12 de maio de Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com."

Transcrição

1 12 de maio de Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO Realização

2 Aumento da disponibilidade física média da moagem para 96,20% até agosto de 2014 Empresa: Jacobina Mineração e Comércio (JMC), empresa da Yamana. Metodologia utilizada: Lean Seis Sigma. Resultados alcançados: Aumento de 2,14% na disponibilidade média do moinho (MO-02) entre janeiro e agosto de 2014, além da consequente redução de 125 horas de indisponibilidade no processo, totalizando um ganho de R$ ,00. Obtenção da disponibilidade média anual da moagem em 97,72%. Autores do projeto Paulo Renan de Souza Torres Graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), atualmente cursa MBA em Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Paulo Renan é líder de projeto e engenheiro de Manutenção da Planta. José Klebson Nascimento O supervisor de Manutenção Mecânica da Planta é técnico em mecânica formado pela Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (ETFRN) e graduado em Administração de Empresas pela Universidade Santo Amaro (UNISA). José Edmar Moreira Dias O supervisor de Manutenção Mecânica da planta é formado como técnico em eletrônica pelo Centro de Formação Profissional de Paulo Afonso (CFPPA) e graduado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR). Thaise Gabriela Reis Tavares Graduada em Engenharia de Minas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Thaise atua como engenheira de Processo de Operação da Planta. Francisco Jonhson Matias Oliveira O coordenador da Operação da Planta é formado como técnico em mineração pela Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (ETFRN) e graduado em Administração de Empresas pela Universidade Santo Amaro (Unisa). Sérvulo Carvalho de Souza Filho O supervisor de PCM da manutenção da Planta, é formado como técnico em Mecânica pela Escola Técnica Feira de Santana (ETEFS) e graduado em Administração de Empresas pela Faculdade de Ciências Aplicadas de Petrolina (FACAPE- PE) e Pós Graduado em Engenharia de Produção pela Universidade Internacional de Curitiba (UNINTER). Paulo Henrique Vaz Lage O coordenador da Manutenção da planta é graduado em Engenharia Mecatrônica pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC - MG) e cursou MBA em Gestão de Projetos na Fundação Getúlio Vargas (FGV).

3 1. Introdução A busca pelo aumento da disponibilidade de equipamentos é intensificada e mostra ganhos a partir da análise da rotina do dia a dia. Com isso, tem motivado os líderes a investirem cada vez mais em técnicas de análise mais abrangentes. O Lean Seis Sigma busca a redução da variabilidade e a eliminação dos desperdícios, a partir de técnicas eficazes para obter ganhos em termos de confiabilidade operacional, sendo voltadas para projetos que necessitam de uma análise mais abrangente e imediata. O desenvolvimento desse trabalho descreve um caso de integração de informações a partir de dados históricos de intervenções, critérios e práticas de engenharia de manutenção. O objetivo é atingir não só a meta estabelecida, mas também conseguir manter a eficácia no gerenciamento dos ativos, aumento da disponibilidade, confiabilidade, segurança, redução de custos operacionais e de manutenção. 2. Desenvolvimento do trabalho 2.1. Disponibilidade física de moagem Foram realizados levantamentos históricos do indicador dos últimos dois anos e pôde ser observado que em nenhum deles ocorreu o alcance da meta anual de 96%. Ao analisar os dados, identificou-se que nos primeiros oito meses do ano, havia comprometimento, pois, os indicadores apresentavam-se muito abaixo do valor da meta, o que puxava a média final anual para baixo. Com esses dados, foram desenvolvidos gráficos de Pareto para visualização das principais causas de indisponibilidade do indicador. Constatou-se então que a principal restrição e fonte de perdas de disponibilidade estavam nas intervenções programadas, nas quais foi identificada a causa da redução de utilização dos equipamentos e a substituição de revestimentos, conforme ilustrado no Pareto das Figuras 1 e Figura 2.

4 Figura 1 - Pareto dos motivos de indisponibilidade Figura 2 - Pareto de causas de indisponibilidade Após a identificação da principal causa de parada dos equipamentos, fazia-se necessário identificar qual dos dois moinhos causava maior perda de disponibilidade, uma vez que a moagem da JMC opera com dois moinhos de bolas e dimensional diferente, além de o indicador de disponibilidade física de moagem ser definido por meio de uma média entre eles. Nas figuras 3 e 4, pode ser observado que a média de disponibilidade física do moinho 01 (MO-01) é muito superior à do moinho 02 (MO-02). Após essa análise, identificamos que a prioridade seria dada ao moinho (MO-02).

5 Figura 3 - Gráfico de variabilidade da disponibilidade física do moinho (MO-01) Figura 4 - Gráfico de variabilidade da disponibilidade física do moinho (MO-02) As ações foram definidas após a realização do brainstorm e do Diagrama de Causa e Efeito. As medidas foram implementadas, acompanhadas e tiveram como principais pontos: Melhorar a ergonomia da atividade: Todas as barras (cilindro, espelho e grelha) acima de 25 quilos devem ter olhais e presilhas. Desta forma, o manuseio durante a montagem seria melhorado e também facilitado; Elaborar novos projetos com melhor distribuição de peso/n de componentes;

6 Reduzir o peso dos componentes dos revestimentos por meio de redistribuição de massa ou desenho de projetos; Elaborar projeto para as grelhas de descarga do moinho 02, com dimensões adequadas para ter acesso interno a ele, sem a necessidade de corte manual durante a montagem; Elaborar projeto de cilindro do moinho 02, com dimensões adequadas ao novo espelho para que não haja mais necessidade de corte manual durante a montagem. Aumento da vida útil dos revestimentos: Revestimento espelho alimentação: O novo projeto da alimentação do moinho 02 deverá considerar vida útil acima das 3,4 mil horas atuais (revestimento metálico) e com no mínimo 50% de aumento com relação ao anterior; Revestimento cilindro: O novo projeto do cilindro para o moinho 02 deverá considerar vida útil mínima de 6 mil horas de operação (conforme revestimento atual), sem considerar quaisquer intervenções de trocas e/ou manutenções no revestimento durante toda a vida útil; Revestimento espelho descarga: O novo projeto da grelha do moinho 02 deverá considerar vida útil mínima de 6 mil horas de operação (aumento 500 horas em relação ao atual) para as barras elevadoras e grelhas de descarga, sem considerar quaisquer intervenções de trocas e/ou manutenções no revestimento durante toda a vida útil. Ferramentas especiais para a execução: Substituição de parafusadeiras pneumáticas por parafusadeiras elétricas. As atuais não atingem o torque solicitado pelo fabricante (baixa pressão do ar de processo), fazendo com que seja necessária a utilização do taquímetro e reaperto; Compra de marretas e alavancas adequadas para o saque e/ou alocação do revestimento durante a substituição; Compra de chaves de boca para as dimensões dos parafusos, pois existem alguns pontos em que não se consegue utilizar a parafusadeira; Compra de linhas de vida e trava-quedas para melhorar a segurança dos colaboradores na retirada das fixações da parte superior dos moinhos; Compra de máquina de serra para corte de componentes dos revestimentos que fugirem das suas dimensões durante o processo de vulcanização.

7 Padronizar mão de obra terceirizada: Desenvolver contrato que disponibilize apoio de três mecânicos industriais e um soldador, caso necessário, para intervenções de troca de revestimento; Solicitar em contrato que sejam mantidas as pessoas para execução das intervenções nos moinhos (mínimo de 70%); Desenvolver contrato exigindo a comprovação de capacitação por meio de treinamentos necessários para execução das intervenções. Definição procedimento detalhado de montagem e de inspeção pré-montagem: Desenvolver check-list de conferência de componentes do revestimento; Disponibilizar inspetor para conferência de componentes do revestimento (seguindo o check-list); Desenvolver procedimento que indica a sequencia dos componentes a serem instalados. 3. Conclusão e resultados Nos momentos de crise, é preciso ter sempre criatividade para buscar a melhoria continua, criando meios de aumentar o desempenho e reduzir custos. É por meio da integração das técnicas, procedimentos, informações e conhecimentos que conseguimos identificar o caminho para a obtenção de maior eficácia no nosso sistema de manutenção. Seguem abaixo os resultados alcançados: Gráfico de disponibilidade física do moinho (MO-02) MELHOR Figura 5 - Gráfico comparativo entre as disponibilidades do moinho 02 no período de janeiro a agosto de 2013 e 2014

8 Gráfico de disponibilidade física - moagem MELHOR Figura 6 - Gráfico comparativo entre as disponibilidades da moagem em 2013 e 2014 Figura 7 - Capabilidade da disponibilidade da moagem em 2013

9 Figura 8 - Capabilidade da disponibilidade da moagem em 2014 Podemos observar que foram obtidos melhoras no nível sigma do sistema e na média anual do indicador, até mais do que o estipulado como meta. Isso se deu pelo bom empenho e desempenho do grupo. As boas práticas aqui obtidas se estenderão por muitos anos para que possamos alcançar resultados cada vez mais satisfatórios.

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG)

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) o Tel. (11) 3895-8590 premiodeexcelencia@revistaminerios.com.br

Leia mais

Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP

Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP São descritos a seguir objetivos, expectativas e requisitos relativos à documentação dos elementos individuais do APQP Status Report (ver QSV / S 296001

Leia mais

Luiz Jung Gerente de Operações Balanças Saturno

Luiz Jung Gerente de Operações Balanças Saturno Luiz Jung Gerente de Operações Balanças Saturno Graduado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Possui MBA em Finanças pela Fundação Getúlio Vargas.

Leia mais

Excelência na Gestão de Ativos

Excelência na Gestão de Ativos Excelência na Gestão de Ativos 2015 Mudanças em Tempos Difíceis Em tempos difíceis é que as mudanças são necessárias, e a habilidades dos navegantes são testadas. Neste contexto a NT Desenvolvimento Gerencial

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

DISPOSITIVO PARA REALIZAR A RETIRADA E INSTALAÇÃO DO CONJUNTO CHOQUE E TRAÇÃO DOS VAGÕES.

DISPOSITIVO PARA REALIZAR A RETIRADA E INSTALAÇÃO DO CONJUNTO CHOQUE E TRAÇÃO DOS VAGÕES. . DISPOSITIVO PARA REALIZAR A RETIRADA E INSTALAÇÃO DO CONJUNTO CHOQUE E TRAÇÃO DOS VAGÕES. RESUMO Com a evolução dos tempos a técnica ferroviária foi sendo aperfeiçoada de tal maneira que se formar homens

Leia mais

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com. 12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO Realização 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.br Redução de horas paradas por problemas na infraestrutura de mina

Leia mais

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica Curso Intensivo Logística Farmacêutica O EaDPLUS é um dos melhores portais de cursos à distância do Brasil e conta com um ambiente virtual de aprendizagem que visa a capacitação profissional objetivando

Leia mais

PLANEJAMENTO PARA IMPLANTAÇÃO DE GRANDE REPARO E MELHORIAS NA ÁREA DA REDUÇÃO DURANTE REFORMA DO ALTO FORNO Nº 1 DA COSIPA.

PLANEJAMENTO PARA IMPLANTAÇÃO DE GRANDE REPARO E MELHORIAS NA ÁREA DA REDUÇÃO DURANTE REFORMA DO ALTO FORNO Nº 1 DA COSIPA. PLANEJAMENTO PARA IMPLANTAÇÃO DE GRANDE REPARO E MELHORIAS NA ÁREA DA REDUÇÃO DURANTE REFORMA DO ALTO FORNO Nº 1 DA COSIPA. Luís Augusto Piffer 1 José Henrique Coelho Wanderley Costa 2 RESUMO Após 10 anos

Leia mais

TPM Total Productive Maintenance. ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto

TPM Total Productive Maintenance. ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto TPM Total Productive Maintenance ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto Histórico e panorâmica da sistemática Surgida no Japão, é considerada evolução natural da manutenção corretiva (reativa)

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com. 12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO Realização 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.br Empresa: Mineração Rio do Norte Trabalho: Aumento da produtividade

Leia mais

V-025 - ÍNDICE DE QUALIDADE DA MANUTENÇÃO IQM A MANUTENÇÃO E A GESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL

V-025 - ÍNDICE DE QUALIDADE DA MANUTENÇÃO IQM A MANUTENÇÃO E A GESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL V-025 - ÍNDICE DE QUALIDADE DA MANUTENÇÃO IQM A MANUTENÇÃO E A GESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL Luiz Carlos Costa Reis (1) Engenheiro Civil pela Universidade Federal da Paraíba ( Campina Grande ). Francisco

Leia mais

People. Passion. Performance.

People. Passion. Performance. People. Passion. Performance. Apresentando Chicago Pneumatic É simples assim. Você tem trabalho a fazer e clientes a atender. A CP está aqui para ajudá-lo a realizar seu trabalho, sem compromisso. Nosso

Leia mais

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA REVISÃO DOS DADOS 04 RELAÇÃO DE CARGOS Auxiliar de Montagem Montador Supervisor de Produção Técnico de Programação da Produção Coordenador de Produção IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Plano de curso Tecnologia em Geradores Diesel

Plano de curso Tecnologia em Geradores Diesel PLANO DE CURSO MSOBRFDGD08 PAG1 Plano de curso Tecnologia em Geradores Diesel Justificativa do curso Os geradores diesel são equipamentos largamente utilizados em vários segmentos da indústria, são projetados

Leia mais

Plano de curso Tecnologia em Plataforma Aérea

Plano de curso Tecnologia em Plataforma Aérea PLANO DE CURSO MSOBRFDPTA08 PAG1 Plano de curso Tecnologia em Plataforma Aérea Justificativa do Curso A plataforma aérea de trabalho se tornou um dos equipamentos mais comuns em obras e sites de trabalho

Leia mais

O SISTEMA DE MANUTENÇÃO COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DE RESULTADOS

O SISTEMA DE MANUTENÇÃO COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DE RESULTADOS O SISTEMA DE MANUTENÇÃO COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DE RESULTADOS Celeste Maria de Almeida (1) Resumo Objetivo do trabalho é demonstrar como os recursos disponíveis no Sistema Informatizado de Manutenção

Leia mais

TPM no Coração do Lean Autor: Art Smalley. Tradução: Odier Araújo.

TPM no Coração do Lean Autor: Art Smalley. Tradução: Odier Araújo. TPM no Coração do Lean Autor: Art Smalley. Tradução: Odier Araújo. A Manutenção Produtiva Total (TPM) tem sido uma ferramenta muito importante para os setores de manufatura intensivos em equipamentos.

