.---«- ««^ Manobra o Ministro do Trabalho Para Aumentar as Passagens de Ônibus. Paulistas JA EM EXECUCA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ".---«- ««^ Manobra o Ministro do Trabalho Para Aumentar as Passagens de Ônibus. Paulistas JA EM EXECUCA"

Transcrição

1 Eih im M n iiléin a Prôs Sbre Tratad Segurança V***<«^ (Telegramas na 5. ágina).«««^ Manbra Ministr d Trabalh Para Aumentar as Passagens Ônibus alanminim e Cngelament: Exig Milhares Oeráris ^_ ^_ j^ *..,* ** """»" """ """««"*>«*VV**»«V.VWW«^^ Paulistas JA EM EXECUCA O GOLPE CONTRA O BRASL #10 P.C.B. flllp DAS ELEÇ Levand a cab a agressã ecnômica cntra s aíses latinamericans, Eisenhwer ríbe a cmra café elas frcas armas e reartições ficiais Diretr: PEDRO MOTTA UMA MPRENSA it ANO V RO DE JANERO, TERÇA FE RA, 16 DE FEVERERO DE 1954 N* / **w***w****iji«i«mhw^ A cmissã rdviáris nssa reçã JANGO QUER AUMENTAR ES PQSSUGENS DE b 0 Ministéri d Trabalh tenta frçar s rdviáris a açitai acrd ndicinad à majraçã s tarifas ndignads trabalhadres Assbléia dia 19 O MNSTÉRO DO TRA BALHO ê a Prefeitura, através Cómissàt. tle Dissis e Cnciliaçã, está tentand urrar as rdviaris caricas uma «rsta** aument rle salári cndicina à majraçã s as* sagens ônibus. Estar rsta rie «cnciliaçã», cni a Cj.ml cncrram s rela. lan s rrietáris èmrísas, fi aresenta el sr. Newtn Lima, restd Jang, cm «uma cmunhã interesses idêntica a qne se verificu n cas ds trabalhadres Light... SERÁ REJETADA Aós a mesaredn ònt, quffl fi feita a rsta, acima, s mtristas vieram gran cmissã ã nssa reçã rtestar cn EXPOSÇÃO DE MODELOS EM PARS, 15 (A. F. P.) A Agência Tass anunciu. ".ma exsiçã duzents e cinqüenta mls rie vestidns, trtilleurs e cames rimavera c. tln vertia abriu «4\w está tend mair,««na «eew central mls» e qu*. está tend mair sucess entre as mulheres sviétics. «17 ma dcla.% recis», a Agência vin um lnglhqii clcsé, n 6 regela ara cuir vacas, admiru um suntus vestid snirée se e. ediu exlicaçã a uma clabradra casa. O mesm vestitln interessu vivamente várins utras mulheres ntre NE5TR 3. PÁG. Jtmnlii» irunms: Penetru ns quartéis a revisa ã litica d gvern Vargaa V PAG. Cmbates nas ímc diações huang Prabang ra a manbra d Ministéri * ri Trabalh. Na casiã, afirmu Othn Crir Santana, lir crraçã e integrante Cmissã Salãri: Rejeitars na ass* bléia d dia :S a sugestã.. d Ministéri d Trabalh. Era hiótese alguma servirei ms isca ara ns tubnaões d transrte escrch mais ain v cnrica, d qtial fazs arle. O rdvia ai Castr Leã, também Cmissã Salãri acrescentu: K inaceitável a rôsta d Ministéri d Trabalh. O. ns interessa é cnquistar filament rie salárl e nssas utras reivin (CONCLU NA 5 PAGNA) MOSCOU as quais uma erária du indústria têxtil, nina rlessra e uma engçnhcirtt metalúrgictt. AGència. A Tass acresceutu «ra casa dc mls dr. Mscu, tinira nn Jniri Sviética, cria tds s me. ses ert dc dmentas nns ara mulheres, disie instruàris ts tis esécies tecids è eles se, encntram na V\uã Sviética. Estund cnstantent s gsts s mulheres ais, ata nuas ms as seus sejs. Lincumentttse tin /c» nas reúblicas feras sbre, ns cstumes nacinais tis diterentes vs dn territóri sviétic, insirandse, cria scu.i róris mls, rnamntads cm, mtivs Jlclórics. Vestids r. lailleurs ssa esécie atualmente estã send muit areciads ua Uniã 8óviétiètt,>. ;. um s 7V:í\. $ "NJUSTÇA CONTRA OS PRODUTORES DE CAFÉ A DECSÃO DO SENADO AMERCANO", DECLARANOS 0 SECRETÁRO DO SERDEF, ALCEBADES ANTONGN NDGNAÇÃO NOS MEOS CAFEEROS E NO COMÉRCO 1 Washingtn, recebid nt, nticia, Eisenhwer terminu às frças ar TELEGRAMA madàs ds Estads Unids na cmrar mais café. Essa ribiçã, segund tud indica, v sc estennd a utras reartições e serviçs sb a nlca d gvern nrteanverican e surge dias aós Senad ds EE.UU. ter vtad uma lei clcand as cmras café sb cntrle ficial, visand a rebaixar s reçs d rdut e a mantêls níveis ermanentente baixs. Cnsumase, assim, as * lhs dn tds, ni ain triótie vibra dc indignaçã nt n sr. Rui Cmes dn ante a inslêucin d agressr ian. Almei, diretr d Onfr d Cmérci d Café, classificava, muit justamente (CONCLU NA!>? PAGNA) alias, «verira «ressã eenômira a Brasil?. DEPOMENTO SOBRE As medis d jívérn ianqm; cntra rincial r* Carls Silveira A GUATEMALA (lut brasileir exria* Obnixflílr MíiUin, exehcffl nssa re ça estã stinas a ter rfuns e funestas cnse* qnêaaeias na ecnmia narln* nal. Visam a refrçar ain mais a endência d ais as senlinres tle Wnl! Street, cm a cumlici d jjnvflrn servil C.etúli, r* curand s imerialistas anucs ltter nvas cncessões nn lan lític, articularmente durante a róxima Cnferência Caracas, n Deartament Eslad reten r nvs asss n sentid submissã dns aises latinamericans à su lítica jruerra e clnizaçã. Os gles agra sferids cnira " café brasileir, entrelaut, v sertand revlta e rtests nãn aliena» n» meis cafeelr» direta* mente interessads, mas nn sei ds hmens negóci geral e lô a iniã ública, cuj sentiment a % ^llfa s *, ^may^?f}^ms "Tr.* y:miffim/" \$$ >?%\^ reseina<;ã dilmática im Guriteiuala r atualmente n t*??ta baixa i Rin.ll..< Equadr, cnceu interessante entrevtsfn nn cdinrln d Nticias». Destil* te a verna rie fnte nniericnn» segund a inn! a Ui.atein.ila i hjr» uni «centr rradiadr ria du tri a marxista n cntinente». Sbr n innhcr dn gvôrn d genernl Arbenr, infrma mlntiitr Carls ila Silveira.Mar Uns. trutarbc dc uu. gvôrn nue realiz.. uma icfiniã agrária qu iindiiillizu, sb imifriiizacã. ua tens anlerirnient rtutencci.tcs ii Uitlleii F.ult. O qu sq assa ua üuatala, acresrenta, i. a;.c.ia3 uma lutí. d" libcrtmra ecnôniiciii luta.a.cla s interesses dc ninlist.ih atraugnirs.» D mvimen nacinalista Gunleil.ula, lnrnnna ain " dilmata u.iisilelr, imillirl... reresentantes dc vúiifi.s cndíncli.» líticas, s nenhuma dlstjngí. Publica num.iittnl nsussl* l c nrllnit iimetu mmilsar cm suas alavras lsenrã Aiii.n, n entrevista d halrradr d Brasil.1" Bqüâdòr cnstitui, í»rin dúvi. ninl*. unia núncia canianba imerialista dc nrvòcnçscs visand uma ntervençã estrangeira na <auntala, ara a fesa ds iiiaerísses d truste an United. Fruit. $*<íjp*t â* fe * ** * ^^^i^sy# ;,**. ü escritóri red el chefe "ircl, Menrn S. A. AGREDDO 0 ADVOGADO 0 dn Se Mrna re um escritóri Queria subrnar dr. Amand enseca ara êste nã mais fensse s mradres d Mrr d Brel Quart aniversári d tratad sinsviétic Tint, chefe FELPE firma tbrcl, Metisn S. A..v, feteaule d«sejar s mradres d imrr ri Brel, invadiu c iedti, nt, escritóri d advgad Amand Fnseca. a qu está entregue a fesa les faveladns. O diretr cmanhia retenu, inicialmente, subrnar advgad, segund este ns revelu, rmeteudlhe dinheir mesm exigisse ara abandnar a causa. Disse ain se sr. Amand Fnseca s encntrava cm rósit d se eleger vereadr, ria rlhe, cm seu restígi, mair quanti vts s mradre* d mrr reunids Prs Fatr Segurança Pare Tds s Pvs Deelara Ma TséTung: "Esses quatr ans mstraram a aliança entre a China e a Uniã Sviétièa é nbrantável e frtalece cam az e mcracia" 15 (Crresndônclai Egydi Squcff PEQUM, Via lládibrus) Cum 1i.ifd «*9n.i *» lwi»qii«u ijfvrr«t>k sm wiibaixiuiiu sviétic, acadêmic Yudin, ns K.rindc.? salões d cl*eqiiiiu,.v iiillvn,(.i qúárl aiiivcisúrii. d tralatln iv.*í«..cíi. ««.iüscie t wihi múlu entre a Reública P ular China c.:i Uniã SyiéÜca, firmad a 1*1 fevereu lüml,»m Mühikhi, Reelid sua rôs* ta, Pslie enfureceuse c assu a rer escri (CONCLU NA iv PAGNA).i". * *4j ara imedir a ciei* çã cnhecids reacináris e agentes d imerialism america* n e garantir a vitória dc cândits cnfiança d v unir s brasileirs cntra a minria realiza n ais a litica ds mnòlis ians cresce restigi e a influência d Partid Cmunista serã rrtads s candits largas mbilizar as mussas ara eleger s candits cmunistas e ds seus aliads yir..;".. a " <".v7 j.*" 7 **v^^ç5bs5íç^^s*^*^s^ísh^sffies3he * * a * Em face gran reercussã alcançu a entrevista, cncedi r Luiz Carls Prestes a êste jrnal e ublica nssa ediçã dming, fi raimente esgta, reubliçams hje na 3. ágina imrtante dcument fixa a siçã d PCB diante s róximas eleições. "EM TODA PARTE ENCONTRAMOS O MPERALSMO AMERCANO COMO NOSSO PRNCPAL NMGO" Diz vereadr Walter Prtilh, referindse a Prgrama d Partid Cmunista d Brasil Um ex i casa: sitiante teve sistir exlraçã uma mina quartz r nã se submeter às cndições esliadras s resas nrteamericanas O imerialism nineri* caiiin é, ri fal, cmn an n Prgrcma «PCB, inimig iincinl d v brasileir, claruns verefjdnr Walter Prtilh, dc Prt Nv d Ciuilia. Nã í recis ir lnge ara encntrar rvas tii.st. Sã.s ians cntrlaiti td nss cmérci e nssa rduçã, naturalmente tle acrd aam Sells Paralisarã a 17 Març as Fábricas Sã Paul Decim milhares eráris aulistas na manifestaçã nt el salárimínim dis mil e trezents cruzeirs O*** PAULO. 15 (D uvind esecial M PRENSA POPULAR) Cm a rescnça milhares He trabalhadres suerltavam Teatr Clmb, realizuse nt, aqui, Sã Taul at úblic rósalárimínim e cngelament reçs. A manifestaçã fi cnvca ela Cmissã Central d salárlml "im t r. seguinte cnstituiçã: Améric Nva, resiaile Feraçã ds l.dvláris Autônms;*Jã O COMÉRCO DZ KlTERôt e Sã Gnçal cidiu fechar suas rtas hje, ús «hras, ara cmarecer, massa, à reuniã Assbléia Legislativa,, esturá a revgaçã lei S.Ui iiisíiíiai gue a brigatrie ntas fiscais ara ts às erações suerires a 10 cruzeirs. N clichê, üm flagrante assbléia Assciaçã Cmerciai, Niterói, quand falava a reresentante Assticiaçâa Finina liliiminensn, muit alaudi, dmniilrv claramente ier. a lei «./"i liní mtiv mair. t**w«fu«tíe vwa; «tu.aí.vu, arte iki m\n.a:m asslsl^jcia. MOÇÃO APROVADA Sanchcü Durau, resinte Feraçã ds Metalúrgics; André Álen.ssi, resinte Feraçã ds Cmrclalris; Celcl Valvasgre, resinte d Sindicat ds Marcenel* rs; L,ni7: Fiúza, ixesidnte Feraçã d Ves tuari e Gabriel Grecc, resisidnnt d Sindicat ds Gráfics.. Aimenta el erári metalúrgic Jsé Pedr, fi arva uma mçã aós mstrar a rtelaçã dn sançiiiament n, va lei d sajárlmtnim redua rgresalyàménte a caari aquisitiva d üalári ds trabalhadres cnclui exigind salárimínim 2.s00 iiuzeirs s t" janeir e cngelament ds reçs n«* bases vigrantes ic junh d 5,1. Esta mç.ln, aiii.di. i rala,lsí Pedr, nrva ela nuissa é e sb ntensa vibracã. será entregue ar, gveraiadr Lucas Garcns? 17 març. Para iss. fi rnn. vca uma cnentracün hn 15 hras na TVaça Se. Tjí in fabrica» «resan sta caital verã ser aralisas. DELEGAÇÕES PRESENTES Cmareceram à cncentraca n0 Teatr Clmb uma legaçã mais 40 maiiliii.** cmanria el lír Emili l.r.r*:. Dmaila;.(CONCLU NA» 1AOÍNA), interesses exlradres utrs vs. Pss ci* lar um exl. O Sr. Carniiridó Ribeir, é meu vizinh, l um siti n, nã faz muit, scbriu iiiaaa iiiiiia dc Quartz, O mi neral está à flr terra e gran abundância. Pis b, meu vizinh fez tud ara exlrar a jazi (ia. Mas (.liegu ã cnclusã, diante ts as difictils lhe criaram s gvernantes, qaae sa é ssi* vel íazêl r mei dá íirmas ians dminam r. cmérci d quartz nnss ais. Uma ssas firmas já lhe fereceu as basea ria exlraçã: TOVÍ* ds lucrs ara ela aenas 30%, ara rrietári s jazis. O Sr. Carmind Rib^if re (CONCLU NA 5 PAGNA)! Declara Mrena cm nme CTB Estranh as trabalha dres cmíci ministerialista Eslana d Castel (Leia na 3* ág.) Salvu nglaterra Crise A ressa ur sviétic à GrãBretanha OJÍDRES, 15 (AFP) "" «Graças as seus frncciments ur. a. Rn» sla uu à tírft. Bretanha ninai crise d dólar»; laru sr. Arlhnr Bttmlsy, ex.minlstr trabalhlst» d Cméaci Exterir. Avãlian*dn as ressas ur»*hemi? à GrãTíretnnha M *mlílioes d libras ímals d«c milhões dólares1, exministr acrescentu ur chegara a t ara ermitir a gvevli britânic faaaer face as suas brigações imediatas eni d.vlàres (reenibls d» íísjjkcs *.,«x núrl9an*j*j*íar iw **mm *» 0»*7 i

2 V Pr uma Altnh* táfict Pela Primeira Vez na Histeria».. SM^Nfl fnm _v;\j Em nvbr 1947 «uanef Ami tm len ènvlviment» ata*, readnáru» d merlau american utllltar a /itnnaa Ocintal m 0 anwtt «w **«Ai í/ntf ScWfíed «m jatg dt dtmcradt Mltv levantava ul**. nacnftrên d Lndm rbla urenu dt Sar am tad fr» az à Alanha, cm» ritkíh rá rtamtcimtra t es/* Eura. A trama ds rearar a /Uamanha Ocintal ara um «~ assalt as aiaat 4 arfeltm a w frca» 4a ma «a d rgress tmu cr finitivamente na Cnferra Bruxelas d act A ttt_*im_ Am\ M * a _. r"~ 4a Atlântic insiraçã largue 19 abr dt MG0» Des entl, assu a Alanha Ocintal a «tr a netaclnel baas ara eraata militares cntra aisa aíses, aia ns mad Hs industriais a financeiras, n» generais hitlerista* (quaas tds crimiiwaaa guerra «rtabultada») as tela «s manehiitas cevads n ódi natata, ate. Na Cnferência JBrun* *a, a merialistas amsriaas e mus sócis menres H fulram a últims vesti, «is ds ards dc Ptam, i Anis ermitiam a li Hltartsaçl, dcamaatalament s usinas bélicas a da trustes haviam flnsn «lad e sustentad s lans agmaatvta HlUer. O reaareciment ds uma AJsmanhr hstil rvcu uma n dc intranqüili td mund, nd a «1* va a lbrança d diata «ssgans» esmagand s aises Eura. Essa intranqüili dc uma seli nagoes, ni escis ds hrrres última guerra, ntamente a Franca, atinge a tds s setres, meas, é clar, s circuls li» tics financeirs ligads a* umbig as lans ds m* erialista nrteamericans. Exl diss, esu num ar Ug «Le Mn», órgã reresentativ d ensament s lassea dminantee francesas, me* rce rear. Denunciand a erigs rllitarlsaçl, dleia «Lc Mn», cert trech: «Aeland ara reirmament ds quadrs reactnárls autritári*, s Estads Unids * alas «segu nesse caminh csti estabelecend, uc a uc, sista síisl e mental qua ermitirá a nacinalscialism cnquistar utra vm a r, «cria d* asas» tar, nacfenausclalis ma nt Hiir. * flrescei». iaucledt tacha «,_._ interretas el jrnal caservadr «New and Statesman and Natin» (adtgft utubr UM), seg*»* ta mentra: «Acnae sets amae cintais ram d* nva aa A,_. _ teses Oebeis e Rttier. Ortmtaaa grusrra st Ww_^_n au*b P md motqm, rot ri»die, rstraamee nadaauan a anme «a tra guerreira à guerra én». Bete». A KMYMLÁQÂO 00 «fovor» NAZSTA d* im O «ut*» aastta d» J* aa» d» aaw aaaa liquidu m aa dlttu» UusOes quante as vrlna sígnis 4a Alanha Ocintal e metwu ramsnu, iamt rftatta, atuad ds «ractteurente» ians dirigtad as atwvalaa acntia. Alüaanha Oriental. O «utsch» revelava ná tram via aa dcclaracjw UUcs alães integrads n r ela autri ameriaaa d* eual, teis cm a d entã Ministr Justl «a Dehlers, r òttu d Cngress d Partid libcral, am St nvbr ie 1953, clarava asm rebuç*. «O fim rincial d mm Partid 4 restabeleciment d Reich aletnl a d Bitad rusrian. A alavra Rtlih ms; rfunmente sim T virá cm a mi weeéstituid aua aüaat, d a d* ter a ttura cintal aa _. ra central cintal». Tds a va estl anua Cd» la rertvsenct trigt aesed guerra, *rt enlutu cs va e ea* su strmes materiais Ja Mia natas na httdrta d anmd. Dentre eles, Bn «O sa santa igualmente amea «ad. stá b viva ira m* mdrtata,atngadla*ml assalts «a irataria naatit cntra a nsss brc* ind* fesa cntra nasaa cstas, * a mrte centenas d h «nna, mulheres crianças, vitimas sanha MUériana. Na rs a reedtql gran tragédia. Nenhum v «ler. Pr iss, d Ma* gitel a tranic«n<tlmta «a atual Cnferência d» Bertim,, n as rcura uma fdnnut cmum stina a restafte» lecer a segurança cletiva a medir a reetid avaif tura naatsta. Alguna tentam fatr cm garantias, asm a sxunst ds.venens mrtais d revanchism d esirit d cnquista Alanha OMntal. Que valr Um mmeasaa u garantias, is inlca vilad da açrds Ptam, a diante reali CBD a ds ars d* arçnst átdmieas Almanha ds Atiauer e d rgrama «recuerad» s. frnteiras d Odr Neissc? Kt% fssí?^6 AMGO E CORRELGONÁRO Um ^«eat d_de!lk _ i ÍribUn* ^ a***í,í míomâ "Ü ""* "*,Wvld, «^t». **! áe «w Alittanl. OtiãeMm «at nmime.t *««_; ** *» _?*»«", ***««*****> Ciraell».lí1^^ _^_t_1í?_ff",0 ^"«""«rta. » ««# t«s^l^tm^wu^m,,r D *r * ** «_ S2_»ínmí22_!! 2_f _rim VM«_<_> ««ele»*, brltânl. ^ttf!!^ _!l^ f^_2_» *_* *te«j «O ífclrtrl Cafli JarelsM. d» CcarA, n(«mm. if!5l»í*,, ^"e, *>.*»»e»ím* * Tsftr avta _? í* cn,",.,0!l??**»»»"cn na dinhrtr d» revidência scial. K nstltt d. CómerelArl» um KA rcrai *m lhe li cncedid* iê mllh»t è cruielrs ara cnstrnlr um htel Frteleiá.»...Jí,rclsat1,,* amlg0 crfelieinârlb e uma eiícle V,*"!a rf»re., txte.<le?0 Cear* Wm Lacer, ttx a *«t l**í?a.««.«wancas» chefe AU»Babft átmie tmralize» reinad a altuacs... ^^ " e PERONADA «O Mund» cheiru n chamad mrial as ici.ri.ii*.», alguma influência ernista, g batend almas, escreve: ««i í_*t á w?».twntp «manntei Mtrtítle vi..,, crs d aeis Éttttli, jantente SSLnM.c.m» ÍS»»««!íta e sestld^rva* &*» S_r í^^ft*wa«a VRZ DOS ARUADOS Mlnméri^VbaniTVng. tuna. fe^h0 Á í"_!_5*«í" a cr.ac *> &&^3v. k^í Tíln^urílV ^^t.ltz/â ii&mmf^^^tmmt 2JSSvf dt_*xn<rt1vâ.ri S*SS*w«m^TliM nítertal??.» * * «*» " " ««PWM» ml.tang cal na fensiva ari ivcrütár *l»ecj. nd «nselhs a Getuli COBRANÇA s ^^ t^m^m^ ) mais afflante:.s5sf^d^d aílí RBPETNDO GÓERNG «a rvcaçãüinha: _, «*/«Hei» PKtlrs Sei»! d* D * fi» ^êlàsiü «tu #trvlõu dé 22_?! w? «? *** ÒS mi. Md, *>*»! * «a;raissmiibi^ssg^ Cin, ümvítíti JtdJ is tatellgínela e^u,_.v?,ss r^_it.^sjd2 tntwnt _2 Íe*»*«Ma? "*,* í u?*í 2 l_ííl^*lí,>.í,»,n«jun ensam n», " V_. "ôíjís*.0» «**! «. falar cltura, ux ef revtverf..* ^tmtí *fl«a«*» *«e ""*" ""^1tlÉWWHlWX»»». OPERÁRO EUTROCOTADOO HTlôít>L_, S (D c6rwsjwdtnte) O ferfvlá W Leldina, Ji Pin* ^?S * tcand num fl dt limntóaçi, n mtf d Custódi é/n, caiu fui. minad, li Pint tra íasad e d*ixà dit filhs, «eu cr fi rvid ara 6 nctt*h. Açã Entre Amigs crrente f, tranca ara a^^e^íní^. M0REU AFOfilOO CAMPüa, i _ (D ç,. resnnte;. carrçai» Anthló SOU*., AKÍn0. cntrava* Urand areia «" gens áa d ri PafdlM «m ehvlvid ile csj «itórrend á/gad.^^^ SAO JOÃO DA BARRA, JS (D «x»w«hdàttdí «A Jmu»*, f?,í * fllfca d er. & *??_? dí S"á ** lg aós a almç fi bring««rat Atafna. Psterinnente reslveu nhsr^. 64 A entrar nègiia, Prt»., sentiuse mal é «â PWí wltar A teria, rói traga elas ns; Oi «lres esca, lcais lançaram tima re««e cnseguiram aanhar 6 seu cr s VM*. PLO MTEKDlHTO MT» At NAÇOE Da ci dc Cab Fri «CSal» ttí6 («nm enviads a mviméntó tyímlw"* ds Pirtidérte dá B,te tstmlir ment acific erttré se,». 5flw _» y,*ím.«*» «flglds 5._f Gftülf Vargas.mani* restand favrável à sluçã acifica tds s enflits internaclnat r m*i r entendiments ds gverns s cinc grans ~ Mnétas, Estads üiilds ingiâterra, França e Reública P ular China ^.fijtj qué ceaí 6 d<j«nihtineitf sesriié i a gvtm Má. l ÍMÍRENSA FOrCtAB mutiut imbmmmmmmwb i Para Efetiv lament ds Saláris: Cmvelaieiit Ar Preçs Pular*, muna rái «enqnetei, reclamam ela medi rr*\ fuulgt» d MlMnmfadm» d «Mijy,*ummcd_id<tg inadiávelmh. SmS í^ll. M ******, WHM a füm *_. MHtlLAMNTO *«W^i. rftere OO* awmiiumcc.. PKCO* tm dflrlamcirte A ara. Marn seft #, um Samai, dcmttlaa J». gg. Agam 4 a a$uenrf Í2 " *.^ra»«««ws, _» ««taaairla Unedir msdlatamente a en _2_ "?* _!* "* * aangelsmenta gami Mi. "Mutll** at val^adtwjar weve MMfm*mvfHmeb "^_^a<íu S?0 " * Odiím ÜHA BOA DBNTADU1A X ^ ^^^ ««i_v^fn PORm a ^. ^ ^ a_^mv a hb mw véí bé m * / ua_>t.,mm PWÍaHn t _ f_^ lmmmm^»iwa_ mt HSwí_5 S_i?_K d r & ím cmãã at 2 SSSr* ** ** ««TOA WwiffilDOWLlál^^ ua Otdt la Mrt H»» fr^a aámra). i#.«d.,»*_... nàitinstmttwlmll Nã dá Para Viver a Asentadria d APM O rtit navai Antôni cutü, mnr mt. f^nsc^sâk: tsrta, is trabaüiar tadmewe ans ara a Li ^wvj_5**.*<3 TOMO. O mr«ma emrt AMMUdria.a ^y, mum «i Ms >writima da edind um au ««nt m acua vmieimmta, Wtmtmômihrmimiittm. tar a ust d vi atual sm ** Uu«nmc«Mla. ">«WMJ5f»_a «aantarla, íl_í_?m, r? ^l^1* Wtffltnt frmtraaamrgaaiiumllian. fuanttt e a m ta flü* dittfihtttt^saas. HntadrtadlNMfcad«.X Ü^iíS *"* * *» J»M_ aba antrt (Da imctmmi). Cif s.mm a smbam lve «ma vi m*a«a a am wwriajj Ma» ae««a* m UN9AM PA«À AkUTA. nmeanalra Ma«<eeisreei.aeei <M «P«2_h.«Magat? t.domd, ^ _ *». iraw tanml.».»f». ~ :... ta# d É_l _dl e_.. a.._. _. Biani... i.iii.irii.iiiiminriiniir.nl, CÂMBO NEGRO DÈ MATRCULA MPRENSA POPU1AR Diretr: PEDRO MOTTA LMA T«l«f«n«: *WBâ AVHLS4 T4ntM d 41a... Ktere atsias. : â DíAtU U5 ff?_.*_ Qjjees»..., mem»».. KKTEUOU ,00 120,00 70,00 «.u *. 200, ,00 atcubsal BM SAO PAULO 8n» dr> K»tnntck i 81 ate 29 f mt!m**mj" l *«"**#* _» a criad rna manha uni, At dmerifee e arir1e_, nted eatrtt í 5»m *_,mi* "?,* ">,«Ç,««<?». «STEstad almrit aattad. ixará enstiralr, ama ves ara a S tnt cntribuiu ara a vi cnltnrald man3t*«r e na HtMtara, w«l, ra^lí!.!^!?, ment «A segunn. raattt ítbéw i_rw_2rt.tír Wsma serdrta «eram me. artmar J*s* dl* 3_r» f *^? *fn. ",»"** vnfaa, r a ml a * «Masftwwi aamrl* mtlmn Ora t.4_mla. (N» SOOCMAt KM NTEli «na Tlseaágs d Cruruai " «HeeialíBSrVcj Atüiltracii Bíaca» DA OUTAV LAUEailA 1» Bi db JAsein SEM MÉDCO E SEM AMBULATÓRO «OVA _f > m%m.. 18 (D w0dmrh Vítima nsegurança?_??*?. ** Stanrd iwrauf» u a» «2«*«d»nt íilh, seiteirs, OMWt f én, «ar á Jei» Oa.4 d» íev, a na SStSSSmVmt «tf <m MlaaMaaMm Mura «nanaataa d t»,è * Ô tv fiava. A fumd ald t»halment envlvid «<i«_ ^irtnndd iafm«m«elas «duma.0 eaca>é m m fmtántia calavaaaaat> V.it»Mt dt, dt fiimdiia OU t ta inm _. titt ymildm rn tmarma^ duma medi «ut ««Mm dt gwntraaabinuaiita NO COLÉGO "N/LO PEÇANHA" trael à reçió dè lu. SiMmáli 6». Jaime «u t^ódbrt t tm revelad um da mbrs «tla serviçtó grtrn Amaral PU Dr. Paul César Pimèntel dtãii MitWLfdftié, Kutjd dt Ne*amW». T m m mm a ÍM. ul. i.ir rr Vfir{f,"riv: j(«, w uaiidá Ut «r Dif CMJtt «MadiMi an > PeçanMO, ettá AMiMt «esmtt «cg**» dt Wáwaüea, Diind estieleeiment numersas vagai am tteét** ea lg aiuna aue assaram n Mime B CS A PO P&tROPÚÍtí, 15 (D ciíe«í«ldéftt«) «O «ftal. dt Petrlis» ubütu Da «dibá *dd djá ti, eft ft,,fl. chefa na t* ágiht, d ié» guliit* «(tsafl*, vai iü. Uni atl cmirétnte DJáliWé O. Mnteir: «A Aim m\ d» *ió M Jsrteire itrtwiáté «^Hi* Tr irr.i: «cürsal ft sr, Jaimí si á«tjt«u aal Mf<»>* «m**r1elm.. «aei «.ue f t «r. Jelitt é eindm*. t a diutdt ««émm JSt d Mit MU» ráetl ta csr. qulstar vts i trcar aa WOS.M ar matheuna. Det» aa mweira, ad di thsegm vagi n esllgie dt «acu» Jalmi, mediànt int ia»regl» aimsnd d genr Ctóiúiló." (t Bucunet ihiérm. ATROPELADO PETROPOLS, Jfi (D cr» JsTslivt. shtif, 39* anti i, ««Mint à tttra riòíeiti. tí_4, qüandò nwwtva Mil Wddt. tt, eftea 3.10É, W stréu «t&èêmm kiièml 10TERAO %>l %f\a : FEDERA ZMLH0ES..sA»um m_n n:rrt.tt.ri Peça CAPE PAULCÉA 1 O Café 100% Oeeti RECUSE MTAÇÕES l 0 Meu, c Seay Nss Café Menres Deixam a Saú Na Fábrica Pr 600 Cruzeirs _a.i W M W ll.i aih^fô^ías gwtt Mfrmta ut tribal)» âm&àwmi tim.ffmi» S_y_S!ltt!.»«*»tó [fttíí sa_s«sh a jt_sffi&íit n_,1!í«ssa!.mivmim imwir reit? Slf SS JSS_f JSS _.?,"*<,LM *>**«" li sss s_ss2 tt *,fta*?» 8W< «AJMJrtA. st 2 ffi,_l S_S_0 iò3 " «««tm Mnnit. *à «.é _, AtíÍBfi1t^llÉ NAO VKÒ «ent^i./rts^slft _flr* «M«íwn qut riam AU. Sliffij?11*V«W «>"«»* a i^bers seus ís. v»m u_í_ SS í SSfit "«««üm dtu ôirárla, i aue a_^^_q_j^i.!f J^^Ü1 B, " ní«a Mm a ^ tvia,,ue».tamunha. _ ed»w_rt W tat ter d Lumiar, neste municíi «mais rcurad ««cs, els as véseras * s elel* s. «0 seu cntingente y^0!., mili*a «ara». Tvia, é mais abandnad ds res «staúblics diser Pst Mé» diç está ttalmente saa* ««nad e O médic só aarece uma ves r sana, r utr lad, a entra liga O distrit i ci está m* transitarei, irand hrrívelmente quand chve. Bast,, diaer t mrrid gente virtu dificul alcançar scrrs médics a t, uma vea a via acen ni satisfaz c ca vsa mais sc arruina. n23ks 14 HORAS NA ASSEMBBA FLUMNENSE >W<*«* PíNtM d atfuint.: Aêtmérétf f+cím7sdé?nutr«"re"h ^ AtB0Cia ^r3r.t r_!_5_í.#b w rfm ^«««ébnfssst aammfltf^ _. : ****à e è justamente «*»»\w.«,\wvwt ^^^^^^^^^^^»^^»^^»»l»^»*»^»»dt*»*»*tfffw^»jimj> ^_g AMJGOS FNOS PAHA HOMENS CAMA E MESA ttfiimca PRÓPRA ^Í>AS A <***>*&*,* Tirantes) *»»* fs*_^sais*»** ««««^«dé SLaíS??*» VAJilfl0 ía _ Aítctaçã et l Ma aftrajft duáa lt*l«^d ért25_^_e^, *^^J^S!l*id«i itjffiifaltd0?_**ub^ " " n.i ^WMOSUVUO TEUFMOO l«5_^ffi_ifí?_ ^ ^ *«WÍ «á a2«_s ^^_t, *»,l* «bc mlsíravelmente. ô, «.. JrtjLs tletnttav,^ i ****** i Maeài,li fevereir STÍL.r Cars ^ita? SS?» P^nte; Aaevedi. Waldir viceresinte; O _i,*afuel«,«<j, 1» Secretári. Antôni Cunha, 2.» Secretií ; Antenr Tavares, «wureir; i«te Aristeu Ferreira ds SMlVa, y Tesureir; Diaman «n Silva, Ernest Vieira Abíli Brges, Gdfred Tsbi, Anténi Barbsa a Silva e Alusi Gmes, mbrç dó Cnselh Deliberativ à CLASSFCADOS 00 ESTADO DO RO. Mle»s Dí, 3êê gnacls ^^ Rmeir Jr. MWCíra B CEDHOH ü, OEEáL M_S51_t_"?t*: Oenesi dj, <«l*_ Oerac«es Amld» Kfi^Witf Av. «STt Plíni BMÜdénrla: e, Cmxc, Bn» Rrll Bellilirir Pen» Df. Akwblas dé Araúj _._. Bmi «h« MKdle. KlBm d< 1_, PBTBrtfOLS." JVflHliirtm.ufi, 11 L5Hi_»** «*». "i11 MalhlM, SS Fn: lai UM1.. ** Waidtmar Fèrrelri H iel«, Ml * *». 810 _u s U is 15. hr.. Cfrnrg{i.lntlsta g «teu Curty Crta! " niaduiaa a td senlv ntári * WaaWngtn Luiz, tbrad A»aclet_»Alfalate _._,3_*»,P_8 SANTOS Mll r * "»*i í» Av. Au _!M L.C_rtl*»»8 ««Sbrsü.. ited Ri Adftd «Mat FUh SP* rtmlnsli " rabslhlíts» istuo HK_0 s a ia Ja.in*. _.: 1 B 8 vv

