Inquérito a Turistas Novembro de Com o apoio de:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inquérito a Turistas Novembro de 2014. Com o apoio de:"

Transcrição

1 Inquérito a Turistas Novembro de 2014 Com o apoio de: 1

2 Índice 1 Síntese 4 2 Principais resultados 8 3 Ficha técnica 29 2

3 Contextualização do Projecto O grupo Controlinveste pretendeu realizar um estudo de mercado junto de Turistas que visitaram Portugal no período de Verão, tendo contactado a Intercampus para o efeito. 3

4 2 Síntese 4

5 Síntese 1 Os principais impulsionadores das férias feitas em Portugal pelos Turistas que nos visitaram neste Verão foram a Recomendação de familiares/ amigos (30%) e a Internet (25%). 2 78% dos turistas que nos visitaram não ponderaram outras alternativas de destino de férias. 22% dos turistas ponderaram outro país como destino de férias, sendo Espanha (39%) e Itália (19%) os países mais referidos. A decisão final da escolha de Portugal foi condicionada essencialmente pelo factor Clima/Paisagem (47%), logo seguido pela Sugestão de familiares/amigos (35%). 56% dos turistas que nos visitaram, já tinha visitado Portugal anteriormente. 3 A maioria viajou acompanhado com outros adultos (76%) e passou em média 9 noites no nosso país. Na sua grande maioria, os turistas ficaram hospedados na mesma localidade (80%), optando por ficarem alojados num Hotel/ Aparthotel/ Pousada (60%). 5

6 Síntese 4 Globalmente, o nível de satisfação dos turistas com as suas férias em Portugal é muito elevado, com 86% de Muito satisfeitos (8+9+10). 43% considera que as férias superaram as suas expectativas e 89% revela intenção de voltar a Portugal nos próximos 3 anos. Analisando por mercado, os turistas provenientes do Brasil são os mais entusiastas nas avaliações, registando níveis de satisfação e de cumprimento das expectativas superiores à média dos restantes mercados. 5 A Oferta Natural e Cultural, através das Paisagens e da Gastronomia e Vinhos, e a Hospitalidade com a Simpatia da População local, representam os pontos fortes de Portugal, na medida em que são considerados os touch points com melhor performance simultaneamente ao nível da satisfação e do cumprimento face às expectativas. Todos os atributos avaliados no âmbito dos Serviços Gerais, à excepção da Segurança, deverão ser considerados aspetos a melhorar. Dimensões como Aeroporto, Rent-a-car e Informação turística ficaram igualmente aquém das expectativas dos turistas. 6 Portugal é descrito pelos turistas, antes e após a sua viagem, como um país com bom clima, boa gastronomia; boas praias e hospitaleiro. 6

7 Síntese Resumo dos principais indicadores Impulsionadores das férias em Portugal: Recomendação de familiares ou amigos (30%); Internet (25%) 22% ponderou outro país como destino de férias, dos quais 39% considerou Espanha como opção Critérios de escolha de Portugal: Clima/ paisagem (47%); Sugestão de familiares/amigos (35%) 56% não é a primeira vez que visita Portugal 76% viaja acompanhado com outros adultos 60% fica alojado em Hotel/ Aparthotel/ Pousada 9 é o número médio de noites que passam em Portugal 80% fica sempre hospedado na mesma localidade (estacionários) Pontos fortes: Paisagens; Praias; Gastronomia e Vinhos; Simpatia da população local Satisfação global: 86% ficaram Muito Satisfeitos com as férias de uma forma global Correspondência com as expectativas: 43% considera que ficou acima das expectativas Probabilidade de regressar a Portugal: 89% provavelmente/de certeza irá voltar Palavras que descrevem Portugal: Clima/ Bom tempo; Boa comida/ Gastronomia; Boas praias; Hospitalidade/ Acolhedor 7

8 3 Principais Resultados 8

9 Quem são os turistas que nos visitam? Dos turistas que nos visitaram no verão, 53% são do sexo feminino e 47% do sexo masculino, com maior expressão nas faixas etárias dos anos e 55+ anos, sendo que a grande maioria (67%) dos turistas que nos visitam possui o curso universitário. Contrariamente aos restantes mercados em estudo, os turistas provenientes da Escandinávia são maioritariamente homens (59% vs. 41% de mulheres). Os turistas Espanhóis, Escandinavos e Brasileiros são predominantemente de faixas etárias mais elevadas, anos nos Espanhóis e 55 e mais anos no caso dos Escandinavos e Brasileiros. Em termos evolutivos, tem-se vindo a observar um acréscimo no número de mulheres que nos visitam, de turistas acima dos 55 anos e com habilitação superior. SEXO IDADE INSTRUÇÃO 67% 47% 53% 9% 26% 18% 20% 27% 19% 13% 59% 30% 41% Masculino Feminino Até 24 anos anos anos anos 55 + anos Até 12º ano Completo Curso médio/ Comercial Curso Universitário 9

10 Na fase de planeamento, como surge a ideia de considerar Portugal? Portugal surge no mind-set dos turistas, ainda na fase de planeamento das suas férias, através da recomendação de familiares e amigos (30%) e da pesquisa de informação através da internet (25%). Numa análise aos países, Portugal surge como hipótese a considerar, para os Espanhóis essencialmente através da pesquisa na Internet (35%) e para os Brasileiros sobretudo por recomendação de familiares e amigos (48%). Os factores impulsionadores das férias em Portugal, não tem sofrido grandes alterações, sendo estes os dois grandes factores apontados ao longo dos anos. Contudo, e podendo ser explicado pelo forte incremento de utilização das novas tecnologias, tem-se vindo a observar um ligeiro acréscimo na pesquisa de informação através da internet e um decréscimo significativo no número de turistas a referir a influência de familiares e amigos. 36% 30% 25% 22% 48% 35% 18% 14% 6% 10% 3% 4% 1% 2% 1% 2% 2% 2% % 8% Familiares, colegas ou amigos recomendaram Viu informação na Internet Já tinha estado em Portugal de férias e gostou Viu informação na agência de viagens Visitou Portugal em trabalho e quis voltar para férias Leu um artigo na imprensa (revistas, jornais, etc.) Viu na televisão (notícias, filmes, documentários, etc.) Viu publicidade Outros motivos (não especificados) 10

11 Na fase de planeamento, foi ponderado outro país? Com efeito, antes de considerarem Portugal como destino de férias, 22% dos turistas ponderou fazer férias num outro país, sendo Espanha a opção mais referida (39%). No entanto, cerca de 1/3 dos inquiridos acabou por se decidir por Portugal por ser mais vantajoso a nível de preços e a um segundo nível por curiosidade e vontade em conhecer o nosso país (16%). Os turistas provenientes da Holanda, Alemanha e Escandinávia são aqueles que revelam uma maior tendência em considerar outras opções de destinos turísticos, antes de tomarem a decisão final de visitar Portugal. Face a 2013, de uma forma global verifica-se uma diminuição do número de pessoas que ponderaram outros países antes de se decidirem por Portugal, sendo a Holanda e a Escandinávia os únicos mercados a registar uma ligeira subida neste indicador % 22% 31% 29% 25% 25% 20% 19% 28% 31% 27% 19% 26% 22% 21% 21% Total Alemanha Espanha França Holanda Reino Unido Escandinávia Brasil 11

12 Quais os critérios que mais pesaram na escolha de Portugal? Na decisão final da escolha de Portugal como destino de férias pesou, essencialmente, o Clima e a Paisagem do nosso país (47%), logo seguida pela Sugestão de familiares e amigos (35%). Também a forma hospitaleira e acolhedora reconhecida ao país (27%) e os custos com a viagem/estadia (22%) condicionaram, ainda que a menor nível, a decisão da escolha de Portugal. Analisando pelos países de origem, o clima/paisagem foi sobretudo valorizado pelos turistas provenientes da Alemanha (67%), enquanto que a Sugestão de familiares e amigos pesou essencialmente para os Brasileiros (58%). Comparativamente a 2013, apesar de se manterem no top 4 dos critérios de decisão, pode-se observar um acréscimo em todos, sobretudo no que diz respeito a Clima/ Paisagem e ao facto do nosso país ser percepcionado como um país Hospitaleiro e acolhedor. 42% 47% 35% 33% % 21% 22% 18% 16% 15% 12% 12% 67% 58% 43% 12% 10% 10% 8% 9% 8% 6% 6% 7% 4% 4% 2% Clima/ Paisagem Sugestão de familiares/ amigos Hospitaleiro/ Acolhedor Preço da viagem/ estadia Costuma fazer férias em Portugal Proximidade do destino Segurança do país Atracções/ Entretenimento/ Eventos A informação nas redes sociais/ Internet As infraestruturas A recomendação de um operador, agente de viagem ou companhia aérea Um artigo de imprensa, rádio ou da televisão 12

13 Os turistas já tinham visitado Portugal anteriormente? A maioria dos turistas, que nos visitaram no verão de 2014, afirma já ter visitado Portugal anteriormente. Com efeito, para 56% dos turistas esta não é a primeira visita a Portugal, enquanto que os restantes 44% chega a Portugal para a sua primeira visita ao nosso país. Invertendo a tendência observada ao longo dos últimos anos, e pela primeira vez, o número de turistas que já tinham visitado Portugal antes desta viagem (Repeaters) é superior ao número de turistas que nos visitam pela primeira vez (Newcomers). Analisando por perfil, estes dois tipos de turistas destacam-se essencialmente por Newcomers: mulheres, de faixas etárias mais baixas, sendo França o único país que se destaca neste perfil de turista. Repeaters: homens, de faixas etárias mais elevadas e provenientes do Reino Unido. 51% 49% 53% 47% 57% 43% 52% 48% 44% 56% É a 1ª vez que vem a Portugal (Newcomers) Não é a 1ª vez que vem a Portugal (Repeaters) 13

14 Os turistas visitam-nos sozinhos ou acompanhados? Os turistas que nos visitaram no período de verão de 2014, vieram essencialmente acompanhados por outros adultos (76%). No entanto, 13% viajaram sozinhos e 11% vieram em família acompanhado por crianças. Não se verificam diferenças significativas entre os países de origem, excepto no caso dos turistas provenientes do Reino Unido, na medida em que são de todos aqueles que menos viajam sozinhos (8%). Por se encontrarem em etapas de vida distintas, é ao nível das faixas etárias que se verificam as maiores diferenças os mais jovens, até aos 34 anos: viajam menos em família com crianças dos 35 aos 54 anos: são os que mais viajam com crianças com 55 e mais anos: viajam essencialmente acompanhados por adultos. Também em termos evolutivos, não existem diferenças assinaláveis. Apenas se regista uma descida, ainda que pouco significativa, no número de turistas que viajam sozinhos, em detrimento daqueles que nos visitam acompanhados, quer seja por adultos ou por crianças % 76% 16% 13% 9% 11% Sozinho Só adultos Familias com crianças 14

15 Qual o tipo de alojamento escolhido? A maioria dos turistas optou por ficar hospedada num Hotel, Aparthotel ou Pousada (60%). Como segunda opção, surgem os Apartamentos/ Moradias alugadas e a Casa de familiares/ amigos com 17% e 11% respectivamente. Todos os restantes tipos de alojamento não são expressivos, fazendo parte da escolha de um número reduzido de turistas. A opção por ficar alojado num Hotel, Aparthotel ou Pousada é transversal a todos os turistas, independentemente do país de origem. Ainda que não seja de forma significativa, os Espanhóis e os Brasileiros são os que mais escolhem esta tipologia, em detrimento dos Apartamentos e Moradias alugadas, para os quais apresentam valores significativamente abaixo dos restantes mercados. A escolha de Hotéis/ Aparthotéis e Pousadas é tanto maior quanto maior é a idade do turista que nos visita, sendo esta tipologia a escolha para 47% dos turistas até aos 24 anos e chegando aos 69% no caso dos turistas com 55 e mais anos. A opção por Apartamentos e Moradias alugadas, com 17% no total de turistas, aumenta para 25% no caso dos turistas que viajam com crianças, muito provavelmente por questões de carácter logístico inerentes a este target. As Casas de familiares e amigos, fazendo parte da escolha para 11% do total de turistas, aumenta para 25% nos jovens até aos 24 anos e para 28% no caso dos turistas que viajam sozinhos. Comparativamente com 2013, observa-se um acréscimo na escolha dos Hotéis/ Aparthotéis/ Pousadas e de Apartamentos/ Moradias alugadas e um decréscimo no número de turistas que ficam alojados em Casa de familiares e amigos. 52% 60% % 17% 19% 11% 2% 2% 6% 8% 3% 2% 1% 7% Hotel ApartHotel Pousada Apartamentos Moradias alugadas Casa de Familiares Amigos Turismo Habitação Turismo Rural Campismo Caravanismo Casa Própria Outro 15

16 Quantas noites ficam os turistas em Portugal? Os turistas que nos visitaram no período do verão de 2014, passaram em média 9 noites em Portugal. Os Espanhóis, com uma média de 7 noites em Portugal, são os turistas com uma maior percentagem de estadias de curta duração, podendo este resultado ser explicado pela proximidade do país. Em contrapartida, os Brasileiros com uma média de 14 noites em Portugal, são os turistas que mais noites passaram no nosso país. À excepção de 2013, em que se verificou um aumento significativo no número de noites passadas em Portugal, esta média vem confirmar a tendência decrescente 10 relativa ao número médio de noites que os turistas ficam no nosso país. 140% 120% 10,4 9,7 9,5 11,6 9,0 12,0 10,0 100% 80% 60% 40% 20% 0% 13% 12% 12% 9% 20% 8% 12% 11% 21% 5% 13% 28% 26% 23% 22% 34% 27% 22% 21% 24% 16% 20% 20% 24% 21% 4% 5% 8% 5% 11% ,0 6,0 4,0 2,0 0,0 Mais de 14 noites 14 noites 8 a 13 noites 7 noites 4 a 6 noites Menos de 4 noites Nº médio de noites 16

17 Quais as regiões/localidades mais visitadas? Globalmente, as regiões de Portugal mais visitadas pelos turistas no verão de 2014, foram Lisboa (45%), Algarve (40%) e o Porto (21%). Analisando por países, os Espanhóis e Brasileiros são os turistas que mais visitam Lisboa, sendo o Algarve tendencialmente mais visitado por Alemães, Ingleses e Escandinavos, enquanto a região do Porto é escolha predominante dos turistas provenientes do Brasil e Espanha. Em termos evolutivos, estas regiões têm-se mantido no top 3 das regiões mais visitadas. A quebra mais acentuada neste período, encontra-se nos valores obtidos pela região Centro de Portugal e por Sintra, que perdem o maior número de visitantes face a 2013, confirmando a tendência decrescente dos últimos anos. 48% 45% 42% 40% % 20% 21% 71% 50% 68% 49% 50% 30% 14% 10% 15% 14% 10% 8% 8% 6% 5% 6% 5% 3% 4% 4% 4% 3% 1% 0% Lisboa Algarve Porto Estoril/ Cascais Norte de Portugal Sintra Centro de Portugal Madeira Alentejo Coimbra Braga Nazaré 17

18 Os turistas optam por ficar hospedados na mesma localidade ou preferem ir ficando em localidades diferentes? A esmagadora maioria (80%) dos turistas optou por ficar hospedado na mesma localidade durante a sua visita a Portugal. Este tipo de visitantes escolhe preferencialmente o Algarve (41%) e Lisboa (30%) como localidades estacionárias. Em contrapartida, os restantes 20% preferem viajar em circuito, ou seja ir ficando alojado em algumas das diferentes localidades que vão visitando ao longo da sua viagem, de acordo com o itinerário estabelecido. Lisboa (73%) e Porto (52%) são as localidades mais escolhidas por este tipo de turistas para ficarem alojados. São sobretudo os turistas provenientes da Holanda e Escandinávia que mais optam por ficar estacionários na mesma localidade, enquanto Alemães e Brasileiros preferem viajar em circuito, ficando alojados em diferentes localidades. Face aos verões anteriores, verifica-se um acréscimo significativo no número de turistas estacionários. Quais as localidades mais escolhidas por estes dois tipos de turistas para ficarem alojados? 74% 80% Turistas estacionários Turistas em circuito PORTO 7% PORTO 52% 26% 21% 88% 31% 34% LISBOA 30% LISBOA 73% Estacionário (sempre na mesma localidade) Circuito (localidades diferentes) ALGARVE 41% ALGARVE 27% 18

19 Quais os pontos de contacto mais utilizados pelos turistas? Durante a sua estadia em Portugal, os turistas referem ter tido contacto sobretudo com Infra-estruturas turísticas, tais como o Aeroporto, Restaurantes e Alojamento Hospitalidade, quer através da simpatia da população local como da fluência em idiomas estrangeiros Oferta natural e cultural, tais como Gastronomia e vinhos e Paisagens Atendimento dos Profissionais, quer ao nível de profissionalismo como de simpatia Em contrapartida, os pontos de contacto menos utilizados, com menos de metade dos turistas a utilizá-los foram Actividades turísticas, como actividades de bem-estar, desportivas, na natureza e culturais Rent-a-car Serviços de saúde 19

20 Quais os pontos de contacto que mais agradaram aos turistas? De uma forma global, os turistas ficaram satisfeitos com a grande maioria dos pontos de contacto utilizados durante as suas férias. A Oferta Natural e Cultural, com as Paisagens, as Praias e a Gastronomia e Vinhos e ainda a Simpatia da população local são os touch points com a melhor performance, por registarem os níveis de satisfação mais elevados e em simultâneo por serem aqueles que mais superaram as expectativas dos turistas que nos visitaram. Todos obtêm um nível de satisfação superior a 80% (turistas que referem ter ficado Muito satisfeitos, i.e. que indicam os três valores mais elevados da escala de satisfação) e ainda para cerca de 50% dos turistas estes pontos de contactos ficaram acima das suas expectativas. Em termos evolutivos, observa-se em 2014 uma menor satisfação dos turistas com os vários pontos de contacto, excepto nas Actividades desportivas, única dimensão a registar uma melhoria face a No entanto, é de salientar, que ainda assim, na sua maioria os níveis de satisfação são bastante elevados. 20

21 Quais os pontos de contacto com margem para melhoria? As Infraestruturas e informação turística (essencialmente com o Rent-a-car e o Aeroporto) e ainda os Serviços Gerais (sobretudo ao nível de serviços de saúde, acessibilidades para pessoas com limitações físicas e preservação ambiental), são os pontos menos bem posicionados. Com um grau de satisfação e de cumprimento das expectativas menos elevados, devem por esta razão ser potencialmente considerados como prioritários em termos de melhoria. Convém, no entanto, ter em consideração a baixa percentagem de utilização destes pontos de contacto, principalmente no que diz respeito aos serviços de saúde. 21

22 Qual o balanço final que os turistas fazem das suas férias? Globalmente, o nível de satisfação dos turistas com as suas férias é muito elevado, com 86% de turistas Muito satisfeitos. Este nível de satisfação é generalizado, independentemente do sexo, idade e país de proveniência dos turistas que nos visitam. Contudo, os Brasileiros são aqueles que demonstram uma maior satisfação, com quase a totalidade (97%) dos turistas desta nacionalidade a atribuírem avaliações máximas. Comparando com os períodos homólogos anteriores, observa-se uma descida neste indicador. Ainda que não seja possível confirmar através dos resultados do estudo, esta descida poderá estar associada às menos boas condições climatéricas verificadas este verão, e ainda ao facto da percentagem de pessoas que nos visitam pela primeira vez ter descido, reduzindo um pouco o factor surpresa inerente a este tipo de turistas newcomers. 100% 50% 0% 8,60 8,50 8,51 8,82 8,54 91% 87% 89% 92% 86% 97% ,00 8,00 6,00 Muito satisfeitos (%10+9+8) 4,00 Avaliação média 2,00 0,00 Apesar dos níveis de satisfação terem descido, não se registam diferenças assinaláveis face ao cumprimento das expectativas. De facto, os turistas continuam a considerar que as suas expectativas foram cumpridas (55%) ou mesmo superadas (43%). Analisando por perfil de turista, são os turistas mais jovens, até aos 24 anos, e os turistas provenientes do Brasil aqueles que mais referem que as férias em Portugal excederam as suas expectativas. 100% 50% 0% 44% 36% 34% 42% 43% 55% 59% 65% 55% 55% 1% 5% 2% 3% 1% Acima das expectativas Corresponderam às expectativas Ficaram abaixo das expectativas 22

23 Qual a probabilidade de voltarem a Portugal nos próximos 3 anos? A esmagadora maioria dos turistas revela intenção de voltar a Portugal nos próximos 3 anos. De facto, dos 89% de turistas que pondera regressar, 57% refere mesmo que voltará de certeza a Portugal num futuro próximo. A elevada intenção de regressar a Portugal é transversal a todos os perfis de turistas, no entanto destaca-se significativamente sobretudo junto dos homens (93%), turistas com idades compreendidas entre os anos (96%) e provenientes do Reino Unido (94%). Em termos evolutivos, e apesar de se verificar um decréscimo, face ao verão passado, o número de turistas que pondera regressar de certeza é bastante melhor avaliado do que em 2011/2012 e encontra-se alinhado com % 120% 3,47 3,28 3,27 3,54 3,45 4,00 3,50 100% 3,00 80% 60% 40% 20% 0% 54% 42% 42% 64% 57% 44% 43% 39% 27% 32% 6% 13% 15% 9% 11% ,50 2,00 1,50 1,00 0,50 Média 0,00 [4] De certeza voltarei [3] Provavelmente voltarei [2+1] Provavelmente/ De certeza não voltarei 23

24 A percepção inicial que os turistas têm de Portugal é confirmada após a sua viagem? Antes da visita, Portugal é percepcionado essencialmente como um país com bom clima, boas praias, hospitaleiro e com boa gastronomia. Analisando por países, antes da viagem, Portugal é descrito como um país com bom clima sobretudo pelos escandinavos, franceses e ingleses com boa gastronomia e boas praias principalmente pelos escandinavos hospitaleiro essencialmente pelos espanhóis e brasileiros Após a viagem, e confirmando a percepção antes das férias, Portugal continua a ser descrito como um país com as mesmas características: bom clima, boa gastronomia, boas praias e hospitaleiro. No entanto, face à percepção inicial, observa-se uma diminuição no número de turistas que consideram que Portugal tem um bom clima e boas praias e um acréscimo muito expressivo de turistas que vêm Portugal como um país simpático e maravilhoso. Analisando por países, após a viagem, Portugal é descrito como um país com bom clima sobretudo pelos e ingleses com boa gastronomia principalmente pelos escandinavos e espanhóis com boas praias sobretudo pelos escandinavos hospitaleiro essencialmente pelos brasileiros 47% 40% Antes da viagem Após a viagem 59% 59% 20% 25% 21% 19% 21% 19% 18% 31% 37% 16% 12% 11% 11% 9% 11% 55% 48% 59% 32% 32% Clima / Bom tempo com calor e muito sol Boa comida / Gastronomia 1% 31% 34% 31% 14% Boas praias Hospitalidade / Acolhedor País simpático / Maravilhoso Beleza do país Calmo e tranquilo Bons locais de diversão 24

25 O que os turistas gostariam de ver melhorado em Portugal? Dos 89% de turistas que ponderam regressar a Portugal nos próximos 3 anos, 38% considera não haver aspectos a melhorar no nosso país. Os inquiridos que gostariam de encontrar melhorias referem como aspectos prioritários melhores estradas e sinalização (8%) menos poluição, mais limpeza (7%) maior conservação dos edifícios (5%) melhores transportes públicos (4%) mais infra-estruturas em locais públicos (4%) melhores condições no aeroporto (4%) mais informações em inglês/ francês (4%) redução de preços (3%) melhorar o atendimento em restaurantes e lojas (3%) Numa análise por países, os brasileiros gostariam de ver melhoradas essencialmente as condições no aeroporto (18%) e os franceses referem acima de tudo aspectos relacionados com a disponibilização de mais informações em inglês/ francês (10%). Em termos evolutivos, as únicas diferenças a assinalar são o acréscimo significativo de turistas que considera não haver nada a melhorar e ainda que gostariam de ver melhorias ao nível de estradas e sinalização. 30% 38% % 10% 3% 8% 7% 7% 2% 6% 7% 5% 4% 3% 4% 4% 3% 4% 3% 1% 2% 3% Nada/ Está tudo bem Melhores estradas e sinalização Menos poluído, mais limpo Maior conservação dos edifícios Melhores transportes públicos Mais infraestruturas em locais turísticos Melhorar condições no aeroporto Mais informações e em inglês/ francês Baixar os preços Melhorar o atendimento em restaurantes / lojas 25

26 Quais as principais motivações das viagens realizadas nos últimos 3 anos pelos turistas que nos visitam? As principais motivações associadas às viagens realizadas nos últimos 3 anos pelos turistas que nos visitam, e independentemente do país escolhido, estão sobretudo relacionadas com a praia (50%), city breaks (40%), visitas a museus e património histórico (39%) e passeios na natureza (32%). O peso da escolha do destino Portugal no total de turistas que efectuou este tipo de viagens, destaca-se essencialmente em viagens de gastronomia e vinho (85%), praia (80%) e museus e património histórico (79%) O nível de satisfação global com estas viagens em Portugal é bastante elevado, sobretudo no que diz respeito à prática de surf (87%), viagens de praia (81%), eventos festivos (78%), city breaks (78%) e gastronomia e vinhos (76%). Acima das expectativas dos turistas que realizaram este tipo de viagens em Portugal, ficaram sobretudo as viagens relacionadas com a prática de surf (68%), gastronomia e vinhos (44%) e património histórico (43%). Comparando a oferta de Portugal com a de outros países, são as viagens de gastronomia e vinhos (68%) e de praia (63%) que mais se destacam pela positiva. NOS ÚLTIMOS 3 ANOS REALIZOU VIAGENS DE/ PARA? 26

27 Quem são os turistas que realizam este tipo de viagens motivacionais? Do total de turistas que realizaram este tipo de viagens nos últimos três anos, independentemente do país escolhido, destacam-se essencialmente os seguintes perfis Praia: 25/34 anos (60%), Escandinavos (68%) e Ingleses (59%) City breaks: Alemães (49%) Museus e património histórico: Brasileiros (58%) Passeios na natureza: Escandinavos (44%) e Alemães (42%) Fauna e flora: Escandinavos (33%) e Alemães (30%) Gastronomia e vinhos: não se destaca qualquer perfil, contudo os Holandeses são aqueles que menos viajam por este motivo (10%) Cruzeiros marítimos: 55 e mais anos (18%) Espectáculos musicais: 25/34 anos (18%) Prática de surf: 25/34 anos (22%) Eventos festivos: não se destaca qualquer perfil 50% 40% 39% 32% 20% 18% 13% 12% 9% 9% Praia City breaks Património histórico Passeios na natureza Fauna e flora Gastronomia e vinhos Cruzeiros marítimos Espectáculos musicais Prática de surf Eventos festivos 27

28 Porque razões Portugal não é considerado como destino para este tipo de viagens motivacionais? Dos 50% de turistas que realizaram viagens de praia nos últimos 3 anos, 20% não considerou sequer Portugal como destino para este tipo de viagem, essencialmente por considerarem a oferta de outros países melhor (24%) e pela vontade de conhecer outros países (21%). Dos 40% que realizaram city breaks, 34% não considerou fazê-lo em Portugal, sobretudo pela curiosidade em conhecer outros países (29%) e por falta de oportunidade (25%), razões também apontadas pelos 21% de turistas que realizaram viagens para visitar museus e o património histórico e que não pensaram em Portugal como destino provável para o fazer. Portugal está menos presente no mind-set dos turistas como destino de férias para a realização de viagens relacionadas com cruzeiros marítimos, espectáculos musicais e eventos festivos. A principal razão apontada, transversal a todas as motivações, prende-se também com a curiosidade em conhecer outros países. Realizaram este tipo de viagens nos últimos 3 anos Não considerou Portugal por 20% 50% Não consideraram Portugal para este tipo de viagens 34% 40% 39% Praia City breaks Património histórico 21% 27% 29% 32% Passeios na natureza 20% 18% Fauna e flora 15% Gastronomia e vinhos 69% 52% 37% 56% 13% 12% 9% 9% Cruzeiros marítimos Espectáculos musicais Prática de surf Eventos festivos Vontade de conhecer outros países 21% 29% 24% 25% 35% 18% 20% 24% 21% 19% Falta de oportunidade 16% 25% 24% 19% 13% 17% 12% 14% 14% 17% Outros países/cidades/ locais serem melhores 24% 13% 13% 15% 13% 24% 10% 14% 14% 15% 28

29 3 Ficha técnica 29

30 Metodologia Universo: Constituído pelos turistas residentes nos mercados de Espanha, Reino Unido, Alemanha, França, Holanda, Países Escandinavos e Brasil, com saída de Portugal pelos aeroportos do Porto, Lisboa, Faro e Funchal. Amostra: Constituída por 814 entrevistas, com a seguinte distribuição semi-proporcional por País de origem, Aeroporto e Tipo de voo: PAÍS ENTREVISTAS AEROPORTO ENTREVISTAS TIPO DE VOO ENTREVISTAS ALEMANHA 128 ESPANHA E ILHAS CANÁRIAS 111 FRANÇA 120 HOLANDA 85 REINO UNIDO 219 PAÍSES ESCANDINAVOS 90 BRASIL 61 TOTAL 814 LISBOA 285 PORTO 150 FARO 259 FUNCHAL 120 TOTAL 814 TRADICIONAL 390 CHARTER 78 LOW COST 346 TOTAL

31 Metodologia A utilização de uma amostra semi-proporcional, assegurou a existência de bases suficientes de análise para as variáveis consideradas, mantendo alguma proporcionalidade em relação ao Universo em estudo. No final, procedeu-se a uma ponderação dos resultados finais de forma a repor o verdadeiro peso de cada variável no universo. A amostra foi distribuída com base em informação da ANA - Aeroportos de Portugal sobre o número de passageiros desembarcados nestes aeroportos em 2013, provenientes dos mercados em estudo. Recolha da Informação: Através de entrevista directa e pessoal na zona de Check-In dos aeroportos em estudo, no máximo de privacidade, com base em questionário realizado pela Intercampus, a partir das indicações do Cliente, tendo este aprovado a sua versão final. O questionário foi traduzido para Inglês, Espanhol, Francês e Alemão. Os trabalhos de campo decorreram entre os dias 22 de Agosto e 8 de Setembro de 2014, tendo contado com a participação de 22 entrevistadores recrutados e treinados pela Intercampus, que receberam uma formação adequada às especificidades deste estudo. 31

32 Nota técnica Os dados apresentados foram obtidos através do presente inquérito bem como através de dados relativos à recolha realizada no passado pelo Turismo de Portugal, o qual autorizou a utilização dos mesmos no presente relatório para efeitos de análise evolutiva. 32

Estudo de Satisfação de Turistas. Your Business Innovation Partner

Estudo de Satisfação de Turistas. Your Business Innovation Partner Estudo de Satisfação de Turistas Your Business Innovation Partner Índice Enquadramento 3 1.1 Objectivos 4 1.2 Metodologia 6 Síntese 9 Análise 16 3.1 Caracterização da Amostra 18 3.2 Caracterização das

Leia mais

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014 1 Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014 Índice 2 11 Metodologia 3 2 Análise Síntese 6 3 Análise Descritiva Global 10 1. Caracterização da

Leia mais

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 2013

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 2013 1 Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 213 Índice 2 11 Metodologia 3 2 Análise Síntese 6 3 Análise Descritiva Global 12 1. Caracterização

Leia mais

INTERCAMPUS Inquérito a Turistas Maio de 2015 EVENTOS DE SURF. Com o apoio de:

INTERCAMPUS Inquérito a Turistas Maio de 2015 EVENTOS DE SURF. Com o apoio de: EVENTOS DE SURF 1 Com o apoio de: Índice 2 1 Análise Síntese 4 2 Resultados 7 1. Caracterização da amostra 8 2. Satisfação 15 4. Regressar e recomendar 20 3 Metodologia 23 Contextualização do Projecto

Leia mais

Estágios Desportivos - Participantes

Estágios Desportivos - Participantes Estágios Desportivos - Participantes 1 Com o apoio de: Índice 2 1 Análise Síntese 4 2 Resultados 6 3 Metodologia 19 Contextualização do Projecto 3 O grupo Controlinveste pretendeu realizar um inquérito

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012

PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012 PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012 1 O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de

Leia mais

INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA

INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA 2011 ÍNDICE: 1. Introdução Pág 3 2. Resumo dos principais resultados Pág 4 3. Características da amostra Pág 6 a. Género Pág 6 b. Idade Pág 6 c. Habilitações

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA

INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA 2011 ÍNDICE: 1. Introdução Pág 3 2. Resumo dos principais resultados Pág 4 3. Características da amostra Pág 6 a. Género Pág 6 b. Idade

Leia mais

INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA

INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA 2011 1 INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO INTRODUÇÃO Na continuidade do estudo que vem sendo realizado pelo, em conjunto

Leia mais

OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO:

OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO: ENQUADRAMENTO: O Observatório do Turismo de Lisboa é uma estrutura interna da Associação Turismo de Lisboa, criada em 1999. A ATL é uma associação privada de utilidade pública, que conta actualmente com

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) HOLANDA Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 82.600 78.557 75.546 76.601 75.636 74.305

Leia mais

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014 verão 2014 Índice Sumário Executivo Perspetivas de evolução da procura para o verão 2014 NUTS II NUTS II por Mercados Perspetivas de evolução da procura para o inverno 2014/15 NUTS II 2 Sumário Executivo

Leia mais

Perfil do Turista Internacional do Porto e Norte de Portugal no Aeroporto Francisco Sá Carneiro no 1º Trimestre de 2013 FICHA TÉCNICA

Perfil do Turista Internacional do Porto e Norte de Portugal no Aeroporto Francisco Sá Carneiro no 1º Trimestre de 2013 FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o

Leia mais

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15 Agências de Viagens ÍNDICE Sumário Executivo 3 da procura - inverno 2014/15 Portugal - NUTS II Portugal - Principais NUTS II Principais 4 5 6 da procura - verão

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas Avaliação da Satisfação dos Turistas 2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Vice-Presidência Avaliação da Satisfação dos Turistas 2011 Índice SÍNTESE... 03 1. INTRODUÇÃO... 05 2.

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas Avaliação da Satisfação dos Turistas Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Avaliação da Satisfação dos Turistas Índice RESUMO EXECUTIVO... 03 1. INTRODUÇÃO... 06 2. METODOLOGIA... 07

Leia mais

ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL

ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL sa DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL, MARKETING E PUBLICIDADE, SA Rua do Capitão Pombeiro, 13-15 4250-373 PORTO Tels. 351 22 509 19 43-351

Leia mais

Perfil do Turista Do Território Douro Alliance

Perfil do Turista Do Território Douro Alliance Perfil do Turista Do Território Douro Alliance Vila Real Peso da Régua Lamego 2º Semestre de 2011 O Gabinete de Turismo da Douro Alliance em colaboração com o Observatório Económico e Social desta Associação,

Leia mais

Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis

Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis Já não vêm do Reino Unido, mas de França, Espanha, Alemanha e Itália a maior parte dos turistas estrangeiros que

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 429.423 448.359 519.706 487.187 522.695 537.427 483.008

Leia mais

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens Análise Imagem das Agências de Viagens PREÇO VS. SERVIÇO Os portugueses que já recorreram aos serviços de uma Agência de Viagens fizeram-no por considerar que esta é a forma de reservar viagens mais fácil

Leia mais

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos TURISMO DE NATUREZA AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. Situação a nível europeu De acordo com o Estudo realizado por THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A.) para o Turismo de Portugal,

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL

DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 268.153 224.435 153.292 183.962 167.661 90.897 87.686 101.723

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos DO TURISMO DE LISBOA DADOS Março PERFORMANCE POSITIVA No primeiro trimestre de, a capital portuguesa continuou a demonstrar uma boa pectivas são igualmente positivas para o futuro vindo a verificar nos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS 1 de 6 - mobilidade humana e OBJECTIVO: Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. O Turismo Guião de Exploração Indicadores sobre o turismo em Portugal 27

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade e Inovação

Barómetro Regional da Qualidade e Inovação Avaliação da Satisfação dos Turistas 2014 Direção Regional do Comércio, Indústria e Energia Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses, n.º 23, 1º 9000-054 Funchal Região Autónoma da Madeira Portugal

Leia mais

AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS NA REGIÃO NORTE. Minho. Resultados Globais 2010/2011. Co-financiamento

AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS NA REGIÃO NORTE. Minho. Resultados Globais 2010/2011. Co-financiamento AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS NA REGIÃO NORTE Minho Resultados Globais 2010/2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Co-financiamento Parceria Avaliação do Nível de Satisfação dos

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

Nível Secundário e Nível 3 de Formação (S 3 )

Nível Secundário e Nível 3 de Formação (S 3 ) Análise dos dados do questionário aplicado aos alunos, professores e funcionários da escola sobre os hábitos e comportamento de viagem Caracterização sócio-demográfica dos inquiridos Quadro I: Dados pessoais

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO. Serviços públicos de apoio ao turismo. Alojamento. Restauração. Atividades de animação turística

ÁREAS DE ATUAÇÃO. Serviços públicos de apoio ao turismo. Alojamento. Restauração. Atividades de animação turística BALANÇO DO OBSERVATÓRIO TURÍSTICO DE MELGAÇO APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DE 12 ÁREAS DE ATUAÇÃO Serviços públicos de apoio ao turismo Alojamento Restauração Atividades de animação turística Serviços públicos

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 196.964 189.266 202.743 156.846 190.137 193.585 180.698

Leia mais

INQUÉRITO MOTIVACIONAL CIDADE DE LISBOA

INQUÉRITO MOTIVACIONAL CIDADE DE LISBOA INQUÉRITO MOTIVACIONAL 2014 CIDADE DE LISBOA INTRODUÇÃO Nos últimos anos, o Turismo de Lisboa tem vindo a realizar o Inquérito Motivacional, junto de turistas nacionais e estrangeiros que se tenham hospedado

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL

2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL 2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL A análise realizada tem como base principal as estatísticas oficiais e alguns dados quantitativos de elaboração própria. Focamos a atenção nas mudanças

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

Perfil do visitante de Évora

Perfil do visitante de Évora Perfil do visitante de Évora Universidade de Évora Escola de Ciências Sociais Maria do Rosário Borges Maria Noémi Marujo Jaime Serra Évora, Maio de 2012 41-60 anos (45%) Idade 21-40 anos (39%) Habilitações

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Inverno 2014-2015 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal,

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 6 - outubro 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 1.

Leia mais

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno Atividade Turística Novembro de 2014 19 de janeiro de 2015 Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno As dormidas na hotelaria fixaram-se em

Leia mais

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA 4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA A procura turística é tida como uma importante componente do sistema turístico, que pode ser traduzida como o conjunto de bens e serviços

Leia mais

O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22

O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22 31 de julho de 2014 Gastos Turísticos Internacionais 2013 O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22 O gasto médio diário per capita (GMD pc ) dos visitantes

Leia mais

Deslocações turísticas de residentes aumentaram

Deslocações turísticas de residentes aumentaram PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 2º Trimestre 2013 31 de outubro de 2013 Deslocações turísticas de residentes aumentaram Entre abril e junho de 2013, os residentes em Portugal efetuaram 3,9 milhões de

Leia mais

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros Transportes aéreos e atividade turística 2013 10 de setembro de 2014 Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 4,9% O tráfego comercial nas infraestruturas aeroportuárias nacionais em

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Verão 2014 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal, tem

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice Introdução Proveito Médio de Aposento Conceitos Anexos Proveitos

Leia mais

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER A oferta e a procura no TER 2007 Índice Introdução Capacidade de alojamento Estimativa de dormidas Taxas de ocupação-cama Anexos 2 Introdução. Em 2007 estavam em funcionamento em Portugal 1.023 unidades

Leia mais

Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul INTERNACIONAL

Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul INTERNACIONAL 3.11 Perfil do turista Os documentos utilizados para a análise do perfil do turista que visita o Ceará são: Relatório de Pesquisa da Demanda Turística via Fortaleza 1999 foram aplicados 4.032 questionários

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

Município de Guimarães

Município de Guimarães AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS NA REGIÃO NORTE Município de Guimarães Resultados Globais 2010/2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Co-financiamento Parceria Avaliação do Nível

Leia mais

Boas Práticas Ambientais. Hotéis e Pousadas

Boas Práticas Ambientais. Hotéis e Pousadas Hotéis e Pousadas 2008 Índice Introdução Principais Resultados Utilização Racional de Energia Gestão de Resíduos Uso Eficiente da Água Certificação Ambiental Conceitos 2 Introdução A estratégia nacional

Leia mais

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 4º Trimestre 2012 02 maio de 2013 Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes No 4º trimestre de 2012, os residentes efetuaram

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 2 - setembro 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

Leia mais

Relatório. Estudo de Caracterização do Perfil do Turista do Aeroporto de Beja

Relatório. Estudo de Caracterização do Perfil do Turista do Aeroporto de Beja Relatório Estudo de Caracterização do Perfil do Turista do Aeroporto de Beja Sobre esta publicação: Título: Estudo de Caracterização do Perfil do Turista do Aeroporto de Beja, Beja, Portugal, 39 pp. Coordenação

Leia mais

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO Vila Real, Março de 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4 CAPITULO I Distribuição do alojamento no Território Douro Alliance... 5 CAPITULO II Estrutura

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 240.491 204.775 204.260 207.295 172.238 179.157 201.202

Leia mais

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR:

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: 1ª AVENIDA DINAMIZAÇÃO ECONÓMICA E SOCIAL DA BAIXA DO PORTO Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: Unidade de Gestão de Área Urbana Setembro 2013 Agradecimentos

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2005 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 29 de dezembro de 2014 GASTOS TURÍSTICOS INTERNACIONAIS NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ANO DE 2013 Nota introdutória O Inquérito aos Gastos Turísticos Internacionais (IGTI) foi uma operação estatística

Leia mais

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 30 de abril de 2015 Viagens turísticas dos residentes com ligeiro aumento No 4º trimestre de 2014 os residentes em Portugal realizaram cerca de 4,0

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa DO TURISMO DE LISBOA DADOS Maio RECUPERAÇÃO No mês de Maio, os principais indicadores analisados registam sinais positivos de recuperação em todas as unidades hoteleiras. Destacam-se as unidades de quatro

Leia mais

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global boletim trimestral - n.º 4 - março 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global 2. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Especificações Técnicas Metodologia Técnicaeformadecoleta: Quantitativa: survey telefônico, com amostra 2.322 entrevistas, realizadas entre os dias 17 de junho e 07 de julho de 2009, pelo Instituto Vox

Leia mais

POSTO DE TURISMO DA PRAIA DA BARRA

POSTO DE TURISMO DA PRAIA DA BARRA JUNTA DE FREGUESIA DA GAFANHA DA NAZARÉ POSTO DE TURISMO DA PRAIA DA BARRA RELATÓRIO DE BALANÇO DO VERÃO 2011 Gafanha da Nazaré, Novembro de 2011 1. INTRODUÇÃO O Posto da Barra, é uma infra-estrutura situada

Leia mais

OBSERVATÓRIO. de LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL

OBSERVATÓRIO. de LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL OBSERVATÓRIO doturismo de LISBOA No mês de Outubro, fruto dos valores obtidos na hotelaria de 3 estrelas de Lisboa e de Leiria Fátima, assistiu-se a um agravamento dos níveis de ocupação na Região, quer

Leia mais

Responsabilidade Social em Portugal 2013. Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos

Responsabilidade Social em Portugal 2013. Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Responsabilidade Social em Portugal 2013 Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos ÍNDICE Sumário Executivo Introdução Caracterização Social Vínculo laboral dos

Leia mais

barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA

barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA Índice 2 11 Enquadramento 3 2 Amostra 7 3 Resultados 9 3 1 Enquadramento Objetivos 4 No âmbito da parceria entre a APAV e a INTERCAMPUS,

Leia mais

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR:

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: 1ª AVENIDA DINAMIZAÇÃO ECONÓMICA E SOCIAL DA BAIXA DO PORTO Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: Unidade de Gestão de Área Urbana Dezembro 2012 Índice

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

A Televisão na Sociedade em Rede

A Televisão na Sociedade em Rede A Sociedade em Rede Portugal 2010 A Televisão na Sociedade em Rede Setembro de 2011 flash report Março 2009 0 Índice Introdução... 4 Sumário Executivo... 5 Perfis e caracterização do consumo de Televisão,

Leia mais

Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais

Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais CIRCULAR Nº 021/2009 (G) CP/MS Lisboa, 04 de Março de 2009 Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais Caro Associado, A campanha Descubra um Portugal Maior, lançada pelo Turismo de Portugal

Leia mais

Estudo de mercado sobre a atractividade das caves do Vinho do Porto. Pedro Quelhas Brito

Estudo de mercado sobre a atractividade das caves do Vinho do Porto. Pedro Quelhas Brito Estudo de mercado sobre a atractividade Estudo de mercado sobre a atractividade Objectivos: Qual o papel, importância e significado das Caves de Vinho do Porto na atractividade turística do Porto e do

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014)

RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014) RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014) Os resultados a seguir são baseados em 2.257 entrevistas realizadas com turistas no período de 14 de junho a

Leia mais

Movimento de Turistas - Ano de 2009. Breve análise

Movimento de Turistas - Ano de 2009. Breve análise Movimento de Turistas - Ano de 2009 Breve análise Base de dados Não nos sendo possível saber a taxa de ocupação das unidades hoteleiras do concelho, foi elaborada esta breve análise, unicamente, com base

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT Desde já, agradecemos a sua participação nesta nova etapa do Projecto de Tutoria a Estudantes ERASMUS versão OUT. Com este inquérito, pretendemos

Leia mais

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2006 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009 INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS Praia, 29 de Abril de 2010 Plano de apresentação Introdução. Nota metodológica. Apresentação dos resultados..satisfação..gastos. TURISTAS, 2009 Objectivos do Inquérito

Leia mais

REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Num contexto de modernização e inovação constante, torna-se imperioso e urgente criar uma legislação turística em São Tomé e Príncipe, sendo este um instrumento

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo Alentejo Janeiro 2012 METODOLOGIA TOP DORMIDAS JANEIRO 2012 Inicia-se este ano de 2012 com alterações na metodologia do Barómetro, incluindo a sistemática comparação dos dados de 2012

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010 05 DEE NOVVEEMBBRRO DEE 2010 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010 Metade dos agregados domésticos em Portugal

Leia mais

Análise Regional dezembro 2015

Análise Regional dezembro 2015 Portugal Em, o Algarve voltou a liderar o País com 16,6 milhões de dormidas (34% de quota no País) e cresceu 2,7% face a 2014. Lisboa posicionou-se no 2.º lugar com 12,3 milhões de dormidas e assinalou,

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos 2 Introdução Com base em indicadores estatísticos disponibilizados pelo

Leia mais

O sector do turismo. Algarve

O sector do turismo. Algarve O sector do turismo no Algarve Destino turístico Algarve Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) - Linhas orientadoras para o Algarve - Principais recursos: (não exaustivo) Praias e falésias Campos

Leia mais

O sector do turismo no Algarve

O sector do turismo no Algarve O sector do turismo no Algarve Destino turístico Algarve Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) - Linhas orientadoras para o Algarve - Principais recursos: (não exaustivo) Praias e falésias Campos

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL

OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA Embora com a existência de diferenças de zona para zona, a hotelaria da amostra fixa da Região de Lisboa apresenta em 2006 uma recuperação na generalidade dos indicadores,

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

Indíce. Gráfico XII: Comparação da situação das sub-acções com o período homólogo de 2008

Indíce. Gráfico XII: Comparação da situação das sub-acções com o período homólogo de 2008 Indíce 1. Característica básica...1 Gráfico I: Distribuição em sexo Gráfico II: Distribuição em cidadãos e turistas Gráfico III: Distribuição em idade Gráfico IV: Distribuição dos turistas 2. Resultado

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

Síntese. de Resultados. 1. Sobre a ACEP

Síntese. de Resultados. 1. Sobre a ACEP 1. Sobre a ACEP A ACEP - Associação de Comércio Electrónico em Portugal é uma organização independente sem fins lucrativos, de pessoas individuais e colectivas, visando o estudo e a implementação das diversas

Leia mais

1. Introdução. 2. Metodologia e Taxa de Adesão. Resultados Nacionais Agregados de 2011

1. Introdução. 2. Metodologia e Taxa de Adesão. Resultados Nacionais Agregados de 2011 1 Resultados Nacionais Agregados de 11 Observatório Nacional de Recursos Humanos Resultados Nacionais Agregados de 11 1. Introdução Desde a sua criação em 02 que o Observatório Nacional de Recursos Humanos

Leia mais

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45%

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45% 1 2 A FECOMÉRCIO SC, com o intuito de mapear o perfil do turista e do empresário do turismo de carnaval em Santa Catarina, realizou uma pesquisa com esses públicos nas quatro cidades de maior movimento

Leia mais

Observatório Nacional de Recursos Humanos

Observatório Nacional de Recursos Humanos RUBRICA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO Observatório Nacional de Recursos Humanos Resultados nacionais agregados de 211 O Observatório Nacional de Recursos Humanos (ONRH) celebra este ano 1 anos de existência.

Leia mais