05/10/2011. Aula3 ROTEIRO. Disciplina : EME7AN Sensores e Transdutores TERMINOLOGIA - DESEMPENHO SENSORES INTELIGENTES SENSORES E TRANDUTORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "05/10/2011. Aula3 ROTEIRO. Disciplina : EME7AN Sensores e Transdutores TERMINOLOGIA - DESEMPENHO SENSORES INTELIGENTES SENSORES E TRANDUTORES"

Transcrição

1 ROTEIRO Disciplina : EME7AN Sensores e Transdutores Aula3 Prof. Cícero Alexandre Brandão de Paula 1. Descrever o desempenho dos sensores com base: faixa de Operação (Range); Span (Alcance); erro; precisão; sensibilidade; erros de histerese e não linearidade, repetitividade, estabilidade, zona morta, resolução; impedância de saída; tempo de resposta; constante de tempo; tempo de subida; tempo de acomodação. 2. Avaliar sensores utilizados para medição de deslocamento; posição; pressão de fluido; vazão de líquido; nível de líquido; temperatura e intensidade luminosa. 2 Livro: Mecatrônica Uma abordagem Multidisciplinar Autor: William Bolton SENSORES E TRANSDUTORES SENSORES INTELIGENTES O TERMO SENSOR É UTILIZADO PARA UM ELEMENTO QUE PRODUZ UM SINAL RELACIONADO À GRANDEZA MEDIDA. TRANSDUTORES SÃO DEFINIDOS COMO ELEMENTOS QUE, QUANDO SUBMETIDOS A UMA GRANDEZA FÍSICA, RESPONDEM COM OUTRA VARIAÇÃO ASSOCIADA. UM SENSOR TAMBÉM É UM TRANSDUTOR. QUANDO UM SENSOR TAMBÉM INCORPORA EM UM ENCAPSULAMENTO OS CIRCUITOS DE CONDICIONAMENTO E PROCESSAMENTO DE SINAIS, ESTE É DENOMINADO COMO SENSOR INTELIGENTE. FUNÇÕES: CAPACIDADE DE COMPENSAR ERROS ALEATÓRIOS PARA SE ADAPTAR A MUDANÇAS NO AMBIENTE; CÁLCULO AUTOMÁTICO DE PRECISÃO DA MEDIDA; COMPENSAÇÃO DE NÃO LINEARIDADE PARA QUE A SAÍDA SEJA LINEAR; AUTO CALIBRAÇÃO E AUTO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS. PADRÃO IEEE 1451 PLUG AND-PLAY SENSORES E TRANDUTORES TERMINOLOGIA - DESEMPENHO ERRO DE HISTERESE O TERMO SENSOR É UTILIZADO PARA UM ELEMENTO QUE PRODUZ UM SINAL RELACIONADO À GRANDEZA MEDIDA. TRANSDUTORES SÃO DEFINIDOS COMO ELEMENTOS QUE, QUANDO SUBMETIDOS A UMA GRANDEZA FÍSICA, RESPONDEM COM OUTRA VARIAÇÃO ASSOCIADA. UM SENSOR TAMBÉM É UM TRANSDUTOR. Figura 2.1 Histerese 1

2 ERRO DE NÃO LINEARIDADE RESPOSTA A UMA ENTRADA DEGRAU Figura 2.2 Erro de não linearidade usando: (a) Valores extremos da faixa de operação, (b) Melhor linha reta para todos os valores, (c) Melhor linha a partir do ponto zero Figura 2.3 Resposta a uma entrada degrau RESPOSTA TERMÔMETRO DE VIDRO POTENCIÔMETRO Figure 2.5 Rotary potentiometer Figure 2.4 Thermometer in liquid TRANSDUTOR RESISTIVO POTENCIÔMETROS TRANSDUTOR RESISTIVO POTENCIÔMETROS Simples e mais eficiente Conectado ao movimento do objeto Três tipos: Translação Simples volta: Angular Multi voltas: Angular Translação Vo = (Rx / R total ) Vi Rx Xi Relação linear Vi e Xi Não linearidade Causada pela carga R Linear se R L = Na prática, R L < Usando o Shunt Rm Para remover a não linearidade Rm = R L

3 TRANSDUTOR RESISTIVO POTENCIÔMETROS Resolução Depende do diâmetro do fio do enrolamento Fios finos dão melhor resolução 20µm está próximo do limite prático 50 voltas / mm TRANSDUTOR RESISTIVO POTENCIÔMETROS Um sensor analógico Funciona como um divisor de tensão 13 TRANSDUTOR RESISTIVO POTENCIÔMETROS (TIPOS) EXTENSOMETROS Fio - Bobina de fio de Níquel-cromo - Fios tende a falhar com a variação de temperatura Cerâmico - Pista de cerâmica condutora - Melhor do que o de fio, no que se refere a temperatura Filme plástico - Alta resolução - Longa vida e boa estabilidade de temperatura Figure 2.6 Strain gauges: (a) metal wire, (b) metal foil, (c) semiconductor EXTENSÔMETROS MONTAGEM DE UM STRAIN GAGE Se aplicado uma tensão direta no objeto Medindo pequeno deslocamento Medindo grande deslocamento Relações: l = distância entre P and P ε x = tensão em P Selection of Strain Gage Figure 2.7 Strain-gauged element 2 2L ε x s = 3lh 18 3

4 SENSORES CAPACITIVO SENSORES PUSH-PULL Figure 2.8 Forms of capacitive sensing element Figure 2.9 Push pull sensor SENSOR DE PROXIMIDADE CAPACITIVA TRANSDUTORES DIFERENCIAL LINEAR VARIÁVEL Figure 2.10 Capacitive proximity sensor Figure 2.11 LVDT TRANSDUTORES DIFERENCIAL LINEAR VARIÁVEL LVDT (LINEAR VARIABLE DIFFERENTIAL TRANSFORMER) Dispositivo eletromecânica que produz uma saída elétrica proporcional ao deslocamento de um núcleo móvel. Figure 2.12 LVDT output 24 4

5 PROCESSO DE DEMODULAÇÃO NO LVDT PONTE SEMICONDUCTOR DEMODULADOR Excitação na bobina enrolamento primário Tensão senoidal 3 ~ 15Vrms 60 ~ 20000Hz A 180º a fase muda ao cruzar o zero Vo = Vab + Vcd Vantagens Simples Não requer referência Desvantagem Não linearidade Causada pelos Diodos Requer demodulador para distinguir direção do movimento do núcleo Demodulador sensível a mudança de fase 25 Para eliminar (ripples) na saída Uso de filtro passa baixas Se a frequência de excitação : Frequência de deslocamento do núcleo = 10:1 Usar um circuito RC Caso contrário Mais complexo 26 EXEMPLO DE CIRCUITO LVDT TRANSDUTORES DIFERENCIAL LINEAR VARIÁVEL 27 Figure 2.13 LVDT d.c. output TRANSDUTORES DIFERENCIAL ROTACIONAL VARIÁVEL CARACTERÍSTICAS DO LVDT Figure 2.14 RVDT Transformador elétrico com um núcleo separado Menos atrito na medição Aplicada à deflexão dinâmica e da vibração de materiais altamente elástico Vida mecânica infinita" Aplicado a ensaios de fadiga de vida dos materiais e estruturas Resolução infinita" Tem limitação na resolução para facilitar a leitura do dispositivo externo Alta repetibilidade Aplicado para indicador de posição em malhas fechadas de controle com alto ganho. Isolação Input/Output Aplicado ao elemento de computação analógica, sem necessidade de amplificador buffer 30 5

6 SENSOR CORRENTE PARASITA ENCODERS ÓPTICOS Um codificador (encoder) é um dispositivo que fornece uma saída digital, como resultado de um deslocamento angular ou linear. Encoders de posição podem ser agrupados em duas categorias: encoders incrementais, que detectam mudanças no deslocamento de uma posição de referência, e encoder absolutos, que dão a posição real. Figure 2.15 Eddy current sensor ENCODERS ÓPTICOS ENCODERS INCREMENTAL Estrutura interna de Encoders ópticos Pulsos de leds são contados por detectores ópticos para fornecer posição rotativa Dois detectores são usados para determinar direção (em quadratura) Índice de pulso usado para denotam ponto de partida Caso contrário, o pulso não é único ENCODERS INCREMENTAL ENCODERS ABSOLUTOS Com N pulsos, se N=60 ocorrendo com uma revolução, então, desde que 1 revolução corresponda a uma rotação de 360º, o mínimo deslocamento angular, isto é, a resolução, que pode ser detectado é 360/60 = 6º. A resolução, portanto,varia normalmente de cerca de 6 a 0,3 C ou melhor. 35 Encoders Absoluto tem um código único que pode ser detectado por cada posição angular Muitas vezes sob a forma de um "Código de cinza"; um binário Código de alteração mínima Encoders absolutos são muito mais complexo e caro do que codificadores incrementais 36 6

7 ENCODERS ABSOLUTOS O disco de rotação do encoder absoluto. Observe que, embora a forma normal de código binário é mostrado na ENCODERS INCREMENTAL E ABSOLUTOS Assim com 10 faixas, haverá 10 bits e assim o número de posições que pode ser detectado é 2 10 = 1024, uma resolução de 360º/1024 = 0,35º. figura, na prática, uma forma modificada de código binário chamado de código Gray é geralmente usado. Este código, ao contrário de binário normal, só mudando um pouco na passagem de um número para o próximo. Assim, temos a seqüência de 0000, 0001,0011, 0010, 0011, 0111, 0101, 0100, 1100, O encoder incremental e o encoder absoluto pode ser usado com deslocamentos lineares, se o deslocamento linear é primeiro convertido em um movimento rotativo por meio de um disco de controle PROCESSAMENTO ENCODER QUANDO USAR UM ENCODER Necessidade de uma quadratura circuito para digitalizar o sinal Um contador e índice monitor Geralmente disponível em forma monolítica Muitas vezes, com algoritmos para o controle programáveis externo 39 Exigir a posição exata informações: incrementais linhas absolutas Exige feed-back Digital Compacto e razoavelmente robusta (não tão bom quanto indutivo) Enconder Linear também disponível. 40 ENCODERS ÓPTICO INCREMENTAL ENCODERS ÓPTICO ABSOLUTO Figure 2.16 An incremental encoder: (a) the basic principle, (b) concentric tracks Figure 2.17 A 3-bit absolute encoder 7

8 ENCODERS ÓPTICO ABSOLUTO CÓDIGO GRAY SENSOR DE PROXIMIDADE PNEUMÁTICOS Figure 2.18 Binary and Gray codes Figure 2.19 Pneumatic proximity sensor CHAVES FIM DE CURSO CHAVE MAGNÉTICA Figure 2.20 (a) Lever-operated, (b) roller-operated, (c) cam-operated switches Figure 2.21 Reed switch SENSORES FOTOELÉTRICOS SENSORES DE EFEITO HALL Figure 2.22 Using photoelectric sensors to detect objects by (a) the object breaking the beam, (b) the object reflecting light Figure 2.23 Hall effect 8

9 SENSORES DE EFEITO HALL SENSORES DE EFEITO HALL Figure 2.24 Hall effect sensors: (a) linear, (b) threshold Figure 2.25 Fluid-level detector TACOGERADOR DE RELUTÂNCIA VARIÁVEL TACOGERADOR - GERADOR CA Figure 2.26 Variable reluctance tachogenerator Figure 2.27 A.C. generator form of tachogenerator SENSORES PIROELÉTRICOS SENSORES PIROELÉTRICOS Figure 2.28 (a), (b) Polarising a pyroelectric material, (c) the effect of temperature on the amount of polarisation Figure 2.29 Pyroelectric sensor 9

10 SENSORES PIROELÉTRICOS SENSORES PIROELÉTRICOS Figure 2.30 Equivalent circuit Figure 2.31 Dual pyroelectric sensor SENSORES DE FORÇA SENSORES DE PRESSÃO Figure 2.32 Strain gauge load cell Figure 2.33 Diaphragms: (a) flat, (b) corrugated SENSORES DE PRESSÃO SENSORES DE PRESSÃO Figure 2.34 Diaphragm pressure gauge Figure 2.35 (a) A capsule, (b) Bellows 10

11 SENSORES DE PRESSÃO Figure 2.36 LVDT with bellows Figure 2.37 Tube pressure sensors SENSORES DE PIEZOELÉTRICOS CIRCUITOS EQUIVALENTES DE SENSORES Figure 2.38 (a) Piezoelectricity, (b) piezoelectric capacitor Figure 2.39 (a) Sensor equivalent circuit, (b) sensor connected to charge amplifier SENSORES DE TOQUE PVDF VAZÃO DE LÍQUIDO Figure 2.40 PVDF Piezoelectric Polyvinylidene fluoride (Filme de fluoreto de polivinilideno) Figure 2.41 Fluid flow through a constriction 11

12 VAZÃO DE LÍQUIDO PLACA DE ORIFÍCIO VAZÃO DE LÍQUIDO MEDIDOR TIPO TURBINA Figure 2.42 Orifice plate Figure 2.43 Turbine flowmeter NÍVEL DE LÍQUIDO MEDIDOR TIPO BOIA NÍVEL DE LÍQUIDO PRESSÃO DIFERENCIA Figure 2.44 Float system Figure 2.45 Using a differential pressure sensor LÂMINA BIMETÁLICAS Figure 2.46 Bimetallic thermostat Figure 2.47 Variation of resistance with temperature for metals 12

13 TERMISTORES TERMODIODOS E TRANSISTORES Figure 2.48 Thermistors: (a) common forms, (b) typical variation of resistance with temperature Figure 2.49 LM35 TERMOPARES TERMOPARES Figure 2.50 (a) A thermocouple, (b) thermoelectric e.m.f. temperature graphs Table 2.1 Thermocouples TERMOPARES FOTODIODO Figure 2.51 Cold junction compensation Figure 2.52 Photodiode 13

14 FOTODARLINGTON ENTRADAS DE DADOS POR CHAVES Figure 2.53 Photo Darlington Figure 2.54 Switches: (a) SPST, (b) SPDT, (c) DPDT ELIMINAÇÃO DO EFEITO DE REPIQUE ELIMINAÇÃO DO EFEITO DE REPIQUE Figure 2.55 (a) Switch bounce on closing a switch, (b) debouncing using an SR flip-flop, (c) debouncing using a D flip-flop Figure 2.56 Schmitt trigger: (a) characteristics, (b) used for debouncing a switch TECLADO BIBLIOGRAFIA Bolton, W. Mecatrônica: Uma abordagem Multidisciplinar. 4ª Ed. Porto Alegre: Bookman: 2010 Figure 2.57 (a) Contact key, (b) membrane key, (c) 16-way keypad 14

1. Potenciômetros 2. LVDTs 3. RVDTs 4. Resolver (Singlsyn ) 5. Encoders 6. Tacogeradores

1. Potenciômetros 2. LVDTs 3. RVDTs 4. Resolver (Singlsyn ) 5. Encoders 6. Tacogeradores Sensores de Posição e Velocidade 1. Potenciômetros 2. LVDTs 3. RVDTs 4. Resolver (Singlsyn ) 5. Encoders 6. Tacogeradores Potenciômetros FUNCIONAMENTO OBJETIVO Medir movimentos lineares e angulares Resistência

Leia mais

1088 - INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL. Cópia das transparências sobre: TRANSDUTORES DE POSIÇÃO

1088 - INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL. Cópia das transparências sobre: TRANSDUTORES DE POSIÇÃO 1088 - INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL Cópia das transparências sobre: TRANSDUTORES DE POSIÇÃO Prof. Demarchi Capítulo 4 TRANSDUTORES DE POSIÇÃO 4.1 Potenciômetros Resistivos A resistência de um condutor elétrico

Leia mais

Fundamentos de Automação. Sensores 17/03/2015. Sensores. Sensores Analógicos e Sensores Digitais. Sensores Analógicos e Sensores Digitais

Fundamentos de Automação. Sensores 17/03/2015. Sensores. Sensores Analógicos e Sensores Digitais. Sensores Analógicos e Sensores Digitais Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Sensores

Leia mais

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO CAVALCANTI SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

Leia mais

Sensores de deslocamento

Sensores de deslocamento Instrumentação Industrial - 1 Sensores de deslocamento Introdução Os sensores de deslocamento, de uma maneira geral, são instrumentos usados para medir o movimento de um corpo. Este movimento pode ser

Leia mais

Indice Analítico ... II 11. Capítulo 1 - Introdução 17. Capítulo 2 - Sensores de Presença 31

Indice Analítico ... II 11. Capítulo 1 - Introdução 17. Capítulo 2 - Sensores de Presença 31 , Indice Analítico Capítulo 1 - Introdução 17 1.1. Atuadores 17 1.2. Sensor 17 1.2.1. Sensores analógicos 18 1.3. Sensores digitais 18 1.4. Transdutor 19 1.5. Conversores AJO e D/A 19 1.6. Transmissor

Leia mais

Introdução. Criar um sistema capaz de interagir com o ambiente. Um transdutor é um componente que transforma um tipo de energia em outro.

Introdução. Criar um sistema capaz de interagir com o ambiente. Um transdutor é um componente que transforma um tipo de energia em outro. SENSORES Introdução Criar um sistema capaz de interagir com o ambiente. Num circuito eletrônico o sensor é o componente que sente diretamente alguma característica física do meio em que esta inserido,

Leia mais

Os encoders ópticos convertem deslocamentos angulares em uma sequência de pulsos digitais, contando com um só bit ou decodificando um conjunto deles,

Os encoders ópticos convertem deslocamentos angulares em uma sequência de pulsos digitais, contando com um só bit ou decodificando um conjunto deles, Encoders ópticos O que é: Os encoders ópticos convertem deslocamentos angulares em uma sequência de pulsos digitais, contando com um só bit ou decodificando um conjunto deles, os pulsos podem ser convertidos

Leia mais

SENSORES DISCIPLINA DE MATERIAIS ELÉTRICOS. ALUNOS: André Sato Érico Noé Leandro Percebon

SENSORES DISCIPLINA DE MATERIAIS ELÉTRICOS. ALUNOS: André Sato Érico Noé Leandro Percebon SENSORES DISCIPLINA DE MATERIAIS ELÉTRICOS ALUNOS: André Sato Érico Noé Leandro Percebon Indrodução SENSORES são dispositivos que mudam seu comportamento sob a ação de uma grandeza física, podendo fornecer

Leia mais

Sensores e Atuadores (1)

Sensores e Atuadores (1) (1) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Introdução Sensores Fornecem parâmetros sobre o comportamento do manipulador, geralmente em termos de posição e velocidade

Leia mais

SENSORES INDUSTRIAIS

SENSORES INDUSTRIAIS SENSORES INDUSTRIAIS Sensores: são dispositivos que transformam grandezas físicas em um sinal Sensores Analógicos e Digitais Caracterís:cas Alcance Precisão Resolução Sensibilidade Tempo de Resposta Não

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1 INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1.1 - Instrumentação Importância Medições experimentais ou de laboratório. Medições em produtos comerciais com outra finalidade principal. 1.2 - Transdutores

Leia mais

12/03/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES DE PRESSÃO

12/03/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES DE PRESSÃO IV.2_Controle e Automação II Formando Profissionais Para o Futuro SENSORES DE PRESSÃO Conteúdo Introdução Células de Carga Piezoelétrico Tubo de Bourdon Outros sensores de pressão Introdução Os sensores

Leia mais

Sensores. Sensor. Passivos: Chave Potenciômetro Energia Auxiliar. Ativos: Célula Fotoelétrica Cristal Piezoelétrico. Digitais: Encoder Régua Óptica

