Processos Estocásticos. Introdução. Probabilidade. Introdução. Espaço Amostral. Luiz Affonso Guedes. Fenômenos Determinísticos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processos Estocásticos. Introdução. Probabilidade. Introdução. Espaço Amostral. Luiz Affonso Guedes. Fenômenos Determinísticos"

Transcrição

1 Processos Estocásticos Luiz ffonso Guedes Sumário Probabilidade Variáveis leatórias Funções de Uma Variável leatória Funções de Várias Variáveis leatórias Momentos e Estatística Condicional Teorema do Limite Central Processos Estocásticos nálise Espectral Filtragem e Predição Estocástica Processos Markovianos Probabilidade Definições de probabilidade Freqüência relativa xiomas da probabilidade Métodos de Contagem Probabilidade Condicional Teorema de bayes Introdução Fenômenos Determinísticos Conhecidos com certeza Não sujeitos às leis do acaso Ex.: o ano atual, idade de uma pessoa jovem Fenômenos Probabilísticos Não conhecidos com certeza Sujeitos às leis do acaso Ex.: face de um dado, se vai chover amanhã, se o Remo vai ser campeão Introdução Experimentos que ao serem repetidos nas mesmas condições não produzem o mesmo resultado são denominados de experimentos aleatórios. Mas por quê isto ocorre? Entradas/causas observadas Experimento Saídas/efeitos observados Espaço mostral Definiremos Espaço mostral (S) associado a um experimento o conjunto de seus resultados possíveis. Conjunto de todos os resultados possíveis de ocorrer. Pode ser discreto (finito ou infinito) ou contínuo. Entradas/causas observadas 1

2 Exemplos de Espaço mostral Exemplo1: Experimento de lançamento de um dado. O espaço amostral do experimento é o conjunto S = {1,2,3,4,5,6}. Exemplo2: Experimento de lançamento de dois dados simultaneamente. O espaço amostral do experimento é o conjunto S(primeira face, segunda face) = {????} Exemplos de Espaço mostral Exemplo3: Experimento de obtenção do tempo de vida de uma lâmpada. O espaço amostral do experimento é o conjunto S = {x: x real, x>0}. Processo estocástico é uma seqüência de experimentos, no qual cada um tem um número finito de resultados, com uma dada atribuição de probabilidade Exemplos de Processos Estocásticos Processo estocástico do exemplo1. Processo estocástico do exemplo3. Como um fabricante deve calcular o tempo de garantia de um produto seu. Uma TV, por exemplo? Eventos São qualquer subconjunto de um Espaço mostral. Os eventos podem ser simples ou compostos S evento certo Ø evento vazio (impossível) Exemplos de Eventos Exemplo1: Dar um número par Dar um número maior que 4 Dar um número entre 1 e 6 Exemplo2: soma dos resultados seja igual a 4 Que a soma dos resultados seja par Operações entre Eventos União: U B Se ocorrer pelo menos um dos eventos Interseção: B Se ocorrer ambos os eventos Complementar: c É o evento que ocorre quando não ocorrer. B 2

3 Exemplos de Operações com Eventos Uma urna contém bolas de um a quinze. Uma bola é retirada da urna e seu número anotado. Sejam e B os seguintes eventos: : o número da bola retirada é par, B: o número da bola retirada é múltiplo de 3. Determine: S,, B, UB, B e c Operações entre Eventos Implicação: B, implica em B. Igualdade: B e B = B. Mutuamente exclusivo: B = Ø Se a união de n eventos mutuamente exclusivos é o próprio S, dizemos que tais eventos são mutuamente exclusivos e exaustivos, ou formam uma partição em S. Exemplos em diagrama de Venn Propriedades das Operações entre Eventos Probabilidade 1. (UB) C = ( C) U (B C) 2. ( B) U C = ( U C) (B U C) 3. ( U B) c = c B c 4. ( B) c = c U B c B B Vem da idéia de mensurar eventos aleatórios. Procedimento de cálculo de propriedades de eventos aleatórios Número que reflita as chances de ocorrência de um evento aleatório. C C Probabilidade: definição clássica Dado um espaço amostral S com N eventos igualmente possíveis. Se é um evento em S composto de m eventos simples, a probabilidade de ocorrência de um evento num experimento é calculada por: P() = m / N É a razão entre os eventos desejáveis dentre o universo dos possíveis. Probabilidade: definição clássica Conseqüências: 1. P() = 0, para todo S; 2. Se e B são eventos mutuamente exclusivos, então: - P(UB) = P() + P(B) 3. P(S) = 1 4. P(UB) = P() + P(B) P( B) 3

4 Probabilidade: definição freqüentista Repetir um experimento sob as mesmas circunstâncias. probabilidade de ocorrência de um evento seria: P() = lim M/ N N M é o número de ocorrência do evento N é o número total de experimentos. Probabilidade: definição subjetiva Quando não a possibilidade de se aplicar os conceitos clássicos e freqüencista de probabilidade: Baseia-se em opinião sobre ocorrência de um evento. Probabilidade do resultado de um jogo. Probabilidade de haver aula. Probabilidade: definição axiomática Supõe as seguintes verdades absolutas: Dado um espaço amostral S e eventos e B, tem-se. 1. P() 0; 2. P(S) = 1; 3. Se e B são mutuamente exclusivos, P(+B) = P() + P(B) Propriedades da Probabilidade 1. P(Ø) = 0 2. P(S) = 1 3. P( U B U C) = P() + P(B) + P(C), se, B e C são mutuamente exclusivos. 4. P( c ) = 1 P() 5. P(UB) = P() + P(B) P( B) 6. Se B P() P(B) 7. P(UB) = P() + P( C B) Métodos de Contagem Para se calcular a probabilidade de um evento é necessário saber sua proporção dentro do universo dos eventos possíveis S P() =??? Supondo eventos equiprováveis Princípio Fundamental da Contagem Se uma tarefa é completada em N etapas seqüenciais, com n i possibilidade em cada etapa. Então, o número total de maneiras de realizar a tarefa é: Número Total = n 1 x n 2 x... n N??? Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 4

5 Com reposição ou sem reposição de amostras Elementos das amostras podem ser ordenados ou não ordenados Experimento sem reposição ordenado: Dada uma turma de N alunos, escolher 01 presidente, 01 tesoureiro e 01 secretário. rranjo Experimento sem reposição não ordenado: Dada uma turma de N alunos, escolher 03 representantes. Combinação Cálculo de experimento sem reposição ordenado: Ordenar n amostras de um conjunto de N elementos, sem reposição. (N) n = N (N-1)... (N-n+1) = N! / (N-n)! Escolher 01 goleiro e 01 centroavante entre 8 jogadores. Escolher 01 presidente, 01 tesoureiro, 01secretário numa turma de 15 formandos. Cálculo de experimento com reposição ordenado: Ordenar n amostras de um conjunto de N elementos, com reposição. N n= N N... N (já que há reposição) Escolher 01 goleiro e 01 capitão dentre 11 jogadores. Escolher 01 presidente e 01 tesoureiro dentre 15 alunos, sendo que há a possibilidade de se acumular os cargos. probabilidade é o razão entre os eventos desejados e os possíveis: Qual é a probabilidade de se lançar um dado 03 vezes e não ocorrer repetição de números? Na maternidade Parto Feliz nasceram 05 crianças numa determinada semana. Qual era a probabilidade de todas as crianças terem nascido em dias distintos? P() = (N) n / N n Permutação Se N = n P n = n! (n) n = n (n-1)... (n-n+1) Quantas palavras de 03 letras não repetidas posso formar com o seguinte conjunto de letras? L = {, I, B} 5

6 Experimento sem reposição não ordenado: Combinação de N elementos n a n. Dada uma turma de N alunos, escolher 03 representantes. Há menos possibilidades do que no caso ordenado, certo? C N,n = (N) n / P n = N!/(n! (N-n)!) (analisar!!!) Experimento sem reposição não ordenado: C N,n = (N) n / P n = N!/(n! (N-n)!) 8 times participam de um torneio de futebol. Cada equipe enfrenta todas as demais apenas uma vez. Quantos jogos serão realizados? E se houver jogos de ida e de volta? Escolher 03 pessoas num grupo de 10. C N,n Equivale dividir S em dois subconjunto: e c com n elementos e c com n1 elementos, sendo: N = n + n1 S - possui n elementos - S possui N elementos Generalização do problema: Dividir um conjunto S de N elementos em k subconjuntos, sendo que N = n 1 + n n k (n i número de elemento do i- ésimo subconjunto) Corresponde a k problemas encadeados de combinações (veja o diagrama de Venn) C N,n1 C (N-n1),n2... C nk,nk Generalização do problema: Que matematicamente é equivalente a: N! / (n 1! n 2!... n k!) C N,n1 C (N-n1),n2... C nk,nk Exemplos: O jogo de bridge corresponde a dividir o baralho de 52 entre 04 jogadores. Quantas maneiras há de se dividir o baralho? Será que isto é verdade? C N,n = N! / (n! (N-n)! ) (lembrete) Resp. C 52,13 C 39,13 C 26,13 C 13,13 6

7 Exemplos: O jogo de pôquer com 04 jogadores utiliza 32 cartas, distribuídas igualmente entre os 04 naipes. Baralho = {Naipes X Cartas} Naipes = {paus,espada,ouro,copas} Cartas = {7,8,9,10,Valete,Dama,Rei, Ás} Se um jogador receber na primeira mão 05 cartas, qual é a probabilidade dele receber só um par de ases (evento )? Resp. P() = C 4,2 C 7,3 ( C 4,1 C 4,1 C 4,1 )/ C 32,5 = 0,11 (0,0667) Processos de Bernoulli Qual é a probabilidade de ocorrer k vezes um eventos dentre N tentativas, sendo p a sua probabilidade do ocorrência? P() = p, P( c ) = 1 p P() P()...P() P( c )...P( c ) = p k (1-p) N-k Pode-se combinar esse conjunto de eventos de N, k a k maneiras. P{ ocorrer exatamente k vezes} = C N,k p k (1- p) N-k ÁS ÁS ÁS ÁS ÁS Processos de Bernoulli P{ ocorrer exatamente k vezes} = C N,k p k (1- p) N-k Exemplo: Qual é a probabilidade que em uma família com 04 filhos, 02 serem meninas? Resolução por Bernoulli ou de forma exaustiva. Resp. = 3/8 Processos de Bernoulli P{ ocorrer exatamente k vezes} = C N,k p k (1- p) N-k Exemplo: Um atirador tem três chances de acertar um alvo. Para ele vencer a competição deverá acertar pelo menos duas vezes no alvo. Sabendo-se que ele tem probabilidade de 0,4 de acerta um tiro, qual é a probabilidade dele vencer a competição? Resp. = 0,352 Probabilidade Condicional Probabilidade condicional Eventos independentes Teorema de Bayes Sejam dois eventos e B de um mesmo espaço amostral e supondo que P() > 0, a probabilidade condicional de B ocorrer dado que ocorreu é dada por: P(B/) = P( B) / P() É a probabilidade de ocorrer B (ou seja, e B) dentro do subconjunto dos eventos de. B P(B/) = 7

8 Probabilidade Condicional Dado: P(B/) = P( B) / P() probabilidade de ocorrer os eventos e B é igual a: P( B) = P(B/) P() = P() P(B/) probabilidade de ocorrer e ocorrer B dado que ocorreu B P(B/) = Probabilidade Condicional Exemplo: P(B/) = P( B) / P() Probabilidade Condicional Exemplo: experimentos seqüenciais que a ocorrência de um eventos na k-ésima etapa depende das etapas anteriores Dada uma urna com 03 bolas azuis e 07 vermelhas. Se 02 bolas são retiradas sem reposição, determine: Espaço amostral: P( 1 2 ) P( 1 V 2 ) P(V 1 2 ) P(V 1 V 2 ) P(/B) = P( B) / P(B) Probabilidade Condicional Generalização da probabilidade condicional: P( n ) = P( 1 ) P( 2 / 1 )P( 3 / 1 2 )... P( n / n-1 ) Interpretação: P() P(B/) P(C/B) P(BC) Probabilidade Condicional Exemplo: Dada uma urna com 03 bolas azuis e 07 vermelhas. Se 02 bolas são retiradas sem reposição, qual é a probabilidade de ocorrer a seguinte seqüência de eventos: P( 1 2 V 3 V 4 5 ) = 1/120 P ( V 4 V 5 ) =? P (V 1 V ) =?... Probabilidade Total P() = P(/B 1 ) P(B 1 ) + P(/B 2 ) P(B 2 )... P(/B n ) P(B n ) P() = P(B 1 ) + P(B 2 ) P(B n ) B 2 Conjuntos disjuntos B 1 B n 8

9 Probabilidade Total Exemplo: dada 03 urnas com as seguintes composições: Urna 1: 03 bolas brancas e 05 bolas vermelhas. Urna 2: 04 bolas brancas e 02 bolas vermelhas. Urna 2: 01 bola branca e 03 bolas vermelhas. probabilidade de escolha das urnas é, respectivamente: 2/6, 3/6 e 1/6. Qual é a probabilidade de se escolher uma bola branca? Resp. = ½ Interpretação via média ponderada. Teorema de Bayes Dado dois eventos e B, num mesmo espaço amostral, pela probabilidade condicional, temos: P ( B) = P() P(B/) P (B ) = P(B) P(/B) P() = P(B) P(/B) / P(B/) P(/B) = P(). P(B/) / P(B) Ponderação Teorema de Bayes Exemplo: dado um baralho com 52 cartas Qual é a probabilidade de se tirar uma Rainha, sabendo-se que a carta é uma figura? Qual é a probabilidade de se tirar uma Rainha, sabendo-se que a carta é de espada? Qual é a probabilidade de se tira uma Rainha de espada, sabendo-se que a carta é uma figura preta? Teorema de Bayes Exemplo: Um meteorologista acerta 80% dos dias em que chove e 90% dos dias em que não chove. Costuma chover em 10% dos dias. Tendo havido previsão de chuva para amanhã, qual é a probabilidade de realmente vir a chover? Chove Sol Total Prev. Ch. Prev. sol Total 1,0 Teorema de Bayes Generalização: Dadas duas partições de S (S= 1 U 2 ), então: P( 1 /B) = P( 1 ) P(B/ 1 ) / ( P( 1 ) P(B/ 1 ) + P( 2 ) P(B/ 2 ) ) Uma vez que: P(B) = P( 1 ) P(B/ 1 ) + P( 2 ) P(B/ 2 ) Para o caso de n partições: Teorema de Bayes Exemplo: Um companhia produz peças em 03 fábricas ( 1, 2 e 3 ), na proporção de 15%, 35% e 50%, respectivamente. Suas probabilidades de produzirem peças defeituosas são: 1%, 5% e 2%. Dado que o controle de qualidade detectou uma peça com defeito, qual é a probabilidade de ter sido produzida por cada uma das fábricas?» P( i /D) =? P( i /B) = P( i ) P(B/ i ) / Σ ( P( k ) P(B/ k ) ) Média ponderada 9

10 Independência entre Eventos Dois eventos são independente se a ocorrência de um dele não alterar a probabilidade de ocorrência do outro e viceversa. Sejam dois eventos e B, sendo P() > 0. O evento B é dito independente de se: P(B/) = P(B) Independência entre Eventos Como: P(B/) = P(B) (eventos independentes) P( B) = P() P(B) Se B é independente de, logo o inverso também é verdadeiro? Independência entre Eventos Exemplo: P(), P(B), P( B), P() P(B), P(/B) e P(B/) Independência é uma questão de proporção Independência entre Eventos Exemplo: Experimento: lançamento de 02 moedas Eventos: 1 (cara no 1 0 lançamento), 2 (cara no 2 0 lançamento) e 3 (ocorrência da mesma face nos dois lançamentos). Verifique: P( 1 ), P( 2 ), P( 3 ) P( 1 2 ), P( 1 3 ) e P( 2 3 ) P( ) P( ) = P( 1 ) P( 2 ) P( 3 )? Independência entre Eventos Com seria a independência de 03 eventos (,B,C) simultaneamente? P(B) = P() P(B) P(C) = P() P(C) P(BC) = P(B) P(C) P(BC) = P() P(B) P(C) E para n eventos? Exemplos Finais Um piloto de Fórmula 1 acaba de entrar no boxe com seu carro. Ele sabe que o carro apresenta pelo menos um entre dois problemas: de injeção e ou de bobina. probabilidade de haver problema de injeção é de 60% e a de bobina, 70%. Por outro lado, as probabilidade de o carro retornar à corrida são: a) 80% se houver só problema de bobina. b) 40% de houver só problema de injeção. c) 20% se houver ambos os problemas. Pergunta-se: i) Qual a probabilidade de que o carro esteja com os dois problemas? ii) Qual a probabilidade de que o carro retorne à corrida? iii) Se o carro retornar à corrida, qual a probabilidade de que ele estivesse com os dois problemas? iv) Qual a probabilidade do carro retornar à corrida, sabendo-se que o piloto é Rubens Barrichelo? 10

11 Exemplos Suponha que João recebeu um diagnóstico, após um exame hormonal, de que ele é homossexual. Ele entra em pânico. Então seu amigo, que está cursando a disciplina de processos estocásticos, diz a ele para se acalmar que ele vai fazer algumas contas para ver a real possibilidade deles continuarem amigos e freqüentarem JUNTOS o mesmo vestiário na academia. proporção de homossexuais na sociedade é de 10%. probabilidade de falso negativo no teste é de 40%. probabilidade de falso positivo é de 2%. 11

Estatística Empresarial. Fundamentos de Probabilidade

Estatística Empresarial. Fundamentos de Probabilidade Fundamentos de Probabilidade A probabilidade de chuva é de 90% A probabilidade de eu sair é de 5% Conceitos Básicos Conceitos Básicos 1. Experiência Aleatória (E) Processo de obtenção de uma observação

Leia mais

Chamamos de evento qualquer subconjunto do espaço amostral: A é um evento A Ω.

Chamamos de evento qualquer subconjunto do espaço amostral: A é um evento A Ω. PROBABILIDADE 1.0 Conceitos Gerais No caso em que os possíveis resultados de um experimento aleatório podem ser listados (caso discreto), um modelo probabilístico pode ser entendido como a listagem desses

Leia mais

Experiências Aleatórias. Espaço de Resultados. Acontecimentos

Experiências Aleatórias. Espaço de Resultados. Acontecimentos Experiências Aleatórias. Espaço de Resultados. Acontecimentos Experiência Aleatória É uma experiência em que: não se sabe exactamente o resultado que se virá a observar; conhece-se o universo dos resultados

Leia mais

T o e r o ia a da P oba ba i b lida d de

T o e r o ia a da P oba ba i b lida d de Teoria da Probabilidade Prof. Joni Fusinato Teoria da Probabilidade Consiste em utilizar a intuição humana para estudar os fenômenos do nosso cotidiano. Usa o princípio básico do aprendizado humano que

Leia mais

Estatística. Probabilidade. Conteúdo. Objetivos. Definições. Probabilidade: regras e aplicações. Distribuição Discreta e Distribuição Normal.

Estatística. Probabilidade. Conteúdo. Objetivos. Definições. Probabilidade: regras e aplicações. Distribuição Discreta e Distribuição Normal. Estatística Probabilidade Profa. Ivonete Melo de Carvalho Conteúdo Definições. Probabilidade: regras e aplicações. Distribuição Discreta e Distribuição Normal. Objetivos Utilizar a probabilidade como estimador

Leia mais

Teoria das Probabilidades

Teoria das Probabilidades Capítulo 2 Teoria das Probabilidades 2.1 Introdução No capítulo anterior, foram mostrados alguns conceitos relacionados à estatística descritiva. Neste capítulo apresentamos a base teórica para o desenvolvimento

Leia mais

3. Probabilidade P(A) =

3. Probabilidade P(A) = 7 3. Probabilidade Probabilidade é uma medida numérica da plausibilidade de que um evento ocorrerá. Assim, as probabilidades podem ser usadas como medidas do grau de incerteza e podem ser expressas de

Leia mais

Prof. Luiz Alexandre Peternelli

Prof. Luiz Alexandre Peternelli Exercícios propostos 1. Numa prova há 7 questões do tipo verdadeiro-falso ( V ou F ). Calcule a probabilidade de acertarmos todas as 7 questões se: a) Escolhermos aleatoriamente as 7 respostas. b) Escolhermos

Leia mais

INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE

INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE Foto extraída em http://www.alea.pt Profª Maria Eliane Universidade Estadual de Santa Cruz USO DE PROBABILIDADES EM SITUAÇÕES DO COTIDIANO Escolhas pessoais Previsão do tempo

Leia mais

Estatística e Modelos Probabilísticos - COE241

Estatística e Modelos Probabilísticos - COE241 Estatística e Modelos Probabilísticos - COE241 Aulas passadas Motivação Espaço Amostral, Eventos, Álgebra de eventos Aula de hoje Probabilidade Análise Combinatória Independência Probabilidade Experimentos

Leia mais

EST029 Cálculo de Probabilidade I Cap. 3: Probabilidade Condicional e Independência

EST029 Cálculo de Probabilidade I Cap. 3: Probabilidade Condicional e Independência EST029 Cálculo de Probabilidade I Cap. 3: Probabilidade Condicional e Independência Prof. Clécio da Silva Ferreira Depto Estatística - UFJF 1 Perguntas 1. Um novo aparelho para detectar um certo tipo de

Leia mais

Definição: É uma coleção bem definida de

Definição: É uma coleção bem definida de EST029 Cálculo de Probabilidade I Cap. 1: Introdução à Probabilidade Prof. Clécio da Silva Ferreira Depto Estatística - UFJF Conjuntos: Definição e notação Definição: É uma coleção bem definida de objetos,

Leia mais

Processos Estocásticos

Processos Estocásticos Processos Estocásticos Primeira Lista de Exercícios de junho de 0 Quantos códigos de quatro letras podem ser construídos usando-se as letras a, b, c, d, e, f se: a nenhuma letra puder ser repetida? b qualquer

Leia mais

Introdução à Probabilidade

Introdução à Probabilidade A Teoria de Probabilidade é responsável pelo estudo de fenômenos que envolvem a incerteza (é impossível prever antecipadamente o resultado) e teve origem na teoria de jogos, servindo como ferramenta para

Leia mais

Noções sobre Probabilidade

Noções sobre Probabilidade Noções sobre Probabilidade Introdução Vimos anteriormente como apresentar dados em tabelas e gráficos, e também como calcular medidas que descrevem características específicas destes dados. Mas além de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Probabilidade Departamento de Estatística UFPB Luiz Medeiros Introdução Encontramos na natureza dois tipos de fenômenos Determinísticos: Os resultados são sempre os mesmos

Leia mais

ESTATÍSTICA EXPLORATÓRIA

ESTATÍSTICA EXPLORATÓRIA ESTATÍSTICA EXPLORATÓRIA Prof Paulo Renato A. Firmino praf62@gmail.com Aulas 07-08 Probabilidade Apanhado Geral Seguimos nossas discussões sobre a Incerteza Decidir usualmente envolve incerteza Uma presa

Leia mais

TEORIA DAS PROBABILIDADES

TEORIA DAS PROBABILIDADES TEORIA DAS PROBABILIDADES 1.1 Introdução Ao estudarmos um fenômeno coletivo, verificamos a necessidade de descrever o próprio fenômeno e o modelo matemático associado ao mesmo, que permita explicá-lo da

Leia mais

Cap. 4 - Probabilidade

Cap. 4 - Probabilidade Estatística para Cursos de Engenharia e Informática Pedro Alberto Barbetta / Marcelo Menezes Reis / Antonio Cezar Bornia São Paulo: Atlas, 2004 Cap. 4 - Probabilidade APOIO: Fundação de Apoio à Pesquisa

Leia mais

Será que vai chover amanhã? Quantificando a incerteza. Probabilidades Aula 1

Será que vai chover amanhã? Quantificando a incerteza. Probabilidades Aula 1 Será que vai chover amanhã? Quantificando a incerteza Probabilidades Aula 1 Nosso dia-a-dia está cheio de incertezas Vai chover amanhã? Quanto tempo levarei de casa até a universidade? Em quanto tempo

Leia mais

3. A probabilidade do evento de números pares. 4. O evento formado por número menor que três. 5. A probabilidade do evento número menor que três.

3. A probabilidade do evento de números pares. 4. O evento formado por número menor que três. 5. A probabilidade do evento número menor que três. 1 a Lista de Exercício - Estatística (Probabilidade) Profa. Ms. Ulcilea A. Severino Leal Algumas considerações importantes sobre a resolução dos exercícios. (i) Normas da língua culta, sequência lógica

Leia mais

CE Estatística I

CE Estatística I CE 002 - Estatística I Agronomia - Turma B Professor Walmes Marques Zeviani Laboratório de Estatística e Geoinformação Departamento de Estatística Universidade Federal do Paraná 1º semestre de 2012 Zeviani,

Leia mais

1.4.2 Probabilidade condicional

1.4.2 Probabilidade condicional M. Eisencraft 1.4 Probabilidades condicionais e conjuntas 9 Portanto, P(A B) = P(A)+P(B) P(A B) (1.2) Para eventos mutuamente exclusivos, P(A B) = e P(A)+P(B) = P(A B). 1.4.2 Probabilidade condicional

Leia mais

Experiência Aleatória

Experiência Aleatória Probabilidades Experiência Aleatória Experiência aleatória é uma experiência em que: não se sabe exactamente o resultado que se virá a observar, mas conhece-se o universo dos resultados possíveis. Exemplo

Leia mais

Fernando de Pol Mayer. Laboratório de Estatística e Geoinformação (LEG) Departamento de Estatística (DEST) Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Fernando de Pol Mayer. Laboratório de Estatística e Geoinformação (LEG) Departamento de Estatística (DEST) Universidade Federal do Paraná (UFPR) Fernando de Pol Mayer Laboratório de Estatística e Geoinformação (LEG) Departamento de Estatística (DEST) Universidade Federal do Paraná (UFPR) Este conteúdo está disponível por meio da Licença Creative

Leia mais

Os experimentos que repetidos sob as mesmas condições produzem resultados geralmente diferentes serão chamados experimentos aleatórios.

Os experimentos que repetidos sob as mesmas condições produzem resultados geralmente diferentes serão chamados experimentos aleatórios. PROBABILIDADE A teoria das Probabilidades é o ramo da Matemática que cria, desenvolve e em geral pesquisa modelos que podem ser utilizados para estudar experimentos ou fenômenos aleatórios. Os experimentos

Leia mais

PROBABILIDADE PROPRIEDADES E AXIOMAS

PROBABILIDADE PROPRIEDADES E AXIOMAS PROBABILIDADE ESPAÇO AMOSTRAL É o conjunto de todos os possíveis resultados de um experimento aleatório. A este conjunto de elementos denominamos de espaço amostral ou conjunto universo, simbolizado por

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS E MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Campus de Lhanguene, Av. de Moçambique, km 1, Tel: +258 21401078, Fax: +258 21401082, Maputo Cursos de Licenciatura em Ensino de Matemática

Leia mais

Definição de Probabilidade

Definição de Probabilidade INTRODUÇÃO A TEORIA DAS PROBABILIDADES A teoria das probabilidade nada mais é do que o bom senso transformado em cálculo A probabilidade é uma medida da incerteza dos fenômenos. Traduz-se por um número

Leia mais

3. (Apostila 1 - ex.1.4) Defina um espaço amostral para cada um dos seguintes experimentos

3. (Apostila 1 - ex.1.4) Defina um espaço amostral para cada um dos seguintes experimentos Primeira Lista de Exercícios Introdução à probabilidade e à estatística Prof Patrícia Lusié Assunto: Probabilidade. 1. (Apostila 1 - ex.1.1) Lançam-se três moedas. Enumerar o espaço amostral e os eventos

Leia mais

Aula - Introdução a Teoria da Probabilidade

Aula - Introdução a Teoria da Probabilidade Introdução a Teoria da Probabilidade Prof. Magnos Martinello Aula - Introdução a Teoria da Probabilidade Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI 5 de dezembro de

Leia mais

Eisencraft e Loiola 2.1 Probabilidade 37. Para resolver problemas de probabilidades são necessários 3 passos:

Eisencraft e Loiola 2.1 Probabilidade 37. Para resolver problemas de probabilidades são necessários 3 passos: Eisencraft e Loiola 2.1 Probabilidade 37 Modelo matemático de experimentos Para resolver problemas de probabilidades são necessários 3 passos: a Estabelecimento do espaço das amostras b Definição dos eventos

Leia mais

Probabilidade Básica. Capítulo 1 EXPERIMENTOS ALEATÓRIOS ESPAÇOS AMOSTRAIS

Probabilidade Básica. Capítulo 1 EXPERIMENTOS ALEATÓRIOS ESPAÇOS AMOSTRAIS Capítulo 1 Probabilidade Básica EXPERIMENTOS ALEATÓRIOS Todos estão familiarizados com a importância dos experimentos na ciência e na engenharia. A experimentação é útil porque podemos presumir que, se

Leia mais

Resumo. Parte 2 Introdução à Teoria da Probabilidade. Ramiro Brito Willmersdorf Introdução.

Resumo. Parte 2 Introdução à Teoria da Probabilidade. Ramiro Brito Willmersdorf Introdução. Parte 2 Introdução à Teoria da Probabilidade Ramiro Brito Willmersdorf ramiro@willmersdorf.net Departamento de Engenharia Mecânica Universidade Federal de Pernambuco 2011.2 Resumo 1 Introdução 2 Espaço

Leia mais

PROBABILIDADE. É o conjunto de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório. A letra que representa o espaço amostral, é S.

PROBABILIDADE. É o conjunto de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório. A letra que representa o espaço amostral, é S. PROBABILIDADE A história da teoria das probabilidades, teve início com os jogos de cartas, dados e de roleta. Esse é o motivo da grande existência de exemplos de jogos de azar no estudo da probabilidade.

Leia mais

Estatística. Capítulo 4: Distribuições Teóricas de Probabilidades de Variáveis Aleatórias Discretas. Professor Fernando Porto

Estatística. Capítulo 4: Distribuições Teóricas de Probabilidades de Variáveis Aleatórias Discretas. Professor Fernando Porto Estatística Capítulo 4: Distribuições Teóricas de Probabilidades de Variáveis Aleatórias Discretas Professor Fernando Porto Capítulo 4 Baseado no Capítulo 4 do livro texto, Distribuições Teóricas de Probabilidades

Leia mais

Estatística Básica. Probabilidade. Renato Dourado Maia. Instituto de Ciências Agrárias. Universidade Federal de Minas Gerais

Estatística Básica. Probabilidade. Renato Dourado Maia. Instituto de Ciências Agrárias. Universidade Federal de Minas Gerais Estatística Básica Probabilidade Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Probabilidade Condicional Dados dois eventos A e B, a probabilidade condicional

Leia mais

PROBABILIDADES E INTRODUÇÃO A PROCESSOS ESTOCÁSTICOS. Aula 7 11 e 12 abril MOQ-12 Probabilidades e Int. a Processos Estocásticos

PROBABILIDADES E INTRODUÇÃO A PROCESSOS ESTOCÁSTICOS. Aula 7 11 e 12 abril MOQ-12 Probabilidades e Int. a Processos Estocásticos PROBABILIDADES E INTRODUÇÃO A PROCESSOS ESTOCÁSTICOS Aula 7 11 e 12 abril 2007 1 Distribuições Discretas 1. Distribuição Bernoulli 2. Distribuição Binomial 3. Distribuição Geométrica 4. Distribuição Pascal

Leia mais

PROBABILIDADE. Numero de Resultados Desejado Numero de Resultados Possiveis EXERCÍCIOS DE AULA

PROBABILIDADE. Numero de Resultados Desejado Numero de Resultados Possiveis EXERCÍCIOS DE AULA PROBABILIDADE São duas as questões pertinentes na resolução de um problema envolvendo probabilidades. Primeiro, é preciso quantificar o conjunto de todos os resultados possíveis, que será chamado de espaço

Leia mais

Probabilidade. Experiências aleatórias

Probabilidade. Experiências aleatórias Probabilidade Experiências aleatórias 1 Experiências aleatórias Acontecimento: Qualquer colecção de resultados de uma experiência. Acontecimento elementar: Um resultado que não pode ser simplificado ou

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Teoremas e operações com conjuntos

MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Teoremas e operações com conjuntos MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Teoremas e operações com conjuntos Exercícios de exames e testes intermédios 1. Seja Ω, conjunto finito, o espaço de resultados associado a uma certa experiência

Leia mais

Probabilidade I. Departamento de Estatística. Universidade Federal da Paraíba

Probabilidade I. Departamento de Estatística. Universidade Federal da Paraíba Probabilidade I Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba Prof. Tarciana Liberal (UFPB) Aula Probabilidade Condicional 08/16 1 / 56 Introdução É provável que você ganhe um aumento....

Leia mais

Probabilidade. Evento (E) é o acontecimento que deve ser analisado.

Probabilidade. Evento (E) é o acontecimento que deve ser analisado. Probabilidade Definição: Probabilidade é uma razão(divisão) entre a quantidade de eventos e a quantidade de amostras. Amostra ou espaço amostral é o conjunto formado por todos os elementos que estão incluídos

Leia mais

Objetivos. Frequência Relativa X Probabilidade. Probabilidade. 1. Definições: Experimento Espaço Amostral Evento Probabilidade

Objetivos. Frequência Relativa X Probabilidade. Probabilidade. 1. Definições: Experimento Espaço Amostral Evento Probabilidade Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia LPRM Objetivos 1. Definições: Experimento Espaço Amostral Evento

Leia mais

RESOLUÇÃO DAS ATIVIDADES E FORMALIZAÇÃO DOS CONCEITOS

RESOLUÇÃO DAS ATIVIDADES E FORMALIZAÇÃO DOS CONCEITOS CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO Curso de Administração Disciplina: Estatística I Professora: Stefane L. Gaffuri RESOLUÇÃO DAS ATIVIDADES E FORMALIZAÇÃO DOS CONCEITOS Sessão 1 Experimentos Aleatórios e

Leia mais

Daniel Queiroz VARIÁVEIS ALEATÓRIAS DISCRETAS

Daniel Queiroz VARIÁVEIS ALEATÓRIAS DISCRETAS Daniel Queiroz VARIÁVEIS ALEATÓRIAS DISCRETAS INTRODUÇÃO O que é uma variável aleatória? Um tipo de variável que depende do resultado aleatório de um experimento aleatório. Diz-se que um experimento é

Leia mais

Probabilidade e Estatística

Probabilidade e Estatística Aula 3 Professora: Rosa M. M. Leão Probabilidade e Estatística Conteúdo: 1.1 Por que estudar? 1.2 O que é? 1.3 População e Amostra 1.4 Um exemplo 1.5 Teoria da Probabilidade 1.6 Análise Combinatória 3

Leia mais

PROBABILIDADE 1. INTRODUÇÃO

PROBABILIDADE 1. INTRODUÇÃO proporção de caras Revisões PROBABILIDADE 1. INTRODUÇÃO As experiências aleatórias apresentam as seguintes características:.o resultado individual é imprevisível.são conhecidos todos os possíveis resultados.a

Leia mais

ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO

ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO 1. (Magalhães e Lima, pg 40) Para cada um dos casos abaixo, escreva o espaço amostral correspondente e conte seus elementos: (a) Uma moeda é lançada duas vezes

Leia mais

Noções sobre probabilidade

Noções sobre probabilidade Capítulo 3 Noções sobre probabilidade Um casal tem dois filhos. Qual é a probabilidade de: o primogênito ser homem? os dois filhos serem homens? pelo menos um dos filhos ser homem? A teoria das probabilidades

Leia mais

Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS

Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS Dois ou mais eventos são mutuamente exclusivos, ou disjuntos, se os mesmos não podem ocorrer simultaneamente. Isto é, a ocorrência de um

Leia mais

Experiências aleatórias e probabilidade

Experiências aleatórias e probabilidade Experiências aleatórias e probabilidade L.J. Amoreira UBI Novembro 2010 Experiências aleatórias Experiências aleatórias são aquelas cujos resultados não são conhecidos de antemão. Espaço de resultados

Leia mais

Tópicos. Conjuntos Fatorial Combinações Permutações Probabilidade Binômio de Newton triângulo de Pascal

Tópicos. Conjuntos Fatorial Combinações Permutações Probabilidade Binômio de Newton triângulo de Pascal Probabilidade Tópicos Conjuntos Fatorial Combinações Permutações Probabilidade Binômio de Newton triângulo de Pascal Conjuntos Conjunto: Na matemática, um conjunto é uma coleção de elementos com características

Leia mais

Probabilidade e Estatística Preparação para P1

Probabilidade e Estatística Preparação para P1 robabilidade e Estatística reparação para rof.: Duarte ) Uma TV que valia R$ 00,00, entrou em promoção e sofreu uma redução de 0% em seu preço. Qual é o novo preço da TV? ) Um produto foi vendido por R$

Leia mais

CAPÍTULO 4 PROBABILIDADE PROBABILIDADE PPGEP Espaço Amostral e Eventos Espaço Amostral e Eventos UFRGS. Probabilidade.

CAPÍTULO 4 PROBABILIDADE PROBABILIDADE PPGEP Espaço Amostral e Eventos Espaço Amostral e Eventos UFRGS. Probabilidade. PROBABILIDADE CAPÍTULO 4 PROBABILIDADE UFRGS A Teoria das s estuda os fenômenos aleatórios. Fenômeno Aleatório: são os fenômenos cujo resultado não pode ser previsto exatamente. Se o fenômeno se repetir,

Leia mais

Técnicas de Contagem I II III IV V VI

Técnicas de Contagem I II III IV V VI Técnicas de Contagem Exemplo Para a Copa do Mundo 24 países são divididos em seis grupos, com 4 países cada um. Supondo que a escolha do grupo de cada país é feita ao acaso, calcular a probabilidade de

Leia mais

Efeito. Causas. Determinístico. Sistema Real. Probabilístico. Experiência para o qual o. modelo probabilístico é adequado.

Efeito. Causas. Determinístico. Sistema Real. Probabilístico. Experiência para o qual o. modelo probabilístico é adequado. Sistema Real Determinístico Probabilístico Causas Efeito X Causas Efeito Eperiência para o qual o modelo probabilístico é adequado. ❶ Não é possível prever um resultado particular, mas pode-se enumerar

Leia mais

Aula 9 Teorema da probabilidade total e teorema de Bayes

Aula 9 Teorema da probabilidade total e teorema de Bayes Aula 9 Teorema da probabilidade total e teorema de Bayes Nesta aula você estudará dois importantes teoremas de probabilidade e verá suas aplicações em diversas situações envolvendo a tomada de decisão.

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1 ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES

LISTA DE EXERCÍCIOS 1 ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES LISTA DE EXERCÍCIOS 1 ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES 1- Ordene os dados indicando o 1º, 2º e 3º quartil 45, 56, 62, 67, 48, 51, 64, 71, 66, 52, 44, 58, 55, 61, 48, 50, 62, 51, 61, 55 2- Faça a análise da

Leia mais

Probabilidade e Estatística. Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança

Probabilidade e Estatística. Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança Probabilidade e Estatística Prof. Dr. Narciso Gonçalves da Silva http://páginapessoal.utfpr.edu.br/ngsilva Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança Introdução A inferência estatística é o processo

Leia mais

Estatística. Capítulo 3 - Parte 1: Variáveis Aleatórias Discretas. Professor Fernando Porto

Estatística. Capítulo 3 - Parte 1: Variáveis Aleatórias Discretas. Professor Fernando Porto Estatística Capítulo 3 - Parte 1: Variáveis Aleatórias Discretas Professor Fernando Porto Lançam-se 3 moedas. Seja X o número de ocorrências da face cara. O espaço amostral do experimento é: W = {(c,c,c),(c,c,r),(c,r,c),(c,r,r),(r,c,c),(r,c,r),(r,r,c),(r,r,r)}

Leia mais

Aula 6 Revisão de análise combinatória

Aula 6 Revisão de análise combinatória Aula 6 Revisão de análise combinatória Conforme você verá na próxima aula, a definição clássica de probabilidade exige que saibamos contar o número de elementos de um conjunto. Em algumas situações, é

Leia mais

1- INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS BÁSICOS

1- INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS BÁSICOS 1 1- INTRODUÇÃO O termo probabilidade é usado de modo muito amplo na conversação diária para sugerir um certo grau de incerteza sobre o que ocorreu no passado, o que ocorrerá no futuro ou o que está ocorrendo

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística

Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística Prova 1 de Probabilidade I Prof.: Fabiano F. T. dos Santos Goiânia, 15 de setembro de 2014 Aluno: Nota: Descreva seu raciocínio e desenvolva

Leia mais

Adição de probabilidades. O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e):

Adição de probabilidades. O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e): Adição de probabilidades O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e): Dois eventos A e B são ditos mutuamente exclusivos se, e somente se, A B

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES TURMA PM-PE PROBABILIDADE

BANCO DE QUESTÕES TURMA PM-PE PROBABILIDADE 01. (UNICAMP 016) Uma moeda balanceada é lançada quatro vezes, obtendo-se cara exatamente três vezes. A probabilidade de que as caras tenham saído consecutivamente é igual a A) 1. B). 8 C) 1. D). 0. (UNESP

Leia mais

Módulo de Introdução à Probabilidade. Ferramentas Básicas. 2 a série E.M.

Módulo de Introdução à Probabilidade. Ferramentas Básicas. 2 a série E.M. Módulo de Introdução à Probabilidade Ferramentas Básicas. a série E.M. Probabilidade Ferramentas Básicas Exercícios Introdutórios Exercício. Uma prova é composta por 5 questões de múltipla escolha com

Leia mais

SUMÁRIO. Prefácio, Espaço amostrai, Definição de probabilidade, Probabilidades finitas dos espaços amostrais fin itos, 20

SUMÁRIO. Prefácio, Espaço amostrai, Definição de probabilidade, Probabilidades finitas dos espaços amostrais fin itos, 20 SUMÁRIO Prefácio, 1 3 1 CÁLCULO DAS PROBABILIDADES, 15 1.1 Introdução, 15 1.2 Caracterização de um experimento aleatório, 15 1.3 Espaço amostrai, 16 1.4 Evento, 17 1.5 Eventos mutuamente exclusivos, 17

Leia mais

Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais. Paulo Cezar Pinto Carvalho

Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais. Paulo Cezar Pinto Carvalho Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais Paulo Cezar Pinto Carvalho Exercícios Adicionais Contagem e Probabilidade Para os alunos dos Grupos 1 e 2 1. Um grupo de 4 alunos (Alice, Bernardo, Carolina

Leia mais

Capítulo 2 Probabilidades

Capítulo 2 Probabilidades Capítulo 2 Probabilidades Slide 1 Definições Slide 2 Acontecimento Qualquer colecção de resultados de uma experiência. Acontecimento elementar Um resultado que não pode ser simplificado ou reduzido. Espaço

Leia mais

Variável Aleatória. Gilson Barbosa Dourado 6 de agosto de 2008

Variável Aleatória. Gilson Barbosa Dourado 6 de agosto de 2008 Variável Aleatória Gilson Barbosa Dourado gdourado@uneb.br 6 de agosto de 2008 Denição de Variável Aleatória Considere um experimento E e seu espaço amostral Ω = {a 1, a 2,..., a n }. Variável aleatória

Leia mais

PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA. Profa. Dra. Yara de Souza Tadano

PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA. Profa. Dra. Yara de Souza Tadano PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA Profa. Dra. Yara de Souza Tadano yaratadano@utfpr.edu.br Aula 7 11/2014 Variáveis Aleatórias Variáveis Aleatórias Probabilidade e Estatística 3/41 Variáveis Aleatórias Colete

Leia mais

Tema 4- Modelos de probabilidade. (Versão: para o manual a partir de 2016/17)

Tema 4- Modelos de probabilidade. (Versão: para o manual a partir de 2016/17) Tema 4- Modelos de probabilidade. (Versão: para o manual a partir de 016/17) 1- Modelos de probabilidade(136) 1.1) Introdução.(36) (Vídeo: 33) 1.) Fenómenos aleatórios(138) Experiência determinística-produz

Leia mais

Introdução à Probabilidade - parte III

Introdução à Probabilidade - parte III Introdução à Probabilidade - parte III Erica Castilho Rodrigues 02 de Outubro de 2012 Eventos Independentes 3 Eventos Independentes Independência Em alguns casos podemos ter que P(A B) = P(A). O conhecimento

Leia mais

PROBABILIDADES Disciplina de Pós-Graduação Departamento de Matemática

PROBABILIDADES Disciplina de Pós-Graduação Departamento de Matemática PROBABILIDADES Disciplina de Pós-Graduação Departamento de Matemática (Apostila #1) INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE A Teoria de Probabilidades nada mais é que senso comum transformado em cálculo Laplace Exemplos

Leia mais

Probabilidade: aula 2, 3 e 4

Probabilidade: aula 2, 3 e 4 Probabilidade: aula 2, 3 e 4 Regras de contagem e combinatória Permutação Simples: Exemplo: De quantas maneiras 5 pessoas podem viajar em um automóvel com 5 lugares, se apenas uma delas sabe dirigir? Atividade:

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística

Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística Prova de Probabilidade Prof.: Fabiano F. T. dos Santos Goiânia, 31 de outubro de 014 Aluno: Nota: Descreva seu raciocínio e desenvolva

Leia mais

Se A =, o evento é impossível, por exemplo, obter 7 no lançamento de um dado.

Se A =, o evento é impossível, por exemplo, obter 7 no lançamento de um dado. PROBABILIDADE Espaço amostral Espaço amostral é o conjunto universo U de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório. O número de elementos desse conjunto é indicado por n(u). Exemplos: No

Leia mais

PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA UNIDADE V - INTRODUÇÃO À TEORIA DAS PROBABILIDADES

PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA UNIDADE V - INTRODUÇÃO À TEORIA DAS PROBABILIDADES PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA UNIDADE V - INTRODUÇÃO À TEORIA DAS PROBABILIDADES 0 1 INTRODUÇÃO A teoria das probabilidades é utilizada para determinar as chances de um experimento aleatório acontecer. 1.1

Leia mais

Uma estatística é uma característica da amostra. Ou seja, se

Uma estatística é uma característica da amostra. Ou seja, se Estatística Uma estatística é uma característica da amostra. Ou seja, se X 1,..., X n é uma amostra, T = função(x 1,..., X n é uma estatística. Exemplos X n = 1 n n i=1 X i = X 1+...+X n : a média amostral

Leia mais

UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA - DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA

UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA - DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA - DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA SUMÁRIO 1. COMBINATÓRIA... 3 1.1. CONJUNTOS... 3 1.2. OPERAÇÕES COM CONJUNTOS... 3 1.3. APLICAÇÕES

Leia mais

VARIÁVEIS ALEATÓRIAS E DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE

VARIÁVEIS ALEATÓRIAS E DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE VARIÁVEIS ALEATÓRIAS E DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE.1 INTRODUÇÃO Admita que, de um lote de 10 peças, 3 das quais são defeituosas, peças são etraídas ao acaso, juntas (ou uma a uma, sem reposição). Estamos

Leia mais

Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Cálculo das Probabilidades e Estatística I Cálculo das Probabilidades e Estatística I Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Modelos de distribuição Para utilizar a teoria

Leia mais

MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 5: Resumo de Probabilidade

MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 5: Resumo de Probabilidade MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 5: Resumo de Probabilidade Edson de Faria Departamento de Matemática IME-USP 26 de Agosto, 2013 Probabilidade: uma Introdução / Aula 5 1 Variáveis aleatórias Definição

Leia mais

PARTE TEÓRICA Perguntas de escolha múltipla

PARTE TEÓRICA Perguntas de escolha múltipla PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA MIEEC/FEUP PARTE TEÓRICA Perguntas de escolha múltipla 1 Dada a experiência aleatória ε define-se espaço amostral associado a ε como sendo: A O espaço físico onde se realiza

Leia mais

ESTATÍSTICA. Profª M. Sc. Ingrid Milléo. quarta-feira, 2 de outubro de 13

ESTATÍSTICA. Profª M. Sc. Ingrid Milléo. quarta-feira, 2 de outubro de 13 ESTATÍSTICA Profª M. Sc. Ingrid Milléo imilleo@ig.com.br EXEMPLO PROBABILIDADE Suponha que você tenha ganho o prêmio máximo na loteria federal. Cinco vezes consecubvas. PROBABILIDADE REGRA DO EVENTO RARO

Leia mais

Variável Aleatória Poisson. Número de erros de impressão em uma

Variável Aleatória Poisson. Número de erros de impressão em uma EST029 Cálculo de Probabilidade I Cap. 7. Principais Variáveis Aleatórias Discretas Prof. Clécio da Silva Ferreira Depto Estatística - UFJF Variável Aleatória Poisson Caraterização: Usa-se quando o experimento

Leia mais

Probabilidade Condicional e Independência

Probabilidade Condicional e Independência Meyer, P. L., Probabilidade: aplicações à Estatística, 2ª edição, Livros Técnicos e Científicos Editora, Rio de Janeiro, 1983. 1. A urna 1 contém x bolas brancas e y bolas vermelhas. A urna 2 contém z

Leia mais

Unidade III ESTATÍSTICA. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade III ESTATÍSTICA. Prof. Fernando Rodrigues Unidade III ESTATÍSTICA Prof. Fernando Rodrigues Medidas de dispersão Estudamos na unidade anterior as medidas de tendência central, que fornecem importantes informações sobre uma sequência numérica. Entretanto,

Leia mais

Termo-Estatística (2013) 2ª Aula. Prof. Alvaro Vannucci

Termo-Estatística (2013) 2ª Aula. Prof. Alvaro Vannucci Termo-Estatística (2013) 2ª Aula Prof. Alvaro Vannucci Na Mecânica Estatística, será muito útil a utilização dos conceitos básicos de Análise Combinatória e Probabilidade. Por ex., uma garota vai sair

Leia mais

c) 17 b) 4 17 e) 17 21

c) 17 b) 4 17 e) 17 21 Probabilidade I Exercícios. Dois jogadores A e B vão lançar um par de dados. Eles combinam que se a soma dos números dos dados for 5, A ganha e se a soma for 8, B é quem ganha. Os dados são lançados. Sabe-se

Leia mais

CAPÍTULO I - ELEMENTOS DE PROBABILIDADE

CAPÍTULO I - ELEMENTOS DE PROBABILIDADE CAPÍTULO I - ELEMENTOS DE PROBABILIDADE 1.1 INTRODUÇÃO Em geral, um experimento ao ser observado e repetido sob um mesmo conjunto especificado de condições, conduz invariavelmente ao mesmo resultado. São

Leia mais

1 Distribuição de Bernoulli

1 Distribuição de Bernoulli Centro de Ciências e Tecnlogia Agroalimentar - Campus Pombal Disciplina: Estatística Básica - 2013 Aula 6 Professor: Carlos Sérgio Distribuições Teóricas de Probabilidades de Variáveis Aleatórias Discretas

Leia mais

Variáveis Aleatórias. Prof. Tarciana Liberal Departamento de Estatística - UFPB

Variáveis Aleatórias. Prof. Tarciana Liberal Departamento de Estatística - UFPB Variáveis Aleatórias Prof. Tarciana Liberal Departamento de Estatística - UFPB Introdução Ao descrever o espaço amostral de um experimento aleatório, não especificamos que um resultado individual seja

Leia mais

1) Calcular a probabilidade de se obter 2 prêmios ao abrirem-se 2 círculos de uma mesa com 25 círculos dos quais 5 são premiados.

1) Calcular a probabilidade de se obter 2 prêmios ao abrirem-se 2 círculos de uma mesa com 25 círculos dos quais 5 são premiados. COLÉGIO SANTA MARIA Matemática I / II - Professor: Flávio Verdugo Ferreira Lista de exercícios: Probabilidades 1) Calcular a probabilidade de se obter 2 prêmios ao abrirem-se 2 círculos de uma mesa com

Leia mais

O conceito de probabilidade

O conceito de probabilidade A UA UL LA O conceito de probabilidade Introdução Nesta aula daremos início ao estudo da probabilidades. Quando usamos probabilidades? Ouvimos falar desse assunto em situações como: a probabilidade de

Leia mais

Aula de Exercícios - Teorema de Bayes

Aula de Exercícios - Teorema de Bayes Aula de Exercícios - Teorema de Bayes Organização: Rafael Tovar Digitação: Guilherme Ludwig Primeiro Exemplo - Estagiários Três pessoas serão selecionadas aleatóriamente de um grupo de dez estagiários

Leia mais

Estimando probabilidades

Estimando probabilidades A UA UL LA Estimando probabilidades Introdução Nas aulas anteriores estudamos o cálculo de probabilidades e aplicamos seu conceitos a vários exemplos. Assim, vimos também que nem sempre podemos calcular

Leia mais

Teoria das Desições Financeiras II p.1/22

Teoria das Desições Financeiras II p.1/22 Teoria das Desições Financeiras II José Fajardo Barbachan IBMEC Business School Rio de Janeiro Teoria das Desições Financeiras II p.1/22 Objetivo Neste curso o aluno aprenderá diversas ferramentas probabílisticas,

Leia mais

REVISÃO DO CONTEÚDO ATÉ HOJE. Conhecendo o cálculo da probabilidade

REVISÃO DO CONTEÚDO ATÉ HOJE. Conhecendo o cálculo da probabilidade REVISÃO DO CONTEÚDO ATÉ HOJE Conhecendo o cálculo da probabilidade BERTOLO OBJETIVOS Definir probabilidade; Identificar situações práticas às quais se aplica a probabilidade; Definir experimento, espaço

Leia mais