TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO"

Transcrição

1 A AUDITORIA INTERNA E AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Business Assurance com ACL Embaixada do Canadá em Lisboa, 5 de Maio de 2010 FMAlbino - IPAI

2 Auditoria Interna A Auditoria Interna é uma actividade independente de garantia e de consultoria, concebida para acrescentar valor e melhorar as operações de uma organização. Assiste a organização na consecução dos seus objectivos, através de uma abordagem sistemática e disciplinada na avaliação e aperfeiçoamento da eficácia dos processos de gestão do risco, de controlo e de governação. (IIA, tradução do IPAI) FMAlbino - IPAI

3 IPAI (I) IPAI - Instituto t Português de Auditoria i Interna Associação profissional, voluntária, fundada em associados, sendo 87 CIAs, 42 CCSAs, 2 CFSAs e 2 CGAPs. Capítulo (chapter) #253 do IIA e membro da ECIIA Principais actividades: promoção da AI formação em AI edição portuguesa das normas profissionais conferência e forum anuais edição de revista Auditoria Interna distribuição em Portugal da revista Internal Auditor FMAlbino - IPAI

4 IPAI (II) preparação para os exames de certificação apoio à criação de gabinetes de auditoria interna interlocutor dos reguladores e autoridades públicas, no seu domínio pt FMAlbino - IPAI

5 IIA (I) IIA The Institute t of Internal Auditors Fundado em 1941, com sede em Orlando, Florida, EUA É a organização mundial da Auditoria Interna Usa o lema progress through sharing Tem membros, em 165 países Edita as revistas Internal Auditor, Tone at the Top, Auditwire, IT Audit, IIA Insight Edita várias newsletters especializadas: GAP News, FSA Times, CSA Sentinel, Gaming Auditorium, CAE Bulletin Emite Normas para a Prática Profissional de Auditoria Interna - IPPF (traduzidas em 32 línguas) FMAlbino - IPAI

6 IIA (II) Participa, i com outras organizações profissionais, i i na elaboração de normas e documentos de referência sobre domínios conexos com a Auditoria Interna (COSO, por exemplo). Mantém uma fundação de pesquisa científica sobre riscos, controlos e governação das organizações (IIARF) Tem programas de certificação profissional, sendo o principal o CIA (Certified Internal Auditor) Conta com CIAs, 4100 CFSAs, 3600 CCSAs e 1600 CGAPs. O seu site na internet é uma fonte de informação notável, indispensável para qualquer AI É um centro de apoio para os AIs em todo o mundo. FMAlbino - IPAI

7 ECIIA (I) ECIIA - European Confederation of Institutes t of Internal Auditing Sede em Bruxelas. Membros: 33 institutos nacionais de auditoria interna da região europeia (incluindo Norte de África e Médio Oriente), ente os quais o IPAI Principais actividades: Desenvolve estudos sobre a profissão de Auditoria i Interna, ao nível Europeu Promove a profissão de AI perante as instâncias comunitárias Realiza uma conferência anual numa das capitais euroepias (a última em Berlim, a próxima em Roma; foi em Lisboa em 1993) FMAlbino - IPAI

8 ECIIA (II) - Publica importantes documentos sobre a profissão de AI, sob uma perspectiva europeia: The Role of Internal Audit in Corporate Governance in Europe: Current Status, Necessary Improvements, Future Tasks Internal Auditing In Europe Corporate Governance and the Role of Internal Auditing Internal Control and Internal Auditing - Guidance for Directors, Managers and Auditors Banking Internal Auditing in Europe: Overview and Recommendations by the Banking Advisory Group FMAlbino - IPAI

9 Normas de Auditoria As normas de auditoria, em geral, estabelecem: Requisitos de independência Requisitos de competência Metodologia de realização dos trabalhos Planeamento Realização Documentação Reporte dos resultados (relatório) Tipos de conclusões (por exemplo, as Normas da IFAC) FMAlbino - IPAI

10 Normas de AI As normas de Auditoria i Interna são: designadas por Enquadramento de Práticas Profissionais de Auditoria Interna (IPPF International Professional Practices Framework) promulgadas pelo IIA as únicas na profissão (são adoptadas d e traduzidas pelos chapters de cada país). Compreendem: Orientações obrigatórias (Mandatory Guidance) Orientações fortemente recomendadas (Strongly Recommended Guidance) FMAlbino - IPAI

11 Normas de AI Orientações obrigatórias (Mandatory Guidance) Definição de Auditoria Interna Código de Ética Normas Orientações fortemente recomendadas (Strongly Recommended Guidance) Tomadas de posição (Position Papers) ) Recomendações de práticas (Practice Advisories) Guias de práticas (Practice Guides) FMAlbino - IPAI

12 Código de Ética (I) Introdução Aplicabilidade e cumprimento Princípios Integridade Objectividade Confidencialidade Competência Normas de conduta FMAlbino - IPAI

13 Normas do IIA Normas de Atributos (Attribute Standards) relativas aos atributos dos indivíduos e das organizações que realizam as auditorias Finalidade, Autoridade e Responsabilidade 1100 Independência e Objectividade 1200 Proficiência e Cuidado Profissional Adequado 1300 Programa de Garantia de Qualidade e Aperfeiçoamento FMAlbino - IPAI

14 Normas do IIA Normas de Desempenho (Performance Standards) - descrevem a natureza da Auditoria Interna e fornecem critérios de qualidade por comparação com os quais se pode medir o desempenho desses serviços 2000 Gestão da Actividade de Auditoria Interna 2100 Natureza a do Trabalho 2200 Planeamento do Trabalho 2300 Realização do Trabalho 2400 Comunicação dos Resultados 2500 Monitorização do Progresso 2600 Resolução da Aceitação dos Riscos pelos Gestores Superiores FMAlbino - IPAI

15 Certificações em Auditoria As certificações em Auditoria i outorgadas pelo IIA: CIA Certified Internal Auditor CCSA Certification in Control Self-Assessment CFSA Certified Financial Services Auditor CGAP Certified Government Auditing Professional Outras certificações em Auditoria apoiadas pelo IIA: CPA Certified Public Accountant CISA Certified Information Systems Auditor CFE Certified Fraud Examiner CPEA - Certified Professional Environmental Auditor FMAlbino - IPAI

16 OExameCIA Parte I O Papel da Actividade de Auditoria Interna na Governação, Risco e Controlo Parte II A Condução de um Trabalho (engagement) de AI Parte III Análise de Negócios e Tecnologias de Informação Parte IV Competências de Gestão de Negócios FMAlbino - IPAI

17 Exame CIA - Parte I A. Comply with The IIA's Attribute t Standards d (15-25%) B. Establish a Risk-based Plan to Determine the Priorities of the Internal Audit Activity (15-25%) C. Understand the Internal Audit Activity's Role in Organizational Governance (10-20%) D. Perform Other Internal Audit Roles and Responsibilities (0-10%) E. Governance, Risk, and Control Knowledge Elements (15-25%) F. Plan Engagements (15-25%) FMAlbino - IPAI

18 Exame CIA Parte II A. Conduct Engagements g (25-35%) B. Conduct Specific Engagements (25-35%) C. Monitor Engagement Outcomes (5-15%) D. Fraud Knowledge Elements (5-15%) E. Engagement Tools (15-25%) FMAlbino - IPAI

19 Exame CIA Parte III A. Business Processes (15-25%) B. Financial Accounting and Finance (15-25%) C. Managerial Accounting (10-20%) D. Regulatory, Legal, and Economics (5-15%) E. Information Technology - IT (30-40%) FMAlbino - IPAI

20 Exame CIA Parte IV A. Strategic Management (20-30%) B. Global Business Environments (15-25%) D. Management Skills (20-30%) E. Negotiating (5-15%) FMAlbino - IPAI

21 Auditoria das TI (IIA) Practice Guides do IIA sobre IT Audit GTAGs Global Technology Audit Guides GAIT Guide to the Assessment of IT Risk FMAlbino - IPAI

22 GTAGs GTAG-1: Information Technology Controls GTAG-2: Change and Patch Management Controls: Critical for Organizational Sucess GTAG-3: Continuous Auditing Implications for Assurance, Monitoring, and Risk Assessment GTAG-4: Management of IT Auditing GTAG-5: Managing and Auditing Privacy Risks GTAG-6: Managing and Auditing IT Vulnerabilities GTAG-7: Information Technology Outsourcing FMAlbino - IPAI

23 GTAGs GTAG-8: Auditing Application Controls GATG-9: Identity and Access Management GTAG-10: Business Continuity Management GTAG-11: Developing the IT Audit Plan GTAG-12: Auditing IT Projects GTAG-13: Fraud Prevention and Detection in an Automated World FMAlbino - IPAI

24 GAIT Practice Guides The GAIT Methodology PG: a risk-based approach to assessing the scope of IT general controls as part of management s assessment of internal control required by Section 404 of the Sarbanes-Oxley Act GAIT for IT General Control Deficiency Assessment PG: an approach for evaluating whether any ITGC deficiencies identified during Section 404 assessments represent material weaknesses or significant ifi deficiencies i i GAIT for Business and IT Risk PG: guidance for helping identify the IT controls that are critical to achieving business goals and objectives FMAlbino - IPAI

25 GAIT Methodology The GAIT-R Methodology is built around four principles: Principle 1: The failure of technology is only a risk that needs to be assessed, managed, and audited if it represents a risk to the business. Principle 2: Key controls should be identified as the result of a top-down assessment of business risks, risk tolerance, and the controls required to manage or mitigate business risk. Principle 3: Business risks are mitigated by a combination of manual and automated key controls. To assess the system of internal control to manage or mitigate business risks, key automated controls need to be assessed. Principle 4: ITGCs may be relied upon to provide assurance of the continued and proper operation of automated key controls. (IIA, GAIT series) FMAlbino - IPAI

26 GAIT The COSO ERM framework states: With widespread reliance on information systems, controls are needed over significant systems. Two broad groupings of information systems control activities can be used: The first is general controls, which apply to many if not all application systems and help ensure their continued, proper operation. The second is application controls, which include computerized steps within application software to control the technology application. Combined with other manual process controls where necessary, these controls ensure completeness accuracy, and validity of information. (IIA, The GAIT Methodology) FMAlbino - IPAI

27 Auditoria Interna e as TI How Auditing Contributes to IT Controls ( ) the auditors could add value to the organization by contributing their controls expertise to development processes to ensure appropriate controls were incorporated into new systems, rather than adding controls after an audit revealed a deficiency. These activities coincided with the developments in control and risk self-assessment in the mainstream audit world. Audit consulting and risk-based auditing became widespread. The 1990s and beyond also saw dramatic increases in attention to information security management as cyber attacks increased in number and severity. These events have helped shape the role of the IT auditor as well as the businesses world s recognition of the importance of effective information security management. FMAlbino - IPAI