Sensores. Sensor. Passivos: Chave Potenciômetro Energia Auxiliar. Ativos: Célula Fotoelétrica Cristal Piezoelétrico. Digitais: Encoder Régua Óptica Sensores Passivos: Chave Potenciômetro Energia Auxiliar Ativos: Célula Fotoelétrica Cristal Piezoelétrico Entrada Sensor Saída Analógicos: Potenciômetro Resolver Digitais: Encoder Régua Óptica Prof. Silas

Leia mais

Distância de acionamento. Distância sensora nominal (Sn) Distância sensora efetiva (Su) Distância sensora real (Sr) 15/03/2015

Distância de acionamento. Distância sensora nominal (Sn) Distância sensora efetiva (Su) Distância sensora real (Sr) 15/03/2015 Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Sensores São dispositivos que

Leia mais

Sensores e Transdutores - XC 201 -

Sensores e Transdutores - XC 201 - T e c n o l o g i a Sensores e Transdutores - XC 201 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Sensores e Transdutores - XC 201 - INTRODUÇÃO Sensores e transdutores

Leia mais

ni.com Série de conceitos básicos de medições com sensores

ni.com Série de conceitos básicos de medições com sensores Série de conceitos básicos de medições com sensores Medições de temperatura Renan Azevedo Engenheiro de Produto, DAQ & Teste NI Henrique Sanches Marketing Técnico, LabVIEW NI Pontos principais Diferentes

Leia mais

Sensores Parte 1. KILIAN, Christopher T. Modern Control Technology: Components and Systems, Capítulo 6, 2a edição, Delmar Thomson Learning, 2000.

Sensores Parte 1. KILIAN, Christopher T. Modern Control Technology: Components and Systems, Capítulo 6, 2a edição, Delmar Thomson Learning, 2000. Sensores Parte 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 1) SENSORES DE POSIÇÃO 2) SENSORES DE VELOCIDADE 3) SENSORES DE PRESENÇA 4) SENSORES DE CARGA REFERÊNCIA KILIAN, Christopher T. Modern Control Technology: Components

Leia mais

Sensores - Parte 2 SUMÁRIO 1) SENSORES DE PRESSÃO 2) SENSORES DE TEMPERATURA 3) SENSORES DE VAZÃO 4) SENSORES DE NÍVEL LÍQUIDO REFERÊNCIA

Sensores - Parte 2 SUMÁRIO 1) SENSORES DE PRESSÃO 2) SENSORES DE TEMPERATURA 3) SENSORES DE VAZÃO 4) SENSORES DE NÍVEL LÍQUIDO REFERÊNCIA Sensores - Parte 2 SUMÁRIO 1) SENSORES DE PRESSÃO 2) SENSORES DE TEMPERATURA 3) SENSORES DE VAZÃO 4) SENSORES DE NÍVEL LÍQUIDO REFERÊNCIA KILIAN, Christopher. Modern Control Technology: Components & Systems,

Leia mais

Instrumentos de Pressão 1. Instrumentação Industrial Autor: Perez

Instrumentos de Pressão 1. Instrumentação Industrial Autor: Perez Instrumentos de Pressão 1 Instrumentação Industrial Autor: Perez AULA II - Instrumentos de Pressão Instrumentos de Pressão 2 Instrumentação - Pressão Objetivos Estudar Elementos e Transmissores de Pressão

Leia mais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Universidade Federal de Itajubá UNIFEI Cap.4 - Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Prof. Dr. Fernando Nunes Belchior fnbelchior@hotmail.com fnbelchior@unifei.edu.br Medição de Tensão

Leia mais

Sensoriamento A UU L AL A. Um problema. Exemplos de aplicações

Sensoriamento A UU L AL A. Um problema. Exemplos de aplicações A UU L AL A Sensoriamento Atualmente, é muito comum nos depararmos com situações em que devemos nos preocupar com a segurança pessoal e de nossos bens e propriedades. Daí decorre a necessidade de adquirir

Leia mais

6. Transdutores, Sensores e Atuadores

6. Transdutores, Sensores e Atuadores UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENG. DE PRODUÇÃO E SISTEMAS - DEPS INFORMÁTICA INDUSTRIAL IFD 6. Transdutores, Sensores e Atuadores Igor

Leia mais

SENSORES Conceitos Fundamentais

SENSORES Conceitos Fundamentais Profa. Ivanilza Felizardo, Dra Prof. Alexandre Queiroz Bracarense, PhD SENSORES Conceitos Fundamentais Variáveis: fenômenos físicos que se chama simplesmente de variáveis, por exemplo: temperatura, pressão,

Leia mais

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DE SENSORES PARA UMA SELADORA AUTOMATICA DE TABULEIROS DE DAMAS

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DE SENSORES PARA UMA SELADORA AUTOMATICA DE TABULEIROS DE DAMAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: UTILIZAÇÃO DE SENSORES PARA UMA SELADORA AUTOMATICA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

Automação industrial Sensores

Automação industrial Sensores Automação industrial Sensores Análise de Circuitos Sensores Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina O que são sensores?

Leia mais

Luis Filipe Baptista MEMM 2

Luis Filipe Baptista MEMM 2 INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLO CAPÍTULO V Transdutores Optoelectrónicos 2012/2013 Índice do capítulo Introdução Transdutores ópticos Transdutores optoelectrónicos - Absolutos - Incrementais Aplicações industriais

Leia mais

ENCODERS. Fig 1 - Princípio de funcionamento de um encoder rotativo.

ENCODERS. Fig 1 - Princípio de funcionamento de um encoder rotativo. ENCODERS Este é sem dúvida nenhuma um dos equipamentos mais usados em Automação Industrial e Mecatrônica, pois com ele conseguimos converter movimentos angulares e lineares em informações úteis à nossa

Leia mais

Encoder Magnético. Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica. Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior. Leonardo Maciel Santos Silva

Encoder Magnético. Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica. Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior. Leonardo Maciel Santos Silva Encoder Magnético Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior Leonardo Maciel Santos Silva Yuri Faria Amorim Índice Resumo... 03 1. Introdução... 04 2. Desenvolvimento...

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM SENSORES MODELO: ED-6800B CARACTERÍSTICAS

SISTEMA DE TREINAMENTO EM SENSORES MODELO: ED-6800B CARACTERÍSTICAS SISTEMA DE TREINAMENTO EM SENSORES MODELO: ED-6800B CARACTERÍSTICAS - Características específicas de cada tipo de sensores são investigadas. - Possibilita desenvolver várias experiências. - Oferece experimentos

Leia mais

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Prof. Roberto Leal Sensores Dispositivo capaz de detectar sinais ou de receber estímulos de natureza física (tais como calor, pressão, vibração, velocidade, etc.),

Leia mais

CALIBRAÇÃO DE PRESSÃO Conhecendo e Comparando Padrões

CALIBRAÇÃO DE PRESSÃO Conhecendo e Comparando Padrões CALIBRAÇÃO DE PRESSÃO Conhecendo e Comparando Padrões WIKA Referência Mundial em produtos para medição, controle e calibração de pressão e temperatura, a WIKA está presente em mais de 75 países, fornecendo

Leia mais

Apostilas de Eletrônica e Informática Sensores

Apostilas de Eletrônica e Informática Sensores São dispositivos que mudam seu comportamento sob a ação de uma grandeza física, podendo fornecer diretamente ou indiretamente um sinal que indica esta grandeza. Quando operam diretamente, convertendo uma

Leia mais

Sensores. unesp. Prof. Marcelo Wendling 2010 Versão 2.0 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

Sensores. unesp. Prof. Marcelo Wendling 2010 Versão 2.0 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus de Guaratinguetá Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá Professor Carlos Augusto Patrício Amorim Sensores Prof. Marcelo Wendling 2010 Versão 2.0 2 Índice

Leia mais

Procure pensar em outros exemplos da nossa vida em que os sensores estão presentes.

Procure pensar em outros exemplos da nossa vida em que os sensores estão presentes. Sensores Fabrício Ramos da Fonseca Introdução aos Sensores Nas plantas automatizadas os sensores são elementos muito importantes. Na nossa vida cotidiana, os sensores estão presentes em várias situações,

Leia mais

. linear ou rotativo. analógico ou digital. absoluto, incremental ou incremental-absoluto. princípio de operação

. linear ou rotativo. analógico ou digital. absoluto, incremental ou incremental-absoluto. princípio de operação 8 - Transdutores Um transdut or é um equipamento que converte variações de uma determinada grandeza física em outra. Por exemplo, um transdut or de posição converte variações de movimento em um sinal de

Leia mais

S O IC N Â C E etro) M O TR C (taquím LE E S étrico TO N E M A o taquim C C V o Transdutores Transdutores de velocidade: dínam E E T D IP

S O IC N Â C E etro) M O TR C (taquím LE E S étrico TO N E M A o taquim C C V o Transdutores Transdutores de velocidade: dínam E E T D IP Accionamentos Electromecânicos / Selecção de Conversores Carlos Ferreira 1 Para fechar a malha é necessária a utilização de transdutores das variáveis. Conforme a grandeza a controlar assim é o transdutor

Leia mais

SENSORES Características Prof. José Américo Moura Juazeiro Jul 28,2015

SENSORES Características Prof. José Américo Moura Juazeiro Jul 28,2015 SENSORES Características Prof. José Américo Moura Juazeiro Jul 28,2015 Prof. José Américo Moura Eng. Elétrica 1 Nível : 1, 2 e 3 1 Nível : 1 A interface entre o controle do processo (NIVEL II) e o mundo

Leia mais

Strain Gages e Pontes de Wheatstone. Disciplina de Instrumentação e Medição Prof. Felipe Dalla Vecchia e Filipi Vianna

Strain Gages e Pontes de Wheatstone. Disciplina de Instrumentação e Medição Prof. Felipe Dalla Vecchia e Filipi Vianna Strain Gages e Pontes de Wheatstone Disciplina de Instrumentação e Medição Prof. Felipe Dalla Vecchia e Filipi Vianna Referência Aula baseada no material dos livros: - Instrumentação e Fundamentos de Medidas

Leia mais

Introdução à Automação de Sistemas e à

Introdução à Automação de Sistemas e à Introdução à Automação de Sistemas e à Instrumentação Industrial Conceitos Básicos de Sistemas Dinâmicos e Controle Instrumentação para Controle Controle Discreto Tecnologias Utilizadas na Automação Exemplos

Leia mais

http://www.sabereletronica.com.br/secoes/leitura/1569/imprimir:yes Imprimir

http://www.sabereletronica.com.br/secoes/leitura/1569/imprimir:yes Imprimir 1 de 12 28/02/2011 16:11 Imprimir PRODUTOS / Sensores 05/04/2010 16:50:05 Curso sobre Sensores Veja na primeira parte deste artigo a abordagem dos principais sensores utilizados na indústria, e como eles

Leia mais

Tipos de Medidores MEDIDOR NÃO-INTEGRATIVO CC

Tipos de Medidores MEDIDOR NÃO-INTEGRATIVO CC Tipos de Medidores Medidor não-integrativo; Medidor integrativo; Medidor do valor médio retificado; Medidor de valor de pico; Medidor de valor eficaz. MEDIDOR NÃO-INTEGRATIVO CC Processa o sinal CC sem

Leia mais

Aula V Medição de Variáveis Mecânicas

Aula V Medição de Variáveis Mecânicas Aula V Medição de Variáveis Mecânicas Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Disciplina: Instrumentação e Automação Industrial I(ENGF99) Professor: Eduardo Simas(eduardo.simas@ufba.br) Sensores

Leia mais

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO - TEMPERATURA

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO - TEMPERATURA MÉTODO DE MEDIÇÃO Podemos dividir os medidores de temperatura em dois grandes grupos, conforme a tabela abaixo: 1º grupo (contato direto) Termômetro à dilatação de líquidos de sólido Termômetro à pressão

Leia mais

Seleção de motores em miniatura para os seus dispositivos médicos Avanços recentes aumentam a portabilidade, eficiência e confiabilidade

Seleção de motores em miniatura para os seus dispositivos médicos Avanços recentes aumentam a portabilidade, eficiência e confiabilidade thinkmotion Seleção de motores em miniatura para os seus dispositivos médicos Avanços recentes aumentam a portabilidade, eficiência e confiabilidade A criação de bombas de infusão pequenas e portáteis

Leia mais

Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos

Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos Prof. Daniel Coutinho coutinho@das.ufsc.br Departamento de Automação e Sistemas DAS Universidade Federal de Santa Catarina UFSC DAS 5101 - Aula 7 p.1/47

Leia mais

Que são sensores? São dispositivos que são sensíveis à um fenômeno físico (luz, temperatura, impedância elétrica etc.) e transmitem um sinal para um

Que são sensores? São dispositivos que são sensíveis à um fenômeno físico (luz, temperatura, impedância elétrica etc.) e transmitem um sinal para um Que são sensores? São dispositivos que são sensíveis à um fenômeno físico (luz, temperatura, impedância elétrica etc.) e transmitem um sinal para um dispositivo de medição ou controle. 1 Cite 05 tipos

Leia mais

ni.com Série de conceitos básicos de medições com sensores

ni.com Série de conceitos básicos de medições com sensores Série de conceitos básicos de medições com sensores Medições de posição e frequência Renan Azevedo Engenheiro de Produto, DAQ & Teste NI Henrique Sanches Marketing Técnico, LabVIEW NI Pontos principais

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS e acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Sensores e atuadores (continuação)

Sensores e atuadores (continuação) AULA 05: Sensores e atuadores (continuação) OBJETIVO: Apresentar os sensores e atuadores mais utilizados nos projetos de automação.. A pirâmide de automação Nível 5: Gerenciamento corporativo Nível 3:

Leia mais

Medições com strain gage

Medições com strain gage Medições com strain gage Renan Azevedo Engenheiro de Produto, DAQ & Teste NI Henrique Sanches Marketing Técnico, LabVIEW NI Pontos principais Conceitos básicos de strain gage Conceitos básicos das medições

Leia mais

3 Transdutores de temperatura

3 Transdutores de temperatura 3 Transdutores de temperatura Segundo o Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM 2008), sensores são elementos de sistemas de medição que são diretamente afetados por um fenômeno, corpo ou substância

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO AULA XI

INSTRUMENTAÇÃO AULA XI INSTRUMENTAÇÃO AULA XI Transdutores Eletromagnéticos Princípio de Funcionamento Lei de Faraday Um fluxo magnético variável ao atravessar perpendicularmente uma espira de área A ef induz uma tensão elétrica

Leia mais

c Copyright 2013 por Exsto Tecnologia Ltda. Todos os direitos reservados Desenvolvido e produzido com orgulho no Brasil

c Copyright 2013 por Exsto Tecnologia Ltda. Todos os direitos reservados Desenvolvido e produzido com orgulho no Brasil .. XC201 - Sensores Industriais Revisão Principais Autores Descrição da Versão Término A Jaqueline Barbosa Magalhães Versão Inicial 19/04/2011 B Mágno Alves Martins da Mota Versão Final 15/01/2013 c Copyright

Leia mais

Técnico em Eletrotécnica

Técnico em Eletrotécnica Técnico em Eletrotécnica Caderno de Questões Prova Objetiva 2015 01 Em uma corrente elétrica, o deslocamento dos elétrons para produzir a corrente se deve ao seguinte fator: a) fluxo dos elétrons b) forças

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial De acordo com a organização norte-americana Instrument Society of America -

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR 1 Validade: A partir de 01/91 Departamento: Engenharia Elétrica Curso: Engenharia Industrial Elétrica Carga Horária: 60H ( Teórica: 30H Lab.: 30H Exerc.: 00H ) Créditos: 03 Pré-requisitos: Controle e Servomecanismos

Leia mais

I. Sensores de temperatura...3. II. Sensores de Luz...6. III. Sensores de Velocidade...8. IV. Sensores de Vazão... 10. V. Sensores de Posição...

I. Sensores de temperatura...3. II. Sensores de Luz...6. III. Sensores de Velocidade...8. IV. Sensores de Vazão... 10. V. Sensores de Posição... SUMÁRIO I. Sensores de temperatura...3 II. Sensores de Luz...6 III. Sensores de Velocidade...8 IV. Sensores de Vazão... 10 V. Sensores de Posição... 11 V I. Sensores de Posição Específica...13 3 Sensores

Leia mais

O que é um sensor? Serão sensores? Positioning devices Encoders Visão Detectores de minas (detector vs. sensor)

O que é um sensor? Serão sensores? Positioning devices Encoders Visão Detectores de minas (detector vs. sensor) O que é um sensor? Algo que detecta o estado do ambiente. Um sensor é um aparelho para detectar e sinalizar uma condição que se altera. Pode ser a presença ou ausência de um objecto ou material. Pode ainda

Leia mais

Motores em miniatura proporcionam um grande desempenho para analisadores médicos

Motores em miniatura proporcionam um grande desempenho para analisadores médicos thinkmotion Motores em miniatura proporcionam um grande desempenho para analisadores médicos Os analisadores médicos são elementos fundamentais do setor de diagnósticos médicos. São ferramentas versáteis

Leia mais

PPGECV 3171 Instrumentação de Ensaios TRANDUTORES AUTO-COMPENSADOS BASEADOS EM TRANSFORMADORES DIFERENCIAIS LINEARES VARIAVEIS (LVDTS)

PPGECV 3171 Instrumentação de Ensaios TRANDUTORES AUTO-COMPENSADOS BASEADOS EM TRANSFORMADORES DIFERENCIAIS LINEARES VARIAVEIS (LVDTS) Introdução TRANDUTORES AUTO-COMPENSADOS BASEADOS EM TRANSFORMADORES DIFERENCIAIS LINEARES VARIAVEIS (LVDTS) Os transdutores de deslocamento e posição baseados em Transformadoes diferenciais lineares variaveis

Leia mais

SENSORES DE TEMPERATURA

SENSORES DE TEMPERATURA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA TECNOLOGIA EM AUTOMATIZAÇÃO INDUSTRIAL DISCIPLINA DE INSTRUMENTAÇÃO SENSORES DE TEMPERATURA PROFESSOR: Valner Brusamarello COMPONENTES:

Leia mais

TRANSMISSOR DE PRESSÃO

TRANSMISSOR DE PRESSÃO TRANSMISSOR DE PRESSÃO Introdução O desenvolvimento dos transmissores de pressão teve seu início já no século 20, com diferentes tipos de sensores sendo aplicadas em diferentes funcionalidades. A grande

Leia mais

4. Sensores/Transdutores

4. Sensores/Transdutores 4.1. Conceitos Gerais Um sensor converte um fenómeno físico de interesse num sinal eléctrico, que alimenta a entrada do sistema (hardware) DAQ (conversor). Existem dois grandes tipos de sensores, dependendo

Leia mais

15/02/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES

15/02/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES IV.2_Controle e Automação II Formando Profissionais Para o Futuro SENSORES Introdução No estudo da automação em sistemas industriais, comerciais e/ou residenciais há a necessidade de determinar as condições

Leia mais

ADS2002IP. Sistema de Aquisição de Dados Integrado, compacto e modular

ADS2002IP. Sistema de Aquisição de Dados Integrado, compacto e modular ADS2002IP Sistema de Aquisição de Dados Integrado, compacto e modular Imagem ilustrativa do ADS2002IP-B-3 (SF2034) Versatilidade ³ O ADS2002IP é um sistema de aquisição de dados modular e compacto da série

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP. Instrumentação Industrial - ITI Medição de Pressão. Força por unidade de área F A.

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP. Instrumentação Industrial - ITI Medição de Pressão. Força por unidade de área F A. CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP Instrumentação Industrial - ITI Medição de Pressão Definição - I Força por unidade de área p = Força (F) grandeza vetorial Área (A) grandeza

Leia mais

Vazão. 7.1 Introdução

Vazão. 7.1 Introdução Cap. 7 Medição de 7.1 Introdução Vazão Existem diversos tipos de medidores de vazão de escoamento, sendo que a escolha de um tipo dependerá das condições necessárias ao sistema, como por exemplo, a faixa

Leia mais

0HGLGDVGH3UHVVmR. De uma maneira geral, pode-se dizer: Pressão absoluta = Pressão manométrica + Pressão atmosférica. Instrumentação Industrial - 39

0HGLGDVGH3UHVVmR. De uma maneira geral, pode-se dizer: Pressão absoluta = Pressão manométrica + Pressão atmosférica. Instrumentação Industrial - 39 Instrumentação Industrial - 39 0HGLGDVGH3UHVVmR A pressão é, por definição, a relação entre a força normal exercida em uma superfície e a área desta superfície, por isso, muitas vezes, os métodos de medida

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

Equipe AUTOMATRON de Robótica. Sensores para Aplicação no Robô Coyote (Robô Tipo A.G.V. Seguidor de linhas)

Equipe AUTOMATRON de Robótica. Sensores para Aplicação no Robô Coyote (Robô Tipo A.G.V. Seguidor de linhas) Equipe AUTOMATRON de Robótica Sensores para Aplicação no Robô Coyote (Robô Tipo A.G.V. Seguidor de linhas) Araraquara 16 de outubro de 2009 1 Sumário 1 Introdução... 4 1.1 Introdução aos Sensores... 4

Leia mais

Instrumentação Industrial e Medidas Eléctricas - IPT - DEE Carlos Ferreira

Instrumentação Industrial e Medidas Eléctricas - IPT - DEE Carlos Ferreira Sensores Amedição das grandezas físicas é uma necessidade. Para essa função são utilizados sensores estes convertem a grandeza a medir noutra. No caso da instrumentação a variável de saída é normalmente

Leia mais

Física Experimental B Turma G

Física Experimental B Turma G Grupo de Supercondutividade e Magnetismo Física Experimental B Turma G Prof. Dr. Maycon Motta São Carlos-SP, Brasil, 2015 Prof. Dr. Maycon Motta E-mail: m.motta@df.ufscar.br Site: www.gsm.ufscar.br/mmotta

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Instrumentação

Introdução aos Sistemas de Instrumentação Introdução aos Sistemas de Instrumentação Electrónica e Instrumentação 2º Semestre 2002/2003 Electrónica e Instrumentação - 1 Elementos Constituintes do Sistema Mesurando Processo ou variável física a

Leia mais

MÓDULO 1 INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO CARGA HORÁRIA 24 HORAS

MÓDULO 1 INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO CARGA HORÁRIA 24 HORAS MÓDULO 1 INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO CARGA HORÁRIA 24 HORAS INTRODUÇÃO À INSTRUMENTAÇÃO 1 Introdução à instrumentação 2 A evolução da instrumentação 3 Definições na instrumentação 3.1 Classes

Leia mais

BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Disciplina: Instrumentação Eletrônica Prof.: Dr. Pedro Bertemes Filho

BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Disciplina: Instrumentação Eletrônica Prof.: Dr. Pedro Bertemes Filho Definição: Termoresistores (RTD) São metais condutores que variam sua resistência ôhmica com a temperatura (dado que sua geometria é bem definida e conhecida). Equação: R T R n a T a T 2 a T n 0 1 1 Onde:

Leia mais

MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0-

MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0- MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0- SUMÁRIO 1 - PRESSÃO 2 2.1 - MEDIÇÃO DE PRESSÃO 2 2.2 - PRESSÃO ATMOSFÉRICA 2 2.3 - PRESSÃO RELATIVA POSITIVA OU MANOMÉTRICA 2 2.4 - PRESSÃO ABSOLUTA 2 2.5 - PRESSÃO RELATIVA NEGATIVA

Leia mais

das válvulas de vazão de líquidos e gases

das válvulas de vazão de líquidos e gases Válvulas de Vazão de Líquidos e Gases Wagner Britto Vaz de Oliveira 00/16144 Pedro Kouri Paim 00/16063 9 de Junho de 2005 1 Introdução No contexto de automação industrial, válvulas de comando são elementos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA - SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA - SANTIAGO DO CACÉM p./9 Grupo Disciplinar: 540 Ano Lectivo: 008/009 -Circuitos sequenciais síncronos.. Aplicações com contadores síncronos... Registos. Utilizar circuitos CMOS da série 74HCT ou 4000. Testar o funcionamento

Leia mais

Índice. Conjunto Didático de Sensores Parte experimental 1

Índice. Conjunto Didático de Sensores Parte experimental 1 Índice 1 - Sensor de Proximidade Indutivo... 3 2 - Sensor de Proximidade Capacitivo... 9 3 - Sensor Fotoelétrico por Sistema de Difusão... 15 4 - Sensor Fotoelétrico por Sistema de Barreira... 19 5 - Sensor

Leia mais

I NST R UM ENTAÇÃO I N D UST RI AL EN G3 5 01 P RO F ª. L ET Í CI A CHAV ES FO NSECA

I NST R UM ENTAÇÃO I N D UST RI AL EN G3 5 01 P RO F ª. L ET Í CI A CHAV ES FO NSECA Medição INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL ENG3501 PROFª. LETÍCIA CHAVES FONSECA Medição 1. INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS DE PRESSÃO 3. DISPOSITIVOS DE MEDIÇÃO DE PRESSÃO 4. BIBLIOGRAFIA 2 1. Introdução Medição de pressão

Leia mais

Automação e Instrumentação

Automação e Instrumentação Instituto Superior de Engenharia de Coimbra Engenharia e Gestão Industrial Automação e Instrumentação Trabalho Prático Nº 3 Acondicionamento do sinal de sensores. Introdução A maior parte dos sensores

Leia mais

Parte 1 Introdução... 1

Parte 1 Introdução... 1 Sumário SUMÁRIO V Parte 1 Introdução... 1 Capítulo 1 Unidades de Medida... 3 Introdução...3 Grandezas Físicas...3 Múltiplos e Submúltiplos...4 Arredondamentos...6 Exercícios...7 Capítulo 2 Simbologia...

Leia mais

BANCO DE CIRCUITOS ALARMES E SENSORES

BANCO DE CIRCUITOS ALARMES E SENSORES 1 BANCO DE CIRCUITOS Volume 8 100 CIRCUITOS DE ALARMES E SENSORES Instituto NCB www.newtoncbraga.com.br leitor@newtoncbraga.com.br 2 3 BANCO DE CIRCUITOS V.8-100 CIRCUITOS DE ALARMES E SENSORES Autor:

Leia mais

Noise Gate Pedal para redução de ruídos

Noise Gate Pedal para redução de ruídos Noise Gate Pedal para redução de ruídos O Noise Gate é um pedal para redução de ruído. Porém, ao contrário dos filtros tradicionais, que introduzem mudança no timbre do instrumento, o Noise Gate faz um

Leia mais

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES EXPEIÊNCIA 1 ESISTOES E ASSOCIAÇÃO DE ESISTOES 1 INTODUÇÃO TEÓICA Os resistores são componentes básicos dos circuitos eletro-eletrônicos utilizados nos trechos dos circuitos onde se deseja oferecer uma

Leia mais

Universidade Federal Fluminense UFF Escola de Engenharia TCE Curso de Engenharia de Telecomunicações TGT

Universidade Federal Fluminense UFF Escola de Engenharia TCE Curso de Engenharia de Telecomunicações TGT Universidade Federal Fluminense UFF Escola de Engenharia TCE Curso de Engenharia de Telecomunicações TGT Programa de Educação Tutorial PET Grupo PET-Tele Dicas PET-Tele Uma breve introdução à componentes

Leia mais

SENSORES INDUTIVOS E CAPACITIVOS. Instrumentação - Profs. Isaac Silva - Filipi Viana - Felipe Dalla Vecchia 2013

SENSORES INDUTIVOS E CAPACITIVOS. Instrumentação - Profs. Isaac Silva - Filipi Viana - Felipe Dalla Vecchia 2013 INSTRUMENTAÇÃO SENSORES INDUTIVOS E CAPACITIVOS Jocarli Alencastro Instrumentação - Profs. Isaac Silva - Filipi Viana - Felipe Dalla Vecchia 2013 Introdução Os sensores indutivos e capacitivos foram desenvolvidos

Leia mais

MÓDULO 01 INTRODUÇÃO A AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA 24 HORAS JÁ REALIZADO

MÓDULO 01 INTRODUÇÃO A AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA 24 HORAS JÁ REALIZADO MÓDULO 01 INTRODUÇÃO A AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA 24 HORAS JÁ REALIZADO INTRODUÇÃO À INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. Introdução à instrumentação 2. A evolução da instrumentação 3.

Leia mais

PROJETO DE CIRCUITOS INTEGRADOS PCI

PROJETO DE CIRCUITOS INTEGRADOS PCI Componentes Passivos - Compatíveis com os passos de fabricação usados na construção dos elementos MOS Capacitores, Resistores e Indutores. Capacitores - Em projetos de circuitos integrados analógicos são

Leia mais

Curso Superior Manutenção Industrial. Módulo: Instrumentação

Curso Superior Manutenção Industrial. Módulo: Instrumentação Curso Superior Manutenção Industrial Módulo: Instrumentação INSTRUMENTAÇÃO Agenda: Histórico Instrumentação Ciência que aplica e desenvolve técnicas de medição, indicação, registro e controle de processos

Leia mais

Automação. Industrial. Prof. Alexandre Landim

Automação. Industrial. Prof. Alexandre Landim Automação Industrial Prof. Alexandre Landim Automação Industrial Elementos Sensores 1. Introdução Onde quer que se deseje detectar presença, posição, aproximação ou medir distância, pode ser utilizado

Leia mais

MEDIDORES DE PRESSÃO

MEDIDORES DE PRESSÃO MEDIDORES DE PRESSÃO Bárbara Silveira Assis Caroline Priscilla de Oliveira Flávio César Costa Juliene Corgozinho Ferreira Marcone Campos Barreto Sílvia Santos de Castro Thaís Oliveira Lopes 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Introdução. Tacômetro. Tipos de Tacômetros. Sistemas de Medição Análise de um Sistema de Medição Eletrônico de Rotação de Motores Elétricos 1

Introdução. Tacômetro. Tipos de Tacômetros. Sistemas de Medição Análise de um Sistema de Medição Eletrônico de Rotação de Motores Elétricos 1 Sistemas de Medição Análise de um Sistema de Medição Eletrônico de Rotação de Motores Elétricos 1 Introdução Tacômetro Tacômetro é um Sistema de Medição utilizado para realizar medições de velocidade angular,

Leia mais

Universidade Paulista - UNIP Instituto de Ciência Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia Elétrica Modalidade Eletrônica. Instrumentação e Controle

Universidade Paulista - UNIP Instituto de Ciência Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia Elétrica Modalidade Eletrônica. Instrumentação e Controle Universidade Paulista - UNIP Instituto de Ciência Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia Elétrica Modalidade Eletrônica Instrumentação e Controle TERMORESISTENCIAS 1.0 TERMORESISTENCIAS 1.1 Introdução

Leia mais

4. Transmissores Utilizados nos Experimentos

4. Transmissores Utilizados nos Experimentos 4. Transmissores Utilizados nos Experimentos 4.1. O transmissor de pressão com elemento sensor em célula capacitiva de fabricação SMAR. O LD301 é um transmissor inteligente para medição de pressão diferencial,

Leia mais

Instituição Escola Técnica Sandra Silva. Direção Sandra Silva. Título do Trabalho Fonte de Alimentação. Áreas Eletrônica

Instituição Escola Técnica Sandra Silva. Direção Sandra Silva. Título do Trabalho Fonte de Alimentação. Áreas Eletrônica Instituição Escola Técnica Sandra Silva Direção Sandra Silva Título do Trabalho Fonte de Alimentação Áreas Eletrônica Coordenador Geral Carlos Augusto Gomes Neves Professores Orientadores Chrystian Pereira

Leia mais

REFINAMENTO DO CIRCUITO ELÉTRICO E AFERIÇÃO DE TRANSDUTORES DE FORÇA (CÉLULAS DE CARGA)

REFINAMENTO DO CIRCUITO ELÉTRICO E AFERIÇÃO DE TRANSDUTORES DE FORÇA (CÉLULAS DE CARGA) REFINAMENTO DO CIRCUITO ELÉTRICO E AFERIÇÃO DE TRANSDUTORES DE FORÇA (CÉLULAS DE CARGA) Maria Beatriz Reis Faculdade de Engenharia Campus de Ilha Solteira - Departamento de Engenharia Mecânica, Av. Brasil

Leia mais

Sensores - Encoder. Encoder linear Mesmo princípio de funcionamento dos encoders rotativos; Podem ser incremental ou absoluto.

Sensores - Encoder. Encoder linear Mesmo princípio de funcionamento dos encoders rotativos; Podem ser incremental ou absoluto. Sensores - Encoder Encoder linear Mesmo princípio de funcionamento dos encoders rotativos; Podem ser incremental ou absoluto. Sensores - Resolvers Usado para medição de posição angular. Princípio de funcionamento

Leia mais

CONVERSÃO ANALÓGICO-DIGITAL

CONVERSÃO ANALÓGICO-DIGITAL CONVESÃO ANALÓGICO-DIGITAL J..A./2001 (revisão) E.T.M./2004 (revisão) E.T.M./2005 (revisão) ESUMO Esta experiência tem o objetivo de apresentar o processo de conversão de sinais analógicos para valores

Leia mais