SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO"

Transcrição

1 Page 1 of 20 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001495/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/05/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020313/2010 NÚMERO DO PROCESSO: / DATA DO PROTOCOLO: 13/05/2010 Confira a autenticidade no endereço SINDICATO DOS TRAB NAS IND DA CONST E DO MOBIL DE BETIM, CNPJ n / , neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). PAULO HENRIQUE DA SILVA; E PCP SERVICOS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUCAO LTDA, CNPJ n / , neste ato representado(a) por seu Diretor, Sr(a). MARCELO ARAUGIO; celebram o presente ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho no período de 1º de novembro de 2009 a 31 de outubro de 2010 e a data-base da categoria em 1º de novembro. CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA O presente Acordo Coletivo de Trabalho, aplicável no âmbito da(s) empresa(s) acordante(s), abrangerá a(s) categoria(s) da construção civil. A presente pauta de reivindicações abrange todos os Trabalhadores da empresa acordante, lotados na área da Refinaria Gabriel Passos REGAP. PARÁGRAFO ÚNICO - Fica acordado entre as partes, no que não constar no presente Acordo Coletivo de Trabalho de vantagens e obrigações para os trabalhadores, os mesmos estarão sujeitos às disposições previstas na Convenção Coletiva de Trabalho firmada entre o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Betim-MG e o SINDUSCON- MG., com abrangência territorial em Betim/MG. SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL CLÁUSULA TERCEIRA - PISO SALARIAL/SALARIO DE INGRESSO

2 Page 2 of 20 As partes acordam que, a partir de 01/11/2009, até 31/10/2010 os pisos mínimos para os Trabalhadores abrangidos por este acordo, serão de GRUPO I SALÁRIO MÊS HORA Ajudante/Servente/Zelador/Faxineiro/Copeiro 554,40 2,52 GRUPO II SALÁRIO MÊS HORA Meio oficial 649,00 2,95 Auxiliar de Serviços Gerais 649,00 2,95 Apontador 649,00 2,95 Operador de Betoneira 858,00 3,90 GRUPO III-A SALÁRIO MÊS HORA Armador 858,00 3,90 Carpinteiro 858,00 3,90 Encanador Hidráulico 858,00 3,90 Marteleteiro 858,00 3,90 Pedreiro 858,00 3,90 Pintor de Alvenaria/Parede 858,00 3,90 GRUPO III-B SALÁRIO MÊS HORA Caldeireiro Abraman 1.368,40 6,22 Caldeireiro 1.212,20 5,51 Eletricista Abraman 1.368,40 6,22 Eletricista de Manutenção 1.212,20 5,51 Eletricista F/C 1.251,80 5,69 Eletricista Montador 1.251,80 5,69 Encanador Industrial 1.212,20 5,51 Ferramenteiro 919,60 4,18 Instrumentista Montador 1.251,80 5,69 Instrumentista Tubista 1.537,80 6,99 Isolador 924,00 4,20 Lixador 754,60 3,43 Lubrificador 858,00 3,90 Maçariqueiro 1.062,60 4,83 Mecânico Ajustador 1.157,20 5,26 Mecânico Manutenção de Máquinas 1.185,80 5,39 Mecânico Montador 1.060,40 4,82 Montador de Andaime 983,40 4,47 Montador de Tubulação 1.139,60 5,18 Oficial de Manutenção Complementar 1.031,80 4,69 Operador de Equipamentos Máquinas Leves 858,00 3,90 Operador de Plataforma Elevatória 1.117,60 5,08 Operador de Ponte Rolante 1.058,20 4,81 Operador de Equipamento Máquinas Pesadas 1.117,60 5,08 Pedreiro Refratista 1.058,20 4,81

3 Page 3 of 20 Pintor Industrial ,21 Pintor Jatista 1.060,40 4,82 Pintor Letrista 1.060,40 4,82 Rigger 1.009,80 4,59 Soldador Chaparia 1.031,80 4,69 Soldador ER/RX 1.190,20 5,41 Soldador MIG 1.507,00 6,85 Soldador TIG 1.507,00 6,85 Soldador TIG/ER 1.507,00 6,85 Torneiro Mecânico 1.366,20 6,21 GRUPO IV SALÁRIO MÊS HORA Encarregado Civil 2.107,60 9,58 Encarregado Complementar 1.746,80 7,94 Encarregado Andaime 2.107,60 9,58 Encarregado Caldeiraria 2.107,60 9,58 Encarregado de Elétrica 2.107,60 9,58 Encarregado de Instrumentação 2.107,60 9,58 Encarregado de Isolamento 2.107,60 9,58 Encarregado de Mecânica 2.107,60 9,58 Encarregado de Montagem/Manutenção 2.107,60 9,58 Industrial Encarregado de Pintura 2.107,60 9,58 Encarregado de Refratário 2.107,60 9,58 Encarregado de Serviços Auxiliares 1.746,80 7,94 Encarregado de Solda 2.107,60 9,58 Encarregado de Tubulação 2.107,60 9,58 Encarregado de Preservação 2.107,60 9,58 GRUPO V SALÁRIO MÊS HORA Técnico de Segurança do Trabalho 1.482,80 6,74 CLÁUSULA QUARTA - CORREÇÃO SALARIAL REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS Os salários dos Trabalhadores abrangidos pelo presente acordo serão corrigidos, a partir de 01/11/2009, com o percentual de 7,5% (sete e meio por cento), incidente sobre os salários vigentes no dia 01/11/2008. PAGAMENTO DE SALÁRIO FORMAS E PRAZOS CLÁUSULA QUINTA - DA FORMA DE PAGAMENTO O pagamento dos salários poderá ser feito em conta salário ou por cartão salário (sistema eletrônico), a ser creditado pelas empresas até o 5º (quinto) dia útil do mês subsequente ao trabalhado.

4 Page 4 of 20 PARÁGRAFO PRIMEIRO - ADIANTAMENTO SALARIAL As empresas fornecerão a seus empregados um adiantamento salarial vale de no mínimo 40% (quarenta por cento) do salário nominal do mês, ressalvadas as condições mais favoráveis, devendo ser efetuado mediante cartão magnético, a ser creditado pelas empresas entre o 15º (décimo quinto) e o 20º (vigésimo) dia do mês em curso. PARÁGRAFO SEGUNDO A não-adesão ao adiantamento salarial deverá ser manifestada pelo Trabalhador por escrito ao RH das empresas OUTRAS NORMAS REFERENTES A SALÁRIOS, REAJUSTES, PAGAMENTOS E CRITÉRIOS PARA CÁLCULO CLÁUSULA SEXTA - SUBSTITUIÇÃO Serão concedidas, em favor do trabalhador substituto, as vantagens salariais do trabalhador substituído, enquanto perdurar a substituição e desde que esta não seja eventual. CLÁUSULA SÉTIMA - COMPROVANTE DE PAGAMENTO Será fornecido ao Trabalhador demonstrativo mensal do pagamento de salários, com a discriminação das parcelas pagas e os respectivos descontos. GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS CLÁUSULA OITAVA - HORAS EXTRAS ADICIONAL DE HORA-EXTRA Todas as horas extras serão remuneradas com o adicional de 100% (cem por cento). 1º - As empresas que adotam o sistema de compensação de horário, em que os empregados prorrogam a jornada de 2ª a 6ª feira, para compensar a ausência de trabalho aos sábados, caso exijam de seus empregados abrangidos por este sistema o trabalho aos sábados, deverão remunerar todas as horas neles trabalhadas como extraordinárias, ou seja, acrescidas do adicional de 100% (cem por cento). 2º - Fornecimento de lanche - Em caso de necessidade de prorrogação da jornada normal diária por duas horas extras, será fornecido ao(s) empregado(s) um lanche, consistente em um copo de café, leite e um pão de 50 (cinqüenta) gramas com manteiga ou margarina, o qual será oferecido no início da prorrogação da jornada. 3º - As empresas de fundação e sondagem de solos, sujeitas a esta convenção, poderão efetuar acordo diretamente com o Sindicato Profissional signatário do presente instrumento, para prorrogação da jornada de trabalho em circunstâncias específicas, quando será negociado um percentual especial para este caso.

5 Page 5 of 20 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE CLÁUSULA NONA - ADICIONAL DE PERICULOSIDADE O adicional de periculosidade será pago para o todo o Trabalhador que estiver exercendo a sua atividade/função dentro da área da REGAP e enquadrado nos termos da legislação em vigor. OUTROS ADICIONAIS CLÁUSULA DÉCIMA - DA INDENIZAÇÃO POR DISPENSA NO TRÍNTÍDIO À DATA-BASE Os Trabalhadores dispensados sem justa causa no período de 30 dias que antecede a data base terão direito a uma indenização equivalente ao valor do seu último salário (art. 9º da Lei nº 7.238/84). PARÁGRAFO PRIMEIRO Para os efeitos desta cláusula, haverá a indenização estabelecida no caput em toda dispensa cujo aviso prévio, trabalhado ou indenizado, tiver sido 30 dias antes da data base da categoria de conformidade com a legislação supra. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - INTEGRAÇÃO DE ADICIONAIS O décimo terceiro salário, o aviso prévio indenizado e as férias normais ou proporcionais, serão calculados considerando a média, duodecimal das horas extras, dos adicionais noturnos, de insalubridade e de periculosidade, percebidos em caráter habitual e permanente. PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E/OU RESULTADOS CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS/RESULTADOS CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEXTA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS/RESULTADOS O Programa de Participação dos Trabalhadores nos Lucros ou Resultados das empresas será negociado a partir do mês de Janeiro/2010, nas condições a serem estabelecidas empresa por empresa, com a assistência do SINTICOMB E assim, justos e acordados as partes, por seus representantes inicialmente qualificados, firmam o presente Acordo Coletivo de Trabalho em 10 (dez) vias de igual teor e valor, para que produza os efeitos jurídicos desejados. AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - DA ALIMENTAÇÃO As empresas fornecerão alimentação aos Trabalhadores abrangidos por este Acordo Coletivo, nas modalidades abaixo relacionadas: a) Alimentação pronta para consumo no canteiro de obras em dias de atividade de trabalho para

6 Page 6 of 20 todos os seus trabalhadores; b) Cesta básica para os trabalhadores não alojados com a composição mínima relacionada abaixo: Produtos: - 12 kg de Arroz tipo 1-05 kg de Açúcar cristal - 05 kg de Feijão carioca - 02 kg de Macarrão Espaguetti - 01 kg de Macarrão Parafuso - 03 latas de Óleo de soja 900 ml - 01 kg de Fubá mimoso - 01 kg de Farinha de trigo - 500g Café - 01 pcte. Farofa pronta 300 gr pcte. Mistura de bolo 400 gr gr. Achocolatado em pó gr. Extrato de tomate gr. Tempero alho e sal - 01 unid goiabada doce - 1 Kit Higiene (Papel hig. (4 rolos), 1 sabonete e 1 pasta dental 90 gr grs biscoito creamcraker - 1 pc sabão em pó 500grs - 01 unidade detergente 500ml PARAGRAFO PRIMEIRO A nova composição da cesta básica deverá ser observada a partir de 10 de fevereiro de a) O fornecimento da cesta nos termos do presente parágrafo também sujeita ao desconto respectivo nos salários dos empregados de quantia equivalente a 10% (dez por cento) do valor da cesta. PARÁGRAFO SEGUNDO - O Trabalhador admitido até o dia 10 de cada mêsterá direito a receber a cesta básica a ser distribuída no início do mês subseqüente. PARÁGRAFO TERCEIRO A cesta básica será entregue até o dia 10 (dez) do mês subsequente. PARAGRAFO QUARTO Somente terão direito ao benefício os trabalhadores que perceberem menos de 5 (cinco) salários mínimos e que não tiverem faltas injustificadas no período. PARÁGRAFO QUINTO Aos empregados alojados as empresas garantirão o fornecimento de café da manhã, almoço e jantar para todos os seus trabalhadores alojados, inclusive nos finais de semana, seja mediante convênio com restaurantes, e/ou através de cartão refeição ou cartão alimentação. PARÁGRAFO SEXTO As empresas contratadas para o fornecimento das refeições, se terceirizadas, deverão ser qualificadas e possuir autorização dos órgãos competente para fornecimento de alimentação, cabendo a estas afixar no refeitório o cardápio semanal das refeições que deverão ser balanceadas. PARÁGRAFO SÉTIMO - As empresas terceirizadas para o fornecimento de alimentação deverão ter em seus quadros um profissional da área de nutrição para que acompanhe diariamente a elaboração, e o fornecimento de alimentação. PARÁGRAFO OITAVO - Nos dissídios individuais suscitados na Justiça do Trabalho, no qual haja reclamação pelo não recebimento da cesta básica, desde que preenchidos os requisitos estabelecidos nesta Cláusula e seja julgado procedente este pleito, terá o empregado o direito de perceber, em substituição, o valor correspondente a 20% do Piso do Servente previsto neste instrumento normativo, vigente à época do descumprimento, a título de indenização.

7 Page 7 of 20 PARÁGRAFO NONO - Será fornecida a cesta básica de que trata esta cláusula ao empregado em gozo de férias regulamentares, bem como para os empregados afastados em virtude de acidente do trabalho, limitado ao período de um ano contado da data do evento. AUXÍLIO TRANSPORTE CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - DO TRANSPORTE (FRETADO) As empresas que fornecerem o Transporte Fretado (Especial) aos seus trabalhadores poderão efetuar o desconto máximo equivalente 6% (seis por cento) do valor do piso salarial do Ajudante, mensalmente, em folha de pagamento. PARÁGRAFO ÚNICO Para o fornecimento do Vale Transporte, o desconto do benefício obedecerá aos limites estabelecidos na legislação vigente. AUXÍLIO SAÚDE CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA - PLANO DE SAUDE As empresas manterão convênio de assistência médica/hospitalar/odontológica, com mensalidade, para o titular, custeada integralmente a suas expensas. PARÁGRAFO PRIMEIRO - Ficam ressalvadas as cláusulas de co-participação do empregado em consultas médicas ou outras estabelecidas no plano contratado, bem como inclusão ou não de dependentes. SEGURO DE VIDA CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - SEGURO DE VIDA EM GRUPO As empresas farão, em favor dos Trabalhadores, um seguro de vida e de acidentes em grupo, observadas as seguintes coberturas mínimas: I - R$ ,00 (dezesseis mil, seiscentos e trinta e dois reais), em caso de morte do Trabalhador por qualquer causa, independente do local ocorrido; II R$ ,00 (dezesseis mil, seiscentos e trinta e dois reais), em caso de Invalidez Permanente (Total ou Parcial) do Trabalhador (a), causada por acidente de qualquer natureza, independentemente do local ocorrido, atestado por médico devidamente qualificado, discriminando, detalhadamente, no laudo médico, as seqüelas definitivas, mencionando o grau ou percentagem, respectivamente da invalidez deixada pelo acidente; III R$8.316,00 (oito mil, trezentos e dezesseis reais), em caso de Morte do Cônjuge do Trabalhador (a) por qualquer causa; IV R$4.158,00 (quatro mil, cento e cinqüenta e oito reais), em caso de morte por qualquer causa de cada filho de até 21 (vinte e um) anos, limitado a 04 (quatro) filhos;

8 Page 8 of 20 V Ocorrendo a morte do Trabalhador (a) por qualquer causa, independente do local ocorrido, a família do Trabalhador receberá 1 (uma) cesta básica. APOSENTADORIA CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - TRABALHADORES EM VIA DE APOSENTADORIA As empresas concederão estabilidade provisória aos trabalhadores que necessitarem de até 24 (vinte quatro) meses para a aquisição de aposentadoria por tempo de serviço, desde que tenham 03 (três) anos contínuos de trabalho nas empresas. A concessão deste benefício fica condicionada à comunicação do Trabalhador aos empregadores de sua situação de pré-aposentadoria, devidamente comprovada. CONTRATO DE TRABALHO ADMISSÃO, DEMISSÃO, MODALIDADES NORMAS PARA ADMISSÃO/CONTRATAÇÃO CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - CONTRATOS DE EXPERIENCIA Fica estabelecido que, na vigência deste Acordo Coletivo de Trabalho, o Contrato de Experiência será de no máximo 30 (trinta) dias, independente de ter ou não exercido o mesmo cargo em outras empresas. CLÁUSULA DÉCIMA NONA - DA DEVOLUÇÃO DAS PASSAGENS Os Trabalhadores recém admitidos serão reembolsados dos valores de aquisição das passagens empregadas no primeiro deslocamento de suas cidades de origem aos alojamentos designados pelas empresas, desde que recrutados pelas empresas. Fica definido que os reembolsos aqui determinados só ocorrerão se os comprovantes de viagem forem apresentados entre o 4º e o 7º dia após a admissão, mediante recibo entregue ao RH das empresas. PARÁGRAFO ÚNICO Entende-se por recrutados aqueles trabalhadores que porventura tenham sido selecionados diretamente pelo RH das empresas na sua cidade de origem, distante, no mínimo, 50 (cinqüenta) km do local de trabalho, conforme lançamento em documentação interna própria de cada empresa. DESLIGAMENTO/DEMISSÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA - HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÕES As empresas deverão realizar o agendamento das homologações das rescisões contratuais no SINTICOMB por meio de comunicação ao setor de homologações. PARÁGRAFO PRIMEIRO: As empresas que depositarem os valores da rescisão do contrato na conta do trabalhador dispensado terão até o dia estipulado por lei para homologar a rescisão no sindicato sem a multa do Art. 477 da CLT.

9 Page 9 of 20 PARÁGRAFO SEGUNDO: O SINTICOMB fornecerá às empresas declaração de não comparecimento do trabalhador se comprovada a prévia comunicação ao empregado da data e horário da homologação. PARÁGRAFO TERCEIRO: O pagamento em cheque só será aceito até às 13h horas do último dia do prazo estipulado no artigo 477 da CLT. Caso o sindicato não possa realizar a homologação por motivos internos, deverá fornecer certidão às empresas noticiando a data e horário de comparecimento. AVISO PRÉVIO CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA - AVISO PRÉVIO Será concedido 1 (um) dia a mais no pagamento do aviso prévio, para cada ano trabalhado, desde que o trabalhador tenha mais de 45 anos de idade e mais de 3 anos de serviços contínuos de serviços prestados as empresas. SUSPENSÃO DO CONTRATO DE TRABALHO CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - DA SUSPENÇÃO TEMPORÁRIA DO CONTRATO DE TRABALHO Fica facultado a empresa e trabalhadores representados pelo sindicato acordante, suspender o contrato de trabalho para participação do empregado em curso ou programa de qualificação profissional nos termos do disposto no art. 476-A da Consolidação das Leis do Trabalho, com a redação dada pela Media Provisória de 03/11/98. PARÁGRAFO PRIMEIRO - Os critérios e condições que regerão a aplicação do instituto previsto no caput serão objetos de comum acordo entre sindicato acordante e empresa, devendo o sindicato obreiro se comprometer a negociar com o interessado tão logo seja convidado. MÃO-DE-OBRA TEMPORÁRIA/TERCEIRIZAÇÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - CONTRATOS DE EMPREITEIROS Os contratos de empreitada e subempreitada de mão-de-obra devem ser celebrados com empreiteiros e/ou subempreiteiros constituídos sob a forma de pessoa jurídica, devidamente organizada e registrada nos órgãos competentes e com endereços e sede claramente especificados nos instrumentos contratuais. Além disso, os contratantes deverão fazer a retenção de um percentual mínimo sobre a fatura dos subempreiteiros, nos termos da legislação que trata da matéria, para garantia do cumprimento da legislação trabalhista e previdenciária, exigindo-lhes, a cada mês, prova da satisfação dos encargos pertinentes à mão-de-obra utilizada na subempreitada, inclusive o Seguro de Vida em Grupo previsto neste acordo. PARÁGRAFO PRIMEIRO - Nos contratos de subempreitada responderá o subempreiteiro pelas obrigações derivadas do contrato de trabalho que celebrar, cabendo, todavia, aos Trabalhadores o direito de reclamação contra o empreiteiro contratante pelo inadimplemento daquelas obrigações por parte do primeiro. PARÁGRAFO SEGUNDO As empresas tomadoras de serviços ao terceirizarem em parte ou na

10 Page 10 of 20 totalidade suas atividades, ficarão subsidiariamente responsáveis ao cumprimento da Legislação Trabalhista. OUTRAS NORMAS REFERENTES A ADMISSÃO, DEMISSÃO E MODALIDADES DE CONTRATAÇÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - COMUNICAÇÃO DE DISPENSA Todo Trabalhador dispensado sob a acusação de falta grave deverá ser certificado do ato da dispensa, por escrito, das razões determinantes de sua demissão, sob pena de sua dispensa ser considerada sem justa causa. RELAÇÕES DE TRABALHO CONDIÇÕES DE TRABALHO, NORMAS DE PESSOAL E ESTABILIDADES QUALIFICAÇÃO/FORMAÇÃO PROFISSIONAL CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - REFERÊNCIA As empresas abrangidas por este acordo coletivo de trabalho, quando solicitadas e desde que conste de seus registros, informarão os cursos concluídos pelo Trabalhador. PARÁGRAFO ÚNICO As empresas irão envidar esforços no sentido de incentivar e patrocinar gratuitamente aos seus Trabalhadores, cursos e treinamentos em saúde, segurança e higiene do trabalho, e de responsabilidade social, ficando certo que o horário destinado à freqüência destes cursos não será considerado hora extra, desde que o curso seja realizado nos dias úteis e cuja freqüência não seja obrigatória. CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA - SOLDADOR - CERTIFICAÇÃO Caso o soldador seja dispensado sem justa causa faltando 01 (um) mês para a perda de sua certificação, deverá a empresa, desde que solicitado pelo trabalhador, garantir a realização de um novo teste de qualificação. CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA - CLASSIFICAÇÃO DOS AJUDANTES Os ajudantes após contratados pelas empresas, e ao ser indicados pela chefia imediata, e havendo vaga, farão o treinamento fornecido e exigido pelas empresas, se aprovados e habilitados por avaliação e certificação das empresas, serão qualificados paga a vaga existente. FERRAMENTAS E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA - FORNECIMENTO DE FERRAMENTAS As empresas fornecerão gratuitamente a todos os Trabalhadores as ferramentas

11 Page 11 of 20 necessárias ao desenvolvimento de suas atividades, mediante recibo de entrega e devolução quando do seu desligamento da empresa. ESTABILIDADE MÃE CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA - GARANTIA DE EMPREGO GESTANTE Será concedida a garantia de emprego à Trabalhadora gestante, desde a confirmação da gravidez até 5 (cinco) meses após o parto, nos moldes da alínea b, do inciso II, do art.10, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. OUTRAS NORMAS REFERENTES A CONDIÇÕES PARA O EXERCÍCIO DO TRABALHO CLÁUSULA TRIGÉSIMA - GARANTIA DE PERCEPÇÃO DE SALÁRIOS, NA OCORRÊNCIA DE FATORES ADVERSOS OU OUT Ficam assegurados os salários dos Trabalhadores que, estando à disposição das empresas, estejam impossibilitados de exercer suas atividades em razão de fatores climáticos, falta de material ou maquinaria danificada, desde que se apresentem e permaneçam no local de trabalho durante toda a jornada laboral, ou dela sejam dispensados. CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA - TRABALHADOR COM NECESSIDADES ESPECIAIS As empresas envidarão esforços no sentido de cumprir a cota de Pessoas com Necessidades Especiais, prevista na Lei n.º 7.853, de 24 de outubro de 1989, desde que haja compatibilidade da deficiência com o cargo e as condições relativas ao meio ambiente do trabalho. CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA - DO CAFÉ DA MANHÃ As empresas fornecerão a todos os Trabalhadores abrangidos por este Acordo Coletivo de Trabalho, no canteiro de obras, café da manhã composto de pão com manteiga e café com leite. PARÁGRAFO ÚNICO O café da manhã será oferecido antes do início do expediente da manhã, desde que o Trabalhador compareça ao trabalho 15 (quinze) minutos antes do início da jornada, não sendo este ¼ (um quarto) de hora computada como jornada de trabalho ou considerada como hora extra. CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA - ALOJAMENTOS As empresas se comprometem a manter os alojamentos de acordo com as normas regulamentadoras de saúde, medicina, e higiene do trabalho, aplicáveis à espécie aos Trabalhadores alojados, inclusive nos finais de semana e feriados. PARÁGRAFO ÚNICO - Convencionam as partes que os Trabalhadores que estiverem nos alojamentos farão jus a um armário individual. JORNADA DE TRABALHO DURAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO, CONTROLE,

12 Page 12 of 20 FALTAS COMPENSAÇÃO DE JORNADA CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - JORNADA DE TRABALAHO E DA COMPENSAÇÃO DE HORARIO As partes estabelecem que a jornada dos trabalhadores será de 44 (quarenta e quatro) horas semanais, e 220 (duzentas e vinte) horas mensais. PARÁGRAFO PRIMEIRO - Os Trabalhadores, inclusive mulheres e menores, poderão ser dispensados do trabalho aos sábados ou em qualquer outro dia de trabalho, em todo o expediente ou em parte dele, com a correspondente prorrogação da jornada de trabalho para compensação de segunda a sexta-feira, respeitada a jornada contratada. PARÁGRAFO SEGUNDO - As horas compensadas na jornada de trabalho, conforme aqui estabelecido, não são extraordinárias e, portanto, não sofrerão os acréscimos dos adicionais previstos neste acordo, nem qualquer outro acréscimo. PARÁGRAFO TERCEIRO - Fica estabelecido que, não obstante a adoção do sistema de compensação de horário previsto nesta cláusula, o sábado deverá ser considerado como dia útil não trabalhado, e não dia de repouso semanal. Portanto, para todos os efeitos, as empresas poderão voltar a exigir o trabalho nesse dia, em caso de necessidade de serviço. PARÁGRAFO QUARTO - As variações de horário no registro de ponto, não excedentes há dez minutos, observando o limite de vinte minutos diários, não serão descontadas nem computadas como jornada extraordinária. PARÁGRAFO QUINTO - Ficam as empresas autorizadas, através de acordo individual escrito realizado diretamente com os seus respectivos trabalhadores, a prorrogar a jornada de trabalho, em qualquer dia da semana, inclusive no sábado, especificando-os, para compensar dias-pontes com feriados legais ou recessos da empresa, a exemplo de: dias de carnaval, semana santa, natal, ano novo, e etc., homologando o mesmo junto ao SINTICOMB Neste caso, as respectivas horas suplementares não serão remuneradas e nem consideradas extraordinárias para os efeitos da legislação trabalhista. JORNADAS ESPECIAIS (MULHERES, MENORES, ESTUDANTES) CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA - ABONO DE FALTA AO ESTUDANTE Será abonada a falta ao serviço, a entrada com atraso ou a saída antecipada do trabalhador estudante, desde que necessária para a realização de provas escolares em curso regular de estabelecimento de ensino oficial, que seja feita comunicação por escrito ao empregador com 72 (setenta e duas) horas de antecedência e que haja a comprovação do comparecimento no prazo de até 05 (cinco) dias após realização da prova. OUTRAS DISPOSIÇÕES SOBRE JORNADA CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA - AUSÊNCIAS REMUNERADAS O trabalhador poderá deixar de comparecer ao serviço, sem prejuízo do salário:

13 Page 13 of 20 I - Até 02 (dois) dias consecutivos, em caso de falecimento do cônjuge, ascendente, descendente, irmão ou pessoa que, devidamente declarada em sua CTPS, viva sob sua dependência econômica; II - Até 03 (três) dias consecutivos, em virtude de casamento; III - Por 05 (cinco) dias, em caso de nascimento de filho, estando incluída, neste caso, a licença paternidade prevista na Constituição Federal e a ausência prevista no art. 473, III, da CLT; IV - Por 01 (um) dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada; V - Até 02 (dois) dias consecutivos ou não, para o fim de se alistar eleitor, nos termos da lei respectiva; VI - No período em que tiver de cumprir as exigências do Serviço Militar referidas, na letra "c" do artigo 65 da Lei n.º 4.375, de ; VII - Nos dias em que estiver comprovadamente realizando provas de vestibular para ingresso em estabelecimento de ensino superior. VIII - Pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer em juízo. CLÁUSULA TRIGÉSIMA SÉTIMA - RECEBIMENTO DE PIS As empresas, a seu critério, poderão receber o PIS devido aos Trabalhadores, repassando individualmente as importâncias recebidas, ou então deverão conceder licença remunerada igual a meio expediente de trabalho, a fim de que eles possam resgatar os valores distribuídos pelo programa. FÉRIAS E LICENÇAS DURAÇÃO E CONCESSÃO DE FÉRIAS CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA - CONCESSÃO E INICIO DO GOZO DE FERIAS O início das férias individuais dar-se-á sempre no primeiro dia útil da semana, devendo o Trabalhador receber a comunicação 30 (trinta) dias antes, e o pagamento deverá ser feito nas condições do Art.145 e parágrafo da CLT. OUTRAS DISPOSIÇÕES SOBRE FÉRIAS E LICENÇAS CLÁUSULA TRIGÉSIMA NONA - ABONO DE FÉRIAS Com o objetivo de estimular a assiduidade ao trabalho, as empresas, além do abono de 1/3 de férias, concederão aos seus Trabalhadores abrangidos pelo presente Acordo Coletivo de Trabalho um abono de férias anual, que será pago da seguinte forma: a) Para os que recebem até R$ 638,88 (seiscentos e trinta e oito reais e oitenta e oito centavos) por mês, o abono será equivalente a 80 (oitenta) horas de trabalho, a ser calculado sobre o salário base recebido pelo Trabalhador no mês anterior. base contratual;

14 Page 14 of 20 b) Para os que percebem acima R$ 638,88 (seiscentos e trinta e oito reais e oitenta e oito centavos) por mês, o abono terá o valor fixo de R$ 232,32 (duzentos e trinta e dois reais e trinta e dois centavos). PARÁGRAFO PRIMEIRO - O abono estabelecido no caput desta cláusula será pago ao trabalhador após o seu retorno de férias, na primeira folha de pagamento subseqüente. No caso de ocorrer rescisão de contrato, por qualquer razão, sem que as férias tenham sido gozadas, o abono será pago juntamente com as verbas rescisórias. Em nenhuma hipótese haverá pagamento para períodos incompletos de férias. PARÁGRAFO SEGUNDO - O abono de férias estabelecido no caput desta cláusula será calculado apenas sobre o salário base contratual, sem considerar na sua composição qualquer outra parcela de natureza salarial, tal como hora extra, repouso remunerado, adicional noturno, adicional de insalubridade ou de periculosidade, ou qualquer outro título. PARÁGRAFO TERCEIRO - O fato de o Trabalhador converter 1/3 (um terço) do período de férias a que tiver direito em abono pecuniário não implicará na redução do abono de que trata o caput desta cláusula. PARÁGRAFO QUARTO - A faixa salarial de R$ 638,88 (seiscentos e trinta e oito reais e oitenta e oito centavos) por mês, referidas nas letras a e b do caput desta cláusula sofrerá os mesmos reajustes e antecipações que porventura vierem a ser aplicados aos salários da categoria profissional convenente. PARÁGRAFO QUINTO - O abono de férias de que trata o caput desta cláusula, não integrará a remuneração do trabalhador para os efeitos da legislação do Trabalho e da previdência social (INSS), consoante dispõe o art. 144 da CLT. SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR CONDIÇÕES DE AMBIENTE DE TRABALHO CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA - RISCO NO LOCAL DE TRABALHO Em caso de RISCO eminente no local de trabalho, identificado pela Petrobrás, assim entendido como aquele que possa ocasionar dano à integridade física do trabalhador, deverá a empresa promover a desocupação do local. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA PRIMEIRA - EPI EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL As empresas fornecerão gratuitamente a seus Trabalhadores, contra recibo especificado para tal fim e respeitadas as normas legais, equipamentos de proteção individual exigidos para a prestação dos serviços. PARÁGRAFO PRIMEIRO Ocorrendo o desligamento do Trabalhador, por qualquer razão, ele é obrigado a devolver os equipamentos de proteção individual que recebeu, nas

15 Page 15 of 20 condições em que se encontrarem, sob pena de ser obrigado a ressarcir seus custos. PARÁGRAFO SEGUNDO: em caso de não utilização do EPI por parte do trabalhador, poderá o mesmo sofrer penas disciplinares aplicadas pelas empresas. UNIFORME CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEGUNDA - UNIFORME As empresas fornecerão gratuitamente, uniformes na quantidade necessária para o Trabalhador desempenhar suas atividades. TREINAMENTO PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA TERCEIRA - MEDIDAS DE PROTEÇÃO CONTRA ACIDENTES DO TRABALHO As empresas se obrigam a cumprir e fazer cumprir as normas legais de segurança, higiene e medicina do trabalho, aplicáveis ao setor, adotando todas as medidas preconizadas a fim de se evitar acidentes do trabalho. ACEITAÇÃO DE ATESTADOS MÉDICOS CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUARTA - ATESTADO MÉDICO OU ODONTOLÓGICO Os atestados médicos e/ou odontológicos, oficiais (INSS/SUS) ou oficializados por credenciamento através de convênio médico mantido pela empresa ou pelos serviços médicos mantidos pelo sindicato acordante, serão reconhecidos e terão plena validade, desde que apresentados na data do retorno ao trabalho. PARAGRADO PRIMEIRO: O empregado deverá comunicar a área de RH ou ao serviço médico da empresa, por telefone ou outro meio de comunicação, o afastamento à empresa em 24 (vinte quatro) horas, a contar do evento. PARÁGRAFO SEGUNDO: em caso de doença ou incapacidade médica no qual o trabalhador esteja impossibilitado de realizar a comunicação direta, poderá o trabalhador apresentar o atestado médico no prazo de 48 horas, seja por intermédio de familiares ou pelo sindicato signatário do presente acordo. ACOMPANHAMENTO DE ACIDENTADO E/OU PORTADOR DE DOENÇA PROFISSIONAL CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUINTA - ASSISTÊNCIA MÉDICA HOSPITALAR As empresas se responsabilizarão pela remoção do Trabalhador acidentado no trabalho, providenciando veículo para levá-lo até o local onde será adequadamente atendido, caso o acidente exija tal remoção, por meios próprios ou de terceiros. PARÁGRAFO PRIMEIRO Os trabalhadores acometidos de doença do trabalho,

16 Page 16 of 20 preexistente ou adquirida durante a relação de emprego, que estejam impossibilitados de locomoção por seus próprios meios, receberão o mesmo tratamento estabelecido no caput desta cláusula, no caso de emergência médica. OUTRAS NORMAS DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES E DOENÇAS PROFISSIONAIS CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEXTA - ACIDENTE DE TRABALHO/DOENÇA DO TRABALHO Na hipótese do Trabalhador sofrer acidente do trabalho será observado o disposto no artigo 118 da lei 8.213/91, devendo a empresa fornecer CAT em 24h quando o acidente for na Capital ou na região Metropolitana de BH e em 48h quando o acidente for no Interior ou fora da Região Metropolitana de BH. PARAGRAFO ÚNICO O segurado da Previdência Social que sofrer acidente de trabalho típico ou doença profissional terá garantido pelo prazo mínimo de doze meses, a estabilidade provisória, após a cessação do auxílio doença acidentário, nos termos da Lei n /91. RELAÇÕES SINDICAIS ACESSO DO SINDICATO AO LOCAL DE TRABALHO CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SÉTIMA - VISITA AO LOCAL DE TRABALHO Mediante prévio entendimento com as empresas, desde que comunicado com antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas, poderá o sindicato acordante, através de seus dirigentes devidamente credenciados, visitarem os locais de trabalho de seus representados, para assisti-los, verificar as condições de execução do acordo coletivo e facilitar a sindicalização. CONTRIBUIÇÕES SINDICAIS CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA OITAVA - CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIL DOS TRABALHADORES (ATIGO 513, "E" DA CLT) As empresas descontarão de todos os Trabalhadores abrangidos por este instrumento normativo, como mera intermediária, mensalmente, na folha de pagamento, a quantia equivalente a 1% (um por cento) do salário nominal e recolherá o produto destas arrecadações ao sindicato acordante, em guias próprias a serem fornecidas pelo mesmo, até o 10 (décimo) dia útil do mês subseqüente ao desconto. PARÁGRAFO PRIMEIRO: O primeiro desconto, referente aos meses de novembro de 2009 e dezembro de 2009, será realizado na folha de pagamento de janeiro de PARÁGRAFO SEGUNDO Fica assegurado ao Trabalhador o exercício do direito de oposição ao desconto previsto no caput desta cláusula, o que poderá ser feito no prazo de 10 (dez) dias a contar da data da assinatura deste instrumento, perante o sindicato profissional, através de documento individual e por escrito.

17 Page 17 of 20 PARÁGRAFO TERCEIRO - Se houver atraso no recolhimento do valor descontado dos Trabalhadores, as empresas deverão efetuá-lo com multa de 2% (dois por cento) e atualização monetária por dia de atraso. PARÁGRAFO QUARTO - Efetuado o desconto, as empresas deverão efetuar o pagamento através de deposito na caixa econômica federal da agencia 0892 cc nº Agencia Betim e enviar ao sindicato acordante a relação dos descontados, com a discriminação dos respectivos valores recolhidos. PARÁGRAFO QUINTO - O Trabalhador admitido terá descontado a contribuição assistencial de que trata esta cláusula, no mês subseqüente ao da sua admissão. PROCEDIMENTOS EM RELAÇÃO A GREVES E GREVISTAS CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA NONA - PAGAMENTO DOS DIAS PARADOS As empresas que efetuaram desconto dos dias de paralisação efetuarão o pagamento desses dias, integralmente, na folha de pagamento correspondente ao mês de dezembro/2009. PARÁGRAFO PRIMEIRO: São considerados dias parados o período de 23 a 28 de novembro de PARÁGRAFO SEGUNDO: Das horas de greve, 20 (vinte) serão compensadas à razão de 04 (quatro) horas mensais, no período de janeiro a maio de A compensação (quatro horas mensais) não será efetivada caso o empregado tenha 100% (cem por cento) de assiduidade no mês, ressalvadas as faltas legais. PARÁGRAFO TERCEIRO: Na eventualidade de falta injustificada do trabalhador no período de apuração, a empresa estará autorizada a efetuar o desconto de 4 (quatro) horas na folha de pagamento do mês, independentemente das demais cominações fixadas. PARÁGRAFO QUARTO: As empresas que descontaram os dias parados dos empregados dispensados nos Termos de Rescisão de Contrato de Trabalho até esta data, se comprometem a proceder à devolução dos valores mediante rescisão complementar a ser paga em até 10 (dez) dias contados a partir da solicitação do trabalhador. PARÁGRAFO QUINTO: Os dias de greve não serão considerados como faltas para efeito de pagamento de PLR. PARÁGRAFO SEXTO: O trabalhador que vier a ser dispensado imotivadamente não sofrerá desconto em sua rescisão das 20 (vinte) horas de greve, ressalvado, às empresas, o direito de efetuarem o correspondente desconto das 20 (vinte) horas quando o empregado pedir demissão, exceto daqueles meses em que houver faltado. PARÁGRAFO SÉTIMO: As empresas se comprometem a não promover ato de retaliação em virtude do movimento paredista.

18 Page 18 of 20 OUTRAS DISPOSIÇÕES SOBRE RELAÇÃO ENTRE SINDICATO E EMPRESA CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA - RELAÇÃO DE EMPREGADOS As empresas fornecerão ao sindicato acordante, anualmente, uma relação dos Trabalhadores abrangidos por este Acordo Coletivo de Trabalho, existentes na data base, dela constando o nome, cargo, para fins de estudo estatísticos e projetos assistenciais e fornecerá, mensalmente, as guias de GPS e FGTS pagas, até o dia 25 do mês subseqüente. As empresas se comprometem a apresentar anualmente a relação dos nomes das subempreiteiras em atividade, na área de montagem. PARÁGRAFO ÚNICO: Estas informações serão fornecidas ao sindicato acordante mediante cláusula de sigilo, não podendo ser divulgadas a terceiros sob hipótese alguma, salvo se formalmente autorizadas pelas empresas. CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA PRIMEIRA - QUADRO DE AVISOS As empresas permitirão a fixação de quadros de aviso pelo sindicato acordante, em locais apropriados para tal, acessíveis aos empregados, para divulgação de matérias de interesse da categoria profissional, sendo vedada a divulgação de materiais de conteúdo políticopartidário ou ofensivo a quem quer que seja. CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEGUNDA - PAGAMENTO DO ASO Fica estabelecido que as empresas signatárias garantam única e exclusivamente aqueles empregados que exercerem suas atividades na REGAP, em contratos de prazo indeterminado, o pagamento dos dias úteis compreendidos, até o máximo de 15 (quinze) dias, entre a data de emissão do ASO Atestado de Saúde Ocupacional, e o dia anterior à assinatura da CTPS a título de abono, sem acréscimo de qualquer adicional seja a que título for. DISPOSIÇÕES GERAIS MECANISMOS DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA TERCEIRA - JUÍZO COMPETENTE Será competente a Justiça do Trabalho para dirimir divergências na aplicação deste Acordo Coletivo de Trabalho. APLICAÇÃO DO INSTRUMENTO COLETIVO CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUARTA - NÃO SUPERPOSIÇÃO DE VANTAGENS As partes concordam que, ocorrendo alteração na legislação, acordo ou dissídio coletivo, não poderá haver, em hipótese alguma, a aplicação cumulativa de vantagens da mesma

19 Page 19 of 20 natureza com as deste acordo. DESCUMPRIMENTO DO INSTRUMENTO COLETIVO CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUINTA - MULTA POR DESCUMPRIMENTO Constatada a inobservância e ou descumprimento, por alguma das partes, de qualquer cláusula do presente acordo coletivo, será aplicada à parte inadimplente multa equivalente a 01 (um) dia de salário elevada para 02 (dois) dias de salário do trabalhador no caso de reincidência, por cláusula descumprida, importância que reverterá em benefício da parte prejudicada. PARÁGRAFO ÚNICO: antes da aplicação da multa, a parte infratora deverá ser comunicada por escrito pela outra parte sobre o não cumprimento de cláusula, e terá prazo de até 72 (setenta e duas) horas para se manifestar para a correção do problema. RENOVAÇÃO/RESCISÃO DO INSTRUMENTO COLETIVO CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEXTA - PRORROGAÇÃO, DENÚNCIA OU REVOGAÇÃO O processo de prorrogação, denúncia ou revogação, total ou parcial, do presente Acordo Coletivo, ficará subordinado às normas estabelecidas pelo Art. 615 da Consolidação das Leis do Trabalho. PAULO HENRIQUE DA SILVA PRESIDENTE SINDICATO DOS TRAB NAS IND DA CONST E DO MOBIL DE BETIM MARCELO ARAUGIO DIRETOR PCP SERVICOS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUCAO LTDA

20 Page 20 of 20

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001621/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020706/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008089/2011-29 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG004008/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057851/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.008943/2011-67 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000812/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 19/06/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017988/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.002440/2009-54 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001633/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017942/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001682/2013-16 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001254/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/04/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017099/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.006142/2011-57 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2007/2008 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000146/2007 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/10/2007 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001271/2007 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.005618/2007-28 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002151/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026676/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.010071/2009-72 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP006627/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 28/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032153/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.003055/2013-24 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001746/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020832/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005849/2012-27

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000363/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002753/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000337/2015-27 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000637/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR004928/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001229/2011-48 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 5 Imprimir Salvar TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001556/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR076938/2014

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 7 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003924/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053747/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.011188/2014-31 DATA

Leia mais

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao...

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao... Página 1 de 5 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000542/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024046/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46290.001101/2013-11 DATA DO PROTOCOLO: 23/05/2013 CONVENÇÃO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002511/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053502/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005004/2012-32 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001711/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 06/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016575/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005146/2014-61 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001599/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017802/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.004343/2013-81 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001428/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021439/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.003413/2010-41 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 5 05/11/2014 10:02 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002761/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/11/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR066410/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.007110/2014-12

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG003310/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 06/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR045893/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46504.003095/2015-38 DATA DO

Leia mais

CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.010

CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.010 CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.010 ATENÇÃO: ESTA CIRCULAR É APENAS UM INFORMATIVO DO SINDICATO PARA AS EMPRESAS E TRABALHADORES, E NÃO TERÁ VALIDADE PARA PROCESSOS TRABALHISTAS OU DE QUALQUER OUTRA NATUREZA.

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000145/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 31/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR080680/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.001357/2014-74 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000787/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024630/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.008066/2015-98 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001530/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022315/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004377/2013-77 DATA

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP012425/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060338/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46263.004405/2014-31 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002058/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018377/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004510/2012-13 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000276/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/02/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005346/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.024928/2011-26

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000955/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028972/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009094/2013-61 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PI000036/2008 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/09/2008 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015042/2008 NÚMERO DO PROCESSO: 46214.002894/2008-23 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG005003/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/12/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR079528/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.007490/2014-02 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000433/2008 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/10/2008 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015947/2008 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.032963/2008-13 DATA DO

Leia mais

SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015

SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 Entre o SEES - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AM000415/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/09/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044279/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46202.014239/2014-03 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001762/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023628/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008636/2011-76 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RN000390/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/10/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060523/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46217.008181/2013-19

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001702/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR014964/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.006002/2013-41

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000202/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/06/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021878/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.002474/2009-17 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Mediador - Extrato Instrumento Coletivo CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000236/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/06/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023908/2011 NÚMERO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002515/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038779/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004745/2014-77 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000422/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/06/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028733/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.005494/2011-54 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002450/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/10/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055380/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005486/2013-10 DATA DO

Leia mais

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: SINDICATO TRABALHADORES MOV MERC EM GERAL DE PASSOS, CNPJ n. 64.480.692/0001-03, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). Manoel Messias dos Reis Silva; E FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 9 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000736/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR067570/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.023448/2012-38 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 1 de 6 18/06/2014 08:16 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001241/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/06/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR025405/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.003285/2014-51

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001531/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061722/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.018555/2014-16 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002285/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/10/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055933/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.001820/2011-96 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000204/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/03/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR006500/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.002367/2015-27 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000247/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021198/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.001800/2010-02 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000214/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/06/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR027655/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46085.000793/2011-36 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011-2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011-2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011-2011 SINDICATO TRABS ENTIDADES SINDICAIS DO ESTADO M GERAIS, CNPJ n. 17.498.775/0001-31, neste ato representado(a) por seu Secretário Geral, Sr(a). MARIA DE LOURDES VIEIRA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000742/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/08/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016555/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.008711/2013-20 DATA DO PROTOCOLO: 09/08/2013 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA - CORREÇÃO DO SÁLARIO VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2014 a 30/04/2015

CLÁUSULA TERCEIRA - CORREÇÃO DO SÁLARIO VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2014 a 30/04/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS, CICLISTAS E MOTO- TAXISTAS DO ESTADO DE SAO PAULO, CNPJ n. 66.518.978/0001-58, neste ato representado (a) por seu Presidente,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001955/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/08/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046551/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.004546/2014-50 DATA DO

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: TO000023/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/04/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017571/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46226.009193/2012-62

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001710/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR042733/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.004077/2015-50 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002408/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/10/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR058446/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.001895/2015-09 DATA DO

Leia mais

CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.011

CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.011 CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.011 ATENÇÃO: ESTA CIRCULAR É APENAS UM INFORMATIVO DO SINDICATO PARA AS EMPRESAS E TRABALHADORES, E NÃO TERÁ VALIDADE PARA PROCESSOS TRABALHISTAS OU DE QUALQUER OUTRA NATUREZA.

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000007/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR072509/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.000014/2014-10 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS 1 de 7 25/07/2014 09:03 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001369/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038747/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.014791/2014-44

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002217/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053080/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.035134/2010-15 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000096/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064426/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.042751/2011-40 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 17.265.893/0001-08, neste ato representado por seu Presidente, Sr. HELTON

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR041280/2010 SIND TRAB IND SID MET MEC MAT ELET MAT ELETRONICOS OURO BRANCO E BASE, CNPJ n. 21.117.353/0001-46, neste ato representado(a) por

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002667/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/06/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR027436/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.005491/2011-61 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000433/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/09/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054260/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.010934/2010-24 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000212/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021394/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.003027/2013-64 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 10 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RN000052/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001722/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46217.001204/2012-75

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002797/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038659/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46504.002184/2014-86 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2015

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2015 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP005541/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR007344/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46255.000552/2015-11 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 7 20/3/2014 10:43 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000166/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/03/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001874/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.003144/2014-04

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO CEASA 2013/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO CEASA 2013/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO CEASA 2013/2013 ]NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000395/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/03/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005860/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.004426/2013-60 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP013065/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055428/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46401.000925/2015 23 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000629/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR082390/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000729/2015-96 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001038/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/03/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR013124/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.003363/2013-35 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2014

CONVENÇÃO COLETIVA 2014 CONVENÇÃO COLETIVA 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 17.437.757/0001-40, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001902/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR019390/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46236.000751/2012-13 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001092/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/06/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005184/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.004081/2014-14 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DOS TECNICOS EM SEGURANCA TRABALHO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CNPJ n. 25.578.642/0001-01, neste ato representado por seu Presidente, Sr. CLÁUDIO FERREIRA SANTOS;

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP005920/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024432/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.002845/2015-54 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AL000089/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/04/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002498/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46201.000506/2014-67 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 DA ABRANGÊNCIA:

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 DA ABRANGÊNCIA: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 DA ABRANGÊNCIA: Cláusula 1ª - Esta convenção coletiva de trabalho que entre si celebram, de um lado o Sindicato dos Médicos de Anápolis e, do outro lado, o Sindicato

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PA000361/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 02/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR031936/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46222.003478/2015-72 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000287/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR037320/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.002586/2015-19 DATA DO

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé Fundado em 01 de março de 1996 Entidade reconhecida no Arquivo de Entidades Sindicais do MTE sob o nº 46000-006947/96

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP013233/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053585/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46423.000422/2014-19 DATA DO

Leia mais

Convenção Coletiva 2014

Convenção Coletiva 2014 Convenção Coletiva 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 12.512.993/0001-60, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000015/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR000163/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.000147/2011-48 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002443/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/11/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061733/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.043450/2011-33 DATA DO

Leia mais

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO Página 1 de 7 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RN000439/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/11/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR071279/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46217.009114/2013-11

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PI000032/2008 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/08/2008 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR010623/2008 NÚMERO DO PROCESSO: 46214.002539/2008-54 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001368/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/10/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055767/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.016961/2013 63 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000299/2016 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/03/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR006955/2016 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.002311/2016-83 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000601/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016325/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46305.000436/2015-60 DATA

Leia mais