Leia mais

CCP_INFO - SISTEMA DE CONTROLE DE PROCESSOS INFORMATIZADO

CCP_INFO - SISTEMA DE CONTROLE DE PROCESSOS INFORMATIZADO CCP_INFO - SISTEMA DE CONTROLE DE PROCESSOS INFORMATIZADO Gilson Gibaile (1) Técnico Contábil, Instrutor de Informática Sérgio Antônio Pacheco Educação Física, Pós Graduação em Administração de Sistemas

Leia mais

Transformando serviços automotivos: o caso de pneus

Transformando serviços automotivos: o caso de pneus Transformando serviços automotivos: o caso de pneus Alexandre Cardoso A Garra Pneus é uma revenda de pneus com prestação de serviços de alinhamento, balanceamento e desempeno de rodas. Fundada em 1994,

Leia mais

RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500

RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500 RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500 APLICADO EM ACIONAMENTO DE TRANSPORTADORES DE CORREIA TMPM SÃO LUÍS - MA SAT 1260 Localidade,

Leia mais

AUDITORIA DO PROCESSO DE MANUTENÇÃO PROATIVA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

AUDITORIA DO PROCESSO DE MANUTENÇÃO PROATIVA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA ÊNFASE ELETROTÉCNICA NICOLAS MACIEL SOARES WANDERLEY ANTONIO FAUSTINO JUNIOR AUDITORIA

Leia mais

Resute Assessoria e Tecnologia @ www.resute.com.br resute@resute.com.br 62 41010430

Resute Assessoria e Tecnologia @ www.resute.com.br resute@resute.com.br 62 41010430 Resute Soluções Sistemas Assessoria Assessorias e Tecnologia 2 Missão Desenvolver soluções especializadas em tecnologia e gestão de processos para o crescimento de nossos clientes Visão Ser reconhecida

Leia mais

UNI VERSI DADE DE PERNAMBUCO PEDRO DE ALCÂNTARA NETO

UNI VERSI DADE DE PERNAMBUCO PEDRO DE ALCÂNTARA NETO UNI VERSI DADE DE PERNAMBUCO PEDRO DE ALCÂNTARA NETO OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu em Engenharia Naval e Offshore na UPE desenvolvem a capacidade para planejar, desenvolver

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO (PCM) Parte 1

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO (PCM) Parte 1 1 INTRODUÇÃO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO (PCM) Parte 1 Luiz Carlos Dorigo Até a Segunda Guerra Mundial as atividades de Manutenção Industrial eram fundamentalmente atividades de Manutenção Corretiva.

Leia mais

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica Curso Intensivo Logística Farmacêutica O EaDPLUS é um dos melhores portais de cursos à distância do Brasil e conta com um ambiente virtual de aprendizagem que visa a capacitação profissional objetivando

Leia mais

Tema I: Abastecimento de Água

Tema I: Abastecimento de Água 1 CONTROLAR PARA NÃO PERDER ÁGUA: O USO DO CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS NO INCREMENTO DA QUALIDADE DA OPERAÇÃO DE SISTEMAS E COMERCIALIZAÇÃO DE SERVIÇOS Tema I: Abastecimento de Água Arthur Pereira

Leia mais

Lançado em Junho 2013. Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP)

Lançado em Junho 2013. Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP) Lançado em Junho 2013 Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP) A Falha não é uma Opção Quem não conhece a história corre o risco de repetí-la JWB Engenharia e Consultoria S/C Ltda JWB Engenharia Empresa nacional

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

Volkswagen do Brasil Ltda INFRAESTRUTURA MEIO AMBIENTE

Volkswagen do Brasil Ltda INFRAESTRUTURA MEIO AMBIENTE VOLKSWAGEN DO BRASIL E A PLANTA ANCHIETA SEIS FÁBRICAS NO BRASIL: Anchieta (São Bernardo), São Carlos, Taubaté, Curitiba, Vinhedo e Resende Fábrica Anchieta ( São Bernardo do Campo ) Das fábricas do Grupo

Leia mais

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF.

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF 2011 Os direitos autorais desta publicação pertencem ao editor e seu conteúdo não pode ser reproduzido (mesmo em parte) sem uma permissão por escrito.

Leia mais

Treinamento de. Green Belt em Lean Seis Sigma

Treinamento de. Green Belt em Lean Seis Sigma Treinamento de Green Belt em Lean Seis Sigma Sumário 03. Nossa Empresa 05. Seis Sigma 06. Treinamento de Green Belt em Lean Seis Sigma 07. Conteúdo Programático 12. Certificados 13. Principais Instrutores

Leia mais

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com. 12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO Realização 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.br Negócio: Alumínio MANUTENÇÃO RETOMADORA B3RT02 Unidade: VM/CBA-Fábrica

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Projeto Coletor Eletromagnético. Allan Diego Corradini Pacheco e Kamila Rossa PUCPR

Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Projeto Coletor Eletromagnético. Allan Diego Corradini Pacheco e Kamila Rossa PUCPR Pontifícia Universidade Católica do Paraná Projeto Coletor Eletromagnético Allan Diego Corradini Pacheco e PUCPR 1. Introdução O projeto trata-se de um coletor eletromagnético; quando liga-se o detector

Leia mais

Provedores de soluções em engenharia de projetos e aplicações Contagem - MG (31) 3392-7297 - gplpm@gplpm.com.br 2006

Provedores de soluções em engenharia de projetos e aplicações Contagem - MG (31) 3392-7297 - gplpm@gplpm.com.br 2006 Desenvolvimento de projetos: pacotes completos Modelamentos CAD 3D, animações e simulações Integração CAD / CAM / CAE Provedores de soluções em engenharia de projetos e aplicações Contagem - MG (31) 3392-7297

Leia mais

Engenharia Clínica Aspectos Técnicos 18 de Setembro de 2015

Engenharia Clínica Aspectos Técnicos 18 de Setembro de 2015 Engenharia Clínica Aspectos Técnicos 18 de Setembro de 2015 Iliane Alencar Engenheira Eletrônica Universidade Federal de PE [UFPE] Especialista em Adm Hospitalar Universidade Politécnica de PE Valência-Espanha

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO (PCM) Parte 2

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO (PCM) Parte 2 PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO (PCM) Parte 2 4 - ATRIBUIÇÕES DO PCM Luiz Carlos Dorigo As quatro funções fundamentais do PCM, quais sejam, Planejamento, Programação, Coordenação e Controle devem

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE PRODUTIVIDADE MELHORIA CONTÍNUA / KAIZEN CONCEITOS FUNDAMENTAIS Conceituar Melhoria Contínua e sua importância no contexto

Leia mais

Gestão de projetos aplicado a paradas de manutenção em concentradores de minério de ferro.

Gestão de projetos aplicado a paradas de manutenção em concentradores de minério de ferro. Gestão de projetos aplicado a paradas de manutenção em concentradores de minério de ferro. Edmar de Souza Borges Resumo: O presente artigo tem a intenção de descrever e demonstrar que as paradas de manutenção

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE PRODUÇÃO Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software Objetivo Apresentar conceitos e ferramentas atuais para melhorar eficiência da produção

Leia mais

A metodologia proposta pela WEG para realizar este tipo de ação será apresentada a seguir.

A metodologia proposta pela WEG para realizar este tipo de ação será apresentada a seguir. Eficiência Energética Buaiz Alimentos 1 CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA Nome fantasia: Buaiz Alimentos Ramo de atividade: Alimentício Localização: Vitória / ES Estrutura tarifária: Horo-sazonal Azul A4 Demanda

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor Dados da empresa Razão Social: Visa do Brasil Empreendimentos Ltda. Nome Fantasia:

Leia mais

PROJETO PIMS DO PÁTIO DE MINÉRIOS UMA PODEROSA FERRAMENTA DE APOIO À MANUTENÇÃO RESUMO

PROJETO PIMS DO PÁTIO DE MINÉRIOS UMA PODEROSA FERRAMENTA DE APOIO À MANUTENÇÃO RESUMO PROJETO PIMS DO PÁTIO DE MINÉRIOS UMA PODEROSA FERRAMENTA DE APOIO À MANUTENÇÃO Riberte Dias de Souza riberte.souza@arcelormittal.com ArcelorMittal Tubarão Edílson Jose Machado Correia edilson.correia@arcelormittal.com

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

Ciclo de Formação e Treino em Manutenção e TPM

Ciclo de Formação e Treino em Manutenção e TPM Manutenção e A MANUTENÇÃO O PILAR ESSENCIAL DOS SISTEMAS PRODUTIVOS Não seria excelente se existisse um sistema de manutenção que reparasse o seu equipamento antes de ele avariar? Sim, pois quando os equipamentos

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

QUALIDADE NA ELABORAÇÃO DO CATÁLOGO DE PRODUTOS DE SERVIÇOS DE DADOS

QUALIDADE NA ELABORAÇÃO DO CATÁLOGO DE PRODUTOS DE SERVIÇOS DE DADOS QUALIDADE NA ELABORAÇÃO DO CATÁLOGO DE PRODUTOS DE SERVIÇOS DE DADOS Definir Medir Analisar Melhorar Controlar Data: 16/03/006 Gestão da Qualidade QUALIDADE NA ELABORAÇÃO DO CATÁLOGO DE PRODUTOS DE SERVIÇOS

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

Importância da análise holística de um plano de manutenção por meio de simulação: Uma abordagem de RCM voltada a custo e disponibilidade

Importância da análise holística de um plano de manutenção por meio de simulação: Uma abordagem de RCM voltada a custo e disponibilidade Importância da análise holística de um plano de manutenção por meio de simulação: Uma abordagem de RCM voltada a custo e disponibilidade Celso Luiz Santiago Figueiroa Filho, MSc Eng Alberto Magno Teodoro

Leia mais

TPM -Total Productive Maintenance. (Gestão da Manutenção)

TPM -Total Productive Maintenance. (Gestão da Manutenção) TPM -Total Productive Maintenance (Gestão da Manutenção) 1 MANUTENÇÃO À MODA ANTIGA Nada de prevenção! Só se conserta quando quebrar e parar de funcionar. Use até acabar... Manutenção não tem nada em comum

Leia mais

Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso

Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso Diagramas que descrevem o contexto, objetivos e participantes dos projetos 1 Tecnólogo em Manutenção Industrial Missão: Formar tecnólogos de nível superior

Leia mais

MELHORIA DE PROCESSO GANHO NO FLUXO PRODUTIVO EM LINHA DE MONTAGEM. Yuri.fr@ig.com.br guilherme.pss@terra.com.br duducardosl@hotmail.

MELHORIA DE PROCESSO GANHO NO FLUXO PRODUTIVO EM LINHA DE MONTAGEM. Yuri.fr@ig.com.br guilherme.pss@terra.com.br duducardosl@hotmail. MELHORIA DE PROCESSO GANHO NO FLUXO PRODUTIVO EM LINHA DE MONTAGEM Yuri Franklin M. de Abreu 1 Guilherme Paiva Silva Santos 2 Lúcio Cardoso 3 Yuri.fr@ig.com.br guilherme.pss@terra.com.br duducardosl@hotmail.com

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E AMBIENTAL ISO 9001:2008 + ISO 14001:2004

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E AMBIENTAL ISO 9001:2008 + ISO 14001:2004 ISO 91:28 + ISO 141:24 1. PROPÓSITO: Descrever o Sistema de Gestão da Qualidade e Ambiental (SGQA) da MONDIL MONTAGEM INDUSTRIAL, comprovando assim a sua plena adequação à norma NBR ISO 91:28 Sistemas

Leia mais

TREINAMENTOS 2015. *NR-12: segurança no trabalho em máquinas e equipamentos.

TREINAMENTOS 2015. *NR-12: segurança no trabalho em máquinas e equipamentos. TREINAMENTOS 2015 Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas NR-12*. *NR-12: segurança no trabalho

Leia mais

Normalização do sistema de bloqueio conforme a NR 10

Normalização do sistema de bloqueio conforme a NR 10 Normalização do sistema de bloqueio conforme a NR 10 Robson Guilherme Ferreira (II) Jackson Duarte Coelho (III) Julio César Agrícola Costa da Silveira (I) Resumo O trabalho a ser apresentado tem como objetivo

Leia mais

OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA 6 DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE GESTÃO DE MUDANÇAS

OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA 6 DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE GESTÃO DE MUDANÇAS Impresso em 26/08/2015 10:31:18 (Sem título Aprovado ' Elaborado por Daniel Trindade/BRA/VERITAS em 01/11/2013 Verificado por Cintia Kikuchi em 04/11/2013 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em

Leia mais

Vasos de Pressão. Ruy Alexandre Generoso

Vasos de Pressão. Ruy Alexandre Generoso Vasos de Pressão Ruy Alexandre Generoso VASOS DE PRESSÃO DEFINIÇÃO: São equipamentos que contêm fluidos sob pressão, cujo produto P x V seja superior a 8. Em que: Pressão (Kpa) Volume (m 3 ) VASOS DE PRESSÃO

Leia mais

Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 06/04/2011

Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 06/04/2011 Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 6/4/211 PRODUTIVIDADE O que é o melhoria contínua? Quando se tem o Gerenciamento da Rotina implantado temos a melhoria tipo escada sempre melhorando o resultado

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Manutenção dos Sistemas de Produção

Curso de Engenharia de Produção. Manutenção dos Sistemas de Produção Curso de Engenharia de Produção Manutenção dos Sistemas de Produção Informações sobre a disciplina: Professor: Eng. Carlos Bernardo Gouvêa Pereira Site: www.carlosbernardo.com Email: prof_carlospereira@camporeal.edu.br

Leia mais

TREINAMENTOS 2015. *NR-12: segurança no trabalho em máquinas e equipamentos.

TREINAMENTOS 2015. *NR-12: segurança no trabalho em máquinas e equipamentos. TREINAMENTOS 2015 Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas NR-12*. *NR-12: segurança no trabalho

Leia mais

Anexo 2 Apêndice 3 PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIO

Anexo 2 Apêndice 3 PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIO ANEXO DO CONTRATO Anexo 2 Apêndice 3 PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIO Outubro - 2012 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PROCEDIMENTO PARA GESTÃO DO PARQUE TECNOLÓGICO... 3 3. ORIENTAÇÕES

Leia mais

CAPÍTULO 3 PLANO DE MANUTENÇÃO

CAPÍTULO 3 PLANO DE MANUTENÇÃO 3.1 PLANO DE MANUTENÇÃO CAPÍTULO 3 PLANO DE MANUTENÇÃO O Plano de Manutenção é composto pelas oito ferramentas abaixo representadas. É feito via web, pelo software Leankeep. 3.2 SOFTWARE O software, a

Leia mais

História NHP SERVICE.

História NHP SERVICE. História NHP SERVICE. No ano de 2007 era fundada a NHP SERVICE com o objetivo específico de ajudar a preservação do patrimônio, meio ambiente de seus clientes executando serviços diversificados para as

Leia mais

NOVO JEITO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTOS DO SEMAE DE SÃO JOSE DO RIO PRETO/SP

NOVO JEITO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTOS DO SEMAE DE SÃO JOSE DO RIO PRETO/SP 1 NOVO JEITO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTOS DO SEMAE DE SÃO JOSE DO RIO PRETO/SP TEMA V Mário Augusto Bággio Rua Fioravante Dalla Stella, 66 conjunto 223/18. Tel. /Fax (0**41) 3264 1154 E-mail:

Leia mais

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING MANUFATURA ENXUTA DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING A ORIGEM DA PALAVRA LEAN O termo LEAN foi cunhado originalmente no livro A Máquina que Mudou o Mundo de Womack, Jones e Roos, publicado nos EUA em 1990.

Leia mais

EVOLUÇÃO DA MANUTENÇÃO PLANEJADA NA COSIPA (1)

EVOLUÇÃO DA MANUTENÇÃO PLANEJADA NA COSIPA (1) EVOLUÇÃO DA MANUTENÇÃO PLANEJADA NA COSIPA (1) Wilson Roberto Nassar (2) Siméia Mendes do Amparo Dias (3) RESUMO A eliminação das lacunas na gestão da manutenção, com base na metodologia TPM, possibilita

Leia mais

Plano de curso Tecnologia em Trator de Esteira

Plano de curso Tecnologia em Trator de Esteira PLANO DE CURSO MSOBRFDTRE08 PAG1 Plano de curso Tecnologia em Trator de Esteira Justificativa do curso Os tratores de esteira são facilmente reconhecidos dentro do segmento de máquinas e equipamentos pela

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÃO Cabe à Diretoria de Operação a gestão dos negócios geração, transmissão e

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISCOP TORRE FORTE CONSTRUÇÕES LTDA.

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISCOP TORRE FORTE CONSTRUÇÕES LTDA. 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISCOP TORRE FORTE CONSTRUÇÕES LTDA. EDILBERTO SILVA 1, ADRIANO MARRA (1012295) 2, BRUNO OLIVEIRA (1012415) 2, BRUNO MOTTA (1012509) 2, JANAÍNA LIMA

Leia mais

PROTEÇÃO PARA CONTAMINAÇÃO DE LASTRO REGIÃO DE CARREGAMENTOS

PROTEÇÃO PARA CONTAMINAÇÃO DE LASTRO REGIÃO DE CARREGAMENTOS PROTEÇÃO PARA CONTAMINAÇÃO DE LASTRO REGIÃO DE CARREGAMENTOS - 1 - RESUMO Em regiões de carregamento, principalmente pontos de carga de minérios, existe uma grande contaminação do lastro ferroviário. Esta

Leia mais

Definição. Kaizen na Prática. Kaizen para a Administração. Princípios do Just in Time. Just in Time 18/5/2010

Definição. Kaizen na Prática. Kaizen para a Administração. Princípios do Just in Time. Just in Time 18/5/2010 Uninove Sistemas de Informação Teoria Geral da Administração 3º. Semestre Prof. Fábio Magalhães Blog da disciplina: http://fabiotga.blogspot.com Semana 15 e 16 Controle e Técnicas de controle de qualidade

Leia mais

MOINHO ALTA ROTAÇÃO E BAIXA ROTAÇÃO

MOINHO ALTA ROTAÇÃO E BAIXA ROTAÇÃO MANUAL DE OPERAÇÕES MOINHO ALTA ROTAÇÃO E BAIXA ROTAÇÃO MI-200 / MI-300 1 - Introdução Leia atentamente o Manual de Instruções, pois nele estão contidas as informações necessárias para o bom funcionamento

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

Gestão da manutenção hospitalar

Gestão da manutenção hospitalar Gestão da manutenção hospitalar Rômulo Lessa Aragão (HGF) romulolessa@gmail.com João Luis Pianco de Oliveira (UFC) jotaehli@gmail.com Resumo O artigo trata de um plano de melhorias desenvolvido no Hospital

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

PUC MINAS. Uma universidade em sintonia com o futuro

PUC MINAS. Uma universidade em sintonia com o futuro PUC MINAS Uma universidade em sintonia com o futuro No mapa de Minas Gerais, a Pontifícia Universidade Católica está presente em importantes regiões do Estado, através de uma estrutura multicampi composta

Leia mais

INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS

INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS Fundada em 1970, a 3RHO Interruptores Automotivos tem como principal objetivo, atender o mercado de reposição (Aftermarket), oferecendo aos seus clientes produtos com

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA Montagem Estrutura Metálica Em uma obra de estruturas metálicas, a montagem é considerada uma das fases mais importantes por representar uma

Leia mais

CADASTRE SEU CURRICULO GRATUITAMENTE EM NOSSO SITE WWW.MDRH.BR SELECIONA:

CADASTRE SEU CURRICULO GRATUITAMENTE EM NOSSO SITE WWW.MDRH.BR SELECIONA: Aux. Administrativo - Chapecó/SC Remuneração: R$ 1100.00 Refeitório e vale transporte Descrição: Acerto com os motoristas, conferencia dos novos pedidos para liberação da compra, cobrança e demais atividades

Leia mais

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG)

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) o Tel. (11) 3895-8590 premiodeexcelencia@revistaminerios.com.br

Leia mais

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Carta do Leitor Por: David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Engenheiro de produção pela Escola Politécnica da USP e especialista em PNL pela SBPNL. Gerente da área de Lean

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS

IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS Versão: 02 Página 1 de 5 1. OBJETIVO: Definir a metodologia para identificar e avaliar os aspectos e impactos ambientais, a fim de determinar as medidas necessárias para controle. 2. APLICAÇÃO: Este procedimento

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO ANEXO I

EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO ANEXO I MINISTERIO DA EDUCACÃO SECRETARIA DE EDUCACÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCACÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA. EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR

Leia mais

Lean Plant Design ALTA PERFORMANCE NO SEU PROJETO DE FÁBRICA

Lean Plant Design ALTA PERFORMANCE NO SEU PROJETO DE FÁBRICA Lean Plant Design ALTA PERFORMANCE NO SEU PROJETO DE FÁBRICA Olá! O primeiro passo para garantir um sistema de produção competitivo é um bom projeto de fábrica. Ele é que vai garantir que o seu pessoal

Leia mais

Como Evitar a Reforma de Colhedoras de Cana na Entre Safra. Eng. Bellini Bellmec Consultoria Ltda

Como Evitar a Reforma de Colhedoras de Cana na Entre Safra. Eng. Bellini Bellmec Consultoria Ltda Como Evitar a Reforma de Colhedoras de Cana na Entre Safra Como Evitar Reforma de Colhedoras na Entre Safra A colhedora de cana é um equipamento que tem um alto custo de manutenção. Chega-se a gastar,

Leia mais

CODERN TERMO DE REFERÊNCIA

CODERN TERMO DE REFERÊNCIA CODERN TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA EXECUÇÃO DO SERVIÇO DE ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM EQUIPAMENTOS E SISTEMAS ELÉTRICOS E MECÂNICOS DO TERMINAL

Leia mais

A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA

A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA Compromisso da Diretoria A GTECC tem como foco atender às expectativas do cliente de forma planejada, oferecendo soluções de Engenharia, Construção

Leia mais

Mining 2014 Redução de Custos

Mining 2014 Redução de Custos www.pwc.com.br Redução de Custos O desafio das empresas para manter a rentabilidade com preço do minério em queda Conectando Estratégia à Execução Luís Seixas Sócio Advisory Brasil competência Melhoria

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 IDENTIFICAÇÃO 3- CARACTERIZAÇÃO DA INSTALAÇÃO PORTUÁRIA 4 - PLANO DE TRABALHO 4.1 - CONHECIMENTO

Leia mais

Roteiro para Elaboração dos Planos de Gestão de Logística Sustentáveis PLS. Departamento de Logística e Serviços Gerais

Roteiro para Elaboração dos Planos de Gestão de Logística Sustentáveis PLS. Departamento de Logística e Serviços Gerais Roteiro para Elaboração dos Planos de Gestão de Logística Sustentáveis PLS Departamento de Logística e Serviços Gerais ÍNDICE PREPARAÇÃO... 3 A) IDENTIFICAÇÃO DA COMISSÃO GESTORA... 4 B) INSTITUIR POR

Leia mais

SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL SOLUÇÕES INDUSTRIAIS. A EMPRESA Para a SAFE, a tecnologia é somente um dos elementos de qualquer solução industrial. Suporte e serviços técnicos de alto nível são ingredientes

Leia mais

DESOBSTRUIDOR MIDES MODELO 4TES

DESOBSTRUIDOR MIDES MODELO 4TES DESOBSTRUIDOR MIDES MODELO 4TES MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO 1 INDICE 01- INTRODUÇÃO 02- DADOS TÉCNICOS 03- INSTALAÇÃO 04- COMANDOS ELETRICOS E PNEUMÁTICOS 05- OPERAÇÃO 06- MANUTENÇÃO NOTA:

Leia mais

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Responsável: Hernandes Pires do Reis Consultor da Divisão de Manutenção e Suporte a Sistemas Endereço:

Leia mais

FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE

FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE 1/7 RESUMO Realização de faceamento de blocos de motores diesel 7FDL, de locomotivas GE, usinando a superfície

Leia mais

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico RESUMO Entre as estratégias gerenciais em empresas de médio e grande porte existe o

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais