Projeto Churrasco dos Sonhos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Churrasco dos Sonhos"

Transcrição

1 Projeto Churrasco dos Sonhos Criando a EAP Analítica Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL

2 Sumário Estrutura Analítica do Projeto (EAP)... 3 Criar a EAP e o dicionário da EAP... 3 Boas práticas ao construir a EAP... 6 Dicionário da EAP... 7 Criando a EAP Analítica no MS Project Criando o Dicionário da EAP no MS Project Criando a Matriz de Rastreabilidade de Requisitos no MS Project

3 Estrutura Analítica do Projeto (EAP) De acordo com o PMBOK 4ª edição, criar a EAP é o processo de subdivisão das entregas e do trabalho do projeto em componentes menores e mais fáceis de serem gerenciáveis. É uma decomposição hierárquica orientada às entregas do trabalho a ser executado pela equipe para atingir os objetivos do projeto e criar as entregas requisitadas. Entregas são produtos únicos e verificáveis (mensuráveis) que deverão ser fornecidos ao longo do ciclo de vida do projeto. A decomposição hierárquica é a técnica de quebrar ou decompor as entregas maiores, localizadas no nível mais alto da EAP, em componentes menores e mais fáceis de serem gerenciáveis (nível mais baixo da EAP). Os níveis mais baixos da EAP são denominados pacotes de trabalho (work packages) e é onde o custo e a duração das atividades podem ser estimados e gerenciados. Criar a EAP e o dicionário da EAP Para criarmos a EAP corretamente é preciso ter em mãos a declaração de escopo aprovada (escopo definido) e os requisitos coletados a partir dos stakeholders mapeados no processo. Estes requisitos representam as necessidades quantificadas e documentadas, e as expectativas do patrocinador, cliente e outras partes interessadas. Podemos exemplificar alguns requisitos como, por exemplo, a segurança de informação atrelada ao item da EAP Desenvolvimento do software, definindo que toda a configuração de software e hardware deve permitir níveis de acesso a informações, garantindo a confidencialidade e segurança da informação. Ou seja, estabelecemos um critério de aceitação para a entrega Desenvolvimento do software, pois esta necessidade de níveis de acesso é uma expectativa do cliente. 3

4 A estrutura da EAP pode ser criada de várias maneiras, tais como: Usando fases do ciclo de vida do projeto como o primeiro nível de decomposição, com o produto e entregas inseridos no segundo nível. Usando entregas principais como o primeiro nível de decomposição. Usando subprojetos que podem ser desenvolvidos por organizações externas à equipe do projeto. 4

5 De posse da declaração de escopo aprovada pela equipe do projeto, dos requisitos dos stakeholders coletados e da estrutura da EAP definida, partimos para a decomposição dos níveis mais altos da EAP em níveis menores e mais fáceis de serem gerenciados. A estes níveis mais baixos denominamos Pacotes de Trabalho (work packages) e é onde o custo e a duração das atividades podem ser estimados e gerenciados. A decomposição envolve as seguintes atividades: Identificar e analisar as entregas e seu trabalho relacionado Estruturar e organizar a EAP com base na opção de estrutura escolhida (fases, entregas ou subprojetos) Decompor os níveis mais altos em níveis menores (pacotes de trabalho). É aqui que podemos estimar custo e duração fazendo com que este nível mais baixo se torne mais fácil de gerenciar. Desenvolver e designar códigos de identificação aos componentes da EAP (Nível da EAP ou WBS Level ou Estrutura de tópicos) Verificar a decomposição e observar se é necessário ou não descer mais o nível de detalhamento. A decomposição pode ser top down ou bottom up. Na decomposição Top down listamos as entregas ou fases nos níveis mais altos da EAP, descendo até alcançarmos os pacotes de trabalho. A decomposição Bottom up é justamente o contrário. A equipe do projeto tem uma visão mais clara dos pacotes de trabalho a serem desenvolvidos e, a partir deles, subimos até definirmos as entregas ou fases do projeto. De forma resumida, temos o seguinte processo para criar a EAP 5

6 Obter a Declaração de Escopo e os Requisitos coletados A declaração de escopo é obtida através do detalhamento do Termo de Abertura do projeto e aprovada por toda a equipe Os requisitos são coletados a partir dos stakeholders (partes interessadas) identificados Definir a estrutura da EAP desejada Por fases Por entregas Por subprojeto Mista (fases e entregas) Decompor níveis mais altos da EAP Identificar e analisar as entregas e seu trabalho relacionado Estruturar e organizar a EAP com a estrutura escolhida Decompor os níveis mais altos em níveis menores (pacotes de trabalho). Top down ou Bottom up Desenvolver e designar códigos de identificação aos componentes da EAP Verificar a decomposição e observar se é necessário ou não descer mais o nível de detalhamento EAP criada Boas práticas ao construir a EAP 1. Uso de substantivos e adjetivos: as melhores práticas em Gerenciamento de Projetos recomendam o uso de substantivos e adjetivos para as atividades de nível mais alto (entregas e pacotes de trabalho). O objetivo é fazer com que o gerente de projeto foque nas entregas do projeto, facilitando a distinção entre entregas/pacotes de trabalho de atividades. Não utilizar verbos Verifique que o nível mais alto possui, pelo menos, dois níveis mais baixos vinculados a ele. Não tem sentido uma relação Regra dos 100%. Verifique se a equipe do projeto consegue enxergar na EAP todo o escopo do projeto (100%) definido na Declaração de Escopo, com todos os entregáveis previstos. Obtenha. O somatório de trabalho no nível mais baixo deve ser igual a 100% do trabalho representado no nível mais alto. A EAP não deve incluir qualquer trabalho que não esteja relacionado na Declaração de Escopo do projeto, isto é, não posso ultrapassar 100% do trabalho previsto. 4. Controlável. Verifique se a EAP possui um equilíbrio entre o nível de detalhamento sugerido e as necessidades de controle. 5. Nível de detalhamento. O nível de detalhamento de uma EAP vincula o tamanho e a complexidade do projeto com o nível de detalhe necessário para planejá lo e gerenciá lo. 6

7 Dicionário da EAP O dicionário da EAP é um documento gerado (output) pelo processo 5.3 do PMBoK (Criar a EAP). Este documento suporta a EAP e fornece descrições mais detalhadas dos componentes da EAP, inclusive dos pacotes de trabalho. As informações incluem, mas não estão limitadas a: Figura: Processo 5.3 Criar a EAP Código da EAP Descrição do trabalho a ser realizado Área da empresa responsável pela execução Lista de marcos do cronograma (principais entregas) Atividades do cronograma associadas Recursos necessários Estimativa de custos Requisitos de Qualidade Critérios de aceitação Referências técnicas Criando a EAP Analítica no MS Project º Passo: Abra o arquivo Projeto Churrasco dos Sonhos.mpp gerado no Exercício do Guia 01 e verifique a configuração de Ferramentas e Opções. Veja se tudo está configurado conforme orientação. Importante verificar dois pontos principais neste momento: Guia Cronograma: Tipo de tarefa padrão: Duração fixa Guia Cronograma: Verificar se a opção As novas tarefas são controladas ao empenho está marcada 2º Passo: Construir a tabela EP 01 T EAP Esta tabela deverá conter os seguintes campos: ID Indicadores Anotações EDT 7

8 Nome Texto1 O campo Anotações será utilizado como dicionário da EAP e o campo Texto2 será o campo referente aos requisitos coletados. 1. Acesse a barra de menu e selecione a opção Exibir 2. Selecione a opção Tabela Figura: Criando uma nova tabela Figura: Criando uma nova tabela E em seguida selecione Mais tabelas... 8

9 Figura: Criando uma nova tabela 3. Na janela Mais tabelas... clique no botão Nova para criar uma nova tabela. Figura: Criando uma nova tabela 4. Forneça os campos necessários para compor a tabela EP 01 T EAP 9

10 Figura: Definição de tabela. Escolha dos campos que serão utilizados para compor esta tabela. Clique em OK para terminar. A partir de agora esta tabela estará disponível na barra de menu Exibir > Tabelas > Mais tabelas... Figura: Verificando a tabela EP 01 T EAP criada 10

11 Figura: tabela EP 01 T EAP aparece como opção na barra de menu Com base nesta tabela criada, montaremos o modo de exibição equivalente. Ele fará uso desta tabela criada. 3º Passo: Construir o modo de exibição EP 01 M EAP 1. Acesse a barra de menu e selecione a opção Exibir Figura: Escolha da opção Exibir na barra de menu. 2. Selecione a opção Mais modos de exibição Figura: Mais modos de exibição... 11

12 3. Clique no botão Novo Figura: Criação de um novo modo de exibição 4. Definir Novo Modo de Exibição através da opção Modo de exibição único Figura: Definição de novo modo de exibição. Escolhendo modo de exibição único. Lembrando que Modo de exibição combinado utiliza dois modos de exibição únicos existentes para criar um terceiro modo de exibição. Figura: Modo de exibição combinado. Utilização de dois modos de exibição únicos para formar um terceiro modo de exibição (combinado). 12

13 Ao escolhermos o modo de exibição único, a seguinte tela aparecerá. É preciso preencher cada campo de definição do modo de exibição único que desejamos criar. Figura: Definição do Modo de Exibição. Escolha do nome, das telas, da tabela, do grupo e do filtro que serão utilizados no modo de exibição. O preenchimento deve ser feito com base nas informações da tela acima; ou seja: Nome: EP 01 M EAP Tela: Planilha de Tarefas Tabela: EP 01 T EAP Grupo: Nenhum grupo Filtro: Todas as tarefas Clicar em Mostrar no menu para que este modo de exibição fique disponível em Menu > Exibir > Mais modos de exibição. Figura: Habilitando a opção Mostrar no menu para que o modo de exibição apareça como opção em [Mais modos de exibição] 13

14 Figura: Modo de exibição exibido em Mais modos de exibição Ao aplicar este modo de exibição, o MS Project deverá ser exibido desta forma: Figura: Modo de exibição EP 01 M EAP. Agora é possível criar a EAP Analítica do projeto com a equipe utilizando o modo de exibição EP 01 M EAP do MSP para suporte a esta atividade 4º Passo: Criando códigos padronizados para a numeração da EAP (campo EDT) Uma forma de representar a hierarquia da EAP de um projeto é através de uma numeração apropriada, destacada pelos seus níveis. O MS Project oferece alguns recursos para auxiliar nesta representação. Vejamos como criar um padrão de numeração para o projeto. 1. Na barra de menus, clique em Projeto 14

15 Figura: Barra de menu > Projeto 2. Selecione a opção EDT (Estrutura de tópicos), que é o equivalente ao código ou nível da EAP. 3. Clique em [Definir código...] Figura: Barra de menu > Projeto > EDT (estrutura de tópicos) Figura: Opção definir código Proceder com os ajustes necessários. Fornecer o prefixo do código do projeto e utilizar sempre o seqüenciamento das entregas e pacotes com base nos números ordenados. Figura: Definição de código de EDT (código da EAP). Definição de prefixos e regras de ordenação. 15

16 5º Passo: Inserir entregas e pacotes de trabalho e aplicar os recuos. Utilizando o modo de exibição criado no passo acima, insira as entregas e pacotes de trabalho. Após inserir todas as entregas e pacotes de trabalho, realize os recuos necessários utilizando a barra de ferramenta Formatação e as setas assinaladas. Figura: Barra de ferramenta Formatação Opções de recuo para a esquerda e direita Selecione a atividade desejada e em seguida, promova o recuo para a direita. Figura: Entregas e pacotes de trabalho com os recuos 6º Passo: Transferir o modo de exibição e a tabela criada para o Global.mpt Este procedimento é realizado para permitir que o modo de exibição e a tabela que foram criadas fiquem disponíveis para cada novo projeto. 1. Clique em Ferramentas na barra de menus e escolha a opção Organizador Figura: Barra de Menus > Ferramentas 16

17 Figura: Barra de Menus > Ferramentas > Organizador 2. Clique em Ferramentas na barra de menu e escolha a opção Organizador. Como criamos Modo de Exibição e Tabela, precisamos copiá los para o arquivo Global.mpt para que fique disponível como opção para os futuros projetos. 17

18 Figura: Organizador. Copiar os modos de exibição disponíveis no projeto para o global.mpt Figura: Organizador. Copiar as Tabelas disponíveis no projeto para o Global.MPT 6º Passo: Listar as entregas e pacotes de trabalho utilizando o modo de exibição criado neste artigo. 18

19 Com base no Projeto Churrasco dos Sonhos, ficaremos com a seguinte estrutura de EAP para o projeto após listarmos todos os pacotes e entregas deste projeto. Figura: Modo de exibição EP 01 M EAP Os passos a seguir mostram como podemos gerar relatórios para extrair dois tipos de documentos que servirão para compor o Plano do Projeto. Criando o Dicionário da EAP no MS Project 2007 O dicionário da EAP é um documento gerado pelo processo de criação da EAP que a suporta. Fornece descrições mais detalhadas das entregas e pacotes de trabalho As informações que podem fazer parte do dicionário da EAP são: Futuras atividades associadas (facilitando o processo de definição dessas atividades no momento em que tivermos que definir o trabalho necessário para entregas cada pacote de trabalho). Recursos necessários Estimativa de Custo Requisitos de qualidade Critérios de aceitação Outros Vamos criar o relatório Dicionário da EAP (EP 02 R Dicionário da EAP) 1º Passo: Criar a tabela EP 02 T Dicionário da EAP específica para suportar o relatório Dicionário da EAP Para criar esta tabela, basta seguir os procedimentos de criação listados anteriormente (vide criação da tabela EP 01 T EAP). Esta tabela deverá conter apenas: 19

20 Código da EAP Nome Dicionário da EAP Seguindo os procedimentos de criação de tabelas, o resultado final esperado é: Figura: Definindo a tabela EP 02 T Dicionário da EAP que será utilizado como suporte para a criação do Relatório EP 02 R Dicionário da EAP. 2º Passo: Criar o relatório Dicionário da EAP EP 02 R Dicionário da EAP Para criarmos um relatório personalizado, siga os passos abaixo Figura: Selecione a opção Relatório na barra de menu Figura: Selecione a opção Relatórios... na lista de opções existentes 20

21 Figura: Escolha a opção [Personalizados...] para a criação do relatório Dicionário da EAP. Clique em Selecionar. Figura: Criar um novo relatório personalizado Figura: Definindo um novo relatório com tipo Tarefa. Clique em OK 21

22 Figura: Definindo o novo relatório EP 02 R Dicionário da EAP usando como base a Tabela EP 02 T Dicionário da EAP. Figura: Gerando o relatório personalizado EP 02 R Dicionário da EAP 22

23 Ao gerarmos este relatório, o resultado esperado é: Figura: Tela do MS Project com o relatório EP 02 R Dicionário da EAP. Importante: Uma vez gerado o relatório, podemos imprimir este documento em formato PDF e anexá lo ao Plano do Projeto 23

24 Figura: Relatório Dicionário da EAP em detalhes. Criando a Matriz de Rastreabilidade de Requisitos no MS Project 2007 O procedimento para criarmos a Matriz de Rastreabilidade de Requisitos no MS Project é o mesmo utilizado na criação do Dicionário da EAP. Criaremos uma tabela (EP 03 T Matriz de Requisitos) e, em seguida, um relatório (EP 03 R Matriz de Requisitos) utilizando como base a tabela criada. Importante lembrar que estamos usando o campo Texto1 para armazenar os requisitos de cada entrega e pacote de trabalho da EAP. Este campo deverá constar na tabela EP 03 T Matriz de Requisitos. Esta tabela deverá conter apenas: Nível da EAP Nome (EAP) Requisitos coletados 24

25 Desta forma, a tabela gerada terá a seguinte forma: O relatório personalizado terá o seguinte formato: Figura: Definição da tabela EP 03 T Matriz de Requisitos Figura: Definição da tabela EP 03 T Matriz de Requisitos 25

26 Figura: Relatório EP 03 R Matriz de Requisitos Lembrete: todas as tabelas, modos de exibição, campos personalizados (Texto1) e relatórios devem ser copiados para o Global.mpt através do Organizador, para que fiquem disponíveis como opção de planejamento para futuros projetos. 26

27 Sobre o autor Alexandre Paiva de Lacerda Costa é graduado em Engenharia Eletrônica para Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pós graduado em Tecnologia da Informação em Análise e Gestão de Negócios pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), certificado PMP Project Management Professional pelo Project Management Institute (PMI) em 2005, certificado ITIL v2 Foundation pela Exin em 2010, certificado MCTS Microsoft Certified Technology Specialist (Microsoft Office Project 2007, Managing Projects) em 2010 e possui experiência em Planejamento, Execução e Controle de Projetos adquirida em grandes empresas como IBM Brasil, Oi/Telemar, Petrobras e Eletrobrás Termonuclear. 27

Microsoft Project 2007

Microsoft Project 2007 www.gerentedeprojeto.net.br Microsoft Project 2007 Criando a EAP Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Estrutura Analítica do Projeto (EAP)... 3 Criar a EAP e o dicionário da EAP...

Leia mais

www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Exercícios do Guia 04 Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL

www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Exercícios do Guia 04 Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL www.gerentedeprojeto.net. br Projeto Churrasco Exercícios do Guia 04 dos Sonhos Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL EXERCÍCIOS DO GUIA 04 Projeto Churrasco dos Sonhos Com base na elaboração

Leia mais

Com base na. configurações importantes, já. Cronograma. Com. Guia. Teórico: Em

Com base na. configurações importantes, já. Cronograma. Com. Guia. Teórico: Em www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Exercícios do Guia 06 Alexandree Paiva de Lacerdaa Costa, PMP, MCTS, ITIL EXERCÍCIOS DO GUIA 06 Projeto Churrasco dos Sonhos Com base na definição

Leia mais

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Gerando a EAP Gráfica através da EAP Analítica Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Introdução... 3 Instalando o WBS Chart

Leia mais

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Definindo atividades Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Introdução... 4 Definição de Atividades... 6 Marcos ou Milestones...

Leia mais

Microsoft Project 2007

Microsoft Project 2007 www.gerentedeprojeto.net.br Microsoft Project 2007 Trabalhando com Templates Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Trabalhando com Templates no MS Project 2007... 3 Por que templates

Leia mais

www.gerentedeprojeto.net.br Desenvolvendo o Cronograma Manual dos Indicadores Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL

www.gerentedeprojeto.net.br Desenvolvendo o Cronograma Manual dos Indicadores Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL www.gerentedeprojeto..net.br Desenvolvendo o Cronograma Manual dos Indicadores Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL INDICADORES (STOPLIGHTS) O painel de indicadores de verificação do cronograma

Leia mais

Atualização de Cronogramas utilizando o Microsoft Project 2013

Atualização de Cronogramas utilizando o Microsoft Project 2013 Atualização de Cronogramas utilizando o Microsoft Project 2013 Aula 7 Atualização por Custos (Custos Reais) Alexandre Paiva, PMP, PMI-RMP, PMI-SP, MCTS alexandre.paiva@gerentedeprojeto.net.br @aplacerda

Leia mais

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Declaração de Escopo Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário PATROCINADOR... 4 NOME DO GERENTE DE PROJETO, SUAS RESPONSABILIDADES

Leia mais

Microsoft Project 2007

Microsoft Project 2007 www.gerentedeprojeto.net.br Microsoft Project 2007 Metodologia de Cálculo de Redes Parte I Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Introdução... 3 Métodos de Diagramação de Redes... 3

Leia mais

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Matriz de Rastreabilidade de Requisitos Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL ID Nome do Requisito Descrição do Requisito Tipo de Requisito

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES SUMÁRIO 1. PREENCHIMENTO DA PLANILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS...3 1.1 Menu...3 1.2 Termo de Abertura...4 1.3 Plano do Projeto...5 1.4

Leia mais

Capítulo 6. Trabalhando com Tarefas

Capítulo 6. Trabalhando com Tarefas Capítulo 6 Trabalhando com Tarefas 94 4.1 INSERINDO TAREFAS INSERINDO UMA NOVA TAREFA A base para o desenvolvimento do projeto são as tarefas que serão executadas por ele. Sem essa informação não há como

Leia mais

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Introdução ao MS Project 2007 Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário GERENCIAMENTO DO TEMPO DO PROJETO... 4 Processo 6.1 Definir

Leia mais

Trabalho Interdisciplinar. MS Project

Trabalho Interdisciplinar. MS Project Aula Prática: Introdução ao Microsoft Project Professional MS Project Como vimos em nossas aulas, a EAP Estrutura Analítica do Projeto é o primeiro passo para criar um cronograma de um projeto estruturado.

Leia mais

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 29 3.1 GERENCIAMENTO DO ESCOPO O Gerenciamento do Escopo do Projeto engloba os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todas

Leia mais

CAPÍTULO 20 TRABALHANDO COM INFORMAÇÕES GLOBAIS DA EMPRESA

CAPÍTULO 20 TRABALHANDO COM INFORMAÇÕES GLOBAIS DA EMPRESA CAPÍTULO 20 TRABALHANDO COM INFORMAÇÕES GLOBAIS DA EMPRESA 119 MODELO GLOBAL DA EMPRESA Com vimos anteriormente e Microsoft Office Project Professional possui um arquivo matriz que usado para determinar

Leia mais

Simulações em Aplicativos

Simulações em Aplicativos Simulações em Aplicativos Uso Avançado de Aplicativos Prof. Marco Pozam mpozam@gmail.com A U L A 0 4 Programação da Disciplina 20/Agosto: Conceito de Project Office. 27/Agosto: Tipos de Project Office.

Leia mais

Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um

Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um Projetos, Programas e Portfólios Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um programa, quando se relacionam

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR. De acordo com a 5ª Edição (2013) do PMBOK

WWW.RJN.COM.BR. De acordo com a 5ª Edição (2013) do PMBOK De acordo com a 5ª Edição (2013) do PMBOK EMENTA DO TREINAMENTO Apresentar metodologia de estudo dos fundamentos de gerenciamento de projetos, das áreas de conhecimento (integração, escopo, tempo, custo,

Leia mais

1 Inicie um novo. Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007. projeto

1 Inicie um novo. Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007. projeto Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007 1 Inicie um novo Antes de começar um novo, uma organização deve determinar se ele se enquadra em suas metas estratégicas. Os executivos

Leia mais

Gerenciamento de Projeto: Criando a Declaração de Escopo II. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Gerenciamento de Projeto: Criando a Declaração de Escopo II. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Gerenciamento de Projeto: Criando a Declaração de Escopo II Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Definindo escopo. Criando EAP. Definindo o Escopo Escopo é coletivamente o produto,

Leia mais

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido.

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Sumário Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Introdução ao Project Um projeto é uma seqüência bem definida de eventos, com um início e um final identificável. O foco de um projeto é obter

Leia mais

Gerenciamento do escopo

Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Escopo pode ser definido como a soma dos produtos de um projeto, bem como a descrição de seus requisitos. O momento de definir o escopo é a hora em que o

Leia mais

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos O objetivo deste documento é orientar o usuário final na utilização das funcionalidades da ferramenta OLAP IBM Cognos, referente a licença de consumidor. Sumário 1 Query

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS Atualizado em 31/12/2015 GESTÃO DE PROJETOS PROJETO Para o PMBOK, projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

Neste curso, seguiremos um tutorial de aprendizado. Este tutorial, por sua vez, segue as nossas etapas essenciais de planejamento como visto abaixo.

Neste curso, seguiremos um tutorial de aprendizado. Este tutorial, por sua vez, segue as nossas etapas essenciais de planejamento como visto abaixo. 1. Criação e Edição de Projetos 1.1. Visão Geral: Neste curso, seguiremos um tutorial de aprendizado. Este tutorial, por sua vez, segue as nossas etapas essenciais de planejamento como visto abaixo. Planejamento

Leia mais

PLANEJAMENTO DO ESCOPO

PLANEJAMENTO DO ESCOPO PLANEJAMENTO DO ESCOPO Dr. rer. nat. Christiane Gresse von Wangenheim, PMP Objetivo de aprendizagem desta aula Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Motivar a importância do planejamento de escopo.

Leia mais

Para inserir custo fixo às tarefas, siga os passos abaixo :

Para inserir custo fixo às tarefas, siga os passos abaixo : Capítulo 9 Custos 166 CUSTOS INSERINDO CUSTO FIXO AO PROJETO O custo total do projeto é o custo total de recurso somado ao custo total de custos fixos. O custo com recurso já é computado quando alocamos

Leia mais

BOA NOITE! Gerenciamento de Escopo em Projetos. Trabalho (2,0 pontos) 30/11/2012. Fabio Bahia. Informações Gerais. Avaliação:

BOA NOITE! Gerenciamento de Escopo em Projetos. Trabalho (2,0 pontos) 30/11/2012. Fabio Bahia. Informações Gerais. Avaliação: Fabio Bahia BOA NOITE! Gerenciamento de Escopo em Projetos Fabio Bahia Iniciou carreira na Embratel em 1985. Foco na área de viabilidade econômica de novos serviços. Em 1992 (após 2 anos estudando nos

Leia mais

Como criar a Estrutura Analítica de um Projeto (EAP)

Como criar a Estrutura Analítica de um Projeto (EAP) Como criar a Estrutura Analítica de um Projeto (EAP) A ferramenta utilizada para a representação das entregas de um projeto é a Estrutura Analítica do Projeto (EAP), tradução para o português de Work Breakdown

Leia mais

ANÁLISE DE PROJETO NO TEMPO. Construção de uma pequena casa: Código Tarefa Duração Precedências

ANÁLISE DE PROJETO NO TEMPO. Construção de uma pequena casa: Código Tarefa Duração Precedências CAPÍTULO 3 ANÁLISE DE PROJETO NO TEMPO Exemplo Construção de uma pequena casa: Código Tarefa Duração Precedências (semanas) 1 Preparo do terreno 2 --- 2 Fundações 3 1 3 Alvenaria 3 2 4 Esgotos 1 2 5 Telhado

Leia mais

Planejamento e Controle de Obras

Planejamento e Controle de Obras NOVO LIVRO COM MS-PROJECT 2016 Planejamento e Controle de Obras com Microsoft Project 2016 Inclui: 2 pôsteres Proposta de implantação em construtoras Exemplos de EAP s Exemplo de pasta de planejamento

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR. Av. Paulista, 1159. 8.º andar. cj 817/818. Cerqueira César. São Paulo/SP (11) 3141.0507 /. (11) 3266.7441

WWW.RJN.COM.BR. Av. Paulista, 1159. 8.º andar. cj 817/818. Cerqueira César. São Paulo/SP (11) 3141.0507 /. (11) 3266.7441 Introdução Com o crescimento acelerado do setor de construção e o surgimento de grandes projetos no Brasil, o mercado profissional de engenharia apresenta uma elevada demanda de profissionais, principalmente

Leia mais

Para projetos de sucesso: Pense PRINCE2

Para projetos de sucesso: Pense PRINCE2 25/09/2012 Para projetos de sucesso: Pense PRINCE2 Adalcir da Silva Angelo AGENDA Os Padrões do Cabinet Office (Reino Unido) O que é o PRINCE2? Os benefícios PRINCE2 e Guia PMBoK O contexto do PRINCE2

Leia mais

Capítulo 7. Sequenciamento das Tarefas

Capítulo 7. Sequenciamento das Tarefas Capítulo 7 Sequenciamento das Tarefas 125 5.1 RELACIONAMENTO ENTRE TAREFAS Para que o cronograma do projeto seja executado corretamente e as mudanças inseridas seja calculadas de forma correta é importante

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR. Av. Paulista, 1159. 8.º andar. cj 817/818. Cerqueira César. São Paulo/SP (11) 3141.0507 /. (11) 3266.7441

WWW.RJN.COM.BR. Av. Paulista, 1159. 8.º andar. cj 817/818. Cerqueira César. São Paulo/SP (11) 3141.0507 /. (11) 3266.7441 EMENTA DO TREINAMENTO Apresentar metodologia de planejamento e controle de obras específicas de construção civil, com a utilização do software Microsoft Office Project 2010. A metodologia, baseada nas

Leia mais

GPWeb Gestão de projetos

GPWeb Gestão de projetos Manual Básico do Usuário GPWeb Gestão de projetos Brasília DF, Maio de 2015 1 Sumário O que é um projeto?... 5 O que é o GPWeb?... 6 Como criar um projeto no GPWeb:... 6 As partes envolvidas: Integração/

Leia mais

Por Margareth Carneiro, PMP Introdução Um colega ficou surpreso quando disse que escreveria sobre WBS Work Breakdown Structure, pois na edição anterior de MundoPM tinha escrito sobre Escritórios de Projetos.

Leia mais

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor Introdução O SIAP, Sistema de Apoio ao Professor, é um programa que vai contribuir, de forma decisiva, com o cotidiano escolar de alunos, professores, gestores e funcionários administrativos. Com a implantação

Leia mais

Rogério Fernandes da Costa rogerio@nrsystem.com

Rogério Fernandes da Costa rogerio@nrsystem.com Rogério Fernandes da Costa rogerio@nrsystem.com Rogério Fernandes da Costa MBA em Gestão de Projetos pelo Centro Universitário de Santo André. Vivência em projetos em empresas como Termomecânica, FIESP

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR/SIMULADOPMP

WWW.RJN.COM.BR/SIMULADOPMP EMENTA DO TREINAMENTO Apresentar metodologia de estudo dos fundamentos de gerenciamento de projetos, das áreas de conhecimento (integração, escopo, tempo, custo, qualidade, recursos humanos, comunicação,

Leia mais

Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project

Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project Guia Fundamental para Gestão de Projetos com a utilização do MS Project Objetivo Os projetos fazem parte de nossas vidas e das organizações, contudo a

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela Aula 01 - Formatações prontas e Sumário Formatar como Tabela Formatar como Tabela (cont.) Alterando as formatações aplicadas e adicionando novos itens Removendo a formatação de tabela aplicada Formatação

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS: PMI

GERENCIAMENTO DE PROJETOS: PMI GERENCIAMENTO DE PROJETOS: PMI Henrique Franco de Souza DIRETOR DE NEGÓCIOS www.efgh.com.br ENGENHEIRO DE REDES www.globaltask.com.br henrique@efgh.com.br http://www.linkedin.com/pub/henrique-franco-de-souza/30/12/697

Leia mais

Análise e Acompanhamento de Projetos. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 54p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Análise e Acompanhamento de Projetos. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 54p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Clorisval Gomes Pereira Júnior Possui graduação em Desenho Industrial pela Universidade de Brasília (1993), graduação em Educação Artística pela Universidade de Brasília (1989) e mestrado em Design

Leia mais

Guia Prático, de utilização da Metodologia Basic Methodware, no Serena OpenProj versão 1.4. A3.1 Criando um Projeto no Serena OpenProj

Guia Prático, de utilização da Metodologia Basic Methodware, no Serena OpenProj versão 1.4. A3.1 Criando um Projeto no Serena OpenProj Guia Prático, de utilização da Metodologia Basic Methodware, no Serena OpenProj versão 1.4 Aplicação no Projeto exemplo: Treinamento em Gerenciamento de Projetos Colaboração: Flávio Giovani Brasil de Carvalho

Leia mais

Exercício - Power Point 4.0

Exercício - Power Point 4.0 Exercício - Power Point 4.0 1 Cenário:Você é um Gerente de Contas da Empresa Ferguson and Bardell e irá criar uma apresentação de investimento. Este é o primeiro exercício de uma série de 5, os exercício

Leia mais

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Aula 1 Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres. GERENCIAMENTO DE PROJETOS COM MS PROJECT aula1

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres. GERENCIAMENTO DE PROJETOS COM MS PROJECT aula1 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres GERENCIAMENTO DE PROJETOS COM MS PROJECT aula1 O que é Gerenciamento de um Projeto? De acordo om a Guide to the Project

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS SERENA OPEN PROJ FABIANO KEIJI TAGUCHI ESTE MATERIAL TEM UM OBJETIVO DE COMPLEMENTAR OS ASSUNTOS ABORDADOS DENTRO DE SALA DE AULA, TORNANDO-SE UM GUIA PARA UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA

Leia mais

Microsoft Project 2010 Professional

Microsoft Project 2010 Professional Introdução ao Microsoft Project 2010... 4 Conceitos sobre Gerenciamento de Projetos... 4 Iniciando... 4 Apresentação da Tela... 4 Extensões do Project... 5 Teclas de Navegação... 5 Modos de Visualização

Leia mais

Engenharia de Software II: Definindo Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Definindo Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Definindo Projeto III Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Explorando as Áreas de Conhecimento de Gerenciamento de Projeto Entendendo como Projetos Acontecem

Leia mais

QUEM SOU EU? Apresentação autobibliográfica multimídia

QUEM SOU EU? Apresentação autobibliográfica multimídia Projetos para a Sala de Aula QUEM SOU EU? Apresentação autobibliográfica multimídia Guia do Professor 5 a a 8 a SÉRIES Softwares necessários: Microsoft PowerPoint 97 Microsoft Word 97 Software opcional:

Leia mais

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK Disciplina de Engenharia de Software Material elaborado por Windson Viana de Carvalho e Rute Nogueira Pinto em 19/07/2004 Material alterado por Rossana Andrade em 22/04/2009 - Project Management Institute

Leia mais

ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS NA PRÁTICA

ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS NA PRÁTICA CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS NA PRÁTICA ALUNO (A): ------------------------------------------------------------------------------------- PROFESSOR (A): ----------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Microsoft Project 2003

Microsoft Project 2003 [Módulo 1] Microsoft Project 2003 Apresentação do software 1 Características do Software. Principal ferramenta para o Gerenciamento de Projetos; Versátil, fácil utilização e interface prática; Uso da Internet

Leia mais

Tutorial para atividades do Trabalho Prático da disciplina DCC 603 Engenharia de Software

Tutorial para atividades do Trabalho Prático da disciplina DCC 603 Engenharia de Software Tutorial para atividades do Trabalho Prático da disciplina DCC 603 Engenharia de Software Antes de iniciar o tutorial, baixar os seguintes arquivos da página do Prof. Wilson: Plataforma reutilizável: http://homepages.dcc.ufmg.br/~wilson/praxis/3.0/praxis.zip

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

Manual de Instalação. Utilização

Manual de Instalação. Utilização Manual de Instalação e Utilização http://www.pdfsam.org INSTALAÇÃO O PDFSam é um utilitário gratuito que possibilita dividir um arquivo existente PDF por tamanho, páginas pares ou ímpares, quantidade de

Leia mais

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA. 2.1 Criando Mapas no Excel. 2.2 Utilizando o Mapa

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA. 2.1 Criando Mapas no Excel. 2.2 Utilizando o Mapa PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO Aprender a utilizar mapas, colocar filtros em tabelas e a criar tabelas e gráficos dinâmicos no MS-Excel. Esse roteiro foi escrito inicialmente para o Excel

Leia mais

Unidade II. Outras ferramentas que também auxiliam o gerenciamento de projetos são: WBS, gráficos Gantt, PERT/CPM, ECD, entre outros.

Unidade II. Outras ferramentas que também auxiliam o gerenciamento de projetos são: WBS, gráficos Gantt, PERT/CPM, ECD, entre outros. GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Unidade II 2 FERRAMENTAS PARA GESTÃO DE PROJETOS A gestão de projeto como já visto no capítulo anterior é uma tarefa trabalhosa que requer muito controle. Assim, para ajudar

Leia mais

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano Formatação condicional utilizando o valor da célula O que é? Algumas vezes é preciso destacar os valores, ou seja, como colocar em vermelho ou entre parênteses, os negativos, e de outra cor os positivos,

Leia mais

O tratamento de informação através de planilha eletrônica, aplicada ao software Excel

O tratamento de informação através de planilha eletrônica, aplicada ao software Excel Instituto Federal Catarinense Campus Avançado Sombrio Educação Matemática e Tecnologias O tratamento de informação através de planilha eletrônica, aplicada ao software Excel Letícia Fontana Paulo Malu

Leia mais

Como Ativar o Certificado de Segurança

Como Ativar o Certificado de Segurança Como Ativar o Certificado de Segurança 1ª etapa: É NECESSÁRIO ESTAR COMO ADMINISTRADOR DO SISTEMA; Abra o navegador de internet; Digite no link o endereço do site da Prefeitura, ; Clique no menu de acesso

Leia mais

Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos

Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos Departamento de Planejamento Pró-reitoria de Planejamento e Finanças Universidade Federal de Santa Catarina 1 Sumário O que é um projeto?... 4 O que é

Leia mais

Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com Site: www.veniciopaulo.com

Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com Site: www.veniciopaulo.com Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com Site: www.veniciopaulo.com Formação: Graduando em Analises e Desenvolvimento de Sistemas (8º Período) Pregoeiro / Bolsa de Valores

Leia mais

ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4. A série... 4

ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4. A série... 4 EXCEL 2007 e 2010 2 ÍNDICE ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4 A série... 4 01 LISTA COM VALIDAÇÃO... 5 02 FUNÇÕES FINANCEIRAS... 7 03 FUNÇÃO DE BANCO DE DADOS... 12 04 RÓTULOS... 15 05 TABELA DINÂMICA... 18 06

Leia mais

WORD. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1

WORD. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1 WORD Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br http://www.inf.ufsm.br/~leandromc Colégio Politécnico 1 WORD Mala direta Cartas Modelo Mesclar Etiquetas de endereçamento Formulários Barra

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

Treinamentos EMENTA. Fundamentos de Gererenciamento de Riscos em Projetos. 14 Horas

Treinamentos EMENTA. Fundamentos de Gererenciamento de Riscos em Projetos. 14 Horas EMENTA Fundamentos de Gererenciamento de Riscos em Projetos 14 Horas OBJETIVO O treinamento tem como objetivo capacitar os participantes a planejar o gerenciamento de riscos, a identificar e avaliar os

Leia mais

Questão - 01. Essência do Excel 2003...

Questão - 01. Essência do Excel 2003... Valdir Questão - 01 Como deve proceder o usuário do Microsoft para que sejam atualizados os cálculos das funções ou fórmulas utilizadas nas planilhas? a) Pressionar a tecla F9 no teclado b) Pressionar

Leia mais

Aula 04 - Planejamento Estratégico

Aula 04 - Planejamento Estratégico Aula 04 - Planejamento Estratégico Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam permitir com que você saiba definir o escopo do projeto. Para tal, serão apresentados elementos que ajudem a elaborar

Leia mais

EBSCOhost Pesquisa básica para usuários corporativos

EBSCOhost Pesquisa básica para usuários corporativos EBSCOhost Pesquisa básica para usuários corporativos Tutorial support.ebsco.com Bem-vindo ao tutorial de Pesquisa básica para usuários corporativos, desenvolvido para apresentar aos usuários uma visão

Leia mais

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet Manual do Usuário Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Vendas...3 Os Recibos...6 Como imprimir?...7 As Listagens...9 Clientes... 10 Consulta... 11 Inclusão... 13 Alteração... 14 Exclusão...

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Banco de Dados Microsoft Access: Criar s Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na. 3. Criar uma no modo

Leia mais

Manual Gerencial. Sumário DRE - O QUE É. Customizado. atalho no menu do ERP. Geral de Rotinas Comuns em Cadastros do manual para download

Manual Gerencial. Sumário DRE - O QUE É. Customizado. atalho no menu do ERP. Geral de Rotinas Comuns em Cadastros do manual para download MANUAL GERENCIAL Sumário DRE - O QUE É 3... 4 Abrindo o aplicativo... 6 Menu Customizado... 7 C olocando atalho no menu do ERP... 16 Cadastro de Demonstrativo... 22 Filtros de pesquisa... 25 Menu Geral

Leia mais

Como criar pastas personalizadas e novas peças no Toolbox

Como criar pastas personalizadas e novas peças no Toolbox Como criar pastas personalizadas e novas peças no Toolbox Neste tutorial apreenderemos como inserir uma nova pasta no toolbox, inserir novas peças na biblioteca do toolbox e criar propriedades personalizadas

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL

GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL Ambiente Virtual de Aprendizagem - MOODLE GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL http://salavirtual.faculdadesaoluiz.edu.br SUMÁRIO 1. Acessando Turmas 4 2. Inserindo Material 4 3. Enviando Mensagem aos Alunos 6

Leia mais

ALUNES MANUAL DO USUÁRIO. Guia rápido Alunes

ALUNES MANUAL DO USUÁRIO. Guia rápido Alunes ALUNES MANUAL DO USUÁRIO Guia rápido Alunes 1 Manual de Instruções Versão 2.0 Alunes Informática 2 Sumário Introdução... 5 Pré-requisitos... 5 Principal/Home... 6 Como editar texto do home... 7 Desvendando

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma tabela no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na tabela.

Leia mais

Criando uma mala direta com o Word 2007 em 6 Passos

Criando uma mala direta com o Word 2007 em 6 Passos Criando uma mala direta com o Word 2007 em 6 Passos por Rafael Arcanjo Uma das tarefas mais trabalhosas e, porque não, chatas de se fazer é criar etiquetas manualmente quando você precisa enviar cartas

Leia mais

Funções básicas Cronograma Cronograma Funções Básicas

Funções básicas Cronograma Cronograma Funções Básicas Funções Básicas Fevereiro 2015 - 1) Selecionar o menu Portfólio > Projetos, clique para janela projetos abrir. 2) Selecione botão incluir para abrir um projeto. Preencha os campos obrigatórios nos Dados

Leia mais

Sistemas Eletrônicos de Apresentação. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 47p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Sistemas Eletrônicos de Apresentação. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 47p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Ismael Souza Araujo Pós-graduado em Gerência de Projetos PMBOK UNICESP, Graduado em Tecnologia em Segurança da Informação - UNICESP. Professor de concurso da área de informática e consultor em EAD.

Leia mais

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com 1 As 10 áreas de Conhecimento 2 INTEGRAÇÃO 3 Gerência da Integração Processos necessários

Leia mais

Introdução Microsoft PowerPoint 2013 apresentações Office PowerPoint 2013 Microsoft PowerPoint 2013 textos planilhas Excel Word

Introdução Microsoft PowerPoint 2013 apresentações Office PowerPoint 2013 Microsoft PowerPoint 2013 textos planilhas Excel Word PowerPoint 2013 Sumário Introdução... 1 Iniciando o PowerPoint 2013... 2 Criando Nova Apresentação... 10 Inserindo Novo Slide... 13 Formatando Slides... 15 Inserindo Imagem e Clip-art... 16 Inserindo Formas...

Leia mais

GESTAO DE PROJETOS. Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br

GESTAO DE PROJETOS. Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br Planejamento de Tempo e Escopo do Projeto Faculdade Pitágoras Faculdade Pitágoras Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br 1 Templates de Documentos http://www.projectmanagementdocs.com

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

Capítulo 8. Recursos

Capítulo 8. Recursos Capítulo 8 Recursos 138 TRABALHANDO COM RECURSOS CRIANDO A LISTA DE RECURSOS DO PROJETO Para completarmos o planejamento precisamos listar os recursos que serão utilizados no projeto. Esse processo é feito

Leia mais

ROSALDO DE JESUS NOCÊRA PMP, PMI-SP, PMI-RMP, MCTS

ROSALDO DE JESUS NOCÊRA PMP, PMI-SP, PMI-RMP, MCTS ROSALDO DE JESUS NOCÊRA PMP, PMI-SP, PMI-RMP, MCTS Project Management Professional do PMI - Project Management Institute De acordo com a 5ª edição (2013) do PMBOK Guide GUIA DEFINITIVO 2ª edição Inclui:

Leia mais

GUIA PARA REALIZAÇÃO DE BACKUP DE CERTIFICADO DIGITAL

GUIA PARA REALIZAÇÃO DE BACKUP DE CERTIFICADO DIGITAL GUIA PARA REALIZAÇÃO DE BACKUP DE CERTIFICADO DIGITAL A1 Sumário Orientações Iniciais... 3 1. Mozilla Firefox... Erro! Indicador não definido. 2. Acessando o sistema... Erro! Indicador não definido. 3.

Leia mais

Prática 3 Microsoft Word

Prática 3 Microsoft Word Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado da Paraíba, Campus Sousa Disciplina: Informática Básica Prática 3 Microsoft Word Assunto: Tópicos abordados: Prática Utilização dos recursos

Leia mais

Orientações básicas para a produção de conteúdo no Site dos NREs

Orientações básicas para a produção de conteúdo no Site dos NREs SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO DE APOIO AO USO AS TECNOLOGIAS Orientações básicas para a produção de conteúdo

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE

GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE O PMI e a Certificação PMP Visão Geral sobre o Modelo PMI APRESENTAÇÃO DO PMI O PMI - Project Management Institute é uma instituição sem fins lucrativos,

Leia mais

24/04/2011 GERÊNCIA DO ESCOPO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS NA PRÁTICA

24/04/2011 GERÊNCIA DO ESCOPO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS NA PRÁTICA GESTÃO DE PROJETOS NA PRÁTICA Prof. Me. Luís Felipe Schilling "Escolha batalhas suficientemente grandes para importar, suficientemente pequenas para VENCER." Jonathan Kozol 1 No contexto do projeto, o

Leia mais

Minicurrículo. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional. Líder no PMO. Diretor e Professor

Minicurrículo. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional. Líder no PMO. Diretor e Professor Adilson de Oliveira Minicurrículo Mestre em Ciência da Informação Doutor em Engenharia de Computação Diretor e Professor Líder no PMO Gerente de Projetos Profissional Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer

Leia mais

ACESSANDO COM USUÁRIO DE PROFESSOR

ACESSANDO COM USUÁRIO DE PROFESSOR ACESSANDO COM USUÁRIO DE PROFESSOR 1º passo: Acesse a página através do link existente no site de Newton laboratório e audiovisual: 2º passo: Na tela inicial do sistema digite seu usuário e sua senha nos

Leia mais