production of the small ones and averages companies of makings of the Vale do Itajaí.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "production of the small ones and averages companies of makings of the Vale do Itajaí."

Transcrição

1 1 A influência da TI na gestão da produção das pequenas e médias empresas. Ricardo Alencar de Azambuja, MAd, Oscar Dalfovo Dr., Paulo Roberto Dias, MEng. 1 1 Departamento de Sistemas e Computação-Universidade Regional de Blumenau (FURB). Programa de Pós Graduação em Informática. Grupo de Pesquisas Sistemas de Informação/Gestão e Competitividade, Blumenau, SC, Brasil. Resumo A inovação dos conceitos tem sido uma característica da administração dos negócios no mundo moderno. O que tem sido a causa das preocupações dos pesquisadores é a sua eficácia. Os modismos têm atraído a atenção com a mesma intensidade que as dificuldades das organizações em obter resultados, em face da complexidade das soluções propostas. Neste contexto, está inserida a Tecnologia de Informações TI, que é um conjunto de recursos, que se bem aplicados, permite e diminuição da distância entre as pequenas e as grandes empresas na competição do mercado globalizado. As empresas de pequeno e médio porte por possuir um processo decisório mais ágil, supostamente devem possuir estratégias de mercado mais flexíveis. Este, no entanto parece não ser o caso das pequenas e médias confecções da Região do Vale do Itajaí. Essas empresas têm mostrado baixo nível de competitividade, sem um posicionamento estratégico viável. É provável que essas empresas não usam de forma correta os recursos de TI no gerenciamento de seus processos produtivos. A conclusão principal do trabalho é de que a TI não é considerada ferramenta importante no processo de planejamento e controle da produção das pequenas e médias empresas de confecções da Região do Vale do Itajaí. Palavras-Chave: tecnologia, informação, competitividade, estratégia, mercado. Abstract The innovation of the concepts has been a characteristic of the administration of the businesses in the modern world. What has been the cause of the researchers' concerns is his effectiveness. The idioms have been attracting the attention with the same intensity that the difficulty of the organizations in obtaining results, in face of the complexity of the proposed solutions. In this context, of the Information Technology is inserted - IT, that it is a group of resources, that if very applied, it allows and decrease of the distance between the small ones and the great companies in the competition of the global market. The companies of small and medium load for possessing a decision process more agile, supposedly they should possess more flexible market strategies. This, however it seems not to be the case of the small ones and averages makings of the Vale do Itajaí. Those companies have been showing low level of competitiveness, without a viable strategic positioning. It is probable that those companies don't use in a correct way the resources of IT in the administration of their productive processes. The main conclusion of the work is that to IT important tool is not considered in the planning process and control of the

2 2 production of the small ones and averages companies of makings of the Vale do Itajaí. Key Words: technology, information, competitiveness, strategy, market 1. Introdução A alteração do eixo de domínio da tecnologia mecanicista para o domínio da Tecnologia da Informação (TI), provocou profundas mudanças no cenário mundial da competição, acelerando o processo de alteração da cultura e levando a globalização às menores economias mundiais. O desempenho das forças competitivas de uma empresa está relacionado a dois fatores: o primeiro fator é o do conhecimento da estrutura do setor empresarial e o segundo fator é a determinação da posição que a empresa deve ocupar naquele setor (Porter, 1992). Um terço do desempenho da empresa é influenciado pelo primeiro fator, e, dois terços pelo segundo. Com este raciocino, deduz-se que o desenvolvimento de estratégias competitivas vitoriosas deve ser efetuado a partir do conhecimento do setor empresarial, onde a empresa atua. Essa adequação correta consiste no bom atendimento das necessidades dos clientes, diferenciação nesse atendimento em relação aos concorrentes, bom relacionamento com os fornecedores e existência de barreiras à entrada de novos concorrentes. No ambiente altamente competitivo, em que estão situadas as pequenas e médias empresas, a diferenciação de processos e produtos é vital. Foco no que realmente importa e a visão prospectiva surge como fatores determinantes do sucesso empresarial e os grandes diferenciadores dos empreendimentos (Porter, 1999). Um diagnóstico organizacional em uma pequena empresa pode deduzir: pela inexistência ou inadequação de estratégias, por falhas na sua execução ou ainda pela inexistência de uso de TI que permita avaliar a execução das estratégias, Ao contrário das grandes empresas, as pequenas e médias empresas possuem agilidade, flexibilidade, aliadas à grande capacidade de adaptação a mudanças. O Sebrae (1997), informa que segundo seus registros, as micro, pequenas e médias empresas em 1996, eram responsáveis por 56% do total das vendas e 64% da mãode-obra do setor de serviços. Isto significa que, cerca de 64% do poder de compra da sociedade brasileira, tem sua origem na economia das micro, pequenas e médias empresas. O uso intensivo de princípios administrativos e estratégicos, dentre eles os recursos da TI, são responsáveis pelo sucesso nas empresas. Dalfovo (2000), afirma que as empresas falham por não utilizarem a TI como recurso estratégico, e como forma de alavancagem de negócios. Parece ser este o caso das pequenas e médias empresas de confecção da Região Metropolitana de Blumenau (Porter, 1999). O motivo da mortalidade destas empresas pode estar ligado ao uso inadequado dos recursos de TI na gestão estratégica de suas empresas. Não se tem encontrado indícios da prática de utilização de TI para suportar o uso de princípios estratégicos,

3 3 como forma de alavancagem de negócios nas pequenas e médias empresas de confecção da Região Metropolitana do Vale do Itajaí. O objetivo principal do trabalho é estabelecer o qual a influência da TI na gestão estratégica das pequenas e médias empresas de confecções da Região Metropolitana do Médio Vale do Itajaí. 2. Tecnologia e Informação. Reduções drásticas no custo de obtenção, processamento e transmissão das informações, estão alterando a maneira como fazemos negócios (Michael Porter, 1999). À medida que, a tecnologia da informação consome uma parcela crescente de seu tempo e investimentos, os executivos se tornam cada vez mais conscientes de que, a questão não pode permanecer sob a responsabilidade exclusiva dos departamentos de PED (processamento eletrônico de dados) ou de SI (sistemas de informação). Ao perceberem que, os rivais estão utilizando a informação para desenvolver a vantagem competitiva, eles reconhecem a necessidade, de se desenvolverem diretamente na gestão da nova tecnologia. No entanto, em face da rapidez da mudança, não sabem como participar do processo (Porter, 1999). Os executivos precisam compreender, como ponto de partida, que a TI, é mais do que apenas computadores. A revolução da informação está afetando a competição, de três maneiras vitais: Muda a estrutura setorial e, assim, altera as regras da competição; Geram vantagem competitiva, ao proporcionar as empresas, novos modos de superar o desempenho dos rivais; Dissemina negócios inteiramente novos, em geral, a partir das atuais operações da empresa. Com a integração de recursos de computação e de telecomunicações, surgiu a Tecnologia da Informação, que passou a apresentar capacidades para armazenar, transferir e processar informações. A principal razão foi o fato de que essas empresas utilizaram avançadas tecnologias, para automatizar processos, visando conduzir os negócios rumo à competitividade. As funções administrativas acabam gerando um crescimento no banco de dados, onerando e tornando-as complexas. (Porter, 1999), A demanda de informações está ocasionando um aumento contínuo de clientes finais (órgãos, clientes, funcionários) que vai desde os órgãos de níveis estratégicos até aos órgãos operacionais, gerando com isso, um número elevado de órgãos responsáveis pela geração e manutenção dos dados. (Melendez, 1990).

4 4 3. Informação e Competitividade. As avaliações, da natureza das atividades desenvolvidas pelas pessoas, devem merecer atenção especial, para garantir a sua efetiva realização, ajustando os procedimentos operacionais à tecnologia e às atividades humanas, para que convivam entrosadas. A busca por novas tecnologias de informação para assegurar processos competitivos é uma atividade complexa, demanda muito tempo, e seu reconhecimento é duvidoso enquanto se encontra na fase de descoberta. Na implantação de novas tecnologias, devemos comparar pontos positivos e negativos, avaliando e analisando dados antecedentes, permitindo decisões acertadas para as proposições de melhorias, advindas da descoberta do jogo de sobrevivência. Pode ser entendido, então, que é extrema, a necessidade das organizações na missão de administrar as informações, com a crescente demanda e sofisticação na TI, (de software, hardware e peopleware), recursos esses, que serão de vital importância para a sobrevivência das empresas. Para Shumpeter (1982), a competitividade das organizações depende da relação entre fatores internos e externos. A economia da Nova Era do Conhecimento estabelece por premissa que, as novas fontes de riqueza são o conhecimento e a comunicação, e não mais os recursos naturais ou o trabalho físico. Essa Nova Era está surgindo em meio a uma revolução, fruto de forças poderosas e incontroláveis: as forças da globalização. A abertura de mercado trouxe atrelado um aumento significativo de concorrentes que, ao lado da disseminação da tecnologia da informação e das redes, contribuiu para a destruição de parcela significativa do emprego, tal como o que se conhece na Era Industrial. Shumpeter, apud McNulty (1968) propõe o conceito que considera que a competição está associada com a eficiência interna da indústria e, com o desenvolvimento de novas tecnologias, novas fontes de fornecimento, e novo tipo de organização. Completa ainda que não é a competição de preços que conta, mas a competição oriunda numa nova commodity, numa nova tecnologia, numa nova fonte de suprimentos, num novo tipo de organização. Exemplifica Porter (1993), através da indústria automobilística competindo em escala mundial: a única maneira de manter a vantagem competitiva é atualizando-a, tornando a mais sofisticada. Gracioso (1995), conclui sobre a competitividade das organizações: as empresas só sobreviverão pelo domínio da tecnologia, no meio a TI. A conclusão que podemos tirar nos mostra que, a busca por competitividade passa pelo domínio da TI nas organizações sendo, portanto, independente do modelo econômico vigente no macro ambiente das organizações. Nas pequenas e médias empresas as mudanças devem ocorrer em prazos menores. 4. Gestão dos processos produtivos ou da produção. Todo este esforço das organizações em busca da competitividade, ocupando espaços no mercado através de novos clientes, não faria o menor sentido se elas

5 5 não pudessem entregar o que vendem nos prazos avençados nos contratos ou nos pedidos. Este equilíbrio só é alcançado utilizando técnicas de TI. A gestão da produção ou de processos produtivos permite estabelecer a correta relação entre as metas estratégicas de vendas estabelecidas e como elas estão sendo cumpridas. As empresas têm algumas opções de trabalho na gestão da produção, entre elas: a metodologia Just In Time (alimentação automática do processo produtivo pelos fornecedores), ou trabalham para estoques, cuja determinação de lotes de produção são baseados na intuição do executivo, ou trabalham sob pedido, ou seja, a cada pedido é emitida uma ordem de produção. Os SI do mercado com estas características, são chamados e ERP Enterprise Resource Planning. 5. Método e Materiais de Pesquisa. Para desenvolver o estudo, a população selecionada para a pesquisa constitue-se de 110 empresas e a amostra foi constituída de 43 empresas. O tamanho da amostra foi determinado com base em cálculo específico de determinação de tamanho de amostra de (Barbetta, 2001). Foram entrevistados os empreendedores, donos das empresas (23), ou seus assessores diretos, para preenchimento dos questionários e obtenção dos dados. Os dados coletados foram ordenados e organizados em Tabelas e representados em gráficos, utilizando o sistema de tabulação de dados, e representações gráficas Sphinx, para permitir sua interpretação e análise. Para que isto ocorresse utilizamos a estatística descritiva como forma de processamento e significância dos dados. (Mattar, 1996). 5.1 Análise e Interpretação dos Resultados. Os dados coletados através dos questionários aplicados durante a pesquisa de campo, permitem traçar um perfil bastante aproximado do comportamento das pequenas e médias empresas de confecções da região Metropolitana do Médio Vale do Itajaí em relação à utilização da TI como ferramenta competitiva. As peculiaridades das empresas de confecções da região metropolitanas de médio Valem do Itajaí podem não ser idênticas as de outras regiões com um parque de confecções similar. Esta origem pode estar ligada a aspectos históricos e culturais, já que o médio Vale do Itajaí possue mais de cem anos de tradição no ramo têxtil e especificamente no ramo de confecções. Estas peculiaridades referem-se à criação de modelagem, modelo de cadeia produtiva e de distribuição, e o modelo de gestão de negócios. Quando inquiridos pela pesquisa: Quanto à utilização de Sistemas de Informação a questão formulada indica que todas as empresas pesquisadas indicaram possuir SI. Ficou claro também pelas respostas, que SI aqui foi entendido como método de anotação de informações, sem relacionar-se especificamente com TI. Houve aqui uma surpreendente quebra de 7% de empresas que não possuem sistema. Quando inquiridos, o porque de suas opções, suas respostas variavam entre falta de recursos para investimento em SI, e desnecessidade corrente. Estas respostas parecem indicar despreparo dos empresários com respeito á utilização TI como ferramenta de gestão de negócios ou suporte à tomada de decisão estratégica.

6 6 Para Campos (1994) a não utilização de TI (Computadores, mais Sistemas de Informação) dificulta a administração das organizações. 1. Quais funções (dos sistemas) são rotineiramente utilizadas? Como se pode observar a maior parte das empresas concentra a utilização dos SI em tarefas de rotina administrativas e operacionais. Ao apontarem tarefas de informação gerencial, especializada e de automação de escritórios e de suporte à tomada de decisão (Tabela 1) as empresas demonstram sua preocupação praticamente exclusiva com ajustes de seus sistemas e atividades em sua cadeia de valores, não com a formulação de estratégias. Observa-se ainda a fraca utilização de SI para tomada de decisão estratégica, demonstrada por apenas 8% das empresas, que se utilizam SI para executivos, contrariando os preceitos de McGee (1996), cujo sucesso dos executivos nas organizações, depende de sua capacidade de utilização de ferramentas de apoio para alavancagem do crescimento. Os empresários desconhecem alguns conceitos básicos de competição e estratégia propostos por Pascale & Athos (1982) que competir leva em consideração nova forma de produzir, e ou novos processos produtivos. O aspecto de se destaca na pesquisa, é que somente 2,3% dos entrevistados, utilizam a gestão de processo industrial. Fica nítido a falta de conhecimento dos executivos da importância do controle da produção e seu envolvimento com as outras áreas da empresa. Gracioso (1995) ainda complementa que, somente sobrevirão as empresas que dominarem a tecnologia, no meio a TI. Tabela 1 Funções Utilizadas Funções rotineiramente utilizadas Cit. Freq. % Informação para Executivos Informação Gerencial-SIG Informação de Suporte à Tomada de Decisão Informação de Tarefas Especializadas Informação de Automação de Escritórios Sistema financeiro Sistema Industrial RH Relatório de Produção Informações dos Serviços TOTAL CITAÇÕES 7 8,0% 17 19,5% 14 16,1% 20 23,0% 20 23,0% 3 3,4% 3 3,4% 2 2,3% 1 1,1% % Gráfico 1 Funções Utilizadas 23,0% 3,4% 3,4% 2,3% 1,1% 8,0% Informaçào para Executivos Informaçào Gerencial-SIG 19,5% Informação de Suporte à Tomada de Decisão Informação de Tarefas Especializadas Informação de Automação de Escritórios Sistema financeiro Sistema Industrial RH Relatório de Produção Informações dos Serviços 16,1% 23,0%

7 7 2. O Sistema de Informação de sua empresa possui qual tecnologia? A visualização na tabela e gráfico 2 indica a maioria das citações para o uso de aplicativos comerciais, que em sua maioria, são sistemas cuja tecnologia não é voltada as informações executivas, e administração de processos produtivos. Data Warehouse, Mineração de dados, e Técnica de Raciocínio Baseado em Casos apresentaram uma incidência significativamente menor. Nossa interpretação é de que a tendência de uso de SI está ainda centrada nos aplicativos comerciais por ser este um método de implantação de SI via usuário. É um método comum por que representa menor custo de implantação e maior facilidade de uso, daí o fato de serem preferidos pelas pequenas e médias empresas. Para Child & Smith (1987), a permanência das empresas no mercado competitivo passa pelo desenvolvimento da habilidade de reconhecer, interpretar, implementar as novas tecnologias do setor. Tabela 2 Tecnologia do SI Utiliza/Tecnologia Cit. Freq. % Data Warehouse Datamining Redes neurais Raciocínio baseado em casos Aplicativos Comerciais Não possui sistema Software especial TOTAL CITAÇÕES 8 15,4% 1 1,9% 2 3,8% 6 11,5% 31 59,6% 2 3,8% 2 3,8% % A distribuição da incidência das tecnologias presentes nos SI foi obtida a partir da contagem das citações totais das ferramentas sugeridas Gráfico 2 Tecnologia de SI 3,8% 3,8% 15,4% 1,9% 3,8% Data Warehouse Datamining Redes neurais Raciocínio baseado em casos Aplicativos Comerciais 11,5% Não possui sistema Software especial 59,6%

8 8 6. Considerações finais Com a sofisticação recente da Tecnologia de Informação, os SI o hardware adequado, e os colaboradores treinados, adquirem nova face nas organizações, tornando-se a ferramenta mais importante para a administração eficiente dos negócios. Eles deixaram de ser considerados processadores e disponibilizadores de informação para se transformarem em recursos estratégicos, fundamentais para a o desenvolvimento e competitividade das organizações modernas. Através do uso intensivo e adequado da TI, as empresas poderão vencer os desafios que se lhes impõem os mercados altamente competitivos de hoje. O problema principal deste trabalho foi saber porque as empresas de confecção da do Médio Vale do Itajaí não utilizam a TI como suporte ou recurso estratégico. Estariam os preços de aquisição da TI no mercado inviabilizando seu uso? Estaria o uso da TI não exercendo influência sobre a administração das pequenas e médias empresas do setor de confecções, do Vale do Itajaí, no processo de tomada de decisão? Estes questionamentos começam a ser esclarecidos quando observamos, a confusão típica entre custo e investimento. Eles não conseguem visualizar o retorno que estas ferramentas podem trazer a curto e médio prazo. Os dados levantados indicam que nas empresas pesquisadas, o computador é sub-utilizado para o processamento de informações. Estas constatações, no mínimo sugerem que exista uma inabilidade gerencial relacionada utilização da TI ou completa desinformação e negligência relativamente à importância e papel destes recursos para a formulação das estratégias organizacionais. Também ficou evidente, pelos dados da pesquisa, que as empresas pesquisadas não possuem sistemas físicos de gestão estratégica de informação. Partindo-se destas evidências, pode-se notar que a TI está longe de ser encarada como ferramenta gerencial de suporte à tomada de decisão estratégica nestas empresas. Além dessas conclusões importantes, outros dados levantados neste trabalho, permitem conclusões diversificadas, ainda que periféricas, porém significativas para os objetivos deste trabalho. Nesta linha, podemos apontar as seguintes conclusões: as empresas pesquisadas parecem estar conscientes dos benefícios gerados pela utilização da TI como recurso estratégico, porém, não os utilizam, e tampouco se predispõe a utilizá-los, com a arquitetura de SI que dispõe; o investimento em computadores é realizado com base no benefício de seu retorno para aumentar a eficiência operacional da organização e não como um instrumento da TI e complemento essencial para uso do recurso estratégico; e por fim, pode-se confirmar a premissa básica deste trabalho de que TI não é utilizada pelas empresas pesquisadas como recurso para o gerenciamento de seus processos produtivos. A conclusão principal é de que a TI não é considerada ferramenta importante no processo de planejamento e controle da produção das pequenas e médias empresas de confecções da Região do Vale do Itajaí.

9 9 Bibliografia. Barbetta, P.A. Estatística aplicada às Ciências Sociais. Florianópolis: UFSC, Child, J., Smith, C. The context and process of organizational transformation. Cadbury limited in its sector. Journal of Management Studies. v. 24, n. 6, p , Dalfovo, O. e Amorim, S.N. Quem Tem Informação é Mais Competitivo. Blumenau: Acadêmica, Gracioso, F. Grandes sucessos da pequena empresa. Brasília: Sebrae, Mattar, F. N. Pesquisa de Marketing. São Paulo: Atlas McGee, J.V. e Prusak, L.Gerenciamento Estratégico da Informação: aumentando a competitividade e a eficiência de sua empresa utilizando a informação como uma ferramenta estratégica. Rio de Janeiro: Campus, McNulty, P. J. Economic theory and the meaning of competition. Quarterly Journal of Economics., Cambridge, Special Edition, v. 82, November, p. 639 a 656, Melendez, Rubem Filho, Prototipação de Sistemas de Informação fundamentos técnicas e metodologia, São Paulo: Livros técnicos e científicos,1990. Pascale, R.T. & Athos, A.G. Artes gerenciais japonesas: métodos e sistemas executivos japoneses adaptados à realidade ocidental. 2. ed., Rio de Janeiro: Record, 1982 Porter, Michael E. A vantagem competitiva das nações. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro : Campus, 1993, 897p. Porter, M.E. Vantagem competitiva: gerando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, Porter, M. E Competição (On Competicion) Estratégias Competitivas Essenciais. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, Sebrae - Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação. nº 18. Ano IV, junho, Shumpeter, J. A. Teoria do Desenvolvimento Econômico. São Paulo: Cultural, 1982.

Resultado da utilização dos conceitos EIS e a metodologia SIEGO para delineamento de um sistema de informações estratégicas para confecções.

Resultado da utilização dos conceitos EIS e a metodologia SIEGO para delineamento de um sistema de informações estratégicas para confecções. Resultado da utilização dos conceitos EIS e a metodologia SIEGO para delineamento de um sistema de informações estratégicas para confecções. Ricardo Alencar de Azambuja, MAd 1, Dr. Oscar Dalfovo 1, Paulo

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

Delineando um Sistema de Informações Estratégicas para Micro e Pequenas Empresas de Confecções do Médio Vale do Itajaí

Delineando um Sistema de Informações Estratégicas para Micro e Pequenas Empresas de Confecções do Médio Vale do Itajaí 1 Delineando um Sistema de Informações Estratégicas para Micro e Pequenas Empresas de Confecções do Médio Vale do Itajaí Ricardo Alencar de Azambuja, M.Ad. Departamento de Sistemas e Computação da Universidade

Leia mais

Delineando um EIS para Micro e Pequenas empresas de Confecções do Médio Vale do Itajaí

Delineando um EIS para Micro e Pequenas empresas de Confecções do Médio Vale do Itajaí Delineando um EIS para Micro e Pequenas empresas de Confecções do Médio Vale do Itajaí Ricardo A De Azambuja (FURB) zamba@furb.br Leonel C Rodrigues (FURB) lcr@terra.com.br Oscar Dalfovo (FURB) dalfovo@furb.br

Leia mais

FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo

FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo Roteiro Introdução Sistemas de Informação - SI Executive Information

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas Prof Valderi R. Q. Leithardt Objetivo Esta apresentação tem por objetivo mostrar tanto os benefícios como as dificuldades da implantação

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo A Tecnologia da Informação (TI) faz parte do cotidiano da sociedade moderna, mesmo as pessoas que não têm acesso

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS. Prof. Eduardo H. S. Oliveira

IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS. Prof. Eduardo H. S. Oliveira IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS Introdução Nos últimos seis anos, tem ocorrido no Brasil uma verdadeira revolução na área de gestão empresarial. Praticamente, todas as grandes

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Palavras-chave: Controles gerenciais, Informações, Informatização.

Palavras-chave: Controles gerenciais, Informações, Informatização. DESENVOLVIMENTO DE CONTROLES GERENCIAIS EM LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO DELPHI UM ESTUDO DE CASO Jazmín Figari de la Cueva (G-UEM) Vitor Nogame (G-UEM) José Braz Hercos Junior (UEM) Resumo A Adecon-Empresa

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI 19/04 Recursos e Tecnologias dos Sistemas de Informação Turma: 01º semestre

Leia mais

GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11

GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11 GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11 Índice 1. Importância do ERP para as organizações...3 2. ERP como fonte de vantagem competitiva...4 3. Desenvolvimento e implantação de sistema de informação...5

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação

Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação Janniele Aparecida Conceitos Sistema de Informação Conjunto de componentes interrelacionados que coletam (ou recuperam), processam e armazenam e distribuem

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS O PODER DA INFORMAÇÃO Tem PODER quem toma DECISÃO Toma DECISÃO correta quem tem SABEDORIA Tem SABEDORIA quem usa CONHECIMENTO Tem CONHECIMENTO quem possui INFORMAÇÃO (Sem

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS John F. Eichstaedt, Toni Édio Degenhardt Professora: Eliana V. Jaeger RESUMO: Este artigo mostra o que é um SIG (Sistema de Informação gerencial) em uma aplicação prática

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 1 OBJETIVOS 1. O que os administradores precisam saber sobre organizações para montar e usar sistemas de informação com sucesso? 2. Que

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA.

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA. . Qualificando o desempenho operacional utilizando ferramentas de Tecnologia de Informação. sfl.almada@gmail.com Enfª Sueli de Fátima da Luz Formação: Bacharel em Enfermagem e Obstetrícia Universidade

Leia mais

EVER SANTORO www.eversantoro.com.br DOCENCIA > UNIP

EVER SANTORO www.eversantoro.com.br DOCENCIA > UNIP GESTÃO DAS INFORMAÇÕES EVER SANTORO www.eversantoro.com.br DOCENCIA > UNIP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PROGRAMAÇÃO EXPOSIÇÃO DA DISCIPLINA Cultura da informação Informação estratégica Conceito ampliado de informação

Leia mais

e-business Novas Tendências Tecnologias da Informação com aplicabilidade ao RH

e-business Novas Tendências Tecnologias da Informação com aplicabilidade ao RH Tecnologias da Informação com aplicabilidade ao RH e-rh / Recursos Humanos Virtual Novas Tendências Como já foi visto com o advento da globalização e do crescimento da tecnologia e a difusão da Internet,

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Fasci-Tech SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO

Fasci-Tech SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO Jorge Luiz Maria Junior 1 Profa. MSc. Rosangela Kronig 2 Resumo Através dos sistemas de informação, as organizações mundiais buscam práticas

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO Umberto Sales Mazzei Bruno Vieira Bertoncini PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

O USO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS* THE USE AND DEVELOPMENT OF SOFTWARE IN MICRO AND SMALL ENTERPRISES

O USO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS* THE USE AND DEVELOPMENT OF SOFTWARE IN MICRO AND SMALL ENTERPRISES O USO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS* THE USE AND DEVELOPMENT OF SOFTWARE IN MICRO AND SMALL ENTERPRISES Rodolfo Miranda Pereira 1 Tania Fatima Calvi Tait 2 Donizete Carlos

Leia mais

Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde

Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde Sistemas de Informações ( Parte I) Patrícia Paula Dias de Sá Residente de Administração em Gestão Hospitalar Hospital Universitário - UFJF Ato ou efeito

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

O que é Benchmarking?

O que é Benchmarking? BENCHMARKING Sumário Introdução Conhecer os tipos de benchmarking Aprender os princípios do bechmarking Formar a equipe Implementar as ações Coletar os benefícios Exemplos Introdução O que é Benchmarking?

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

Escolha os melhores caminhos para sua empresa

Escolha os melhores caminhos para sua empresa Escolha os melhores caminhos para sua empresa O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio

Leia mais

Gestão do Conhecimento e Dasenvolvimento de Software

Gestão do Conhecimento e Dasenvolvimento de Software Gestão do Conhecimento e Dasenvolvimento de Software Gabriel Gavasso 1 Anderson R. Yanzer Cabral 2 Resumo: Gerenciar o conhecimento nas organizações tem se tornado um grande desafio, visto a grande importância

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Osmar Mendes 1 Gilberto Raiser 2 RESUMO Elaborar uma proposta de planejamento estratégico é uma forma de criar um bom diferencial competitivo, pois apresenta para a organização

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Alinhamento das expectativas; O por que diagnosticar; Fases do diagnóstico; Critérios de seleção para um ERP; O papel da

Leia mais

A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA

A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL

Leia mais

Administração de CPD Chief Information Office

Administração de CPD Chief Information Office Administração de CPD Chief Information Office Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os principais conceitos e elementos relacionados ao profissional de

Leia mais

Horizons. O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Cisco IBSG Horizons Study. Introdução

Horizons. O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Cisco IBSG Horizons Study. Introdução O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Study Jeff Loucks/Richard Medcalf Lauren Buckalew/Fabio Faria O número de dispositivos de consumerização de TI nos seis países

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Não há mais dúvidas de que para as funções da administração - planejamento, organização, liderança e controle

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EM EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE MÉDIO PORTE NO BRASIL. Elisabete Maria de Freitas Arquiteta

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 1 Tema 1: O novo papel da TI nas organizações Flávio I. Callegari 2010 Temas O Planejamento Estratégico nas Organizações

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS Marino, Reynaldo Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde - FASU/ACEG GARÇA/SP-

Leia mais

Como alcançar os objetivos estratégicos de sua organização

Como alcançar os objetivos estratégicos de sua organização Como alcançar os objetivos estratégicos de sua organização 15 DE MAIO DE 2014 Hotel Staybridge - Sao Paulo PATROCÍNIO GOLD PATROCÍNIO BRONZE APOIO REALIZAÇÃO Desafios para a Implementação por Processos

Leia mais

5 Análise dos resultados

5 Análise dos resultados 5 Análise dos resultados Neste capitulo será feita a análise dos resultados coletados pelos questionários que foram apresentados no Capítulo 4. Isso ocorrerá através de análises global e específica. A

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Figura 1 - Processo de transformação de dados em informação. Fonte: (STAIR e REYNOLDS, 2008, p. 6, adaptado).

Figura 1 - Processo de transformação de dados em informação. Fonte: (STAIR e REYNOLDS, 2008, p. 6, adaptado). Tecnologia da Informação (TI) A tecnologia é o meio, o modo pelo qual os dados são transformados e organizados para a sua utilização (LAUDON; LAUDON, 1999). Os dados podem ser considerados como fatos básicos,

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Classificação dos Sistemas de Informação

Classificação dos Sistemas de Informação Sistemas de Informação Classificação dos Sistemas de Informação O que veremos? Estaremos examinando o tipo de sistema de informação Gerencial. Veremos também, outras classificações dos sistemas de informação.

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística CONCEITOS O nome Supply Chain, cujo termo têm sido utilizado em nosso país como Cadeia de Suprimentos, vem sendo erroneamente considerado como

Leia mais

WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO

WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO VILAS BOAS, M. A. A. 1 ; GOMES, E. Y. 2 1- Graduando em Sistemas de Informação na FAP - Faculdade de Apucarana 2- Docente do Curso

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro Tecnologia da Informação e Comunicação Douglas Farias Cordeiro Algumas coisas que vimos até aqui Qual a diferença entre as funções do analista e do projetista? Como funciona o ciclo de vida de um projeto

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM

GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM DISCIPLINA: Gestão de Pessoas EMENTA: O sistema clássico de estruturação da gestão de recursos humanos e suas limitações: recrutamento e seleção, treinamento

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS 1. Sabe-se que o conceito de Sistema de Informação envolve uma série de sistemas informatizados com diferentes características e aplicações, os quais, porém, têm em comum

Leia mais

Quais estratégias de crédito e cobranças são necessárias para controlar e reduzir a inadimplência dos clientes, na Agroveterinária Santa Fé?

Quais estratégias de crédito e cobranças são necessárias para controlar e reduzir a inadimplência dos clientes, na Agroveterinária Santa Fé? 1 INTRODUÇÃO As empresas, inevitavelmente, podem passar por períodos repletos de riscos e oportunidades. Com a complexidade da economia, expansão e competitividade dos negócios, tem-se uma maior necessidade

Leia mais

Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EVOLUÇÃO DA COMPETIÇÃO NOS NEGÓCIOS 1. Revolução industrial: Surgimento das primeiras organizações e como consequência, a competição pelo mercado de commodities. 2.

Leia mais

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini SI- Sistemas de Informação Professora: Mariana A. Fuini INTRODUÇÃO A informação é tudo na administração de uma organização. Mas para uma boa informação é necessário existir um conjunto de características

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani BI Business Intelligence A inteligência Empresarial, ou Business Intelligence, é um termo do Gartner Group. O conceito surgiu na década de 80 e descreve

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO 503 IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO Christina Garcia(1); Franciane Formighieri(2); Taciana Tonial(3) & Neimar Follmann(4)(1) Acadêmica do 4º Ano do Curso de

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: SISTEMAS DA INFORMAÇÃO MISSÃO DO CURSO Os avanços da ciência, a melhoria dos processos produtivos e a abertura de mercado, são exemplos de fatores que contribuíram

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA A informação sempre esteve presente em todas as organizações; porém, com a evolução dos negócios, seu volume e valor aumentaram muito, exigindo uma solução para seu tratamento,

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Conteúdo Gerenciais Direcionadores de Arquitetura de TI Tipologia dos sistemas da informação Prof. Ms. Maria C. Lage marialage.prof@gmail.com As preocupações corporativas Gerenciar Mudanças Crescimento

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Para as corporações, as mudanças são absorvidas pelas equipes internas, envolvendo tecnologia, contabilidade, logística

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais