CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Programação Visual. Prof. Dr. Edison Puig Maldonado

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Programação Visual. Prof. Dr. Edison Puig Maldonado"

Transcrição

1 Programação Visual Prof. Dr. Edison Puig Maldonado Notas de aula

2 Programação Visual com o PROGRAMAÇÃO VISUAL ORIENTADA A EVENTOS 1 INICIANDO O C++ BUILDER 1 ENTRANDO NO C++ BUILDER 5 CRIANDO E GERENCIANDO PROJETOS 12 CRIANDO FORMS 16 CRIANDO MENUS 24 TRABALHANDO COM O EDITOR DE CÓDIGO 28 TRABALHANDO COM MANIPULADORES DE EVENTOS 29 PROGRAMANDO COM OBJETOS 31 COMPILANDO E AJUSTANDO OPÇÕES DO PROJETO 34 CRIANDO UMA APLICAÇÃO MDI 37 2

3 Programação Visual Orientada a Eventos Programação Orientada a Eventos Esta metodologia de programação consiste em criar aplicações utilizando os componentes já existentes no ambiente (software) de desenvolvimento rápido de aplicações, e editando o código diretamente nos eventos gerados pelo componente. Neste caso, o programador esta utilizando um conjunto de características pré-definidas para cada componente, sem que sejam criadas novas propriedades, métodos ou até mesmo novos componentes para aplicação. Programação Orientada a Objetos A programação orientada a objetos visa a criação de novos componentes, ou novas propriedades dos componentes existentes com objetivo de torná-los mais genéricos. Iniciando o C++ Builder Introdução O C++ Builder da Borland é um ambiente visual, orientado a objetos que tem por finalidade desenvolver aplicações rapidamente para o Windows 95/98/NT. Estas aplicações podem ser de propósitos gerais ou cliente/servidor. Usando o C++ Builder, você pode criar eficientes aplicações Windows com o mínimo de codificação manual. O BCB disponibiliza uma extensa biblioteca de componentes reutilizáveis e um ambiente de ferramentas RAD (Desenvolvimento de Aplicações Rápida). Quando você inicia o BCB, você é imediatamente colocado com o ambiente de programação visual. É com este ambiente que o BCB disponibiliza todas as ferramentas que você necessita para criar, desenvolver, testar, e debugar suas aplicações. Iniciando o C++ Builder A figura abaixo mostra como o BCB irá aparecer quando for rodado pela primeira vez: 1

4 O C++ Builder ambiente de desenvolvimento (também chamado de IDE), tem várias partes flexíveis que você poderá coloca-las em qualquer local da tela. A janela principal contem o menu principal, barra de ferramentas e a paleta de componentes. O Object Inspector, Editor de Código e o formulário são automaticamente apresentados. Quando você estiver trabalhando, você poderá redimensionar cada parte e mostrar ferramentas adicionais conforme a sua necessidade. 2

5 Acessando comandos rapidamente O menu principal no topo da janela principal, disponibiliza acesso a vários comandos e ferramentas do BCB. Você pode também ver uma barra de ferramentas no cantos esquerdo, embaixo do menu principal. Ela contem botões que podem ajuda-lo quando estiver trabalhando. Cada botão executa uma operação ou comando ( Abrir Arquivo, Salvar Projeto, Rodar, entre outras). A figura abaixo ilustra a barra de ferramentas e mostra a função de alguns botões. Clique com o botão direito do mouse na barra de ferramentas e escolha propriedades, você poderá personaliza-la de acordo com as suas necessidades. Criando uma aplicação O BCB imediatamente apresenta as ferramentas necessárias para que você inicie a criação da aplicação. Uma janela em branco, conhecida como formulário, na qual você criará a interface do usuário Uma extensiva biblioteca, chamada de componentes Uma maneira fácil de alterar as propriedades de um objeto, utilizando o Object Inspector Acesso direto ao código do programa utilizando o Editor de Código Você pode usar o BCB para criar aplicações de 32-bits de qualquer tipo. Desde aplicações de propósitos gerais, até sofisticados programas de acesso a banco de dados. Criando a interface da aplicação Todo o trabalho de criação no BCB é visual. Quando você abre ou cria um novo projeto, um formulário em branco e mostrado na tela. Você poderá usá-lo para iniciar a construção de sua interface e box de dialogo. Você cria visualmente a interface da aplicação colocando e ajustando, no formulário, componentes visuais tais como botões e caixa de listagem. Você também pode colocar componentes não-visual que tem por finalidade capturar informações de banco de dados ou gerenciar outras interações. Criando a Interface do Usuário, permitirá que você crie um esqueleto (protótipo) da aplicação rapidamente e visualize como ela irá trabalhar. Adicionando componentes Componentes são elementos que você usa para construir suas aplicações BCB. Eles incluem todas as partes visíveis de sua aplicação tais como, box de dialogo e botões; bem como as partes não visíveis enquanto a aplicação estiver rodando, como os Timers. Muitos componentes visuais são disponibilizados no ambiente de desenvolvimento na paleta de componentes. Você seleciona o componentes da paleta e arrasta-o no formulário que você esta desenvolvendo. Uma vez que o componentes esteja no formulário você poderá ajustar as sua propriedades como, posição, tamanho entre outras. O BCB agrupa os componentes, em diferentes páginas, de acordo com a sua funcionalidade. Formulários e componentes tem muitos pontos em comum; você pode imaginar que um formulário é um objeto que pode conter outros componentes. 3

6 O BCB inclui vários componentes que você pode usar na VCL (Biblioteca de Componentes Visual). Verifique o Help VCL Reference para mais detalhes dos componentes disponíveis. Você pode personalizar a biblioteca de componentes adicionando ou removendo componentes, ou ainda escrever seus próprios componentes. Alterando o comportamento do componente Você pode facilmente personalizar a aparência e o comportamento de sua aplicação usando o Object Inspector. Quando um componente tem o foco no formulário, suas propriedades e eventos são mostrados no Object Inspector. Usando a página Propriedades do Object Inspector, você ajustará os valores iniciais, dos componentes, com o qual sua aplicação irá iniciar. Você usará a página Eventos para navegar através dos eventos que o componente pode ter. Dando um clique em um evento em particular, o BCB irá gerar o código para este evento ( event handler). Você apenas deverá completar o código de acordo com a ação desejada. Criando menus Depois de você adicionar um componente menu ao formulário, você poderá usar o Menu Designer para criar e editar o menu principal e menus pop-up. Você precisa adicionar um componente menu ao seu formulário para cada menu que você quer incluir em sua aplicação. Os menus que você cria, são imediatamente visíveis no formulário sem ter que rodar a aplicação para ver o resultado. Você também poderá alterar o menu em tempo de execução, para que o usuário final possa adicionar opções ao menu. Desenvolvendo aplicações Como você desenvolve visualmente a interface do usuário da sua aplicação, o BCB gera automaticamente o código C++ da aplicação. Você seleciona e modifica as propriedades dos componentes e formulários, o resultado destas alterações são refletidas, automaticamente no código fonte, e vice-versa. Editando o código fonte O BCB Editor de Código é um completo e poderoso editor ASCII. Com o Editor de Código, você poderá visualizar e editar todos os códigos fontes que seu projeto contem. A figura abaixo mostra um arquivo chamado unit1.cpp; o arquivo default criado para cada novo projeto. Este arquivo e um dos vários arquivos que compõem um Projeto BCB. 4

7 Escrevendo aplicações de banco de dados O BCB possui um completo suporte para se criar aplicações avançadas de banco de dados. Ele inclui ferramentas que permitem você se conectar com Oracle, Sybase, Informix, dbase, Paradox, ou outro servidor, enquanto disponibiliza um transparente compartilhamento de dados entre aplicações. O Borland Database Engine (BDE) suporta aplicações cliente servidor. Ferramentas como o Database Explorer, simplificam o trabalho de escrever aplicações de banco de dados. O Database Explorer e um browser para inspecionar e modificar especificação de servidor de dados, incluindo tabelas, campos, armazenar definições de procedimentos, descrição de índices entre outra funções relacionadas. Entrando no C++ Builder Iniciando uma nova aplicação Antes de iniciar qualquer nova aplicação, você deverá criar o diretório que irá armazenar os códigos fontes da aplicação. Desta maneira, você não irá "misturar" arquivos da sua aplicação com outros tipos de arquivos. 1. Cria um diretório chamado MySource a partir da raiz do seu drive de trabalho. Ele irá armazenar todos os arquivos do projeto que você irá criar com este exemplo. 2. Abra um novo projeto. Cada aplicação é representado no BCB por um projeto. Quando você inicia o BCB, ele abre um projeto em branco por default. Se um outro projeto já estiver aberto, escolha File New Application para criar um novo projeto. Quando um novo projeto é aberto, BCB automaticamente cria dois arquivos: Unit1.cpp: arquivo fonte associado com o formulário principal do projeto. Project1.cpp: arquivo fonte que mantém os caminhos (localizações) dos formulários do seu projeto. 3. Escolha File Save All para salvar os arquivos do projeto. Quando a janela Save Dialog aparecer, navegue até o diretório MySource, e salve com os seus nomes default. 5

8 BCB também cria outros arquivos associados com seu projeto (dê uma olhada no diretório MySource). Para mais detalhes dos arquivos criados automaticamente, pelo BCB, veja o item Criando e gerenciando projetos. Quando você abre um novo projeto, BCB mostra uma representação gráfica do formulário, chamada Form1 por default. No BCB, você desenvolve a interface do usuário de suas aplicações usando formulários. Formulários podem conter menus, caixas de diálogo e outros controles, eles também podem ser janelas pai ou filha. Você coloca objetos no formulário para criar a interface do usuário. Objetos por exemplo, podem ser controles padrão (como caixa de checagem e lista drop-down), ou eles podem ser completamente preenchido por componentes (como tabelas de dados e editores). Ajustando uma propriedade em tempo de desenvolvimento No desenvolvimento da interface da aplicação, você ajusta as propriedades do objeto usando o Object Inspector. Ajuste a propriedade Color do Form1 para claqua Para ajustar a propriedade Color, encontre a propriedade Color, do formulário, no Object Inspector e clique na lista drop-down da propriedade. Mude a cor de fundo do formulário para claqua. Adicionando objetos ao formulário A paleta de componentes BCB lista todos os componentes disponíveis que você poderá usar para criar sua aplicação. Os componentes são agrupados em diferentes páginas da paleta de acordo com a sua função. Usando os componentes, você pode rapidamente criar a interface da sua aplicação. 1. Adicione um componente Panel. Ponha o cursor do mouse sobre a paleta de componentes por um momento; O BCB mostrará uma mensagem com o respectivo nome do componente. Quando você localizar o componente Panel de um clique nele (ou duplo-clique), e um no formulário e o componente será inserido. 6

9 De um clique no componente Panel para que o mesmo tenha o foco. Agora o Object Inspector estará mostrando as propriedade deste componente. 2. Ajuste a propriedade Align do componente Panel para albottom. 3. Redimencione o tamanho da janela de sua aplicação (formulário) arrastando o canto direito do formulário. 4. Redimencione o tamanho do Panel até que preencha 1/3 do formulário ( clique no Panel para selecionalo e arraste a sua borda superior). 5. Inclua um componente Table no formulário. Clique na página Data Access da paleta de componentes para localizar Table. 6. Ajuste a propriedade DatabaseName de Table1 para BCDEMOS. Acessando um banco de dados Você agora esta pronto para ajustar a origem dos dados para os seus controles de banco de dados. 1 Na página Data Access, arraste um componente DataSource no formulário. Ajuste a propriedade DataSet para Table1. Na paleta de componentes, a página Data Controls contem os componentes que te permitiram visualizar dados de um banco de dados em sua aplicação. Para mostrar todos os campos de uma tabela de um banco de dados, use um componente DataGrid. 2. Na página Data Controls, escolha o componente DBGrid e inclua-o no Panel1 ( clique no DBGrid para seleciona-lo, então clique dentro do Panel1 para colocar o componente lá). Seu formulário deverá estar como o da figura abaixo: 7

10 Vamos ajustar as seguintes propriendade do DBGrid: A propriedade Align para alleft, então arraste o lado direito do DBGrid para preencher 3/4 do Panel1. A propriedade DataSource para DataSource1 Agora você poderá finalizar o ajuste das propriedades do objeto Table1 que você arrastou previamente no formulário. TableName para BIOLIFE.DB ReadOnly para true Active para true Quando você ajusta a propriedade Active para true, o grid é preenchido com os dados existentes na tabela BIOLIFE.DB. (se o grid não preecher, verifique se você seguiu os passos anteriores corretamente). Uma vez que DBGrid é um controle data aware, ele mostra os dados da tabela enquanto você esta desenvolvendo sua aplicação. Entretanto, não é possível rolar os dados ou editar em tempo de desenvolvimento. Para visualizar todos os dados da tabela você deverá rodar a aplicação. 4. Pressione F9 para compilar e rodar o projeto. Adicionando mais componentes Quando você roda a aplicação, o BCB abre o programa como uma janela, da mesma maneira que quando você estava desenvolvendo. Ele é um completo programa Windows, com botões de Minimizar, Maximizar, e um menu que você pode acessar a partir do canto esquerdo superior da janela. Você verá o grid preenchido com os dados da tabela e poderá rolar os dados para visualizar todos os valores da tabela BIOLIFE.DB. Uma vez que você ajustou a propriedade ReadOnly para true (Table1), você não poderá alterar os valores dos itens da tabela. Vamos agora completar a nossa aplicação exemplo, feche o programa para voltarmos ao desenvolvimento. 1. Na página Data Controls, selecione o componente DBNavigator e inclua-o no formulário, e ajuste a sua propriedade DataSource para DataSource1. Por default, o DBNavigator contem mais controles do que você irá utilizar para esta pequena aplicação; para o momento, você precisará apenas dos botões First, Prior, Next, e Last. A propriedade VisibleButtons do DBNavigator mostra os botões que serão apresentados. 8

11 2. Com o DBNavigator em foco, de um duplo-clique na propriedade VisibleButtons no Object Inspector. A lista enumerada de VisibleButtons expandirá. Cada expansão corresponderá a um botão do DBNavigator. Esta proprieade contem valores boleanos que podem ser alternados entre true e false. Quando for false o botão não será visível. 3. Ajuste para false as seguintes propriedade VisibleButtons: nbinsert nbdelete nbedit nbpost nbcancel nbrefresh 4. Na página Standard, arraste outro componente Panel no topo do formulário. O BCB nomeia por default Panel2. Para remover este título quando a sua aplicação estiver rodando, limpe o texto que esta na propriedade Caption. Depois de limpar o valor de Caption de Panel2, tenha certeza de pressiona Enter para que o novo valor tenha efeito. 5. Alinhe Panel2 para o topo do formulário ajustando a sua propriedade Align para altop. A seguir arraste a parte de baixo de Panel2 para preencher a parte superior do formulário. 6. Ajusta a cor dos dois Panels para clblue. BCB permite que você ajuste propriedade de varios componentes de um só vez. Primeiro clique em Panel1, então com Shif pressionado, Clique em Panel2. O Object Inspector mostrará todas as propriedade que são comuns para ambos os componentes. A partir daqui você poderá ajusta a propriedade cor de ambos para clblue. Nota. Todos os componentes tem uma propriedade Name, cada nome de componente deve ser único. Por causa disto a propriedade Name não será mostrada no Object Inspector quando houver um grupo de componentes selecionados. 7. Na página Data Controls, arraster um componente DBImage no topo de Panel2 e dimensione para ficar como a figura abaixo: 8. Ajuste as seguintes propriedade de DBImage: DataSource para DataSource1 9

12 DataField para Graphic Novamente, porque o DBImage é um componente data aware, o componente mostrará a imagem do primeiro registro da tabela. 9. Clique na seta verde na barra de ferramentas para compilar e rodar sua aplicação. Com o Linker incremental do C++ Builder, o tempo de compilação e linkagem de seu projeto será drasticamente reduzido comparado com a primeira vez que você rodou sua aplicação. Toque final Agora quando sua aplicação estiver rodando, você poderá facilmente navegar pela tabela usando os botões do DBNavigator. Entretanto, nos iremos incluir outros recursos para que sua aplicação fique mais funcional. Feche o programa para retornarmos ao modo de desenvolvimento. 1. Na página Data Controls, arraste um componente DBMemo no Panel2 e posicione para que ocupe o canto esquerdo do panel. A seguir ajuste as seguintes propriedades. DataSource para DataSource1 DataField para Notes ScrollBars para ssvertical 2. Arraste um componente DBText no Panel2, embaixo de DBMemo. Redimensione para que preencha toda a parte inferior de DBMemo, e então ajuste as seguintes propriedades. DataSource para DataSource1 DataField para Common_Name 3. Personalize a propriedade Font do objeto DBText usando o Editor de Fontes. Quando você da um clique na propriedade Font de DBText. o BCB mostrará um botão elipse no lado direito da propriedade. indicando que você pode usar um editor de propriedade para esta propriedade. Clique na elipse e será mostrado o Editor de Fontes, um dialogo que permitirá que você edite o tamanho dos caracteres e a fonte. Modifique as seguintes propriedade de DBText usando o Editor de Fontes, e clique em Ok quando finalizar. Font Sylte para Bold Color para Silver Size para 12 Adicionando um botão sair da aplicação Sua aplicação esta agora começando a se parecer com alguma coisa que se pode usar. Para torná-la mais amigável, vamos adicionar um botão Sair para que você encerre o programa facilmente. 1. Na página Additional, arraste um componente BitButton (BitBtn) no Panel1, e ajuste a propriedade Kind para bkclose. Este é um valor default para botões, quando você der um clique a aplicação encerrará. 2. Altere a propriedade Caption de BitButtons para Sai&r. O e comercial (&) antes de r torna-o em uma tecla de atalho, que permitirá que você saia do programa pressionando Alt+r. 3. Novamente, compile e rode o programa pressionando F9. Conectando-se a um evento Você agora tem uma aplicação Windows que acessa uma tabela e mostra imagens, campos memos, e um campo individual. Existe também um botão Sair que te permite encerrar o programa. Até agora, você não escreveu uma única linha de código. O nosso próximo passo, será conectar um identificador de evento a um botão, Nós iremos programar o botão para que quando for dado um clique, seja 10

13 apresentado o dialogo Windows File Save. Nós iremos salvar informações do registro corrente da tabela em um arquivo. 1. Na página Dialogs, arraste um componente SaveDialog próximo do DataSource1. 2. Na página Additional, arraste um BitButton acima do botão Sair, e ajuste as seguintes propriedades: Caption para &Salvar Clyph para o pre-definido FileSave.BMP usando o Editor de Imagem Quando você da um clique na propriedade Clyph, o BCB mostra um botão elipse no lado direito da propriedade, isto indica que você pode usar o editor de propriedade para ajustar esta propriedade. Clique na elipse para acessar o Editor de Imagem. No Editor de Imagem, clique no botão Load, e naveque até o seguinte diretório: \Arquivos de Programas\Arquivos Comuns\Borland Shared\Images\Buttons Neste diretório, localize e carregue o arquivo FileSave.BMP. Quando você escolher Ok, você deverá ver este BMP aparecer no lado esquerdo do botão Salvar. A interface do usuário agora esta completa. Se você seguiu os passos deste capítulo, a sua aplicação deverá se parecer como a figura abaixo: Agora vamos escrever os código para o botão Salvar. 3. De um duplo-clique no botão Salvar para criar um evento default para este botão. Quando você da um duplo-clique em um objeto no formulário, o BCB gera um código para este objeto. O BCB também abre o Editor de Código. Neste caso, o BCB gera o seguinte código para esse evento: void fastcall TForm1::BitBtn2Click( TObject *Sender ) Você também poderá usar o Object Inspector para gerar o código acima. No Object Inspector, selecione a página Event, você verá todos os eventos possiveis para o objeto selecionado, neste caso, onclick. 11

14 4. Complete o evento adicionando o código abaixo: void fastcall TForm1::BitBtn2Click(TObject *Sender) FILE *outfile; char buff[100]; wsprintf( buff, "Salvar informação para: %s", DBText1->Field->AsString.c_str()); SaveDialog1->Title = buff; if( SaveDialog1->Execute()) outfile = fopen( SaveDialog1->FileName.c_str(), "wt" ); if( outfile ) fprintf( outfile, "Fatos de %s\n\n", DBText1->Field->AsString.c_str() ); for( int i = 0; i < DBGrid1->FieldCount; i++ ) fprintf( outfile,"%s: %s\n", DBGrid1->Fields[i]->FieldName.c_str(), DBGrid1->Fields[i]->AsString.c_str() ); fprintf( outfile, "\n%s\n", DBMemo1->Text.c_str()); fclose( outfile ); Detalhes de como este código funciona, esta fora do escopo deste capitulo introdutório. Entretanto vamos a uma breve descrição do que este código faz: Quando este código for chamado ( dando um clique no botão Salvar ), um box de dialogo File Save será mostrado. Quando voce especifica um nome de arquivo, sua aplicação irá escrever os dados do registro que estiver selecionado. Antes de rodar o programa, você deverá incluir a seguinte linha no inicio de seu código fonte: #include <stdio.h> O tipo de dados FILE esta definido neste arquivo por isto é necessário a sua inclusão. 5. Para rodar a aplicação, pressione F9. Parabéns! Você acaba de criar uma aplicação completa em C++ Builder. Criando e gerenciando projetos O que é um projeto C++ Builder Um projeto C++ Builder é uma coleção de todos os arquivos que juntos, fazem uma aplicação executável ou uma.dll. No BCB, os arquivos do projeto são organizados no arquivo.mak. Como a nossa aplicação cresce, você encontrará mais e mais dependências entre diferentes arquivos e consequentemente a complexidade aumenta. Um programa Windows pode compor-se de script de recursos, LIB, OBJ, e códigos fonte. Cada tipo de arquivo requer um ajuste especial para ser compilado e linkeditado na aplicação final. Como o número de arquivos de sua aplicação cresce, você precisa de uma maneira eficiente de gerenciar os diferentes componentes do projeto. Nós iremos estudar os arquivos que compõem um projeto, você poderá ver como um projeto combina um ou mais arquivos fonte para produzir um arquivo final. O arquivo final, por exemplo, pode ser um.obj,.dll, ou.exe. Cada arquivo final é dependente de todos os arquivos usados para sua criação. Arquivos fontes são do tipo.c,.cpp,.h, e.hpp. Arquivos do projeto Para gerenciar projetos eficientemente, você necessita entender os diferentes tipos de arquivos que constituem um projeto C++ Builder. Por default, vários arquivos são gerados cada vez que voce cria um projeto. Os arquivos podem ser divididos em diferentes grupos como mostra a tabela abaixo: 12

15 Grupo de Arquivos Tipo do Arquivo Arquivos de projeto.mak,.cpp, e.res Arquivos Forms.cpp,.h, e.dfm Arquivos Unit.cpp e.h Arquivo Desktop.dsk Arquivo Projeto Quando você cria um novo projeto, O BCB automaticamente cria os seguintes arquivos: Project1.CPP Project1.MAK Project1.RES Estes arquivos são iniciados por Project1, porque seus nomes são derivados do nome que você dá ao seu projeto. Quando você renomeia o arquivo o projeto, os três arquivos são atualizados, dando a eles os mesmos nomes. Project1.CPP É o ponto central de cada projeto. Este arquivo contem o ponto de entrada de sua aplicação ( função WinMain() ). É aonde a sua aplicação inicia a execução. É também aonde é dada as "coordenadas" para outros formularios e unidades de sua aplicação. É o local aonde você deverá declarar as sua variáveis e constantes globais. Project1.MAK É o makefile, um arquivo texto que contem as opções e regras para construir o projeto. O BCB usa este arquivo para determinar como os diferentes tipos de arquivos são combinados para gerar o arquivo final. Para visualizar este arquivo, escolha View Project Makefile. Project1.RES É o arquivo de recursos da aplicação. O BCB usa um formato padrão de recursos do Windows para incluir itens como o ícone de sua aplicação. Você pode editar o arquivo de recursos para adicionar outros itens como, bitmaps, cursores, tabela de strings ou icones. Por default, cada aplicação BCB que você cria, terá um arquivo de recursos com o mesmo nome do arquivo de projeto, mas com a extensão.res. Arquivo Form O BCB representa cada formulário na sua aplicação, por três diferentes tipos de arquivos, dando por default os seguintes nomes: Unit1.DFM Unit1.CPP Unit1.H Quando você salva um novo formulários, o BCB pede para que você entre com um nome para o arquivo.cpp. Este nome é usado para renomear os três arquivos. Unit1.DFM Formulários são a parte visível da aplicação. Normalmente, você cria formulários visualmente e usando o IDE. Quando você cria um formulário, o BCB armazena a imagem deste formulario em um arquivo binário, dando a extensão.dfm. Unit1.CPP e Unit1.H O BCB gera o arquivo fonte (.CPP) e seu header (.H) para cada formulário criado. Juntos, os três.dfm,.cpp e.h fazem um formulário BCB. Arquivo Unit Existe uma pequena distinção entre arquivo formulários (.CPP) e arquivos Unit. Arquivos Unit não são associados com formulários; eles simplismente são o.cpp e.h. Estes arquivos são flexíveis, eles podem ser usados para armazenar funções globais que podem ser compartilhadas através do projeto. 13

16 Arquivo Desktop O BCB também gera um arquivo que armazena informações sobre a situação atual do seu projeto, tais como, quais janelas estão abertas e em que posição, os arquivos que estão sendo editados, entre outras informações sobre o status do seu projeto. Isto permite que você recupere, o seu trabalho do ponto que parou. O arquivo Desktop tem o mesmo nome que o arquivo de projeto, mas com a extensão.dsk. Sobre formulários e arquivos unit O BCB suporta compilação separada de módulos de códigos chamados units. Usando units você estrutura e reutiliza códigos através de seu projeto. A mais comun unit em BCB é a ligada a formulário, o qual contem os identificadores de eventos e outros códigos para o formulário que você cria. Units são os blocos de construções de sua aplicação BCB - elas contem os códigos fonte C++, de todos os formulários de sua aplicação e também todas as funções que são chamadas através dos eventos do programa. Para cada unit que você cria(.cpp), BCB gera uma unit header (.h). Também é gerado um arquivo binário (.DFM) que contem a representação do formulário. Arquivos unit podem ser criados como parte do projeto, mas isto não é obrigatório. Você pode criar e salvar unit e units de formulários como arquivos isolados, para que qualquer porjeto possa usa-los. Arquivos untis isolados, podem conter qualquer código fonte C ou C++, como funções globais e funções que você quer compartilhar através dos formulários. Por exemplo, você pode escrever suas próprias funções,.dlls, e componentes, e por seus códigos fontes separados em um arquivos unit que não precisa ser associado a um formulário. Quando você compila uma unit, o compilador gera arquivos binários com o mesmo nome do arquivo unit fonte, mas com a extenção.obj. Arquivos units para formulários Quando você cria um novo formulário, o BCB cria o seguinte código default para o formulário: // #include <vcl.h> #pragma hdrstop #include "Unit1.h" // #pragma package(smart_init) #pragma resource "*.dfm" TForm1 *Form1; // fastcall TForm1::TForm1(TComponent* Owner) : TForm(Owner) // O comando TForm1 *Form1; cria o objeto Form1 da classe TForm1. Form1 contem todo o comportamento e características do objeto TForm. Para este arquivo unit, você adiciona identificadores de eventos e códigos para cada evento do componente que você necessita para este formulários em particular. Arquivos units isolados Voce pode querer reutilzar rotinas que você escreve. Neste caso é melhor criar um arquivo unit separado para conter esta funções. Para isto você criará uma unit sem associa-la a um formulário, você poderá, facilmente, criar sua funções e disponibiliza-las para outras units de seu projeto, e para outros projetos que podem usar estas funnções. Para cria um arquivo units sem associa-lo a um formulário: Escolha File New Unit. Não é necessário ter um projeto aberto, a menos que você queira que a nova unit seja parte do projeto. Nota: Quando você quiser que uma unit faça referência ao código contido em uma segunda unit, você deverá incluir na primeira o arquivo header (,h) da segunda. Para fazer isto, abra a primeira unit no Editor de Código e use File Include Unit Hdr e inclua o header da segunda unit. Usando este 14

17 método para incluir um arquivo header, fara com que todo os arquivos do projeto sejam corretamente atualizados. ( em outras palavras, nunca inclua manualmente o header - digitando - ). Salvando e dando nomes arquivos BCB Quando você cria um novo projeto no BCB, é automaticamente criado vários arquivos e dado a eles nomes default: Projeto1.MAK, Unit1.CPP e assim por diante. Quando você inicia um novo projeto, você deverá dar nome aos arquivos para que os mesmos sejam mais significativos para você. Você deverá armazenar cada projeto em um diretório especifico. Projetos podem compartilhar formulários, arquivos e recursos localizados em qualquer diretório. Salvando um novo projeto Quando você salva um novo projeto, você deve dar um nome único para os arquivos do projeto. Para salvar todos os arquivos, use um dos seguintes métodos: Escolha File Save All Escolha o botão Save All na barra de ferramentas Quando você salva um novo projeto, o BCB mostra a caixa de dialogo Salvar Como. Salvando um arquivo de projeto específico Você não esta limitado a salvar um projeto do mesmo modo. O BCB permite que você salve arquivos do projeto, incluindo cópias de um arquivo, em diferentes diretórios ou com diferentes nomes. Você também pode salvar seus projetos como "modelos" e adiciona-lo ao Object Repositóry (veremos em outro capitulo) para que você possa reutiliza-lo. Para salvar um arquivo especifico, você deverára abrir o Editor de Código: Carregue o arquivo no Editor. Pressione Ctr+S ou escolha File Save, e clique em Ok. Se você estiver salvando pela primeira vez, você deverá fornecer um nome para o arquivo. Removendo arquivos do projeto Você pode remover formulários e unit do projeto a partir de qualquer ponto de desenvolvimento do projeto, mas você deverá usar somente o IDE para fazer esta operação. O processo de remoção, deleta qualquer referência ao arquivo. Para remover uma unit de um projeto, abra o projeto e escolha qualquer destes métodos: Na janela do Project Manager, selecione a unit ou units que você quer remover então escolha o botão Remove na barra de ferramentas. Escolha o botão Remove File From Projeto na barra de ferramentas. Atenção: Não use o Windows Explorer para deletar arquivos BCB do disco, até que você tenha executado a remoção pelo IDE. Se você fizer isto, quando você abrir o projeto o BCB apresentará mensagens de erros, pois ele ainda possui referências a estes arquivos. Copiando um projeto BCB permite que você salve uma versão do projeto aberto em um diferente diretório. O comando File Save Project As executa este processo, entretanto, como o projeto aberto pode compartilhar arquivos fontes, o Save Project As salva somente uma cópia, no novo diretorio, dos seguintes arquivos: Project1.CPP ( arquivo principal do projeto) Project1.MAK ( contem definições de quais arquivos e como eles devem ser compilados/linkeditados) Project1.RES ( arquivo de recursos como - icones, strings...) Atenção: Nenhum arquivo unit é salvo na nova localização. Quando você abre um cópia do projeto, o Gerenciador de Projeto mostra todos as units, isto não quer dizer que as units residem no mesmo diretório do projeto aberto. Não utilize o Windows Explorer ou outro gerenciador de arquivos para copiar arquivos de um projeto. O BCB mantem relações entre os arquivos. 15

18 Visualizando arquivos do projeto O Gerenciador de Projeto, do BCB, da a você um alto nível de visualização de formulários, units, recursos, objetos, e arquivos de bibliotecas, que estão incluidos no seu projeto. Você pode usar o Gerenciador de Projeto para abrir, adicionar, salvar e remover arquivos do projeto. É uma ferramenta indispensável se você for compartilhar arquivos diferentes entre projetos. Para abrir a janela do Gerenciador de Projeto, escolha View Project Manager ( você deve ter um projeto aberto ). Usando o Gerenciador de Projeto A janela do Gerenciador de Projetos mostrará informações sobre o status e conteúdo o projeto aberto. Ele também da um acesso rápido as funções de gerenciamento - clicando com o botão direito do mouse no nome do projeto -, e permite uma navegação rápida entre todos os arquivos. É altamente recomendado que você use o Gerenciador de Projeto para um melhor desempenho, porque ele mantem as relações entre os arquivos e atualiza todo o projeto quando um dos arquivos for alterado. Adicionando formulários e units Você pode adicionar um formulário ou um arquivo unit, o processo e igual. Use um dos seguintes métodos: Escolha File New Form ou File New Unit Escolha o botão Adicionar Arquivo na barra de ferramentas Se for adicionado um arquivo.cpp que seja vinculado a um formulário, um arquivo binário.dfm também ser adicionado automaticamente. Usando units com fontes em Borland C++, C, ou Pascal Se você tem units com códigos de procedimentos ou funções escritas em Borland C++, C, Pascal ou Delphi, você poderá usar estas units no projeto BCB. Você adiciona este arquivos da mesma maneira que você faria com um form ou unit do BCB. Criando forms Criando um aplicação BCB Forms (formulários) são a base de todas as aplicações de C++ Builder. Você projeta a interface de usuário para suas aplicações usando forms. Forms podem conter menus, botões, caixas de edição, caixas de diálogo, ou qualquer outro objeto que você precise para fazer sua aplicação trabalhar da maneira que você 16

19 quer. Quando você terminar de projetar seu form, você pode acrescenta-lo ao Object Repository (Repositório de Objeto) assim você poderá reutilizar este forms em outros projetos. Em resumo, para criar uma aplicação de C++ Builder, você faz o seguinte: Começa com um form. Coloca componentes no form. Ajusta as propriedades dos componentes. Cria um manipulador de evento (dando um duplo-clique no componente). Escreve o código do evento para que o componente faça algo. Salva o projeto. Uma aplicação de C++ Builder normalmente contém vários forms: um form será o principal que será a interface do usuário ( tela prinipal do programa) e os outros forms como caixas de diálogo, janelas secundárias, e coisas assim. Você desenvolve sua aplicação personalizando o form principal, adicionando e personalizando outros forms. Você personaliza forms adicionando componentes, ajustando as suas propriedades, criando menus para que o usuário tenha controle sobre a aplicação durante a execução do programa. O que são formulários e componentes Formulários ( Forms) são objetos especializados no qual você coloca componentes VCL. Forms geralmente se parecem como janelas e caixas de diálogo em uma aplicação que esta rodando. Você interage com o forms lendo e fixando suas propriedades, chamando os métodos e respondendo aos seus eventos. 17

20 Associado a cada form (.DFM) está um arquivo.cpp e.h. Componentes em C++ Builder são blocos de construção de uma aplicação. Cada componente representa um elemento da aplicação, como um objeto de interface de usuário, um banco de dados, ou uma função de sistema. Escolhendo e conectando estes elementos, você constrói a interface de sua aplicação. Componentes também podem ter um manipulador (handle) de evento que permite receber e responder a tipos específicos de entrada. Por exemplo, um botão tem um manipulador de evento OnButtonClick que instrui o botão como responder a um clique do mouse. Criando um formulário e colocando componentes no formulário C++ Builder disponibiliza vários maneiras para se criar um novo form, usar e personalizar um form existente. Você pode criar um novo form de muitas formas: Iniciando o C++ Builder. É gerado um form em branco, sua unidade associada, e um arquivo de projeto, Se você escolheu um form diferente ou um projeto padrão do Repositório de Objeto, um form padrão se abre em vez de um form em branco. Criar uma nova aplicação escolhendo File New Application. É gerado um novo form e o arquivo de unidade (.CPP), sempre que se gera uma nova aplicação. Adicionando um novo form em um projeto existente, escolhendo File New Form. Depois que o form for criado, você pode acrescentar componentes ao form. As maneiras mais fáceis de se colocar um componente em um form são: Clicar duas vezes em um componente na paleta de Componentes. Clicar no componente e depois no form. Entendendo os componentes Componentes são o blocos de código. Cada componente encapsula algum único elemento de aplicação dentro um elemento reutilizável. Entender o que é um componente é o passo mais importante para compreender o C++ Builder. Esta seção examina duas visões dos componentes do C++ Builder: uma visão hierárquica e uma visão funcional. A visão hierárquica descreve os componentes de acordo com o que eles são. A visão funcional descreve componentes de acordo com o que eles fazem. Hierarquia do componente 18

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

Elementos do IDE do Delphi

Elementos do IDE do Delphi Capítulo 2 Um Tour pelo Ambiente de Programação do Delphi Ao final deste capítulo, você estará apto a: Identificar os elementos do IDE do Delphi Identificar os elementos essenciais que formam uma aplicação

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com APOSTILA DE DELPHI 7.0 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com 1. INTRODUÇÃO Delphi possui um ambiente de desenvolvimento

Leia mais

Centro Universitário do Triângulo Introdução ao Ambiente Delphi

Centro Universitário do Triângulo Introdução ao Ambiente Delphi Centro Universitário do Triângulo Introdução ao Ambiente Delphi A figura abaixo mostra a tela inicial do Delphi 7 e nos dá uma visão geral de seu ambiente de desenvolvimento, composto de múltiplas janelas

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Início Rápido Web. 2015 Release 1 Xojo, Inc.

Início Rápido Web. 2015 Release 1 Xojo, Inc. Início Rápido Web 2015 Release 1 Xojo, Inc. Capítulo 1 Introdução Bem-vindo ao Xojo, O jeito mais fácil de criar aplicativos multi-plataforma para Desktop e Web. Seção 1 Sobre o Início Rápido Web INICIANDO

Leia mais

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Prof. Gilbert Azevedo da Silva I. Objetivos Conhecer o Ambiente Integrado de Desenvolvimento (IDE) do Delphi 7, Desenvolver a primeira aplicação no Delphi 7, Aprender

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI - UTILIZANDO OPENDIALOG PARA ARMAZENAR IMAGENS EM BANCO DE DADOS Criaremos uma solução simples para criar

Leia mais

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR)

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR) CAPÍTULO2 1. A ESTRUTURA DE UM APLICATIVO Quando iniciamos uma aplicação em Delphi ele interpreta que iremos desenvolver um projeto. Este gerencia um conjunto de recursos como Forms, Units, objetos, funções

Leia mais

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho.

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho. DELPHI BÁSICO VANTAGENS Ambiente de desenvolvimento fácil de usar; 1. Grande Biblioteca de Componentes Visuais (VCL - Visual Component Library), que são botões, campos, gráficos, caixas de diálogo e acesso

Leia mais

INTRODUÇÃO AO WINDOWS

INTRODUÇÃO AO WINDOWS INTRODUÇÃO AO WINDOWS Paulo José De Fazzio Júnior 1 Noções de Windows INICIANDO O WINDOWS...3 ÍCONES...4 BARRA DE TAREFAS...5 BOTÃO...5 ÁREA DE NOTIFICAÇÃO...5 BOTÃO INICIAR...6 INICIANDO PROGRAMAS...7

Leia mais

Início Rápido Desktop. 2015 Release 1 Xojo, Inc.

Início Rápido Desktop. 2015 Release 1 Xojo, Inc. Início Rápido Desktop 2015 Release 1 Xojo, Inc. Capítulo 1 Introdução Bem-vindo ao Xojo, O jeito mais fácil de criar aplicativos multi-plataforma para Desktop e Web. Seção 1 Sobre o Início Rápido para

Leia mais

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais.

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. MICROSOFT WINDOWS O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. Apresentaremos a seguir o Windows 7 (uma das versões do Windows)

Leia mais

DELPHI 7 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO AMBIENTE CLIENTE SERVIDOR

DELPHI 7 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO AMBIENTE CLIENTE SERVIDOR DELPHI 7 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO AMBIENTE CLIENTE SERVIDOR Fortaleza - CE Introdução ao ambiente de desenvolvimento delphi e preparação da interface basíca O ambiente delphi foi criado pela Borland Software

Leia mais

Acesso à Dados ZEOS x Delphi. Professor Anderson

Acesso à Dados ZEOS x Delphi. Professor Anderson Acesso à Dados ZEOS x Delphi Professor Anderson Introdução O ZEOS é uma biblioteca que provê o acesso à uma base de dados em MYSQL. Através dessa Library, podemos realizar operações de manipulação da base

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Projeto Supermercado - Produtos

Projeto Supermercado - Produtos OBJETIVO: Este projeto possibilitará fazer a manutenção dos dados da tabela de Produtos. Didaticamente, ele permite ao programador iniciante ter os primeiros contatos com os objetos de visualização individual

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Microsoft Windows XP William S. Rodrigues APRESENTAÇÃO WINDOWS XP PROFISSIONAL O Windows XP, desenvolvido pela Microsoft, é o Sistema Operacional mais conhecido e utilizado

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

Para ser um bom programador de C++ Builder existem vários aspectos que se devem conhecer:

Para ser um bom programador de C++ Builder existem vários aspectos que se devem conhecer: 2. O C++ Builder e O IDE Ambiente de Desenvolvimento Integrado 2.1. C++ Builder - Conhecimentos Básicos Para ser um bom programador de C++ Builder existem vários aspectos que se devem conhecer: O ambiente

Leia mais

Prática 3 Princípios da Animação

Prática 3 Princípios da Animação Prática 3 Princípios da Animação As animações em um site são bem discutidas quanto ao seu uso, pois, qualquer coisa que se movimenta na visão periférica ocupa lugar na consciência. Isso faz com que o usuário

Leia mais

ÁREA DE TRABALHO. Área de Trabalho ou Desktop Na Área de trabalho encontramos os seguintes itens: Atalhos Barra de tarefas Botão iniciar

ÁREA DE TRABALHO. Área de Trabalho ou Desktop Na Área de trabalho encontramos os seguintes itens: Atalhos Barra de tarefas Botão iniciar WINDOWS XP Wagner de Oliveira ENTRANDO NO SISTEMA Quando um computador em que trabalham vários utilizadores é ligado, é necessário fazer login, mediante a escolha do nome de utilizador e a introdução da

Leia mais

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL Núcleo IFRS Manual do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 3 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 3 Procedimentos para Download

Leia mais

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel *

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * material do 2010* 1.0 Introdução O Excel nos ajuda a compreender melhor os dados graças à sua organização em células (organizadas em linhas e colunas) e ao uso

Leia mais

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 1 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 1 Procedimentos para Download e Instalação do NVDA... 2 Iniciando

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

Capitulo 5. Utilizando um Template de Form

Capitulo 5. Utilizando um Template de Form Capitulo 5 Utilizando Forms Ao final deste capítulo, você estará apto a : Adicionar um form do template ao projeto Gravar um form como um template Definir a ordem de tab Adicionar um menu ao form Utilizando

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Módulo II Macros e Tabelas Dinâmicas Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 Macro

Leia mais

1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1.

1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1. 1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1. Partes da tela do Excel... Barra de fórmulas... Barra de status...

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 Continuando nossa saga pelas ferramentas do Visual FoxPro 8.0, hoje vamos conhecer mais algumas. A Ferramenta Class Designer A Class Designer é a ferramenta

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

Iniciando no Visual Basic.NET

Iniciando no Visual Basic.NET Iniciando no Visual Basic.NET A Microsoft disponibiliza duas versões das suas ferramentas de desenvolvimento, a versão profissional, que integra, em um único ambiente, todas as ferramentas de desenvolvimento

Leia mais

1. EXCEL 7 1.1. PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.2. CARREGAMENTO DO EXCEL 7

1. EXCEL 7 1.1. PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.2. CARREGAMENTO DO EXCEL 7 1. EXCEL 1.1. PLANILHAS ELETRÔNICAS As planilhas eletrônicas ficarão na história da computação como um dos maiores propulsores da microinformática. Elas são, por si sós, praticamente a causa da explosão

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes 1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes Janelas são estruturas do software que guardam todo o conteúdo exibido de um programa, cada vez que um aplicativo é solicitado à janela do sistema

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma tabela no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na tabela.

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU $,'(GR5HSRUW0DQDJHU Neste capítulo vamos abordar o ambiente de desenvolvimento do Report Manager e como usar os seus recursos. $FHVVDQGRRSURJUDPD Depois de instalado o Report Manager estará no Grupo de

Leia mais

Capítulo 1. Guia de Início Rápido. Você vai aprender a programar a sua primeira reunião em 5 passos fáceis.

Capítulo 1. Guia de Início Rápido. Você vai aprender a programar a sua primeira reunião em 5 passos fáceis. Capítulo 1 Guia de Início Rápido Você vai aprender a programar a sua primeira reunião em 5 passos fáceis. PRIMEIRO PASSO: Entrando no ClaireMeeting Use o seu navegador e acesse: http://www.clairemeeting4.com.br

Leia mais

Aula Dirigida de Introdução ao Dev-C++

Aula Dirigida de Introdução ao Dev-C++ Aula Dirigida de Introdução ao Dev-C++ 1 Introdução Departamento de Ciência da Computação IME/USP J.C. de Pina, J. Soares e C.H. Morimoto O que vem a ser um programa em C? Você talvez já tenha ouvido falar

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

Objetivo do Sistema. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual

Objetivo do Sistema. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Índice Objetivo do Sistema Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Módulo Básico Instalando o PDV Abertura e tela de Senha Seleções / Tecla de Funções Ajuda Usando o sistema como ferramenta

Leia mais

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido.

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Sumário Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Introdução ao Project Um projeto é uma seqüência bem definida de eventos, com um início e um final identificável. O foco de um projeto é obter

Leia mais

INE 5223. Sistemas Operacionais. Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos. Windows (cont.)

INE 5223. Sistemas Operacionais. Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos. Windows (cont.) INE 5223 Sistemas Operacionais Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos Windows (cont.) Baseado no material do IFRN e de André Wüst Zibetti WINDOWS 7 Tópicos Windows 7 Área de

Leia mais

Arquivos e Pastas. Instrutor Antonio F. de Oliveira. Núcleo de Computação Eletrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro

Arquivos e Pastas. Instrutor Antonio F. de Oliveira. Núcleo de Computação Eletrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro Arquivos e Pastas Duas visões do Windows Explorer A Hierarquia do Explorer Aparência das pastas Personalizando o Explorer Manipulação de Arquivos e pastas Uso de atalhos Visões do Windows Explorer Para

Leia mais

Moodlerooms Instructor Essentials

Moodlerooms Instructor Essentials Moodlerooms Instructor Essentials [Type the company address] 2015 Moodlerooms Índice VISÃO GERAL DO BOLETIM JOULE... 4 Benefícios do Boletim Joule... 4 Documentação do professor no Boletim Joule... 4 Acesso

Leia mais

FOXIT READER 6.0 Guia Rápido. Sumário... II Use o Foxit Reader 6.0... 1. Leitura... 5. Trabalhar em PDFs... 8. Comentários... 10. Formulários...

FOXIT READER 6.0 Guia Rápido. Sumário... II Use o Foxit Reader 6.0... 1. Leitura... 5. Trabalhar em PDFs... 8. Comentários... 10. Formulários... Sumário Sumário... II Use o Foxit Reader 6.0... 1 Instalar e desinstalar... 1 Abrir, Criar, Fechar, Salvar e Sair... 1 Definir o estilo da interface e da aparência... 4 Veja todas as diferentes ferramentas...

Leia mais

Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi

Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi Por Ramos de Souza Janones www.ramosdainformatica.com.br 1 Índice 1 Índice... 2 Descobrindo o código ASCII de uma

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME APRESENTAÇÃO Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE WORD 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha. Programador:

Leia mais

Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU

Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU 1 1. Como logar no sistema como usuário autenticado Para logar no sistema como usuário autenticado é necessário digitar /user na frente

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Banco de Dados Microsoft Access: Criar s Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na. 3. Criar uma no modo

Leia mais

Introdução aos Projectos

Introdução aos Projectos Introdução aos Projectos Categoria Novos Usuários Tempo necessário 20 minutos Arquivo Tutorial Usado Iniciar um novo arquivo de projeto Este exercício explica a finalidade ea função do arquivo de projeto

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho Outlook 2003 Nivel 1 Objectivos gerais Enviar e Responder a mensagens de correio electrónico, e gestão de contactos, marcação de compromissos e trabalhar com notas. Objectivos específicos Começar a trabalhar

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Manual Simulador de Loja

Manual Simulador de Loja Manual Simulador de Loja Índice Início Menu Loja Modelo Loja Modelo Menu Criar Minha Loja Criar Minha Loja Abrir Projeto Salvo Teste Seu Conhecimento 0 04 05 08 09 8 9 0 Início 5 4 Figura 00. Tela inicial.

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Apostila de Windows XP

Apostila de Windows XP Table of Contents Introdução...1 Area de trabalho...5 Ícones...7 Barra de tarefas...8 O Botão Iniciar...10 Todos os programas...14 Logon e Logoff...16 Desligando o Windows XP...18 Acessórios do Windows...20

Leia mais

XXIV SEMANA MATEMÁTICA

XXIV SEMANA MATEMÁTICA XXIV SEMANA ACADÊMICA DA MATEMÁTICA Minicurso: Produção de Páginas Web para Professores de Matemática Projeto de Extensão: Uma Articulação entre a Matemática e a Informática como Instrumento para a Cidadania

Leia mais

Janelas e seus elementos

Janelas e seus elementos Janelas e seus elementos As janelas são quadros que são exibidos na tela do monitor. Todos os aplicativos estudados nesse curso serão exibidos dentro de janelas. Nelas você poderá abrir, salvar e fechar

Leia mais

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados.

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados. Bem Vindo GDS TOUCH Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touchscreen de controle residencial, com design totalmente 3D, interativo

Leia mais

Laboratório de Programação I

Laboratório de Programação I Laboratório de Programação I Introdução Visual Studio Fabricio Breve O que é o Visual Studio? Conjunto de ferramentas de desenvolvimento para construir: Aplicativos Web ASP.NET XML Web Services Aplicativos

Leia mais

Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Versão 3.6

Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Versão 3.6 Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro Versão 3.6 O Gerenciador é um Software para ambiente Windows que trabalha em conjunto com o Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro, através de

Leia mais

TUTORIAL III: ADICIONANDO AJUDA. Adicionando Ajuda

TUTORIAL III: ADICIONANDO AJUDA. Adicionando Ajuda Adicionando Ajuda Para construir arquivos de ajuda do Windows, é necessário saber quais são os componentes de um arquivo de ajuda. Você tem três arquivos básicos que são parte de cada arquivo de ajuda:

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO 3 DICAS PARA CRIAR UM BOM SITE 4

Sumário INTRODUÇÃO 3 DICAS PARA CRIAR UM BOM SITE 4 Sumário Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 5.988 de 14/12/73. Nenhuma parte deste livro, sem prévia autorização por escrito de Celta Informática, poderá ser reproduzida total ou parcialmente,

Leia mais

Projeto de Agenda Telefônica. Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com)

Projeto de Agenda Telefônica. Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com) Projeto de Agenda Telefônica Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com) Objetivo Conhecer o elemento de designs XPages, componente da ferramenta Lotus Domino Designer, através da criação de uma aplicação

Leia mais

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados.

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Windows Menu Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Minimizar Fechar Maximizar/restaurar Uma janela é composta de vários elementos

Leia mais

Superprovas Versão 9

Superprovas Versão 9 Superprovas Versão 9 1. Introdução...2 2. Novos Recursos Adicionados...4 3. Janela Principal...7 4. Janela de Questões...11 5. Janela de Desempenho...12 6. Barras de Ferramentas...13 7. Teclas de Atalho...14

Leia mais

Java Exemplo MDI. Tela Principal

Java Exemplo MDI. Tela Principal Java Exemplo MDI Nesta aula criaremos uma aplicação simples de cadastro para avaliar o nível de dificuldade/facilidade que é desenvolver softwares com a tecnologia Java. No NetBeans, crie um novo projeto

Leia mais

Aula 05 - Elementos e Organização de janelas

Aula 05 - Elementos e Organização de janelas Aula 05 - Elementos e Organização de janelas Sumário Os elementos de uma Janela Menu de Controle Título da Janela Guias Barras de Rolagem Botões de Acesso Rápido Barra de Status Movendo e Dimensionando

Leia mais

Sobre a Segunda Parte: Sobre a Primeira Parte:

Sobre a Segunda Parte: Sobre a Primeira Parte: Tutorial Sobre Como Criar Sprites 3D Utilizando o Editor Gráfico do Word e Sobre Como Manipular Sprites Criados no Word Utilizando o Programa de Criação de Jogos Game Maker Sobre a Primeira Parte: Esta

Leia mais

Objetivo do Sistema Configuração Mínima para uso mono-usuário (recomendada) Disposição do Manual Nota:

Objetivo do Sistema Configuração Mínima para uso mono-usuário (recomendada) Disposição do Manual Nota: Índice Objetivo do Sistema Configuração Mínima para uso mono-usuário (recomendada): Disposição do Manual Instalando o Controle Orçamentário Abertura e tela de Senha Configuração de aparência Mudando o

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I APRESENTAÇÃO... 1 AMBIENTE DE TRABALHO... 2 A folha de cálculo... 2 O ambiente de trabalho do Excel... 3 Faixas de Opções do Excel... 4 - Guia

Leia mais

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Fazer uma breve introdução a respeito do MS SQL Server 7.0; Criar uma pequena base de dados no MS SQL Server 7.0; Elaborar

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Manual do usuário Desenvolvendo páginas em Drupal Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Conteúdo Primeiro Passo... 3 1.1 Login... 3 1.2 Recuperando a Senha...

Leia mais

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Informática - Básico Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Índice Apresentação...06 Quais são as características do Windows?...07 Instalando o Windows...08 Aspectos Básicos...09 O que há na tela do Windows...10

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica Em certa época, a planilha era um pedaço de papel que os contadores e planejadores de empresas utilizavam para colocar

Leia mais

Apostila retirada do site Apostilando.com

Apostila retirada do site Apostilando.com Introdução... 2 Area de trabalho... 3 Ícones... 3 Barra de tarefas... 3 O Botão Iniciar... 4 Todos os programas... 5 Logon e Logoff... 6 Desligando o Windows XP... 6 Acessórios do Windows... 7 Janelas...

Leia mais

Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos.

Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos. Fórmulas e Funções Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos. Operadores matemáticos O Excel usa algumas convenções

Leia mais

Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0

Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0 Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0 Seguem abaixo as novas funcionalidades e melhorias do MyABCM e um resumo de como utilizar essas funcionalidades. 1. Nova funcionalidade para aplicação de fatores de

Leia mais

Dúvidas Freqüentes sobre o OpenOffice Apresentação

Dúvidas Freqüentes sobre o OpenOffice Apresentação Dúvidas Freqüentes sobre o OpenOffice Apresentação 1 - Como posso inserir mais de um fundo em uma apresentação? 2 - Como uso o slide de uma apresentação em outra apresentação? 3 - Quando recorto um documento

Leia mais

Objetivo do Sistema Organizar e aprimorar o atendimento à seus clientes. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual

Objetivo do Sistema Organizar e aprimorar o atendimento à seus clientes. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Índice Objetivo do Sistema Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Módulo Básico Instalando o Gestão Abertura e tela de Senha Configuração de aparência Mudando o fundo da área de trabalho

Leia mais

MANUAL DE SOFTWARE ARKITOOL 2012

MANUAL DE SOFTWARE ARKITOOL 2012 MANUAL DE SOFTWARE ARKITOOL 2012 Editado por: Idéias e programas, S.L. San Román de los Montes 25-Março-2012. ARKITool, Arkiplan, Além disso ARKITool são marcas comerciais de idéias e programas, S.L. REQUISITOS

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 Na aula anterior, vimos sobre: a) Janela de comando b) Gerenciador de Projetos c) Database Designer e Table Designer Prosseguiremos então a conhecer as ferramentas

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

Introdução... 1. Instalação... 2

Introdução... 1. Instalação... 2 ONTE DO Introdução... 1 O que é IPP?... 1 Qual é a função de um software Samsung IPP?... 1 Instalação... 2 Requisitos do sistema... 2 Instalar o software Samsung IPP... 2 Desinstalar o software Samsung

Leia mais

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato Introdução ao X3 Exercício 1: Criando um registro de Contato Inicie por adicionar um novo registro de Contato. Navegue para a tabela de Contato clicando na aba de Contato no alto da página. Existem duas

Leia mais

Apostila de CmapTools 3.4

Apostila de CmapTools 3.4 Apostila de CmapTools 3.4 Índice Definição do software... 3 Criando um novo mapa... 3 Adicionando um conceito... 3 Alterando a formatação das caixas (Barra de Ferramentas Estilos Paleta Styles)... 7 Guia

Leia mais

Escolhendo recursos de Ajuda

Escolhendo recursos de Ajuda Você pode dar um toque profissional ao aplicativo adicionando um arquivo de Ajuda gráfica. A Ajuda gráfica pode incluir gráficos e texto formatado; a Ajuda no estilo.dbf limita-se a uma única fonte sem

Leia mais

Disciplina: INF1005 - Programação I. 1 a aula prática Introdução ao ambiente do Microsoft Visual Studio 2010

Disciplina: INF1005 - Programação I. 1 a aula prática Introdução ao ambiente do Microsoft Visual Studio 2010 1 a aula prática Introdução ao ambiente do Microsoft Visual Studio 2010 1. Execute o MS-Visual Studio 2010. Experimente o caminho: Start All Programs Microsoft Visual Studio 2010 Microsoft Visual Studio

Leia mais

Linux. Educacional. Tutorial Buzzword

Linux. Educacional. Tutorial Buzzword Linux Educacional Tutorial Buzzword Para trabalhar com o programa Buzzword online, é necessário que crie uma conta no site. Para isso acesse o endereço - https://buzzword.acrobat.com/ Para criar uma conta

Leia mais

Curso de Delphi Projeto de Sistema. SISLFV Sistema de Locação de Fitas de Vídeo

Curso de Delphi Projeto de Sistema. SISLFV Sistema de Locação de Fitas de Vídeo Curso de Delphi Projeto de Sistema SISLFV Sistema de Locação de Fitas de Vídeo Jackson Pires de Oliveira Santos Júnior 2002 - 1 - Curso de Delphi Projeto de Sistema - 1º Passo (Iniciando o Projeto) - 1)

Leia mais

Display de Cristal Líquido

Display de Cristal Líquido TUTORIAL Display de Cristal Líquido Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 09/03/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Para uma melhor compreensão das ferramentas disponíveis no ambiente, é importante:

Para uma melhor compreensão das ferramentas disponíveis no ambiente, é importante: Módulo A Introdutório - Bases legais, ao Curso políticas, e ao conceituais Ambiente Virtual e históricas da educação Apresentação Este módulo tem por objetivo promover o conhecimento do Ambiente Virtual

Leia mais