3 ,Ví wr.; ^r"mmf^ j^^^m^^^rw^^^r *iywr*»$x*fs t BHÜGUTÜ, O RNOCERONTK E 0 REVOLVER DE GOERNG» SEMPRE diverti e até " mesm útil a leitura dns jrnais.sadia O vesrtln «A Nite» infrma (ín nasceu rimeir rincernte atríci. Vei a mund, n diz jrnal ficisj. «fada ser masrl. Pl mens é este rgnóstic geralmente aceit m crtas rs d Jardim Zlógic. Já Petrólis, qu brilha é róri sr. Getúli Vargas. De viag marca ara a ei rigrannse Caxias, nd assará as férias carnavalescas, rimeir magistrad naçã frneneu seguinte trcadilh, ara ublici: <:Vu assar Carnaval Caxias». Tais cisas, n entant, nã adrmec a vig\iâncla ds qu velam ela manulençá rm. Assim, nã assu sercebid as ativs liciais d* «O Glb» e cia Rua Relaçã um fal suseit se verificã cm Giânia, encuiant cm Petrólis resinte recita graçlas ara a imrensa n Jardim Zlógi v à luz mais um qua rúc casca grssa. Que se assa, entã, Giás? Realizase, ali. cm a asã elents subversivs, um cngress erigs..cnta cm ai d scilicis gvernadr Sá Paul. sr. Lucas Garcez, ds carbnáris Sérgi Milliet, Guilherme Almei. Mentti l Picchia e utrs, s cntar facinrss secretáris gverns estailitais utads "váris artids tabuleta legal. Nesse cngress falas abertamente, s menr escrúul, fesa etiltura brasileira, estimul a su senvlviment e reservaçã suas caracteristicas nacinais. Os adids culturais Embaixa americana, s dlstri ndrs ublici Light, Stanrd Oil e nutras genersas instituições. quand uv falar cm cultura e nutrs assunts ssa esécie, telefnam v a sr. Rbert.Marlnh.j as insetres. Bré ç. Dólinha, nd as rns. O fa lecid Gerlng, quand escutava a alavra «cultura», nã unha a mã n cab d revlver? Nã ve, rtant, causar surresa telegrama frjad, nt, na reçã d catedrátlc infâmias e calúnias. Deis menci. nar erigs cnclave. Giânia, nfrma «O Glb» a licia carica mandu «bservadres» a lcal d crime. Esses bseivadres «estã seguind s mviments ds cmunistas» n Cngress ds Tnteleiítuals e vã scbrir, tarfí* bém, cm auxili lentes e aarelhs alta recisã, r Cngress teyé cestranhas facilis» d gvern lcal ara sua insfalaçã e funcinament. Os tres.d cnceituar, d negciante hje exeret as funções baixadr ds Estads Unids nã sã stltuids rósit. A reservaçã cultura nacinal,, cm efeit,.õe erig a cultura matéria lástica exrta els mercadres Wall Street. Preserva a cultura nadnal, fazer cm bclicism, sexualism e hmsexuallsm americans e utrás manifestações «bestsellers» ns chegam ds Estads Unids as metrs cúbics? Que será ds fllmes ians bandids d farwest» e «gangsters;. Chicag u d Pentágn. E sr. Rbert.Marinh, quand fôr reserva a cultura. nacinal, fará ds «cyright» histórias quadrinhs, dbrucutu. d Mandrake, Tarzan e Jim Grdn? Sim, Cngress é um erlg ara as mais baixas manifestações c«mlitlsm estaduninse, exedis a mund «cintal e cristã», frma literatura sidrata e acta ael celfane. Paul MOTTA UMA KO, Ur2V.m MPRENSA POPULAR Página d Fala ", ;. iv(ik ( > J. (..iv. Prestes ;, /" Sbre as Eleições "O PARTDO COMUNSTAFAtlriCPARÁ ATVAMENTE DA CAMPANHA ELETORAL", DECLARA EM ENTRE VSTA À MPRENSA POPULAR O CAVALERO DA ESPERANÇA UNÃO CONTRA A MNORA DE TRA DORES QUE REALZAM EM NOSSO PAS A POLÍTCA DOS MONOPÓ LOS AMERCANOS A VÀRGA^ SERÁ DERROTADO U ELEGER OS CANDDATOS DOS COMUNSTAS E DOS SEUS ALADOS a < í Na vi lítica brasileira assume inegável slgniflcaçã leit, eleitral se vai ferir a 3 tiutubr.dtyrrijfatèynqual aerã eleitsgvernadres dós Estads, assbléias legislativas, e s refeits mbrs d Parlament Nacinal» Des já, este acnteciment lític ganhu um lan stacad, sertand crescente interesse iniã ública. Da a significaçã d assunt, a JMPRENSA PO PULAR bteve Luiz Carls Prestes, lir ds trabalhadres e d v brasileir, as Seguintes résstas: as sits lheieúviamirêòbre a róxima camanlm eleitral. PERGUNTA Qual a.siçã dós cmunistas fáee slehíções 3 utubr?,,., rresposfft" /U ytq nã é um direit, aenas, mas um ver. d cidã. Os cmunistas sabe.rã cumrir. seü.ver. O Partid Cmunista articiará ativamente camanha eleitral. Lutars ara esclarecer as.grans massas erárias e ulares. O v cm seu vt ra imedir.c(üè chegu a Parlament e as mais stseletivs cnhecids reacináris e agentes d imerialism nrteamerican. Elegerá essas hnestas e dc sua cnfiança. PERGUNTA Qual a lítica eleitral d Partid Cmunista?,; RESPOSTA T a "lítica, nss Partid se baseia "ha necessi rrtar a minria reacinária nss aís realiza, a lítica ds hinòlistas nrtefl imerican*.?.critra esse ijunhadò" dfe traidres, ftjíísí ts as cndições unir brasileirs ^6 ts as classes e caféntentei crenças e ÍJfdfis sciais, inen iniões líticas e sejam quais fr s artids á qüe ertençam. Estenms a mã a tds iram fenr a az e a mcracia e lutar efetivamente ela anciaçã nacinal e cntra a miséria e a fme atrmentam v. A yònta d v rá ser vitrisa nas róxiirias eleições se trn anifestaçã Estranha Luta Pel Salári Mínim A susta manifestaçã "erária", cnvca "O el Radical", na t a ver cm a luta el salárimínim e cngelament ds reçs Os trabalhadres só atenrã às cnvcações seus sindicats e ds dirigentes reresent s seus interesses Fala à MPRENSA POPULAR utadrbert Mrena, secretári geral C.T B. Sbre rsseguiment luta el salárimlnim, cngelament ress, a rósit d cmíci cnvcad r elents.1 d ministéri d Trabalh ara n Hslana d Castel, rcurams uvir utad Rbert Mrena, secretári neral cln Cnferaçã ds Trabalhadres d Brasil, assim exressu a iiiiã ssa central sindical: rit d luta e uni ds trabalhadres, mas tambéni, sua inendência. st, é clar, nã agra a gvèrn Vargas. A SUPOSTA MANFESTA ÇAO WPERARÁ» Eis r estã rgausand uma susta mani, estaçã «erária» rs nmes ja luvads cm «criadres» d salárimini :n sã Gçtúli e Jã Gulajrt. Qu falar assim? Sã s seus agentes e ats, s qu viv bajulaçã c sã aêndices d gvern. Os trabalhadres na térn ver cm iss. A luta d salárimlnim é.lu tds, tds m lutar r Cie. N entretant, quand se rearu a cncentraçã 28 janeir, esses elents na fizeram e «gra r se arveitar luta ara realizar seus bjetivs articulares e gruli, cm a vã ilusã clrm canalizar mvlmenl erári ara servir a gvern nnüerári Vargas. * NAO COMPARECER A MANFESTAÇÃO trçhàllzandó sua entrevista, dissens secretári geral C. T. B.: rletariad e suas rganizações estã. unids e nã servirã instruments a manejs snests ds issáris d gvern. A cntrári, essa uni ca dia se refrça e é ela qu vai cidir a vitória luta el salárimínim e cní?elament reçs. Os trabalhadres nã vâ a essa manifestaçã, g atenrã a cnvcações vins seus sindicats e ds dirigentes reresent seus inter". ires A luta d salárimlnim e cngelament ds recs õs gêners rimeira necessi, nasceu ns sincllçats e nas fábricas d sei ci v; Pr iss, une s t iaalhadres,iseus sindicats c v suas rganiza» ções ulares. "Nã haver divisã entre,õs trabalhadres e v, na cnquista sses bjetivs tâ necessáris n mment. OS NTERESSADOB NA DVSÃO Os únics diretamente interessads na divisã d mviment sã s regadres, rincialmente s grans industriais, cmerciantes, banirs e s atrões s resas imerialistas. Pf seu lad, gvern, s reresenta, fmenta e incen Uva a divisã, r também t interesse.manter a lítica dc fme e res sá. Essas atitus. divisinlstas se manifestam cm rlmeir lugar ela ragan ntensa, custsa, qlqs,jqrna», éló rádiòv rias reuniões suas assciações e n cntlnu cntat cm gvern. Também na amaça faz dc sreg c d aument ddist ci. Km segund lugar,.. v g?fifn, r intermédi cí Ministéri d Trabalh!, intuiviiiu h,s sindicats cm O fez n Sindicat ds Hteleirs c n Sindicat ds Trabalhadres na. ndústria Prduts Qui Caju mais uma riza LETOR [JO A. Mel S " brinh, D. Feral, rccebs a carta seguinte: «Venh acmanhand cm viv interesse s bates, as erguntas e resstas vêm send ublicads cm nssa ri MPRENSA POPULAR. E r r minha iniã sbre um en nt d rgrama mus qui reut inirtanlissiiri nra futur"i nss v. Refirme à cnstataçã feita nss riquisslin sl eslá send gra tivamente saad els maires inimigs clu liuiiin ni, rtant d Bruiil,, Perguntas e Resstas A NFLTRAÇÃO DE CAPTAS ANQUES NA ECONOMA EUROPÉA Assina ela leitra Antnia Ls Brit, eie.se du "úmyatiaante ã glris PCB", recebs üina ceirla sã feitas z erguntas :y)bre Prgrama e s Estatuts d Partid Cmunista el Brasil. Nesta ediçã, iniciei, ms as resstas às referis erguntas. a. PERGUNTA As resas imerialistas infiltras na ecnmia in ians nã se ncntrat» glêsa, francesa e italiana? RESPOSTA A ergunta arece, t r bjetiv r dúvi a justeza el Prgrama a cncentrar fg luta nacinal libertadra cntra imerialism american, a limitar cnfisc.aenas ás resas e caitais ians O, há é realmente imerialism american enetra, na ecnmia tds s aíses caitalistas, cm a nglaterra, a França, a tália, etc:, chegand mesm, cm dii G. chegand mesm,cm.dizg. Cngress d P. O. U. S., a srganizar a ecnmia dêsses aises. st nã r dizer, entretant, s caitalistas ingleses, franceses. u italians, cm também s utrs aises, na rcur se exandir e nã.fenm s róris interesses. Ain n infrme a XX Cngress d,p. O V. S.\, áfirmu Malenkv <tsenuelliante lítica ecnômica ri imerialism ian tínlia rvcar, frçsamente,, um aguçamentb:. s cntradições entre s Estads Uniàs e s mais Estads, caitalistas». Nã existe,. asim, cnt íi1" ves ense a leitra, uma «/«sã» entre as resas ant» riçanas eas ds rnais áí, ses j caitalistas í<r/iqc?í>l>:, se cxíàtisse,: far}ajdéaa. mics b. Farmacêutics, cm./tlm r nmear elents ci sua cnfiança, dissts a servir seus interesses. A cnbentraçã erária,d.dia 28 <lq janeir find,n Distrit Fèial, e as qüe se realizar td ais, mnstrarám nã smente esl mãs ds ians sa s imerialistas americans. Li u «Diári Ntícias» d dia U últim, uma nta qu diz seguinte: «Será amlia a ndustrializaçã d caju. Calculase a existênria dc quinhents milhões ssas árvres frutíferas n ais». A seguir, cm uma ena dila infrmativa cm se lê nstitut dc Fermentaçã esta estund a industrializaçã d caju. Alais adiante, diz ca árvre dá média ttès mil.fruts e quinze quils d v... castanhas. ss significa : se trata mais uma grandc riza d.brasil e cntinua gnra els res úblics. Mas a ignrância ssa riza r. arte ds res úblics nã c na mais nu mens um crime cnira s* interesses e a ccnnmin d ais. Pis s aiiicricans, através du sua Brazi ^linnylticlca, Já vêiii mn üzaiidn ;a;e.\:!raçíí e a industrializaçã ssa ri za.. } Qu cnhece nrste urasilêlr. rincialmente :.Cearft, sabe milhões s "árvres sâs vicejam e frutificam s ara ss tenha sid feit qualr ilanó racinal cultiv. Na ci; Frfjaleza, essas arecer ai cntradições > Arvres ating a mais interlnierlalistas e ria a vinte metrs altura e a imerialism nrteamerican as características um \:nat ca. utrs vintes diâmetr, sucrimbríalismó.ê^ K. fí essa riza Ja se A rva diss ts encntra mãs ds merialistas americans a nss róri aís, n, a lad ds caitais e resas.exlram através dá Brasil americanas ;diticlca. cnstitu Cm Tcsultad a mairia e e/uc dminam a /ssa exlraçã ifesenfrenecnmia brqsileira exiat, e se instalam ràshs (ia, as castanhas, sã frmas r caitalistas àe.adquiris a baix reç n mercad, já estã send venutrs tduics/ défànirêmseus interesses, s qualr..^lldás^íiiv; is beiicficiás, a mais chi as imeriatís.<?.}flõeritaicruzelrs quil. subrdinaçã tas ians. 2a. PERGUNTA O Partid é, agra, a favr j entra ds trustes inglesei* na «Petrbrà*"?.Vv*;/* RESPOSTA: Na estisten Prgrama d P. O.B. qüe ssa justificar selhante divi. Se a <PetrVrás* é uma cmanhia mixta, frm el gvern e r caitalistas nacinais, assim ela cntinuará a ser. futuramente, nó gvêrjt mberátic libertaçã nacinal. A sluçã ara s rblas indústria etrlífera, sajb! ce seu» diverss asects,, será encaminha h re\ gim mcrátic âar acrd cm [estabelece Prgrama el P.,"(/\B.," tendse sre vistas surs interesses «dnci/s resguarndse s direits e interesses ds caitalistas nacinais atualmente, na quali ãé acinistas «Petrbrás*, articiam exlraçã d etróle brasileirú, " O Prgrama d Partid Cmunista d Brasil t, as Hlm, sua bjetivi cncrtiza mais uma vez. Mais uma gran riza ei Acinai ria r trabalh e lucr a centenas milhares brasileirs, senvlver a ecnmia nacinal e aumentar bestar d v, encntrase mis ds merialistas amerlcans, canalizand, ara seu ais,5 aquil veria ; ertencer a v brasileir. fra assunt ria tratar nessa carta;agraç * ibllaçql ae fizec». ssa latafrma atriótica fôr frma uma amla cligaçã fôrçaa e crrentes líticas. PERGUNTA O Partid Cmunista tmará a iniciativa frmar essa cligaçã? RESPOSTA. Sim.. Sã imensas as frças atrióticas e mcráticas d nss v. O Partid Cmunista, ela sua frça e crescente restígi td ais, já exerce rsa influência lítica e será ca vez mais, uma frça Mecisiva ns stins d Brasil. PERGUNTA Pensa sr. Getúli Vargas ain tenha cndições ara eleger s gvernadres estaduais lhe cnvenham e ara cnseguir mairia n Parlament? RESPOSTA Nã é necessári ser rfeta ara redizer a rrta d sr..vargas nas róximas eleições. O v arenu muit nestes três últims ans e já viu val as rmessas d sr. Vargas. As grans massas ulares, eráris, camneses, as. dnas casa, s ens cmerciantes e industriais, funcinalism úblic, s militares, a burguesia nacinal, tds estã sentind as sastrsas cnseqüências lítica d sr. Vargas cmleta submissã as mnólis americans e a Deartament dc Estad nrteamerican. À vi trnase ca vez «Tais cara, a crri inflacinária intensificase, a miséria ds trabalhadres aumenta e a reaçã licial já afia abertamente suas garras. Os interêsses nacinais exig relações cmerciais cm tds s aíses, esecialmente cm a Uniã Sviética e a China Pular, mas sr. Vargas nã é caaz sbecer às rns seus atrões nrteamericans. O v brasileir, rrtand sr. Vargas, fará nas róximas eleições seu rtest atriótic cntra essa lítica traiçã nacinal. PERGUNTA Que medis tmar ara assegurar essa vitória? RESPOSTA Os cntunistas recisam, antes tud, cmreenr a imrtância lítica camanha eleitral, e nã uar esfrçs ara se unir às grans taassas trabalhadres, esclarecêlas e leválas à vitória. Devs intensifijar alistament eleitral, abrir escritóris eleicrais, realizar cmícis e utrs ats úblics, visand sre esclarecer as grans massas e rtistrarlheb a necessi dcrtar seus ires inimigs. E recis cnvencer as massas necessi cmarecer às urnas, eleger s candits cmunistas e ds nsss aliads. Cm a camanha eleitral levars às grans magsas Prgrama nss Partid e avançars n unificaçã s amlas frças antiimerialistas e antifeuis na luta els bjetivs atriótics d Prgrama d Partid Cmunista d Brasil. Cntra a suressã Gegrafia e História Numerss rfessres e catedrãtlcs Facul. Filsfia, Ciências e Letrás Universi & Paul dirigiram um abaix assinad à Cmissã Educaçã «Cultura Câmara ds Deutads, rtestand cntra um rjet lei, ra curs nala Casa d Cngress, surime a História e a Gegrafia cm discilinas autônmas d currícul ginasial. Entre s signatáris figuram s rfessres Arld Azeved, Alfred ElHs Júnir, A(K Ftança e utás. Vigrsa Cntribuiçã à DO LANÇAMENTO d Prjet QBÍPOS ", Prgrama d P.Ç.B., a entrevista ns cnceu :,ulz Carls Prestes, dming últim, é a mais cncreta cntribuiçã ara a realizaçã uni ds atritas.mcratas na,luta cntra a lítica realizam n ais s agentes dós mnllstas nrte" americans. Fixand maneira nequívca a sfça inò Partid CmuBlsta diante s eleições utubr vindur, Prestes indica a tds s brasileirs. sent, a necessi rrtar a catastrófica lítica segui el,gvern Vargas, caminh açã cmum. O bjetiv eleitral d Partid Cmunisla 6 frjar esta, uni, imedind a eleiçã cnhecids reacináris e. agentes d imerialism american e garantind a vitria nas urnas essas hnestas e cnfiança d nv. O Partid Cmunista, adianta seu gran dirigente, tmará a nlcatlvh dç arximar as diversas frças líticas sinceramente se õ à lítica fme, guerra e traiçã nacinal d atual gvern. Excluslvamente vltad ara s interesses ermanentes classe erária e naçã, P.C.B., cm sen aml Prgrama uni e ela rientaçã se fixu ara as róximas eleições, rcura facilitar r tds s meis a arximaçã ts as crreutes iniã se õ à clnizaçã d ais els mnólis Wall Street, se õ ã lftlca antinactnal e antiular Vargas. í Frças mensas, n sel ulaçã, c exressivs cntingentes ntr ds róris artids lítics existentes, verificam dia a M DEFESA DA Deve Brasil rse a qualr medi hstili cntra aís irmã, diz sr. D. Velasc Vltu sr. Dmings Velasc, na sessã nt, u trad chamad cas Guatala, se encntra sb umeiiç;a stensiva intervençã militar ian, vista sua tar ^^^^^^^^ siçft inennte, dè luta cntra a açã mnlista «l truste nrteamerican «United Fruib. SENADO D reresentante gian, aós ler aeclarações d baixadr Carls Silveira M;,rttns, chefiu nssa reresentaçã dilmáticá, durante alguns ans, ria aludi Reública Aimérica Central, frmulu um ael n sentid a legaçã nssais à róxima Cnferência Caracas se nha a qualr medi dc hstili àla naçã. EXPLORAÇÃO CONTRA OS TRABALHADORES O utad Eusbi Rcha, cmentand recente rnunciument ds crnéis d Exércit, está causand tanta celeuma ns meis lítics, rtestu cntra a ugiuiã eni trn d assunt certa imrensa está túzcnd, rcurand jgar Exércit cntra (AMARA mviment sindicalizaçã ds trabalhadres e a. camanha el saláriminim. Acres FEDERAL centu, r, essas manbras nã farã recuar s trabalhadres na luta r suas reivindicações e cjue a camanha el saláriminim rsse. guirá até ti vitória, Disse ain, reenhecer. asituac;â ds militares é difícil face d auihcnt d cust vi, e e a arvaçã um rjet curs na Câmara cnce gratificaçã tra u bar as militares signads fra s ses. Cncluind, afirmu a revisã d salári mínim e a sindicalizaçã ds trabalhadres, assim cm aument d funcinalism e ds militares sã justas reivindicações virã m. lhrar as miseráveis cndições d vi d erariad e d v brasileir. SALÁRO MÍNMO O sr. Plini Celh r» seguiu nt seu discurse iniciad sessã anterir mnstrand a revisãc d salári minim ns nivis fixads nã é d«masiad e v atenr tã simlesmente às imediatas necessis ds trabalhatlres. ATESTADO DE DEOLOGA O sr. Daniel Farac féz criticas à Presjdên Reública v dificultar! d sistaticamente a distribuiçã dc auxílis e subvenções a rganizações assistenciais vtads el Cbngress Nacinal n rçamnt Afirmu qu Executiv t bictad essas verbas, fazend exigêncins absurs, inclusive atestads ilgia lítica. MENSAGENS Fram lis na sessã d nt três Mensagens Presinciais encaminhand, ara areciaçã d Cn. gress, s seguintes rjets lei: Abrind crédit trinta sete milhões cruzeirs ara agament d sesas, n exercíci assad, ds servidres SNAAPP e Navegaçã Bacia d Prata; abrind crédit Uni dia mais claramente ais marchará ára a catástrfe enquant estiver n Pr gvernantes,.cm sr. Vargas. abdlcam ds nteresses nacinais ara seguir fielmente a lítica lhes é dita Washingtn Wall Street. Cmreenm iss, já agra, nãn smente s trabalhadres e as grans massas ulares carregam fard insurtável carestia vi, ds baixs saláris, miséria e ressã crescentes. Também vê, mais n mens claramente, s agricultres, negciantes é industriais têm s reçs seus rduts aviltads r nss cmérci exterlr se encntra sb fl cntrle abslut ds mnlistas nrteamericans; qu riií m senvlver sua rduçã r trustes cm a Light e a Bntl and Share. cm a cnivência d gvern, racinam cnsum energia elétrica,.u entã, frçam a svalrizaçã d cruzeir, encarecend s reçs s máquinas e matériasrimas mrfas. Ts essas frças m estar unis e lutar unis ela efetiva inucndêncla nacinal, cntra a lítica ridnôsa ds mnõlis ians, lã servilninte xecutá el gvern Vargas. A camanha eleitral se arxima, ela mbilizaçã iniã ública será caaz realizar, ser e ve ser um ass cnsirável ara aicançar esta uni. A articiaçã aliva ds cmunistas nus eleições, mbilizand c esclnrccend as massas, lutand ela uni s frças mcráticas e siçã a Vargas, erguend a banira luta ela inendência nacinal, ela nz c elas libers será uma garantia ntn as manbras magógicas d atual gvern ensa ain iludir us massas ara mais rimilas e esfmeálas. Nã só s cmunistas, mus tds s nue sejam lutar ela mcracia, a anciaçã nacinal e cntra a miséria, têm, r iss, ver assegura: cncretamente estn articiaçã. OrWBBMOBM!SgH»l *. d dis milhs c mei cruzeirs ara salr a divi cntraí ela Facul Engenharia Unlversidc d Paraná cm a Caixa Ecnômica le Estad; rganizand quadr mstres ete música d Exórcit. DSCUSSÕES ENCEt RADAS Nã tend havid qurtun ara a vtaçã fram encerras as discussões ds rjets seguintes: qu regula a estabili d ressai flxlranumerftrl: qu fixa s efetivs s Fóri " Armas, cm l ri Paz. Discutind êsse últim r jet sr. Cams Vergai rnunciu um discurs fennd a existência ds Tirs Guerra e a sua regulamcntayã. COMSSÃO O resinte signu s srs. Lima Figueired, Vilrin Crrêa, André Fernans e Plini Celh a fim ch cnstituír uma Cmi", sã Esecial ara relatar. rcit d lei estend n? benefícis d Códig d Venciments e Vantagens ds Militares as refrmads extinta Plícia Mili. tar d Territóri d Acr. ENERGA DE PAULO AFONSO O sr. Alisi Alvs arsentu e justificu um rjet dtand a Cmanhia Hidrelétrica d Sã Francisc recurss ara extenr a energia cie Paul Afns à Caital d Ri Gran d Nrte. GUATEMALA Defenu ain sr. Dmings Velasc gvern guataltec sua. lítica anciaçã nacinal. ELEÇÕES O sr. Mzart Lag talu cm trn d rjet í.lterá Códig Eleitral, rij sanei nã haver t suficiente ara a sua mdificaçã, mtiv r cnsira necessária a alicaçã dá! rvidências sugerids el Tribunal Suerir Eleitra!, relativamente n leit marcàdò ara. utubr d crrente an. EMBAXADORES N exediente fram liclan mensagens resicleniaia inclicand s nmes d dilmala Carls Maximllian Figueired c d tnentecrnel Hug Bthl, ara cmbaixadres n Egit c n Pauístã, resectivamente. PHOKOQAÇAO DS LCENÇA U sr; Um Carneir reqtte«rnu rrrgaçã sua liçença até 15 cie març róxi;, m. Assim,.cntinuará cm" scúijugnr sr Abe ar.d Jui ra. 1 COMTÊ 0 r>s NViiLuCTUAia rg V mverã hje, às 18 c 30 hras, 0 á avenid.. Alrii Ú rante Barrs, 97, sala 608, um bate sbre lítica g cambial e mnetária, séti. m nt d tári é Cnvençã, vend rien. tar s trabalhs 0 cnhe 0 cid ecnmista Aristtc 0 les Mura. SOCAS Casament Realizuse, sábad ufcim,_ na matriz ci Sant Antni, Caxias, enlace, matrimnial Eugêni. Jesus cm a Snhrita Helelia Calira. Fram adrinhs cis jvens nubntes sr. Os.valdin Gamba e sósii". N at civil fevam adrinh.s sr. Celsn Nasciments essa.. JORNÃiíT ATRASADOS Slicitams as nsss leitres ns envi exlares ds seguintes númers d an assad se acham esgtads nss arquiv:, Mis janeir: «as 7.e 21 Mas fevereir: dias /,11, 16, 17 Mês març: dia i Mês dc abril: dias 4, 5, 22, 23, 24, 26 Mês dc mai: dlm Recnheça mrial ds crnéis Refletese Nas Ferias Armas Descntentament Cntra Vargas O^O PROPOSTADAMEN " TE sencntras as nticias veiculas sbre cnteúd d mrial dirigid r itenta e dis crnéis a Ministr Guerra. N entant, ts as versões ressaltam esse gru militares, quaisr sejam s bjetivs se encntre animad, nã itar recnhecer a lítica gvernamental cnduz v a uma situaçã malestar e sfriments tais, até»ia rórias frças armas se reflete scntentament ular e sej nã se ixar esfmear s lutas. Segund sã uucmmes afirmar s jrmis cm ligações n Ministéri Guerra, referid mrial faz ver s crnéis e cmanntes tras se sent imtentes ara garantir «discilina* ns quartéis diante alta crescente d cust, vi, trna s slds atuais, articularmente s ds müttares dc graduaçã inferir, incmatíveis cum róri «restigi d Exercit*. Acrescentase mrtal recnhece imlícitamente a reercussã s lutas classe erária utr s frças armas, já, r exl, a camanha ds trabalhadres r um melhr salárimínim v nistrar as militares nã m cntinuar a vxver cm sleis ridículs, cm s ds sargents, ercebam d a cruzeirs mensais. A tud indica s instigadres d mrial ds crneis t, articularmente, ela «.manutençã rm» sta rm cisas reluz td este malestar, td este scntentanwnt n sei ds mais «. verss setres utaçd.,1 m sabs m/iàúta*] aiita a gv.êrn ara «acuj* fe.?*??*.? scntentament* garantir ia rm». Mau uma cisa róri m». rial evincia, é v já nã r surtar dc braçc cruzads a catastrófica lítica d Vargas N medis vilências n tws acmaggtcs. alia elimina. rã scntentament e at lutas ulares. O v aalierei se unir e lutar e, iss mstra tr ds crnéis, cntará nesta luta cm 6 ai ds atritas e mcrateis s frças armas. O v saberá se unir e lutar cntra a lítica Vargas, cntra s baixs saláris e d cirestij vi, elas liberelas mcráticas, ela en ela míiceiuiõiwia naciuai., \,

4 / PAGNA 4 MPRENSA POPULAB RO, JHti.»Wii WiWWÍWrlrWWÍMSWWWW^W^ tes ds leitres ESPDMASEM AMERCANA NAS MSSÕES RELGOSAS CARTAS COSMOPOLTZAÇAO O leitr Paul Miran escreve mstrand cm s jrnais sadia s?. instruments d imerialism amrican na camanha sur cntra as nssas mais caras tradições, fazend ragan d estil vi nrteamerican, maneira vestir exibicinistn, etc. frmand a mentalid nss v, criand nele um sres r tud quant é nacinal. nua A mm******* r aumbmama mm b Nu luta cntra dminaçã NrtArericana, estã ids s brasileirs verdiraraente atritas sejam sinceramente, uma átria livi duma vez ara senire. E esta grandisa camanha Libertaçã Nacinal, s difança d côr, siçã scial, ilgia lítica, u religiã. Assim é qne neste frmidável cntitrcnte estã também s 13A TSTAS BRASLEROS E OS EVANGÉLCOS EM GE RAL. Quant a ".itrs rams d EVANGELSMO NACONAL tratars nutra casiã, nesíii m cuarei aenas ds BATSTAS, assunt me int mais à vnfa. Existe entre nós, numerss agentes d «FB» (nã é segred ara ninguém) carichsamente disfarçads cm «iedss missináris», rfunmente mvidb «cmaixã elas almas erdis», ist é: cmletamente sejss salvai as almas ds mestiçs inferires e a mesm t imlantar a civilizaçã cristã d rzene «Jacaré» e d matéria lástica. A Cnvençã Batista dí> Sul d8 EE.UU, através Junta Richmnd (Virglnin) ( r sinal é sustenta r grans magnatas d etróle, e bebis) financia genersamnte a ermanência stes agentes nssa terras quais, além er RECEBDAS CONFANÇA NO FUTURO Ary Jsé Silva diz, sua carta; «Agra ms lhar ara futur cm n cnfiança e a sereni ds frtes, cm disse Luiz Carls Prestes.). Sua carta se refere a rjet Prgrama d P.C.B. cnclui: «Pr Cate Prgrama vei trazer a certeza n airava a dúvi, a tranqüili, n reinava seser c a alegria n havia tristeza». ÍQVMENTO DE AJUDA «MPRENSA POPULAR» msmssmmnm 11 J SÓCO Tmese um clabradr.nente ern MPRENSA POPULA K, inscrévenüse Palavras ruzaaas Prbla s?. 359 (Para médis) 1 2 HORZONTAS Bs, arvred. Fragràncía. Frma cntraí mais ela. í Nme róri masculin. VERTCAS Maneira ser. Ain cima, aíra. Palava, acóvia. Navegar. SOLUOAO PO PROBLEMA N 3,r)8 HORZONTAS: 1 Ar; 5 Além; S Ame; 11 Og; 12 Rua; 11 Amar. VERTCAS 2 Pá;. 3 Olá; 4 R; S ómega; 10 Ram; 13 Aa. r 0. ri^im%,. $* m És íj es «fó Paginas, cm sóci d MAP. Prcure a cmissã seu balrr u resa e nã lcalizand, dirijase diretamente a secretaria d Mviment Aju, na Rua Gustav Lacer, 19. CHUMBO VALE OURO De um marítim, recebs 70 (setenta) quils chumb e cbre. Amigs Olaria truxeramns í> quils chumb 4 caixas clis. MATERAL DE TÓRO ESCR1 Cntribua ara á MPREN HA POPULAR, retendara sua reçã seguiute material escritóri: lais ret n. 1, ael cóia e rascunh, láis biclr, clis, fitas ara máquina, cla, enveles, etc. FOLHNHA DO AJUDSTA COTA GO.000,00 REALZADO 18344,00 CNEMA A secretaria d Mviment Aju à mrensa Pular está distribuind entre s ajudistas, cnvites ara a seçã cina será realiza n dia 25, às S.30 hras, na AB Os interessads m se dirigir á Rua Gustav Lacer, 19. mwm FfíMOSO ttyr^ gb& 0l\ fâtli (%>i 4??*>. ««írms. xç»» ífiffi M.. KÂLÍNiN cuianea ds mais ntáveis trabalhs exresinte O A U.RS. s. OS Editrial VTÓRA Lt. Rua d Carm, 6«S/ RO DE JANERO ceber luds vnadfi dólares, mnlizam astrad s grans igrejtts disõ recurss, e lhes agam bas mensalis, triments ds astres nativs, sã frçads a distribuir seu t cm ativis extranhas n Sant Ministéri dn Palavra, ara nü sacrificar a seu reduzid rebanh subnutrid (uma igreja 6cm recurss) lgum subúrbi distante. Ts as instituições, c égis, sináris, rfana Ws, esclas Obreiras, sã rries diretas referi Junta Missinária, incluslve s tls aenas usams ara Serviç Religis. Qualr stes atrimônis nã ertenc as «missináris» ians, estã registrads nme duma chama scie batista residi r um dméstic ds grings, sb retext infantil, «tds r (cntes m saarecer duma vez» ficand as rris s dn legal, Daí r s batistar. brasileirs na ssu a nã ser s tls restads r uma missã estrnngelra. Este seria um nt veria ses estud talhadmnente e incluid n Prjrrnmn d PCB. cm cnfisc ds bens missões estrangeiras nss Brasil. UM PRÊMO PARA OS LETORES ESCREVA UMA CARTA E GANHE UM LVRO A MPRENSA POPULAR riará sentanalmentc leitr enviar a melhr crresndência. O rêmi ferecid será um livr autr cnhecid. As crresndências ara cncrrer verã ser enviads à MPRENSA PO PULAR Seçã Cartas ds Leitres Rua Gustav Lacer, 19 Sbrad D. F.. Tds s dmings será ublicad resultadsanal d cncurs, vend s riads, n Distrit Feral, rcurar rêmi nssa reçã enquant s d nterir receberã el Crrei. Uma crresndência a ra fereça interesse a um diári nticis ve seguir terminas nrmas. A carta ve ter cm base uma núncia, Relatar um fat nv u um Muitas s nstituições cnstruís cm dinheir» ds fiéis, sã registras els grings, maneira cas ds mesms ser exulss n futur Gvern Pular, seus imóveis seriam vendids r Seus lacais nativs, send dinheir enviad r alguma exbaixadiias aventureirs fuga, a exl d tentaram f«zer na China. Prmets vltar a aasunt cas mesm fôr interesse reçã.. Batista NOTA DA REDAÇÃO asect nv um assunt fc, a nft ser se trate um awunt imrtante ermanente interesse. A carta, a r uma nti, ve dizer acnteceu, cm qu, quand, n, e se ssível, r e cm. Se leitr nft t cnheciment alguns sces ds n& fica imedid ns escrever, is & rertag d jmal se encarregará cmletáls, Seria realmente interessante u leitr vltasse a assunt, cncretizand certas aflrmaõe» faz. Exlificams: r nmes agentes d FB qu assim sejam cnhecids er um círcul en aenas; talhar, ji* d nmes firmas, cnisiçã direçã e métd financiament Cnvençã Batista d Sul ds E. U A. els magnata* ians; r nmes «missináris» e seus luds saláris dólares, mstrand também rnntraste cm um astr brasilelr, nd seu nme «msgrn salári. QUAL É A CARA DE PÉ DE MOLEQUE? mi li woflfcjj 51 V J b " L ^ */f V {* t^ \\\l swm* t^w </»;; j í V^*TjÍ V V» f í: rç BL 3 M 7/»..""m.!ZZ.*»*mmn»». nm.i..».»»»;im««^ l. ;! S t/ f; : L.3L. ; 1.1 _J. 6 \í J d :! ü j 7 N V ^ii ^ <** < * <>> > " ;»*.. ;vi;.:.. ílj ESTÃO DOZE CARAS, CADA QUAL MAS TRAVESSA. *** Uma las é Pó Mle, ersnag uma história ara crianças aareerd diariamente na MPRF.NSA POPULAR. Até róxim dia is ms as jmblkare figuras acima. Os nsss ens leitres verã esclher, r vtaçã, a cara Pé Mle, será a mair númer vt. receber. E t mais: n fim d cncurs serã srteads cinc livrs ds Mairias «ira enunças entre s eleitres cabecinha fi/e mais vts receber. Prtant, nms leitres, estams e à esera seus vts. Recrt a cara tua rôncia, refe nham ntr um envele, escrevam nme e enreç e manm ara: Pé Mle, Rua Gustav Lacer, ií, sbrad Distrit Feral MECÂNCO DE. MÁQUNA DE COSTURA Cnserta, cmra e ven máquinas cstura usas. Re* frma Geral. Vense máquinas nvas a restaçã. Tel.: 498SÒ \e&smêw&^r*l*wmtmeêmêêbmmênmmmmws»&m CAMSARA Ven artigs camisaria e d Ceará JANGADA brds Subsl Estaçã Pedr lja 13 DR. A. CAMPOS (CRUROUO DENTSTA) DeUduns anttãailcrs, ui receit a«rt*»nitile«ii. Biki C5e> difíceis t raçü» d» bu. BUWOEH FXOS B HOVBia (Uaeh) «m material («raatld r rtes rtiàveis. (Oasiltórii Ras d Carm,».» anr Sala Ml. Ai tertas, gilntas * «ibnrii, «Raa O. Manel, 34 (Hnhr.it.., «r HfTWt, qnartsa a lextastclras. Telefnai Ult. Õtia Cntinental Rua Senadr Dantas, 118 FERAS DE HOJE CENTRO PRAÇA DA CRUZ VER MELHA Rua Carls Samai» ZONA SUL targo DO MACHADO Rua Gag Cutinh; BOTAFOGO Rua Arnald Quintela; PANEMA R. Bulhões Carvalh e J*«quim Nabuc. ZONA NORTE TJUCA Ruas Bari Piraçununga Guaiara: GRAJAU ~ Praça Verdun; PEDADE Rua Gmes Sera; MEER Rua Galdin Pim«ntel; ENGENHO NOVO Rua Barnesa d Engenh Nv; VAZ LOBO Rua8BGaerra Mcneses, Lima Drumnt e Prfes. sr Burlamaqui; CACHAM B Ruas Vasc Gama e Hnóri; MARA DA GRAÇA t Rua Miguel Angel; BENTO RBERO ~ Larg Fntlnha; HGE NÓPOLS Rua Du Mats LHA 00 GOVERNADOR Praia d Galeã. CrS 150,00 iuwiww»wt»wwa» aia>iia _ A JOVEM QUE TNHA & mala unut flrslnhit tungnrlna (<si>(ilulmente diiwdu à luaahstltulvul lutim» ilu» nine» Metr. Aaalm «O Veleir ilu Aventam» ciinnegula arribar uma * margena ilu unrflmliu, a ejvnu Kllziilnlli Tuylnr tru ^>ej tu canr a tclu nfcavcl, ^K O rgruniu e iik, ciiiliriiiiiln ^_ ^H h» aeiises chchun ds «iihsii; ^BjS*^ t», cuja nvliliul 6 nfui ex ^Hf^L^ * ressur na d nv dstl a * ^fl ^lw heraça il» iiiitlclarlut laniiacs. ^B Nn uresentails, ulcm dim iluls H ^K. clncjrnul» e dn senh ilu Bam^^tl «Tm e Jerry», cuj traç H Ws^SW 6 u exiilruçü (lu mumii inriitlnd a ervrsldiiilc, dis equns dumentarls. Uni, e uma mistificaçã sbre a Blvlera francesa, cm sre só cxlrund a art turística e tecend cmentáris sucrflciais e mau gst. O utr, é uniu rrrtugini solir algumas ginastas suecas, rd quand* gru esteve ns EK.lilJ., avnrsnment»rvid qualr valr e ser simles ustraca. K s aós esta dse nsiilss rcfrl RernnteH, cuand meta d rgrama, qu se nicia a história mambb Jv tinha tud... O filme, uma reallzaca d mrtal Kicharil Thre, tece mal* ama stas história* ula am nvariavelmente na* revistas grans e FRAGMENTOS DE CELULÓDE * Marcu um ds muires suesss, batend tds s recrs bilheteria, a xibiçà d íilnie «N Sansti N Dalila 20 cinas Bã Paul. Uma legayà artistas Allànti cmareceu seis ds rincials cinas, num clima di; entusiasm, simatia e cmreensã, recebend ai d v aulista cmreen a imrtância d senvlviment inennte d Cina Brasileir na luta ela anciaçã nacinal. *> Sanin, Jv e inteligente estreante nai lis crônica cinatgráfica, é autr uma série rertagens cm as figuras mais HA artista SE merecu a n.ssu admlluçã, el valr t e ela recua Agulhas e cit restl Biar acima tudu a múslcu brasileira, este é, s favr nenhum, Ramés Gnntnlll. Planlsta Agll, music «fttudls, Ramés ai{ra trnuse um arranjadr érit, cnsciente. Prgrama articia a rsta d gran ianista ser tid na cnta bm. uma rva raaz é mesm «bamba» um nesse negóci música está n üe fat quase ts as audições dirige Nacinal r.a sà música essencialmente brusllelra e musicas valr feitas r Chlqülnha Gnzaga, Ernest Nazaré, Slnhô, Nel, Ari Barrs, Cnymml, etc. Ramés, send fensr intransigente música brasileira, t se batid cntra ílstlcaça a s nsss ritms. TUDO f E, A.. enas alxóes, enchend a cnbclnha ilas 1,n,,. tn* cm falss ríncies, niaiires rllililim, ei, ^ (.nin rilucaii lllca, nliiiilire a esquéiaii stanrd fiilirlniili, nu Junta d lcfui, a lilslórln cnta mais uni raiaaee Jv rica, linlln, inileennle. Deslu vex. tri ó fnriniiilu i, aal (Vnm 1iimc) du menina, el inlriisn (leriiiinilii l.iiiuuk) qin u afasta du liin mclnliu (tilg Vung) e ela rória vlllma iln «KnnKj ter»... a Jv tinha tuiln. K fãxciul iirn ;; aitauilu ds cmitês nquérit Washingtn ; dlhliluud raclsni nu ilenmuliiinãii latina,},, «liiminiaii». cnstrui seu mund snhs e mrlialilliilns através açfles súliltns tn as, cm dlaleirs história d quadrinhs, ut alcnnçnr etern «liuycnd», JA ercetível ris rimeirs mnments d filme, Em síntese, ó uma laranjnria callfrniana? nexressiva, s amlilent elnatiigralic e cheia ile slliiacocs arranjas. K fira li enlncnila ilin ; tr rgramaçã frta e a reced, ú» Para dcumentári svclr «A Amlzari Veòrá», s cnvites ain rã ser encntra % ds na Rua dn Cnrlcu, HO stinnl. Parn.í Brand sessfui clnmatobraflca d nédit festival arte d CiP, na Hua Gustav Lacer 19 l. sbrad. Frite vn Da.uje e Kitty Jantzen numa cena dramática d filme "O Seulcr ndian", n qual também atua a famsa bailarina La Jana, mais uma aresentaçã Art Filmt rinentes d cina nacinal e interessante cluna «Sete Dias Revista», Ramés Gnalalli v mantend na «A Cen» Mu», numa bela ágina «n favr d Cina Brasileir, Está clar gran iiitilsta nã arva n arvaria Jamais «Micrfnes é qu a baiana t» uu ina baixa d saateir», r exl, rstras i fitan Kentn u Percy Faith, dis «handlears» ians, s reertóri rtlvrtse asasslnnnd ts du mlhi n genej musical ular. Ramés, cmbater d tais aberrações, rcura cnseguir nvs arranjs ara as grans cmsições brasileira. Tais arranjs, tvia, mantém ns caracteristlcns nacinais e cnsegu agrar el nv e bm aresentam. A música brasileira mult ve a Ramés. A êle e a Pixingulnha, Gart, Chlqulnhn e tants utrs músics nacinais, nimigs,1 cbeb» u qualr utra esécie dr,. maes «ma n U.S.A.». tuuobsouta Ginelàndia MPÉRO (339348) Sms tds, assessins. METRO PASSEO DraiMBOi  garta tinha tud. ODEON (221608) PALÁCO (220838) E niv vltu... PATHE ( O leit uuclnl. PLAZA (231097) Nü snres teu sangue. RVOL Mulheres e átiiiü*. VTORA (429020) A vi ó umn cançs. Centr CENTENÁRO ( ) Um segred ca smbra, COLONAL (428512) M snres teu sangue. FLOHANO (439070) Carnuvul m Caxias. DEAL (42121S) trs (429763) Náufrags d sert e S lei n us. LAPA (222513) O castel d avr. MEM DE SA (4222S1) A vi 6 uma cau.,a Telefna um estranh. PRESDENTE (42.128) O leit iiuulul. PRMOR;(436631) Med cnna. S. JOSÉ (420592) O nfern d Vicia. Zna Sul ALASKA liarli lux. ALVOUDA (272936) O leit uuclnl. ART PALÁCO (37 S443) Gartas raca Esanha. ASTORA (470466) NS snres leu saneue. AZTECA (456813) Trnicnts d sej. BOTAFOGO E niv vltu... COPACABANA ( ) E niv vltu... PANEMA (472806) Senttnelas d sert r Tesur erdi. LEBLON (277805) Os Saltimbancs. METRO COPACABA NA (379707) A garúta tinha tud. MRAMAR Camavel Caxias. NACONAL (266072) O Alçaã Sangrent. PAX A nte gel. PRAJA (4728C8) Amar fi ssu ecad. POLTEAMA (261143) Tlju» AMERCA (484619) A vi é nina cançila. AVENDA (481667) Os Saltimbancs. CLÁSSCO CENTFCO Diurn e nturn MATRÍCULAS Acnselhams ara RÁDQ hje: SÍ;SÍM):,íCl;íatü )ül)ulil«. as ü0,05 hras. TUP: tdesafi as carrancuds», fts jí 30 hrus. "» MAUA: jmeldias», às 23 hras. CAROCA (2S8178) HADDOOK LOCO ( ) Med cnna. MARACANà (181910) Sms tdua assasslna. METROTJUCÀ (4S 9970) A garta qu tinha tud. OLNDA (489970) Med cnna. TJUCA (481518) Os Saltimbancs. VELO (4S1381) Sinfnia eterna. Outrs Bairr» ALFA (298210) Rüeliü bravs. BANDERA (267575) Luz augadu. BANDERANTES ( ) Ci atômica B Ríriiintiiii jgad:. BARONESA O irata ds sete mares. BONSUCESSO Carnavel Caxias. BRAZ DE PNA (87 34E3) Sntlnelus d sert. COELHO NETO Perdids amr. EDSON (291119) A trtura d silênci. ESTACO DE SA ( ) Pecad e Sinfiiln uiiuiünlcn. FLUMNENSE ( ) O alçaã sangrent. RAJA (298338) Vingança ds elefantes ~ 1 e A nrte s rchsas. JOVAL (290652) Luüea Ribalta. MADUBERA ( ) Carnaval Caxias. MASCOTE (290411) O cant d mar. RAN (171144) RTZ (377224) NS snres teu sangue. UOX (278245) A vi ú uma cançã. S. LUZ (257679) Nil sangue. snres teu MAUA O alçaã sangrent. MBER (291222) O alçaã sangrent,..modelo (291578) A dce ncência, MODERNO H»n«gad heróic. MONTE CA3TEL0 (298250) A vi ( uma canca, NATAL (431480) PEDADE (296M2) Our vingança. QUNTNO (298230) A dc incência. REALENGO Mulin Ruge. ROCHA MRANDA J& Pangrra. RDAN (491633) Gartas lux. SANTA ALCE 0993) Carnaval (38 Caxias. S. CRSTÓVÃO (29 Ntícias Teatr "A DAMA DA MADRUGADA" 4095) A Rua d Delrim Ver. S,.EHON1MO Furacã d ções c Rincã s trmentn. VA2 LOBO t299l!lm O Alçaã Sangrent, VLA SABEL ( ) «mt (i mar. TEATROS CARLOS GOMES ) As hras: Cia. Slwa, jeu Quer m Reblar». JARDEL (27S7J2).Marreta bmb!>, <!> hras. Vesarals, sábads e dmlnge, cm Araci Crtes. DULCNA ( *Os ncentes», às 2! hras. Veseral, quinta. sábad dming. Ar. 16 hras. *ly*h ) «A. d usa d* riiadrus^ <t«f. às at braa. Sábu tu e eattsyi), Te»i, * 16 araa. NTBRO O* Artl» tas Unids: tmuihes alma». Dias 14 «15, «Jesabelt, Pedimus as Srj.i exibidres a Un, za ns enviar nutlclanienli. qualr milifl, caçã u ruinms aru a diviil < crreçã d mes m e a fim nü j ficar rejudlcudu j leitr. f smente uté dia 31, ste més, estará cuand Teatr Rlvai «Teatr Arte d Ri Janeir», Maria Jaclntha. A rn/fi ser tã curta tra está n fat teatr Rua Alvnr Alvim ter cmrmisss cm a Cmanhia Al Ganid JA ura méb marc. A eca se acha cm cartaz é «A Darnu Madruga», Alejundr Casna. O text gran beiezu ética é traduzid r Wnimnr d Oliveira, diretr ativ d Teatr Amadres Ue Pernnmhuc, tanta sau aqui ixu vid a alta quali suas aresentações. Os cenáris e guarrua sa resnsabili d Oswald Mtta cenógraf e figurlnlsta d «Anfitriã 38», «César e Cleóatra», «A Filha órl» e «Já é Manha n Mar». A direçã artística e rganizaçã a carg d Maria Jaclntha enquant Ribeir Frtes tmu a resnsabili d direçã cgnlcn Ns diverss aéis a latéia encntrará: Beatriz Vcica Resina Aragü, inezlr ue Abreu, Anna Bella, Dlnrah Règghlafitl, Steia Csta,.llla Murei, sac Barvid, Jrge Gnzaga, Albert titamüs, Almlr Guimarães c Maur Mendnça. Cmletand cnjunt d intérretes estã três crianças: lna H Martins Chaves, E Lúcia Castanhelra Dmasi e Carls Castanhelra Antôni Dtimnsl. CLÁSSCO E COMERCAL Diurn e nturn abertas Educandárí Ruy Barbsa RUA GAGO COUTNHO, 25 Larg d Machad Tels.: e J SSSKW^WS,! TÉCNCO DE CONTABLDADE i (ez urs cntadr)! Diurn c nturn DUBAÇAO: S ans. CONDÇÕES á»ara MA TRCULA: certificad d curt ginasia) u c mercial VANTAtíKNS: al dilma rfissinal direit d ngressar qualr escla suerir.

5 ^rwr^mr^wt:! *. "*!;*. *.^^^^^^i^^im^w^^tw*^ MO, ( MPRENSA POPULAR í.sm* S Arguments Para Resnr a Mltv A imrensa cintal rcuru cultar e turar as rstas sviéticas PAUS, 1S (AFP) A Bádl Mscu difundiu hó úin artig d crresnnte d «Prav» Berlini, faz balanç 3 sanas trabalh Cn» fcrêncía ds Ministrs Negócis Estarangelrs. Essas três sanas, es» crev crresnnte, mstram md evl» nt as astas ds t rês ministrs cintais nã cntinham utra cisa senã lan Én, e trabalh ds três ministrs cnsistia, na rea» li, im rejeitar siste» màticament tôs as r» stas aresentas ela legaçã sviética.» Em segui jrnalista sviétic clara as legações cintais «fo ram incaazes r a essas rstas argurnen» ts séris: r iss a diimacla nrteamericana fi mbiliza ara auxiliáls, a máquina ragan lend vista imedir a iniã ú» blica mundial cnhecesse! a ver sóbre as rôstas sviéticas na Cnfe..nela Berlim. Tds s recrds falta cnsciência fram batids ela imrensa bur» gusa ns últims dias cnferência, quand a» legáçã sviética íéz a sua rsta sbre a rganlznçii segurança cleti» va», rssegue crresnnte d «Prav», segui clara lg aós a sessã d dia 10, na qual chance» ler Mltv aresentu sua rsta, «tds s meis fram sts bra a» ra imedir a difusã n mund d text ssa r» sta d ministr svié» tic, rerduzi fielmente els jrnais e estações rádi ds aises mcrá» tics. Pr ss, nã causu ad» miraçã, n dia seguinte, cnstatar cm servi» llsm a mrensa urguesa rerduziu uma versã i frma rsta Mítv, acmanhanda títuls hstis», acres» centa «Prav», cnclul nunciand «uma» frmaçã grsseira rsta Mltv feita e» jrnal nrteamerican VDle Neue Zeitung», mitiu arbitrariamente as rinciais assagens claraçã d ministr svlétlc ds Negócis Es» trangelrs ermitiam qúe se cmreensse seu valr e seu bm funment.» Ntável Aument d CmérciA AnglSviétic LONDRES, 15 (AFP) Os resultads missã ds 33 hmens negócis bri» lânlcs a Mscu serã are» sentads el chefe ssa missã, sr. J. 1». Sctt, dlre» r vens firma elé» irica «Crtn Parkinsn», i ii(s vltará amanhã a Lnilics e n mesm dia fará um integral relut via» DSSOLUÇÃO DA COMSSÃO NEUTRA g ta issras e ft im» rensa. Segund infrmações r» centes Mscu, a cifra ttal ds negócis cncluíds geria rm ( sh) e as entregas estariam escatnas r um eríd três ans. Mais d um quint s encmens tratam maquinas úteis figuram na lista britânica s exrta» cões. As artis hmens d PAN MUN JOM, 15 negócis britânics ara (A. _»,,) ü generul indian Mscu crr quase tds s dias e cntinuarã Thimaya clinu hje a ritm acelerad, cn» Cmissã Neutra Reatriament, qu é resinte, se seqüência recente ubll» reuniria amanhã ara sluclnar a «iiicstã sua dis cmras sviétic na Grãcaçã um rgrama.liiqã c arvar relatóri Bretanha, d rte... final a reseit sua missã. _ 40O.U00.O00 (um bilhã Sabese n transcurs dólares), res ans. sua reuniã matutina hje a Cmissã examinu têxt sse relatóri, aresenta EXAMNADA A QUEXA d ela subcmissã encarrega sua reçã. Acres NAÇÕES UNDAS (Nva DE SRAEL centu general Thimaya r), 15 O Cnselh essa relatóri seria entregue Segurança reuniuse hje,, as cmands sincrean e tar, ara examinar a ixa srael cntra Egit, aliad, esclarecend r utr lad s chefes s legações suiça e sueca ixavegaçã n Canal Suez. a reseit ds entraves a nariam a Créia aós a reuniã Numa ntervençã reliminar, general Abl Hamid ile amanhã: e seriam substii.uids els dcicgáas adjtm Gal«b, adjunt d sr. Mahmud Azml, ministr ds Ne s ató dia 21 fevereir, lata revista ara a disslu gócls Estrangeirs, claru»ã Cmissã. Declaru, gvern egíci nã ain, general Thimaya nega alica nas suas... srte ds 17 risineirs águas territriais «medis acusads assassini e aintia tids seria igualmente direit internacinal», mas razáveis e cnfrmes cm iecididà amanhã. «nega direit srael cntestar a legali ssas medis u interretal». VENDERAM MAS DE ML CRANÇAS MONTREAL, 15 (A.F.P.) _ Fi res utr advgad imlicad n tráfic criangas casinu a risã um utr causidic. Este segund culad fi res flagrante lit cend nr dólares, um en ensinista uma reche, a uma cliente americana. Acntece, rém, esta,»ra uma tective vin esecialmente Nva r. A diretra creche tamém fi resa, b cm urna intermediári btinha a sistência s mães» slteiras, r smas iníe» rirés a 100dólares. Sabese tráfic crianças entre Cana e s Estads Unids existia há váris ans e mais mil crianças cananses fram cedis r cinc mi» lhõcs dólares, na mairia a ricas famílias israelitas americanas. ti 30MEDE FRANÇASE" NA URSS PARS, 15 (A.F.P.) A. tçmédie Française*. rá 20 reresentações na U.R.S.S., segund se infrmu ficialmnte. Cm Mltére («Tartuff» e «Le Brgels Gentilhme»), Crnille («Le Cid») e Jules Renard («Pil Carttèj), a U.R.S.S. rá areciar um rgrama reresenta melhr ativi tradicinal casa Mliêre. Á cmsiçã «true» será fixa ulterirmente, mas cmreenrá ttds s nmes rinciais, A lícia atiru cntra s estuntes HAVANA, 15 (A.F.P.) A licia disaru suas ar» mas cntra estuntes integrads ura crtej, levavmm um* cra ara sttar tr» túmul Ruben Batista, estunte mrt n an assad ela licia. Termina essa manifestaçã, s estuntes regressaram a Universi e acenram fgs. A licia stu agen» tes trn ds edifícis, mas nenhuma risã fi realiza. COMÉRCO GERMANO SOVÉTCO BONN, 15 (AFP) Anun» cia jrnal hamburguês «Die Welt» seis exrta» dres alães acabam cncluir imrtantes cntra» ts cm Mscu. Os acrds teriam sid cncluíds na base simies cmensaçã e abrangeriam imrtações, r» ntes Uniã Sviética, cereais e minerais, cn» tra a entrega, ela Alã» nha, máquinas e rdu» ts químics. MERGULHO RECORDE PARS, 15 (A.F.K) Atingind, a larg Da» kar, a rfundi metrs, a equie fiancesa d batiscaf <.FNR&3» bateu r larga marg recr d rfessr Piccard, cm «Trieste», efe» tuu, n verã assad, um mergulh metrs, na bala Náles. Os Bancáris rã Hje a Ministéri d Trabalh númer ban» GRANDE cáris, rincialmente Reresentantes Sindicais, rt h e às 18,30 hras a W nístérl d Trabalh exigir recnheciment «M» assbléia H«e..P^vavel» mente será cnr cahebis Mancs alexahdre üsast cm mjçw Mâsa Diretra eleitai els bancáris ria assbléia 18 janeir. Bacelar Cut, lir ban» cari, faland nt h ns» aa rertag cdluns trnar úblic ael faz seus clegas: Devs cmarecer mair númer ssível a Ministéri d Trabalh, ara mstrar nâ ns cnfrmams cm s re» cl» Juízs causads ela i d TBT. Nssa luta na lnuf cm m en» sar» banir» e seus gentes. VERDADERO PACTO EUROP El PARA SUBSTTUR A CE. MOLOTOV RETERA SUAS PROPOSTAS SOBRE A ASSNATURA DE UM TRATADO DE SEGURANÇA PARA TODOS OS PAÍSES DA EUROPA POSSÍVEL A CONCLUSÃO DO TRAT ADO DE PAZ COM A ÁUSTRA A CONFERÊNCA DE BERLM TERMNARÁ NO PRÓXMO DA (AFP) A sessã lenária Cnferêricia ds Quatr, hje, fi cnsagra a rente. quintafeira, dia 18 d cr BERLM, rbla segurança euréia. Deis s mtervenções ds ministrs Én e Biult, falu chan Os Quatr Ministrs d PROBLEMA AUSTRÍACO celer Mltv. NeKgóciB Estrangeirs reslvwâm erguntar à le Manteve suas rstas, e i O sr. Figl, ministr austrlac ds Negócis Estranguçã aublríaca se recebera as resnu as bjeçõse d sr. instruções qu esera a reseit ribiçã Aus Biult segund as quais a gelrs, a qu resinte retira s tras cuaçã Alanha signlfi rimeir lugar ria c juntar a uma cli ra a alavra, claru qu tria caria restabeleciment d nhecer nt vista d gaçã dirigi cntra um ais cntrle B Quatr Ptências uma vlta à Ptsm. sta d sr. Dulles. tras na Áustria até a ministr Mltv sbre a íéz u guerra cntra a r Alanha sbre a resença «Tratase uni malentendid, unicamente um malen tã, ôs sbre a mesa s a Alanha. O Chanceler Mltv, en assinatura d ura tratad cm, tendid» frizu ministr sviétic. Declaru ue quatr dcuments. Suas rstas cnsist manter receber essas instruções antes Se a legaçã austríaca se a nva rsta fsse inaceitavcl, rseia abrir mã ôs ara a cnclusã d tra s as duas cndições qu im sessã amanhã à tar, inteiramente d cntrle aliad na Alanha. De qualte a neutralizaçã Aus Quatr Ministrs, as tad Estad. De uma ar quais Be juntará a legaçã austríaca s dúvi rósr maneira a legaçã sviéüca rejeita categvicanieii tria e ribiçã articiar seguirã u discussã d rbla d tratad Estad. qualr cligaçã e, te antig Cnselh d Cntrôlc, era um rganism tras dns quatr tências carrega rganizar utra arte, manutençã s A cmissã técnics en bslet. Prz a seguir is assinatura d tratad austríac e atj a assinamu, nesse sentid, Uma trabalh cnferência t uma séri mdificações a seus rjets ara satisfazer tura d tratad alã. Sóbre Trleste, ministr sviécisã às ebjeções d lad cintal. Princialmente, aceitu tic sugeriu s rincii. Durante a sessã hje quatr enr a reçã d0 artig sr. Filg, Ministr ds Negócis Estrangeirs austría 9 d rjet sviétic segurança, trata eçam a Cnselh Segurança s Nações Unis ara examinar nv a quêsvêm ria a evacuaçã l slçã esecial ds Estads Unics, clarara seu gdns u surimir intelrament êss artig. A legaçã tã Trieste. g aós a cnclusã d tra»» sviética estava rnta a examinar qualr sugestã a OONFER1NCA via recebid instruções d ENCERRAMENTO DA tad, mas n cncerne à neutralizaçã, ain nã ha seu esse reseit. gvern. SEGURANÇA EUROPÉA Em segui Mltv claru tud estava dit rira, entã, se eseras O ministr sviétic sug«deis uma lnthrruçã 20 minuts, sr. Mltv manteve seu rjet amanhã a tar a ta a sr. Figl ara cntinuar a será reslvi na sessã s as instruções Viena segurança euréia, resnnd n sr. Blult a stã austríaca. A será nvamente.br discussã stã aubtrlaca. havia lhe erguntad se, sim u nfí. sista rsta ela Uniã Sviética era cmát.yel cm Pact Atlântic. O sr. Mltv resnu seu rjet é stinad a substituir a cmuni euréia d fesa» Acrescentu su rjet faz saarecer a nçã blc. Admltcs tratad d Ri Janeir, r nã admitir um act eureu? TRATADO COM A ÁUSTRA BERLM, 15 (A.F.P.) N curs 20a. sessã Cnferência Berlim, fi residi el chanceler Mltv, sr. Fster Dulles aresentu uma rsta nrteamericana, a assinar tratad austríac na róxima quintafeira. Assim, aceitu a reçã sviética ds 5 artigs esta litígi. Os srs. Gerges Blult e Anthny Én aiaram a rsta d sr. Dulles. ^jõvõpãctõ MLTAR ANQUE CARACH, 15 (A. F. P.) _ Paquistã e a Turquia terminaram a reçã d text uma claraçã cmum anunciand sua intençã cncluir um tratad lític, ecnômic e cultural cnstituirá n tutur quadr d sista lefensiv d Oiiente Médi, n qual rã se integrar mais tar rã, ra e eventualmcnte utrs aíses ára bes. Essa claraçã ve ser ublica futur róxim, antes d cmeç març. rvavelmente O tratad é insirad e s acrds entre a Turquia, a Grécia e a ugslávia. Os signatáris terã ai litlc e auxili militar dns ds Estads Unids. CARVÃO DA URSS PARA A AKGENY1NA BUENOS ARES, 15 U.P. Acaba chegar a este rt navi anamenh «Oceana», rveniente Otlcssa, cm uma carga ue "l0 mu tnelas carvã sviétic. Este carregament faz arte s trcas cmerciais fixas n acrd re» centente firmad entre s gverns Un a Svlética e Reublica Argentina.. h^eombísé" GGANTE Nasceu nt, n Pavilhã Rcha Miran, PróMatre, uma criança é um verir fenômen, d geu incmum cresciment e rbustez. Pesa gramas e me 62 centímetrs cmriment. Os ais sa a ara. Carmcn Garcia csta e sr. Nelsn Rdrigues Csta, marítim resinte à rua Vll Negreirs, 31. Dur rante" art, medic suôs se tratava gêmes e art rereu intervençã cirúrgica.. Praticu a cesarianfdr» Virgíli Nakanish júnir, cm a assistência d dr" Clav Albert Gmes Pwt e enfermeira Bnls Nazaré Oliveira. O menl, n aue se chama Jsé Rlcar S,qesua mãe, estã assand b. CANDDATA DO P.CA. A PRESDÊNCA DA ARGENTNA BUENOS ARES, 15 (A. F P ) _ O Partid Cmunísta Argentin signu c» S candita às eleições a» ra a viceresidência Keublica, n dia 25 abril, a senhra Alcira La Penfta, ue fra candita cm Rdlf Ghildi às eleisr n» ções resinciais vbr legaçã austríaca será reveni a t. Além clissoj recisu as duas sessões segunfeira teriam lugar na Embaixa Sviética c a terçafeira na Cmissã Alia Cntrle (setr Ocintal). E antes d levantar a sesaã, claru s quatr ministrs estã acrd ara encerrar s trabalhs Cnferência Berlim na SESSÃO RESTRTA BERLM, 15 (AFP) Termina a sessã restrita, esta manhã, fi distribuíd seguinte cmunicad: «O Quatr Ministrs cntinuaram a discussã sbr nt 1 rm d dia. Vltarã a tratar d mesm nt quarta1ira às 11 hras nva sessã restrita. DEVE CONTNUAR A DSCUSSÃO SOBRE 0 PROBLEMA ALEMÃO 0 CHANCELER DA RE^BLCA DEMOCRÁTCA ALEMà RESPONDE A FOSTER DULLES BERLM, 15 (AFP) Num discurs difundid 1 a issra lcal, dr. Lóthar Blz, ministr ds Negócius Estrangeirs Reública Dcrática Alã, ediu a Cnferência ds Quatr cnunui a discussã du stã alã Acusu s três ministrs cintais Negócis Estrangelrs ter imedid, alé resente, qualr entendiment a res sil «le uma sluçã a cifica e mcrática» ssa stã e se manter na sua lítica inclusã Alanha Ocintal n «sista american acts guerra r mei ds Tratads Bnn e Paris*. «Assim, disse, a reunificaçã Alanha tr 1 ntise imssível». O dr. Blz afirmu s trfs ministrs cintais tentaram reter a discussã stã alã e claru a recusa r Vilu esaç aére ATENAS, 15 (A.F.P.) Anuncia estadmair um aarelh «Dal.ta» base tíe Làlssa,. sbrevara territóri albanês n dia 13 d crrente, ela manhã, fi atacad elas bate» s rias antiaéreas albanesas.; O ajunte ilt d aviã greg fi ferid levente, i uvids as legads Alanha Ocintal e Alanha Oriental na Cnferência cru srvi funment jurídic e» litlc. O dr. Lthar Blz rervu articular a sr. Jhn Fster Dulles, r haver «difamad grsseiramente» a Reública Dcrática Alã. O gvern, disse, rtesta cntra esse insult a nss, v. Em ressta aus arguments du sr. Dulles, ministr afirmu na Reública Dsmcrática Alã as eleições su haviam senrlad maneira mcrática, articular ela adçã d «Blc Eleitral», agruand s artids e as rganlzações massa O dr. Blz afirmu, na Alanha Ocintal, a rrçã liciais, cm cnfrnt cm a ulaçã, ó um licial ara li habitantes, e nã ara 350. Na Reública Dcrática, disse, a rrcinal é um licial ara 2S0 habitantes. Em cnclusã, dr. Biz frisu gvern mantinha seu edid articiar s reresentantes duas artes Alãnha, na discussã quêstn0 alã, elas Quatr Ptências. OBRAS à itj/.stáuh cwm eswrs DÈ N0VBMBM 0BW7 * WO Ptis l >fí_írsír\ ^4T Èi V crifóoo [OiímAif ÍTCí l,m,t*0a RUA DO CAríMO,6:13;ANbAR,SALA 1306.H1O COMBATES NAS MEDAÇÕES DE LUANG PRABANG Página 5 u 0s ans assum cntrle s erações aéreas na ndchina batalhã aráq.iedlsfàs N centr d Vietnam, cmand francês anunciu as frças vietnamitas esta rland seu dissitiv n setr ds ia» ta mntanhss, a mel caminh entre le» liku e Knlum. COMANDO ANQUE TÓQUO, 15 (A.F.P.) O general O. P. Weylantl, cmannte sur aviaçã 71 ~ AGON, 15 (A.F.P.)? cmand fran* ^gg^^s^i ÇH5ÍS % S c_8 d Las anunciu hje as fôr *^d«êm _ ndchina, a seguinte claracas frituclatlanas wteramse cin clcn» uma Wg* é 0 Extrcrm, riente re» ts s frças Vietnamitas na marg dta* J* Z env»ar a)melhs «K3<1» P» ta d Mekng, entr Fakliii e Fnkming^ cebeu rm enviar aar uns 30 quilômetrs a nrste Liiang iang 1 ra» ra a ndchina. Fram entregues dze sses aarelhs numa rimeira ressa «utrs bbn Encntrs bastante séris também se» artiram n sábad ultim. Esses av.es su scnrlaram a sul Paksung, na marg frnecms ntr d quadr d rgrairm. esr d Makng. O grss s.trias assistência militar ãs frças francesas. Al ulares ain se encntra a 50 diss, a frça aérea d Estr Oriente re» Rmeiras caital, entre Nam Bac e NinNg», cèbeii rm enviar ara a ndchina 200 afluente d Namhu, se lança n me» mecânics e técnics, b cm essal fiscalizaçã e administrativ necessári, csclhid entre essal s f*^*^»^ ícne cm Pakhu..,... N nrte d Las, frcas vietnamitas fustigaram na nite assa st e teamericanas d Extr Oriente, Essas Miing Sal. a 00 quilômetrs a nri ci rns fram executas. Arximament 850 hmens ste cmand fram enviads Ene Prabang, recebeu d refrç um lia 48 " f* estã na ndchina. «Mie css<m> div frça aérea d Extr Oriente é acrescid a nss gru d cnselheirs aru» assístncia militar se encntra na ndchina ara auxiliar treinament s frcas iiar.ç vietnamitas na manutençã e na ut h^aça d equiament nrteamerican frnecid n quadr d nss substancial rgrama auxili militar, na cnfrmi dn Ala < Segurança Mútua, arva el Cngress. Camanha ian cntra café WrEWÃMÕS CAFECVLTORES DA VENEZUELA CARACAS, 13 (A. P. P.) «A «Asscincin Venezuelana cafeters» dirigiu um mrand a baixadr ds Estads Unids nsta caital, sr. Fletcher Warren, a reseit camanha ns Estads Unids a favr reçs baixs ara a ven d café, segund rdut exrtaçã Venezuela. O mrand cnsta d a nts cntestand us razões invcas els artidáris ds reçs baixs d café ns. Estads Unids cnvi um. gru técnics agríclas, nrteamericans a visitar a Venezuela ara «bservar n lcal as dificuls qu enfrenta a rduçã cafeeira e as razões justificam s atuais reçs. O rimeir nt d mrand assinala s reçs atuais nã sã rdut eseculaçã ds aíses rdutres mas d aument rcura e escassés mundial rduçã. O segund, rclama café, na América Latina, «rimeir abastecedr dólares cm atualmente se agam s rduts nrteamericans mais cars». O tercit, manifesta a iniã t a regulamentaçã d reç d café ns Estads Unids faria sviar cinérci recirc ara a Eura e, «n cas Venezuela, essa cnscqiiencia resultaria mediata s tss estabelccis restrições as cmras tant caía cm e Já Execuçã... AÇÃO DRETA DO COMÉRCO, Tratase uma ínjustiça e uma inutili a medi d Senad ame rican cntra s aises rdutres café dissens nt cmerciante e advgad Alceblns Àntiiglni; secretári d SERDEP. órgã cngrega ds s slndi» cats d cmérci d,) Distrit Feral, falandns sôbre as cisões d Senad american clcar reç d café sb regime d cntrle ficial d gvern ds Estads Unids, li acrescentu: _ O retext alegad ( inacei» tavcl. Até aiíra cmcrelu fi livre mas eliir» qu havend jg natural ilas blsas. Na se cmreen, rtant, n niment Urasil, cm cnsequsncla (lu cndições ellninlíricas, va diminuí saa rduçã cm ss lrlcamcntc vê aumentar s reçs U rdut n meread ««íraniieiri), vir Sennd nmerlça,ò retextand susta eseculac5ii, mr uma regulamentaçã numut» Mara cm s aíses rdutres X d caí.. CONFOllfiNCA NTKBAMKitlCANA nterrgad sõlir a stã d cal. m fel/agai..» RWWLS3JS, ifneia ntcriimcricnna, a reallt.ir "_W Caracas, diss secretari d SEKDK1: Prs Fatr.., Estrànluil muilu nã luive* na numersa (clcgacç brasileira nculuim verir rçiiresçntante d cmerci luuiisl.li». hcuml clarações d «lis "">clnâlis du lumaratl m nar,.ce dó róri ministr, d Btcrlr, nt ali Min crèncla seria a art ccnôin cn. la favcml arte,.naturalment"» nuestã d eafó. Urna mdl se imu rtant, cntra as miuinbras balvistas ííórtciimcrlcanas n ÇÜO ílireta ; da uri interessads cm ai «td cmerci l)i,ml leir. cm a resença Stalln e Ma TséTung. Estavam resentes cr dilmátic, general Chu Teh, Ministr s Relações Exterires, Chu En Lai, ultus autris chinesas, jrnalistas esuimgew rs e mais utras trezentas essas. Seguiuse um baile, duru até às 11 hras 4 nicialmente falu general Chu Teh, discursand Agredid Advgad... tóri. Só a muit cust fi cntid e st na rua. Cnfrme ain claraçã d advgad, Felie Pint, também rincial acinista «Se Mrna», é um exresldiâri cumriu lnga ena Hm mstas sses adiantu nss infrmante nnceu n gvern Dutra, cuj filh se teria trnad sóci negócis ilícits. Esclareceuns, mais acnante, advgad*. Em 1346 ê rganlzu a «Brel, Meurn S. A.» «investiu cntra s favelads d Mrr d Brel, tentand sjáls e tmar a terra cuam há váris ans. N rcess d se 3am Quer.. dlcações. Cncrr cm qualr majraçã tarifas, r menr fsse, seria um achincalhe á miséria vive nv a mesm t uma rtelaçã na cnquista _e nss aument, jã. qualr majraçã taii?.. fas tmnnrta mrta mrad rcess tend assar, Felie Pint nã juntu nenhuma rva rrie as auts E estranh, r iss, juiz Murtinh, 13.» Vara, tenha cretad sej, cisã essa está sb recurs na 7. Câmara d Tribunal Justiça. O TriDimal Justiça estã cm férias. Prtant, nã haver agra uma cisã ara sej. Entre, tant, crnel Melquia» s, chefe guar Prefeitura, man cmunad cm grileir, está cagind, cm a guar arma, s mradres d Mrr d Brel, ara eles se mum ain n curs d rcess e antes qualr cisã judicial, ela wtaçã Cftmara Mu» nlcial. ATÉ A GREVE Finalizand, afirmaramns estfi dissts até a cretnr uma aralisaçã geral na assbléia d dia 19, ressta à intransigência atrnai e às manbras d Ministéri d Trabalh. trôl venezuelans». Esta nt recr na Eura agamse reçs suerires as nrteamericans. O quart nt õe relev «alica a café, a tese ai as reçs agríclas usual ns Estuds Unids, faria subir, na América Latina reç d frut muit acima d seu atual nive!». Finalmente, quint nnt assinala (ie «café rduz dólares ara s aises América Lati a, rduz também saláris as trabalhadres e intermediáris nrteamerleansv, acrencentnnd café cnstituí uma base liara uma industria nrteamericana mhiliza dólares. Paralisarã a uma legaçã Oeráris "Em Navais cman r irineu T Parte... Jósê Suza; Waldhr Mell Simões, resinte d Smdicat ds Emrgads Escritéris Emnrsas Navegaçã; Jsé Jaime, d Smdicat ds Marceneirs; Cels Rsa, d Sindicat ds Enfermeirs; Sllveri Manuel Silva Rbert Mrena, Cnferaçã ds Trabalhadres d Brasil, tds d lli Janeir. N mment tinsmitlms, rasegue a reuniã, cujs i t lhes rs ara _» eüica rle amanha. slveu ixar a mina s exlrar. O DOCUMENTO QUE O POVO AGUARDAVA Para vereadr Walter Prtilh Prgrama d P. C.B. é dcument v brasileir necessita» va ara se unir e lutar. Ha. nss ais diz êle. um scntenta» ment geral, rva nss v busca uma slucã ara a miséria e a res» is baixadr sviétic. Ambs afirmaram tratud reresentava a seguranca d az n Exbr Oriente e era uma garantia centra as ameaças guerra. Aós, fram levantads brins a Malenkv Ma se Tini", sb calrss alnusg. FATOR DE SEGURANÇA Q jrnal «Jima» ublica na rimeira ágina um artig sbre aniversári d tratad, c&ni ftgrafia? Malenkv c Ma Tse l.ung, e rerdur. s telcgrumas trcads entr s dis lires. Malenkv, dirigindse a Ma Tse Tung, afirma n"c tratad reresenta um rs fatr segurança ara tds s va e a cnernçã ecnômica Plitlca e cuhurniu entre a China e a Uniã Sviética é nqubfnntãvl. Termina sejand 6x1 ts n Pv çhlnes n0 caminh tia ^«lustrializacã e d ben "stnr 5 scial telegran Ma Tse Tun" a Malenkv exressa a gwticlã d v chinês ela gran aju sviética, aflrmand esses c,wira an» mnstrarnm q«a aliança entre a China ea Unla Sviétlca é inbrnntável e garante n segurnnça e a az n» Extr Oriente e n mund td. Declara Ma Tse Tung: «A aju sinteressa Uniã Sviética *m gran imrtância ara açe» lrar a industrializaçã Bci.alista Reública Pular China e frtalece cam a e mcracia U rad ela Uniã Sviêtt O tratad firmm» Mscn, gran significaçã histórica, cnstitui umn sfr ria advertência ns ssíveis agressres China Uniã Sviética is reresenta uma aliança dn setecents milhões essas r trinta ans» sã vive. Faltava, n entant um dcument fsse uma latafrma clara e mbillzàdra caaz cngregar tôs as crrentes sciais numa mesma frente du luta, caaz cnnsai numa única crrente scntentament r quase tds s vai setres dá ulaçã. _Este dcument, nâ há duvi, é Prgrama d Partid Cmunista. m u ív.

6 , jr^ ^ "" ** * " ^rt^^*^ms^tty*,>n<*x,,*:r>.< >*; ** }*?"!«,#.. «fftglnn 6 MPRENSA POPULAR RO, ^mmmmmmmmmmmmmmsmiêmmmmmswmmmmsmsmswsmt As cndições d trabalh ds eráris d Arsenal Marinha, sã as ires se d maginar. Além ter um bak nível saláris scila entre Cr$ 800,00 e 1.200,00, viv submetids a um regi..me erseguiçã terrr licial, r arte uma r exame cruzeirs malta reelentes mensais «ALCAGOÊ TES», infiltrads n mel ds trabalhadres, exercend a susta funçã «Agentes Eseciais»». Perceb lus gratificaçã fra s saláris As nmeações sã secretas e feitas cm ta atrasa sratifleaçõcs Cr$ 3.000,00 além seus vantajss ds crresnntes rna as suas funções nrmais Sil isents d trabalh qualr scnt flhas. (D crresnnte) GOVERNO POLCALESCO ADMSSÃO RREGULARES «ALCAGOETES» e latres seguintes: «Jã Deus Celh,. Antôni Csta Cunha, Miguel Alves Suza e.tna Anta AS5TS s8nafa^c"t,aa,mlrante A. J,t!!L" $0.en, «J?e» encntram s trabalhadra *,0Sé Ant d Arsenal «"«r «Marinha "" JORGE DO PAÇO1,.e Piretr Geral m Viana, se achavam s 1951, nfutrads n mel tmt M,árt0» ** miséria, e se alli enviu uma MATTOSO circular cm ta MAA, «ls trabalhadres, fazend atrasa dc ael Várl^ Jrba^SeíumfC^S" ^a JeS l^^h &*"*> ««Sh * el "le»jün«n**. crmuma «g 1.» Ar setbr 1AS3, a Caitã <le inaiieira agir srrateiramente, Cryeta chegand Suerintennte a haver susnen. E!&iS& v!fa SeJá * P " «teni lliament dô"l Divisã Militar le ta <r S«.3.i» sõesí e missões massas, Ars cm frut açã sses s ***"u,,m,r*» dtan*n«i««.»«... Alcagetes e latres admitids s qual.zslíssft!* f^si* f^*1** «"» ^«a m«. ««9 nnn._ "" r" \** **"&, n»,s *Pmma* * «w* A/tJRPSM «"e habilitaçã e admsf E.ES"*8 VWes ls *» «>«him =5* """" *wet ".= 2 tttãs^ês&xslsz d Ar»Mi h. m Úi. Hm "" """""«m s trabalhadres ESTOFOS E CORTNADOS Na audiência cnciliaci realiza n TRT, entre s trabalhadres fábrica estf» e crtinads e seus regadres, fi felta el juiz DéH Maranhã uma rsta trinta r. cent aument sbre s saláris vigentes Janelr* 53. Esta rsta se,ra arecia assbléia ns Sindicat rega, dres e regads. CONTRA A FUSÃO DAS CAPS Uma cmissã dirig Mics,, fi. a Ministr a tes ds Sindicats d Gru Trabalh edira revgaçã Light, cmanhia d d cret terminu a resinte CAP ds Em fusã s Caixas A»/ /egads Serviçs Pú sentadrla e PensOes., ASSEO E CONSERVAÇÃO Os regadres s resas, assei e cnserva n»au^,«^ à,, ^.,.,.. d um raz 60 dias ara ^.^j^ cntec. n ArSiSVs^í^fgffSS^ "" çã íiegáram eni mesa redndá s atrões aresent O Gvern na Cmissã Dissldis aument edid òr edids r seus rega uma cntrarsta as 60% Nã Paga Oua,Deve] seus regads. Fi fixa ds. ELEÇÃO DÉ CONSELHEROS A "Resistência" Deverã se iniciar bre scial, cumriment â SftSKMEWMí ««jsrmbrs d Cnselh dás Cn«?ress e Bancina e Belém farà instltulçijes revidência, l: Pr Executiv. 85 ELETRCSTAS DA M. MERCANTE A diretria d Sindicat*.a realizarse ds hie dia ir «.m Eletricistas Marinha rimeirf cnsáçã! ^"^«rtá cnvcand às Ti.hras e, segun e úl Snegad ela SNAAPP, aumèãw 35% Drrétres d Sindicat nesta **** *s,n^j Z2t!>cT7n?rl]m "azís,a caitai t* e missôes DÍ,etr Geral^AAPP mérci Armazenadnr dn ZaÀ ra amatíres a C, atual situaçã ds trabalhad Z, _;"";ena,a r d Para encntramse nesta Ca» *» rt Belém, Pita, intercend b junt a Ministéri sentid Viaçâ n cmvas arbitraries r term às rtelações um v vêm send rcess sfrend raticads el Di Sindicat rejuetazwni atrasads a seus assciads. Pagament Terrr Belém A. rósit d assunt, re l cebms d nss crresn. nte Belém uma lnga carta, êle relata a retr Geral SNAAPP (Serviç dc Navegaçã Amazónia e Administraçã d Pôrt du Pará), cmannte Edil Rcha Carvalh. As ersegulçaes as trabalhadres mais cmbativs vêm se acentuand, b cm as tenta Uvas d integralista Edir srestigiar cmletamente Sindicat. Ns dias 8 e 9 d crrente realizaramse assbléias sindicat n ds Trabalhadres n Cmérci Armazenadr, ara bate stã ds Mensag Cnvençã Nacinal ds Prfessres Reúdi a anterjet refrma d ensin Prejudica as rfessres e e stuntes Publicams a integra imrtante d.dcument arvad na Cnvençã Nacinal ds Prfessres, recenten * realiza nesta Caital A NAÇÃO BRASLERA. AO CONGRESSO NACO NAL. AO MNSTÉRO DA EDU CAÇÃO. DAS RAZÕES POR s >S QUE PROFESSORES CAMBAraitr O ANTEPROJETO DE REFORMA DO ENSNO SE CUNDA.KO. Estranh e esquisit anterjt dc refrma d cnsin secundári, aresentad i^!,ara d03 utads. Tratase cisa visivcl»>nt. aresenta, vazia tnalqur substancia filsófi. ca e egógica. * Stó0e mm Wc (al «"«Prjet rtsnterqnand, aareça exataaós jtas, áruuais; s rfessres ae acabam bter, mráveis na vitórias Justiça.d Trabalh. «bastante estranh envie selhante se Cftmara rjet à ds Deutads, d. nala quan Casa, se ain cncluiu.,estud nã d anterjet dn l Diretrizes sases e Educarã Nacinal, 3 SEGURO : #!.. lan cmlex abrange ts as mlis d cnsin c, à mingua utrs mérits, cj rdut estuds rlngads e dc cnsulta e critica ds setres mais ressads inte n senvlviment educaçã d Brasil. Nas várias vezes s. reuniram cm cngresss, s Diretres clégis lares articu recnizaram veentente a redifçã d currícul esclar. Descbriram, nessa rvidência, a sluçã ial ara s graves ensin rblas d nss ais. Nunca esclareceram quais as Has mate veriam ser eliminas. Também, Jamais.JustiÍ ficaram, cm arguments cilógic.q s u filsófics, dtiça a re. leiteavam. Nestes íltlms meses Ministéri EdiicasãÍreslvu encamar as resluções tmas els Cngress Dwntres ds dc Clégis Partiteu lares. Tds s meis dc ublici fram ds mbiliza ara Ministéri caçã Edu tentar mnstrar mirablantes as vantagens currícul uny reduzid, a fazend, mesm t, acerba uri. tica a chamaram en MbwtóCám,;,, «.ji l. n. NA UNÃO SOVÉTCA (9) tusí tassf eí& * ^Pels seus suna aristcracia russa Pr ^mn^" (,0,?zal aí,enas se snvülvlmei!»dcr õlsf sviétic iniciuds trabalhadres di «,^f.1. dc Gergia Pr"vei Geórgia háv&&e^^&^í;^ cm tô a ja cent e dis sanatóris. Em 1952 ssuis ^^^^i^zul? ^ "imas Ü diclnal. Fezse um trahnii^ um gran baneári ment, a máxim ds"m>!c^antsc Para «Prveitans " " " Uimi mais famss eni i951, sviétics, sanatóriíeimenssòsux^ fram lram ^nsiniids. na indústria e caneira es transrtes etrlífera ferrviáris. e, também, as ds rial SSrSfeSr apa[elhadüs ^ M* ^gabinentés dc,s X èt fk,w9üor«<?s tend íds rõgadbs WMHtPS^ ara diasnóstics; Sã. ba»"s medicinait^tú P mcm íerapêuliqs, s atençã n/.;,;^.,»? s trabalhadres, resta f?ran. «Êtíffi s ó ^^f^^.^^zstós ;ts znas se enr.hrhr Cnmea.mas também ; tmai um «mksêv «êar ara banhs «h digestiv na réat^vs^,9^*18.30 aparegiã Grkl, ggâs^"1?* na s dentes d sanatóris sista ervs PCPni^ l S 1 íania ara esecialbnrc í Ce"íral e Periféric. Esses egiões, nã ficam a Sór^m S m q"asi tâs a«feraôiiticasí as íams" ZZSfàZm s"as instalações m$s$b,^ne=/!,^easr i^mm&m mmm ^^^í^eslrlgcs?^^^ tias ã.ò «ndivasculark Sõy e.. jes d.sista uu MSlt,nri nervsa CeternSS *?«cnüam.se Sfeí ^cessári ara à dissj 0S L tó,r dlagn"stics. JJ,,. Que ali acrr ara^ns^i,, ds ^C!?S,e P^essres ratri clinic g um"s& C,Stlld? um Kran labum gabinete ra s X ml,críertamente «P««lhl. ds, um áabineic diágnó «exames t cc^sònâlm^ apar^had:e feit: radl iãficbs Sc ^ sanat rió sã aerfeiçads feiçads, cm a4sf»rífu f P1C0S r métds ermit terminar? crfs^^0^^ ^ analises cmuns, caráter,m,ais.;jtatlcia, d a í"j tds esses meis S6fef»^ ds dentes çs lg notftfi W»r» P diagnósti sanu fina zniip.it», A.fj"* rala e zrita. Há um térr^"^^?^» tralament vu «seuaj Pa^ ara aerte tnmia, é indisensável ermaneça, cm aulas frentes, is sms uma clvi civiçclism balf i lizaçã,e inútil um lanalt refrma ra n a Caana"; acrr as«mais diversas.oferecend agra mair crantes imigratórias i.uclhr dc. ai tds as s cntinentes, rósits além cis,, BJretrês técnics ds Clégis esecializads, niir.ticiil9i;.s, utad Nsfr,; Jst, aós r nas ciências exerimentais, entendiments r nas ciências dizcm cm órgãs d reseit Ministéri à nssa frmaça cívica,.educaçã, encaminhu á Cárijara ds Deutads um ante e~ fi exatamente r esses nráveis mtivsqurjcl refrma d ensin as frças armas secundári. Brasil; d nunciand suas rigens, ist ó, a influência ime O anterjet a cjtic nus referimdiata è ds rimaríssim, triiienmcntc rejudicial a Diretres dcclégis articulares, anterjet ensin, as na rfessres c cgita ativis tal frma, cxtracurriculaies, ninguém usu hctje fendêl cm arguments rática cm tds s rm filsófica, civilizads; aises scilógica rincialmente u ales egógica.. diz reseit.sabese. literatura à elas entrevistas c às artes. d Ministr D Educaçã exst, e cncluiise elas cnsirações atual; els anterjet refrma. trabalharam segred d ensin n secundári, r anterjet,; qu»; aluns nnm sbrecarregads, s t, cm excess matrias, s ssibilis, rtant, qualr assimilar;à. Deriva l, diz s ciabradres d anterjet, a ncessi uníá drástica reefuçã, d currícul esclar..tratasç ; d argument, snhinvivfiníi., terminará flui. a mais algum t nva reduçã n currícul d curs secundári, acar1 Vetará gran rejuíz ara a frmaçã humàriistica juventu. O anterjet dc refrma d ensin secundári é uma erfeita mnsliusidc. Em gua elabraçã nã fram u.vids cs inentes rfess res d Clégi Pedr Í;ria, c.»tu, fcvn ara a sua feitura, a; exeriência ds rféssres. el ensin articular, dissinads ela imensi dè td Brasil; é calcad num ragmatism, hje sctli Ç, falhu ruidsamenfc tds s lugares cm qu fi alicad; nã leva cnta a existência s Faculdns d Filsfia n se realizam, estuds, agra anieaçads inutili, s matérias anterjet elimina; exclui estud lingua esanhla, quand, através rnunciaments ficiais, vivs a gritar ela necessi mair entendimnt intercâmbi entre s vs d nss Cntinente; elimina, raticamente, estud d Latim, lnguimater d Prtuguês, cuj estud cnstitui exercíci intelectual ds mais, rveitss; traz enrmes dificuls rm ecnômica e scial, r Jgará vilentamente,a dsrêgq.s rfessres.éjsa. nhli Latim e Filsfia, reduzind.,ajnrla, s venciments les rfessres cujas materias serã reduzis n númer aulas sanais, cm a. Gegrafia e a História, lizaçã um lanalt História ad Brasil, sua au rejudicar. visceralmente s estuntes e s rfessres e. r cnseguinte, a educa Cã e. ensin, ve ser ttal, mente: reuttlacuvéla NaçA.Brasileira, Cngress el Nacinal, cm, neste mment, dcassqmljraniente, fa?. a CONVENÇÃO NACO NAL, DE PROFESSORES!» atrazads e ara elas fi cnvid Cmannte Odyr, qu ná cmareceu, eatretant. Mais tar, extrlíu sej seu nâ mais ermitir a escala ara s gervixs í «resistência* sejam feitas el Sindicat,., se,cnmimad, trará sreg a mais 500 chefe* fa. mlliiu Nazista íâtâ^ s»naapp, iêia mental, gverna els trabalhadres araenses. Há muits ^aris ná send cumris idíver «as leia, cm.agament d reus sanalt" hrári 1 8 hras e agament adtcinais ds trabalh extrardinári. Bm.1957, revltad» cm esta situaçã,, balhadres losfra «resistência* entraram a;reve, assim ermanencend durante, quase 2 m«se«. Só na fram vltriss rads r nâ estar r«a H«ft hnt.». VTHl «Og, 0$ atrasads Em janeir 1952, cret um númer man.djava aumentar 35% láris s sa ds trabalhadres SNAAPP, entre g inclu qua,s ge s «resistência». tretant, En cmannte Edir fez uvids mercadr a tu.d issevç s.çm mai. 53, guand.«jra mais,,intensa a.luta dó essal «resistência» ^engavetad n Deartament Administraçã.s setbr d an find. ara enfrentar terrr cntra Ales sencaad n Lutu r ser ala a.rimeira ara cnseguir luta tal vult se enhavam. Pria», rese rcíc * j! Nss crresnnte émannte Edir assu «aumentar niinsa,:i SNAAPP,; cm à situaçã ca; vez irials terrr Belém. Eni mai aenas + 14 navis seus d; 52, aenas r s trabalhadres estavam reuni, V «Há:Um evintesej d funcinament e cnclui; ds assbléia..gqvírn dc ara discutir ns exlrar senfreament, negand rbla d reus sanai aquil a atrasad;. cmani, ts direit a te; Edir mesm transfrmu t aniquilar rá :fa.? *V1908 di? navegaçãna ^ ninim.»mmmj.«.j. j1:v".. " gurrav inunnd s»n{àr TAma^n.«j^r.;*!«?, Puc a jijífjc ésffeò,.àén^^tregitès^a W canh«5esè meüamadras di4i navis navis americans. E guerjrà ust álf:aheòradcw. Para s tratwljmj^res.díôrl rcurar reslver certs las rt. Desencau iirna éifrk? }. através. «Jeressãt ris vilências, ternilnàrídd r*i } MlniBWris. Ma^ái^mòB afastar ter d trabalh ilusã:: s.vés^itafa. nís» eráris mai» ss ae.^direits stacavam quand f izerms JM, camanha» reivindicatórias. i.» dé». vai*; a ;ÜótfjKiJÜÍ:nwá mit! Í ALEGRES EFÍLffrÕa? TRABALHADORES DA RUMARA»ífBafe«ssassssà csla»ned»t.. C^rt. d«e,tad(ulf<, el, _ ^j,,^ Wilsn Susa Guimaráes, esteve recentente cm Bucareste, tmand arte n Cngress ds vens J Estuntes Pela n Paz Festival e Juventu, situ vi nssa reçft, relatand suas imressões sbre OS dis imrtantes cnclaves e viu na Reública Pular Rumânia. se entrar na Reública Pular. Rumânia dis sentese lg uma ferença: gran di. vêse um v alegre, srrinte, slicit restar infrmações. Em ca estaçã m ms érams assava, alv alegre fratenal e receçá ds r raazes, arte mças, slds, velhs, trabalhadres, etc., ns fereciam sacs mantiments cm diversg, bebis cigarrs, bjets lbrarisas, etc. Nss tr e artia grus ficavam ns acenand cm s lençs. COMO VVE O TRABALHADOR Minha curisi rssegue Wilsn era ficar veri essalmente cm v. vi s trabalhadres rumens. E vi ixume na MavilisBnfim Pr, i, ÍCarta um erári) Recebs d erári J.S., a carta Fábrica Bnfim abaix ublicams: nf,m «Fi cm enrme satisfaçã receb A na èif Nr,e U!S Tadiret0ria SS Nas satex: duas eleições aqui ias se realizaram, esrnagaclóra vmair»ug a err. «ta, favr tia Chaa di Diáliha Pintwa fif^riç n ís cmpanheir e a MinSS tnsss" Afa3mm mriais xsnsstüsss anheirs eeits e^s«,n^f^ a,p 8Se ds c«cmletamente satisfeit. Vicitei uma gran. metaurgis ca, a n.» 25, n ;cnvev sei cm diverss trabalhad^ res. Tds se mstravam «efeits. sa Emnenhum ntei «i H2?i *le J>re«uaçftiae còh. ttarle. Seua saláris dl lenamente ara uma vi digna e suas famílias eetft seguramente amaras gvflm mcrátic elb Na Rumânia, ular. cm, aliás, qualr Dcracia Pular, a mulher llbertu^e e h Je trabalha cm gual direit uue hm. Estive casa uma trabalhadra:, era aartament um trts b mbiliad. eças,.tinha d t«. ê necessári a, uma vi cnfrtável.ér.wü aluguel era henas 5% lárí d «a Jv trabalhadra.: E8PETA6ULO ÍNÉDTO, Refere.se Wilsn a Ciigress ds Jvens Estuntes Pela Pae. Dis: <ri um ese tácul inédit». v E sallenu: Havia legações 106 aíses, fra s bservadres quase td mund. Jvens ts as nactònall. s cnfraternizaramse s é assu a lhes agar s ces!ssàs m<$quant 7vi as arr<,r.flrtn. i 7^ as atrazads, % i?!! 1** ** 3^ÍTO,.«firmu sessã, «endiam Diretria 29 autrjzacã d Ministéri, janeir íind, areciu.,.viaçâ».. Dal, ter, ; Sindicat entrad còm rcesss ná entre diverss nmes s verã cnstituir a chaa ficial.^^"^^prtcladstb ara as eleições númers xlmas, e /53, E róa seguinte a chaedind agajnent ds a: Diretria: atíazads. «nexllcávelmentei, Jã Vieira estes rcesss sumiram Sindicat teve r entra utr, tmu.nú Met e se acha qualr diferença côr u raga. O rrals me imresslnu fi cm s Jvens sentes re. a uma sessã receberam lenária a nticia a, legaçã echinesa assinatura darmistíci nacréia. Subitamente tds se ergueram e se abraçaram. Uns chravam, cinads, utrs cantavam, utrs ain vam vivas à Paz. Smente is muit t fi sivel recmerçarse s. traba h i sessã. NTERESSE PELO BRASL Prssegue Wilsn Susa Qulmarâes: Nft «5 fac» screver Festival.Juventu. O dia dfe ^d.0..^1\da«s,i.ncalculayeis Jvens1.«lüerlfáVárn ruas, as cantavam, nçavam, enfim, vam exansá à alegria. sau Nssa legaçã cerca, era ts as vezes saia fts ruas, r multldces riam saber cm «nss ais, quand nss futet»i será exibid seus ses, ua! etc. Cnclui nss entrevistad: «Hje «nft ss ter dúvis sbre a vitória final Paz e Libertaçã ds Pvs». cialmente d cmanheir Djalma, mair aju nara reslver nsss* rbla^ «wajuaaara f.imuinaé na "Sant Antôni" a i «.,,». SP Crresnnte) Aqui na Fábrica Juta Sant Antôni a Mn ftttpà,dia^üém ^Si.SS. susens. 7Tjm9UZ C imé ^iatamente O investigadr Mntanha, ag els na «V«fl^W "^tl* UnraÍ8 a erárias. Entreg LZZP! bu>za8 f0í * * ««*«t vssrbüst r?#**$às u * CONFERENTES DE CARGA Terá níci dia 24 d cr sn Magalhães Pereira,..w irente.;as eleições Q 3 ara ren terceira.,.br vàçã. Diretria,e Mari Fernan Cnse. s. Funcinarã duas,lh Fiscal, estand registramesas cletivas,,s 3 chaas. A uma na se encabeça rimeira d sindicat, à Rua Acre, r, Jã Batista 47 a Bgacl, utra a n segunr Edifíci d Lói Ger Brasileir. TRANSPORTES RODOVÁROS resas, Transrtes "5íK^..%!SSSE Rd ^ le Junt à Feraçã ysw? ^ FARMACÊUTCOS wssas^esis^sg^i.ása.1^» xssrz 2".t«?u 2,,1Í1!. <e ta«wim cm» vltírlâ Chaa ét> Cnld««l» lílw.»* f0,"1r«<» «jm velh» ine», lram alvs ún verdclr*. ômctr 3, d.» ficina» tjrandcs e ^gg^ NERVOSOS ratmenl* «ajctaitaid da distúrbis CLNCA dós Sants (atual te), resin Durval Armand Trrea, Álvar Nrnha Csta (reelelçã), August Silva Ferreira, Serafim Silva Pimentel, Thlers Barcels Cutinh, Antôni CaeiletL.,, ns Estads >0««, wniefld elas rhnii, ficiais f«rednildlsílm" P (Js mtristas d«rsw frlti i»if.í», " r»jlibram dias atri, 0h aubléhi mnstr n sen Sindl 5m«0n??4» d««««<"»ni nvas Sií " » me «anment «rpf J.n,J",e ** «"Pcnham ris* Prees s cr ; *<».d<> Oerári, centei Belíra, mnstr nm rtest cn nws?. reçs V rias Cí,nlr* assagens "»J» cs «ls ds inlbn*. n...71?b"z"u5*0 entn tm a srliçlací estuntes. irrsnd nnmer.» PSCOLÓGCA Dr. J. "MHW Grabis «M.VS «ü HORAS, asam DURAMENTE 3046»r. MLTON DE MOBA S BMERY materni alegand: 2 F..H» ÃZ~7 1"^a sp«d sldia; xililtes? atestad méd,c»»ra ** ^ au 3 Estad civil slteira. «J?aga sbre seus direits. RESPOSTA «nhatrsml KSlaqrUa SSff&f^ V",S innizações e d Sílmate^dàle. * m S causa, el regad? V ftfe^0 s J*»ta Pela ^ g g ZS***"** SUPri ^^è^e%tx^^^ sl^a, nã di, Prtant, t dlreitn it». meses inn^^ 1**iS2 S&* i Três ^immm^sm^en8eue tirar mais ms, quase caind & as eçs W ^^ écmecimatfãhã7m^l ^nhecm *??W«fe»; atrã, rjtíraxmrar nal Zr? cm ara cmrai nvas ^Zwl^í6 máquin nvas frma» JL ~ZL" V "c ^^r ^«A«scbrir ntvzt^jpt* **** Precua P^vua custa nssa ""^^ mi? *«* lucrs à Finalmente, ria rèhi*t~~ * r. i íàfaztdz%^zímim reclama «falta, vestiári, Pnr^Z?*?***0 Ant6nÍ0í < M lugar.ara as^árê^0?9" *"» * brigas a fazêtnz SZ ÍLf ",W * ela» 9ã ss^ ^^JSLd:^hf aa srte vexames., * "* assar t \

7 ,.14tJnftJ*ii>4"» ln>*4mi*+m*. <^n»*fr*v..»<3»t»f, T,ara.»»ii»<w.^«(íjj»!*^^!*^.»^^ i XEN8A POPU L. AH PAGNA Hje à Nite a Drngial Fluminense i Aiérica Pela Ca Mntevidéu DCQUinhfl renovoucomoflfflmdeo*"^ centrmédi Dequínha finalmente renvu seu cntrat cm ni Flameng, Pr um mròmias dis ans centrmédi receberá c mil cruzeira luvas e cruzeirs mensais. lm* M«U«awM«MMMS«MMnM«*^^ mmsmmmmmmj P 9 * [ L ^Éflí Bmjk mv * flému ^Bra^* ^A^uÉBk flb fe^b MhrMMMMj.aaMaMãMa flssflfla ijmm.^ * H fl B ffj H l l i t W_^ MJ H i bbihsbb^bc wj wj 55 R^B SbbT ^H Ww «fl Wf^ _\W. 1^B^B^^B ^H ^fc» 10 iqçppi *! flfls m bb,» loo OOOO01 ^PHvv^ ^ ibbbssbbbb^ ^bjbjsjbb BJBJBJBJP B BJ»^ ^BS«BJalBs» «sjbmbta ^ J«asB»B»Sra sj HsjB_> VQ00Q "ra tabjsj SJQDzzB HHWBH W %wws MJ r*v^ HHJ ><» vjd \\_W Br >!^^ j K _H \ F Wr^ " J #f& y Kl \m vm^if :\.y?>_mvpj SSk..^Sm BSk KssBl MMM MMMJ # m Jfl UM KMJ»v^n Bi!ft legaçã 2$ jgadres «Crtads s nmes Eli, Escnrinh, Csrlylê e Valter O quint crte (ssivelmente Maur) ficu ara ser reslvid Santiag Ont s jgadres estiveram ns cnsulads e receberam as nvas camisas Bambas sm fi» JsmmárU aê saeraukm** natttmh rsausaram * ákhm tr m «met brasuaka» jmw «jtfte/t «*» CMer, «M 18, m 8*n Fa< wm cfáff». rfmatfate am k eríds, /V. JrTHOTrV.arajSSi.WltraSi S» Wnrv» * %_f i ^J^^mA M ^UBjT^k^BBsfaSB. ^^^^^^^^f BBBZSBi 0 m_é t a. aa^ trarw#t «*«Bsiafsw m «, fera*** i* Humbert, JúHhm «Cmrtyt. Nm. arte final ia exercíci a sa* imsmmü Manta* smrs jjtft» /kmnu et* Fitainata** f*** s a 9, ass as ssaafwsaa (sj, nasnt, ttta «JuHnkò. OS O0M» swtm*. tm* «n!«*>. n ha Hwèft. mm «r ^ 1 É^âAl^ «MU Z n AM Í l i_b.mfe, _ _ i h MT» WH «UM. «M MÜt), M«r«llrft (f«m jagalmm ear NM st «m*mm). CMlyt (ni. ^^^^^. ^^^^^^ ^Bi^k^* «kav^hk Si ^k^^^^^^^k ^ ^^^hajaa ãyh^m A SANT0B. A" titalm! «t fltataj» mn nõii ram (!»# v > mm iihvt«bmi rrh N Méxic: Ematu Vasc TRÊS A TRÊS, 0 RESULTADO DA ítlêja CÚM 0 WElU" OCHtWUDO Ò QUADRO MEXCANO COMO 0 MAS DUO. ADVWiAWO DA ATOAL UCUWAO MÉXCO, 18 (AFP) O (Jiuüe Regatas Vaié i.:àma atu r 8 x 3 «fl* ira (_uauq a Puebla, a* rimeira arti aérié ** ternacinal i bra»ll«ir» jgam, n Méxic. ü rimeir t tarabam icrrainu einataa el etcre 2 x 9 r\ arti, qüe ienióltt.. erante áasiiténtéé. Uu rjstádiu ÜlimlCQ. diiià. classe d Vasc dà Cam». uma verlia vitória ar. ü 1lueba, vicecarhei dá Liga Mexicana FUteWli qiie aliás jgu ré ri«d #r dis excelentes atacànteg, lámadrid e «nigiialn PàUeiró.» üs dis quadrs se alinhai ráírj» grarhsd a>mm *** * tituid: Vasc: Ernahl; Bé Uni e Fãntnll. Alírtí. ÜSnilò e Jrge; Sabiiri,.M^ ca, Amir. AlyinhÍD*J«r. Puébláj Góntàleí; Fl jf*íói, s Pit Peres; TiJéi,..CÉí* áénas e MumtHj..SfMfc PaHeir, Lamadrld. Véttá** z é Eèubarò. A arti èmne««eaii *tti vantag i ^táwsf as 15 iinutót»»<!* tiíàrámria. quand MÀeeà airusè dá elta èsèj»; aara i mla d»ww Gnzalèz è mareu jsnmelr gl brasileir; Dm ^ nuts máls tara*» _**_** bèlà cmwiiáçl, è» «* ta distância elêvn a cma*? ara %. O guardiã Qnzalez. dóml* nand. nervsism dôi, Pri* meirs mments, i>sigb.* atuar cóni firmei» * ****B" d bas fesas dèur»iferldg els atacantes érqt: maltlns. Cm lüô WP Í03 mexietns ganhu teajt bjétívidá. Seui*^*»» cmeçaram a si émtènteir *» lhòr e, bèm afôlàd* P»l»» nha média, cnseguiram èò*_ librar *s ájíei. AiÜm<*JVT» minut,. Pàllelí» ap**^!»" um bm JP«*M.*»WWdrid bteve * rimejró te* t0 ara Puèblà. DjJs mlnutòs às ré*«õ» sfftma e atu a eleja. O rimeir téüíj*. t**»1" ** nu cm õ lacara êé 2 is dé úrriâ série d* ttntativas arti a jarté Jrara satai*. N cmeç i âègündft t s vascaina atacatám cm vigr, más n8d c6nsê_{uwàín mvimentar lacar.. Pew cntrári, fi PMlelr rs 10 minuts côneééfulti assar r t a fesa brasileira e ntartaí d t«e*lr?l ara «s mexicans. Còm vantag n marcadr». nwxieasei imbmhmsb m mmbf ôvsmm*m» MM!» «mata* t rtbitirah " Amir e» fmasj*». ii mmm AtfNjé» jsj»*^^ Ansjhrf, CiWai. mmmvmjm fmma ^. wfltift È 4 W. nnt *^ A_É. ^k^^^^^ubu g_, ^^Mtm\± li "*"" _^._. ^.....^_... *^ i i a a àh aa SSS «wsskássaisk. m l^ff* MM MMSMBM»VMb MJfM MJ MMJ_MJ KMMM.áè«a* «mélémml <iei> a» WfejOf* 8ft«MMãMRMS MMMM STMM"1 wre_miõ}bfr«w«mi s«te Tmmm *mj it^».**»» *,. lilelrej l h<mm«i» tittà é&iã ii \ à i_à rrmiuwi ^vnetvv etnia rediti flael és, PiüMÉ, a* ami ati ff misitanèa fatlam llf^ms. tftmét in Ti* *t> rnsféti ÉéÍé ási ^" a. _^ SHt line* QMcSt^MJ M MUlMf MM tiifih* tm k ftmèt i ífè mstiãí [ M it^fc^dl^^l. SutihAiSi cqimauràv «im rttevb ea** Sã» *._... inr flvmrõ (ret Macõ^fwmMa i u>a «,. J à4 cm n^aja axvi cjatu BAv* fcméel" ÜAttltrO, q& «sté js_é/mi ãwimmw w t^siwttnmm rt a wm A Éurdâ et América d 5ul MAM!AtViilWfC»!^ A SW5AC10NAL PARTDA Are#4^^^^rWtt ctw rrancw ^ ". >vmtuâltttt»«rtt«e 80 etteéti ir. rvwaw arara» * «ítj» Hei «è «, r. AHMM MutMOaieW., d*íet*mxtert«fóu Awlál MBWw.. dldà a Jrnal esrtiv futàr CMcréimettte, ai fereses tui^ehetai ni* msttsm hèejhlffla fetth iet âgi* â rg*m**ç» ^sae Meektt, ráakkd ar* è fratf«ê «t. 6 di jtnhó, nesta eàltâl»» Ô lt. Muhí _uig* qüe M bóitóa qué Jrâll «LBqule> recentente Ü «m nêhíwimfc llllrwmael. a* ria, ir afirmu «li Móveis e Decrações tate anünei H. a«.a *_y* COSTA Telefini ll«ff«l. Casa Gnçalves Otíveira Armazém sôttldb íe^jjjj* _, cinals e estrangeirai» Entnga, ulares.., Rua Dr. Pi Bdrgss. 1.1 _ EitsssdsRM MMa m i Preflb. í*» «*»» ] ^. jfttftatfcj ri.,...wa^: aaaia j j tafç). W«ltr <tmm» M «WPW wm)< M**** t. m> f^tat «ect, «rt «? rwi ttr. mgmska * *, MM M«r«in, Ml m li OUSlPWOt LHMM^òftlCMt Or««a A4?*jr**M liw.1.» 4lf»r«AM*. N *.» ms* Dr. taisrf t^a«sielí.. MffiiK " Ssafrãã " tisvy«átii*,< «TaWiS vmmm Dr. Uta Wera*k J. Ca*» AfMtaa sbajaaaje» itl *^a,*> *,H^5rtóil Br. Ailsjli MM» ^etanffemjua ** Tzczzmxz mvm%»:am He PMWl ir,ntf i. _t s_i_l_e_a.ii awlvji^w dgiftá dmlaf* mi* l1»it * 0»hé és MM6 írtáfe^áa.eew*i*í»lr alem di k«m iiftwrté 1» t z maré adi %tst mn i \ii_mm4m*mm_mt*m nwiâiin w_<_«> FluminensexAmérica Ai 2ijf»iMléjt éstt» <* (W. «Jaliss brasüèifn* ck Cs^a Ateal«i4éia fthlf, lí (.P.) i» ttenuvttt*.*ftrté am*.. t^ümlk««s: Albert; Btn reasegnimint à Oó iàí i nòtt AttaMa _ x Ràid Ràld LaíWati i Dutti; títf, (^feiljmbtu) è America aá * Big; filè, Jtò. Oenizliò. ábión. Párágiiaió. na eleja fimi O Jò» entre òa di. qua AÍCBRicA: ÒàW; Rubens Sumlrierise dróá hraiüiirl eetà mareadó aia è* iljb Kraa. Her»; RàAÓ.. Wà*Hlt «è Oatnàr: van. ÒaValdWh e At equies frmam aasttò» msm, í*6 Càrló* é #WMHa. tàò énaó qui à ifórmàílà MM QRt MlOèinÉMM 6MttwTtn > láhéáll tik US.* w rarmws. vm nse eene jmft iléhrira*é Mltfsit áaéidnaift nlsain sia suma lu* Mr kí im «tli ántei. 4à àlkar Watt MWj»«<mftt0 mundial. KM t. trèu «4 eftentrm «Atra ihhhtm» Alèi«aeii, faai di «W faàua «ntti «fttíir* Mlit»tt>, * «JO» tàs rerv mu n«nhum «himiâi»» t> ra Mftftiém». > «hsáftt* à àuttt«#»*ttc» jfcfriei.» dü «H «tm«*mm U«H «_4MJr1eWM ja í*s Mltt dmm «He«Rtt«. 6 r. MUWM Calirt fltêlfcrauí ihà a«au m fat. VsMi a «rmüfà frmal a *uth> tmü nm* «m duen sfm«fmrmi *ih»rtta. tm. ftsus.»*éaar«e»m.» k y L»iM h là ^ MB. neraav rai nfníaiwi* Mi iraãi wiiwtmi d tmrme. «MÉM NlttUflNa. MM ira arar* **» * ««. MU» «alpa^wrtm. araram X AVrMU. 9» V). NtJ^ _ _ M_ba_ fw.*é Sra_sraà «Ml ilia ll t V_rt S M* Lia MjMsWMJPMÍ. M MMBB rraa. llà ««ü tmm «ÉMM«rara. «é weti saara, «èéj.mr smm ra«_m_mi_«ma_w_>i Paraguai 4 x Em dlara l l^ráfál aíáttú.dmwfo _ èelir^cnüena AiümÜa t*t ffuãtrt è zer. m ipàrèaii: lag, ttirttmttè (e rwtta««n"èè.íitrlaéò Értm StMrira tl» nrait «ia. Ematu ü CtintíatíÈ ttu itík Ü v«tèi tlè eltr.it M férl jata.» «.ir.) Rbert e tretlwd Mtt* eltal, è. C.... rinllkha, d* Urasll,»Wt*tmi * twveriltár» (Ar trai * tfm. liarearam ra tants «a fw Are. il) «teny fra«irra ral éfttnlomi MBs MM»MMJ ***16, «m«tit sxil» : Xà «áft 4i jémèi aé à vagurr dmilò _»*ul* u wmtw a«*tw. a.í ^ ** ** _LL*NSe*eWail^^ mimimrai AM MWtííKS hsk. nrrtntarami* dfníntft âiui* *i «Heíe» és ne. Oérais «OUs, Oi ttiftelfa» vtnttam _**»i, èetiè qu. a «t tmma j>mtí tmt Mtíiiàd* 4h> mnlg. fftajt»* «a tat a> FlsORMai Bòuéteha aisüíaiaram » *i bratièlrò.. O. ejttadr. Jófaram Ualm: tóftittttaml «Crtífâ*»; õkvo «St*. Xftt JWHó (ttvu). Rbert; &MÉÒ (Urimftírt), tt_mm m* era), tferti (*_+.), tà*. h.. «mi. UNlVlMltARlOt Bekarra; Da «ra e Velit (Oarrtraii «ra*, ÕjNraWt. (Cri**) «õ*aed; AMtfta* (Róral). Aguwr (Oitlerrra). Arc, rrerry «ittw Vt*#>). yjta Prblas N/54 RetWa d Cttlttm Plítica ktw ewih. d m fíial ejdnm» TJKOAanui ta. OatMO terá*,. Ja» ra. aartnai. vttitaram atfmliiii htwm «_»rafam, eate vaafetjnn. «vla*>. wla tar, ra.berata também a um anlfer A Ne» ain sju immivim. rata raii*, s Jtttd» fms CMtavMfH MlH immvml a vtaftm M ClÜJe. Atetael.1 raji. tei d. ar. AtafWd MtkH»M_. rra*» (*henréarai rrai Rairat, mara. ta), tanta» tmà «fi fttamértaaimlrti.mj» S. T{««a tta«tjt*n, rtahadw, Ml» nlte, MMrDila», Hmbert, Rbeja, «altaaar. fndl., Dl > rtaf. «Rdrigues. w uni» rraur vmjr^a _l ^^BraMBraB. ^M P_^^^^^^ ^ssa. ^amjm,imjmmafff_«jji_ BJ MJ By* 1>V^1B_ /m«av«i_r^k ff+^w* "iémxj. \W** j *mw V ta «. " tfsxmàw ffé1m.ij_* ^^ \ T_T «l3 s⻫wt*i W» * VsV l^f K > 4^smW WL1,_MMV.. jgjjf smjtvibj ^^BHk ^P^ ^&.^LmP aa^m1 MSkrKa u fy^ m \ r $k&_\w tfültlftto. Outr é dn «m luürar cert n "scraíc/i* requimi *>*«^*V.»»M./»^AA~«««M.U «0s Húngars Abateram Gs Chineses Pr 2 x 0 Trhti ml DttMti «MisHram à eleja 0 arir chinês, a mair nfit» Sa cam Mestres el ta s cameões límic» futebl ssarjae.^ itssiv.rssssi^ tta ttntr» tar àhtína arti d* fut«bl n fattdt. Pulàm dé edul«l. ràla rimeira ra* as Úl Jiar «érintai*,.* atatram bsm diante atataá AksikèmMMmt """ Ofl* carnjw^s. OUrne. * Bt futabòl O irimefr t W mais «u «rtnta «tjüillwádó. TerihlAótt èsw *m á zer a fãvt a* h&igàróai Mal, h swindft trfãe éati dthliüiram aernwètáirnéht* HW<>, íàtaftdò d efund alsitfi. GWri* e_m tnntà rrlü ** Mil s* èhcbhtràvàin n esttdiói treind ára s chihêtai, excluí à numérõ»a «alènli hühgara. Os èhihê. sei ml iürrèènràm cm â ródi m eàtrarifielrós ela éüfc wíribàtlvldàae è«ràòrdlriàhl, àhlmó, lutat «Vué jà.máts havia vist «ri iütébl e r üsó erram * Alui A t ^allih M díaakã 08 élblamift ««taelltáim lu* è* hiáügàri Wé» üt* vitria éijit^ ralar, mas. cl_llmsei r)s enfrtnttrüri v*lêftt«rtt«rjurahti * «òvint* mlftutós d* ei*. T6 U_Mfié tetvi W etifletai (réfrim um fefttlty è óútt* Wma *r. hrfilí* d* marear am t«<«* fcriúèlt, _Mr* rnlrn * imalt ffür* d» tam» HHRA 14 X (AriAjiléraòiff*. tlml 0* miftlrià tdffttini ôntèm *sííètà«i*r. Mèftt üm étetadó sta ddàae it Wràsaescra 14 tent. Pensã dó Paai... **C«taMta. taa Ad* Ròaia* tle Carv*iíK», 74 Os «gals» húngar, eram ihféhsiveü cm õ m fazer s mônis rubrs,. cm s&ó chhe. cids na Eura s cameei qui rrtaram a seleçl britânica n Aiès dè Outubr. O err da chlriêsé* fw a òüea crtanaçaò é i tirs friéa diante dó excelente guardiã húngat. MESTRES DA PELOTA Õi húngars fizeram uma gran exibiçló, li ver. lrs mestres elta, mas, ihcòhtrárám ela frèrite ânim exttaórdihári * cmbativ ds chineses, èntráíám èaírlò cidii** a lutar cm t a *! ma e até últim minut, resultad qué surreenu à tds. Gs húngars jgaram es» ta sana cm à esquadra d Exércit Pular Li. bertãçâò qué é melhr a éqúié ntèrri. Presentes ã Jg se. encntravam córõ dilmátic, autrldêe chinesas, tend sid executads s hins ds dis Déòla urn gru Sàlsés. a inéiròa entregu flô^ res as jgadres húngaròs, qué sfilaram r t d estádi, saund a asslstênéia. keit minha imres; sâ sbre s chineses fi surreennte. Eles m enfrentar.crri galhardia qualr quadr. Nvamente Derrtad Quadr d América Os rubrs erram ara Nacinal r 2*0 MÕNtEVXDÍU, 15 (AT. P.) m #i dilut* Taça MóhMvidèu dé Futebl, Naèiònll, déstá caital, rrótòü ò Arnérlca, dõ Rlò Jaftètrè, r 3 * 0. Os nts fòjrát feits r Sut, ai fl minut*, * Pirez. à* 88 mlftúti. 6 èftçatr* fi sumarnente equilibrad. Ambas as equies realizaram cargas suc*ssív*í, èrnr* lentas, errriltlhdò qué brilhass às festó, suerlttféi as ataqu.es. Aôs SÒ minuts dé JAtò, 6 Naéírtal cómèçòu a dòmlnar lèvèmént, criána mair.jèrigò ar* ds advèrsamé, òkni, òs últími *rfcmlte* «r*m mult sviadói. A dites* btamieir* jòbu dè ídwn* brlmltitè, tnlf*ndò taâ* d Mftl*. tòvti, à* fi mtuts, um Wrb fòftè C**t M (M «nrldb jtat aíquèlíò ca flcà Ôlfil, *tv*ttaiid4e Sut ar* cftvertè.16 ftó ftfflètfô MM6 átaifúmò. Reagiram, èntáò, i brasilei. r., elmata, *** 27 minut*. qual* émità * arti, téttl. * ftt* dibéséà dlrli* * M* ar* travei, tuvandté, aillm, «are* dò Nacthil. Oi dlàfttetti d* Aíftêlrlèa «mnètaram, èntl, * atacacaí fòttnà sucessiva, vend * res* uruguaia <* dèr vârlôi tcòrnèrs* * fim d* evitar 0 erig. Cntifiuòti atuand alg mélhòr 6 Arnêrlea, até tuializar a rlrtièira etaa, rém, n6 i.»mu atar, tetnalhand, assim, ò rimeir t cm.«icrê* 1 a 0 favr dò* lcais. Aó rélniclarr» jôgò, fjefinidài entra nò ugar Ràmi, «América, ehquáhtò é tie nò Nacinal, Rò* mer * sulantad òr Garbò. A*s z minuts, òs ulruguàtò. arelham a luta, émbòr* senrlar d lftf.ò fftssé medícre, lá qué as fesas sueravam s àtàqüès, níò havend Jógài èrlersás è èmõclònantés, 0 úblic vaiava, entsò, àmbãs as equies. Õi uruguais cntinuavaitt a Jògàr melhr rém, à arti rsseguiu bre e s brilh, jâ ambas as dianteiras fèàtiüàvàm um Jg srnad e s córtènaçâò, ermitind a ambas as fesas enfrenta» fèm * Pérl* fòlgàmèntè. AòS 70 tftffiutòs vérlflcam» sé várias altér*c0é*. üh iubstitúldòs nò Naciòhai Pi rli * 6a«rli. òt Manan* «Pérez, enquant qttè, n* Amètlcà, iattatn t.e6nmai, iubstitúld* òt GúlíheWftè. Cóhtlnuu dòmlnàndft 6 Nffc clònai e. a. 86 minut*. P. té* tmru vencer arc ca» tlòca élà sèéítindá vez. ánt* a incisã dé Osfil vid, a elta tér félt uma curva curisa nò ar. C* brasileirs ain tentaram déicòntâr, rém, t seus dianteirs nàa tinham rfundi dè 1ôgò, ò qu* facilitu trabalh fé sa d Nacinal, terminand a arti el triunf Just ds lcais r 2 a à

8 mm&m mmm m^fázl msts: Auments Até Pr Cent üst ". ^^mm»:^wk^i^^mmwmummtmm1 ^. ^^^^^^^ B^»1jJÉ fâm mmm\ m mêêêêèmm$m*m SOFRDO X GORDURA DF, (7ÔC0 TSW váris auments nestes últims meses. Tais majrações, gran arte,, ue verificam cm cnseqüência ds alts imsts ags ete rmérei c ela indústria. Uma mesma mercadria aga $«te rezes imst vens e cnsignações, E, além, ste, há utrs tributs. A chegar à m& d cnsumidr, ri mercadria já fi aumenta, só jir ale imst, cerca vinte e cinc r cent sbre 8eu róri reç. W escanls aumenta d* imsts n vêrn Vargas, am cntribui maneira cisiva ara cresciment carestia. O imst industria e rfissões é um exl marcante. Eram cbras anterirmente taxas fixas 160, 80 e 40 cruzeirs «taxas rrcinais 20,10 e 5%. Atualmente, só a taxa fixa fi aumenta r cent! Dessa maneira cmerciante agava 160 cruzeirs taxa fixa n imst indústria e rfissões assu a agar; ela lei n» 746, 26 nvbr 1952, na mens 2 MO cruzeirs! ÍO MPOSTOS Fi ublicad recenlen* te calendári fiscal «le ixa b clar s cmerciantes e indus» triais, articularmente s ens e médis, sfr Canditas a Ginási D institut c/e Educaçã Encerraramse, nt, as inscrições Será adtad mesm critéri rigiz d curs nrmal ara haja rervações massa Ain scnhecid até mment númer d vagas Pensa assim Prefeit "slucinar" rbla esaç Encerraramse, nt, as nscrições ara exame admissã a curs jinasial ri nstitut Educaçã. nscrevriam.se citiulitas veríi restar exame ain esta sana, Eserase aru a admissã a nstitut a mesma rlgi* dr. adta cm relaçíki às fat cntribue ara a efelivaça manbra d seere* lári Educaçã e d re* feit Dulcidi Cards ara islucinar; rbla vagas, fts.se sista antididátic t merecid a rervaçã milhares ais alunas já se dirigiram à direçã d ns ssibili d«haver mair n úmer dc vagas êste an ara a rimeira série d curs ginaslal. Surg ènses cntrats, rejuiz milhareu jvens r re* feil, inimig num«r 1 d ensin, vez stinar verbas suficientes ara a amliaçã atual se d nstitut manbra ara qu* aenas uma quanti,n verira extrsã r arte d gvern na cbrança imsts. Sã eles brl» gads a agar na mens 20 taxas diferentes. Fe» i»ls: cnsum, ren, sél, direits alfangáris; municiais: redial, lcaliza» çft, indústrias e rfissões, vens e cnsignações, registr imóveis, tráfeg veículs, clcaçã e exi* bicã anúncis e vitrinas, imst lgradur úblic, bras e» instalações, mtres, inflamaveis; dlverss e autarquia*: sindical, revidência scial, AP1, SAPS. É necessári frisar estes sã aenas s rinciais imsts, havend ain muits utrs. cmlexi; Gran cntingente d c* mérci e indústria está, na rática, asfixiad els imsts, gran arte, sà resnsáveis ela elevaçã ds reçs. Os cmerciantes e industriais têm H0RSTAS DA PREFETURA canditas a curs nrmal üliilu sugerind r tis ns rvas se ivalzlein dias ai» A Cmissã PróRejvin inscreveramse l.iiih) e aenas 200 fram arva, tads. dicaeões ds Hrislas s, send an mais., O PROBLEMA DO ESPAÇO Prefeitura, cm classificas nas bjetiv rvas ell* Através d secretári d miitntórins d rtuguês e institut, auru nssa rert ag fima s cahdiras cnsi. restar cntas suas ativis n crrer matática. REPROVAÇÃO EM MASSA ain nã fi gani arvaçã. camanha, teve inici slucinad el crnel a 3 dc agst d an O critéri rervaçã assad, Dulcidi Cards rbla d nv anex, n qual massa, ela equiaraçã ds cnfrme se v bservand ids s ans seriam aljas «100 nvas PróCnvençã horista.s Pela a Quadr Ex Uanumeráriós dn P. 1). \. n nstitut Eduacçii, alunas. Pr utr lad verá terminar m rincíis Emanciaçã cnvi s mbrs ssa cmissã fi estabelecid vid a falta vagas is, n mment, ale edueandári nstitut mantém cm cináris ara a reuniã ds, ara uma reuniã, març cntrat Estã cnvids s fun e mais clegas hmistas iniress.i, é incaaz cmrtar uma Clégi Felisbert tle Menzes, n fi instalad Públics a Cmissã ds Servidres se realizará hje, às única nva aluna. Além d mais, as i vas ró Cnvençã send realizas dias ela hras, nn sed rimeir anex, na estand ain garanti a rennièiais, Emanciaçã seguids Xainal fará Uniã ds Oeráris Mu sbrecarregam as cândi vacs d mesm. Surge, assim. mais um imasse realizar Rua na André Cavaieanti, númer 134. róxima quintafeira, dia 18, às 18 lijns, à as. exigind s mesmas ttm esfrç exagerad. Èss3 v clcar «m erig a Rua Sã Jsé li.1, 1 anr. mm 4cnteíta/\!^^7^^^ tu mmêmmmmmmammstskcinb^mmmwmwmmmmmm i mmmi Mrts c saarecids na tragédia Guanabara Encnlramse nlndn tltsiiiituetitltis círea tle vinte essas viajavam nn lancha :llalnim», qu naufragu na manüa dr rinmlnz últim quand, releta tle assageirs, retendia saur a enlniria ti navi ilugiiís Vera Cruz». A. lancha, aesar dc cmrtar smente 35 assageirs, saiu ti cais ilu Praça ijuinze tle Nvbr cm mais cinqüenta essas, siierlla, rtant,.lá assavam s!,3ü hras e a altura tia ilha s Cbras navi cruzu a ena barcaçã. O entusiasm e a curisi fi/. mm essal tia lancha crresse td ara bmbrd. A mitha viru, jgand seus cuantes nas Aeutts bala. d naufrági fi ráid, mas felizmente n lcal tragctlla fi róxim ít riii flime, razfii) ela qual as cnsequcnclns nin» fiam mais graves. A senhra Marlu Amíillti Maeliail, qiíe eslava acmanhadn tle ti. lvliililatif. MiiiiUli, fu relliuilu tia íigua r V.e.s nui ds Sants, mas JA havia bubltl multa.tgiia, Leva 1.P..S., im ara tslml (leseséradr, il, Ain.ilia vei a falecer hras.iiitiii is, (Julia senhra, tit nti almla gnra, ramdcslaiihiiit e iiarèntand ter 15 ans riatle, fi reclhi r uniu lancha d Belml e rvi ara lisitai (.entrai du.marinha, n vel a falecer. O númer ile saarecids t vinte essas, entre as quais Maria Jsé Pereira Uc/.cll, (le (» ans; Manel Pereira Jtezen, tle T.S ans; Jaquim Gmes, cntramestre.halnan; ria lancha Muna Rdrigues Tavares Ls, casaria, tle 23 Armand ans Silva, f, 28 ans; Armand Tmnz Mnteir, ri anris: Sebistl/i Gnçalves Branc, tlt as ans; rira Manuel Fer Frnaniles, 2*1 limisi Jã Fernans, 20 ans; "n," <\1 Vlt "is, 17 ans; Clnutllna Jesus, tle 17 ans Ke k ^ """ N""vlllníle t01^», <ie 19 ans Graças ns scrrs tia trlulaçü ti navi «Vera Cruz nã nt mair ti númer cass falais. Quand se u sinlst.r fi um jgas blas e cletes salvavis ara s naufiags, se agarraram as enrtlçiis e uram ser salvs elas barcações se en cn liavam nas rximis, Fi lamb cnfirma a mrte tle.lsé t.es Sara viajava cmanhia ri seu filh. Quand se rteu acinte Jsé ninria cnseguiu alarse durante algum mn nn m/ibcü. cm Minuts is, faltanilnlhe frcas, fi tragad.as nens nfl mais subind a tna. Suicídi Ataca ri.. Krave inlcstla it>ilesia), a dmtica Le Maria Cnrelca, 23! nrin?, fnl sedldft di» seu % ii&«liríg. Peramhiilu cla clrin le e hras mala tar fi encii rarik r iin.u tua cnher.lilh, d. E Aizirn Olivelin reclheu a g enferma atm reslilfincia, nn g n. 4(1 d cbnjüntn ti A PM, raía. Na ninnliiv tiv nt d. 3 Alrlra.iam iirà cnirar café e g luand vltu encntrti Le cnig. n rhfi r a ae ni 0, g çarraln vazia rtrlgefánle, g Desesera a jv; havia..g lmadn venen, vind a fal«te.r qusj.d ra medicaria n Hòsdtal ^ Getftli VarÉafl. Abalrament Unantl raleenv» ela ateni Tasii, esqlna ria Rn» Al «nja. nnt artienlar.le eliau niiniern SÍ77; titrikif 1 «en r rtiiiflaiiti Antôni l.ul»., ft, nhalrimilii nr um hnnili.»««pie» ií,,i,,. ctinilulü,il cíiutr nlni Alixniiilri Citilfln, \.ryi\ lviiifiit uã Utllivf lirids,,n. t, rnndii iniiliniivin, (nutrls. n num iiiiirdii,m <i,,rir» rcjiiiiua. Clhids [mj giii.ste g 1ni^iAmÍnhàn iír scrr ri 8* 3 O.A.CM., cndiizlnd nlguii sldr. a atingir a Rim Viscn % rle Plraja, n. 884, ruing rtsjte funcinu clhend hía di militares. Eram (ile» Ublrajara Camu, dn ia»n s, HblLclr; vajd Os Francisc Muiiima, slteir, d l!l anh» Uliicilii Náaelmnt, tit, m «nua slteir, ualtlnti! nu Rua llinea l.liih 1S SaiilK Treza, Ah vitimas sfrernm escrlatjfie» teiituallzailaa e fram medica» n lsltal MJfrul Cut. N^aSftlllíattt^ Jiiãn Me.ntlnta, slteir, rle JK anel. reslrtenle» Hua Neri Pinheir, am, fnl agrenidn a faca r nm scnhecid róxim a >na residência. O sgressr fn Sln r, a vitima, cm feriment enetrante nn lad esqnerd ri trax fi nternad nn Hsital Mlguel Cnt, havend suseita»»e lesã n rnraci. Catu carr As rimeiras hras madrugatia tlt, nt iari ranarte ria CCPL rir chaa mim «S7 «:i, trafegava gran velelilu ela aveni Maracanã, quand a mirar na Kna Mala Machad catu esilarularmeiite.nã diminuind a ninriha, aiirgln ela frenle nm crr artitulnr rltren e mtrista d crainlià, Jaquim Halmnndn >llva, 3fi amis, caaatln, n nm?l dlreta. A rta abrln < «e rfissinal fi Jgad a sl n mesm nstante a nainra catava. Jaqnlm fi mrensa el veicul, sfrend graves lesões el cr. Transrtad ara Hsital ri Prnt Scrr a vllima faleceu a ser medica ktnrii, railuvrr r >iiln ara iircrlcrl d nsli lid Métliiu l.rgal. Acinte fatal.acinte cm usita rte limlcidl, crreu nn manha nl. n Engenh Nv. ValmirFrancisc Paula, casad,.11 ans jgava uma elaria» cm alguns amigs. Trazia n hlhn dn calca um afiad unhal cm a nta vira ara imã. lor tind nlnmeiitn a levunlai u rna uiu tlai um nhule. t, cub tia anua llcu res i,n dúliiu faneu calca e unhal enetru na aua regiã inkuiiial esr, esta a versã tlnilii r alguns ris articiantes t Scrr, vêln s (nlecer mmeuts is, «end r.r r»íd ira necrtéri d nstitut Médic Legal. Balead Aurrlinnu lci>ir», dc 22 mis H» itutlr, (ltcir, mtitnrinta rli«sln»l. renlriente à Rn» r.rnara, 1G, (ni mtdlntl, nnlcm, n lltiuit»! di» Prnt Scrra, art d» senhra, calad il»aetieradr fi interna n Hsital Miguel Cut. Vargas asfixia a indústria e cmérci, ara realizar a lítica ian militarizaçã d aís Vens e cnsignações, unia iaxa eleva s reçs às nuvens A indústria d multa enfrentar rimeir lugar a gran cmlexi* ds imsts, ca um cm su» lei esecifica, leis sterires reguland \i mdificand cisões adminlstrativas, jurisrudência se firma sb termina* ds asects, interretações fiscais, etc. NliCSTBA DA MULTA A smbra ssa cmlexl*, criase uma verira indústria multa. O Esta» d faz uma fiscalizaçã in» tensiva, esecialmente cn» tra enas e médias» resas, visand sre a mair númer ssível erseguições. Um exl frisante diss sã as «atru» lhas vlantes» instituís ara a «fiscalizaçã» d im» st cnsum. Cmer» ciantes têm sid multads cruzeirs r fal Audiência Cnciliaçã, Ds Grevistas Minhs Ãs 16 hras hje Cmarecerã massa Firme mviment Hje, às 1C hras, n TRT, será realiza n audiência cnciliaçã entre eráris Massas Alimentícias e Biscits greve e reresentantes atrnais. Os grevistas, segund aurams nt n Sindicat, cmareecrã es, a fim faze sentir as atrões e juizes sua cisã lutar até a vitória d exig, isl ó, aument geral 600 cruzeirs, sm assidui integral.. FRME A GREVE Cm a assinatura d acftrd entre atrões e erári» d setr Minhs», a greve ficu restrita as eráris massas alimentícias e biscits, num. ttal cerca d 2.00 grevistas. A greve, nn entant, cntinua firma, garanti r um aml m ^ vinieht «ites», e, Ú segund clarações d re Cngratulações el êxit d Cngress Mulheres PORTO ALEGRE, 15 id crresnnte) A Fe raçã Mulherefi d Ri Aut x caminhã Gran d Sul recebeu secmunicad fruinte Cama Trafegand..., ra Arereadres na ciilramnu e a Taquaií,,,.» regular velci, v*< j.»., camlnhs ri rm(l"e*e Estad: ca sra. Zllchaa n , fi chcarse (ia Canibal DD. Presinte rn.%rv"ar,izv/r 1:1a *"*"»«*«>* h***» «sf>ntan<tn feriment rduzid r ra (rente a Hsital rtafr^r "P Gran d Sul, Prt liai» n f, rqarrdn. S sr inifrnirml ilfiltrnn s vitima qne sé Ferreira, M ans, casad, 9, (Pnhn Gulnle. Dirigia aut Sr. J Alegre. Sra. Presinte, havi«hidn hitlfarin r nm ttl acmanhad n n»a»<»».,l ^^«,,,«1. d sua nra. ln*,, Pla!!el «e cmunicar.fíndrrtinhn* rm qa ae i»nrtintiarn na mqnin» rias Rna» sa, resinte á Hu,i Paula B este Legislati Basts Ferreira, dn 21 ans " a V. S. x"» v arvu, (nrlf, ria Bnmfim r Tnsé Higin. 33* e menin Jsii sessft Carls, g hje O arreasr qnerla dinheir e m a ritirna ar. recnaatse a r ués sfreram l *l ans, filh D. lnc. Ós Os Ú,esllzitria. 1 umn mçá cnuerclll esrd e fram %. *g»ln,\n nr,,ih<,»= ^ di.,_ feriments cntusa grrttulações cm a Feraçã a mrtância exigiria fi balaari n suerclllò n fi. medicad» n Mulher»* rtn Rin r»»nm,i Hsital d Prnt «" «<" d Ri Gran Scrr, retirandse segui. " " hu*> elas justas cnelll Mrte n mrr ses d Cngress Mundial d Samai Clhid Mulheres cnsubstanciael caminhã s na Declaraçã. Direi Na inniiiiü (le nt, tift Hua (Miniit, l1itira Xaiuiícãii, tle 4. ts Mulher, Atencisamen Angla, frente a mim ir,, f?..,"">"*."í?0 "," "!" *»,0itn Ú,e l1.88 Vereadr Rubens F n mrr d Samai, fi aisas 1*?., dn AP1 ""«tinte» Rua SiiEa, V> Secretári», sinad cm tiís tirs rcvl?*le"i*,!ni e *""«l«it». qiund» x «..««riu.*. ver terelft.lsó Luiz Ficüeira, iuei.!.r*b,"*v* vu.»,!"!,d.,!,*,,e viúv, 27 ans i, mais Vargas, frente a Ministéri cnhecid ela alcunha»elzinh.. O crime cntinua cercad tle tiuerra, fi % atrelad r um taminhât» 2 ris chaa gnra, an SENTESE FRACO! mistéri is nâ htivi! test» frend fratnrns tia P erna e rxa K nhas. iaza jita iial c ignra esr. A litima, eslutln g CANSASE COM a iillilaije d crimins. Nas grave, fnl internatla n Hsital vestes ti mrt fi encntrad ti f Prnt Scrr ara traiamen FACLDADE? um relógi ri» uls, a mrtanela CrS 315,1)0 e uma carteira Faleceu n HPS inzift ric nta?. Primesè a K ciência farmacêutica acibt viliiiih tenlia sid assassina r criar auertnlc KOLENO, iiiiestões tie jg, is tecelâ Kalceu, nt, n 1PK d. espcclalmente ara criar nvas ilvia cnstantes sentendiments cm a viciads le VX ans, viúva, dméstica, resi eeu Cristina.Maria Cnceiçã, encr*"*s r. mala reiljtència a0 rranlsm. mrr. Mrta el caminhã O caminhai, tlra. ihaa nnmer 7881)7, quand trafegava ngin e rielx vefcnl n lcal d sinistr. Atrelament Panl AhaelA Rdrigues, rir i:i ans, resinte a Rna Alexandre Ferreira, 23, n.eliln, qnanri lentava atravessar a Rua Migncl Pereira, frente ai» n. 1,3, fi iitrnelari r nm aut ficial chaa nã intificad, sfrend rntiuõr.. f eiícrlaçfirit Reneisliras. A vitima fi medica u Hsital Miguel Cnt, reallundse seguiria. Tmu s cáustica Orlandlna Ribeir, 40 ans, casa, reelnte k Rua Eartlmeu Mltre, 604, r.3 tar. dr,.nt, r, mtivs ignrads, t meu s cáustica adicina m c cm água. A tresluca TRBUNAL DO JÚR nte à Rua Vivi, s ii cm Lins,..,,,.,., \ Vascncels. Ala senhra ha kulüín 4 ara V. sa via d entra n Hsital P. aumenta uc, trabalha u st Scrr na nite sextafeira, PrecuR excess. KOLENO aresentand imaduras ri í..nd*sl,cn**»e» i«ra evitar a meir. acguiiiln terceir graus, u canaac. tiisei ii/.ncl, e ladiga um acinte na encntrand *VÍO Alia brincairas Valrtlr, transrtad ara Hsital d Prn Agredid a faca ei» Hu» sí criatví, r Mm tcsidòncia cm im fgareir á rarm&cia, eca ara Caixa xlm a raça ria Banira, atr a fl""«"í"«> «Pl» fi rvid 3061 _ H R,. eln e matn a senhra Merces Ferreira Dias, dméstica, Médic Legal. f ara necrtéri d nstitut *g resinte * Rna 1snl Fernans, 18, aartament 403. mtrista Fraturu a bacia sia,,j,,c?uermatss,,.r " nsr r «2, Ana Batista Alencar. 33 ans, slteira, dméstica, g resinte à Rua Vluntáris % Pátria. 28, fi clhi r nm atn jf chaa ignra, sfrend % fratnra bacia. Transrta a % ra UPS, ali fi nuiha e in 5? Fi julgad, nl, el Tribunal d Júri réu lind Ar Jsé Suza acusad haver tentad matar Alcis a Batista Gnçalves, n dia 12 nvbr A 1951 acusaçã i feita el rmtr Amilcar Vascncels c a fesa esteve a carg d advgad Wilsn Les ds Sants. O juri sclassificu crime tentativa dc rnicidi h ara lesões crrais e cnnu réu a uni Ue an risft c mais dis internamente) clônia agri* cla. Presidiu a reuniã juiz Antôni Faustin ciment. d Nas EXGEM OS PADEROS fmeddas PARA 4 EVTAR 0 DESEMPREGO EM MASSA Uma cmissã rle lamad. ara tratament. airs, a dmicili,"íi entregadres Fsfaf.iiP.i/1.» nl a esfaad ministéri d Tia balh0i ac ianhacia d sr< Francisc dc S,.Za Pia, 30 ^%S ****> ans, slteir, resinte á Rua,la «"eraçâ ds Trabalha n,!effad Ri, 112, li Jararcsslnlw, quand ilres ndústria.*! Allmense encntrava n nterir um bar situad a Rua Uciaa. exirii nrnvlri«n,»i. Viuva Cláu* V P rvincias di, 332. fi agredid a faca, s cntra as medis absurs frend feriment enctrantr, n recentente adtas els Hfè t^^x^ãl müm» «Panificaçôei. di> agressr. e ameaçam lançar a dê CONDENADO 0 REU ARLND0 JOSÉ DE SOUZA mêwmmt srêg mais 15,000 tra balhadres. DSPENSA EM MASSA Entre estas medids Ú estã srêg, causand gran estã a surcsiifi il trabalh nturn e èn trega a dmicili, N rimei á r cas, sã trabalhadres na çã r vitimads e n segund, s entregadres, ercebiam uma ena fabrica cmissã, geralmente 20% elas vens feitas. ; Alegam s rrietáris ú> ^ anificaçea tmaram esta medi ein reresália à ft rtaria 157, COFAP, terminu tabelament b tis ã»s a liíuite 10 itriiaelrti trts < Ull. tar uma taxaçã mi» "es ds cmerciantes e induslhares cruzeirs uma ] triais exigências scabis se insegur.; e seserads ciantes. industriais sent» tamilha 20 centavs. Ou s«mdificam ca Só imst vendst e trs, mesm tend ag dia, causand s maires cnsignações fi aumentad imst crretamente, at transtrns. E1 bastante dizer qualr dn d acrd cm a lei municial ultimamente ;ti 50&. Da multads r ter feit um assentament errad. btequim d«esquina um S.(i20, , cmer* Na indústria e cmérci subúrbi re* ciente agava móveis essas «atrulhas vlantes> mstraram seu n. ra agamentária, cm a suressã ca mil. cisa ter, só a Amla refrma tribu 1 18 cruzeirs teir caráter, extrsã, t imôs* tds s imsts e taxas Vgiâ. aira areennd imediatamente ts ren injusts, instituiçã dn 27 cruzeirs a mercadria é reclhenda mercantil, 6 li* imst rgressiv sôbre a ren e simllcacã É necessári m ca mil,, a um ósit úblic. O vrs.. Essa cmerciante é brigad a cmle x i td sista tribu* agar lg a multa, bra lhe caiba recurs a ins» la tributa* (D Prgrama d PCB) imst inci* frisar d sis* tari. esse tância suerir. ss r, ri e a ihdús* rle sbre ts cas ganhasse recurs, só tria multas r êle criad briga cntribuinte a ven fr feitas cm as ^raçcs rle cmra iria receber s móveis uns dis ans aós a areensã, ter a seu serviç um bm uma mesma mercadria. tend assim um rejuíz na númer essas esecializas: 1 sachante mu custe l.n cruzeirs é Assim, uma mercadria teriraçã ds mesms, multsuerir nicial, 1 sachante aduaneir, 1 sachante feral, fabricante nó Ri ara acresci d 27 a assar dn a valr multa. cntadr e advgad. atacadista acrica, mais EXGÊNCAS DESCABDAS 2,7?; ri nv lta! a s*r AUMBNTO DAS TAXAS vendid n atacadista ri" O gvern faz a mairia Para financiar a militar! uma caital nrstiiic, i zaç* intensiva d Brasil, exl, mais 2,7. an sei rearand ais ara uma vendid a atacadista ei. guerra qu* só nteressa as imrtante d interir imerialistas americans e d Estad e mais 2.7 a ser seus agentes nativs, e reaüzar negciatas, gvern eleva cnstantente s imsts, v suf sinte d Sindicat à rartag, nã terminará a nã ser cm a cmleta vitória. cr ca vez mais a ihdústria c cmérci, fazend subir s reçs interns. Essa situaçã esa duramente sbre ts as camas ulaçã. Diminu s negócis e cmer re esse imst «eleva s çs às nuvens*. «O P 01/ m wm& djmktiuwsi ^mámmm»,.,.. mm.. > PNG & P0NG RANHA DO CARNAVAL DE 1954 Hje, *«: 16 hras, na se Assciaçã Crnistas Carnavalfiscs. se rá dss* fech d sensacinal cncurs ara esclha «Rainha d Carnaval. 1!»54». O certame, v rennd atençã dc artistas d rádi, teatr, cina televisã, t are» sentad surresas ts as frmas, rincialinente quant à disula d tri sensacinal: Rsângela, Anircllta Martinez e Aríete JWas, as três canditas cuam as três ri» melras clcações. A candite vitrisa, além rôa ur sse finitiva, ganhará ain 39 mil cruzeirs dinheir e uma viag à Mlami, fereci ela Aervias Brasil. A cracã «Rainha d Carnaval» lera lugar ua nite d dia 26 d crrente, w» 1,eatr Jã Caetan, num grandis baile rmvid ela Assciaçã Crnistas Cam* valescs, s 28 às 4 hras madruga. NOTCÁRO Levams a ctinheclmeti t s diretrias s tcle s, clubes, ranchs, cr dites, esclas samba mais igriaces carnavrt leacas qiie. a ae arximar reinhü Mm, M PRENSA POPULAR nicia esta seçã, a carg ris cmanheirs Marinua Caa tr, b Teixeira e <lse Hen rl Crir, ara clcáv a a nteir disr riaquélea realmente animam rar nasal carica. slicitams Assim nendn, ri trt nticla cnvites relativs taa a /esbatalhas, etc, sejam enviads ara a seçã ío Pv se Diverte», a Rua Giia nv Lacer, l», sbrad. Milináris d Uruguai N» ^suntubs salões Aaseiàçã ds Emregads d Cmerd, sb a direçã d maestr Severin Araúj, cm a famsa rslra Tabajáraa, terá lugar dming rle carnaval, s 15 As 19 hrns fams e tradicinal baile a fantasia rganizad els veterens «Milináris d Uruguai». Prgrama d Btafg O Btafg Futebl e Regatas rganitu seguinte rgrama ara Carnaval ste an: Dia 14, s 18 às 22 hras, Grit Carnaval; dia R, a artir s 21 hras, shw carnavalesc; dia 31, s R às 21 hras, «rit Carnaval; dia 27, sábad, s 23 às 1 lirns, gran Baile Carnaval traje; fantasia nx u rigr; dia 2R, dming, s 15 às R bras, niallníe nfantil. a.k M* V ^m\ Wt" m"fi :.. i"3m^xm R H ^9 1 K* bbbksia." * asai i^m mm&v KtÉ>!mi ::íí:»í». vjéasai < *^* ^LsaaaaaaaHl l^hvvlw y,ff > %8m. asssk»!» A LÒVRÍSSMÀ BsAnge a, atualmente se encntra rimeir lugar n cncurs rmvid ela Assciaçá Urnistaè Cantava secs, segui ert r Anyelita Martines e Aríete Dias. Na auraçã final hje cnseguirá Rsângela se manter na lirança e cn (tnmar. cetrf Wljumy^Çl&f** ÁàÊlMÍNJt^fu^ÊmML.Ê àm*wê^^ê^wys&mm^b W W?mWà f?t~ tnkskot^wii lantatllaat ft W1.,^ass^t^i!»lg? «f í. \K; Ü* %, %vmm >mitvmwm rtsé 1 Jnt HM mf WPmfelVJt^tllasal i MaKaf^Ll ^Masa^^jHK.^H» UF^JW, JiJttÉMaaJaaaaCsW*»*<» BCMX)*m.X*M+ lawy HBP^aaaaaafi ^1 BTl^aaf ^"«ÍTVj^Plí BE" fmj aaaaíl^àsjaasisa? aatí.. TTJPry js^ ^R M r:~:r$^téibbb^éímaasi ^Êm^^Ê^Wmm^^^tm DtlL^H LiB^^^MaiaisBaV iasaâtàs»^ ii "».<&&>&&3&&fl^ ^^B^PSssaaVJasr 1G&JBSÊ& *Ê ^M Wmmmm&^mWr^t vendid a varejista e r fim mais 2,7ií n ser vendid an cnsumidr. Em recente cnferência sbre a carestia vid.a. ecnmista Pmeú Acilt Brges, Funçã Gstú Ü Vargas, claru ^^jw^^^wwít * " ^ * ^m^mj?hêmíkf* laarivh Vvtsl ^.ttassbiwhte:. ^ tk WP WÊk&Sv^ m» WÁ, J^Í!^A^ÊÊÊÊmmmiâ *^BF^iH m^^^m^^mm^^s^k^^mwm^mmw^êmw ^^S ^ \^Bsft ir&f^^abbbbbbsbsabsbbbbbs! abbbbbsabbssbtaflmd HP SaBBBSBBBBBBBBBslÍ ÍBste^^ãAB^lV è^abbbsbac.1 ÍPÍaSasl!AT< kxibbsin afsillbkllflr "< wtisaal saswiaãsp m%êzw l^wb ^í ^B1B*^sslaaaaaaâínDK^aaM^B^aVl^^^K l^lsap^^lwayasaii* kaaisbbbt^ ^mü^mmis «líbsaw*!lafl%.!av HwliSii HSkí "mmmmmmmmm^jmmmmít&g&mà lisaaafl yfl lrs<^&p^fihil wèwm mmp^^^^^m^m mirw.mm$â$mwê m^màss^^^m^m^ij^^^m^êm^mím ^RS ^asaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaia ^Jmt^mg^^^ t^^m^fm^.^j.syv.msb N MANHÃ. DE DOMNGO a Praia Oacabam i.*i«mments intensa alegria. E finalmente fi realinad banh mar a fantasia rmvid ela AABB, sb "Mfreint Assciaçã Crnistas Carnavalescs. Cm tds s ans s "índis d Le" tmaram art.t af.im m banh mar e fizeram misérias" a valer. Na ftt vents a "índis" mments antes d cair nágua. Carnaval ds ds «cartulnii» na segun < lerç^ ferrviáris Deis d gran sucess aicantad, sábad, cm a festa feteci a simátic clube dc SA Orlitvl, a agriaçã ds ferrviárli (A»icia<l Atlética Leldina) fará realizar mal.» uma gran batalha carnavalesca, n dia 30 d «wrrente. nmenág a Vasc Pama, na «alôes Rua Figueira»le Mel. isf». Para eeea festivi anima r Atruiar a aua bandn. é ermitid traje assei, esrte n fantaeia. Os cartlas açã Catinuam vent a rearativs d Fluminense Fntebnl Clnbe ara qne i bailei 0 SUCESSO DO DA <tmmmmmmwmmmmmwmmm3mmmm feira gr sejam realizad» tle tnwc a ultraassar, alegria, «ntusiasmn brilhantism, tniln*»% utrv até enti» realirnds. O* rulfie* il festa seri rnamentnds a fin gst cm mtitu «Hahlaj. A direçã d rlnbt* entregn a arte miijicat dn Bslle d Cartln á rstra d maestn Ferreira Filh, Bádln Macinal. Qualr infrmacs a reseit. ser bti através drtelefne , Eleita, Lili Marlene Cm mais duzents mil vts, Lili Marlene i elejta nt, rainha d traficinal Baile s Atrizes, A vencedra atua n;i «^ite3 Casablanca. Etita Mangueira Samba Para CARNAVAL 1954 O Brasil aresentu»minas Grai» E Prtugal a ilha Maira Na sei se fui egísta mais Mstrei também meu mer Qu«ti Mangueira. iwwkwfl Mangueira é Escla Primeira B seu Hamba Traz na etita tirn tambt%n E ns dias Mm Sai numa cadência mata H ale mund lata * sõ cetim Aresentei a Mangueira r fim. "ir iriirniam m

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Lezk @â.rnczta &fcunicipal aa cytiq.tel&tdia

Lezk @â.rnczta &fcunicipal aa cytiq.tel&tdia 1.- 1 Lezk @â.rnczta &fcunicipal aa cytiq.tel&tdia LEI N C PROJETO DE LEI Assunt 'çlt[otç.. Úç 7.44C.di.» 1i.n 4 /,Qn Autr:. LA... Parecer (es) de,vl /7! Autr da emenda cebenrnenr Sancinad? F Sim LI nã

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 DISPOSIÇÕES GERAIS A campanha d Dia Mundial de Cmbate à Plimielite (também cnhecida cm paralisia infantil), celebrad n dia 24 de utubr,

Leia mais

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Prcess/Instruções de Pagament para Aplicaçã n Prgrama de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Requisits de Elegibilidade 1. A empresa deve estar lcalizada em znas de cnstruçã activa na Alum Rck Avenue

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

a 2âmatct fltanicipa[ ác &Iiquelârtia

a 2âmatct fltanicipa[ ác &Iiquelârtia a 2âmatct fltanicipa[ ác &Iiquelârtia LEI N g,2j / 93 PROJETO DE LEI Assunt '- E t Par r (e$)... -... (s) Cmissã (ões) - -. -...p-------------------------------------------------------------------da de...a...l4aác0t0...

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

Programa de coaching e inteligência relacional para mulheres Por Thirza Reis, Master Coach

Programa de coaching e inteligência relacional para mulheres Por Thirza Reis, Master Coach Vem Ser Mulher Prgrama de caching e inteligência relacinal para mulheres Pr Thirza Reis, Master Cach Sbre Thirza Reis Thirza Reis é master cach, especialista em Inteligência Relacinal; Cm mestrad em desenvlviment

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

Aula 19 Brasil Império: o Primeiro Reinado (1822 1831) A monarquia autoritária

Aula 19 Brasil Império: o Primeiro Reinado (1822 1831) A monarquia autoritária Aula 19 Brasil Impéri: Primeir Reinad (1822 1831) A mnarquia autritária 1. Assembléia Cnstituinte de 1823 Já havia sid cnvcada na regência de D. Pedr (03/06/1822) Abertura da Assembléia Cnstituinte (03/05/1823)

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária Uma nva prpsta para a Agenda Ambiental Prtuária Marcs Maia Prt Gerente de Mei Ambiente O grande desafi a tratar cm as questões ambientais prtuárias é bter um resultad equilibrad que harmnize s cnflits

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial)

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial) SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO (Credenciada pela Assciaçã Brasileira de Otrrinlaringlgia e Cirurgia Cérvic-Facial) MANUAL DO CANDIDATO 2013 2 SOS OTORRINO Crdenadr da Residencia

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

1) A faculdade mediúnica é indício de algum estado patológico ou simplesmente anormal?

1) A faculdade mediúnica é indício de algum estado patológico ou simplesmente anormal? 1) A faculdade mediúnica é indíci de algum estad patlógic u simplesmente anrmal? - As vezes anrmal, mas nã patlógic. Há médiuns de saúde vigrsa. Os dentes sã pr utrs mtivs. 2) O exercíci da faculdade mediúnica

Leia mais

o que se entende por lente.

o que se entende por lente. 1062.0041 As lentes esféricas e suas principais características. 1. Habilidades e cmpetências. 3. Mntagem. B ::; A términ desta atividade alun deverá ter Cas necessári cnsulte a instruçã ]992.021. cmpetência

Leia mais

CHIPRE Unido na Diversidade A UNIÃO EUROPEIA E OS DESAFIOS DO SÉCULO XX

CHIPRE Unido na Diversidade A UNIÃO EUROPEIA E OS DESAFIOS DO SÉCULO XX CHIPRE Unid na Diversidade A UNIÃO EUROPEIA E OS DESAFIOS DO SÉCULO XX CHIPRE Um país, duas bandeiras CHIPRE Um país dividid CHIPRE- Um país dividid REPUBLICA DE CHIPRE Capital: Nicósia Territóri: 5.895

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno.

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno. Pder e escla: Uma analise acerca das relações entre prfessr e alun. Marcs Paul A. Rdrigues 1 Andersn Silva Nunes 2 Intrduçã: O presente trabalh expõe s tips de pder exercid pels prfessres sbre s aluns,

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

Re R l e a l t a ório Anual da Qu Q a u l a i l d i ade da Água - a - no 2006 -

Re R l e a l t a ório Anual da Qu Q a u l a i l d i ade da Água - a - no 2006 - Relatóri Anual da Qualidade da Água - an 26 - Relatóri Anual - An 26 Em cumriment a disst n Decret Federal nº. 5.44/5, que estabelece s rcediments quant à divulgaçã de infrmações a cnsumidr sbre qualidade

Leia mais

Exercícios de Java Aula 17

Exercícios de Java Aula 17 Exercícis de Java Aula 17 Link d curs: http://www.liane.cm/2013/10/curs-java-basic-java-se-gratuit/ 1. Faça um prgrama que peça uma nta, entre zer e dez. Mstre uma mensagem cas valr seja inválid e cntinue

Leia mais

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Belo Horizonte/MG, 21 de junho de 2010 Segmentação A s eg mentação es tá pres ente em todos os mercados, incluindo o mercado do turis mo;

Leia mais

Boletim da Vila Noca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1

Boletim da Vila Noca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1 Bletim da Vila Nca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1 DIA 9, PALESTRA SOBRE SEGURANÇA Dia 9 de dezembr de 2008 às 20:00 hras, na Creche Barnesa de Limeira, R Antôni de Gebara, 75, Cap

Leia mais

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO Transfrmadres 1.1- INTRODUÇÃO N estud da crrente alternada bservams algumas vantagens da CA em relaçã a CC. A mair vantagem da CA está relacinada cm a facilidade de se elevar u abaixar a tensã em um circuit,

Leia mais

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR LISTA CANDIDATA ÀS ELEIÇÕES PARA OS CORPOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE GEÓGRAFOS BIÉNIO 2006-2008 POR UMA GEOGRAFIA MELHOR Assembleia Geral Presidente Jsé Albert Ri Fernandes (FL, Universidade

Leia mais

Jornal dos alunos do Externato Passos Manuel

Jornal dos alunos do Externato Passos Manuel Jrnal ds aluns d Externat Passs Manuel An XXXI * Númer 85 * Julh 2014 3º Trimestre * 1,50 Nesta ediçã: Atividades Dia Mundial d Livr 25 de Abril Dia da Mãe Dia Internacinal das Famílias Festa Uma incrível

Leia mais

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12 R A M F A R A N D O L E 12 ru e d e R ib e a u v illé 6 7 7 3 0 C H A T E N O IS R e s p o n s a b le s d u R e la is : B ie g e l H. - R o e s c h C. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : * * * * * * * * *

Leia mais

ATIVIDADES MAIS RELEVANTES

ATIVIDADES MAIS RELEVANTES ATIVIDADES MAIS RELEVANTES GRANDES ÇÕES D LAN E RÇAMENT 2013 CÂMARA MUNICIAL DE MNTEMR--VELH Câmaa Municipal Montemo-o-Velho AMR - Atividas Mais Relevantes paa 2013 oeto Su Desinação. çamental Fm % Fonte

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

Secretaria de Políticas para as Mulheres

Secretaria de Políticas para as Mulheres Ir para cnteúd. Ir para a navegaçã acess a infrmaçã Acessibilidade A A A Busca Fale cm Gvern busca avançada Presidenta Vice-Presidente Legislaçã Blg d Planalt Palácis Secretaria de Plíticas para as Mulheres

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Turismo Sénior. Outono / Inverno 2011-12. Benalmadena Benidorm Maiorca

Turismo Sénior. Outono / Inverno 2011-12. Benalmadena Benidorm Maiorca Turism Sénir Outn / Invern 2011-12 Benalmadena Benidrm Mairca Entidades envlvidas Oriznia é descbrir e desfrutar. É fazer cm a cnfiança que smente uma rganizaçã líder n sectr turístic ibéric pde ferecer.

Leia mais

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DMNSTRÇÃ FNNCER Uma bordagem Prática 5a. Edição Editora tlas Masakazu Hoji NTRDUÇÃ À Capítulo 1 DMNSTRÇÃ FNNCER 1.1 dministração financeira nas empresas 1.2 ntegração dos conceitos contábeis com os conceitos

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

IN S A In s titu t N a tio n a l

IN S A In s titu t N a tio n a l IN S A : U m a re d e d e 5 e s c o la s s u p e rio re s d e e n g e n h a ria O INS A de Rennes existe desde 1966 R ouen O INS A de Rouen existe desde 1985 O INS A de S trasbourg existe desde 2003 R

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

Cm Criar Seu Própri Empreg em Apenas 5 Passs 1 1º Pass: A IDEIA 2º Pass: O CONTACTO COM VÁRIAS INSTITUIÇÕES E ENTIDADES 3º Pass: PLANO DE NEGÓCIOS 4º Pass: CRIAÇÃO DA EMPRESA E INÍCIO DE ACTIVIDADE 5º

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4. Resposta. Resposta. Resposta. ATENÇÃO: Escreva a resolução COM- PLETA de cada questão no espaço reservado

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4. Resposta. Resposta. Resposta. ATENÇÃO: Escreva a resolução COM- PLETA de cada questão no espaço reservado ATENÇÃO: Escreva a resluçã COM- PLETA de cada questã n espaç reservad para a mesma. Nã basta escrever apenas resultad final: é necessári mstrar s cálculs racicíni utilizad. Questã Caminhand sempre cm a

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO VIAGEM DOS SONHOS COM CEAV JR

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO VIAGEM DOS SONHOS COM CEAV JR REGULAMENTO DA PROMOÇÃO VIAGEM DOS SONHOS COM CEAV JR Este srtei nã se enquadra nas dispsições da Lei 5.768/71 e suas respectivas regulamentações e, prtant, nã está sujeita as seus terms, inclusive n que

Leia mais

CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO

CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO O cadastrament, previst ns editais de Vestibular da UFCG, é um mecanism para garantir a timizaçã das chamadas ds candidats para a matrícula. Esse é um mecanism imprtantíssim

Leia mais

Principais Pontos do Relatório Anual 2007. 1. O que é a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes - JIFE

Principais Pontos do Relatório Anual 2007. 1. O que é a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes - JIFE Relatóri Anual da Junta Internacinal de Fiscalizaçã de Entrpecentes - JIFE Principais Pnts d Relatóri Anual 2007 1. O que é a Junta Internacinal de Fiscalizaçã de Entrpecentes - JIFE 1.1 Funções da JIFE:

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

SEMINARIO PARA ODESENVOLVIMENTO DE TOMADA DE DECISÃO. o o < UJ. o I- o... o (/) > z. o:::... o::: o::: ... o::: ... ::> :I: (/) (/) UJ

SEMINARIO PARA ODESENVOLVIMENTO DE TOMADA DE DECISÃO. o o < UJ. o I- o... o (/) > z. o:::... o::: o::: ... o::: ... ::> :I: (/) (/) UJ :::... UJ ::: (.!) UJ...J < I- ::: CL SEMINARIO PARA ODESENVOLVIMENTO DE EXECUTIVOS: TOMADA DE DECISÃO z :I: UJ... < :::... ::> ::: U - UJ I- :::... > UJ I- UJ Z > UJ UJ ~ Z... >...J I- > z Z

Leia mais

A SUPERINFLAÇÃO BRASILEIRA EM 1989: NOTAS E COMENTÁRIOS

A SUPERINFLAÇÃO BRASILEIRA EM 1989: NOTAS E COMENTÁRIOS A SUPERINFLAÇÃ BRASILEIRA EM 1989: NTAS E MENTÁRIS Gentil Crazza* "A inflaçã é uma frma de distribuir s ganhs e as perdas através das frças impessais d mercad." Charles Kindieberger Intrduçã A ecnmia e

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o PORTARIA Nº 1 6 4 -D G P, D E 4 D E NOV E M B RO D E 2 0 1 1. Alte ra a d is trib u iç ã o d e e fe tiv o d e m ilita re s te m p o rá rio s, p a ra o a n o d e 2 0 1 1. O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO

Leia mais

BAHIA TUCANO CÂMARA MUNICIPAL DE TUCANO PROCESSO DE PAGAMENTO EXERCÍCIO: 2015 PROCESSO: 0000010 DATA: 22/01/2015

BAHIA TUCANO CÂMARA MUNICIPAL DE TUCANO PROCESSO DE PAGAMENTO EXERCÍCIO: 2015 PROCESSO: 0000010 DATA: 22/01/2015 :3 - }"i%; ii.k. -,... -mu, TUCAN CÂMARA MUNICIPAL DE TUCAN PRCESS DE PAGAMENT EXERCÍCI: 205 PRCESS: 000000 DATA: 22/0/205 DADS D FAVRECID Favorecido : CAIXA ECNMICA FEDERAL CNPJ/CPF : 00.360.305/000-04

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II)

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II) Órg. 6 11 q = 60 me mf ortas a ris to! Não te mais, não te nhais do: 'scanca rai o vosso cora ção ao mor de Deus. RI POR RIO (Hino ao eato João Paulo II) ortas a ris to! Não te mais não te nhais me do;

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone C en t r o C o l a b o r a d o r em A l i m en t aç ão e N u t r i ç ão E sc o l ar U n i v e r si d ad e F ed er al d e S ão P au l o P r o je t o d e L e i 6

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Orientações gerais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE RIO DO SUL ESTRADA DO REDENTOR, 5665 BAIRRO CANTAGALO RIO DO SUL (SC) (47) 3521 3700 eafrs@eafrs.gv.br ORIENTAÇÕES GERAIS As rientações

Leia mais

MAN{FESTAÇÃO TÉCNICA SUPERINTENDÊNCIA DE MEIO AMBIENTE/SEMAR/PI

MAN{FESTAÇÃO TÉCNICA SUPERINTENDÊNCIA DE MEIO AMBIENTE/SEMAR/PI TERRA QUERDA GOVERNO 00 ESTADO Secretria d Mei Ambiente e Recurss Hídrics d Estad d Piauí MAN{FESTAÇÃO TÉCNCA SUPERNTENDÊNCA DE MEO AMBENTESEMARP ASSUNTO Manifestaçã técnica da SEMARP cm relaçã à sbrepsiçã

Leia mais

Introdução. Aula 3: Movimento Anual do Sol e Estações do Ano.

Introdução. Aula 3: Movimento Anual do Sol e Estações do Ano. Aula 3: Mviment Anual d Sl e Estações d An. Maria de Fátima Oliveira Saraiva, Kepler de Suza Oliveira Filh &Alexei Machad Müller O espetácul d pr d sl n Guaíba, em Prt Alegre. Intrduçã Prezad alun, Observar

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

CONTADORIA MUNICIPAL

CONTADORIA MUNICIPAL ESTAD DA BANIA EXERCÍCI DE 2015 CNTADRIA MUNICIPAL PRCESS DE PAGT N 138 N Empenho. 41 Data Empenho : 01/04/2015 Órgão : 1 Unidade : 1 Camara Municipal de Tucano Camara Municipal de Tucano Projeto Atividade

Leia mais

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP White Paper Flexibilidade e economia na era IP Saiba como utilizar as tecnologias mais modernas de comunicação de voz pela internet para conseguir mais economia e rapidez em telefonia para sua empresa

Leia mais

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL Carlos Bernardo González Pecotche RAUMSOL A Herança de Si Mesmo Editora Logosófica A HerAnçA de Si Mesmo Ao publicar o presente tra balho, o autor levou em conta a repercussão que ele pode alcançar no

Leia mais

MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008.

MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008. MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008. Senhr Presidente d Senad Federal, Cmunic a Vssa Excelência que, ns terms d 1 d art. 66 da Cnstituiçã, decidi vetar parcialmente, pr incnstitucinalidade e cntrariedade

Leia mais

A Gonçalves no México I N F O R M A

A Gonçalves no México I N F O R M A I N F O R M A Novembro de 2007 Depois de atuar por quase três anos no México com um escritório comercial, a Gonçalves investe em uma unidade industrial no país, que entrará em operação no início de 2008.

Leia mais