ATUALIZAÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATUALIZAÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa"

Transcrição

1 ATUALIZAÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa

2 ROTINAS TRABALHISTAS AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL ADVERTÊNCIA E SUSPENSÃO CONTRATO DE EXPERIÊNCIA EXAMES OCUPACIONAIS

3 AVISO PRÉVIO A Lei nº /2011 institui a proporcionalidade no aviso prévio. Conforme texto da Lei e da Constituição Federal a proporcionalidade é apenas em prol do empregado. A legislação não menciona se a proporcionalidade deve ser trabalhada ou indenizada. A orientação é que se consulte a entidade sindical. Se houver uma parte trabalhada e outra indenizada, também orienta-se que o pagamento siga art º letra a.

4 O acréscimo de 3 (três) dias será quando a relação contratual superar um ano de serviço. Trabalhadores com menos de um ano de serviço, aviso prévio será de 30 dias. Trabalhadores com mais de um ano de serviço, o aviso prévio será acrescido de 3 (três) por ano. O artigo 488 da CLT não foi alterado. O aviso prévio proporcional integra o tempo de serviço para todos efeitos legais. Portanto, projetando tempo para o Décimo Terceiro e Férias.

5 A remuneração do aviso prévio indenizado será a do último salário com a integração de variáveis. A indenização da Lei 7.238/84 será alcançada pela projeção do aviso proporcional. As cláusulas pactuadas em acordo ou convenção coletiva deverão ser respeitadas. Por orientação do MTE se aplica a proporcionalidade aos domésticos. O direito ao aviso prévio é irrenunciável pelo empregado, salvo obtenção de novo emprego.

6 ANOTAÇÃO NA CTPS na página relativa ao Contrato de Trabalho, a do último dia da data projetada para o aviso prévio indenizado. na página relativa às Anotações Gerais, a data do último dia efetivamente trabalhado. No TRCT, a data de afastamento será a do último dia efetivamente trabalhado.

7 Caso o empregador não permita que o empregado permaneça em atividade no local deverão ser obedecidas as mesmas regras do aviso prévio indenizado. Não há aviso cumprido em casa. É inválida a comunicação do aviso prévio na fluência de garantia de emprego e de férias. O prazo 30 dias ou mais, correspondente ao aviso prévio conta-se a partir do dia seguinte ao da comunicação.

8 No pedido de demissão aplica-se o art º da CLT. Caso o empregado não cumpra o aviso prévio poderá ser descontado. Caso cumpra o aviso, o empregado não será beneficiado pela redução de horário; Na Justa Causa não há aviso prévio e sim uma comunicação, com o motivo justificado e relacionado ao art. 482 da CLT.

9 ADVERTÊNCIA E SUSPENSÃO Para manter a ordem e disciplina do ambiente de trabalho, o empregador tem a faculdade de aplicar penalidades ao trabalhador. ADVERTÊNCIA: : É um aviso verbal ou por escrito, para que o empregado tome conhecimento de seu comportamento ilícito e das implicações em caso de reincidência. SUSPENSÃO: : É uma penalidade dada como medida mais drástica. Ela pode ocorrer após advertências, ou logo após um acontecimento mais grave. Nela o empregado perde remuneração e DSR. Ambas visam resgatar o comportamento do emprego.

10 REQUISITOS ESSENCIAIS ATUALIDADE DA PUNIÇÃO.. Deve ser aplicado de imediato, exceto quando requeira apuração de fatos. A demora pode caracterizar perdão. UNICIDADE DA PENA.. Aplicar uma única pena para cada ato faltoso. PROPORCIONALIDADE: : Usar o bom senso, dosar a pena. Verificar o passado do empregado. Os motivos para a pratica da falta. Condição pessoal do empregado. PENAS PECUNIÁRIAS E TRANSFERÊNCIAS: : Não se admite aplicação de multas e transferências punitivas.

11 EFEITOS NO CONTRATO DE TRABALHO INTERRUPÇAO: Ocorre na hipótese de uma sentença judicial cancelar a Suspensão, tendo o empregado direito aos salários dos dias parados. SUSPENSÃO: Ocorre quando não há cancelamento da suspensão, e o contrato não vigora. Em consequência o empregado não recebe remuneração. A Suspensão disciplinar é tida como falta injustificada, refletindo nas férias com redução de dias conforme o caso.

12 Caso o empregado recuse a receber a penalidade, o empregador na presença de duas testemunhas deverá ler o teor da comunicação e após inserir no rodapé ou no verso do documento: Em virtude da recusa do empregado em dar ciência do recebimento desta comunicação, seu conteúdo foi lido por mim (nome da pessoa), na sua presença e na das testemunhas abaixo, em (data)." A Suspensão disciplinar não poderá ser superior a 30 dias consecutivos, sob pena de incorrer em rescisão injusta por parte do empregador. Portanto deve predominar o bom senso e justiça, ou seja, punição proporcional a falta cometida.

13 CONTRATO DE EXPERIÊNCIA É uma modalidade de contrato de trabalho por prazo determinado. A finalidade é dar condições de mútuo conhecimento. Todas as regras aplicáveis aos demais contratos a prazo certo valem para o período de experiência. Mesmo durante o período de experiência o trabalhador é empregado da empresa. É recomendável que seja por escrito.

14 DURAÇÃO Não poderá exceder 90 dias. PRORROGAÇÃO Poderá sofrer uma única prorrogação. SUCESSÃO DE NOVO CONTRATO Considera-se por prazo indeterminado todo contrato que suceder outro, dentro de seis meses. ANOTAÇÃO NA CARTEIRA DE TRABALHO Deve ser anotado na parte do Contrato de Trabalho, bem como Anotações Gerais.

15 AUXÍLIO-DOENÇA Durante o auxílio-doença previdenciário, o contrato está suspenso. GESTANTE NO CONTRATO DE EXPERIÊNCIA A mulher que dentro do período de experiência, comprovar sua gestação não poderá ser demitida, tendo direito estabilidade provisória (Súmula 244 TST, III). SERVIÇO MILITAR O afastamento em virtude das exigências do Serviço Militar não constitui motivo para rescisão. Se as partes interessadas acordarem esse tempo, não será computado.

16 RESCISÃO ANTECIPADA DO CONTRATO Qualquer das partes pode rescindir antes do prazo o contrato de experiência. RESCISÃO ANTECIPADA - DEMISSÃO Terá direito a indenização da metade da remuneração que teria direito até o final do contrato (art. 479 da CLT). Multa do FGTS. RESCISÃO ANTECIPADA PEDIDO DE DEMISSÃO FGTS depositado em SEFIP. Só poderá haver o desconto artigo 480 da CLT se houve prejuízos comprovados.

17 INDENIZAÇÃO ADICIONAL A indenização adicional prevista no artigo 9º das Leis nº 6.708/79 e 7.238/84, não será devida. EXTINÇÃO AUTOMÁTICA Atingindo o prazo fixado, o contrato de experiência se extingue, se nenhuma das partes se manifestar, passando a vigorar por prazo indeterminado. ALTERAÇÃO DO CONTRATO Só é lícita a alteração, por mútuo consentimento e desde que não resulte prejuízo ao empregado, direta ou indiretamente, sob pena de nulidade de tal cláusula.

18 EXAMES OCUPACIONAIS Resulta na redução de ausências motivadas por doenças, acidentes graves e garante empregados mais adequados a função e com melhor desempenho. Todo trabalhador regido pela CLT deve submeter-se aos exames médicos ocupacionais, na admissão, demissão, retorno de afastamentos, troca de função e periodicamente. As condições devem estar de acordo com a NR 7.

19 PCMSO Está contido na Norma Regulamentadora N 7 do MTE. Toda empresa que admitir empregado é obrigada a elaborar o programa. Tem o objetivo de promoção e preservação da saúde do trabalhador, bem como a prevenção e diagnóstico precoce de doenças relacionadas ao trabalho. Faz parte das iniciativas da empresa no campo da saúde do emprego. CUSTOS DOS EXAMES São de responsabilidade do empregador.

20 EXAME MÉDICO ADMISSIONAL Deve ser realizado antes que o empregado assuma suas atividades na empresa. Tem o objetivo de colocar trabalhadores em serviço adequado as suas condições e informar o real estado de saúde, assim não permitindo empregados que possam oferecer risco a saúde e a segurança da coletividade.

21 EXAME MÉDICO PERIÓDICO Tem por finalidade investigar se ocorreu alguma alteração na saúde do trabalhador, antes mesmo de manifestações clinicas, possibilitando tratamento adequado. No exame são avaliados os riscos ocupacionais em que o empregado é exposto, podendo haver exames específicos para cada função. Os intervalos mínimos de tempo são: a) A cada ano ou intervalos menores para trabalhadores expostos a riscos ou situações de desenvolvimento ou agravamento de doença ocupacional e para portadores de doenças crônicas; b) Anual para menores de 18 a maiores de 45 anos; c) Para os demais, a cada 2 anos.

22 EXAME MÉDICO DE RETORNO AO TRABALHO Deverá ser realizado do primeiro dia da volta do trabalhador, ausente por motivo doença ou acidente superior a 30 dias ou parto. A finalidade é verificar se o empregado se encontra apto a voltar a exercer suas antigas funções. EXAME MÉDICO DE MUDANÇA DE FUNÇÃO Tem por finalidade avaliar se as condições atuais do trabalhador lhe permitem a alteração de função, pois será exposto ao um risco diferente. Avaliar se adquiriu alguma doença ocupacional na antiga função.

23 EXAME MÉDICO DEMISSIONAL Consiste em avaliar a saúde do trabalhador que está sendo demitido. Verificando se houve algum dano, devido aos riscos onde esteve exposto. Presume-se que o empregado sai nas mesmas condições em que entrou na empresa. Será obrigatório antes da homologação, desde que o último exame tenha sido realizado: a) Há mais de 135 dias (grau de risco 1 e 2 da NR 4) b) 90 dias (grau de risco 3 e 4 da NR 4)

24 ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL Deve ser emitido em duas vias, a primeira para a empresa e a segunda via ao trabalhador. MULTA A aplicação dos procedimentos previstos no PCMSO é obrigatória para todas as empresas, independente do grau de risco ou número de funcionários. A fiscalização é realizada pelo MTE. Em caso de irregularidades, as multas podem variar de R$ 402,53 a R$ 4.025,33.

25 Cortesia Login: lefisc Senha: Validade: 02/08/2013 Obrigado!

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas (Aula 3) Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Alteração do contrato 1. Complete a frase: A mudança

Leia mais

O que estudamos aula passada

O que estudamos aula passada O que estudamos aula passada Cessação, suspensão e interrupção dos contratos de trabalho Rescisão Contratual As formas de extinção do Contrato de Trabalho Pedido de demissão Dispensa sem justa causa Dispensa

Leia mais

Sumário. Introdução, 1

Sumário. Introdução, 1 S Sumário Introdução, 1 1 Folha de Pagamento, 7 1 Salário, 8 1.1 Salário-hora para 40 horas semanais: divisor 200 (duzentos), 9 1.2 Depósito de salários em conta bancária, 9 2 Horas extras, 10 2.1 Integração

Leia mais

Relação trabalhista e previdenciária DOMÉSTICAS. Cartilha esocial

Relação trabalhista e previdenciária DOMÉSTICAS. Cartilha esocial Relação trabalhista e previdenciária DOMÉSTICAS Cartilha esocial 2 O que é o esocial? ESOCIAL DOMÉSTICO / SIMPLES DOMÉSTICO O recolhimento obrigatório a partir da competência OUTUBRO/2015. Por intermédio

Leia mais

ADVERTÊNCIA E SUSPENSÃO

ADVERTÊNCIA E SUSPENSÃO ADVERTÊNCIA E SUSPENSÃO Introdução Nos termos do art. 2o da CLT, o empregador é quem admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviços. Podemos observar que o empregador dirige o empregado, pois

Leia mais

1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória?

1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória? CADERNO DE EXERCÍCIOS 1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória? 2) Vale transporte pago em dinheiro, vale refeição pago em dinheiro, concessão de

Leia mais

Resumo Aula-tema 03: Admissão de Empregado. Alteração nas Condições de Trabalho. Suspensão e Interrupção do Contrato.

Resumo Aula-tema 03: Admissão de Empregado. Alteração nas Condições de Trabalho. Suspensão e Interrupção do Contrato. Resumo Aula-tema 03: Admissão de Empregado. Alteração nas Condições de Trabalho. Suspensão e Interrupção do Contrato. Os temas centrais desta aula são: o início de uma relação de emprego, as possíveis

Leia mais

Como proceder nos contratos por prazo O que é estabilidade provisória? determinado?

Como proceder nos contratos por prazo O que é estabilidade provisória? determinado? O que é estabilidade provisória? É o período em que o empregado tem seu emprego garantido, não podendo ser dispensado por vontade do empregador, salvo por justa causa ou força maior. Encontram-se previstas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Quando o aviso prévio termina na sexta-feira ou no sábado compensado, o empregado terá direito ao descanso

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Quando o aviso prévio termina na sexta-feira ou no sábado compensado, o empregado terá direito ao descanso Quando o aviso prévio termina na sexta-feira ou no sábado remunerado (DSR) 16/10/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE MEDIDAS DISCIPLINARES

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE MEDIDAS DISCIPLINARES 7/05/203. INTRODUÇÃO O Procedimento de Medidas Disciplinares tem por objetivo estabelecer as regras para garantir os padrões de comportamento exigidos pela Melhoramentos CMPC. Deverá ser aplicado em todas

Leia mais

CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO

CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO Contrato individual de trabalho é o acordo, tácito ou expresso, correspondente à relação de emprego. Relação de emprego entre EMPREGADOR e EMPREGADO. DEFINIÇÃO LEGAL: O

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: (curso/habilitação) Ciências Contábeis Disciplina: Cálculos Trabalhistas Carga Horária: (horas/semestre) 50 aulas Semestre Letivo / Turno: 4º Semestre Professores:

Leia mais

ATUALIZAÇÃO TRABALHISTA 2015 ALEXANDRE CORRÊA

ATUALIZAÇÃO TRABALHISTA 2015 ALEXANDRE CORRÊA ATUALIZAÇÃO TRABALHISTA 2015 ALEXANDRE CORRÊA NOVAS REGRAS PARA : CONCESSÃO DA PENSÃO POR MORTE AUXÍLIO DOENÇA ATESTADOS MÉDICOS SEGURO DESEMPREGO ABONO SALARIAL SEGURO DESEMPREGO WEB RAIS 2014 No dia

Leia mais

Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos

Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos www.fagnersandes.com.br Preparando você para o sucesso! Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos Regulamentado pela Lei Complementar n. 150/15, empregado doméstico é aquele que presta serviços

Leia mais

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Cargo de confiança 1) A determinação do empregador para que

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO Índice 1. Jornada de trabalho...3 2. Formas de Prorrogação da Jornada de Trabalho...4 3. Horas Extras no Caso de Força Maior...5 4. Trabalho Noturno...6

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/01 DISCIPLINA: DO II PROFESSOR: FRANCISCA JEANE PEREIRA DA SILVA MARTINS TURMA: 8º DM / EN

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Da Sra. ERIKA KOKAY)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Da Sra. ERIKA KOKAY) PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Da Sra. ERIKA KOKAY) Acrescenta Seção à Consolidação das Leis do Trabalho para dispor sobre os motoristas e os cobradores de ônibus urbanos e interurbanos. O Congresso Nacional

Leia mais

PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Prof.ª Rosana Abbud

PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Prof.ª Rosana Abbud PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Prof.ª Rosana Abbud Do Objeto A NR 07estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2012/01 DISCIPLINA: DIREITO DO II PROFESSOR: FRANCISCA JEANE PEREIRA DA SILVA MARTINS TURMAS: 8

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA ROTINAS TRABALHISTAS

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA ROTINAS TRABALHISTAS Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

Curso de 13 Salário. Capacitação e Treinamento

Curso de 13 Salário. Capacitação e Treinamento Curso de 13 Salário Capacitação e Treinamento Conteúdo 1. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO... 3 1.1. Contagem de Avos... 3 1.2. Primeira Parcela Pagamento até 30/11... 3 1.3. Empregados não disponíveis durantes

Leia mais

AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL

AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL OUTUBRO DE 2011 NOTA TÉCNICA AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL A Lei 12.506/11, publicada no Diário Oficial da União do dia 13 de outubro de 2011, amplia o aviso prévio dos atuais 30 dias para até 90 dias. Esta

Leia mais

NR 3 EMBARGO OU INTERDIÇÃO. Portaria de 08 de junho de 1978

NR 3 EMBARGO OU INTERDIÇÃO. Portaria de 08 de junho de 1978 NR 3 EMBARGO OU INTERDIÇÃO Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 A Norma Regulamentadora 3, cujo título é Embargo ou Interdição, estabelece as situações em que as empresas se sujeitam a sofrer paralisação

Leia mais

Tron Informática

Tron Informática 13º Salário Gratificação Natalina 1 Veja uma vídeo-aula sobre este assunto em: http://www.trontv.com.br/t/index.php/videos/gestao-contabil/fp/76-como-calcular calcular-o-13-salario.html A Gratificação

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 5.452, DE 01 DE MAIO DE 1943

DECRETO-LEI Nº 5.452, DE 01 DE MAIO DE 1943 DECRETO-LEI Nº 5.452, DE 01 DE MAIO DE 1943 Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, DECRETA: TÍTULO II DAS

Leia mais

Introdução

Introdução Maria Antônia S. Almeida SRTE/MG Junho/2012 1 Introdução O Objetivo é apresentar o Sistema HomologNet sob o prisma das empresas e contabilidades na produção do TRCT. O primeiro passo é o cadastro no sistema

Leia mais

Rescisão de Contrato de Trabalho - Normas Gerais

Rescisão de Contrato de Trabalho - Normas Gerais Rescisão de Contrato de Trabalho - Normas Gerais Apresentação: Luciana Buganza Fábio Momberg Érica Nakamura Conceitos Resilição e Resolução Resilição - "dissolver o contrato por vontade de uma das partes,

Leia mais

empregado e dispensá-lo do trabalho no período, o empregador indenizará o empregado. Quando ocorre a extinção de contrato de trabalho?

empregado e dispensá-lo do trabalho no período, o empregador indenizará o empregado. Quando ocorre a extinção de contrato de trabalho? Quando ocorre a extinção de contrato de Quando houver a cessação definitiva do vínculo empregatício. Quais as hipóteses de extinção do contrato de por iniciativa do empregado ou do empregador; por culpa

Leia mais

Nota prévia A presente Orientação Normativa revoga na sua totalidade e substitui a Orientação Normativa 1/2000 de 29/12/2000.

Nota prévia A presente Orientação Normativa revoga na sua totalidade e substitui a Orientação Normativa 1/2000 de 29/12/2000. ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 01/2004 de 20/02/2004 Assunto: Férias Distribuição: Todas as Unidades de Estrutura Revogações: Orientação Normativa 1/2000 Enquadramento Convencional e Legal: Capítulo X do AE/REFER,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001718/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR058992/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46271.000918/2010-40 DATA

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO. Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST

JORNADA DE TRABALHO. Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST JORNADA DE TRABALHO Tempo efetivamente Trabalhado; Tempo à disposição do empregador Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST Conceito Jornada é o lapso de tempo durante o qual o empregado

Leia mais

CLÁUSULA QUARTA - REAJUSTE SALARIAL Os salários dos integrantes da categoria profissional serão reajustados em 8% (oito por cento) a partir de 1º de o

CLÁUSULA QUARTA - REAJUSTE SALARIAL Os salários dos integrantes da categoria profissional serão reajustados em 8% (oito por cento) a partir de 1º de o ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000642/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/04/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015901/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 47620.000229/2012-52 DATA DO

Leia mais

A falta do trabalhador ao serviço enseja o desconto do dia respectivo em sua remuneração, salvo se a falta for considerada justificada.

A falta do trabalhador ao serviço enseja o desconto do dia respectivo em sua remuneração, salvo se a falta for considerada justificada. As faltas não justificadas por lei não dão direito a salários e demais conseqüências legais, e podem resultar em falta leve ou grave, conforme as circunstâncias ou repetição; mas podem ter justificativa

Leia mais

O abandono de emprego configura-se quando estão presentes o elemento objetivo ou material e o elemento subjetivo ou psicológico.

O abandono de emprego configura-se quando estão presentes o elemento objetivo ou material e o elemento subjetivo ou psicológico. Abandono de emprego O abandono de emprego constitui falta grave, o que enseja a rescisão por justa causa do contrato de trabalho, conforme dispõe o art. 482, alínea "i" da CLT. A falta contínua e sem motivo

Leia mais

INDENIZAÇÃO ADICIONAL - DEVIDA NA DESPEDIDA ANTES DA DATA-BASE

INDENIZAÇÃO ADICIONAL - DEVIDA NA DESPEDIDA ANTES DA DATA-BASE INDENIZAÇÃO ADICIONAL - DEVIDA NA DESPEDIDA ANTES DA DATA-BASE A Lei 6.708/79 e a Lei 7.238/84, ambas no artigo 9º, determinam uma Indenização Adicional, equivalente a um salário mensal, no caso de dispensa

Leia mais

Manual do Ponto Eletrônico

Manual do Ponto Eletrônico Manual do Ponto Eletrônico Sumário 1. Sistema de Registro Eletrônico de Ponto - SREP 2. Registro Eletrônico do Ponto - REP 3. Controle do Ponto Eletrônico 4. Banco de Horas 5. Intervalo Interjornada e

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso no. 224 aprovado pela Portaria Cetec 168, de 7 5 2013, publicada no Diário Oficial de 9 5 2013 Poder

Leia mais

Coleção Sinopses para Concursos Guia de leitura da Coleção... 17

Coleção Sinopses para Concursos Guia de leitura da Coleção... 17 Coleção Sinopses para Concursos... 15 Guia de leitura da Coleção... 17 Capítulo 1 FONTES DO DIREITO DO TRABALHO... 19 1. Conceito... 19 2. Classificação... 19 2.1. Fontes materiais... 19 2.2. Fontes formais...

Leia mais

Rescisão do Contrato de Trabalho

Rescisão do Contrato de Trabalho Rescisão do Contrato de Trabalho Ana Paula Ferreira Graduada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie/SP em 1984. Membro da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB/SP 83.285. Consultora trabalhista e previdenciária

Leia mais

Sumário. Direito_Trabalho_Simplificado_Cad_00.indd 13 24/06/ :03:33

Sumário. Direito_Trabalho_Simplificado_Cad_00.indd 13 24/06/ :03:33 Sumário Capítulo 1 História e Evolução do Direito do Trabalho... 1 1.1. Sumário da Evolução Histórica do Direito do Trabalho no Mundo... 1 1.2. Sumário da Evolução Histórica do Direito do Trabalho no Brasil...

Leia mais

Os novos direitos instituídos pela Lei são os seguintes (Art. 2º):

Os novos direitos instituídos pela Lei são os seguintes (Art. 2º): Os novos direitos instituídos pela Lei 12619-2012 são os seguintes (Art. 2º): 1) acesso gratuito a programa de formação e aperfeiçoamento profissional; 2) tratamento preventivo pelo SUS; 3) não responder

Leia mais

Profissão de Motorista Mudanças na CLT

Profissão de Motorista Mudanças na CLT Profissão de Motorista Mudanças na CLT Lei 13.103 de 2 de março de 2015 Resumo A Lei 13.103 de 02/03/2015 promoveu alterações na CLT em relação à profissão de motoristas, cujo conteúdo segue nos slides

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO MANUAL DE PROCEDIMENTOS Data Elaboração: 23/04/2013 Código: PRH-04 Elaborado por: Maria Helena Durao Chefe Adm. Pessoal Área Responsável: Recursos Humanos Revisado por: Gabriele G. Heilig Coord. de Auditoria

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 1. OBJETIVO: Estabelecer diretrizes e critérios referentes à Jornada de Trabalho. 2. DEFINIÇÕES: Não aplicável 3. DOCUMENTOS APLICÁVEIS: Código de Conduta da Gunnebo Norma SA 8000 Consolidação das Leis

Leia mais

1 QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS JUSTIFICATIVAS LEGAIS PARA AS FALTAS DO EMPREGADO AO TRABALHO.

1 QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS JUSTIFICATIVAS LEGAIS PARA AS FALTAS DO EMPREGADO AO TRABALHO. 1 QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS JUSTIFICATIVAS LEGAIS PARA AS FALTAS DO EMPREGADO AO TRABALHO. 1.1- ART. 473 - O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário: I até 2 (dois) dias

Leia mais

ASSISTÊNCIA E HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO

ASSISTÊNCIA E HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO ASSISTÊNCIA E HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO A Advocacia Scalassara & Associados atua sistematicamente na defesa do TRABALHO DIGNO, por se tratar de condição imprescindível para o trabalhador

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO II. Profa. Graciane Saliba

DIREITO DO TRABALHO II. Profa. Graciane Saliba DIREITO DO TRABALHO II Profa. Graciane Saliba - Apresentação do site - Apresentação do plano de ensino e temas que serão tratados - Horários de aula - Trabalhos em sala e em equipe - Ausência e chamadas

Leia mais

Aprova modelos de Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho e implanta o Sistema Homolognet.

Aprova modelos de Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho e implanta o Sistema Homolognet. PORTARIA n.º 1.474, de 29 de JUNHO de 2010 Aprova modelos de Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho e implanta o Sistema Homolognet. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das atribuições

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO DOMÉSTICO (Via Empregador) Pelo presente instrumento e na melhor forma de direito, as partes: 2 [nome],

CONTRATO DE TRABALHO DOMÉSTICO (Via Empregador) Pelo presente instrumento e na melhor forma de direito, as partes: 2 [nome], CONTRATO DE TRABALHO DOMÉSTICO (Via Empregador) Pelo presente instrumento e na melhor forma de direito, as partes: 1 [nome], [nacionalidade], [estado civil], [profissão], portador(a) da cédula de identidade

Leia mais

Direito do Trabalho Extinção do Contrato Konrad Mota Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Direito do Trabalho Extinção do Contrato Konrad Mota Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Direito do Trabalho Extinção do Contrato Konrad Mota 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. SUMÁRIO Dispensa sem justa causa Dispensa por justa causa Rescisão indireta

Leia mais

Regra geral da suspensão e da interrupção do contrato de trabalho

Regra geral da suspensão e da interrupção do contrato de trabalho SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO Nas duas situações o contrato de trabalho continua vigente, mas as obrigações das partes não são exigíveis (suspensão) ou o são parcialmente (interrupção).

Leia mais

CAPÍTULO 10 DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO

CAPÍTULO 10 DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO Capítulo 10 DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 109 CAPÍTULO 10 DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 1. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO O décimo terceiro salário é devido aos empregados urbanos, rurais e domésticos, bem como aos trabalhadores

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001403/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR072431/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005616/2015-77 DATA DO

Leia mais

NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL

NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 12, de 06 de junho de 1983

Leia mais

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 093/2014

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 093/2014 DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA ADM 207/2014-14/11/2014 BOLETIM 093/2014 Trabalho temporário tem novas normas de fiscalização definidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Por meio da norma em

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRABALHO

1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRABALHO 1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRABALHO P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - O Decreto n. 3.197, de 5 de outubro de 1999, promulgou a Convenção n. 132, da OIT, que dispõe sobre as Férias Anuais Remuneradas. Em

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000249/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022255/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46210.000856/2015-03

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL OS 7 ERROS ROTINEIROS COMETIDOS NO DEPARTAMENTO PESSOAL OS 7 ERROS ROTINEIROS COMETIDOS NO DEPARTAMENTO PESSOAL Introdução... 03 1 - Retenção da CTPS por mais de 48 horas... 04 2 - Deixar de fazer exame

Leia mais

TERMINAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO

TERMINAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO Aula 3 Terminação do Contrato de Trabalho Professora: Maria Inês Gerardo www.mariainesgerardo.com.br MARIA INÊS GERARDO Conteúdo Programático desta aula Causas de extinção do contrato de trabalho e os

Leia mais

2.4. Os EMPREGADOS demitidos por justa causa, não farão jus à participação nos lucros ou resultados.

2.4. Os EMPREGADOS demitidos por justa causa, não farão jus à participação nos lucros ou resultados. CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO E DA VIGÊNCIA 1.1 O presente Acordo tem por objeto estabelecer as regras para a participação dos EMPREGADOS nos lucros ou resultados da EMPRESA, na forma disposta na Lei 10.101,

Leia mais

Portaria MTE nº 1.621, de DOU 1 de

Portaria MTE nº 1.621, de DOU 1 de Portaria MTE nº 1.621, de 14.07.2010 - DOU 1 de 15.07.2010 Aprova modelos de Termos de Rescisão de Contrato de Trabalho e Termos de Homologação. O Ministro de Estado do Trabalho e Emprego, no uso das atribuições

Leia mais

ENTENDA SEUS DIREITOS. O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas. O que é Banco de horas?

ENTENDA SEUS DIREITOS. O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas. O que é Banco de horas? ENTENDA SEUS DIREITOS O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas. O que é Banco de horas? O chamado banco de horas é uma possibilidade admissível de controle e compensação

Leia mais

Indicações de bibliográficas: CLT. Leis e artigos importantes: OJ até 421 SÚMULAS TST até 444

Indicações de bibliográficas: CLT. Leis e artigos importantes: OJ até 421 SÚMULAS TST até 444 CURSO: OAB X EXAME - NOITE DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO PROFESSOR: JULIANA MONTEIRO AULA 01 BLOCO: 01- MATÉRIA: INTRODUÇÃO (LEI TRABALHISTA NO TEMPO E ESPAÇO, FONTES, EMPREGADO). Indicações de bibliográficas:

Leia mais

Agente Homologador Dirigente Sindical Assessor Técnico da Federação dos Trabalhadores do Estado do Ceará Técnico em Segurança do Trabalho

Agente Homologador Dirigente Sindical Assessor Técnico da Federação dos Trabalhadores do Estado do Ceará Técnico em Segurança do Trabalho Agente Homologador Dirigente Sindical Assessor Técnico da Federação dos Trabalhadores do Estado do Ceará Técnico em Segurança do Trabalho jfalcao@ftice.org.br O que o trabalhador espera do agente homologador

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2011

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2011 Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2011 DISCIPLINA: DIREITO DO II PROFESSOR: MARCELLO MANCILHA TURMA: 3º ANO INTEGRAL UNIDADES CONTEÚDOS

Leia mais

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 3º Semestre Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 16º Ponto Estabilidade

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 3º Semestre Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 16º Ponto Estabilidade 1. Conceito. 2. Classificação da estabilidade. 3. Tipos de estabilidade: Tempo de serviço. Dirigente sindical. Membro da CIPA. Gestante. Acidentado. Membro do FGTS. Diretor de cooperativa. Membro da Comissão

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO:

PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO: PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO: 1- Como se dá o Acidente de Trabalho? R- Trata-se, evidentemente, de um acidente ocorrido em razão do trabalho exercido pelo trabalhador, que pode causar uma

Leia mais

As informações dos Eventos Trabalhistas alimentarão uma base de dados denominada RET Registro de Eventos Trabalhistas.

As informações dos Eventos Trabalhistas alimentarão uma base de dados denominada RET Registro de Eventos Trabalhistas. Objeto do esocial O esocial tem por objeto, informações trabalhistas, previdenciárias, tributárias e fiscais relativas à contratação e utilização de mão de obra onerosa, com ou sem vínculo empregatício

Leia mais

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E/OU RESULTADOS

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E/OU RESULTADOS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000542/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR047856/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46210.001655/2015 15 DATA DO

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO ESTABILIDADES NO EMPREGO *Estabilidade x garantia de emprego - segundo Vólia Bonfim, a estabilidade é uma espécie do gênero garantia de emprego. Nesse sentido, todas as formas de se estimular o emprego,

Leia mais

TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO

TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) AVENIDA VIDA NOVA, 28 ALA B SALA 1008 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE TABOAO DA SERRA SP 06764-045 8020-0/00 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

PORTARIA MTE Nº 1621/2010

PORTARIA MTE Nº 1621/2010 Page 1 of 6 PORTARIA MTE Nº 1621, DE 14.07.2010 (DOU DE 15.07.2010) Aprova modelos de Termos de Rescisão de Contrato de Trabalho e Termos de Homologação. O Ministro de Estado do Trabalho e Emprego, no

Leia mais

3. A operação do sistema Homolognet exige a utilização dos seguintes documentos:

3. A operação do sistema Homolognet exige a utilização dos seguintes documentos: Prezadas Filiadas e Associadas O Sindeprestem Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra e de Trabalho Temporário no Estado de São Paulo, informa

Leia mais

BOLSA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (LEI Nº 7.998/1990) Perguntas e respostas

BOLSA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (LEI Nº 7.998/1990) Perguntas e respostas Secretaria de Políticas Públicas de Emprego Departamento de Emprego e Salário Coordenação-Geral do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e Identificação Profissional. BOLSA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (LEI

Leia mais

REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS

REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS 1 Conceito Salário complessivo corresponde aos pagamentos efetuados diretamente pelo empregador em favor do empregado, em virtude da vigência do contrato de trabalho, bem

Leia mais

Completo de Departamento de Pessoal com ênfase no esocial

Completo de Departamento de Pessoal com ênfase no esocial CURSOS DE ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL Completo de Departamento de Pessoal com ênfase no esocial Objetivo: Nosso intuito é facilitar as práticas do departamento de pessoal do dia-a-dia, possibilitando o aprimoramento

Leia mais

PARECER N X L IS (a

PARECER N X L IS (a PARECER N X L. 7 75 IS (a FDRH. REQUERIMENTO DE EMPREGADA DE REDUÇÃO DA CARGA HORÁRIA SEMANAL COM A PROPORCIONAL REDUÇÃO SALARIAL. POSSIBILIDADE. REITERAÇÃO DO PARECER 8.035/89. Trata-se de expediente

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001189/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/07/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR031800/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.008475/2012-41 DATA DO

Leia mais

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho SUMÁRIO Direito do Trabalho... 05 Direito Processual Civil... 139 Direito Processual do Trabalho... 195 DIREITO DO TRABALHO ÍNDICE CAPÍTULO 01... 7 Fontes e Princípios de Direito do Trabalho... 7 Surgimento

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 SINDICATO DOS PUBLICITÁRIOS E TRABALHADORES EM AGÊNCIAS DE PROPAGANDA DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 20.991.758/0001-46, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO

DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO Atualizado em 13/01/2016 PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIO PROTETOR Nas relações empregatícios sempre existe o conflito entre o detentor

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026019/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 12/05/2015 ÀS 09:44 FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS E TURISMO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Leia mais

Mediador - Extrato Convenção Coletiva

Mediador - Extrato Convenção Coletiva Page 1 of 12 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000502/2016 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018176/2016 NÚMERO DO PROCESSO: 46230.001716/2016-97 DATA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.097, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000. Altera dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto-Lei

Leia mais

PORTARIA 1, DE 25 DE MAIO DE 2006, DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO SRT

PORTARIA 1, DE 25 DE MAIO DE 2006, DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO SRT PORTARIA 1, DE 25 DE MAIO DE 2006, DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO SRT Aprova Ementas Normativas da Secretaria de Relações do Trabalho. O Secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho

Leia mais

PLANILHA+ Planilha+ 1 CÁLCULO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO, SEGURO DESEMPREGO E HORAS EXTRAS

PLANILHA+ Planilha+ 1 CÁLCULO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO, SEGURO DESEMPREGO E HORAS EXTRAS 1 PLANILHA+ CÁLCULO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO, SEGURO DESEMPREGO E HORAS EXTRAS Planilha de fácil utilização. Pode ser utilizada até por pessoas com poucos conhecimentos em direitos trabalhistas.

Leia mais

Câmara aprova projeto que regulamenta direitos de trabalhadores domésticos

Câmara aprova projeto que regulamenta direitos de trabalhadores domésticos INFORME JURÍDICO 27/03/2015 473 Prezados (as) Câmara aprova projeto que regulamenta direitos de trabalhadores domésticos O Plenário da Câmara dos Deputados concluiu a votação do Projeto de Lei Complementar

Leia mais

2012 Cartilha do Comércio

2012 Cartilha do Comércio 2012 Cartilha do Comércio APRESENTAÇÃO O Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Tubarão e Região SINDILOJAS, no atendimento das necessidades dos seus representados, reuniu as principais dúvidas

Leia mais

MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE

MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE Em 30/12/2014, por meio das Medidas Provisórias 664 e 665, publicadas no Diário Oficial da União, as normas

Leia mais

Slide 1. Slide 2 SUJEITOS DA RELAÇÃO DE EMPREGO. Slide 3 CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO PALESTRA: ROTINA DE PESSOAL

Slide 1. Slide 2 SUJEITOS DA RELAÇÃO DE EMPREGO. Slide 3 CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO PALESTRA: ROTINA DE PESSOAL Slide 1 - CONSULTORIA TRABALHISTA - PERÍCIA CONTÁBIL - CURSOS E PALESTRAS PALESTRA: ROTINA DE PESSOAL LUCIANO DOS SANTOS NUNES Perito-Contador Slide 2 SUJEITOS DA RELAÇÃO DE EMPREGO EMPREGADO É A PESSOA

Leia mais

Ponto 12 do plano de ensino

Ponto 12 do plano de ensino Ponto 12 do plano de ensino Livramento condicional: conceito e natureza jurídica, requisitos (objetivos e subjetivos), concessão, condições, revogação obrigatória e revogação facultativa, prorrogação,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço

Confira a autenticidade no endereço ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001277/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR041059/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.011716/2015-82 DATA DO

Leia mais

Disciplina: Engenharia de Segurança. Tema: Introdução à Engenharia de Segurança. NR 1 - Disposições Gerais

Disciplina: Engenharia de Segurança. Tema: Introdução à Engenharia de Segurança. NR 1 - Disposições Gerais Disciplina: Engenharia de Segurança Tema: Introdução à Engenharia de Segurança NR 1 - Disposições Gerais 1.1. As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas

Leia mais

ÍNDICE REMISSIVO (Lei n 6.745, de 28 de dezembro de 1985)

ÍNDICE REMISSIVO (Lei n 6.745, de 28 de dezembro de 1985) ÍNDICE REMISSIVO (Lei n 6.745, de 28 de dezembro de 1985) AÇÃO DISCIPLINAR PRESCRIÇÃO 150, 151 ACESSO FIXAÇÃO VAGAS 53 CONCURSO 53, 55 INTERSTÍCIO 55 TREINAMENTO 57 REGULAMENTAÇÃO 58, 188 ACIDENTE EM SERVIÇO

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos. Descanso Semanal Remunerado - Hora Noturna

Posicionamento Consultoria De Segmentos. Descanso Semanal Remunerado - Hora Noturna Descanso Semanal Remunerado - Hora Noturna 30/09/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 4 5. Informações

Leia mais

PORTARIA Nº 1, DE 22 DE MARÇO DE 2002

PORTARIA Nº 1, DE 22 DE MARÇO DE 2002 SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO PORTARIA Nº 1, DE 22 DE MARÇO DE 2002 Aprova, revoga, revisa e consolida ementas de orientações normativas da Secretaria de Relações do Trabalho. A Secretária de Relações

Leia mais

PORTARIA Nº 4, DE 16 DE SETEMBRO DE 2014

PORTARIA Nº 4, DE 16 DE SETEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO PORTARIA Nº 4, DE 16 DE SETEMBRO DE 2014 DOU de 19/09/2014 (nº 181, Seção 1, pág. 94) Aprova, revisa e revoga enunciados da Secretaria

Leia mais

MUD U A D NÇA DE D E REGIME

MUD U A D NÇA DE D E REGIME MUDANÇA DE REGIME PRAZO Após a aprovação no CONSU, haverá um prazo fixado (provavelmente 180 dias) para os interessados fazerem a opção pela mudança de regime. CONTRATO Não haverá rescisão contratual,

Leia mais

Direito Previdenciário

Direito Previdenciário Direito Previdenciário Prof. Hugo Goes www.hugogoes.com.br SEGURADO EMPREGADO DOMÉSTICO Aquele que presta serviços de forma contínua, subordinada, onerosa e pessoal e de finalidade não lucrativa à pessoa

Leia mais