Fernando Fonseca. Diretor Geral Substituto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fernando Fonseca. Diretor Geral Substituto"

Transcrição

1 Fernando Fonseca Diretor Geral Substituto São Paulo, 24 de fevereiro de 2016

2 Concessão Porto Organizado Total/Parcial de Porto Organizado = Flexibilidade do modelo Direito de exploração de Instalação Portuária fora do Porto Organizado via contrato de adesão Autorização Formas de exploração de Instalações Portuárias Delegação Transferência por convênio Arrendamento Cessão onerosa (por licitação) de área e infraestrutura pública dentro de Porto Organizado

3 Diretrizes do novo marco regulatório (Lei /2013) Modicidade e publicidade de tarifas e preços portuários Estimulo à modernização portuária Aumento na oferta de infraestrutura pela iniciativa privada Modernização e otimização da infra e superestrutura portuárias existentes Aumento da Competitividade dos Portos (Investimentos pelo setor privado) Estímulo à concorrência intra e entre portos

4 Licitação de contratos de arrendamento vencidos e a vencer até 2017 ( envolve também áreas green field) Planejamento Sistêmico Ganhos de escala Licitações de infraestrutura portuária Aumento da concorrência Reorganização dos portos Planejamento de longo prazo ANTAQ elabora edital e realiza procedimento licitatório, conforme diretrizes do Poder Concedente (SEP), que assina os respectivos contratos.

5 Licitação de contratos de arrendamento vencidos e a vencer até 2017 ( envolve também áreas green field) Status atual: 3 áreas no Porto de Santos para grãos e carga geral/celulose licitadas em dezembro de 2015; 1 área no Porto de Vila do Conde (grãos), 3 no Porto de Belém/Outeiro (grãos) e 2 no Porto de Santarém (grãos e fertilizantes), todas localizadas no estado do Pará, com licitação prevista para 31/03/2016; Demais áreas a serem licitadas com previsão de execução até o final de 2016 (totalizando 93 áreas e R$ 11,9 bilhões de investimentos).

6 Prorrogação antecipada de contratos de arrendamentos Base Legal: Art. 57 da Lei nº /2013 regulamentado pela Portaria SEP nº 349, de 30/09/2014, Requisitos: Realização antecipada de investimentos; Conter previsão de renovação no contrato original; Cumprimento das obrigações contratuais vigentes; ANTAQ aprova EVTEA e fiscaliza a execução dos contratos; SEP aprova previamente o Plano de Investimentos proposto e assina o aditivo contratual ao final.

7 Requerimento à ANTAQ; Execução de Chamada ou Anúncio Público; Atendimento de requisitos nos termos do art. 27 do Decreto nº 8.033/2013; Poder Concedente (SEP) analisa viabilidade locacional do empreendimento e assina o respectivo instrumento de outorga; ANTAQ acompanha cronograma de investimento e fiscaliza o cumprimento dos Contratos de Adesão.

8 Marco legal do planejamento portuário LEI Nº /2013 Art 16. Ao poder concedente (SEP/PR) compete: I - elaborar o planejamento setorial em conformidade com as políticas e diretrizes de logística integrada Art o A autoridade portuária elaborará e submeterá à aprovação da SEP/PR o respectivo Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto. DECRETO Nº 8.033/2013 Art 2º. Compete ao poder concedente (SEP/PR): I - elaborar o plano geral de outorgas do setor portuário II - disciplinar conteúdo, forma e periodicidade de atualização dos planos de desenvolvimento e zoneamento dos portos PORTARIA SEP Nº 03/2014 Estabelece as diretrizes para a elaboração e revisão dos instrumentos de planejamento do setor portuário PNLP, Planos Mestres, PDZ e PGO. Fonte: SEP/PR

9 Planejamento integrado do setor portuário Integração dos Instrumentos de planejamento PPA MPOG Diretrizes do Setor de Transportes CONIT (*) Normatizado pela Portaria SEP/PR nº 03/2014 PNLP SEP/PR PNLI EPL PNLT MT Áreas destinadas a TUPs; ETCs; IPTs Mercado Master Plan SEP/PR PDZ Autoridade Portuária PGO SEP/PR Em cada Porto Organizado (*) Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transporte Fonte: SEP/PR

10 Projeção de Demanda - PNLP Crescimento de 103% de 2014 a 2042 Fonte: SEP/PR

11 Potencial de Crescimento Milhões de toneladas Fonte: SEP/PR

12 Obrigado Fernando Fonseca Diretor Geral Substituto (61) Agência Nacional de Transportes Aquaviários

Mário Povia Diretor da ANTAQ

Mário Povia Diretor da ANTAQ III CIDESPORT Congresso Internacional de Desempenho Portuário A ANTAQ e a Regulação do Setor Portuário Mário Povia Diretor da ANTAQ Florianópolis, 16 de novembro de 2016 ORGANIZAÇÃO DO SETOR TRANSPORTES

Leia mais

IX PIANC - COPEDEC 2016 Nona Conferência Internacional de Engenharia Costeira e Portuária em Países em Desenvolvimento.

IX PIANC - COPEDEC 2016 Nona Conferência Internacional de Engenharia Costeira e Portuária em Países em Desenvolvimento. IX PIANC - COPEDEC 2016 Nona Conferência Internacional de Engenharia Costeira e Portuária em Países em Desenvolvimento. O SETOR PORTUÁRIO E A NAVEGAÇÃO NO BRASIL Adalberto Tokarski Diretor-Geral da ANTAQ

Leia mais

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Objetivo Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Fim das barreiras à entrada Estímulo à expansão dos investimentos do setor privado Modernização da infraestrutura e da gestão

Leia mais

O SETOR PORTUÁRIO E A NAVEGAÇÃO NO BRASIL. Clube da Ancora. Adalberto Tokarski Diretor-Geral da ANTAQ. Santos, 18 de novembro de 2016

O SETOR PORTUÁRIO E A NAVEGAÇÃO NO BRASIL. Clube da Ancora. Adalberto Tokarski Diretor-Geral da ANTAQ. Santos, 18 de novembro de 2016 O SETOR PORTUÁRIO E A NAVEGAÇÃO NO BRASIL Clube da Ancora Adalberto Tokarski Diretor-Geral da ANTAQ Santos, 18 de novembro de 2016 Brasil Dados Gerais Área total 8.516.767 Km² 22.037 Km de vias navegáveis

Leia mais

Infraestrutura portuária para o Turismo. Brazil World Cup Transportation Congress Tiago Pereira Lima Diretor da ANTAQ São Paulo, 26 de julho de 2011

Infraestrutura portuária para o Turismo. Brazil World Cup Transportation Congress Tiago Pereira Lima Diretor da ANTAQ São Paulo, 26 de julho de 2011 Infraestrutura portuária para o Turismo Brazil World Cup Transportation Congress Tiago Pereira Lima Diretor da ANTAQ São Paulo, 26 de julho de 2011 Aspectos institucionais da ANTAQ 2 Criada pela Lei nº

Leia mais

Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n /13 Victor Oliveira Fernandes

Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n /13 Victor Oliveira Fernandes Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n. 12.815/13 Victor Oliveira Fernandes Regulação e Concorrência: o planejamento de mercados Aproximações e distanciamentos Importância

Leia mais

A ANTAQ na Regulação do Setor Aquaviário

A ANTAQ na Regulação do Setor Aquaviário Agência Nacional de Transportes Aquaviários - ANTAQ TRANS 2015 VI Congresso e Feira Internacional de Transportes na Amazônia TRANS 2015 e II SEMINÁRIO INTERNACIONAL BRASIL / HOLANDA A ANTAQ na Regulação

Leia mais

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Retomada do Planejamento em Logística O Programa de Investimentos em Logística (PIL) é a integração de 2 ações de planejamento do Governo Federal nos últimos

Leia mais

Portos do Brasil. Planejar para navegar mais longe.

Portos do Brasil. Planejar para navegar mais longe. Portos do Brasil. Planejar para navegar mais longe. III Seminário Portos e Vias Navegáveis Câmara dos Deputados 15 dez 2015 PORTOS: VITAIS PARA O MERCADO INTERNO E PARA AS EXPORTAÇÕES 7.408 km de costa

Leia mais

Terminais Públicos e OGMOs Impactos da Lei nº /13

Terminais Públicos e OGMOs Impactos da Lei nº /13 Terminais Públicos e OGMOs Impactos da Lei nº 12.815/13 Junho de 2013 São Paulo Rio de Janeiro Belo Horizonte Brasília Salvador www.scbf.com.br 1. PANORAMA JURÍDICO DO SETOR Instalações Portuárias dentro

Leia mais

Audiência Pública Lei 8.666/93

Audiência Pública Lei 8.666/93 Audiência Pública Lei 8.666/93 Art. 39. Sempre que o valor estimado para uma licitação ou para um conjunto de licitações simultâneas ou sucessivas for superior a 100 (cem) vezes o limite previsto no art.

Leia mais

Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista. Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016

Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista. Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016 Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista 1 Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016 AGENDA 1 EXPANSÃO DO MODAL FERROVIÁRIO vetores de investimento 2 PROJETO

Leia mais

Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos

Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos Antonio Henrique P. Silveira Ministro-Chefe da Secretaria de Portos Comissão de Fiscalização Financeira e Controle 10/jun/2014 Novo Marco do Setor

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Governo amplia plano contra filas em portos Entre as medidas está o aperfeiçoamento do sistema de agendamento nos terminais de Santos (SP) e Paranaguá (PR), que no ano passado ajudou a reduzir o custo

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes VI Congresso Internacional de Transportes da Amazônia Política Nacional de Transportes Belém, 01 de setembro de 2015 Ministério dos Transportes - Competências Possui como principais

Leia mais

Projeto de Lei nº, de 2014 (Do Sr. Mendonça Filho)

