PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO TRIBUNAL PLENO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO TRIBUNAL PLENO"

Transcrição

1 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO TRIBUNAL PLENO RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N. 14/2014 O Pleno do TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA NONA REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO o disposto na Resolução nº 49, de 18 de dezembro de 2007 do Conselho Nacional de Justiça CNJ, que dispõe sobre a organização de Núcleo de Estatística e Gestão Estratégica nos órgãos do Poder Judiciário; CONSIDERANDO o disposto na Resolução nº 70 de 18 de março de 2009 do Conselho Nacional de Justiça CNJ, que dispõe sobre o Planejamento e a Gestão Estratégica no âmbito do Poder Judiciário, entre outras providências; CONSIDERANDO o disposto na Resolução nº 63 de 28 de maio de 2010 do Conselho Superior da Justiça do Trabalho CSJT, que institui a padronização da estrutura organizacional e de pessoal dos órgãos da Justiça do Trabalho de primeiro e segundo graus; CONSIDERANDO a imperiosa necessidade de cumprir a META nº 01/2011, estabelecida pelo Conselho Nacional de Justiça CNJ; RESOLVEU: Art. 1º REESTRUTURAR, em caráter parcial, o Grupo Estrutural voltado para as Atividades de Aconselhamento do Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região para dar nova configuração organizacional à Assessoria de Gestão Estratégica - AGE.

2 Art. 2º A Assessoria de Gestão Estratégica do Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região é órgão integrante do Grupo Estrutural Voltado para as Atividades de Aconselhamento e terá a seguinte composição: I- Do Gabinete do Assessor de Gestão Estratégica; II- Do Escritório de Planejamento Estratégico; III- Do Escritório de Projetos Estratégicos; IV- Do Escritório de Estatística. Art. 3º Compete ao Gabinete da Assessoria de Gestão Estratégica: I - Conduzir as ações participativas visando à obtenção de elementos para a elaboração e/ou atualização do Plano Estratégico; II - Orientar o processo de elaboração do Plano Estratégico e BSC; III - Receber e analisar os pareceres circunstanciados e as recomendações oriundas da Comissão Permanente de Avaliação Estratégica e determinar as devidas atualizações/modificações no Plano Estratégico; IV - Assessorar a alta administração na compreensão e cumprimento das resoluções e metas do Conselho Nacional de Justiça CNJ e Conselho Superior da Justiça do Trabalho CSJT; V - Manter atualizado o Sistema Nacional de Metas do Conselho Nacional de Justiça - CNJ; VI - Responder às consultas internas e externas nos assuntos afetos a Planejamento e Gestão; VII - Assessorar a alta administração em relação aos projetos estratégicos do TRT da 19ª Região, através do Escritório de Projetos Estratégicos; VIIII - Remeter à Comissão Permanente de Avaliação Estratégica, sempre que requerida, toda a documentação atualizada do Plano Estratégico, bem como quaisquer outras referentes aos Planos, Programas e Projetos sob chancela do Escritório de Projetos Estratégicos; IX - Responder às consultas da Presidência oferecendo-lhe dados e subsídios técnicos para a tomada de decisões estratégicas; X - Coordenar as ações do Escritório de Planejamento Estratégico, do Escritório de Projetos Estratégicos, do Escritório de Processos e do Escritório de Estatística.

3 Art. 4º. Compete ao Escritório de Planejamento Estratégico: I - Elaborar, a partir dos elementos obtidos por meio das ações participativas, das orientações do CNJ e do CSJT, e dos dados oriundos da unidade de Estatística, o Plano Estratégico e sua respectiva minuta para validação e normatização no âmbito da 19ª Região; II - Construir e manter atualizado BSC e o Mapa Estratégico; III - Manter a documentação do Plano Estratégico, devidamente atualizada; IV - Promover as ações de sensibilização e disseminação da estratégia; V - Planejar e coordenar as ações de endomarketing quando versar sobre os objetivos estratégicos, metas e projetos relacionados ao Plano Estratégico; VI - Acompanhar e avaliar os indicadores de gestão estratégica; VII - Acompanhar e assessorar as unidades na elaboração de seus respectivos planejamentos estratégicos. Art. 5º Compete ao Escritório de Projetos Estratégicos: I - Prestar consultoria interna na área de gestão de projetos, orientando acerca da documentação necessária à formalização do projeto; II - Padronizar procedimentos, documentos e ritos relativos à gestão de projetos; III - Promover a melhoria contínua da gestão de projetos através de treinamentos e eventos de disseminação no âmbito da 19ª Região; IV - Realizar intercâmbio e benchmarking com organizações privadas e públicas de sucesso na área de gestão de projeto; V - Cadastrar, chancelar e monitorar todos os projetos em fase de planejamento e/ou execução no TRT da 19ª Região; VI Gerenciar o portfólio de projetos estratégicos promovendo a avaliação da execução de cada projeto; VII Auxiliar os gerentes de projetos na correção de possíveis distorções; VIII - Promover a avaliação periódica dos projetos aferindo os resultados. Art. 6º Compete ao Escritório de Estatística: I - Coletar, junto às unidades administrativas e judiciárias do TRT da 19ª Região, as informações quantitativas relativas aos indicadores estratégicos, conformando-as de acordo com as requisições da Presidência, da Assessoria de Gestão

4 Estratégica, da Comissão Permanente de Avaliação Estratégica, do Escritório de Processos, do Escritório de Planejamento Estratégico e do Escritório de Projetos; II - Elaborar índices e relatórios estatísticos nos moldes solicitados pelo CNJ, pelo CSJT, pela Presidência do TRT da 19ª Região, pela Corregedoria Regional, pela Comissão Permanente de Avaliação Estratégica, pela Assessoria de Gestão Estratégica, pelo Escritório de Planejamento Estratégico, pelo Escritório de Processos e pelo Escritório de Projetos Estratégicos; III - Atualizar, periodicamente, o sistema de estatística do Poder Judiciário, instituído pelo Conselho Nacional de Justiça e/ou pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho, no que se refere a este Regional; IV - Atender ao público, interno e externo, quanto a solicitações de informações estatísticas; V - Elaborar e divulgar indicadores estatísticos; VI - Demonstrar, analiticamente, a evolução dos dados estatísticos; VII - Elaborar tabelas e gráficos demonstrativos para orientar as conclusões ou o processo de tomada de decisões; VIII - Manter os dados estatísticos permanentemente atualizados; IX - Calcular, anualmente, a taxa de desempenho relativo a processos julgados do ano anterior, e, em seguida, fazer projeção para o período dos quatro anos seguintes; X - Elaborar, mensalmente, relatório comparativo entre a meta prevista e a realizada dos julgados. Art. 7º Compete ao Escritório de Processos: I - Realizar levantamento de produtos e processos nas unidades do TRT 19; II- Inserir os processos, insumos e produtos no black box 19; III - Elaborar descritivos por unidades identificando sistemas, subsistemas e processos; IV - Atualizar descritivos e black box providenciando a devida publicação; V - Organizar e executar workshop nas unidades para descrição das rotinas/processos; VI - Proceder à revisão das rotinas e processos descritos considerando as inovações propostas;

5 VII - Providenciar (quando necessário) as devidas correções e remeter às unidades para validação; VIII - Providenciar a devida publicidade dos manuais setoriais obtidos através do mapeamento e descrição de processos. Art. 8º Para o desempenho das atribuições elencadas nos artigos 3º, 4º, 5º, 6º e 7º ficam criadas as funções de Assistente Administrativo da Gestão Estratégica (FC- 03), Assistente Administrativo do Escritório de Planejamento Estratégico (FC-03), de Assistente Administrativo do Escritório de Projetos Estratégicos (FC-03), de Assistente Administrativo do Escritório de Processos (FC-03) e de Assistente Administrativo do escritório de Estatística (FC-03). 1º As funções (FC-03) ora criadas, ficarão condicionadas à aprovação de Projeto de Lei de Criação de Funções, com a ressalva de que, em havendo reestruturação futura neste Tribunal, as funções remanescentes, definidas pela Secretaria de Gestão de Pessoas, poderão ser implantadas sem qualquer óbice. 2º A descrição analítica das funções de Assistente Administrativo da Gestão Estratégica (FC-03), Assistente Administrativo do Escritório de Planejamento Estratégico (FC-03), de Assistente Administrativo do Escritório de Projetos Estratégicos (FC-03), de Assistente Administrativo do Escritório de Processos (FC-03) e de Assistente Administrativo do Escritório de Estatística (FC-03) encontra-se no ANEXO I desta Resolução Administrativa, dela fazendo parte. Art. 9º Esta Resolução entra em vigor a partir da sua publicação. Tomaram parte na sessão os Exmºs Srs. Desembargadores João Leite de Arruda Alencar, Pedro Inácio da Silva, Vanda Maria Ferreira Lustosa e Severino Rodrigues dos Santos, Presidente do Tribunal. Publique-se no D.E.J.T e no B.I. Sala das Sessões, 4 de junho de SEVERINO RODRIGUES DOS SANTOS Desembargador Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Nona Região

6 RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N.14 /2014 ANEXO I Da descrição e análise das funções necessárias à execução dos processos relacionados: A NA ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA: 01) DO ASSESSOR DE GESTÃO ESTRATÉGICA: TÍTULO DA FUNÇÃO: Assessor de Gestão Estratégica CJ3 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Organiza o processo de diagnóstico organizacional e de avaliação estratégica para aconselhamento da alta administração e atualização do Plano Estratégico. Coordena as atividades do Escritório de Planejamento Estratégico, do Escritório de Estatística, do Escritório de Projetos Estratégicos e do Escritório de Processos. 1. Realizar pesquisas a respeito das metas imposta pelo CNJ e CSJT; 2. Formatar e padronizar documentos informativos de interesse da Presidência acerca dos objetivos estratégicos, dados estatísticos e projetos sob a chancela do Escritório de Projetos Estratégicos; 3. Coordenar os trabalhos realizados no Escritório de Projetos Estratégicos, no Escritório de Processos, no Escritório de Planejamento Estratégico e no Escritório de Estatística; 4. Convocar, ad referendum da presidência, reuniões extraordinárias da Comissão Permanente de Avaliação Estratégica; 5. Fornecer as informações necessárias para o procedimento de Avaliação Estratégica; 6. Responder às consultas da Presidência; 7. Supervisionar o plano de desenvolvimento dos servidores sob sua coordenação; 8. Realizar a avaliação de desempenho dos servidores sob a sua coordenação.

7 Formação superior em Direito, Administração, Tecnologia da Informação ou Economia, preferencialmente, com pós-graduação (latu senso) pelo menos em Gestão Pública ou Gestão Estratégica ou Gestão de Pessoas. 02) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DA GESTÃO ESTRATÉGICA: TÍTULO DA FUNÇÃO: Assistente Administrativo da Gestão Estratégica FC03 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Auxilia nos processos de diagnóstico organizacional e de avaliação estratégica para aconselhamento da alta administração e atualização do Plano Estratégico. Opera os sistemas de acompanhamento de Metas Nacionais, elabora expedientes diversos. Substitui o Assessor de Gestão Estratégica nos seus impedimentos legais. 1. Elaborar minutas de documentos e expedientes diversos para aprovação superior; 2. Recepcionar e direcionar os processos e expedientes recebidos para responsáveis pelo seu andamento; 3. Elaborar relatórios e estudos específicos para subsidiar a tomada de decisões superior; 4. Realizar os controles e rotinas administrativas (cronograma de atividades) da unidade para auxiliar no andamento das atividades; 5. Solicitar os serviços de manutenção sempre que necessários; 6. Solicitar material de expediente; 7. Informar a frequência dos servidores; 8. Manter os controles da unidade continuamente atualizados para controle e consultas futuras; 9. Distribuir às unidades envolvidas a versão atualizada do glossário emitida pelo CNJ; 10. Controlar os prazos de envio dos dados das Metas Nacionais aos Conselhos; 11. Recolher informações das Unidades envolvidas nas Metas Nacionais do CNJ; 12. Inserir dados no Sistema de Metas Nacionais do CNJ. Formação superior, ainda que incompleta, em Direito, Administração, Tecnologia da Informação ou Economia. B NO ESCRITÓRIO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO:

8 03) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DO ESCRITÓRIO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: TÍTULO DA FUNÇÃO: Assistente Administrativo da Seção de Planejamento Estratégico FC03. DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Elabora e atualiza o Plano Estratégico. Desenvolve o BSC e mantém atualizado o Mapa Estratégico. Acompanha e analisa os indicadores de desempenho constantes do plano estratégico. Atua como disseminador da estratégia. 1. Receber os dados do núcleo de estatística e atualizar os indicadores estratégicos do Plano estratégico em vigor; 2. Desenvolver as minutas de documentos informativos de interesse da presidência, quando solicitadas pelo Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica; 3. Acompanhar, junto ao Escritório de Projetos Estratégicos, o desempenho dos projetos alinhados à estratégia; 4. Realizar ou coordenar a realização de pesquisas relacionadas às áreas de interesse estratégico para efeitos de diagnóstico organizacional e benchmarking; 5. Ministrar palestras, treinamentos e oficinas de trabalho; 6. Planejar e executar ações de sensibilização e de endomarketing; 7. Prestar consultoria às unidades na elaboração de seus respectivos planos estratégicos. Formação Superior em Direito, Administração de Empresas, Tecnologia da Informação ou Economia, preferencialmente com especialização (latu sensu) em Gestão Pública, Gestão de Pessoas ou Gestão Estratégica. C NO ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS: 04) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DO ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS: TÍTULO DA FUNÇÃO: Chefe do Escritório de Projetos Estratégicos FC03 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Coordena a equipe de projetos facilitando os processos de elaboração de ferramentas e metodologias aplicadas a projetos, padronizando-os no

9 âmbito do TRT da 19ª Região. Faz a avaliação prévia dos projetos estratégicos que lhes são submetidos. 1. Gerenciar e atualizar o modelo de gestão de projetos aplicado no TRT da 19ª Região; 2. Prestar consultoria interna na área de gestão de projetos; 3. Promover a melhoria contínua da gestão de projetos através de programas permanentes de treinamento e capacitação. 4. Controlar os projetos estratégicos e avaliar os resultados; 5. Apresentar relatórios e pareceres acerca do desenvolvimento dos projetos institucionais; 6. Analisar previamente os projetos submetidos ao Escritório de Projetos Estratégicos do TRT da 19ª Região; 7. Fazer pesquisa acerca da implementação de projetos institucionais de sucesso em outros regionais catalogando-os em banco de dados. Formação superior em Economia, Administração de Empresas, Tecnologia da Informação ou Direito. D NO ESCRITÓRIO DE ESTATÍSTICA: 05) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DA SEÇÃO DE ESTATÍSTICA: TÍTULO DA FUNÇÃO: Assistente Administrativo da Seção de Estatística FC03 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Coleta dados e transforma-os em informações de interesse estratégico. 1. Coletar, junto às unidades administrativas e judiciárias do TRT da 19ª Região, as informações quantitativas relativas aos indicadores estratégicos, conformando-as de acordo com as requisições da Presidência, da Assessoria de Gestão Estratégica, da Comissão Permanente de Avaliação Estratégica, do Escritório de Processos, do Escritório de Planejamento Estratégico e do Escritório de Projetos; 2. Elaborar índices e relatórios estatísticos nos moldes solicitados pelo CNJ, pelo CSJT, pela Presidência do TRT da 19ª Região, pela Corregedoria Regional, pela

10 Comissão Permanente de Avaliação Estratégica, pela Assessoria de Gestão Estratégica, pelo Escritório de Planejamento Estratégico, pelo Escritório de Processos e pelo Escritório de Projetos Estratégicos; 3. Manter o Sistema Estatístico do Poder Judiciário atualizado, no que se referir ao TRT19; 4. Atender às solicitações do público interno e externo quanto às informações estatísticas, no que couber; 5. Elaborar estudos da evolução dos dados estatísticos e apresentar projeções; 6. Elaborar estudos comparativos de desempenho com base nos indicadores e nas metas de desempenho. Formação superior em Economia ou Administração de Empresas ou Tecnologia da Informação ou Bacharelado em Matemática ou Estatística, em qualquer caso, preferencialmente, com pós-graduação (latu senso) em Estatística ou formação similar. PROCESSOS: E NO ESCRITÓRIO DE PROCESSOS : 06) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DO ESCRITÓRIO DE TÍTULO DA FUNÇÃO: Assistente Administrativo Do Escritório de Processos FC03 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Mapeia e documenta as interconexões entre processos de trabalho no âmbito da 19ª Região. Auxilia na produção de documentação de fluxo e manuais. 1- Realizar levantamento de produtos e processos nas unidades do TRT 19; 2- Inserir os processos, insumos e produtos no black box 19; 3- Elaborar descritivos por unidades identificando sistemas, subsistemas e processos; 4- Atualizar descritivos e black box providenciando a devida publicação; 5- Organizar e executar workshop nas unidades para descrição das rotinas/processos; 6- Proceder à revisão das rotinas e processos descritos considerando as inovações propostas; 7- Providenciar (quando necessário) as devidas correções; 8- Remeter à unidade para validação; 9- Providenciar a devida publicidade.

11 Formação superior em Economia, Engenharia ou Administração de Empresas ou Tecnologia da Informação, em qualquer caso, preferencialmente, com pós-graduação (latu sensu) em Gestão pela Qualidade Total ou similar.

12 RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N.14 /2014 ANEXO I Da descrição e análise das funções necessárias à execução dos processos relacionados: A NA ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA: 01) DO ASSESSOR DE GESTÃO ESTRATÉGICA: TÍTULO DA FUNÇÃO: Assessor de Gestão Estratégica CJ3 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Organiza o processo de diagnóstico organizacional e de avaliação estratégica para aconselhamento da alta administração e atualização do Plano Estratégico. Coordena as atividades do Escritório de Planejamento Estratégico, do Escritório de Estatística, do Escritório de Projetos Estratégicos e do Escritório de Processos. 1. Realizar pesquisas a respeito das metas imposta pelo CNJ e CSJT; 2. Formatar e padronizar documentos informativos de interesse da Presidência acerca dos objetivos estratégicos, dados estatísticos e projetos sob a chancela do Escritório de Projetos Estratégicos; 3. Coordenar os trabalhos realizados no Escritório de Projetos Estratégicos, no Escritório de Processos, no Escritório de Planejamento Estratégico e no Escritório de Estatística; 4. Convocar, ad referendum da presidência, reuniões extraordinárias da Comissão Permanente de Avaliação Estratégica; 5. Fornecer as informações necessárias para o procedimento de Avaliação Estratégica; 6. Responder às consultas da Presidência; 7. Supervisionar o plano de desenvolvimento dos servidores sob sua coordenação; 8. Realizar a avaliação de desempenho dos servidores sob a sua coordenação. Formação superior em Direito, Administração, Tecnologia da Informação ou Economia, preferencialmente, com pós-graduação (latu senso) pelo menos em Gestão Pública ou Gestão Estratégica ou Gestão de Pessoas.

13 02) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DA GESTÃO ESTRATÉGICA: TÍTULO DA FUNÇÃO: Assistente Administrativo da Gestão Estratégica FC03 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Auxilia nos processos de diagnóstico organizacional e de avaliação estratégica para aconselhamento da alta administração e atualização do Plano Estratégico. Opera os sistemas de acompanhamento de Metas Nacionais, elabora expedientes diversos. Substitui o Assessor de Gestão Estratégica nos seus impedimentos legais. 1. Elaborar minutas de documentos e expedientes diversos para aprovação superior; 2. Recepcionar e direcionar os processos e expedientes recebidos para responsáveis pelo seu andamento; 3. Elaborar relatórios e estudos específicos para subsidiar a tomada de decisões superior; 4. Realizar os controles e rotinas administrativas (cronograma de atividades) da unidade para auxiliar no andamento das atividades; 5. Solicitar os serviços de manutenção sempre que necessários; 6. Solicitar material de expediente; 7. Informar a frequência dos servidores; 8. Manter os controles da unidade continuamente atualizados para controle e consultas futuras; 9. Distribuir às unidades envolvidas a versão atualizada do glossário emitida pelo CNJ; 10. Controlar os prazos de envio dos dados das Metas Nacionais aos Conselhos; 11. Recolher informações das Unidades envolvidas nas Metas Nacionais do CNJ; 12. Inserir dados no Sistema de Metas Nacionais do CNJ. Formação superior, ainda que incompleta, em Direito, Administração, Tecnologia da Informação ou Economia. B NO ESCRITÓRIO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: 03) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DO ESCRITÓRIO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: TÍTULO DA FUNÇÃO: Assistente Administrativo da Seção de Planejamento Estratégico FC03.

14 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Elabora e atualiza o Plano Estratégico. Desenvolve o BSC e mantém atualizado o Mapa Estratégico. Acompanha e analisa os indicadores de desempenho constantes do plano estratégico. Atua como disseminador da estratégia. 1. Receber os dados do núcleo de estatística e atualizar os indicadores estratégicos do Plano estratégico em vigor; 2. Desenvolver as minutas de documentos informativos de interesse da presidência, quando solicitadas pelo Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica; 3. Acompanhar, junto ao Escritório de Projetos Estratégicos, o desempenho dos projetos alinhados à estratégia; 4. Realizar ou coordenar a realização de pesquisas relacionadas às áreas de interesse estratégico para efeitos de diagnóstico organizacional e benchmarking; 5. Ministrar palestras, treinamentos e oficinas de trabalho; 6. Planejar e executar ações de sensibilização e de endomarketing; 7. Prestar consultoria às unidades na elaboração de seus respectivos planos estratégicos. Formação Superior em Direito, Administração de Empresas, Tecnologia da Informação ou Economia, preferencialmente com especialização (latu sensu) em Gestão Pública, Gestão de Pessoas ou Gestão Estratégica. C NO ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS: 04) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DO ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS: TÍTULO DA FUNÇÃO: Chefe do Escritório de Projetos Estratégicos FC03 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Coordena a equipe de projetos facilitando os processos de elaboração de ferramentas e metodologias aplicadas a projetos, padronizando-os no âmbito do TRT da 19ª Região. Faz a avaliação prévia dos projetos estratégicos que lhes são submetidos. 1. Gerenciar e atualizar o modelo de gestão de projetos aplicado no TRT da 19ª

15 Região; 2. Prestar consultoria interna na área de gestão de projetos; 3. Promover a melhoria contínua da gestão de projetos através de programas permanentes de treinamento e capacitação. 4. Controlar os projetos estratégicos e avaliar os resultados; 5. Apresentar relatórios e pareceres acerca do desenvolvimento dos projetos institucionais; 6. Analisar previamente os projetos submetidos ao Escritório de Projetos Estratégicos do TRT da 19ª Região; 7. Fazer pesquisa acerca da implementação de projetos institucionais de sucesso em outros regionais catalogando-os em banco de dados. Formação superior em Economia, Administração de Empresas, Tecnologia da Informação ou Direito. D NO ESCRITÓRIO DE ESTATÍSTICA: 05) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DA SEÇÃO DE ESTATÍSTICA: TÍTULO DA FUNÇÃO: Assistente Administrativo da Seção de Estatística FC03 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Coleta dados e transforma-os em informações de interesse estratégico. 1. Coletar, junto às unidades administrativas e judiciárias do TRT da 19ª Região, as informações quantitativas relativas aos indicadores estratégicos, conformando-as de acordo com as requisições da Presidência, da Assessoria de Gestão Estratégica, da Comissão Permanente de Avaliação Estratégica, do Escritório de Processos, do Escritório de Planejamento Estratégico e do Escritório de Projetos; 2. Elaborar índices e relatórios estatísticos nos moldes solicitados pelo CNJ, pelo CSJT, pela Presidência do TRT da 19ª Região, pela Corregedoria Regional, pela Comissão Permanente de Avaliação Estratégica, pela Assessoria de Gestão Estratégica, pelo Escritório de Planejamento Estratégico, pelo Escritório de Processos e pelo Escritório de Projetos Estratégicos; 3. Manter o Sistema Estatístico do Poder Judiciário atualizado, no que se referir ao

16 TRT19; 4. Atender às solicitações do público interno e externo quanto às informações estatísticas, no que couber; 5. Elaborar estudos da evolução dos dados estatísticos e apresentar projeções; 6. Elaborar estudos comparativos de desempenho com base nos indicadores e nas metas de desempenho. Formação superior em Economia ou Administração de Empresas ou Tecnologia da Informação ou Bacharelado em Matemática ou Estatística, em qualquer caso, preferencialmente, com pós-graduação (latu senso) em Estatística ou formação similar. PROCESSOS: E NO ESCRITÓRIO DE PROCESSOS : 06) DO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO DO ESCRITÓRIO DE TÍTULO DA FUNÇÃO: Assistente Administrativo Do Escritório de Processos FC03 DESCRIÇÃO SUMÁRIA: Mapeia e documenta as interconexões entre processos de trabalho no âmbito da 19ª Região. Auxilia na produção de documentação de fluxo e manuais. 1- Realizar levantamento de produtos e processos nas unidades do TRT 19; 2- Inserir os processos, insumos e produtos no black box 19; 3- Elaborar descritivos por unidades identificando sistemas, subsistemas e processos; 4- Atualizar descritivos e black box providenciando a devida publicação; 5- Organizar e executar workshop nas unidades para descrição das rotinas/processos; 6- Proceder à revisão das rotinas e processos descritos considerando as inovações propostas; 7- Providenciar (quando necessário) as devidas correções; 8- Remeter à unidade para validação; 9- Providenciar a devida publicidade. Formação superior em Economia, Engenharia ou Administração de Empresas ou Tecnologia da Informação, em qualquer caso, preferencialmente, com pós-graduação (latu sensu) em Gestão pela Qualidade Total ou similar.

17

PODER JUDICIÁRIO SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR RESOLUÇÃO Nº 171 DE 17 DE MARÇO DE 2010.

PODER JUDICIÁRIO SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR RESOLUÇÃO Nº 171 DE 17 DE MARÇO DE 2010. PODER JUDICIÁRIO SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR RESOLUÇÃO Nº 171 DE 17 DE MARÇO DE 2010. Vide anexo Dispõe sobre a criação e organização da Assessoria de Gestão Estratégica (AGEST) e dá outras providências.

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 67 Planejamento Estratégico Elaborado por: Carla Winalmoller

Leia mais

PORTARIA Nº 7, DE 21 DE JANEIRO DE O CORREGEDOR NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, resolve:

PORTARIA Nº 7, DE 21 DE JANEIRO DE O CORREGEDOR NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, resolve: PORTARIA Nº 7, DE 21 DE JANEIRO DE 2016 O CORREGEDOR NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, resolve: Retificar a Portaria CNMP-CN nº 6, de 12 de janeiro de

Leia mais

PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos.

PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de 2011 Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições que lhes

Leia mais

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº - REGIMENTO INTERNO Secretaria de Comunicação Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº 12.659/06 e Nº 15.052 I - Secretaria Executiva: - assessorar o Secretário Municipal no exercício de suas atribuições;

Leia mais

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade:

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade: Resolução n 225, de 21 de junho 2016. Aprova emendas ao Regimento Geral da Universidade, cria setores e dá outras providências. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Planalto Catarinense

Leia mais

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art. 1º - A Secretaria de Relações Institucionais SERIN, criada pela Lei nº 10.549, de 28 de dezembro de 2006, tem

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Financeira

Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Financeira Diretoria Administrativo-Financeira Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Administrativa Gestão de pessoas Financeira Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas

Leia mais

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Esportes e Lazer. Leis nº 6.529/05 e nº 6.551/06, Decretos nº /06, nº /06 e nº 16.

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Esportes e Lazer. Leis nº 6.529/05 e nº 6.551/06, Decretos nº /06, nº /06 e nº 16. - REGIMENTO INTERNO Secretaria de Esportes e Lazer Leis nº 6.529/05 e nº 6.551/06, Decretos nº 12.660/06, nº 12.979/06 e nº 16.385/15 I - Secretaria Executiva: - auxiliar e assessorar o Secretário Municipal

Leia mais

PORTARIA N.º 1.900, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013.

PORTARIA N.º 1.900, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013. REVOGADA PELA PORTARIA N.º 465, DE 03 DE MARÇO DE 2016 PUBLICADA NO DJE DE 03.03.2016 EDIÇÃO 5694 PÁG. 76. http://diario.tjrr.jus.br/dpj/dpj-20160303.pdf PORTARIA N.º 1.900, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013.

Leia mais

Função em Confiança ANALISTA TÉCNICO

Função em Confiança ANALISTA TÉCNICO Função em Confiança ANALISTA TÉCNICO Nível Anterior 15 Nível Atual 19 Requisitos: Diploma de Graduação reconhecido pelo MEC e inscrição no Conselho da Profissão, Descrição da Função: Prestar orientações

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS - IFNMG CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

REGIMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS - IFNMG CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA REGIMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO - IFNMG CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Art. 1º O Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) é o órgão responsável por gerir a política de propriedade

Leia mais

DECRET0 Nº 2.207, DE 22 DE ABRIL DE 2008

DECRET0 Nº 2.207, DE 22 DE ABRIL DE 2008 DECRET0 Nº 2.207, DE 22 DE ABRIL DE 2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 24.04.2008 O Prefeito Municipal de São

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 52.567, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. (publicado no DOE n.º 183, de 24 de setembro de 2015) Dispõe sobre o

Leia mais

PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003

PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003 PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003 Institui o Programa Nacional para Prevenção e Controle das Hepatites Virais, o Comitê Técnico de Acompanhamento e Assessoramento do Programa e dá outras providências.

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Colegiado do Curso de Agronomia. Resolução No.04 de 30 de julho de 2014

Universidade Federal do Rio Grande do Norte ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Colegiado do Curso de Agronomia. Resolução No.04 de 30 de julho de 2014 Universidade Federal do Rio Grande do Norte ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Colegiado do Curso de Agronomia Resolução No.04 de 30 de julho de 2014 Dispõe sobre os critérios e funcionamento das atividades integradoras

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE CLASSE

REGULAMENTO DO CONSELHO DE CLASSE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS E AGRÁRIAS COLÉGIO AGRÍCOLA VIDAL DE NEGREIROS REGULAMENTO DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 O MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da

Leia mais

Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural

Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural Decreto executivo n.º 1/06 de 9 de Janeiro Havendo necessidade de regulamentar o funcionamento, estruturação e organização do Secretariado Executivo do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011.

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais, PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 38/2016 Define a Política de Gerenciamento da Central de Serviços de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DAS ATIVIDADES ESTÁGIOSUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO Colegiado: -Validar o

Leia mais

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 416, DE 22 DE JANEIRO DE 2014

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 416, DE 22 DE JANEIRO DE 2014 SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 416, DE 22 DE JANEIRO DE 2014 Institui o Grupo Especial de Fiscalização do Trabalho em Transportes - GETRAC. O SECRETÁRIO DE INSPEÇÃO DO TRABALHO, no uso

Leia mais

Relatório de Acompanhamento do Projeto - RAP

Relatório de Acompanhamento do Projeto - RAP Código do Projeto: 1/2011 IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO NOME DO PROJETO: IMPLANTAÇÃO DA MODELO DE GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS DEMANDANTE: SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS DATA DA DEMANDA: 24/02/2012 MOTIVADOR:

Leia mais

ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN

ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN 1.0 Objetivo Promover o planejamento físico-financeiro, acompanhamento e controle das ações de implantação, ampliação e melhoria

Leia mais

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 Revogada pela RMPC 2/11 O Procurador-Geral do Ministério Público de Contas, com fundamento direto nos artigos 32 e 119 da Lei Complementar nº 102, de 17 de

Leia mais

L E I. Art. 2º. Fica criado o cargo de ASSESSOR DA JUNTA MILITAR da Secretaria. Municipal de Governo.

L E I. Art. 2º. Fica criado o cargo de ASSESSOR DA JUNTA MILITAR da Secretaria. Municipal de Governo. L E I Nº 1436 de 21 de janeiro de 2011 Altera a Lei nº 1255/2009, Extingue e Cria Cargos e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Capão do Leão, Estado do Rio Grande do Sul. Faz saber que a Câmara

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009 UNIVERSIDADE DANTA CECÍLIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL É preciso avaliar para mudar RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO ANO LETIVO DE 2009 PERÍODO FEVEREIRO

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

2ª RAE DO PLANO DE GESTÃO DA CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE

2ª RAE DO PLANO DE GESTÃO DA CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA 2ª RAE DO PLANO DE GESTÃO DA CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE JUNHO DE 2013 PERSPECTIVA Processos Internos TEMA

Leia mais

CARGO E REQUISITO DESCRIÇÃO DOS CARGOS DE CARREIRA

CARGO E REQUISITO DESCRIÇÃO DOS CARGOS DE CARREIRA CARGO E REQUISITO Advogado Completo em Direito com inscrição na OAB DESCRIÇÃO DOS CARGOS DE CARREIRA Representar e defender judicialmente e extra judicialmente a Fundação. Analisar e elaborar pareceres

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 18 DE 16 DE JUNHO DE 2010.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 18 DE 16 DE JUNHO DE 2010. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 18 DE 16 DE JUNHO DE 2010. Altera a Resolução CD/FNDE nº 36, de 13 de julho de 2009, que

Leia mais

REGIMENTO DA REVISTA HISTÓRIA & PERSPECTIVAS I - DA IDENTIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DA REVISTA

REGIMENTO DA REVISTA HISTÓRIA & PERSPECTIVAS I - DA IDENTIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DA REVISTA REGIMENTO DA REVISTA HISTÓRIA & PERSPECTIVAS I - DA IDENTIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DA REVISTA Art 1º. A Revista História & Perspectivas foi criada em 1988, pelo Curso de Graduação em História e atualmente

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO TÉCNICO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO STBD, DA UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE RIO CLARO.

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO TÉCNICO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO STBD, DA UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE RIO CLARO. REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO TÉCNICO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO STBD, DA UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE RIO CLARO. TÍTULO I Das Finalidades Artigo 1º - O Serviço Técnico de Biblioteca

Leia mais

Art. 1º. Aprovar o Regulamento relativo à Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel.

Art. 1º. Aprovar o Regulamento relativo à Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel. Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel Av. Tito Muffato, 2317 Bairro Santa Cruz 85806-080 Cascavel PR Fone: (45) 3036-3636 30363806 http://www.univel.br cpe@univel.br RESOLUÇÃO Nº 01 DE JULHO

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF REGULAMENTO N. 007 /2015 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUEMA DA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF GARÇA/SP Vanessa Zappa, Diretora da FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO COORDENAÇÃO DE TGI TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO SÃO PAULO JUNHO DE 2007 CAPÍTULO 1 DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º - O Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), atividade obrigatória

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUP Nº 51, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2015.

RESOLUÇÃO CONSUP Nº 51, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO CONSUP Nº 51, DE 23 DE DEZEMBRO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 118, DE 22 DE OUTUBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 118, DE 22 DE OUTUBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 118, DE 22 DE OUTUBRO DE 2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 68ª Reunião Ordinária, realizada no dia 22 de outubro de 2015, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NEAD.

ASSUNTO: REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NEAD. Processo CONSUN Nº 009-2011 ASSUNTO: REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NEAD. PROTOCOLADO EM: 24/03/2011 INTERESSADO: Universidade do Contestado PROCEDÊNCIA: Reitoria COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO

Leia mais

NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA

NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA WELTOM CARVALHO NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA 104 QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS GABARITADAS Seleção das Questões: Prof. Weltom Alves de Carvalho Organização e Diagramação: Mariane dos Reis 1ª Edição MAI 2013

Leia mais

O COMANDANTE-GERAL DA POLÍCIA MILITAR DA BAHIA, no uso de suas atribuições, e;

O COMANDANTE-GERAL DA POLÍCIA MILITAR DA BAHIA, no uso de suas atribuições, e; PORTARIA N.º 002-CG/12 Dispõe sobre a reorganização do Grupo de Trabalho da Polícia Militar da Bahia para assuntos da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 e eventos afins GT PMBA COPA - e seu Regimento Interno,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP ANEXO II REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP CAPÍTULO I DA FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º

Leia mais

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA N.6/2014 NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE)

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA N.6/2014 NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) Faculdade Adventista da Bahia Assessoria Pedagógica BR-101, km 197, Capoeiruçu Caixa Postal 18 Cachoeira BA CEP: 44.300-000 Brasil e-mail: selcr25@gmail.com ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA N.6/2014 NÚCLEO DOCENTE

Leia mais

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Marcelo De Nardi Porto Alegre, 04 de julho de 2011. CONTEXTUALIZAÇÃO Poder Judiciário no Contexto da Gestão Pública Nacional Processos

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DO TOCANTINS CORE-TO ORGANOGRAMA

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DO TOCANTINS CORE-TO ORGANOGRAMA ORGANOGRAMA Nota Explicativa do Organograma Plenária do Conselho Reunião dos conselheiros em exercício, para discursão das matérias constantes na ordem do dia e para assuntos gerais, reúne-se ordinariamente,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009.

RESOLUÇÃO Nº CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI CONSU RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regimento interno da Diretoria de Relações Internacionais

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 05/2012

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 05/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008 Estabelece a Tabela de Valores da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso - GECC e o correspondente

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - Os Cursos da FELM mantém estágios curriculares supervisionados que se constituem

Leia mais

MARIA ANTONIETA DE BRITO, Prefeita Municipal de Guarujá, no uso das atribuições que a lei lhe confere;

MARIA ANTONIETA DE BRITO, Prefeita Municipal de Guarujá, no uso das atribuições que a lei lhe confere; DECRETO Nº 9209, DE 31/01/2011. (Revogado pelo Decreto nº 10.278/2013) DISPÕE SOBRE A ESTRUTURA REGIMENTAL E O QUADRO DEMONSTRATIVO DOS CARGOS EM COMISSÃO E DAS FUNÇÕES GRATIFICADAS DA SECRETARIA MUNICIPAL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCV Nº. 003/2015. UNIDADE RESPONSÁVEL: Gerência de Projetos, Planejamento e Orçamento CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCV Nº. 003/2015. UNIDADE RESPONSÁVEL: Gerência de Projetos, Planejamento e Orçamento CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II INSTRUÇÃO NORMATIVA SCV Nº. 003/2015 DISPÕE SOBRE CONTROLE E ACOMPANHAMENTO DOS CONSÓRCIOS. VERSÃO: 01 DATA: 03 de março de 2015. ATO APROVAÇÃO: Decreto 2.370/2015 UNIDADE RESPONSÁVEL: Gerência de Projetos,

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE DIRETOR DE SERVIÇOS DE CADASTRAMENTO PROCESSUAL E DISTRIBUIÇÃO

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE DIRETOR DE SERVIÇOS DE CADASTRAMENTO PROCESSUAL E DISTRIBUIÇÃO MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE DIRETOR DE SERVIÇOS DE CADASTRAMENTO PROCESSUAL E DISTRIBUIÇÃO DIRETOR DE SERVIÇOS DE CADASTRAMENTO PROCESSUAL E DISTRIBUIÇÃO (CJ-2) Área: Judiciária Unidade: Diretoria de Serviços

Leia mais

O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO, no uso de suas atribuições regimentais, ATO Nº 133/2009 - CSJT.GP.SE Define o Modelo de Gestão do Portfólio de Tecnologia da Informação e das Comunicações da Justiça do Trabalho e revoga a Resolução Nº 48 do Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

Leia mais

DECRETO - Nº , DE 07 DE MAIO DE 2014.

DECRETO - Nº , DE 07 DE MAIO DE 2014. DECRETO - Nº. 2.901, DE 07 DE MAIO DE 2014. Institui a Comissão Municipal de Emprego, no âmbito do Sistema Público de Emprego, e dá providências correlatas. PE. OSWALDO ALFREDO PINTO, Prefeito Municipal

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 24 de abril de 2014.

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 24 de abril de 2014. RESOLUÇÃO CAS Nº 04/2014 DISPÕE A CRIAÇÃO E REGULAMENTAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS VINCULADO AO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Ouvidoria - Geral da União. Objetivo 6. Produzir informações estratégicas para subsidiar as tomadas de decisões do Presidente da República.

Ouvidoria - Geral da União. Objetivo 6. Produzir informações estratégicas para subsidiar as tomadas de decisões do Presidente da República. Ouvidoria - Geral da União Objetivo 6. Produzir informações estratégicas para subsidiar as tomadas de decisões do Presidente da República. Produzir dados quantitativos e qualitativos acerca da satisfação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 139/2009/CONEPE Aprova alteração nas Normas Específicas do Estágio

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Trabalho de Conclusão de Curso está estruturado sob a forma de elaboração de artigo científico, sendo este resultado de um trabalho integrado entre as disciplinas de

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 117/CSJT.GP.SG, DE 15 DE MAIO DE 2012

CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 117/CSJT.GP.SG, DE 15 DE MAIO DE 2012 CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 117/CSJT.GP.SG, DE 15 DE MAIO DE 2012 Aprova o cronograma das atividades relacionadas à implantação do Processo Judicial Eletrônico da Justiça

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 002, de 28 de fevereiro de 2000

RESOLUÇÃO n o 002, de 28 de fevereiro de 2000 RESOLUÇÃO n o 002, de 28 de fevereiro de 2000 Aprova Regimento da Assessoria Jurídica da FUNREI ASJUR O Presidente do Conselho Deliberativo Superior da Fundação de Ensino Superior de São João del-rei FUNREI,

Leia mais

D E C R E T A: Fica aprovado o Regimento Interno do Centro de Atendimento à Mulher do Município de Dourados, constante no anexo único, deste decreto.

D E C R E T A: Fica aprovado o Regimento Interno do Centro de Atendimento à Mulher do Município de Dourados, constante no anexo único, deste decreto. DECRETO N 1188, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2012. Homologa o regimento interno do Regimento Interno do Centro de Atendimento à Mulher. O PREFEITO MUNICIPAL DE DOURADOS, Estado de Mato Grosso do Sul, no uso das

Leia mais

COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO

COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO Regimento Interno Art. 1 º A Comissão de Direito Securitário é composta de: I Membros Efetivos, dentre eles o Presidente, o Vice-Presidente, Secretário e Membros Consultores;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS AVANÇADO EM JANDAIA DO SUL Colegiado do Curso de Engenharia Agrícola R E S O L U Ç Ã O N.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS AVANÇADO EM JANDAIA DO SUL Colegiado do Curso de Engenharia Agrícola R E S O L U Ç Ã O N. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS AVANÇADO EM JANDAIA DO SUL Colegiado do Curso de Engenharia Agrícola R E S O L U Ç Ã O N.º 01/2015 Regimentar o Núcleo Docente Estruturante NDE do Curso de Engenharia

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010.

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. EMENTA: Regulamenta a concessão e o pagamento de auxílio funeral no

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

Guarda Municipal de Fortaleza Legislação da Guarda LC Nº 0137/2013 Marcílio Távora

Guarda Municipal de Fortaleza Legislação da Guarda LC Nº 0137/2013 Marcílio Távora Guarda Municipal de Fortaleza Legislação da Guarda LC Nº 0137/2013 Marcílio Távora 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. LEI COMPLEMENTAR Nº 0137, DE 08 DE JANEIRO

Leia mais

DECRETO Nº , DE 18 DE JULHO DE 2001.

DECRETO Nº , DE 18 DE JULHO DE 2001. DECRETO Nº. 3.872, DE 18 DE JULHO DE 2001. Dispõe sobre o Comitê Gestor da Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira - CG ICP-Brasil, sua Secretaria-Executiva, sua Comissão Técnica Executiva e dá outras

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de História. Parágrafo único As Atividades Complementares

Leia mais

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç" de ckr~uj. de 2011.

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç de ckr~uj. de 2011. INDICAÇÃO No02 5/_1_2_~ 11~ "Dispõe sobre a criação do Cargo de Coordenador de Creches no Município de Fortaleza e dá outras providências." o Vereador abaixo signatário, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Gestão por Competências na Polícia Federal. Brasília, 17 de Junho de 2010.

Gestão por Competências na Polícia Federal. Brasília, 17 de Junho de 2010. Gestão por Competências na Polícia Federal Brasília, 17 de Junho de 2010. Planejamento Estratégico Competências Organizacionais Fatores Críticos de Sucesso Corporativo Políticas Corporativas Competências

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE MICROSCOPIA E MICROANÁLISE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA

REGIMENTO DO NÚCLEO DE MICROSCOPIA E MICROANÁLISE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA REGIMENTO DO NÚCLEO DE MICROSCOPIA E MICROANÁLISE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO E FINALIDADE Art.1º O Núcleo de Microscopia e Microanálise (NMM) caracteriza-se pela reunião

Leia mais

EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS

EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE 2016. REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS A Comissão Eleitoral Permanente, nomeada pela portaria 14/2016

Leia mais

APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017

APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017 APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017 Pelo presente faz-se saber que estarão abertas, no período de 10 a 30 de junho de 2016, as inscrições para seleção de bolsistas do Programa Institucional

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015 ANO XLV N. 098 14/07/2015 SEÇÃO IV PÁG. 076 RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015 Niterói, 24 de junho de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 24/06/2015,

Leia mais

LEI Nº 317 DE 31 DE DEZEMBRO DE O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA, faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 317 DE 31 DE DEZEMBRO DE O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA, faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 317 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2001 Dispõe sobre a criação da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA, faço saber que a Assembléia Legislativa

Leia mais

CRONOGRAMA CARGOS, VAGAS E FUNÇÕES. BELO HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA

CRONOGRAMA CARGOS, VAGAS E FUNÇÕES. BELO HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA Atividade CRONOGRAMA Período Divulgação no Site 15/01/2017 Prazo para cadastro de currículos 15/01/2017 a 22/01/2017 Publicação da relação de candidatos habilitados para realização da prova Até 26/01/2017

Leia mais

REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ

REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ Versão aprovada em CD de 08 de Junho de 2015 Documento Regulamento de Laboratórios do ISPAJ Data 08/06/2015 Conselho de Direcção 08/06/2015 Data entrega Assembleia

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS Art. 1º O Centro de Processamento de Dados, Órgão Suplementar

Leia mais

- TCP auditoria e/ou VIC. 2. Realizar estágio no TCU/Brasil. - TCU/Brasil estágio em área a definir

- TCP auditoria e/ou VIC. 2. Realizar estágio no TCU/Brasil. - TCU/Brasil estágio em área a definir Plano Estratégico da OISC/CPLP 2011-2016 Plano Anual de Trabalho 2015 Objetivo Estratégico 1: Desenvolver competências essenciais ao bom funcionamento das Instituições Estratégias a,b e c: capacitação,

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH

Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO Art. 1º O Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH (NAPMED-BH) foi criado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE NUTRIÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE NUTRIÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC Goiânia 2015 Das Finalidades: REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC Art. 1º - A elaboração do TCC, conforme estabelecido pelas Diretrizes

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Art.1 o Trabalho de Conclusão de Curso é elemento obrigatório à formação dos alunos regularmente matriculados no Curso de Fisioterapia,

Leia mais

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS - SERIN CAPÍTULO I -FINALIDADE E COMPETÊNCIAS

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS - SERIN CAPÍTULO I -FINALIDADE E COMPETÊNCIAS DECRETO Nº 16.294 DE 26 DE AGOSTO DE 2015 Aprova o Regimento da Secretaria de Relações Institucionais - SERIN. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso da atribuição que lhe confere o inciso XIX do art.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ECONOMIA EM SAÚDE MENTAL DO DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ECONOMIA EM SAÚDE MENTAL DO DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ECONOMIA EM SAÚDE MENTAL DO DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO A Diretoria do Centro de Economia em Saúde Mental, no uso de suas atribuições

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º Este regulamento rege as atividades de estágio no Núcleo de Prática Jurídica do curso de Direito da Faculdade Cesmac do

Leia mais

Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08)

Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08) Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08) Dispõe sobre a organização e as atribuições da Assessoria Policial Militar no Ministério Público do Estado de São Paulo O PROCURADOR-GERAL

Leia mais

FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR

FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR JAÚ/ SP - 2014 REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Médio

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Médio PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Médio Código: 262 ETEC ANHANGUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Planejamento Empresarial e Empreendedorismo Série: 1º Eixo Tecnológico:

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE - NDE CURSO DE BACHARELADO EM SERVIÇO SOCIAL UNIESP - FAPREV

REGIMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE - NDE CURSO DE BACHARELADO EM SERVIÇO SOCIAL UNIESP - FAPREV FACULDADE DE PRESIDENTE VENCESLAU Mantenedora: IESP - Instituto Educacional do Estado de São Paulo Credenciamento: Portaria nº. 4.523 de 23/12/2005. Unificação: Portaria nº. 840 de 14/11/2008. REGIMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 01 / 2014 - DE 10

Leia mais

REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA Simone da Silva Gomes Cardoso, Diretora da FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS

Leia mais

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO CARGO Assistente Operacional Assistente Administrativo PRÉ- REQUISITO completo completo TOTAL DE VAGAS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA 01 R$ 1.813,45 40 horas 02 R$

Leia mais

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A É ofertado no 7º semestre, compreende uma carga horária de 120 horas, totalizando 8 créditos, conforme as normas específicas para a realização do referido

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA GP/DG N. 5, DE 28 DE MAIO DE 2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA GP/DG N. 5, DE 28 DE MAIO DE 2013 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Gabinete da Presidência Diretoria-Geral INSTRUÇÃO NORMATIVA GP/DG N. 5, DE 28 DE MAIO DE 2013 Dispõe sobre a gratificação devida a instrutores pelo exercício

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E ENGENHARIAS FACULDADE DE GEOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E ENGENHARIAS FACULDADE DE GEOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E ENGENHARIAS FACULDADE DE GEOLOGIA REGULAMENTO N 02/2016 de 01 de março de 2016 Estabelece os procedimentos necessários à sistematização

Leia mais