro vínculo com o serviço público. Posteriormente, ela foi aprovada e nomeada em concurso público para provimento de cargo de analista judiciário no referido tribunal, motivo pelo qual pediu exoneração do cargo comissionado que ocupava. A partir dessa situação hipotética, julgue os itens seguintes (2008/CESPE/TST/Analista Administrativo) A exoneração de Adriana, referida acima, acarreta a vacância do cargo. (Certo/Errado) Boa! A Lei nº 8.112/1990 se aplica aos servidores federais comissionados? SIM, dado que estes, apesar de comissionados, são detentores de cargos, portanto, SERVIDORES. Nesse sentido, vejam o que diz o art. 35 da referida norma: Art. 35. A exoneração de cargo em comissão e a dispensa de função de confiança dar-se-á: I - a juízo da autoridade competente; II - a pedido do próprio servidor. Conforme já vimos, a exoneração é uma das formas de vacância previstas no art. 33 da Lei nº 8.112/1990, aplicando-se, também, a cargos comissionados. CERTO o item, portanto GABARITO: CERTO 25 - (2008/CESPE/TST/Analista Administrativo) O concurso em que Adriana foi aprovada constitui uma licitação na modalidade melhor técnica. (Certo/Errado) : Esse examinador é um brincalhão! Sempre faz isso: dizer que concurso de SERVIDORES é modalidade de licitação. Lembram que a gente falou sobre isso na aula de licitações? Dissemos que os concursos MODALIDADE DE LICITAÇÃO selecionam ALGO. Concurso para servidores seleciona ALGUÉM. Logo, ERRADO o item GABARITO: ERRADO 26 - (2008/CESPE/TST/Analista Administrativo) Caso Adriana venha a ser reprovada no estágio probatório referente ao cargo de 114

4 analista judiciário, ela não poderá ser reconduzida ao cargo que ocupava anteriormente no TST. (Certo/Errado) A recondução é direito de servidor ESTÁVEL. Estabilidade, como será visto na questão logo a seguir, é direito relativo a servidores ocupantes de cargos EFETIVOS, o que não é caso do cargo anteriormente ocupado, COMISSIONADO. CERTO o item, portanto GABARITO: CERTO A respeito do regime jurídico dos servidores públicos civis federais estabelecido na Lei n.º 8.112/1990, julgue o seguinte item (2008/CESPE/MMA/Analista Ambiental) O servidor, mesmo que habilitado em concurso público e empossado em cargo de provimento efetivo, só ganhará estabilidade após três anos de efetivo exercício. A partir de então, só perderá o cargo em razão de condenação em sentença judicial transitada em julgado ou em processo administrativo disciplinar em que se lhe assegure ampla defesa. (Certo/Errado) COMENTÁRIOS De antemão, informamos que esta questão foi ANULADA, em razão do comando da questão: cita a Lei nº 8.112/1990, a qual informa (art. 21) que o período aquisitivo para a disponibilidade é de dois anos. Ocorre que com a Emenda constitucional 19/1998, a estabilidade, NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, passou a ter período aquisitivo de três anos, tornando inaplicável a Lei nº 8.112/1990, nesse ponto, pela falta de compatibilidade com o texto constitucional. 115

5 27 - GABARITO: ANULADA 28 - (2010/CESPE/TRE-MT/Técnico) O servidor estável somente pode ser demitido em virtude de sentença transitada em julgado. (Certo/Errado) A CF/1988 fala das seguintes hipóteses de perda de estabilidade: V) em virtude de sentença judicial transitada em julgado; VI) mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa; VII) a 1 ª, em decorrência de insuficiência de desempenho (inc. III do 1º do art. 41 da CF); e, VIII) em razão de excesso de despesa de pessoal Então, como a questão minimiza a possibilidade de perda da estabilidade às sentenças judiciais transitadas em julgado, ERRADO o item GABARITO: ERRADO 29 - (2008/CESPE/SGA/AC) A Constituição da República atribui aos magistrados e aos delegados de polícia a garantia da vitaliciedade, o que significa que eles não podem ser demitidos mediante processo administrativo disciplinar, mas apenas mediante processo judicial. (Certo/Errado) : Ôooopa! Delegado de Polícia não tem vitaliciedade! Magistrados, sim, são vitalícios. DELEGADOS, NÃO! 116

6 29 - GABARITO: ERRADO 30 - (2007/CESPE/PGE-PA/ADVOGADO) Servidor detentor de cargo efetivo de agente administrativo, no âmbito da administração direta, não está impedido, pelo texto constitucional, de acumular esse cargo com emprego público no âmbito da administração indireta, como, por exemplo, em uma subsidiária de empresa pública. (Certo/Errado) : A regra de não acumulação de cargos e empregos públicos alcança a administração indireta e demais entidades controladas pelo Estado. Lembremos a aula teórica: A partir da EC nº 19/98, a regra da não acumulação passou a abarcar as subsidiárias daquelas entidades, bem como as sociedades controladas direta ou indiretamente pelo Poder Público. ERRADO o item, portanto GABARITO: ERRADO 31 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) Os servidores públicos podem, além do vencimento, receber como vantagens indenizações, gratificações e adicionais. As indenizações referem-se a ajuda de custo, diárias e indenização de transporte. O auxílio-moradia é categorizado como vantagem adicional. (Certo/Errado) 117

7 O auxílio-moradia, assim como as demais figuras citadas no item, é uma das indenizações citadas no art. 51 da ERRADO o item, portanto GABARITO: ERRADO 32 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) As gratificações e os adicionais incorporam-se ao vencimento, nos casos e nas condições indicados em lei. (Certo/Errado) Boa! É a literalidade da Lei 8.112, que diz exatamente isso no 2 o do art. 49. Mas serve para ressaltarmos, novamente, que as indenizações não são incorporáveis. Gratificações e Adicionais Indenizações Incorporáveis à remuneração Jamais se incorporam à remuneração 32 - GABARITO: ERRADO 33 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) Podem ser pagas ao servidor, além do vencimento, indenizações, como as diárias, que se incorporam ao vencimento conforme estabelecido em lei. (Certo/Errado) Diárias são indenizações (art. 49 da 8.112). E indenizações não são incorporáveis. ERRADO o item, portanto GABARITO: ERRADO 118