28 Auditoria Interna e as TI Testing IT Controls and Continuous Assurance In addition to assessing the adequacy of ITcontrol mechanisms,, regular reviews should be performed to ensure that controls continue to function as required. A traditional method used by internal auditors is to create a population of test data that can be processed through the business systems to check the results to ensure, for example, that controls continue to accept valid data and reject incorrect and invalid items. ( ) given the widespread, complex, and interactive nature of business systems today, audit testing tends to focus more specifically on key automated controls: Automated Continuous Monitoring Automated Internal Control Analysis Tools Automated Risk Analysis FMAlbino - IPAI

29 Auditoria Interna e as TI 1. Automated t Continuous Monitoring i Continuous monitoring and audit tools have been used for many years. Previously called embedded audit software, program code in business systems checks data being processed against predetermined criteria and reports anomalies. 2. Automated Internal Control Analysis Tools Audit software can be used to analyze stored data and check its validity to ensure the continuous, reliable operation of internal controls. Originally designated audit interrogation software, products such as ACL (www.acl.com) or CaseWare IDEA (www.caseware.com) now provide sophisticated features. FMAlbino - IPAI

30 Auditoria Interna e as TI 3. Automated Risk Analysis Tools also are available for automating the risk analysis process. These tools are invaluable to the entire internal audit function, not just the IT auditor or risk specialist. Performing a proper risk analysis in today s complex IT environments is not easy without the assistance of automated tools. (IIA, GTAG-1) FMAlbino - IPAI

31 IPAI Av. Duque de Loulé, nº 5 2ºB 2B Lisboa FMAlbino - IPAI

Lisboa, 18 e 19 de Outubro

Lisboa, 18 e 19 de Outubro Formação Profissional Implementar um programa de Gestão do risco operacional e resiliência de negó ócio Lisboa, 18 e 19 de Outubro Assessoria de Gestão, Lda Gestão do risco operacional e resilência de

Leia mais

Auditoria interna Especialização PwC

Auditoria interna Especialização PwC www.pwc.pt/academy Especialização PwC PwC s Academy Formação de profissionais para profissionais Especialização PwC Este curso com uma forte componente prática, procura dotar os recursos afetos à função

Leia mais

EXAME DE ADMISSÃO À CERTIFICAÇÃO CIA

EXAME DE ADMISSÃO À CERTIFICAÇÃO CIA Curso de Preparação para o EXAME DE ADMISSÃO À CERTIFICAÇÃO CIA Certified Internal Auditor pelo IIA Institute of Internal Auditors Pós-Laboral RAZÃO DE SER O IIA conta com 67 000 CIAs Certified Internal

Leia mais

O valor da Auditoria Interna e imperativos para o sucesso.

O valor da Auditoria Interna e imperativos para o sucesso. O valor da Auditoria Interna e imperativos para o sucesso. 29 de julho de 2011 Como Mensurar o Trabalho da Auditoria Interna e Demonstrar o Quanto a Área Agrega Valor para a Empresa Walter Batlouni Jr

Leia mais

Funchal, 22 de Outubro de 2008

Funchal, 22 de Outubro de 2008 Gestão de Risco nas Organizações Jornadas Regionais da Qualidade Funchal, 22 de Outubro de 2008 Domingos M. Sequeira de Almeida Director de Auditoria e Gestão de Risco Sonae Holding Presidente da Direcção

Leia mais

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria Novo Código e Exigências da Função Auditoria Fórum de Auditoria Interna - IPAI 19 de Junho de 2014 Direito societário e auditoria interna fontes legais 1. CSC artigo 420,º, n.º 1, i) - fiscalizar a eficácia

Leia mais

Controlo Interno e Auditoria Interna Lisboa, 24 e 25 de Maio

Controlo Interno e Auditoria Interna Lisboa, 24 e 25 de Maio Formação Profissional Controlo Interno e Auditoria Interna Lisboa, 24 e 25 de Maio Assessoria de Gestão, Lda Controlo Interno e Auditoria Interna No actual contexto de crise, em que as organizações estão

Leia mais

Governança em TI e os objetivos estratégicos da organização

Governança em TI e os objetivos estratégicos da organização Governança em TI e os objetivos estratégicos da organização A otimização dos investimentos em TI, a importância do uso do modelo CobiT, adotado mundialmente em IT Governance Um painel sobre as certificações

Leia mais

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

Gestão do Risco Operacional

Gestão do Risco Operacional www.pwc.pt/academia Gestão do Risco Operacional 2ª Edição Lisboa, 13 e 14 de março de 2013 Academia da PwC Considerando que existe um conjunto de factores na questão da gestão de risco operacional, é importante

Leia mais

Educação Profissional Continuada (Continuing Professional Education CPE)

Educação Profissional Continuada (Continuing Professional Education CPE) Diretriz Administrativa de Requisitos de Educação Profissional Continuada nº 4: 2011 Educação Profissional Continuada (Continuing Professional Education CPE) Objetivo Este documento contém os requisitos

Leia mais

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1 Gestão de Serviços Mário Lavado itsmf Portugal Guimarães 18 de Novembro 2010 itsmf Portugal 1 Agenda 1. O que é o itsmf? 2. A Gestão de Serviços e o ITIL 3. A ISO 20000 4. A certificação ISO 20000 itsmf

Leia mais

Formação e Certificação

Formação e Certificação Formação e Certificação Requisitos de CPE para CIAs Editado por Giovani Ehrhardt*. Traduzido por Ana Clara Sebastião Macedo Ventura. Resumo: Este artigo visa esclarecer os requisitos obrigatórios da Formação

Leia mais

Programa Avançado em Controlo Interno De profissionais para profissionais

Programa Avançado em Controlo Interno De profissionais para profissionais www.pwc.pt/academy Programa Avançado em Controlo Interno De profissionais para profissionais PwC s Academy Considerando que existe um conjunto de fatores na questão de controlo interno, é importante que

Leia mais

Sector das TI s em Portugal e Projectos de

Sector das TI s em Portugal e Projectos de Sector das TI s em Portugal e Projectos de Financiamento Seminário Modelos de Gestão em Tecnologias de Informação: Gestão de Serviços, da Segurança e da Inovação 18 Nov 2010 Escola de Engenharia da Universidade

Leia mais

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez IT Governance e ISO/IEC 20000 Susana Velez Desafios de TI Manter TI disponível Entregar valor aos clientes Gerir os custos de TI Gerir a complexidade Alinhar TI com o negócio Garantir conformidade com

Leia mais

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como 1ª Pesquisa Protiviti/Audibra sobre as Tendências da Auditoria Interna no Brasil Junho, 2010 Objetivo da Pesquisa Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências

Leia mais

Quality Assurance: Opção ou Imposição

Quality Assurance: Opção ou Imposição Quality Assurance: Opção ou Imposição Osvaldo Roberto Nieto 8 de maio de 2012 Quality Assurance 3 Grandes abordagens na avaliação da Qualidade Interna Cujos resultados deveriam ser reportados ao Comitê

Leia mais

Revisão da Qualidade da Função de Auditoria Interna

Revisão da Qualidade da Função de Auditoria Interna www.pwc.pt/academia Revisão da Qualidade da Função de Auditoria Interna Lisboa, 5 de fevereiro de 2013 Academia da PwC 1ª Edição Líder na formação de executivos Revisão da Qualidade da Função de Auditoria

Leia mais

Governança de TI através do COBIT

Governança de TI através do COBIT 4.0 COBIT III Congresso de Gestão de TI Governança de TI através do COBIT GOVERNANÇA CORPORATIVA Mercado e Empresa - Relacionamentos SOCIEDADE AGENTES FINANCEIROS PROFISSIONAIS MEIO AMBIENTE GOVERNO CLIENTES

Leia mais

ISACA Capítulo São Paulo

ISACA Capítulo São Paulo Tendências e Certificações Profissionais da ISACA ISACA Capítulo São Paulo Fabio Penna Curto, CGEIT, CISM, Diretor Cristiano Borges, Diretor ISACA SP Carmen Ozores, Vice presidente ISACA SP Contato: info@isaca.org.br

Leia mais

Como implementar a ISO 31000?

Como implementar a ISO 31000? www.pwc.pt/academy Como implementar a ISO 31000? PwC s Academy Formação de profissionais para profissionais Este curso será particularmente útil para todos os profissionais com responsabilidades diretas

Leia mais

Figura 1 - "Quem feio ama, bonito lhe parece"?

Figura 1 - Quem feio ama, bonito lhe parece? Mission Code: APO11 - O COBIT5 e a Gestão da Qualidade (Artigo baseado na apresentação realizada durante o evento 8th International Conference on the Quality of Information and Communications Technology.

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

e no Mundo 19-10-2008 1

e no Mundo 19-10-2008 1 Resultados questionário IIA - CBOK 2006 Auditoria Interna em e no Mundo Orlando Sousa, CCSA Vice-Presidente do IPAI 19-10-2008 1 Evolução CBOK 1972/2006 10000 8000 6000 9366 4000 2000 0 1 1972 1985 2 75

Leia mais

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações Raquel Silva 02 Outubro 2014 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 PUBLICAÇÃO DIS: - Draft International Standard

Leia mais

Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática

Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática Perfil Caseware Fornecedor líder no setor de softwares para análise de dados, auditoria contínua e monitoramento contínuo. A Caseware

Leia mais

IT Governance. Alinhar as Tecnologias de Informação (TI s) com o negócio! www.pwc.pt/academy

IT Governance. Alinhar as Tecnologias de Informação (TI s) com o negócio! www.pwc.pt/academy www.pwc.pt/academy IT Governance Alinhar as Tecnologias de Informação (TI s) com o negócio! PwC s Academy Formação de profissionais para profissionais IT Governance Alinhar as TI s com o negócio Os projetos

Leia mais

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425 CMDB no ITIL v3 Miguel Mira da Silva mms@ist.utl.pt 919.671.425 1 CMDB v2 Configuration Management IT components and the services provided with them are known as CI (Configuration Items) Hardware, software,

Leia mais

IT Governance. Alinhar as Tecnologias de Informação (TI s) www.pwc.pt/academy. Academia da PwC

IT Governance. Alinhar as Tecnologias de Informação (TI s) www.pwc.pt/academy. Academia da PwC www.pwc.pt/academy IT Governance Alinhar as Tecnologias de Informação (TI s) com o negócio Academia da PwC Considerando que existe um conjunto de factores críticos de sucesso na governação das Tecnologias

Leia mais

Implementação de Ferramentas de Gestão SOX ISO 20000 ISO 27001. Susana Carias Lisboa, 24 de Outubro de 2008

Implementação de Ferramentas de Gestão SOX ISO 20000 ISO 27001. Susana Carias Lisboa, 24 de Outubro de 2008 Implementação de Ferramentas de Gestão SOX ISO 20000 ISO 27001 Susana Carias Lisboa, 24 de Outubro de 2008 Agenda Introdução Desafio 1º passo Problemática ISO 27001 ISO 20000 Conclusões 2 Agenda Introdução

Leia mais

INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS

INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS Ana Helena da Silva, MCI12017 Cristiana Coelho, MCI12013 2 SUMMARY 1. Introduction 2. The importance of IT in Organizations 3. Principles of Security 4. Information

Leia mais

O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal

O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal 10 ANOS DO IPCG O GOVERNO SOCIETÁRIO EM PORTUGAL O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal Lisboa, 09 de Julho de 2013 SUMÁRIO 1. Acontecimentos empresariais e governance 2. Fatores normativos

Leia mais

Palavras-chaves: Auditoria. Controle Interno. Sarbanes Oxley. Planejamento Estratégico. Gestão de Riscos Corporativos. Processo de Negócio.

Palavras-chaves: Auditoria. Controle Interno. Sarbanes Oxley. Planejamento Estratégico. Gestão de Riscos Corporativos. Processo de Negócio. GESTÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO: a participação dos controles internos na gestão estratégica corporativa Nome: Ricardo Alexandre Gonçalves de Moura (Auditor especialista em revisão de controles internos

Leia mais

OS AUDITORES INTERNOS E A FRAUDE

OS AUDITORES INTERNOS E A FRAUDE OS AUDITORES INTERNOS E A FRAUDE Seminário KPMG / IPAI Lisboa, 4 de Março de 2010 Francisco de Melo Albino, CIA, CCSA, CGAP. - IPAI F. Melo Albino / IPAI Lisboa, 4.3.10 1 Auditoria interna A auditoria

Leia mais

Avaliação dos controles internos nos prestadores de serviços. Marco Antonio Renata Romariz

Avaliação dos controles internos nos prestadores de serviços. Marco Antonio Renata Romariz Avaliação dos controles internos nos prestadores de serviços Marco Antonio Renata Romariz Agenda Objetivo Cenário atual Riscos chaves associados a processos terceirizados Exemplos de serviços terceirizados

Leia mais

www.pwc.com/pt Disclosure management Breakfast seminar 17 de Janeiro de 2011

www.pwc.com/pt Disclosure management Breakfast seminar 17 de Janeiro de 2011 www.pwc.com/pt Disclosure management Breakfast seminar 17 de Janeiro de 2011 Agenda 08:45 Registo de participantes 09:00 Introdução 09:10 A divulgação e produção de declarações financeiras na perspectiva

Leia mais

OS NOVOS DESAFIOS DA GESTÃO DE RISCO Tiago Mora

OS NOVOS DESAFIOS DA GESTÃO DE RISCO Tiago Mora PATROCINADORES OURO Lisboa 28 e 29 Junho 2011 Museu do Oriente OS NOVOS DESAFIOS DA GESTÃO DE RISCO Tiago Mora O Contexto actual A Crescente Interdependência e vulnerabilidades à escala global: 2 O Contexto

Leia mais

Auditoria em Empresa Internacionalizada Prioridades, linha de reporte e ação: a AUDITORIA INTERNA NO CONBRAI 2009.

Auditoria em Empresa Internacionalizada Prioridades, linha de reporte e ação: a AUDITORIA INTERNA NO CONBRAI 2009. Auditoria em Empresa Internacionalizada Prioridades, linha de reporte e ação: a Caso FIAT AUDITORIA INTERNA NO CONBRAI 2009. DAVIDE NICASTRO FIAT REVI / Grupo FIAT Caso FIAT Modelo de controle interno

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação

Leia mais

SPICE e ISO 15504. Jorge H C Fernandes 2004

SPICE e ISO 15504. Jorge H C Fernandes 2004 SPICE e ISO 15504 Jorge H C Fernandes 2004 SPICE: Um Framework para a Avaliação Integrada de Processos de Software [SPICE 1] Process Identifies changes to Is examined by Process Assessment Identifies capability

Leia mais

COMPONENTES DO SMS RISCOS PERIGOS MITIGAÇÕES

COMPONENTES DO SMS RISCOS PERIGOS MITIGAÇÕES GABINETE DE SEGURANÇA DO AEROPORTO DE LISBOA - 2014 1 COMPONENTES DO SMS RISCOS PERIGOS MITIGAÇÕES COMPONENTES DO SMS SMS COMPONENTES DO SMS CORRIGIR... CORRIGIR... CORRIGIR... CORRIGIR... SUMÁRIO Introdução

Leia mais

OFFICE. Office Background

OFFICE. Office Background OFFICE Office Background Since it was founded in 2001, steady growth has been registered by the office in the Brazilian market of corporate law, a field in which our services are exemplary. The consolidation

Leia mais

Governação e Controlo Interno

Governação e Controlo Interno VIII FORUM DE AUDITORIA INTERNA Auditoria Desafios Futuros Instrumental Metodológico Governação e Controlo Interno Lisboa, 20 de Junho de 2013 SUMÁRIO 1. Corporate Governance 2. Corporate Governance e

Leia mais

Sobre o Palestrante. paulo.borges@segurti.pt SEGURTI

Sobre o Palestrante. paulo.borges@segurti.pt SEGURTI Bem-vindos! Sobre o Palestrante BSI ISO/IEC Accredited ISMS Implementer BSI ISO/IEC 27001 Lead Auditor PECB ISO/IEC 22301 Lead Auditor PECB ISO/IEC 20000 Lead Auditor Auditor do Gabinete Nacional de Segurança

Leia mais

A implementação de Sistemas de Gestão ISO27001 e ISO20000 Principais Etapas

A implementação de Sistemas de Gestão ISO27001 e ISO20000 Principais Etapas A implementação de Sistemas de Gestão ISO27001 e ISO20000 Principais Etapas Paulo Faroleiro ISO 20000 CC/LA, ISO 27001 CC/LA, CISA, CISM Certified Processes Auditor (BSI) Certified Project Manager C-Level

Leia mais

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda R E L AT Ó R I O D E AT I V I D A D E P R O F I S S I O N A L N A J. V A R G A S - G A B I N E T E T É C N I C O D E G E S T Ã O E

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão de Serviços de TI em Portugal

Certificação de Sistemas de Gestão de Serviços de TI em Portugal Certificação de Sistemas de Gestão de Serviços de TI em Portugal ISO/IEC 20000-1 Mário Lavado itsmf Portugal Aveiro 19 de Março de 2009 itsmf Portugal 1 Agenda 1. O que é a itsmf? 2. As normas ISO/IEC

Leia mais

A Gestão do Conhecimento por Meio da Aplicação de Modelos de Qualidade em Tecnologia da Informação

A Gestão do Conhecimento por Meio da Aplicação de Modelos de Qualidade em Tecnologia da Informação A Gestão do Conhecimento por Meio da Aplicação de Modelos de Qualidade em Tecnologia da Informação Prof. Dr. Jorge H C Fernandes Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília Junho de

Leia mais

The Secure Cloud. Gerir o risco e entregar valor num mundo virtual. C l o u d C o m p u t i n g F ó r u m 2 0 11 S e t e m b r o 2 0 11

The Secure Cloud. Gerir o risco e entregar valor num mundo virtual. C l o u d C o m p u t i n g F ó r u m 2 0 11 S e t e m b r o 2 0 11 The Secure Cloud Gerir o risco e entregar valor num mundo virtual C l o u d C o m p u t i n g F ó r u m 2 0 11 S e t e m b r o 2 0 11 Agenda Novas dimensões de governo e gestão do SI Entender e endereçar

Leia mais

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI Pólo de Competitividade das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica TICE.PT PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços

Leia mais

O Papel das Instituições Superiores de Controlo (ISC) para uma Fiscalização Parlamentar Eficaz. Carlos Maurício Figueirêdo

O Papel das Instituições Superiores de Controlo (ISC) para uma Fiscalização Parlamentar Eficaz. Carlos Maurício Figueirêdo O Papel das Instituições Superiores de Controlo (ISC) para uma Fiscalização Parlamentar Eficaz Carlos Maurício Figueirêdo Especialista em Instituições Superiores de Controle Praia, 10 de Março de 2015

Leia mais

NEXIA TEIXEIRA & ASSOCIADOS

NEXIA TEIXEIRA & ASSOCIADOS NEXIA TEIXEIRA & ASSOCIADOS Auditores e Consultores Contrate um parceiro profissional que poderá lhe ajudar no Brasil e no exterior nas áreas de auditoria, consultoria tributária e empresarial e de negócios.

Leia mais

O que o Órgão de Administração deve (realmente) saber sobre governança e gestão do Sistema de Informação

O que o Órgão de Administração deve (realmente) saber sobre governança e gestão do Sistema de Informação O que o Órgão de Administração deve (realmente) saber sobre governança e gestão do Sistema de Informação, CISA, CGEIT, CRISC, COBIT 5 F, PMP Os riscos Emergentes do Corporate Governance - oportunidades

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho Título: Direção e Taxa (Velocidade) de Acumulação de Capacidades Tecnológicas: Evidências de uma Pequena Amostra de Empresas de Software no Rio de Janeiro, 2004 Autor(a): Eduardo Coelho da Paz Miranda

Leia mais

IBM Rational Quality Manager. Felipe Freire IBM Rational pfreire@br.ibm.com

IBM Rational Quality Manager. Felipe Freire IBM Rational pfreire@br.ibm.com Gerenciamento de Qualidade IBM Rational Quality Manager Felipe Freire IBM Rational pfreire@br.ibm.com Introdução Jazz Rational Quality Manager Demonstração Agenda 2 Teste de software?!? O que é? Para que

Leia mais

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 -

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - Glossário BiSL Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - 1. Glossário de Terminologia Terminologia em Inglês Terminologia em Português BiSL processes Processos de BiSL Business data management

Leia mais

II Survey sobre a função de Auditoria Interna em Portugal - 2009

II Survey sobre a função de Auditoria Interna em Portugal - 2009 INTERNAL AUDIT, RISK AND COMPLIANCE SERVICES II Survey sobre a função de Auditoria Interna em Portugal - ADVISORY 2 II Survey sobre a função de Auditoria Interna em Portugal Sobre o Estudo A KPMG Advisory

Leia mais

A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações.

A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações. Pós Graduação em Information Security Gestão - Pós-Graduações Com certificação Nível: Duração: 180h Sobre o curso A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações. A competitividade

Leia mais

A Gestão do Risco Operacional e as TIC

A Gestão do Risco Operacional e as TIC Hélder Gonçalves A Gestão do Risco Operacional e as TIC O Contributo da Auditoria no Setor Financeiro Universidade Católica Editora Lisboa 2011 Índice Prefácio... 15 Capítulo 1 QUESTÕES DE INVESTIGAÇÃO,

Leia mais

Competências Gerenciais

Competências Gerenciais Gerenciais usando o PMCD para alavancar sua carreira Ayres set 2015 1 Ayres, MsC*, PMP, MBA, ITIL, ISO 20000, COBIT Consultor, professor e palestrante nas áreas de governança, gestão e projetos. Mestrando

Leia mais

Online Collaborative Learning Design

Online Collaborative Learning Design "Online Collaborative Learning Design" Course to be offered by Charlotte N. Lani Gunawardena, Ph.D. Regents Professor University of New Mexico, Albuquerque, New Mexico, USA July 7- August 14, 2014 Course

