Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES"

Transcrição

1 REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES JANEIRO 2014

2

3 Índice Capítulo I... 1 Disposições Gerais... 1 Introdução... 1 Artigo 1.º Objeto e âmbito de aplicação Artigo 2.º Território Educativo Artigo 3.º Princípios gerais Artigo 4.º Parceiros e protocolos de colaboração Artigo 5.º Regime de funcionamento das escolas do Agrupamento Artigo 6.º Ofertas educativas Artigo 7.º Patrono e Insígnias Capítulo II... 5 Comunidade Escolar... 5 Secção I... 5 Alunos... 5 Subsecção I... 5 Direitos e deveres... 5 Artigo 8.º Valores nacionais e cultura de cidadania Artigo 9.º Responsabilidade dos alunos Artigo 10.º Direitos do aluno Artigo 11.º Deveres do aluno Subsecção II... 9 Estruturas de participação dos alunos... 9 Artigo 12.º Representação dos alunos Artigo 13.º Delegado/subdelegados de Turma Artigo 14.º Associação de estudantes Artigo 15.º Atribuições do delegado e do subdelegado de turma Artigo 16.º Assembleia de delegados de turma Subsecção III Frequência e assiduidade Artigo 17.º Regime de assiduidade e frequência Artigo 18.º Faltas Artigo 19.º Faltas de Material Artigo 20.º Faltas às atividades de apoio educativo ou complementares de inscrição ou de frequência Aprovado pelo Conselho Geral em 22 de janeiro de

4 Artigo 21.º Artigo 22.º Faltas justificadas Artigo 23.º Justificação de faltas Artigo 24.º Faltas injustificadas Artigo 25.º Excesso grave de faltas Artigo 26.º Efeitos da ultrapassagem do limite de faltas injustificadas Artigo 27.º Medidas de recuperação e de integração Artigo 28º Incumprimento ou ineficácia das medidas Subsecção IV Regime disciplinar Artigo 29.º Qualificação da Infração Artigo 30.º Participação de ocorrência Artigo 31.º Finalidades das medidas disciplinares Artigo 32.º Determinação da medida disciplinar Artigo 33.º Medidas disciplinares corretivas Artigo 34.º Atividades de integração na escola ou na comunidade Artigo 35.º Medidas disciplinares sancionatórias Artigo 36.º Cumulação de medidas disciplinares Artigo 37.º Comportamentos disruptivos Artigo 38.º Tramitação do procedimento disciplinar Artigo 39.º Celeridade do procedimento disciplinar Artigo 40.º Suspensão preventiva do aluno Artigo 41.º Decisão final do procedimento disciplinar Artigo 42.º Execução das medidas corretivas ou disciplinares sancionatórias Subsecção V Recursos e salvaguarda da convivência escolar Artigo 43.º Recursos Artigo 44.º Salvaguarda da convivência escolar Subsecção VI Responsabilidade civil e criminal Artigo 45.º Responsabilidade civil e criminal Subsecção VII Responsabilidade da comunidade educativa Aprovado pelo Conselho Geral em 22 de janeiro de

5 Artigo 46.º Responsabilidade dos membros da comunidade educativa Artigo 47.º Responsabilidade dos alunos Artigo 48.º Papel especial dos professores Artigo 49.º Autoridade do professor Artigo 50.º Responsabilidade dos pais ou encarregados de educação Artigo 51.º Incumprimento dos deveres por parte dos pais ou encarregados de educação Artigo 52.º Contraordenações Artigo 53.º Papel do pessoal não docente das escolas Artigo 54.º Intervenção de outras entidades Subsecção VIII Regime de avaliação Artigo 55.º Processo de avaliação dos alunos Artigo 56.º Intervenientes na avaliação Artigo 57.º Avaliação final Artigo 58.º Avaliação interna Artigo 59.º Avaliação sumativa externa Artigo 60.º Critérios de integração, nas turmas, de alunos retidos nos 1.º, 2.º e 3.º anos de escolaridade Artigo 61.º Avaliação dos alunos abrangidos pela educação especial Artigo 62.º Quadro de Mérito Artigo 63.º Prémios de mérito Artigo 64.º Processo Individual do Aluno (PIA) Artigo 65.º Outros instrumentos de registo Secção II Pessoal docente Direitos e deveres Artigo 66.º Direitos dos professores Artigo 67.º Deveres dos professores Artigo 68.º Autoridade do professor Regime de avaliação Artigo 69.º Avaliação Artigo 70.º Regime disciplinar Secção III Aprovado pelo Conselho Geral em 22 de janeiro de

6 Pessoal não docente Direitos e deveres Artigo 71.º Pessoal não docente Artigo 72.º Direitos do pessoal não docente Deveres Artigo 73.º Deveres do pessoal não docente Artigo 74.º Pessoal dos serviços de segurança Artigo 75.º Atribuições e competências do Pessoal dos serviços de segurança Pessoal das carreiras gerais Artigo 76.º Deveres e funções específicos do coordenador técnico de administração escolar Artigo 77.º Dependência hierárquica direta Artigo 78.º Substituição da Coordenadora Técnica Artigo 79.º Deveres e funções dos assistentes técnicos Artigo 80.º Deveres e funções do assistente técnico de Ação Social Escolar (ASE) Artigo 81.º Deveres e funções do encarregado operacional Artigo 82.º Deveres e funções do assistente operacional Regime de avaliação Artigo 83.º Avaliação Regime disciplinar Artigo 84.º Disposições gerais Secção IV Pais e encarregados de educação Artigo 85.º Princípio geral Artigo 86.º Direitos gerais dos pais e encarregados de educação Artigo 87.º Deveres dos Pais e Encarregados de educação Artigo 88.º Associação de Pais e Encarregados de Educação Artigo 89.º Estatutos da Associação de Pais Artigo 90.º Direitos da Associação dos Pais e Encarregados de Educação Artigo 91.º Deveres da Associação de Pais e Encarregados de Educação Secção V Autarquia Artigo 92.º Direitos da Autarquia Artigo 93.º Deveres da Autarquia Artigo 94.º Aprovado pelo Conselho Geral em 22 de janeiro de

7 Atividades de animação e apoio à família no Pré-escolar Artigo 95.º Conselho Municipal de Educação CAPÍTULO III Organização Interna Secção I Direção, administração e gestão Artigo 96.º Órgãos de direção, administração e gestão Artigo 97.º Sobre os processos eleitorais dos vários órgãos Artigo 98.º Mandatos de substituição Artigo 99.º Inelegibilidade Subsecção I Conselho Geral Artigo 100.º Conselho Geral Artigo 101.º Composição e coordenação do Conselho Geral Artigo 102.º Competências Artigo 103.º Designação de representantes Artigo 104.º Eleições Artigo 105.º Mandato Artigo 106.º Reunião do Conselho Geral Artigo 107.º Ausência de listas Subsecção II Diretor Artigo 108.º Diretor Artigo 109.º Competências Artigo 110.º Recrutamento Artigo 111.º Procedimento concursal Artigo 112.º Eleição Artigo 113.º Posse Artigo 114.º Mandato Artigo 115.º Regime de exercício de funções Artigo 116.º Direitos do Diretor Artigo 117.º Direitos específicos Artigo 118.º Deveres específicos Aprovado pelo Conselho Geral em 22 de janeiro de

8 Artigo 119.º Subdiretor e adjuntos do Diretor Artigo 120.º Assessoria da direção Subsecção III Conselho Pedagógico Artigo 121.º Conselho Pedagógico Artigo 122º Composição Artigo 123.º Representantes ao Conselho Pedagógico Artigo 124.º Competências Artigo 125.º Funcionamento Subsecção IV Conselho Administrativo Artigo 126.º Conselho Administrativo Artigo 127.º Composição Artigo 128.º Competências Artigo 129.º Funcionamento Subsecção V Coordenação dos estabelecimentos de ensino do Agrupamento Artigo 130.º Objetivos, sede e coordenação Artigo 131.º Competências do coordenador de estabelecimento CAPÍTULO IV Coordenação e supervisão pedagógica Secção I Coordenação e supervisão pedagógica Artigo 132.º Articulação e gestão curricular Artigo 133.º Estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica Secção II Departamentos curriculares Artigo 134.º Composição dos órgãos de articulação Curricular Artigo 135.º Funções do Coordenador de Departamento Artigo 136.º Funções do Coordenador de disciplina Artigo 137.º Objetivos dos Departamentos Curriculares Artigo 138.º Incompatibilidade Secção III A gestão curricular Artigo 139.º Currículo nacional e projetos curriculares Artigo 140.º Aprovado pelo Conselho Geral em 22 de janeiro de

9 Princípios orientadores da gestão curricular Artigo 141.º Organização do currículo do ensino básico Artigo 142º Gestão dos projetos curriculares Artigo 143.º Formações transdisciplinares Artigo 144.º Plano Tecnológico da Educação (PTE) Artigo 145.º As equipas PTE Artigo 146.º Composição das equipas PTE Secção IV Atividades de turma Artigo 147.º Organização das atividades de turma Artigo 148.º Competências dos docentes titulares de turma e dos conselhos de turma Artigo 149.º Professor Titular de Turma/Diretor de Turma Secção V Coordenação Pedagógica Artigo 150.º Coordenação Pedagógica Artigo 151.º Competências dos Conselhos de Coordenação Pedagógica/Coordenação de ano Artigo 152.º Competências dos Coordenadores dos Conselhos de Coordenação Pedagógica/Coordenação de ano81 Artigo 153.º Coordenadores das diferentes ofertas formativas Artigo 154.º Composição do conselho das diferentes ofertas formativas Artigo 155.º Competências do coordenador das diferentes ofertas formativas Secção VI Avaliação das Aprendizagens Artigo 156.º Modalidades de avaliação Artigo 157.º Avaliação diagnóstica Artigo 158.º Avaliação formativa Artigo 159.º Avaliação sumativa Artigo 160.º Avaliação sumativa interna Artigo 161.º Planos de acompanhamento pedagógico Artigo 162.º Gestão e avaliação dos planos Artigo 163.º Avaliação sumativa externa Secção VII Processo de implementação da Avaliação Artigo 164.º Recolha de dados para avaliação Aprovado pelo Conselho Geral em 22 de janeiro de

10 Artigo 165.º Efeitos da recolha dos dados de avaliação Artigo 166.º Critérios de avaliação sumativa Artigo 167.º Apreciação qualitativa globalizante Artigo 168.º Efeitos da avaliação Artigo 169.º Classificação, transição e aprovação Artigo 170.º Revisão das deliberações Artigo 171.º Reclamação e recursos Artigo 172.º Reorientação do percurso escolar Artigo 173.º Casos especiais de progressão Artigo 174.º Situações especiais de classificação Artigo 175.º Alunos abrangidos pela modalidade de educação especial Artigo 176.º Conclusão e certificação Secção VIII Apoios educativos Artigo 177.º Medidas de promoção do sucesso escolar Artigo 178.º Projetos de desenvolvimento Artigo 179.º Núcleo de Apoio Educativo Artigo 180.º Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família Artigo 181.º Competências do Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família Artigo 182.º Gabinete de Apoio à Promoção do Ambiente Escolar Artigo 183.º Procedimentos das equipas de docentes em serviço no GAPAE Artigo 184.º Núcleo da Educação Especial Artigo 185.º Competências Artigo 186.º Articulação do Núcleo da Educação Especial com outros serviços Artigo 187.º Tutoria Artigo 188.º Competências Artigo 189.º Sala de Estudo (SE) Secção IX Visitas de Estudo Artigo 190.º Artigo 191.º Secção X Aprovado pelo Conselho Geral em 22 de janeiro de

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação ÍNDICE Introdução 3 A A avaliação na educação pré-escolar 3 1 Intervenientes 3 2 Modalidades da avaliação 3 3 Critérios de avaliação 3 4 Ponderação 4 B A avaliação no ensino

Leia mais

Manual. Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala

Manual. Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala Manual Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala Reuniões de Turma As reuniões com os diretores de turma (no 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e no ensino secundário) ou com

Leia mais

Autonomia e Gestão Novos Desafios

Autonomia e Gestão Novos Desafios Autonomia e Gestão Novos Desafios Francisco Oliveira Reforço da participação das famílias e comunidades na direcção estratégica da Escola Reforçar a liderança das Escolas Reforço da autonomia das Escolas

Leia mais

ANO LETIVO

ANO LETIVO ANO LETIVO 2011-2012 1.º PERÍODO DATA HORA ATIVIDADES Realização de exames de alunos autopropostos de 9.º 1 a 30 de Setembro A designar ano (02 a 06/09) Realização dos exames de módulos para conclusão

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Autonomia Avaliação externa dos estabelecimentos de educação e ensino Delegação de competências Professor bibliotecário Manuais escolares

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15 EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15 AVALIAÇÃO 5º ANO 1 Ordem de Trabalhos Ponto um Boas- vindas/apresentação dos intervenientes Ponto dois Desenho curricular e sistema de avaliação no Ensino

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA REGULAMENTO INTERNO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA REGULAMENTO INTERNO Aprovado em Conselho Geral a 16 de março de 2016 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 12 SECÇÃO I - Objeto, âmbito e princípios... 12 Artigo 1.º

Leia mais

Agenda Início do ano letivo

Agenda Início do ano letivo Agenda Início do ano letivo 2016 / 2017 Período de funcionamento das aulas de acordo com o horário normal 1º Período Início : 16 de (Pré-escolar e 1º Ciclo) 19 de (2º e 3º Ciclos e E.S) Termo : 16 de dezembro

Leia mais

Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro Regulamento Interno 2013/2017

Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro Regulamento Interno 2013/2017 Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro 121423 Regulamento Interno 2013/2017 Conselho Geral, 16 de janeiro de 2014 Alterações introduzidas a 10 de setembro de 2014 Alterações introduzidas a 15 de dezembro

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define o processo eleitoral dos membros do Conselho Geral referido nos artigos

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação Ano letivo 204-205 ESCOLA LUÍS MADUREIRA PRÍNCIPIOS QUE REGULAM A AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS A avaliação tem uma vertente contínua e sistemática e fornece ao professor, ao

Leia mais

Avaliação 1

Avaliação 1 AVALIAÇÃO 5º ANO 01-10-2013 Avaliação 1 Ordem de Trabalhos Ponto um Boas-vindas/Apresentação dos intervenientes Ponto dois Desenho curricular e sistema de avaliação no Ensino Básico Ponto três Assiduidade

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO. Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO. Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular 1º CICLO 2011 2012 ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR 1º Ciclo Ano Letivo 2011 / 2012 Regimento

Leia mais

CAPÍTULO 3 ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA SECÇÃO I ESTRUTURAS DE COORDENAÇÃO EDUCATIVA E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA. Artigo 32.º

CAPÍTULO 3 ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA SECÇÃO I ESTRUTURAS DE COORDENAÇÃO EDUCATIVA E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA. Artigo 32.º CAPÍTULO 3 ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA SECÇÃO I ESTRUTURAS DE COORDENAÇÃO EDUCATIVA E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA Artigo 31.º Definição 1. São estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica as estruturas,

Leia mais

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto)

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) (Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) dezembro, 2013 CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome do Diretor Carlos Alberto Martins Carvalho Escalão 9º Unidade Orgânica : Agrupamento

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS OBJETIVOS EDUCAR EM CIDADANIA 1. RESULTADOS ESCOLARES Alcançar os resultados esperados de acordo com o contexto do agrupamento. Melhorar

Leia mais

ANEXO 18 A Regulamento Interno

ANEXO 18 A Regulamento Interno ANEXO 18 A Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS CIENTÍFICO- HUMANÍSTICOS DE NÍVEL SECUNDÁRIO DE EDUCAÇÃO, NA MODALIDADE DE ENSINO RECORRENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014

Leia mais

Interno. Regulamento 2013/2017. Agrupamento de Escolas de Miraflores. J.I. Luísa Ducla Soares. E.B.1/J.I. Alto de Algés. E.B.I.

Interno. Regulamento 2013/2017. Agrupamento de Escolas de Miraflores. J.I. Luísa Ducla Soares. E.B.1/J.I. Alto de Algés. E.B.I. J.I. Luísa Ducla Soares E.B.1/J.I. Alto de Algés E.B.I. Miraflores Escola Sec./3 Miraflores Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Miraflores Ester Maria Antunes Vieira M. E. - GEPE Conteúdo Capítulo

Leia mais

Finalidades. Princípios gerais. Princípios orientadores. Artigo 8º

Finalidades. Princípios gerais. Princípios orientadores. Artigo 8º Finalidades Princípios gerais Princípios orientadores Preâmbulo 1. Reforço da participação da família e da comunidade; 2. Favorecimento de lideranças fortes; 3. Reforço da da escola articulada com auto-avaliação

Leia mais

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores Avaliação de Desempenho Orientações aos relatores 1. Referenciais de avaliação 1.1. Legislação 1. Referenciais de avaliação 1.2. Referentes internos: a. Projeto Educativo do Agrupamento, b. Projeto Curricular

Leia mais

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA CAMPOS DE ANÁLISE DE DESEMPENHO Como elemento fundamental de preparação da avaliação, solicita-se a cada escola 1 em processo de avaliação que elabore um texto que:

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO Avaliação Interna da EPDRR Ano Letivo 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 COMISSÃO DE TRABALHO 4 METODOLOGIA DE TRABALHO ADOTADA 4 DOMÍNIOS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE PLANO DE MELHORIA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA 2015/2017 EqAI - 2015 Página 1 de 6 1. Resultados Em Português: incentivar a leitura; recontar as Académicos: histórias

Leia mais

PREÂMBULO... 8 CAPÍTULO I... 8 CAPÍTULO II SECÇÃO I... 10

PREÂMBULO... 8 CAPÍTULO I... 8 CAPÍTULO II SECÇÃO I... 10 ÍNDICE PREÂMBULO... 8 CAPÍTULO I... 8 Disposições Gerais... 8 Objeto e âmbito de aplicação... 8 Objetivos... 9 Constituição do AECC... 9 Oferta educativa... 9 CAPÍTULO II... 10 Organização Interna... 10

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE GAVIÃO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE GAVIÃO AGRUPAMENTO VERTICAL DE GAVIÃO REGULAMENTO INTERNO - ADENDA Artigo 88º Medidas de recuperação e de integração 8- As atividades de recuperação da aprendizagem, quando a elas houver lugar, são decididas

Leia mais

Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma

Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma.é nomeado/eleito na primeira reunião de Pais e Encarregados de Educação da Turma; Tem participação nos Conselhos de Turma; É a

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA SETEMBRO 2014 Enquadramento O presente documento surge na sequência do processo de Avaliação Externa realizada ao Agrupamento de Escolas Santos Simões

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Ourém

Agrupamento de Escolas de Ourém Agrupamento de Escolas de Ourém TABELA DE SIGLAS UTILIZADAS SIGLA AAAF AE AEC AEO ANQEP APEE BE CEB CEF CEFA CEI CG CNQ CP CPCJ CQEP CT CV DC DE DT DTT EBSO EE ES FCT IEFP IFLA JI ME NEECP ORVC PAF PAP

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS CONSELHOS

REGIMENTO INTERNO DOS CONSELHOS REGIMENTO INTERNO DOS CONSELHOS DE TURMA / NÚCLEO ANO LETIVO 2015/ 2016 O Regimento Interno dos Conselhos de Turma/ Núcleo do Ensino Básico, tendo em conta o Regulamento Interno da Escola, define o regime

Leia mais

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS 1. INTRODUÇÃO De acordo com o Projecto Educativo do Colégio de Albergaria e a legislação em vigor sobre a avaliação das aprendizagens dos alunos nos vários

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MEM MARTINS Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º 2; EB1 com JI da Serra das Minas n.º 1 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015-2016

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches 2016 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo A avaliação, como parte integrante do processo de ensino/ aprendizagem, deverá ter em conta: Os programas e as metas curriculares em vigor para o 1º ciclo;

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Março (alterações aprovadas no Conselho Geral em 07/12/2016)

REGULAMENTO INTERNO. Março (alterações aprovadas no Conselho Geral em 07/12/2016) REGULAMENTO INTERNO Março 2014 2018 (alterações aprovadas no Conselho Geral em 07/12/2016) 1 CARATERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO Escola-Sede: Nome do estabelecimento: Escola Secundária José Afonso, Loures Código

Leia mais

Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas da Correlhã. Anexo. Página 1 de 8

Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas da Correlhã. Anexo. Página 1 de 8 Anexo 2 Página 1 de 8 SECÇÃO III Alunos Os direitos e deveres dos alunos são os consignados na Lei nº 51/2012 de 5 de setembro. SUBSECÇÃO III Direitos e Deveres do aluno Artigo 167.º Deveres do aluno 1-

Leia mais

Plano de Melhoria

Plano de Melhoria Plano de Melhoria 1 Enquadramento O presente Plano de Melhoria resulta, simultaneamente, das orientações emanadas da Inspeção-Geral da Educação e Ciência, que assentam nas sugestões do Conselho Nacional

Leia mais

Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas João de Barros REGULAMENTO INTERNO MARÇO 2014

Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas João de Barros REGULAMENTO INTERNO MARÇO 2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DE BARROS REGULAMENTO INTERNO MARÇO 2014 Rua Dr. Manuel de Arriaga Qta. Da Mata 2855 098 CORROIOS Telf: 21 253 2242 / 4071 Fax.: 21 253 1478 I- IDENTIFICAÇÃO DO AGRUPAMENTO...

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE Observatório da Qualidade Plano de Ação 2011/2012 ÍNDICE Introdução... 2 Equipa e Horário Semanal... 2 Metodologia

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico apresentado para o ano letivo 2014-2015 e elaborado nos termos do

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOCUMENTO APROVADO PELO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO EM 9/10/13

REGULAMENTO INTERNO DOCUMENTO APROVADO PELO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO EM 9/10/13 DOCUMENTO APROVADO PELO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO EM 9/10/13 Introdução Capítulo I - OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO DO REGULAMENTO INTERNO Artigo 1.º - Objeto... 01 Artigo 2.º - Âmbito de aplicação...

Leia mais

Regulamentação. Guia informativo para Contratados

Regulamentação. Guia informativo para Contratados Regulamentação Guia informativo para Contratados Férias Os trabalhadores têm direito a um período de férias remuneradas em cada ano civil, nos termos previstos no Código do Trabalho (Lei n.º 7/2009, de

Leia mais

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO DECRETO-LEI Nº190/1991 DE 17 MAIO DECRETO-LEI Nº300/1997 DE 31 OUTUBRO / PORTARIA Nº 63 / 2001 DE 30 DE JANEIRO A escola e seus actores Agrupamento de Escolas de

Leia mais

Apresentação Programa TEIP3

Apresentação Programa TEIP3 Apresentação Programa TEIP3 Programa TEIP O Programa TEIP visa estabelecer condições para a promoção do sucesso educativo de todos os alunos e, em particular, das crianças e dos jovens que se encontram

Leia mais

Despacho. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 18º do Despacho n.º 5328/2011, de 28 de Março, determino o seguinte:

Despacho. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 18º do Despacho n.º 5328/2011, de 28 de Março, determino o seguinte: Despacho O Despacho n.º 5328/2011, de 28 Março, estabeleceu as regras e os princípios orientadores a observar na organização das escolas e na elaboração do horário semanal de trabalho do pessoal docente

Leia mais

Agrupamento de Escolas Prof. Paula Nogueira Olhão. Regulamento Interno. Revisto em 27 de julho de 2015

Agrupamento de Escolas Prof. Paula Nogueira Olhão. Regulamento Interno. Revisto em 27 de julho de 2015 Agrupamento de Escolas Prof. Paula Nogueira Olhão Regulamento Interno 2015 Revisto em 27 de julho de 2015 Regulamento Interno 27/7/15 Página Introdução 11 CAPÍTULO I Disposições Gerais SECÇÂO I Objeto,

Leia mais

Plano de melhoria (2015/16)

Plano de melhoria (2015/16) Plano de melhoria (2015/16) Introdução Agrupamento Vertical de Portel Escola EB 2,3 de D. João de Portel Quatro domínios de ação da Biblioteca Escolar: A. Currículo, literacias e aprendizagem B. Leitura

Leia mais

Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Pinheiro 2013/2014

Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Pinheiro 2013/2014 Agrupamento de Escolas de Pinheiro 2013/2014 Índice CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 8 Artigo 1.º Objeto... 8 Artigo 2.º Âmbito de aplicação... 8 Artigo 3.º Agrupamento de Escolas... 8 Artigo 4.º Instrumentos

Leia mais

C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O

C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria Olhão C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O Ano Letivo 2015-2016 Critérios Gerais de Avaliação 2015-2016 1 1. Avaliação A avaliação constitui um processo

Leia mais

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso. Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso. Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular 2015 / 2016 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AMADEO DE SOUZA-CARDOSO ENSINO DO INGLÊS AAA

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Agrupamento de Escolas de Padrão da Légua (AEPL)

REGULAMENTO INTERNO. Agrupamento de Escolas de Padrão da Légua (AEPL) REGULAMENTO INTERNO do Agrupamento de Escolas de Padrão da Légua (AEPL) 2013-2017 Regulamento Interno - Agrupamento de Escolas de Padrão da Légua 2013-2017 Índice Preâmbulo... 9 I - O Agrupamento de Escolas...

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO. Plano Plurianual de Atividades

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO. Plano Plurianual de Atividades AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO Plano Plurianual de Atividades 2014/2017 0 Índice Índice... 1 Introdução... 2 DIMENSÃO PEDAGÓGICA... 3 DIMENSÃO CÍVICA... 7 DIMENSÃO ESCOLA, FAMÍLIA, COMUNIDADE... 9 DIMENSÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno)

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) Novembro/2015 Capítulo I Introdução Considerando a importância do desenvolvimento

Leia mais

* Sempre que se trate de um Objectivo Estratégico, previsto no Projecto Educativo, é obrigatório referenciar o respectivo Código.

* Sempre que se trate de um Objectivo Estratégico, previsto no Projecto Educativo, é obrigatório referenciar o respectivo Código. Projecto/Serviços/ Código N.ºA1/A2 Actividade Nº 1 Reuniões de docentes do pré-escolar, 1º e 2º Ciclos. A1 Promover a sequencialidade coerente e estruturada entre a educação préescolar, o 1º Ciclo e o

Leia mais

REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS)

REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS) REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS) Preâmbulo De acordo com a legislação em vigor e o regulamento

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO (APROVADOS EM CP 2014/2015)1 1.º Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos

Leia mais

Perguntas e Respostas Frequentes

Perguntas e Respostas Frequentes Perguntas e Respostas Frequentes (Portaria n.º 644-A/2015, de 24 de agosto) Ano letivo 2015/2016 Relativas a AEC: P1: Nos casos em que os agrupamentos/escolas não agrupadas sejam as entidades promotoras

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras. Apoio

Leia mais

Plano de Formação

Plano de Formação Plano de Formação 2013-2015 Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 2 PÚBLICO-ALVO... 2 OBJETIVOS GERAIS... 2 EXPLICITAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE NECESSIDADES... 3 ÁREAS PRIORITÁRIAS DE FORMAÇÃO... 3 ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO...

Leia mais

Artigo 1º Composição

Artigo 1º Composição REGIMENTO INTERNO Artigo 1º Composição 1. O Departamento Curricular do Pré-Escolar é constituído pelos Docentes dos Jardins de Infância de A-dos- Negros, Gracieira, Gaeiras, A-da-Gorda, Óbidos, Usseira,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO. Lançamento do ano letivo 2016/2017

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO. Lançamento do ano letivo 2016/2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO Lançamento do ano letivo 2016/2017 O Agrupamento. Unidades educativas EB de Alhos Vedros nº1 192 alunos EB de Alhos Vedros nº2 194alunos EB de Alhos Vedros 225 alunos

Leia mais

aelousada.net AE Lousada REGULAMENTO INTERNO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE LOUSADA 2013/2017

aelousada.net AE Lousada REGULAMENTO INTERNO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE LOUSADA 2013/2017 REGULAMENTO INTERNO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE LOUSADA 2013/2017 Aprovado na reunião do Conselho Geral de 10 de setembro de 2014 PREÂMBULO... 5 CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS... 5 Artigo 1.º Objeto do

Leia mais

Regulamento Interno 2015

Regulamento Interno 2015 2015 INDICE PREÂMBULO... 12 CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO DO REGULAMENTO INTERNO... 13 Artigo 1º. DISPOSIÇÕES GERAIS... 13 Artigo 2º. 13 Artigo 3º. NATUREZA JURÍDICA DO AGRUPAMENTO... 13 Artigo

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA O REGIME DA FUNÇÃO PÚBLICA À LUZ DA NOVA LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS

CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA O REGIME DA FUNÇÃO PÚBLICA À LUZ DA NOVA LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA O REGIME DA FUNÇÃO PÚBLICA À LUZ DA NOVA LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS I Objetivo pedagógico geral Esta oferta formativa, extracurricular, de preparação e aperfeiçoamento,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NOS RESULTADOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SIDÓNIO PAIS,CAMINHA

AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NOS RESULTADOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SIDÓNIO PAIS,CAMINHA Ninguém caminha sem aprender a caminhar, sem aprender a fazer o caminho caminhando, refazendo e retocando o sonho pelo qual se pôs a caminhar. Paulo Freire AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

Leia mais

INDÍCE. Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora Regulamento interno 2

INDÍCE. Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora Regulamento interno 2 INDÍCE Preâmbulo 4 CAPÍTULO I Disposições gerais. 4 CAPÍTULO II Regime de administração e gestão do agrupamento. 5 Artigo 5º Órgãos de administração e gestão. 5 Secção I Conselho geral 5 Secção II Diretor

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (Despacho Normativo Nº 13/2014 de 15 de setembro) A avaliação dos alunos do ensino básico e secundário incide sobre as aprendizagens e competências definidas

Leia mais

Regimento. Conselhos de Turma dos Cursos Profissionais e CEF. Capítulo I Enquadramento, composição e competências. Artigo 1º. Enquadramento.

Regimento. Conselhos de Turma dos Cursos Profissionais e CEF. Capítulo I Enquadramento, composição e competências. Artigo 1º. Enquadramento. Capítulo I Enquadramento, composição e competências Artigo 1º Enquadramento 1. O presente documento estabelece o Regimento Interno de funcionamento dos Profissionais e dos Cursos de Educação e Formação.

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo (Nível dos Conhecimentos) Compreensão oral e escrita; Conhecimento de formas e regras de funcionamento da língua materna; Conhecimento e compreensão de conceitos

Leia mais

Agrupamento de Escolas Monte da Lua Sintra. Regulamento Interno. Março de Agrupamento de escolas Monte da Lua Sintra Regulamento Interno

Agrupamento de Escolas Monte da Lua Sintra. Regulamento Interno. Março de Agrupamento de escolas Monte da Lua Sintra Regulamento Interno Sintra Março de 2013 Agrupamento de escolas Monte da Lua Sintra Índice Apresentação do Agrupamento de Escolas Monte da Lua... 8 Introdução... 10 Preâmbulo. 11 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO I - OBJETO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURÃO - Ano Letivo 2015/ 2016 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES ( ) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURÃO - Ano Letivo 2015/ 2016 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES ( ) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES (2015-2017) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS Designação da Ativida Calendarização Dinamizadores Público Alvo Oficina Gramática e leitura Oficina da escrita Plano

Leia mais

Regulamento dos Cursos Vocacionais do. Ensino Básico

Regulamento dos Cursos Vocacionais do. Ensino Básico Preâmbulo do Ensino Básico Os cursos vocacionais do Ensino Básico constituem uma oferta formativa prevista no Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, tendo sido criados pela Portaria n.º 292 - A/2012,

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Álvaro Velho

Agrupamento de Escolas de Álvaro Velho Regulamento Interno 1 Índice APRESENTAÇÃO... 18 CAPÍTULO I... 19 CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS... 19 1. Situação geográfica e breve apontamento demográfico da Vila onde fica situado o Agrupamento...

Leia mais

Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar

Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar Revistos e aprovados na reunião de Departamento de 13 de setembro de 2016 Introdução O princípio consensualmente

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas de Fajões 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas de Fajões

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR. 1º Ciclo do Ensino Básico

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR. 1º Ciclo do Ensino Básico REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR 1º Ciclo do Ensino Básico Considerando a importância do desenvolvimento de Atividades de Enriquecimento Curricular no 1º ciclo do ensino básico para

Leia mais

Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo

Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo 2013-2017 O departamento curricular do 1º ciclo, nos termos do Regulamento Interno, aprova o seguinte regimento, definindo as respetivas regras de organização

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Regulamento da Avaliação Operacionalização da Avaliação no Processo de Ensino Aprendizagem

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Regulamento da Avaliação Operacionalização da Avaliação no Processo de Ensino Aprendizagem Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Regulamento da Avaliação Operacionalização da Avaliação no Processo de Ensino Aprendizagem Conforme o ponto 1 do artigo 128º do Regulamento Interno

Leia mais

CAPITULO I ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA E ADMINISTRATIVA... 4

CAPITULO I ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA E ADMINISTRATIVA... 4 REGULAMENTO INTERNO Regulamento Interno CONTEÚDO INTRODUÇÃO... 1 Regime de Funcionamento e Oferta Formativa... 1 Estrutura Organizativa do Agrupamento... 2 disposições Gerais... 3 Artigo 1º... 3 (Âmbito)...

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código:091 Município: São Carlos/SP Eixo Tecnológico: Gestão e

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

Reunião - Encarregados de Educação. 1.º Ciclo. Ano Letivo 2016/ de setembro de 2016

Reunião - Encarregados de Educação. 1.º Ciclo. Ano Letivo 2016/ de setembro de 2016 Reunião - Encarregados de Educação 1.º Ciclo Ano Letivo 2016/2017 09 de setembro de 2016 Ordem de Trabalhos 1 Projeto Educativo 2 Normas de funcionamento 3 Apresentação 4 Plano Anual de Atividades 2 Ordem

Leia mais

R E G U L A M E N T O I N T E R N O

R E G U L A M E N T O I N T E R N O R E G U L A M E N T O I N T E R N O - 2 - ÍNDICE INTRODUÇÃO --------------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------- 7 CAPÍTULO I 7 DISPOSIÇÕES

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016

ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016 ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016 Avaliação das aprendizagens dos alunos A 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E CURSOS CIENTÍFICOHUMANÍSTICOS DO ENSINO SECUNDÁRIO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR Ano Letivo: 2012 / 2013 ÍNDICE CAPÍTULO I PÁG. ÂMBITO 3 CAPÍTULO I I Conselho de Docentes 3 CAPÍTULO III Competências

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES

REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES REGULAMENTO INTERNO 171750 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES 2013 À GUISA DE PREFÁCIO «Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, Muda-se o ser, muda-se a confiança, Todo o mundo é composto de mudança,

Leia mais

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9.1 Estrutura Organizacional, Instâncias de Decisão e Organograma Institucional e Acadêmico (conforme Estatuto e Regimento Geral). O Instituto Federal de Ciência e Tecnologia

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE

REGULAMENTO INTERNO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE REGULAMENTO INTERNO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE CONTEÚDO PREÂMBULO...5 CAPÍTULO I OBJETO, ÂMBITO E PRINCIPIOS ORIENTADORES...6 Artigo 1º - Objeto...6 Artigo 2º Âmbito...6 Artigo 3º - Princípios

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ENG.º DUARTE PACHECO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ENG.º DUARTE PACHECO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ENG.º DUARTE PACHECO EB1 Mãe Soberana E.B.1/J.I. Gilvrasino EB1/J.I. Hortas de Stº António E.B.1 Estação Escola Sede E.B. 2/3 Eng.º Duarte Pacheco JI Mira Serra E.B.1 Patã de Cima

Leia mais

ANEXO 9 Regulamento Interno ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO E DE INTEGRAÇÃO ESCOLAR E COMUNITÁRIA

ANEXO 9 Regulamento Interno ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO E DE INTEGRAÇÃO ESCOLAR E COMUNITÁRIA ANEXO 9 Regulamento Interno ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO E DE INTEGRAÇÃO ESCOLAR E COMUNITÁRIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014 ÍNDICE SECÇÃO I Excesso grave de faltas 2 SECÇÃO II Tipificação de

Leia mais

REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA

REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DO CENFORMA 2 Artigo 1.º Definição 1. O Regimento Interno da Secção de Formação e

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA

PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO ADMINISTRATIVA Capítulo I Art. 1º - Este Plano de Carreira Técnico-Administrativo regula as condições de admissão,

Leia mais

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO Apresentação do Projecto Escola E.B 2,3 Passos José OBJECTIVOS GERAIS Fomentar a integração dos alunos no contexto escolar, promovendo o sucesso educativo Agir preventiva

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DA SILVA CORREIA REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO O presente Regulamento dos Quadros de Mérito e de Excelência do Agrupamento de Escolas João da

Leia mais

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Escola Básica 2/3 Martim de Freitas. Regimento do Departamento De Matemática e Ciências Experimentais

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Escola Básica 2/3 Martim de Freitas. Regimento do Departamento De Matemática e Ciências Experimentais Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Escola Básica 2/3 Martim de Freitas Regimento do Departamento De Matemática e Ciências Experimentais 2009/2013 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS REGIMENTO

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA A melhoria da eficácia da resposta educativa decorre de uma articulação coerente entre: Projeto Educativo Currículo Plano de Turma Assim, o Plano de Turma, assume a forma

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO

REGULAMENTO INTERNO REGULAMENTO INTERNO 2014-2018 ÍNDICE PREÂMBULO 6 CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS 7 1. Objeto 7 2. Agrupamento de Escolas 7 3. Âmbito 7 4. Órgãos 7 5. Autonomia 8 6. Princípios gerais 9 7. Princípios orientadores

Leia mais