PROPOSTA II REVISADA 25OUT2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPOSTA II REVISADA 25OUT2011"

Transcrição

1 1) Objeto: Aquisição de um Sistema Integrado para ensaios e testes de Compatibilidade Eletromagnética (EMC) e Caracterização de Antenas (Radar Cross Section - RCS) conforme descrito nos itens abaixo, incluindo treinamento para a utilização. 2) A proposta deverá: A_ Incluir todos os encargos no preço no caso de importação na condição CFR. B_ Informar prazo de entrega. C_ Informar a forma de pagamento. D_ Informar garantia dos equipamentos. E_ Forma de atendimento da garantia do equipamento, conforme Anexo I. F_ Carta de capacidade de que o serviço, o projeto, a instalação, os materiais utilizados deverão ser providos por apenas um único fornecedor, que se responsabilizará pela garantia do sistema. G_ O fornecedor deverá indicar e contratar um laboratório em conformidade com a norma ISO17025 para a certificação experimental de todos os requisitos definidos no escopo desta proposta. I_ O fornecedor deverá definir os requisitos necessários para a instalação da câmara e aprovar as condições locais antes da instalação. 3) Treinamento No corpo da proposta deverá constar de forma detalhada a metodologia a ser aplicada no Treinamento, indicando recursos necessários, material didático que será disponibilizado, carga horária, local de realização, tamanho máximo da (s) turma (s), e outras informações julgadas pertinentes nas condições mínimas descritas no Anexo I. 1/20

2 REQUISITOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 4) CÂMARA SEMI-ANECÓICA: A câmara semi-anecóica é um ambiente físico desenvolvido para fins de medições de campos eletromagnéticos radiados. a. A Câmara Semi-Anecóica deverá ser projetada, instalada e validada para a realização de ensaios de EMC com medições a 3 e a 10 metros atendendo aos requisitos especificados nas Normas de Ensaios descritas nos itens a seguir e apresentar dimensões externas mínimas iguais a 14m x 7m x 7m. b. A câmara semi-anecóica deverá ser validada para provir uma QUIET ZONE de dimensões mínimas de 2m x 2m x 2m. i. Emissões Radiadas: CISPR11, CISPR22, CISPR , CISPR16-1-2; ii. Susceptibilidade Radiada: IEC , CISPR 25, ISO com uma faixa de frequência expansível desde 150 KHz até, no mínimo, 40 GHz. iii. A performance de blindagem deverá apresentar no mínimo, os valores de atenuação, de acordo com as normas EN e NSA-65-6: Tipo de Campo Inicio da Faixa de Atenuação Mínima Frequência (db) Campo Magnético 10 khz 80 Campo Magnético 100 khz 100 Campo Magnético 1 MHz 100 Onda Plana 100 MHz 120 Onda Plana 1 GHz 120 Micro Ondas 40 GHz 80 iv. O sistema somente será considerado apto, após instalado se aprovado no de teste de NSA (Normalized Site Attenuation) conforme a norma ANSI C63.4 (2001). v. O sistema instalado deverá ser aprovado em teste de uniformidade de campo, de acordo com a norma IEC , devendo atender aos requisitos definido na ISO referente a uniformidade de campos para testes de imunidade radiada. vi. A avaliação do sistema quanto a verificação da quite zone deverá ser executada através do teste de VSWR além de propostas complementares pelo fabricante e aprovada antes da montagem do sistema. vii. Não serão aceitos modelos usados, recondicionados, descontinuados, fora de linha, obsoletos ou fora da produção atual do fabricante. viii. Será dada a preferência ao sistema de medidas com poucas mudanças de interconexões. ix. O fornecedor deve fazer prova de boa fé indicando laboratórios certificados pelas normas internacionais que possuem equipamentos da marca e, referencialmente, modelo oferecido. x. O fornecedor deverá apresentar 3 cartas de indicação de clientes que tenham adquirido sistemas de medição similares, dotados de câmaras semi-anecóicas que testifiquem o perfeito funcionamento de seus sistemas em um prazo de pelo menos 5 anos após a instalação. xi. O fornecedor deverá apresentar pelo menos 3 cartas de indicação de clientes que já adquiriram sistemas similares nos últimos 5 anos. xii. O fornecedor deverá possuir o selo ISO xiii. Qualquer item não mencionado nesta especificação, porém necessário ao correto funcionamento da câmara de acordo com estas normas deverá estar incluso na proposta. 2/20

3 c. Características Funcionais: A Câmara Semi-Anecóica é composta pelos seguintes itens: Número Item e (Quantidade) 01 Estrutura Externa e Blindagem (1 - um) 02 Piso da Câmara (1 - um conjunto) 03 Absorvedores e Ferrites (1 - um conjunto) 04 Acessórios Estruturais (1 - um conjunto) 05 Instalação Elétrica (1 - um conjunto) 06 Sistema anti-incêndio (1 - um conjunto) 07 Sistema Blindado de vídeo para EMC (1 - um) 08 Sistema blindado de áudio para EMC (1 - um) 09 Mesa giratória (Turn Table) (1 - um) 10 Mastro para Antena (2 - dois) 11 Acessórios e conexões (1 - um conjunto) 12 Aterramento da câmara (1 - um conjunto) 13 Validação da câmara (1 - um) 14 Sala de amplificadores (1 - um) 15 Sala de controle blindada (1 - um) 16 Sistema Conversor de Sinais Elétricos Analógicos para Fibra Ótica (1 - um) 17 Sistema de Posicionamento automático para mapeamento 3D de antenas (1 - um) Especificação Individual dos itens da Câmara Semi-Anecóica Item 01 - Estrutura Externa e Blindagem Estrutura modular de fácil montagem e desmontagem; Capaz de suportar o peso de toda a câmara; A câmara não deve descarregar seu peso em nenhuma das paredes laterais ou teto do prédio; Adequada ao espaço e estrutura do local destinado a sua instalação; Resistente à oxidação e corrosão; Estrutura em aço galvanizado, com espessura mínima de 2 (dois) milímetros; A câmara deverá possuir pontos de conexão com a blindagem para a mesa de ensaios automotivos de acordo com a norma CISPR25; Deve garantir as condições de blindagem e atenuação, mesmo nas vizinhanças de suas junções. 3/20

4 Item 02 O piso da câmara, do tipo piso falso, deverá ser instalado a pelo menos 20 (vinte) centímetros acima do piso do edifício, de modo a permitir a passagem dos cabos de sinal e alimentação sob a câmara; O piso falso da câmara deverá ser de aço galvanizado ou inoxidável, espessura mínima de 2 (dois) milímetros; O piso deverá estar eletricamente conectado à blindagem (contato lamelar), de forma a garantir a equipotencialidade entre piso e blindagem; O piso falso deverá estar aterrado; O piso falso deverá suportar carregamentos de no mínimo 2000 kg/m 2 na trajetória entre a porta de acesso e a mesa giratória, turn table, nas demais localidades, o carregamento mínimo deverá ser de 1000 kg/m 2 ; A montagem deverá ser reversível, realizada com encaixes ou parafusos, garantindo sempre a blindagem e nivelamento do piso; Inclinação máxima do piso da câmara deve estar de acordo com a ANSI C63.7; Caixas de conexão para acesso aos cabos de alimentação e sinal com tampa que garanta a devida blindagem e o nivelamento do piso. Estas caixas serão utilizadas tanto para acesso aos pontos de alimentação quanto para sinais do Equipamento Sob Teste (EST). Item 03 Absorvedores e Ferrites 4/20

5 Para atender às dimensões físicas do local, deverá ser utilizado um arranjo misto de absorvedores piramidais e ferrites, obedecendo as seguintes exigências: O conjunto de absorvedores e ferrites deverão apresentar níveis de reflexão de acordo com as normas internacionais (onde aplicável) no intervalo de freqüência entre 30 MHz e 18 GHz. Estes devem recobrir, na totalidade, todas as paredes laterais e teto da câmara; Material não higroscópico e resistente à umidade; Vida útil de no mínimo 20 anos; Material não propagador de incêndio com certificação NRL 8093, UL 94 e DIN 4102-B2; Não deformável devido ao próprio peso ao longo do tempo não perdendo massa ou volume de forma alguma. Não deve se desintegrar ou liberar partículas com o tempo (pó, fumaça ou vapores); Compatibilidade de desempenho entre os ferrites e os Absorvedores; Os conjuntos de absorvedores deverão ser testado quanto a reflexão de campos no intervalo de frequência de trabalho solicitado. Os relatórios de testes de cada conjunto deverão ser entregues com a documentação técnica do sistema. Deve ser fornecido um conjunto de ferrites e absorvedores extras para serem postos no piso entre a turn table e a antena nos testes de imunidade conforme norma IEC ; O absorvedor deve prover documentação que prove longevidade de duração por mais de 20 anos. Ser capaz de suportar a exposição a um campo de 200 V/m em onda contínua; Absorvedores com certificação ISO 9001 no processo de manufatura. Item 04 Acessórios Estruturais 5/20

6 Porta de acesso principal que, atendendo às normas de medição, tenha as seguintes características. - Porta de peça única (uma bandeira) extraível, que move-se através de trilhos externos afixados na parte de cima, não basculante; - Largura maior ou igual a 2.00 metros e menor que 2.40 metros; - Altura maior ou igual a 2.00 metros e menor que 2.60 metros; - Sistema de abertura e fechamento automático mecânico ou pneumático com acionamento interno e externo a câmara, que mantenham as características de blindagem; - Contenha a face interna completamente recoberta com ferrites e absorvedores; O projeto deverá conter um sistema (rampa, elevador ou similares) que facilite o acesso ao interior da câmara, caso o piso falso (interno da câmara) esteja em desnível com piso externo; Sistema de ventilação: - Tipo honeycomb ; - Blindado para até 18 GHz expansível a 40 GHz; - Aberturas em número e dimensões adequados a garantir uma temperatura em regime permanente entre 18º e 25º graus Celsius; - Sistema de refrigeração independente, que apresente controle de temperatura e umidade de acordo com a norma CISPR 25; - Capacidade de interromper o fluxo de ar para a câmara em caso de incêndio. Sistema de iluminação: - Com lâmpadas halógenas; - De fácil troca, caso as lâmpadas venham apresentar defeitos; Sistema de sinalização, indicando os sinais de alarme relevantes, tais como saída de emergência, entrada, saída, alertas de choque elétrico, alerta para usuários de marca passo e outros; Sifão preenchido com granulado de cobre para a passagem de cabos blindados do exterior para o interior da câmara. Deve ser montado em um painel na parede da câmara possuindo aberturas para a fácil remoção do material granulado (tipo RFI Trap ); Conversores de Fibra Ótica necessários à perfeita transmissão dos sinais ao exterior da câmara; 02 Filtros de Linha de Sinal necessários à perfeita transmissão dos sinais ao exterior da câmara, com capacidade de 30 kw de potencia CC; Mesa como acessório para a turn table a saber: - Mesa apropriada para testes de imunidade e interferência de acordo com a norma IEC para equipamentos industriais. - Conforme as normas de medição; - Sem superfície metalizada; - Confeccionada em Material que não venha a acumular umidade (Styrodur), não sendo aceitas mesas feitas de metal. Mesa para testes automotivos com plano de terra de acordo com a CISPR 25 Edição (2002) e ISO (2004), - Altura da mesa é 900 ± 50 mm. - O comprimento da mesa deve ser maior ou igual a 2500 mm. - A largura da mesa deve ser maior ou igual a 1000 mm. - O plano terra deve ter espessura mínima de 0.5mm e ser feito de cobre, latão ou aço galvanizado. - O plano terra deve ser conectado ao terra da câmera anecóica através de fitas de metal, com espessura maior ou igual a 50mm, separadas entre si por uma distância menor ou igual a 300mm. A resistência de aterramento do plano terra não deve exceder 2.5 mili ohms. - O plano terra deve possui pontos de conexão convenientemente localizados para permitir o perfeito aterramento do equipamento sob teste, da bateria, de duas redes artificiais, do simulador de cargas e de no mínimo 3 outros dispositivos adicionais. A resistência de aterramento não deve ser superior a 2.5mΩ. 6/20

7 Mesa para testes automotivos sem plano de terra - A mesa de teste deve possuir permissividade relativa (constante dielétrica) menor ou igual a 1.4 (er 1.4). - Altura da mesa deve ser igual a 1000 ± 50 mm. - O comprimento da mesa deve ser maior ou igual a 2500 mm. - A largura da mesa deve ser maior ou igual a 1000 mm. Desejável: solução única para a combinação das duas mesas previamente descritas. Item 05 Instalação Elétrica Necessária ao funcionamento da câmara; Filtros de alimentação 50/60Hz para a instalação elétrica e do EST; 1 (hum) quadro de distribuição com fusível eletromagnético (disjuntor) individual para cada circuito de alimentação, e circuito de aterramento com proteção contra surtos; 1 (hum) interruptor principal; 1 (hum) interruptor de emergência; Luz de emergência sobre a porta; Protetores para as luminárias halógenos, de modo que venham a impedir suas quedas; 2 (dois) quadros de conexão no piso, próximos a turn table, cada um equipado com: - 4 (quatro) Soquetes protetores de contato, 230V/32A; - 1 (hum) conector trifásico, 440V/32A; - Canaletas do painel de ligação para os quadros de conexão ao piso. 1 (hum) quadro de conexão no piso, próximo a turn table, sem conectores instalados, com canaletas com passadores de cabos que permitam a instalação futura de novos conectores e pontos de medição; 1 (hum) quadro de conexão no piso, para antena e mastro, a ser utilizado em medições a 3 (três) metros do EST, equipado com: - 4 (quatro) Soquetes protetores de contato, 230V/16A; - Demais conexões necessárias à antena e seu mastro; - Canaletas do painel de ligação para os quadros de conexão ao piso. 1 (hum) quadro de conexão no piso, para antena e mastro, a ser utilizado em medições a 1 (hum) metro do EST, equipado com: - 4 (quatro) Soquetes protetores de contato, 230V/16A; - Demais conexões necessárias à antena e seu mastro; - Canaletas do painel de ligação para os quadros de conexão ao piso. 1 (hum) Quadro de conexão no centro da turn table ; Cabeamento completo, para todos conectores instalados; 8 (oito) cabos blindados para captação de sinais de baixa freqüência, distribuídos entre as caixas de conexão (na turn table ou nas caixas próximas a ela), com possibilidade de aterramento (na blindagem da câmara), nas duas extremidades; 4 (quatro) Cabeamento exclusivos para conexão com o sistema de RCS; 7/20

8 Item 06 Sistema Anti-Incêndio Equipamento anti-incêndio instalado convenientemente na câmera segundo norma ABNT. Item 07 Sistema Blindado de vídeo para EMC Deve suportar campos elétricos de no mínimo 200V/m; 2 (duas) Câmeras coloridas PAL/NTSC; Zoom Ótico de no mínimo 18x, e digital 72x; Sensibilidade min.: 1 Lux; Controle Remoto, Pan Tilt, Zoom; 2 (dois) Monitores - LCD, mínimo de 17 polegadas; Controlador da câmera; Teclado com Joystick integrado para o controle da câmera; Fonte de Alimentação; Link de fibra ótica; Sistema externo de gravação e armazenamento das imagens em formato digital. Item 08 Sistema Blindado de Áudio para EMC Deverá ser fornecido um sistema de áudio blindado, a ser utilizado para o monitoramento dos Equipamentos Sob Teste, com a transmissão de dados via fibra óptica. O sistema deve conter 2 Microfones e 2 canais para captação de Áudio; Captação de Áudio na faixa de 0,1 Hz a 20 khz; Relação Sinal-Ruído superior a 60 db; Os módulos com Microfone devem ser blindados, devendo ser capazes de suportar intensidades de campo de 200 V/m; Os módulos devem ser alimentados internamente por baterias, fornecidas juntamente com o sistema, com uma autonomia de pelo menos 48 horas de uso contínuo; Controle externo de volume; Link de fibra ótica; Fonte de Alimentação e os Carregadores de bateria necessários à operação do sistema. Item 09 Mesa Giratória ( Turn Table ) Atendendo às normas de medição previamente descritas; A mesa deverá estar perfeitamente nivelada com o piso da câmara; Motorizada, podendo girar no sentido horário e anti-horário; Suportar no mínimo 2000 Kg; Superfície metálica com diâmetro mínimo 3 (três) metros; Aterramento da superfície metálica; Ao menos uma caixa blindada embutida, com os conectores: - Conector padrão para Rede TCP/IP Ethernet, com o devido cabeamento e filtro; -o Conector serial RS232 padrão, cabeado com fibra ótica ate os equipamentos da sala de controle, incluindo os devidos conversores; - Conector serial RS485 padrão, cabeado com fibra ótica ate os equipamentos da sala de controle, incluindo os devidos conversores; - Conector serial USB padrão, cabeado com fibra ótica ate os equipamentos da sala de controle, incluindo os devidos conversores. Item 10 Mastro da Antena Atendendo às normas de medição CISPR 16, 22, 25; Móvel, possuindo rodízios com trava; 1 (hum) Mastro de antenas para testes de emissão radiada; - Controlado remotamente, com entrada para o sistema de controle; - Ajuste motorizado de Polarização vertical / horizontal; - Capaz de suportar todas as antenas do conjunto fornecido; 8/20

9 - Ajuste de altura da antena motorizado com relação à elevação do piso, variando de 1 a 4 metros; - Exige-se que o suporte da antena seja estável e que este permita o posicionamento preciso da antena dentro da câmara de teste, de acordo com as normas de medição e de forma a obter reprodutibilidade em ensaios; 2 (dois) Mastros de suporte de antenas para testes de imunidade; - Controle mecânico de Polarização vertical / horizontal; - Capaz de suportar todas as antenas do conjunto fornecido; - Controle mecânico/manual da altura da antena com relação à elevação do piso. Item 11 Acessórios e conexões De forma a atender as normas na estrutura do local da instalação, a empresa fornecedora dos equipamentos deverá fornecer um plano para adequação, caso necessária, das instalações do LEAT - UFMG para obtenção de níveis de aterramento ótimo. Item 12 Aterramento elétrico da Câmara De forma a atender as normas na estrutura do local da instalação, a empresa fornecedora dos equipamentos deverá fornecer um plano para adequação, caso necessária, das instalações do LEAT - UFMG para obtenção de níveis de aterramento ótimo. Item 13 Validação da Câmara Exige-se que a Câmara seja ensaiada e testada no local da instalação, de modo a verificar sua conformidade com as normas de medição. O sistema instalado deverá ser aprovado em teste de NSA (Normalized Site Attenuation), devendo situar-se dentro da margem de 3.5 db, para mais ou para menos, de acordo com as normas CISPR 22 e 25; O sistema instalado deverá ser aprovado em teste de uniformidade de campo, de acordo com a norma IEC ; Os valores de VSWR devem estar de acordo com as normas CISPR , CISPR16-1-2; A blindagem deverá apresentar no mínimo, os seguintes valores de atenuação, de acordo com as normas EN e NSA-65-6: 9/20

10 - Campo Magnético 10 khz atenuação de 80 db; - Campo Magnético 100 khz atenuação de 100 db; - Campo Magnético 1 MHz atenuação de 100 db; - Onda Plana 100 MHz atenuação de 120 db; - Onda Plana 400 MHz atenuação de 120 db; - Onda Plana 1 GHz atenuação de 120 db; - Micro Ondas 18 GHz atenuação de 80 db. O sistema instalado em um lado da câmara deverá provir uma QUIET ZONE, de dimensões de 2x2x2 m 3 e ser aprovado em teste de uniformidade de campo, (Qz). Item 14 Sala de amplificadores Deverá ser fornecida uma sala de controle blindada autoportante com as seguintes características: Anexa a sala de controle; Área mínima de 1.4m x 4m; Paredes e teto blindados de forma a isolar o ambiente; Sistema de refrigeração adequado ao bom funcionamento dos amplificadores; Porta de acesso com sistema de abertura e fechamento mecânico interno e externo a sala que mantenham as características de blindagem da mesma. Item 15 Sala de controle blindada Deverá ser fornecida uma sala de controle blindada autoportante com as seguintes características: Área mínima de 16m 2 sendo que as dimensões mínimas devem ser de 4m x 4m; Porta de acesso à sala de amplificadores; Paredes e teto blindados de forma a isolar o ambiente de ruídos eletromagnéticos externos; Porta de acesso com sistema de abertura e fechamento mecânico interno e externo a sala que mantenham as características de blindagem da mesma; Pontos de conexão e alimentação para todos os equipamentos necessários para os ensaios de emissão radiada e susceptibilidade; No mínimo dois postos de trabalho sendo um dotado de computador com os softwares de controle para os ensaios de emissão e susceptibilidade radiada, impressora e sistema de gravação digital de imagens e áudio captadas pelo sistema de monitoramento interno a câmara já descritos nos itens anteriores. Item 16 Sistema Conversor de Sinais Elétricos Analógicos para Fibra Ótica O conversor deverá ser capaz de realizar a conversão de sinais elétricos para transmissão em fibra ótica, até a sala de controle, onde o sinal é novamente convertido para o formato elétrico, no qual será realizado o monitoramento do Equipamento Sob Teste (EST). O sistema deverá apresentar as seguintes características: O sistema deverá ser capaz de converter sinais elétricos para sinais luminosos, na banda compreendida entre 0 (DC) e 1 MHz; A atenuação das componentes do sinal em 1 MHz não deve ser superior a 3 db; A excursão pico-a-pico do sinal elétrico deverá ser igual ou superior a 8 Volts; A amplitude RMS do ruído na saída deverá ser inferior a 10 milivolts; Deverá possuir dois módulos: um transmissor e outro receptor; Os módulos devem ser blindados contra interferências eletromagnéticas; Os módulos devem ser alimentados internamente por baterias, fornecidas juntamente com o sistema, com uma autonomia de pelo menos 16 horas; Caso sejam fornecidas baterias recarregáveis, deverá estar incluso o seu carregador; As entradas e saídas elétricas deverão possuir conectores tipo BNC. O sistema deve vir acompanhado de todo cabeamento, elétrico e ótico, necessário para a sua operação. 10/20

11 Item 17 Sistema de Posicionamento automático para mapeamento 3D de antenas Sistema para posicionar uma antena de maneira automática e remota para a caracterização através de medição azimutal e axial do lóbulo de radiação. O sistema deve promover a rotação da antena de forma a excursionar completamente no sentido axial e azimutal. O sistema deve ser completamente automático, sincronizando a velocidade de giro com o tempo mínimo de registro do receptor de RF. O sistema deve apresentar um diâmetro livre para caracterização de no mínimo 3 m de medição a partir do centro da esfera de medição. O sistema deve suportar uma carga de 150 kg para medição completa esférica em 3D. Deve suportar uma carga de 500 kg para a caracterização de apenas um eixo de medição. O sistema deve apresentar alta performance quanto ao tempo e acuidade de medição. Deve apresentar possibilidade de ajuste da velocidade de medição além do registro da velocidade de rotação através de tacômetro. O Sistema de posicionamento deverá ser controlado remotamente e conectado ao sistema de registro e controle através de interface IEEE-488. Item 18 Sistema de Medição de Antenas e Testes de RCS (Radar Cross Section) Sistema dotado de no mínimo duas antenas idênticas, calibradas para serem utilizadas pelo sistema de posicionamento automático de antenas a serem caracterizadas. O Sistema deve apresentar um conjunto de colunas de material dielétrico para montagem de dispositivos a serem testados. O sistema deverá ser montado e testado com objetos radiadores de campo providenciados pelo fornecedor, de volume e massa que comprovem a capacidade máxima dos termos assumidos pelo mesmo no ato aceitação e fornecimento deste sistema. 11/20

12 As antenas deverão vir acompanhadas de certificado de calibração e curvas de caracterização de impedância, ganho e lóbulo de radiação. Sistema de controle constituído de estação de trabalho ou computador desktop, cabos de dados e software em conformidade com as normas EN55022, EN55011 e CISPR25 com sistema operacional Windows 7 professional ou superior com documentação disponível na internet e, desejável em língua portuguesa, capaz de controlar os equipamentos usados no teste, permitindo selecionar o teste a ser executado, definir o parâmetro de medição, exibir e configurar tabelas e relatórios em formatos configuráveis pelo usuário (escalas linear e logarítmica), criar linhas de limite para biblioteca de testes e procedimentos, criar fatores de transferência para antenas e redes fictícias, iniciar, pausar, retroceder, avançar e terminar o teste, modificar parâmetros do teste, controlar e registrar a velocidade de rotação da antena ou objeto em teste, entrada dados e anotações dos resultados do teste, emitir relatórios em formatos configuráveis pelo usuário, imprimir relatórios e permitir a gravação dos mesmos em CD e DVD e em dispositivo de memória externa com interface USB. Treinamento de operação com duração de 2 dias nas dependências da UFMG para até 7 participantes. 5) Descrição do Sistema de Ensaios Susceptibilidade e Emissões Radiadas Não serão aceitos modelos usados, recondicionados, descontinuados, fora de linha, obsoletos ou fora da produção atual do fabricante. Será dada a preferência ao sistema de medidas com poucas mudanças de interconexões. O fornecedor deve fazer prova de boa fé indicando laboratórios certificados pelas normas internacionais que possuem equipamentos da marca e, preferencialmente, modelo oferecido. O fornecedor deverá possuir o selo ISO Número Item Quantidade 01 Receptor de Campos Eletromagnéticos (A) 1 02 Receptor de Campos Eletromagnéticos (B) 1 03 Amplificadores 1 conjunto 04 Gerador de Radiofreqüência 1 05 Computador e Software 2 06 Antenas para ensaios de susceptibilidade 1 conjunto 07 Antenas para ensaios de emissão radiada 1 conjunto 08 Rack 1 conjunto Especificação Individual dos itens do Sistema de Ensaios Susceptibilidade e Emissões Radiadas Item 01 - Receptor de Campos Eletromagnéticos de 26.5 GHz, para a Câmara Semi-Anecóica Onde aplicável, o equipamento deve ser calibrado pelo fornecedor na entrega e no final da garantia do produto de acordo com a norma CISPR. Receptor de campos eletromagnéticos, em conformidade com as normas EN55011, EN55012, EN55013, EN55014, EN55015, EN55022, 12/20

13 CISPR25, CISPR , bem como as normas de EMI relacionadas, CISPR, EN, VDE, ANSI, FCC, BS, ETS, VCCI, MIL-STD, VG, com as seguintes características funcionais e técnicas: Display com no mínimo 640x480 pixels, escalas linear e logarítmica com diferentes unidades. A saber, linear (μv, mv, μa, ma, pw, nw) e logarítmica (dbm, dbμv, dbmv, dbμa, dbpw); Disco rígido incluso; Adequado para medições de emissões radiadas e conduzidas, de acordo com a CISPR16-1-1, VDE 0876 e ANSI C 63.4; Range de operação variando numa faixa de freqüência de: 20Hz a 26.5GHz. para acoplamento DC e de 10 MHz a 26.5 GHz para acoplamentos AC; Mínimo de 10 Filtros pré-seletores de freqüência; Resolução de Banda (Resolution bandwidths) : 200 Hz, 9 khz, 120 khz e 1MHz de acordo com CISPR ; Interfaces USB, GPIB e LAN; Controle Remoto GPIB ou LAN; Base de tempo da varredura de medição variando de 10us a 100s; Resolução de freqüência de operação: mínima de 0,01 Hz; Resolução de freqüência do display: mínima de 0,1 Hz; Interfaces USB, LAN, Serial, Impressora, Mouse e conector para monitor externo; O instrumento deve incluir um gerador de relatório on-board com modelos editáveis e uma função da inspeção prévia para verificar resultados. Podendo o mesmo ser impresso diretamente ou convertido nos formatos pdf, rtf ou HTML ao disco rígido interno ou à memória externa através de conexão USB; Controle automático da mesa giratória ( turn table ) e do mastro da antena; Modos de medição: Automático, Spectrum e Manual; Taxa de amostragem máxima de acordo com a CISPR 25 e CISPR 16-1 para diferentes faixas de frequência (A, B, C e D); Detectores de pico, valor médio, quase pico, RMS, CISPR-AV e CISPR-RMS; Oscilador de referência interno com taxa de envelhecimento menor ou igual a 3x10-8 por ano; Ruído de fase SSB (Single Side Band) menor ou igual a 120 dbc a 10 khz de portadora, f = 1 GHz, 1 Hz largura da banda de medição; Ponto de inserção de segunda ordem (SHI) maior que 55dB para uma frequência de 1GHz e com filtro pré-seletor ligado; Precisão total na medição de nível na frequência de 1GHz e com filtro pré-seletor ligado menor ou igual a 0,5dB; Mínimo de 11 Filtros pré-seletores de frequência para a faixa até 3GHz. Pré-amplificador interno para faixa de frequência de 100kHz a 26,5GHz e 30dB de ganho nominal; Sensibilidade no modo receptor menor ou igual a 3dBμV para a frequência de 500MHz e um RBW de 120kHz; Varredura no modo receptor no domínio da frequência com propriedade de ajuste de passos e do tempo de medida para cada frequência entre 10 μs a 100s; Varredura no modo receptor no domínio do tempo por FFT (Time-Domain Scan) em intervalos consecutivos de frequência para aceleração do processo de medição; Análise no modo receptor no domínio do tempo possibilitando registrar interferência versus tempo por um período de até 2 horas; Função de Analisador de Espectro; Tempo de varredura no modo Espectro de 1 μs a 16000s; Imunidade a interferências da frequência imagem para faixa até 3.6GHz maior que 90 db e para faixa acima de 3.6 GHz maior que 70 db; Alimentação: faixa mínima de 110VAC a 250VAC, e 50 Hz to 60 Hz e bateria recarregável acoplada ao instrumento; Certificado de calibração com carta de dados da Rede Brasileira de Calibração (RBC) ou reconhecido pelo INMETRO como NIST, DKD; 13/20

14 Treinamento de operação com duração mínima de 16 horas nas dependências da UFMG para no mínimo 7 participantes. Item 02 Receptor de campos eletromagnéticos 3 GHz, para ser utilizado na Sala Blindada Receptor de campos eletromagnéticos, em conformidade com as normas EN55011, EN55012, EN55013, EN55014, EN55015, EN55022, CISPR25, CISPR , bem como as normas de EMI relacionadas, CISPR, EN, VDE, ANSI, FCC, BS, ETS, VCCI, MIL-STD, VG, DEF-STAN, com as seguintes características: Display com no mínimo 640x480 pixels, escalas linear e logarítmica com diferentes unidades. A saber, linear (μv, mv, μa, ma, pw, nw) e logarítmica (dbm, dbμv, dbmv, dbμa, dbpw); Disco rígido incluso; Adequado para medições de emissões radiadas e conduzidas, de acordo com a CISPR16-1-1, VDE 0876 e ANSI C 63.4; Range de operação variando numa frequência de: 9K Hz a 3 GHz; Resolução de Banda (Resolution bandwidths): 200 Hz, 9 khz, 120 khz e 1 MHz de acordo com CISPR ; Controle Remoto GPIB, ou LAN; Detectores de pico, valor médio, quasi-peak, RMS, CISPR-AV; Base de tempo da varredura de medição variando de 10us a 100s; Resolução de frequência de operação: mínima de 0,01 Hz; Resolução de frequência do display: mínima de 0,1 Hz; Interfaces USB, LAN, Serial, Impressora, Mouse e conector para monitor externo; Alimentação: faixa mínima de 110VAC a 250VAC, e 50 Hz to 60 Hz e bateria recarregável acoplada ao instrumento; O instrumento deve incluir um gerador de relatório on-board com modelos editáveis e uma função da inspeção prévia para verificar resultados. Podendo o mesmo ser impresso diretamente ou armazenado em memória externa através de conexão USB; Modos de Medição: Automático, Spectrum, Manual; Oscilador de referência interno com taxa de envelhecimento menor a 1x10-7 por ano; Ruído de fase SSB (Single Side Band) menor ou igual a 106 dbc a 10 khz de portadora, f = 500MHz, 1 Hz largura da banda de medição; Ponto de inserção de segunda ordem (SHI) maior que 50dB para uma frequência de 1GHz e com filtro pré-seletor ligado; Precisão total na medição de nível na frequência de 1GHz e com filtro pré-seletor ligado menor ou igual a 1dB; Mínimo de 11 Filtros pré-seletores de frequência para a faixa até 3GHz. Pré-amplificador interno para faixa de frequência de 9kHz a 3GHz e 20dB de ganho; Sensibilidade no modo receptor menor ou igual a 16dBμV para a frequência de 500MHz e um RBW de 120kHz; Varredura no modo receptor no domínio da frequência com propriedade de ajuste de passos e do tempo de medida para cada frequência entre 100 μs a 100s; Análise no modo receptor no domínio do tempo possibilitando registrar interferência versus tempo por um período de até 2 horas; Função de Analisador de Espectro; Tempo de varredura no modo Espectro de 1 μs a 16000s; Imunidade a interferências da freqüência imagem para faixa até 3GHz maior que 70 db; Certificado de calibração com carta de dados da Rede Brasileira de Calibração (RBC) ou reconhecido pelo INMETRO como NIST, DKD; Treinamento de operação com duração mínima de 16 horas nas dependências da UFMG para no mínimo 7 participantes. 14/20

15 Item 03 Amplificadores Os amplificadores devem prover potência suficiente para garantir a intensidade de campo de no mínimo 200 V/m em toda faixa de frequência e uma taxa extra de potencia de 3 db compression point para evitar a sua saturação. O conjunto de amplificadores de potência deverá ser capaz de atingir os níveis de intensidade de campo requeridos, em toda a faixa de frequência, modulações e polarizações da antena especificadas, nas configurações de calibração especificadas para cada faixa de frequência do ensaio especificado nas normas ISO e ISO Harmônicos e sinais espúrios na saída do amplificador devem ser menores que -20dB da potência direta medida na frequência fundamental. O módulo da variação da intensidade de campo, medida nas configurações de calibração, entre 3 medições separadas feitas com intervalos de 1 semana, para um valor calibrado de 100V/m na faixa de frequências de 400MHz a 2GHz, deve ser inferior a 2dB. Características de Ganho, Distorção e Ruído de acordo com a norma EN Proteção para 100% da potencia refletida. O amplificador deve operar sem a possibilidade de dano ou oscilação com qualquer magnitude ou fase da fonte e impedância da carga. Reproduzir fielmente as modulações AM, FM ou pulsadas provenientes do sinal de entrada. Impedância de Entrada Nominal: 50 Ohms. Impedância de Saída Nominal: 50 Ohms. Sistema de resfriamento interno. Dispositivo auto-diagnóstico para detecção de falhas, aquecimento ou mau funcionamento. Chaveamento automático entre os diferentes amplificadores, controlado por software. Permitir controle remoto do nível de ganho do amplificador via software. Permitir montagem e conexões em conjunto (racks). Interfaces IEEE488, RS232 e USB. Controle GP-IB. Os amplificadores deverão apresentar garantia de fábrica por 5 (cinco) anos de funcionamento; Em caso de danos ANTES do período mínimo de garantia, o fornecedor deverá assumir a responsabilidade de substitui e instalar equipamentos provisórios de mesmas características no local de funcionamento, enquanto estiverem em manutenção no prazo de no máximo 15 dias úteis após o acionamento do mesmo pelo comprador. Item 04 Gerador de Radiofreqüência O gerador deve atender à norma IEC , EN 50141; O gerador deve operar, no mínimo, na faixa de Frequência compreendida entre 9kHz e 18.0 GHz; Nível de saída com faixa mínima de 145 dbm to +18 dbm; Exige-se resolução de 0.1 Hz no Display; Exige-se display de LCD; Interfaces GPIB, LAN e USB; O ciclo de calibração deverá durar, no mínimo, 1 ano; Deve ter interface para o sistema de controle permitindo a realização dos ensaios de maneira totalmente automática e de acordo com as normas; Resolução de frequência de operação: mínima de 0,01 Hz; Oscilador local com taxa de envelhecimento menor que 3x10-8 Hz/ano; Ruído de fase SSB (Single Side Band) típico de 140 dbc a 20 khz de portadora, f = 1 GHz, 1 Hz largura da banda de medição; 15/20

16 Ruído Wideband típico 160 dbc para offset de portadora maior que 10 MHz f = 1 GHz, largura da banda de medição de 1 Hz; Atenuador eletrônico com proteção para sobre-tensão para toda a faixa de freqüência; Modulador AM, FM e PM (Modulação de Fase); Modulador de Pulso com as seguintes características: razão on/off maior que 80 db e rise/fall time de 20 ns; Gerador de modulação interna para a faixa de freqüência de 0,1Hz a 1MHz; Gerador de Pulso interno com ajuste do período de 100ns a 85s e largura de 20ns a 1s; Interfaces GP-IB e LAN (10/100BaseT); Mínimo de duas entradas para memory stick tipo USB; Controle Remoto via GPIB ou LAN usando P.C. desktop; Mínimo de 3 anos de garantia; Deve ter interface para o sistema de controle permitindo a realização dos ensaios de maneira totalmente automática e de acordo com as normas; Alimentação: faixa mínima de 100VAC a 240VAC, 50 a 60 Hz; Certificado de calibração com carta de dados da Rede Brasileira de Calibração (RBC) ou reconhecido pelo INMETRO como NIST, DKD; Treinamento de operação com duração de 1 dia nas dependências da UFMG para até 7 participantes. O gerador deve ser capaz de produzir sinais com os seguintes tipos de modulação: 1. Não-modulado ou onda-contínua (CW); 2. Modulação de amplitude (AM) com índice de modulação 80% e sinal modulador senoidal de frequência 1 KHz., usando conservação de pico conforme norma ISO (2005). 3. Modulação de Pulso com taxa de repetição de pulso igual a 217 Hz, duração do pulso de 570 micro-segundos, usando conservação de pico conforme norma ISO (2005). 4. Modulação de Pulso com taxa de repetição de pulso igual a 300 Hz, duração do pulso de 3 micro-segundos, usando conservação de pico conforme norma ISO (2005). Item 05 Computador e Software Sistema de controle constituído de estação de trabalho ou computador desktop, cabos de dados e software em conformidade com as normas EN55022, EN55011 e CISPR25 com sistema operacional Windows 7 professional ou superior com documentação disponível na internet e, prioritariamente, em língua portuguesa, capaz de controlar os equipamentos usados no teste, permitindo selecionar o teste a ser executado, definir o parâmetro de medição, exibir e configurar tabelas e relatórios em formatos configuráveis pelo usuário (escalas linear e logarítmica), criar linhas de limite para biblioteca de testes e procedimentos, criar fatores de transferência para antenas e redes fictícias, iniciar, pausar, retroceder, avançar e terminar o teste, modificar parâmetros do teste, entrada dados e anotações dos resultados do teste, emitir relatórios em formatos configuráveis pelo usuário, imprimir relatórios e permitir a gravação dos mesmos em CD e DVD e em dispositivo de memória externa com interface USB. 16/20

17 Item 06 Antenas para ensaios de Susceptibilidade O conjunto de antenas deverá ser capaz de praticar os testes na faixa de frequência de 1 MHz a 18 GHz, distância horizontal de calibração de 1 e 3 metros, intensidade de campo mínima de 200 V/m em toda a faixa com modulação A intensidade de campo é calibrada pelo método de substituição, referenciado pela potência direta fornecida pelo amplificador de RF para a antena, de acordo com a norma ISO A linha de transmissão usada deve ser cabo coaxial de dupla blindagem, de alta qualidade (Exemplo: RG223); Para configurações de teste que exigem troca de antena no decorrer do teste, o suporte da antena deve ser estável e permitir o posicionamento preciso da antena dentro da câmara de teste, de forma a obter reprodutibilidade na relação entre a potência direta e o campo elétrico obtidos durante a calibração. Item 07 Antenas para Ensaios de Emissão Radiada Atender os requerimentos delineados no parágrafo da CISPR25, desta forma o conjunto de antenas devera ser composto por uma antena do tipo rod, uma antena do tipo bicônica (polarização vertical e horizontal), uma antena log-periódica (polarização vertical e horizontal), e uma antena tipo corneta ( horn ), considerando a faixa de freqüência entre 0.15 e 2500 MHz; A antena tipo "rod" deve, no mínimo, cobrir a faixa de frequência entre 0.15 e 30 MHz, e possuir um plano de terra complementar ao suporte, caracterizada de acordo com o Anexo E da CISPR25; A antena tipo bicônica deve, no mínimo, cobrir a faixa de frequência entre 30 e 200 MHz, tanto na polarização horizontal quanto na vertical; A antena tipo log-periódica deve, no mínimo, cobrir a faixa de frequência entre 200 e 1000 MHz, tanto na polarização horizontal quanto na vertical; A antena tipo corneta ( horn ), deve, no mínimo, cobrir a faixa de frequência entre 1000 e 2500 MHz, tanto na polarização horizontal quanto na vertical; A antena deve ser conectada via cabo coaxial, com conectores "bulkhead" que mantenham a integridade da blindagem, e o cabo deve ser duplamente blindado; O fator de perdas dos cabos deverá ser determinado de acordo com a CISPR12; O casamento de impedância entre a antena e o equipamento medidor de campos (entrada 50 Ω) deverá ser mantido para todas as frequências sendo que o máximo coeficiente de onda estacionária deverá ser 2:1. No caso da antena tipo rod, quando essa condição não for alcançada, um sistema acoplador ( casador de impedâncias) deverá ser utilizado. Item 08 Conjunto de Racks Deverá ser fornecido um conjunto de racks que permita a disposição vertical dos equipamentos possibilitando as interconexões para a sala de amplificadores, sala de controle da câmara semi-anecóica e equipamentos de controle e medição da cabine blindada. 17/20

18 6) Descrição da Cabine Blindada Cabine destinada aos ensaios imunidade e interferência conduzida, conforme as normas de EMI CISPR11, CISPR12, CISPR13, CISPR14, CISPR15, CISPR22, CISPR25, conforme também as normas de EMS IEC , IEC , IEC , IEC , IEC , IEC , IEC , IEC , contemplando também a norma CISPR14. Número Item Quantidade 01 Estrutura Externa e Blindagem 1 conjunto 02 Piso Falso da Cabine 1 conjunto 03 Acessórios Estruturais 1 conjunto 04 Instalação Elétrica 1 conjunto Especificação Individual dos itens da Cabine Blindada Item 01 Estrutura Externa e Blindagem Modular, de montagem reversível; Capaz de suportar o peso de toda a cabine; Independente das paredes do prédio; A blindagem deverá ser completa, incluindo paredes, teto e o piso da cabine; Adequada ao espaço e estrutura do local destinado a sua instalação, ver anexo II. Tamanho mínimo: 4 metros de largura por 7 de comprimento, 2,5 metros de altura, em relação ao piso falso. Resistente à oxidação e contra corrosão; Estrutura em aço galvanizado, com espessura mínima de 2 milímetros Deve garantir as condições de blindagem e atenuação listadas abaixo, mesmo nas vizinhanças de suas junções; A blindagem deverá apresentar no mínimo, os seguintes valores de atenuação, de acordo com as normas EN e NSA-65-6 (dado que a cabine blindada será instalada no pavimento nível quatro do LEAT - UFMG, os níveis de atenuação do piso deverão também ser verificados): - Campo Magnético 10kHz atenuação de 80dB. - Campo Magnético 100kHz atenuação de 100dB. - Campo Magnético 1MHz atenuação de 100dB. - Onda Plana 100MHz atenuação de 120dB. - Onda Plana 400MHz atenuação de 120dB. - Onda Plana 1GHz atenuação de 120dB. - Micro Ondas- 18GHz atenuação de 80dB Item 02 Piso Falso da Cabine O piso falso da cabine deverá ser instalado a pelo menos 20 (vinte) centímetros acima do piso de aço, de modo a permitir a passagem dos cabos de sinal e alimentação sob a cabine; O piso falso da cabine devera ser modular, de montagem não permanente, podendo ser facilmente removido com ventosas; O piso falso deverá ser de material anti-estático e em conformidade com as normas de medição; O piso falso deverá suportar carregamentos de no mínimo 1000 kg/m 2 ; O piso deverá vir acompanhado de uma chapa metálica, a ser utilizada como plano terra, conectada eletricamente à blindagem, de maneira a garantir baixa impedância de conexão. 18/20

19 Item 03 Acessórios Estruturais Porta única que atendendo às normas de medição, com as seguintes características: - Largura maior ou igual a 1.80 metro e menor que 2.40 metros; - Altura maior ou igual a 2.00 metros e menor que 2.30 metros; - Sistema de abertura e fechamento mecânico internos e externos a câmara, que mantenham as características da mesma; O projeto deverá conter um sistema (rampa, elevador ou similares) que facilite o acesso ao interior da cabine, caso o piso falso (interno da cabine) esteja em desnível com piso externo. Sistema de ventilação: -Entradas de ar que não permitam a existência e manutenção de fluxos e correntes de ar excessivamente fortes, especialmente nas vizinhanças dos pontos de teste (sugestão: utilizar difusores tubulares de tecido não higroscópico e anti-estático); -Saídas de Exaustão do Tipo Honeycomb; -Blindado para até 18 GHz; -Entradas em número e dimensões adequados a garantir uma temperatura em regime permanente entre 18 e 25 graus Celsius; -Capacidade de interromper o fluxo de ar para a cabine em caso de incêndio. Sistema de iluminação - Deve ter lâmpadas halógenas ou incandescentes; - De fácil troca, caso as lâmpadas venham apresentar defeitos; Sistema de sinalização, indicando os sinais de alarme mais relevantes, tais como saída de emergência, entrada, saída, alertas de choque elétrico, alerta para os usuários de marca passo e outros; Filtro de Linha de Sinal necessário ao perfeito funcionamento dos ensaios; Duas mesas para medições de imunidade e interferência conduzida: -2 (duas) Mesa apropriada para testes de imunidade e interferência, para equipamentos industriais - Conforme as normas de medição; - Confeccionada em material não condutor; - Sem superfície metalizada; - 2 (duas) Mesa apropriada para ensaios automotivos, de imunidade e interferência: - Conforme as normas de medição; - Confeccionada em material não condutor; Com superfície metalizada; Item 04 Instalação Elétrica Necessária ao funcionamento da cabine; Filtros de alimentação 50/60 Hz para a instalação elétrica e do EST; 1 (hum) quadro de distribuição com fusível eletromagnético (disjuntor) individual para cada circuito de alimentação, e circuito de aterramento com proteção contra surtos; 1 (hum) interruptor principal; 1 (hum) interruptor de emergência; Luz de emergência sobre a porta; Iluminação com lâmpadas incandescentes ou halógenas; Quadro metálico Feed-through para realizar a passagem dos cabeamentos necessários aos equipamentos de EMI e EMS conduzida, mantendo as características de blindagem da cabine; Tomadas de Alimentação padrão ABNT, Monofásicas e com Aterramento, montadas em canaletas plásticas, distribuídas em todas as paredes da cabine com no máximo 1.20 metros de espaçamento entre cada ponto de tomada; Cada ponto de tomada deverá possuir dois conectores, sinalizados com cores diferentes, uma delas com e a outra sem proteção diferencial; Seis tomadas trifásicas, padrão ABNT 5 pinos, distribuídas nas paredes da cabine; 19/20

20 Todos os cabeamentos e conexões necessárias ao funcionamento dos equipamentos de EMI e EMS conduzida, propostos pelo licitante, deverão ser instalados, na cabine blindada; Cabeamento completo, incluindo todo o conjunto de cabos de alimentação e de sinais, sejam sinais de controle ou medição, necessários ao funcionamento dos equipamentos para realização dos ensaios. APÊNDICE: FIGURA DE TESTES DE QZ PELO MÉTODO DE VSWR: FIGURA DE TESTES DE UNIFORMIDADE VOLUMÉTRICA: FIGURA DE MONTAGEM DE ABSORVEDORES NO INTERIOR DE CÃMARAS PARA MAXIMIZAR QZ: 20/20

9 khz a 3 GHz A nova família de produtos da Rohde & Schwarz

9 khz a 3 GHz A nova família de produtos da Rohde & Schwarz Analisador de Espectro FS300 9 khz a 3 GHz A nova família de produtos da Rohde & Schwarz Instrumento de teste Profissional para laboratório, serviços e produção O FS300 é um analisador de espectro de alta

Leia mais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Subtransmissão / Departamento de Automação e Telecomunicação Especificação Técnica ETD 00.042 Rádio Comunicação Móvel VHF Dados e Voz Versão:

Leia mais

Detector de Descargas Parciais e Rádio Influência

Detector de Descargas Parciais e Rádio Influência Aplicações Design compacto Fácil de usar Resultados precisos Operação independente ou por computador Uma solução econômica para detecção de descargas parciais Avaliação das condições de isolação de sistemas

Leia mais

DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS. Descrição de componentes

DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS. Descrição de componentes DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS Descrição de componentes 2 1 INTRODUÇÃO O sistema de treinamento em microondas DH-0406A foi desenvolvido para permitir explorar experimentalmente alguns conceitos

Leia mais

OSCILOSCÓPIO PORTÁTIL DIGITAL MODELO: MINISCOPE 300V

OSCILOSCÓPIO PORTÁTIL DIGITAL MODELO: MINISCOPE 300V OSCILOSCÓPIO PORTÁTIL DIGITAL MODELO: MINISCOPE 300V APLICAÇÕES Este instrumento foi projetado para proporcionar uma análise rápida de sinais através de sua Unidade de Aquisição de Dados Rápida. Dotado

Leia mais

ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014. Termo de Referencia

ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014. Termo de Referencia ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014 Termo de Referencia 1. OBJETO Aquisição de equipamentos de sistema de segurança (circuito fechado DVR), sendo DVR, Câmeras e Fontes 2. Descrição Quantidade Equipamento

Leia mais

Decibelímetro Modelo SL130

Decibelímetro Modelo SL130 Manual do Usuário Decibelímetro Modelo SL130 Introdução Parabéns pela sua compra do Decibelímetro SL130 Extech. Desenhado para montagem em parede, mesa, ou montagem em tripé, este medidor está de acordo

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS NO BREAKS 1. Nobreak 600VA Bivolt -115v/220v VALOR ESTIMADO: R$: 302,00 Capacidade de Potência de 300 Watts / 600 VA Tensão nominal de saída 115V Eficiência em carga total 90.0%

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR 1 Validade: A partir de 01/91 Departamento Acadêmico de: Engenharia Elétrica Curso: Engenharia Industrial Elétrica Carga Horária: 60H ( Teórica: 30H Lab.: 30H Exerc.: 00H ) Créditos: 03 Pré-requisitos:

Leia mais

Geradores de Funções/Arbitrários de dois canais Série 4060

Geradores de Funções/Arbitrários de dois canais Série 4060 Especificações Técnicas Geradores de Funções/Arbitrários de dois canais A de Geradores de Funções/Arbitrários são capazes de gerar formas de onda senoidais, quadradas, triangulares, pulsadas e arbitrárias

Leia mais

96040A. Fonte de referência com baixo ruído de fase. Dados técnicos. Simplifique seu sistema de calibração de RF. Principais benefícios

96040A. Fonte de referência com baixo ruído de fase. Dados técnicos. Simplifique seu sistema de calibração de RF. Principais benefícios 96040A Fonte de referência com baixo ruído de fase Dados técnicos Simplifique seu sistema de calibração de RF A Fonte de referência de RF Fluke Calibration 96040A permite simplificar seu sistema de calibração

Leia mais

OSCILOSCÓPIO DIGITAL MODELO: MVB DSO

OSCILOSCÓPIO DIGITAL MODELO: MVB DSO OSCILOSCÓPIO DIGITAL MODELO: CARACTERÍSTICAS Interface USB DE 50 ATÉ Display: LCD de 7 (400 x 240) colorido. Largura de Banda: Inicial de 50MHz podendo ser atualizada para 70MHz e. Contraste: Ajustável

Leia mais

SYNCHROTACT 5. Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas

SYNCHROTACT 5. Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas SYNCHROTACT 5 Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas Aplicação SYNCHROTACT 5 é a quinta geração dos equipamentos para sincronização produzidos pela ABB Switzerland

Leia mais

Nardalert S3 TM Monitor de Radiação Não Ionizante

Nardalert S3 TM Monitor de Radiação Não Ionizante Patente pendente Nardalert S3 TM Monitor de Radiação Não Ionizante Display LCD Colorido LEDs de Alarme Multicoloridos Cordão de Segurança ou Prendedor para Módulos de Sensor Substituíveis em Campo Interface

Leia mais

CAIXA DE CALIBRAÇÃO DE RELÉS DE PROTEÇÃO CE-6003

CAIXA DE CALIBRAÇÃO DE RELÉS DE PROTEÇÃO CE-6003 CE 6003 CAIXA DE CALIBRAÇÃO DE RELÉS DE PROTEÇÃO CE-6003 APLICAÇÕES: Testes manuais em relés (eletromecânicos, estáticos, numéricos) Testes automáticos em relés. Testes dinâmicos em relés com reprodução

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 009/2013

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 009/2013 ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 009/2013 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DO OBJETO LOTE 01: EQUIPAMENTOS DE ILUMINAÇÃO Kit fundo Chroma Key Tecido cor azul (B255, G0, R0) 01 01 Montável em estrutura de alumínio

Leia mais

De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906

De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906 ANÚNCIO DE PRODUTO De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906 Fluke 345 Alicate de medição de qualidade de energia Apresentamos o alicate de medição de qualidade de energia mais avançado

Leia mais

DESCRIÇÃO DETALHADA DO ANALISADOR DE CO E DE SEU FUNCIONAMENTO

DESCRIÇÃO DETALHADA DO ANALISADOR DE CO E DE SEU FUNCIONAMENTO DESCRIÇÃO DETALHADA DO ANALISADOR DE CO E DE SEU FUNCIONAMENTO O analisador de CO para baixas concentrações (ppm - partes por milhão) no ar ambiente é um instrumento de alta sensibilidade, usado para monitorar

Leia mais

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED Aplicações imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568A, uso interno, para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect)

Leia mais

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

Leia mais

OSCILOSCÓPIO DIGITAIS COMPACTOS PORTÁTEIS DE 2 CANAIS ISOLADOS MODELOS OX 5022 E OX 5042

OSCILOSCÓPIO DIGITAIS COMPACTOS PORTÁTEIS DE 2 CANAIS ISOLADOS MODELOS OX 5022 E OX 5042 OSCILOSCÓPIO DIGITAIS COMPACTOS PORTÁTEIS DE 2 CANAIS ISOLADOS MODELOS OX 5022 E OX 5042 Pontos-chave: 2 Canais isolados; Três instrumentos num só: osciloscópio de 20 ou 40 MHz, multímetro TRMS / analisador

Leia mais

Maior fabricante nacional de nobreaks e estabilizadores, com mais de 18 milhões de equipamentos vendidos.

Maior fabricante nacional de nobreaks e estabilizadores, com mais de 18 milhões de equipamentos vendidos. 1 SMS. Soluções com um diferencial exclusivo: a experiência de um líder de mercado. A SMS é líder no segmento de equipamentos para proteção de energia. São mais de 18 milhões de equipamentos vendidos em

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004)

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004) Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Na comunicação de dados são usados muitos tipos diferentes de meios de transmissão. A escolha correta dos meios de transmissão no projeto

Leia mais

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS 1- Aplicação: Este produto aplica-se a sistemas de cabeamento estruturado, para tráfego de voz, dados e imagens, do tipo 10BASE-T, 100BASE-Tx, 155M ATM, 4/16MB

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MULTÍMETRO DIGITAL UT-30B LOUD

MANUAL DE INSTRUÇÕES MULTÍMETRO DIGITAL UT-30B LOUD MANUAL DE INSTRUÇÕES MULTÍMETRO DIGITAL UT-30B LOUD ÍNDICE A. Introdução B. Informações de segurança C. Símbolos elétricos internacionais D. Características E. Especificações F. Painel de operação G. Como

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05 Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração Revisão 1 Mai2005 O é um sistema inteligente de Monitoramento, Aquisição de Dados e Supervisão Local para utilização com os softwares da linha Dynamic.

Leia mais

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET Especificação Técnica 1. Objeto Aquisição de 1 (um) NOBREAK DE POTÊNCIA 5 kva Obs.: Os atributos técnicos abaixo relacionados são de atendimento obrigatório. A nomenclatura

Leia mais

Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone

Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone VX-8CH-240C-H 8 Canais de Vídeos e 1 Canal de Audio Suporta 1 (um) Disco Rígido (HD SATA) Compressão de Vídeo H.264 Integração com PTZ Hexaplex -

Leia mais

VariTrans A 20300. Duplicadores de sinais em alojamento de 6 mm com duas saídas calibradas chaveáveis, também para altas cargas na saída.

VariTrans A 20300. Duplicadores de sinais em alojamento de 6 mm com duas saídas calibradas chaveáveis, também para altas cargas na saída. Duplicadores de Sinais Convencionais Duplicadores de sinais em alojamento de 6 mm com duas saídas calibradas chaveáveis, também para altas cargas na saída. A Tarefa Isolação e transmissão de sinais convencionais

Leia mais

EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica

EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica Descrição Geral: Equipamento esterilizador horizontal automático para esterilização por vapor saturado de alta temperatura com duas

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 COMPONENTES... 5

Sumário. Capítulo 2 COMPONENTES... 5 Sumário Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3 1.4 Instruções de instalação... 4 1.4.1 Fixação... 4 1.4.2 Ventilação... 4 1.4.3 Proteção

Leia mais

Teste de interruptores CBT-8000. www.amperis.com. 27003 Agricultura,34 +T [+34] 982 20 99 20 F [+34] 982 20 99 11 info@amperis.com www.amperis.

Teste de interruptores CBT-8000. www.amperis.com. 27003 Agricultura,34 +T [+34] 982 20 99 20 F [+34] 982 20 99 11 info@amperis.com www.amperis. Teste de interruptores CBT-8000 www.amperis.com O CBT-8000 é um analisador de disjuntor de EHV de baixo custo, autônomo e acionado por micro-processador da quinta geração da Amperis. Este analisador de

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO. Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 8 TIPO DE INSTALAÇÃO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO. Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 8 TIPO DE INSTALAÇÃO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 8 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO EXEMPLO MP LTDA. TELEVISÃO DIGITAL TERRESTRE Largura

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME - ARQUIVO 828 -M-AL1.doc Pagina 1 1. GENERALIDADES - Os serviços obedecerão as presentes especificações, a relação de

Leia mais

DRIVES. Instruções para Instalações de Conversores de Freqüência. Edição 08.2002. IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline

DRIVES. Instruções para Instalações de Conversores de Freqüência. Edição 08.2002. IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline s DRIVES Instruções para Instalações de Conversores de Freqüência Edição 08.2002 IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline ÍNDICE INTRODUÇÃO...2 A IMPORTÂNCIA DO REATOR DE SAÍDA...2 FILTROS

Leia mais

2.5. Placas eletrônicas da central

2.5. Placas eletrônicas da central 2.5. Placas eletrônicas da central Placa eletrônica de laço Piezo Placa de laço Na placa eletrônica de laço podem ser ligados quatro laços de detecção, compostos por detectores de fumaça, detectores termovelocimétricos

Leia mais

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Redes Industriais Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Capítulo 2 Meio Físicos A automação no meio produtivo Objetivos: Facilitar os processos produtivos

Leia mais

CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência

CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência Edição 08.2007 A&D CS Suporte Técnico Drives HotLine Índice 1. Introdução 2. Condições Ambientais de Operação 2.1 Poluição

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO 1 OBJETIVO... 2 2 REMOTA... 2 2.1 DESCRIÇÃO GERAL... 2 2.2 ALIMENTAÇÃO... 2 2.3 RELÓGIO INTERNO... 2 2.4 ENTRADA DE PULSOS... 2 2.5 ENTRADA DIGITAL AUXILIAR... 2 2.6 REGISTRO DA CONTAGEM DE PULSOS (LOG)

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 42BEspecificação Técnica LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 3 / 6 / 8 / 10 / 12 / 15 / 20 kva 38BEngetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: Hwww.engetron.com.br

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com COMUTAÇÃO CIRCUITOS PACOTES É necessário estabelecer um caminho dedicado entre a origem e o

Leia mais

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador WSI250 - HI Tecnologia W i re l e s s S i g n a l I n t e r fa c e O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador WSI250 da HI tecnologia

Leia mais

Bancada de CFTV - XI 102 -

Bancada de CFTV - XI 102 - T e c n o l o g i a Bancada de CFTV - XI 102 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada de CFTV - XI 102 - INTRODUÇÃO As instalações prediais nos novos

Leia mais

PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição

PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição Uma solução completa para a medição e monitoramento de um vasto conjunto de grandezas elétricas, com indicações de valores individuais para

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para compra

Descrição do Produto. Dados para compra Descrição do Produto A funcionalidade e versatilidade da linha de Inversores de Freqüência NXL da Altus fazem dela a solução ideal para as mais diversas aplicações. Visa atingir motores com menores potências

Leia mais

Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²)

Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²) Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²) 1. Esta Especificação destina-se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e de cada

Leia mais

Tipos de Medidores MEDIDOR NÃO-INTEGRATIVO CC

Tipos de Medidores MEDIDOR NÃO-INTEGRATIVO CC Tipos de Medidores Medidor não-integrativo; Medidor integrativo; Medidor do valor médio retificado; Medidor de valor de pico; Medidor de valor eficaz. MEDIDOR NÃO-INTEGRATIVO CC Processa o sinal CC sem

Leia mais

Metrologia Elétrica e de Telecomunicações. Centro de Metrologia Mecânica e Elétrica

Metrologia Elétrica e de Telecomunicações. Centro de Metrologia Mecânica e Elétrica Metrologia Elétrica e de Telecomunicações Centro de Metrologia Mecânica e Elétrica Serviço Metrológico Integrado O Laboratório de Metrologia Elétrica do IPT oferece um serviço metrológico completo e integrado

Leia mais

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br A SUPPLIER Indústria e Comércio de Eletroeletrônicos Ltda é uma empresa constituída com o objetivo de atuar no setor das Indústrias Eletroeletrônicas, principalmente na fabricação de fontes de alimentação

Leia mais

Sistema UPS (Uninterruptible Power Supply) 160 kva

Sistema UPS (Uninterruptible Power Supply) 160 kva Sistema UPS (Uninterruptible Power Supply) 160 kva 1. Características gerais 1.1. Sistema de alimentação ininterrupta trifásico, especificado para no mínimo 160 kva, na configuração SINGELO, contendo banco

Leia mais

TE155-Redes de Acesso sem Fios Cabos e Acessórios

TE155-Redes de Acesso sem Fios Cabos e Acessórios Cabos e Acessórios Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@ufpr.br Cabos e Assessórios Cabos Coaxiais Conectores e Pigtails Cabos Coaxiais Irradiantes

Leia mais

Megôhmetro Digital de 12kV

Megôhmetro Digital de 12kV Megôhmetro Digital de 12kV Funções: Maior flexibilidade para testar máquinas de alta tensão, se comparado aos instrumentos comuns com tensão de medição de 5/10kV. A alta corrente de curto aumenta a velocidade

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Capítulo 4 - Testes de Cabos. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 4 - Testes de Cabos. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 4 - Testes de Cabos 1 Fundamentos - Ondas As ondas são importantes no estudo das redes, pois são elas que transmitem as informações, utilizando meios de cobre, fibra óptica ou o ar. As ondas são

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Conjunto para microondas 9,4 GHz (230 V, 50/60 Hz) Conjunto para microondas 10,5 GHz (115 V, 50/60 Hz) 1009950 (115 V, 50/60 Hz) 1009951 (230 V, 50/60 Hz) Instruções de operação 10/15

Leia mais

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente? CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 05 UCs de Eletrônica e/ou de Telecomunicações 26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

Leia mais

UMG 96S-Instrumento de medição universal com montagem embutida UMG 96S

UMG 96S-Instrumento de medição universal com montagem embutida UMG 96S UMG 96S UMG 96S-Instrumento de medição universal com montagem embutida Os instrumentos de medição universal com montagem embutida da família de produto UMG 96S foram principalmente concebidos para utilização

Leia mais

MYOSYSTEMBR1 PXX MyosystemBr1_Pxx DataHominis Tecnologia Ltda

MYOSYSTEMBR1 PXX MyosystemBr1_Pxx DataHominis Tecnologia Ltda MYOSYSTEMBR1 PXX O MyosystemBr1_Pxx é um sistema completo para eletromiografia e foi projetado para suprir suas necessidades em uma grande variedade de trabalhos. Suas possibilidades de aplicação vão desde

Leia mais

Inversor Solar Conectado à Rede Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i

Inversor Solar Conectado à Rede Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i HIVERTER - Série NP201i Os Inversores Fotovoltaicos da Hitachi são do tipo Grid-Tied (GT Conectados à Rede) com controle reativo de potência e alta eficiência,

Leia mais

Especificações Técnicas e Funcionais

Especificações Técnicas e Funcionais Introdução Especificações Técnicas e Funcionais A presente Especificação, elaborada pela São Paulo Transporte S.A. SPTrans, tem como objetivo estabelecer os requisitos técnicos, operacionais e funcionais

Leia mais

Módulo 4 Testes de Cabos

Módulo 4 Testes de Cabos CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 4 Testes de Cabos Fundamentos para o Teste de Cabos em Frequência Ondas Uma onda é energia que se propaga de um lugar para outro. Pode ser definida como um distúrbio

Leia mais

GS 16SVR960 Sistema de Gravação de Vídeo - 960H - 16 canais

GS 16SVR960 Sistema de Gravação de Vídeo - 960H - 16 canais www.gigasecurity.com.br GS 16SVR960 Sistema de Gravação de Vídeo - 960H - 16 canais Gravador de vídeo Fonte bivolt Proteção de surto HD opcional Acesso via internet Sistema de gravação de vídeo Muito mais

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO

MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO Capa Industria e Comércio Ltda MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 01 2. DESCRIÇÃO DOS PAINÉIS... 01 3. DESCRIÇÃO ELÉTRICA... 02 4. ESPECIFICAÇÕES.... 02 5. INSTALAÇÃO...

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Parte II: Camada Física Dezembro, 2012 Professor: Reinaldo Gomes reinaldo@computacao.ufcg.edu.br Meios de Transmissão 1 Meios de Transmissão Terminologia A transmissão de dados d

Leia mais

www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo.

www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo. www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo. SINAMICS V60 com servomotores 1FL5 A solução para aplicações básicas de servo A tecnologia servo-drive

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

Manual de Operação. Cristal 950 TX

Manual de Operação. Cristal 950 TX Manual de Operação Transmissor em UHF 937,5 a 940 e 942 a 960 MHz Link de Áudio Mono / Estéreo Cristal 950 TX Versão 3.1 março 2010 Optima RF Telecomunicações Ltda Av. Raul Veiga, 86 sala 702 CEP: 28.540-000

Leia mais

ENCODERS. Fig 1 - Princípio de funcionamento de um encoder rotativo.

ENCODERS. Fig 1 - Princípio de funcionamento de um encoder rotativo. ENCODERS Este é sem dúvida nenhuma um dos equipamentos mais usados em Automação Industrial e Mecatrônica, pois com ele conseguimos converter movimentos angulares e lineares em informações úteis à nossa

Leia mais

O melhor produto do mundo, agora a um preço que você pode pagar.

O melhor produto do mundo, agora a um preço que você pode pagar. O melhor produto do mundo, agora a um preço que você pode pagar. Multímetros Digitais True-rms Fluke 117, 115 e 114 Desenvolvido para eletricistas comerciais e técnicos de campo 576,00 Fluke 117 450,00

Leia mais

Os termômetros de resistência podem ser isolados de altas tensões. Todavia, na prática, o espaço de instalação disponível é frequentemente pequeno

Os termômetros de resistência podem ser isolados de altas tensões. Todavia, na prática, o espaço de instalação disponível é frequentemente pequeno ProLine P 44000 Medições Precisas de Temperatura em Altas Tensões, até 6,6 kv Quando as temperaturas precisam ser medidas com termômetros de resistência Pt100 em ambientes sob altas tensões, os transmissores

Leia mais

APC SMART-UPS RT 1500VA Brazil

APC SMART-UPS RT 1500VA Brazil 1 de 5 20/09/2011 17:17 Você está aqui: Home > Produtos > SOHO/Usuários Domésticos > No-break (UPS - Uninterruptible Power Supplies) > Smart-UPS On-Line APC SMART-UPS RT 1500VA Brazil Part Number: Especificações

Leia mais

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES OBJETIVOS Descrever a função de cada bloco do diagrama-bloco do RECEPTOR-TRANSMISSOR EB 11-RY 20/ERC; Descrever os procedimentos de medição

Leia mais

Monitores. Ver.14/Abr/2004

Monitores. Ver.14/Abr/2004 MONITORES DE ÁUDIO E VÍDEO E GERADORES DE ÁUDIO Linha de Monitores de Vídeo e Áudio e Gerador de Tons de Áudio para: Emissoras de Rádio e TV, Headends, Produtoras, Copiadoras, Estúdios, Centros de Áudio

Leia mais

Comunicação de Dados. Aula 9 Meios de Transmissão

Comunicação de Dados. Aula 9 Meios de Transmissão Comunicação de Dados Aula 9 Meios de Transmissão Sumário Meios de Transmissão Transmissão guiada Cabo par trançado Coaxial Fibra ótica Transmissão sem fio Ondas de rádio Micro ondas Infravermelho Exercícios

Leia mais

Fontes de Alimentação Repetidoras. IsoAmp PWR A 20100

Fontes de Alimentação Repetidoras. IsoAmp PWR A 20100 Fontes de Alimentação Repetidoras Fonte de alimentação repetidora em alojamento de 6 mm com chaveamento calibrado dos sinais de saída, transmissão HART e separação protetora. A Tarefa Alimentação flexível

Leia mais

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30 ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30 Suporte redes do tipo: Monofásico; Bifásico, com neutro comum; Trifásico com ligação estrela com e sem neutro Trifásico

Leia mais

REDE DE FIBRA ÓPTICA

REDE DE FIBRA ÓPTICA REDE DE FIBRA ÓPTICA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Sumário 1. Cabos de fibras ópticas... 2 2. Emendas ópticas... 3 3. Interfaces ópticas... 4 4. Distribuidor geral óptico... 5 5. Cordões Ópticos... 5 6. Práticas

Leia mais

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede.

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Conceito Importância É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Qualquer meio físico capaz de transportar

Leia mais

- - - - - - - - Site do Inmetro - - - - - - - - 27/09/2016 06/03/2012 FIT - FLEXTRONICS INSTITUTO DE TECNOLOGIA TEMPO E FREQUÊNCIA

- - - - - - - - Site do Inmetro - - - - - - - - 27/09/2016 06/03/2012 FIT - FLEXTRONICS INSTITUTO DE TECNOLOGIA TEMPO E FREQUÊNCIA - - - - - - - - Site do Inmetro - - - - - - - - Acreditação Nº 474 Data da Acreditação 27/09/2010 Data de Validade do Certificado Última Revisão do Escopo Razão Social Nome do Laboratório Situação 27/09/2016

Leia mais

ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico nº 019/2015

ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico nº 019/2015 ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico nº 019/2015 A Fundação de Apoio a Pesquisa ao Ensino e a Cultura, através de seu Presidente de Licitação, designada pelo Ato Administrativo nº

Leia mais

FT702LT Sensor de vento para controle de turbinas... ...confere um novo sentido à durabilidade FT702LT. série

FT702LT Sensor de vento para controle de turbinas... ...confere um novo sentido à durabilidade FT702LT. série FT702LT Sensor de vento para controle de turbinas......confere um novo sentido à durabilidade FT702LT série Comprovado Alta disponibilidade O anemômetro ultrassônico FT702LT é o resultado de 10 anos de

Leia mais

Principais controles de operação e suas funções

Principais controles de operação e suas funções AVISO PARA EVITAR O RISCO DE INCÊNDIO OU CHOQUE ELÉTRICO NÃO EXPONHA ESTE APARELHO À CHUVA OU UMIDADE. Geral Esta é uma câmera para circuito fechado de televisão que usa um dispositivo de reprodução de

Leia mais

Main power para distribuição de AC provisória para sistemas de sonorização de médio a grande porte. (1) (2)

Main power para distribuição de AC provisória para sistemas de sonorização de médio a grande porte. (1) (2) RMP-63 10U 01 Características: Main power para distribuição de provisória para sistemas de sonorização de médio a grande porte. Trabalha tanto em redes 380VΔ / 220VΥ como 220VΔ / 127VΥ. (1) (2) Entrada

Leia mais

UMG 104-Mais do que um simples Multímetro UMG 104

UMG 104-Mais do que um simples Multímetro UMG 104 UMG 104 UMG 104-Mais do que um ples Multímetro O UMG 104 equipado com um DSP de 500 MHz (processador de sinal digital) é um analisador de tensão muito rápido e potente. A varredura contínua dos 8 canais

Leia mais

STATUS CHECK. Visão Geral do Produto

STATUS CHECK. Visão Geral do Produto STATUS CHECK Visão Geral do Produto Soluções em Monitoramento da Condição Sistema StatusCheck 2.4GHz 2 Visão Geral do Sistema StatusCheck : O Status Check monitora os parâmetros de vibração e temperatura

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Padronização do tipo e quantidade necessária de instalações e equipamentos dos laboratórios das habilitações profissionais EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

Apresentação Linha de Produtos

Apresentação Linha de Produtos Apresentação Linha de Produtos Linha de Atuação Foco da Empresa Equipamentos para instalações de CFTV Linhas de Produtos - Conversores de Vídeo Passivos - Conversores de Vídeo Ativos - Isoladores de Sinal

Leia mais

1. Apresentação. Fig. 1 - Rastreador Portátil OnixMiniSpy. Led indicativo de Sinal GSM/GPRS e GPS. LED indicativo de recarga de bateria

1. Apresentação. Fig. 1 - Rastreador Portátil OnixMiniSpy. Led indicativo de Sinal GSM/GPRS e GPS. LED indicativo de recarga de bateria 1. Apresentação O OnixMiniSpy é um rastreador portátil que utiliza a tecnologia de comunicação de dados GPRS (mesma tecnologia de telefone celular) para conectar-se com a central de rastreamento e efetuar

Leia mais

Seleção de Produtos. Sensor Fotoelétrico. Como especificar. TECNI-AR Ltda - Tel: 31 3362-2400 w.tecni-ar.com.br

Seleção de Produtos. Sensor Fotoelétrico. Como especificar. TECNI-AR Ltda - Tel: 31 3362-2400 w.tecni-ar.com.br Seleção de Produtos Sensor Fotoelétrico Como especificar Saída coletor PNP aberto Saída coletor NPN aberto Temporizador embutido Tipo padrão Tipo relflexivo (Tipo Difuso) Tipo feixe estreito Emissor Receptor

Leia mais

1. Descrição do Produto

1. Descrição do Produto 1. Descrição do Produto Os repetidores óticos FOCOS/PROFIBUS AL-2431 e AL-2432 destinam-se a interligação de quaisquer dispositivos PROFIBUS, assegurando altíssima imunidade a ruídos através do uso de

Leia mais

PLANILHA DE PROPOSTA

PLANILHA DE PROPOSTA 0001 012186 INVERSOR DE FREQUENCIA 144 AMPERES / 220 VCA Inversor de freqüência para aplicação em motor elétrico trifásico com corrente nominal de serviço 140A, tensão nominal 220V, temperatura de funcionamento

Leia mais

OH720, OP720, HI720, HI722

OH720, OP720, HI720, HI722 OH720, OP720, HI720, HI722 Cerberus PRO Detectores de incêndio automáticos Para o barramento endereçável automático de detector C-NET yo detector de fumaça ideal para todas as aplicações yprocessamento

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CIRCUITO INTERNO DE TV, TELEVISÃO E SONORIZAÇÃO. COREN CONSELHO REGIONAL

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE RÁDIO TRANSCEPTOR PORTÁTIL VHF/FM COM FONE TÁTICO E MICROFONE DE GARGANTA

ESPECIFICAÇÕES DE RÁDIO TRANSCEPTOR PORTÁTIL VHF/FM COM FONE TÁTICO E MICROFONE DE GARGANTA ESPECIFICAÇÕES DE RÁDIO TRANSCEPTOR PORTÁTIL VHF/FM COM FONE TÁTICO E MICROFONE DE GARGANTA 1. Composição básica dos Transceptores: Cada conjunto transceptor portátil VHF/FM compõe-se de: 01 (um) equipamento

Leia mais

Leia atentamente este manual antes de usar o Multímetro

Leia atentamente este manual antes de usar o Multímetro MULTÍMETRO DIGITAL EM369 Leia atentamente este manual antes de usar o Multímetro GARANTIA Este aparelho de medição está coberto de garantia sobre possíveis defeitos de fabricação e de funcionamento durante

Leia mais