Producão .34 CRIAMOS INOVAÇÃO. Edição semestral Nº 2 de 2010 PÁG.4 < NESTE NÚMERO PRÉMIO DE INOVAÇÃO CLUBE DE PRODUTORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Producão .34 CRIAMOS INOVAÇÃO. www.clubeprodutores.sonae.pt. Edição semestral Nº 2 de 2010 PÁG.4 < NESTE NÚMERO PRÉMIO DE INOVAÇÃO CLUBE DE PRODUTORES"

Transcrição

1 .34 EDIÇÃO Producão Edição semestral Nº 2 de 2010 < NESTE NÚMERO PRÉMIO DE INOVAÇÃO CLUBE DE PRODUTORES PÁG.4 AZEITE - O NOVO DESAFIO DO CP PÁG.16 CLUBE DE PRODUTORES REFORÇADO NOS AÇORES PÁG.18 CRIAMOS INOVAÇÃO A inovação é um dos princípios a que a Sonae MC tem sido fiel desde o primeiro momento e que tem orientado a sua actuação em diferentes áreas. Prova disso é o Clube de Produtores Sonae, criado há 12 anos. A consequente relação de parceria formada com a produção nacional, foi uma inovação no sector da distribuição em Portugal, e até hoje, inigualável. O Clube de Produtores Sonae trabalha em prol do sector agro-pecuário nacional, criando emprego, fomentando o desenvolvimento regional e potenciando projectos ambiciosos, inovadores e de indiscutível valia económica e social para o nosso país. Este sucesso parte de uma estratégia inovadora, assente no planeamento de produções locais que se baseiam nas projecções de consumo e que, por este motivo, têm uma garantia de escoamento, permitindo uma optimização da capacidade de produção de cada exploração. Como consequência, temos vindo a crescer de ano para ano, e os números falam por si. Alcançámos em 2010 os 231 membros, com mais de 1500 produtores individuais, distribuídos pelo país, de Norte a Sul, Açores e Madeira. Em 2010 vamos ainda atingir um crescimento de 7,9% do volume de compras, prevendo que se chegue às 123 mil toneladas até final do ano, e um crescimento em valor de 17,6%, totalizando 168M. O tema Criamos Inovação escolhido para o Encontro Anual de Produtores deste ano, também resulta do facto de termos inovado, através da primeira atribuição do Prémio Inovação Clube de Produtores Sonae e de três Menções Honrosas. Para estes homenageados os nossos parabéns e um agradecimento muito especial pelo contributo que deram ao Clube de Produtores. Queremos continuar a premiar, de forma única, os nossos produtores e assim contribuir activamente, para o desenvolvimento agro-pecuário português. Por tudo isto, e numa altura em que o país enfrenta grandes desafios, consideramos que o Clube de Produtores é uma mais-valia na construção de soluções que garantam a competitividade nacional, promovendo as melhores práticas ao nível da produção e comercialização, para fazer chegar a todos os portugueses o que de melhor se produz neste sector. Luís Moutinho CEO SONAE MC

2 CONTA-SE QUE UM DIA, TALVEZ DEPOIS DE TOMAR UM OU DOIS COPOS DE VINHO, GUTENBERG BRINCOU E PERGUNTOU: E SE EU UTILIZAR CUNHOS DE MOEDA E OS COLOCAR SOB PRESSÃO NA PRENSA DE VINHO? SERÁ QUE A IMAGEM FICARÁ NO PAPEL? A COMBINAÇÃO RESULTANTE FOI A IMPRENSA. CLUBE DE INOVAÇÃO Ao associar dois princípios independentes a prensa de vinho e o cunho de imprimir moedas Gutenberg criou uma das mais importantes invenções da história da humanidade e um dos marcos da Renascença - e lançou as bases para a economia moderna baseada no conhecimento. Tal como a escrita, a roda e a máquina a vapor, a prensa comprime tempo e espaço, aproximando pessoas e culturas variadas e criando novas zonas de intersecção. Dois exemplos curiosos, apresentados na caixa da página seguinte, ilustram com eloquência o conceito de zonas de intersecção. É sabido que um indivíduo, para se tornar mais inovador, deve abrir-se a experiências multifacetadas, a novas emoções, deve aceder a conhecimento que extravase as áreas a que está ligado profissionalmente. Criará assim zonas de intersecção que catalisam as suas criatividade e competência. As empresas, por sua vez, devem apostar no desenvolvimento de redes de colaboração com clientes, fornecedores, produtores e universidades, ampliando o universo de contributos para a resolução de problemas. A riqueza criativa da intersecção de campos de conhecimento complementares também serve as empresas. Uma atitude empresarial que fomente a partilha, a exigência mútua, o desafio permanente entre diferentes parceiros e o estabelecimento de ligações entre várias culturas é meio caminho andado para a identificação de novas soluções para velhos problemas. Exemplo concreto desta atitude, o Clube de Produtores Sonae é uma zona de intersecção. Reúne diferentes áreas, diferentes experiências, formações, idades e competências. É a partir da fertilização cruzada de ideias de todos os produtores que o clube dá frutos há muitos anos, propiciando o robustecimento mútuo dos seus membros, tornando-os mais experientes e mais conhecedores. Através do cruzamento de competências de um produtor de pão com um produtor de enchidos nasceu a bola de enchidos de porco Bísaro. Aproveitando as aparas de um produtor de presunto e disponibilizando-as a um produtor de enchidos, nasceram novas alheiras de presunto. No fundo estamos perante uma das formas mais antigas e eficazes de inovação, hoje ostentada, na literatura especializada, pelo jargão da open innovation. Combinar as respostas que temos para os problemas de outros com as respostas que outros já têm para as perguntas que ainda não fizéramos, é a essência da inovação. João Günther Amaral Director de Desenvolvimento e Inovação Sonae MC 2

3 2010 Um Ano Recheado de Actividades ESTES NUNCA CHOCAM ENTRE SI... Como resultado da evolução ao longo de milhões de anos, a Natureza é fértil em soluções avançadas. Milhões de gafanhotos voam em conjunto e, devido ao seu avançado sistema de radares, nunca chocam uns com os outros. Aqui, a zona de intersecção dá-se entre os sistemas de radares de gafanhotos e a indústria automóvel. É isso mesmo. Há empresas do sector automóvel que estão a desenvolver sistemas anti-colisão baseados nestes radares. AR CONDICIONADO DAS TÉRMITAS A Natureza também serve de inspiração para soluções de problemas de arquitectura. Mick Pearce, um arquitecto interessado em ecologia, aceitou o desafio de construir um edifício atraente e funcional que não utilizasse ar condicionado, mas que garantisse uma temperatura estável no seu interior. Neste caso, a inspiração surgiu da forma como as térmitas constroem os seus ninhos, numa configuração que promove a existência de correntes de ar e que garante uma temperatura estável ao longo do dia e noite. Tudo isto em Harare, a capital do Zimbabwe, onde as temperaturas oscilam ao longo do ano entre os 8 ºC e os 30 ºC. 3

4 PRÉMIO INOVAÇÃO CLUBE DE PRODUTORES 2010 SENDO A INOVAÇÃO UM DOS PRINCIPAIS E PREMENTES TEMAS DA ACTUALIDADE E, POR ISSO MESMO, UMA APOSTA ESTRATÉGICA DA SONAE MC, O CLUBE DE PRODUTORES DECIDIU PROMOVER ANUALMENTE UM CONCURSO PARA RECONHECER OS PROJECTOS MAIS INOVADORES FORJADOS PELOS SEUS SÓCIOS. 4 O objectivo deste concurso consiste em premiar os membros do Clube de Produtores, reconhecendo, divulgando e estimulando a implementação de projectos que, pelo seu contexto inovador, possam contribuir para melhorar desempenhos e, consequentemente, o fluxo produtivo dos seus negócios. É com o desejo permanente de fazer crescer, de nos capacitarmos para ir mais além, que convidámos os associados do Clube de Produtores a desenvolver e apresentar as suas candidaturas ao concurso Prémio de Inovação do Clube de Produtores. Lançado o repto e divulgado o regulamento, é com grande satisfação que apresentamos as candidaturas inscritas, em si uma clara demonstração que o desejo de INOVAR existe nos desígnios e na obra de todos nós, membros do Clube de Produtores. CANDIDATURAS FRUTAS & LEGUMES / FRUTAS: Planície Verde Robotização da paletização na linha do melão/melancia. Introdução de máquinas para a construção e colocação de paletes permitiu uma maior rapidez, eficácia e redução do esforço humano. Hortomelão Classificação do melão por grau brix. O projecto foi adoptado com os objectivos de atingir o grau de brix exigido pelo cliente, melhorando a eficiência no trabalho e diminuindo os custos inerentes à mão-de-obra e devoluções. Cerfundão Modernização de pomares tradicionais. Através de novos sistemas de condução, pretendia-se aumentar a produtividade, rentabilidade e qualidade. Vale da Rosa Uvas sem grainha, de alta qualidade, com variedade exclusivas para Portugal. O objectivo era dar resposta às necessidades do mercado português quanto a este produto. Frubaça - Polpas de fruta, saudáveis e saborosas. Ao adoptar o processo HPP (HighPressureProducts) para estabilizar microbiologicamente os produtos fabricados, pretendia-se a diferenciação a nível comercial, ao produzir produtos naturais, saudáveis e respeitadores do meio ambiente. Alcides Henoch Produção biológica em escala. Pretendia- -se fomentar o consumo de produtos agrícolas biológicos para o grande público, minimizando impactos ambientais e comercializando produtos diferenciados, com qualidade superior e mais saudáveis. Granfer Linha de embalamento automática. Aquisição de uma máquina embaladora de sacos que funciona em sistema de filme contínuo, ajustável a qualquer dimensão de saco. Lusomorango Utilização racional de água de rega. O principal objectivo foi optimizar o uso de água, maximizando os resultados e minimizando os impactos ambientais, ao

5 2010 mesmo tempo que se mantém a produtividade e a qualidade com menos factores de produção. FRUTAS & LEGUMES / LEGUMES: PAM Utilização de escovas anti-stress em ervas aromáticas. Pretendia-se uma melhor resistência, crescimento e sabor, assim como a diminuição dos custos com o controlo biológico de pragas. Vitacress/Iberian Salads Lançamento da IV Gama Biológica. O objectivo era preencher uma lacuna do mercado, associando conveniência com segmento de clientes Premium Saudável -Produtos Biológicos de IV Gama. TALHO: Companhia das Lezírias, SA Produção de carne de bovino naturalmente enriquecida com ómega-3. Pretendia-se produzir e comercializar uma Carne de Bovino naturalmente rica em ómega-3, incorporando uma fonte natural vegetal de ómega-3 na alimentação dos bovinos, melhorando-se a relação w6:w3, conforme as mais recentes recomendações nutricionais. Galapa/A Boleta Barranquenha Especialidades de porco preto. O objectivo era oferecer uma gama de produtos de valor acrescentado ao consumidor, favorecendo uma maior diferenciação na qualidade do produto. CHARCUTARIA: Artefumo Variedade de alheiras. Pretendia-se oferecer uma gama de alheiras completamente inovadora mas com uma base tradicional, como por exemplo, Alheira de Marisco ou Alheira de Cogumelos. Queijos Braz Queijo kosher. Oferecer uma gama de produtos diferenciadores e com características étnicas/religiosas 500 anos depois da sua origem, também como preencher uma lacuna na oferta e atingir mercados específicos foram os objectivos do projecto. Salsicharia da Gardunha Farinheira com presunto. O principal objectivo é inovar para garantir um produto único a nível nacional, a manutenção nas gamas de loja, além de criar hábito de consumo de forma a eliminar a sazonalidade. Quinta dos Moinhos Novos Queijo de cabra cremoso. Fazer um queijo bem maturado de qualidade superior e, ao mesmo tempo, de pequena dimensão, tendo em consideração a nova tendência de consumo, estiveram na génese do projecto. Beira Lamego Alheira de broa de milho e salpicão de vinho espumante. O objectivo era ir de encontro às necessidades do consumidor, sabendo que existem bastantes apreciadores da famosa Broa de Milho de Lamego e de Vinho Espumante. Montanheira Lombo branco de Portalegre IGP fatiado. Pretendeu-se dar uma nova apresentação a um produto tradicional, apostando na diversificação do produto, na comodidade de utilização para o cliente e na boa relação preço/qualidade. Beloteiros Painho de Portalegre IGP Fatiado. Sendo o primeiro enchido a apostar na gama dos fatiados, pretendia-se tornar o produto mais acessível, baixando o preço da unidade de venda e tornar mais atractiva a sua apresentação. Minhofumeiro Salpicão e lombo de porco fatiado: pretendeu-se dar uma nova apresentação a um produto eminentemente tradicional, tornando a embalagem mais apelativa a qualquer tipo de consumidor, facilitando assim o seu consumo. Farinheira de Presunto e Azeitonas e Alheira de Vitela: com estes produtos, o objectivo era alterar a sua composição, tornando-os mais compatíveis com a dieta atlântica (reduzido teor de sal e gordura) para conquistar um novo nicho de mercado. PADARIA & PASTELARIA: M. Ferreira e Filhas / Pão de Gimonde Folar transmontano com enchidos de porco Bísaro. Os responsáveis pela empresa quiseram proporcionar o verdadeiro sabor de antigamente, com paladares típicos da carne dos enchidos de porco Bísaro. Patrimvus Pão especial para pessoas com diabetes. O projecto consistiu na criação de um pão que, no seu conjunto, estivesse ajustado às necessidades alimentares dos diabéticos, através de uma quantidade elevada de ácidos gordos ómega-3 e um baixo teor de sal. PEIXARIA Castro & Cabero Produção industrial de uma nova espécie de linguados em aquacultura. A comercialização de uma nova espécie pretendia aumentar a competitividade e rentabilidade da empresa. Ao diversificar a produção, ofereceram ao mercado espécies de peixes alternativos e que têm grande procura. A difícil tarefa de apontar premiados foi entregue a um júri constituído pelo Dr. Luís Reis, Chief Corporate Centre Officer da SONAE SGPS; Prof. Daniel Bessa, Presidente da COTEC, Eng. João Cyrilo Machado, na qualidade de Presidente da CAP e Eng.ª Isabel Dias da Costa, Administradora da SONAE MC. Os prémios são entregues no XII Encontro do Clube de Produtores, que se realiza na Sala de Congressos das Caldas da Rainha, a 9 de Dezembro de O CLUBE ESTÁ DE PARABÉNS. Um Ano Recheado de Actividades 5

6 AEP APRESENTA RESULTADOS DA CAMPANHA PORTUGAL. A MINHA PRIMEIRA ESCOLHA A AEP - Associação Empresarial de Portugal realizou no passado dia 14 de Janeiro, nas excelentes instalações da Adega Mayor, em Campo Maior, uma sessão de apresentação dos resultados da campanha Portugal. A Minha Primeira Escolha. A sessão, na qual esteve presente o Eng. Ricardo Pinheiro, Presidente da Câmara de Campo Maior, foi conduzida pelo Comendador Rui Nabeiro da Nova Delta Cafés e contou ainda com o testemunho do Clube de Produtores, através da sua presidente, Eng.ª Eunice Silva. Portugal. A Minha Primeira Escolha é a assinatura da campanha de Valorização da Oferta Nacional que a AEP levou a cabo, com o apoio do QREN, durante o ano de De acordo com um estudo recente, esta campanha contribuiu, de forma decisiva, para a notoriedade das marcas portuguesas. A campanha Portugal. A Minha Primeira Escolha promove a imagem de um Portugal moderno, inovador e orientado para o mercado global. O seu conceito e conteúdos pretendem levar os portugueses a valorizarem produtos portugueses, evidenciando o impacto positivo deste comportamento no emprego e na economia nacional. Aderiram a este projecto, até ao momento, mais de 430 empresas que representam mais de marcas e um volume de negócios superior a nove mil milhões de euros. PARTICIPAÇÃO NAS II JORNADAS DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CUNICULTURA No passado dia 12 de Novembro decorreu no Centro de Formação Profissional da Colónia Agrícola de Gafanha da Nazaré, Ílhavo, as segundas Jornadas ASPOC, promovidas pela Associação Portuguesa de Cunicultura. Estas jornadas tiveram como objectivo principal criar um espaço de obtenção e partilha de conhecimentos de todo o sector da Cunicultura, desde a produção, à transformação e venda. Nestas jornadas foram abordados diversos temas, como a Ges- tão e Produção, Profilaxia e Sanidade, tendo terminado com uma mesa redonda, na qual esteve presente como convidado o Engº Eduardo Mendoca, Director da Unidade de Negócio Talho da SONAE MC. Na mesa redonda estiveram ainda presentes representantes da produção, da indústria e do marketing e publicidade, discutindo e tentando procurar um caminho válido e sustentável para o futuro da Cunicultura Portuguesa. 6 CLUBE DE PRODUTORES NO 28º CONGRESSO MUNDIAL DE HORTICULTURA Entre os dias 22 e 27 de Agosto, realizou-se, em Lisboa, o 28º Congresso Mundial de Horticultura (IHC). Contando com a importante intervenção da presidente do Clube de Produtores, Eng.ª Eunice Silva, este evento internacional, acontecimento Rei no panorama internacional do mercado hortícola, reuniu alguns milhares de produtores, comerciantes, técnicos agrícolas, etc., provenientes dos quatro cantos do mundo. A presidente do Clube de Produtores falou sobre o clube, nascido em 1998 como forma de aproximar a produção agro-pecuária ao consumidor final, através da sua comercialização directa. Passados 12 anos, o Clube de Produtores conta com mais de 200 membros, distribuídos por todo o território nacional. A área da horticultura é o sector que tem maior expressão, com 112 associados, seguindo-se as carnes frescas com 65 produtores e a charcutaria regional com 65 sócios. O peixe fresco conta, há muito tempo, com um produtor de piscicultura e, mais recentemente, com duas organizações de armadores, enquanto o ramo da padaria e pastelaria regional entrou nesta actividade em 2009.

7 2010 CLUBE DE PRODUTORES ASSINA ACORDO COM ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PRODUÇÃO DE PÊRA ROCHA Um Ano Recheado de Actividades No dia 18 de Março, a SONAE MC e a Associação Nacional de Produtores de Pêra Rocha (ANP) assinaram um protocolo de cooperação, com o objectivo de desenvolver as vendas deste fruto nas nossas lojas. A cerimónia teve lugar durante o Encontro Anual da Pêra Rocha do Oeste, que se realizou nas Caldas da Rainha, e onde foram atribuídas distinções às melhores centrais fruteiras, aos melhores técnicos e aos melhores produtores da região. O evento contou com a presença de Sua Excelência o Ministro da Agricultura, que entregou alguns dos prémios. Um facto curioso de destacar é que todos os maiores produtores e/ou agrupamentos associados a esta associação são também sócios do Clube de Produtores. CLUBE DE PRODUTORES FOI ENTRONIZADO CONFRADE DA CONFRARIA DO QUEIJO SÃO JORGE CONFRARIA DO QUEIJO DE SÃO JORGE DISTINGUE PRODUTORES DA SONAE No passado mês de Março, o Clube de Produtores foi distinguido pela Confraria do Queijo São Jorge, que entronizou a Eng.ª Eunice Silva, presidente do clube, como Confrade Honorária da Confraria. O papel que o Clube de Produtores tem desempenhado na promoção dos produtos portugueses de Origem Protegida foi o motivo evocado para esta distinção. Recorde-se que o Clube de Produtores foi criado em 1998 para aproximar produtores agro-pecuários e de pescas do consumidor final. De acordo com a missão que assumiu, o Clube de Produtores presta apoio consistente e estruturado aos seus produtores associados, facilitando o escoar da produção e assegurando produtos de origem e qualidade reconhecida. Durante a cerimónia, Bráulio Fonseca Rodrigues, Cabeça da Confraria do Queijo de São Jorge, destacou o papel que o Clube de Produtores tem desempenhado na promoção e comercialização de alguns produtos DOP, como o famoso Queijo São Jorge. O líder da confraria acrescentou ainda que o contacto que o Clube de Produtores tem procurado proporcionar entre as Organizações de Produtores de algumas regiões DOP europeias permite a troca de experiências e a opção por percursos mais aconselháveis para se vencerem os desafios com que os mercados, cada vez mais exigentes, as confrontam. 7

8 38 ASSOCIADOS DO CLUBE DE PRODUTORES NO PORTO.COM DE 27 A 30 DE MAIO DE 2010 A ALFÂNDEGA DO PORTO FOI PALCO, DE 27 A 30 DE MAIO PASSADO, DA SEGUNDA EDIÇÃO DO PORTO.COM. SOB O PATROCÍNIO DO CONTINENTE, O EVENTO QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO E DIVULGAÇÃO DOS SABORES DO NORTE DE PORTUGAL CONTOU COM A PRESENÇA DAS MARCAS DA SONAE MC QUE, AO LONGO DOS ANOS, CONQUISTARAM E OCUPAM, HOJE, LUGARES CIMEIROS DA CONFIANÇA DOS PORTUGUESES. 8

9 2010 Um Ano Recheado de Actividades SÃO INICIATIVAS COMO ESTAS QUE CONSEGUEM UMA MAIOR ADESÃO DOS PORTUGUESES PARA O QUE TEMOS DE QUALIDADE. 38 dinâmicos associados do Clube de Produtores marcaram presença no espaço CONTINENTE, onde expuseram e deram a provar aos interessados alguns dos produtos Selecção CONTINENTE, indiscutíveis ícones da distinta e secular paleta dos sabores Lusitanos. Estiveram ainda no nosso espaço as escolas de cozinha ligadas ao Turismo de Lamego e do Porto que, durante os dias do evento, confeccionaram pratos que maravilharam quem os provou. O ministro da Agricultura, António Serrano, foi uma das individualidades presentes no Porto.Com que comentou: São iniciativas como estas que conseguem uma maior adesão dos portugueses para o que temos de qualidade. Só assim podemos substituir as importações por um maior volume de exportações, dando a conhecer o que de melhor temos na nossa gastronomia, e não só. Também o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, ressalvou a importância desta iniciativa: o apoio que a Câmara dá a este evento é lógico. Não é preciso fazer muitos estudos, daqueles que custam muito dinheiro, tem muitas páginas, mas que depois quase ninguém lê para se chegar facilmente à conclusão que o turismo é um sector onde o Porto e a sua Área Metropolitana têm vantagens comparadas. Esta segunda edição do Porto.Com integrou provas, workshops, degustações, Show Cookings, entre outras actividades. Estas acções foram abrilhantadas com a presença de grandes chefs de cozinha, como Augusto Gemelli, Henrique Sá Pessoa, Rui Paula, Fausto Airoldi, Jerónimo Ferreira, Marco Gomes, Michel e, particularmente, Hélio Loureiro, também ele um distinto colaborador SONAE. O empenho e profissionalismo do Clube de Produtores e dos seus associados marcaram indiscutivelmente esta edição do Porto.Com. Para mais informação, consultar o site da Câmara Municipal do Porto 9

10 2ª GALA DA FRUTA E LEGUMES: BELMIRO DE AZEVEDO GALARDOADO COM PRÉMIO ESPÍRITO JOVEM JUNHO 2010 A 4 DE JUNHO, O CASINO DA FIGUEIRA DA FOZ RECEBEU A 2ª GALA DA FRUTA E LEGUMES, ORGANIZADA PELO COTHN - CENTRO OPERATIVO E TECNOLÓGICO HORTOFRUTÍCOLA NACIONAL. Durante a cerimónia, que reuniu 500 pessoas da fileira hortofrutícola nacional, entre empresários, agricultores, técnicos, professores e investigadores, o Eng. Belmiro de Azevedo foi galardoado com o prémio Espírito Jovem, atribuído pela sua juventude e pelo empenho que tem vindo a demonstrar na qualidade de agricultor. A segunda edição desta iniciativa contou novamente com o patrocínio do Clube de Produtores, que reconheceu, assim, a importância do trabalho que o COTHN tem vindo a desenvolver. O Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional é uma associação privada com seis anos que tem como objectivo promover o desenvolvimento da fileira hortofrutícola portuguesa. Para conseguir alcançar essa meta, a instituição aposta na melhoria do nível de conhecimentos no sector e no aprofundamento da cooperação nas áreas da tecnologia, da promoção e da organização. Assumindo-se como um fórum para ajudar a promover uma melhor coordenação entre todas as entidades, através de uma maior aproximação entre as empresas e a investigação, bem como entre entidades públicas e entidades privadas, o COTHN tem como sócios cerca de 50 entidades (empresas, instituições de ensino superior, associações, autarquias, etc....). Em 2007, o centro organizou, também no Casino da Figueira da Foz, a I Gala da Fruta. Passados três anos, a iniciativa voltou a realizar-se, desta vez, com a participação da fileira da horticultura, passando, por isso, o evento a ser denominado 2ª Gala da Fruta e Legumes. O objectivo desta iniciativa, tal como já tinha acontecido na sua primeira edição, foi promover a produção nacional e, sobretudo, o consumo das frutas e legumes portuguesas, assim como dar a conhecer o profissionalismo e qualidade da fileira hortofrutícola. Tal como na I Gala, foi estendido o esforço de divulgação a um conjunto de individualidades de reconhecido mérito (médicos, músicos, desportistas, políticos, etc.). 10

11 CLUBE DE PRODUTORES VOLTA À FEIRA DE PORTO MONIZ JULHO 2010 Pelo terceiro ano consecutivo, o Modelo e o Clube de Produtores marcaram presença na Feira Agro-Pecuária de Porto Moniz, na Ilha da Madeira. A 55ª edição deste evento realizou-se entre 9 e 11 de Julho e foi organizada pela Secretaria Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais da Região Autónoma. Durante os três dias de feira, e além da exposição dos animais, a iniciativa contou com diversas actividades como leilões e sorteios, sem esquecer os momentos de animação musical e as demonstrações gastronómicas. No Domingo, o evento contou ainda com a presença do presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim. MUITAS PESSOAS QUE PASSARAM PELO STAND MOSTRARAM GRANDE INTERESSE E CURIOSIDADE PELA ACTIVIDADE DO CLUBE DE PRODUTORES, FIZERAM PERGUNTAS E CONGRATULARAM-NOS POR ESTE PROJECTO. 11

12 PRODUTORES PORTUGUESES VISITAM ISRAEL OUTUBRO DE 2010 UMA COMITIVA DE 30 PESSOAS DO CLUBE DE PRODUTORES ESTEVE, ENTRE OS DIAS 17 E 22 DE OUTUBRO PASSADO, EM ISRAEL, NUMA VIAGEM QUE TEVE COMO PRINCIPAL OBJECTIVO A VISITA A ALGUNS FORNECEDORES DE HORTIFRUTICULTURA DAQUELE PAÍS DO MÉDIO ORIENTE. O GRUPO EM ISRAEL Com partida do Aeroporto da Portela, os 24 produtores e os 6 representantes do clube aterraram em Israel às 02h00 do dia 18 de Outubro. Depois de uma noite retemperadora, toda a comitiva estava pronta para visitar o Volcani Center, instituição pertencente à Agricultural Research Organization (ARO), uma organização do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural de Israel responsável pela maior parte da pesquisa agrícola realizada no país. Reconhecidos por possuir o mais avançado sistema de irrigação e por serem pioneiros no desenvolvimento de tecnologias e acessórios inovadores, os israelitas puderam divulgar esses conhecimentos à comitiva do Clube de Produtores durante a visita ao Volcani Center. Essa partilha poderá, no futuro, ser aplicada em Portugal, dando resposta às necessidades dos nossos produtores. Deixando Tel Aviv em direcção a Tiberíades, a comitiva portuguesa parou para conhecer um kibutz, que é uma forma de colectividade comunitária israelense onde as pessoas vivem e trabalham em conjunto. 12

13 2010 Um Ano Recheado de Actividades MOJAV DESERTO KIBUTZ À DESCOBERTA DAS FRUTAS E LEGUMES ISRAELITAS No dia seguinte, 19 de Outubro, os elementos do Clube de Produtores deslocaram-se até à região da Galileia, onde visitaram alguns fornecedores da zona, produtores de mangas e romãs; de citrinos, como as toranjas e clementinas, e de pêra abacate. A região de Aravat recebeu a comitiva portuguesa no dia 20 de Outubro. Mais uma vez, a manhã foi destinada para conhecer outros fornecedores que produzem, entre outras culturas, cenoura, batata, tomate em cacho e cherry e pimentos. Terminadas as visitas relacionadas com o trabalho propriamente dito, e estando num país histórico, no dia seguinte foi altura de rumar a Jerusalém, a cidade santa dos judeus, cristãos e muçulmanos. NA FRENTE DA INOVAÇÃO AGRÍCOLA Israel é um país que aposta na inovação e nas novas tecnologias no sector da agricultura. Metade de toda a terra destinada às plantações agrícolas é dotada de um dos sistemas de irrigação mais avançados do mundo. Os israelitas são também pioneiros no desenvolvimento de inovadoras tecnologias e acessórios, como foi o caso do sistema gota a gota, das válvulas e dos controladores automáticos, da filtração automática, dos pulverizadores de baixa descarga e mini-sprinklers, dos gotejadores e spinklers compensados. Há ainda uma grande aposta no desenvolvimento de variedades de sementes resistentes a pragas, que possuem uma grande capacidade de armazenamento e são adaptáveis a uma grande variedade de condições climatéricas. De destacar que 40 por cento das estufas de tomates da Europa usam sementes produzidas em Israel. Na agricultura, os israelitas conseguiram ainda outros sucessos: melancia sem sementes; abóboras resistentes; culturas de pepinos altamente produtivas; abóbora amarela Saucer- -shaped ; e uma grande variedade de algodão híbrido, com fibras maiores e mais fortes, produzido numa área maior com um menor uso de água. Desenvolveram ainda filmes plásticos para estufas; sistemas de dessanalização da água do mar e soluções para tratamento da água dos esgotos para usar na irrigação. Israel é um importante exportador de agrotecnologia, principalmente no que diz respeito às estufas e aos sistemas de irrigação. ISRAEL É UM PAÍS QUE APOSTA NA INOVAÇÃO E NAS NOVAS TECNOLOGIAS NO SECTOR DA AGRICULTURA. VISITA A PRODUTOR DE ROMÃS 13

14 CLUBE DE PRODUTORES PRESENTE NO MERCADO DE SABORES SETEMBRO DE 2010 ENTRE 24 E 26 DE SETEMBRO, E COM UMA FORTE PRESENÇA DE MEMBROS DO CLUBE DE PRODUTORES QUE, NOS SEUS STANDS, DERAM A PROVAR ALGUMAS DAS MELHORES IGUARIAS DE PORTUGAL, O CONTINENTE ORGANIZOU O MERCADO DE SABORES. ESTE MACRO E INÉDITO EVENTO NO ÂMBITO DA DISTRIBUIÇÃO EM PORTUGAL RECEBEU A VISITA DE 30 MIL PESSOAS. O OBJECTIVO DESTA ORIGINAL INICIATIVA, QUE DECORREU NO PAVILHÃO ATLÂNTICO, EM LISBOA, FOI MOSTRAR AOS CONSUMIDORES PORTUGUESES O QUE DE MELHOR TEM PORTUGAL PELA MÃO DOS PRODUTORES NACIONAIS. 14 Dividido em três grandes zonas - a Expo Regiões, as Receitas dos chefs e a Quinta da Leopoldina o Mercado de Sabores surpreendeu e deu, assim, a conhecer aos consumidores em geral, num ambiente especialmente preparado, uma aliciante variedade de produtos e sabores de marca. O evento contou com a presença de 56 produtores associados do Clube de Produtores, que representaram diferentes actividades de negócio e estiveram repartidos por cinco regiões do país Minho, Trás-os-Montes e Douro Litoral; Beiras; Estremadura e Ribatejo; Alentejo e Algarve e Ilhas. Durante toda a duração do evento, os produtores deliciaram o público presente com a permanente degustação das inimitáveis iguarias que o melhor da Nossa tradição tem para oferecer. Num outro espaço dedicado aos produtos de Marca Própria, foi também possível degustar e adquirir os produtos Continente. A iniciativa, que se inseriu nas celebrações dos 25 anos do Continente, foi complementada pela presença de cinco dos mais conhecidos chefs da nossa praça - Luís Baena, Vítor Sobral, Henrique Sá Pessoa, Olivier e Hélio Loureiro - que realizaram diversas acções de show cooking, representando e promovendo os produtos de cada uma das regiões. Para as famílias mais jovens, foi montado um espaço exclusivamente dedicado às crianças, a Quinta da Leopoldina, onde decorreram animações de carácter lúdico e didáctico. Os mais pequenos puderam conhecer as origens dos produtos e participar na sua produção, tal como aprender a moldar pão ou ver como são feitos os queijos. A iniciativa contou ainda com palestras sobre nutrição, obesidade infantil e sustentabilidade. A animação musical esteve a cargo de vários ranchos folclóricos que muito animaram o público presente com as suas músicas e danças. Os bilhetes, que custavam três euros, puderam, no final da visita, ser trocados por um vale de compras de 10 euros, a descontar em qualquer Continente, em compras superiores a 30 euros. COM O MERCADO DE SABORES, O CONTINENTE PROMOVEU O QUE DE MELHOR SE PRODUZ NO NOSSO PAÍS, FOMENTANDO A APROXIMAÇÃO DOS CONSUMIDORES AOS PRODUTORES LOCAIS E REGIONAIS, VALORIZANDO A PRODUÇÃO NACIONAL E OS MELHORES SABORES DE PORTUGAL.

15 15

16 AZEITE-O NOVO DESAFIO DO CLUBE DE PRODUTORES ALBERTO SERRALHA SÓCIO GERENTE SAOV SITUADA EM ABRANTES, A SAOV SOCIEDADE AGRÍCOLA OURO VEGETAL INICIOU A SUA ACTIVIDADE EM COM UMA PRODUÇÃO ANUAL DE CERCA DE 600 MIL LITROS DE AZEITE POR ANO, A EMPRESA É, DESDE AGOSTO, PARCEIRA DO CLUBE DE PRODUTORES. UM MARCO PIONEIRO QUE REPRESENTA A ENTRADA DO CLUBE DE PRODUTORES NO MERCADO DE AZEITES E UM NOVO DESAFIO PARA A SAOV. Em que ano e como se iniciou o negócio da SAOV Sociedade Agrícola Ouro Vegetal? A SAOV iniciou a sua actividade em Agosto de Quantas pessoas trabalham hoje na SAOV? Trabalham, em média, 22 pessoas por mês, embora os quadros permanentes sejam oito pessoas. Os restantes são trabalhadores eventuais que trabalham na colheita de azeitona e em outros trabalhos agrícolas. Qual a média de produção (diária ou anual) actual? A SAOV produz actualmente cerca de litros de azeite por ano. Quais os produtos que integram a oferta actual da SAOV? Essencialmente, temos dois produtos: virgem extra e gama Premium. Como se processa a produção dos vossos azeites? As azeitonas são colhidas e imediatamente transportadas para o lagar, que está a dois quilómetros da Quinta do Pouchão. De seguida, as azeitonas são limpas, lavadas e entram no processo de extracção, onde são trituradas para depois o azeite ser extraído a frio pelo processo de centrifugação. Em que mês é que a SAOV fez a parceria com o Clube dos Produtores? Foi durante o mês de Agosto que se iniciou o processo. Como é que esse processo se desenrolou? Passou pelo envio de amostras para o Instituto Superior de Agronomia (ISA). Após a aprovação do ISA, houve um enorme trabalho ao nível da criação de material de embalagem e certificações, de forma a cumprir todos os requisitos do Clube de Produtores. 16

17 O que representa para a SAOV a entrada no Clube de Produtores? Significa mais um desafio no nosso percurso, uma enorme responsabilidade, novos patamares de exigência. Traz-nos também uma alegria enorme sermos pioneiros neste lançamento. Como é que vê o alargamento do Clube dos Produtores ao mercado do azeite? É uma ideia nova, bem estruturada. Todas as exigências e critérios farão com que todos os azeites do Clube de Produtores sejam de excelente qualidade. Esta parceria vai exigir uma nova abordagem na produção, tendo em conta as normas exigidas pelo Clube? Existiram algumas ligeiras adaptações nos nossos procedimentos normais ao nível da parte agrícola. No restante, a SAOV cumpria com tudo o que era exigido. Considera que a maior proximidade ao consumidor das grandes superfícies e a possibilidade de ter uma noção mais exacta do grau de procura, irá trazer confiança para investir em novos projectos? Sim, poderá vir a acontecer, embora os investimentos feitos por nós no passado ainda nos deem margem para crescer. Para o futuro, quais são os objectivos ou planos que têm delineados para a SAOV? Pretendemos continuar a ser reconhecidos como uma referência de alta qualidade em Portugal. É para isso que trabalhamos todos os dias. 17

18 CLUBE DE PRODUTORES, REFORÇADO NOS AÇORES DECORREU EM OUTUBRO UMA SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DO CLUBE DE PRODUTORES PARA A REGIÃO DOS AÇORES, ORGANIZADA PELA SECRETARIA REGIONAL DE AGRICULTURA E FLORESTAS. A reunião, realizada no Teatro Ribeiragrandense em S. Miguel, contou com a presença de representantes de largos sectores da produção local e serviu para apresentar os objectivos do clube para os próximos anos na região, assim como os critérios de admissão, regras de produção e vantagens dos produtores na adesão ao Clube de Produtores. Inicialmente concentrado na área de Frutas e Legumes, o desenvolvimento do projecto do Clube de Produtores nos Açores servirá para promover os produtos regionais e os respectivos produtores, substituindo em larga escala as importações que, actualmente, são feitas para garantir o aprovisionamento das lojas Modelo. 18

19 2010 Um Ano Recheado de Actividades NOVO SITE CLUBE DE PRODUTORES MELHOR NAVEGABILIDADE E MUITAS NOVIDADES JÁ ESTÁ ONLINE O NOVO SITE DO CLUBE DE PRODUTORES EM VISITE-NOS E DESCUBRA TUDO O QUE O CLUBE DE PRODUTORES TEM PARA OFERECER, AGORA NUM SITE COMPLETAMENTE RENOVADO, COM UMA IMAGEM ACTUAL, QUE REFLECTE TODA A POSTURA DE MODERNIDADE E DINAMISMO QUE CARACTERIZA O CLUBE. Muito mais apelativo, quer nas imagens quer nos conteúdos, o site proporciona uma navegabilidade melhorada, mais simples e rápida e uma estrutura intuitiva e prática, onde facilmente o utilizador acede à informação pretendida. Uma das novidades estruturais é a possibilidade de pesquisar produtos por regiões, através de um mapa simplificado, a partir do menu em A nossa terra. Outra novidade é a inclusão da área de Padaria e Pastelaria, uma das mais recentes apostas do Clube de Produtores. Com este restyling, o Clube de Produtores afirma uma vez mais a sua preocupação em acompanhar as novas tendências e em inovar em todas as vertentes da sua actividade. 19

20 VANTAGENS PARA O PRODUTOR CONDIÇÕES DE ADMISSÃO riscos e incertezas inerentes à actividade agro-pecuária; feedback recebido do mercado permite orientar a produção para a procura; oficiais; neamento da produção; temáticas das diversas etapas da cadeia de abastecimento; te dos consumidores. PARA O CONSUMIDOR abilidade e origem, assegurada através do acompanhamento de todas as fases de produção, transporte e armazenagem; decorre entre a produção e a distribuição; à normalização das embalagens e dos dados relativos a cada produto. Todos os produtores e/ou associações de produtores podem tornar-se e manter-se membros do Clube, desde que reúnam as seguintes condições: abastecimento; de Fornecimento; grama ou Contrato de Parceria para o fornecimento de produtos em condições comerciais previamente estabelecidas e num prazo definido; das características técnicas dos produtos e dos processos de produção) estabelecidos pelo Clube. DIREITOS DOS ASSOCIADOS além dos expressos nos contratos comerciais e de parceria/programa; Direcção do Clube. DEVERES DOS ASSOCIADOS ras que compõem o universo do Clube de Produtores: Direcção, Associados e Sonae; praticando actos que o prejudiquem ou aos seus associados. Certificado PEFC FICHA TÉCNICA - DIRECÇÃO: CLUBE DE PRODUTORES COORDENAÇÃO: CLUBE DE PRODUTORES IMPRESSÃO: LIDERGRAF CONCEPÇÃO: PLENIMAGEM Este produto tem origem em florestas com gestão florestal sustentável e fontes controladas

COMPANHIA DOS AÇORES NA 4ª EDIÇÃO DO MERCADO DE SABORES

COMPANHIA DOS AÇORES NA 4ª EDIÇÃO DO MERCADO DE SABORES COMPANHIA DOS AÇORES Sabores. Esta iniciativa contará com a presença da Companhia dos Açores, pertencente ao Clube de Produtores Continente, com o objetivo de apoiar a Produção Nacional. Um momento para

Leia mais

XII Feira Gastronómica do Porco

XII Feira Gastronómica do Porco XII Feira Gastronómica do Porco Boticas -, e Janeiro Dossier de Imprensa DOSSIER DE IMPRENSA XII Feira Gastronómica do Porco O PORCO VOLTA A SER REI EM Nos próximos dias, e de Janeiro, Boticas promete

Leia mais

Luís Pinto de Andrade Cláudia Domingues Soares. Inovação no sector agro-alimentar O caso InovCluster

Luís Pinto de Andrade Cláudia Domingues Soares. Inovação no sector agro-alimentar O caso InovCluster Luís Pinto de Andrade Cláudia Domingues Soares Inovação no sector agro-alimentar O caso InovCluster Porto, 25 de Setembro de 2012 Cluster Agro-Industrial do Centro Estratégia de Eficiência Coletiva Regional

Leia mais

ORIGEM OBJECTIVOS: Iniciado em 2004, por um desafio lançado ado pelo Governo Português, para o Campeonato Europeu de Futebol. MISSÃO: Criar e desenvolver, em contínuo, nuo, uma Rede de Estabelecimentos

Leia mais

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis,

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis, VIII Legislatura II Sessão Plenária Horta, 26 de Janeiro de 2005 Grupo Parlamentar do Partido Socialista Deputada Ana Isabel Moniz Assunto: Bolsa de Turismo de Lisboa Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

Pequenas e médias empresas:

Pequenas e médias empresas: Pequenas e médias empresas: Promovendo ligações empresariais efectivas entre as grandes e as pequenas e médias empresas para o desenvolvimento de Moçambique Comunicação de Sua Excelência Armando Emílio

Leia mais

Índice. 1. Alguns factos. Competitividade da fileira hortofrutícola. 1. Alguns factos 2. Os desafios 3. As estratégias 4. Considerações finais

Índice. 1. Alguns factos. Competitividade da fileira hortofrutícola. 1. Alguns factos 2. Os desafios 3. As estratégias 4. Considerações finais Competitividade da fileira hortofrutícola Desafios da fruta qualificada (DOP/IGP) face às tendências de mercado Viseu 7 Novembro de 2007 Gonçalo Lopes COTHN Índice 2. Os desafios 3. As estratégias 4. Considerações

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE

FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE CENÁRIO DE ANTECIPAÇÃO BREVE CARATERIZAÇÃO DIAGNÓSTICO O ANÁLISE INTERNA - PONTOS FORTES O ANÁLISE INTERNA - PONTOS FRACOS O ANÁLISE EXTERNA - OPORTUNIDADES OU OPORTUNIDADES

Leia mais

REGULAMENTO GERAL COMISSÃO ORGANIZADORA PATROCINADOR DE OURO CO-FINANCIAMENTO PATROCINADOR DE PRATA

REGULAMENTO GERAL COMISSÃO ORGANIZADORA PATROCINADOR DE OURO CO-FINANCIAMENTO PATROCINADOR DE PRATA REGULAMENTO GERAL COMISSÃO ORGANIZADORA PATROCINADOR DE OURO CO-FINANCIAMENTO PATROCINADOR DE PRATA PNAM REGULAMENTO GERAL VALORES E NORMAS REGULAMENTARES GERAIS DO 1. ORIGEM, OBJETIVOS E PERIODICIDADE

Leia mais

Capitulo 3. Organização, facturação e rede de contactos da empresa

Capitulo 3. Organização, facturação e rede de contactos da empresa Introdução A empresa que eu vou falar é a Delta Cafés uma empresa especializada na torre e comercialização de café, estando esta implementada no seu ramo à 50 anos e sendo também uma empresa portuguesa

Leia mais

Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar. Ano lectivo 2010/2011

Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar. Ano lectivo 2010/2011 Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar Ano lectivo 2010/2011 Apreciação Geral A aplicação do Regime de Fruta Escolar (RFE) em Portugal tem os seguintes objectivos gerais: Saúde Pública:

Leia mais

Contributo para um Processo Territorial de Proximidade

Contributo para um Processo Territorial de Proximidade Contributo para um Processo Territorial de Proximidade O que é? O PROVE - Promover e Vender é uma metodologia desenvolvida no âmbito da iniciativa comunitária EQUAL que visa a promoção de novas formas

Leia mais

Iniciativa integrada na feira: AGRO I&DT

Iniciativa integrada na feira: AGRO I&DT Iniciativa integrada na feira: AGRO I&DT ORGANIZAÇÃO O espaço AGRO I&DT, integrado na 1ª edição da feira Portugal Agro 2014, consistiu numa iniciativa conjunta da Rede INOVAR e da Direcção Regional de

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO O Programa Nacional de Microcrédito, criado pela Resolução do Conselho de Ministros Nº 16/2010, pretende ser uma medida de estímulo à criação de emprego e ao empreendedorismo entre

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

O ENOTURISMO. Conceito:

O ENOTURISMO. Conceito: Conceito: O conceito de enoturismo ainda está em formação e, a todo o momento, vão surgindo novos contributos; Tradicionalmente, o enoturismo consiste na visita a vinhas, estabelecimentos vinícolas, festivais

Leia mais

Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave

Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave NOTAS INTRODUTÓRIAS - Objetivo do estudo: Definir estratégias de atuação

Leia mais

Data: 2 Fevereiro 2012

Data: 2 Fevereiro 2012 Data: 2 Fevereiro 2012 Assunto: Agrocluster Página: 18 e 19 Assunto: Agrocluster recebe selo Bronze Página: 23 Data: 2 Fevereiro 2012 Data: 1 Março 2012 Assunto: Agrocluster e Inovcluster articulam projetos

Leia mais

Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes.

Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes. Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes. Deolinda Alberto 1, José Pedro Fragoso Almeida 2 1 Professor Adjunto, Escola Superior Agrária de Castelo Branco,

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

Caso de Sucesso Vinho do Porto Taylor s Port. Taylor s Port: Da vinha ao vinho com SAP

Caso de Sucesso Vinho do Porto Taylor s Port. Taylor s Port: Da vinha ao vinho com SAP Taylor s Port: Da vinha ao vinho com SAP The Fladgate Partnership Taylor s Port Sector Produção vinícola Produtos Vinho do Porto Web www.taylor.pt/pt Soluções e serviços SAP SAP Business Suite A Taylor

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

«Concurso Jovem Agricultor Português»

«Concurso Jovem Agricultor Português» «Concurso Jovem Agricultor Português» Como já é tradição, desde há muito, que a Caixa não descura a intenção de apoiar e estimular a economia nacional, assim como outras áreas de interesse, mostrando com

Leia mais

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva Victor Francisco CTCV Responsável Unidade Gestão

Leia mais

PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议

PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议 II GALA PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议 PRAÇA DO COMÉRCIO LISBOA 2015 年 10 月 29 日, 里 斯 本 商 业 广 场, Pátio

Leia mais

«CIÊNCIA NA ESCOLA» REGULAMENTO DO PRÉMIO. 9ª Edição 2010/11

«CIÊNCIA NA ESCOLA» REGULAMENTO DO PRÉMIO. 9ª Edição 2010/11 «CIÊNCIA NA ESCOLA» REGULAMENTO DO PRÉMIO 9ª Edição 2010/11 REGULAMENTO PRÉMIO FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO "CIÊNCIA NA ESCOLA CAPÍTULO 1 Disposições gerais Artigo 1.º 1. A e o Ministério da Educação celebraram

Leia mais

Comercializados. "Produtos portugueses de elevada qualidade, ao melhor preço!"

Comercializados. Produtos portugueses de elevada qualidade, ao melhor preço! Apresentação da Empresa e Produtos Comercializados "Produtos portugueses de elevada qualidade, ao melhor preço!" www.portugaldistinto.pt geral@portugaldistinto.pt Portugal Distinto Ie 1. Empresa Quem Somos!

Leia mais

Fall Newsletter ANSEME

Fall Newsletter ANSEME Newsletter ANSEME VALOR FITO entrega de prémios Lisboa, 6 de Março de 2014 A ANSEME esteve presente na entrega de prémios VALORFITO de 2014. António Lopes Dias, Director Geral do VALORFITO, referiu durante

Leia mais

Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e então, pare. Alice no País das Maravilhas Lewis Carrol

Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e então, pare. Alice no País das Maravilhas Lewis Carrol Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e então, pare. Alice no País das Maravilhas Lewis Carrol O Grupo Grandarte nasceu da fusão de várias empresas com áreas de negócio complementares. Para responder

Leia mais

Plano Regional Anual e Orçamento 2011 Pescas, Portos e Equipamentos. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores deputados

Plano Regional Anual e Orçamento 2011 Pescas, Portos e Equipamentos. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores deputados Plano Regional Anual e Orçamento 2011 Pescas, Portos e Equipamentos Senhor Presidente, Senhoras e Senhores deputados A importância sócio económica e cultural da pesca é uma mais-valia para a Região Autónoma

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

NEWSLETTER ÁGUA DE LUSO LANÇA LUSO DE FRUTA LARANJA

NEWSLETTER ÁGUA DE LUSO LANÇA LUSO DE FRUTA LARANJA 1 ÁGUA DE LUSO LANÇA LUSO DE FRUTA LARANJA A marca Luso de Fruta, da Sociedade da Água de Luso, lança a nova variedade Laranja, que vem juntar-se à gama já existente constituída pelas variedades Limão,

Leia mais

ANEXO I. FICHAS DE CARACTERIZAÇÃO DAS MEDIDAS 3.1. e 3.2. - EIXO 3 DO PRORURAL versão 7

ANEXO I. FICHAS DE CARACTERIZAÇÃO DAS MEDIDAS 3.1. e 3.2. - EIXO 3 DO PRORURAL versão 7 3.1.1. Diversificação de Actividades Não-Agrícolas na Exploração Descrição Apoio a iniciativas empresariais promotoras do saber fazer tradicional Apoio a actividades lúdicas de carácter inovador nas explorações

Leia mais

"Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios"

Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios "Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios" Oferecer o que temos, somos e fazemos como produto turístico Vasco Estrela Presidente da Câmara Municipal de Mação Cultura e Turismo

Leia mais

Com algum detalhe destaca-se e reforça-se algumas considerações, como segue:

Com algum detalhe destaca-se e reforça-se algumas considerações, como segue: A proposta das micro-missões é de grande interesse e dinamizadora da actividade comercial/internacionalização das empresas portuguesas que querem abordar melhor as diferentes regiões espanholas, com destaque

Leia mais

GASTRONOMIA, PATRIMÓNIO CULTURAL

GASTRONOMIA, PATRIMÓNIO CULTURAL GASTRONOMIA, PATRIMÓNIO CULTURAL um ativo da restauração e do turismo nacional [Ciclo de Workshops do Projeto Restaurante do Futuro ] 8 de Março de 2012, Tomar Instituto Politécnico de Tomar CONCLUSÕES

Leia mais

Tecnologia Agrícola e Irrigação

Tecnologia Agrícola e Irrigação Introdução Telecomunicações, agropecuária, softwares e segurança não são os únicos setores da tecnologia israelense que estão marcando presença no panorama internacional nas duas últimas décadas. Os agrônomos

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

PORTUGAL PORTO E NORTE WWW.PORTOENORTE.PT

PORTUGAL PORTO E NORTE WWW.PORTOENORTE.PT PORTUGAL PORTO E NORTE WWW.PORTOENORTE.PT PORTO E NORTE PORTUGAL O Norte é o berço da nacionalidade portuguesa, das tradições autênticas, da justiça e da liberdade, de um povo honrado e leal, amigo do

Leia mais

Regulamento do Concurso Biscoito da Rede

Regulamento do Concurso Biscoito da Rede Regulamento do Concurso Biscoito da Rede A Rede de Castelos e Muralhas do Mondego, criada em fevereiro de 2011, pretende valorizar o património histórico, material e imaterial, subjacente ao território

Leia mais

Programa 5 ao Dia. Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos.

Programa 5 ao Dia. Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos. Programa 5 ao Dia Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos. O que é o Programa 5 ao Dia? Enquadramento Conceito Objectivos e Destinatários Associação 5 ao Dia Desenvolvimento Enquadramento Mudança

Leia mais

Regulamento 2015. 1. Objectivo. 2. Elegibilidade

Regulamento 2015. 1. Objectivo. 2. Elegibilidade Regulamento 2015 1. Objectivo Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola 2015 é um concurso que resulta da conjugação de esforços e vontades do Crédito Agrícola, aqui representado pela Caixa Central

Leia mais

Conclusões Fórum Portugal Sou Eu

Conclusões Fórum Portugal Sou Eu Conclusões Fórum Portugal Sou Eu Ministro da Economia lança desafio aos empresários para que façam do Portugal Sou Eu um catalisador da economia Lanço um apelo aos empresários e produtores aqui presentes,

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

Portugal 2020. Pedro Gomes Nunes. Director Executivo. Lisboa, Fevereiro 2014. www.risa.pt

Portugal 2020. Pedro Gomes Nunes. Director Executivo. Lisboa, Fevereiro 2014. www.risa.pt Pedro Gomes Nunes Director Executivo Lisboa, Fevereiro 2014 RISA - Apresentação ÁREAS DE NEGÓCIO Estudos e Projectos + 20 anos de experiência + 1.500 candidaturas a Fundos Comunitários aprovadas. + 1,6

Leia mais

Soluções CA para a Agricultura, Agro-Indústria Floresta e Mar

Soluções CA para a Agricultura, Agro-Indústria Floresta e Mar Soluções CA para a Agricultura, Agro-Indústria Floresta e Mar Quem somos O Grupo Crédito Agrícola é um Grupo Financeiro de âmbito nacional, integrado por um vasto número de bancos locais Caixas Agrícolas

Leia mais

Escolas de Pentatlo Moderno

Escolas de Pentatlo Moderno Escolas de Pentatlo Moderno ÍNDICE O que é o franchising PENTAKID? 3 Serviços PENTAKID 5 Marketing 6 Recursos Humanos 7 Financiamento 8 Processo de aquisição 9 Ficha técnica 10 Carta de resposta 11 2 O

Leia mais

A inovação e essencial à competitividade

A inovação e essencial à competitividade Crédito A inovação e essencial à competitividade das empresas Financiamento para a inovação e desenvolvimento do sector agrícola, agro-alimentar e florestal sai reforçado no mais recente Quadro Comunitário

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

INOVAÇÃO ABERTA FERRAMENTA DE COMPETITIVIDADE DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

INOVAÇÃO ABERTA FERRAMENTA DE COMPETITIVIDADE DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS FERRAMENTA DE COMPETITIVIDADE DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS FERRAMENTA DE COMPETITIVIDADE DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PRINCIPAIS TENDÊNCIAS Tendências DE INOVAÇÃO de mercado NO SECTOR Agro-alimentar

Leia mais

4 NOVEMBRO DE 2015 A 2 MARÇO DE

4 NOVEMBRO DE 2015 A 2 MARÇO DE MARKETING AGRÍCOLA ESPECIALIZAÇÃO 4 NOVEMBRO DE 2015 A 2 MARÇO DE 2016 14 DIAS 72H 10 MÓDULOS Iniciativa: Formação acreditada por: Media Partners: CONSUMIDOR MERCADO PRODUTO POSICIONAMENTO MARCA PRICING

Leia mais

- INFORMAÇÃO. Agricultura Familiar e Comercialização de Proximidade

- INFORMAÇÃO. Agricultura Familiar e Comercialização de Proximidade APRESENTAÇÃO - INFORMAÇÃO Agricultura Familiar e Comercialização de Proximidade A ATAHCA organiza nos dias 10 e 11 de Outubro em Vila Verde um encontro abordando o tema Agricultura Familiar e Comercialização

Leia mais

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhores representantes das associações

Leia mais

Barreiras à Exportação: Quem Faz o Quê? ALIMENTARIA

Barreiras à Exportação: Quem Faz o Quê? ALIMENTARIA Barreiras à Exportação: Quem Faz o Quê? ALIMENTARIA Lisboa, 29 de Março de 2011 1. A aicep Portugal Global 2. Acompanhamento Integrado 3. Intervenção da aicep A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global

Leia mais

TEMA 1 Contabilidade na Gestão da actividade Agrícola - Contabilidade de Gestão - O Impacto da Contabilidade e Fiscalidade na Agricultura II

TEMA 1 Contabilidade na Gestão da actividade Agrícola - Contabilidade de Gestão - O Impacto da Contabilidade e Fiscalidade na Agricultura II PORTUGAL TEMA 1 Contabilidade na Gestão da actividade Agrícola - Contabilidade de Gestão - O Impacto da Contabilidade e Fiscalidade na Agricultura II Santarém, 5 de Junho de 2012 Plano da Apresentação:

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 A - INTRODUÇÃO O ano de 2013 que agora termina, foi decisivo para a continuidade da Fundação do Desporto. O Governo, através do Sr. Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares,

Leia mais

PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS

PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS VALORIZAÇÃO DOS RECURSOS SILVESTRES DO MEDITERRÂNEO - UMA ESTRATÉGIA PARA AS ÁREAS DE BAIXA DENSIDADE DO SUL DE PORTUGAL CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS

9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS 9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS conceito O futebol, fonte de paixão e emoção, continua a potenciar extremismos

Leia mais

TAVIRA, Comunidade Representativa de Portugal e a Salvaguarda da Dieta Mediterrânica CCDR Algarve, Faro Articular para Intervir 27 de Janeiro de 2016

TAVIRA, Comunidade Representativa de Portugal e a Salvaguarda da Dieta Mediterrânica CCDR Algarve, Faro Articular para Intervir 27 de Janeiro de 2016 TAVIRA, Comunidade Representativa de Portugal e a Salvaguarda da Dieta Mediterrânica CCDR Algarve, Faro Articular para Intervir 27 de Janeiro de 2016 8ª Sessão do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda

Leia mais

PORTUCEL SOPORCEL. INVESTIGAÇÃO NAS ÁREAS DA FLORESTA E DO PAPEL Uma renovação de raiz EMPRESA

PORTUCEL SOPORCEL. INVESTIGAÇÃO NAS ÁREAS DA FLORESTA E DO PAPEL Uma renovação de raiz EMPRESA PORTUCEL SOPORCEL INVESTIGAÇÃO NAS ÁREAS DA FLORESTA E DO PAPEL Uma renovação de raiz EMPRESA Com uma posição de grande relevo no mercado internacional de pasta e papel, o Grupo Portucel Soporcel é uma

Leia mais

Da produção ao consumidor

Da produção ao consumidor Da produção ao consumidor 1 Da produção ao consumidor O Esporão concluiu que o seu modo de produção não estava adequado à visão da empresa: fazer os melhores produtos que a terra proporciona, de forma

Leia mais

2ª EDIÇÃO DO CONCURSO DE DESIGN & CRIATIVIDADE. Prático e Fácil de utilizar REGULAMENTO DO CONCURSO ANO LETIVO 2014-2015

2ª EDIÇÃO DO CONCURSO DE DESIGN & CRIATIVIDADE. Prático e Fácil de utilizar REGULAMENTO DO CONCURSO ANO LETIVO 2014-2015 2ª EDIÇÃO DO CONCURSO DE DESIGN & CRIATIVIDADE Prático e Fácil de utilizar REGULAMENTO DO CONCURSO ANO LETIVO 2014-2015 Verallia Breve Apresentação A Verallia é uma marca que reúne as atividades de embalagem

Leia mais

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO A noção de Empreendedorismo, como uma competência transversal fundamental para o desenvolvimento humano, social e económico, tem vindo a ser reconhecida

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS PRINCIPIOS GERAIS I. OS FUNDAMENTOS DO ENOTOURISMO 1. Por enotourismo queremos dizer que são todas as actividades e recursos turísticos, de lazer e de tempos livres, relacionados com as culturas, materiais

Leia mais

O REGIME DA FRUTA ESCOLAR EM PORTUGAL Uma Estratégia Europeia de promoção do consumo de frutos e Hortícolas

O REGIME DA FRUTA ESCOLAR EM PORTUGAL Uma Estratégia Europeia de promoção do consumo de frutos e Hortícolas O REGIME DA FRUTA ESCOLAR EM PORTUGAL Uma Estratégia Europeia de promoção do consumo de frutos e Hortícolas De forma simples, o que é o RFE? Meio de distribuição gratuita de hortofrutícolas a todos os

Leia mais

INSTALAÇÃO DE JOVENS AGRICULTORES. Prémio à Primeira Instalação

INSTALAÇÃO DE JOVENS AGRICULTORES. Prémio à Primeira Instalação Prémio à Primeira Instalação Destina-se a apoiar a primeira instalação do jovem agricultor através da atribuição de um prémio Objectivos. Renovar e rejuvenescer o sector agrícola. Promover a instalação

Leia mais

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR Prioridades Estratégicas Indústria Portuguesa Agro-Alimentar Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares XI LEGISLATURA 2009-2013 XVIII

Leia mais

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto As Jornadas de Educação Pelo Desporto alinham-se com os objetivos gerais do Diálogo Estruturado na área da juventude, uma vez que

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 Versão Preliminar Este relatório tem por objectivo da conta do que de mais relevante foi realizado no cumprimento

Leia mais

Índice. Pág *09 Como participar. Pág *10 Calendário. Pág *11 Os resultados. Pág *12 Júri. Pág *13 Regulamento

Índice. Pág *09 Como participar. Pág *10 Calendário. Pág *11 Os resultados. Pág *12 Júri. Pág *13 Regulamento Índice Pág *09 Como participar Pág *10 Calendário Pág *11 Os resultados Pág *12 Júri Pág *13 Regulamento Pág *01 Introdução Pág *02 Um programa alargado de intervenção Pág *05 Viver de Consciência Leve

Leia mais

Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa.

Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa. Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa. 17 de Março de 2011, Salão Nobre da Reitoria da Universidade dos Açores Magnífico

Leia mais

PRESENÇA DO PROJECTO FEIRA INTERNACIONAL DA AGRICULTURA DE NOVI SAD

PRESENÇA DO PROJECTO FEIRA INTERNACIONAL DA AGRICULTURA DE NOVI SAD PRESENÇA DO PROJECTO NA FEIRA INTERNACIONAL DA AGRICULTURA DE NOVI SAD 1 A FEIRA * Data: 14 a 22 de Maio de 2011 * Local: Novi Sad Fair SRB 21000 Novi Sad, Hajduk Veljkova 11 * Horário de Funcionamento:

Leia mais

Estudo de caso relativo ao projecto

Estudo de caso relativo ao projecto Comissão Europeia Estudo de caso relativo ao projecto Comercialização de novos produtos à base de percebes FLAG: Ria de Vigo A Guarda Galiza, Espanha Apresentação do projecto Na Galiza os percebes são

Leia mais

N. de Horas. 1 Agricultura Biológica Agricultura Biológica 144 Média Duração Formação Sem Legislação de Suporte

N. de Horas. 1 Agricultura Biológica Agricultura Biológica 144 Média Duração Formação Sem Legislação de Suporte Anexo II - Técnicos. Correspondência dos Cursos realizados no Entre Douro e Minho, entre 94 e 03, por área temática, tema do curso, duração, 1 Agricultura Biológica Agricultura Biológica 144 Média Duração

Leia mais

região região açores região açores região açores região açores açores açores açores açores 01 adeliaçor 02 arde 03 asdepr 04 grater minha terra 55

região região açores região açores região açores região açores açores açores açores açores 01 adeliaçor 02 arde 03 asdepr 04 grater minha terra 55 minha terra 0 adeliaçor 0 arde 0 asdepr 04 grater 04 0 0 0 adeliaçor são jorge, pico, faial, flores e corvo www.adeliacor.org Faial Soja Herberto Soares Produtos de Soja, Sociedade Unipessoal, Lda. Freguesia

Leia mais

Regulamento do Green Project Awards

Regulamento do Green Project Awards Regulamento do Green Project Awards A GCI em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Quercus Associação Nacional de Conservação da Natureza, institui um Prémio de reconhecimento de boas práticas

Leia mais

Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária

Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária Patrícia Garcia Diretora Recursos Humanos e Qualidade Agridistribuição, S.A. Semana da

Leia mais

CERIMÓNIA DE ENTRONIZAÇÃO NA CONFRARIA DO LEITE

CERIMÓNIA DE ENTRONIZAÇÃO NA CONFRARIA DO LEITE CERIMÓNIA DE ENTRONIZAÇÃO NA CONFRARIA DO LEITE Arrifes, 22 de novembro de 2013 Transcrição das declarações do Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro Foi, naturalmente, com muita honra

Leia mais

O contributo do Cluster Habitat Sustentável

O contributo do Cluster Habitat Sustentável O contributo do Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma para a Construção Sustentável Seminário Construção Sustentável CONCRETA 2011 20/10/2011 Visão e Missão O Cluster Habitat? agregador

Leia mais

PLANO DE FEIRAS E MISSÕES EMPRESARIAIS 2015

PLANO DE FEIRAS E MISSÕES EMPRESARIAIS 2015 2015 1. INTRODUÇÃO O acesso a novos mercados e o aumento da base económica de exportação são determinantes para o reforço da competitividade do tecido empresarial dos Açores. Atividades de apoio às empresas

Leia mais

Protocolo de Colaboração Rede Embaixadores para a Responsabilidade Social das Empresas dos Açores

Protocolo de Colaboração Rede Embaixadores para a Responsabilidade Social das Empresas dos Açores Protocolo de Colaboração Rede Embaixadores para a Responsabilidade Social das Empresas dos Açores Introdução Considerando que nos Açores, são já muitas as empresas e organizações que assumem convictamente

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA 2015-16

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA 2015-16 O PGL foi desenhado para profissionais, com mais de 5 anos de experiência, dinâmicos, com grande capacidade de trabalho e ambição de aceder a novas responsabilidades. PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA

Leia mais

Apoio à Internacionalização

Apoio à Internacionalização Apoio à Internacionalização Incentivos QREN Castelo Branco, 4 de outubro 2012 YUNIT Corporate: João Esmeraldo QREN - Sistema Incentivos Empresas I&DT - Investigação e Desenvolvimento Qualificação - Investimentos

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M.

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Blend Point é uma empresa que engloba algumas marcas das quais, para este projecto, se destacam a CorkWay Store e a Gods From

Leia mais

O Desenvolvimento Rural na Região. Carlos Pedro Trindade

O Desenvolvimento Rural na Região. Carlos Pedro Trindade O Desenvolvimento Rural na Região de Lisboa e Vale do Tejo Carlos Pedro Trindade O Desenvolvimento Rural na Região de Lisboa e Vale do Tejo 1. A Agricultura da região de LVT 2. O apoio ao Sector Agrícola

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTO DOS INCENTIVOS DIRECTOS CONCEDIDOS PELO ESTADO AOS ORGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGIONAL E LOCAL

ESTUDO DE IMPACTO DOS INCENTIVOS DIRECTOS CONCEDIDOS PELO ESTADO AOS ORGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGIONAL E LOCAL ESTUDO DE IMPACTO DOS INCENTIVOS DIRECTOS CONCEDIDOS PELO ESTADO AOS ORGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGIONAL E LOCAL Paulo Faustino, PhD Arons de Carvalho, PhD Estratégia Metodológica Global Forças políticas,

Leia mais

OS PREÇOS MAIS BAIXOS CHEGARAM A S. MARCOS. ABERTURA

OS PREÇOS MAIS BAIXOS CHEGARAM A S. MARCOS. ABERTURA OS PREÇOS MAIS BAIXOS CHEGARAM A S. MARCOS. ABERTURA CARTÃO CONTINENTE Todos os dias tantas vantagens! ADIRA JÁ! É MUITO SIMPLES. PREENCHA O CUPÃO DE ADESÃO DISPONÍVEL NA SUA LOJA Descontos exclusivos

Leia mais

Feira Internacional de tecnologia e negócios. 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS

Feira Internacional de tecnologia e negócios. 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS EXPODIRETO 2012 Feira Internacional de tecnologia e negócios 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS EXPODIRETO 2012 Feira Internacional de tecnologia e negócios Você é nosso convidado para participar

Leia mais

(Minho Laboratório de Inovação e Desenvolvimento)

(Minho Laboratório de Inovação e Desenvolvimento) Barcelos Braga Famalicão Guimarãe SESSÃO PÚBLIICA DE APRESENTAÇÃO MEMORANDO TÉCNIICO PLLANO DE DESENVOLLVI IMENTTO DA REGIÃO DO MINHO IDENTTI I IFFI ICAÇÃO DE UM MOTTOR DE DESENVOLLVI IMENTTO Janeiro de

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À

SISTEMA DE INCENTIVOS À SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISOS PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS INOVAÇÃO PRODUTIVA EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direcção de Investimento PRIORIDADE

Leia mais

Dinâmicas de exportação e de internacionalização

Dinâmicas de exportação e de internacionalização Dinâmicas de exportação e de internacionalização das PME Contribuição da DPIF/ Como fazemos? 1. Posicionamento e actuação da DPIF A DPIF tem como Missão: Facilitar o acesso a financiamento pelas PME e

Leia mais