Leia mais

Autor: Débora Saraiva de Melo Anversa 1 Co-Autores: Teresinha Rita Boufleuer 2 Franciele Pastre 3 Andreici Daiani Vedovatto 4 Ademar Tibola 5

Autor: Débora Saraiva de Melo Anversa 1 Co-Autores: Teresinha Rita Boufleuer 2 Franciele Pastre 3 Andreici Daiani Vedovatto 4 Ademar Tibola 5 Proposta de Desenvolvimento do Empreendedor na INCTECh: adequação à prática chave segundo a metodologia CERNE 1. Proposal for Entrepreneurial Development at INCTECh: suitability to practice key according

Leia mais

The Institute of Internal Auditors IIA BRASIL

The Institute of Internal Auditors IIA BRASIL The Institute of Internal Auditors IIA BRASIL Certificações Internacionais 1 Manual do Candidato Apresentação: O IIA Global oferece aos profissionais de auditoria interna, no mundo inteiro, a possibilidade

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS Curricular Unit Plan ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS CURSO Licenciatura em Engenharia Informática U.C. GESTÃO DE PROJECTOS INFORMÁTICOS Horas presenciais / Ano 56 Ano Lectivo 2010

Leia mais

Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment

Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment SAFIRA is an IT consulting boutique known for transforming the way organizations do business, or fulfil their missions,

Leia mais

Enterprise risk management Como transformar a crise em oportunidades

Enterprise risk management Como transformar a crise em oportunidades www.pwc.pt/academia Enterprise risk management Como transformar a crise em oportunidades Academia da PwC Lisboa, 19 e 26 novembro, e 3 de dezembro A implementação de um sistema de gestão de risco (ERM)

Leia mais

IDC IT & Internet Security 2008. Rui Shantilal (rui.shantilal@oni.pt)

IDC IT & Internet Security 2008. Rui Shantilal (rui.shantilal@oni.pt) IDC IT & Internet Security 2008 Rui Shantilal (rui.shantilal@oni.pt) Security Practice Manager Agenda Definição de Risco Percepção geral de Risco Modelo de Abordagem de Risco Melhores práticas Definição

Leia mais

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012 Universidade do Minho Escola de Engenharia UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13 11 de outubro 2012 1 2 2 courses offered in the first semestre: Métodos de Investigação em Engenharia

Leia mais

Conselho de Administração

Conselho de Administração O Instituto dos Auditores Internos do Brasil é uma entidade civil sem fins econômicos que tem como objetivo proporcionar informações que agreguem valor à carreira dos seus associados. Oferecemos conhecimento,

Leia mais

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures GeoInfo - 2006 Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures Leonardo Lacerda Alves Clodoveu A. Davis Jr. Information Systems Lab

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação. Por. Ana Margarida Nisa Vintém

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação. Por. Ana Margarida Nisa Vintém UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação Relatório de estágio apresentado à Universidade Católica Portuguesa para obtenção do

Leia mais

METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DAS STARTUPS DO MIDI TECNOLÓGICO

METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DAS STARTUPS DO MIDI TECNOLÓGICO METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DAS STARTUPS DO MIDI TECNOLÓGICO RESUMO As incubadoras de empresas são ambientes dotados de competência gerencial, técnica e administrativa que impulsionam a promoção do nascimento

Leia mais

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica Normalização e interoperabilidade da informação geográfica perspetivas para a formação em Engenharia Geográfica João Catalão Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia Faculdade de Ciências

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO

SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO Cristina Alberto KPMG Advisory Consultores de Gestão, SA Agenda 1. Riscos Globais do Século XXI 2. Proteção

Leia mais

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP Know-how setorial e global pré-configurado Índice 1.Disponibilidade dos pacotes SAP Best Practices 2.Efetuar

Leia mais

Conferência de compliance

Conferência de compliance Confidencial Conferência de compliance Luanda 20 de Junho de 2013 Os principais temas em matérias de compliance a nivel mundial Gestão do e adequação de capital Protecção do consumidor Fiscal Conflitos

Leia mais

Iniciação ao software SIG Open Source WinGRASS 6.4 7-9 Maio 2010 Lisboa Cristina Catita, FCUL

Iniciação ao software SIG Open Source WinGRASS 6.4 7-9 Maio 2010 Lisboa Cristina Catita, FCUL Iniciação ao software SIG Open Source WinGRASS 6.4 7-9 Maio 2010 Lisboa Cristina Catita, FCUL Objectivos O objectivo deste curso é familiarizar os formandos com a utilização do software Geographic Resources

Leia mais

MATHEUS DE ALMEIDA GOMES NATHAN DANIEL GOMES SANTOS RENAN HENRIQUE SANTOS DA SILVA ITIL/COBIT

MATHEUS DE ALMEIDA GOMES NATHAN DANIEL GOMES SANTOS RENAN HENRIQUE SANTOS DA SILVA ITIL/COBIT MATHEUS DE ALMEIDA GOMES NATHAN DANIEL GOMES SANTOS RENAN HENRIQUE SANTOS DA SILVA ITIL/COBIT São Paulo 2015 Faculdade de Tecnologia de São Caetano do Sul ITIL/COBIT Monografia submetida como exigência

Leia mais

Avaliação de Riscos de SI Auditoria às Demonstrações Financeiras

Avaliação de Riscos de SI Auditoria às Demonstrações Financeiras Avaliação de Riscos de SI Auditoria às Demonstrações Financeiras Câmara de Comércio Luso-Belga-Luxemburguesa SEMINÁRIO Os riscos Emergentes do Corporate Governance oportunidades e ameaças dos Sistemas

Leia mais

Sistemas de certificação da qualidade nas instituições de respostas sociais

Sistemas de certificação da qualidade nas instituições de respostas sociais Sistemas de certificação da qualidade nas instituições de respostas sociais 1 Sistemas de certificação da qualidade nas instituições de respostas sociais Susana Lucas susana.lucas@estbarreiro.ips.pt Instituto

Leia mais

Tópicos Especiais. Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Aula Inaugural: MBA Gestão em TI T4 29/07/2009. Professor: Fernando Zaidan. Metodologia?!?

Tópicos Especiais. Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Aula Inaugural: MBA Gestão em TI T4 29/07/2009. Professor: Fernando Zaidan. Metodologia?!? Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Aula Inaugural: MBA Gestão em TI T4 Tópicos Especiais Biblioteca de Infra-Estrutura de TI Professor: Fernando Zaidan Julho - 2009 1 2 Acessos em 17 jul. 2009: http://www.trainning.com.br/artigo_itil.html

Leia mais

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 New Standards for Business SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 Quem Somos A SCORE INNOVATION é uma empresa que tem como objecto social a prestação de serviços em consultoria,

Leia mais

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks Intellectual Property IFAC Formatting Guidelines Translated Handbooks AUTHORIZED TRANSLATIONS OF HANDBOOKS PUBLISHED BY IFAC Formatting Guidelines for Use of Trademarks/Logos and Related Acknowledgements

Leia mais

14/03/2014. A importância da aplicação de metodologia na geração de resultados em Auditoria Interna Como as certificações podem ajudar?

14/03/2014. A importância da aplicação de metodologia na geração de resultados em Auditoria Interna Como as certificações podem ajudar? 14/03/2014 A importância da aplicação de metodologia na geração de resultados em Auditoria Interna Como as certificações podem ajudar? Eduardo da Costa Azevedo Gerente Executivo de Auditoria Interna Tegma

Leia mais

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE QUALIDADE E MELHORIA

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE QUALIDADE E MELHORIA PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE QUALIDADE E MELHORIA Índice Sumário Executivo... 1 Introdução... 2 O que é Qualidade?... 2 Qualidade na Auditoria Interna... 2 Conformance ou Compliance?... 3 Inserindo Qualidade

Leia mais

Da Framework CEO à Auditoria de Sistemas de Informação

Da Framework CEO à Auditoria de Sistemas de Informação Da Framework CEO à Auditoria de Sistemas de Informação Carlos Santos ISCA-UA/CEO-INESC, Aveiro, Portugal carlos.santos@isca.ua.pt André Vasconcelos CEO-INESC, Lisboa, Portugal andre.vasconcelos@ceo.inesc.pt

Leia mais

MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS

MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS 127 MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS VISUAL MODELING OF SOFTWARE FOR COMMUNICATION MANAGEMENT IN PROJECT MANAGEMENT Ricardo Rall 1 Arilson José

Leia mais

Utilizando o Rational Unified Process para atender a Lei Sarbanes- Oxley

Utilizando o Rational Unified Process para atender a Lei Sarbanes- Oxley Utilizando o Rational Unified Process para atender a Lei Sarbanes- Oxley Orlando Ovigli 1, Arthur Gomes 1, Patrícia Kimie 1, Márcia Ito 1,2 1 Gestão e Engenharia de Processos para desenvolvimento de Software

Leia mais

XXI Conferência Anual - IPAI

XXI Conferência Anual - IPAI XXI Conferência Anual - IPAI Desenvolvimento do Plano de Auditoria Interna Lisboa, VIP Grand Lisboa Hotel & Spa 20 Novembro 2014 AGENDA 1.Etapas que precedem o Desenvolvimento do Plano 2.Desenvolvimento

Leia mais

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil O futuro é (deveria ser) o sucesso Como estar preparado? O que você NÃO verá nesta apresentação Voltar

Leia mais

ASHRAE já certificou mais de 1.600 profissionais que demonstraram o seu conhecimento e experiência no setor de AVAC-R. Descubra como você pode

ASHRAE já certificou mais de 1.600 profissionais que demonstraram o seu conhecimento e experiência no setor de AVAC-R. Descubra como você pode ASHRAE já certificou mais de 1.600 profissionais que demonstraram o seu conhecimento e experiência no setor de AVAC-R. Descubra como você pode alcançar uma vantagem competitiva, ganhando uma certificação

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

The Institute of Internal Auditors

The Institute of Internal Auditors The Institute of Internal Auditors IIA BRASIL Certificações Internacionais 1 Manual do Candidato Apresentação: O IIA Global oferece aos profissionais de auditoria interna, no mundo inteiro, a possibilidade

Leia mais

Business Technology Optimization. Milton Cruz

Business Technology Optimization. Milton Cruz Business Technology Optimization Milton Cruz SUCESU/RJ - Agenda Com o aumento da complexidade da demanda por soluções de TI nas Organizações, é cada vez mais evidente que há necessidade de capacitação

Leia mais

Sistemas de Gestão na Segurança de Informação

Sistemas de Gestão na Segurança de Informação Public Safety & National Security Day Sistemas de Gestão na Segurança de Informação Paulo Faroleiro Lisboa, 10 de Dezembro 09 A Novabase Web site: www.novabase.pt Fundada em 1989 no seio académico no IST,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS UMA VANTAGEM COMPETITIVA COM A TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS AMANDA ZADRES DANIELA LILIANE ELIANE NUNES ELISANGELA MENDES Guarulhos

Leia mais