SEMINÁRIO: Resultados da Lei de Informática

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEMINÁRIO: Resultados da Lei de Informática"

Transcrição

1 SEMINÁRIO SEMINÁRIO: Resultados da Lei de Informática

2 MISSÃO O nosso objetivo é ser seu parceiro preferencial para fornecimento de produtos e serviços em manufatura eletrônica

3 BREVE HISTÓRIA DA CELESTICA 1996 Criação da Celestica a partir de um spin-off da IBM Canadá, através de Investimento do grupo Onex; 1998 Abertura do Capital da Empresa na Bolsa de NY; 1999 Inicio das Operações no Brasil: O último dos grandes CM s a vir ; Em 2000 adquiriu as operações de Manufatura da NEC; Em 2002 consolidou as operações em Jaguaríuna; 2002 Resultados Globais: Faturamento de US$ 8 Bi; Funcionários; 40 Fábricas em 16 Países;

4 LOCALIDADES Celestica no Mundo mais de 40 localidades Dublin, Ireland Chippewa Falls, WI Mt. Pleasant, IA Milwaukie, OR Fort Collins, CO Denver, CO San Jose, CA Oklahoma City, OK onterrey, Mexico (2 sites) Querétaro, Mexico Toronto, ON Montreal, PQ Salem, NH Raleigh, NC Little Rock, AR Dallas, TX Austin, TX Kidsgrove, England Telford, England Saumur, France Kladno, Czech Republic Rajecko, Czech Republic Vimercate, Italy Santa Palomba, Italy Suzhou, China (2 sites) Dongguan, China Shatin, Hong Kong Laem Chabang, Thailand Parit Buntar, Malaysia Kulim, Malaysia Yamanashi, Japan Miyagi, Japan Gunma, Japan (near To Shanghai, China Xiamen, China Taipei, Taiwan Rayong, Thailand Johor Baru, Malaysia (2 sites) Singapore (3 sites) Jaguariuna, Brazil Batam, Indonesia

5 FÁBRICA JAGUARIUNA guariúna Site o 0Km 150Km west a of oeste São Paulo de São (part Paulo of Metropolitan (Campinas) Campinas), m o from 35km Viracopos do aeroporto (Cargo de Airport) Viracopos o h Disponibilidade level skill population de mão de obra capacitada st tecnicamente of High Tech Co. ( IBM, Motorola, Lucent, Nortel) o se Estabelecida to Main Consumer no parque Market tecnológico in Brazil & LAda Motorola o cated Foco in principal MOTOROLA em Tech fabricação Park de produtos para B área Assembly de telecom and Teste informática o lecom Capacidade & IT Products de Reparos de Placas e Sistemas ards completos and Full System Repair capability 0 people o 700 funcionários diretos.200 sq. m ( sq. ft) o m2 o Jaguariúna

6 PORTIFÓLIO DE CLIENTES HIGH SPEED ACCESS Repair Repair NETWORKING PROCESSING

7 CERTIFICAÇÕES CELESTICA BRASIL ISO 9001:2000 Maio/02 ISO Outubro/02 TL 9000 Q1/04 ESD Q1/04 ESD - Certificado pela Celestica Corporation desde Mar/01

8 PLANO DE P&D - CELESTICA o Desenvolver tecnologia em processos de manufatura e testes de produtos eletrônicos. o Desenvolver corpo técnico interno e externo qualificado e capacitado. o Utilização dos melhores recursos materiais e humanos disponíveis no mercado. o Liderança em tecnologia e organização com ênfase na capacitação em novas tecnologias. o Parcerias estratégicas com as melhores Universidades e Instituicões de Pesquisa.

9 PRINCIPAIS RESULTADOS PROJETOS DESENVOLVIDOS COM RECURSOS DA LEI DE INFORMÁTICA Período 1999 a Investimento Convênio 50% Novos Processos e Produtos 36% Laboratório DFX 2% Sistema da qualidade 12%

10 Projetos Internos 1

11 PRINCIPAIS RESULTADOS 1 Projetos Internos: Introdução de Novos Produtos Radio Digital Faixa 0,4 e 1,5GHz (RDA-MK2) Radio Digital SDH Faixa 6,7 a 8,5GHz (S3500 Versão Intermediária) NOVOS Gabinete Outdoor (ELU 500-Unidade de linha estendida) o Produtos desenvolvidos localmente em conjunto com a Engenharia do cliente. PRODUTOS o Aprendizado e desenvolvimento de novas tecnologias. Radio Digital SDH Faixa 6,7 a 8,5GHz (S3500 Versão 2) Radio Digital Faixa 15 a 38GHz (Pasolink ponto e Multi ponto)

12 PRINCIPAIS RESULTADOS 1 PASOLINK ELU 500 RDA MK2

13 PRINCIPAIS RESULTADOS 1 Projetos Internos: Introdução de Novos Produtos Características Relevantes: Projetos com alta portabilidade e baixo custo, Desenvolvimento de novos materiais, Implementação de novos processos e tecnologias (e- Kanban), Desenvolvimento de softwares de testes utilizando Lab View.

14 PRINCIPAIS RESULTADOS 1 Projetos Internos: Laboratório de DFX Implantados Laboratórios de Design for Tests, Design for Manufacturing, focados principalmente em RF e Ótica. AGREGACÃO DE VALOR. o Capacitacão da equipe através de treinamento local e no exterior. o Realização de Redesign de produtos e projetos de novos produtos. o Desenvolvimento de projetos e protótipos de dispositivos de RF. (Duplexadores, Circuladores, Filtros ).

15 Projetos Externos 1

16 PRINCIPAIS RESULTADOS 1 Projetos Externos: Instituto Eldorado(Universidade Salesiana de Campinas e Escola Técnica Etec Etec ) PROJETO: PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO CELÉSTICA - CTC TREINANDOS INTERNOS TREINANDOS EXTERNOS (Universidades/ Esc. Téc./ Institutos) Treinamentos em Linguagem de Programação 7% Treinamentos em RF 47% Treinamentos em Capacitação SM T e Norma IPC 46%

17 PRINCIPAIS RESULTADOS 1 Projetos Externos: Eldorado (Unisal( Unisal-Etec) Programa de Capacitação Celestica - CTC Resultados relevantes: o Transferência de tecnologia da empresa para a escola técnica por intermédio da capacitação maciça de alunos e incentivo à pesquisa por parte do corpo docente. o Foram montados dois laboratórios sendo um no Eldorado e outro na ETEC/ UNISAL com o que há de mais moderno em montagens eletrônicas visando atender requisitos internacionais de aceitabilidade de montagens eletrônicas. Características Inovadoras: o A montagem de laboratórios em ambiente externo a empresa (Instituto/ Escola), beneficia a atividade de treinamento e permite ensaios com risco nulo de comprometimento de produção. o A disponibilidade de utilização dos laboratórios para ensaio e testes de novos materiais e insumos vem despertando interesse da comunidade acadêmica em desenvolver pesquisas relacionadas à montagem de circuitos eletrônicos

18 PRINCIPAIS RESULTADOS 1 Projetos Externos: Instituto Eldorado Programa de Capacitaçã ção o em Projetos de Circuitos Integrados-PNMC o Esse projeto está alinhado com o Programa Nacional de Microeletrônica, concebido pelo MCT, que tem como objetivo principal a capacitação de recursos humanos para projeto de circuitos integrados, no estado da arte, certificando-os como Projetistas de Circuitos Integrados (Analógicos ou Digitais). o A participação da Celestica no PNM, permitiu a aquisição de uma nova tecnologia de ferramentas de projeto de circuitos integrados analógicos e digitais e a especialização de 16 engenheiros em projetos de circuitos integrados que foram disponibilizados ao mercado.

19 PRINCIPAIS RESULTADOS 1 Projetos Externos: UNICAMP Investimentos em Universidades Laboratório com recursos para pesquisas em Rádio Freqüência, cobrindo freqüências de até 40 GHz e Ótica até a freqüência de 2.5GHz. o Localizado no Centro de Componentes e Semicondutores da Unicamp com área de 100 m2. o Pesquisa em novos materiais e dispositivos de RF

20 PRINCIPAIS RESULTADOS 2 Projetos Externos: Universidade Fortaleza Investimentos em Universidades Implantacão do Laboratório de Computacão Heterogêneo de Alto Desempenho para desenvolvimento de hardware e software. Foco: o Capacitação no desenvolvimento de SW aplicativos com casos de uso aplicados aos produtos desenvolvidos e produzidos pela Celestica do Brasil.

21 COMENTÁRIOS FINAIS 2 A nossa visão é de que a Lei de Informática tal qual está idealizada, apresenta uma forma inteligente de: Fomentar atividades de P&D agregando valor tanto para as empresas como para a comunidade cientifica, gerando produção Intelectual e oportunidades de trabalho em tecnologias de ponta; Incentivar Fabricação Local com as mais avançadas tecnologias disponíveis, gerando empregos diretos na Indústria (empregos estes fundamentais para a Cidadania neste país, exportação e substituição de importação);

22 COMENTÁRIOS FINAIS 2 A Lei é de fundamental importância para o setor de Contract Manufacturing no Brasil, considerando as dificuldades de se competir globalmente com os diversos benefícios oferecidos para estas atividades em outros países; Enfatizamos ainda pelo menos dois exemplos do sucesso desta Lei na área Produtiva: Indubitavelmente a mesma é a principal responsável por termos hoje no Brasil as empresas mais representativas do nosso setor, empregando diretamente quantidade superior a 7000 funcionários; O Brasil hoje produz cerca de 30 Milhões de telefones Celulares / ano, o nosso mercado Interno é de cerca de 15 Milhões.

23 CONTATOS E INFORMAÇÕES 2

24 FIM 2

CELESTICA do BRASIL Ltda. II Seminário de Resultados da Lei de Informática. Porto Alegre - RS

CELESTICA do BRASIL Ltda. II Seminário de Resultados da Lei de Informática. Porto Alegre - RS CELESTICA do BRASIL Ltda. II Seminário de Resultados da Lei de Informática Porto Alegre - RS 550 Funcionários ISO9001, ISO14001, TL9000 Grande experiência em produtos de Jaguariúna, Brasil telecomunicações.

Leia mais

II Seminário Resultados da Lei da Informática

II Seminário Resultados da Lei da Informática II Seminário Resultados da Lei da Informática Rodrigo Pinto Diretor de P&D 29 de março de 2006 Agenda A Solectron Estratégia Organização Realizações Resultados entre 1998 2003 Resultados entre 2004-2005

Leia mais

Seminário: Resultados da Lei de Informática. Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento e as Contract Manufacturer: resultados

Seminário: Resultados da Lei de Informática. Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento e as Contract Manufacturer: resultados Seminário: Resultados da Lei de Informática Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento e as Contract Manufacturer: resultados Josias de Souza - Gestão de P&D Agenda A Flextronics Evolução da Flextronics

Leia mais

Agenda. Motorola: Presença Mundial e no Brasil. Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil. Parcerias no Brasil. Comentários Finais. - Sistemas Celulares

Agenda. Motorola: Presença Mundial e no Brasil. Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil. Parcerias no Brasil. Comentários Finais. - Sistemas Celulares Agenda Motorola: Presença Mundial e no Brasil Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil - Sistemas Celulares - Semicondutores Parcerias no Brasil Comentários Finais Motorola: Presença Mundial e no Brasil Pesquisa

Leia mais

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 1 - Impactos no Segmento Industrial Contract Manufacturer

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 1 - Impactos no Segmento Industrial Contract Manufacturer Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação Parte 1 - Impactos no Segmento Industrial Contract Manufacturer Celestica do Brasil Ltda Ministério da Ciência e Tecnologia Resultados da Lei de Informática

Leia mais

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Prof. Dr. Elvis Fusco 2014 Prefeitura Municipal de Garça Apresentação Prof. Dr. Elvis Fusco Centro Universitário Eurípides

Leia mais

Northern Telecom Ltd (Nortel). Isto devido ao seu atraso na substituição da tecnologia analógica pela digital.

Northern Telecom Ltd (Nortel). Isto devido ao seu atraso na substituição da tecnologia analógica pela digital. MOTOROLA A empresa alcançou um faturamento global da ordem de US$ $37.6 bilhões em 2000. É líder mundial em sistemas e serviços eletrônicos avançados. Atuando de maneira globalizada em 45 países, mais

Leia mais

Lei de Informática - resultados em P&D. Design. Build. Ship. Service.

Lei de Informática - resultados em P&D. Design. Build. Ship. Service. Lei de Informática - resultados em P&D Localidades da Flextronics no Brasil MASA Manaus AM (Plásticos & PCBA) Parque Industrial Sorocaba SP (PCBA, Montagem Final, Logística) Multek São Paulo SP (Fabricação

Leia mais

Mão-de-obra qualificada, flexibilidade

Mão-de-obra qualificada, flexibilidade > TECNOLOGIA INFORMÁTICA Negócio oportuno Empresas criam centros no Brasil para desenvolver softwares e aplicativos destinados ao mercado mundial DINORAH ERENO ILUSTRAÇÕES BUENO Mão-de-obra qualificada,

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL % DE RESPOSTAS POR REGIÃO INTRODUÇÃO Américas 19% Ásia 31% A pesquisa global de opinião sobre o mercado

Leia mais

Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003

Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003 Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003 Henrique de Oliveira Miguel São Paulo, 7 de outubro de 2003 Panorama Brasil 1. PNM-Design 2. A INDÚSTRIA DE SEMICONDUTORES NO BRASIL 3. GRUPOS DE PESQUISA

Leia mais

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI:

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria de Política de Informática - SEPIN outubro/2010 Agenda

Leia mais

P&D MOTOROLA Brasil. Roberto Soboll

P&D MOTOROLA Brasil. Roberto Soboll P&D MOTOROLA Brasil Roberto Soboll História da MOTOROLA 1930 Primeiro Radio para Automóveis Pratico e Acessível da Galvin Manufacturing 1996 Primeiro telefone celular StarTAC 1940 1947 1950 1955 1955 1961

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES Eduardo Augusto Guimarães Maio 2012 Competitividade Brasil 2010: Comparação com Países Selecionados. Uma chamada para a ação África

Leia mais

Ricardo A.C. Saur Diretor Executivo Montevideo, 5 de junho de 2007

Ricardo A.C. Saur Diretor Executivo Montevideo, 5 de junho de 2007 Ricardo A.C. Saur Diretor Executivo Montevideo, 5 de junho de 2007 Sociedade Civil sem fins lucrativos (OSCIP) Missão: promover a exportação brasileira de software e serviços correlatos, liderando a inserção

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL 50 40 30 20 10 0-10 -20-30 -40-50 Fev 2009 Jul 2009 SENTIMENT NÍVEL GLOBAL Jan 2010 % DE RESPOSTAS POR

Leia mais

Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010

Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010 Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010 Encontro da Qualidade e Produtividade em Software - EQPS Manaus, novembro/2007 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 46 DE 14 DE OUTUBRO DE 2015. O Secretário do Desenvolvimento da Produção do Ministério

Leia mais

Projeto MIDAS Município Integrado Digital com Aplicações Sociais

Projeto MIDAS Município Integrado Digital com Aplicações Sociais Projeto MIDAS Município Integrado Digital com Aplicações Sociais Objetivos do Projeto MIDAS Desenvolver uma infraestrutura de intranet via rádio de baixo custo para integração digital total de municípios

Leia mais

Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028. www.cti.gov.br

Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028. www.cti.gov.br Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028 www.cti.gov.br DH-CTI Introdução Missão Prover o mercado com soluções inovadoras em desenvolvimento

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 2700:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Motorola Incorporation

Motorola Incorporation Motorola Incorporation 1. Principais Características Matriz: Motorola Incorporation Localização: Illinois, Estados Unidos Ano de fundação: 1928 Internet: www.motorola.com Faturamento (2000): US$ 37.580

Leia mais

Toshiba Corporation. Faturamento (2000): US$ 47.950 mi. Empregados (2000): 190.870

Toshiba Corporation. Faturamento (2000): US$ 47.950 mi. Empregados (2000): 190.870 Toshiba Corporation 1. Principais Características Matriz: Toshiba Corporation Localização: Minato-Ku, Tóquio, Japão Ano de fundação: 1875 Internet: www.toshiba.co.jp Faturamento (2000): US$ 47.950 mi Empregados

Leia mais

Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso

Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso Diagramas que descrevem o contexto, objetivos e participantes dos projetos 1 Tecnólogo em Manutenção Industrial Missão: Formar tecnólogos de nível superior

Leia mais

A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados.

A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados. A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados. Seminário: Resultados da Lei de Informática - 02 de dezembro de 2003 Omar Abou Samra Secretário Executivo

Leia mais

tecnologia 56 fevereiro De 2012

tecnologia 56 fevereiro De 2012 tecnologia 56 fevereiro DE 2012 _ Telecomunicações Conexão celular Cresce a participação de softwares para a telefonia móvel desenvolvidos por fabricantes de aparelhos no país economia texto Yuri Vasconcelos

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL INTRODUÇÃO Europe 43% % DE RESPOSTAS POR REGIÃO Americas 9% Asia 48% A pesquisa global de opinião sobre

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

ABINEE - MCT. Sergio Cavalcante sergio.cavalcante@cesar.org.br

ABINEE - MCT. Sergio Cavalcante sergio.cavalcante@cesar.org.br II Seminário Resultados da Lei de Informática ABINEE - MCT Sergio Cavalcante sergio.cavalcante@cesar.org.br Nossa missão: Parceria Realizar a Transferência Auto-Sustentada de Conhecimento em Tecnologia

Leia mais

A Visão das Indústrias do Setor Eletroeletrônico de Base Tecnológica no Brasil

A Visão das Indústrias do Setor Eletroeletrônico de Base Tecnológica no Brasil A Visão das Indústrias do Setor Eletroeletrônico de Base Tecnológica no Brasil Por que Tecnologia Nacional? Ficou demonstrado no estudo do BNDES: a agregação de valor das empresas com TN é superior à das

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento EDUCAÇÃO Base para o desenvolvimento 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais de escolaridade.

Leia mais

Histórico. n n. n n. n n

Histórico. n n. n n. n n Agosto 2015 Histórico 1994 Zetax abre centro de P&D em Campinas 1997 Batik abre centro de P&D em Belo Horizonte 1999 Lucent adquire Zetax e Batik 2000 Unificação dos centros de P&D como FITec 2001 FITec

Leia mais

Objetivos. Missão. Simplicidade. Transparência. Segurança no Negócio. Qualidade. Produtividade. Respeito pelo Ser Humano.

Objetivos. Missão. Simplicidade. Transparência. Segurança no Negócio. Qualidade. Produtividade. Respeito pelo Ser Humano. Intelbras S.A. Objetivos Missão Ser uma empresa competitiva internacionalmente, atuando no mercado de telecomunicações, mantendo padrões de qualidade e rentabilidade que satisfaçam clientes, colaboradores

Leia mais

Redes de empresas e cooperação na formação do condomínio Tech Town

Redes de empresas e cooperação na formação do condomínio Tech Town Gest. Prod., São Carlos, v. 20, n. 3, p. 713-725, 2013 Redes de empresas e cooperação na formação do condomínio Tech Town Enterprise networks and cooperation in the formation of a Tech Town condominium

Leia mais

Seminário Compras Públicas e Tecnologias Desenvolvidas no País

Seminário Compras Públicas e Tecnologias Desenvolvidas no País Seminário Compras Públicas e Tecnologias Desenvolvidas no País Painel: Compras Públicas 1º de setembro de 2015 Câmara dos Deputados, Brasília-DF Política Industrial para o Brasil Capítulo C&T&I Constituição

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável EDUCAÇÃO Base do Desenvolvimento Sustentável 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais

Leia mais

Projeto GeoCONVIAS abril 2009

Projeto GeoCONVIAS abril 2009 Projeto GeoCONVIAS abril 2009 Logica 2008. All rights reserved Agenda 1 2 3 4 5 6 7 8 Instituições Participantes Objetivo do Projeto Fluxo de Trabalho de CONVIAS Benefícios Escopo do Projeto Arquitetura

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

Apresentação do Inatel. Ronaldo Sirosse Desenvolvimento de Negócios

Apresentação do Inatel. Ronaldo Sirosse Desenvolvimento de Negócios Ronaldo Sirosse Desenvolvimento de Negócios O Inatel Caracterização Instituição de Educação Superior, voltada ao Ensino, à PD&I e à Extensão Comunitária, credenciada como tal pelo Ministério da Educação

Leia mais

Unicamp, Fac. Eng. Elétrica e Comp. Impacto da Lei de Informática

Unicamp, Fac. Eng. Elétrica e Comp. Impacto da Lei de Informática Unicamp, Fac. Eng. Elétrica e Comp. Impacto da Lei de Informática II Seminário Resultados da Lei de Informática, Porto Alegre, 28 a 30 março 2006 Fac Eng Elétrica e de Computação FEEC em 2005: 2 cursos

Leia mais

O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades. Piracicaba, 21 de março de 2013

O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades. Piracicaba, 21 de março de 2013 O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades Piracicaba, 21 de março de 2013 A ABIMAQ Uma das principais associações industriais do

Leia mais

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação ENAServ 2014 Encontro Nacional do Comércio Exterior de Serviços Sergio Paulo Gallindo São Paulo, 29 de maio de 2014 Porque Internacionalizar?

Leia mais

Parcerias Tecnológicas e Inovação nas PMEs

Parcerias Tecnológicas e Inovação nas PMEs Parcerias Tecnológicas e Inovação nas PMEs Eng. Fabián Yaksic Presidente do IPD Eletron Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação Associação

Leia mais

4. ENCAPSULAMENTO. ENG04061 Circuitos Eletrônicos Integrados

4. ENCAPSULAMENTO. ENG04061 Circuitos Eletrônicos Integrados ENG04061 Circuitos Eletrônicos Integrados Alexandre Bergmann Ypiranga Benevides 152501 Cássio Bortolosso 150383 Érico Veríssimo Bernardes 143233 Matheus Berger Oliveira 136850 4. ENCAPSULAMENTO AMKOR TECHNOLOGY

Leia mais

Desafios para o desenvolvimento da Tecnologia de Informação e Automação

Desafios para o desenvolvimento da Tecnologia de Informação e Automação Associação de empresas do setor eletroeletrônico de base tecnológica nacional Desafios para o desenvolvimento da Tecnologia de Informação e Automação P&D Brasil - Quem somos Associação de empresas do setor

Leia mais

Política Industrial para o setor de TI: resultados, abrangência e aperfeiçoamentos

Política Industrial para o setor de TI: resultados, abrangência e aperfeiçoamentos Ministério da Ciência e Tecnologia Política Industrial para o setor de TI: resultados, abrangência e aperfeiçoamentos Augusto Gadelha Secretário de Política de Informática Câmara dos Deputados Comissão

Leia mais

Apoio do BNDES à Inovação em Eletrônica

Apoio do BNDES à Inovação em Eletrônica Apoio do BNDES à Inovação em Eletrônica BNDES - Departamento de Indústria Eletrônica Lilian Ribeiro Mendes - lilian@bndes.gov.br II Workshop sobre os Efeitos das Radiações Ionizantes em Componentes Eletrônicos

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX Março de 2009 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...4 1.1 Objetivos...4 1.2 Público alvo deste documento...4 2 GLOSSÁRIO...5 3 POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX...7 3.1 Em relação aos ambientes

Leia mais

Política de Inovação no Complexo Eletrônico: o papel da Portaria 950/06 MCT

Política de Inovação no Complexo Eletrônico: o papel da Portaria 950/06 MCT Política de Inovação no Complexo Eletrônico: o papel da Portaria 950/06 MCT Publicado em BNDES Setorial 39 Ricardo Rivera Ingrid Teixeira Luis Otávio Reiff Carlos Eduardo Azen Diego da Silva Moreira Rio

Leia mais

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos Realidade Operacional e Gerencial do Poder Judiciário de Mato Grosso Na estrutura organizacional, existe a COPLAN que apoia administrativamente e oferece

Leia mais

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM Perspectivas para o setor de TI BM&F Bovespa 26 de junho de 2013 BRASSCOM Associados BRASSCOM 1 Mercado Mundial de TI Crescimento Mercado TI BRASIL (2012/2011) 10,8% Crescimento Mercado TI Mundo (2012/2011)

Leia mais

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio AGENDA HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 07h00 Café da Manhã Restaurante Principal 08h45 Abertura Brasoftware Salão Tangará 10h00 Business Suite Salão Nobre 13h00

Leia mais

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Impacto Positivo de uma Redução de Tributos para Empresas e Consumidores Rio de Janeiro, 27 de maio de 2009 Em 2008, o mercado brasileiro de CDs e DVDs

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Luis Barrinha - Gestor de Ambiente e Segurança SGS ICS - International Certification Services Funchal, 28 de Novembro de 2002 SOCIÉTÉ

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Introdução. - Atividades da Bematech iniciaram-se na Incubadora Tecnológica do Paraná em 1990

Introdução. - Atividades da Bematech iniciaram-se na Incubadora Tecnológica do Paraná em 1990 Introdução - Atividades da Bematech iniciaram-se na Incubadora Tecnológica do Paraná em 1990 - Consagrou-se um dos principais fornecedores para grandes fabricantes dos segmentos de automação bancária e

Leia mais

Apresentação. Seminário: Resultados da Lei de Informática

Apresentação. Seminário: Resultados da Lei de Informática Apresentação Seminário: Resultados da Lei de Informática Painel 14: A Lei de Informática como instrumento de estímulo à pesquisa e desenvolvimento no segmento de software Antonio Guilherme de Arruda Lorenzi

Leia mais

Projeto Gráfico de Sistemas. Tecnologias e Aplicações na Indústria Pesquisa e Ensino

Projeto Gráfico de Sistemas. Tecnologias e Aplicações na Indústria Pesquisa e Ensino Projeto Gráfico de Sistemas Tecnologias e Aplicações na Indústria Pesquisa e Ensino Arnaldo Clemente André Oliveira Perfil Líderes em Medição e Automação Baseados em PC Longa história de crescimento e

Leia mais

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 Eng. João Marcos Castro Soares (Diretor de P&D) São Paulo, 29 de abril de 2015 REIVAX

Leia mais

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 19 de Setembro

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 19 de Setembro JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 19 de Setembro HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 07h00 Café da Manhã Restaurante Principal 08h45 Abertura Brasoftware Salão Tangará 10h00 Business Suite Salão Nobre 13h00 Almoço

Leia mais

Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI. Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho

Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI. Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho 1 1 A CPFL A CPFL é o maior grupo no setor de energia elétrica e tem

Leia mais

PNE: OS CAMINHOS A PERCORRER PARA OFERTAR, COM QUALIDADE, A EDUCAÇÃO INFANTIL

PNE: OS CAMINHOS A PERCORRER PARA OFERTAR, COM QUALIDADE, A EDUCAÇÃO INFANTIL PNE: OS CAMINHOS A PERCORRER PARA OFERTAR, COM QUALIDADE, A EDUCAÇÃO INFANTIL Maurício Fernandes Pereira www.facebook.com/mauriciofernandespereira1 www.cad.ufsc.br/mauriciofpereira 1 mfpcris@gmail.com

Leia mais

Pequenas e médias empresas de base tecnológica: Acesso ao mercado e à tecnologia

Pequenas e médias empresas de base tecnológica: Acesso ao mercado e à tecnologia Pequenas e médias empresas de base tecnológica: Acesso ao mercado e à tecnologia Carlos I. Z. Mammana ABINEE TEC 2007 Fórum Brasil-Europa de Inovação Tecnológica no Setor Eletroeletrônico Parcerias Tecnológicas

Leia mais

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios:

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios: CREBi Media Kit Atualmente, somos a mais representativa mídia eletrônica do setor de jóias e afins e também já superamos em muito as maiores médias de outras categorias de mídia. O CREBi oferece três canais

Leia mais

Artemis7. Portfolio and Project Management Solutions. Better decisions. Better results

Artemis7. Portfolio and Project Management Solutions. Better decisions. Better results Artemis7 Portfolio and Project Management Solutions Better decisions. Better results ESCRITÓÓÓORIO BRASIL Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1410 6o. andar - Morumbi - 05640-003 55 11 3773-9009 REGIONAL

Leia mais

Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077)

Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077) Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077) Sobre a autora Eng. Adelice Leite de Godoy Obteve sua graduação em Engenharia Química pela Unicamp em 1992, completando sua formação com o Curso

Leia mais

Estratégias Kodak para Brasil e Região. Emerson Stein

Estratégias Kodak para Brasil e Região. Emerson Stein Estratégias Kodak para Brasil e Região Emerson Stein Agenda Um pouco sobre a Kodak Mercado Gráfico Brasileiro Estratégias Kodak Planos de Crescimento no Brasil O mercado gráfico tem percebido uma maior

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007 FaculdadedeEconomia João Salgueiro João Amador Seminário de Economia Europeia Economia Portuguesa e Europeia Exame de 1 a época 5 de Janeiro de 2007 Atenção:

Leia mais

Perfil Institucional 2011

Perfil Institucional 2011 Perfil Institucional 2011 História AOC 1941 1951 1964 1969 1934 - A Admiral é fundada em Chicago, Illinois, por Ross Siragusa. 1947 - A Admiral inicia produção de televisores nos EUA, sendo um dos pioneiros

Leia mais

Microeletrônica no CNPq em 2006. Jackson Maia Coordenação de Apoio à Infra-estrutura

Microeletrônica no CNPq em 2006. Jackson Maia Coordenação de Apoio à Infra-estrutura Microeletrônica no CNPq em 2006 Jackson Maia Coordenação de Apoio à Infra-estrutura METAS INICIAIS Termo de Referência do CI-Brasil: Atração e criação de design houses: criação de pelo menos 10 design

Leia mais

Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011. Antonio Gil Presidente

Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011. Antonio Gil Presidente Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011 Antonio Gil Presidente São Paulo, Agosto 2011 Sobre a BRASSCOM VISÃO Posicionar o Brasil como um dos cinco maiores centros de TI do mundo. MISSÃO

Leia mais

ABINEE TEC 2005. Padrão Digital TV e Rádio. Padrão Digital Visão da Indústria de Componentes. Toshihiko Komatsu

ABINEE TEC 2005. Padrão Digital TV e Rádio. Padrão Digital Visão da Indústria de Componentes. Toshihiko Komatsu Padrão Digital TV e Rádio Padrão Digital Visão da Indústria de Componentes Toshihiko Komatsu Vice-Diretor da Área de Componentes Elétricos e Eletrônicos ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica

Leia mais

Programa CI-Brasil Estratégias de Fomento à criação e implantação de EMPRESAS DE PROJETOS DE CIRCUITOS INTEGRADOS - DESIGN HOUSES (DH)

Programa CI-Brasil Estratégias de Fomento à criação e implantação de EMPRESAS DE PROJETOS DE CIRCUITOS INTEGRADOS - DESIGN HOUSES (DH) Programa CI-Brasil Estratégias de Fomento à criação e implantação de EMPRESAS DE PROJETOS DE CIRCUITOS INTEGRADOS - DESIGN HOUSES (DH) 1. Apresentação A cadeia de produção de um circuito integrado engloba

Leia mais

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas 29 abril 2014 Fundamentação Lei da Inovação Nº 10.973, 02 Dez 2004 Regulamentada pelo Decreto Nº 5.563, 11 Out 2005 Artigo 20, do Decreto Nº

Leia mais

3.260.292 habitantes Taxa crescimento População: 2% (8 anos) IDH: 0,824 26 municípios

3.260.292 habitantes Taxa crescimento População: 2% (8 anos) IDH: 0,824 26 municípios Números Curitiba 1.828.092 habitantes TaxaCrescimentoPopulação: 1,8% (8 anos) TaxaCrescimentoAnualPIB: 3,8% (5 anos) PIB 2008 (estimado): R$ 39,2 bi (US$ 20 bi) 5º PIB do Brasil PIB per Capita: R$ 21.447

Leia mais

II Seminário Resultados da Lei da Informática ABINEE TEC SUL Porto Alegre RS 28 a 30 de março de 2006. www.intermed.com.br.

II Seminário Resultados da Lei da Informática ABINEE TEC SUL Porto Alegre RS 28 a 30 de março de 2006. www.intermed.com.br. II Seminário Resultados da Lei da Informática ABINEE TEC SUL Porto Alegre RS 28 a 30 de março de 2006 www.intermed.com.br São Paulo Brasil Ventilação Mecânica e Anestesia 1982 - Fundação 1987 - Linha de

Leia mais

Workshop 007 Tecnologia da Informação

Workshop 007 Tecnologia da Informação Workshop 007 Diretor, Softex Blumenau, November 20 th th 2007 Logo Empresa Encontro Econômico Brasil-Alemanha 2007 QUESTÕES APRESENTADAS: 1) Como o Brasil desenvolve o setor de TI e quais os maiores desafios?

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e Processo Industrial Habilitação Profissional: Técnico em Mecatrônica

Leia mais

Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD

Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD Ref.: oct, 2012 Eliane Lustosa Labtest Diagnóstica SA 15 16 de abril de 2014 PERFIL DA EMPRESA LABTEST Fundada em 1971 Pioneira na produção

Leia mais

MACRO OBJETIVOS DO PROGRAMA

MACRO OBJETIVOS DO PROGRAMA Programa Estratégico de SOFTWARE E SERVIÇOS de TI 1. PANORAMA DO MERCADO 2. COMPARATIVOS INTERNACIONAIS 3. VISÃO DA POLÍTICA 4. PRINCIPAIS MEDIDAS E PROGRAMAS MACRO OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARANÁ

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARANÁ CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARANÁ Profª Elane Amorim Maia Gerência de Relações Empresariais e Comunitárias E-mail: elane@cefetpr.br Telefone: (41) 310-4557 Dez 2003 Evolução Histórica Universidade

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS 1 Setor de Brinquedos Estratégias: Ampliação de Acesso e Conquista de Mercado Objetivos: 1 - Aumentar a competitividade; 2 - consolidar o

Leia mais

Recursos Integrados SERVICES AND SOLUTIONS

Recursos Integrados SERVICES AND SOLUTIONS SERVICES AND SOLUTIONS Recursos Integrados Gerenciamento e Otimização de Bens Serviços Técnicos e Engenharia Educação e Treinamento Peças Sobressalentes e Serviços de Pós-Venda Experience In Motion SERVIÇOS

Leia mais

Pós-graduação em Gestão da Qualidade e Produtividade com Ênfase em Seis Sigma

Pós-graduação em Gestão da Qualidade e Produtividade com Ênfase em Seis Sigma Pós-graduação em Gestão da Qualidade e Produtividade com Ênfase em Seis Sigma 1 Ascensão Acadêmica Pós-Graduação alavanca sucesso na carreira profissional Pesquisa coordenada pelo Centro de Políticas Sociais

Leia mais

"INSANIDADE É CONTINUAR FAZENDO SEMPRE A MESMA COISA E ESPERAR RESULTADOS DIFERENTES. ALBERT EINSTEIN 23/07/2015

INSANIDADE É CONTINUAR FAZENDO SEMPRE A MESMA COISA E ESPERAR RESULTADOS DIFERENTES. ALBERT EINSTEIN 23/07/2015 ROTEIRO PORTARIA NORMATIVA REALIDADE MERCADO SITUAÇÃO ATUAL IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA DESAFIO OBJETIVO ESTRATÉGIA PRIORIDADES JUNTO AO MD; MISSÃO DO CSTA "INSANIDADE É CONTINUAR FAZENDO SEMPRE A MESMA

Leia mais

Programas para consolidar e expandir a liderança. PDP setembro/09 PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA CELULOSE E PAPEL

Programas para consolidar e expandir a liderança. PDP setembro/09 PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA CELULOSE E PAPEL Programas para consolidar e expandir a liderança PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA CELULOSE E PAPEL 1 Estratégias: liderança mundial e conquista de mercados Objetivos: consolidar a liderança

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização da

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS

MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS 2009 Introdução Resumo Executivo Apesar das turbulências que marcaram o ano de 2008, com grandes variações nos indicadores econômicos internacionais,

Leia mais

Keysight U1177A Adaptador de Infravermelho (IR) para Bluetooth. Folha de Dados

Keysight U1177A Adaptador de Infravermelho (IR) para Bluetooth. Folha de Dados Keysight U1177A Adaptador de Infravermelho (IR) para Bluetooth Folha de Dados Apresentação O adaptador de infravermelho (IR) para Bluetooth U1177A da Keysight é uma solução para conectividade remota wireless

Leia mais

Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático. ~ Japão, China e ASEAN ~

Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático. ~ Japão, China e ASEAN ~ Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático ~ Japão, China e ASEAN ~ Palavras-chaves Leste Asiático o Centro de Crescimento do Mundo Integraçã ção o Progressiva das

Leia mais

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica A importância e desafios da agricultura na economia regional Assessoria Econômica A Agricultura é importante para o crescimento e desenvolvimento econômico ou é apenas fornecedora de alimentos? Taxa Média

Leia mais

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL PROJETO SERIALIZAÇÃO Projeto Serialização DHL 1 Serialização SETRM 2015 DEUTSCHE POST DHL DHL Supply Chain é parte do Grupo Deutsche Post com presença global e extensivo portifólio em serviços Logísticos

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ fevereiro de 2014 Principais Linhas para o setor de BK FINAME: produção e comercialização de máquinas, equipamentos, bens de informática

Leia mais

Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil

Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil Programa 1109 Massificação da Certificação Digital ICP-Brasil Ações Orçamentárias Número de Ações 18 72640000 Produto: Sistema implantado Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora

Leia mais

Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp

Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp Bastiaan Philip Reydon Inova Unicamp Seminário: Pesquisa e Inovação para melhores condições de trabalho e emprego 18 de Outubro de 2012, Brasilia

Leia mais

A Tecnologia e o Futuro num Só Centro

A Tecnologia e o Futuro num Só Centro A Tecnologia e o Futuro num Só Centro 1 O CINEL O CINEL (Centro de Formação Profissional da Indústria Eletrónica, Energia, Telecomunicações e Tecnologias da Informação) é um organismo dotado de personalidade

Leia mais

Economia Social Pós. Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego:

Economia Social Pós. Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Economia Social Pós Parte III: Mercado de Trabalho Ênfase na parte de políticas Profa. Danielle Carusi Prof. Fábio Waltenberg Aula 5 (parte III) setembro de 2010 Economia UFF 1. Políticas macroeconômicas,

Leia mais