SIPTEST System Intelligent Process Testing. Meta Modelo da Base de Conhecimento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIPTEST System Intelligent Process Testing. Meta Modelo da Base de Conhecimento"

Transcrição

1 SIPTEST System Intelligent Process Testing. Meta Modelo da Base de Conhecimento SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 8

2 Índice 1 Introdução Meta modelo SQA - Testes Functional Test Case Performance Test Case UAT User Acceptance Test Test Suite SOA Serviços Artifact: WSDL Service Interface Service Business Process Referências Link Consulting,SA Pág. 1 de 8

3 1 Introdução Um Meta Modelo permite consolidar os principais conceitos que dentro de uma organização deverão ser alvo de análise, bem como as relações entre esses conceitos. É fundamental que se defina uma abordagem que possibilite consolidar quais os principais conceitos de uma arquitetura, estabelecendo assim uma linguagem arquitetural única, suportada por critérios bem definidos que permitam eliminar interpretações ambíguas dos termos utilizados. Para que tal aconteça a descrição de cada conceito foi complementada com os seguintes aspetos: Propriedades: Características inerentes a cada conceito Relações: Clarificação dos conceitos que estão diretamente relacionados com determinado tipo de conceito. Link Consulting,SA Pág. 2 de 8

4 Contains Tests of Contains Tests Test Composed by 2 Meta modelo Esta secção descreve o Meta Modelo em que assenta a solução. O Meta Modelo aqui apresentado explicita os conceitos que foram definidos na arquitetura bem como as suas relações conceptuais. Este modelo pretende ser fundamentalmente um instrumento na clarificação de conceitos, abstraindo-se das questões de implementação associadas aos modelos de dados. A figura abaixo mostra uma visão global do Meta Modelo ilustrando os seus conceitos e relações. Business Process Composes Subscribes / Subscribed by Service Contains Interface Service Interface Defined by Artifact: WSDL Interface Of Defines Tested by Functional Test Case Performance Test Case UAT User Acceptance Test Contained in Test Suite Figura 1 Meta Modelo da solução 2.1 Conceitos SQA Esta secção apresenta os detalhes dos conceitos do Meta Modelo relacionados com Quality Assurance. Link Consulting,SA Pág. 3 de 8

5 Functional Test Case Performance Test Case UAT User Acceptance Test Contains Contained in Test Suite Figura 2 Conceitos relacionados com Quality Assurance Functional Test Case O conceito de teste funcional representa um determinado conjunto de passos de execução que exercitam as funcionalidades de um ou mais serviços e os respetivos resultados esperados. Propriedades: a) Resultado: Um funtional - test case poderá estar no estado faild caso um dos passos de execução não tenha produzido o resultado esperado, ou passed caso todos os passos de execução tenham sido executados com sucesso. b) Ambiente: Indica em que ambiente computacional um teste foi executado. Os ambientes poderão ser o desenvolvimento, qualidade e de produção. c) Run: Um funtional test tem a si associado um conjunto de RUNs. As run representam o histórico de execuções de um testes, indicando para cada execução o resultado (passed ou faild), a data/hora em que ocorreu a execução e o ambiente. Relações: a) Um Functional Test Case testa um ou mais serviço: Functional Test Case Test Service. b) Um Functional Test Case pode pertencer a uma ou mais Test Suite: Functional Test Case contained in Test Suite. Link Consulting,SA Pág. 4 de 8

6 Performance Test Case O conceito de teste de performance representa um determinado conjunto de passos de execução que avaliam a performance de um ou mais serviços e os respetivos resultados a atingir. Propriedades: a) Resultado: Um performance test case poderá estar no estado faild caso um dos passos de execução não tenha atingido os resultado esperados, ou passed caso todos os passos de execução tenham sido executados com sucesso. b) Ambiente: Indica em que ambiente computacional um teste foi executado. Os ambientes poderão ser o desenvolvimento, qualidade e de produção. c) Run: Um performance test tem a si associado um conjunto de RUNs. As run representam o histórico de execuções de um testes, indicando para cada execução o resultado (passed ou faild), a data/hora em que ocorreu a execução e o ambiente. Relações: a) Um Performance Test Case testa um ou mais serviços: Performance Test Case Test Service. b) Um Performance Test Case pode pertencer a um ou mais Test Suite: Performance Test Case contained in Test Suite UAT User Acceptance Test O conceito de UAT representa um determinado conjunto de passos de execução que permitem ao utilizador aceitar as funcionalidades de um ou mais serviços. Propriedades: a) Resultado: Um UAT case poderá estar no estado faild caso um dos passos de execução não tenha produzido o resultado esperado, ou passed caso todos os passos de execução tenham sido executados com sucesso. b) Ambiente: Indica em que ambiente computacional um teste foi executado. Os ambientes poderão ser o desenvolvimento, qualidade e de produção. c) Run: Um UAT tem a si associado um conjunto de RUNs. As run representam o histórico de execuções de um testes, indicando para cada execução o resultado (passed ou faild), a data/hora em que ocorreu a execução e o ambiente. Relações: a) Um UAT Test Case testa um ou mais serviços: Functional Test Case Test Service. b) Um Functional Test Case pode pertencer a um ou mais Test Suite: Functional Test Case contained in Test Suite. Link Consulting,SA Pág. 5 de 8

7 Test Suite O conceito de Test Suite representa uma agregação logica de casos de testes. Propriedades: a) Resultado: Uma Test Suit poderá estar no estado faild caso o resultado de um dos testes que lhe estejam associados seja faild, ou passed caso todos os casos de test que lhe estão associados tenham sido executados com sucesso. b) Run: Uma Test Suit tem a si associado um conjunto de RUNs. As run representam o histórico de execuções dos testes da test suite, indicando para cada execução o resultado (passed ou faild) da test suit, e a data/hora em que ocorreu a execução do teste. Relações: a) Uma Test Suite é composto por um ou mais casos de testes: Test Suite contains Test Cases. b) Uma Test Suite testa um processo de negócio: Test Suite tests of Bussiness Process SOA Esta secção descreve resumidamente os conceitos associados a arquiteturas orientadas a serviços. Esta componente do meta-modelo relacionados com os conceitos SOA podem ser consultados em maior detalhe na secção da documentação mencionada no capítulo 3 - Referências Artifact: WSDL Este conceito representa a declaração dos serviços e as suas interfaces, e este elemento define as interfaces que lhe estão associadas Service Interface As interfaces advêm do elemento Artifact: WSDL, e é o meio de contacto para efetuar os testes aos serviços Service Um serviço pode conter várias interfaces, e os serviços também se encontram definidos no elemento Artifact: WSDL. Os serviços são o objeto dos testes, cujo funcionamento se pretende validar de acordo com a sua especificação Business Process De modo, a uma melhor clarificação da arquitetura, existe o elemento Business Process que é a definição das funcionalidades ao nível do negócio. Essas funcionalidades encontram-se traduzidas em serviços, o que leva a este conceito ser composto por um ou mais serviços. Link Consulting,SA Pág. 6 de 8

8 3 Referências Link Consulting,SA Pág. 7 de 8

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Arquitetura de integração das ferramentas selecionadas

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Arquitetura de integração das ferramentas selecionadas SIPTEST System Intelligent Process Testing. Arquitetura de integração das ferramentas selecionadas SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 14 Índice 1 Introdução... 2 2 Ferramentas

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. SLAs a aplicar em frentes de testes funcionais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. SLAs a aplicar em frentes de testes funcionais SIPTEST System Intelligent Process Testing. SLAs a aplicar em frentes de testes funcionais SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 8 Índice 1 Introdução... 2 2 SLAs a aplicar

Leia mais

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Índice Introdução... 2 A solução... 2 Plataforma Integrada (principais características)... 4 Eliminar limitações à execução de testes

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Frameworks de Gestão de Serviços de Testes

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Frameworks de Gestão de Serviços de Testes SIPTEST System Intelligent Process Testing. Frameworks de Gestão de Serviços de Testes SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 9 Índice 1 Introdução... 2 1.1 Objetivo do documento...

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Metodologias e boas práticas de testes de carga, stress e desempenho

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Metodologias e boas práticas de testes de carga, stress e desempenho SIPTEST System Intelligent Process Testing. Metodologias e boas práticas de testes de carga, stress e desempenho SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 9 Índice 1 Introdução...

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Comparativo de Ferramentas de Teste.

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Comparativo de Ferramentas de Teste. SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Comparativo de Ferramentas de Teste. SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 7 Índice 1 Introdução... 2 1.1 Objectivo do documento...

Leia mais

Qualidade de Software. Profa. Cátia dos Reis Machado catia@ifc-camboriu.edu.br

Qualidade de Software. Profa. Cátia dos Reis Machado catia@ifc-camboriu.edu.br Qualidade de Software Profa. Cátia dos Reis Machado catia@ifc-camboriu.edu.br Verificação x validação Verificação prova que o produto vai ao encontro dos requerimentos especificados no desenvolvimento

Leia mais

Quality Assurance & Test Center. Experiência, Metodologia e Ferramentas

Quality Assurance & Test Center. Experiência, Metodologia e Ferramentas Experiência, Metodologia e Ferramentas Março de 2008 Índice 1. Enquadramento 3 2. Experiência e referências 3 2.1 Evolução e principais projectos 3 2.2 Certificações 4 3. Metodologia de testes Link 4 3.1

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estado da arte na prática de testes tendo como referência o CMMI

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estado da arte na prática de testes tendo como referência o CMMI SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estado da arte na prática de testes tendo como referência o CMMI SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 10 Índice 1 Introdução...

Leia mais

Oracle BPM 11g. Análise à Plataforma

Oracle BPM 11g. Análise à Plataforma Oracle BPM 11g Análise à Plataforma Maio de 2010 Tive o privilégio de ser convidado a participar no "EMEA BPM 11g beta bootcamp" em Abril de 2010, no qual tive contacto mais próximo com a última versão

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing.

SIPTEST System Intelligent Process Testing. SIPTEST System Intelligent Process Testing. Sistema de incentivos à investigação e desenvolvimento tecnológico (SI I&DT) Relatório técnico-científico final do projeto nº 22952 (Janeiro de 2012 Dezembro

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 4 Infra-Estrutura de TI: Hardware e Software 2 1 OBJETIVOS

Leia mais

Engenharia de Software Aula 8 (Versão 2010-02)

Engenharia de Software Aula 8 (Versão 2010-02) Engenharia de Software Aula 8 (Versão 2010-02) As melhores práticas de Engenharia de Software: Verificar Continuamente a Qualidade do Software Controlar Mudanças de Software Professor Gabriel Baptista

Leia mais

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fonte: http://www.testexpert.com.br/?q=node/669 1 GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Segundo a NBR ISO 9000:2005, qualidade é o grau no qual um conjunto de características

Leia mais

O Processo de Desenvolvimento de Software

O Processo de Desenvolvimento de Software O Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos Contextualizar Análise e Projeto de software dentro de uma metodologia de desenvolvimento (um processo de desenvolvimento de software) Um processo de

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Abordagens de teste para metodologias de desenvolvimento específicas.

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Abordagens de teste para metodologias de desenvolvimento específicas. SIPTEST System Intelligent Process Testing. Abordagens de teste para metodologias de desenvolvimento específicas. SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 8 Índice 1 Introdução...

Leia mais

Processo de Criação de Cronogramas Prazo

Processo de Criação de Cronogramas Prazo Nome do de Criação de Cronogramas Número do Prazo - Informações sobre o Documento Nome do Projeto: Centro de Custo: 05.10..02.XX Gerente do Projeto: Versão do Documento: 0.0 Método de Revisão de Qualidade:

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos Documento de Requisitos Projeto: Data 26/05/2005 Responsável Autor (s) Doc ID Localização Versão do Template Márcia Jacyntha Nunes Rodrigues Lucena Silvia Cássia Pereira Márcia Jacyntha Nunes Rodrigues

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. SLAs a aplicar em frentes de testes de carga e desempenho

SIPTEST System Intelligent Process Testing. SLAs a aplicar em frentes de testes de carga e desempenho SIPTEST System Intelligent Process Testing. SLAs a aplicar em frentes de testes de carga e desempenho SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 8 Índice 1 Introdução... 2 1.1 Objetivo

Leia mais

O desafio de uma visão mais ampla

O desafio de uma visão mais ampla com SAP NetWeaver BPM Descrição de Solução A competição acirrada tem levado as organizações a adotar novas disciplinas de gestão e empregar recursos tecnológicos avançados, a fim de atingir melhores índices

Leia mais

3. Engenharia de Requisitos

3. Engenharia de Requisitos Engenharia de Software 3. Engenharia de Requisitos Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Fases do desenvolvimento de software que mais erros originam (fonte: "Software Testing", Ron Patton)

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Engenharia de Software. nelmarpg@yahoo.com.br

Processo de Desenvolvimento de Software. Engenharia de Software. nelmarpg@yahoo.com.br Processo de Desenvolvimento de Software nelmarpg@yahoo.com.br 1 Objetivos Contextualizar Análise e Projeto de software dentro de uma metodologia de desenvolvimento (um processo de desenvolvimento de software)

Leia mais

OVERVIEW DO EAMS. Enterprise Architecture Management System 2.0

OVERVIEW DO EAMS. Enterprise Architecture Management System 2.0 OVERVIEW DO EAMS Enterprise Architecture Management System 2.0 NETWORKS @arqcorp_br #eamsrio http://arquiteturacorporativa.wordpress.com/ WE MANAGE KNOWLEDGE, WITH YOU Arquitetura Empresarial Repositório

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

Business Intelligence Framework

Business Intelligence Framework Business Intelligence Framework José Peixoto and Júlio Lopes Departamento de Informática Universidade do Minho Abstract. Este artigo apresenta os elementos que constituem a Framework desenvolvida, bem

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Ferramentas de Automação

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Ferramentas de Automação SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Ferramentas de Automação SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 14 Índice 1 Introdução... 2 1.1 Objectivo do documento... 2

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 5 INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos

Leia mais

Reunião de 19/03/2014. www.websphereusergroup.org www.rational-ug.org

Reunião de 19/03/2014. www.websphereusergroup.org www.rational-ug.org Reunião de 19/03/2014 Agenda 18:30 - Abertura 18:45 - WebSphere - Barramento de Servicos IBMl Palestrante: Juan Garay Desenvolvedor Broker na ewave 19:45 - Rational User Stories Palestrante: Marcelo Tueiv

Leia mais

Introdução ao RUP Rational Unified Process. por Denize Terra Pimenta Outubro/2004

Introdução ao RUP Rational Unified Process. por Denize Terra Pimenta Outubro/2004 Introdução ao RUP Rational Unified Process por Denize Terra Pimenta Outubro/2004 1 Contexto Não é suficiente apenas a presença de desenvolvedores altamente treinados: Precisamos de uma linguagem para a

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Análise da Arquitetura de Software

Análise da Arquitetura de Software Análise da Arquitetura de Software Essencial para Arquitetura de Software De que se trata o artigo? Apresenta o uso de requisitos arquiteturais na análise da arquitetura de software e a destaca no desenvolvimento

Leia mais

Fábrica de Software Brasília CMM 2

Fábrica de Software Brasília CMM 2 Fábrica de Software Brasília CMM 2 Duração do projeto: 13 meses (dez/2001 a jan/2003) Consultoria de apoio 2.800 horas de treinamento Avaliação on-site, com duração de 5 dias Fábrica de Software Brasília

Leia mais

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Tópicos Motivação e Objetivos LP e SOA Processo ADESE

Leia mais

Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada

Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada Insight completo sobre IDG/Oracle Relatório de pesquisa de SOA Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada Alinhamento

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviço

Arquitetura Orientada a Serviço Arquitetura Orientada a Fabio Perez Marzullo IEEE Body of Knowledge on Services Computing Sponsored by Technical Committee on Services Computing, IEEE Computer Society 1 SOA e Web Services SOA é um modelo

Leia mais

Infra estrutura da Tecnologia da Informação

Infra estrutura da Tecnologia da Informação Infra estrutura da Tecnologia da Informação Capítulo 3 Adaptado do material de apoio ao Livro Sistemas de Informação Gerenciais, 7ª ed., de K. Laudon e J. Laudon, Prentice Hall, 2005 CEA460 Gestão da Informação

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Introdução à UML... 17. Capítulo 2 Orientação a Objetos... 37. Agradecimentos... 6 Sobre o Autor... 6 Prefácio...

Sumário. Capítulo 1 Introdução à UML... 17. Capítulo 2 Orientação a Objetos... 37. Agradecimentos... 6 Sobre o Autor... 6 Prefácio... 7 Agradecimentos... 6 Sobre o Autor... 6 Prefácio... 15 Capítulo 1 Introdução à UML... 17 1.1 Breve Histórico da UML... 17 1.2 Por Que Modelar Software?... 18 1.2.1 Levantamento e Análise de Requisitos...

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

Guia do Cúram Configuration Transport Manager

Guia do Cúram Configuration Transport Manager IBM Cúram Social Program Management Guia do Cúram Configuration Transport Manager Versão 6.0.5 IBM Cúram Social Program Management Guia do Cúram Configuration Transport Manager Versão 6.0.5 Nota Antes

Leia mais

Introdução à Automação de Testes

Introdução à Automação de Testes Introdução à Automação de Testes S Cristiano Caetano c_caetano@hotmail.com É certificado CBTS pela ALATS. Consultor de teste de software sênior com mais de 10 anos de experiência, já trabalhou na área

Leia mais

Road Show BPM Uma questão de método

Road Show BPM Uma questão de método Road Show BPM Uma questão de método Guilherme Vissotto Consulting Business Development Manager Brasil Outubro, 2013 Fundamentos da abordagem da Oracle OFRA Arquitetura de Referência BPM Foundation contém

Leia mais

BPM (Business Process Management)

BPM (Business Process Management) Instituto Superior de Economia e Gestão Ano lectivo 2007/2008 Cadeira de Tecnologias de Informação BPM (Business Process Management) Planeamento e Controlo de Gestão Baseados nos Processos de Negócio José

Leia mais

Histórico de mercado. Gestão da Qualidade. Histórico de mercado. Histórico de mercado. Antes do século 20. Em 1916. Anos 40

Histórico de mercado. Gestão da Qualidade. Histórico de mercado. Histórico de mercado. Antes do século 20. Em 1916. Anos 40 Antes do século 20 Em 1916 Anos 40 Gestão da Qualidade Garantia de qualidade era de responsabilidade do artesão 1a. Utilização formal de garantia e controle da qualidade (laboratórios BELL 1o. gráfico

Leia mais

José António Oliveira. Novembro/2011

José António Oliveira. Novembro/2011 José António Oliveira Novembro/2011 Framework COBIT Visão do COBIT Aplicação do COBIT Governação das TI Aplicação em auditoria Exemplos de aplicação em auditoria Avaliação da continuidade do negócio Caracterização

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores IFES Campus Serra

Introdução à Arquitetura de Computadores IFES Campus Serra Os computadores atuais possuem seis ou mais níveis de máquinas conforme podemos observar no quadro abaixo Nível de linguagem orientada para problemas Nível de linguagem de montagem Nível de sistema operacional

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Tópicos de Ambiente Web Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Roteiro Motivação Desenvolvimento de um site Etapas no desenvolvimento de software (software:site) Analise

Leia mais

Rede de Laboratórios de Produtividade de Software

Rede de Laboratórios de Produtividade de Software Rede de Laboratórios de Produtividade de Software Testes em aplicações WEB Uma Visão Geral Programa de Capacitação em Testes de Software Desktop system WEB system Ambiente de aplicativo da Web Rede de

Leia mais

Guião de Candidatura e de Avaliação dos Projetos para Centros de Co-Localização Portugueses a Integrar Knowledge and Innovation Communities (KIC) do

Guião de Candidatura e de Avaliação dos Projetos para Centros de Co-Localização Portugueses a Integrar Knowledge and Innovation Communities (KIC) do Guião de Candidatura e de Avaliação dos Projetos para Centros de Co-Localização Portugueses a Integrar Knowledge and Innovation Communities (KIC) do European Institute of Technology (EIT) que se apresentem

Leia mais

Mini-Curso Agile Testing

Mini-Curso Agile Testing Mini-Curso Agile Testing Como funciona na prática? contato@qualister.com.br (48) 3285-5615 twitter.com/qualister facebook.com/qualister linkedin.com/company/qualister Instrutor Elias Nogueira

Leia mais

IBM Software Demos The Front-End to SOA

IBM Software Demos The Front-End to SOA Hoje em dia, as pequenas e grandes empresas utilizam software baseado em uma arquitetura voltada para serviços, ou SOA, para promover a inovação, otimizar processos comerciais e aumentar a eficiência.

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2 Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Engenharia de Software Objetivo da aula Depois desta aula você terá uma revisão sobre o

Leia mais

Sistemas para internet e software livre

Sistemas para internet e software livre Sistemas para internet e software livre Metodologia de modelagem de aplicações WEB Image: FreeDigitalPhotos.net Domínio: Elementos de aplicação WEB Páginas Web Scripts Formulários Applets e ActiveX Motivação

Leia mais

Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software

Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software Versão 1.0 Página 1 de 9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 12.09.2015 1.0 Criação do Documento Hugo Pazolline 20.10.2015 1.0 Atualização

Leia mais

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

SOA - Service Oriented Architecture. Marcelo Canevello Ferreira

SOA - Service Oriented Architecture. Marcelo Canevello Ferreira SOA - Service Oriented Architecture Marcelo Canevello Ferreira Índice Arquitetura baseada em componentes Introdução a SOA Principais conceitos de SOA SOA Framework Abordagem de integração Conclusões Evolução

Leia mais

Casos de teste semânticos. Casos de teste valorados. Determinar resultados esperados. Gerar script de teste automatizado.

Casos de teste semânticos. Casos de teste valorados. Determinar resultados esperados. Gerar script de teste automatizado. 1 Introdução Testes são importantes técnicas de controle da qualidade do software. Entretanto, testes tendem a ser pouco eficazes devido à inadequação das ferramentas de teste existentes [NIST, 2002].

Leia mais

Auditoria de TI agregando valor aos negócios - A visão pragmática da Governança de TI - Marcio Araujo, CGEIT Gerente de Governança de TI

Auditoria de TI agregando valor aos negócios - A visão pragmática da Governança de TI - Marcio Araujo, CGEIT Gerente de Governança de TI Auditoria de TI agregando valor aos negócios - A visão pragmática da Governança de TI - Marcio Araujo, CGEIT Gerente de Governança de TI Desafios do CIO Principais preocupações: Capacidade de entrega em

Leia mais

ANEXO VII GLOSSÁRIO 1

ANEXO VII GLOSSÁRIO 1 ANEXO VII GLOSSÁRIO 1 Termo Ambiente de Desenvolvimento Ambiente de Homologação Ambiente de Produção Ambiente de Teste Aplicativo Basileia Basileia II BNDES Descrição Ambiente onde propriamente são desenvolvidas

Leia mais

PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL

PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL Universidade Federal de Santa Maria Sistemas de Informação ELC1093 Modelagem de Processos de Negócio PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL Profa. Lisandra Manzoni Fontoura Objetivos da Aula: Processos

Leia mais

System Quality Assurance

System Quality Assurance System Quality Assurance Visão Reduzir os custos inerentes à existência de defeitos em produção, em sistemas de alta complexidade funcional e de elevada heterogeneidade tecnológica, através de um conjunto

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSOS

MODELAGEM DE PROCESSOS MODELAGEM DE PROCESSOS a a a PRODUZIDO POR CARLOS PORTELA csp3@cin.ufpe.br AGENDA Definição Objetivos e Vantagens Linguagens de Modelagem BPMN SPEM Ferramentas Considerações Finais Referências 2 DEFINIÇÃO:

Leia mais

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Ferramentas de Carga e Desempenho

SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Ferramentas de Carga e Desempenho SIPTEST System Intelligent Process Testing. Estudo Ferramentas de Carga e Desempenho SIPTEST - System Intelligent Testing Link Consulting,SA Pág. 0 de 10 Índice 1 Introdução... 2 1.1 Objectivo do documento...

Leia mais

Breves indicações para a utilização do sistema pelo Fabricante/Mandatário

Breves indicações para a utilização do sistema pelo Fabricante/Mandatário Registo de Dispositivos Médicos e Dispositivos Médicos para Diagnóstico In Vitro pelos Fabricantes/Mandatários Breves indicações para a utilização do sistema pelo Fabricante/Mandatário Índice 1 Introdução...

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Processo de Desenvolvimento de Software Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Processo de Desenvolvimento de Software... 04

Leia mais

Documento técnico de negócios. Guia de sobrevivência para testar aplicativos modernos

Documento técnico de negócios. Guia de sobrevivência para testar aplicativos modernos Documento técnico de negócios Guia de sobrevivência para testar aplicativos modernos Por que modernizar os aplicativos? De acordo com uma pesquisa da Forrester, a agilidade, a inovação e economia de custos

Leia mais

IBM Rational Quality Manager. Felipe Freire IBM Rational pfreire@br.ibm.com

IBM Rational Quality Manager. Felipe Freire IBM Rational pfreire@br.ibm.com Gerenciamento de Qualidade IBM Rational Quality Manager Felipe Freire IBM Rational pfreire@br.ibm.com Introdução Jazz Rational Quality Manager Demonstração Agenda 2 Teste de software?!? O que é? Para que

Leia mais

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio!

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio! Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP Otimize a Gestão do Seu Negócio! Universo das Soluções de Gestão SENDYS 2 Universo das Soluções de Gestão SENDYS Financeira Recursos Humanos Operações & Logística

Leia mais

Requisitos de Software. Teresa Maciel DEINFO/UFRPE

Requisitos de Software. Teresa Maciel DEINFO/UFRPE Requisitos de Software Teresa Maciel DEINFO/UFRPE 1 Requisito de Software Características que o produto de software deverá apresentar para atender às necessidades e expectativas do cliente. 2 Requisito

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

V JORNADA DE INTEROPERABILIDADE LOGISTICA. Ten Cel Andersonn KOHL Divisão de Comando e Controle Centro de Desenvolvimento de Sistemas

V JORNADA DE INTEROPERABILIDADE LOGISTICA. Ten Cel Andersonn KOHL Divisão de Comando e Controle Centro de Desenvolvimento de Sistemas V JORNADA DE INTEROPERABILIDADE LOGISTICA Ten Cel Andersonn KOHL Divisão de Comando e Controle Centro de Desenvolvimento de Sistemas 21 de novembro de 2013 2/83 Objetivo Conhecer o projeto da família de

Leia mais

Combinação de serviços já existentes para criar um novo serviço. jcd@cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. Composição de Serviços Com WS-BPEL

Combinação de serviços já existentes para criar um novo serviço. jcd@cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. Composição de Serviços Com WS-BPEL Introdução à Composição de serviços Web Júlio César Damasceno jcd@ Agenda Definição Motivação Background Arquitetura Orientada a Serviço (SOA) Computação Orientada a Serviço (SOC) Web Services Composição

Leia mais

CLÍNICA TECNOLÓGICA CASOS DE TESTE. Palestrante: Marcia Silva MARCIA.SILVA@DATASUS.GOV.BR www.emersonrios.eti.br

CLÍNICA TECNOLÓGICA CASOS DE TESTE. Palestrante: Marcia Silva MARCIA.SILVA@DATASUS.GOV.BR www.emersonrios.eti.br CLÍNICA TECNOLÓGICA CASOS DE TESTE Palestrante: Marcia Silva MARCIA.SILVA@DATASUS.GOV.BR www.emersonrios.eti.br 1 REQUISITOS DE NEGÓCIO ESPECIFICAÇÃO FUNCIONAL Protótipo Planejamento dos testes Design

Leia mais

Guia de Apoio à Apresentação de Candidaturas

Guia de Apoio à Apresentação de Candidaturas CONCURSO PARA RECONHECIMENTO DE CLUSTERS DE COMPETITIVIDADE Despacho n.º 2909/2015, de 23 de março Guia de Apoio à Apresentação de Candidaturas AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS DE 5 DE JUNHO DE 2015 Nota

Leia mais

SOA. Fabio Perez Marzullo. Inovando seu negócio por meio de soluções orientadas a serviços. Novatec

SOA. Fabio Perez Marzullo. Inovando seu negócio por meio de soluções orientadas a serviços. Novatec SOA na prática Inovando seu negócio por meio de soluções orientadas a serviços Fabio Perez Marzullo Novatec Sumário Parte I Fundamentos técnicos da teoria de serviços... 17 Capítulo 1 Introdução à teoria

Leia mais

Development Case. Project: VENSSO. Data 27/05/2005. Vesões do Documento 2.00

Development Case. Project: VENSSO. Data 27/05/2005. <location to access at CVS or URL> Vesões do Documento 2.00 Project: VNSSO Data 27/05/2005 Responsável Documento ID Localização Ana Paula Cavalcanti VNSSO_PRC_20050601 Vesões do Documento 2.00 VNSSO_PRO_20050601 Histórico de Date

Leia mais

O. E. 2 0 1 3 : A L T E R A Ç Õ E S F I S C A I S

O. E. 2 0 1 3 : A L T E R A Ç Õ E S F I S C A I S i I N F O R M A Ç Ã O F I S C A L N º 1 J a n e i r o 2 0 1 3 O. E. 2 0 1 3 : A L T E R A Ç Õ E S F I S C A I S Í N D I C E I. I N T R O D U Ç Ã O............................. 2 I I. I M P O S T O S O

Leia mais

Manuel António Lopes Pereira. Conceção de Arquiteturas para Cloud Computing: Casos de Demonstração da Utilização do Modelo de Referência do NIST

Manuel António Lopes Pereira. Conceção de Arquiteturas para Cloud Computing: Casos de Demonstração da Utilização do Modelo de Referência do NIST Universidade do Minho Escola de Engenharia Conceção de Arquiteturas para Cloud Computing: Casos de Demonstração da Utilização do Modelo de Referência do NIST Manuel António Lopes Pereira Conceção de Arquiteturas

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Capítulo 3 Processos de Software Slides do Livro do Sommerville, 2000 Disponíveis em inglês em www.software-engin.com Traduzidos por Jacinta Pereira Graduando do Curso de Letras

Leia mais

Sistemas Cliente-Servidor

Sistemas Cliente-Servidor Sistemas Cliente-Servidor Disciplina Bancos de Dados II (INE 5616 2006-1) Curso de Sistemas de Informação Prof. Renato Fileto INE/CTC/UFSC 1 1 Cliente - Servidor Arquitetura cliente/servidor: Os servidores

Leia mais

! Software e Engenharia de Software! Engenharia de Software e Programação! Histórico. " Crise do Software

! Software e Engenharia de Software! Engenharia de Software e Programação! Histórico.  Crise do Software Agenda Introdução a Engenharia de Cleidson de Souza cdesouza@ufpa.br http://www.ufpa.br/cdesouza! e! e Programação! Histórico " Crise do! No Silver Bullet! Fases Genéricas do Processo de Desenvolvimento

Leia mais

soluções transversais SOLUÇÕES middleware

soluções transversais SOLUÇÕES middleware soluções transversais SOLUÇÕES middleware RESUMO DA SOLUÇÃO ITbank framework 4g performance orquestração interoperabilidade O Middleware SOA ITBank framework 4g implementa uma arquitetura SOA com orquestração

Leia mais

Programa de Universidades

Programa de Universidades University Program International Univer- sities Certified Universities Programa de Universidades 2013 Infosistema. All rights reserved. www.iflowbpm.com O que é o iflow BPM? Tabela de Conteudos O que é

Leia mais

Referências em projectos em Quality Assurance e Serviço de Testes

Referências em projectos em Quality Assurance e Serviço de Testes Referências em projectos em Quality Assurance e Serviço de Testes Março de 2008 Índice 1. Startup do Sistema Pré-pago Baby - Telesp Celular 3 2. Implementação do sistema pós-pago P2K da Convergys - Telesp

Leia mais

Manual de Integração. Tecnologia: WebServices SOAP XML. Área: CDC. Produto: CDC Pessoa Física NFE (RFB) Versão: 1.0. Autor: Angelo Bestetti Junior

Manual de Integração. Tecnologia: WebServices SOAP XML. Área: CDC. Produto: CDC Pessoa Física NFE (RFB) Versão: 1.0. Autor: Angelo Bestetti Junior Manual de Integração Tecnologia: WebServices SOAP XML Área: CDC Produto: CDC Pessoa Física NFE (RFB) Versão: 1.0 Autor: Angelo Bestetti Junior Conteúdo Introdução... 3 Considerações Iniciais... 4 Privacidade...

Leia mais

INFRAESTRUTURA PARA INOVAÇÃO BPM e SOA

INFRAESTRUTURA PARA INOVAÇÃO BPM e SOA INFRAESTRUTURA PARA INOVAÇÃO BPM e SOA Palestrante: Eduardo José Ribeiro de Castro, MSc. eduardo@quaddract.com.br 25/08/2009 1 Objetivo Geral APL Brasília Capital Digital Desenvolver entre as empresas

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS. Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda

CATÁLOGO DE SERVIÇOS. Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda CATÁLOGO DE SERVIÇOS Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda ÍNDICE ÍNDICE 2 HISTÓRICO DE ALTERAÇÕES 2 1 INTRODUÇÃO 3 2 A CASO 4 2.1 Apresentação 4 2.2 Visão, Missão e Valores 4 3 SERVIÇOS

Leia mais

UML. Gilleanes T. A. Guedes. uma abordagem prática. Novatec

UML. Gilleanes T. A. Guedes. uma abordagem prática. Novatec UML uma abordagem prática Gilleanes T. A. Guedes Novatec Sumário Agradecimentos...15 Sobre o autor...15 Prefácio...16 Capítulo 1 Introdução à UML...18 1.1 Breve Histórico da UML... 18 1.2 Por Que Modelar

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para o Colóquio do SC B5 2009 Paper 109 Intelligent Electronic Device Remote Test Architecture Solution Using a Test Unit Rio de

Leia mais

Conjunto de conceitos que podem ser usados para descrever a estrutura de um banco de dados

Conjunto de conceitos que podem ser usados para descrever a estrutura de um banco de dados CONCEITOS Modelo de Dados Conjunto de conceitos que podem ser usados para descrever a estrutura de um banco de dados Tipos de dados, relacionamentos e restrições Operações dinâmicas alto nível: ou modelo

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO PAULO SECRETARIA DE SAÚDE ANEXO 7 DO CONTRATO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE TI

PREFEITURA DE SÃO PAULO SECRETARIA DE SAÚDE ANEXO 7 DO CONTRATO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE TI ANEXO 7 DO CONTRATO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE TI SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 1 II. REQUISITOS FUNCIONAIS... 2 III. MÓDULOS SISTÊMICOS ASSISTENCIAIS... 4 IV. MÓDULOS SISTÊMICOS

Leia mais

Engenharia de Software. Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias

Engenharia de Software. Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias Engenharia de Software Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias Sistemas Computacionais Automatiza ou apóia a realização de atividades humanas (processamento da informação)

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DE SANTOS

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DE SANTOS Anexo I Modelo para inscrição e apresentação dos projetos EDITAL DE CONVOCAÇÃO PÚBLICA nº 01/2016 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Nome ou Razão Social 1.2 Ramo de atividade (se empresa) 1.3 Endereço completo 1.4

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE/ SISTEMAS DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE/ SISTEMAS DE SOFTWARE ENGENHARIA DE SOFTWARE/ SISTEMAS DE SOFTWARE CMP1280/CMP1250 Prof. Me. Fábio Assunção Introdução à Engenharia de Software SOFTWARE Programa de computador acompanhado dos dados de documentação e configuração

Leia mais

Glossário de Terminologia Engenharia de Requisitos

Glossário de Terminologia Engenharia de Requisitos Martin Glinz Glossário de Terminologia Engenharia de Requisitos Com Dicionário Inglês-Português e Português-Inglês Glossário Padrão para o Curso e Exame de Certificação Certified Professional for Requirements

Leia mais

Governação e Controlo Interno

Governação e Controlo Interno VIII FORUM DE AUDITORIA INTERNA Auditoria Desafios Futuros Instrumental Metodológico Governação e Controlo Interno Lisboa, 20 de Junho de 2013 SUMÁRIO 1. Corporate Governance 2. Corporate Governance e

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Requisitos Executáveis: O modelo FIT / FitNesse

Requisitos Executáveis: O modelo FIT / FitNesse Requisitos Executáveis: O modelo FIT / FitNesse Jorge Diz Globalcode 57 Encontro do SPIN-SP Slide 1 Instrutor Jorge Alberto Diz ( 95 Mestre em Eng. Elétrica (UNICAMP ( 89 Bach. em Ciência da Computação

Leia mais

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 -

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - Glossário BiSL Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - 1. Glossário de Terminologia Terminologia em Inglês Terminologia em Português BiSL processes Processos de BiSL Business data management

Leia mais

FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS

FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS DESAFIOS NA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO MÉTODOS ÁGEIS CARLOS EDUARDO VAZQUEZ 13/10/2015 FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS ORIENTAÇÕES INICIAIS Dê preferência ao uso de

Leia mais