Projeto de Lei nº, de 2014 (Do Sr. Mendonça Filho) Projeto de Lei nº, de 2014 (Do Sr. Mendonça Filho) Altera a Lei nº 12.815, de 5 de junho de 2013, que dispõe sobre a exploração direta e indireta pela União de portos e instalações portuárias e sobre as

Leia mais

RELAÇÃO DE ANEXOS AO EDITAL

RELAÇÃO DE ANEXOS AO EDITAL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA RELAÇÃO DE ANEXOS AO EDITAL [CONTENDO AS INFORMAÇÕES E DADOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E ECONÔMICO-FINANCEIROS DO EMPREEENDIMENTO: PROJETO BÁSICO E ORÇAMENTO DA EXECUÇÃO DAS OBRAS

Leia mais

Painel Infraestrutura e Logística Portuária Portos e Terminais Fernando Fonseca Diretor

Painel Infraestrutura e Logística Portuária Portos e Terminais Fernando Fonseca Diretor V CONGRESSO NACIONAL DE DIREITO MARÍTIMO, PORTUÁRIO E ADUANEIRO (Promoção OAB/RJ ) Painel Infraestrutura e Logística Portuária Portos e Terminais Fernando Fonseca Diretor Rio de Janeiro, 01 de setembro

Leia mais

PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES

PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES Presidência da República Secretaria Especial de Portos I CONFERÊNCIA HEMISFÉRICA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES Eng MARCOS PAGNONCELLI Coordenador-Geral

Leia mais

NOVA LEGISLAÇÃO PORTUÁRIA O CASO DO BRASIL. Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza

NOVA LEGISLAÇÃO PORTUÁRIA O CASO DO BRASIL. Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza NOVA LEGISLAÇÃO PORTUÁRIA O CASO DO BRASIL Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza REFORMA DO SETOR PORTUÁRIO Lei n 12.815, de 05 de Junho de 2013 SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR

Leia mais

GOVERNO FEDERAL SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS - ANTAQ LEILÃO

GOVERNO FEDERAL SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS - ANTAQ LEILÃO GOVERNO FEDERAL SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS - ANTAQ LEILÃO MINUTA DE EDITAL PARA O ARRENDAMENTO DE ÁREA E INFRAESTRUTURAS PÚBLICAS LOCALIZADAS

Leia mais

Portaria SEP/PR nº 38/2013. Portos. Portos. Secretaria de

Portaria SEP/PR nº 38/2013. Portos. Portos. Secretaria de Portaria SEP/PR nº 38/2013 Portos Secretaria de Portos CFT COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO AUDIÊNCIA PÚBLICA Tema: Obter esclarecimentos da autorização da Portaria nº 38, de 14/03/2013, para contratação

Leia mais

OS IMPACTOS DA NOVA LEGISLAÇÃO Novo cenário da exploração do setor e ampliação da competitividade do País. Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ

OS IMPACTOS DA NOVA LEGISLAÇÃO Novo cenário da exploração do setor e ampliação da competitividade do País. Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ OS IMPACTOS DA NOVA LEGISLAÇÃO Novo cenário da exploração do setor e ampliação da competitividade do País Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ 9 de outubro de 2013 A g e n d a 2 1. Cenários dos portos no

Leia mais

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Enaex Agosto, 2013 Luciano Coutinho Presidente 1 Brasil apresenta fundamentos compatíveis com o crescimento sustentável de Longo Prazo País possui

Leia mais

PPPs PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS. DARCI FERNANDES PIMENTEL Advogada, Especialista em Direito Público

PPPs PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS. DARCI FERNANDES PIMENTEL Advogada, Especialista em Direito Público PPPs PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS DARCI FERNANDES PIMENTEL Advogada, Especialista em Direito Público 1 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS, DIRETA E INDIRETA: CONCESSÕES E PERMISSÕES 1.1 FUNDAMENTO CONSTITUCIONAL:

Leia mais

SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA

SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA Novo Marco Regulatório do Setor - Lei n 12.815, de 05/06/2013 SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR Audiência Pública Comissão

Leia mais

ANTAQ Agência Nacional de Transportes Aquaviários Fernando Fonseca. Diretor da ANTAQ

ANTAQ Agência Nacional de Transportes Aquaviários Fernando Fonseca. Diretor da ANTAQ ANTAQ Agência Nacional de Transportes Aquaviários Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ 2 Aspectos Gerais O Novo Marco Portos no Espírito Santo Concessão, arrendamento e Autorização Perspectivas 3 1960 Contexto

Leia mais

A PRORROGAÇÃO DOS CONTRATOS DE ARRENDAMENTO PORTUÁRIO

A PRORROGAÇÃO DOS CONTRATOS DE ARRENDAMENTO PORTUÁRIO A PRORROGAÇÃO DOS CONTRATOS DE ARRENDAMENTO PORTUÁRIO Rafael Wallbach Schwind Doutor e Mestre em Direito do Estado pela USP Advogado da Justen, Pereira, Oliveira e Talamini 1. Introdução A Lei 12.815 (

Leia mais

1. Caracterização da ABTP 2. Importância o CAP 3. Considerações Finais

1. Caracterização da ABTP 2. Importância o CAP 3. Considerações Finais 1. Caracterização da ABTP 2. Importância o CAP 3. Considerações Finais Defender a estabilidade dos marcos regulatórios e dos contratos para gerar segurança jurídica. Incentivar a convivência construtiva

Leia mais

Localização 288 Km 240 Km 192 Km 144 Km 96 Km 48 Km PORTO

Localização 288 Km 240 Km 192 Km 144 Km 96 Km 48 Km PORTO Porto de Niterói Localização 288 Km 240 Km 192 Km 144 Km 96 Km 48 Km PORTO Histórico O Porto Organizado de Niterói está localizado na área central do município com sua área de influência, ou seja, sua

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais

Planejamento da transmissão

Planejamento da transmissão MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Fórum: Os Desafios da Transmissão Planejamento da transmissão Thiago Guilherme Ferreira Prado CoordenadorGeral de Planejamento de Energia Elétrica Substituto 14 de abril de

Leia mais

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA 55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA Salvador/BA, 06 de Setembro de 2013 PREMISSA BÁSICA O setor de Transportes como catalisador do desenvolvimento nacional Estruturando

Leia mais

Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F

Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas - SUFER Roteiro 1. Investimentos em Infraestrutura Ferroviária 2.

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Data: 10.11.2015 Veículo: DIÁRIO DO PARÁ Caderno: POLÍTICA Pág.: A3 SEP GARANTE NOVOS INVESTIMENTOS PARA ESPÍRITO SANTO O ministro dos Portos, Helder Barbalho, e o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung,

Leia mais

Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada

Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada Câmara de Transporte e Logística FIESC Florianópolis/SC 26 de julho de 2012 Histórico O Reino Unido foi o pioneiro na institucionalização financeira,

Leia mais

Competitividade Portuária Rogério Menescal

Competitividade Portuária Rogério Menescal Competitividade Portuária Rogério Menescal ANTAQ RAM 1 1 Introdução 2 Importância dos portos na economia brasileira 3 Estatísticas do Setor Portuário/Aquaviário 4 Planejamento Multimodal Integrado 5 Comentários

Leia mais

Atuação do BDMG na estruturação e financiamento de PPPs para resíduos sólidos e tratamento de água

Atuação do BDMG na estruturação e financiamento de PPPs para resíduos sólidos e tratamento de água Atuação do BDMG na estruturação e financiamento de PPPs para resíduos sólidos e tratamento de água Seminário e oficina Técnica ABDE-BID: O Papel das Instituições Financeiras de Desenvolvimento no Financiamento

Leia mais

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella A associação foi criada em 2012 2 Princípios ABEAR Padrões Internacionais Estado Eficiente Liberdade Tarifária 3 + 2002 2015 4 Fontes: OACI, ANAC,

Leia mais

VALEC. Ministério dos Transportes

VALEC. Ministério dos Transportes VALEC Ministério dos Transportes Outubro de 2007 LOCALIZAÇÃO MAPA DA FERROVIA NORTE-SUL AÇAILÂNDIA (MA) / PÁTIO DE ARAGUAÍNA (TO) Extensão: 361 km OBRAS CONCLUÍDAS PÁTIO DE ARAGUAÍNA (TO) / PÁTIO DE GUARAÍ

Leia mais

Portos do Paraná anunciam R$ 5,1 bilhões em investimentos privados

Portos do Paraná anunciam R$ 5,1 bilhões em investimentos privados Comércio exterior, logística, portos, transportes, indústrias, serviços, negócios e economia. Home Anuncie Institucional Fale Conosco Assinatura Pesquisar no site... Home» Destaque, Novidade Portos do

Leia mais

Nova Lei dos Portos: quais os verdadeiros resultados? Guia Maritimo

Nova Lei dos Portos: quais os verdadeiros resultados? Guia Maritimo Página 1 de 6 Quem Somos Anuncie Compre Cadastre Contate Selecione o idioma Curtir 0 Tweet 0 Nova Lei dos Portos: quais os verdadeiros resultados? Movimentação de cargas de terceiros nos TUPs, critério

Leia mais

PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS

PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS PROPOSTA DE MODELO DE CONCESSÃO CONTRIBUIÇÕES À SEP (A VISÃO DOS USUÁRIOS NO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO) MAIO/2015 4 (QUATRO) PRESSUPOSTOS BÁSICOS MODELO:. Parceria

Leia mais

Programa de Concessões de Rodovias Federais do Brasil

Programa de Concessões de Rodovias Federais do Brasil INICIATIVA PARA LA INTEGRACIÓN DE LA INFRAESTRUCTURA REGIONAL SURAMERICANA IIRSA Programa de Concessões de Rodovias Federais do Brasil Taller de Casos Exitosos Bogotá, Colômbia, 4 de novembro de 2008 Engº

Leia mais

Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública. Magno Subtil

Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública. Magno Subtil Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública Magno Subtil Registro de Preços Decreto Estadual 7.437/2011 Sistema de Registro de Preços é o conjunto de procedimentos para registro

Leia mais

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre o Fundo Municipal de Meio Ambiente do Município de Paranatinga. CAPÍTULO I Do Fundo Municipal de Meio Ambiente Art. 1º Fica instituído o Fundo Municipal de

Leia mais

DIREITO PORTUÁRIO. Profissionais

DIREITO PORTUÁRIO. Profissionais Principais áreas de atuação: Agronegócio Antitruste Bancário e Mercado de Capitais Ciências da Vida Comércio Internacional Compliance/Anticorrupção Contencioso Cível Imobiliário Infraestrutura Licitações

Leia mais

Melhoria da Gestão Portuária

Melhoria da Gestão Portuária Melhoria da Gestão Portuária Jean Paulo Castro e Silva Diretor do Departamento de Gestão e Logística Portuárias Secretaria de Portos da Presidência da República Apresentação para o Painel Pacto pela Infraestrutura

Leia mais

BRASIL 5a. ECONOMIA DO MUNDO: CHEGAREMOS LÁ?

BRASIL 5a. ECONOMIA DO MUNDO: CHEGAREMOS LÁ? 1 Secretaria de Acompanhamento Econômico - SEAE BRASIL 5a. ECONOMIA DO MUNDO: CHEGAREMOS LÁ? Antonio Henrique P. Silveira Secretário de Acompanhamento Econômico 6 de fevereiro de 2010 1 Sumário A Estratégia

Leia mais

TERMINAIS MARÍTIMOS DE PASSAGEIROS Obras de expansão

TERMINAIS MARÍTIMOS DE PASSAGEIROS Obras de expansão TERMINAIS MARÍTIMOS DE PASSAGEIROS Obras de expansão TIAGO PEREIRA LIMA DIRETOR DA ANTAQ WORLDCUP INFRASTRUCTURE SUMMIT 8 de Dezembro de 2009. Aspectos Institucionais Criada pela Lei nº 10.233, de 5 de

Leia mais

INFORMAÇÕES DO SETOR DE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO NO BRASIL ROGÉRIO MENESCAL ANTAQ/SDS

INFORMAÇÕES DO SETOR DE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO NO BRASIL ROGÉRIO MENESCAL ANTAQ/SDS INFORMAÇÕES DO SETOR DE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO NO BRASIL ROGÉRIO MENESCAL ANTAQ/SDS 27, 28 e 29/10/2015 Workshop Observatório Logístico de Transporte ANTAQ - RAM 1 ROTEIRO 1 CONTEXTO ATUAL DO SETOR 2 SISTEMAS

Leia mais

Princípios para Prorrogação ou Licitação das Concessões

Princípios para Prorrogação ou Licitação das Concessões Princípios para Prorrogação ou Licitação das Concessões Claudio J. D. Sales 26 de agosto de 2009 Vigência dos contratos de concessão Geração (MW) Transmissão (RAP 1 ) Distribuição (TWh) Capacidade Total:

Leia mais

Concessão, Permissão e Autorização de Serviço Público. Diana Pinto e Pinheiro da Silva

Concessão, Permissão e Autorização de Serviço Público. Diana Pinto e Pinheiro da Silva Concessão, Permissão e Autorização de Serviço Público Diana Pinto e Pinheiro da Silva 1. Execução de Serviço Público Execução de serviço público Dificuldade de definição [...] o conceito de serviço público

Leia mais

PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO O MCIDADES deve coordenar a elaboração dos Planos de RIDE Lei 11.445/07: Art. 52. A União elaborará, sob a coordenação do Ministério das Cidades: I ( ); II - planos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº ANTAQ, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº ANTAQ, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 3708 -ANTAQ, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014. APROVA A PROPOSTA DE NORMA QUE REGULA A EXPLORAÇÃO DE ÁREAS E INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS NO ÂMBITO DOS PORTOS ORGANIZADOS, A FIM DE SUBMETÊ-LA A AUDIÊNCIA

Leia mais

III VALEC VALEC SUMÁRIO. Constituição Competências

III VALEC VALEC SUMÁRIO. Constituição Competências Gramado 2013 SUMÁRIO I VALEC Constituição Competências II III Estudos e Projetos Panorama/Chapecó Chapecó/Rio Grande Itajaí /Chapecó/Dionísio Cerqueira Lucas do Rio Verde/Vilhena Vilhena/Porto Velho Obras

Leia mais

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RILEY RODRIGUES Conselho Empresarial de Infraestrutura Sistema FIRJAN Principais desafios Os programas precisam ser estruturados, dentro de seus setores, como

Leia mais

CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA DO PORTO DE IMBITUBA - CAPPI RESUMO DAS DELIBERAÇÕES

CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA DO PORTO DE IMBITUBA - CAPPI RESUMO DAS DELIBERAÇÕES CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA DO PORTO DE IMBITUBA - CAPPI RESUMO DAS DELIBERAÇÕES ANO DELIBERAÇÃO N.º ASSUNTO DATA 1993 001 Reajuste Tarifário. 30/06/93 002 Homologa Proposta de Programa de Trabalho,

Leia mais

REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ

REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ 12-11-2015 PAUTA 09:00 Abertura Situação das obras federais ; PIL - Programa de Investimento em Logística Plano de ação das Frentes Parlamentares FPA e FRENLOG; CTLOG

Leia mais

Acompanhamento pelo TCU dos processos de concessões de infraestrutura aeroportuária

Acompanhamento pelo TCU dos processos de concessões de infraestrutura aeroportuária Acompanhamento pelo TCU dos processos de concessões de infraestrutura aeroportuária Audiência Pública da Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados Brasília, 10 de julho de 2013 Secretaria

Leia mais

Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros

Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros Fernando Antonio Brito Fialho Agência Nacional de Transportes Aquaviários Diretor Geral São Paulo, 16 de junho de 2009

Leia mais

Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades. Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman

Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades. Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman AEERJ, 27 de julho de 2016 Fonte: Radar PPP Mercado de PPPs no Brasil Principais Conceitos Contratações de

Leia mais

Reforma Portuária. Breakbulk South America 01.12.14

Reforma Portuária. Breakbulk South America 01.12.14 Reforma Portuária Breakbulk South America 01.12.14 AGENDA 2 Reforma Portuária Desafios Oportunidades e Decisões das Empresas Expectativas EVOLUÇÃO DO MARCO REGULATÓRIO 3 1990 1993 2001 2007 2008 2013 EXTINÇÃO

Leia mais

Painel "Logística como Fator de Competitividade. "Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE".

Painel Logística como Fator de Competitividade. Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE. Painel "Logística como Fator de Competitividade "Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE". Agenda Painel "Logística como Fator de Competitividade A Transnordestina Indução de Oportunidades

Leia mais

MINUTA ANEXO IV - MINUTA DE CONTRATO CONCORRÊNCIA CDP N. 01/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO CDP N. 2115/2011

MINUTA ANEXO IV - MINUTA DE CONTRATO CONCORRÊNCIA CDP N. 01/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO CDP N. 2115/2011 MINUTA ANEXO IV - MINUTA DE CONTRATO CONCORRÊNCIA CDP N. 01/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO CDP N. 2115/2011 CONTRATO DE CONCESSÃO PRECEDIDA DE OBRA PÚBLICA PARA O ARRENDAMENTO DE ÁREAS E INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS

Leia mais

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL /04/11

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL /04/11 Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL 2011 EMAP EMPRESA MARANHENSE DE ADMINISTRAÇÃO PORTUÁRIA Empresa pública, criada pela Lei 7.225, de 31 de agosto 1998, com personalidade jurídica de

Leia mais

PORTOS E LOGÍSTICA (/NOTICIAS/PORTOS-E-LOGISTICA) há 6 horas

PORTOS E LOGÍSTICA (/NOTICIAS/PORTOS-E-LOGISTICA) há 6 horas PORTOS E LOGÍSTICA (/NOTICIAS/PORTOS-E-LOGISTICA) há 6 horas Terminal em Paranaguá entra na primeira lista de concessões portuárias (/noticias/portos-elogistica/35571-terminalem-paranagua-entra-naprimeira-lista-deconcessoes-portuarias)

Leia mais

SEDE DA PETROBRAS EM SANTOS. 20 de outubro de 2011 SEDE DE SANTOS. Organograma

SEDE DA PETROBRAS EM SANTOS. 20 de outubro de 2011 SEDE DE SANTOS. Organograma SEDE DA PETROBRAS EM SANTOS 2º SEMINÁRIO BIM SINDUSCON / SP 20 de outubro de 2011 SEDE DE SANTOS Organograma Visão SEDE Geral do Projeto DE SANTOS Perspectiva principal Visão Geral do Projeto 2011 2007

Leia mais

Hidrovias: Uma visão do futuro

Hidrovias: Uma visão do futuro Hidrovias: Uma visão do futuro Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Data: 18 de agosto de 2010 I Seminário Portuário Público Privado Latino-Americano Hidrovias: Uma visão do futuro Slide

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Política Nacional de Resíduos Sólidos

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Política Nacional de Resíduos Sólidos MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS BASE LEGAL - AÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AÇOES DE GESTÃO DE RESÍDUOS - BASE LEGAL Lei nº 11.107/2005 Consórcios Públicos Decreto nº 6017/2007

Leia mais

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração Operações do Mercado de Energia Evolução e Perspectiva Seminário FIEPE 11 de abril de 2013 Paulo Born Conselho de Administração Agenda Visão Geral do Mercado de Energia Governança e Ambientes de Comercialização

Leia mais

NOVOS RUMOS DA GESTÃO PORTUÁRIA

NOVOS RUMOS DA GESTÃO PORTUÁRIA I SIMPÓSIO DE DIREITO MARÍTIMO E PORTUÁRIO OAB SP SP, 26 de novembro de 2015. NOVOS RUMOS DA GESTÃO PORTUÁRIA JOSÉ ALEX BOTÊLHO DE OLIVA, M.Sc. DIRETOR PRESIDENTE COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Ministério dos Transportes PAULO SÉRGIO PASSOS Ministro de Estado dos Transportes Florianópolis, 27 de fevereiro de 2013 ASPECTOS NACIONAIS INFRAESTRUTURA

Leia mais

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 Legislação Aplicável Esta Audiência Pública está sendo realizada nos termos do ART. 39 da Lei 8.666/1993. Lei nº 11.079, de 30 de Dezembro de 2004 Lei de Parcerias

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO PARÁ - CDP AVISO DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA CDP N. 01/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO CDP N. 2115/2011

COMPANHIA DOCAS DO PARÁ - CDP AVISO DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA CDP N. 01/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO CDP N. 2115/2011 1 - CDP AVISO DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA CDP N. 01/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO CDP N. 2115/2011 A - CDP, sociedade de economia mista vinculada à SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, com sede

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO OPORTUNIDADES E DESAFIOS MARANHÃO ABRIL

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO OPORTUNIDADES E DESAFIOS MARANHÃO ABRIL AGRONEGÓCIO BRASILEIRO OPORTUNIDADES E DESAFIOS MARANHÃO ABRIL - 2011 Metodologia de Trabalho Identificação de Mercados Aptidão e Competitividade da Produção Competitividade Comercial Brasil - Ranking

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ Unidade Administrativa Regional de Florianópolis UARFL

Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ Unidade Administrativa Regional de Florianópolis UARFL Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ Unidade Administrativa Regional de Florianópolis UARFL FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA FIESC Silvio L.R. Varella Chefe da UARFL Florianópolis,

Leia mais

Infraestrutura portuária para o Turismo

Infraestrutura portuária para o Turismo Infraestrutura portuária para o Turismo Senado Federal Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Brasília, 6 de abril de 2011 Aspectos institucionais

Leia mais

Considerações Legais do Marco Regulatório da Lei das Integrações

Considerações Legais do Marco Regulatório da Lei das Integrações Considerações Legais do Marco Regulatório da Lei das Integrações Roberto Xavier Lopes Porto Alegre, 22 de novembro de 2016 Lei 13.288/2016 Tipificação do contrato de integração vertical Lei 13.288/2016

Leia mais

ANAC 2ª FASE Guarulhos Viracopos Brasília concessão para ampliação, manutenção e exploração dos aeroportos

ANAC 2ª FASE Guarulhos Viracopos Brasília concessão para ampliação, manutenção e exploração dos aeroportos ANAC 2ª FASE Guarulhos Viracopos Brasília concessão para ampliação, manutenção e exploração dos aeroportos - Dia da Triunfo - 30-11-2011 1 Agenda Previsão inicial: 22/10/2011 Edital 22/12/2012 Leilão Obs:

Leia mais

1 ANO DO NOVO MARCO REGULATÓRIO DE PORTOS NO BRASIL: BALANÇOS E PERSPECTIVAS

1 ANO DO NOVO MARCO REGULATÓRIO DE PORTOS NO BRASIL: BALANÇOS E PERSPECTIVAS Número 40 novembro/dezembro/janeiro 2014-15 Salvador Bahia Brasil - ISSN 1981-1861 1 ANO DO NOVO MARCO REGULATÓRIO DE PORTOS NO BRASIL: BALANÇOS E PERSPECTIVAS João Trindade Cavalcante Filho Consultor

Leia mais

Os BENEFÍCIOS do SINGLE WINDOW

Os BENEFÍCIOS do SINGLE WINDOW Introdução Os BENEFÍCIOS do SINGLE WINDOW BENEFÍCIOS do Setor Privado na Operação em SINGLE WINDOW 1 ANUÊNCIAS mais RÁPIDAS 2 REDUÇÃO dos CUSTOS 3 PREVISIBILIDADE das REGRAS BENEFÍCIOS 4 5 RACIONALIDADE

Leia mais

Transporte Aquaviário e Portos

Transporte Aquaviário e Portos Transporte Aquaviário e Portos Arrendamentos operacionais de áreas e instalações portuárias A Constituição Federal de 1988 estabelece que compete à União explorar os portos públicos diretamente ou mediante

Leia mais

SERVIÇOS PÚBLICOS: A busca pela Qualidade, Universalização e Transparência

SERVIÇOS PÚBLICOS: A busca pela Qualidade, Universalização e Transparência SERVIÇOS PÚBLICOS: A busca pela Qualidade, Universalização e Transparência Gustavo Eugenio Maciel Rocha AZEVEDO SETTE ADVOGADOS Brasil Digital Telebrasil 2007 51º Painel Telebrasil Ordenamento normativo

Leia mais

Fernando Fonseca Diretor

Fernando Fonseca Diretor 2ª Conferência OAB-RJ de Direito Marítimo e Portuário Desafios e Tendências da Navegação e da Logística Portuária no Brasil NAVEGAÇÃO DE APOIO MARÍTIMO E LOGÍSTICA OFFSHORE Fernando Fonseca Diretor Rio

Leia mais

Terminal Rodoviário e Entorno

Terminal Rodoviário e Entorno Terminal Rodoviário e Entorno Agosto de 2010 ADVISORY Cronograma da Audiência Pública Agenda da audiência 1) Abertura 10 minutos 2) Apresentação do projeto 40 minutos 3) Manifestações e perguntas 40 minutos

Leia mais

mestre Clique para editar o texto Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 Clique para editar o texto mestre

mestre Clique para editar o texto Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 Clique para editar o texto mestre Clique Plano de para Negócios editar e o Gestão título mestre 2015-2019 Clique para editar o texto mestre Clique para editar o texto mestre Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 AVISOS Clique

Leia mais

Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística Painel 2: Modelos Setoriais de Gestão Operacional de Infraestrutura

Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística Painel 2: Modelos Setoriais de Gestão Operacional de Infraestrutura Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística Painel 2: Modelos Setoriais de Gestão Operacional de Infraestrutura Nelson Carlini 6 de Outubro de 2015 Reestruturação do Setor Portuário Atração

Leia mais

Visão da ANTAQ sobre a logística portuária e hidroviária

Visão da ANTAQ sobre a logística portuária e hidroviária Visão da ANTAQ sobre a logística portuária e hidroviária FERNANDO ANTONIO BRITO FIALHO DIRETOR-GERAL Apresentação para o Grupo Votorantim Brasília, 05 de maio de 2009. Aspectos Institucionais Criada pela

Leia mais

PUERTO IGUAZÚ ARGENTINA 26 al 29 de Agosto de 2014

PUERTO IGUAZÚ ARGENTINA 26 al 29 de Agosto de 2014 PUERTO IGUAZÚ ARGENTINA 26 al 29 de Agosto de 2014 Agenda 1. Rompendo bloqueios: A Xícara Mental 2. Principais números do Brasil, fatos e tendências 3. Agência Nacional de Transportes Aquaviários 4. Razões

Leia mais

Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica. Frederico Bussinger

Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica. Frederico Bussinger Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica Frederico Bussinger BRASIL NO MUNDO LOGÍSTICA: FATOR CRÍTICO DE SUCESSO Área > 4 mi Km 2 População > 100 mi Paquistão USA Bangladesh China

Leia mais

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura Presidência da República Secretaria de Portos Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura 29 de junho de 2010 Subsecretário de Planejamento

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T16

Apresentação de Resultados 3T16 Estação de Tratamento de Esgoto Arrudas Apresentação de Resultados 3T16 11 de Novembro de 2016 AVISO Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de

Leia mais

WEDA Brasil Conferência 2007

WEDA Brasil Conferência 2007 WEDA Brasil Conferência 2007 1ª CONFERÊNCIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DRAGAGEM OPÇÕES DE POLÍTICA PARA O DESENVOLVIMENTO DA DRAGAGEM NO BRASIL PÓS LEI N 11.518/07 Eliane Arêas Fadda, PhD, CENTRAN 9 a

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 8 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.518, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007. Mensagem de Veto Conversão da Mpv nº 369, de 2007 Acresce e altera dispositivos

Leia mais

@aviacaocivil

@aviacaocivil www.aviacaocivil.gov.br faleconosco@aviacaocivil.gov.br /AviacaoGovBr @aviacaogovbr @AviacaoGovBr @aviacaocivil Arranjo Institucional Março PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Formular, coordenar e supervisionar

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 9º Diálogos da MEI ESTRATÉGIA NACIONAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL JAILSON BITTENCOURT DE ANDRADE SECRETÁRIO DE POLÍTICAS E PROGRAMAS

Leia mais

PORTO DE VILA DO CONDE

PORTO DE VILA DO CONDE EMPREENDIMENTO PORTO DE VILA DO CONDE Programa de Arrendamento de Áreas e Instalações Portuárias o de Vila do Conde 2.423.809 m 2 Belém-PA, janeiro de 2011. COMPANHIA DOCAS DO PARÁ CDP CNPJ: 04.933.552/0001-03

Leia mais

11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira

11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira 11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira 188 PDI 2015-2019 11.1 Planejamento orçamentário e financeiro O Orçamento Público, em sentido amplo, é um documento legal (aprovado por lei)

Leia mais

Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017

Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017 Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017 Dez/2016 ORÇAMENTOS DE DESPESAS AJUSTADAS E INVESTIMENTOS Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno

Leia mais