MONITORAMENTO E CONTROLE REMOTO DE MÁQUINA CNC QUE UTILIZA CONTROLADOR SINUMERIK 828D

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MONITORAMENTO E CONTROLE REMOTO DE MÁQUINA CNC QUE UTILIZA CONTROLADOR SINUMERIK 828D"

Transcrição

1 MONITORAMENTO E CONTROLE REMOTO DE MÁQUINA CNC QUE UTILIZA CONTROLADOR SINUMERIK 828D CARLOS E. O. DA SILVA, EMÍLIA VILLANI Laboratório CCM, Depto. de Eng. Mecânica, Instituto Tecnológico de Aeronáutica Praça Marechal Eduardo Gomes, 50,Vila das Acácias, , São José dos Campos - SP s: Abstract Remote control and monitoring solutions for manufacturing machines are required in order to support the development of e-manufacturing systems. In this context, this paper approaches the problem of remote accessing the CNC (Computerized Numerical Control) controller Sinumerik 828D model from Siemens. The purpose of this work is to discuss the advantages and disadvantages of the proposed solution for remote monitoring and control of Sinumerik 828D, relating the results to previous works about other CNC controllers. Keywords Remote monitoring, remote control, CNC machine, Sinumerik 828D. Resumo Soluções de monitoramento e controle remoto para manufatura são requeridas a fim de suportar o desenvolvimento de sistemas de e-manufacturing. Neste contexto, este artigo aborda o problema do acesso remoto para o controlador CNC (Comando Numérico Computadorizado) do modelo Sinumerik 828D da Siemens. O objetivo deste trabalho é discutir as vantagens e desvantagens da solução elaborada para monitoramento e controle remoto do Sinumerik 828D, relacionando com trabalhos anteriores relativos à outros controladores CNC. Palavras-chave Monitoramento remoto, controle remoto, máquina CNC, Sinumerik 828D. 1 Introdução A globalização das últimas décadas impulsionou a distribuição geográfica de empresas, indústrias, equipes de trabalho, entre outros. Um resultado desta globalização é a crescente necessidade de aplicações que se beneficiam do acesso a diversos equipamentos localizados em lugares geograficamente distintos. Indústrias antes centralizadas em uma única planta, hoje se encontram espalhadas por diversas cidades, países e continentes. Como resultado, existe uma necessidade sempre crescente de troca de informações referente a atividades interdependentes, conforme Zhan (2003). Exemplos disso são informações relativas ao desenvolvimento de projetos em conjunto, informações referentes a peças em produção, acompanhamento de testes, entre outros. Este cenário propicia o uso da Internet como ferramenta essencial para troca de informações em tempo-real entre sistemas, equipes e equipamentos geograficamente dispersos, dando origem à chamada e-manufacturing. Entre outras coisas, o conceito de e- manufacturing visa proporcionar a flexibilidade necessária a uma indústria para manter a competitividade em um ambiente de competição global intensificada, respondendo rapidamente a um mercado flutuante (FENG et al., 2007). No ambiente da indústria de manufatura, Hao, Shen e Wang (2005) aborda o problema da integração fabril por meio da proposta de uma estrutura baseada em serviços disponibilizados na World Wide Web (WWW) e agentes que atuam em todos os níveis da organização da empresa virtual (inter-empresa), à empresa (intra-empresa) e até o nível de chão-de-fábrica. Para suportar estas aplicações, são necessários recursos de monitoramento remoto e controle remoto das máquinas e equipamentos utilizados em sistemas de manufatura. Entre estes equipamentos, encontramse as máquinas-ferramenta CNC (Comando Numérico Computadorizado). Nesse contexto, este trabalho apresenta os estudos realizados para acesso remoto do controlador CNC Sinumerik 828D, fabricante Siemens, que foi lançado recentemente no mercado mundial. O objetivo deste trabalho é discutir as vantagens e desvantagens da solução elaborada para monitoramento e controle remoto do Sinumerik 828D, relacionando com trabalhos anteriores relativos à outros controladores CNC. O trabalho está organizado da seguinte forma. A seção 2 descreve o monitoramento e controle remoto de máquina CNC. A seção 3 apresenta a máquinaferramenta CNC usada neste trabalho. A seção 4 apresenta o controlador CNC Sinumerik 828D da Siemens. A seção 5 descreve o sistema desenvolvido para controle e monitoramento remotos. A seção 6 apresenta os resultados obtidos. E por fim, a seção 7 discute as principais conclusões do trabalho. 2 Monitoramento e Controle Remoto de Máquina CNC Diversas aplicações vêm sendo desenvolvidas com o intuito de fazer aquisição de dados e monitoramento remoto de uma máquina CNC. Estas aplicações podem ser organizadas em duas classes: aplicações voltadas para monitoramento da produção, e aplicações visando o levantamento de dados para 3009

2 monitoramento do processo de usinagem. (SILVA, 2008). De acordo com Helleno (2004), esta área demanda novas pesquisas e desenvolvimentos. Devido à demanda imposta pela indústria de manufatura, os eixos das máquinas CNC estão utilizando velocidades cada vez mais altas, requerendo maior desempenho dos sistemas de aquisição de dados. Um exemplo de monitoramento remoto da produção é apresentado em Ferraz (2002). Neste trabalho são monitorados a quantidade de peças produzidas, o tempo de ciclo de usinagem e a velocidade de corte imposta pelos eixos da máquina. Utiliza-se como arquitetura um computador local conectado à maquina CNC, onde são executadas rotinas de aquisição de dados programadas no ambiente de programação LabVIEW. Os dados coletados são compartilhados com usuários remotos por meio de um aplicativo SCADA (Supervisory Control and Data Acquisition). Muitas aplicações a respeito de monitoramento remoto de máquinas CNC tem sido desenvolvidas, no entanto, o mesmo não é verdade para o controle remoto de máquinas CNC. O controle externo de máquinas CNC é requerido quando se deseja adicionar funcionalidades a essas máquinas, ou quando o controlador mestre dos movimentos não é o CNC, e sim um sistema externo, como por exemplo um computador. Silva, Villani e Gomes (2009) apresentam uma proposta para controle de vibrações na usinagem, onde é desenvolvido em Visual Basic um aplicativo que envia comandos externos para o CNC Sinumerik 840D da Siemens por meio de um computador, de forma a controlar remotamente a rotação da ferramenta da máquina-ferramenta CNC. Para um sistema de controle externo mestre, podemos imaginar um robô industrial onde os motores de suas juntas são controlados por um CNC, e o mesmo possui um sistema de visão computacional conectado a um PC (Personal Computer). Neste caso, o PC precisa ler os dados do sistema de visão computacional e enviar os comandos de posicionamento ao CNC, para assim o robô se movimentar. Se o CNC possuir uma conexão compatível com o PC, o comando remoto pode ser facilitado. 3 Máquina-Ferramenta CNC Utilizada A máquina-ferramenta CNC utilizada é da marca Romi, modelo D800 AP (Figura 1) e se encontra no laboratório CCM (Centro de Competência em Manufatura) do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica). Ela se encontra na categoria denominada HSM (High Speed Machine), e foi fabricada para usinagem de altas velocidades. Por simplificação, neste trabalho ela será denominada simplesmente de máquina Romi. A máquina Romi dispõe de 3 eixos de movimentação, chamados de X, Y e Z, e é denominada como centro de usinagem vertical, pois o eixo de rotação da ferramenta, que atinge até rpm, gira em torno do eixo vertical da máquina (eixo Z). A máquina possui ainda magazine de ferramentas, que agiliza e diminui o tempo de troca de ferramentas durante o ciclo de operação. (ROMI, 2010). Figura 1. Máquina-Ferramenta Romi D800 AP A máquina Romi é controlada pelo CNC Sinumerik 828D da Siemens que será apresentado na próxima seção. 4 Controlador Sinumerik 828D Atualmente, a fabricante Siemens é reconhecida mundialmente pela qualidade de seus produtos, e possui uma linha de CNC s chamada de Solution Line, que compreende por dois produtos principais, o Sinumerik 802D e Sinumerik 840D. Geralmente, o Sinumerik 802D atende máquinas com poucos eixos e baixa solicitação de funções de comando numérico; já o Sinumerik 840D atende máquinas com muitos eixos e alta solicitação de funções de comando numérico. No final do ano de 2009 foi lançada uma nova linha de produtos para a família de CNC s, denominada Sinumerik 828D, que pretende se posicionar exatamente entre as duas linhas de produtos já existentes (SIEMENS, 2010). Um painel de operações do Sinumerik 828D é mostrado na Figura 2, e um ponto característico do mesmo é a ligação com as outras partes Siemens da máquina, que é feita por uma rede do padrão Ethernet, o que facilita muito as conexões e substituições dessas partes. A Siemens possui duas famílias de drivers de acionamento dos motores para CNC, chamadas de Simodrive (antiga) e Sinamics (nova). A família Sinamics utiliza uma rede de padrão Ethernet para a conexão dos drivers com o CNC. Dessa forma o Sinuerik 828D apenas utiliza os produtos da família Sinamics para acionar seus motores, fazendo com que toda a rede distribuída internamente na máquina seja do padrão Ethernet. 3010

3 Pela descrição da Siemens, o Sinumerik 828D é um CNC mais simples, assim como o Sinumerik 802D, mas com as funções do Sinumerik 840D. Desta forma, os usuários de máquinas CNC s mais simples podem apreciar essa tecnologia por um custo mais acessível, sem se privar dos recursos avançados que somente teriam nos controladores mais caros. Figura 2. Painel de Operação do CNC 828D De uma forma geral, o Sinumerik 828D possui diversas funções e comandos, sendo eles básicos e avançados, dispondo inclusive de uma IHM (Interface Homem-Máquina) muito eficiente, onde interage de forma muito fácil com o operador da máquina, por exemplo com o recurso de programação visual inteligente, chamado de ShopMill para o processo de fresamento e ShopTurn para o processo de torneamento. Em relação aos comandos de programação avançada, todos os comandos e funções presentes no Sinumerik 840D estão presentes no Sinumerik 828D. Por se tratar de um produto recentemente lançado no mercado mundial, não existe nenhum trabalho disponível na literatura a respeito do acesso remoto a dados do Simunerik 828D ou sobre as limitações para escrita de dados. 5 Sistema Desenvolvido Para efetuar na prática o processo de monitoramento e controle remoto de máquina CNC que utiliza o controlador Sinumerik 828D da Siemens, foi desenvolvido um sistema que monitora as posições dos 3 eixos da máquina Romi utilizada e envia comandos de movimentação para os 3 eixos com novas coordenadas de posicionamento e velocidade definida. O princípio de funcionamento da aplicação consiste em monitorar durante todo o tempo os valores dos eixos X, Y e Z. Além disso, o usuário pode inserir o valor de 4 variáveis que definem o comando de movimentação da máquina-ferramenta CNC. Estas variáveis correspondem às 3 coordenadas dos 3 eixos de movimentação (em mm) e a velocidade que esse movimento deve ser executado (em mm/min). Após essas definições, o usuário deve enviar o comando de movimento, e durante o processo de movimentação dos eixos, o usuário deve ser capaz de interromper o processo. O aplicativo que atende a estes requisitos foi desenvolvido em Visual Basic 6. A escolha da linguagem de programação deve-se a facilidade do Visual Basic de manipular variáveis em formato DDE (Dynamic Data Exchange) no ambiente Windows de um computador do tipo PC. A compatibilidade com o padrão DDE é esperada do Sinumerik 828D pois o mesmo se compromete a ter as funções do Sinumerik 840D (SIEMENS, 1997). O uso do padrão DDE no controlador Sinumerik 840D para monitoramento e controle remoto é discutido em Silva, Villani e Gomes (2009), entre outros. Para esta aplicação, foi instalado num PC (Personal Computer) o pacote de aplicativos que funciona com o Sinumerik 840D, chamado de Startup Tools, tomando o cuidado de instalar o pacote que trabalha com a linha de drivers Sinamics, que é a mesma utilizada no Sinumerik 828D. Observou-se após a instalação, que o pacote não funciona corretamente, pois o mesmo tenta se comunicar com o Sinumerik 840D. Apesar do problema apresentado, o pacote estabelece uma comunicação entre o CNC que utiliza as variáveis no formato dos drivers Sinamics e o PC, onde encontrase instalado um conversor entre o padrão utilizado para as variáveis CN (Comando Numérico) e o formato DDE (Dynamic Data Exchange), que pode ser facilmente entendido pelo sistema operacional Windows. Esse conversor é denominado NCDDE, e corresponde ao arquivo executável chamado NCDDE.EXE. Segundo a Siemens, para o conversor NCDDE funcionar corretamente nesse tipo de sistema com padrão Ethernet (com drivers Sinamics) é necessário executar outro o arquivo CP_840D.EXE. Esse arquivo faz com que o conversor NCDDE se comunique com a rede Ethernet da máquina, onde a forma de conexão com essa rede é definida por meio do menu Startup Tool Wizard. Neste menu, deve ser definida a porta de conexão, que no caso é a X127 (conexão frontal do painel de operação). Como a conexão entre o controlador CNC Sinumerik 828D e o PC é do tipo ponto a ponto, um cabo do tipo crossover é requerido para a aplicação. Em resumo, o conversor NCDDE faz a conversão das variáveis NC (máquina) para o formato DDE (Windows) e o CP_840D faz com que o conversor NCDDE se comunique no formato da rede Ethernet. A Figura 3 ilustra a conexão do PC com o controlador Sinumerik 828D. Para um melhor entendimento do tráfego dos dados do CNC até o aplicativo desenvolvido em Visual Basic 6, e vice-versa, segue Figura

4 Figura 3. Esquema de ligação do computador com o controlador Sinumerik 828D Máquina CNC Rede Ethernet Dados de máquina Painel de Operação Cabo de rede (Ethernet) Cabo de Rede Rede interna da máquina PC Placa de rede Variáveis CN Conversor NCDDE Motores Computador CNC Variáveis DDE Programa em VB6 Figura 4. Tráfego de dados entre a máquina CNC e o Programa em VB6 Os testes com o conversor NCDDE e CP_840D, permite notar que a solução desenvolvida funciona de forma satisfatória quando executada simultaneamente com o conversor. A figura 5 apresenta a interface do aplicativo desenvolvido em Visual Basic 6 para teste da comunicação com o Sinumerik 828D a partir de um PC. Para monitoramento das posições dos eixos: - Eixo X: /Channel/GeometricAxis/ acttooledgecenterpos[1] ; - Eixo Y: /Channel/GeometricAxis/ acttooledgecenterpos[2] ; - Eixo Z: /Channel/GeometricAxis/ acttooledgecenterpos[3]. Para envio das coordenadas de movimentação: - Eixo X: /Channel/Parameter/R[10] ; - Eixo Y: /Channel/Parameter/R[11] ; - Eixo Z: /Channel/Parameter/R[12]. Para envio da velocidade de deslocamento: - /Channel/Parameter/R[13]. Para envio do comando Iniciar Movimento : - /Plc/Input/Bit[112.7]. Para envio do comando Parar Movimento : - /Plc/Input/Bit[113.7] ; - /Plc/Input/Bit[115.1]. Por meio destas variáveis, o aplicativo desenvolvido pode se comunicar com o CNC da máquina Romi. Para que a máquina Romi compreenda esses comandos e relacione os parâmetros R com os comandos de movimentação, é necessário elaborar um programa para a máquina com algumas características específicas. Cada peça que é fabricada na máquina, deve ter um programa de peça criado especial para executar tais movimentos que resultem no formato final da peça. Seguindo essa analogia, é criado um programa de peça que movimente seus eixos para as coordenadas definidas pelos parâmetros R R10, R11 e R12, eixos X, Y e Z respectivamente, e parâmetro R13 para a velocidade que esse movimento deveria seguir. Assim, tem-se a seguinte programação em linguagem ISO: G54 G01 X=R10 Y=R11 Z=R12 F=R13 M30 O comando G54 define a referência que os eixos utilizarão e o comando M30 indica fim de programa. Com esse programa criado e selecionado no painel de operação da máquina, o aplicativo criado deve ser capaz de monitorar e executar comando de movimentação a partir do computador conectado a essa máquina. 6 Resultados Figura 5. Programa Movimentação de Eixos Na programação do aplicativo no Visual Basic 6, foram utilizadas algumas variáveis no formato DDE, que são descritas abaixo, conforme segue. Para comprovar que o sistema desenvolvido realmente executa o monitoramento e controle no controlador Sinumerik 828D, foram criados e executados os programas na máquina CNC e no computador. Inicialmente, observa-se que o denominado Programa de Movimentação de Eixos consegue monitorar as posições dos eixos da máquina, conforme ilustrado na Figura 5. Em seguida são inseridas as coordenadas desejadas e velocidade de avanço para a movimentação, respeitando as limitações construtivas 3012

5 da máquina, e é dado um comando de Iniciar Movimentação. Observa-se como resposta a imediata movimentação da máquina, conforme ilustrado na Figura 6. máquina executa comandos de movimentação normalmente sem alterar o seu funcionamento. Estes testes permitem a verificação dos requisitos funcionais do aplicativo desenvolvido. Como está sendo utilizada uma rede de comunicação TCP/IP para comunicação entre o computador e o controlador da Siemens, é necessário também avaliar o tempo de transmissão nessa rede. Para verificação do intervalo de tempo necessário para a execução dos comandos, foi desenvolvida uma rotina de teste no software LabVIEW 8.6. A rotina desenvolvida é apresentada na Figura 8. Figura 8 Rotina desenvolvida em LabVIEW Figura 6. Comando de movimentação enviado pelo Programa Movimentação de Eixos Após o término da movimentação dos eixos da máquina, é possível notar que os valores desejados e atuais dos eixos estão igualados, comprovando que a máquina executou com sucesso o comando de movimentação, conforme apresentado na Figura 7. Esta rotina executa 100 vezes a leitura de uma variável DDE, no caso o valor da posição do eixo X, e mede o intervalo de tempo (em ms) entre o início e o fim de uma única leitura. Os valores são colocados num gráfico, e por fim é calculada uma média dos intervalos medidos. O resultado desse teste é exibido na Figura 9. Figura 9 Teste do tempo de leitura Figura 7. Comando concluído monitorado pelo Programa de Movimentação de Eixos O comando Parar Movimento foi testado, e seu funcionamento corresponde ao esperado, parando instantaneamente os eixos no momento que o referido botão foi acionado. Após esse procedimento, a Conforme mostrado na Figura 9, o tempo médio de acesso para leitura da variável DDE foi de 5,43 ms e o tempo mínimo foi de 2 ms. A variação de tempo encontrada é devido ao processamento do computador, que está numa plataforma de Sistema Operacional Windows. Este sistema operacional atribui diferentes prioridades de processamento, fazendo assim com que varie o tempo de acesso para leitura das variáveis DDE. O computador precisa processar as informações que o programa NCDDE converte do formato NC para o formato DDE, além dos aplicativos normalmente utilizados. Portanto, a capacidade e velocidade de processamento do computador utilizado pode influenciar diretamente no tempo de acesso para 3013

6 leitura das variáveis DDE utilizando essa rede TCP/IP. 7 Conclusão Este trabalho apresenta e discute uma solução para conexão remota com o controlador CNC Sinumerik 828D da Siemens. A solução apresentada é capaz de monitorar e controlar dados remotamente os eixos da máquina a partir de um computador pessoal conectado a esse CNC. O aplicativo desenvolvido executa corretamente todas as funções programadas. A plataforma de programação Visual Basic 6 se mostra, mais uma vez, muito versátil na manipulação dos dados em formato DDE. Esse aplicativo também pode ser desenvolvido em outros ambientes de programação como LabVIEW, C++, Delphi e outros. O problema da influência do tempo de processamento do computador no acesso de leitura das variáveis DDE não é considerado crítico, visto que o atraso é na ordem de alguns ms e não efetua nenhuma ação dentro de uma malha fechada de controle, e sim de controle e monitoramento remoto de algumas funções. De forma geral, pode se concluir que o monitoramento e controle remoto com o controlador Sinumerik 828D da Siemens pode ser realizado de forma semelhante ao controlador Sinumerik 840D, observando apenas a necessidade de execução do arquivo CP_840D.EXE após a execução do NCDDE.EXE e antes de executar os comandos que se deseja. Agradecimentos Os mais sinceros agradecimentos à empresa Romi pelo fornecimento dos equipamentos necessários, à empresa Siemens pelo fornecimento dos programas necessários e às agências governamentais CAPES, FAPESP, CNPq e FINEP que financiaram essa pesquisa. Hao, Qi; Shen, Weiming; Wang, Lihui. Towards a cooperative distributed manufacturing management framework. Computers in Industry, v.56, n.1, jan p Disponível em: < >. Acesso em: 20 abr Helleno, André L. Investigação de Métodos de Interpolação para Trajetória da Ferramenta na Usinagem de Moldes e Matrizes com Alta Velocidade. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Faculdade de Engenharia Arquitetura e Urbanismo da Universidade Metodista de Piracicaba, São Paulo, Romi. Disponível em <http://www.romi.com.br>. Acesso em: 01 fev Siemens. Disponível em: <http://www.siemens.com>. Acesso em: 05 fev Siemens. Sinumerik 840D / 810D / FN-NC OEM package MMC User s Manual. 12.ed Silva, Carlos E. O. da; Villani, Emília; Gomes, Jefferson O. Direct Access of CNC Data for Vibration Control. INTERNATIONAL CONGRESS OF MECHANICAL ENGINEERING (COBEM), 20., 2009, Gramado, RS. Proceedings Rio de Janeiro: ABCM, Silva, Carlos Eduardo Oliveira da. Sistema de Monitoramento Remoto de Processos de Manufatura f. Tese de Mestrado em Sistemas Aeroespaciais e Mecatrônica Instituto Tecnológico de Aeronáutica, São José dos Campos. Zhan. F. A web-based collaborative product design platform for dispersed network manufacturing. Journal of Materials Processing Technology, v.138, n.1-3, 20jul p Disponível em: < >. Acesso em: 09 fev Referências Feng, Quibin; Bratukhin, Aleksey; Treytl, Albert; Sauter, Thilo. A Flexible Multi-Agent System Architecture for Plant Automation. INTERNATIONAL CONFERENCE ON INDUSTRIAL INFORMATICS (INDIN), 5., 2007, Vienna. Electronics Proceedings... USA: IEEE Xplore, p v.2. Disponível em: < >. Acesso em: 18 dez Ferraz Jr, Fábio. Desenvolvimento de um Sistema de Monitoramento e Supervisão para o Processo de Torneamento. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica), Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Paulo,

16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING)

16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING) 16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING) Autor(es) OLIVEIRO LEUTWILER NETO Orientador(es) KLAUS SCHüTZER Apoio Financeiro

Leia mais

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA VELOCIDADE DE AVANÇO NO MONITORAMENTO DE DADOS DO CNC

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA VELOCIDADE DE AVANÇO NO MONITORAMENTO DE DADOS DO CNC ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA VELOCIDADE DE AVANÇO NO MONITORAMENTO DE DADOS DO CNC Eng. Erik Gustavo Del Conte Universidade Metodista de Piracicaba - SCPM Rodovia Luis Ometto, Km1-13451- 900 Santa Bárbara

Leia mais

Controle de robôs industriais via Labview

Controle de robôs industriais via Labview Leonel Lopes Lima Neto Instituto Tecnológico de Aeronáutica Rua H20B, casa, nº 114, Campus do CTA São José dos Campos São Paulo 12.228-460 Bolsista PIBIC-CNPq leonel@aluno.ita.br Emilia Villani Instituto

Leia mais

MONITORAMENTO REMOTO DE PROCESSOS DE USINAGEM UTILIZANDO TECNOLOGIA STREAMING PARA ENVIO DE ÁUDIO E VÍDEO ATRAVÉS DA INTERNET

MONITORAMENTO REMOTO DE PROCESSOS DE USINAGEM UTILIZANDO TECNOLOGIA STREAMING PARA ENVIO DE ÁUDIO E VÍDEO ATRAVÉS DA INTERNET XIV CONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Mecânica MONITORAMENTO REMOTO DE PROCESSOS DE USINAGEM UTILIZANDO TECNOLOGIA STREAMING

Leia mais

DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS)

DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS) 18º Congresso de Iniciação Científica AVALIAÇÃO DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS) Autor(es) MARCO

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. INSTALAÇÃO... 3 2.1 CNC...3 2.1.1. Configuração...3 2.2 PC...6 2.2.1 Configurar a rede Microsoft...6 2.2.2. Inibir o Firewall da rede

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

COMANDO REMOTO DE ROBÔS INDUSTRIAIS

COMANDO REMOTO DE ROBÔS INDUSTRIAIS Anais do 14 O Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA XIV ENCITA / 2008 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 20 a 23 2008. COMANDO REMOTO DE ROBÔS

Leia mais

UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski

UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Objetivos da Aula Discutir as vantagens da automação. Entender o que é o comando numérico computadorizado (CNC) Compreender a necessidade

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL Automação e Controle AR026 SUMÁRIO I. Sistemas Supervisórios... 3 II. Automação... 4 III. Arquitetura de Redes Industriais... 5 IV. Comunicação entre Supervisório e CLP...7 V. O Protocolo

Leia mais

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Engenharia de Controle e Automação Introdução Sistemas Supervisórios são sistemas digitais de monitoração e operação da planta que gerenciam as

Leia mais

Resumo. Abstract 1 INTRODUÇÃO

Resumo. Abstract 1 INTRODUÇÃO Resumo doi: 1.4322/tmm.447 Influência da INTERPOLAÇÃO DA TRAJETÓRIA da ferramenta NO FRESAMENTO a altas velocidades DE SUPERFÍCIES COMPLEXAS Jacson Machado Nunes 1 Jefferson de Oliveira Gomes 2 Guilherme

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Sistemas SCADAS. Apresentação dos sistemas de supervisão do mercado de automação: - Elipse E3 (fabricante Eilpse)

Sistemas SCADAS. Apresentação dos sistemas de supervisão do mercado de automação: - Elipse E3 (fabricante Eilpse) A palavra SCADA é um acrônimo para Supervisory Control And Data Acquisition. Os primeiros sistemas SCADA, basicamente telemétricos, permitiam informar periodicamente o estado corrente do processo industrial,

Leia mais

PLATAFORMA PARA MONITORAMENTO REMOTO DE SISTEMAS DE MANUFATURA

PLATAFORMA PARA MONITORAMENTO REMOTO DE SISTEMAS DE MANUFATURA Anaisdo13OEncontrodeIniciaçãoCientíficaePós GraduaçãodoITA XIIIENCITA/2007 InstitutoTecnológicodeAeronáutica,SãoJosédosCampos,SP,Brasil,Outubro,01a04,2007. PLATAFORMAPARAMONITORAMENTOREMOTODESISTEMASDE

Leia mais

Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP

Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Paulo Fernando da Silva psilva@senior.com.br Sérgio Stringari stringari@furbbr Resumo. Este artigo apresenta a especificação

Leia mais

CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE

CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE José Fernandes; José Silva; Nuno Vieira; Paulo Sequeira Gonçalves Curso de Engenharia Industrial Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco Av. do Empresário,

Leia mais

Sistemas Supervisórios

Sistemas Supervisórios Sistemas Supervisórios Prof a. Michelle Mendes Santos michelle@cpdee.ufmg.br Sistemas Supervisórios Objetivos: Apresentação e posicionamento da utilização de sistemas supervisórios em plantas industriais;

Leia mais

Uma ampla linha de máquinas-ferramenta para os mais diversos segmentos de manufatura

Uma ampla linha de máquinas-ferramenta para os mais diversos segmentos de manufatura 3 Uma ampla linha de máquinas-ferramenta para os mais diversos segmentos de manufatura W W W. R O M I. C O M ROMI GL 240 / 240M ROMI GL 280 / 280M CENTROS DE TORNEAMENTO LINHA ROMI GL PROJETADOS PARA OPERAR

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores SISTEMA SICES Rewind e SI.ces MO.nitoring NE.twork (SI.MO.NE.) Sistema de monitoramento remoto REWIND Rewind é um módulo microprocessado

Leia mais

PLM Software. Os benefícios do NX CAM-SINUMERIK Otimizando a conexão entre o software CAM e os controladores de ferramentas

PLM Software. Os benefícios do NX CAM-SINUMERIK Otimizando a conexão entre o software CAM e os controladores de ferramentas Siemens PLM Software Os benefícios do NX CAM-SINUMERIK Otimizando a conexão entre o software CAM e os controladores de ferramentas www.siemens.com/nx w h i t e p a p e r Para obter o melhor desempenho

Leia mais

Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo

Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo Toshi-ichi Tachibana Departamento de Engenharia Naval e Oceânica, Escola Politécnica da Universidade São Paulo

Leia mais

MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR

MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR Prof. Isaac N. L. Silva Professor do Departamento de Engenharia Mecânica e Mecatrônica - PUCRS CNC O que são Tipos e Aplicações Fabricantes O que são Controle Numérico

Leia mais

Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas

Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas administrativos da empresa. Nessa configuração, o PC é a

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

Automação de Locais Distantes

Automação de Locais Distantes Automação de Locais Distantes Adaptação do texto Improving Automation at Remote Sites da GE Fanuc/ Water por Peter Sowmy e Márcia Campos, Gerentes de Contas da. Nova tecnologia reduz custos no tratamento

Leia mais

4. Controlador Lógico Programável

4. Controlador Lógico Programável 4. Controlador Lógico Programável INTRODUÇÃO O Controlador Lógico Programável, ou simplesmente PLC (Programmiable Logic Controller), pode ser definido como um dispositivo de estado sólido - um Computador

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Utilizando o servidor de comunicação SCP Server HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00024 Versão 1.02 dezembro-2006 HI Tecnologia Utilizando o servidor de comunicação SCP Server

Leia mais

Unidade 1. Conceitos Básicos

Unidade 1. Conceitos Básicos Unidade 1 Conceitos Básicos 11 U1 - Conceitos Básicos Comunicação Protocolo Definição de rede Rede Internet 12 Comunicação de dados Comunicação de dados comunicação de informação em estado binário entre

Leia mais

SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO

SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO Alexandre Dias da Silva Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Avenida Roraima,

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs

Leia mais

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Artigos Técnicos Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Marcelo Salvador, Diretor de Negócios da Elipse Software Ltda. Já faz algum tempo que ouvimos falar do controle e supervisão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 9º PERÍODO. Profª Danielle Casillo

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 9º PERÍODO. Profª Danielle Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 9º PERÍODO Profª Danielle Casillo Utilizar os mesmos processos do trabalho anterior (Ladder já existente). Implementar este sistema

Leia mais

Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED

Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED Yuri Kaszubowski Lopes Roberto Silvio Ubertino Rosso Jr. UDESC 24 de Abril de

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING

ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING Análise do Produto Dr. Charles Clarke ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING Tendências e requisitos do setor...3 Uma nova abordagem de programação de inspeção de CMM...4 O aplicativo na prática...5

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO.

SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. J. A. P. MOUTINHO Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A ELETRONORTE Brasil RESUMO

Leia mais

5 Sistema Experimental

5 Sistema Experimental 5 Sistema Experimental Este capitulo apresenta o sistema experimental utilizado e é composto das seguintes seções: - 5.1 Robô ER1: Descreve o robô utilizado. É dividida nas seguintes subseções: - 5.1.1

Leia mais

Palavras-chave: Usinagem de superfícies complexas, Simulação Virtual, Fresamento 5 eixos.

Palavras-chave: Usinagem de superfícies complexas, Simulação Virtual, Fresamento 5 eixos. 5 V CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 14 a 17 de abril de 2009 - Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil Simulação de máquinas-ferramentas virtuais e sua importância na usinagem de superfícies

Leia mais

PROCESSAMENTO DE DADOS 15/08

PROCESSAMENTO DE DADOS 15/08 PROCESSAMENTO DE DADOS 15/08 Coletar Informática Armazenar Disseminar Dados DADOS Elementos conhecidos de um problema INFORMAÇÃO Um conjunto estruturado de dados transmitindo conhecimento. Novas Tecnologias

Leia mais

MONITORAMENTO ON-LINE DE PROCESSOS DE USINAGEM VIA MEDIÇÃO DE VIBRAÇÕES

MONITORAMENTO ON-LINE DE PROCESSOS DE USINAGEM VIA MEDIÇÃO DE VIBRAÇÕES 16º POSMEC Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Mecânica MONITORAMENTO ON-LINE DE PROCESSOS DE USINAGEM VIA MEDIÇÃO DE VIBRAÇÕES Tatiana Meola Universidade Federal de Uberlândia tatiana.meola@gmail.com

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

MONITORAMENTO DO PROCESSO: ANÁLISE DA RESOLUÇÃO DA VARIÁVEL MONITORADA NO CNC ABERTO

MONITORAMENTO DO PROCESSO: ANÁLISE DA RESOLUÇÃO DA VARIÁVEL MONITORADA NO CNC ABERTO XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos. Development of a File Distribution Network

Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos. Development of a File Distribution Network Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos Development of a File Distribution Network Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos Development of a File Distribution Network Talles

Leia mais

Computer Aided Manufacturing. Adaptado de: Donghoon Yang

Computer Aided Manufacturing. Adaptado de: Donghoon Yang Computer Aided Manufacturing Frederico Damasceno Bortoloti Adaptado de: Donghoon Yang CAD : Computer Aided Design A tecnologia que se preocupa com o uso de sistemas de computação para assistir a criação,

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

TCI 322. Conversor de Interface USB para RS422/RS485. Manual de Instalação

TCI 322. Conversor de Interface USB para RS422/RS485. Manual de Instalação TCI 322 Conversor de Interface USB para RS422/RS485 Manual de Instalação O conversor de interface TCI 322 é um dispositivo versátil que permite a partir de uma porta USB do computador ter-se uma interface

Leia mais

Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem

Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem Universidade Federal de São João Del-Rei MG 26 a 28 de maio de 2010 Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO Serviços de impressão Os serviços de impressão permitem compartilhar impressoras em uma rede, bem como centralizar as tarefas de gerenciamento

Leia mais

Ambiente didático para operação remota de robô manipulador

Ambiente didático para operação remota de robô manipulador Ambiente didático para operação remota de robô manipulador Resumo Emanuel Nunes Borges (EESC/USP) enb@sc.usp.br Flávio Camarinho Moreira (EESC/USP) flaviocm@sc.usp.br Alex Camilli Bottene (EESC/USP) abottene@sc.usp.br

Leia mais

Foz do Iguaçu PR Brasil luiz.baltazar@gmail.com, joao@barbosa.net.br, jorgeaikes@gmail.com

Foz do Iguaçu PR Brasil luiz.baltazar@gmail.com, joao@barbosa.net.br, jorgeaikes@gmail.com Análise de Desempenho e Viabilidade do Raspberry Pi como um Thin Client utilizando o Protocolo SPICE Luiz Alberto Alves Baltazar 1, João Paulo de Lima Barbosa 1, Jorge Aikes Junior 1 1 Curso de Ciência

Leia mais

TÍTULO: PROGRAMAÇÃO DE CLP PARA UMA MÁQUINA DE SECÇÃO SEGMENTOS ORGÂNICOS

TÍTULO: PROGRAMAÇÃO DE CLP PARA UMA MÁQUINA DE SECÇÃO SEGMENTOS ORGÂNICOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: PROGRAMAÇÃO DE CLP PARA UMA MÁQUINA DE SECÇÃO SEGMENTOS ORGÂNICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA:

Leia mais

TCI 7200-U USB-PPI Cable

TCI 7200-U USB-PPI Cable TCI 7200-U USB-PPI Cable Cabo de Programação USB S7-200 Manual de Instalação O cabo de programação TCI 7200-U USB-PPI Cable foi projetada para atender a necessidade de conectar a uma porta USB do computador

Leia mais

Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow

Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow Resumo. A fim de flexibilizar o fluxo de controle e o fluxo de dados em Sistemas Gerenciadores de Workflow (SGWf),

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Departamento de Engenharia AUTOMAÇÃO CODICRED 44637-04 PROGRAMA DE DISCIPLINA 01 SÍNTESE DISCIPLINA: CURSO (S): Engenharia

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES REDE DE COMPUTADORES Evolução histórica das redes de computadores Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Objetivos de Aprendizagem Ao final deste módulo você estará apto a conceituar

Leia mais

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Se interligarmos

Leia mais

Monitoramento e Controle Remotos do Microclima de uma Adega: Interface Programada em Java

Monitoramento e Controle Remotos do Microclima de uma Adega: Interface Programada em Java Monitoramento e Controle Remotos do Microclima de uma Adega: Interface Programada em Java Anderson P. Colvero 1, Guilherme P. Silva 1, Humberto B. Poetini 1 1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais

Rodrigo B. Souza*, Adelardo A. D. Medeiros*

Rodrigo B. Souza*, Adelardo A. D. Medeiros* Rodrigo B. Souza*, Adelardo A. D. Medeiros* *Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia de Computação e Automação Campus Universitário, 59072-970 Natal,

Leia mais

Revista Intellectus N 26 Vol 01 MÉTODO PARA OBTENÇÃO DO TEMPO REAL DE USINAGEM EM CICLOS AUTOMÁTICOS DE FURAÇÃO

Revista Intellectus N 26 Vol 01 MÉTODO PARA OBTENÇÃO DO TEMPO REAL DE USINAGEM EM CICLOS AUTOMÁTICOS DE FURAÇÃO MÉTODO PARA OBTENÇÃO DO TEMPO REAL DE USINAGEM EM CICLOS AUTOMÁTICOS DE FURAÇÃO Method for Obtaining the Real Time in Machining Cycles Automatic Drilling Cavallari, Silvio José Faculdade de Jaguariúna

Leia mais

Nas páginas a seguir, oferecemos os principais dados técnicos de nossa linha de produtos.

Nas páginas a seguir, oferecemos os principais dados técnicos de nossa linha de produtos. Catálogo Geral A INDEX fornece mais do que máquinas, fornece soluções. E com este objetivo buscamos a melhoria contínua de nossos produtos e serviços, superando desafios e inovando a cada dia. Com quase

Leia mais

ATIVIDADE 1. Redes Windows. 1.1 Histórico do SMB

ATIVIDADE 1. Redes Windows. 1.1 Histórico do SMB ATIVIDADE 1 Redes Windows Falar sobre Samba e redes mistas Windows / Linux, sem antes explicar o conceito básico de uma rede não parece correto e ao mesmo tempo, perder páginas e mais páginas explicando

Leia mais

Utilização da Planilha de Análise de Decisão

Utilização da Planilha de Análise de Decisão Utilização da Planilha de Análise de Decisão METODOLOGIA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO - VERSÃO 1. A planilha apresentada está pronta e formatada para ser utilizada no processo de Análise de Decisão envolvendo

Leia mais

Comunicado à Imprensa

Comunicado à Imprensa Industry 4.0 Página 1 de 6 Beckhoff na Hanover Messe: Hall 9 Stand F06 Indústria 4.0 Fórum: Controle baseado em PC como base tecnológica para aplicações em fabricas inteligentes Com o Indústria Integrada

Leia mais

Introdução à Engenharia

Introdução à Engenharia Introdução à Engenharia Modelagem e Simulação (Técnicas e Ferramentas Utilizadas) Edgar Brito Introdução Técnicas e ferramentas de modelagem e simulação, são utilizadas para facilitar e visualizar projetos

Leia mais

Base RF para Terminais Shellby 915

Base RF para Terminais Shellby 915 Base RF para Terminais Shellby 915 Gradual Tecnologia Ltda. Manual Base RF Agosto/2008 1 Índice Apresentação...3 Características Elétricas...3 Características Mecânicas...3 Configuração da Base RF...4

Leia mais

definido por um documento de padronização. A Fig. 1 representa a organização dos Grupos de Processos juntamente com os documentos exigidos.

definido por um documento de padronização. A Fig. 1 representa a organização dos Grupos de Processos juntamente com os documentos exigidos. A GESTÃO DE PROJETOS EXISTENTE NA NORMA DO-178B Matheus da Silva Souza, matheusdasilvasouza@gmail.com Prof. Dr. Luiz Alberto Vieira Dias, vdias@ita.br Instituto Tecnológico de Aeronáutica Praça Marechal

Leia mais

Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados

Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados Mauricélio Alves de Sousa, Eng o Fernando Luiz Marcelo Antunes, PhD Ricardo Silva Thé Pontes, MSc Grupo de Processamento de

Leia mais

Nota de Aplicação. Integrando controladores em rede Ethernet com protocolo UDP. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Nota de Aplicação. Integrando controladores em rede Ethernet com protocolo UDP. HI Tecnologia. Documento de acesso público Nota de Aplicação Integrando controladores em rede Ethernet com protocolo UDP HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00030 Versão 1.00 setembro-2013 HI Tecnologia Integrando controladores em rede

Leia mais

XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção Porto Alegre, RS, Brasil, 29 out a 01 de nov de 2005

XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção Porto Alegre, RS, Brasil, 29 out a 01 de nov de 2005 Laboratório de tecnologia de manufatura - uma experiência aplicada ao ensino da engenharia de produção Wilson de Castro Hilsdorf (FEI) wicastro@fei.edu.br Alexandre Augusto Massote (FEI) massote@fei.edu.br

Leia mais

Aula 02 Conceitos básicos elipse. INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com

Aula 02 Conceitos básicos elipse. INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com Aula 02 Conceitos básicos elipse INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com 1. Introdução O Elipse E3 trabalha totalmente orientado para a operação

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 6: Switching Uma rede corporativa

Leia mais

Manual técnico, versão V3

Manual técnico, versão V3 cccccccccccc Manual técnico, versão V3 Daxis Sistemas Inteligentes Todos os direitos reservados Índice Overview: visão geral do processo de implantação... 3 Atenção... 3 Principais tarefas... 3 Planejamento...

Leia mais

Ferramenta para instanciação de processos de software que permite o gerenciamento de projetos de desenvolvimento distribuído

Ferramenta para instanciação de processos de software que permite o gerenciamento de projetos de desenvolvimento distribuído Ferramenta para instanciação de processos de software que permite o gerenciamento de projetos de desenvolvimento distribuído Ana Paula Chaves 1, Jocimara Segantini Ferranti 1, Alexandre L Erário 1, Rogério

Leia mais

Kerio Exchange Migration Tool

Kerio Exchange Migration Tool Kerio Exchange Migration Tool Versão: 7.3 2012 Kerio Technologies, Inc. Todos os direitos reservados. 1 Introdução Documento fornece orientações para a migração de contas de usuário e as pastas públicas

Leia mais

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos Arquitetura de Redes Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistemas Operacionais de Rede NOS Network Operating Systems Sistemas operacionais que trazem recursos para a intercomunicação

Leia mais

APLICATIVO CAD/CAM DEDICADO PARA UTILIZAÇÃO DE CICLOS DE USINAGEM DE TORNEAMENTO

APLICATIVO CAD/CAM DEDICADO PARA UTILIZAÇÃO DE CICLOS DE USINAGEM DE TORNEAMENTO 7º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 7 th BRAZILIAN CONGRESS ON MANUFACTURING ENGINEERING 20 a 24 de maio de 2013 Penedo, Itatiaia RJ - Brasil May 20 th to 24 th, 2013 Penedo, Itatiaia RJ

Leia mais

Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso

Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso Lourival dos Santos Pires Júnior, Tony Carlos Bignardi dos Santos, Amaury Antônio de Castro Junior, Carlos Alberto da Silva, Leila Lisiane Rossi

Leia mais

TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

Software Control Center

Software Control Center Software Control Center Uma solução empresarial de segurança IP, com capacidade de gerenciamento de vídeos, áudio e alarmes sobre redes IP Soluções completas de segurança em vídeo IP www.indigovision.com

Leia mais

TECNOLOGIAS DE SUPERVISÃO E MONITORAMENTO EM MÁQUINAS FERRAMENTAS COM CNC DE ARQUITETURA ABERTA

TECNOLOGIAS DE SUPERVISÃO E MONITORAMENTO EM MÁQUINAS FERRAMENTAS COM CNC DE ARQUITETURA ABERTA TECNOLOGIAS DE SUPERVISÃO E MONITORAMENTO EM MÁQUINAS FERRAMENTAS COM CNC DE ARQUITETURA ABERTA Fábio Ferraz Júnior Universidade de São Paulo/ Escola de Eng. de São Carlos Dep. de Engenharia Mecânica Av.

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Processos I: Threads, virtualização e comunicação via protocolos Prof. MSc. Hugo Souza Nesta primeira parte sobre os Processos Distribuídos iremos abordar: Processos e a comunicação

Leia mais

DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP. Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá

DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP. Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá 1. ALTA RESOLUÇÃO Câmeras baseadas em IP não estão restritas à baixa resolução das câmeras

Leia mais

Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse.

Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse. Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse. 1) Introdução Firewalls são barreiras interpostas entre a rede privada e a rede externa com a finalidade de evitar ataques ou invasões;

Leia mais

Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse.

Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse. Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse. 1) Introdução Firewalls são barreiras interpostas entre a rede privada e a rede externa com a finalidade de evitar ataques ou invasões;

Leia mais

MSc. Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo. Escola SENAI Anchieta - DR São Paulo

MSc. Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo. Escola SENAI Anchieta - DR São Paulo MSc. Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo Controle de Processo pela Internet INTRODUÇÃO: Rede Mundial de Computadores WWW World Wide Web Influência

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA

Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA Artigos Técnicos Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA Tarcísio Romero de Oliveira, Engenheiro de Vendas e Aplicações da Intellution/Aquarius Automação Industrial Ltda. Um diagnóstico

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP

Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP Paulo Fernando da Silva psilva@senior.com.br Sérgio Stringari stringari@furb.br Resumo. Este artigo apresenta o desenvolvimento de um driver NDIS 1 para

Leia mais

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL Andreya Prestes da Silva 1, Rejane de Barros Araújo 1, Rosana Paula Soares Oliveira 1 e Luiz Affonso Guedes 1 Universidade Federal do ParáB 1 Laboratório de Controle

Leia mais

AM@DEUS Manual do Usuário

AM@DEUS Manual do Usuário 80 P R E F Á C I O Este é um produto da marca GTS Network, que está sempre comprometida com o desenvolvimento de soluções inovadoras e de alta qualidade. Este manual descreve, objetivamente, como instalar

Leia mais