A VERDADEIRA HISTÓRIA DO BRASIL A INTENTONA COMUNISTA DE 1935

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A VERDADEIRA HISTÓRIA DO BRASIL A INTENTONA COMUNISTA DE 1935"

Transcrição

1 Edição Histórica BELO HORIZONTE, 27 DE NOVEMBRO DE ANO XVII - Nº 171 A VERDADEIRA HISTÓRIA DO BRASIL A INTENTONA COMUNISTA DE 1935 A FARSA CONTINUA A memória de uma nação é um bem precioso que necessita ser preservado, a todo custo, e relembrada constantemente, para impedir que erros históricos não mais se repitam impunemente. A fidelidade às provas documentais existentes e disponíveis, deve ser a pedra de toque, da ética dos historiadores, dos professores e dos jornalistas, quando da transmissão dos fatos aos seus leitores, alunos e ouvintes. Ignorá-las e/ou distorcê-las, premeditadamente, configura um crime de lesa-pátria difícil de se compreender e de aceitar. Todos os grandes jornais e revistas do país dispõem em seus arquivos, de um rico acervo dos fatos relacionados com a Intentona Comunista de 1935, bem como daqueles vivenciados nos anos 60. Porque então o silêncio? Porque então a prática sistemática do engôdo intencional àqueles que desejam se informar? É preciso que a seriedade e a verdade, voltem a prevalecer sobre a falsidade e que a maior farsa do século XX, o comunismo, seja renegada definitivamente pela sociedade brasileira. LEIA NA PÁGINA 3 EDIÇÃO HISTÓRICA sta Edição Histórica é dedicada especialmente aos jovens, civis e militares, de nosso Brasil. Nela constam somente FATOS VERDADEIROS, que não podem ser contestados e necessitam ser do conhecimento daqueles que, hoje, estão sendo vítimas de uma das maiores manipulações de consciências de que se tem notícia em nossa História Pátria, patrocinada pelo governo federal, atráves do Ministério da Educação. E O COMUNISMO O COMUNISMO não é a fraternidade: é a inversão do ódio entre as classes. Não é a reconciliação dos homens: é a sua exterminação mútua. Não arvora a bandeira do Evangelho: bane a Deus das almas e das reivindicações populares. Não dá tréguas à ordem. Não conhece a liberdade cristã. Dissolveria a sociedade. Extinguiria a religião. Desumanaria a humanidade. Everteria, subverteria, inverteria a obra do Criador. Rui Barbosa H ORDEM DO DIA - 27 DE NOVEMBRO LEMBRAI-VOS DE 35! Uma Intentona que nunca mais deverá acontecer! á na Praia Vermelha, na dados e de quase 300 homens da taram indiscriminadamente, tentando expandir a rebelião a todo cidade do Rio de Janeiro, um monumento votaram a cidade, durante quatro custo. Esbarraram na mais fér- guarda civil. Os rebeldes sujeitivo edificado em memória dos dias, à violência e ao saque de rea resistência das forças legalistas. E perderam a luta. mortos da conhecida Intentona estabelecimentos bancários e comerciais. Tropas do então 20º Ba- Não foi essa a última ten- Comunista de Diante dele, todos os anos, democratas se talhão de Caçadores, de Alagoas, tativa desses radicais de conquistar o poder para estabelecer postam em sinal de respeito, e da polícia da Paraíba os contiveram e restabeleceram a ordem. uma tirania no Brasil. Nas déca- com a esperança de que tempos fatídicos de revoluções totalitárias nunca mais tenham lugar civis, reforçados por oficiais e pramente. O Exército viu-se compe- Em Pernambuco, revoltosos das seguintes, tentaram novalido a contrapor-se a eles, vencendo-os em combates de rua e em selvas inóspitas, mesmo experimentando o desgaste de um conflito prolongado. Não apenas os derrotou, mas ajudou também a desenvolver o País. Quase ao final do século passado, o tempo se encarregou de Honras fúnebres aos mortos mostrar ao mundo a decadência do comunis- da Intentona Comunista de 1935, na Avenida Rio Branco - Rio de Janeiro mo, aniquilado por suas próprias contradições, entre nós. Essas atitudes mórbidas e tresloucadas que, 66 se das atrocidades. Durante dois violência exacerbada, por miças equivocados, encarregaram- por seus inúmeros erros, por sua anos atrás, levaram ao derramamento de sangue de inocentes travados em vários pontos do ram à humanidade. Sessenta e dias, combates violentos foram lhões de mortos que impuse- em quartéis do Exército, no Nordeste e no Rio de Janeiro, são grassem entrar em Recife. Duas co novembro, os quartéis do estado, sem que os rebelados lo- seis anos depois daquele trági- apenas sombras indesejáveis unidades do Exército e a polícia Exército Brasileiro param, por em nossa História, coisas que o bloquearam-lhes a passagem e alguns momentos, para refletir sobre essa página negra de tempo dissolverá por completo. Nem por isso, no entanto, No Rio de Janeiro, as pro- nossa História. Estamos con- puseram fim à rebelião. deixarão de ser lamentáveis, porções do movimento foram mais vencidos, mais do que nunca, porque contrapõem-se à idéia amplas e cruéis, tendo sido deflagrado, simultaneamente, no 3º e que estivemos ao lado da que nossa luta não foi em vão, de liberdade e democracia. A insurreição de 35, como Regimento de Infantaria, na Praia sociedade brasileira todas as bem recordamos, teve envolvimento de militares contaminados fantaria e no Batalhão de Comunioria, rejeitou o radicalismo, a Vermelha; no 2º Regimento de In- vezes em que esta, em sua mai- pela doutrina comunista que alguns desejavam impor ao Bra- de Aviação, no Campo dos Brasília, 27 de novembro de 2001 cações, na Vila Militar; e na Escola desordem e o terror. sil. Começou em Natal, com a Afonsos. Os amotinados, companheiros de véspera, feriram e ma- Comandante do Gen Ex Gleuber Vieira participação de graduados e sol- Exército

2 25 de novembro - edição das 9 horas 25 de novembro - edição das 11 horas A. Diario da Tarde edição Director Dario de Almeida Magalhães NUMERO AVULSO: 200 RÉIS BELLO HORIZONTE SEGUNDA-FEIRA, 25 DE NOVEMBRO DE 1935 ANNO V MÚMERO Sangrentos combates em Recife, tendo as forças legaes conseguido retomar a cidade de Olinda Vencidos os amotinados de Alagôas, depois de seria lucta em que houve mortos e feridos Rebentou um movimento militar extremista em MACEIO, RECIFE E NATAL Os rebeldes dominam a capital potyguar, cujo governo se transferiu para Macahyba Enviados para o Norte dois cruzadores e duas esquadrilhas de aviões de bombardeio e de caça Rumaram para Recife as forças do Exercito e da Polícia da Parahyba, uma bateria de artilharia e o 20º B.C., de Maceió 1 27 de novembro de h Declarado o estado de sítio, por trinta dias, em todo território nacional Estado de Minas, 27 de novembro de 1935 Nº Novembro/2011 Jornal A Manhã da Aliança Nacional Libertadora, Rio, 27/11/ Sangrentos combates em Recife O governo organizou séria resistencia e espera desalojar hoje, de seus reductos os revoltosos As tropas legaes retomaram a cidade de Olinda O AVISO DE PRESTES aos seus companheiros Texto do sobreaviso dado hontem, por Luís Carlos Prestes aos seus companheiros de revolução. O Comitê Revolucionario, sob a minha direção, frente aos acontecimentos que se desencadeiam no norte do paiz e à ameaça de installação de uma dictadura reacionaria decide que todas as forças da Revolução estejam promptas para lutar pelas liberdades populares e para dar o golpe definitivo no governo de traição nacional de Getulio Vargas Dia e hora serão opportunamente marcados". Rio de Janeiro, 26 de novembro de 1935 Luís Carlos Prestes

3 maior farsa do século XX, o comunismo, Ateve sua origem na Revolução Russa de 1917, quando os bolcheviques, liderados por Lênin e inspirados na doutrina do Manifesto Comunista, derrubaram o governo provisório de Kerensky, trucidaram o Czar e sua família, além de milhões de cidadãos, para conquistar o poder. Instalada a ditadura comunista, é criada a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Lênin, Os gulags soviéticos Bukharin, Stálin, Trotsky e outros cometem os maiores crimes contra a humanidade, assassinando os adversários e os camaradas ou os condenando a trabalhos forçados nos gulags das estepes geladas da Sibéria. O regime comunista soviético, em nome dessa ideologia ultrapassada, o marxismo-leninismo, fez mais de cem milhões de vítimas e finalmente termina ruindo com o Muro de Berlim, em novembro de Terá sido o marco final da desvairada utopia comunista? Não cremos. A China, Cuba, Coréia do Norte, Vietnã, Venezuela, Bolívia e o Brasil ainda não sabem que o muro da vergonha caiu há dezenove anos. Em nosso País, essa data passou quase despercebida e os defensores dos Direitos Humanos, o grupo Tortura Nunca Mais, e outros, se omitiram, quando era oportuno lembrar o assassinato de estudantes chineses na Praça da Paz Celestial, em Pequim, o "paredón" e constantes pedidos de asilo político de desportistas, jornalistas e artistas cubanos, além dos "balseros" que, diariamente, arriscam suas vidas fugindo da ilha da fantasia... Mistificadores por excelência, repetem hipocritamente, ad nauseam, sua fidelidade à democracia e o respeito aos direitos humanos. Tentam, por todos os meios, mudar a História do Brasil, transformando seqüestradores, assassinos, assaltantes de bancos e terroristas em heróis, dando a eles nomes de ruas, praças, espaços culturais, etc. Criado em 1922, o PCB Partido Comunista do Brasil, tenta pela primeira vez a conquista do poder em fins de novembro de 1935 com a sublevação de unidades militares, assassinando traiçoeiramente seus companheiros, na calada da noite, em Natal, Recife e no Rio de Janeiro. São derrotados pelo Governo Federal e pela total falta de apoio da população. Do livro Meu Companheiro de Maria Prestes: Em 1935, o casal (Prestes e Olga Benário) estava se dirigindo ao Brasil, onde se preparava o levante armado que abriria uma perspectiva socialista para o maior país da América do Sul. No início da década de 1960, no auge da guerra fria, a Nação sente-se ameaçada pela falta de autoridade, inflação em alta, greves constantes da CGT, saques, agitações no campo (MST de hoje), tentativas de quebra da hierarquia e da disciplina nas Forças Armadas e percebe a revolução comuno-sindicalista iminente. Em 31 de março de 1964, Minas Gerais, representando os sentimentos patrióticos e espontâneos da população brasileira, atendendo ao clamor popular, com o governo estadual e a Polícia Militar, apóia a contra-revolução iniciada pela 4ª RM (Juiz de Fora) e ID/4 (Belo Horizonte). Marcharam para o Rio e Brasília, sem encontrar qualquer resistência. A adesão foi total e pela segunda vez os comunistas são derrotados, sem qualquer vítima. No Rio, a Marcha da Família com Deus pela Liberdade reúne um milhão de pessoas em homenagem às Forças Armadas. Impedidos de conquistar o poder, os derrotados de 1964 formam grupos subversivos treinados em Cuba, China e URSS, que têm por finalidade a implantação de um regime comunista. Perpetram atos de terrorismo, seqüestros de diplomatas e de aviões, assaltos a bancos, "justiçamentos", assassinatos, atentados com bomba e ações de guerrilha urbana e rural. No início da década de 1970 são derrotados pela terceira vez!! Passado o profícuo regime militar, que levou o Brasil a ser a 8ª economia mundial, a pleno emprego, sem massacre da classe média e do funcionalismo, com um PIB de 9,3%, jamais alcançado pelos governos subseqüentes, todos de triste lembrança, é promulgada a Constituição cidadã de 1988 que, a toda hora, é estuprada segundo os interesses dos porões do Palácio do Planalto, conforme se constata nos governos de FHC e de Lula. A Lei da Anistia, proposta pelos vencedores, no governo Figueiredo, parece obra e conquista dos derrotados. Foram criadas a Comissão dos Mortos e Desaparecidos Políticos e a Secretaria Especial de Direitos Humanos, que premiam as famílias de desaparecidos e até de vivos, com centenas de milhões de reais, com o apoio de um governo corrupto e pleno de ex-guerrilheiros, ex-terroristas e ex-seqüestradores. O ex-guerrilheiro urbano, Alfredo Hélio Sirkis, que participou dos seqüestros dos embaixadores da Alemanha e da Suíça, no livro Os Carbonários, lembra que, apesar de derrotados na guerra, conseguiram criar uma outra versão da história, nas obras literárias, memorialísticas, nos audiovisuais, na TV e em CD-ROM Diz ele Se na primeira perdemos fragorosamente, na segunda não nos saímos de todo mal. Ao final do livro, é demonstrado o posicionamento de grande número de ex-guerrilheiros e ex-terroristas, em atividades editoriais, na cátedra universitária, na mídia e em cargos públicos, onde muito fazem sucesso contra as Forças Armadas, tentando denegri-las. O Comandante Fidel (e seu irmão Raúl) é recebido festivamente no Brasil pelas autoridades e é visitado constantemente pelo presidente Lula e por comitivas do PT, quando o comissário José Dirceu (Daniel) chora em seus ombros. Che Guevara é capa permanente em cadernos e camisetas de nossos estudantes e é promovido constantemente no cinema e pela PTV Globo. Mao Tsé Tung e Lamarca estão na carteira estudantil da União Colegial de Minas A FARSA CONTINUA... Nº Novembro/ Gerais. Mao, Fidel e Guevara exportaram para dos pelo próprio governo, a Justiça é dura nós o ódio, o terrorismo, a subversão e a morte com o cidadão comum e ministros do STF se e são exemplos para a nossa entregam vergonhosamente juventude e endeusados pela aos desejos do executivo. O mídia venal e pelos livros didáticos adotados pelo Minisvir aos brasileiros e não a si dever dos legisladores é sertério da Educação. mesmos. A miséria é cada Agora, no limiar do século XXI, tentam pela quarta mília proporcionando mi- vez maior, com a bolsa-fa- vez. É a hora e a vez de Hugo lhões de votos a Lula/Dilma. Chávez, que procura interferir em nossas relações interna- que o PT - Partido dos Tra- Constatamos, finalmente, cionais, sendo o novo espelho balhadores, com a parceria do Presidente Lula, que é ridiculizado pelas ações de Evo esquema de corrupção ja- do PMDB, montou o maior Morales, Rafael Correa, mais visto no país, ao qual o Cristina Kirchner e até do presidente Lula fecha os "bispo" Fernando Lugo do olhos e ainda protege os companheiros envolvidos, fin- Paraguai. E a farsa continua... Atualmente, somos gindo nada saber. quase 200 milhões, sem ação, Sabemos que as Forças Armadas são o último enganados, desprotegidos, entregues à própria sorte, enquanto os corruptos partidos comunismo no Brasil, es- anteparo à implantação do políticos de esquerda procuram tomar o poder de fato, com devotamento e patriotando prontas para cumprir, para dar continuidade a seus tismo, a missão constitucional de manter a nossa odiosos e obsessivos projetos socialistas, utilizando todos os meios, principalmente essas que deixaram como soberania, Forças Armadas os ilícitos, para alcançar seu principal legado a democracia, impedindo a instalação objetivo principal - a implantação de um regime dessa ideologia totalitária em comunista, de acordo com 1935, 1964 e início dos anos o Foro de São Paulo. A "Marcha da Família com 70. E permanecem alertas Constatamos que, um Deus pela Liberdade" para impedir mais essa recente investida para comu- presidente não vale pelo que fala e sim pelo que faz (ou deveria fazer), os nizar o nosso País! partidos políticos estão partidos e são parti- Até quando a farsa continuará? PRONUNCIAMENTO DO GENERAL DUTRA É preciso relembrar o vandalismo desencadeado naquele dia, a atitude afrontosa com que saíram das ruínas do 3º RI, os autores daqueles crimes, a maneira ostensiva com que alardeavam os processos traiçoeiros que conseguiram dominar pelo terror. Relembrar esses fatos é certamente doloroso. Mas é preciso relembrar, porque a maior virtude do brasileiro é ó esquecimento e essa virtude é quase sempre o seu maior defeito. Rio de Janeiro, 27 de novembro de 1937 Gen Eurico Gaspar Dutra - Ministro da Guerra PRONUNCIAMENTO DE GETÚLIO VARGAS O presidente Getúlio Vargas, em pronunciamento nas primeiras horas do ano de 1936, sobre a "Intentona", afirmou: "... Padrão eloqüente e insofismável do que seria o comunismo no Brasil, tivemo-lo nos episódios da baixa rapina e negro vandalismo de que foram teatro as ruas de Natal e de Recife, durante o surto vergonhoso do credo russo, assim como na rebelião de 27 de novembro, nesta capital, com o registro de cenas de revoltantes traições e até de assassínio, frio e calculado, de companheiros confiantes e adormecidos..." Saindo do Clube Militar, o Presidente Vargas e o deputado Antônio Carlos, presidente da Câmara de Deputados carregam o caixão de um oficial do 3º RI Setenta e seis anos depois, esses bravos militares, mortos em serviço, cujos familiares nunca pediram e nunca receberam indenizações, certamente ainda merecem o respeito de todo o povo brasileiro. Eles tiveram a honra e o privilégio de sacrificar a própria vida, defendendo a Pátria!

4 Nº Novembro/ de novembro - edição das 15 horas Sexta-feira - 29 de novembro - edição das 11 horas Avenida Pasteur, 28/11/35: Oficiais e praças insurretos do 3º RI quando, em atitude de zombaria, deixam, presos, o quartel. O chefe do movimento, Agildo Barata está assinalado com um X A. 3 edição Director Dario de Almeida Magalhães Diario da Tarde NUMERO AVULSO: 200 RÉIS BELLO HORIZONTE QUARTA-FEIRA, 27 DE NOVEMBRO DE 1935 ANNO V NÚMERO Dominado, no Rio, o movimento subversivo O 3º. R.I. rendeu-se às 14 horas e 30 minutos, tendo sido a sublevação da E. de Aviação suffocada desde cêdo Estou vencido. Fuzilado pelos rebeldes o 1.º tenente Fui preso Benedicto Lopes Bragança RIO, 27 (Meridional) A reprotagem dos Diários Associados conseguiu falar ao capitão Agildo Barata, minutos após a readição do 3º R.I. O conhecido official, que era o cabeça do movimento sedicioso da tropa Praia Vermelha, foi incisivo: - Estou vencido. Fui preso. Revista "O Cruzeiro" 07/12/1935 Segundo communicações recebidas hoje pela família Bragrança o 1.º tenente Benedicto Lopes Bragança foi fuzilado pelos rebeldes por não ter querido adherir ao movimento da insurreição na Escola de Aviação, na qual commandava um corpo de instrucção. O malogrado official era relacionadissimo, em Bello Horizonte, aqui tendo servido no 10.º R.I, e aqui feito o seu curso de humanidade. O corpo do tenente Bragança chegará amanhã nesta capital. CONCLUSÕES ste é um breve relato da rebelião comunista de 27 de novembro de Por Eser apenas um resumo foram omitidos muitos detalhes e nomes envolvidos nos acontecimentos que enlutaram o País. Mesmo assim, ficou demonstrado de modo insofismável até que ponto pode chegar a ambição política a qualquer preço, a demagogia inconseqüente e deletéria, a dissimulação, a mentira e o cinismo de receberem dinheiro e orientação externos para entregar a Pátria ao domínio estrangeiro. Sejam quais forem os disfarces e os processos utilizados, os adeptos do comunismo perseguem sempre os mesmos fins. Para isso são capazes, como vimos, de revoltantes traições e, até, de frios assassinatos de companheiros adormecidos. É oportuno transcrever um trecho da Ordem do Dia do General Dutra, em 27 de novembro de 1937: "É preciso relembrar o vandalismo desencadeado naquele dia, a atitude afrontosa com que saíram das ruínas do 3º Regimento de Infantaria os autores daquele crime, a maneira ostensiva com que alardeavam os processos traiçoeiros e infames com que abateram os companheiros que conseguiram dominar pelo terror". "Relembrar esses fatos é certamente doloroso. Mas é preciso relembrar, porque a maior virtude do brasileiro é o esquecimento e essa virtude é quase sempre o seu maior defeito". Não sabia, porém, o General Dutra que as suas palavras eram, na realidade, uma profecia. Os revoltosos de 1935 foram anistiados e perdoados pela sociedade, mas nem por isso desistiram de implantar, no Brasil, um regime comunista contrário à vontade e à índole do nosso povo. Voltaram a perseguir os mesmos objetivos de tomada do Poder em 1964, sendo barrados pela Revolução democrática de 31 de Março de Não conseguindo seus intentos retornaram, em 1968, os insanos importadores do ódio e da violência, a praticar seqüestros, assassinatos brutais de civis e militares, assaltos a bancos, atitudes do mais baixo e repugnante padrão moral, agindo em nome da mesma soturna ideologia de seus mestres comunistas de Deixaram um rastro de mais de 200 mortos civis e militares, 500 mutilados e feridos, vítimas da sanha assassina dos herdeiros da intentona de Podemos afirmar que o sacrifício daqueles que combateram o comunismo não foi em vão. Hoje no poder, os derrotados de ontem estão podendo dar vazão plena ao ódio que os mobilizara naquela época. No entanto é preciso manter a vigilância, pois as intenções deles parecem estar latentes, só aguardando uma oportunidade para se fazer presentes. Tudo devidamente comprovado com as campanhas sórdidas e mentirosas constantemente veiculadas pela mídia venal e vendida contra as Forças Armadas e, em particular, a permanente tentativa de denegrir o Exército Brasileiro. A lição de 1935 permanecerá viva. As Forças Armadas e as Polícias Militares jamais esquecerão as páginas de luto, traição e covardia que o comunismo inseriu na nossa História e, mesmo à custa do sacrifício de vidas, nunca permitirão que seja imposto ao Brasil um regime contrário à sua tradição. Esse é um dever constitucional.

5 EDIÇÃO DE HOJE 10 PAGINAS ESTADO DE MINAS Nº Novembro/ NÚMERO AVULSO: RÉIS ANNO VIII BELLO HORIZONTE, Quarta-feira, 4 de Dezembro de 1935 NUM Extinctos o 21º. e o 29º. Batalhões de Caçadores e o 3º. Reg. de Infantaria Com a chegada de elementos do 22º Batalhão de Caçadores e de uma bateria de Artilharia da Parahyba, os communistas pressionados, começaram a recuar no Recife Medidas energicas para combater o communismo As modificações à Lei de Segurança Nacional, apresentadas pelo deputado Pedro Aleixo, corrigem as deficiências da legislação em vigor Definidos novos crimes contra a ordem política e social Estigmatizando o crime de rebeldia Extinctos o 21.º e o 29.º B. C. e o 3º R.I. Rio, 3 (Meridional) Foi assignado na pasta da Guerra um decreto concebido nos seguintes termos: O presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil, considerando ser acto de justiça e afim de que perdera elle nos annaes militares, estigmatizando o crime de rebeldia que cometteram, decreta: Ficam extinctos os 21º e 29º Batalhões de Caçadores e o 3º Regimento de Infantaria. Artigo 2º - São creados os 30º e 31º Batalhões de Caçadores e o 14º Regimento de Infantaria que deverão ser immediatamente organizados para conservar-se sem alteração o effectivo consignado na organização do Exército. Artigo 3º - Revogam-se as disposições em contrario. Rio de Janeiro, 3 de dezembro de º da Independência e 47.º da República (a) Getulio Vargas, Presidente da Republica" Genese e desenvolvimento da rebellião communista O capitão Felinto Muller, chefe de Polícia do Districto Federal, expõe detal hadamente aos Diários Associados a trama sinistra e as providencias rapidas e energicas do governo federal Luiz Carlos Prestes perdeu, em um lance, a legenda que conquistou em 11 annos Posso assegurar-lhe que, a principio, organisara-se um movimento político-militar de caracter verde e amarello, no estylo dos golpes a que a Republica liberal democrática nos acostumou, na longa história de sua adaptação ao genio político do povo brasileiro. A formação da Alliança Nacional Libertadora, porém, lançou os agentes e possíveis chefes desse movimento para o segundo plano. Este partido tinha uma ideologia definida nos princípios communistas e o seu chefe, sr. Luiz Carlos Prestes, há cinco annos anunnciára ao povo brasileiro as suas novas inclinações anti-democraticas. A rápida expansão desse partido, a propaganda intensa dos seus ideaes nesta capital e nos Estados, deram aos lideres a impressão de uma força capaz de prescindir da collaboração das outras correntes políticas, podendo agir por conta própria e realizar com a figura legendária do sr. Luiz Carlos Prestes, a conquista do poder que tantos outros desejavam. A polícia, como já tive occasião de demonstrar pela imprensa, numa abundante documentação estava certa da absoluta identidade de ponto de vista da Alliança Nacional Libertadora com o programma communista de Prestes. A conspiração político-militar deixára cahir a bandeira verdeamarella, e surgira em seu logar e pavilhão vermelho do bolchevismo. Deante das provas irrefutáveis de que a A. N. L. tramava a subversão violenta do regime social e político do paiz, o governo decidiu fechar a sua séde e os seus núcleos em toda a Republica, e desde este momento os seus dirigentes resolveram levar avante o plano conspiratorio, sob a chefia directa e pessoal de Luiz Carlos Prestes. Deu-se, portanto, uma evolução na trama primitiva, de natureza política, com o intuito de mudar os homens conservando as instituições, para uma extensão conspiração extremista destinada a implantar em nossa terra o regime russo, ingenuamente disfarçado na fórma de um governo popular revolucionário. A TACTICA DE MOSCOU -Convém não esquecer que os alliancistas seguiam habilmente a táctica de Moscou. Como ficára resolvido no ultimo Congresso do Komintem, os agentes bolchevistas e deveriam trabalhar sempre com os disfarces da liberal democrocia, fingindo uma alliança com os partidos republicanos para combater o fascismo, e desta fórma obter a sua collaboração para a obra revolucionaria. Os alliancista que desejavam a cooperação dos grupos políticos dissidentes, e para não afugental-os, fingiam ter abandonado os propósitos vermelhos da ideologia moscovita, allegando que o comunismo rigido seria inadaptavel ás condições psychologicas da sociedade brasileira. Nesse sentido, procuraram articular-se com elementos políticos e militares, que, a tempo, perceberam o encontro e retiraram a solidariedade que haviam empenhado. A polícia possue documentos preciosos para provar que os communistas pretendiam jogar esses collaboradores numa cilada. O plano era servir-se de seu apoio para conquistar o poder popular revolucionário e, depois de installado este, convertel-o rapidamente, com o auxílio das massas operarias, camponesas e armadas, no regimem communista, segundo o espírito das infiltrações soviéticas. Possuo no archivo da polícia, cartas em que os líderes communistas explicam este projecto a camaradas que se mostram surprehendidos com a entente de alliancismo com os grupos da burguesia liberal democrática. O governo popular revolucionário era apenas uma fachada para attrahir ingênuos. Viria, logo depois, atrás delle, a verdadeira revolução social, inspirada no lemma: pão, terra e liberdade, com um governo de operários, camponeses, marinheiros e soldados de accordo com os moldes práticos consagrados pelo golpe de 1917 na Rússia. (Extrato) NOSSO COMENTÁRIO Qualquer semelhança com os dias atuais não é mera coincidência. A leitura da entrevista do Chefe de Polícia do Distrito Federal, em 1935, revela que o processo revolucionário comunista continua tendo as mesmas características nos dias de hoje. Nas fases que antecedem a tomada do poder todas as aparências de legalidade e de participação democrática no jogo político. A formação de frentes e alianças eleitorais com os partidos de esquerda e com a "burguesia liberal" para a formação de um "governo popular democrático" continua a ser a tática dos partidos comunistas e também de partidos que se dizem socialistas, escondendo sua tendência revolucionária. É a tática da "via pacífica" cujo primeiro objetivo é a conquista do governo pelo caminho eleitoral legítimo. A partir daí, o partido comunista ou partido socialista revolucionário, simulando um programa social-democrata, faz a "acumulação de força" a que Tarso Genro (PT/RS) denomina de "reformismo radical", tendo por objetivo a tomada do poder. A Intentona Comunista de 1935 que surpreendeu pela violência, pode repetir-se de forma pacífica, pelo menos nas suas fases iniciais, realizada o que os neo-comunistas denominam "Revolução Nacional Popular". Prestes, ladeado pela Polícia Especial de Vargas, depõe no Conselho de Justiça Militar, fev/37

6 Nº Novembro/ REVELAÇÃO O OURO DE MOSCOU Livro do jornalista William Waack comprova que Moscou comandou a Intentona Comunista de 1935 N WILLIAM WAACK CAMARADAS Nos arquivos de Moscou A História Secreta da Revolução Brasileira de 1935 um prédio do século XVIII que abrigou Personagens venerados no altar da esquerda um luxuoso hotel na rua Gorki, em Moscou, montavam-se conspirações, guer- pelo histórico líder comunista Luiz Carlos Pres- que terá sido o comunismo na perspectiva fizeram em torno de Luiz Carlos Prestes, de Olga brasileira foram dessacralizados. A começar * Antônio Gonçalves Meira ras e rebeliões. Desta verdadeira central de tes (morto em 1990), chefe da rebelião de 1935, Ofinal de sua análise concreta? Para uns terá Benário, das intenções reais do comunismo brasileiro - mero joguete do imperialismo russo e de revoluções partiam ordens e delegados para os que inclusive pagou para entrar no Komintern. sido fascinação; para outros, sofisma; para tantos, os de razão demonstrada, não passou de uma outras autênticas tramóias preparadas contra o mais longínquos confins da Terra, inclusive o Sua primeira mulher, Olga Benário, heroína da Brasil. Histórias de espionagem vividas na URSS mitologia comunista por ter sido entregue pelo trampolina que se tornaria responsável pela Brasil. É um livro para que as gerações mais e, principalmente, no Brasil são contatas pelo chefe da polícia especial de Vargas, Felinto morte cruel de milhões de inocentes. Vítimas em idosas recordem as suas próprias vivências diante do que se dizia ser e do que, de fato, era o jornalista William Waack no livro Camaradas, Müller, aos nazistas e morta num campo de nome das quais se pretendia trazer ao mundo uma lançado pela Companhia das Letras, que chegou concentração, era agente da inteligência militar nova ordem social, com justiça e igualdade. comunismo. É um livro para que as gerações mais às livrarias na quarta-feira 20. Mas não se trata soviética. O Comunismo tem sido o motivo central jovens se previnam contra os fabricantes de de um livro de ficção. Os fatos e personagens Ironicamente, a revolução mundial recebeu uma contribuição involuntária condenação. Algumas tes contenham, obrigatoriamente, o ódio, a vio- de muitas obras escritas, apologéticas ou de fórmulas de felicidade universal cujos ingredien- citados são - ou foram - de carne e osso. Camaradas narra um dos mais dramáticos e ainda de Getúlio Vargas. O cavaleiro da delas estão centradas no lência, o materialismo. obscuros episódios da história do Brasil: a esperança Prestes entregou ao depoimento, uma via para escrever a História sabilidade pessoal de Luiz Carlos Prestes como Definitivamente se comprova a respon- chamada Intentona Comunista, o fracassado Komintern cerca de US$ 20 mil. levante militar comunista de 1935, contra o Esse dinheiro seria parte de uma mas que não tem o mesmo valor do documento. - a jovem Elza Fernandes - incursa em suspeitas mandante da bárbara execução de uma partidária governo Getúlio Vargas. soma total de US$ 80 mil que Com uma documentação farta e inédita, Prestes recebera do caudilho gaúcho. Vargas tentou inutilmente a heurística ou crítica lhe Esse crime, de que tanto Prestes se dizia inocen- O documento, se de colaboração com as autoridades policiais. Waack, revela que a ordem para o levante veio da sede da Internacional Comunista (Komintern). ganhá-lo para a Revolução de dá validade, é a base, por te, era como a mancha que lhe impedia a sacralidade Desaparecem todas as dúvidas sobre essa ordem Mas Waack acha que o dinheiro excelência da interpretação histórica. E é so- admiravam. Negou-o, até morrer em idade avan- aos olhos dos que o seguiam ou, até mesmo, externa, negada durante décadas pelos comunistas brasileiros. Ou quase todas: segundo Waack tes entregou aos agentes do bre documentos que se çada. William Waack sintetiza, a respeito, rela- não era o mais importante: Pres- falta ainda descobrir o cumpra-se pessoal do Komintern uma rede de contatos escreveu Camaradas, tório de Dolores Ibarruri, a Passionária, virago ditador soviético Josef Stalin para a insurreição. e de tipografias clandestinas que a obra de William Waack, que, na Espanha, corresponde ao mito de Prestes, no Brasil: A sugestão foi de Stuchevski, a O jornalista está convencido de que a rebelião organização jamais teria condições cujo subtítulo é Nos armada que eclodiu em Natal, Rio de Janeiro e de criar sozinha no Brasil. Arquivos de Moscou - ordem de Prestes e a execução coube aos Recife foi autorizada entre 22 e 23 de novembro O trabalho de investigação A história secreta da revolução brasileira de ado agente de Moscou que, no Brasil, figurou dirigentes do partido. Stuchevski era o gradu- de 1935 pessoalmente pelo então czar do começou em março de 1992 e foi Kremlin. Conhecendo a estrutura e a mecânica concluído em agosto deste ano. Waack: "A ordem para a rebelião 1935 (Companhia das no processo da intentona como o belga Leon do Komintern, é impossível imaginar que essa Waack chegou aos arquivos do partiu de Moscou" Letras, Rio de Janeiro, Julles Vallel e cuja fuga e retorno à Rússia não agência secreta do Estado soviético se envolvesse numa rebelião armada e a financiasse sem que tico graças a Iuri Ribeiro, filho mais moço de Luiz giada a que recorreu William Waack é o Arquivo tou-o a NKVD, em extinto Partido Comunista sovié- 1993). A fonte privile- lhe propiciaram mais três anos de vida. Execu- Stalin soubesse e autorizasse, diz Waack. Carlos Prestes, que há seis anos vive em Moscou. Obteve cópias ou transcrições de cerca de Histórico, em Moscou, franqueado, agora, aos Camaradas" é um livro cuja leitura se As revelações trazidas pelos documentos do Komintern provocaram um verdadeiro 550 páginas de documentos secretos. O repórter estudiosos destes tempos em que o comunismo, diria recomendável a todos os brasileiros mas é um cadáver embora dele permaneçam obrigatória ao público militar. Obrigatória, por terremoto ao serem publicados, em 29 de agosto, foi favorecido pelos ventos da tumultuada conjuntura política do pós-comunismo russo. Pou- insepultadas algumas partes traduzir-se o seu texto na mais ampla e num caderno especial de O Estado de S. Paulo, Nada atemoriza mais um comunista irretorquível defesa da ação anti-comunista em do qual Waack é correspondente em Berlim. co depois de ele ter feito a pesquisa que daria do que a verdade. Ela sempre funcionou como que se envolveram as nossas Forças Armadas, origem ao livro, os arquivos foram fechados. Era uma época em que, no braço de um exorcismo em face da mentira vermelha e era, desde A nossa luta, e a nossa vitória foram Cópia do original datilografado do pois, necessário que a verdade permanecesse, o triunfo da razão. Honra aos sacrifícios e ao ferro com o Parlamento, o presidente telegrama com o qual a direção da segundo as conveniências, guardada em segredo. sangue derramado em decênios de confronto Boris Yeltsin parecia estar levando a Internacional deu a Prestes e Ewert Assim permaneceu - do ponto de vista da prova com a maior aberração que produziu o pensamento humano, o comunismo. pior. Por precaução ou força do hábito, objetiva - até a publicação agora para historiar a ordem para agir os arquivos foram fechados pelos zelosos funcionários. Só agora, depois do intentona de 1935, dos documentos levantados E estejamos certos! O patrulhamento pelo autor. ideológico ainda não foi desmontado no Brasil. golpe de estado de Yeltsin, neste mês, é Contra o livro já se ouviram algumas A obra de Waack não irá figurar nas famosas que a possibilidade de uma devassa nos vozes e, logicamente, dos fascinados que resistem ao desencanto. Afinal, como recomeçar? A seus suplementos. Corrijam-nos, no futuro se listas dos mais vendidos que a mídia repete em arquivos ainda secretos do comunismo cresceu outra vez. crítica literária e histórica tem aplaudido, de pé, estivermos errados! (Publicado na revista do Camaradas lança luz sobre outra um livro como este. Um livro que põe por terra Clube Militar de dezembro/1993) questão polêmica. Vários historiadores mitos de construção laboriosa, como os que * Tenente-Coronel R/1 assinalaram a aparente contradição entre a Intentona Brasileira e o fato de o Komintern Este livro não foi feito para favorecer alguns em detrimento de outros, nem para estar vivendo uma fase moderada a partir de Preocupada em não se isolar entanto, é inevitável que alguns mitos, imagens, carreiras e reputações e crenças saiam retomar debates e pontos de vista totalmente ultrapassados com o fim da Guerra Fria. No ainda mais, a URSS de Stalin orientava profundamente abalados ao final destas páginas. Berlim, setembro de 1993 W.W. os PCs a formarem alianças com outras forças políticas - eram as chamadas Frentes Populares. É uma premissa teórica OLGA BENÁRIO - A VERDADE falsa. Ao formarem as Frentes Populares, países como Brasil e China, não ambém usava os nomes de Frida EKKI. Foi presa no Brasil em 6 de março de 1936, TLeuschner, Ana Baum de Revidor, Olga juntamente com Prestes, com que teve uma filha, visão do Komintern, estavam diretamente se encaminhando para a insurrei- Sinek, Olga Bergner Vilar e Zarkovich ; sendo deportada para a Alemanha, onde morreu, alemã, membro do IV Departamento do Exército em 1942, em um campo de concentração. ção. A noção de uma grande frente Vermelho (Inteligência Externa); casada na URSS O seu grau de importância na hierarquia da antiimperialista num país semicolonial com B. P. Nikitin; viajou em dezembro de 1934 espionagem soviética deu-se no episódio de era sinônimo de rebelião popular. conclui Camaradas - Por William Waack ao Brasil, acompanhando Luiz Carlos Prestes, reconhecimento de sua morte e nas motivações Waack. (Publicado na ISTO É de 27/10/1993) cumprindo missão que lhe fora atribuída pela nazistas para a liquidarem.

7 * Por Jarbas Passarinho Partido Comu- Brasilei- Onista ro, nascido em 1922, teve vida curta, dirigido por Astrogildo Pereira e Octávio Brandão, quando em 1929 caíram ambos em desgraça da Terceira Internacional fundada por Lênin. Poupados por Moscou que determinou uma trégua, que não durou senão até O Komintern criticava os dirigentes do PCB, proibiu o partido de fazer qualquer aliança nas eleições daquele ano, para cultivar seus clichês: luta contra o imperialismo, terra para os camponeses, afastamento dos intelectuais (Astrogildo, Brandão, Basbaum e Paulo Lacerda) e sua substituição por trabalhadores mal vestidos e que falassem errado. Lembro essa passagem para salientar uma interessante coincidência: quando o PT foi fundado, há 25 anos, pretendia manter o princípio de partido exclusivo de trabalhadores, contrário a toda política de alianças com partidos burgueses e dirigido por um metalúrgico mal vestido e que falava errado. Prestes só seria recebido na Terceira Internacional, ou Komintern, em 1931, quando aceitou pagar o que se chamava outrora, nos clubes de grãfinos, uma luva. Para ser recebido na ilustre companhia dos revolucionários mundiais, pagou 20 mil dólares do fundo recebido de Getúlio Vargas dezesseis meses antes, como revelou William Waack, no seu livro Camaradas, comprovado no acesso que teve aos arquivos de Moscou, após o colapso da União Soviética, Capítulo Ouro Para Moscou, página 43. João Alberto, em A Marcha da Coluna, confirma o entendimento com Getúlio, para que Prestes chefiasse a Revolução de Ele desviou os recursos para cumprir exigência do Kominforn, o mesmo Kominforn que lhe daria ordem para o levante de 1935 e dava (ou retribuia) dólares para chefiar o levante no Nordeste e no Rio de Janeiro. É a prova do Ouro de Moscou. Acho que Prestes vacinou o Exército com esse levante, que deixou marcas indeléveis de traição e covardia, quebrando um princípio de lealdade pertinente à vida castrense, em exemplos históricos como o dos aviadores na 1 a Guerra Mundial. Quando um adversário era abatido, o contendor vitorioso O LEVANTE COMUNISTA DE 1935: REFLEXÕES passava em vôo rasante sobre o vencido e lhe fazia continência. Lee, o famoso general que comandou o Exército dos Confederados na Guerra de Sucessão americana, era instrutor em West Point, quando a guerra eclodiu. Despediu-se da escola, comandada por superiores seus, adeptos de Lincoln, com a tropa que ele iria combater formada em saudação. Não há duvida que eram tempos muito passados, em que a guerra tinha uma componente romântica. Mas em 1935, o comandante do 3 o RI, onde estava preso o capitão comunista Agildo Barata, tinha absoluta confiança nos seus subordinados. Dois deles, fizeram o contrário dos exemplos românticos. Um capitão que devia favores ao Comandante, jurou-lhe ajoelhado que era falsa a informação que o Coronel recebera de que o Regimento se levantaria no dia 27 de novembro e que o capitão era um dos seus líderes. Pois ele mesmo, altas horas da madrugada, cumpriu as ordens que Prestes fizera chegar, escritas, a Agildo Barata. Preocupado com as informações que recebera do Ministério da Guerra, determinou o Comandante a um tenente seu secretário, que instalasse uma metralhadora visando a subunidade suspeitada. O tenente, que tinha um parente na intimidade do Palácio do Catete, com Getúlio Vargas e daí a insuspeição dele - acabou usando a metralhadora em apoio aos comunistas rebelados. Na Escola de Aviação, um oficial que faço questão de não sujar com seu nome este papel em que escrevo, foi encarregado de matar o tenente Danilo Paladini, sabidamente anticomunista. Cobriu o revólver com um jornal e, numa escada em que Paladini se encontrava, chamou-o perguntando se lera o jornal. Quando a vítima desceu uns degraus, o covarde o matou com tiros do revólver escondido no jornal. Outros covardes, também, sujaram a história castrense no Brasil. Um exemplo é o do tenente Bragança, aviador. Cumprindo seu dever, dirigiu-se de trem para o subúrbio de Deodoro, no Rio de Janeiro, com um colega, para apresentarem-se em sua unidade, que não sabia já rebelada. Apanhou-os um capitão (um facínora que vim a conhecer no Congresso quando votamos a lei de anistia), dono de um pequeno automóvel. Sentaram-se os dois oficiais nos bancos de trás. O capitão, sacando uma parabelum dirigiu-se primeiro ao tenente Bragança, dizendo estar a unidade de Cobriu o revólver com um jornal e, numa escada em que Paladini se encontrava, chamou-o perguntando se lera o jornal. Quando a vítima desceu uns degraus, o covarde o matou com tiros do revólver escondido no jornal. Nº Novembro/ Acuse-os do que você faz. Xingue-os do que você é. Lenine aviação revoltada obedecendo Prestes e perguntou se aderiam. O tenente corajosamente respondeu que não. Levou um tiro fatal. O outro abriu a porta do automóvel e jogou-se para fora, protegido pelo lusco fusco e da frágil vegetação de Marechal Hermes. Foi salvo porque o gatilho da arma não percutiu a bala. Dele eu li, já senador, o depoimento que deu no Tribunal de Segurança criado por Getúlio, revelando como se dera a morte do tenente Bragança. Mas, quando capitão instrutor do CPOR de Belo Horizonte, fui companheiro de seu irmão, o capitão Bragança, um oficial de escol, cuja família tinha sido compelida a não revelar o que sabia, para que nas Comemorações da Intentona, na Praia Vermelha, a ferocidade e a deslealdade dos comunistas fosse enfatizada como eles matando até militares dormindo. Coisas de políticos e não exatamente da política como a descreve Max Weber. O Presidente Collor determinou que as comemorações da Praia Vermelha, nos 27 de novembro não mais fossem realizadas, para reconciliação da família brasileira. Passara a ser lembradas nos quartéis. Agora, nem isso. São substituídas pelo culto, de Dom Paulo Evaristo Arns e do rabino Sobel ao comunista Wladimir Herzog. Assim se faz a história. (Publicado no Inconfidência nº 88 de 27/11/2005) * Coronel - Foi ministro de Estado, governador e senador pelo Pará. A INTENTONASilvio Luzardo No teu corpo o espanto Na tua face o sigilo Na tua farda o exemplo na tua vida prostada o manto de quem aprendeu a guardar a tua Pátria, Soldado. Na tua fé a concórdia No teu sangue o grito Na tua espada a cruz No teu fuzil o silêncio de quem morreu traído pela sombra traiçoeira, Soldado. Na tua guarda perene No teu quarto de céu Na tua vigília constante No teu braço inerte estende a lição eminente do alerta, Soldado. No teu túmulo o pranto No teu nome a memória Na tua história o crime No teu serviço o golpe assaltando teus sonhos e rompendo tua vida, Soldado. No teu partir redivivo ficou a noção do perigo que ronda teu filho, Soldado. Na tua memória o lacre No teu espanto o limite Na tua terra a baliza No teu sentido a continência dos que guardaram a estrada para que não fosse em vão, Soldado. Na tua jornada o ideal No teu capacete a lide Na tua mochila o teu chão No teu coração a Bandeira que tremula eternamente ao teu compasso, Soldado. Na tua face a ferida No teu peito o punhal Na tua alma o sentimento Na tua morte o triste momento de quem traiu a Pátria para vestir a Internacional, Soldado. Em tua memória, Na tua canção o rito nossa guarda. No teu cair o aviso Na tua morte o espasmo Noticiário do Exército de 27/11/1979

8 Nº Novembro/2011 A INSURREIÇÃO DE 27 DE NOVEMBRO Oinício da revolta na AVIAÇÃO coincidiu, differença de poucos minutos, com a do 3º REGIMEN- TO DE INFANTARIA. Em vasta área, quasi toda aberta, situada entre a Estrada Rio-São Paulo, a Estação de Deodoro e a Invernada dos Affonsos, está a ESCOLA DE AVIAÇÃO MILITAR. Dentro dessa área vários pavilhões se distribuem a esmo; uns, servindo de quartéis e alojamentos, outros, de officinas e hangares. Duas entradas lhe dão accesso; ambas situadas à margen da Estrada Rio-S. Paulo, sendo que uma dellas, a mais utilizada hoje, está localizada na embocadura de um caminho que vae ter à Enfermaria. Foi por esta que, pouco antes das três horas da madrugada de 27, penetrou na ESCOLA o automóvel do Capitão SOCRATES, conduzido, além deste, o Capitão AGLIBERTO e os Tenentes BENEDICTO e DINARCO, emquanto que o Tenente IVAN ali penetrava pelo outro portão afim de sublevar a guarda de serviço. A promptidão e a vigilância na ES- COLA, em conseqüência dos acontecimentos de Natal e Recife, não era rigorosa e geral como no 3º REGIMENTO DE INFAN- TARIA, mas apenas parcial, e comprehendia a Companhia de Guardas, a Extranumeraria e a Companhia de Alumnos do Curso de Sargentos Aviadores. Os serviços de segurança, entretanto, foram augmentados na noite de 26 para 27, em face dos boatos que circulavam. O Commandante, Tenente-coronel IVO BORGES, que vinha de há muito desconfiado da actuação dos Capitães SOCRATES E AGLIBERTO, dera terminantes ordens aos elementos encarregados da fiscalização dos portões de entrada, que não permittissem o ingresso na ESCO- LA de qualquer vehiculo, mesmo conduzido officiaes. As ordens não foram, porém, cumpridas pelo Sargento ALVARO BELGA, que com um Grupo de Combate, guardava a Estrada que vae ter à Enfermaria ESCOLA DE AVIAÇÃO MILITAR e por onde penetrou, sem ser embaraço recebiam o Commandante, o Major BENTO em sua carreira, o automovel do Capitão RIBEIRO e o Capitão GOMES RAMOS SOCRATES. uma rajada de fuzil metralhador do Grupo Há muito já se achavam na ESCOLA, do Sargento BELGA. Gritaram os officiaes alli chegados por acaso ou para saberem que não atirassem, quando nova rajada das novidades, os Tenentes CARLOS se fez ouvir. BRUNSWICK FRANÇA e JOSÉ GAY DA Surprehendidos e impossibilitados de, no local, tomarem qualquer atti- CUNHA. tude de reacção, ou providencia efficiente, referem o Coronel IVO e o major BENTO a fls e do 6º volume, dirigiram-se para a Escola Militar, posto de commando da 1ª Brigada de Infantaria, onde se apresentaram, tendo por sua vez conseguido o Capitão GOMES Ramos alcançar o Batalhão Escola, onde solicitou as primeiras providencias. A esse tempo, o automóvel conduzindo SOCRATES, AGLI-BERTO, IVAN E DINARCO, defrontava a Companhia de Alunnos, onde nas proximidades se achavam dois Grupos de Combate commandados pelos Tenentes BENE- DICTO LOPES BRAGANÇA e OS- WALDO BRAGA RIBEIRO MENDES. Colhidos de imprevisto e envolvidos pelos officiaes revoltosos, emquanto parte da tropa dispersava aos gritos de Viva a revolução, eram presos os Tenentes Bragança e Mendes e recolhidos ao automóvel, sob a vigilancia do Capitão AGLIBERTO VIEIRA DE AZEVEDO. Foi ahi, que este official, segundo O Commandante, o Major BENTO refere o Tenente RIBEIRO MENDES, cujo RIBEIRO CARNEIRO MONTEIRO e o Capitão JORGE GOMES RAMOS, que rondaciaria, friamente assassinou o seu collega testemunho é corrobarado pela prova indivam pela Estrada Rio- S. Paulo, ao verem Tenente BRAGANÇA. passar velozmente, sem encontrar obstáculos, o automóvel do Capitão SOCRATES, nentes BENEDICTO DE CARVALHO e Em outros sectores, agiam os Te- interpellaram o Sargento BELGA, que explicou ter deixado passar o vehiculo por conlos Tenentes DINAR-CO, GAY e FRAN- IVAN RAMOS RIBEIRO, auxiliados peduzir officiaes da ESCOLA. ÇA e pelo Aspirante WALTER. Deu-lhe ordem o Tenente-coronel Sublevaram assim a Companhia de IVO BORGES que o acompanhasse juntamente com o seu Grupo de Combate, afim de que eram presos os officiaes que não Alumnos e a de Guardas, ao mesmo tempo verificarem o que pretendia a ESCOLA, adheriam à insurreição. áquellas horas, SOCRATES e seus companheiros. ZA E MELLO, e o Tenente DANILO O Capitão ARMANDO DE SOU- Foi então que se ouviram os primeiros tiros partidos das proximidades do local revoltosos logo no inicio do assalto. PALLADINI foram mortos pelos onde parara o automóvel, e acto continuo, O Tenente Coronel EDUARDO 8 GOMES, Commandante do 1º REGIMEN- TO DE AVIAÇÃO, quando repellia um ataque á sua unidade, dirigido pelos revoltosos SOCRATES E IVAN, foi ferido na mão por um dos componentes do Grupo de Combate deste ultimo. Mas já as forças do Governo atacavam a AVIAÇÃO e o Grupo Escola começava o bombardeio. Dentro em pouco os rebeldes capitulavam, e os chefes, sem a coragem de enfrentarem a derrota, punhamse em fuga desordenada, abandonando seus commandados. Como tivemos occasião de resaltar em trecho deste relatório, era evidente que os planos do movimento não se poderiam circumscrever a dois quartéis, elles necessariamente envolveriam outras unidades e estabelecimentos militares. De facto: no Quartel-General da 1ª Região, o Tenente AUGUSTO PAES BARRETO que, na noite de 26, descera da Villa Militar, commandando uma Companhia do 2º REGIMENTO DE INFANTA- RIA, era preso quando procurava, logo de chegada áquelle Quartel, alliciar elementos para a insurreição armada, que irromperia na madrugada de 27, tendo como chefes, entre outros, o Capitão LUIZ CARLOS PRESTES e o Dr. PEDRO ERNESTO (Fls do 7º volume). Na Villa Militar, PAULO MACHA- DO CARRION e possivelmente SOVERAL FERREIRA DE SOUZA, SAMUEL LOBO, ALDOBRANTINO CHAVES SEGURA e outros, juntamente com inferiores e praças, ficaram impedidos de executar os planos que traçaram, dada a acção efficaz dos commandantes de suas unidades. NO CENTRO DE PREPARAÇÃO DE OFFICIAES DA RESERVA eram presos LAURO FONTOURA e HELIO de ALBUQUERQUE LIMA, alliciadores de elementos para a rebellião naquelle estabelecimento de ensino militar. Finalmente, no GRUPO DE OBUZES, em S. Christovão, foi descoberta a trama da revolta que estava articulada entre inferiores e praças daquella unidade. (Páginas 18, 19, 20 e 21 do relatório) Descarga de tiro de fuzil realizada por uma representação do 12º BI, envergando o uniforme da época, em homenagem ao Capitão Benedicto Lopes Bragança, no cemitério do Bonfim, em Belo Horizonte (2004 ) RELATÓRIO DO DELEGADO EURICO BELLENS PORTO DA POLÍCIA CIVIL DO DISTRICTO FEDERAL Ha ainda a referir episodio occorrido BRASIL, que se oppoz, como chefe que com os officiais presos no Casino, para também era, ás ordens dos Capitães onde foram transportadas, adredemente, AGILDO e ALVARO de SOUZA, que, caixas de granadas, e que não teve por convencidos da derrota, queriam o extermínio dos prisioneiros. epilogo o sacrifício de todos, graças á intervenção do Capitão JOSÉ LEITE (Página 17 - Setembro/1936)

9 RELATÓRIO DO DELEGADO EURICO BELLENS PORTO Agliberto Vieira de Azevedo (Páginas 112 e 113) obreleva notar que ha nestes Que quando procurava Sautos a prova de que AGLI- essas granadas, notou que um BERTO VIEIRA DE AZEVEDO foi dos officiaes que se achavam no autor do assassinio do Tte. Benedito Lopes Bragança. cumprida essa missão, afasta- automovel estava armado; que O Tte. Oswaldo Braga Ribeiro Mendes a fls. 612 do 3º vo- encontrava o Tte. BENEDITO va-se do local, no qual já não se lume e, posteriormente, no depoimento de fls do 6º volume, do ouviu um disparo de revól- (Benedito de Carvalho), quan- diz: ver, ao mesmo tempo em que A partir do momento da varios elementos que alli se chegada do auto do Cap SO- achavam dispersaram, permanecendo apenas junto ao auto- CRATES não mais vi o Cap. Armando (Armando de Sousa e movel do lado do volante o Mello). O Tte. BRAGANÇA (Benedito Lopes Bragança) foi declue o declarante ter sido este Cap AGLIBERTO, donde consarmado immediatamente, attribuindo eu o facto de não me te- reaffirma ter sido o Cap AGLI- official o autor do tiro... Que rem desarmado a ter encostado BERTO VIEIRA DE AZEVEDO no carro colhido pela surpresa. o único official que se achava Ao que aparece na direcção da no momento ao lado do citado Casa dos Pilotos, VISOU FRIA- automovel e que estava armado com um revólver nickelado; MENTE O TENENTE BRA- GANÇA E ATIROU, TENDO O que logo após o tiro, o Cap AGLI- REFERIDO TENENTE SOL- BERTO sahiu correndo na TADO UM GEMIDO E CAHI- mesma direção em que corria o DO PARA O SEU LADO DI- declarante. REITO, DENTRO DO CARRO, A accusação que pesa sobre AGLIBERTO de ter fria e ASSASSINADO SEM DEFE- SA. Ao ver que o Cap AGLI- covardemente assassinado o Tte. BERTO que estava a nossa esquerda apontava para mim e por isso que este official se acha- BENEDITO LOPES BRAGANÇA, notando pela sua physionamia va preso e desarmado, embora que elle ia atirar-me, levantei a elle a conteste nas declarações mão na sua direcção exclamando: Mas AGLIBERTO! Apesar acareação de fls está evi- de fls do 9º volume e na disso, o referido Capitão apertou o gatilho, tendo o revólver tos, não só em face dos eledentemente provada nos au- falhado. Aproveitando-me do mentos acima transcriptos, de seu movimento de surpresa, uma claresa e precisão raras, consegui empunhar meu revólver e atirar apressadamente na diciaria reunida. como ainda frente á prova in- sua direcção pela porta do carro, Momentos antes dos factos acima descriptos já o accu- o que occasionou sua fuga em direcção ao capinzal que vae ter sado, o Cap SOCRATES e o Tte. á Enfermaria. BENEDITO DE CARVALHO ameaçavam de morte o Tte BRA- O Ex-Sargento AZOR GALVÃO DE SOUZA, prestando declarações a fls do 9º SGARBI D AVILA nas declara- GANÇA, affirma o Cabo JANCY volume, a proposito do facto ções que prestou a fls do 7º acima descripto, informa: volume. NR: Este precioso documento histórico Relatório elaborado pelo Delegado Eurico Bellens Porto da Polícia Civil do Districto Federal A Insurreição de 27 de Novembro, com 267 páginas encadernadas pelo Grupo Inconfidência, encontra-se à disposição de nossos leitores. E também de historiadores, jornalistas e professores que fingem não conhecer a verdadeira História do Brasil, deturpando-a com a conivência do Ministério da Educação, das Secretarias Estaduais de Educação e principalmente, da mídia venal e vendida ao governo petista. Apresento, a seguir, alguns * Cel. Aluísio Madruga de Moura e Souza detalhes dos assassinatos do Capitão Danilo Paladini e do Capitão Benedicto Lopes Bragança, para que o leitor tenha para sempre na mente, até onde chegou a covardia dos que fizeram a Intentona. Com já citei, o comunista Barbosa Lima Sobrinho escreveu na orelha da contra capa do livro de Hélio Silva A Revolução Vermelha: não houve ninguém, oficial ou soldado, assassinado na cama pelos companheiros sublevados. Os que morreram, morreram lutando, o que é uma grande inverdade. Barbosa Sobrinho certamente não leu os jornais da época e nem se aprofundou no tema, ou teve a intenção deliberada de distorcer os fatos em defesa de seus camaradas comunistas. No caso específico, do Tenente Danilo Paladini, promovido a Capitão pós-morte, tive a grata satisfação de ter sido comandado do General Mário César Azevedo da Silveira, esposo de dona Irma Paladini Azevedo da Silveira, filha do Capitão Paladini e de dona Zelina Paladini. Sabendo que eu estava escrevendo um livro no qual abordaria a Intentona, gentilmente dona Irma me permitiu acesso a um diário de campanha do seu pai, escrito dia após dia, iniciado em 1º de agosto de 1924 e findo em 23 de março de 1927, bastante útil para conhecimento das questões desse período que antecedeu a Intentona. O referido diário conta a sua participação na manutenção da ordem governamental em duas revoltas ocorridas no interior do País, mais precisamente na região norte (Pará e Amazonas) e no interior de Minas Gerais e do antigo Estado de Goiás. Como relatei em artigo anterior, consta na página 75 do livro do ponderado Gen. José Campos de Aragão, participante da resistência no 3º Regimento de Infantaria no Rio de Janeiro a seguinte afirmação: o capitão Armando de Souza Melo e o tenente Danilo Paladini, que repousavam no momento da insurreição, foram mortos pelos revoltosos ainda aturdidos quando se levantavam. No entanto, dona Irma tem versão diferente das publicadas em livros a respeito da morte de seu pai. Segunda sua mãe, um sargento, cujo nome não se recorda, a procu- Nº Novembro/2011 A INTENTONA COMUNISTA rou e lhe contou como o seu marido, Tenente Paladini, foi assassinado friamente: disse-lhe o sargento: eu e o Tenente Paladini regressávamos da ronda e, quando subíamos as escadas que davam acesso ao alojamento, ouvimos uma voz que chamou. Paladini! Ato contínuo ouviu-se um disparo de arma de fogo que o atingiu nas costas. Então eu o arrastei até o alojamento, colocando-o sobre um sofá. Começava uma grande confusão. Como dona Zelina, mãe de dona Irma, fez questão de guardar a farda usada por seu esposo no dia em que foi assassinado, para que a acompanhasse quando do seu falecimento, tive a honra de estar com a túnica da farda em questão nas mãos e constatar que o tiro fora dado pelas costas, saindo na altura do coração. Pena que dona Zelina já não possuía memória para nos contar detalhes do que soubera pelo sargento em questão. Não importa! Matar um ser humano dormindo, ainda sonâmbulo ou pelas costas é a mesma coisa. Não é combate, não é luta, é traição e covardia. Tendo corrido risco de morte em tantas oportunidade, como pude verificar em seu diário, o Capitão Paladini jamais imaginou, que por ironia do destino, iria morrer dentro do quartel em que servia e que, portanto, julgava local altamente seguro, por um ato mesquinho e covarde, praticado por um companheiro de profissão com quem convivia diariamente. Quanto ao Tenente Benedicto Lopes Bragança, segundo depoimento do 2º Tenente Aviador Oswaldo Ribeiro Mendes, o mesmo foi assassinado sem defesa pelo Capitão Agliberto Vieira de Azevedo, dentro do carro do Capitão A prisão de Luís Carlos Prestes 9 Sócrates Gonçalves. Não estava, portanto, lutando, mas no banco traseiro de um automóvel. Declara o Tenente Ribeiro Mendes: estávamos de carona no carro que foi retido quando adentrávamos no quartel. Ao retirar-se o sargento que nos parou, continuamos sob a guarda do Capitão Agliberto. Ao ouvir o primeiro tiro disparado, ao que parece, na direção da casa dos pilotos, Agliberto visou friamente o Tenente Bragança e atirou, tendo este soltado um gemido e caído para o seu lado direito, dentro do carro, assassinado sem defesa. Vendo que o Capitão Agliberto, à nossa esquerda, apontava a arma para mim e notando pela sua fisionomia que ia atirar, levantei as mãos exclamando: mas Agliberto! Apesar disso, este apertou o gatilho, tendo o revolver falhado. Aproveitei-me do seu momento de surpresa, consegui empunhar meu revólver e atirar apressadamente pela porta do carro, o que ocasionou sua fuga na direção do capinzal que vai até a enfermaria.( pg. 80 do livro do Gen. José de Campos Aragão). Alguns outros exemplos poderiam ser citados. No entanto, imagina-se que os dados até aqui fornecidos sejam suficientes o bastante para nos permitir afirmar que nem todos os que morreram, morreram lutando como de maneira desavergonhada os comunistas continuam apregoando. Autor dos livros: Guerrilha do Araguaia Revanchismo A Grande Verdade Documentário Desfazendo Mitos da Luta Armada PEDIDOS: Luís Carlos Prestes, já na Polícia Central, preso três meses depois do levante communista COMO SE VERIFICOU A SENSACIONAL OCORRÊNCIA DA MANHÃ DE ONTEM EM CACHAMBÍ Após prestar declarações na Polícia Central, o chefe extremista foi recolhido incomunicavel à Polícia Especial - Pormenores da importante diligencia policial

10 A INSÍDIA COMUNISTA NAS LETRAS E NAS ARTES DO BRASIL Carta do Juiz RAUL MACHADO, membro do tribunal de Segurança Nacional e brilhante homem de letras, dirigida ao escritor José Getúlio Monteiro Filho. om toda oportunidade e prazer espiritual, Nação Armada transcreve a seguinte Cpágina de Raul Machado, nome de sobejo conhecido em nossas letras e digno juiz do Tribunal de Segurança. Nação Armada mais de uma vez tem apontado a maneira com que, com sutileza e artifício, se procura solapar o sentimento pátrio, os fundamentos da nacionalidade e do regime e a maneira desenvolta com que, nas artes, nas letras, no teatro, no cinema, etc., agem, muitas vezes impunemente, forças desagregadoras da Pátria Brasileira. Acabo de ler seu magnífico livro sobre as Origens e Transformações do Materialismo Histórico. Rica de informes que merecem fé, abundante de ensinos e segura nas conclusões e na crítica, esta obra está destinada a despertar na consciência dos brasileiros e na ação dos poderes públicos um sentido de vigilância maior contra os perigos do comunismo. Na verdade, porque a ideologia política dos Soviets, pela sua crueza materialista e a sua técnica de anulação dos valores morais, repugne à nossa compreensão e aos nossos sentimentos de povo formado na doutrina cristã, e tambem porque não temos, salvante os estudiosos do assunto, uma atenção prevenida capaz de surpreender os índices esparsos da propaganda bolchevista, - o certo é que damos uma credulidade displicente à existência daquela propaganda no Brasil. Da memória pública, que é sempre fraca, se vai apagando, até a lembrança do sangue derramado na revolução vermelha do 3º Regimento de Infantaria e da Escola de Aviação, nas revoltas comunistas de Recife e nos três dias aziagos do governo soviético instalado no Rio Grande do Norte, em o ano trágico de Raros são os que sabem, como eu, que no fichário do Tribunal de Segurança Nacional figuram vários milhares de comunistas cujas atividades partidárias se acham documentadamente comprovadas nos respectivos processos. Essa parcela, entretanto, é apenas um índice dos que atuaram às claras. Porque a maioria dos adeptos do credo moscovita continua agindo às ocultas, e cautelosamente, nos setores da vida pública, onde pode penetrar, especialmente, nos círculos publicitários e em outros meios de propaganda. Os que foram colhidos em processos são, sem sombra de dúvida, muito poucos, em relação aos que continuam agindo subrepticiamente, em liberdade. Haja vista o que sucede com essa campanha de proletarização da literatura e da arte, na qual a propaganda subversiva mal se esconde a argúcia daqueles que bem conhecem a técnica de disfarce e de embuste dos comunistas. É assim que, nos romances, a pretexto de ser assunto da época, escolhem um tema social que lhes dará aso à divulgação solerte de idéias e de princípios marxistas. E, propositadamente, investem contra as regras mais elementares de gramática, porque é preciso corromper a linguagem, nivelando-a, quanto possível, à das classes proletárias e incultas, corroendo-se, assim, um dos elementos orgânicos da unidade de um povo. E isto se faz, disfarçadamente, sob pretexto de se estar construindo língua brasileira. A obscenidade de palavras ou de cenas aparece também a miude, não com o fim da verdade na arte da antiga escola naturalista e, sim, como um ataque premediado à moral burguesa, que precisa ser destruída. Os temas escolhidos se resumem igualmente, na maioria das vezes, em argumentos proletários... com invocação a Nosso Senhor, no fim, para que o poeta revolucionário possa agir acobertado pelo manto do catolicismo. A música se transforma em violência de ruídos, visando também uma finalidade única: - a negação da melodia porque esta leva naturalmente a um estado de exaltação espiritual, incomparável com as tendências da doutrina materialista. Também a dansa não escapa à mesma finalidade de instrumento de propaganda dissolvente. Aquela graça espiritual de outrora, que lhe disfarçava o sentido sensualista, inerente, aliás, a todas artes, desapareceu por completo, dando lugar a uma sucessão de gestos grotescos e de atitudes despudoradamente voluptuosas... Tudo isto é feito, como se vê, com um escopo único: - a perversão das forças vivas e puras do sentimento, tornada uma das armas secretas do plano de desagregação nacional... É, em suma, a luta do materialismo contra o predomínio do espírito. Não se invoque a época, como justificativa dos fatos. O fenômeno se apresenta de tal forma, uno, nos seus múltiplos aspectos, que é inútil querer negar-lhe a causa, que, exponta nitidamente das linhas programáticas de uma inteligência organizadora, ao serviço de um plano de finalidade diabólica... E essa organização se patenteia, ainda mais, nos louvores e aplausos que as igrejolas de elogios mútuos distribuem, por todas os meios de propaganda, às produções pretensamente artísticas da camarilha suspeita... Urge, portanto, reagirmos, também organizadamente, contra essa investida maléfica, mediante uma rigorosa fiscalização oficial nos livros e publicações de toda a espécie, impedindo-se a venda e a circulação das obras que forem manifestamente suspeitas; divulgando-se na imprensa e pelo rádio as melhores páginas em prosa e verso dos nossos escritores de nomeada real; fazendo-se a exaltação dos valores morais e intelectuais do passado; promovendo-se conferências e estudos destinados a demonstrar como se processa a invasão do organismo nacional pelas bactérias insidiosas do comunismo; instituindo-se, em suma, uma contra-propaganda, que equivalha a um sistema preventivo de profilaxia moral, intelectual e política. Por tudo isto, meu caro, é que me animei a enviar-lhe estas sugestões, valendo-me do ensejo grato de exprimir-lhe meu entusiasmo de brasileiro pelo seu livro, que, ao lado de outras virtudes de pensamento e cultura, é um grito de alerta para que nos congreguemos contra a ameaça do inimigo traiçoeiro e implacável, que não descansa e não perdoa... (Excerto) Publicado em Nação Armada nº 13 de dezembro de NR: Qualquer semelhança com a atualidade não é mera coincidência. Nº Novembro/ INTENTO INSANO * Antonio Sepulveda Novembro também assinala o aniversário da infame intentona co- socialista. Tinham, sim, pois, aqueles ca- pre esteve e ainda está - com a ideologia munista de 1935, planejada e nalhas o intento insano de entregar o dirigida pela 3ª Internacional, cuja comissão executiva contava com a presença de Presidium, como era então chamado o Brasil, de mão beijada, ao controle do Luiz Carlos Prestes, um assalariado dos Comitê Executivo do Soviete Supremo. soviéticos que jamais desempenhou qualquer outra atividade remunerada depois Rio Grande do Norte e em Pernambuco, Os primeiros golpes foram aplicados no que desertou do Exército. O livro Camaradas, de William Waack, que pesquisou de de resistência do Exército. Nesses onde, na época, seria precária a capacida- os arquivos do comunismo internacional, ratifica o que os brasileiros já des- os revoltosos vermelhos chegaram a con- estados, ao contrário do Rio de Janeiro, confiávamos: a tresloucada sublevação quistar algum poder de articulação. Ao comunista foi conduzida por estrangeiros pertencentes ao Serviço de Relações legalistas dominaram os incompetentes fim e ao cabo, entretanto, os bravos Internacionais do Comintern. Prestes foi amotinados e frustraram a solércia comunista. Esse grande feito sempre foi cele- um pau-mandado. A obra de Waack também clarifica outros pormenores relevantes, em oposição à versão distorcida da to de gratidão aos militares que sacrificabrado anualmente, nos quartéis, num prei- esquerda tupiniquim para ram a vida para impedir que caíssemos nas esta nódoa trágica em nossa História. A alemã Olga Não obstante a ação deletéria dos órfãos do malhas do Comintern. Benário não foi esposa de socialismo soviético que Atualmente, o pouco Prestes. Ela já era casada hoje cercam o atarantado entusiasmo das Forças Armadas - presas em Moscou. Acompanhou Lula da Silva, não podemos Prestes ao Brasil a serviço, deixar de reverenciar, eternamente ao princípio estrutural da hie- para cumprimento de tarefas específicas de supervi- eternamente, aqueles que morreram pelas balas de rarquia e da disciplina são, determinadas pela Segunda Seção (Inteligência) pusilânimes que atiram - em homenagear aqueles heróis só encontra pelas costas. do Estado-Maior do Exército Vermelho. A ordem para a eclosão do do nosso malfadado governo petista com explicação na empatia motim não partiu da direção do Partido o ideário dos sediciosos de Não Comunista Brasileiro ou de Prestes ou de obstante a ação deletéria dos órfãos do qualquer outro socialista brasílico. Foi socialismo soviético que hoje cercam o expedida pelo Serviço de Relações Internacionais do Comintern, por mensagem deixar de reverenciar, eternamente, aque- atarantado Lula da Silva, não podemos cifrada, diretamente de Moscou. Todo o les que morreram pelas balas de pusilânimes que atiram pelas costas. Em novem- controle da ação planejada passou pelo crivo profissional de Olga Benário. Os bro de 1935, o Brasil esteve à beira do comunistas brasileiros apenas colaboraram e obedeceram, cegamente, naquele ria que nos condenaria à indigência de um abismo dantesco de uma doutrina espú- episódio que ficou marcado, sobretudo, regime que só deixou, em seu rastro, miséria, violência, escravidão e extermínio por atos da mais abjeta covardia. Não foi uma revolução de enfrentamento, de luta autofágico; sim, porque ninguém matou aberta por liberdade com a euforia ufanista das grandes causas. Nada disso. A munistas. Iosif Stalin foi o maior assassi- mais comunistas do que os próprios co- sedição, como sói acontecer com comunistas, ocorreu na calada da noite. Ofici- todos os tempos. De certa forma, ironicano de ideólogos marxistas e leninistas de ais e praças, que de nada suspeitavam, mente, como num desígnio da Providência, o sanguinário Iosif vingou a morte foram fuzilados, enquanto dormiam, por supostos companheiros, com quem conviviam e em quem confiavam, mas cuja (Publicado no JB em 01/12/2004 dos heróis sublimes de e no Inconfidência 88 de 27/11/2005) canina fidelidade sectária estava - sem- * Escritor Ontem, hoje e sempre, a Nação Brasileira contou, conta e contará com suas Forças Armadas para defendê-la, externa e INTERNAMENTE.

11 oram promovidos post- o Capitão Armando Fmortem de Souza e Mello, os Primeiros tenentes Danilo Paladini e Benedicto Lopes Bragança e os seguintes soldados, todos mortos no cumprimento do dever na Escola de Aviação Militar, na manhã de 27 de novembro: Waltor de Souza e Silva, Péricles Leal Bezerra, Orlando Henrique, José Menezes Filho, José Mário Cavalcante e Wilson França. Após apuradas as responsabilidades, dos Oficiais envolvidos no golpe comunista, o Ministro da Guerra baixa o seguinte Aviso nº 1, de 3 de janeiro de 1936: Para que seja dado cumprimento imediato ao decreto nº 558, de 31 de dezembro findo, que determina a perda da patente e do posto dos oficiais do 3º Regimento de Infantaria e da Escola de Aviação Militar, que participaram do Nº Novembro/ REVOLUÇÃO DE 1935 NO CAMPO DOS AFONSOS 23 de novembro de 1935, rebenta a Revolução Comunista em Recife e Natal; a Escola; por volta das três horas, iniciaram um ataque ao 1º Regimento de Aviação, no outro A Aviação Militar, no mesmo dia, envia, para o nordeste, uma esquadrilha de 3 aviões extremo do Campo dos Afonsos. São repelidos. Ao clarear o dia, a Artilharia da Vila Militar Vought Corsair, sob o comando do Cap JOSÉ DE SOUZA PRATA; esses aviões incendeia o pavilhão de comando da Escola de Aviação Militar, que se achava na posse realizaram vários vôos, sobre Recife e Natal, tendo concorrido para a sufocação do dos comunistas: o assalto das unidades de Infantaria e a ação da Artilharia fazem terminar movimento extremista naquelas capitais. a resistência dos revoltosos, que são presos ou se evadem. A 27 de novembro, eclode a Revolução Comunista no Rio de Janeiro: na Escola de Terminada a luta no Campo dos Afonsos, duas esquadrilhas de três aviões Vought Aviação Militar, no Campo dos Afonsos, e no 3º Regimento de Infantaria, na Praia Corsair decolam, para cooperar no ataque ao 3º Regimento de Infantaria, dominado pelos Vermelha. comunistas; na mesma manhã de 27 de novembro, o foco comunista do 3º Regimento de Na Escola de Aviação Militar, os revoltosos, às duas horas da madrugada, assassinaram vários oficiais, aprisionaram outros e se apossaram das instalações principais da Sobre os acontecimentos, o Gen COELHO NETTO publica em Boletim o seguinte: Infantaria é aniquilado. É ainda sob a viva emoção dos trágicos acontecimentos irrompidos nesta Ca- na escuridão da noite, tudo, ao redor de si, abnegação e lealdade militar. sido confiadas. Os estragos produzidos riosas. Mas, para consolo nosso, quando que ele acaba de servir com tanta honra, desempenho das funções que lhe tinham pital na madrugada de 27 de Novembro era tumulto e confusão, o 1º Regimento de É merecedoura de elogiosa menção pelos projéteis nas imediações do seu posto, o crepitar incessante das metralhado- último, e em que os maiores delitos foram Aviação reagiu intrepidamente, ante a a conduta que teve o Tenente-Coronel Ivo cometidos contra a Nação, enlutando-a, e ameaça dos traidores que, inesperadamente, atacavam, e, numa repulsa formal ção. No momento em que este digno oficial za de sua voz, nem a presteza com que Borges, Comandante da Escola de Aviaras em torno de si não pertubaram a firme- pondo em perigo sua organização social e política, que lamento profundamente contra a desordem, com a confiança, a fiscalizava o dispositivo de segurança, nas atendia às ligações telefônicas. Constituem prova incontestável do seu alto espirito a sedição a que foi traiçoeiramente arrastada grande parte da Escola de Aviroicamente na defesa da causa da Pátria, vardemente alvejado pelos elementos em de sacrifício, da compreensão perfeita dos calma e a certeza da vitória, bateu-se he- vizinhanças da escola, foi traiçoeira e coação Militar, por alguns maus elementos até o completo triunfo. que depositava confiança, ao seus deveres e do seu grande sangue-frio, que nela serviam e para os quais a crueldade e a falta de escrúpulos pareciam ser dante, Tenente-Coronel estabelecimento. Não podendo tadas como exemplo aos seus companhei- O seu heróico coman- dar-lhes o encargo de guardar o virtudes militares essas que devem ser apon- familiares. Eduardo Gomes, ferido logo voltar ao interior do quartel, ros. Uma série de homicídios assinalaram-lhe o surto sangrento. E, colhidos de consciente no seu valor e se- procurou acertadamente ligar- Santiago e ao 2º Cabo José Hermito de Sá, ao inicio da áspera luta, mas onde já imperava a sublevação, Ao 3º Sargento Coloriano Ferreira surpresa pelos rebeldes, foram na maior reno na sua bravura, soube se aos corpos da Vila Militar, ambos do 1º R Av, cuja vida deram em crueza sanguinária, fria e perversamente, desassombradamente, e sem dando assim ensejo às medidas holocausto à causa do dever, demonstrando assim que a nobreza do ideal que os abatidos os nossos distintos e brilhantes esmorecimento, fazer, por uma prontas de supressão com que camaradas Capitão Armando de Souza e reação magnífica, de cada um agiram essas unidades. estimulava se sobrepunha à própria conservação individual, rendo a homenagem, Mello, 1 os tenentes Benedicto Lopes dos seus companheiros um Faço ainda ressaltar o seu Bragança e Danilo Paladini, que, ao lado bravo e dar-nos o exemplo concurso pessoal na ofensiva a que fizeram jus, pela grandeza de espirito do seu destemeroso comandante, Tenente- máximo de grandeza moral e contra os rebeldes da Escola, na e pela superioridade de sentimento que Coronel Ivo Borges, fiéis a disciplina e a patriótica e das excepcionais Eduardo Gomes condução, com energia e denodo, ao assalto, elementos do 1º R Aos Tenentes-Coronéis Eduardo patentearam. nobresa de seus sentimentos patrióticos, qualidades de soldado. Patrono da Força Aérea tentaram opor-se a audaciosa e covarde Tornou-se, assim, o Tenente-Coronel Eduardo Gomes, mais uma É deveras reconfortante, a oportunitivamente, do 1º Regimento de Aviação e Av postos à sua disposição. Gomes e Ivo Borges, Comandante, respec- investida. Cultuemos, na mais elevada reverência cívica, a memória desses nossos grande reconhecimento. Louva-se com or- da abnegação e lealdade do cabo telefogiarem, em meu nome, aos Oficiais e Praças vez, credor de profunda admiração e de dade, que temos para enaltecer a atitude Escola de Aviação Militar, autorizo a elo- devotados companheiros que, com o mais gulho pela sua ação serena, enérgica e nista do 1º R Av, Alfredo de Jesus. de suas unidades que, pela sua conduta no firme espirito de amor a Patria e respeito decisiva, pela sua bravura indômita, pelo No momento em que era mais intenso cumprimento do dever, tornaram-se merecedores. a ordem e as instituições, souberam manter, no seu gesto de sacrifício, o prestigio de caráter e pelos seus sentimentos de Unidade, esta praça, fiel ao cumprimento (a) José Antonio Coelho Netto alto valor de seus excepcionais predicados o tiroteio dos amotinados contra a sua do Exército e avivar as suas tradições glo- patriotismo e de grande amor ao Brasil, do dever, conservou-se serena e calma, no General-de Brigada, diretor da Aviação Militar movimento subversivo de 27 de novembro do ano findo, deveis mandar sejam excluidos das diferentes armas e serviços os seguintes oficiais: (da Arma de Aviação) Capitão Sócrates Gonçalves da Silva, Capitão Agliberto Vieira de Azevedo, Primeiro-tenente Benedito de Carvalho, Segundo-Tenente Ivan Ramos Ribeiro, Segundo- Tenente José Gay da Cunha e Segundo-Tenente Carlos Brunswick França. Esses oficiais, por sua conduta aviltante, faltaram as finalidades sempre sagradas da camaradagem e aos juramentos prestados à Pátria e se tornaram indignos de vestir a farda gloriosa do nosso Exército". (a) General João Gomes Ministro da Guerra Pelo aviso nº 19, de janeiro de 1936, o Ministro da Guerra mandou excluir também, o Aspirante-a-oficial Walter José Benjamim da Silva. EPISÓDIOS MILITARES - As águias chegaram Em nosso poder o livro EPI- SÓDIOS MILITARES editado recentemente pelo EME, CCOMSEX e 3º RCGd (?), sem ficha catalográfica e sem data de sua edição. Em rica edição e esmerada diagramação e editoração, papel gessado, a cores, apresenta cópias dos quadros pintados pelo coronel Pedro Paulo Estigarríbia, com os principais episódios da História Militar do Brasil, desde Guararapes, passando pelo Império, República e se encerrando com a FEB. No capítulo 8 As águias chegaram: Em 1927, a Aviação passou a ser a 5ª Arma do Exército,...a criação do 7º Regimento de Aviação e do definitivo alojamento da Esquadrilha em Realengo, na Escola Militar... O Exército lembra-se com orgulho desses pioneiros. (Página 90) E omite o acontecido na Es- cola de Aviação Militar e do 1º Regimento de Aviação a 27 de novembro de 1935? Os aviões Waco e Kurtiss Falcon passaram voando sobre o "As águias chegaram" - Acervo do QG/V Comar, Canoas/RS - Episódios militares - Pág. 91 Campo dos Afonsos e não aterrisaram durante a intentona comunista naquele local. Por quê? (Inconfidência nº 134 de 27/11/2008)

12 Nº Novembro/ O LIVRO NEGRO DO COMUNISMO * Roberto Campos Le livre noir du communismè. (Edições Robert Laffont. Paris, 1997), escrito por (dez mil). conflito de subúrbio... Enquanto Fidel fuzi- Pinochet foi ditador por 17 anos; Fidel está no Internacional e partidos comunistas no poder recem escoteiros destreinados apartando um ignorância factual ou de safadeza ideológica. seis historiadores europeus, com acesso a O comunismo fabricou três dos maiores carniceiros da espécie humana - Lenin, só na década dos 60), o número de mortos e econômica e iniciou a redemocratização do país, lou entre 15 e 17 mil pessoas (sendo dez mil poder há 39 anos. Pinochet promoveu a abertura arquivos soviéticos recém-abertos, é uma espécie de enciclopédia da violência do comunismo. O chamado socialismo real foi uma do terror soviético. Enquanto os czares rus- a julgar pelos pedidos de indenização, seria ções democráticas, como senador vitalício (solu- Stalin e Mao-Tsé-Tung. Lenin foi o iniciador desaparecidos no Brasil, entre 1964 e 1979, retirando-se após derrotado em plebiscito e elei- tragédia de dimensões planetárias, superior sos em quase um século a em torno de 288 segundo a Comissão de ção que se imitada em Cuba facilitaria o fim do em abrangência e intensidade ao seu êmulo executaram pessoas, Lenin superou Direitos Humanos da Câmara dos Deputados e de 224 casos comprovados, segundo a alternância no poder, preferindo submeter a embargo). Fidel considera uma obscenidade a totalitário do entreguerra - o nazi-fascismo. esse recorde em apenas quatro meses após a Ao contrário da repressão episódica e revolução de outubro de Comissão de Mortos e Desaparecidos do nação cubana à miséria e à fome, para se manter acidental das ditaduras latino-americanas, a Alguns líderes do Terceiro Mundo figuram com distinção nessa galeria de assassi- nessa aritmética macabra. numa trajetória de crescimento sustentado de Ministério da Justiça. O Brasil perde de longe ditador. Pinochet deixou a economia chilena violência comunista se tornou um instrumento político-ideológico, fazendo parte da rotina de governo. Essa sistematização do terror percentagem da po- quando em nos- era a terceira em renda por habitante entre os nos. Em termos de Em 1978, 6,5% ao ano. Antes de Fidel, a economia cubana não é rara na História humana, tendo repontado na revolução francesa do século XVIII na absoluto foi Pol de chineses. Ele foi totalmente imoral. se discutia da da Bolívia. O Chile exporta capitais, enquanto pulação, o campeão Mao foi responsável pela morte de 70 milhões so Congresso já latino-americanos, e hoje caiu ao nível do Haiti e fase violenta do jacobinismo, na industrialização do extermínio judaico pelos nazistas, em 3,5 anos um grande herói que cometeu alguns erros... Alguns havia em Cuba e agora, para arranjar divisas, conta com remessas Pot, que exterminou Os jovens chineses acreditam que Mao foi um Lei da Anistia, que Fidel foi um pensionista da União Soviética e - confesso-o com pudor - na Inquisição quarto da população do Camboja. liberdade de expressão é um deles. A internet é prisioneiros po- Em termos de violência, o número de mortos e aspectos da ditadura continuam em voga. A entre 15 e 20 mil de exilados, e receita de turismo e prostituição. Católica, que durante séculos queimava os corpos para purificar as almas. Fidel Castro, por hoje controlada. Eles têm uma lista de nomes que líticos, número desaparecidos no Chile foi estimado em três mil, O Livre noir me veio às mãos num sua vez, é o campeão absoluto da para cerca de 12 Apesar de fronteiras terrestres porosas, o são bloqueados. que declinou enquanto que Fidel fuzilou 17 mil! momento oportuno em que, reaberto na mídia Mao sabia a importância da informação. e no Congresso o debate sobre a violência de exclusão social, mil em No Chile, com população comparável a Cuba e sem Jung Chang Autora do best-seller : nossos anos de chumbo nas décadas de 60 pois que 2,2 milhões ano passado, 38 os tubarões do Caribe, sofreu em êxodo de apenas Mao A história desconhecida (Estado de Minas / 22.nov.06) e 70, me pusera a reler o Brasil, nunca mais, de pessoas, equivalentes a 20% da po- Revolução de Sob Fidel, 20% da população da ilha, ou seja, algo anos depois da 30 mil chilenos, hoje em grande parte retornados. editado em 1985 pela arquidiocese de São Paulo. Comparados os dois verifica-se que o pulação da ilha tiveram que fugir. Juntamente Sierra Maestra, ainda havia, segundo a Anistia Internacional, entre 980 e prisionei- à Grande São Paulo, tiveram que fugir. Em suma, que nas dimensões brasileiras seria comparável Brasil não ultrapassou o abecedário da violência, palco que foi de um miniconflito da Guer- de refugiados, os boat people - ou sejam, os ros políticos na ilha. Em matéria de prisões e Pinochet submeteu-se à democracia e tem bom com o Vietnam, Fidel criou uma nova espécie ra Fria, enquanto que o Livre noir é um balseros, milhares dos quais naufragaram torturas, a tecnologia cubana era altamente senso em economia. Fidel é um PhD em tirania tratado ecumênico sobre as depravações engordando os tubarões do Caribe. sofisticada, havendo ratoneras, gavetas e um analfabeto em economia. ínsitas do comunismo, este sem dúvida o A vasta maioria dos países comunistas e tostadoras. Registre-se um traço de O Livre noir nos dá uma idéia da bestialidade de que escapamos se triunfassem os experimento mais sangrento de toda a História humana. Produziu cem milhões de vítimas, 6º do Estatuto de Nuremberg - crimes contra dácea, pela imersão de prisioneiros na radicais de esquerda. Lembremo-nos que, em é culpada dos três crimes definidos no artigo inventividade tecnológica - a tortura mer- em vários continentes, raças e culturas, indicando que a violência comunista não foi mera Humanidade. Não houve prisões brasileiras companibidamente que nós os comunistas já a paz, crimes de guerra e crimes contra a merda. 1963, Luís Carlos Prestes declarava desi- aberração da psique eslava, mas sim algo A discussão brasileira sobre, os nossos ráveis à La Cabaña (onde ainda em 1982 estamos no Governo mas não ainda no poder. Parece-me ingenuidade histórica imagi- diabolicamente inerente à engenharia social anos de chumbo raramente situa as coisas houve cem fuzilamentos), Boniato, Kilo 5,5 marxista, que, querendo reformar o homem no contexto internacional da Guerra Fria, a ou Pinar Del Rio. Com estranha incongruência, artistas e intelectuais e políticos que Brasil manteria, apenas com alguns tropeços, nar que, na ausência da Revolução de 1964, o qual alcançou seu apogeu nos anos 60 e 70, provocando denunciam a tortura brasileira visitam Cuba sua normalidade democrática. A verdade é que um refluxo autoritário no e chegam mesmo a tecer homenagens Terceiro Mundo. líricas a Fidel e a seu algoz adjunto Houve intervenções Che Guevara. Este, como procurador-geral, foi comandante da prisão militares no Brasil e na Bolívia em 1964, na Argentina La Cabaña, onde nos primeiros meses em 1966, no Peru em 1968, da revolução ocorreram 120 fuzilamentos (dos 550 confessados por no Equador em 1972, e no Uruguai em Fenômeno idêntico ocorreu em ou- Jesus Carreras, guerrilheiros contra a Fidel Castro), inclusive a execução de tros continentes. Os militares coreanos subiram ao Goministro da Agricultura de Fidel. ditadura Batista, e de Sori Marin, exverno em 1961 e adquiriram Note-se que Che foi o inventor dos poderes ditatoriais em campos de trabalho coletivo, na Mais de 200 desenhos feitos em segredo, nos idos de 1940, pelo Houve golpes militares na península de Guanaha, versão cubana coronel russo da reserva Danzig Baldaiev, comprovam o horror Indonésia em 1965, na dos gulags soviéticos e dos campos de reeducação do Vietnam. dos gulags. Sigla em russo de Diretório Geral de Campos, o Grécia em 1967, e, nesse Buick modelo Os "balseros" sofisticados gulag abrangia o complexo de prisões e campos de trabalhos mesmo ano, o presidente A repressão comunista tem características particularmente selvagens. A Jango Goulart não planejara minimamente forçados a que eram condenados os opositores do regime Marcos impunha a lei marcial nas Filipinas e Indira responsabilidade é coletiva, atingindo não sua sucessão, gerando suspeitas de continuís- comunista soviético. Gandhi declarava um regime de emergência. Em Taiwan e Cingapura o recurso a trabalhos forçados, em campos de de duas origens: a radicalização sindical, que apenas as pessoas, mas as famílias. É habitual mo. E estava exposto a ventos de radicalização pela força, transforma os dissidentes primeiro em inimigos e depois em vítimas. houve autoritarismo civil sob um partido concentração. Não há separação carcerária, levaria à hiperinflação; e a radicalização ideológica, pregada por Brizola e Arraes, que podia A aritmética macabra do comunismo dominante. ou mesmo judicial, entre criminosos comuns assim se classifica por ordem de grandeza - O grande mérito dos regimes democráticos é preservar os direitos humanos, estig- original, o da periculosidade pré-delitual, É sumamente melancólico - porém não e políticos. Em Cuba, criou-se um instituto resultar em guerra civil. China (65 milhões de mortos); União Soviética (20 milhões); Coréia do Norte (dois milhões); Camboja (dois milhões); África (1,7 Mas por lamentáveis que sejam as violências ta das autoridades, independentemente de este grande país não tinha senão duas miserámatizando qualquer iniciativa de violá-los. podendo a pessoa ser presa por mera suspei- irrealista - admitir-se que no albor dos anos 60 milhão, distribuídos entre Etiópia, Angola e e torturas denunciadas no Brasil, nunca mais, fatos ou ações. veis opções: anos de chumbo ou rios de Moçambique); Afeganistão (1,5 milhão); elas empalidecem perto das brutalidades do Causa-me infinda perplexidade, na mídia sangue... Vietnam (um milhão); Leste da Europa (um comunismo cubano, minudenciadas no Livre noir. Comparados ao carniceiro profis- a angelização de Fidel e Guevara e a sa- Transcrito da Folha de São Paulo de internacional e em nosso discurso político local, * O Autor é deputado federal pelo PPB-RJ. milhão); América Latina (150 mil entre Cuba, Nicarágua e Peru); Movimento Comunista sional do Caribe, os militares brasileiros patanização de Pinochet. Isto só pode resultar de e da REVISTA DO CLUBE MILITAR - Maio/1998

13 D TÁRTAROS E MONGÓIS Assis Chateaubriand. igamos não ao comunismo russo, que ameaça subverter a liberdade e a civilização no Brasil. Estamos diante de um crime contra a ordem. O anarquismo eslavo não tem o direito de prevalecer contra ela. A Internacional russa está impondo aos marxistas indígenas o seu espírito das trevas, as larvas negras da sua índole negativa, os seus métodos selvagens, as suas fórmulas assassinas. É a bête humanine querendo a todo o transe transformar o caráter doce e compassivo de uma nação civilizada, nesse bivaque de curdos ferozes, que são os sovietes. Possui o Brasil uma formação moral preciosa, herdada do trono ibérico donde descendemos. Das situações mais delicadas, dos problemas políticos mais difíceis, logramos sair até hoje sem haver manchado a nossa história com os delitos cobardes, que têm feito a Rússia contemporânea recuar às épocas mais primitivas da sua existência. A nossa ordem se inspira nos mandamentos da lei de Cristo. É, pois a própria ordem cristã, dentro das normas serenas e límpidas da sua moral. É com essa ordem que se tem construído o nosso equilíbrio entre os movimentos mais opostos entre os contrários mais chocantes, vamos cada dia que passa mais engrandecer o Brasil e fazer respeitar o seu gênio no concerto dos outros povos. Não temos nenhum motivo para mudar a substância e o cerne de nossas instituições por um modelo exótico até hoje, sustentado pela maior organização de terror que 5 de Outubro ainda concebe uma minoria para governar e se manter no timão da nau do Estado. Não vamos aqui nos dispor a trocar instruções livremente consentidas por uma ordem de coisas que é o fruto do arbítrio e da opressão de uma minoria, a qual, governa blasfemando e incentivando os povos dirigidos pelo jugo dos governos populares, saídos do pronunciamento das maiorias. A nossa regra é a velha ordem humana. No plano eslavo que se ergue é uma paródia no caos. E não foi feita para durar, porque da sua essência é a desordem em que ele dissolve. A manobra comunista é tão difícil no Brasil, como estabelecer para um mujique russo um regime democrático fundado no sufrágio universal A personalidade humana é para o brasileiro, um fim, um ideal, que ele pretende ver cada dia mais alto e mais protegido. Para a ditadura marxista ela não passa de um meio, destinado a constituir o mais monstruoso tipo de Estado que o individuo até hoje executou. Nesse conflito de tendência reside todo o drama da nossa incompreensão e da resistência dos nossos reflexos à máquina do Estado comunista. O sangue dos oficiais do exército legalista que tombaram anteontem no cumprimento do dever, não terá corrido inutilmente. E presença do sacrifício dos bravos que morreram, há uma reflexão que se faz sensível ao coração dos mais empedernidos. Que ideolo- gia bárbara é essa que nos chega da Rússia tentando abrir caminho pela porta do crime? A propaganda, o debate das idéias, a paixão da doutrina, o entusiasmo dos princípios, já não serão então armas de convicção que é preciso ir direito ao assassino para afirmar a justiça do credo político? Mas é esse apelo ao terror, nessa trágica assiduidade no crime, que o comunismo fixa, antes de tudo, as suas linhas antibrasileiras, ou, direi melhor, a seu caráter antiocidental. A embriaguez do sangue derramado é a nota tônica dos tropelos do conquistador asiático. No crime político, o dominador oriental encontra quase invariavelmente o seu compasso. Se as idealidades superiores faltam ao comunismo brasileiro, a crueldade, a truculência, a aptidão para barbárie, traços da alma elementar da estepe, nele vêm atingindo acesso em proporções inquietadoras. A humanidade foi, em todos os tempos, em todas as idades, a expressão alevantada da nossa têmpera. Nas nossas lutas políticas, nas nossas jornadas partidárias, nunca se evangelizou uma idéia com o punhal ou o trabuco. A Independência, a Abolição, a República, tanto a primeira como a segunda, nem um desses movimentos conta na sua eclosão esse material abominável de assassinos que a população carioca registrou terça-feira última na Escola de Aviação e no 3º RI. A glória das jornadas cívicas do País é que nenhuma delas se alicerça no homicídio político do tipo que encontramos em CENTENÁRIO seus aspectos sinistros na madrugada de São Bartolomeu, que o Rio acaba de assistir transido de horror. Não. Tanta perversidade, tão frio desprezo pela vida humana, tanta aridez de sensibilidade, tamanha vocação para a eclosão do sangue inocente, nunca foram reações do caráter brasileiro. É um erro capital supor que os inspiradores ocultos desse canibalismo, organizado, em seita política, sejam brasileiros, ou se encontrem ao serviço de uma causa brasileira. A guerra civil que o capitão Prestes se dispôs a desencadear aqui não é bem uma luta interna. A declaração de guerra foi mandada ao Governo do Brasil e ao seu povo liberal pela III Internacional. Estamos em guerra externa contra uma potência estrangeira, que jurou destruir os padrões éticos e jurídicos da nossa civilização centenária. É, pois, a pátria quem está em perigo, nesse duelo contra um inimigo que, ou combatemos com todas as forças da nossa vontade de viver, ou ele terá feito do Brasil uma miserável colônia da tirana vermelha, ímpia e execrando, dos tártaros e mongóis dos sovietes. * Artigo publicado em O Jornal de 29 de novembro de 1935, reproduzido em comemoração ao centenário de nascimento de Assis Chateaubriand pelo Correio Braziliense de 20 de julho de Nº Novembro/ A INTENTONA COMUNISTA VISTA PELOS LIVROS DIDÁTICOS História - Uma abordagem Nacional Liberta-dora, desencadearam o movimento para depor Getúlio. Em menos de integrada / 2001 doze horas, a rebelião foi sufocada pelo governo. Cerca de cinqüenta jovens recrutas foram (Questões dos ENEMs) Em novembro de 1935, a Intentona mortos. ( pág. 99) Comunista, um movimento armado que sublevou três quartéis, um em Natal, outro em Nova História Crítica Recife e o terceiro no Rio de Janeiro. Os revoltosos acreditavam que O revolucionário que 8ª Série / 2001 outras unidades militares Olga iria acompanhar era Luis iriam aderir ao movimento, garantindo a sua vitó- secretamente ao Brasil para lu- Carlos Prestes, que voltava ria contra o governo de tar contra Vargas na revolta liderada pela ANL. Getúlio man- Vargas. Mas a revolta não se alastrou, ficando restrita dou prender milhares de pessoas. O chefe de Polícia, era o aos militares que deram os primeiros tiros. terrível Filinto Müller, nazista A repressão promovida pelo governo foi viomente os presos que caíam assumido, torturava barbaralenta, com prisão, tortura sob suas botas (pág. 145) e até mesmo execução dos envolvidos no conflito. História - 8ª Série Aproveitou-se para prender, torturar e matar PNLD/2005 Cotidiano e Mentalidades pessoas que nada tinham Para conter as agitações, a ver com a Intentona, mas o governo fechou a ANL Aliança Nacional Libertadora em que eram opositores do governo. julho de 1935, prendeu e deportou diversas lideranças operári- A maior crueldade desse período de repressão foi a deportação para Rendição dos militares comunistas sublevados na Praia Vermelha, as e promulgou a Lei de Segurança Nacional. Com a ANL posta a 27 de novembro de 1935 a Alemanha de Olga Benário, esposa de Prestes (Pág. 227) - O grifo na ilegalidade, seus membros mais moderados se afastaram do movimento, é nosso. e a liderança ficou apenas com comunistas e HISTÓRIA INTEGRADA militares de esquerda. CAPITULO 18 Em novembro de 1935, eles deram início A Conspiração Comunista de 1935 a um levante armado, nas cidades de Natal, Recife Contra a lógica mais elementar, já que e Rio de Janeiro. A rebelião foi rapidamente o governo estava de sobreaviso, os militares controlada pelo governo, e muitos militantes e do III Regimento de Infantaria, no Rio de simpatizantes da ANL foram presos e torturados. Pág 152 Capítulo Janeiro, atendendo aos apelos da Aliança 10. COMENTÁRIO Com estes pequenos exemplos, devidamente comprovados, conclui-se que os livros didáticos (e a imprensa) procuram deturpar a verdadeira História do Brasil, invertendo os autores de crimes hediondos, de traição e dos assassinatos cometidos em novembro de 1935 e, posteriormente, nas guerrilhas urbanas e rurais nos anos 60/70. Onde estão os professores e pais que não reagem a essa lavagem cerebral marxista da nossa juventude? A VERDADE HISTÓRICA os idos de 1950/1960, Assis Chateau- comandava o império jor- anos, com um PIB de 14% e tentando mudar a maior crescimento jamais registrado em 500 Nbriand nalístico dos Diários Associados (jornais, revistas, emissoras de rádio e de formação montada nas redações de jornais e sua História. Por quê? A máquina da desin- televisão), que influenciava a opinião pública, mantinha relações com os altos po- faz para que a verdade não seja conhecida. rádios e nas centrais de telejornalismo, tudo deres do governo, incluindo a Presidência da Preferem a meia verdade ou a mentira, divulgadas República, criava ídolos de pés de barro, pelos jornalistas petistas que ocupam 80% das derrubava quem desejasse. Tal qual, hoje, as redações e são amantes de Fidel, Guevara e Organizações Globo, que começaram a crescer no final da década de 60, em pleno histórico de sua Gerência de Documentação Chávez. O Estado de Minas apesar do acervo governo autoritário (havia autoridade). (microfilmagem de todos os seus jornais e revistas), não o utiliza como referência, intencional- De comum, entre os dois impérios: ontem, o apoio irrestrito ao Movimento Cívico- mente, pois não é do interesse da mídia e do Militar de 1964 e a lembrança sobre a covarde e traiçoeira Intentona Comunista e hoje, gente. Quem tem medo da Verdade? governo petista mostrar a Verdade à nossa a mentira deslavada deturpando as realizações do regime militar que levou o país ao A resposta é sua, prezado Quem está mentindo? leitor!

14 14 Nº Novembro/2011 A INTENTONA COM Após a Revolução Bolchevista de de aprimorar seu doutrinamento político. o governo decretou o fechamento da 1917, na Rússia, intensificou-se Em Moscou fez cursos de liderança e ANL e a dissolução da União Feminina no mundo inteiro a propaganda capacitação marxista-leninista e foi membro do Brasil e a Aliança por Pão, Terra e do Comitê Executivo do Komintern. Liberdade. A polícia agia com energia ideológica marxista-leninista. No Brasil, desde 1919 foram Transformara-se em fanático do credo efetuando prisões que abalaram o movimento. O Komintern exigia ação. Pres- registradas várias tentativas de implantação vermelho, abdicando de seus próprios do comunismo, mas somente em sentimentos nacionalistas. Em novemsionado, Prestes concordou com o 1922 foi criado o Partido Comunista, graças bro de 1935 iria comprová-lo, quando sob desencadeamento do movimento armaneiro à mobilização ocorrida no Rio de Ja- seu comando foram assassinados covardobro e Niterói, de 25 a 27 de março. demente na calada da madrugada seus O Congresso Constitutivo do PC logo aderiu ao Movimento Comunista Internacional companheiros de farda. Também em 1946, anistiado e senador, surpreendera o país A INTENTONA Em fins de novembro, foi deflagrada (MCI), aceitando as 21 condi- com a declaração de que, se o Brasil a chamada Intentona, que apesar de efêmera, ções de admissão à Terceira Internacional estivesse em guerra com a União Sovié- manchou a história pátria com o sangue de (1), também conhecida como Komintica, jamais pegaria em armas contra os numerosos brasileiros. tern (2). Em janeiro de 1924, graças ao secretário geral Astrogildo Pereira que soviéticos. Regressou viajou a Moscou, foi conseguida a filiação ao Brasil em abril/ do PCB à Terceira Internacional. 1935, acompanhado Dentre as 21 condições, destacamos de Olga Benário, a 6ª, como expressão do fanatismo para assumir a lide- ideológico que o Komintern procurava rança do movimento incutir nas organizações bolchevistas: comunista, tor- Todos os Partidos Comunistas devem renunciar não somente ao patriotismo como também ao pacifismo social e demonstrar sistematicamente aos proletários que sem a derrubada revolucionária do capitalismo não haverá desarmamento e paz mundial nando-se ainda o presidente de honra da ANL - Aliança Nacional Libertadora, mentora da rebelião traiçoeira que se preparava. No livro Meu Companheiro de Maria Quartel da Prestes: Em 1935, Polícia Militar em Natal após o ataque dos insurretos o casal (Prestes e Como não conseguiu o apoio popular, o PCB sentiu a necessidade de atrair um líder que pudesse polarizar a Olga Benário) estava se dirigindo ao Brasil, onde se preparava o levante armado que abriria uma perspectiva socialista RIO GRANDE DO NORTE Em Natal, a revolta eclodiu quatro atenção e admiração das massas dando para o maior país da América do dias antes da data prevista, a 23, um sábado. autenticidade ao MCI. Aí surgiu o nome Sul. Os sargentos, cabos e soldados do 23º do ex-capitão do Exército, Luís Carlos Prestes, Em fins de 1934 a Conferência Co- Batalhão de Caçadores, com o auxílio de que participara da Grande Marcha, munista da América Latina já havia deli- civis extremados assumiram o governo da comandada pelo general Miguel Costa, berado iniciar a revolução no Brasil, mesmo cidade, com o nome de Comitê Popular como chefe do Estado-Maior (1925/27). sem as condições ideais. A decisão Revolucionário. Foram três dias e três noi- Após a internação da Coluna foi tomada por sugestão do delegado tes de horror e desespero. Saques, estupros Miguel Costa na Bolívia, Prestes foi procurado russo Dimitri Sacharovich Manuilsky e e arrombamentos foram praticados em Porto Suarez por Astrogildo de delegados brasileiros que preferiam pelos comunistas. Pereira, do qual recebeu, após longas uma ação rápida e violenta a uma demorada A contra-revolução veio do inte- conversas, várias obras de doutrinação ação subversiva. rior com o chefe político de Seridó, Dinarte marxista-leninista. A semente estava Para preparar o movimento, o Mariz, mais tarde governador do Estado. lançada. Komintern enviou o agitador internacional Tropas do Exército e das polícias Em 1930, vivendo em Buenos Arthur Ernest Ewert (Harry Berger), o estaduais capturaram em pouco tempo Aires, foi convidado para entrevistar-se secretário geral do PC argentino Rodolpho todos os implicados, que passaram a com Getúlio Vargas e Oswaldo Aranha. Ghioldi, os ucranianos Pavel e responder perante à Justiça por 20 mor- Ao regressar à Argentina, Prestes condenou Sofia, agentes da cúpula do Komintern, o tes. a revolução que se articulava e italiano Amleto Locatelli, Franz Gruber, fazia nova profissão de fé, aderindo ao Comunismo. Elize Saborowiski, Olga Benário (3), agente russa, e outros. PERNAMBUCO Dos três levantes comunistas de 1935, Em 1931, os agentes soviéticos Os comunistas sentiram crescente o de Pernambuco foi o mais sangrento Max e Olga Pandarkye convenceram Prestes oposição a suas atividades de propa- segundo o historiador Glauco Carneiro, a seguir para a União Soviética a fim ganda e agitação. A 11 de julho de 1935, resultando em cerca de 720 mortes só nas operações da frente do Recife. O movimento eclodiu no dia 24, simultaneamente no 29º Batalhão de Caçadores e no QG da 7ª Região Militar. Ao mesmo tempo, civis armados atacaram as delegacias de polícia de Olinda, Torre, Casa Amarela e a Cadeia Pública. Na ocasião, as principais autoridades encontravam-se ausentes do Estado, em viagem no dirigível Hindemburg. A antecipação da revolta de Natal prejudicou a surpresa do movimento em Recife, com a guarnição alerta. A resistência desenvolvida no interior do quartel do 29º BC, sediado em Socorro a 18 quilômetros da capital, a reação das tropas do Exército em Alagoas e na Paraíba e da Polícia Militar de Pernambuco desfizeram em curto prazo qualquer possibilidade de vitória comunista. É de se destacar a atuação do Capitão Malvino Reis Neto, Secretário de Segurança, organizando tropas para impedir a invasão do Recife. No QG da 7ª Região Militar o sargento Gregório Bezerra chefiando um grupo de amotinados tentou prender os tenentes José Sampaio Xavier e Aguinaldo de Oliveira, que reagiram, sendo morto o primeiro e gravemente ferido o outro. O sargento Gregório, também ferido, foi preso. Na manhã do dia 25 ainda havia luta no 29º BC e no Largo da Paz. Com a chegada de tropas do 20º BC de Maceió, uma bateria de Artilharia da Paraíba, elementos do 29º BC e da Brigada Militar começaram a recuar, sendo batidos na altura do Engenho de Santana. Os que escaparam foram perseguidos e presos pelas tropas legais. Na terça-feira, 26, cessara a luta em Recife e proximidades: Nesse mesmo dia, com autorização do Congresso Nacional, o Presidente da República, Getúlio Vargas, decretou a vigência do estado de sítio em todo o país. RIO DE JANEIRO O terceiro e mais importante surto subversivo eclodiu no Rio de Janeiro. Os planos apreendidos com Harry Berger esclareciam que a insurreição deveria abranger várias unidades: 3º RI na Praia Vermelha, o 2º RI na Vila Militar, o Batalhão de Transmissões, o CPOR, o Grupo de Obuzes, o Ministério da Guerra e a Escola de Aviação Militar, na região do Campo dos Afonsos. Os civis só participariam do combate quando este se estendesse às ruas. O 3º RI possuía armamento moderno e um grande efetivo: 100 oficiais, 200 sargentos e 1700 soldados e seus quadros estavam

15 Nº Novembro/2011 UNISTA DE 1935 intimidaram e responderam ao fogo. Nessa ocasião o major Misael de Mendonça, legalista, foi atingido mortalmente. O comandante, cel Afonso Ferreira, junto com outros oficiais, ficou isolado no pavilhão principal e por telefone informou o Ministro de Guerra da situação. Mais tarde os dois batalhões renderam-se e o comandante e oficiais foram presos devido ao desmoronamento do prédio onde estavam abrigados. Apesar de dominar o 3º RI, os rebeldes não puderam cumprir as ordens de Prestes, pois as tropas da 1ª Região Militar comandada pelo Fachada do 3º RI após o confronto General Eurico Gaspar entre as forças legais e os insurretos Dutra impediam que deixassem o quartel. Intimado a render-se o infiltrados por comunistas. O cap. Agildo Barata, marxista, lá se encontrava cumprindo punição disciplinar e logo se articulou o levante da Escola de Aviação malograra. capitão Agildo negou-se por não saber que com o tenente Francisco Antônio Leivas As tropas legalistas intensificaram os fogos até que após o meio-dia surgiu uma Otero que liderava a célula do PC e assumiu a liderança dos preparativos para o levante. bandeira branca. Nas companhias do Regimento havia pelo Na Escola de Aviação a propaganda menos um elemento designado para prender os militares legalistas e assumir o co- dirigida pelos capitães Agliberto Vieira de comunista procurava aliciar adeptos, mando no momento oportuno. Azevedo e Sócrates Gonçalves da Silva, Na tarde de 26 de novembro, o 3º além de mais 6 oficiais, graduados e soldados. Desde setembro a Escola vivia um RI encontrava-se em prontidão por causa dos acontecimentos do Nordeste. Nessa tarde o cap. Agildo Ribeiro recebeu entre os alunos, de boletins de doutrinação clima de inquietação com o aparecimento, a ordem assinada por Prestes: marxista-leninista. Posteriormente foi encontrado um pacote de panfletos subver- O 3º Regimento Popular Revolucionário deverá levantar-se às sivos com o capitão Sócrates, que recebeu ordem de prisão mas se evadiu. duas da madrugada de 27 de novembro e a partir das três horas deslocar tropas Após as 14 horas do dia 26, ouviram-se tiros, gritos e correrias. Eclodira o para as proximidades do Arsenal de Marinha e do Palácio do Catete, devendo outras impedir a ação da Polícia Espe- Sucederam-se lances dramáticos, movimento sedicioso e se alastrava. cial e do Batalhão de Polícia Militar da com atos de heroísmo e de covardia, rua São Clemente. conforme relata o historiador Glauco Na hora prevista ouviram-se tiros Carneiro: dois oficiais legalistas, capitão Armando de Souza e Melo e o no pelotão do tenente Leivas Otero, um dos revoltosos. Era o sinal esperado para os tenente Danilo Paladini, foram mortos amotinados aprisionar os legalistas que na ocasião, ainda dormindo, por Agliberto e pelo tenente Ivan Ramos Ribei- surpreendidos com a rapidez da ação ofereciam pouca ou nenhuma resistência. As ro. O mesmo capitão Agliberto assassinou o tenente Benedicto Lopes Bra- companhias de metralhadoras do I e II Batalhões, comandados pelos capitães gança, quando este se encontrava preso e Alexínio Bittencourt e Álvaro Braga, não se desarmado. Dominando a situação, de posse de todo o armamento e munição, os rebeldes comunistas ocuparam os hangares a fim de acionar os aviões e alastrar o movimento. O 1º Regimento de Aviação, sob o comando do tenente coronel Eduardo Gomes, conseguiu repelir o assalto até que o general José Joaquim de Andrade manobrasse o Regimento Andrade Neves contra os rebeldes. As 17 horas do dia 27, os comunistas debandavam em fuga. Os prisioneiros foram colocados no navio Pedro I, trans- 15 formado em barco-presídio. Após a derrota da Intentona, os agentes soviéticos conseguiram fugir para Moscou, onde apresentaram seus relatórios. Foram todos liquidados no Grande Expurgo estalinista de 1937/38. Amleto Locatelli morreu na Guerra Civil Espanhola. A Gestapo matou as agentes Olga Benário e Elise Saborowiski. Prestes foi preso no Meier/RJ, em março de 1936 e assim permaneceu até abril/1945. Em 1943, mesmo na prisão, foi eleito secretário-geral do PCB, permanecendo no cargo até MONUMENTO VOTIVO Na Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, foi erguido em 1968, um monumento votivo às vítimas da Intentona Comunista de 1935, por iniciativa do Ministro do Exército, generalde-exército Aurélio de Lyra Tavares, para perpetuar em praça pública a homenagem do povo àqueles que souberam lutar e morrer pela sua liberdade. O monumento incorpora arranjos procedentes do mausoléu que fora inicialmente construído no Cemitério de São João Batista, em Nossos respeitos e homenagens àqueles que tombaram na defesa da liberdade e de nossas instituições Natal/ RN: 2º Sgt Jaime Pantaleão de Moraes, Cabo João de Deus Araújo e soldado PM Luís Gonzaga de Souza; Recife/ PE: Capitão José Sampaio Xavier, Tenente Lauro Leão Monumento Votivo na Praia Vermelha/Rio de Santa Rosa e soldado PM Lino Victor dos Santos; Rio de Janeiro/DF: Tenente-coronel Misael de Men- Generoso Pedro Lima. Henriques, Álvaro de Souza Pereira e donça; majores Armando de Souza e 1) A III Internacional foi fundada em 2 de Mello e João Ribeiro Pinheiro; capitães março de 1919 por Lenine com a finalidade de Danilo Paladini; Geraldo de Oliveira e implantar a revolução comunista no mundo. 2) Komintern - abreviatura de Benedicto Lopes Bragança; 2º Sgt José Kommunistitcheski internacional. Bernardo Rosa; 3º Sargentos Coriolano 3) O único pesquisador brasileiro Ferreira Santiago, Abdiel Ribeiro dos Santos e Gregório Soares; 1º cabos Luís Au- William Waack, consultou os arquivos de Moscou e reconstituiu uma verdade há longo tempo negada, golpeando fundo a mitologia gusto Pereira e Antônio Carlos Botelho; comunista nacional, liquidando para sempre 2º cabos Alberto Bernardino de Aragão, com a lenda da inocência de Olga Benário, Pedro Maria Netto, Fidelis Baptista de desmascarando-a como agente do Serviço Secreto Militar Soviético (GRU) Aguiar, José Harmito de Sá, Clodoaldo Ursulano, Manuel Biré de Agrella e Francisco Alves da Rocha; Soldados Wilson Volume III Fonte: O Exército na História do Brasil República França, Péricles Leal Bezerra, Orlando Biblioteca do Exército/1998.

16 REDAÇÃO 5ª Seção EMG Informativo interno da AMAN ESQUECER TAMBÉM É TRAIR! DISTRIBUIÇÃO A C P Fundador: Cap RUBENS J. PORTUGAL ANO XXXII Nº 206 DATA 22 Nov 85, 6ª feira CINQÜENTENÁRIO DA INTENTONA COMUNISTA "Intentona Comunista" de 1935 pode ser resumida em duas palavras: traição e A covardia. Sim, pois companheiros nossos, fardados, coturnos calçados, no cumprimento de seus sagrados deveres, foram mortos, à socapa, na calada da noite, muitos enquanto dormiam... Mas sempre agiram assim, senão vejamos: Andrei Sakharov, físico russo, confinado por castigo em Gorki, declarou, tempos atrás: A história de 60 anos do comunismo está cheia de uma horrível violência, de crimes odiosos no seu território e fora dele, de destruição, sofrimento e corrupção de milhões de pessoas. "ESQUECER TAMBÉM É TRAIR!" JORNAL INCONFIDÊNCIA Assinatura anual A. VIA POSTAL - Recortar (ou xerocar) e preencher o cupom abaixo, anexando cheque bancário nominal e cruzado, cheque dos correios ou vale postal, no valor de R$ 100,00, em favor do Jornal Inconfidência e remetê-los para para Rua Xingu, Alto Santa Lúcia CEP Belo Horizonte MG - Não enviar dinheiro. B. VIA BANCÁRIA - Depositar ou transferir para o Banco do Brasil o valor de R$100,00 agência c/c e por , enviar o quadro preenchido e o comprovante do pagamento para ou telefax (31) , ou ainda o cupom citado e o xerox do pagamento para Rua Xingu, Alto Santa Lúcia - CEP Belo Horizonte - MG. C. Valores superiores serão muito bem recebidos. D. Informações - E. Renovação da Assinatura a cargo do interessado (idem providências acima). Verifique no canto superior direito da etiqueta de endereçamento postal, o mês/ano do vencimento. E RENOVE!!! PROFISSÃO/POSTO/ GRADUAÇÃO: NOME COMPLETO: ENDEREÇO: BAIRRO: CEP: CIDADE: UF: TEL: Autorizo a publicação do meu nome SIM NÃO O CRUZEIRO EXTRA Edição Histórica da Revolução 10 de abril de 1964 Ao fazer ou renovar a sua assinatura, se desejar receber via postal, um exemplar desta revista com 64 páginas, como brinde, envie mais R$ 20,00, totalizando o valor de R$ 120,00. Esta revista pode ser encontrada nos seguintes locais: 1 - Loja da Bibliex, instalada no Saguão do Palácio Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. 2 - Na banca de jornais da Av. Olegário Maciel (em frente ao Hotel Platinum) Nº Novembro/ ANISTIA TORTA * Armando Falcão á quem pretenda sepultar no esquecimento a Revolução de 31 de direta e indireta, modernizou-se a admi- 20 anos, por força da ação revolucionária Hmarço de 1964, como já se deixou nistração, retirou-se a economia do atraso, implantou-se a telecomunicação, vi- de homenagear, por outro lado, a memória dos heróis militares assassinados na veram novos corredores de exportação, multiplicaram-se os investimen- intentona comunista de 27 de novembro de Que país é este, no qual fatos tos, ampliou-se nossa capacidade históricos relevantes, que são exemplos, energética, voltaram a disciplina e a lições e advertências, descambam para o hierarquia, a paz, a ordem e a autoridade. O povo era feliz e não sabia. desprezo dos pósteros, que passam a condená-los no repúdio do silêncio e no Numa histórica tentativa global de desprezo da indiferença? Em ambos os restaurar a chamada democracia plena, e casos mencionados, a insofismável inspiração das Forças Armadas urbana, a Revolução, es- depois de derrotar a guerrilha rural e foi, basicamente, defender as Insistem em sepultar pontaneamente, em nome instituições republicanas, a intentona comunista da pacificação política salvando-as da frontal ameaça comunista. gresso a decretação da e a Revolução de nacional, propôs ao Con Não o No 27 de novembro, os anistia ampla, geral e comparsas de Luís Carlos conseguirão, todavia. irrestrita, teoricamente Prestes ensangüentaram a então capital da República, assim dizer, a esponja que se Quem viver verá. estabelecida. Era, por assim como outros pontos do território procurava passar sobre o território da dissensão, do ressentimento e do ódio. Entre- nacional. De armas na mão, assumiram a iniciativa criminosa da mazorca marxista, tanto, a idéia da Revolução foi inútil. De na Praia Vermelha e nos Afonsos, no Rio fato, perdoaram-se os atentados à mão armada, os seqüestros de embaixadores, os de Janeiro, em Pernambuco e no Rio Grande do Norte. Mataram, covardemente, crimes hediondos, os delitos de sangue. inclusive companheiros que dormiam, no Mas as cobranças descabidas acerca de 3º Regimento de Infantaria, e numa unidade da Aviação Militar feriram a bala desaparecidos, envolvidos em movimen- supostas torturas, a busca constante de Eduardo Gomes, um dos 18 do Forte de tos terroristas, o revanchismo, enfim, tudo Copacabana. Na orfandade e na viuvez tendo como alvo o denominado regime ficaram dezenas de pessoas, porque seus militar, isso não sai da ordem do dia. É chefes sacrificaram a própria vida em pauta permanente nos espaços de que dispõe a incansável insurreição subversiva, defesa da nação. A Revolução de 31 e março, por sua vez, nasceu da reconhecida aliança do povo com os cidadãos Por último, pretende-se revogar ostensiva ou disfarçada. fardados. Tornou-se inevitável e obrigatória, como condição essencial de uma tica de 1964, como se ela não tivesse historicamente a Revolução Democrá- reação coletiva organizada, capaz de eliminar o caos que infelicitava a vida geral na alma dos patriotas. A anistia legal sido, e ainda é, uma idéia-força, gerada dos brasileiros. Durante pouco mais de classifiquemo-la assim - só valeu e só vale para um lado, isto é, para o lado deles. Ficou sendo, em conseqüência, uma anistia torta. É oportuno advertir os democratas ingênuos de que o comunismo faliu, mas não faleceu. A esquerda extremista não acredita na queda do Muro de Berlim. Eis por que insistem em sepultar a intentona comunista e a Revolução de Não o conseguirão, todavia. Quem viver verá. Estandarte apreendido no Rio de Janeiro, em 1934 (ANL) (Publicado no Correio Braziliense - 11/04/1995) * Foi líder parlamentar e ministro de Estado. A CLASSE OPERÁRIA Órgão Central do Partido Comunista (S.B.I.C.) Ano XII São Paulo, Março de 1937 Nº 200 "A libertação da Espanha da opressão dos reacionários facistas, não é uma questão privada dos espanhóes. É a causa comum de toda a humanidade avançada e progressista". STALIN

17 CONGRATULAÇÕES À ESQUERDA Carlos Azambuja comenta a forma lenta e gradual como os antigos terroristas e militantes comunistas assumiram posições de destaque na política nacional, utizando-as para embolsar dinheiro público e humilhar os que impediram seus planos totalitários no passado. As feridas e os erros da Ato Institucional nº 5. Também os demitidos e expulsos, esquerda precisam sangrar para Em 1970, ao assumir a presidência da República, o general 1985 e promovidos. foram reincorporados a partir de que as insuficiências e incompreensões possam ser superadas Garrastazu Médice definiu como Como se isso não bastasse, (JOSÉ GENOÍNO, O Globo, 06 prioritário o fim do terrorismo e uma Comissão, denominada de Fev 96). para isso criou os DOI/CODI. No Mortos e Desaparecidos Políticos foi constituída e recompensou e Logo após a Revolução de 31 entanto, Marighela não mais existia, pois havia sido morto em uma continua a recompensar as famílias de Março e 1964 que depôs o governo comunizante de João Goulart, as via pública, em São Paulo, no ano daqueles que livremente escolheram o organizações, grupos e partidos de anterior. Essa via pública, assim caminho da luta armada, seqüestraram, assaltaram e mataram, sendo, esquerda então existentes em nosso como tantas outras, foi definida, país, e logo após inúmeras outras posteriormente, pela Comissão de afinal, mortos por aqueles que, constitucionalmente, cumpriam suas organizações constituídas pelas bases radicalizadas do chamado um local assemelhado a uma de- obrigações de defen- Mortos e Desaparecidos, como Partidão, definiram como prioridade a derrubada do regime instituministração militar. Ordem, com sacríficio pendência policial ou sujeito à adder a Pátria, a Lei e a ído, utilizando como tática a violência armada e todas as formas de luta, gência cubana imaginava transforrentes com o juramen- Ele, Marighela, que a Inteli- da própria vida, coe- conforme prescrevem os manuais mar no sucessor de Che Guevara to que fizeram ao entrar para a carreira mi- do marxismo-leninismo. (vide o livro de Luis Mir, A Revolução Impossível ) havia deixado litar, de defender a Pá- Esse projeto de luta armada, no entanto, vinha sendo alimentado desde antes de 1964, estimuponsável por uma montanha de própria vida. um testamento que iria ser restria com o sacrifício da lado pelo exemplo da revolução mortos entre os que seguiram seus Do lado dos que cubana. Isso, sem falar nas propostas de revolução armada que vinham Guerrilheiro Urbano. tria fosse transforma- ensinamentos: o Minimanual do se opuseram que a Pá- de muito antes, na melhor tradição Lamarca, no entanto, que traiu da em uma república bolchevique, como o levante comunista de 1935, determinado pelo ladrão de armas, assaltante de ban- vidas preciosas foram o Exército, sua mulher e seus filhos, popular democrática, Komintern. cos, seqüestrador e assassino de perdidas, muitas famílias ficaram sem os É notório que já no governo inocentes de forma vil, como a morte a coronhadas do tenente Alberto seus chefes, mas ne- Jango existiam grupos voltados para essas formas de luta mais avançadas, segundo o jargão marxista. ainda viveria até o ano seguinte. Em esses anos, nada rei- Mendes Junior, no Vale da Ribeira, nhuma delas, em todos Nesse sentido, é esclarecedor setembro de 1971 seria morto no sertão da Bahia, local que a Comissão de Com relação, vindicou. o depoimento de um ex-guerrilheiro urbano, membro dirigente, nos anos Mortos e Desaparecidos definiu que especificamente, ao 60, da Dissidência da Guanabara e, era sujeito à administração militar, caso de Carlos Lamarca, a relatora, na Comissão de Mor- depois, do Movimento Revolucionário Oito de Outubro, preso, bani- já era pensionista de seu marido. tos e Desaparecidos, uma ex-guer- para, assim, indenizar sua mulher que do do país e posteriormente anistiado: (...)Antes da radicalização da guerrilhas urbana e rural erradicadas mente que a repressão não respei- Em agosto de 1979, com as rilheira urbana, afirmou cinica- ditadura, em 1968, e antes mesmo e o país pacificado, o presidente tou a Convenção de Genebra e que de sua própria instauração, em Figueiredo assinou a lei que concedeu uma anistia ampla, geral e Araguaia, ele (Lamarca) fez, tam-... como os guerrilheiros do 1964, estava no ar um projeto revolucionário ofensivo. Os dissidentes irrestrita. Essa lei libertou todos bém, prisioneiros aos quais respeitou a integridade" (sic), e afirmou, se estilhaçariam em torno de encaminhamentos concretos, formando Em maio de 1985, a chamada também, que o redator da Lei que os que se encontravam presos. uma miríade de organizações e grupos, mas havia acordo quanto ao nó tidos clandestinos graças a uma lias dos mortos pela repressão, Nova República legalizou os par- proporciona a recompensa às famí- da questão: chegara a hora do Emenda Constitucional de autoria então chefe do gabinete do Ministério da Justiça, legislou por conta assalto (Daniel Aarão Reis, atual professor de História Contem- PMDB Roberto Freire, ele próprio própria, e que... foi vontade do do então deputado federal pelo porânea da Universidade Federal dirigente de um desses partidos clandestinos, o PCB. em combate direto com as forças legislador incluir os que morreram Fluminense. Esse imprescindível Passado, artigo publicado na revista Teoria e Debate de julho/ burocrático do governo passou a ser Aproveitando o ensejo da re- A partir de então, o aparelho repressivas. agosto/setembro de 1996). tomado, de forma lenta, gradual e forma universitária que o atual ministro da Educação diz que fará, Os seqüestros de aviões, de segura pela esquerda, derrotada, diplomatas estrangeiros, os roubos de armas, os atentados terro- Órgãos de Inteligência, na era ilustrativo e edificante para ser in- anistiada, mas não conformada. Os este não seria um tema altamente ristas, os assaltos a agências bancárias, a estabelecimentos co- Forças Armadas economicamente Parabéns às esquerdas. Vocês Collor, foram desmantelados e as cluído nos currículos de Direito? merciais e até mesmo a residências, os ataques a quartéis, foram ca função: sobreviver. pacíficos. Afinal, essa é uma forma sufocadas, restando-lhes uma úni- chegaram lá, utilizando os meios transformados em tática militar e A Constituição cidadã, de de luta também revolucionária. precederam o que é denominado de 1988, propiciou centenas de retornos às Forças Armadas. O Estado de novembro de 1996) (Publicado no ARAUTO/OPINIÃO radicalização da ditadura em dezembro de 1968, com a edição do promoveu-os e pagou por isso. O autor é Carlos Ilich Santos Azambuja Nº Novembro/ A INTENTONA COMUNISTA O mesmo movimento que em 1935 assassinava compatriotas, traiçoeiramente, foi sufocado, novamente, em Mas desta feita os assassinos foram indenizados pela nação brasileira intento louco de tomada 1935, em 30 de março de 1935 Odo poder pela força ou a Luis Carlos Prestes fora aclamado presidente de honra da re- Intentona Comunista, como ficou conhecido o traiçoeiro, sangrento e fracassado motim deflagrado Libertadora; no VII Congresso cém-criada Aliança Nacional por militares comunistas contra estabelecimentos militares delegado holandês Van Mine, da Internacional Comunista, o de Natal, do Recife e do Rio de membro do Conselho Executivo Janeiro, entre os dias 23 e 27 de do Komintern e relator dos assuntos referentes à América novembro de 1935, constitui uma das mais negras páginas da história do Brasil. Nacional Libertadora foi criada Latina, afirmara: A Aliança Maus militares, corrompidos por intensa doutrinação ta do Partido Comunista Brasi- sob orientação secreta mas direleiro (PCB), segundo as instruções confidenciais recebidas da Legação Soviética em Montevidéu. Ela cumpre cegamente ordens de nosso bravo camarada Prestes... ; e Dimitrov, em 1935, no VII Congresso da Terceira Internacional de Moscou, discorrendo sobre o papel da Frente Única Anti-imperialista, declarara:...no Brasil,o Partido Comunista, que deu uma base ao desenvolvimento de uma frente contra o imperialismo ao criar uma Aliança de emancipação nacional, deve empenhar-se com todas as suas forças para impulsionar essa marxista, desprezam a hierarquia frente, conquistando para a e a disciplina, descumprem seu mesma, sobretudo, os milhôes sagrado juramento para com a de camponeses, e orientando o Pátria, traem seus próprios companheiros e até os matam, mesmação de destacamentos de um movimento no sentido da formo quando já presos e desarmados. Naturalmente, oficiais e rio extremamente devotado, até Exército Popular Revolucioná- graduados fiéis ainda que surpreendidos pelo vulto do motim final, e no sentido da organiza- que seja alcançado o objetivo e principalmente pela traição de ção do poder dessa Aliança companheiros que, até então, Libertadora Nacional.... pareciam leais, cumprem seu juramento reagem com bravura, portanto, a importância do pa- Torna-se fácil perceber, defendem as instituições com pel dos militares brasileiros em risco de vida e, alguns com o Natal, no Recife e no Rio, os sacrifício da própria vida. Findo quais, honrando seu sagrado o dia 27 de novembro, derrotados, desmoralizados, os amotivura seu dever e impediram que juramento, cumpriram com branados fogem ou se rendem. Do o Brasil passasse a ser controlado por um Exército Popular Re- lado dos militares fiéis, morrem, no cumprimento do dever, bravos brasileiros. As autoridades e os milivolucionário. A deflagração da Intentona Comunista em 23 de nocido aqueles que morreram detares de hoje poderão ter esquevembro de 1935, foi o desfecho fendendo a Pátria. A Pátria, no de uma trama que, era verdade, entanto, certamente jamais os vinha sendo articulada dentro esquecerá. e fora do País. Segundo revela (Publicado no ARAUTO/HISTÓRIA o General José Campos de de novembro de 1996) Aragão, em seu livro intitulado Olavo Nogueira Dell'Isola - A Intentona Comunista de Coronel Aviador

18 A VERDADE ESQUECIDA * Luiz Gonçalves Alonso Ferreira a alvorada de março de 1934, vindo de De fato, como fartamente registraram os Buenos Aires portando passaporte ame- desembarcara no Rio de Janeiro no Rio de Janeiro, a eficiente polícia carioca, na jornais, poucos dias após a supressão do levante Nricano, um sujeito de nome Harry Berger. jurisdição dos 13 e 14 distritos policiais, Preso pela polícia carioca no natal de 1935, deteve 23 comunistas de origem judaica (longo logo revelou-se a identidade secreta do viajante. ficaria citar a relação dos nomes), todos ligados Chamava-se, o misterioso elemento, Arthur à Brazcor, organização revolucionária comunista, mantida e orientada pelo PCB. Essa associ- Ernst Ewert, judeu alemão, fichado em seu país de origem, no qual era ex-deputado, como espião. ação mantinha uma biblioteca popular israelita Constava também processo por alta traição. de nome Schelomo Alcichem, instalada à Rua Berger era o agente do Komintern, especialista em golpes subversivos, enviado para o proletária comunista, que servia refeições na Sen. Euzébio n 59, bem como, uma cozinha Brasil com a missão de dirigir intelectualmente o Rua Visconde de Itaúna. Publicava a revista de plano traçado em Moscou, que objetivava a cultura moderna Volkekultur. instauração de uma ditadura de tipo stalinista no Quando assistimos ao filme Olga, de Jaime País, por meio de levante armado. Monjardim, inquietou-nos não somente a lamentável omissão destes relevantes fatos, como Sob ordens de Berger, lá estava Luiz Carlos Prestes, homem escolhido para encabeçar um também, a superficial abordagem sobre as sublevações comunistas em Natal, no Recife e no Rio governo popular nacional revolucionário, segundo relatório do próprio Berger para o Komintern. Querer romantizar as figuras de Luiz Carlos de Janeiro. Prestes angariou simpatia no meio comunista, pela sua participação na famosa coluna mili- ao longo de todo o filme e, por tabela, apresentá- Prestes e Olga Benário, criando um clima nupcial tar, que marchou pelo interior do País, nos los como porta-vozes e defensores da liberdade agitados tempos do movimento tenentista. Pouco depois, após a conversão de Prestes à doutrina tez e cinismo puros. humana e da democracia e, no mínimo, insensa- marxista lininista por Astrogildo Pereira, a hábil Esquecer (ou omitir tendenciosamente) o propaganda vermelha batizou esse destacamento com seu nome, ainda que para isso tivesse de mes, onde oficiais brasileiros foram assassina- assalto à Escola de Aviação, em Marechal Her- cometer a injustiça histórica de omitir e relegar ao dos por companheiros de farda enquanto dormiam, ignorar o covarde ataque-surpresa ao esquecimento a figura do comandante Miguel Costa, principal líder militar da Coluna, ao qual 3 Regimento de Infantaria, na Praia Vermelha, onde a ordem só foi restabelecida após Prestes esteve sempre subordinado. Pela experiência do período, Prestes recebeu uma manhã inteira de combates; desdenhar a incumbência de chefiar a ação dos cinco dias em que revolucionários comunistas, em Natal, estabe- Divulgação armada dos comunistas no Brasil. Não poderia haver falhas. O leceram um governo que promoveu plano deveria ser executado de a ação de arruaceiros, assassinos, forma rápida e eficaz, sem oferecer ao governo o tempo neces- que a inocente menina Elza Fer- estrupadores e assaltantes; sugerir sário para o esboço de uma reação. do Cavaleiro da Esperança, com nandes (trucidada segundo ordens Para tanto, visando garantir consentimento de Olga) era a responsável pelo desastre que somen- o apoio logístico e os recursos financeiros necessários para tão te a incompetência de Prestes provocou, menosprezar tudo isso é ris- arriscada empreitada, Moscou fundara em Montevidéu, clandestinamente, o seu Secretaria- É aceitarmos e legitimarmos co muito grande. do Latino Americano, órgão cuja perante a história o crime, o fanatismo e o unilateralismo político, finalidade era aproximar as organizações comunistas latinas, a ditadura. a fim de impulsionar o movimento vermelho na América do no Rio de Janeiro, em 1936, Benário não defendiam democra- Luiz Carlos Prestes e Olga Olga Benário, após prestar depoimento Sul. Foi este o fato que gerou, acompanhada por um policial cia de nenhuma espécie para o ainda em fins de 1935, após o malogro da tentativa de assalto comunista ao poder no Brasil, o Pelo contrário, caso lograssem êxito em Brasil, tenhamos isso sempre em mente. rompimento das relações diplomáticas do Uruguai com a União Soviética. a simples colônia de Moscou e conviverí- sua missão, teríamos nosso País reduzido A Intentona Comunista de 1935, portanto, fora concebida e preparada em Montevi- nome da liberdade humana, cometeu os amos com uma ditadura ferrenha, que em déu, como bem atestaram os jornais da época maiores crimes e atrocidades da história da no Brasil, entre os quais, o Globo. humanidade. Comunistas estrangeiros traçaram lá fora este destino para o Brasil, Durante os preparativos para o golpe, visando despistar quaisquer suspeitas a respeito de seu enviado revolucionário, destaca ros desprovidos de senso patriótico, soma- contando para isso com o apoio de brasilei- Moscou, como esposa de Prestes, a judia dos a um punhado de ignorantes. alemã Olga Benário (Olga Ben-Ario), conhecida já em seu país pelas suas ações subver- nossa história, vivêssemos de fato uma ditadura Se nós, brasileiros, em algum momento de sivas. comunista, o filme Olga, se viesse a ser produzido, tenhamos a certeza, contaria história bem Cumpre destacar, nesse ponto, fato desconhecido da grande maioria dos brasileiros sobre mais trágica. a chamada Intentona: a do envolvimento direto Publicado em A Tribuna de Santos, em de grande número de israelitas (infiltrados no * Bacharel em História pela País) na conspiração comunista de Universidade Católica de Santos. Nº Novembro/ Revista ÉPOCA, Edição de agosto de 2004 OLGA NÃO TINHA SAÍDA Entrevista com William Waack, o autor de Camaradas MARTHA MENDONÇA E ELISA MARTINS Autor do livro-reportagem "Camaradas", diz que o mito romântico da revolucionária nasceu de propaganda Profissão: Jornalista, é correspondente da Rede Globo em Nova York Experiência: Cobriu oito guerras, entre elas a do Golfo, e morou em Berlim ÉPOCA - Que Olga você conheceu em suas pesquisas? William Waack - Uma profissional do serviço secreto militar soviético, treinada para obedecer em qualquer circunstância, sem jamais duvidar dos chefes e da linha estabelecida pelo Partido, disciplinada, mas sem interesse por assuntos teóricos, que ao chegar ao Brasil perdeu o foco da missão. O trágico em Olga é que ela não tinha saída. ÉPOCA - Como assim? Waack - A verdadeira dimensão trágica da figura de Olga é o fato de ela ter sido vítima de dois totalitarismos. Foi liquidada por um deles, o nazista, enquanto todos os seus companheiros de luta no Brasil, que sobreviveram à aventura de Prestes e conseguiram voltar a Moscou, foram destruídos pelo outro totalitarismo, o comunista - foram executados na Rússia antes ainda do assassinato de Olga. Mas não era um aspecto que interessava à máquina propagandística do PC da Alemanha Oriental, que iniciou o culto ao mito de Olga no final da década de 50, suprimindo partes de sua real história. O mesmo ocorreu no livro lançado no Brasil por Fernando Morais, que, na verdade, tem boa parte compilada da primeira biografia de Olga feita pela alemã Ruth Werner, a pedido do PC alemão, em Trabalhos que não contam a realidade. ÉPOCA - Pelo que pesquisou, do que mais não se fala? Waack - Um detalhe fundamental: o fato de que a mãe de Prestes pediu várias vezes às autoridades soviéticas que tentassem trocar Olga por prisioneiros dos soviéticos. Era impossível que isso acontecesse, pois, naquele momento, pouco antes da Segunda Guerra Mundial, os soviéticos estavam entregando à Gestapo militantes alemães que se refugiaram em Moscou. Uma dessas pessoas, aliás, foi a última a ver Olga viva no campo de concentração. Era Margareth Buber-Neuman, uma colega dela de militância, alemã e judia, que chegou a ser preparada para ir ao Brasil, mas foi presa com o marido em Moscou e entregue à Gestapo. ÉPOCA - Isso tira de Olga e Prestes o romantismo, a luta por ideais? Waack - Prestes e Olga eram, antes de mais nada, soldados do Partido, e a esses soldados não se admitiam crises de consciência. Dou um exemplo: entre a derrota do levante de novembro de 1935 e a prisão dos dois, no início de 1936, Prestes mandou matar a namorada do secretário-geral do PCB, Elza, uma moça inocente e ingênua de 18 anos, que foi estrangulada por militantes do partido. Ele suspeitava, erroneamente, que Elza fosse informante da polícia. E Olga não se opôs à decisão, segundo o agente soviético no Rio que chefiava o esquema clandestino. Não havia nada de romântico ali. (Leia a página 6 deste jornal)

19 LEMBRAI - VOS DE 35! * Valmir Fonseca Azevedo Pereira ESQUECER TAMBÉM É TRAIR Ocontundente, incisivo e conciso pelos comunistas por meio da luta armada. slogan, uma estaca gravada no coração dos comunistas, aos poucos A republiqueta sul - americana perde, num país sem memória, o seu principal ensinamento - a cautela, a atenção, E a tentativa teve lugar, na noite estava pronta para cair. a prevenção. de 23 de novembro em Natal, na manhã À época, considerado um país de 24 em Recife, e na madrugada de 27 semicolonialista, seu contexto era fértil, no Rio de Janeiro. Em cada, um retumbante fracasso. assim julgavam, para a execução dos mesmos métodos aplicados, exitosamente, Tolhida no Rio de Janeiro, seu principal foco, soçobrou nos demais estados. no golpe bolchevista de 17 de novembro de Inerme, sem os sucessos iniciais esperados, sucumbiu no Foto: Sgt. Ely / CML seu nascedouro, graças ao sacrifício de um punhado de heróis. Felizmente, apesar das vítimas imoladas no altar da insânia, da covardia e da insensatez, o 27 de novembro de 1935, que cobriu de luto a memória nacional, também foi Flores no monumento da Praia Vermelha / Rio uma data fatídica, A tentativa, desencadeada em infausta para os inimigos da democracia, que pelas armas, traiçoeiramente, solo pátrio contava com o aval, planejamento, apoio e monitoramento da Internacional Comunista (Moscou), que nação pacífica e ordeira com um vitimaram inocentes, ao sacudir uma iludida com as informações de Luís Carlos macabro golpe de força. Prestes, o Cavaleiro da Esperança (russa?), de que as frentes populares estasou a PRIMEIRA TENTATIVA DE TO- Sim, lembrar o quê? Como fracasvam aos seus serviços e submissas aos MADA DO PODER? seus desígnios, e que o Brasil cairia de Sim, para os subversivos não é maduro aos pés de suas propaladas bom recordar uma vergonhosa e insana colunas de guerrilheiros. intentona; portanto, apaguem da memória, Pretendiam transpor para o Brasil, o modelo de revolução delineado incultos cidadãos esqueçam as lições da dos registros, dos arquivos, para que os por Moscou e, assim, as mesmas LEMBRAI - VOS DE 35, los, recaiam nos mes- história, e como os to- idéias - força e os ou melhor, mos erros, cometam os mesmos temas foram explorados à DE 27 DE NOVEMBRO entronizem falsas ide- mesmos enganos e exaustão, cópias DE ologias e solertes embusteiros. fiéis daquela ação revolucionária que contavam como favas contadas, crentes na passividade por demais importante e frágil para ser É brasileiros, a DEMOCRACIA é do povo e na inépcia das Forças Armadas. e interessados em substituí - la por descurada, e ficar à mercê de golpistas O relativo sucesso na área militar, assim entendido o esforço de infil- Portanto, todo o cuidado é pou- práticas, sabidamente tiranizadoras. tração e de recrutamento de adeptos co. E, por mais que eles deplorem, nas Forças Armadas, viria a ser importante fator para o desencadeamento da melhor, DE 27 DE NOVEMBRO DE LEMBRAI - VOS DE 35, ou primeira tentativa de tomada do poder * General-de-Brigada ESQUECER TAMBÉM É TRAIR 19 O Cruzeiro Os ultimos successos revolucionarios Precioso flagrante mostrando uma carga de bayonetta das Forças Legais contra os rebeldes do 3º R.I. momentos antes da rendição Nº Novembro/2011 iveram o condão de alarmar funda- o espírito da população cari- Tmente oca os sangrentos successos de quarta feira ultima que consubtanciaram na sublevação de parte de algumas guarnições militares desta capital, felizmente reprimidas com energia e decisão pelas autoridades. O golpe militar communista desferido sob a chefia do capitão Agildo Barata e do major Alcedo Cavalcanti determinou a perda de algumas vidas preciosas, privando os quadros da officialidade do Exercito Brasileiro de algumas de suas mais brilhante expressões. Durante as primeiras horas do dia, enquanto a população não conhecia a verdadeira extensão dos sangrentos acontecimentos formou-se uma espectativa de alarme, a qual, felizmente se atenuou à medida que os rebeldes foram sendo batidos corajosamente em todos os sectores. O presidente da República, Sr Getúlio Vargas, num inclito exemplo de intrepidez pessoal, logo que teve conhecimento da eclosão do movimento nesta capital, articulado com as revoltas de Recife e Natal, sob a orientação do excapitão Luiz Carlos Prestes, deixou o Palácio Guanabara e, em companhia do Ministro da Guerra e das altas patentes do Exercito, visitou as diversas frentes da luta, quando ainda era indecisa a situação. (O Cruzeiro, 07/12/1935) A Polícia Militar, na Praia do Botafogo, junto ao Pavilhão Mourisco, de prontidão horas após o levante

20 CAIXA POSTAL Publicado no Inconfidência nº 136 de Jan/Fev INTENTONA COMUNISTA / 1935 Esquecer, também é trair CAP PAULO ALBERTO M SILVA No Campo dos Afonsos está instalado São Paulo/SP um Museu que apresenta a história da nossa Penso que não deve existir neztepais Força Aérea. Haverá nele alguma exposição/ qualquer outra publicação tão clara e oportuna sobre a intentona comunista desen- Patrono da Força Aérea, brigadeiro Eduardo informação sobre o 27 de novembro de 1935? O cadeada no Brasil, em novembro de 1935, Gomes, era o tenente-coronel comandante do 1º como os dois últimos números do Inconfidência. onde foi ferido e mesmo assim, continuou lutan- Regimento de Aviação sediado naquele local, Deveria ser obrigatória a sua leitura e do contra os traidores da Pátria. constar dos currículos de todas as escolas Se algum leitor souber, favor informar ao militares das Forças Armadas. Inclusive dos Inconfidência, pois tenho a certeza de que ele PP de soldados e dos TG-Tiros de Guerra. divulgará e até apresentaria uma reportagem Não há como esconder esse importante acontecimento à juventude brasileira. Perguntei Pátria. (10/01) sobre a maior traição jamais ocorrida em nossa à minha neta (14 anos), aluna de colégio particular, se sabia algo sobre a intentona e CEL GILBERTO FREITAS como era de se esperar, disse-me não! Rio de Janeiro/RJ Não estou mais preocupado comigo, Formidável o caderno especial sobre a mas sim com o que espera os nossos descendentes, com os exemplos dados pelo atual des na Praia Vermelha e no cemitério do Bonfim, intentona e a seguir, a apresentação das solenida- governo (30/12) em Belo Horizonte. Pena que a formatura ocorrida no Rio, a SO AER MARIO PINTO BARROS tarde, não fosse divulgada oportunamente através do Clube Militar, não só pela internet aos Guaratinguetá/SP CAMPO DOS AFONSOS seus sócios, como também nos almoços de turmas, com a devida antecedência. Ou com um Fazia tempo que não escrevia ao Inconfidência, mesmo sabendo que todas as anúncio nos jornais da cidade do Rio de Janeiro. minhas cartas anteriores foram publicadas. Mesmo assim, o comparecimento à Praia Vermelha foi um dos mais concorridos dos últimos anos Embora já reformado da Força Aérea, julgo que esta não poderia se omitir nos dias 27 de e contou com a presença do comandante do novembro. Exército, general Pery, pela 1ª vez desde os Ao ler o encarte do último jornal, CAM- governos socialistas de FHC e Lula! PO DOS AFONSOS, pensei comigo: Se a Cumprimento o editor do Inconfidência e lembro a ele, como artilheiro, não poderia Aviação era a 5ª arma do Exército, a FAB é a atual e a legítima depositária das tradições e da ter se esquecido de citar a salva de Artilharia, história da Aviação Militar Brasileira. desencadeada durante a cerimônia cívico-militar de 27 de novembro. O Comandante, brigadeiro Saito, deveria ter realizado uma cerimônia cívicomilitar no Campo dos Afonsos, onde an- Quando o museu do Forte de Copacabana, Uma pergunta que não quer me calar: tigos companheiros nossos foram friamente tão bem localizado, vai apresentar em seu sofisticado recinto, uma exposição permanente sobre assassinados, tal qual a formatura da Praia Vermelha que contou com a presença do a intentona comunista de 1935, tal qual uma Comandante do Exército. realizada recentemente a inauguração dos retratos dos presidentes militares? (29/12) E também, na AFA, em Pirassununga, na EPCAr, em Barbacena e aqui, em Guará, NR: Falha nossa: Peça atirou!! para dar conhecimento e alertar os mais jovens, do que foi realmente a intentona comunista de E palestras, nos clubes de Aero- Porto Alegre/RS CEL FRANCISCO FELIX DA FONSECA náutica. Mais uma vez o Inconfidência diz a que uando candidato à Presidência da Repúbli- em 1998, Luiz Inácio Lula da Silva, Qca, concedeu entrevista ao "O Globo", da qual extraímos alguns tópicos: O GLOBO - Como o PT vai escolher os Ministros Militares, se o senhor for eleito? O partido tem muitos militantes nas Forças Armadas? Lula: O PT não tem essa preocupação, porque, possivelmente, nenhum outro partido tenha, no Brasil, outro militar como herói na guerra civil na Espanha. O PT tem um militar com a maior condecoração que um militar tem, que é o companheiro Apolônio de Carvalho. Duvido que, no Brasil, tenha um general com participação em tantas lutas. Para nós, não haverá dificuldade alguma em escolher. Primeiro, porque a Constituição define que o Presidente da República é o Chefe Supremo das Forças Armadas. O que não falta é critério para escolher um ministro. E, depois, temos vários amigos militares, que são reformados. Deve ser observado, que a resposta do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva, hoje, Presidente da República, ao jornalista de O GLOBO, muito se assemelha em seus termos, aos argumentos, recentemente apresentados pelo Ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, em defesa da promoção do Oficial, expulso do Exército, Apolônio de Carvalho. Embora não havendo uma manifestação do Presidente da República, sobre o fato, percebe-se, desde logo, uma sintonia de pensamento entre as duas posições, a do Ministro da Justiça e a do Presidente da República, identificando, sem dúvida alguma, o posicionamento, deste O GENERAL DO PT veio. Além das suas edições históricas já apresentadas neste ano 31 de março e Duque de Caxias agora, a da intentona comunista. Deveria ser distribuída a todos os alunos dos Colégios Militares e dos CPOR/NPOR, principalmente de Porto Alegre. Por quê? Acredite, se quiser. No dia 27 de novembro, aconteceu nesta capital, um treinamento para a formatura de passagem de Comando do CMS. Dificilmente poderia surgir uma melhor oportunidade para diante da tropa da guarnição, ser lembrada a covarde intentona comunista. No entanto, nada foi rememorado, assim como também, no dia seguinte, por ocasião da solenidade de passagem de comando do general Elito para o general De Nardi. O que terá acontecido? Ordens superiores? Não creio, pois o comandante do Exército se fez presente na formatura da Praia Vermelha, na tarde de 27 de novembro. (19/12) * ADV JOÃO ARMANI Belo Horizonte/MG Muito oportuno o comentário publicado no Inconfidência nº 135 de dezembro/2008 à página 13, sobre a rememoração da intentona comunista. Ao que parece, somente nas guarnições do Rio de Janeiro, de Belo Horizonte e de São Luís/MA, a trágica intentona foi devidamente rumemorada com formatura e leitura da memorável Ordem do Dia, assinada pelos generais-de- Exército Luiz Cesário da Silveira Filho, comandante do CML e Paulo Cesar de Castro, chefe do DEP. Procuramos saber se aconteceram solenidades em outras localidades, como em Recife e Natal, cidades que foram os primeiros alvos da insana e covarde traição cometida na calada da noite, tão bem explicitada na Ordem do Dia acima referida. Não obtivemos qualquer retorno e também de Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Campo Grande, Salvador, Manaus... Ninguém sabia informar, tanto o pessoal da Ativa, como o da Reserva. O que terá acontecido? Vergonha de relembrar a verdadeira História militar e do Brasil? Ou querer ficar de bem com o apedeuta comandante supremo das Forças Armadas, que prestigia Carlos Marighella, Gregório Bezerra, Antonio Conselheiro, João Cândido, em detrimento aos verdadeiros heróis que se imolaram pela pátria? Também nada foi divulgado sobre as formaturas no Rio e em BH, para o público interno (Noticiário do Exército, Informex e Resenha) pelo CCOMSEX. Por quê? (31/12) *Presidente da AREB/BH Nº Novembro/ PELA PRIMEIRA VEZ, INTENTONA NÃO É LEMBRADA Pela primeira vez, na história, a solenidade em homenagem aos mortos na Intentona Comunista de 1935, que estava para ser realizada hoje, não aconteceu. O Comando Militar do Leste, organizador da cerimônia, alegou que o cancelamento ocorreu por causa da chuva, mas informou que mesmo que o tempo melhore, a solenidade não será realizada este ano. No entanto, sabe-se que anunciada ausência do presidente Itamar Franco na solenidade, caso ela ocorresse, desagradou os militares. Tanto que, o Grupo Independente 31 de março, que reúne cerca de três mil militares da reserva e civis, no Brasil, já estava estudando uma forma de protestar contra a falta de Itamar. O presidente do grupo, brigadeiro Max Alvim, disse que este fato foi considerado lamentável, mas era esperado, porque ele (Itamar Franco) nomeou um notório comunista (Roberto Freire) como seu líder no Congresso. (Correio Braziliense - 28/11/1992) Ao comparecer e participar pessoal e acintosamente das comemorações do 11º Congresso do Partido Comunista do Brasil (PC do B) em Brasília, no dia 20 de outubro de 2006 prestigiando adeptos das idéias do partido que, no passado, foi o mentor da tragédia de 1935 o Sr Luiz Inácio Lula da Silva desfigura nossa História, inverte acintosamente o quadro dos valores herdados dos nossos antepassados, afronta a imagem das nossas FFAA e agride a memória daqueles que deram suas vidas para impedir a instalação da ditadura marxista em nossa Pátria. (Inconfidência nº 88 de 27/11/2006) Publicado no Inconfidência, nº 88 de 27/11/2005 último. O que é, extremamente preocupante para as Forças Armadas. Na mesma entrevista ao O GLOBO, Lula afirmaa ainda: Eu reduziria o papel dos militares, que tiveram, na constituição, um privilégio muito grande. Em nome da Lei e da Ordem, eles podem tudo. É estarrecedor, que tendo consciência da prerrogativa de que o Presidente da República é o Comandante Supremo das Forças Armadas, possa externar-se dessa forma, desprestigiadora e desrespeitadora, com relação aos futuros comandados, colocando-se, aprioristicamente, contra os mesmos. Única explicação, de tal conduta, encontra-se nos radicais e fieis compromissos ideológicos assumidos pelo candidato, hoje, Presidente da República. Em fins de setembro, Lula acompanhado do Ministro da Justiça, compareceu ao velório de Apolônio de Carvalho. E em Moscou, no mês passado, constrangiu o presidente Putin, ao insistir em visitar o túmulo de Lenine (do qual os russos, desde Yeltzin, estão tentando descobrir um meio de livrar-se dele), na Praça Vermelha, onde depositou uma coroa de flores. É sintomático e não se poderia esperar outra atitude de quem tanto se empenhou para eleger como substituto de Severino um político do PCdoB, Aldo Rebelo. E porque a suástica é proibida por lei, se a foice e o martelo que cometeram e ainda continuam cometendo assassinatos e crimes muito maiores, não o são? Felizmente, Lula não deve comparecer ao Monumento votivo da Praia Vermelha - Seria um escárnio àqueles que ali estão, mortos na luta contra a selvageria do comunismo.

Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns

Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns "Éramos dois contratados de Deus" JOSÉ MARIA MAYRINK (Jornal do Brasil - 13/6/99) SÃO PAULO - Campeão da defesa dos direitos humanos durante os anos da ditadura

Leia mais

Período Democrático e o Golpe de 64

Período Democrático e o Golpe de 64 Período Democrático e o Golpe de 64 GUERRA FRIA (1945 1990) Estados Unidos X União Soviética Capitalismo X Socialismo Governo de Eurico Gaspar Dutra (1946 1950) Período do início da Guerra Fria Rompimento

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO Império russo (início do século a 1917) Território * Governo Maior império da Europa, estendendo-se da Ásia ao pacífico * Monarquia absoluta e

Leia mais

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA Os últimos anos da República Velha Década de 1920 Brasil - as cidades cresciam e desenvolviam * Nos grandes centros urbanos, as ruas eram bem movimentadas, as pessoas

Leia mais

Acerca da Luta Armada

Acerca da Luta Armada VALOR E VIOLÊNCIA Acerca da Luta Armada Conferência Pronunciada no Anfiteatro de História da USP em 2011 Wilson do Nascimento Barbosa Professor Titular de História Econômica na USP Boa noite! Direi em

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos

Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos por Por Dentro da África - quarta-feira, julho 29, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/brasileira-percorre-7-mil-quilometros-para-contar-historias-derefugiados-africanos

Leia mais

Questões sobre a Ditadura Militar no Brasil (respostas no final da página) 1. Como teve início a Ditadura Militar no Brasil que durou de 1964 a 1985?

Questões sobre a Ditadura Militar no Brasil (respostas no final da página) 1. Como teve início a Ditadura Militar no Brasil que durou de 1964 a 1985? Questões sobre a Ditadura Militar no Brasil (respostas no final da página) 1. Como teve início a Ditadura Militar no Brasil que durou de 1964 a 1985? A - Através de eleições democráticas que levaram ao

Leia mais

A DITADURA BRASILEIRA DE 1964

A DITADURA BRASILEIRA DE 1964 A DITADURA BRASILEIRA DE 1964 Dalmo A. Dallari * 1. A DITADURA E SUAS VARIANTES A história da humanidade tem sido uma confirmação reiterada do acerto da advertência do eminente político e historiador inglês

Leia mais

Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985) e República Nova (Redemocratização do Brasil) (1985-2010)

Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985) e República Nova (Redemocratização do Brasil) (1985-2010) Trabalho de História Recuperação _3ºAno Professor: Nara Núbia de Morais Data / /2014 Aluno: nº Ens. Médio Valor: 40 Nota: Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985)

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 DE ABRIL PALÁCIO DO PLANALTO BRASÍLIA-DF

Leia mais

50 ANOS DO GOLPE MILITAR

50 ANOS DO GOLPE MILITAR 50 ANOS DO GOLPE MILITAR (1964-1985) Prof. Dr. Rogério de Souza CAUSAS Guerra Fria Contexto Internacional: Construção do Muro de Berlim (1961) Cuba torna-se Socialista (1961) Crise dos Mísseis (1962) CAUSAS

Leia mais

Lançamento do livro Coragem reúne principais advogados de presos e perseguidos políticos

Lançamento do livro Coragem reúne principais advogados de presos e perseguidos políticos Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de São Paulo Lançamento do livro Coragem reúne principais advogados de presos e perseguidos políticos 31/03/2014 Os 50 anos do golpe militar fazem parte da história

Leia mais

É uma enorme honra para mim assumir, hoje, o comando da Brigada de Reacção Rápida.

É uma enorme honra para mim assumir, hoje, o comando da Brigada de Reacção Rápida. Discurso tomada de posse do Major-General Fernando Serafino como Comandante da Brigada de Reacção Rápida, em Tancos a 30 de Maio de 2011. Oficiais, Sargentos, Praças e Funcionários Civis da Brigada de

Leia mais

BITTENCOURT, Carlos Machado *militar; gov. RS. 1890; min. STM 1896-1897; min. Guerra 1897.

BITTENCOURT, Carlos Machado *militar; gov. RS. 1890; min. STM 1896-1897; min. Guerra 1897. BITTENCOURT, Carlos Machado *militar; gov. RS. 1890; min. STM 1896-1897; min. Guerra 1897. Carlos Machado Bittencourt nasceu em Porto Alegre, na então província do Rio Grande do Sul, no dia 12 de abril

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Meus queridos brasileiros e brasileiras, É com muita emoção

Leia mais

29 A ordem liberal-democrática

29 A ordem liberal-democrática A U A UL LA A ordem liberal-democrática Abertura Na aula passada vimos que, em 1945, Vargas convocou eleições para a presidência da República. Mas o regime do Estado Novo chegou ao fim antes que elas se

Leia mais

Auto de Proclamação da República (7 Outubro de 1910) Cota CMPV 4343 Auto de Proclamação

Auto de Proclamação da República (7 Outubro de 1910) Cota CMPV 4343 Auto de Proclamação Auto de Proclamação da República (7 Outubro de 1910) Cota CMPV 4343 Auto de Proclamação NEWSLETTER: Dando continuidade à nossa nova rubrica on-line: Páginas de História com Estórias, passamos a apresentar

Leia mais

PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA

PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA Memorial da Resistência de São Paulo PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA Cemitério de Areia Branca Endereço: Avenida Nossa Senhora de Fátima, 854 Areia Branca, Santos, SP. Classificação: Cemitério Identificação

Leia mais

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA DOLOROSA: O NAZISMO ALEMÃO A ascensão dos nazistas ao poder na Alemanha colocou em ação a política de expansão territorial do país e o preparou para a Segunda Guerra Mundial. O saldo

Leia mais

TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS. Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético.

TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS. Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético. TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético. A operação Barbarossa A operação Barbarossa era a invasão da União

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Influência dos valores iluministas Superação do Absolutismo monárquico e da sociedade estratificada Serviu de inspiração para outras revoluções,

Leia mais

UFSC. Resposta: 02 + 04 + 16 = 22. Comentário. Resposta: Comentário

UFSC. Resposta: 02 + 04 + 16 = 22. Comentário. Resposta: Comentário Resposta: 02 + 04 + 16 = 22 Resposta: 01. Incorreta. Na região dos Rios Tigre e Eufrates tivemos o desenvolvimento da Civilização Mesopotâmica, que, mesmo enfrentando guerras, desenvolveu atividades artísticas

Leia mais

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições.

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Revolução de 1930 Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Responsável pelo fim da chamada Política café com leite Política café com leite

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

NOSSOS POLICIAIS ESTÃO SOFRENDO

NOSSOS POLICIAIS ESTÃO SOFRENDO NOSSOS POLICIAIS ESTÃO SOFRENDO Tortura, assédio moral, corrupção: é o que mostra a maior pesquisa já feita nas polícias do país Por Nelito Fernandes, da Revista Época A vida de policial no Brasil não

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

EUROPA BRASIL SÉCULO XIX AMÉRICA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA

EUROPA BRASIL SÉCULO XIX AMÉRICA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA EUROPA Expansão dos Ideais Iluministas Revolução Francesa Fim do Antigo regime Ascensão da Burguesia ao poder Revolução Industrial

Leia mais

A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do

A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do p. 110 A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do México até sua independência a partir de 1823; Em 1839 tornam-se independentes fracasso da

Leia mais

Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964

Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964 Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964 http://noticias.terra.com.br/brasil/golpe-comecou-invisivel-diz-sobrinho-de-substitutode-jango,bc0747a8bf005410vgnvcm4000009bcceb0arcrd.html acesso em 31-03-2014

Leia mais

Histórico das constituições: direito de sufrágio

Histórico das constituições: direito de sufrágio 89 Histórico das constituições: direito de sufrágio André de Oliveira da Cruz Waldemar de Moura Bueno Neto José Carlos Galvão Goulart de Oliveira Graduandos pela Faculdade de Educação, Administração e

Leia mais

Após manifestações, 15 pessoas continuam presas em Belo Horizonte

Após manifestações, 15 pessoas continuam presas em Belo Horizonte Após manifestações, 15 pessoas continuam presas em Belo Horizonte Dos 56 detidos, 11 são adolescentes; 30 foram ouvidos e liberados. Manifestantes e polícia se enfrentaram em dois momentos neste sábado.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 53 Discurso na cerimónia de assinatura

Leia mais

MEDIUNIDADE COM JESUS CRÔNICAS DO ALÉM TÚMULO DE HUMBERTO DE CAMPOS- PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER

MEDIUNIDADE COM JESUS CRÔNICAS DO ALÉM TÚMULO DE HUMBERTO DE CAMPOS- PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER MEDIUNIDADE COM JESUS CRÔNICAS DO ALÉM TÚMULO DE HUMBERTO DE CAMPOS- PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER 1 REUNIDO ESTAVA O REINO DAS SOMBRAS. E O PODEROSO CHEFE DAS TREVAS. ESTAVA PREOCUPADO COM O ESPIRITISMO

Leia mais

O texto abaixo é um depoimento histórico importante, escrito pelo general Durval Andrade Nery.

O texto abaixo é um depoimento histórico importante, escrito pelo general Durval Andrade Nery. O texto abaixo é um depoimento histórico importante, escrito pelo general Durval Andrade Nery. Aos poucos, os militares estão criando coragem e escrevendo suas memórias, desmistificando os terroristas

Leia mais

HISTÓRIA COMENTÁRIO DA PROVA

HISTÓRIA COMENTÁRIO DA PROVA COMENTÁRIO DA PROVA De uma forma geral, a prova foi boa com questões claras e bem articuladas. Louvável a intenção de cobrar reflexões sobre a históriografia, bem como a de revisitar o passado a partir

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Palácio do Planalto, 12 de março de 2003 Minha cara ministra Emília Fernandes, Minha cara companheira Benedita da

Leia mais

AULA: 17 Assíncrona. TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA

AULA: 17 Assíncrona. TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA AULA: 17 Assíncrona TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdos: China: dominação

Leia mais

O tenentismo foi o movimento político militar que, pela luta armada, pretendia conquistar o poder e fazer reformas na República Velha.

O tenentismo foi o movimento político militar que, pela luta armada, pretendia conquistar o poder e fazer reformas na República Velha. O tenentismo foi o movimento político militar que, pela luta armada, pretendia conquistar o poder e fazer reformas na República Velha. Era liderado por jovens oficiais das Força Armadas, principalmente

Leia mais

Provão. História 5 o ano

Provão. História 5 o ano Provão História 5 o ano 61 Os reis portugueses governaram o Brasil à distância, até o século XIX, porém alguns acontecimentos na Europa mudaram essa situação. Em que ano a família real portuguesa veio

Leia mais

Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas

Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas Sessão Solene Comemorativa da Implantação da República 05.10.2010 A Revolução Republicana de 1910 Ao assinalarmos cem anos sobre a Revolução Republicana

Leia mais

CASTRO, ISMAELINO DE *militar; rev. 1930; junta gov. PA 1930; rev. 1932.

CASTRO, ISMAELINO DE *militar; rev. 1930; junta gov. PA 1930; rev. 1932. CASTRO, ISMAELINO DE *militar; rev. 1930; junta gov. PA 1930; rev. 1932. Otávio Ismaelino Sarmento de Castro nasceu no Pará no dia 21 de maio de 1905, filho de Manuel Ismael de Castro e de Otávia Sarmento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Cem Dias de Trabalho: Pronunciamento

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

Amélia Reginaldo: Uma Mulher de Verdade

Amélia Reginaldo: Uma Mulher de Verdade Fazendo Florianópolis, Gênero de 8 25 - Corpo, a 28 de Violência agosto de e 2008 Poder Amélia Reginaldo: Uma Mulher de Verdade Aluizia do Nascimento Freire (UFRN) Maria Francinete de Oliveira (Orientadora)

Leia mais

Período Populista (1945/64)

Período Populista (1945/64) Período Populista (1945/64) INTRODUÇÃO Período de Democracia, sem censura e eleições direta (o( o povo vota) para presidente. O mundo encontrava-se no Período de Guerra Fria : Capitalistas (EUA) X Socialistas

Leia mais

HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 18 O GOVERNO VARGAS (1951-54)

HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 18 O GOVERNO VARGAS (1951-54) HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 18 O GOVERNO VARGAS (1951-54) Como pode cair no enem A crise de agosto de 1954, que terminou com o suicídio do Presidente Vargas, teve como antecedentes: a) a oposição dos

Leia mais

Disputa pela hegemonia mundial entre Estados Unidos e URSS após a II Guerra Mundial. É uma intensa guerra econômica, diplomática e tecnológica pela conquista de zonas de influência. Ela divide o mundo

Leia mais

ANOS DE CHUMBO: O QUE FAZER PARA QUE TUDO SEJA APENAS HISTÓRIA. Marcos Rolim 1

ANOS DE CHUMBO: O QUE FAZER PARA QUE TUDO SEJA APENAS HISTÓRIA. Marcos Rolim 1 ANOS DE CHUMBO: O QUE FAZER PARA QUE TUDO SEJA APENAS HISTÓRIA Marcos Rolim 1 O novo Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, General José Elito Siqueira, afirmou, em sua

Leia mais

A EXPANSÃO DA GUERRA FRIA (1947-1989)

A EXPANSÃO DA GUERRA FRIA (1947-1989) A EXPANSÃO DA GUERRA FRIA (1947-1989) RECAPITULANDO -GUERRA FRIA: Disputa pela hegemonia mundial entre duas potências: EUA e URSS. -ACORDOS ECONOMICOS: -Plano Marshall (1947) -Plano Comecon (1949) ACORDOS

Leia mais

ANÁLISE DAS CATEGORIAS SUBVERSÃO E RESISTÊNCIA A PARTIR DA RELAÇÃO IGREJA- ESTADO DURANTE A DITADURA MILITAR NO BRASIL Camila da Silva Portela *

ANÁLISE DAS CATEGORIAS SUBVERSÃO E RESISTÊNCIA A PARTIR DA RELAÇÃO IGREJA- ESTADO DURANTE A DITADURA MILITAR NO BRASIL Camila da Silva Portela * ANÁLISE DAS CATEGORIAS SUBVERSÃO E RESISTÊNCIA A PARTIR DA RELAÇÃO IGREJA- ESTADO DURANTE A DITADURA MILITAR NO BRASIL Camila da Silva Portela * Este artigo traz indagações referentes a uma pesquisa mais

Leia mais

DIREITOS HUMANOS COMO CONTRAVENÇÃO E ARMA

DIREITOS HUMANOS COMO CONTRAVENÇÃO E ARMA HISTÓRIA CULTURAL: ESCRITAS, CIRCULAÇÃO, LEITURAS E RECEPÇÕES Universidade de São Paulo USP São Paulo SP 10 e 14 de Novembro de 2014 DIREITOS HUMANOS COMO CONTRAVENÇÃO E ARMA RETÓRICA : CRÍTICA E RECEPÇÃO

Leia mais

Palestina - em defesa da nação oprimida

Palestina - em defesa da nação oprimida Palestina - em defesa da nação oprimida Que o Hamas entregue armas à população! Derrotar a ofensiva sionista com o levante das massas palestinas! Unidade dos explorados do Oriente Médio para enfrentar

Leia mais

Os movimentos de libertação colonial

Os movimentos de libertação colonial Os movimentos de libertação colonial Fatores determinantes Em fins do século XVIII, iniciaram-se os movimentos que tinham como objetivo libertar a colônia do domínio econômico português. Deste momento

Leia mais

GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE DESVENDANDO A NOTÍCIA. Pastor recua e garante que nunca irá queimar o Alcorão (Folha UOL/ 10/09/2010)

GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE DESVENDANDO A NOTÍCIA. Pastor recua e garante que nunca irá queimar o Alcorão (Folha UOL/ 10/09/2010) GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE Questão 1 DESVENDANDO A NOTÍCIA Certos acontecimentos que ganham destaque na mídia internacional costumam, como se diz na linguagem corrente, esconder problemas ou polêmicas

Leia mais

A ADVOCACIA CRIMINAL E O CRIMINALISTA

A ADVOCACIA CRIMINAL E O CRIMINALISTA A ADVOCACIA CRIMINAL E O CRIMINALISTA Roberto Delmanto VOLTAIRE considerava a advocacia "a mais bela carreira humana". Parodiando o grande filósofo, eu diria que a advocacia criminal é a mais bela especialidade

Leia mais

POLÍCIA E POLÍTICA: RELAÇÕES ESTADOS UNIDOS/AMÉRICA LATINA Police and Politics: the United States/Latin America relations

POLÍCIA E POLÍTICA: RELAÇÕES ESTADOS UNIDOS/AMÉRICA LATINA Police and Politics: the United States/Latin America relations POLÍCIA E POLÍTICA: RELAÇÕES ESTADOS UNIDOS/AMÉRICA LATINA Police and Politics: the United States/Latin America relations Andréa Roloff Lopes * HUGGINS, Martha K. Polícia e Política: relações Estados Unidos/América

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 27 DE JUNHO PALÁCIO DO PLANALTO BRASÍLIA

Leia mais

Guerra por domínio territorial e econômico.

Guerra por domínio territorial e econômico. Guerra da Crimeia Quando: De 1853 até 1856 Guerra por domínio territorial e econômico. Cerca de 595 mil mortos Por que começou: A Rússia invocou o direito de proteger os lugares santos dos cristãos em

Leia mais

O Hino Nacional Hino nacional 19

O Hino Nacional Hino nacional 19 O Hino Nacional 19 ANTECEDENTES Se a Bandeira Nacional é um símbolo visível, o Hino Nacional constitui a exteriorização musical que proclama e simboliza a Nação. Só a partir do século XIX os povos da Europa

Leia mais

Festa é festa, e trabalhar com novos grupos não combina com comemoração. Mas será que em algum momento essas atividades não poderiam se encontrar?

Festa é festa, e trabalhar com novos grupos não combina com comemoração. Mas será que em algum momento essas atividades não poderiam se encontrar? MEDALHAS PARA TODOS Fábio Mercadante Mortari Festa é festa, e trabalhar com novos grupos não combina com comemoração. Mas será que em algum momento essas atividades não poderiam se encontrar? A idéia era

Leia mais

REPÚBLICA ÁRABE SÍRIA MINISTÉRIO DA INFORMAÇÃO. Ministério da Informação

REPÚBLICA ÁRABE SÍRIA MINISTÉRIO DA INFORMAÇÃO. Ministério da Informação REPÚBLICA ÁRABE SÍRIA MINISTÉRIO DA INFORMAÇÃO O Ministério da Informação da República Árabe Síria expressa seus protestos de alta estima e consideração a Vossa Excelência e anexa ao presente texto a Declaração

Leia mais

REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA

REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA (Adaptação) BANCO DO BRASIL DILOG/ PRINCIPAIS AMEAÇAS Seqüestro relâmpago Com duração de 1 a 24 horas,

Leia mais

BANCO DO BRASIL GEREL Belo Horizonte (MG) NUSEG - Núcleo de Segurança SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO

BANCO DO BRASIL GEREL Belo Horizonte (MG) NUSEG - Núcleo de Segurança SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA (Adaptação) DILOG/ PRINCIPAIS AMEAÇAS Seqüestro relâmpago Com duração de 1 a 24 horas, geralmente para

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca lição. Construindo estradas, ferrovias,

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN. b) Cite duas características do Estado Novo. Resposta: Ditadura, censura, nacionalismo, etc.

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN. b) Cite duas características do Estado Novo. Resposta: Ditadura, censura, nacionalismo, etc. 2ª série Ens. Médio EXERCÍCIOS DE MONITORIA HISTÓRIA - OBJETIVA Professora: Higor David Lopes Prucoli 1. (Fuvest 1987) Como se expressa a ação do governo na economia brasileira no período do Estado Novo?

Leia mais

E.E. Dr. João Thienne Geografia

E.E. Dr. João Thienne Geografia E.E. Dr. João Thienne Geografia INTRODUÇÃO O presente trabalho é sobre conflitos no Cáucaso, mais concretamente o caso da Chechênia. São objetivos deste trabalho adquirir conhecimentos sobre o assunto,

Leia mais

HISTORIADOR INSTRUÇÃO PÚBLICA PAULISTA PEDRO VOSS E A. EX-COMBATENTE RELEMBRA MOMENTOS DA 2a GUERRA

HISTORIADOR INSTRUÇÃO PÚBLICA PAULISTA PEDRO VOSS E A. EX-COMBATENTE RELEMBRA MOMENTOS DA 2a GUERRA EDIÇÃO 173 R E V I S TA D O MAIO E JUNHO DE 2014 HISTORIADOR EX-COMBATENTE RELEMBRA MOMENTOS DA 2a GUERRA CHARLES MILLER O PAULISTANO QUE TROUXE O FUTEBOL PARA O BRASIL SÃO LUIZ DO PARAITINGA 245 ANOS

Leia mais

Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff

Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff 31/10/2010 23h56 - Atualizado em 01/11/2010 11h24 Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff Em Brasília, ela fez primeiro discurso após anúncio do resultado da eleição. Ela afirmou

Leia mais

REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA

REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA Unidade 2, Tema 2 e 3. Págs. 50 53 Personagem. Pág. 55 e 64 Ampliando Conhecimentos. Págs. 60-61 Conceitos Históricos. Pág. 65 Em foco. Págs. 66-71 GUERRA DE CANUDOS

Leia mais

Capítulo. A ditadura militar no Brasil

Capítulo. A ditadura militar no Brasil Capítulo A ditadura militar no Brasil ARQUIVO/O GLOBO 1 Do golpe militar ao AI-5 O golpe militar de 1964 João Goulart é derrubado pelos militares, em 31 de março de 1964, por meio de um golpe, apoiado

Leia mais

ENEM 2014 - Caderno Rosa. Resolução da Prova de História

ENEM 2014 - Caderno Rosa. Resolução da Prova de História ENEM 2014 - Caderno Rosa Resolução da Prova de História 5. Alternativa (E) Uma das características basilares do contato entre jesuítas e os povos nativos na América, entre os séculos XVI e XVIII, foi o

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

2 Por que a Alemanha nazista rompeu com o Pacto Germano Soviético no ano de 1941? Explique.

2 Por que a Alemanha nazista rompeu com o Pacto Germano Soviético no ano de 1941? Explique. 2 Lista exercícios 2ª Guerra Mundial 1 Os Estados Unidos entraram fundamentalmente na Segunda Guerra Mundial no ano de 1941. Quais foram os principais fatores que causaram a entrada dos Estados Unidos

Leia mais

stf.empauta.com 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' NACIONAL ENTREVISTA

stf.empauta.com 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' NACIONAL ENTREVISTA 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' Lewandowski critica voto secreto no Congresso Para ministro do Supremo, "esse modo de pensar é incompatível com a Constituição" 'Sessão secreta não é compatível

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

O Vermelho do Capim. Poemas da Guerra Colonial. José Rosa Sampaio. Portimão 1986

O Vermelho do Capim. Poemas da Guerra Colonial. José Rosa Sampaio. Portimão 1986 José Rosa Sampaio * O Vermelho do Capim Poemas da Guerra Colonial ** Ficha Técnica: Título: O Vermelho do Capim: poemas da Guerra Colonial Autor: José Rosa Sampaio, 1949- Tiragem: 30 exemplares fora do

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 4 Respeito pelos Outros

Valores Educacionais. Aula 4 Respeito pelos Outros Valores Educacionais Aula 4 Respeito pelos Outros Objetivos 1 Apresentar o valor Respeito pelos Outros. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Respeito pelos Outros. Introdução Esta

Leia mais

Guerra Fria. - Conceito: Foi um conflito político, econômico e ideológico em que

Guerra Fria. - Conceito: Foi um conflito político, econômico e ideológico em que - Conceito: Foi um conflito político, econômico e ideológico em que os dois rivais (EUA capitalista X URSS socialista) não tiveram combates diretos, eles disputavam zonas de influência. EUA Doutrina Truman

Leia mais

DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira

DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira Escrita por Antonio Figueira Personagens deste capítulo: DETETIVE AMADEU ALFREDINHO DELEGADO NOGUEIRA VALÉRIA MONTEIRO PRADO MALU CARMEN HUGO MATIAS MARCELÃO ISADORA

Leia mais

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL ESTUDO 4 Palavra Viva RELEMBRANDO SANTIFICAÇÃO Nossos três grandes inimigos: O MUNDO A CARNE O D IABO 'Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque

Leia mais

Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça!

Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça! Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça! Tânia Miranda * A memória histórica constitui uma das mais fortes e sutis formas de dominação. A institucionalização da memória oficial

Leia mais

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. Saí da prisão volto coleção Conversas #26 - setembro 2015 - e estou ou não desempregado, para o crime? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS, da

Leia mais

Getúlio Vargas e a Era Vargas

Getúlio Vargas e a Era Vargas Getúlio Vargas e a Era Vargas http://www.suapesquisa.com/vargas/ AGOSTO RUBEM FONSECA Getúlio Vargas e a Era Vargas: ASPECTOS A RESSALTAR Vida de Getúlio Vargas; Revolução

Leia mais

Olá caros amigos..finalmente consegui pegar num computador decente pra falar sobre o que aconteceu aqui..

Olá caros amigos..finalmente consegui pegar num computador decente pra falar sobre o que aconteceu aqui.. Olá caros amigos..finalmente consegui pegar num computador decente pra falar sobre o que aconteceu aqui.. Bem, Ontem, Eu estava na Log Base por volta das 16:50h quando o terremoto aconteceu. Acredite nenhuma

Leia mais

COMISSÃO DE CULTURA PROJETO DE LEI Nº 3388, DE 2012

COMISSÃO DE CULTURA PROJETO DE LEI Nº 3388, DE 2012 COMISSÃO DE CULTURA PROJETO DE LEI Nº 3388, DE 2012 Dá o nome de Ponte Herbert de Souza Betinho, à atual Ponte Presidente Costa e Silva, localizada do km 321 ao 334, na BR 101/RJ. Autor: Deputado Chico

Leia mais

Cidadão com Segurança. Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia

Cidadão com Segurança. Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia Cidadão com Segurança Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público e Procurador-Geral da República Roberto Monteiro Gurgel Santos Comissão do Sistema Prisional,

Leia mais

A CAMINHADA DO POVO DE DEUS. Ir. KatiaRejaneSassi

A CAMINHADA DO POVO DE DEUS. Ir. KatiaRejaneSassi A CAMINHADA DO POVO DE DEUS Ir. KatiaRejaneSassi Os desafios da travessia Aqueles que viveram a maravilhosa experiência de conseguir libertar-se da dominação egípcia sentem no deserto o desamparo total.

Leia mais

Oficina sobre Revolução, Contestação o maio de 1968 francês

Oficina sobre Revolução, Contestação o maio de 1968 francês Oficina sobre Revolução, Contestação o maio de 1968 francês Roteiro 1. Essa atividade foi pensada para alunos do ensino médio e envolve a discussão de temas relacionados a juventude, meio estudantil, trabalhadores,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 108 Solenidade de Entrega do 7a Prémio

Leia mais

QUESTÃO 1 EXPECTATIVA DE RESPOSTA

QUESTÃO 1 EXPECTATIVA DE RESPOSTA HISTÓRIA 1 Leia os textos a seguir. Se a bomba fugir ao controle, se não aprendermos a conviver, para que a ciência venha a trabalhar para nós e não contra nós, nosso futuro é certo. As cidades dos homens

Leia mais

Folha - Foram 93 mortes. Elas estão dentro dos limites? O senhor tem segurança que todos que morreram estavam em confronto?

Folha - Foram 93 mortes. Elas estão dentro dos limites? O senhor tem segurança que todos que morreram estavam em confronto? BURGUESIA TERÁ DE ABRIR A BOLSA, DIZ LEMBO O governador de São Paulo, Cláudio Lembo, afirma que o problema de violência no Estado só será resolvido quando a "minoria branca" mudar sua mentalidade. "Nós

Leia mais

Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças

Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças Aline Bruno Soares Rio de Janeiro, julho de 2010. Desde seu início, o ano de 2010 tem se mostrado marcante em relação

Leia mais

Ditadura Militar no Brasil. 50 anos

Ditadura Militar no Brasil. 50 anos Ditadura Militar no Brasil 50 anos É difícil expurgar da lembrança tempos que deixaram marcas tão fortes como as da censura, da prisão, da tortura e do assassinato político. Tempos que também foram de

Leia mais

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C CONTEÚDOS DO EXAME Líderes religiosos, Motivação e Liderança Convivência com o grupo; Amizade e sentido de grupo Os projetos Solidários; O que é um projeto? Olhares sobre

Leia mais

Mostra de Cinema Marcas da Memória da Comissão de Anistia

Mostra de Cinema Marcas da Memória da Comissão de Anistia Mostra de Cinema Marcas da Memória da Comissão de Anistia Sobre a Mostra Este projeto tem como objetivo promover sessões públicas e gratuitas de cinema, ao longo de uma semana, dedicadas à memória e à

Leia mais

Fotografias de Raquel Porto

Fotografias de Raquel Porto Fotografias de Raquel Porto A RAPARIGA QUE SABIA ANTES Não se lembra da primeira vez que aconteceu. Foi talvez na infância, não se lembra ao certo. Para ela sempre foi assim. Vê as coisas acontecerem antes

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais