UNIVERSIDADE DO MINDELO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO MINDELO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO"

Transcrição

1 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO DEPARTAMENTO DE F&B DOMINGAS MANUELA BAPTISTA CRUZ São Vicente, 15 Novembro 2013

2 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO Relatório de Estágio Profissional para cumprimento dos requisitos necessários á obtenção do grau de Licenciatura do curso de Gestão Hoteleira e Turismo da Universidade do Mindelo Orientador: Mestre João Henrique Rêgo DOMINGAS MANUELA BAPTISTA CRUZ São Vicente, 15 Novembro 2013 SÃO VICENTE ii

3 Domingas Manuela Baptista Cruz, autora do Trabalho de Conclusão de Curso intitulado Relatório de Estágio Profissional, declara que, salvo fontes devidamente citada se referidas, o presente documento é fruto do seu trabalho pessoal, individual e original. SÃO VICENTE iii

4 Sumário I-INTRODUÇAO OBJECTIVOS OBJECTIVO GERAL OBJECTIVOS ESPECÍFICOS METODOLOGIA APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE ACOLHEDORA SURGIMENTO DA HOTELARIA... 7 II-REFERENCIAL TEÓRICO FUNÇÕES DA ASSISTENTE DE F&B DO HOTEL FOYA BRANCA ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES DA ASSISTENTE DE A&B: QUALIDADES DO RESPONSÁVEL DE F&B POLÍTICAS COMERCIAIS\ MARKETING POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO / DISTRIBUIÇÃO CONTRATO DE ALLOTMENT Preços Marketing Directo Vendas RECURSOS HUMANOS FASES DO RECRUTAMENTO Horário de trabalho FASES DO EVENTO COZINHA REQUISITOS DA BRIGADA DA COZINHA ANÁLISE E DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES: PLANEAMENTO EQUIPAMENTOS UTENSÍLIOS CLASSIFICAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS, MÓVEIS, MATERIAIS E UTENSÍLIOS: HIGIENE E SEGURANÇA NA COZINHA Formação Fardamento / Mãos / Unhas HACCP Regras de higiene profissional Regras de higiene pessoal e corporal na cozinha Regras de higiene do material e dos locais Regras de Segurança HACCP- sua aplicação prática TÉCNICAS DE REFRIGERAÇÃO E CONGELAÇÃO FICHA TÉCNICA DOS PRODUTOS SÃO VICENTE iv

5 3.RESTAURANTE E BAR ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES DO PESSOAL DO RESTAURANTE/SNACK-BAR: TIPOS DE SERVIÇOS E TIPOS DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS LOCALIZAÇÃO ESPAÇOS MOBILIÁRIO E UTENSÍLIOS DO RESTAURANTE E BAR DO HOTEL DECORAÇÃO MÚSICA AMBIENTE CARDÁPIO Um cardápio deve necessariamente: Alguns factores são determinantes na elaboração de um cardápio, como: ALGUNS DOS SERVIÇOS DO HOTEL BAR GESTÃO E CONTROLE DA CAIXA ECONOMATO CÂMARA FRIGORÍFICA CAVE FICHA DE STOCK REQUISIÇÃO INTERNA GESTÃO DE COMPRAS O CHEFE DE COMPRAS DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE COMPRAS A RECEPÇÃO DAS MERCADORIAS LOCALIZAÇÃO E EQUIPAMENTO NORMAS DE RECEPÇÃO DE MERCADORIAS GESTÃO DO ECONOMATO ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO DAS MERCADORIAS DO HOTEL CODIFICAÇÃO DOS PRODUTOS (NO PROGRAMA INFORMÁTICO) CONTROLO IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLO DE F&B O CONTROLO DO F E B VISA SOBRETUDO PRINCÍPIO PARA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA EFICIENTE CONTROLO DE BEBIDAS NO BAR E RESTAURANTE CONTROLE DAS DESPESAS DE BUFFET E RODÍZIO ANÁLISE DE ÍNDICE DE RENTABILIDADE E POPULARIDADE CONTROLO DA COZINHA III.ANÁLISE DE COMPETÊNCIAS ADQUIRIDAS IV.CONSIDERAÇÕES FINAIS V.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SÃO VICENTE v

6 VI.ANEXOS SÃO VICENTE vi

7 LISTA DE TABELAS Tabela 1- quadro das cores dos materiais.40 Tabela 2- oferta de pratos.57 SÃO VICENTE vii

8 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Ilustração 1-Organigrama do hotel.5 Ilustração 2-organigrama funcional F e B...9 Ilustração 3-organigrama funcional da cozinha.27 Ilustração 4-organigrama funcional do restaurante...44 Ilustração 5- áreas do economato..62 SÃO VICENTE viii

9 LISTA DE SIGLAS GHT- gestão hoteleira e turismo F & B foodandbeverage - alimentos e bebidas HACCP- HazardAnalysisandCriticalControlPoint (Análise dos Perigos e Pontos Críticos de Controlo FIFO- firstinfirstout primeiro a entrar, primeiro a sair SÃO VICENTE ix

10 LISTA ABREVIATURAS TV- televisão Alim- alimentos Ex - exemplo SÃO VICENTE x

11 LISTA DE EXPRESSÕES TECNICAS LAND VIEW- vista para terra SEA VIEW- vista para mar PACKAGES- pacotes MISE-EN-PLACE- organização de trabalho LAYOUT- projecto TWIN- quarto com duas camas ALLOTMENTS- conjunto de quartos atribuído a um operador ECOCHIP- economizador de energia MAILING- correspondência direccionada FLYER- panfleto publicitário HAPPY HOUR- tempo criado pelos hotéis para forçar a venda com base em descontos promocionais PART TIME- trabalho temporário COFFE SHOP- cafetaria GOURMET- especialista de boa cozinha GUERIDON- mesa de apoio técnico que serve para cozinhar CASH- pagamento a dinheiro DIRECT MARKTING- marketing directo RENT-A-BIKE- aluguer bicicleta SÃO VICENTE xi

12 RESUMO Para completar o curso existe a possibilidade de escolher entre a elaboração de uma monografia ou a realização de um estágio profissional e do respectivo relatório. A opção assumida foi a de estágio, que decorreu no hotel Foya Branca situado em são Pedro pelo período de três meses, visando o ajustamento entre a teoria assimilada nas aulas e a realidade do mundo do trabalho. O estágio decorreu no departamento de Food and beverage (F&B) abrangendo as áreas bar/ restaurante, economato, cozinha, permitindo conhecer as práticas de planeamento e gestão de eventos, recursos humanos, vendas e a política comercial do Hotel. O formando deveria ainda aprofundar um dos temas tratados na área de estágio. A opção assumida foi o controlo, com a finalidade de conhecer, perceber e executá-lo nas diferentes áreas desse departamento. Houve a necessidade de conhecer o funcionamento das diversas áreas, bem como o staff, os equipamentos, as funções, a organização, e a prática das tarefas que integram as actividades de cada secção, desde as actividades operacionais elementares até às das de gestão e controlo. Palavra-chave: F&B, Eventos, Recursos Humanos, Comercialização, Controlo SÃO VICENTE xii

13 ABSTRAT In order to acquire the degree there was the possibility to choose between a Monograph or a Report of a Professional training experience. The option followed was a three month s training, at Foya Branca Resort Hotel, in S.Pedro, with the intention of an adjustment, between the theory acquired on classes and the day to day reality. The training took place in the F&B Department, covering areas as: bar / restaurant, stationery, kitchen, allowing the understanding, planning and management practices of events, Human Resources, sales and the commercial policy of the Hotel. The trainee should also develop more deeply one of the matters he had the chance to deal during that period. The option token was the control, with the intention to know, understand and execute it, in all the areas of the Department. There was the need to understand the procedures of all areas, as well as the staff, the equipments, the functions, the organization and the practice of the works that integrate the activities of each section, from the operational simple ones, to the ones of management and control. Key words: F&B, Events, Human Resources, Sales, Control. SÃO VICENTE xiii

14 AGRADECIMENTOS Primeiramente agradeço a Deus por ter-me ajudado até aqui, por ser a fonte onde recorria nos meus momentos de aflição. Também tenho muito a agradecer a minha mãe que tem vindo a ser o meu suporte e apoio em todos os momentos, agradeço a minha família que esteve ao meu lado durante esses anos de luta e conquistas. Agradeço aos meus amigos, colegas e companheiros que estiveram comigo e me aturaram o meu mau feitio e que ririam comigo em situações propícias. Um agradecimento especial ao professor, coordenador, orientador Mestre João Henrique Rego pelo apoio, orientação, disponibilidade, sugestões, criticas que tanto me ajudaram e principalmente pela paciência sem fim. Em memoria do meu PAI que partiu antes de o conhecer. Muito obrigado a todos. SÃO VICENTE xiv

15 I-INTRODUÇAO O curso de gestão hoteleira e turismo é um curso de cariz pratico que implica um complemento operacional, que vai facilitar aos formandos a aquisição de competências, que só se podem ser adquiridas na prática do dia-a-dia, permitindo aos mesmos a possibilidade de fazerem a ponte entre a teoria aprendida ao longo dos 4 anos e a realidade a enfrentar ao longo de toda a sua vida profissional. Sendo assim a necessidade do contacto com a realidade laboral é cada vez mais determinante, pois é importante o formando conhecer o meio/mercado em que esta inserido, para que se possa adaptar da melhor forma possível. A universidade possibilita ao formando a realização de um estágio como complemento e conclusão do curso, e sendo o curso de GHT um curso, que tem um vasto leque de opções para saídas profissionais, eu optei por fazer o meu estágio no departamento de F e B, que decorreu no Resort Hotel Foya Branca, com intuito de adquirir ferramentas, competências e conhecimentos necessários a uma rápida integração e colocação no mercado de trabalho. Este relatório abrange as áreas de Cozinha, Compras, Economato, Restaurante/Snack-Bar e Gestão de F e B nas suas múltiplas vertentes. SÃO VICENTE 1

16 1-OBJECTIVOS 1.1.Objectivo Geral Ampliar o conhecimento sobre a gestão de F e B, adquirir uma capacidade crítica e uma desenvoltura, que permitam enfrentar da melhor forma possível situações, que não estejam em conformidade com a teoria apreendida. 1.2.Objectivos Específicos Relacionar conteúdos assimilados ao longo das aulas com a prática Conhecer bem melhor as áreas do departamento e as suas funcionalidades Reconhecer as funções dos colaboradores e a sua importância para obter um bom produto Conhecer as políticas de controlo existentes no departamento Desenvolver capacidade de resolver questões operacionais SÃO VICENTE 2

17 2.METODOLOGIA A metodologia trata de um estudo sobre um tema específico ou particular, com suficiente valor representativo e que obedece determinadas regras, permitindo investigar um determinado assunto não só em profundidade, mas também em todos os seus ângulos e aspectos, dependendo dos fins a que se destinam, incluindo ainda um estudo pormenorizado, uma avaliação dos vários métodos disponíveis e identificando as suas limitações. A metodologia baseada na elaboração deste relatório de estágio profissional realizado no departamento de estágio consiste basicamente na observação e execução das tarefas inerentes ao departamento de forma a permitir uma aquisição de aptidões, competências e valências práticas através de um estágio profissional A metodologia que serviu de base à elaboração do presente relatório, resume-se: 1- Observação directa Consiste em estuda de forma atenta e pormenorizada, as execuções práticas, de cada operação. 2- Participação - Consiste na execução prática de tarefas, com a intenção de aprimorar as operações ordenadas, possibilitando uma maior liberdade na execução das operações. Este trabalho é constituído pela fundamentação teórica que serviu como suporte para o trabalho, e a descritiva onde se efectuou uma descrição detalhada das actividades desenvolvidas no Resort Hotel Foya Branca mais concretamente no departamento de F&B. SÃO VICENTE 3

18 3.APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE ACOLHEDORA Foya Branca Resort Hotel encontra-se situado em São Vicente, mais concretamente na praia de Santo André, a uma distância de 1 km do aeroporto e a 5 km da cidade do Mindelo. Construído á 01 de Janeiro de 1999, o Hotel possui actualmente um capital social de contos, trata-se de uma sociedade por quotas, com pelo menos 30 sócios. Sendo a sócio maioritário detém 23% das acções e dos restantes a maioria tem cerca de 2 á 3 % de acções. Este empreendimento conta com cerca de 62 (sessenta e dois) trabalhadores. Foya Branca é um complexo turístico de metros quadrados, perfeitamente integrado no ambiente que o rodeia. O Resort dispõem de 74 (setenta e quatro) unidades de alojamentos, estruturadas em: dezasseis juniores suites com quatro quartos triplos e doze quartos duplos, seis vilas sendo que duas tem dois quartos, duas vilas com quatro quartos e duas de três quartos. Também possuem cinquenta e dois standards sendo eles sete com Land View, e quarenta e cinco com SeaView. Os alojamentos de Land view dispõem de sete camas de casal, os Seaview tem nove camas de casal e trinta e seis twins, ainda o hotel dispõem de três quartos adaptados para os deficientes, todas as unidades estão equipadas com cofres, telefones, mini bares, T.V., sistema de alarmes nas casas de banho, detectores de fumo, secadores de cabelo, casas de banho com duche, água quente e fria. Todos os quartos têm ar condicionado com excepção das vilas que possuem ventiladores. Relativamente aos quartos com ar condicionado (no bloco novo) as portas são abertas através de um cartão e depois de aberta é introduzida no eco-ship e todos os equipamentos ligam automaticamente. Este complexo turístico possui ainda um restaurante, dois bares, um snack-bar, duas cozinhas modernamente equipados. Os hóspedes podem usufruir de três piscinas de água doce, sendo uma para as crianças. Á volta das piscinas existem cadeirões. Os clientes têm a disposição um ginásio, um campo de ténis e um parque infantil. O Hotel proporciona o SÃO VICENTE 4

19 transporte de hóspedes e funcionários do Hotel - Cidade e Cidade - Hotel. Ainda oferece o serviço de rent-a-car, rent-a-byke e excursões para Santo Antão entre outros locais. Para além de alojamento, o hotel oferece um serviço de rodízio todos os Sábados com música ao vivo e aos domingos proporcionam self-service ao almoço, com piscina incluída. O Hotel encontra-se estruturado da seguinte forma: Ilustração 1- organigrama do hotel Direcçã ogeral Dep. de F&B Dep. de Alojamento Dep. Financeiro Cozinha Bar/ Restaur. Economato Recepção Andare s Animaçã o Transport e Manutenção Contabilidad e Adminis trativos Tesouraria r Restau r. Front office Reserva Quartos Limpeza Portaria Lavandari a SÃO VICENTE 5

20 Visão Proporcionar aos clientes um serviço, eficiente, rápido e com elevada qualidade, de modo a destacar face a concorrência e alcançar a liderança do mercado. Missão A missão do hotel visa disponibilizar serviços de alojamento e restauração, de modo a atender as necessidades e expectativas dos clientes/hóspedes, parceiros e empresas, tendo em conta sempre a qualidade e o preço. SÃO VICENTE 6

21 4.SURGIMENTO DA HOTELARIA Com a Revolução industrial no século XIX, veio o surgimento da máquina a vapor, a energia eléctrica, e outras inovações que foram de grande importância para o desenvolvimento da hotelaria, e consequentemente para o sector de F&B, pois as pessoas passaram a escolher meios de hospedagem que oferecesse além de serviços de hospedagem, o da refeição. Assim o que era restrito apenas para os bares e tabernas, passou a fazer parte dos principais serviços oferecidos aos clientes \ hóspede. Foi também neste período, que a burguesia endinheirada, passou a comprar os castelos da nobreza falida e passaram a alugar para famílias de nobres e da alta burguesia. Em 1870, César Ritz, construiu um estabelecimento hoteleiro em Paris, o mais moderno na altura, o famoso Hotel Ritz, que dentre tantos serviços ofertados, fazia também parte o serviço de alimentos e bebidas, serviços esses que ficou sob a responsabilidade do cozinheiro George Auguste Escoffier. Na América também houve uma grande evolução dos hotéis. Em 1525 foi fundado o primeiro hotel no continente americano. Em 1794, foi construído o New York s City Hotel.Em 1828, surge o TremontHouse, considerado o primeiro hotel de 1ª classe. Quanto a origem da restauraçao A origem da restauração, remonta a anos antes de Cristo, quando os povos da Mesopotâmia, conheciam já os processos, de fabrico do vinho e da cerveja. Em Atenas, 500 anos antes de Cristo, existiam já Albergarias, onde se serviam abundantes refeições, aos residentes e visitantes. Quanto ao nome pode-se dizer que a origem desse nome restaurante não é antiga, em 1765, um francês, de nome Boulanger, negociava caldos e resolve dar ás suas sopas o nome de restaurants (restauradores/revigoradores), daí a generalização do termo, como acção de restaurar as forças e as energias, através da ingestão de alimentos e bebidas. Até ao aparecimento do caminho-de-ferro, a velocidade e a distância, a que o homem podia viajar, eram determinadas pela capacidade do cavalo. Naturalmente, as estalagens de SÃO VICENTE 7

22 muda, deram origem aos hotéis, e restaurantes turísticos, implantando-se assim, a restauração tradicional e clássica, em vários Países da Europa. A restauração é um serviço que deve ser considerado como uma actividade muito importante na economia e na sociedade moderna pois satisfaz uma necessidade primária, a alimentação. A restauração, evoluiu e especializou-se, de forma a dar resposta á diversidade de necessidades, que se foram criando. SÃO VICENTE 8

23 II-REFERENCIAL TEÓRICO A área seleccionada para realização do estágio profissional foi a que se ocupa das operações de alimentos e bebidas, bem como da coordenação dos sectores inerentes a essa operação. O departamento de F&B abrange 3 sectores/áreas: Economato; Cozinha; Bar \ restaurante. Organigrama do F e B, do hotel Foya Branca Ilustração 2- organigrama do F e B F&B Economato Cozinha Reataurante e bar SÃO VICENTE 9

24 O departamento de F&B, é a mais complexa das estruturas organizacionais e funcionais de um hotel, isso devido às despesas de mão-de-obra que são aproximadamente 2.5 vezes maiores do que o sector de hospedagem, e a receita é 4 vezes menor comparativamente com o mesmo sector(castelli, 2003). Esse departamento exige um profissional com uma grande experiência na área, e uma boa brigada dos funcionários que trabalhem conjuntamente com o responsável desse departamento. O termo Food & Beverage (Alimentos e Bebidas) adoptou-se para designar todas as actividades relacionadas com a produção, o serviço e a comercialização de comidas e bebidas. É parte integrante da estrutura de qualquer hotel e funciona na completa dependência da direcção do hotel. O departamento de F&B é composto por todos os serviços que se relacionam com os restaurantes, bares, cozinhas (produção) e gestão de aprovisionamento, obedecendo sempre a um controlo para que tudo esteja em harmonia com um serviço de qualidade oferecendo maior satisfação ao cliente, tendo sempre em vista a maximização do lucro e minimização do custo. Entre os factores que afectam os lucros, fazendo descer o nível das receitas, podemos mencionar a concorrência, leis e regulamentos, bem como a resistência dos clientes. Por outro lado, outros factores exercem pressões sobre os custos, nomeadamente as matérias-primas, a mão-de-obra, os diversos produtos operacionais, as taxas e impostos. O volume das vendas constitui o termómetro de qualquer negócio. É um aferidor que obriga as mudanças, sempre que tal volume se torna insatisfatório. Entre as causas mais usuais da diminuição do nível de vendas podem citar-se: SÃO VICENTE 10

25 Preços fora da concorrência Monotonia das ementas Fraca qualidade da alimentação servida Serviço lento e ineficiente Falta de condições sanitárias Ambiente pouco atractivo e ruidoso Localização inadequada Promoção deficiente O custo das matérias-primas e as despesas com o pessoal constituem, por outro lado, as componentes principais dos custos elevados das operações de alimentação e bebidas. Das variadas causas de custos elevados das matérias-primas, podem mencionar-se: A compra ineficiente O desperdício e a deterioração A produção excessiva O desvio dos produtos A incorrecta fixação dos preços de ementa SÃO VICENTE 11

26 Assistente de F & B 1.Funções da Assistente de F&B do hotel Foya Branca A assistente de direcção do F&B é a responsável pela gestão de alimentos e bebidas, portanto tem de coordenar os sectores e \ ou áreas inerentes que contemplam esse departamento, que passo a citar: restaurante \ snackbar, cozinha, compras, economato, planeamento de eventos, comercialização e gestão dos recursos materiais e humanos. 1.1Atribuições e Responsabilidades da Assistente de A&B: Supervisionar todas as secções pela qual é responsável; Examinar o estado de conservação, funcionamento e limpeza dos móveis, equipamentos e utensílios das mesmas; Efectuar controlos Atender as reclamações e sugerir medidas de melhoria; Elaborar ementas de buffet; Fazer análise da rentabilidade e popularidade dos pratos da ementa; Actualizaras fichas técnicas conforme as necessidades; Fazer a comparação de custos e receitas mensalmente; Elaborar o horário de trabalho e escalas de serviço. Elaborar propostas dos menus dos serviços especiais, Cuidar das condições dos uniformes e da higiene nos locais que oferecem alimentos e bebidas, Supervisionar e participar dos inventários de materiais em stock, Coordenar e programar o mapa de férias; Assessorar no recrutamento na selecção e no treino de pessoal afecto ao departamento. SÃO VICENTE 12

27 Supervisionar o processo de elaboração dos alimentos e bebidas nos diversos pontos de produção analisando a sua qualidade e quantidade, controle permanente de inventários. 1.2.Qualidades do responsável de F&B O responsável de F&B deve reunir algumas qualidades indispensáveis para um eficaz desempenho das suas tarefas. Determinação; Disciplina; Capacidade de trabalho; Rigor; Persistência Deve também possuir formação académica, conhecimentos de contabilidade e de gestão. SÃO VICENTE 13

28 1.3.POLÍTICAS COMERCIAIS\ MARKETING O conhecimento das modernas técnicas de marketing e sua aplicação no ramo tornam-se indispensáveis na condução do negócio hoteleiro. Identificação de oportunidades de mercado, desenvolvimento de produtos, construção da marca, passando por conquista de cliente, fidelização, sistemas de informação, serviços de promoção e vendas, segmentação de mercado, análise da concorrência, etc, são temas a serem tratados, com o objectivo de fornecer subsídios para boa aplicação prática do marketing na administração do hotel. Estudo de Mercado O estudo de mercado constitui uma mais-valia para o empreendedor na medida em que permite diminuir as incertezas, possibilitando o conhecimento e análise das possíveis fraquezas e forças da empresa, bem como as possíveis oportunidades e ameaças do mercado. Assim o estudo de mercado consiste em obter dados importantes que possibilitam a análise dos clientes, concorrentes, e outros destinos, de forma a ajudar na tomada de decisões. Assim o marketing surge como um instrumento fundamental na análise do mercado, na concepção do produto e na promoção das vendas. Na moderna gestão de uma organização de alimentos e bebidas, o consumidor é o foco de todo o planeamento operacional, desde a concepção do produto até é ao seu serviço. Deste modo o hotel procura conhecer o máximo possível o mercado para tentar analisar pontos como: Tendências de mercado; Possíveis modificações na estrutura do mercado decorrente da evolução económica; Manobras da concorrência; Inovações, capazes de criar novas necessidades; Comportamentos e hábitos de compra; Distribuição espaço / temporal da procura; Procedência e estrutura económica dos clientes; SÃO VICENTE 14

29 Eficácia da comunicação; Aceitação dos produtos / serviços; Necessidades não satisfeitas; Tendo sempre em conta a estrutura macro e micro económica tentando prever o comportamento dos mercados á curto, médio e longo prazo. Através do estudo de mercado, pode-se ainda identificar os segmentos de mercado que podem enquadrar no perfil do resort hotel, ou seja permite escolher a própria clientela oferecendo-lhe produtos/ serviços que a satisfaçam, tendo em conta os custos e a rentabilidade da segmentação de um mercado. Assim pode-se definir segmento de mercado como um conjunto de pessoas com características comuns tais como a idade, nível de rendimento, nível cultural, profissão, características étnicas, motivações, hábitos e comportamentos de consumo, etc. O resort hotel de acordo com essas características procura desenvolver um conjunto de contactos de forma a explorar os segmentos de mercado que mais interessam ao empreendimento. Após estudar o mercado, bem como identificar os segmentos de mercado, o hotel desenvolveu o seu produto de forma a ir de encontro com essa característica. É neste contexto que a empresa optou pela cozinha internacional de forma a captar clientes no mercado externo e interno Política de divulgação / distribuição No mercado existem várias formas de promoção mas para que essa seja saudável é necessário saber escolher os canais adequados de divulgação, pois para a promoção este canal deve ser eficiente e eficaz de forma a obter os resultados instituídos. SÃO VICENTE 15

30 O Hotel Foya faz divulgação das promoções nos agentes de viagem/operadores turísticos, da Imprensa, das empresas, das embaixadas/câmaras de comércio, das companhias de aviação e público em geral, isso através de relações Públicas; Mailings; Visitas promocionais (porta a porta); Feiras / Workshops / Road Shows; Press releases; Famtrips; Acordos vários, fazendo uso de seguintes meios: Tarifas segmentadas; Packages; Contratos de allotment com operadores turísticos / agentes de viagem; Contratos com empresas; Acordos de permuta; Publicidade pontual, devidamente estudada; Eventos pontuais; Internet Contrato de allotment No caso das contratações dos allotments com os operadores turísticos, o estabelecimento procura estimular a venda da meia pensão (alojamento, pequeno almoço e jantar) Preços o hotel possui diversas cartas: Carta de bar; Carta de vinhos; Carta do restaurante; Carta de snacks; Carta do mini bar. Os preços dessas cartas deverão ser estipulados depois de estudar a qualidade das instalações, dos serviços prestados e mercado em geral. No que tange aos preços das comidas e bebidas são elaborados de forma a estarem em linha com outras unidades da zona, consideradas concorrentes. O pacote é uma oferta que atrai clientes uma vez os preços são mais atraentes e os clientes vêem isso como uma oportunidade de desfrutar de alguns serviços a um preço mais acessível. SÃO VICENTE 16

31 Aquando da elaboração de packages é sempre incluída no mínimo uma refeição no hotel. Seguidamente são indicados alguns packages elaborados como intuito de promover os períodos baixos e atrair clientela segmentada: Dia de São Valentim; Carnaval; Páscoa; Pausa de fim-de-semana; Lua-de-mel; Programa de Natal e de Fim de Ano Marketing Directo Uma condição imprescindível para que o hotel possa desenvolver um eficiente programa de direct marketing é a construção de uma base de dados de potenciais clientes. Instrumentos: Correio directo: Cartas; Panfletos; Brochuras; Cassetes, disquetes e CD roms. Telemarketing: Telefone; Fax; E- mail. SÃO VICENTE 17

32 Meios mais importantes de marketing directo e que são utilizados no resort hotel Brochuras - As brochuras e os panfletos publicitários são instrumentos promocionais mais usados pelo hotel. Constituem, por excelência, os primeiros meios de aproximação ao cliente. Pelo facto de mostrarem visualmente equipamentos, instalações e serviços oferecidos, ambos conseguem, desde que bem elaborados, mobilizar e despertar o interesse / desejo do consumidor em favor do hotel, actuando assim como um eficaz agente de vendas. A concepção, dentro do orçamento disponível e objectivos a atingir, respeita as seguintes regras básicas: Ser o reflexo real daquilo que o hotel tem para oferecer; Ponderar a psicologia do homem moderno que dispõe de pouco tempo para ler. Deverá ser essencialmente um conjunto criativo de textos, cores e imagens harmonizado de forma a tornar clara a mensagem que se quer transmitir; Levar em atenção as exigências do consumidor em relação a cores, papel, idioma e formato. Mailing Mailingdireccionados ou geral é o envio de correio directo dirigido aos clientes que compõem a base de dados do hotel. Os clientes são seleccionados como público alvo a atingir. Os mailings podem ser feitosatravés de carta, fax ou , tendo sempre como principal objectivo a divulgação e venda dos serviços do Resort Hotel Foya Branca. Estabelecer um tema específico ou um produto a promover por cada mailing, para melhor atrair a atenção dos clientes do objectivo que se pretende: Início de época; Eventos pontuais, (festa de fim de ano, fins de semana compridos, outros); SÃO VICENTE 18

33 É o meio mais utilizado, para promoção do F&B, pois é mais económico e mais focado no público-alvo, sendo enviado para os clientes que se encontram na base de dados do hotel. Flyers- O flyer normalmente consiste numa folha que tem por finalidade apresentar de uma forma clara, sucinta e apelativa o produto que pretendemos comercializar. A sua simplicidade e o seu custo reduzido facilitam a produção em quantidade e a sua distribuição massiva. Packages - Os packages são feitos a partir de um conjunto de produtos e serviços com um único preço global no sentido de fomentar as vendas em momentos especiais, satisfazendo ao mesmo tempo as necessidades latentes dos clientes. Na generalidade os packages são compostos por produtos e serviços do próprio hotel e de outros serviços. O objectivo primordial é conjugar um conjunto de produtos / serviços que no seu todo permita ao cliente final usufruir de todo esse composto a um preço relativamente mais acessível do que caso optasse pela aquisição separada, isto é, trata concretamente de compor um conjunto de produtos num só produto de forma a satisfazer necessidades do mercado e conseguir os objectivos da empresa. Relativamente ao F&B, o hotel criou o pacote de fim-de-semana de modo a captar os clientes do mercado interno de maneira a que o sector de alimentos e bebidas tenha mais afluência, participando ainda do pequeno-almoço, do serviço de rodízio e buffet Vendas Avenda é uma das principais prioridades de qualquer organização com fins lucrativos, assim sendo obriga o gestor a fazer uso dos mecanismos de marketing adequados de forma a cativar o consumidor a comprar o produto. SÃO VICENTE 19

Hotelaria e Restauração

Hotelaria e Restauração Hotelaria e Restauração Código Carga UFCD UFCD Horária H 1755 Preparação de cremes de pastelaria e recheios 25 1760 Preparação de massas lêvedas especiais de pastelaria e padaria 50 1761 Preparação de

Leia mais

ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS [recomendações]

ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS [recomendações] ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS [recomendações] Portugal em Acção ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS As estruturas, as instalações e o equipamento dos estabelecimentos de restauração ou

Leia mais

Gerente de alimentos e bebidas Planejar supervisionar, coordenar e controlar as atividades na área de a&b; Zelar pelas boas condições de higiene nos

Gerente de alimentos e bebidas Planejar supervisionar, coordenar e controlar as atividades na área de a&b; Zelar pelas boas condições de higiene nos Gerente de alimentos e bebidas Planejar supervisionar, coordenar e controlar as atividades na área de a&b; Zelar pelas boas condições de higiene nos locais que oferecem a&b; Zelar pela perfeita condição

Leia mais

CHEFE DE COZINHA (M/F)

CHEFE DE COZINHA (M/F) PERFIL PROFISSIONAL CHEFE DE COZINHA (M/F) ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL - HOTELARIA, RESTAURAÇÃO E TURISMO - Organizar, coordenar e controlar o funcionamento do serviço de cozinha em estabelecimentos

Leia mais

REQUISITOS GERAIS HÍGIO SANITÁRIOS E TECNICO-FUNCIONAIS PARA A OFERTA E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTARES NA FEIRA INTERNACIONAL DE LISBOA (FIL)

REQUISITOS GERAIS HÍGIO SANITÁRIOS E TECNICO-FUNCIONAIS PARA A OFERTA E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTARES NA FEIRA INTERNACIONAL DE LISBOA (FIL) MANUAL REQUISITOS GERAIS HÍGIO SANITÁRIOS E TECNICO-FUNCIONAIS PARA A OFERTA E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTARES NA FEIRA INTERNACIONAL DE LISBOA (FIL) O objectivo deste manual é fornecer informação

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2005

PROJETO DE LEI Nº, DE 2005 PROJETO DE LEI Nº, DE 2005 (Do Sr. Alex Canziani) Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de cozinheiro. Congresso Nacional decreta: Art. 1º Considera-se cozinheiro, para efeitos desta

Leia mais

DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO

DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO PERFIL PROFISSIONAL DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO ÁREA DE ACTIVIDADE - HOTELARIA, RESTAURAÇÃO E TURISMO OBJECTIVO GLOBAL - Planear, dirigir e controlar as actividades de produção e de serviço de alimentos

Leia mais

PLANO DE HIGIENE ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO

PLANO DE HIGIENE ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO 6 REFEITÓRIO / CAFÉ 7 COPA 8 VESTUÁRIOS e / ou CASAS DE BANHO Elaborado: Aprovado:

Leia mais

Departamento de Gestão e Economia Controlo da Qualidade. XáàtÄtzxÅ t dâ Çàt. Implementação do Sistema HACCP

Departamento de Gestão e Economia Controlo da Qualidade. XáàtÄtzxÅ t dâ Çàt. Implementação do Sistema HACCP Departamento de Gestão e Economia Controlo da Qualidade XáàtÄtzxÅ t dâ Çàt Implementação do Sistema HACCP O HACCP HACCP - (Hazard Analysis, Critical Control Points) em português Análise dos Perigos e Pontos

Leia mais

Trabalho de Contabilidade Analítica

Trabalho de Contabilidade Analítica Trabalho de Contabilidade Analítica HOTEL MALCATUR 1. Estutura operacional do hotel 2. Estruturas e equipamentos complementares de apoio 3. Aspectos sobre o marketing-mix 4. Previsão das vendas 5. Estrutura

Leia mais

IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO

IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO 1999 I. ÁREA ESTATÍSTICA / LINHAS GERAIS DA ACTIVIDADE ESTATÍSTICA NACIONAL 1998-2001 O Conselho Nacional

Leia mais

NORMAS DE HIGIENE E SEGURANÇA - TASQUINHAS DAS FESTAS DO BARREIRO 2015 -

NORMAS DE HIGIENE E SEGURANÇA - TASQUINHAS DAS FESTAS DO BARREIRO 2015 - NORMAS DE HIGIENE E SEGURANÇA - TASQUINHAS DAS FESTAS DO BARREIRO 2015 - O presente documento destaca as principais medidas de segurança e higiene no trabalho que deverão ser implementadas e cumpridas

Leia mais

[SELO ALIMENTO SEGURO]

[SELO ALIMENTO SEGURO] 1 Lista de Verificação Selo Alimento Seguro Lista de Verificação com a finalidade de examinar todos os aspectos relacionados com as instalações, equipamentos, ferramentas, instrumentos utilizados pelas

Leia mais

Ficha Técnica de Fiscalização. Restauração e Bebidas

Ficha Técnica de Fiscalização. Restauração e Bebidas Legislação aplicável: Licenciamento: o Decreto-Lei n.º 168/97 de 04 de Julho, alterado e republicado pelo Decreto-Lei n.º 57/2002 de 11 de Março, que aprova o regime jurídico da instalação e funcionamento

Leia mais

ORIGEM OBJECTIVOS: Iniciado em 2004, por um desafio lançado ado pelo Governo Português, para o Campeonato Europeu de Futebol. MISSÃO: Criar e desenvolver, em contínuo, nuo, uma Rede de Estabelecimentos

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA. Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013.

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA. Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013. SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013. BOAS PRÁTICAS PARA COMÉRCIO AMBULANTE DE ALIMENTOS A Secretaria do

Leia mais

TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL

TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL Índice 1. Turismo no espaço rural: tipologias.2 2. Exploração e funcionamento.... 5 3. Legislação aplicável.17 Bibliografia. 18 1 1.Turismo no espaço rural: tipologias

Leia mais

Ficha Técnica de Fiscalização

Ficha Técnica de Fiscalização FTF: 64//07 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Nome/Designação Social: Morada: IDENTIFICAÇÃO DA BRIGADA Brigada: Direcção Regional: Data de Controlo: / / Hora: h m LEGISLAÇÃO APLICÁVEL: Licenciamento: o

Leia mais

HIGIENE DO MANIPULADOR DE ALIMENTOS

HIGIENE DO MANIPULADOR DE ALIMENTOS DE ALIMENTOS 2. HIGIENE DO MANIPULADOR O principal responsável dos casos de intoxicação é quase sempre o Homem. As intoxicações alimentares são causadas, quase sempre, por não se seguir as boas práticas

Leia mais

*RESOLUÇÃO SMSDC Nº 1.424 DE 16 DE FEVEREIRO DE 2009

*RESOLUÇÃO SMSDC Nº 1.424 DE 16 DE FEVEREIRO DE 2009 *RESOLUÇÃO SMSDC Nº 1.424 DE 16 DE FEVEREIRO DE 2009 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, e CONSIDERANDO o Decreto Municipal

Leia mais

Escola Superior de Turismo e Hotelaria Instituto Politécnico da Guarda RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Licenciatura em Restauração e Catering

Escola Superior de Turismo e Hotelaria Instituto Politécnico da Guarda RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Licenciatura em Restauração e Catering Instituto Politécnico da Guarda RELATÓRIO DE ESTÁGIO Licenciatura em Restauração e Catering José Pedro Dias Rodrigues Janeiro 2010 Instituto Politécnico da Guarda Outubro de 2010 6000946 Guilherme Antunes

Leia mais

Projeto. Projeto. Take away. www.terrabrazilmaquinas.com.br

Projeto. Projeto. Take away. www.terrabrazilmaquinas.com.br Projeto Projeto Nossa empresa está a mais de 10 anos no mercado angolano trabalhando no desenvolvimento e fornecimento de productos para abertura de seu próprio negócio, realizando ao seu lado o processo

Leia mais

DOSSIER DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO

DOSSIER DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DOSSIER DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO Pág.1 de 15 Índice 1) Introdução 1.1) Âmbito Do Dossier de Limpeza e Desinfecção. 1.2) Enquadramento. 1.3) Termos e Definições. 2) Contaminantes dos alimentos 2.1) Noções

Leia mais

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração www.apcer.pt AGENDA Apresentação APCER Desenvolvimento ERS3002 Conteúdo da ERS3002 Metodologias de auditorias Associação constituída em Abril 1996

Leia mais

ALBUFEIRA SOL HOTEL APARTAMENTO & SPA ****

ALBUFEIRA SOL HOTEL APARTAMENTO & SPA **** Cadeia de hotéis: Conforhoteis Tema Hotel: All Inclusive & Beach Hotel Rua da Corcovada, Areias de São João 8200-664 Albufeira Coordenadas GPS: 37.093595, -8,222262 Telefone: +351 289 587 496 Fax: +351

Leia mais

NORMAS REGULADORAS DAS CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS CENTROS DE ACTIVIDADES DE TEMPOS LIVRES COM FINS LUCRATIVOS

NORMAS REGULADORAS DAS CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS CENTROS DE ACTIVIDADES DE TEMPOS LIVRES COM FINS LUCRATIVOS A leitura deste documento, que transcreve o conteúdo do Despacho Normativo n.º 96/89, de 21 de Outubro, não substitui a consulta da sua publicação em Diário da República. Despacho Normativo n.º 96/89 de

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO RELATÓRIO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE F&B Adilson Jorge Pires Brites DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS

BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS SÉRIE: SEGURANÇA ALIMENTAR e NUTRICIONAL Autora: Faustina Maria de Oliveira - Economista Doméstica DETEC Revisão: Dóris Florêncio Ferreira Alvarenga Pedagoga Departamento

Leia mais

Festival Al-Buhera-Mostra de Artesanato. Regras de Funcionamento. Albufeira. 22 a 26 de Julho de 2015. Praça dos Pescadores

Festival Al-Buhera-Mostra de Artesanato. Regras de Funcionamento. Albufeira. 22 a 26 de Julho de 2015. Praça dos Pescadores Festival Al-Buhera-Mostra de Artesanato Regras de Funcionamento Albufeira 22 a 26 de Julho de 2015 Praça dos Pescadores 1 O Município de Albufeira organiza anualmente uma MOSTRA DE ARTESANATO, inserida

Leia mais

Ficha Técnica de Fiscalização

Ficha Técnica de Fiscalização FTF: 64//07 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Nome/Designação Social: Morada: IDENTIFICAÇÃO DA BRIGADA Brigada: Direcção Regional: Data de Controlo: / / Hora: h m LEGISLAÇÃO APLICÁVEL: Licenciamento: o

Leia mais

Competências Técnicas

Competências Técnicas Missão Atender bem os clientes, com bons produtos, da maneira mais rápida possível, sempre com muita atenção, com os menores preços possíveis, em um local agradável e limpo. Competências Técnicas Formar

Leia mais

Fibras, Esponjas e Panos

Fibras, Esponjas e Panos 3M Soluções Comerciais Núcleo Profissional Fibras, Esponjas e Panos Food Service O mercado de Profissional é um dos que mais cresce no país e, com ele, cresce também a demanda por padrões cada vez mais

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0462 62 IDENTIFICAÇÃO: Título: A IMPORTÂNCIA DO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA O FUTURO DA EMPRESA. Atributo: COMPATIBILIDADE DO PERFIL. Processo: RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE

Leia mais

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL FORMAÇÃO 01/013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL INFORMAÇÕES FUNDAÇÂO MINERVA Cultura - Ensino e Investigação Científica Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão Largo Tinoco de Sousa 760. 108

Leia mais

Preparo de Alimentos Seguros

Preparo de Alimentos Seguros Preparo de Alimentos Seguros O que você precisa saber para preparar um alimento próprio para consumo? Alimento Seguro são aqueles que não oferecem riscos à saúde de quem o está consumindo, ou seja, o alimento

Leia mais

2.1.Preparação e Execução do Serviço de Vinhos

2.1.Preparação e Execução do Serviço de Vinhos Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Serviço de Mesa e Bar na Restauração e Hotelaria / CEF Empregado de Mesa Planificação

Leia mais

HORAS / TEMPOS CONTEÚDOS OBJETIVOS AVALIAÇÃO. 11. Horários de funcionamento dos ERB. ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO-402011

HORAS / TEMPOS CONTEÚDOS OBJETIVOS AVALIAÇÃO. 11. Horários de funcionamento dos ERB. ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO-402011 MÓDULO N.º 1 O TÉCNICO DE RESTAURANTE/BAR 1. Breve história da hotelaria; 2. Evolução do restaurante; 3. Técnico de Restaurante/Bar como profissional e cidadão; 4. Relações humanas e profissionais; 5.

Leia mais

BOAS PRÁTICAS EM HIGIENE ALIMENTAR

BOAS PRÁTICAS EM HIGIENE ALIMENTAR BOAS PRÁTICAS EM HIGIENE ALIMENTAR Romana Neves Médica Veterinária Direcção de Serviços de Qualidade e Segurança Alimentar Direcção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural 14 de Outubro de 2010

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR EM AMBIENTE ESCOLAR

HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR EM AMBIENTE ESCOLAR HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR EM AMBIENTE ESCOLAR LINHAS ORIENTADORAS Índice 1. Introdução... 2 2. Recepção de produtos alimentares... 3 3. Armazenamento.... 4 3.1. Produtos Alimentares Refrigerados e

Leia mais

ESTABELECIMENTO DE ENSINO INTEGRANTE DA REDE PÚBLICA

ESTABELECIMENTO DE ENSINO INTEGRANTE DA REDE PÚBLICA Colégio Diocesano de Nossa Senhora da Apresentação R. Padre Baptista, 100, Calvão 3840-053 VAGOS Tel. 234781113 Fax 234782226 Email: secretaria@colegiocalvao.org Coordenadas GPS: N 40.478374 W 8.705614

Leia mais

EQUIPAMENTOS RESTAURANTES PTM EDIFÍCIO F - RESTAURANTE TÍPICO

EQUIPAMENTOS RESTAURANTES PTM EDIFÍCIO F - RESTAURANTE TÍPICO EQUIPAMENTOS RESTAURANTES PTM EDIFÍCIO F - RESTAURANTE TÍPICO Descrição Zona de Confecção Mesa em aço inox c/ gaveta e prateleira inferior Fritadeira mergulhante dupla Grelhador c/ deflectores Cúpula apanha

Leia mais

XXIII TASQUINHAS PORTO DE MÓS FESTAS DE SÃO PEDRO 2015

XXIII TASQUINHAS PORTO DE MÓS FESTAS DE SÃO PEDRO 2015 ARTIGO 1º (Objecto e Âmbito) XXIII TASQUINHAS PORTO DE MÓS FESTAS DE SÃO PEDRO REGULAMENTO O presente Regulamento tem por objectivo a definição das condições de realização da XXIII edição das Tasquinhas

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e Bebidas (F&B)

RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e Bebidas (F&B) UNIVERSIDADE DO MINDELO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÓMICAS E EMPRESARIAIS LICENCIATURA EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e Bebidas (F&B) SUSANA ELINE

Leia mais

BOAS PRÁTICAS EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: Segurança ao Cliente, Sucesso ao seu Negócio!

BOAS PRÁTICAS EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: Segurança ao Cliente, Sucesso ao seu Negócio! BOAS PRÁTICAS EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: Segurança ao Cliente, Sucesso ao seu Negócio! Dra. Marlise Potrick Stefani, MSc Nutricionista Especialista e Mestre em Qualidade, Especialista em Alimentação Coletiva

Leia mais

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS P O U P A R AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO Caso tenha ar condicionado nos quartos ou áreas comuns do empreendimento,

Leia mais

Lagoas Park, Edifício 2 2740-265 Porto Salvo Telefone: +351 21 791 23 44 www.tdimobiliaria.pt

Lagoas Park, Edifício 2 2740-265 Porto Salvo Telefone: +351 21 791 23 44 www.tdimobiliaria.pt Lagoas Park, Edifício 2 2740-265 Porto Salvo Telefone: +351 21 791 23 44 www.tdimobiliaria.pt Partilhe connosco as suas sugestões para um ambiente melhor, através do endereço penseverde@tdimobiliaria.pt.

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

Trabalho com a energia da vida. Tenho orgulho disso. Sou Boa Cozinha.

Trabalho com a energia da vida. Tenho orgulho disso. Sou Boa Cozinha. Trabalho com a energia da vida. Tenho orgulho disso. Sou Boa Cozinha. Sou consciente, escolhido por Deus. Sei o que faço. Amo o meu trabalho, amo a vida. Faço o certo. Aqui tem segurança. Sou comprometido

Leia mais

Artigo 16 Como montar uma Cafeteira

Artigo 16 Como montar uma Cafeteira Artigo 16 Como montar uma Cafeteira O consumo de café é um hábito entre os brasileiros, seja em casa, no trabalho ou na rua. Esse hábito vem crescendo e se modificando também. O interesse pelos cafés finos

Leia mais

O CUSTO DE A&B EM UM EVENTO

O CUSTO DE A&B EM UM EVENTO O CUSTO DE A&B EM UM EVENTO Objetivo Conhecer os principais cuidados a serem tomados com a organização de um evento, tendo em vista a manutenção dos custos do evento; Conhecer as formas de cobrança das

Leia mais

1) O que entende por contaminação cruzada? Cite algumas medidas de prevenção da contaminação cruzada. 2) Quais as categorias de perigos que conhece? 3) Dê alguns exemplos de Perigos Biológicos. 4) Quais

Leia mais

XIX CAMPEONATO REGIONAL DAS PROFISSÓES A Ç O R E S 2 0 1 0

XIX CAMPEONATO REGIONAL DAS PROFISSÓES A Ç O R E S 2 0 1 0 Composição da Prova A prova de Recepção de Hotelaria e Turismo é composta por: 1. Provas escritas 2 Testes teóricos de avaliação de conhecimentos 2 Teste teórico-práticos de avaliação de conhecimentos

Leia mais

OFERTAS DE EMPREGO PROFISSÃO MOTORISTA DE VEÍCULOS PESADOS DE MERCADORIAS. Unidade Emissora: Data de Emissão N.º de Folhas GONDOMAR GONDOMAR

OFERTAS DE EMPREGO PROFISSÃO MOTORISTA DE VEÍCULOS PESADOS DE MERCADORIAS. Unidade Emissora: Data de Emissão N.º de Folhas GONDOMAR GONDOMAR 1 / 5 588527603 588530888 588534907 588542553 588545096 588545545 MOTORISTA DE VEÍCULOS PESADOS DE MERCADORIAS INSTALADOR DE AR CONDICIONADO E DE SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO SERRALHEIRO CIVIL PROFESSOR DOS

Leia mais

Segurança Alimentar na Restauração. Higienização Pessoal na Restauração

Segurança Alimentar na Restauração. Higienização Pessoal na Restauração Segurança Alimentar na Restauração Higienização Pessoal na Restauração 1 Índice Consequências para a segurança alimentar de uma higiene pessoal inadequada... 3 Boas práticas de higiene pessoal... 3 Higiene

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Agências de Viagens e Transportes Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE

Leia mais

Hospitality & Leisure

Hospitality & Leisure ESTUDO DE REMUNERAÇÃO 2015 Hospitality & Leisure Hospitality & Leisure Specialists in hospitality & leisure recruitment www.michaelpage.pt Hospitality & Leisure Estudo de Remuneração 2015 Apresentamos-lhe

Leia mais

DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR

DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR Rua Henrique Bravo, 6929 e 6967 4465-167 S. Mamede de Infesta Portugal 1 Filosofia/Historial A 3infor é uma empresa especializada em software profissional, com um produto inovador

Leia mais

PLANO DE CONTI T NG N ÊNC N I C A F AC A E C À EVOLUÇÃO PAN A DÉ D MI M CA D A A GRIPE A (VÍRUS H1N1)

PLANO DE CONTI T NG N ÊNC N I C A F AC A E C À EVOLUÇÃO PAN A DÉ D MI M CA D A A GRIPE A (VÍRUS H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA FACE À EVOLUÇÃO PANDÉMICA DA GRIPE A (VÍRUS H1N1) SETEMBRO DE 2009 ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO PLANO DE CONTINGÊNCIA FACE À EVOLUÇÃO PANDÉMICA DA GRIPE A (VÍRUS H1N1) Preâmbulo: O objectivo

Leia mais

ALOJAMENTO AXIS PORTO BUSINESS & SPA HOTEL 59,00 65,00

ALOJAMENTO AXIS PORTO BUSINESS & SPA HOTEL 59,00 65,00 AXIS PORTO BUSINESS & SPA HOTEL O Axis Porto Business & SPA Hotel, é o novo hotel de 4 estrelas do Grupo AXIS, situado em pleno pólo universitário, numa das zonas de melhor acessibilidade à Invicta, junto

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS MICROEMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO PARA 2010/2011

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS MICROEMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO PARA 2010/2011 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

[SELO ALIMENTO SEGURO] 08 de Maio de 2009

[SELO ALIMENTO SEGURO] 08 de Maio de 2009 2 Lista de Verificação Geral Selo Alimento Seguro Lista de Verificação Geral com a finalidade de examinar todos os aspectos relacionados com as instalações, equipamentos, ferramentas, instrumentos utilizados

Leia mais

Lista de Verificação de Cantinas Escolares

Lista de Verificação de Cantinas Escolares Lista de Verificação de Cantinas Escolares Nome do estabelecimento: Identificação das entidades responsáveis pelo estabelecimento e NIF Morada do estabelecimento: Identificação das entidades responsáveis

Leia mais

Cartilha do. Manipulador de Alimentos

Cartilha do. Manipulador de Alimentos Cartilha do Manipulador de Alimentos apresenta Cartilha do Manipulador de Alimentos Belezas naturais e lugares maravilhosos, assim é o turismo no Brasil, que se desenvolve a cada dia e ocupa um importante

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE ALIMENTOS E BEBIDAS

RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIVERSIDADE DO MINDELO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÓMICAS E EMPRESARIAIS LICENCIATURA EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE ALIMENTOS E BEBIDAS EDNA CRISTINA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAIXIAS DO SUL RS LANÇA MANUAL DO GESTOR PARA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR EM CAPACITAÇÃO ESPECÍFICA.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAIXIAS DO SUL RS LANÇA MANUAL DO GESTOR PARA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR EM CAPACITAÇÃO ESPECÍFICA. PREFEITURA MUNICIPAL DE CAIXIAS DO SUL RS LANÇA MANUAL DO GESTOR PARA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR EM CAPACITAÇÃO ESPECÍFICA. PREFEITURA DE CAXIAS DO SUL Secretaria Municipal da Educação Setor de Alimentação Escolar

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO RELATÓRIO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE F&B Adalmira Lopes Pimentel ii DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CURSO DE GESTÃO HOTELEIRA

Leia mais

ÍNDICE CÂMARA MUNICIPAL DE MEALHADA DIVISÃO DE ÁGUAS E SANEAMENTO

ÍNDICE CÂMARA MUNICIPAL DE MEALHADA DIVISÃO DE ÁGUAS E SANEAMENTO ÍNDICE 1. OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 2 2. INFORMAÇÕES A TRANSMITIR AOS FUNCIONÁRIOS... 2 2.1. QUAIS OS SINTOMAS DA GRIPE A?... 2 2.2. MODOS DE CONTÁGIO... 3 2.3. MEDIDAS DE PROTECÇÃO E PREVENÇÃO...

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DOS REQUISITOS DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM

REGULAMENTO MUNICIPAL DOS REQUISITOS DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM REGULAMENTO MUNICIPAL DOS REQUISITOS DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM NOTA JUSTIFICATIVA O Decreto-Lei n.º 39/2008, de 7 de Março - que aprova o novo regime jurídico da

Leia mais

Avaliação de Risco e Pontos de Controlo Críticos (ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS de CONTROLO CRÍTICOS - HACCP)

Avaliação de Risco e Pontos de Controlo Críticos (ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS de CONTROLO CRÍTICOS - HACCP) Avaliação de Risco e Pontos de Controlo Críticos (ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS de CONTROLO CRÍTICOS - HACCP) A partir de 1 de Janeiro de 2009, as novas Normas de Higiene da Comunidade Europeia substituíram

Leia mais

Carta de Compromisso da Rede ROTA VICENTINA

Carta de Compromisso da Rede ROTA VICENTINA Carta de Compromisso da Rede ROTA VICENTINA A Rota Vicentina (RV) é uma rota pedestre ao longo do Sw de Portugal que pretende afirmar esta região enquanto destino internacional de turismo de natureza,

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e Bebidas (F&B)

RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e Bebidas (F&B) NATÁLIA BAPTISTA DOS SANTOS UNIVERSIDADE DO MINDELO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÓMICAS E EMPRESARIAIS LICENCIATURA EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e

Leia mais

CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B 1. GERENTE GERAL

CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B 1. GERENTE GERAL CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B GERENTE GERAL Sexo: Masculino ou Feminino Idade: entre 25 e 40 anos Escolaridade: ensino superior completo (Administração, contabilidade ou hotelaria)

Leia mais

HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013

HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013 HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013 O Hospital realiza uma combinação complexa de atividades especializadas, onde o serviço de Higienização e Limpeza ocupam um lugar de grande importância. Ao se entrar em um

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL PUBLICADO ATRAVÉS DE EDITAL EM 28 DE ABRIL DE 2011

REGULAMENTO MUNICIPAL ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL PUBLICADO ATRAVÉS DE EDITAL EM 28 DE ABRIL DE 2011 REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL APROVADO EM REUNIÃO DE CÂMARA MUNICIPAL DE 06 DE ABRIL DE 2011 APROVADO EM ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE 21 DE ABRIL DE 2011 PUBLICADO ATRAVÉS DE

Leia mais

incorporação de um novo colaborador

incorporação de um novo colaborador incorporação de um novo colaborador Manual de Excelência no Serviço 21 4. A Incorporação de um Novo Colaborador Recrutamento e Selecção Antes da incorporação de um novo colaborador no Hotel será obrigatório

Leia mais

MICROORGANISMOS perigosos na Cozinha:

MICROORGANISMOS perigosos na Cozinha: MICROORGANISMOS perigosos na Cozinha: Os microorganismos estão por todo o lado. Nas nossas mãos e corpo, no ar, nos utensílios de cozinha e mesmo nos alimentos que ingerimos. O facto de os alimentos possuirem

Leia mais

PLANO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO. Higiene e Segurança Alimentar

PLANO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO. Higiene e Segurança Alimentar Pág.: 1/7 1. Enquadramento Nos últimos anos, diversos factores, tanto económicos como socioculturais determinaram alterações substanciais nos hábitos alimentares da população, tendo os conceitos e as formas

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Menus. v2011 - Certificado

ZS Rest. Manual Avançado. Menus. v2011 - Certificado Manual Avançado Menus v2011 - Certificado 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Iniciar o ZSRest... 3 4. Menus... 4 b) Novo Produto:... 5 i. Separador Geral.... 5 ii. Separador Preços e Impostos... 7 iii.

Leia mais

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros Certified Quality System in compliance with the standard UNI EN ISO 9001:2000. Certificate n SQ.41823. Pixel Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros CURSOS INDIVIDUAIS PARA ESTRANGEIROS

Leia mais

Pequenos gestos para reduzir a produção de resíduos. 2. Colocar um autocolante Publicidade aqui não na caixa de correio

Pequenos gestos para reduzir a produção de resíduos. 2. Colocar um autocolante Publicidade aqui não na caixa de correio Pequenos gestos para reduzir a produção de resíduos 1. Utilizar saco reutilizável 2. Colocar um autocolante Publicidade aqui não na caixa de correio 3. Evitar o desperdício alimentar 4. Comprar a granel

Leia mais

Diário de Segurança Alimentar

Diário de Segurança Alimentar Diário de Segurança Alimentar Diário de Segurança Alimentar Todos os direitos reservados Copyright 2008 by Biostrument, S. A. 1ª Edição Um produto Biostrument - Segurança Alimentar Sede: Rua 5 de Outubro

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

Sistema de Segurança Alimentar Operações de Higienização Página 1 de 1. Café da Quinta Sandra & Elisa - Serviços de Restauração, Lda.

Sistema de Segurança Alimentar Operações de Higienização Página 1 de 1. Café da Quinta Sandra & Elisa - Serviços de Restauração, Lda. Operações de Higienização Mês de de Dias/Área 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 Sanitários M Sanitários F Sanitários/Vestiários Armazém Mesas/Cadeiras

Leia mais

Para poderem funcionar / estar abertos ao público, todos os Estabelecimento devem

Para poderem funcionar / estar abertos ao público, todos os Estabelecimento devem Nos termos definidos no art.º 5.º do Decreto-Lei n.º 234/2007, de 19 de Junho, O DECRETO REGULAMENTAR N.º 20/2008, de 27 de Novembro, VEIO ESTABELECER QUAIS OS REQUISITOS ESPECÍFICOS RELATIVOS ÀS INSTALAÇÕES,

Leia mais

praia do vau praia da rocha

praia do vau praia da rocha praia do vau praia da rocha Victor s Plaza praia do vau O Victor s Plaza fica situado numa zona privilegiada do Barlavento Algarvio, a cerca de 800 metros da Praia do Alemão e a 1500 m da Praia do Vau.

Leia mais

AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO Papel da escola na promoção de uma cultura de HSST no trabalho PANORAMA GERAL: 330 000 acidentes de trabalho/ano 22% afecta os jovens com idade inferior

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 COMMERCIAL & MARKETING Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores perfis qualificados,

Leia mais

ABAGA Profissional Confeitaria Este manual apresenta o conceito e as regras da competição organizada pela ABAGA e serve de guia para competições

ABAGA Profissional Confeitaria Este manual apresenta o conceito e as regras da competição organizada pela ABAGA e serve de guia para competições ABAGA Profissional Confeitaria Este manual apresenta o conceito e as regras da competição organizada pela ABAGA e serve de guia para competições locais, regionais e nacionais na categoria profissional

Leia mais

Capítulo 5. Empreendimentos Hoteleiros

Capítulo 5. Empreendimentos Hoteleiros Capítulo 5 Estrutura e Organização dos Empreendimentos Hoteleiros A construção de estabelecimentos hoteleiros deve ser rigorosamente planeada, a fim de: Oferecer aos clientes um máximo de comodidade e

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e Bebidas (F&B)

RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e Bebidas (F&B) UNIVERSIDADE DO MINDELO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÓMICAS E EMPRESARIAIS LICENCIATURA EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISMO RELATÓRIO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL Gestão de Alimentos e Bebidas (F&B) ALICIA DO MONTE

Leia mais

GUIA DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE E DE FABRICO PARA CANTINAS

GUIA DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE E DE FABRICO PARA CANTINAS GUIA DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE E DE FABRICO PARA CANTINAS Cláudia Silva GUIA DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE E DE FABRICO PARA CANTINAS Cláudia Isabel Silva Aluna estagiária de Engenharia Alimentar, do Instituto

Leia mais

Como implementar um sistema de gestão da qualidade. Requisitos da segurança alimentar. Brandão Guerreiro

Como implementar um sistema de gestão da qualidade. Requisitos da segurança alimentar. Brandão Guerreiro Como implementar um sistema de gestão da qualidade. Requisitos da segurança alimentar Hotel Cinquentenário Fátima, 05 de Abril de 2008 Índice Abordagem por processos Requisitos da documentação Política

Leia mais

ALOJAMENTO - VII CIDU Porto, 24 a 27 Junho

ALOJAMENTO - VII CIDU Porto, 24 a 27 Junho AXIS PORTO BUSINESS & SPA HOTEL O Axis Porto Business & SPA Hotel, é o novo hotel de 4 estrelas do Grupo AXIS, situado em pleno pólo universitário, numa das zonas de melhor acessibilidade à Invicta, junto

Leia mais

Art.3 º - O concurso será realizado na UNISUL, no dia 17 de setembro de 2015 e terá início às. 09h00min.

Art.3 º - O concurso será realizado na UNISUL, no dia 17 de setembro de 2015 e terá início às. 09h00min. A Associação Floripamanhã e a Prefeitura Municipal de Florianópolis, tornam público o Edital com as regras do concurso organizado pelo Grupo Gestor do Programa Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia à ser

Leia mais

NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE INTRODUÇÃO Página: / Revisão:0 MANUAL DE FUNÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE XZ Consultores Direção INTRODUÇÃO Página: / Revisão:0 ÍNDICE CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1 Mapa de Controlo das Alterações

Leia mais

REDE NACIONAL DE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS. Orientações para o armazenamento de medicamentos, produtos farmacêuticos e dispositivos médicos

REDE NACIONAL DE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS. Orientações para o armazenamento de medicamentos, produtos farmacêuticos e dispositivos médicos REDE NACIONAL DE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS Orientações para o armazenamento de medicamentos, produtos farmacêuticos e dispositivos médicos 2009 1 INTRODUÇÃO Numerosas empresas, entidades, instituições

Leia mais

MANUAL DO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO

MANUAL DO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO MANUAL DO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO Manual desenvolvido pela equipe de monitoras, sob a supervisão da disciplina de Tecnologia de Alimentos (Curso de Nutrição) para normatização das atividades desenvolvidas

Leia mais

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE PESSOAL

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE PESSOAL MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE PESSOAL 1. Introdução As doenças alimentares constituem uma das principais preocupações ao nível da Saúde Pública, principalmente nos grupos mais vulneráveis como crianças

Leia mais

OFERTAS DE EMPREGO PROFISSÃO TRABALHADOR DE LIMPEZA EM CASAS PARTICULARES. Unidade Emissora: Data de Emissão N.º de Folhas MAIA MAIA

OFERTAS DE EMPREGO PROFISSÃO TRABALHADOR DE LIMPEZA EM CASAS PARTICULARES. Unidade Emissora: Data de Emissão N.º de Folhas MAIA MAIA 1 / 5 588526389 588526508 588526571 588526582 588526592 588526664 588526689 588526705 EM CASAS PARTICULARES ELECTROMECÂNICO, ELECTRICISTA E OUTROS INSTALADORES DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ELÉCTRICOS MOTORISTA

Leia mais