8 34 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) O servidor que, a serviço, afastar-se da sede, em caráter eventual ou transitório, para outro ponto do território nacional fará jus a ajuda de custo destinada a indenizar as parcelas de despesas com pousada, alimentação e locomoção urbana. (Certo/Errado) Veja o dispositivo aí abaixo, extraído da 8.112: Art. 58. O servidor que, a serviço, afastar-se da sede em caráter eventual ou transitório para outro ponto do território nacional ou para o exterior, fará jus a passagens e diárias destinadas a indenizar as parcelas de despesas extraordinárias com pousada, alimentação e locomoção urbana, conforme dispuser em regulamento. Então, no afastamento da sede, com caráter eventual e transitório o servidor faz jus a DIÁRIAS e não a ajuda de custo, como diz o item, que, claro, está ERRADO GABARITO: ERRADO 35 - (2008/CESPE/TCE-AC/Analista) O teto remuneratório dos servidores públicos estaduais relativo ao subsídio mensal, em espécie, recebido pelo governador do estado, será o limite para o Poder Executivo estadual. (Certo/Errado) Os tetos remuneratórios nos Estados, ou seja, o máximo que se pode pagar a um servidor, é determinado por poder, conforme o inc. XI do art. 37 da CF/1988. No caso de Poder Executivo Estadual o teto corresponde, como diz o item, ao subsídio do Governador do Estado. Poder Teto Âmbito Teto é Único Subsídios do STF 119

9 Federal Âmbito Estadual Âmbito Municipal Poder Executivo dos Estados Poder Legislativo dos Estados Membros do Judiciário (Membros de Tribunais Judiciais, Juízes) Membros do Judiciário (Servidores) Teto é único Subsídios do Governador Deputados Estaduais e Distritais Subsídio dos Ministros do STF Remunerações não podem ser superiores a 90,25% do subsídio dos ministros do STF Subsídio do Prefeito 35 - GABARITO: CERTO Adriana ocupou por dois anos um cargo comissionado no TST, tendo sido esse o seu primeiro vínculo com o serviço público. Posteriormente, ela foi aprovada e nomeada em concurso público para provimento de cargo de analista judiciário no referido tribunal, motivo pelo qual pediu exoneração do cargo comissionado que ocupava. A partir dessa situação hipotética, julgue os itens seguintes (2008/CESPE/TST/Analista Administrativo) Após a referida exoneração, o TST deveria oferecer a Adriana a oportunidade de optar entre receber indenização pelas férias ainda não gozadas e manter os períodos aquisitivos para serem utilizados no cargo para o qual ela já havia sido nomeada. (Certo/Errado) Bom, inicialmente é necessário deixar claro que não colocamos todos os direitos dos servidores na parte teórica dessa aula. É que é muita coisa. Em realidade, os conteúdos dos cursos variam sempre um pouquinho conforme o caso. Em prova do STJ, por exemplo, normalmente o examinador não coloca nada muito profundo a respeito de licenças ou outros direitos. A maior parte das questões dá pra matar no bom censo. Mas alguns detalhes relativos a algumas situações podem ser destacados, como os que se referem às férias. Vamos lá, então. O sagrado direito a férias encontra previsão expressa na Lei nº 8.112/1990, em cumprimento a determinações constitucionais. Façamos 120

10 uma rápida revisão do assunto, tendo em conta as disposições do estatuto dos servidores federais, já que não falamos disso na parte teórica. Os servidores, efetivos ou comissionados, têm direito a férias anuais de 30 dias, sendo que, para o 1 º período, serão exigidos 12 meses de exercício. Exemplo: servidor entra em exercício em 1º de junho de Ele só pode tirar suas primeiras férias a partir de 31 de maio de 2004 (1º período aquisitivo). Já as férias de 2005, poderão ser gozadas a partir de janeiro, já que as férias passam a ser então NO exercício, não sendo mais necessário o cumprimento de novo período aquisitivo para fruição do direito. BIZU: PARA O PRIMEIRO PERÍODO DE FÉRIAS SÃO NECESSÁRIOS 12 MESES. DESSE MODO, AS FÉRIAS SÃO DO EXERCÍCIO. A PARTIR DO SEGUNDO PERÍODO, AS FÉRIAS PASSAM A SER NO EXERCÍCIO, exatamente conforme o exemplo dado. Perguntase: em tese, o servidor poderia tirar 60 dias consecutivos de férias? Sim. Veja: o servidor entrou em exercício no dia 30 de novembro de 2003, a partir de 1º de dezembro de 2004 pode iniciar o gozo de férias. Como apenas as primeiras férias é que precisam de 12 meses, em janeiro de 2005, pode o servidor gozar mais 30 dias, logo, 60 dias consecutivos. É possível o acúmulo das férias no caso de necessidade do serviço até um máximo de dois períodos consecutivos. Não poderá ser levado à conta de férias qualquer falta ao serviço. Isso implica dizer que, caso um servidor venha a faltar ao serviço, a ausência não poderá ser descontada nas férias. O pagamento do terço de férias deve ser efetuado ATÉ dois dias antes do início do respectivo período. No caso de exoneração de servidor (efetivo ou em comissão), este fará jus ao pagamento do período completo (vencidas) e ao período incompleto (em aquisição). Neste último caso, na proporção de 1/12 avos por mês trabalhado. ÔPA! A resposta do item: não tem nada que se falar em dar à Adriana (a servidora da nossa questão...) direito de opção ao recebimento de férias ou manter o período aquisitivo. Na realidade, ao ser exonerada, Adriana RECEBERÁ a indenização, como informa o 3º do art. 78 da Lei 8.112/1990. Vejamos o dispositivo: 3 o O servidor exonerado do cargo efetivo, ou em comissão, perceberá indenização relativa ao período das férias a que tiver direito e ao incompleto, na proporção de um doze avos por mês de efetivo exercício, ou fração superior a quatorze dias. Notem que, em momento algum, a Lei fala de direito de opção, o que, portanto, leva à incorreção do item. Agora, vejam outra situação: a Adriana, agora servidora de cargo EFETIVO do TST, passa no concurso do STJ, para ANALISTA (parabéns à 121

11 Adriana, que deve ser concursanda de primeira!). Daí, Adriana pede vacância POR MOTIVO DE POSSE EM CARGO INACUMULÁVEL (inc. VIII do art. 33 da Lei 8.112/1990), no dia X. No mesmo dia, toma posse e entra em exercício no STJ, SEM DEIXAR OCORRER DESCONTINUIDADE DO VÍNCULO. Neste caso, Adriana, caso queira, PODE RECONHECER O DIREITO ÀS FÉRIAS NO STJ, usufruindo-as tão só no novo cargo, não tendo necessidade de cumprir 12 meses para gozo do direito. É que, nesse caso, Adriana continua servidora efetiva, ou seja, com um vínculo permanente com a Administração. Notem que NÃO HOUVE DESCONTINUIDADE, a qual, se ocorresse, romperia, ainda que momentaneamente, o vínculo da servidora em questão com a União, não dando possibilidade de reconhecimento a férias no novo emprego (lembrem-se de que servidores ocupam cargos!). Daí, com o rompimento, uma relação jurídica surgiria, com nossa amiga Adriana tendo de cumprir novo período aquisitivo de férias. Portanto, aqueles que já são servidores públicos FEDERAIS não deixem haver rompimento jurídico com o patrão (a União), pois poderão ter reconhecido o direito a férias no STJ, e, claro, o terço adicional de férias será pago tendo por base a remuneração do novo cargo. Acrescento que as férias, excepcionalmente, podem ser interrompidas. A Lei prevê as seguintes hipóteses: calamidade pública, comoção interna, convocação para júri, serviço militar ou eleitoral, e por necessidade do serviço (deve ser declarada pela autoridade máxima do órgão). Após o período de interrupção, o período restante deve ser gozado de uma só vez! O amigo se questiona: posso vender as férias? Nem pensar. Não é mais possível a conversão de 1/3 das férias em abono (no dia a dia, a gente diz que não é mais possível vender as férias). Contudo, é permitida a divisão do período das férias em até três parcelas, desde que requerido pelo servidor e autorizado pela administração. Últimas observações: I) O servidor que opera, HABITUALMENTE, Raio X, tem direito a 20 dias de férias a cada semestre. Essas férias (de 20 dias a cada semestre) são inacumuláveis e não podem ser parceladas; e, II) O servidor aposentado que ocupa exclusivamente cargo em comissão terá direito a férias do CARGO EM COMISSÃO, calculada com base na remuneração deste. No caso de um servidor ocupante de cargo efetivo que também exerça, simultaneamente, cargo em comissão ou função de confiança, o terço de férias será calculado levando-se em conta sua remuneração total, é dizer, 122

12 considerando-se o valor da retribuição pela chefia (cargo em comissão ou função de confiança). 36 GABARITO: ERRADO No que se refere às relações entre a administração e os servidores, julgue os itens seguintes Após cada decênio de efetivo exercício, o servidor poderá, caso lhe interesse, afastar-se do exercício do cargo por até 6 meses, com a respectiva remuneração, para participar de curso de capacitação profissional. Esse período é acumulável. (Certo/Errado) Questão relativamente fácil. Este é um tema da Lei nº 8.112/1990 que, volta e meia, o examinador põe em prova: a tal da licença capacitação. Vamos solucionar a questão a partir da simples leitura do art. 87 do RJU federal. Vejamos: Art. 87. Após cada qüinqüênio de efetivo exercício, o servidor poderá, no interesse da Administração, afastar-se do exercício do cargo efetivo, com a respectiva remuneração, por até três meses, para participar de curso de capacitação profissional. (Redação dada pela Lei nº 9.527, de ) Parágrafo único. Os períodos de licença de que trata o caput não são acumuláveis. Destaques, a partir dos trechos negritados: I) a concessão da licença-capacitação ocorre a cada QUINQÜÊNIO de efetivo exercício e não DECÊNIO, como indica a questão, a qual, portanto, está ERRADA; II) tal licença será concedida DISCRICIONARIAMENTE pela Administração (a critério da administração...); III) servidores ocupantes EXCLUSIVAMENTE de cargos em comissão não têm direito à licença-capacitação (...afastar-se do cargo efetivo...); IV) a LICENÇA tem duração de até TRÊS MESES (...por até três meses...), mas a duração do curso a ser frequentado pode ser maior. Aliás, essa é outra observação a capacitação serve para realização de CURSO e não para o servidor ficar de bobeira, em casa, sem fazer nada. Para isso, ele já tem férias... V) os períodos de licença são inacumuláveis. Funciona assim: ao completar um quinquênio, o servidor adquire o direito à licençacapacitação. Se completar o segundo quinquênio (dez anos de efetivo exercício) e não tiver gozado a licença correspondente ao primeiro 123

13 quinquênio, o servidor perderá tal direito, relativamente ao primeiro período aquisitivo. Logo, A LICENÇA CAPACITAÇÃO É INACUMULÁVEL, de maneira oposta ao que diz o item, logo, também errada esta passagem GABARITO: ERRADO 38 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) O servidor que estiver no gozo de licença para tratar de interesses particulares pode participar de gerência ou administração de sociedade privada, personificada ou não personificada, e exercer o comércio. (Certo/Errado) Muito, mas muito boa MESMO essa questão. Como sobredito na questão 36, nem todos os direitos foram colocados na aula teórica. Então, para matar esse item, vamos fazer a velha e boa leitura da lei: Art. 91. A critério da Administração, poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo, desde que não esteja em estágio probatório, licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos, sem remuneração. (Redação dada pela Medida Provisória nº , de ) Parágrafo único. A licença poderá ser interrompida, a qualquer tempo, a pedido do servidor ou no interesse do serviço. Bom, primeira coisa é notar que a concessão de licença para tratar de interesses particulares LTIP é discricionária, uma vez que incumbe à Administração, A SEU CRITÉRIO, decidir pela concessão ou não da licença. Outra coisa: servidor em estágio probatório não faz jus à LTIP. 124

14 No parágrafo único, mais informação útil: a LTIP pode ser interrompida a qualquer tempo, a pedido do servidor ou por determinação da própria Administração. Bom, agora vamos resolver mesmo o item: Art Ao servidor é proibido: (...) X - participar de gerência ou administração de sociedade privada, personificada ou não personificada, exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, cotista ou comanditário; (...) Parágrafo único. A vedação de que trata o inciso X do caput deste artigo não se aplica nos seguintes casos: II - gozo de licença para o trato de interesses particulares, na forma do art. 91 desta Lei, observada a legislação sobre conflito de interesses. Enfim, o servidor em LTIP pode participar de gerência, exercer o comércio, enfim, trabalhar nessas áreas, desde que não incida conflito de interesses. Como assim, conflito de interesses? Exemplinho básico: servidor do TCU em LTIP para advogar em processos junto ao próprio Tribunal... Fala sério! Esse é o tal conflito de interesses! 38 - GABARITO: ERRADO No dia 10/4/2000, Pedro, servidor público federal da Polícia Rodoviária Federal, por força de uma procuração que recebera de Paulo, seu amigo de infância, conseguiu a liberação, no DETRAN, de um veículo que teria sido apreendido dias antes. Entendendo ter havido infração administrativa na espécie, Antônio, autoridade competente, conhecendo do fato no dia 22/10/2005, 125

15 determinou a imediata instauração de processo administrativo disciplinar, com portaria de instauração publicada no dia 31/12/2005, não tendo sido, até a presente data, aplicada qualquer penalidade (2007/CESPE/TRE-AP/ENGENHEIRO) Pedro não poderá sofrer qualquer penalidade se, na data da aplicação desta, ele já estiver aposentado. (Certo/Errado) A primeira coisa é esclarecer que, mesmo já aposentado, o Pedro pode ser punido pela Administração. É que o art. 127 da estatui a pena de cassação de aposentadoria como uma das aplicáveis aos servidores públicos. Em acréscimo, o art. 134 da diz: Art Será cassada a aposentadoria ou a disponibilidade do inativo que houver praticado, na atividade, falta punível com a demissão. A segunda coisa é a questão da prescrição. Alguns poderiam entender nessa questão que a possibilidade de punir estaria prescrita, pelo tempo transcorrido entre a ocorrência do fato e a instauração do processo de apuração. Mas, como dissemos na aula teórica, a respeito das punições: Prazo de prescrição é em quanto tempo a punição prescreve. Mas, ATENÇÃO PARA A CONTAGEM DO PRAZO PRESCRICIONAL de acordo com a 8.112, a prescrição começa a correr QUANDO O FATO SE TORNA CONHECIDO!!!! (e não da ocorrência do fato. Confiram no art. 142 da 8.112). Então, a Administração se encontra com plena possibilidade de punir. INCORRETO O ITEM GABARITO: ERRADO 126

16 40 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) No caso de reincidência em faltas punidas com advertência, pode ser aplicada ao servidor efetivo a suspensão, limitada a sessenta dias. (Certo/Errado) Duas advertências = suspensão. Falamos isso com outras palavras na parte teórica. Todavia, a suspensão pode alcançar até NOVENTA DIAS e não sessenta. Esse o erro do item GABARITO: ERRADO 41 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) A ação disciplinar prescreve em cinco anos quanto à suspensão. (Certo/Errado) Conforme o art. 142, 8.112, o prazo de prescrição para infrações puníveis com a suspensão é de DOIS ANOS. CINCO ANOS É O PRAZO DE PRESCRIÇÃO PARA INFRAÇÕES PUNÍVEIS COM DEMISSÃO. Punição Advertência Suspensão Demissão Prazo de Prescrição 180 dias 2 anos 5 anos 41 - GABARITO: ERRADO 42 - (2010/CESPE/TRE-MT/An. Admin.) A abertura de sindicância contra o servidor não interrompe o curso do prazo prescricional da ação disciplinar. (Certo/Errado) Vejamos o art. 142 da 8.112: 3 o A abertura de sindicância ou a instauração de processo disciplinar interrompe a prescrição, até a decisão final proferida por autoridade competente. Ficou moleza... A abertura dos processos que visem à apuração de eventual responsabilidade do infrator interrompem o curso da prescrição. Logo, ERRADO o item. 127

ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CAPÍTULO I DO DIREITO E DA CONCESSÃO

ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CAPÍTULO I DO DIREITO E DA CONCESSÃO ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal

Leia mais

FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES

FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei (Lei 8.112/90 artigos 77 a 80).

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998 Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal FÉRIAS Cód.: FER Nº: 55 Versão: 10 Data: 05/12/2014 DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei. REQUISITOS BÁSICOS 1. Servidor efetivo: - Possuir 12 (doze) meses de efetivo exercício

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 372, DE 31 DE JULHO DE 2008

RESOLUÇÃO Nº 372, DE 31 DE JULHO DE 2008 RESOLUÇÃO Nº 372, DE 31 DE JULHO DE 2008 Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art. 363,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Publicada no DJE/STF, n. 122, p. 1-2 em 24/6/2015. RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL,

Leia mais

Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º

Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º PROVIMENTO ART. 8º Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º Significa o preenchimento de um cargo público, consubstanciado mediante ato administrativo de caráter funcional, pois o ato é que materializa ou formaliza

Leia mais

ATO Nº 382/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 382/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 382/2011 Dispõe sobre a concessão de férias no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de

Leia mais

Secretaria de Recursos Humanos

Secretaria de Recursos Humanos FÉRIAS CONCESSÃO/PAGAMENTO/INTERRUPÇÃO 1 - A cada exercício correspondente ao ano civil, os servidores fazem jus a trinta dias de férias? Resposta: sim, ressalvados os seguintes casos: I - o servidor que

Leia mais

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90 LEI 8.112/90 Art. 5o São requisitos básicos para investidura em cargo público: I - a nacionalidade brasileira; II - o gozo dos direitos políticos; III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais;

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art.

Leia mais

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL RESOLUÇÃO Nº- CF-RES-2012/00221, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2012

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL RESOLUÇÃO Nº- CF-RES-2012/00221, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2012 SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL RESOLUÇÃO Nº- CF-RES-2012/00221, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2012 Dispõe sobre a concessão de férias no âmbito do Conselho e da Justiça Federal de primeiro

Leia mais

ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS

ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS Na página 115, onde se lê: 31. Pelo menos cinquenta por cento dos cargos em

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 395/2012 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 395/2012 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 395/2012 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais e tendo em vista o que dispõem os artigos

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Procedência: Governamental Natureza: PLC/0046.0/2013 DO: 19.729, de 31/12/2013 Fonte: ALESC/Coord. Documentação Fixa o subsídio mensal dos integrantes

Leia mais

Prof. Gustavo Knoplock Estatuto Federal Lei nº 8.112/1990

Prof. Gustavo Knoplock Estatuto Federal Lei nº 8.112/1990 I - PROVIMENTO E VACÂNCIA 01- (CESPE TRF 1ª Região JUIZ FEDERAL/2009) Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em

Leia mais

Regime Jurídico Único Lei nº. 8.112/1990

Regime Jurídico Único Lei nº. 8.112/1990 Integração Regime Jurídico Único Lei nº. 8.112/1990 André Luís dos Santos Lana O que é Regime Jurídico? O regime jurídico é a lei com base na qual são definidos os direitos, deveres garantias, vantagens,

Leia mais

VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO:

VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO: VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO: 1.1. É o desligamento de cargo público federal efetivo, com a geração de vaga, que possibilita o servidor aprovado em concurso público ser nomeado para outro cargo inacumulável,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR. RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR. RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013. Dispõe sobre as férias dos Membros dos Ministérios Públicos da União e dos

Leia mais

Principais diferenças entre CARGO EFETIVO, CARGO EM COMISSÃO e FUNÇÃO DE CONFIANÇA:

Principais diferenças entre CARGO EFETIVO, CARGO EM COMISSÃO e FUNÇÃO DE CONFIANÇA: Prof.: Clayton Furtado LEI 8.112/90 clayton_furtado@yahoo.com.br 1ª AULA 1 - Introdução: a. Histórico: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA

Leia mais

PONTO 1: Formas de Provimento PONTO 2: Formas de Vacância 1. FORMAS DE PROVIMENTO DE CARGO: READAPTAÇÃO: Art. 24 da Lei 8.112/90.

PONTO 1: Formas de Provimento PONTO 2: Formas de Vacância 1. FORMAS DE PROVIMENTO DE CARGO: READAPTAÇÃO: Art. 24 da Lei 8.112/90. 1 DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: Formas de Provimento PONTO 2: Formas de Vacância 1. FORMAS DE PROVIMENTO DE CARGO: READAPTAÇÃO: Art. 24 da Lei 8.112/90. Readaptação envolve a troca de cargo, sem concurso

Leia mais

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe acerca das regras e procedimentos para a concessão, indenização, parcelamento e pagamento da remuneração de férias dos servidores do Instituto

Leia mais

comissivo praticado no desempenho do cargo ou função, ou fora deles.

comissivo praticado no desempenho do cargo ou função, ou fora deles. Julgue os itens abaixo: 1. É dever do servidor público federal atender com presteza a todas as requisições realizadas pelo contribuinte. 2. É dever do servidor público federal ser leal ao chefe imediato.

Leia mais

Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União

Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União Dispositivo Prazo Referência Art. 12 Art. 13 1º Até 2 anos Validade do concurso público - podendo ser prorrogado

Leia mais

DECRETO Nº 15.555, DE 12 DE MARÇO DE

DECRETO Nº 15.555, DE 12 DE MARÇO DE DECRETO Nº 15.555, DE 12 DE MARÇO DE 2014 Regulamenta a concessão de férias a servidor público efetivo, a servidor comissionado e a militar do Estado. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ, no uso das atribuições

Leia mais

Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando:

Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando: ORDEM DE SERVIÇO N o 062/2014 Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando: - a Lei n o 8.112 de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL PROGRAMAÇÃO, REPROGRAMAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE FÉRIAS. Servidores docentes e técnico-administrativos da UFTM.

NORMA PROCEDIMENTAL PROGRAMAÇÃO, REPROGRAMAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE FÉRIAS. Servidores docentes e técnico-administrativos da UFTM. 50.05.009 1/7 1. FINALIDADE Regulamentar os procedimentos relacionados à programação, reprogramação e homologação de férias dos servidores da UFTM. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Servidores docentes e técnico-administrativos

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO ESTÁCIO-CERS DIREITO ADMINISTRATIVO PROF. JOÃO PAULO OLIVEIRA AGENTES PÚBLICOS DIREITOS E VANTAGENS AGENTES PÚBLICOS: Pessoa física que presta atividade própria de Estado. Agentes Políticos Militares Agentes

Leia mais

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SEÇÃO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Lei nº 8.112/90 Prof. Leandro Cadenas Prado

SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Lei nº 8.112/90 Prof. Leandro Cadenas Prado SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Lei nº 8.112/90 Prof. Leandro Cadenas Prado Servidores Públicos Federais Lei nº n 8.112/90. 7 Agentes Públicos Espécies - agentes políticos - agentes em delegação - servidores

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE PROGRAMAÇÃO DE FÉRIAS NO ÂMBITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

ORIENTAÇÕES SOBRE PROGRAMAÇÃO DE FÉRIAS NO ÂMBITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ORIENTAÇÕES SOBRE PROGRAMAÇÃO DE FÉRIAS NO ÂMBITO DA 1-OBJETIVO Estabelecer critérios e uniformizar os procedimentos relativos à programação de férias, garantindo o funcionamento adequado das atividades

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 Vide texto compilado Mensagem de veto Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos

Leia mais

Apostilas OBJETIVA - Técnico Judiciário Área Administrativa TRE Tribunal Regional Eleitoral Estado do Acre - Concurso Público 2015.

Apostilas OBJETIVA - Técnico Judiciário Área Administrativa TRE Tribunal Regional Eleitoral Estado do Acre - Concurso Público 2015. Índice PG Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei nº 8.112/90 Das disposições preliminares... 02 Provimento, vacância, remoção, redistribuição e substituição... 02 Direitos e vantagens...

Leia mais

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN 1. Que vantagens além do vencimento podem ser pagas ao servidor? a) indenizações, que não se incorporam

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO LEI Nº516/2012- DE 09 DE ABRIL DE 2012 Altera a Lei Municipal nº 280, de 30 de março de 2004, que dispõe sobre o Estatuto Geral do Servidores Públicos do Município de São José do Povo. JOÃO BATISTA DE

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO ESQUEMATIZADO INSS FCC

DIREITO ADMINISTRATIVO ESQUEMATIZADO INSS FCC CARGOS: Técnico do INSS www.beabadoconcurso.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. - 1 - APOSTILA ESQUEMATIZADA SUMÁRIO UNIDADE 1 Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei n 8.112/90) 1.1

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 131/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 131/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 131/2013/TCE-RO Dispõe sobre a concessão de férias aos servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso das atribuições

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1- DEFINIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1.1 Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos calculados de acordo com a média aritmética das maiores remunerações,

Leia mais

Curso Avançado de Direito Administrativo em Exercícios. Profº. Cyonil Borges

Curso Avançado de Direito Administrativo em Exercícios. Profº. Cyonil Borges A remoção é deslocamento do servidor, com ou sem mudança de sede, para desempenhar suas atribuições em outra unidade do mesmo quadro. Redistribuição é o deslocamento do cargo efetivo, ocupado ou não, no

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ARAGUAIA Av. Carlos Hugueney, 552 - Centro - CEP.: 78.780-000 Tel/Fax.: (065) 481 1139-481 1431

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ARAGUAIA Av. Carlos Hugueney, 552 - Centro - CEP.: 78.780-000 Tel/Fax.: (065) 481 1139-481 1431 LEI N.º 761/93 Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Público municipal de Alto Araguaia. O Prefeito Municipal de Alto Araguaia, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, faço saber que

Leia mais

ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90. Profª Lana Furtado

ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90. Profª Lana Furtado ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90 Profª Lana Furtado AGENTES PÚBLICOS: Toda pessoa física que presta serviços ao Estado e às pessoas jurídicas da Administração Indireta, conforme elencado

Leia mais

Provimentos derivados de reingresso Art. 41, 2º e 3º, CF reintegração, recondução e aproveitamento.

Provimentos derivados de reingresso Art. 41, 2º e 3º, CF reintegração, recondução e aproveitamento. Turma e Ano: Direito Público I (2013) Matéria / Aula: Direito Administrativo / Aula 23 Professor: Luiz Jungstedt Monitora: Carolina Meireles (continuação) Provimentos derivados de reingresso Art. 41, 2º

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 I - DAS REGRAS GERAIS SOBRE A CONTAGEM DO TEMPO DE SERVIÇO

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 I - DAS REGRAS GERAIS SOBRE A CONTAGEM DO TEMPO DE SERVIÇO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe conferem a Lei nº 8.490, de

Leia mais

LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011.

LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011. LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011.) Dispõe sobre o plano de cargos e carreira e remuneração dos servidores

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 590/DILEP.CIF.SEGPES.GDGSET.GP, DE 30 DE AGOSTO DE 2013

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 590/DILEP.CIF.SEGPES.GDGSET.GP, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 590/DILEP.CIF.SEGPES.GDGSET.GP, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 Dispõe sobre as regras e procedimentos adotados para concessão, indenização, parcelamento e pagamento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 62 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 Texto compilado Mensagem de veto Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR (CANCELADA)

CONSELHO SUPERIOR (CANCELADA) CONSELHO SUPERIOR (CANCELADA) Resolução-CSDP nº 062, de 10 de setembro de 2010 Dispõe sobre a concessão de férias aos Defensores Públicos do Estado do Tocantins e dá outras providências. O CONSELHO SUPERIOR

Leia mais

Agentes públicos do regime constitucional ao legal. Professor: Sandro Bernardes Auditor do TCU contato: ww.forumconcurseiros.com

Agentes públicos do regime constitucional ao legal. Professor: Sandro Bernardes Auditor do TCU contato: ww.forumconcurseiros.com Agentes públicos do regime constitucional ao legal Professor: Sandro Bernardes Auditor do TCU contato: ww.forumconcurseiros.com AGENTES PÚBLICOS Roteiro (Parte 2) 1 Conceitos Introdutórios 2 Fixação/revisão

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO ATO Nº 20/2005 (Revogado pelo Ato nº 56/2012) Dispõe sobre a concessão da gratificação natalina aos servidores do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

Serviço de Administração de Pessoal. Seape

Serviço de Administração de Pessoal. Seape Serviço de Administração de Pessoal Seape Considerações da Lei 8.112/1990 e Outras Orientações aos Candidatos Classificados Carlos Viana Chefe do Serviço de Administração de Pessoal PROVIMENTO Requisitos

Leia mais

PROJETO DE LEI. TÍTULO I Das Disposições Preliminares

PROJETO DE LEI. TÍTULO I Das Disposições Preliminares TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI Consolida o Plano de Carreira e Cargo de Professor Federal e dispõe sobre a reestruturação e unificação das carreiras e cargos do magistério da União, incluídas suas autarquias

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 7 DE MARÇO DE 2007

PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 7 DE MARÇO DE 2007 PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 7 DE MARÇO DE 2007 A PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL E DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA E OS PRESIDENTES DOS TRIBUNAIS SUPERIORES, DO CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL, DO CONSELHO

Leia mais

AFASTAMENTO PARA ESTUDO OU MISSÃO NO EXTERIOR

AFASTAMENTO PARA ESTUDO OU MISSÃO NO EXTERIOR AFASTAMENTO PARA ESTUDO OU MISSÃO NO EXTERIOR DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Afastamento do servidor de suas atividades

Leia mais

LEI ORDINÁRIA Nº 2.912/11 DE 6 DE MAIO DE 2011.

LEI ORDINÁRIA Nº 2.912/11 DE 6 DE MAIO DE 2011. LEI ORDINÁRIA Nº 2.912/11 DE 6 DE MAIO DE 2011. Institui o Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos do Município de Gramado e dá outras providências TÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1.º

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº. 014. DE 18 DE DEZEMBRO DE 1992 (TEXTO ATUALIZADO)

LEI COMPLEMENTAR Nº. 014. DE 18 DE DEZEMBRO DE 1992 (TEXTO ATUALIZADO) LEI COMPLEMENTAR Nº. 014. DE 18 DE DEZEMBRO DE 1992 (TEXTO ATUALIZADO) 1 Dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Ubá. O Povo do Município de Ubá, por seus representantes, decretou,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS Estado de São Paulo Secretaria Municipal de Administração

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS Estado de São Paulo Secretaria Municipal de Administração LEI COMPLEMENTAR Nº. 474 De 22 de junho de 2006. Dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Ourinhos e dá outras providências. A Câmara Municipal de Ourinhos, aprovou em sessão do

Leia mais

Questões Cespe da Lei nº 8.112/90 Para MPU

Questões Cespe da Lei nº 8.112/90 Para MPU Questões Cespe da Lei nº 8.112/90 Para MPU Olá Concursando, Hoje vamos estudar algumas questões sobre a lei nº 8.112/90 elaboradas pelo Cespe, que é responsável pela prova do MPU/2010. Eu selecionei 10

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO TRIBUNAL PLENO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO TRIBUNAL PLENO PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO TRIBUNAL PLENO RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 27/2012 O PLENO DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

NORMAS APLICÁVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS

NORMAS APLICÁVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Técnico dos Tribunais TRE, TRF e TRT Sumário NORMAS APLICÁVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Regime jurídico dos servidores públicos civis da União... 1 Lei nº 8.112/90, 1. Testes de Normas Aplicáveis

Leia mais

Estatuto Federal Lei n o 8.112/1990

Estatuto Federal Lei n o 8.112/1990 C a p í t u l o 5 Estatuto Federal Lei n o 8.112/1990 5.1. Cargos Públicos, Provimento e Vacância Questão 1. Questão 2. (Cespe/Analista/Anac/2009) A readaptação, a reversão e a recondução são formas de

Leia mais

LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996

LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996 LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996 Institui o Estatuto dos Servidores Públicos do Quadro Geral de Pessoal do Município de Belo Horizonte vinculados à administração direta, (VETADO)

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal FÉRIAS Cód.: FER Nº: 55 Versão: 10 Data: 01/02/2016 DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei. REQUISITOS BÁSICOS 1. Servidor efetivo: - Possuir 12 (doze) meses de efetivo exercício

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 06/2003 DG/DNIT DO DIREITO E DA CONCESSÃO

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 06/2003 DG/DNIT DO DIREITO E DA CONCESSÃO INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 06/2003 DG/DNIT O GESTOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES - DNIT, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 7 - C e 19 da Estrutura Regimental

Leia mais

Título V Dos Direitos e Vantagens...14 Capítulo I Do Vencimento e da Remuneração...14 Capítulo II Das Vantagens...15 Seção I Das Indenizações...

Título V Dos Direitos e Vantagens...14 Capítulo I Do Vencimento e da Remuneração...14 Capítulo II Das Vantagens...15 Seção I Das Indenizações... ÍNDICE Título I Disposições Preliminares...05 Título II Do Provimento e da Vacância...06 Capítulo I Do Provimento...06 Seção I Disposições Gerais...06 Seção II Do Concurso Público...06 Seção II Da Nomeação...06

Leia mais

Parágrafo único. Aplica-se aos titulares dos órgãos referidos no caput deste artigo o disposto no art. 2º, 2º, desta Lei Complementar.

Parágrafo único. Aplica-se aos titulares dos órgãos referidos no caput deste artigo o disposto no art. 2º, 2º, desta Lei Complementar. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 518, DE 26 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a organização e o funcionamento da Assessoria Jurídica Estadual, estrutura a Carreira e o Grupo Ocupacional dos titulares

Leia mais

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas FÉRIAS ASPECTOS GERAIS Férias é o período de descanso anual, que deve ser concedido ao empregado após o exercício de atividades por um ano, ou seja, por um período de 12 meses, período este denominado

Leia mais

ATO Nº 56/2012. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 56/2012. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 56/2012 Dispõe sobre a concessão da gratificação natalina aos magistrados e servidores do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO,

Leia mais

1. Com base no disposto no Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul, assinale a assertiva correta:

1. Com base no disposto no Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul, assinale a assertiva correta: 1. Com base no disposto no Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul, assinale a assertiva correta: a) Os cargos públicos estaduais, acessíveis exclusivamente aos brasileiros,

Leia mais

DECRETO Nº 15.299, DE 12 DE AGOSTO DE 2013

DECRETO Nº 15.299, DE 12 DE AGOSTO DE 2013 DECRETO Nº 15.299, DE 12 DE AGOSTO DE 2013 Regulamenta a concessão de licença para capacitação e do afastamento para estudo ou missão no exterior, o afastamento de servidores para participação em curso

Leia mais

Estatuto do servidor público do Tocantins Lei 1818/2007

Estatuto do servidor público do Tocantins Lei 1818/2007 Estatuto do servidor público do Tocantins Lei 1818/2007 1 Lei 1818/2007 O estatuto regulamenta as relações(férias, licenças, afastamentos, vantagens) entre o servidor e o seu empregador, o Estado. Quem

Leia mais

Parecer sobre indenização por dispensa de FC na integralização da GAE

Parecer sobre indenização por dispensa de FC na integralização da GAE Parecer sobre indenização por dispensa de FC na integralização da GAE Ementa: Analista Judiciário - área judiciária especialidade de Oficial de Justiça Avaliador Federal. Integralização da GAE. Percepção

Leia mais

LEI Nº 2198/2001. A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais;

LEI Nº 2198/2001. A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2198/2001 INSTITUI O PROGRAMA DE INCENTIVO AO DESLIGAMENTO VOLUNTÁRIO NA PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRAÇU PDV A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO Dispõe sobre a concessão de folgas compensatórias e o gozo de Licença-Prêmio por Assiduidade dos servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS LEI COMPLEMENTAR N.º 008, de 16 de novembro de 1999. Institui o Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas. Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Estado do Rio Grande do Sul

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Estado do Rio Grande do Sul ÍNDICE TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 4 TÍTULO II DO PROVIMENTO E DO APERFEIÇOAMENTO E DA VACÂNCIA... 5 CAPÍTULO I DO PROVIMENTO E DO APERFEIÇOAMENTO... 5 SEÇÃO I Disposições Gerais... 5 SEÇÃO II

Leia mais

REGIME JURÍDICO ÚNICO. TÍTULO II - Do Provimento, Vacância, Remoção, Redistribuição e substituição.

REGIME JURÍDICO ÚNICO. TÍTULO II - Do Provimento, Vacância, Remoção, Redistribuição e substituição. REGIME JURÍDICO ÚNICO FICHA REGIME JURÍDICO ÚNICO DOS SERVIDORES TÍTULO I - Das Disposições Preliminares. TÍTULO II - Do Provimento, Vacância, Remoção, Redistribuição e substituição. TÍTULO III - Dos Direitos

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 5.247, DE 26 DE JULHO DE 1991. INSTITUI O REGIME JURÍDICO ÚNICO DOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS DO ESTADO DE ALAGOAS, DAS AUTARQUIAS E DAS FUNDAÇÕES PÚBLICAS

Leia mais

CARGO EFETIVO, CARGO COMISSIONADO, FUNÇÃO DE CONFIANÇA E FUNÇÃO GRATIFICADA

CARGO EFETIVO, CARGO COMISSIONADO, FUNÇÃO DE CONFIANÇA E FUNÇÃO GRATIFICADA CARGO EFETIVO, CARGO COMISSIONADO, FUNÇÃO DE CONFIANÇA E FUNÇÃO GRATIFICADA Autoria: Sidnei Di Bacco Advogado Prevê a Constituição Federal: Art. 37. (...) II - a investidura em cargo ou emprego público

Leia mais

LEI Nº 6.677 DE 26 DE SETEMBRO DE 1994 [Download]

LEI Nº 6.677 DE 26 DE SETEMBRO DE 1994 [Download] LEI Nº 6.677 DE 26 DE SETEMBRO DE 1994 [Download] Dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado da Bahia, das Autarquias e das Fundações Públicas Estaduais. O GOVERNADOR DO ESTADO DA

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 LEI COMPLEMENTAR Nº. 034/2013, DE 31 DE JULHO DE 2013. DISPÕE SOBRE O ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA ADMINISTRAÇÃO GERAL DO MUNICÍPIO DE LUZ-MG E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Luz

Leia mais

0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE

0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE Referente ao Projeto de Lei nº 0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE 2009. Publicada no Diário Oficial do Estado nº 4597, de 07/10/2009. Autor: Tribunal de Justiça do Estado do Amapá Altera

Leia mais

LEI Nº 679 DE 25 DE SETEMBRO DE 2001

LEI Nº 679 DE 25 DE SETEMBRO DE 2001 LEI Nº 679 DE 25 DE SETEMBRO DE 2001 Dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Primavera do Leste, Estado de Mato Grosso e de suas Autarquias e Fundações e dá outras Providências.

Leia mais

ESTATUTO DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL

ESTATUTO DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL ESTATUTO DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL DA PREFEITURA MUNICIPAL DE COCOS - BA LEI N 517, DE 28 DE ABRIL DE 2008. Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos municipais e dá outras providências.

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. 3º Simulado de Ética na Administração Pública

CURSO ON-LINE PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. 3º Simulado de Ética na Administração Pública Prezados(as) concurseiros(as), Espero que todos estejam bem! Divirtam-se! 3º Simulado de Ética na Administração Pública 1. (AFC/CGU/2006) Em relação aos servidores regidos pela Lei n. 8.112, de 11 de dezembro

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA PROJETO DE LEI Nº Disciplina a admissão de pessoal por prazo determinado no âmbito do Magistério Público Estadual, para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público, sob regime administrativo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 57 17/7/2012 15:11 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 Texto compilado Mensagem de veto Dispõe sobre o regime jurídico dos

Leia mais

NORMAS APLICÁVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS

NORMAS APLICÁVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Técnico dos Tribunais TRE, TRF e TRT Sumário NORMAS APLICÁVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Regime jurídico dos servidores públicos civis da União... 1 Lei nº 8.112/90, 1. Testes de Normas Aplicáveis

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações

Senado Federal Subsecretaria de Informações Senado Federal Subsecretaria de Informações Data 19/12/2003 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41 Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da

Leia mais

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, ESTABELECE A RESPECTIVA TABELA DE VENCIMENTO E DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." LEI Nº 6.677 DE 26 DE SETEMBRO DE 1994 Dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado da Bahia, das Autarquias

Leia mais

ADE. ADICIONAL DE DESEMPENHO Perguntas e respostas para esclarecer dúvidas sobre a concessão do Adicional de Desempenho

ADE. ADICIONAL DE DESEMPENHO Perguntas e respostas para esclarecer dúvidas sobre a concessão do Adicional de Desempenho ADE ADICIONAL DE DESEMPENHO Perguntas e respostas para esclarecer dúvidas sobre a concessão do Adicional de Desempenho Sumário 1. O que é o Adicional de Desempenho? 2. Qual legislação dispõe sobre o ADE?

Leia mais

ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS LEI COMPLEMENTAR N.º 04/90

ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS LEI COMPLEMENTAR N.º 04/90 ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS LEI COMPLEMENTAR N.º 04/90 ATUALIZADA ATÉ A LC 400/2010 TÍTULO I...6 CAPÍTULO ÚNICO...6 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES...6 TÍTULO II...7 DO PROVIMENTO, PROGRESSÃO, VACÂNCIA,

Leia mais

I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SUMÁRIO Manifestações sobre a 8.ª edição Palavras do leitor Citações por Ministros do Superior Tribunal de Justiça Ministros do Tribunal de Contas da União Obras e publicações do autor Livros publicados

Leia mais

BIZU DO PONTO CONCURSO DA POLÍCIA FEDERAL AGENTE DIREITO ADMINISTRATIVO - PROF. FABIANO PEREIRA

BIZU DO PONTO CONCURSO DA POLÍCIA FEDERAL AGENTE DIREITO ADMINISTRATIVO - PROF. FABIANO PEREIRA Olá! Seja bem-vindo ao nosso BIZU de Direito Administrativo para o concurso da Polícia Federal, mais precisamente para o cargo de Agente, cujas provas serão aplicadas em 06 de maio de 2012. A propósito,

Leia mais

LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO

LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO SUMÁRIO UNIDADE 1 Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei n 8.112/90) 1.1 Provimento 1.2 Vacância 1.3 Regime Disciplinar UNIDADE 2 Processo

Leia mais

RE G I M E J U R Í D I C O DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS

RE G I M E J U R Í D I C O DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS RE G I M E J U R Í D I C O DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS ÍNDICE SISTEMÁTICO Título I - Disposições preliminares...06 Título II - Do provimento e da vacância Capítulo I - Do provimento Seção I - Disposições

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR. 5 a. edição (Atualizada até a MP 479/09)

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR. 5 a. edição (Atualizada até a MP 479/09) CURSO REGULAR TRT REPRISE Disciplina: Direito Administrativo Prof. Luís Gustavo MATERIAL DE APOIO PROFESSOR NOTAS DE AULA LEI 8.112/90 (ESTATUTO DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL) 5 a. edição (Atualizada até

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF AGOSTO de 2014 Direção: Marlette Rose Galvão Alves Organograma elaborado com base na Portaria nº 45.242,de 21/07/2011-BS nº 117/2011 Departamento de

Leia mais