PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI"

Transcrição

1 GUIA PARA MELHORAR O SEU Principais Práticas para a Proteção de PI PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI 2013 Centro para Empreendimento e Comércio Responsáveis

2 TABELA DE CONTEÚDO CAPÍTULO 1: Introdução à Proteção de PI: Riscos e Benefícios...5 O Desafio...6 Um Novo Tipo de Solução...7 Obtendo o Máximo Deste Guia...9 CAPÍTULO 2: Construindo o Caso de Negócios para Proteger a PI...10 A Importância da Proteção de PI...11 Convencendo Seus Empregados e Prestadores de Serviços a Protegerem a PI...15 Convencendo os Membros da Sua Cadeia de Suprimentos a Protegerem a PI...16 Escalando Um Programa de Proteção de PI Para a Sua Empresa...18 CAPÍTULO 3: Entendendo os Riscos de Perda e Uso Indevido da PI...20 Marcas e Direitos de Design...22 Direitos Autorais...24 Segredos Comerciais...26 Patentes...28 CAPITÚLO 4: Preparando o Cenário para uma Implementação Eficaz: Modelos de Políticas da CREATe para a Proteção de PI...30 Criando Políticas as Normas...31 Modelos de Políticas da CREATe para a Proteção de PI...33 Categorias de Processo da CREATe para Proteção de PI (introdução)...35 Princípios da CREATe para Proteção de PI...36 Continuação Tabela de Conteúdo

3 TABELA DE CONTEÚDO CAPÍTULO 5: Desenvolvendo e Implementando um Programa Eficaz de Proteção de PI...37 Breve Introdução aos Sistemas de Gestão...38 Construindo um Sistema de Gestão de Proteção de PI...40 Categorias de Processo da CREATe para Proteção de PI (visão geral)...41 Um Guia para as Seções das Categorias de Processo...45 Políticas, Procedimentos e Registros...47 ` `Modelos de Políticas da CREATe para a Proteção de PI...56 ` `Modelos de Procedimentos para a Proteção de PI...59 ` `Tipos de PI...62 ` `Amostra de Linguagem de Contratos para Empregados e Prestadores de Serviços...66 ` `Gerenciamento de Software e Outros Ativos de Direitos Autorais...68 ` `Registro e Manutenção do Checklist da PI...70 ` `Planilha para a Criação de um Plano Anual de Melhoria de Proteção de PI...72 ` `Entendendo os Sistemas Integrados de Gestão...82 Equipe de Compliance em PI...85 ` `Responsabilidades do Gestor de Compliance de PI...93 ` `Amostra de Comunicado Interno do CEO Sobre o Programa de Proteção de PI...94 ` `Formando uma Equipe de Compliance em PI...95 ` `Responsabilidades do Líder da Equipe de Compliance em PI...97 ` `Amostra de Trabalhos de Responsabilidade dos Membros da Equipe de Compliance em PI Escopo e Qualidade da Avaliação de Risco...99 ` `Formulário de Avaliação de Risco de PI para Terceiros ` `Formulário de Avaliação de Risco de PI Interno Gestão da Cadeia de Suprimentos ` `Checklist de Due Diligence de PI ` `Quadro de Maturidade de Processo de PI da CREATe ` `Amostra de Linguagem de Contratos para a Cadeia de Suprimentos ` `Amostra de Comunicado para a Cadeia de Suprimentos Continuação Tabela de Conteúdo

4 TABELA DE CONTEÚDO CAPÍTULO 5:...continuação Segurança e Gestão de Confidencialidade ` `Checklist de Segurança Física de PI ` `Amostra de Linguagem de Contratos para Empregados e Prestadores de Serviços ` `Checklist de Segurança Eletrônica de PI ` `Amostra de Linguagem de Contrato Sobre Segurança e Confidencialidade ` `Planilha para a Criação de um Plano Anual de Melhoria de Proteção de PI Formação e Capacitação ` `Orientações para Treinamento de Empregados ` `Orientações para Treinamento da Cadeia de Suprimentos ` `Introdução para Analisar a Causa Raiz ` `Pesquisa da Eficácia da Formação Monitorização e Medição ` `Formulário de Avaliação de Risco de PI para Terceiros ` `Checklist de Due Diligence de PI ` `Orientação e Protocolo de Monitorização de Proteção de PI ` `Programa de Qualificação de Auditor ou Monitor de PI ` `Quadro de Maturidade de Processo de PI da CREATe ` `Entendendo os Sistemas Integrados de Gestão Ações Corretivas e Melhorias ` `Amostra de Linguagem de Contratos para Empregados e Prestadores de Serviços ` `Amostra de Linguagem de Contratos para a Cadeia de Suprimentos ` `Plano de Ação Corretiva e Controle de Acompanhamento ` `Introdução para Analisar a Causa Raiz ` `Instruções sobre o Gerenciamento de Mudanças RECURSOS: Lista Alfabética de Ferramentas da CREATe Planilha para Iniciar o Seu Plano de Melhoria de Proteção de PI Glossário Links de Informações Tabela de Conteúdo

5 CAPÍTULO 1 Introdução à Proteção de PI: RISCOS E BENEFÍCIOS 1 O Guia das Principais Práticas da CREATe para Melhorar o Seu Programa de Proteção da PI fornece conselhos práticos, passo a passo para melhorar a forma de como a sua empresa gerencia e protege a propriedade intelectual (PI). Este guia oferece diferentes estilos para pessoas diferentes. Para pessoas com uma base legal, oferece uma introdução ao uso de sistemas de gestão para melhorar o programa de proteção de PI da sua empresa. Para aqueles familiarizados com cadeia de suprimentos e de risco da empresa, oferece uma visão sobre como os sistemas de gestão existentes podem ser expandidos ou criados, para abranger a proteção de PI. O guia das principais práticas atuais sobre a proteção de PI descreve como a sua empresa pode adaptar-se a abordagem de sistema de gestão comprovado. Em última análise, um problema tão desafiador quanto a proteção da PI, requer uma abordagem multifaces que envolva os governos assim, como as empresas. Evidentemente, governos e as normas da lei são aspectos críticos da proteção de PI. Mas, existem ações específicas que você pode utilizar hoje para melhorar a proteção de PI na sua empresa e na sua cadeia de suprimentos do início ao fim. É o momento de agir. A nossa esperança é que à medida que mais empresas percebam que têm o poder de conduzir a mudança, elas começarão a criar uma cultura de melhoria de proteção da PI. 5 Capítulo 1: Introdução à Proteção de PI: Riscos e Benefícios

6 O DESAFIO SOBRE CREATe.ORG A PI torna uma empresa mais valiosa, inovadora e competitiva. Mas, para muitas pessoas, a ideia de PI é vaga. É difícil imaginar. Ao longo deste manual, quando nos referimos à PI, estamos nos referindo a ativos específicos, valiosos que se enquadram nas seguintes categorias: Marcas Registradas Direitos de Design Direitos Autorais Patentes Segredos Comerciais Cada vez mais, empresas de todos os portes estão desenvolvendo a sua própria PI. Na verdade, muitas pequenas empresas dependem de um único projeto ou processo de fabricação de um produto para o seu sucesso no mercado. Pense sobre a PI que a sua empresa desenvolveu que lhe dá uma vantagem competitiva. Os líderes governamentais de todo o mundo estão percebendo a importância crucial do desenvolvimento da PI nativa como uma chave para impulsionar o crescimento econômico. Eles estão criando incentivos para que as empresas nacionais pesquisem, desenvolvam e inovem. Os governos também estão percebendo que proteger os direitos de propriedade intelectual está tornando-se essencial para todas as empresas que fazem negócios em seus países, empresas nacionais e multinacionais. O Centro para Empreendimento e Comércio Responsáveis (CREATe.org) é uma organização sem fins lucrativos dedicada a ajudar as empresas, seus fornecedores e parceiros de negócios reduzirem a falsificação, pirataria, roubo de segredos comerciais e corrupção. Para atingir este objetivo, temos desenvolvido As Principais Práticas da CREATe para a Proteção de PI e As Principais Práticas da CREATe Anticorrupção para ajudar as empresas a desenvolverem e implementarem sistemas de gestão eficazes em sua empresas e suas cadeias de suprimentos. Nossos programas incluem práticas, escaláveis e de baixo custo, avaliações on-line, avaliações independentes, treinamentos e outros recursos destinados a avaliar e melhorar os processos de proteção da PI e prevenção da corrupção. Por favor, visite nosso website em ou entre em contato conosco se você quiser obter mais informações. Comércio e investimento internacionais envolvem o fluxo constante de capitais, informações, tecnologias, matérias-primas, componentes e produtos acabados nas cadeias de suprimentos, cada vez mais complexas. Isto também aumentou dramaticamente a pressão da concorrência internacional. As empresas já não competem apenas localmente. A sua empresa está agora disputando clientes e parceiros de negócios com empresas de todo o mundo. ASSIM COMO VOCÊ PODE TER UM ÚNICO TIPO DE PI QUE LHE DÁ UMA VANTAGEM COMPETITIVA, VOCÊ PODE DESENVOLVER UMA VANTAGEM COMPETITIVA, DEMONSTRANDO QUE VOCÊ TEM UM FORTE PROGRAMA PARA GERENCIAR E PROTEGER ADEQUADAMENTE A PI. Cada tipo de PI mencionada acima tem definições legais específicas e métodos contratuais típicos de proteção. No entanto, os proprietários de todos os tipos de PI enfrentam uma ameaça, um risco crescente comum de violação e roubo. Então, se a sua preocupação específica é de produtos falsificados, software pirata, desenhos copiados ou segredos comerciais roubados, isto é parte de um grande desafio. Qualquer empresa com informações comerciais valiosas, processos ou PI, em outras palavras, praticamente todas as empresas no mundo, está vulnerável ao roubo e violação de PI. 6 Capítulo 1: Introdução à Proteção de PI: Riscos e Benefícios

7 UM NOVO TIPO DE SOLUÇÃO Assim como existe uma ameaça comum de violação e roubo a todos os tipos de PI, também existe uma solução comum. A solução é desenvolver e implementar um programa de proteção de PI com base em sistemas de gestão. Você pode fazer isso para proteger a sua própria PI e desenvolver uma vantagem competitiva para atrair clientes e parceiros de negócios, demonstrando a sua capacidade de gerenciar e proteger adequadamente a PI da sua empresa do alcance dos outros. Em primeiro lugar, faça isso dentro da sua empresa, se você ainda não está fazendo. Então, incentive ou exija que as empresas em sua cadeia de suprimentos façam o mesmo dentro de suas empresas e em suas cadeias de suprimentos. Isso vai criar um efeito cascata que acelera a melhoria da proteção e de compliance da PI. Quanto mais forte for o seu programa e quanto mais ele se estender em sua cadeia de suprimentos, mais segura será a sua PI e mais atraente a sua empresa será para os outros. CADA EMPRESA PRECISA ELEVAR A IMPORTÂNCIA DA PROTEÇÃO DE PI EM SUA EMPRESA E EM SEUS RELACIONAMENTOS DA CADEIA DE SUPRIMENTOS. Empresas de todos os países estão cada vez mais à procura de novos clientes, fornecedores e parceiros de negócios em todo o mundo. Assim como a globalização tem acelerado, a competição por novos negócios tornou-se mais intensa. As empresas estão buscando maneiras de desenvolver uma vantagem competitiva para atrair novos negócios. Os governos estão buscando maneiras de ajudar suas empresas a atraírem comércios e investimentos. Ao mesmo tempo, há uma tendência para uma avaliação mais global e completa de potenciais fornecedores e parceiros de negócios. Pense sobre a importância de um forte sistema de gestão da qualidade no mundo empresarial de hoje. Quando você seleciona um novo fornecedor ou parceiro de negócios, você considera a força de seu programa de gestão de qualidade? Quando você está competindo em novos negócios, os seus clientes consideram a força de seu programa de gestão de qualidade? Para a maioria das empresas, logicamente, as respostas para estas perguntas são: sim. AS EMPRESAS ESTÃO BUSCANDO TRABALHAR COM OUTRAS EMPRESAS QUE POSSUEM SISTEMAS DE GESTÃO DE CLASSE MUNDIAL. Hoje, ter um forte sistema de gestão da qualidade é quase uma exigência para competir em negócios internacionais, ao invés de uma simples vantagem competitiva. No entanto, ter um forte sistema de gestão de proteção de PI fornece uma vantagem competitiva real. 7 Capítulo 1: Introdução à Proteção de PI: Riscos e Benefícios

8 Para as pequenas e médias empresas, é fundamental ter um forte programa de proteção de PI. Uma pequena empresa pode não ter milhares de patentes, mas pode ser ainda mais dependente de uma específica PI para a sua sobrevivência. Enquanto uma grande empresa pode ter um departamento jurídico e os recursos financeiros para combater batalhas judiciais prolongadas sobre PI, isso pode não ser possível para uma empresa de pequeno ou médio porte. A chave para empresas de todos os tamanhos e em todos os países é tomar medidas preventivas. Se você olhar para a evolução do trabalho de compliance do meio ambiente, você verá que mais empresas estão estabelecendo penalidades para terceiros que não possuem compliance e incentivos para aqueles com um maior nível de compliance. Estão utilizando a abordagem de penalidade incentivo para motivar os seus fornecedores e parceiros de negócios. As empresas estão começando a adotar a mesma abordagem para a proteção de PI.Você já pode estar fazendo isso ou estar ocorrendo com você. Sendo a tendência da due diligence global. As empresas estão avaliando o quadro inteiro na seleção de novos fornecedores e parceiros de negócios, incluindo a qualidade de seus programas de proteção de PI. Qual é o Valor da Sua Empresa que Depende de PI? Para começar em sua empresa, você pode precisar convencer a gerência sênior dos benefícios da melhoria da protecção de PI. Aqui está um argumento que pode chamar a sua atenção-economistas dizem que cerca de três quartos do valor da maioria das organizações e fontes de receita são os ativos intangíveis, propriedade intelectual e vantagens competitivas proprietárias. ASSIM COMO VIMOS NO CONTROLE DE QUALIDADE, À MEDIDA QUE MAIS EMPRESAS FAZEM O COMPROMISSO DE RESPEITAR A PI, UMA CULTURA DE COMPLIANCE COMEÇA A EMERGIR. Compartilhamento de boas práticas é um elemento fundamental, especialmente entre os membros da cadeia de suprimentos. As empresas não devem deixar de fazer isso por conta própria. Compartilhar o que funciona acelera a melhoria para todas as empresas. E é de melhoria que necessitamos. Como você verá, a criação de um programa de melhoria de proteção de PI, exige o desenvolvimento e a implementação de um sistema de gestão. Mas qualquer sistema de gestão é uma coisa viva, respirando e não apenas uma pilha de documentos. Exige pessoas treinadas, comprometidas e que saibam acompanhar rotineiramente os procedimentos. Exige também, o apoio da gerência sênior. Para a sua empresa ter um programa eficaz de proteção de PI, você tem que encontrar uma maneira de construir a conscientização e o compromisso entre todos os seus empregados. Comunicações inteligentes e programas de formação eficazes são fundamentais para a conscientização e o comprometimento, fornecendo as habilidades e os conhecimentos necessários para fazer o sistema funcionar. O QUE CONDUZIRÁ A MELHORIA PARA A EMPRESA É O DESENVOLVIMENTO E A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO PARA A PROTEÇÃO DE PI. Este guia contém materiais para ajudá-lo a compreender os riscos e os benefícios da melhoria. O mais importante, ele fornece o conhecimento e as ferramentas para começar. 8 Capítulo 1: Introdução à Proteção de PI: Riscos e Benefícios

9 OBTENDO O MÁXIMO DESTE GUIA Esperamos que este guia beneficie alguém preocupado em proteger e respeitar a PI em qualquer empresa do mundo. O objetivo principal é ajudá-lo a desenvolver e implementar um sistema eficaz de proteção de PI em sua empresa e em seguida, em sua cadeia de suprimentos. Nós o encorajamos a explorá-lo ao máximo. É importante ressaltar que este guia não é escrito apenas para advogados e especialistas da cadeia de suprimentos. Nós acreditamos que, mesmo que o seu departamento jurídico tenha a responsabilidade primária pela proteção de PI, o seu esforço será maior através da criação de uma iniciativa multifuncional, apoiada pela gerência sênior. Portanto, este guia concentra-se na melhoria dos processos de negócios, ao invés de analisar as questões legais. Aqui está uma rápida visão do que você encontrará em cada capítulo: Capítulo 1: Introdução aos riscos de proteção de PI e uma solução baseada em sistema de gestão. Capítulo 2: Informações que ajudarão a construir o caso da importância da proteção de PI na sua empresa. Capítulo 3: Uma visão abrangente sobre os principais tipos de PI, os riscos relacionados e algumas possíveis soluções. Capítulo 4: Uma explicação de como as políticas e os procedimentos servem como a fundação de um programa de proteção de PI. Capítulo 5: Detalhes sobre as oito categorias de processos que compõem um programa de proteção eficaz de PI e medidas específicas que você pode tomar para a melhoria. Você também vai encontrar mais de 30 ferramentas desenvolvidas para tornar mais rápido para sua empresa começar a melhoria. Na parte posterior deste guia, você encontrará recursos adicionais, incluindo uma lista alfabética das ferramentas da CREATe, um glossário e links de sites onde você pode encontrar mais informações. Nós recomendamos que a sua empresa complete a Autoavaliação das Principais Práticas da CREATe e se possível, a Avaliação Independente, antes de utilizar este guia. Embora aconselhemos a leitura de todo o guia, você pode querer concentrar-se na orientação de implementação no Capítulo 5. Lá você encontrará as etapas específicas de melhorias correspondentes ao seu nível atual de desenvolvimento de processo ou maturidade. Caso a sua empresa não tenha concluído a Autoavaliação e a Avaliação Independente das Principais Práticas da CREATe, revise com atenção os capítulos 1 ao 4. Então sugerimos que você dê uma olhada nas oito categorias de processos no capítulo 5 e estime onde você está hoje em cada categoria, com base na descrição de cada nível de maturidade. Isso ajudará na concentração das etapas de melhorias que são mais práticas para você. 9 Capítulo 1: Introdução à Proteção de PI: Riscos e Benefícios

Contracting Excellence Magazine - Jan 2014 Janeiro de 2014

Contracting Excellence Magazine - Jan 2014 Janeiro de 2014 Contracting Excellence Magazine - Jan 2014 Janeiro de 2014 Fechando o cerco contra o roubo de propriedade intelectual O roubo e a violação de Propriedade Intelectual (PI) estão se agravando e vão continuar

Leia mais

Declaração de Apoio Contínuo Amostra

Declaração de Apoio Contínuo Amostra Geral Período coberto pela sua Comunicação de Progresso (COP) De: A: Declaração de apoio continuado pelo Diretor Executivo (CEO) Forneça uma declaração do diretor executivo da sua empresa expressando apoio

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt Compliance Conceitos gerais e Auditoria Objetivos Gerais: Já faz algum tempo que as Auditorias das organizações expandiram muito o escopo de seus trabalhos e a complexidade das suas atividades e, como

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação Política de segurança da Informação. Metodologia de levantamento da política de segurança. Objetivos e responsabilidades sobre a implementação. Métodos

Leia mais

utilizando o catálogo de serviços para expandir seus negócios como provedor de serviços gerenciados

utilizando o catálogo de serviços para expandir seus negócios como provedor de serviços gerenciados DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Setembro de 2012 utilizando o catálogo de serviços para expandir seus negócios como provedor de serviços gerenciados agility made possible sumário resumo executivo 3 Introdução 3 O

Leia mais

COMPLIANCE ANTICORRUPÇÃO IMPACTO E IMPORTÂNCIA AOS NEGÓCIOS

COMPLIANCE ANTICORRUPÇÃO IMPACTO E IMPORTÂNCIA AOS NEGÓCIOS COMPLIANCE ANTICORRUPÇÃO IMPACTO E IMPORTÂNCIA AOS NEGÓCIOS O QUE É COMPLIANCE COMPLIANCE Estar em conformidade e fazer cumprir regulamentos internos e externos CORRUPÇÃO É CONSEQUÊNCIA DA AUSÊNCIA DE

Leia mais

Análise de Riscos de Segurança da Informação. Prof. Paulo Silva UCEFF

Análise de Riscos de Segurança da Informação. Prof. Paulo Silva UCEFF Análise de Riscos de Segurança da Informação Prof. Paulo Silva UCEFF Roteiro 1. Conceitos Fundamentas de Seg. Informação 2. Identificação e Avaliação de Ativos 3. Identificação e Avaliação de Ameaças 4.

Leia mais

Código de Conduta Ética e Compliance

Código de Conduta Ética e Compliance Construindo um programa de ética e conformidade Nalu Ribeiro Biasus Setembro 2015 Conceito e origens O QUE É COMPLIANCE? É estar em conformidade com leis e regulamentos internos e externos, aplicáveis

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

O código de ética da Telefônica_

O código de ética da Telefônica_ O código de ética da Telefônica_ Nossos Princípios de Atuação O cumprimento de nossos Princípios de Atuação nos ajuda a tomar decisões e a atuar com integridade e profissionalismo. Carta do Presidente

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Princípios básicos nas relações com terceiros:

Princípios básicos nas relações com terceiros: Princípios básicos nas relações com terceiros: Checkup de reputação/responsabilidade quando utilizando terceiros em todo o mundo Marjorie W. Doyle, JD, CCEP-F com a contribuição de Diana Lutz 6500 Barrie

Leia mais

Norma Permanente Assunto: Política de Combate à Corrupção Código da Norma: NAD-41 Data da publicação: 01/09/2015

Norma Permanente Assunto: Política de Combate à Corrupção Código da Norma: NAD-41 Data da publicação: 01/09/2015 Página 1 de 7 Resumo: Estabelecer os princípios de combate à corrupção no relacionamento da Organização com os agentes da Administração Pública, seguindo as diretrizes estabelecidas na Lei nº 12.846/13

Leia mais

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens.

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens. Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios www.siemens.com/compliance "A cultura de uma empresa e seus valores fazem a diferença.

Leia mais

Governança Corporativa Lei anticorrupção e compliance MARTA VIEGAS 31 DE AGOSTO DE 2015

Governança Corporativa Lei anticorrupção e compliance MARTA VIEGAS 31 DE AGOSTO DE 2015 Governança Corporativa Lei anticorrupção e compliance MARTA VIEGAS 31 DE AGOSTO DE 2015 GC: Definição do IBGC Sistema pelo qual as organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos

Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos Conteúdo 1 Página Capítulo 2 1. Introdução 3 2. Nossos Compromissos 3! Compromissos com a sociedade 3! Compromissos para com os clientes 4! Compromissos para

Leia mais

C Da Nome D Empr PRO idade epar ta esa tamen T OC to OL O DE ENTRE GA Estado RG A C ssina ar go tur a CÓDIGO DE ÉTICA

C Da Nome D Empr PRO idade epar ta esa tamen T OC to OL O DE ENTRE GA Estado RG A C ssina ar go tur a CÓDIGO DE ÉTICA CÓDIGO DE ÉTICA Prezados, O Código de Ética apresenta os princípios éticos que devem orientar as decisões e a conduta dos funcionários do Ultra e parceiros da companhia. Além de expressar os compromissos

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 Código de prática para a gestão da segurança da informação A partir de 2007, a nova edição da ISO/IEC 17799 será incorporada ao novo esquema de numeração como ISO/IEC 27002.

Leia mais

Código de Conduta. Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global. Stephan Baars Diretor Financeiro (CFO)

Código de Conduta. Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global. Stephan Baars Diretor Financeiro (CFO) Código de Conduta Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global John Snyder Presidente e Diretor Executivo (CEO) Mike Janssen Diretor de Operações (COO) Stephan

Leia mais

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS VISÃO GERAL DE CAPACIDADES SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS AT-RISK International oferece Análise de Riscos, Proteção, Consultoria, Investigações e Treinamento em Segurança, nas Américas,

Leia mais

POLÍTICA, PADRÕES E PROCEDIMENTOS DE INFORMAÇÃO. Rogério Nunes de Freitas

POLÍTICA, PADRÕES E PROCEDIMENTOS DE INFORMAÇÃO. Rogério Nunes de Freitas POLÍTICA, PADRÕES E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Rogério Nunes de Freitas Política : texto de alto nível, que dá direcionamento geral e significado aos objetivos e intenções da administração

Leia mais

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA Permissão obtida junto ao proprietário dos direitos autorais, The Institute of Internal Auditors, 247 Maitland Avenue, Altamonte Springs, Florida 32701-4201, USA, para publicar esta tradução, a qual reflete

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Engenharia e Consultoria em Gestão. Buscando Soluções Criativas para a sua Empresa

Engenharia e Consultoria em Gestão. Buscando Soluções Criativas para a sua Empresa Buscando Soluções Criativas para a sua Empresa A Empresa A INFORGEL nasceu com o propósito de buscar soluções criativas para o seu negócio nas seguintes áreas de atuação: Gestão Geral de: Empresas / Negócios,

Leia mais

Código de conduta de parceiros de negócios da Pearson

Código de conduta de parceiros de negócios da Pearson Código de conduta de parceiros de negócios da Pearson Finalidade e escopo Na Pearson (incluindo suas subsidiárias e empresas com controle acionário), acreditamos fortemente que agir de forma ética e responsável

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 1 OBJETIVOS 1. O que os administradores precisam saber sobre organizações para montar e usar sistemas de informação com sucesso? 2. Que

Leia mais

A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE. Agosto, 2014

A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE. Agosto, 2014 A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE Agosto, 2014 Lei Anticorrupção Brasileira: Lei 12.846/2013 Aspectos Gerais: Vigência: Entrou em vigor em 29/01/2014; Será regulamentada. Objetivo: Responsabilizar

Leia mais

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO Este Manual/Relatório foi elaborado pela ATIVA com fins meramente informativos. É proibida a reprodução total ou

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL Série do Curso: 4ª SÉRIE Nome da Disciplina: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? ÉTICA

LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? ÉTICA LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? 10 REVISTA RI Abril 2014 Dois meses após a entrada em vigor da Lei de Combate à Corrupção (no 12.846), pesquisas de mercado

Leia mais

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO Contexto e objetivos CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO O desenvolvimento do plano de negócios, como sistematização das idéias

Leia mais

fornecendo valor com inovações de serviços de negócios

fornecendo valor com inovações de serviços de negócios fornecendo valor com inovações de serviços de negócios A TI é grande. Tantos bits no universo digital quanto estrelas em nosso universo físico. é arriscada. Dois terços dos projetos de TI estão em risco,

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL A Política de Prevenção à Corrupção tem como objetivo dar visibilidade e registrar os princípios e valores éticos que devem nortear a atuação dos empregados,

Leia mais

Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações. São Paulo, 22/09/15

Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações. São Paulo, 22/09/15 Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações São Paulo, 22/09/15 Nossa Agenda 1. Preocupações atuais no ambiente corporativo 2. Gestão de riscos e controles internos 3. Terceiros

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

Contract Compliance Services

Contract Compliance Services RISK CONSULTING Contract Compliance Services Obtendo mais valor dos seus relacionamentos com terceiros kpmg.com/br 2 / Obtendo mais valor dos seus relacionamentos com terceiros Gerenciando o risco e aumentando

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA INTEGRIDADE OPERACIONAL

SISTEMA DE GESTÃO DA INTEGRIDADE OPERACIONAL SISTEMA DE GESTÃO DA INTEGRIDADE OPERACIONAL IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS À IMPARCIALIDADE E MECANISMO PARA SALVAGUARDAR A IMPARCIALIDADE GLOBAL PROCEDIMENTO OI-L3-703-SAM-(BR)-IND-9264 Revisão: 00 Data de

Leia mais

Administração de Recursos Humanos

Administração de Recursos Humanos Administração de Recursos Humanos Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame O que é a Administração de Recursos Humanos? Refere-se às práticas e às políticas necessárias para conduzir os aspectos relacionados

Leia mais

Agregando valor com Business Service Innovation

Agregando valor com Business Service Innovation Agregando valor com Business Service Innovation A TI é enorme. Existem tantos bits no universo digital quanto estrelas em nosso universo físico. é arriscada. Dois terços dos projetos de TI estão em risco,

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Prof. Me. Humberto Moura humberto@humbertomoura.com.br Evolução da TI Postura TI Níveis de TI Princípios de TI (papel da TI perante o negócio) Arquitetura

Leia mais

Conteúdo. Publicação da MAHLE Metal Leve S/A Este documento contém os princípios definidos pela Estrutura Compliance MAHLE Versão: 10/02/2014

Conteúdo. Publicação da MAHLE Metal Leve S/A Este documento contém os princípios definidos pela Estrutura Compliance MAHLE Versão: 10/02/2014 COMPLIANCE MAHLE Conteúdo Compliance MAHLE...4 Sobre a MAHLE...5 Nossos Valores...6 Compliance e as boas práticas...8 A estrutura de compliance da MAHLE...8 Conflito de Interesses...8 Conduta com os parceiros

Leia mais

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT O que é? Um framework contendo boas práticas para

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO DE PROJETOS Prof. Me. Luís Felipe Schilling "Escolha batalhas suficientemente grandes para importar, suficientemente pequenas para VENCER." Jonathan Kozol GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK 1 GERÊNCIA

Leia mais

Projeto de Redes Top-Down

Projeto de Redes Top-Down Projeto de Redes Top-Down Referência: Slides extraídos (material de apoio) do livro Top-Down Network Design (2nd Edition), Priscilla Oppenheimer, Cisco Press, 2010. http://www.topdownbook.com/ Alterações

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda.

CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda. CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda. 1 Objetivo Descrever e comunicar os princípios que norteiam o relacionamento do Laboratório Weinmann Ltda. com as suas partes interessadas

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as diversas estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar a tecnologia da informação para fazer frente às forças competitivas que as empresas enfrentam.

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, a primeira norma ambiental internacional do mundo tem ajudado milhares de

Leia mais

REGAL-BELOIT CORPORATION PROGRAMA Corporativo Anticorrupção Política de Contratação de Terceiros Anexo 1

REGAL-BELOIT CORPORATION PROGRAMA Corporativo Anticorrupção Política de Contratação de Terceiros Anexo 1 Instruções: O REPRESENTANTE DEVIDAMENTE AUTORIZADO DO TERCEIRO DEVE RESPONDER ÀS QUESTÕES DA VERIFICAÇÃO MINUCIOSA E PREENCHER O TERMO DE CERTIFICAÇÃO E ENVIAR TODAS AS INFORMAÇÕES PARA O FUNCIONÁRIO REGAL

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

> Relatório de Vendas. Nome: Exemplo

> Relatório de Vendas. Nome: Exemplo > Relatório de Vendas Nome: Exemplo Data: 8 maio 2008 INTRODUÇÃO O Relatório de Vendas da SHL ajuda a compreender a adequação do potencial do Exemplo na função de vendas. Este relatório é baseado nos resultados

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

Nardello Em Resumo. Apenas Os Fatos NOSSAS LINHAS DE NEGÓCIO

Nardello Em Resumo. Apenas Os Fatos NOSSAS LINHAS DE NEGÓCIO Nardello Em Resumo Apenas Os Fatos N ardello & Co. é uma agência global de investigações com profissionais experientes que lidam com uma vasta gama de assuntos, incluindo investigações relacionadas com

Leia mais

O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE

O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE Índice O que é um SGA e o que é ISO 14001?...2 ISO 14001:1996. Suas perguntas respondidas...3 O sistema

Leia mais

*Os pontos de vista expressados aqui são meus e não necessariamente representam aqueles do FDIC.

*Os pontos de vista expressados aqui são meus e não necessariamente representam aqueles do FDIC. Orientação Geral para Mandatos de Seguro de Depósito Eficazes Considerações importantes no Projeto de um Mandato Eficaz Disponibilidade de Recursos para um Sistema Eficaz de Seguro de Depósitos: Financiamentos,

Leia mais

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S.

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Disciplina: Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 4: Trilhas de Auditoria Existe a necessidade

Leia mais

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig de Ética Código CÓDIGO de Ética Código de Ética Código DE de Ética Código de Ética de Ética Código de Ética Código ÉTICA de Ética Código de Ética Código de Ética Fazendo Negócios com Integridade Realizamos

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

ILLIX INTELIGÊNCIA E SEGURANÇA

ILLIX INTELIGÊNCIA E SEGURANÇA ILLIX INTELIGÊNCIA E SEGURANÇA SOBRE A ILLIX A ILLIX é uma empresa que provê soluções especializadas em proteção de dados e comunicações, segurança, tecnologia e defesa de negócios. Detectar, prevenir

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR MANUAL DO FORNECEDOR OBJETIVOS A FlexLink exige que todos os fornecedores desenvolvam sistemas com base nos Padrões Internacionais (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS18001) tendo como objetivo a melhoria contínua

Leia mais

Deutsche Bank. Código de Conduta Empresarial e Ética para o Grupo Deutsche Bank

Deutsche Bank. Código de Conduta Empresarial e Ética para o Grupo Deutsche Bank Deutsche Bank Código de Conduta Empresarial e Ética para o Grupo Deutsche Bank Índice remissivo Visão Geral 2 Capítulo Um: Compromisso com os nossos clientes e com o mercado 4 Capítulo Dois : Compromisso

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DEFENDA BUSINESS PROTECTION SERVICES & SOLUTIONS Direitos Autorais Este documento contém informações de propriedade da Defenda Business Protection Services & Solutions.

Leia mais

Índice. 1. Objetivo...04. 2. Âmbito de aplicação...05. 3. Princípios orientadores da conduta de Gas Natural Fenosa...06. 4. Normas de conduta...

Índice. 1. Objetivo...04. 2. Âmbito de aplicação...05. 3. Princípios orientadores da conduta de Gas Natural Fenosa...06. 4. Normas de conduta... Código de Ética Índice 1. Objetivo...04 2. Âmbito de aplicação...05 3. Princípios orientadores da conduta de Gas Natural Fenosa...06 4. Normas de conduta...07 5. Aceitação e cumprimento do Código...22

Leia mais

O desafio da governança

O desafio da governança 10Minutos Empresas Familiares Pesquisa Global sobre Empresas Familiares 2014 O desafio da governança Destaques As empresas familiares tornaram-se muito mais pragmáticas desde a última pesquisa, em 2012:

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO

Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? EM ASSOCIAÇÃO COM Empresas com funcionários envolvidos superam

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 05 Executivo e Profissional O executivo ou profissional de TI deve compreender a economia global, seu impacto sobre a concorrência e os fatores

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

Estamos presentes em 20 estados

Estamos presentes em 20 estados http://goo.gl/7kuwo O IDEBRASIL é voltado para compartilhar conhecimento de gestão com o empreendedor do pequeno e micro negócio, de forma prática, objetiva e simplificada. A filosofia de capacitação é

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

O Grupo Atlas Copco. Código de Conduta Empresarial

O Grupo Atlas Copco. Código de Conduta Empresarial O Grupo Atlas Copco Código de Conduta Empresarial Índice O Grupo Atlas Copco 1 Primeiro na Mente Primeiro na Escolha 2 Valores Fundamentais 3 Relações 4 Sociedade e o ambiente 5 Colaboradores 6 Clientes

Leia mais

MOTOROLA SOLUTIONS PARTNEREMPOWER UM CAMINHO ÚNICO PARA O CRESCIMENTO DO NEGÓCIO América Latina e Caribe

MOTOROLA SOLUTIONS PARTNEREMPOWER UM CAMINHO ÚNICO PARA O CRESCIMENTO DO NEGÓCIO América Latina e Caribe MOTOROLA SOLUTIONS PARTNEREMPOWER UM CAMINHO ÚNICO PARA O CRESCIMENTO DO NEGÓCIO América Latina e Caribe GUIA DO PROGRAMA PARA RÁDIOS 1 CONTEÚDO SEÇÃO NOME DA SEÇÃO PÁGINA SEÇÃO 1 Bem-Vindo 3 SEÇÃO 2 Estrutura

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

INFORMAÇÕES CONECTADAS

INFORMAÇÕES CONECTADAS INFORMAÇÕES CONECTADAS Soluções de Negócios para o Setor de Serviços Públicos Primavera Project Portfolio Management Solutions ORACLE É A EMPRESA Alcance excelência operacional com fortes soluções de gerenciamento

Leia mais

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos O código de ética DBA representa a necessidade de reforço aos valores e à cultura da empresa através da ética. Assim, é fundado nos valores essenciais da corporação e pode ser definido pelas normas padrões

Leia mais

REDES DE PEQUENAS EMPRESAS

REDES DE PEQUENAS EMPRESAS REDES DE PEQUENAS EMPRESAS As micro, pequenas e médias empresas, em decorrência da globalização e suas imposições,vêm buscando alcançar vantagem competitiva para sua sobrevivência no mercado. CONTEXTO

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

Lista de Verificação / Checklist

Lista de Verificação / Checklist Lista de Verificação / Checklist Avaliação NC / PC / C Departamentos Padrões de Referência /// Referências do MQ //// Referências Subjetivas A B C D E Cláusula Padrão Conforme/ Não C. 4 Sistema de Gestão

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO

REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO 1 REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO 2 1. CARACTERIZAÇÃO DO SETOR 1.1. Definição do Gerenciamento A definição do gerenciamento pode ser dada sob diversos enfoques, dentre os quais destacamos o texto escrito por

Leia mais

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial Sumário executivo À medida que as organizações competem e crescem em uma economia global dinâmica, um novo conjunto de pontos cruciais

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais