4º ENCONTRO DO COMITÊ ABAD AGENDA POLÍTICA NOVEMBRO 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "4º ENCONTRO DO COMITÊ ABAD AGENDA POLÍTICA NOVEMBRO 2014"

Transcrição

1

2 4º ENCONTRO DO COMITÊ ABAD AGENDA POLÍTICA NOVEMBRO 2014

3 PAUTA DO ENCONTRO 1 ASSUNTOS GERAIS. Projeto de Lei do Distribuidor; Inclusão do RCA no Simples Nacional; Atualizações sobre a Guerra Fiscal do ICMS; 2 PL 4.246/ ALTERAÇÕES NA LEI DOS MOTORISTAS. 3 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE DE 30% PARA MOTOCICLISTAS. 4 SIMPLES NACIONAL X SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA.

4 ASSUNTOS GERAIS PL Nº. 7477/2014 PL do Distribuidor O Projeto foi apresentado no dia 29/04/2014 sob o nº e foi designado como Relator o Dep. Laercio Oliveira (SD-SE). Atualmente aguarda-se Parecer do Relator na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio (CDEIC) Lei Complementar nº. 147/2014 Inclusão do RCA no Simples Nacional Conforme noticiado, em foi publicada LC que incluiu a categoria no regime simplificado. O RCA foi incluído no anexo VI da LC alíquotas de 16,93% a 22,45%.

5 ASSUNTOS GERAIS ATUALIZAÇÕES SOBRE A GUERRA FISCAL - Principais Projetos sob acompanhamento da ABAD. Proposta de Súmula Vinculante nº. 69/2012 do STF - Inconstitucionalidade dos benefícios fiscais concedidos sem aprovação do Confaz. PLS 170/ Estipulação de Quórum para aprovação de incentivos/benefícios fiscais do ICMS. PLC 238/ Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal. PRS 1/ Redução das alíquotas interestaduais PLS 40/ Estabelece normas para a concessão de incentivos fiscais e fiscal-financeiros e de benefícios fiscais no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, para aplicação nos Programas de Desenvolvimento Regional. PLS 130/ Convalida os atos normativos de concessão de benefícios fiscais e concede remissão e anistia de créditos tributários referentes ao ICMS.

6 Projeto de Súmula Vinculante nº. 69/2012 Inconstitucionalidade dos benefícios fiscais concedidos sem aprovação do Confaz. EDITAL DE PROPOSTA DE SÚMULA VINCULANTE Proposta de Verbete: Qualquer isenção, incentivo, redução de alíquota ou de base de cálculo, crédito presumido, dispensa de pagamento ou outro benefício fiscal relativo ao ICMS, concedido sem prévia aprovação em convênio celebrado no âmbito do CONFAZ, é inconstitucional. SITUAÇÃO: Aguardando votação

7 PLS Nº: 170/2012 Assunto: QUÓRUM PARA APROVAÇÃO DE INCENTIVOS/BENEFÍCIOS FISCAIS Autor: SENADOR - Ricardo Ferraço CONTEÚDO: Regula a forma como, mediante deliberação dos Estados e do Distrito Federal, isenções, incentivos e benefícios fiscais relacionados ao ICMS serão concedidos e revogados. RESUMO: Regula o art. 155, 2º, XII, g, da CF, dispondo que isenções, incentivos e benefícios de ICMS serão concedidos por lei específica do ente federado, após convênio firmado por representantes dos governos dos Estados e do Distrito Federal, em reunião presidida por representante do governo federal, com a anuência de, pelo menos, 3/5 das unidades da Federação (UFs), compreendendo, no mínimo, 1 UF por região. Estabelece sanções às UFs que concederem ou mantiverem benefícios fiscais em desacordo com as mencionadas regras. Estende as mesmas sanções aos municípios que concederem benefícios sobre sua parcela na receita do ICMS. Mantém os atuais benefícios de ICMS até que revogados ou alterados. Revoga a Lei Complementar nº 24/75. SITUAÇÃO: Matéria com a relatoria na comissão de constituição, justiça e cidadania 15/05/2014

8 PLC Nº: 238/2013 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DOS INCENTIVOS/BENEFÍCIOS FISCAIS ESTADUAIS Autor: SENADOR - Ricardo Ferraço CONTEÚDO: Altera a Lei Complementar nº 101/2000, que estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal; dispõe sobre critérios de indexação dos contratos de refinanciamento da dívida celebrados entre a União, Estados e Municípios; e dá outras providências. O Texto original dispunha sobre o quórum de aprovação de convênio que conceda remissão dos créditos tributários constituídos em decorrência de benefícios, incentivos fiscais ou financeiros instituídos em desacordo com a deliberação prevista no art. 155, 2º, inciso XII, alínea "g", da Constituição, e para a reinstituição dos referidos benefícios nos termos da legislação aplicável. SITUAÇÃO: Aguardando Sanção

9 PRS Nº: 1/2013 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DOS INCENTIVOS/BENEFÍCIOS FISCAIS ESTADUAIS Autor: SENADOR - Ricardo Ferraço CONTEÚDO: Estabelece alíquotas do ICMS, nas operações e prestações interestaduais. RESUMO: Trata-se de mais uma das medidas de combate à guerra fiscal que teve inicio com a Resolução nº. 13/2012, cujo objetivo foi combater guerra dos portos. Pela Proposta, a alíquota do ICMS nas operações interestaduais, hoje em 7% e 12%, serão reduzidas gradativamente para até 4% no ano de 2025, da seguinte forma: SITUAÇÃO: Aguardando designação do relator na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo - 21/11/2014

10 PRS Nº: 1/2013 Assunto: Tabela de alíquotas conforme redação final da Proposta de Resolução do Senado Origem Destino P eríodo Alíquota % % Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Espírito Santo Sul e Sudeste % % % Sul e Sudeste % Norte, Nordeste, Centro % Oeste e Espírito Santo % % % % Demais operações, inclusive nas realizadas entre a Zona Franca de % Manaus e as Áreas de Livre Comércio % % % % ZFM e ALC (PPB) Exceto com ZFM e ALC % O perações interestaduais com Gás Natural nacional ou importado Sul e Sudeste Norte, Nordeste, Centro- Oeste e Espírito Santo % Demais operações com Gás %

11 PLS Nº: 40/2014 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DOS INCENTIVOS/BENEFÍCIOS FISCAIS ESTADUAIS Autor: SENADOR GIM CONTEÚDO: Estabelece normas para a concessão de incentivos fiscais e fiscal-financeiros e de benefícios fiscais no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, para aplicação nos Programas de Desenvolvimento Regional. RESUMO: O PLS define os conceitos de incentivo fiscal, incentivo fiscal-financeiro e benefício fiscal e delimita a concessão em razão da participação na formação do PIB nominal nacional. Incentivo Fiscal: Concedido pela entidade federativa com base em tributo de sua competência constitucional, por prazo certo e determinado. Incentivo Fiscal-Financeiro: Concedido na forma de financiamento realizado por meio de bancos oficiais, fundos de fomento e apoio às atividades do setor produtivo ou programas de desenvolvimento, sob condição ou contraprestação de obrigação tributária pelo contribuinte Benefício Fiscal: subsídio concedido pela entidade federativa, na forma de renúncia total ou parcial de receita decorrente de tributo de sua competência constitucional (isenção, redução da base de cálculo, crédito outorgado, manutenção de crédito, devolução total ou parcial de tributo, ou postergação de data de liquidação de obrigações, entre outros). SITUAÇÃO: Matéria com a Relatoria nas Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo

12 PLS Nº: 40/2014 Tabela exemplificativa das taxas de incentivos/benefícios que poderão ser praticadas: Incentivos Fiscais e Incentivos Fiscais-Financeiros Estaduais Incentivos Fiscais e Incentivos Fiscais-Financeiros Municipais CLASSE % do PIB Taxa de Incentivo ao % do PIB Taxa de Incentivo ao CLASSE NACIONAL tributo incentivado NACIONAL tributo incentivado I Até 3% 75% I Até 3% 75% II 3,01% a 5% 73% II 3,01% a 5% 73% III 5,01% a 10% 60% III 5,01% a 10% 60% IV 10,01% a 15% 50% IV 10,01% a 15% 50% V 15% 30% V 15% 30% Benefícios Fiscais Estaduais Benefícios Fiscais Estaduais Municipais CLASSE Taxa de Incentivo ao Taxa de Incentivo ao % do PIB % do PIB tributo incentivado + CLASSE tributo incentivado + NACIONAL NACIONAL Benefícios * Benefícios I Até 3% 85% I Até 3% 85% II 3,01% a 5% 80% II 3,01% a 5% 80% III 5,01% a 10% 65% III 5,01% a 10% 65% IV 10,01% a 15% 55% IV 10,01% a 15% 55% V 15% 35% V 15% 35%

13 PLS Nº: 40/2014 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DOS INCENTIVOS/BENEFÍCIOS FISCAIS ESTADUAIS PONTOS RELEVANTES: Os recursos originados da concessão de incentivos serão contabilizados como subvenção de investimentos e não estarão sujeitos a qualquer natureza de tributação. Também poderão ser incentivadas as aquisições do imobilizado destinado à produção e administração da unidade da empresa incentivada assim como dos materiais destinados à construção das edificações da referida unidade da empresa, observando-se as respectivas taxas de Incentivos. A UNIÃO somente concederá incentivos fiscais, fiscal-financeiros e benefícios ficais de forma adicional aos Programas de Desenvolvimento Regional já estabelecidos pelos Estados, Distrito Federal e Municípios, jamais em substituição. Os contratos de concessão de incentivos e benefícios fiscais em andamento pelas regras estaduais, distritais e municipais vigentes até a data de promulgação desta Lei Complementar são mantidos, convalidados e tem seus efeitos plenamente reconhecidos, pelos prazos especificados em ato normativo ou contrato, na forma, condições e prazos com que foram formalizados, sem prejuízo da aplicação da isonomia de tratamento aos empreendimentos econômicos do mesmo setor de atividade.

14 PLS Nº: 40/2014 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DOS INCENTIVOS/BENEFÍCIOS FISCAIS ESTADUAIS PONTOS RELEVANTES: Os incentivos serão concedidos na proporção máxima da taxa de incentivo sobre o tributo incentivado: De 100% para os empreendimentos com atividade industrial; De 70% para os empreendimentos com atividades Comerciais, e De 60% para os empreendimentos com atividades de serviços. A concessão de novos incentivos fiscais ou fiscal-financeiros pelos Estados deverá atender os objetivos de redução das desigualdades regionais, pelo prazo de até 25 anos, prorrogáveis, em conformidade com a administração estadual respectiva; Os benefícios fiscais poderão ser concedidos mais de uma vez ao mesmo setor ou região, desde que comprovada a sua necessidade para a manutenção do equilíbrio do mercado; Em relação ao mesmo estabelecimento, os benefícios fiscais poderão ter prazos iguais aos dos incentivos fiscais ou fiscal-financeiros concedidos pela entidade federativa; As alíquotas de ICMS praticadas nas Operações dentro do Estado serão, no mínimo, iguais às alíquotas de ICMS praticadas para as Operações Interestaduais.

15 PLC Nº: 130/2014 Assunto: CONVALIDA OS ATOS NORMATIVOS DE CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS FISCAIS Autor: SENADORA - Lúcia Vânia CONTEÚDO: Convalida os atos de concessão de benefícios e incentivos fiscais ou financeiros vinculados ao ICMS concedidos pelos Estados ou pelo DF até 01/05/2014 sem a prévia aprovação por unanimidade do CONFAZ (Conselho Nacional de Política Fazendária), conforme determinam a Constituição Federal e a Lei Complementar nº 24/75, assim como concede remissão e anistia dos créditos tributários referentes. RESUMO: Dispõe sobre o quórum de aprovação do Convênio que permita a remissão de créditos tributários constituídos ou não em razão de outorga de incentivos sem aprovação do Confaz, e a reinstituição das respectivas isenções. SITUAÇÃO: INCLUÍDA NA PAUTA DA REUNIÃO Ação: Emendas de Plenário à matéria constantes da Pauta da 31ª Reunião da Comissão de Assuntos Econômicos, agendada para o dia 25/11/2014.

16 PLC Nº: 130/2014 Assunto: CONVALIDA OS ATOS NORMATIVOS DE CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS FISCAIS Autor: SENADORA - Lúcia Vânia PONTO RELEVANTE: O Texto substitutivo aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado autoriza a Unidade da Federação a conceder ou prorrogar o incentivo concedido pelo prazo máximo de um ano. A Emenda nº. 2 apresentada pelo Senador Ricardo Ferraço prevê que incentivo seja prorrogado no mesmo prazo que as atividades industriais, ou seja, cinco anos. Justificação: Todavia, entendemos que tais benefícios devam vigorar por um lapso determinado, para que as respectivas atividades possam se planejar, durante um período de transição, até a extinção definitiva dos benefícios, razão pela qual sugerimos a adoção de 5 (cinco) anos para as atividades comerciais, não incluídas na versão final do relatório aprovado

17 ÚLTIMOS ANDAMENTOS PL 4.246/ ALTERAÇÕES NA LEI DOS MOTORISTAS

18 PROJETO DE LEI DOS MOTORISTAS Proposição: PL nº. 4246/2012 na CD-origem e PLC nº. 41/2014 no Senado Autor: Dep. Jerônimo Goergen (PP/RS). Conteúdo: Dispõe sobre o exercício da profissão de motorista, disciplina a jornada de trabalho e o tempo de direção do motorista profissional, e dá outras providências. Último andamento: O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou no dia 02/07/14 parte das emendas do Senado ao Projeto de Lei 4246/12. Os deputados analisarão os destaques apresentados, que podem reincluir ou retirar emendas ou trechos delas. Proposição pronta para pauta no Plenário. Data do último Andamento: 03/09/2014

19 Lei nº /12 Projeto de Lei nº 4.246/12 Tempo de Descanso 30min a cada 4h; 11h mínimas diárias; 35h semanal; 30min a cada 5h30min (carga); 30min a cada 4h (passageiros) 11h mínimas diárias (8h ininterruptas)*¹ 35h semanal; Tempo de Descanso Tempo de Direção 4h + 4h + 2h extras (CLT); 6h + 2h + 2h extras (CCT); Situações especiais - prorrogação da jornada pelo tempo necessário*² Tempo de Direção Tempo de Refeição 1h mínima diária; 1h mínima diária (possibilidade de fracionamento); Tempo de Refeição Tempo de Espera Carga/descarga Fiscalização que excede o tempo normal Carga/descarga Fiscalização que excede o tempo normal Tempo de Espera Tempo de Reserva Repouso no veículo (revezamento 2 motoristas) Repouso no veículo (revezamento 2 motoristas) Tempo de Reserva *Obs.1 -> Motorista profissional autônomo 10h mínimas diárias *Obs. 2 -> Situações devidamente registradas; jornada de trabalho prorrogada até o veículo chegar em local seguro ou ao seu destino *Obs. 3 -> Não serão computadas como jornada de trabalho e nem como horas extraordinárias; superior a 2h ininterruptas serão consideradas Repouso e indenizadas na proporção de 30% do salário/hora normal; se houver necessidade do motorista acompanhar o veículo embarcado em outro meio de transporte esse tempo será considerado como Tempo de Espera.

20 Viagens de Longa Distância DURAÇÃO: 7 DIAS REPOUSO DIÁRIO 11h Lei nº /2012 Longa Distância = 24h REPOUSO SEMANAL 24h / semana ou fração trabalhada TOTAL 35h *Obs. -> Carga de perecíveis, vivas ou especiais: condições de trabalho com previsão em convenções e acordo coletivos; *Obs. -> Transporte de passageiros: possibilidade de fracionamento do intervalo para refeição em 2 períodos; havendo dois motoristas o descanso poderá ser feito com o veículo em movimento e, após 72h o descanso deverá ser feito no veículo parado ou fora dele; *Obs. -> Convenção e acordo coletivo poderão prever jornada especial de doze horas de trabalho por trinta e seis horas de descanso para o trabalho do motorista profissional empregado em regime de compensação.

21 Remuneração É PERMITIDA A REMUNERAÇÃO DO MOTORISTA EM FUNÇÃO: DISTÂNCIA PERCORRIDA COMISSÃO OU QUALQUER OUTRO TIPO DE VANTAGEM TEMPO DE VIAGEM NATUREZA E QUANTIDADE DE PRODUTOS TRANSPORTADOS *Obs. -> Lei nº /2012 vedava qualquer tipo de gratificação/remuneração

22 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE MOTOCICLISTAS (Lei nº /14 e Portaria MTE nº 1.565/14)

23 OBJETIVO Reconhecer as atividades profissionais desenvolvidas por meio de uso de motocicletas como atividades de risco ; Proteger empregados que, para o exercício de suas atividades, se utilizam de motocicletas. ABRANGÊNCIA Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

24 Projeto de Lei nº 2.865/2011 Projeto de Lei nº 2.865/2011 Lei nº /2014 Parecer Relator Vitor Paulo Art São consideradas atividades perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, as que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem permanente contato com inflamáveis e explosivos e as atividades de mototaxista, de motoboy e de motofrete, bem como o serviço comunitário de rua, regulamentados pela Lei nº , de 29 de julho de 2009 Art. 193 (...) (...) 4º São também consideradas perigosas as atividades de trabalhador em motocicleta. Justificativa da alteração: A técnica adotada pela CLT prescreve a designação genérica da Atividade. Art. 193 (...) (...) 4º São também consideradas perigosas as atividades de trabalhador em motocicleta. DOU

25 NR 16 - Anexo V (Proposta I ABAD) 1. Somente são consideradas perigosas as atividades laborais exercidas em favor de empregadores constituídos com a finalidade de prestar serviços a partir da utilização de motocicletas ou motonetas. 2. De maneira exemplificada, não são consideradas perigosas, para efeito deste anexo: a) a utilização de motocicleta ou motoneta exclusivamente no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela; b) as atividades laborais exercidas por aqueles que, sem qualquer exigência do empregador, optam pela utilização de motocicleta ou motoneta, quando da mesma forma poderiam optar pela utilização de qualquer outro meio de transporte; c) as atividades laborais exercidas através de veículos que não necessitem de registro no órgão de transito. NR 16 - Anexo V (Proposta II ABAD) 1. As atividades laborais que atingem sua finalidade somente a partir da utilização de motocicleta ou motoneta no deslocamento de trabalhador em vias públicas urbanas e rurais são consideradas perigosas. 2. Não são consideradas perigosas, para efeito deste anexo: a) a utilização de motocicleta ou motoneta exclusivamente no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela; b) as atividades laborais exercidas por aqueles que, sem qualquer exigência do empregador, optam pela utilização de motocicleta ou motoneta, quando da mesma forma poderiam optar pela utilização de qualquer outro meio de transporte; c) as atividades laborais exercidas através de veículos que não necessitem de registro no órgão de transito. NR 16 - Anexo V Portaria MTE n.º 1.565/14 1. As atividades laborais com utilização de motocicleta ou motoneta no deslocamento de trabalhador em vias públicas são consideradas perigosas. 2. Não são consideradas perigosas, para efeito deste anexo: a) a utilização de motocicleta ou motoneta exclusivamente no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela; b) as atividades em veículos que não necessitem de emplacamento ou que não exijam carteira nacional de habilitação para conduzi-los; c) as atividades em motocicleta ou motoneta em locais privados. d) as atividades com uso de motocicleta ou motoneta de forma eventual, assim considerado o fortuito, ou o que, sendo habitual, dá-se por tempo extremamente reduzido.

26 LEI nº /2014 São também consideradas perigosas as atividades de trabalhador em motocicleta. Portaria MTE nº 1.565/2014 Não são consideradas perigosas, para efeito desse anexo: Trajeto Residência / Trabalho Veículos SEM Placa e Inexigibilidade de CNH Locais Privados Uso Eventual / Fortuito / Habitual por tempo reduzido

27 CONSIDERAÇÕES Portaria MTE nº 1.565/14 - Anexo 5 "Atividades Perigosas em Motocicleta" constante da Norma Regulamentadora (NR) nº 16, que trata sobre atividades e operações perigosas, em vigor a partir da data de sua publicação, ou seja, 14/10/2014, tornando obrigatória a concessão do adicional. A caracterização ou a descaracterização da periculosidade é de responsabilidade do empregador, a qual deverá ser feito por meio de laudo técnico elaborado por Médico do Trabalho ou Engenheiro de Segurança do Trabalho, nos termos do art. 195 da CLT. Os empregados que se utilizam de motocicletas deverão ser encaminhados ao médico do trabalho para que passem a perceber o adicional. Além das demais hipóteses de não configuração, destaca-se a alínea d do Item 2 do Anexo 5 da Portaria nº 1.565/2014 as atividades com uso de motocicleta ou motoneta de forma eventual, assim considerado o fortuito, ou o que, sendo habitual, dá-se por tempo extremamente reduzido.

28 CONSIDERAÇÕES A redação dada à NR tentou apenas amenizar o impacto dessa nova diretriz, entretanto, caberá aos Juízes do Trabalho e Tribunais Superiores decidirem o que é extremamente reduzido. Apenas a título de conhecimento, traçando um breve cenário comparativo, verificamos, com nossa experiência na área contenciosa trabalhista, o reconhecimento da condição perigosa no ambiente de trabalho com a consequente determinação pelo pagamento do respectivo adicional, ainda que o tempo de exposição ao ambiente perigoso fosse de 5 minutos diários, in casu, para troca de cilindros de máquinas movidas à gás. Vejase: Ocorre que entendo que a exposição diária ao risco por período de cinco a dez minutos não pode ser considerada exposição por tempo extremante reduzido. Registre-se que a exposição ao risco, por mínima que seja, pode proporcionar a perda da vida, bem maior de toda e qualquer pessoa. Assim, merece provimento o recurso do reclamante para que seja deferido o adicional de periculosidade no período dezembro/2007 a 02/07/2012 no percentual de 30% sobre o salário básico com reflexos em horas extras pagas e devidas, adicional noturno pago, 13º salários, férias acrescidas do terço constitucional, aviso prévio e FGTS acrescido da multa de 40%. [TRT 3ª Região, RTOrd RO, 5ª Turma, Desembargador Relator Milton Vasques Thibau de Almeida, DOE ]

29 CONSIDERAÇÕES Em que pese não reunirmos condições de nos posicionarmos concretamente sobre o entendimento dos Tribunais, não cremos que as conclusões superiores divirjam de seu atual posicionamento, qual seja, o reconhecimento da condição de trabalho perigoso, ainda que estejamos falando de 5 minutos da jornada de trabalho do empregado, o que nos leva a acreditar que os vendedores/promotores fazem jus ao adicional. Como se trata de alteração legislativa recente, as redações dadas ao 4º do art. 193 da CLT e Portaria MTE nº 1.565/14 foram muito abrangente, razão pela qual não podemos assegurar com tranquilidade as categorias abrangidas. Entendemos que se o trabalhador utilizar a motocicleta para o desempenho das suas atividades e a Empresa inclusive custear esse gasto para o trabalho, haverá a necessidade de pagamento de referido adicional, ainda que ele seja vendedor, pois no dispositivo legal não constou a profissão favorecida. Por outro lado, se a Empresa não efetuar o pagamento de qualquer valor, a título de ajuda de custo, poderíamos defender o entendimento de que o trabalhador poderia utilizar moto ou carro, conforme sua conveniência, e sendo vendedor não faria jus a esse adicional.

30 MODELO DE CIRCULAR PROIBIÇÃO PARA O USO DE MOTOCICLETAS PARA VISITAÇÃO À CLIENTES Circular nº [preencher] Ref.: Uso de motocicletas particulares Tendo em vista a sanção da Lei nº /2014, regulamentada pela Portaria MTE nº 1.565/14, a qual acrescentou o 4º ao artigo 193 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, para considerar perigosas as atividades de trabalhador em motocicleta, passamos a fazer as seguintes considerações. Inicialmente registre-se que a [razão social da empresa] adota como diretriz a Política de Uso de Transporte Público pelos promotores de vendas durante a jornada de trabalho, mediante fornecimento de vale-transporte para arcar com os custos das visitas realizadas por seus trabalhadores aos seus clientes. Diante desse cenário, fica veementemente proibido o uso de motocicletas particulares durante a jornada de trabalho para visitação aos clientes, sendo certo que não haverá, em hipótese alguma, o fornecimento de ajuda de custo, (combustível/estacionamento/pedágio) ou ressarcimento de valores gastos a esses títulos. Agradecemos a atenção e cooperação de todos.

31 ÚLTIMAS NOTÍCIAS Suspensão da Portaria MTE nº 1.565/14 Autor: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DE REFRIGERANTES E DE BEBIDAS NÃO ACOOLICAS - ABTR Ré: UNIÃO FEDERAL Processo nº ª VARA FEDERAL DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL Ação Ordinária: Declaração de irregularidade na edição da Portaria MTE nº 1.565/14 e, via consequência, declaração de sua nulidade. Fase: Conhecimento. Decisão em tutela antecipada: Suspenção dos efeitos da Portaria nº MTE, de 13/10/2014, até o julgamento final da demanda. Fundamentação: Edição da Portaria - nº MTE/2014 dissonância ao quanto previsto nos artigos 6º e 7º da Portaria n 1.127/03, do Ministério do Trabalho e Emprego. Efeito: inter partes

32 SIMPLES NACIONAL E A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS

33 Regime de Substituição Tributária do ICMS Regra geral, o ICMS é um imposto que incide sobre todas as fases da cadeia comercial. Exemplo de cadeia comercial simples não sujeita ao ICMS-ST: Fabricante (SP) ICMS Atacadista ICMS Varejista ICMS (SP) (SP) Consumidor Final Nas operações com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária, o recolhimento do ICMS incidente sobre todas as fases de comercialização é realizado pelo contribuinte que está no início da cadeia (substituto). Vejamos: Fabricante (SP) ICMS Próprio ICMS-ST Atacadista (SP) Sem ICMS Varejista (SP) Sem ICMS Consumidor Final

34 Cálculo do ICMS-ST Base de Cálculo: Valor presumido obtido, em regra, pela aplicação de Margem de Valor Agregado (MVA) ou Pauta Fiscal. Alíquota: As alíquotas aplicáveis são aquelas previstas às operações internas (de um modo geral, 17% ou 18%).

35 Exemplo Numérico do Cálculo do ICMS-ST por MVA Mercadoria: Fogão de Cozinha MVA: 56,25% (percentual previsto atualmente pelo Estado de São Paulo Portaria CAT nº 73/13) A Valor do fogão 820,00 B Base de Cálculo do ICMS (cálculo por dentro: [A/1-18%]) 1.000,00 C ICMS devido 180,00 C MVA 56,25% D Base de Cálculo do ICMS-ST {B+(C*B)} 1.562,50 E Valor do ICMS-ST (D*18%) 281,25 F ICMS Próprio do Remetente (= C) 180,00 G ICMS-ST devido (E-F) 101,25

36 ICMS-ST x Simples Nacional A Lei Complementar nº 123/06 exclui as operações sujeitas ao ICMS-ST da sistemática de apuração própria do Simples Nacional (recolhimento a parte); Neste ponto as empresas optantes do Simples Nacional não recebem o tratamento favorecido que lhes é constitucionalmente garantido; O montante do ICMS-ST é maior do que o imposto que seria apurado no Simples Nacional, caso a operação não estivesse submetida ao regime de antecipação do recolhimento; Possível Solução Eliminação do ICMS-ST nas operações envolvendo empresas optantes pelo Simples Nacional;

37 LEI COMPLEMENTAR Nº 147/14 PRODUÇÃO DE EFEITOS A PARTIR DE 2016 Revogou o dispositivo legal que obrigava os optantes pelo Simples Nacional a recolher o ICMS-ST fora da sistemática simplificada, porém criou diversas exceções; Na prática, não houve mudanças significativas, já que as empresas optantes pelo Simples Nacional continuarão obrigadas ao recolhimento do ICMS-ST para quase todas as mercadorias. São elas: Combustíveis e lubrificantes; energia elétrica; cigarros e outros produtos derivados do fumo; bebidas; óleos e azeites vegetais comestíveis; farinha de trigo e misturas de farinha de trigo; massas alimentícias; açúcares; produtos lácteos; carnes e suas preparações; preparações à base de cereais; chocolates; produtos de padaria e da indústria de bolachas e biscoitos; sorvetes e preparados para fabricação de sorvetes em máquinas; cafés e mates, seus extratos, essências e concentrados; preparações para molhos e molhos preparados; preparações de produtos vegetais; rações para animais domésticos; veículos automotivos e automotores, suas peças, componentes e acessórios; pneumáticos; câmaras de ar e protetores de borracha; medicamentos e outros produtos farmacêuticos para uso humano ou veterinário; cosméticos; produtos de perfumaria e de higiene pessoal; papéis; plásticos; canetas e malas; cimentos; cal e argamassas; produtos cerâmicos; vidros; obras de metal e plástico para construção; telhas e caixas d água; tintas e vernizes; produtos eletrônicos, eletroeletrônicos e eletrodomésticos; fios; cabos e outros condutores; transformadores elétricos e reatores; disjuntores; interruptores e tomadas; isoladores; para-raios e lâmpadas; máquinas e aparelhos de ar-condicionado; centrifugadores de uso doméstico; aparelhos e instrumentos de pesagem de uso doméstico; extintores; aparelhos ou máquinas de barbear; máquinas de cortar o cabelo ou de tosquiar; aparelhos de depilar, com motor elétrico incorporado; aquecedores elétricos de água para uso doméstico e termômetros; ferramentas; álcool etílico; sabões em pó e líquidos para roupas; detergentes; alvejantes; esponjas; palhas de aço e amaciantes de roupas; venda de mercadorias pelo sistema porta a porta; nas operações sujeitas ao regime de substituição tributária pelas operações anteriores; e nas prestações de serviços sujeitas aos regimes de substituição tributária e de antecipação de recolhimento do imposto com encerramento de tributação

38 Além das mercadorias mencionadas, a Lei Complementar incluiu o seguinte dispositivo no inciso XIII, do artigo 13, da LC n 123/06: 8 o Em relação às bebidas não alcóolicas, massas alimentícias, produtos lácteos, carnes e suas preparações, preparações à base de cereais, chocolates, produtos de padaria e da indústria de bolachas e biscoitos, preparações para molhos e molhos preparados, preparações de produtos vegetais, telhas e outros produtos cerâmicos para construção e detergentes, aplica-se o disposto na alínea a do inciso XIII do 1 o aos fabricados em escala industrial relevante em cada segmento (...). Assim, identificamos que apenas as seguintes mercadorias foram excluídas do ICMS-ST para os optantes pelo Simples Nacional: Vestuário e confecções, móveis, couro e calçados, brinquedos, decoração, cama e mesa, produtos óticos, implementos agrícolas, instrumentos musicais e artigos esportivos.

39 Em relação às mercadorias que foram excluídas da sistemática de substituição tributária para as empresas do Simples Nacional, o Comitê Gestor do Simples Nacional terá que disciplinar a matéria, especificamente no que diz respeito às seguintes situações: (i) Vendas de substituto tributário de mercadorias excluídas do ICMS-ST para optantes pelo Nacional; Simples (ii) Vendas de substituídos (atacadistas, por exemplo) de mercadorias excluídas do ICMS-ST pelo Simples Nacional; para optantes Pela redação da LC nº 147/2014 não é possível afirmar se o atacadista, ao vender mercadorias excluídas da sistemática de substituição tributária para optantes pelo Simples Nacional, poderá se recuperar do ICMS-ST recolhido pela indústria a fim de desonerar o Simples Nacional

ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANTECIPAÇÃO PARCIAL- ANTECIPAÇÃO SEM ENCERRAMENTO DE FASE 71. Qual a definição para o cálculo da antecipação parcial? Nas aquisições

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Eliana Souza de O. Guerrize

SIMPLES NACIONAL. Eliana Souza de O. Guerrize SIMPLES NACIONAL Eliana Souza de O. Guerrize OBJETIVO DO ENCONTRO Breve explanação da legislação Demonstrar alguns procedimentos SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL Regime Especial Unificado de Arrecadação

Leia mais

Regulamentação da Periculosidade dos Motociclistas

Regulamentação da Periculosidade dos Motociclistas CPA 42 Anos Evento Presencial - Atualidades da Área Trabalhista e Previdenciária - Regulamentação da Periculosidade dos Motociclistas e as Novidades sobre o esocial Regulamentação da Periculosidade dos

Leia mais

NOVIDADES NA LEGISLAÇÃO DE ICMS PARA 2016

NOVIDADES NA LEGISLAÇÃO DE ICMS PARA 2016 NOVIDADES NA LEGISLAÇÃO DE ICMS PARA 2016 Operações Interestaduais destinadas para não contribuintes Alterações determinadas pela EC87/2015 Alterações relacionadas ao regime de substituição tributária

Leia mais

LEI Nº 12.997/14 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE EMPREGADOS QUE UTILIZAM MOTOCICLETA PARA TRABALHAR PASSAM A TER DIREITO AO ADICIONAL.

LEI Nº 12.997/14 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE EMPREGADOS QUE UTILIZAM MOTOCICLETA PARA TRABALHAR PASSAM A TER DIREITO AO ADICIONAL. LEI Nº 12.997/14 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE EMPREGADOS QUE UTILIZAM MOTOCICLETA PARA TRABALHAR PASSAM A TER DIREITO AO ADICIONAL. Orlando José de Almeida Sócio do Homero Costa Advogados Natália Cristina

Leia mais

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA Tendo em vista a implantação das Áreas de Livre Comércio de Brasiléia,

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.865, DE 2011 Altera o caput do art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5452, de 1º

Leia mais

Resolução do Senado Federal nº 13/2012: características, problemas e soluções. Marcelo Viana Salomão Mestre e doutorando PUC/SP

Resolução do Senado Federal nº 13/2012: características, problemas e soluções. Marcelo Viana Salomão Mestre e doutorando PUC/SP Resolução do Senado Federal nº 13/2012: características, problemas e soluções Marcelo Viana Salomão Mestre e doutorando PUC/SP ICMS - ICMS: imposto de conformação nacional exaustivamente regrado pela CF/88;

Leia mais

ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC

ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC J uiz de Fora, 04 de Março de 2015. Prezado Associado: ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC O SETCJ F informa as principais alterações introduzidas na Lei 12.619/12 (Lei do Motorista), na Lei 11.442/07

Leia mais

MANUAL DE PERGUNTAS E RESPOSTAS E-COMMERCE TRIBUTAÇÃO E PRÁTICAS

MANUAL DE PERGUNTAS E RESPOSTAS E-COMMERCE TRIBUTAÇÃO E PRÁTICAS MANUAL DE PERGUNTAS E RESPOSTAS E-COMMERCE TRIBUTAÇÃO E PRÁTICAS 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG 12/06/2014 Pergunte à CPA Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG Apresentação: Helen Mattenhauer Convênio e Protocolos CONVÊNIO: Constitui um acordo entre os Estados, cujo elaboração tem por

Leia mais

MANUAL DE PERGUNTAS E RESPOSTAS E-COMMERCE TRIBUTAÇÃO E PRÁTICAS

MANUAL DE PERGUNTAS E RESPOSTAS E-COMMERCE TRIBUTAÇÃO E PRÁTICAS MANUAL DE PERGUNTAS E RESPOSTAS E-COMMERCE TRIBUTAÇÃO E PRÁTICAS 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

O controle de renúncia de receitas

O controle de renúncia de receitas Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul Escola Superior de Controle Externo O controle de renúncia de receitas Apresentação J.R. Caldas Furtado Junho2015 1 O controle externo na Constituição

Leia mais

Novidades Trabalhistas

Novidades Trabalhistas Novidades Trabalhistas Ampliação do contrato temporário passa a valer em 1º de Julho. Lei publicada altera artigo da CLT determinando pagamento de adicional de periculosidade para motociclistas. Empresa

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista 1. Introdução Este documento tem por objetivo apresentar a solução de software e serviço que atenderá a Lei nº 12.619 de 30 de abril de 2012,publicada no Diário

Leia mais

ICMS Substituição Tributária. Outubro 2004

ICMS Substituição Tributária. Outubro 2004 ICMS Substituição Tributária Conceituação Consiste na alteração do momento do fato gerador, gerando uma antecipação do pagamento do imposto incidente nas operações seguintes. Responsabilidade Tributária

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Incidência de ISS ou ICMS nas Operações de Transportes- SP

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Incidência de ISS ou ICMS nas Operações de Transportes- SP Incidência de ISS ou ICMS nas Operações de Transportes- SP 16/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1 Incidência

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 4.970, DE 2013.

PROJETO DE LEI N o 4.970, DE 2013. COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N o 4.970, DE 2013. Adota medidas para informar os consumidores acerca dos tributos indiretos que incidem sobre bens e serviços, conforme o disposto no 5º,

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RIA ICMS

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RIA ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RIA ICMS Manual Explicativo José Roberto Rosa Por delegação da Constituição, a Lei complementar 87/96 define : SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RIA EM OPERAÇÕES / PRESTAÇÕES Antecedentes

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI COMPLEMENTAR N. 302, DE 22 DE AGOSTO DE 2015 Altera a Lei Complementar n. 55, de 9 de julho de 1997, que Dispõe quanto ao Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação

Leia mais

GUERRA FISCAL. Comitê Jurídico SWISSCAM 24 de maio de 2013

GUERRA FISCAL. Comitê Jurídico SWISSCAM 24 de maio de 2013 GUERRA FISCAL Comitê Jurídico SWISSCAM 24 de maio de 2013 I. Limites aos Incentivos de ICMS II. Guerra Fiscal e tipos de incentivos irregulares III. Medidas de Retaliação: Autos de Infração e outras IV.

Leia mais

LEI Nº 12.006, DE 29 DE JULHO DE 2009 1

LEI Nº 12.006, DE 29 DE JULHO DE 2009 1 LEI Nº 12.006, DE 29 DE JULHO DE 2009 1 Acrescenta artigos à Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro, para estabelecer mecanismos para a veiculação de mensagens

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias 21/02/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise

Leia mais

COMUNICADO LEGISLATIVO Nº 1/2013. Projetos de Lei e Trâmites 1ª quinzena de novembro/2013

COMUNICADO LEGISLATIVO Nº 1/2013. Projetos de Lei e Trâmites 1ª quinzena de novembro/2013 Matérias na Câmara PEC 185/2012 Acrescenta parágrafos ao art. 37 da Constituição Federal para estabelecer data certa para a revisão geral anual da remuneração dos servidores públicos e dá outras providências.

Leia mais

PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. CONVÊNIO OU PROTOCOLO Conv. ICMS 045/99 Prot. ICMS 019/92 Conv. ICMS 037/94 DISPOSITIVO DO RICMS

PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. CONVÊNIO OU PROTOCOLO Conv. ICMS 045/99 Prot. ICMS 019/92 Conv. ICMS 037/94 DISPOSITIVO DO RICMS PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA MERCADORIA Venda porta-a-porta de quaisquer mercadorias destinadas a revendedores não inscritos Cigarros e outros produtos derivados do fumo Cimento Refrigerante,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC 18/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1 Áreas de Livre

Leia mais

PROGRAMA ICMS ANTECIPADO ESPECIAL COM GLOSA DE CRÉDITO. 1. O que é o Programa de ICMS ANTECIPADO GLOSA DE CRÉDITO?

PROGRAMA ICMS ANTECIPADO ESPECIAL COM GLOSA DE CRÉDITO. 1. O que é o Programa de ICMS ANTECIPADO GLOSA DE CRÉDITO? PROGRAMA ICMS ANTECIPADO ESPECIAL COM GLOSA DE CRÉDITO PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. O que é o Programa de ICMS ANTECIPADO GLOSA DE CRÉDITO? R= É a cobrança do ICMS de mercadorias sujeitas à exclusão de crédito

Leia mais

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS atualizado em 21/10/2015 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO...5 1. PROGRAMA DE COMPUTADOR ( SOFTWARE ) NÃO PERSONALIZADO...7 1.1. Saída Interna...7 1.1.1. Isenção...7 1.1.2. Crédito Presumido...7 1.2. Saída Interestadual...8

Leia mais

ALTERAÇÕES NA LEI GERAL DAS MICROEMPRESAS, EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

ALTERAÇÕES NA LEI GERAL DAS MICROEMPRESAS, EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL ALTERAÇÕES NA LEI GERAL DAS MICROEMPRESAS, EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Porto Alegre 26 de Julho de 2010 CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO presidencia.cft@camara.gov.br

Leia mais

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14 Fortaleza, 06/06/14 Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Em análise: I C M S Questões Atuais Arquivos Eletrônicos ICMS-ST com Material de Construção ICMS-ST com Supermercado/minimercado/atacadistas

Leia mais

Convém ressaltar, de início, que o benefício do diferimento não se confunde com a isenção ou com a suspensão do imposto.

Convém ressaltar, de início, que o benefício do diferimento não se confunde com a isenção ou com a suspensão do imposto. ICMS/SP - Diferimento - Tratamento fiscal 6 de Abril de 2010 Em face da publicação do Decreto nº 55.305/2009 - DOE SP de 31.12.2009, este procedimento foi atualizado (tópico 9 - bens do ativo imobilizado

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N.º, DE 2011. O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N.º, DE 2011. O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N.º, DE 2011 Estabelece normas para a concessão de incentivos fiscais e fiscal-financeiros e de benefícios fiscais no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos

Leia mais

O REGIME PAULISTA DE ANTECIPAÇÃO DO ICMS E A INDEVIDA EXIGÊNCIA, DOS ADQUIRENTES VAREJISTAS, DO IMPOSTO DEVIDO POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA.

O REGIME PAULISTA DE ANTECIPAÇÃO DO ICMS E A INDEVIDA EXIGÊNCIA, DOS ADQUIRENTES VAREJISTAS, DO IMPOSTO DEVIDO POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. O REGIME PAULISTA DE ANTECIPAÇÃO DO ICMS E A INDEVIDA EXIGÊNCIA, DOS ADQUIRENTES VAREJISTAS, DO IMPOSTO DEVIDO POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. 2009-07-31 Adma Felícia B. M. Nogueira Tatiane Aparecida Mora

Leia mais

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS. (atualizado até 28.04.2015)

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS. (atualizado até 28.04.2015) (atualizado até 28.04.2015) ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. PROGRAMA DE COMPUTADOR ( SOFTWARE ) NÃO PERSONALIZADO... 4 1.1. SAÍDA INTERNA... 4 1.1.1. Isenção... 4 1.1.2. Crédito Presumido... 4 1.2. SAÍDA INTERESTADUAL...

Leia mais

Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014

Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014 Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014 Apresentador: José Alves F. Neto Transporte - conceito ICMS X ISS Como determinar a competência Fato gerador RICMS/SP Artigo 2º - Ocorre

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS ICMS

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS ICMS CONCEITO A substituição tributária é o instituto pelo qual o Estado transfere a responsabilidade de recolhimento do imposto para terceiro, que não deu causa ao

Leia mais

COMITÊ AGENDA POLÍTICA ABAD DATA DO ENCONTRO: 02 DE JUNHO DE 2014 HORÁRIO: DAS 15h00 AS 17h30 LOCAL: SALA ABAD HOTEL MAKSOUD PLAZA

COMITÊ AGENDA POLÍTICA ABAD DATA DO ENCONTRO: 02 DE JUNHO DE 2014 HORÁRIO: DAS 15h00 AS 17h30 LOCAL: SALA ABAD HOTEL MAKSOUD PLAZA COMITÊ AGENDA POLÍTICA ABAD DATA DO ENCONTRO: 02 DE JUNHO DE 2014 HORÁRIO: DAS 15h00 AS 17h30 LOCAL: SALA ABAD HOTEL MAKSOUD PLAZA Líderes do Comitê: Douglas Maurício Cintra, Alair Martins Jr., e Jorge

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dispensa Registro de Marcações no Intervalo de Trabalho - Batidas Pré-Assinaladas

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dispensa Registro de Marcações no Intervalo de Trabalho - Batidas Pré-Assinaladas Dispensa Registro de Marcações no Intervalo de Trabalho - Batidas Pré-Assinaladas 16/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 37, DE 2009

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 37, DE 2009 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 37, DE 2009 Altera a Lei nº 9.250, de 26 de dezembro de 1995, e a Lei nº 9.532, de 10 de dezembro de 1997, para permitir a dedução, do imposto de renda das pessoas

Leia mais

Resolução do Senado 13/2012. Análise da Aplicação da norma e do cumprimento das obrigações acessórias

Resolução do Senado 13/2012. Análise da Aplicação da norma e do cumprimento das obrigações acessórias Resolução do Senado 13/2012 Análise da Aplicação da norma e do cumprimento das obrigações acessórias 1 Tributação do Consumo: A tributação do consumo no Brasil: Repartição de competências: Art. 155. Compete

Leia mais

VALE-TRANSPORTE. São beneficiários do vale-transporte os trabalhadores em geral, tais como:

VALE-TRANSPORTE. São beneficiários do vale-transporte os trabalhadores em geral, tais como: VALE-TRANSPORTE 1. Introdução O vale-transporte foi instituído pela Lei nº 7.418 de 16.12.85, regulamentada pelo Decreto nº 92.180/85, revogado pelo de nº 95.247, de 17.11.87, consiste em benefício que

Leia mais

... LEI N. 2.956, DE 9 DE ABRIL DE 2015

... LEI N. 2.956, DE 9 DE ABRIL DE 2015 LEI N. 2.956, DE 9 DE ABRIL DE 2015 Altera e acrescenta dispositivos à Lei n. 1.358, de 29 de dezembro de 2000 que Institui o Programa de Incentivo Tributário para Empresas, Cooperativas e Associações

Leia mais

REGIME ESPECIAL DE TRIBUTAÇÃO

REGIME ESPECIAL DE TRIBUTAÇÃO REGIME ESPECIAL DE TRIBUTAÇÃO Definição Regime Especial de Tributação (RET) é um processo administrativo por meio do qual a SEF concede, em caráter individual, tratamento especial ao contribuinte, considerando

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) 30/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Lei Complementar nº 87 de 13 de setembro de 1996.... 4 3.2 Convênio ICMS

Leia mais

ICMS: Guerra Fiscal e a Zona Franca de Manaus. Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho

ICMS: Guerra Fiscal e a Zona Franca de Manaus. Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho ICMS: Guerra Fiscal e a Zona Franca de Manaus Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho Guerra Fiscal : Definição Práticas competitivas entre entes de uma mesma federação em busca de investimentos privados.

Leia mais

Página 1 de 12 Agenda Tributária Emissão: às 14:02h Agenda Tributária (Janeiro de 2014) Obrigações Filtros Aplicados: Agenda: Janeiro/2014 - Estado: São - Cidade: São - Dia Inicial: 1 - Dia Final: 31 Dia

Leia mais

Tatiana Guimarães Ferraz Andrade 1

Tatiana Guimarães Ferraz Andrade 1 Principais Mudanças no regime de trabalho determinadas pela Lei 13.103/15 e seus impactos no dia-a-dia das transportadoras e dos motoristas de veículos de cargas e de passageiros Tatiana Guimarães Ferraz

Leia mais

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo!

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo! SAD Gestor ERP Módulo Estoque Cadastro de Produto Escrita Fiscal Seja Bem Vindo! Introdução O planejamento tributário deve fazer parte do cotidiano da empresa. É uma decisão estratégica que pode determinar

Leia mais

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atividades Sujeitas ao Regime. Julho 2010. Apoio: Elaborado por:

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atividades Sujeitas ao Regime. Julho 2010. Apoio: Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

REDUÇÃO DA MVA DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM 70%, NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL DE SANTA CATARINA

REDUÇÃO DA MVA DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM 70%, NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL DE SANTA CATARINA REDUÇÃO DA MVA DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM 70%, NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL DE SANTA CATARINA Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 15.07.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO

Leia mais

O que é Substituição Tributária de ICMS e sua contabilização

O que é Substituição Tributária de ICMS e sua contabilização O que é Substituição Tributária de ICMS e sua contabilização Prof. Francisco F da Cunha 1 A substituição tributária do ICMS está atualmente prevista no Artigo 150, da Constituição Federal de 1988, que

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 03/12/2009

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 03/12/2009 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 07/12/2009 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de NOVEMBRO/2009 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. FGTS - Recolhimento do mês de NOVEMBRO/2009 - Base

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ALVARO DIAS I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ALVARO DIAS I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 22, de 2011, do Senador Lindbergh Farias, que autoriza a União a conceder isenção fiscal,

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015 Institui programa de concessão de créditos da União no âmbito do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, denominado Nota Fiscal Brasileira, com o objetivo de incentivar

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 5, ANO III MAIO DE 2011 1 ESTADO NÃO PODE RECUSAR CRÉDITOS DE ICMS DECORRENTES DE INCENTIVOS FISCAIS Fiscos Estaduais não podem autuar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL (LRF) Atualizado até 13/10/2015 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) tem como base alguns princípios,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Operações com Mercadorias em Hotéis - ICMS ISS - Cupom

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Operações com Mercadorias em Hotéis - ICMS ISS - Cupom Operações com Mercadorias em Hotéis - ICMS ISS - Cupom 24/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1 Incidência dos

Leia mais

BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 20, DE 2015

BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 20, DE 2015 BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 20, DE 2015 QUESTÕES FEDERATIVAS EM DEBATE NO SENADO EM 2015 Marcos Mendes 1 Diversas matérias que afetam as relações fiscais federativas estão em tramitação no Congresso Nacional,

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador JOSÉ PIMENTEL

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador JOSÉ PIMENTEL PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 132, de 2008 Complementar (Projeto de Lei Complementar nº 182, de 2004, na origem), do Deputado José Carlos Aleluia,

Leia mais

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012 ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012 TRIBUTOS FEDERAIS EXPORTAÇÃO INDIRETA - CONSIDERAÇÕES BÁSICAS... ICMS - MS/MT/RO ENTREGA FUTURA - PROCEDIMENTOS... LEGISLAÇÃO

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS EM RISCO. e GOIÂNIA, 28 DE JUNHO DE 2011

INCENTIVOS FISCAIS EM RISCO. e GOIÂNIA, 28 DE JUNHO DE 2011 Cenário Atual, Perspectivas s e Reflexões e GOIÂNIA, 28 DE JUNHO DE 2011 CONFAZ - Conselho Nacional de Política Fazendária - Constituição i Federal 1988 art. 155, 2º, XII, g - Cabe a Lei Complementar regular

Leia mais

Distrito Federal > Novembro/2015

Distrito Federal > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO ESPECIAL? R= Em valor correspondente à diferença entre a alíquota interna e a

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/07/2011

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/07/2011 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 06/07/2011 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de JUNHO/2011 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. Dia 07/07/2011 FGTS - Recolhimento do mês de JUNHO/2011

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL (SRF e INSS)

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL (SRF e INSS) AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 06/12/2011 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de NOVEMBRO/2011 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. Dia 07/12/2011 FGTS - Recolhimento do mês de NOVEMBRO/2011

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ DECRETO Nº 1.742

ESTADO DO PARANÁ DECRETO Nº 1.742 Publicado no Diário Oficial Nº 8488 de 15/06/2011 DECRETO Nº 1.742 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA Art. 1º

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATORA: Senadora ROSALBA CIARLINI

PARECER Nº, DE 2009. RELATORA: Senadora ROSALBA CIARLINI PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Substitutivo da Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei do Senado nº 203, de 2001 (PL. nº 06302, de 2002, na Câmara), que regulamenta o exercício

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO LEI N. 1.021, DE 21 DE JANEIRO DE 1992 "Define microempresa para efeito fiscal previsto na Lei Complementar n. 48/84 e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que

Leia mais

GUERRA FISCAL ENTRE OS ESTADOS

GUERRA FISCAL ENTRE OS ESTADOS AV. PAULISTA, 1499 13º ANDAR 01311-928 - SÃO PAULO, SP - BRASIL TEL.: +55 (11) 2198 7400 - TELECOPIER: +55 (11) 2198 7401 E-MAIL: murray@prmurray.com.br WEBPAGE: www.prmurray.com.br GUERRA FISCAL ENTRE

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 476, DE 2009

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 476, DE 2009 MEDIDA PROVISÓRIA Nº 476, DE 2009 NOTA DESCRITIVA FEVEREIRO/2010 Nota Descritiva 2 SUMÁRIO I Introdução...3 II Prazos para apreciação...5 III Emendas apresentadas...5 2010 Câmara dos Deputados. Todos os

Leia mais

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

ICMS relativo ao Diferencial de Alíquotas. Implementação da Emenda Constitucional nº 87/2015 em Minas Gerais

ICMS relativo ao Diferencial de Alíquotas. Implementação da Emenda Constitucional nº 87/2015 em Minas Gerais ICMS relativo ao Diferencial de Alíquotas Implementação da Emenda Constitucional nº 87/2015 em Minas Gerais Emenda Constitucional 87/2015 CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 "Art. 155 (...) 2º (...) VII - nas operações

Leia mais

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal INTRODUÇÃO Um dos objetivos do uso de equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF é a automação comercial. O ECF é, sem dúvida, um instrumento importante nesse processo.

Leia mais

http://www.lgncontabil.com.br/

http://www.lgncontabil.com.br/ ADICIONAL NOTURNO - PROCEDIMENTOS 1. INTRODUÇÃO O adicional noturno é devido ao empregado que trabalha a noite no período biológico em que a pessoa deve dormir. É no período noturno que o organismo humano

Leia mais

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO Agosto de 2015 Palestra DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA NA AQUISIÇÃO DE MERCADORIAS INTRERESTADUAIS Tributação do ICMS nas entradas de outra Unidade da Federação

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO Sumário 1. Introdução 2. Antecipação tributária 3. Produtos sujeitos - Relação

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 1/18 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Registro de Ponto Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 2/18 1 Conteúdo

Leia mais

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes Menor Aprendiz Perguntas Frequentes A aprendizagem é regulada pela CLT e passou por um processo de modernização com a promulgação das Leis nºs. 11.180/2005, 10.097/2008 e 11.788/2008. O Estatuto da Criança

Leia mais

ICMS/SP Substituição Tributária

ICMS/SP Substituição Tributária Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

Artigos incluídos ou alterados pela Proposta:

Artigos incluídos ou alterados pela Proposta: ESTUDO PRELIMINAR SOBRE A PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA ENVIADA AO CONGRESSO EM FEVEREIRO DE 2008 (SE REFERE AOS TÓPICOS DE INTERESSE DOS MUNICÍPIOS) Artigos incluídos ou alterados pela Proposta: Adv.

Leia mais

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br REPRESENTATIVIDADE DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL 10 milhões de negócios formais (99%) e 9 milhões de informais 56,1% da força de trabalho que atua no setor formal urbano 26% da massa salarial 20% do

Leia mais

EMPRESA DE REFEIÇÕES COLETIVAS

EMPRESA DE REFEIÇÕES COLETIVAS (atualizado em 19/09/2013) 2 ÍNDICE 1. REGRAS GERAIS...5 2. CREDENCIAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO CRÉDITO PRESUMIDO...6 3. RECUPERAÇÃO DOS CRÉDITOS RELATIVOS À MERCADORIA SUJEITA AO REGIME DE ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA...7

Leia mais

Identificação e recuperação de créditos

Identificação e recuperação de créditos www.pwc.com Identificação e recuperação de créditos Outubro/ 2014 Conteúdo Descrição Pág. Posicionamentos nos Tribunais Superiores quanto à não incidência de contribuição previdenciária sobre determinados

Leia mais

PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI)

PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI) PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI) Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 03/09/2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - PREÇO DE REFERÊNCIA 2.1 -

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2011

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2011 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2011 Acrescenta a alínea c ao inciso VII do 2º do Art. 155 da Constituição, para determinar que seja adotada a alíquota interestadual quando o destinatário não

Leia mais

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social 1.4.7.3. Contribuições do art.195 CF Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social (previdência, saúde e assistência social), espécies de contribuições sociais, como

Leia mais

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011.

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011. DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011. SUMÁRIO: 1 INTRODUÇÃO 2 HIPÓTESES DE INCIDÊNCIA 2.1

Leia mais

Sistema tributário brasileiro: Distorções e necessidade de mudança

Sistema tributário brasileiro: Distorções e necessidade de mudança Sistema tributário brasileiro: Distorções e necessidade de mudança Bernard Appy maio de 2015 Sistema tributário brasileiro Características desejáveis Características desejáveis de um sistema tributário

Leia mais

As atividades econômicas cujas operações estão sujeitas a obrigações específi cas não estão relacionadas nesta agenda. Histórico (descrição)

As atividades econômicas cujas operações estão sujeitas a obrigações específi cas não estão relacionadas nesta agenda. Histórico (descrição) Agenda de Obrigações Fiscais Obrigações Estadual e Municipal OBRIGAÇÕES ESTADUAL E MUNICIPAL de AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAIS No quadro a seguir, relacionamos os prazos de e as obrigações acessórias do,

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015. Capítulo I Disposições Gerais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015. Capítulo I Disposições Gerais PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015 Institui o Programa de Recuperação Fiscal REFIS do Município de Jaboticabal, e dá outras providências. Capítulo I Disposições Gerais Art. 1º Fica instituído, nos

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Dispõe sobre o quórum de aprovação de convênio que conceda remissão dos créditos tributários constituídos em decorrência de benefícios, incentivos fiscais ou financeiros instituídos

Leia mais

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais Superintendência de Tributação Diretoria de Orientação e Legislação Tributária

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais Superintendência de Tributação Diretoria de Orientação e Legislação Tributária (*) Orientação Tributária DOLT/SUTRI Nº 001/2009 Novas regras do Simples Nacional - Implicações no âmbito estadual Vigência: 1º/01/2009 A Lei Complementar nº 128, de 19 de dezembro de 2008, modificou a

Leia mais

Tolerância: art. 58, 1º da CLT.

Tolerância: art. 58, 1º da CLT. AULA 11: Tolerância: art. 58, 1º da CLT. Art. 58 da CLT 1º - Não serão descontadas nem computadas como jornada extraordinária as variações de horário no registro de ponto não excedentes de cinco minutos,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO CÉLULA DE PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE FISCALIZAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO CÉLULA DE PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE FISCALIZAÇÃO ICMS ANTECIPADO - OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO para recolhimento pelos optantes do Simples Nacional? Na unificação das seguintes modalidades

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011 Regulamenta o exercício das profissões de transcritor e de revisor de textos em braille. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Na produção de textos no sistema

Leia mais

RESOLUÇÃO N 007 /2014

RESOLUÇÃO N 007 /2014 RESOLUÇÃO N 007 /2014 SICME/MT - Aprovar o benefício fiscal para as empresas fornecedoras de máquinas, equipamentos e insumos às indústrias de confecções participantes dos APL(s) Arranjos Produtivos Locais

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais