INTERVIEW WITH LILIAN FERNANDES DOS SANTOS BRAGA, ENGLISH PROFESSOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTERVIEW WITH LILIAN FERNANDES DOS SANTOS BRAGA, ENGLISH PROFESSOR"

Transcrição

1 INTERVIEW WITH LILIAN FERNANDES DOS SANTOS BRAGA, ENGLISH PROFESSOR B.A. in English and Portuguese Language and Literature and M.A. in Language studies, English and American Literature by Universidade de São Paulo (USP), Nowadays, she is a professor in the Language undergraduate course and the professor responsible for the English Language Graduation Course at Universidade São Judas Tadeu where she has been since 1999, mainly contributing to the following subjects: English language studies, linguistics with concentration in language studies, contrastive analysis in translation studies, technology applied to translation, English and American Literature, English Language Cultures, English teaching methodologies and Literature for children. Professor Lilian with all her knowledge, hard work and love for what she does, has been delighting the students with her fantastic effective classes. She has a special gift for teaching. So, in this edition we will have her special participation to know about her experience and to find out what the secret to teach so perfectly is and get some tips for learning English more effectively and with fun. 1. How did you find out your love for Languages Studies and Teaching? At the age of 11, my mom and dad managed to pay me an English course. The reason why I started studying was out of fear, actually. I was going into the 5 th grade and there we would have this new subject, which I knew nothing about. Then my best friend told me her father had enrolled her for a private English course to prepare her for that. I asked my dad to do the same for me, and though I know now how hard it was for him, he accepted and enrolled me for the very same course. As he was not that well-off (he could hardly make ends meet at that time), he told me that if I failed a level, he would not pay me the course any longer. So, I studied really hard and started actually enjoying going to classes and observing the work of English teachers. My first teacher (and now great friend and advisor) was a woman named Marisa Julio. Her eyes shone when she taught us. She had this incredible smile, mother like tenderness and a patience to explain, go back and forward, chop and change and make us work in creative ways that so far had been unknown to me. I loved the classes and the language. The decision of teaching as a profession would come many years (and teachers) later. When I was 17 I had already worked as a dentist receptionist, office-girl, shop assistant and typist. None of these jobs satisfied me and I always thought that the things I liked most were chemistry and English. I considered chemical engineering at first, but soon realized that I would have to work in a closed place and probably stay quiet for long hours. That wouldn t last long. Then I tried the vestibular for Letras and passed for Spanish and Portuguese at the University of São Paulo. That was a whole new universe. The professors were rather busy people, but the knowledge they had on the subjects they were teaching fascinated me. I wanted to read and read and read, go to classes and try to grab as much as I could from those classes. I was truly engaged into learning linguistics and literature theory, which would definitely make a difference to my life as a teacher. But

2 Spanish was not my true love and soon I left for England in order to study phonetics, general English Linguistics and British Literature. In Britain I met another very important professor in my life, Dr. V Menning, a great Canadian who taught me to write essays, to appreciate poetry and to indulge in the world of writing. Britain was a journey through culture, youth, and language. When I came back I had already decided that I wanted to be a teacher of English and so I went back to USP, but started it all over again as I did another Letras course for English. My EFL teaching career has certainly been shaped by Cultura Inglesa, where I taught for over 10 years. That was a true teaching lab. I gave classes from kids one to Proficiency Exam Preparation levels and had excellent training and refreshing courses with expert professionals, some of whom had been my former teachers. Colleagues were excellent professionals and I learned as much as I possibly could from them. Cultura Inglesa also had teaching certificate courses, one of which was really important internationally and gave me the R.S.A./ Cambridge Diploma title in Teaching English to Adults. But I felt there was more to it. I wanted then to help other people become professionals and the way to go was to try a university career. Back to USP I did a Master s in English Language and Literature under the tutoring of Sandra Vasconcelos, an expert at English Literature and an excellent professor. 2. Everybody who studies a new language has a dream: reach Fluency. In your opinion, what fluency is? What is the most important step to achieve this goal? People often confuse fluency and proficiency in a language and treat them as synonyms. Well, they are not. You may be a fluent basic level speaker, a fluent intermediate or advanced speaker, but becoming proficient in any language takes lots of practice and study. Fluency involves speaking with ease, using the amount of language that you know comfortably. To speak fluently, a student has to learn to run the risk of making mistakes, of skipping words he or she might not know and manage to communicate with the other in spite of the lack of vocabulary. It involves skills related to discourse management, not just the vocabulary range or grammatical accuracy involved in linguistic competence. The key to fluency as I see it is learning that listening precedes speaking, remembering that as babies we listened a lot before we could actually say something. And when we finally broke through the silent phase, we were experimenting with language all the time, learning new words every day and using them over and over again. Through constant practice our mother tongue learned the path to our long term memory (the hard disk of our brain) and having done so, made it possible for words and structure patterns to come back and forth from brain to mouth building the chain of language that enables us to communicate. So, if you want to become fluent, you have to practice listening (easier passages, more difficult ones, simplified or authentic), speak whenever you can (even if it means talking to yourself a few minutes a day) and keep acquiring vocabulary. With the internet and you tube, a person can now

3 be exposed to lots of oral language. The problem is students have the wrong belief that to understand something, they need to know every word they hear remember the babies try, risk, lose the fear of speaking and rehearse, rehearse, rehearse life just like we did when we were kids). 3. For those who wants to be a teacher: What is the secret for Effective Teaching? Effective to whom every audience is different. Kids require techniques which will not work with adults and vice-versa. Having said that, I truly believe in getting to know your audience (their needs and their wants) as much as you can. That involves a constant observation position. Once that is known to the teacher (even if partially), he or she has to follow a work procedure which involves pre, while and post teaching. If you really want to learn how to teach, you have to learn how to plan, how to make that plan realistic and how to implement that in class using the appropriate techniques to each different case. After that and once the class is over, you have to reflect on the work done in an honest way. When something does not work for a given audience, it might be your best technique, but you have to try something else. Revising your classes and plans, being honest with yourself and with your students certainly leads to effectiveness. That is not necessarily easy. We teachers and most students have strong beliefs about what works for us in terms of learning and many times won t let go of that. That is why the partnership between teacher and students is essential to effective teaching. If students are with you (not against you), even the simplest teaching technique seems to work and do the job (such as chalk and good saliva). On the other hand when the teacher does not establish rapport with students and only tries to impose his or her way of seeing things, the effectiveness may be compromised. Like with fluency, it is through practice, trial and error that we learn possible ways to reach effectiveness. Of course it takes training, learning teaching approaches and respective methodologies and techniques which have been tried and tested to teach skills, grammar, vocabulary, etc But training is only the beginning of it the pre-teaching study phase that everyone seriously considering this career should go through. The while teaching, with true reflection and observation is the laboratory of life which every teacher has to attend in order to improve his or her teaching competence: you then listen, observe, apply, experiment on those learned techniques, methodologies and approaches you saw while you were in the training phase. Finally, the post teaching phase (evaluation of your teaching) is what helps you become a better teacher, more prepared to all the surprises involved in classroom work. 4. Besides teaching college students, what other kind of experience have you ever had? I used to teach kids, teens and adults in English courses. That was my life lab. They were so different and even though I was teaching them the same thing (English), the situations were rather challenging. Then, for quite a while I was a private teacher for individual students or groups in company. The trick of that trade was very different from the school work I had done before because I then did not have the support of an academic department or coordinator. I had to plan the course as well as the classes and that gave me a different view on the job of a teacher. If I wanted to keep my

4 private students, I would have to know where they were heading, how long it would take to help them get there and how I could provide them with the tools they needed. Again planning and reflection on the action was key to being able to teach those people. It was a rewarding experience in many ways. I had, for example, two students who started at basic 1 and studied five years with me, reaching the advanced level. It was great to see that I could actually teach someone to speak from scratch and lead this person to proficiency. I was also a teacher for middle and high school in a very good school called Vera Cruz for about seven years. That was an amazing experience because English belonged to a larger curriculum and we had to deal with many other factors than just the English language itself, such as interdisciplinary work and discipline problems. There, teenagers were my biggest challenge. I went back to studying the psychology of adolescence in order to try to understand how I could actually reach them to establish the essential rapport which was needed to allow some teaching to actually go on. 5. What is the difference between teaching college students, kids and teenagers? I don t see the division quite that way though I agree that interests, abilities and competences tend to be similar within age groups. The difference I see is in the eagerness to be in the classroom or out of it and therefore the job of the teacher in making the classroom an interesting place to be and an effective learning atmosphere will vary. You have to understand your audience, their expectations and their competences. You build a good teaching atmosphere based on that. Some kids might be eager to take part in a game and have no idea they are learning in the meantime and some adults may think that a game is childish and lose the opportunity to learn in a fun way that might lead to acquisition much more than a boring class on the rules of do and does, but they do not see it that way. Of course there are techniques which are meant to be used with different age groups, but a teacher has to be open to experimentation, change upon reflection and flexibility. I believe, however, that we each teach better certain phases of life. Some people have what it takes to deal with very young kids, others might be great teachers for adults, but would not do a good job when working with children. At college, the main difference I notice is that people are here because they supposedly want to be. In the translation course we have the added privilege that they come mostly due to the fact that they love the English language, so it makes my job worth their while. Adults are usually learning English because they need it or their professional lives and they know it. In this way, they might be more prone to accept what we have to give them. With teens and kids the situation might be the complete opposite. They might not want to study at all and therefore would rather be anywhere else than inside your classroom, so it is a harder task to get them on your side in the path of teaching and learning.

5 6. We all know you have a lot of awesome experience with travelling abroad. Where have you already been? I love travelling and truly believe that it is the most rewarding prize you can get in life for working hard. So, I ve always made an effort to go places, get to know different cultures and peoples. I was a teacher in Israel for six months and there I also had the opportunity of visiting Egypt. When I moved into Europe, I firstly lived in Barcelona, Spain and then in London, England. From there I visited Scotland and Wales and flew to many European countries (on a backpack and very little money). After I returned to Brazil and met my husband, we travelled through South America, visiting Peru, Chile, Bolivia, Venezuela and Argentina. More recently we ve been to some Caribbean Islands. We have also been to different parts of the United States. 7. How did these trips help in your career? Living in England was certainly the most important trip to my career for many reasons. I learned the culture of the people, improved my language skills and also had the opportunity of teaching other foreigners during the training course I attended for the CELTA certificate. It was also there that I studied British literature in depth for the Cambridge Diploma of English Studies and linguistics for the Proficiency in Phonetics. They were key years in my life and those certificates helped me get better positions in my job at Cultura. They also helped me get into USJT, as in 1999 they needed a teacher for phonetics and I happened to have that special qualification from Britain. I started teaching 4 classes of phonetics and phonology for the first and second year of the translation course on Friday nights. I was then a teacher of British and American Literature at another university and had recently been accepted to the Master s degree in British Literature at the University of São Paulo. More recently I have been going to the USA on a regular basis in order to keep brushing up my English and in order to learn more about their culture and the American teaching methodology. In this last trip I was particularly interested in the Common Core Standards which have been applied to schools throughout the USA. I always take the opportunity to do some research on what Americans are using in their translation and interpreting courses so that I can bring our students something fresh. 8. What kind of exchange programs do you recommend us? Au pair programmes might be very helpful because you can earn some money and you do not need to have so much money in advance of your trip. The Student Travel Bureau is a trustworthy institution in São Paulo and all over the world and holds different kinds of exchange programmes. It all will depend on how much money one has to spend. Anyhow, my advice to you is to grab any good opportunity to live abroad. It is a unique life experience, not just a language one. Obviously you should always double check for the company or programme you choose, mainly for security reasons. 9. Finally, could you share with us some tips for improving our English?

6 The Internet and your cell phones are the gateway to great paths of improvement. BBC can be viewed on the Cell phone and excellent quality newspapers can be read on-line at any time. Improving your English depends on true commitment to frequency and work (not necessarily that hard). If you manage to read good quality language on the net (or books and magazines), you will be helping the acquisition of grammar, vocabulary and even style. You can also download tune-in on cell phone or computer and listen to BBC radios or any other English Speaking radios in the world live. What is important is to keep practicing, even if you do not have the time to sit and do exercises. Keep listening and reading those are receptive skills which keep your brain working on the target language and whenever possible speak and write those are production skills which require constant practice, and which will make use of all the passive knowledge you ve been storing through listening and reading. Last, but not least, have the fun babies, toddlers and kids do when they are learning. They don t know formal rules, or methods, but they are open to the new. They lie, crawl and eventually stand up and walk. One day they are running as if it had never been so difficult just to raise their head. Go run races, kids! Débora Evangelista de Sousa Curso de Letras, Tradutor e Intérprete 4 ALENTI, 2014

7 ENTREVISTA COM LILIAN FERNANDES DOS SANTOS BRAGA, PROFESSORA DE LÍNGUA INGLESA. Bacharel em letras Português / Inglês e Literatura e Mestre em Língua Inglesa, Literatura Inglesa e Norte-Americana pela Universidade de São Paulo (USP), Atualmente é professora do curso de Letras e professora responsável pelo Curso de Pós Graduação em Língua Inglesa da Universidade São Judas Tadeu, atuando principalmente nas seguintes matérias: língua inglesa, linguística aplicada aos estudos de língua inglesa, análise contrastiva em estudos de tradução, informática aplicada à tradução, literaturas inglesa e norte-americana, culturas de língua inglesa, metodologias de ensino de língua inglesa e literaturas infanto-juvenil. Professora Lilian com toda sua bagagem, esforço e amor ao que faz, vem encantando os alunos com suas aulas fantasticamente efetivas. Ela tem um dom especial: ensinar. Portanto, nesta edição teremos sua participação especial, que nos dará a oportunidade de saber sobre suas experiências, descobrir qual o segredo para ensinar tão bem e teremos dicas de como aprender inglês de uma maneira mais eficaz e divertida. 1. Como você descobriu sua paixão por estudar e ensinar Inglês? Quando eu tinha 11 anos, minha mãe e meu pai se esforçaram para me pagar um curso de inglês. Na verdade, o motivo pelo qual eu comecei a estudar foi por puro medo. Eu estava indo para a 5ª série e teríamos essa nova matéria, sobre a qual eu não sabia nada a respeito. Então, minha melhor amiga me disse que seu pai a havia matriculado em um curso particular de inglês para prepará-la. Eu pedi ao meu pai para fazer o mesmo por mim, embora agora eu saiba o quanto foi difícil para ele, ele aceitou e me matriculou no mesmo curso. Como ele não tinha muita condição (ele mal podia manter as despesas do mês naquele tempo), ele me disse que se eu repetisse um nível, ele não pagaria mais o curso. Então, eu estudei bastante e comecei a amar a ideia de ir às aulas e observar o trabalho dos professores de inglês. Minha primeira professora (hoje, grande amiga e conselheira) foi uma mulher chamada Marisa Júlio. Seus olhos brilhavam quando nos ensinava. Ela tinha esse sorriso encantador, afeto de uma mãe e uma grande paciência para explicar, ia e voltava e nos fazia trabalhar de formas criativas que até então eram desconhecidas para mim. Eu amava as aulas e o idioma. A decisão de ensinar como profissão viria anos (e professores) depois. Quando eu tinha 17 eu já havia trabalhado como recepcionista de um dentista, office-girl, vendedora e datilógrafa. Nenhum desses serviços me trouxe satisfação e eu sempre pensei que as coisas que eu mais gostava eram química e inglês. De primeiro, eu considerei engenharia química, mas logo percebi que teria de trabalhar num local fechado e provavelmente ficar quieta por longas horas. Não duraria muito. Então, eu prestei o vestibular para Letras e passei para espanhol e português na Universidade de São Paulo. Era um novo universo. Os professores eram particularmente ocupados, mas o conhecimento que eles tinham nas matérias que eles estavam ensinando, me fascinavam. Eu queria ler, ler e ler, ir às aulas e tentar adquirir daquelas aulas o máximo que eu pudesse. Eu estava verdadeiramente

8 comprometida em aprender linguística e teoria da literatura, que definitivamente fariam diferença na minha vida como professora. Mas espanhol não era meu amor verdadeiro e logo eu o deixei para ir à Inglaterra para estudar fonética, linguística inglesa geral e literatura britânica. Na Inglaterra eu conheci outra professora muito importante na minha vida, Dr. V Menning, uma canadense incrível, quem me ensinou a escrever redações, apreciar a poesia e engrenar no mundo da composição. Viajar para a Inglaterra foi uma jornada através da cultura, da juventude e da língua. Quando eu voltei, eu já havia decidido que gostaria de ser professora de inglês, então retornei à USP, mas comecei tudo de novo e fiz outro curso de letras, mas agora de inglês. Minha carreira com o ensino de inglês como língua estrangeira certamente foi formada pela Cultura Inglesa, onde eu lecionei por mais de 10 anos. Foi um verdadeiro laboratório de ensino. Eu dei aulas do Kids I até os níveis de exames preparatórios para proficiência e tive treinamentos excelentes e cursos de reciclagem com profissionais peritos, alguns deles meus antigos professores. Meus colegas de trabalho eram excelentes profissionais e aprendi o máximo que eu pude com eles. A Cultura Inglesa também fornecia certificado de cursos para lecionar, um desses era muito importante a nível internacional e me deu o título do R.S.A. (Royal Society of Arts), Diploma de Cambridge para ensino de inglês para adultos. Mas eu senti que não parava por aí. Eu queria então ajudar outras pessoas a se tornarem profissionais e o caminho a seguir era tentar uma carreira universitária. De volta à USP, fiz mestrado em Língua Inglesa e Literatura com a orientação de Sandra Vasconcelos, uma perita em Literatura Inglesa e excelente professora. 2. Todo mundo que estuda um novo idioma sonha em alcançar fluência. Em sua opinião, O que é fluência? E qual é o passo mais importante para chegar a esse objetivo? As pessoas muitas vezes confundem fluência com proficiência em um idioma e lhes tratam como sinônimos. Bem, eles não o são. Você pode ser um falante fluente no nível básico, um fluente intermediário ou um falante avançado, mas tornar-se proficiente em um idioma, exige muita prática e estudo. A fluência envolve falar com facilidade e usar o que você sabe do idioma de maneira confortável. Para falar fluentemente, o aluno tem de vencer o medo de cometer erros, de pular palavras, ele pode não saber e mesmo assim conseguir se comunicar com os outros, apesar da falta de vocabulário. Isso envolve habilidades relacionadas ao funcionamento do discurso, não apenas a limitação de vocabulário ou a precisão da gramática, envolvidos na competência linguística. A chave para a fluência, no meu ponto de vista, é aprender que ouvir precede falar, relembrando que quando éramos bebê, nós ouvimos bastante antes de podermos realmente dizer algo. E quando nós finalmente passamos da fase silenciosa, nós ficamos experimentando a língua o tempo todo, aprendendo novas palavras todos os dias e as usando por diversas vezes. Através da prática constante, nossa língua materna aprendeu o caminho para a nossa memória remota (o disco rígido do nosso cérebro) e tendo feito isso, possibilitou que as palavras e os padrões de estrutura chegassem e

9 voltassem do cérebro para a boca e vice-e-versa, e assim construíssemos uma cadeia de linguagem que nos permite comunicarmos. Então, se você deseja se tornar fluente, você tem de praticar a audição (passagens mais fáceis, umas mais difíceis, simplificadas ou autênticas, falar o máximo possível, mesmo que isso signifique conversar consigo mesmo alguns minutos por dia) e continuar adquirindo vocabulário. Com a internet e o YouTube agora a pessoa pode ficar exposta a várias linguagens orais. O problema é que os alunos têm o conceito errado de que para entender algo, eles precisam conhecer todas as palavras que ouvirem lembre-se dos bebês... Tente, arrisque, perca o medo de falar, treine, treine, treine a vida do mesmo jeito de que quando éramos crianças. 3. Para aqueles que querem lecionar: Qual é o segredo para alcançar um ensino efetivo? Efetivo para quem... Cada público é diferente. Crianças requerem técnicas que não funcionam com os adultos e vice-e-versa. Tendo dito isso, eu sinceramente acredito em conhecer o seu público (suas necessidades e seus desejos) o máximo possível. Isso envolve uma posição de observação constante. Uma vez que é do conhecimento do professor (mesmo que parcialmente), que ele tem de seguir um procedimento de trabalho que envolve pré-aula, aula e pós-aula. Se você realmente deseja aprender a lecionar, você tem de aprender como planejar, como fazer esse plano e como implementálo em sala de aula usando as técnicas apropriadas para cada caso diferente. Depois de a aula estar dada, você também tem de refletir sobre o trabalho executado de uma maneira honesta. Quando algo não funciona com um determinado público, pode ser sua melhor técnica, mas você tem de tentar outra coisa. Revisando suas aulas e planejamentos, sendo honesto consigo mesmo e com os seus alunos, certamente levará a efetividade. Isso não é necessariamente fácil. Nós professores e a maioria dos alunos têm fortes convicções sobre o que funciona para nós em termos de aprendizagem e muitas das vezes, não desistimos disso. É por conta disso que a parceria entre professor e aluno é essencial para o ensino efetivo. Se os alunos estão com você (não contra você), mesmo a técnica de ensino mais simples parece funcionar e fazer o trabalho acontecer (tais como um giz e boa saliva). Por outro lado, quando o professor não estabelece um bom relacionamento com os alunos e só tenta impor a sua maneira de ver as coisas, a efetividade pode ficar comprometida. Como com a fluência, é através da prática, da tentativa e do erro que podemos aprender maneiras possíveis para alcançar eficácia. É claro que isso exige treinamento, aprendizado de técnicas de ensino e respectivas metodologias e técnicas já experimentadas e testadas no ensino de habilidades, gramática, vocabulário, etc... Mas treinamento é só o começo disso - a fase de estudo de pré-ensino que todos que considerem seriamente seguir nessa carreira, devem ir além. O laboratório da vida é a aula dada com reflexão e observação verdadeira em que cada professor tem de se preocupar para aprimorar sua competência de ensino: você, então, ouve, observa, aplica, experimenta aquelas técnicas, metodologias e abordagens aprendidas, que você viu enquanto estava na fase de treinamento. Enfim,

10 a fase pós-ensino (avaliação do seu ensino) é o que ajuda você a se tornar um professor melhor, mais preparado para todas as surpresas envolvidas em um trabalho em sala de aula. 4. Além de ensinar alunos universitários, quais outros tipos de experiência você já teve? Eu ensinei crianças, adolescentes e adultos em cursos de inglês. Essa foi minha vida. Eles eram bem diferentes, ainda que eu estivesse ensinando a eles a mesma coisa (Inglês), as situações eram bastante desafiadoras. Então, por um tempo, eu fui professora particular para alunos individuais ou grupos em empresas. O truque desse negócio era bem diferente do trabalho na escola que eu havia feito antes, porque eu não tinha o suporte de um departamento pedagógico ou de um coordenador. Eu tinha de planejar o curso, as aulas e isso me fez ter uma visão diferente do trabalho de um professor. Se eu quisesse manter meus alunos particulares, eu teria de conhecer onde eles gostariam de chegar, quanto tempo demoraria a ajudá-los a chegar lá e como eu poderia lhes fornecer as ferramentas que precisavam. Novamente, planejamento e reflexão para a ação foram a chave do negócio para ensinar essas pessoas. Foi uma experiência que valeu a pena em muitos aspectos. Por exemplo, eu tive dois alunos que começaram no Básico I e estudaram cinco anos comigo, até alcançar o nível avançado. Foi ótimo ver que eu pude realmente ensinar alguém a falar do zero e levá-lo a proficiência. Eu também fui professora do ensino fundamental e médio em um colégio muito bom, chamado Vera Cruz por aproximadamente sete anos. Foi uma experiência incrível porque o inglês pertencia a um currículo maior e tivemos de lidar com muitos outros fatores, não apenas o idioma inglês, mas trabalhos interdisciplinares, problemas com disciplina, etc. Lá, meu maior desafio foram os adolescentes. Eu voltei a estudar psicologia do adolescente para tentar entender como eu poderia realmente alcançá-los a fim de estabelecer a relação essencial que era necessária para que a aprendizagem fosse em frente. 5. No que se difere ensinar universitários, crianças e adolescentes? Eu não vejo a divisão exatamente dessa forma, embora eu concorde que interesses, habilidades e competências tendem a ser semelhantes dentro dos grupos etários. A diferença que eu observo é na força de vontade de estar em sala de aula ou fora dela, pois o trabalho do professor é fazer a sala de aula ser um lugar interessante de se estar, e um ambiente de aprendizado efetivo pode variar. Você tem de entender o seu público, suas expectativas e competências, e então, você cria um ambiente de ensino baseado nele. Algumas crianças podem ficar ansiosas para participar de uma brincadeira e não fazem ideia que estão aprendendo ao mesmo tempo, e alguns adultos podem pensar que brincadeiras são coisas de criança e perder a oportunidade de aprender de uma maneira divertida, que pode levar a aquisição muito mais que uma aula chata com regras de do e does, mas

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho GUIÃO A 1º Momento Intervenientes e Tempos Descrição das actividades Good morning / afternoon / evening, A and B. For about three minutes, I would like

Leia mais

Guião M. Descrição das actividades

Guião M. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Inovação Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO Guião M Intervenientes

Leia mais

THE LIBRARY A LANGUAGE LEARNING ADVENTURE #1 TEXTO DE ESTUDO

THE LIBRARY A LANGUAGE LEARNING ADVENTURE #1 TEXTO DE ESTUDO 1 A LANGUAGE LEARNING ADVENTURE #1 TEXTO DE ESTUDO ENGLISH TEXT The beginning of your journey So, you want to improve your English. Do you need to improve your English for professional reasons, for reasons

Leia mais

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio Teste Intermédio de Inglês Parte IV Interação oral em pares Teste Intermédio Inglês Guião Duração do Teste: 10 a 15 minutos De 25.02.2013 a 10.04.2013 9.º Ano de Escolaridade D TI de Inglês Página 1/ 7

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014. 1.º Momento. 4 (A), are you a health-conscious person?

Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014. 1.º Momento. 4 (A), are you a health-conscious person? Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014 GUIÃO A Disciplina: Inglês, Nível de Continuação 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho 1.º Momento Intervenientes e Tempos

Leia mais

Descrição das actividades

Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Em Acção Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos Guião D 1.º MOMENTO Intervenientes

Leia mais

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS 01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS OBS1: Adaptação didática (TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS) realizada pelo Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. OBS2: Textos extraídos do site: http://www.englishclub.com

Leia mais

WORKING CHILDREN. a) How many children in Britain have part-time jobs?. b) What do many Asian children do to make money in Britain?.

WORKING CHILDREN. a) How many children in Britain have part-time jobs?. b) What do many Asian children do to make money in Britain?. Part A I. TEXT. WORKING CHILDREN Over a million school children in Britain have part-time Jobs. The number is growing, too. More and more teenagers are working before school, after school or on weekends.

Leia mais

In this lesson we will review essential material that was presented in Story Time Basic

In this lesson we will review essential material that was presented in Story Time Basic Portuguese Lesson 1 Welcome to Lesson 1 of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

WELCOME Entrevista Au Pair In America

WELCOME Entrevista Au Pair In America WELCOME Entrevista Au Pair In America MÓDULO 2. ENTREVISTA ENTREVISTA FÓRMULA PARA O SUCESSO Passo 1 Vai ser uma conversa informal, então relaxe! Parte 2 Algumas perguntas vão ser as mesmas do Skype com

Leia mais

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level Parent Academy Digital Citizenship At Elementary Level Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental Pan American School of Bahia March 18 and 29, 2016 Digital Citizenship Modules Cyberbullying

Leia mais

Inglês 11 The Present Perfect.

Inglês 11 The Present Perfect. Inglês 11 The Present Perfect. O Present Perfect é um tempo verbal em inglês que mostra uma ação que ocorreu no passado, mas os efeitos estão no presente. My grandfather has recovered from his illness.

Leia mais

WELCOME Entrevista Au Pair Care

WELCOME Entrevista Au Pair Care WELCOME Entrevista Au Pair Care MÓDULO 2. ENTREVISTA-PERGUNTAS EXTRAS ENTREVISTA FÓRMULA PARA O SUCESSO Passo 1 Vai ser uma conversa informal, então relaxe! Parte 2 Algumas perguntas vão ser as mesmas

Leia mais

NOTA: Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web. 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening )

NOTA: Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web. 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening ) Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web Barueri, / / 2009 Trimestre: 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening ) NOTA: ACTIVITY ONE: Put the verses in order according to what

Leia mais

PRESENT PERFECT. ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa;

PRESENT PERFECT. ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa; ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa; 2. Associa-se o Present Perfect entre uma ação do passado que tenha uma relação com o presente; My life has changed

Leia mais

Como dizer quanto tempo leva para em inglês?

Como dizer quanto tempo leva para em inglês? Como dizer quanto tempo leva para em inglês? Você já se pegou tentando dizer quanto tempo leva para em inglês? Caso ainda não tenha entendido do que estou falando, as sentenças abaixo ajudarão você a entender

Leia mais

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM.

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS Prova-modelo Instruções Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. A prova é avaliada em 20 valores (200 pontos). A prova é composta

Leia mais

Semestre do plano de estudos 1

Semestre do plano de estudos 1 Nome UC Inglês CU Name Código UC 6 Curso LEC Semestre do plano de estudos 1 Área científica Gestão Duração Semestral Horas de trabalho 54 ECTS 2 Horas de contacto TP - 22,5 Observações n.a. Docente responsável

Leia mais

Seu Tempo é Precioso. Volume I. Charlles Nunes

Seu Tempo é Precioso. Volume I. Charlles Nunes APRENDA INGLÊS EM CASA Seu Tempo é Precioso Volume I Charlles Nunes Aprenda Inglês em Casa ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 LESSON 1... 5 LESSON 2... 10 LESSON 3... 16 LESSON 4... 21 2 Charlles Nunes APRESENTAÇÃO

Leia mais

Relatório completo de proficiência da língua inglesa

Relatório completo de proficiência da língua inglesa Relatório completo de proficiência da língua inglesa 1 2 Entenda a avaliação Nesta avaliação de proficiência de inglês como língua estrangeira, quantificamos e identificamos o nível e perfil atual do candidato,

Leia mais

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges 3 o ANO ENSINO MÉDIO Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges Unidade IV Jobs The perfect job for you 2 Aula 10.1 Conteúdos Vocabulary: Jobs; Reading Comprehension 3 Habilidade Dizer o nome das

Leia mais

Colégio de Aplicação UFRGS. Name: Group:

Colégio de Aplicação UFRGS. Name: Group: Present Perfect: FOOD for THOUGHT Colégio de Aplicação UFRGS Name: Group: Present Perfect Simple Os Perfect Tenses são formados com o presente simples do verbo to have (have / has), que, neste caso, funciona

Leia mais

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them?

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them? GUIÃO A Prova construída pelos formandos e validada pelo GAVE, 1/7 Grupo: Chocolate Disciplina: Inglês, Nível de Continuação 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas 1º Momento Intervenientes

Leia mais

Lição 24: Preposições de tempo. Como usar preposições de tempo.

Lição 24: Preposições de tempo. Como usar preposições de tempo. Lesson 24: Prepositions of Time (in, on, at, for, during, before, after) Lição 24: Preposições de tempo Como usar preposições de tempo. Reading (Leituras) I was born in 2000. (Eu nasci em 2000.) We work

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE INGLÊS 7º ANO INTERMEDIÁRIO 1º BIM - 2016

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE INGLÊS 7º ANO INTERMEDIÁRIO 1º BIM - 2016 ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE INGLÊS 7º ANO INTERMEDIÁRIO 1º BIM - 2016 Nome: Nº 7ª Série Data: / / Professor(a): Nota: (Valor 1,0) INSTRUÇÕES PARA A PARTICIPAÇÃO NA RECUPERAÇÃO Neste bimestre, sua media foi

Leia mais

Online Training First Things First

Online Training First Things First Online Training First Things First 2008 Excellent Global Com. Ltda. All rights reserved. 12,000 to 20,000. 1200 to 2000. The 'receptive vocabulary size' of a university-educated native English speaker

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO Questão: 26 30 41 A questão 26 do código 02, que corresponde à questão 30 do código 04 e à questão 41 do código 06 Nº de Inscrição: 2033285 2041257 2030195 2033529 2032517 2080361 2120179 2120586 2037160

Leia mais

Lesson 6 Notes. Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job. Language Notes

Lesson 6 Notes. Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job. Language Notes Lesson 6 Notes Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job Welcome to Fun With Brazilian Portuguese Podcast, the podcast that will take you from beginner to intermediate in short, easy steps. These

Leia mais

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Trabalho de Compensação de Ausência

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. Especialização em Língua Inglesa. Trabalho de Conclusão de Curso

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. Especialização em Língua Inglesa. Trabalho de Conclusão de Curso 1 PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Especialização em Língua Inglesa Trabalho de Conclusão de Curso INCORPORANDO MÚSICA NO LOCUS ESCOLARDE LÍNGUA INGLESA NO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire Volunteer Profile Questionnaire 1 Índice 1 VOLUNTEER PROFILE QUESTIONNAIRE... 1.1 Country... 1. AGE... 1. GENDER... 1..1 GENDER vs... 1. Qualification... 1..1 QUALIFICATION GREECE VS PORTUGAL... 1. Are

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office FORMULÁRIO DE CANDIDATURA PARA ESTUDANTE DE INTERCÂMBIO EXCHANGE STUDENT APPLICATION FORM Semestre

Leia mais

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks Conteúdo: Reading - Typographic Marks Habilidades: Utilizar as Marcas Tipográficas para facilitar a compreensão e também chamar a atenção do leitor. Typographic Marks O que são marcas tipográficas? As

Leia mais

Versão 1. Nome do aluno: N.º: Turma: Atenção! Não vires esta página até receberes a indicação para o fazeres.

Versão 1. Nome do aluno: N.º: Turma: Atenção! Não vires esta página até receberes a indicação para o fazeres. Teste Intermédio de Inglês Parte III Compreensão do oral Versão 1 Teste Intermédio Inglês Versão 1 Duração do Teste: 15 minutos 22.02.2013 9.º Ano de Escolaridade Escola: Nome do aluno: N.º: Turma: Classificação

Leia mais

Nome do aluno: N.º: Turma: Atenção! Não vire esta página até receber a indicação para o fazer.

Nome do aluno: N.º: Turma: Atenção! Não vire esta página até receber a indicação para o fazer. Teste Intermédio Inglês Parte II Compreensão do oral Versão 1 Duração do Teste: 30 minutos 27.02.2014 11.º Ano de Escolaridade Escola: Nome do aluno: N.º: Turma: Classificação (subtotal): Assinatura do

Leia mais

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Inglês 6º Ano de Escolaridade Prova 06 / 2.ª Fase 7 Páginas Duração da Prova: 90 minutos. 2014 Prova 06/ 2.ª F.

Leia mais

Conteúdo Programático Anual

Conteúdo Programático Anual INGLÊS 1º BIMESTRE 5ª série (6º ano) Capítulo 01 (Unit 1) What s your name? What; Is; My, you; This; Saudações e despedidas. Capítulo 2 (Unit 2) Who s that? Who; This, that; My, your, his, her; Is (afirmativo,

Leia mais

Your Time is Precious BOOK ONE. www.second-language-now.com

Your Time is Precious BOOK ONE. www.second-language-now.com LEARN PORTUGUESE AT HOME Your Time is Precious BOOK ONE Learn Portuguese at Home TABLE OF CONTENTS LESSON 1...3 LESSON 2...8 LESSON 3...14 LESSON 4...19 LESSON 5...21 LESSON 6...27 LESSON 7...29 LESSON

Leia mais

Curso EFA - Inglês. A. Ouça a Tzu-Lee e o Jack falar sobre as suas actividades depois da escola. Complete a tabela.

Curso EFA - Inglês. A. Ouça a Tzu-Lee e o Jack falar sobre as suas actividades depois da escola. Complete a tabela. Curso EFA - Inglês Leisure 4 A. Ouça a Tzu-Lee e o Jack falar sobre as suas actividades depois da escola. Complete a tabela. Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Myers, Cathy et al Step Ahead 7 (wkbk)

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

SEYMOUR PAPERT Vida e Obra

SEYMOUR PAPERT Vida e Obra SEYMOUR PAPERT Vida e Obra Eva Firme Joana Alves Núria Costa 1 de Março de 1928 -EUA Activista - movimento anti-apartheid 1954-1958 - Universidade de Cambridge (matemática). 1958-1963 - Centro de Epistemologia

Leia mais

Exercícios extras. Na aula de hoje, você deverá arregaçar as

Exercícios extras. Na aula de hoje, você deverá arregaçar as Exercícios extras Assunto do dia Na aula de hoje, você deverá arregaçar as mangas e entrar de cabeça nos exercícios extras, que têm como tema tudo que vimos nas aulas do Segundo Grau. Atenção: 3, 2, 1...

Leia mais

Relatório completo de proficiência da língua inglesa

Relatório completo de proficiência da língua inglesa Relatório completo de proficiência da língua inglesa 1 2 Entenda a avaliação Nesta avaliação de proficiência de inglês como língua estrangeira, quantificamos e identificamos o nível e perfil atual do candidato,

Leia mais

Present Simple Exercises

Present Simple Exercises Present Simple Exercises Antes de fazer as atividades, você pode querer ler as dicas dos links abaixo. Nelas você encontra explicações sobre os usos e as conjugações dos verbos no Present Simple. Ø www.bit.ly/psimple1

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA 1. Introdução A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA Jhonatas Garagnani de Souza (G- CLCA - UENP-CJ/CJ) Juliano César Teixeira (G- CLCA UENP/CJ) Paula Fernanda L. de Carvalho (G- CLCA -UENP-CJ-CJ)

Leia mais

Aula 03 Passado do to be e past continuous

Aula 03 Passado do to be e past continuous Aula 03 Passado do to be e past continuous No passado, o to be se comporta de forma semelhante ao presente, ou seja, as afirmações, negações e questões são feitas da mesma forma. Examples: I was worried

Leia mais

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br Preposições na língua inglesa geralmente vem antes de substantivos (algumas vezes também na frente de verbos no gerúndio). Algumas vezes é algo difícil de se entender para os alunos de Inglês pois a tradução

Leia mais

What is Bullying? Bullying is the intimidation or mistreating of weaker people. This definition includes three important components:1.

What is Bullying? Bullying is the intimidation or mistreating of weaker people. This definition includes three important components:1. weaker people. This definition includes three important components:1. Bullying is aggressive behavior that involves unwanted, negative actions. 2. Bullying involves a pattern of behavior repeated over

Leia mais

PROVA COMENTADA E RESOLVIDA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO

PROVA COMENTADA E RESOLVIDA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO COMENTÁRIO GERAL DOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO Uma prova, para avaliar tantos candidatos deve ser sempre bem dosada como foi a deste ano. Houve tanto questões de interpretação (6) como de gramática

Leia mais

WELCOME. Entrevista - Cultural Care MÓDULO 2 . TESTE - SIMULAÇÃO DE ENTREVISTA COM A HOST FAMILY

WELCOME. Entrevista - Cultural Care MÓDULO 2 . TESTE - SIMULAÇÃO DE ENTREVISTA COM A HOST FAMILY WELCOME Entrevista - Cultural Care MÓDULO 2. TESTE - SIMULAÇÃO DE ENTREVISTA COM A HOST FAMILY ENTREVISTA FÓRMULA VENCEDORA Passo 1 As perguntas da estrevista são bem parecidas com as perguntas de nivel

Leia mais

:: COMO ESCOLHER UMA ESCOLA IDIOMAS PDF ::

:: COMO ESCOLHER UMA ESCOLA IDIOMAS PDF :: :: COMO ESCOLHER UMA ESCOLA IDIOMAS PDF :: [Download] COMO ESCOLHER UMA ESCOLA IDIOMAS PDF COMO ESCOLHER UMA ESCOLA IDIOMAS PDF - Are you looking for Como Escolher Uma Escola Idiomas Books? Now, you will

Leia mais

Phrasal Verbs, What for?

Phrasal Verbs, What for? Phrasal Verbs, What for? Um dos maiores problemas que o estudante da língua inglesa enfrenta para entender conversas cotidianas, filmes ou músicas em inglês é o uso dos chamados Phrasal Verbs, que tornam

Leia mais

Cowboys, Ankle Sprains, and Keepers of Quality: How Is Video Game Development Different from Software Development?

Cowboys, Ankle Sprains, and Keepers of Quality: How Is Video Game Development Different from Software Development? Cowboys, Ankle Sprains, and Keepers of Quality: How Is Video Game Development Different from Software Development? Emerson Murphy-Hill Thomas Zimmermann and Nachiappan Nagappan Guilherme H. Assis Abstract

Leia mais

Andrew is an engineer and he works in a big company. Sujeito Predicado (e) Suj. Predicado

Andrew is an engineer and he works in a big company. Sujeito Predicado (e) Suj. Predicado Inglês Aula 01 Título - Frases básicas em Inglês As orações em Inglês também se dividem em Sujeito e Predicado. Ao montarmos uma oração com um sujeito e um predicado, montamos um período simples. Estas

Leia mais

Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante?

Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante? Do you know how to ask questions in English? Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante? Note que tanto

Leia mais

www.souvestibulando.com.br MÓDULO DE INGLES

www.souvestibulando.com.br MÓDULO DE INGLES 1 MÓDULO DE INGLES ASSUNTO: AULA 01 THE SIMPLE PRESENT TENSE Esta aula é composta pelo texto da apostila abaixo e por um link de acesso à AULA VIRTUAL gravada. Estude com atenção o texto antes de acessar

Leia mais

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges 3 o ANO ENSINO MÉDIO Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges Unidade II Science Health and nature 2 Aula 5.1 Conteúdos Phrasal Verbs in texts 3 Habilidade Identificar os phrasal verbs em textos

Leia mais

Aula10 PLANNING AHEAD. Maria Amália Vargas Façanha Igor Gadioli

Aula10 PLANNING AHEAD. Maria Amália Vargas Façanha Igor Gadioli Aula10 PLANNING AHEAD META Introduzir o futuro simples com going to; abordar temáticas relacionadas a planos de viagem e de trabalho OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Perguntar e responder

Leia mais

Inglês 05 The Present.

Inglês 05 The Present. Inglês 05 The Present. O Presente Simples expressa uma ação que acontece rotineiramente, em contraste com o Continuous, que expressa, entre outras coisas, uma ação que esta se processando no momento. He

Leia mais

TEXTO ORIGINAL EM INGLÊS

TEXTO ORIGINAL EM INGLÊS TEXTO ORIGINAL EM INGLÊS Based on years of success, we are confident we can get you the TOEFL score you need to realise your dreams of studying at an English-speaking University. In fact, if you take the

Leia mais

1. Usa-se o Simple Present para falar de hábitos, rotina, acontecimentos ou ações que acorrem regularmente, com frequência. Ex: I always use the

1. Usa-se o Simple Present para falar de hábitos, rotina, acontecimentos ou ações que acorrem regularmente, com frequência. Ex: I always use the 1. Usa-se o Simple Present para falar de hábitos, rotina, acontecimentos ou ações que acorrem regularmente, com frequência. Ex: I always use the computer at night. My brother goes to work every day. 2.

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA PROVA DE AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E CAPACIDADES Componente Específica Inglês. Código da Prova 5200 2014/2015

INFORMAÇÃO-PROVA PROVA DE AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E CAPACIDADES Componente Específica Inglês. Código da Prova 5200 2014/2015 INFORMAÇÃO-PROVA PROVA DE AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E CAPACIDADES Componente Específica Inglês Código da Prova 5200 2014/2015 O presente documento divulga informação relativa à Prova de Avaliação de Conhecimentos

Leia mais

Título Present Continuous e Pronomes Objeto.

Título Present Continuous e Pronomes Objeto. Inglês Aula 02 Título Present Continuous e Pronomes Objeto. O present continuous é basicamente um tempo verbal que descreve uma ação que está se processando no momento. Alex is talking to his sister and

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL.

INSTRUÇÕES NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL. INSTRUÇÕES Para a realização destas provas, você recebeu este Caderno de Questões e duas Folhas de Respostas. NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL. 1. Caderno de Questões Verifique

Leia mais

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO Osasco 2009 MARLI DA COSTA RAMOS

Leia mais

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Renata Céli Moreira da Silva Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: ALUNO(a): GRAMMAR REVIEW

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: ALUNO(a): GRAMMAR REVIEW GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: ALUNO(a): NOTA: No Anhanguera você é + Enem LISTA DE EXERCÍCIOS DE LÍNGUA INGLESA 1º ANO TEACHER THAÍS RECUPERAÇÃO 1º SEMESTRE GRAMMAR REVIEW Simple Present

Leia mais

INGLÊS-2011 BABY TALK

INGLÊS-2011 BABY TALK UFBA - 2ª FASE 2011 UFBA 2011-2011 UFBA - 2ª FASE 2011 BABY TALK 5-10 - 15-20 - 25-30 - 35 - What similarities are there between the way that infants acquire their first language and the way that adults

Leia mais

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer?

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer? MONEY CHANGER Câmbio I d like to exchange some money. Where can I find a money changer? Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Onde posso encontrar um câmbio? I d like to exchange (I would) Where can

Leia mais

Verbs. Modal Verbs. Conditional Tenses (if clauses) Zero Conditional First Conditional Second Conditional Third Conditional

Verbs. Modal Verbs. Conditional Tenses (if clauses) Zero Conditional First Conditional Second Conditional Third Conditional Inglês Prof. Davi Verbs Modal Verbs Conditional Tenses (if clauses) Zero Conditional First Conditional Second Conditional Third Conditional Modal Verbs Regras especiais Não existem no infinitivo (to can,

Leia mais

Dependent Clauses ( Orações Subordinadas)

Dependent Clauses ( Orações Subordinadas) www.blogpensandoemingles.com www.facebook.com/pensandoeminglesblog Dependent Clauses ( Orações Subordinadas) Para entendermos melhor este assunto será necessário observarmos como ele funciona em português.

Leia mais

LEITURA SEMANA 1. Charlles Nunes

LEITURA SEMANA 1. Charlles Nunes Aprenda Inglês em 7 Semanas LEITURA SEMANA 1 Charlles Nunes G SEMANA 1 PALAVRAS 1 A 52 01 the o, a, os, as A Every love is the first one. Todo amor é o primeiro amor. B The best is yet to come! O melhor

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

Roteiro de Recuperação Língua Inglesa 6º ano

Roteiro de Recuperação Língua Inglesa 6º ano Roteiro de Recuperação Língua Inglesa 6º a Professor (es) da Disciplina: Christiane Bernardini Lourenço Data: / /15 3º TRIMESTRE Alu(a): Nº: A: 6º a Fundamental II Período: Matuti EM CASA: Revise o conteúdo

Leia mais

THE LIBRARY. MODERN CONVERSATIONS #1 Steve and Alex - Motivation - Part 1 TEXTO DE ESTUDO

THE LIBRARY. MODERN CONVERSATIONS #1 Steve and Alex - Motivation - Part 1 TEXTO DE ESTUDO 1 MODERN CONVERSATIONS #1 Steve and Alex - Motivation - Part 1 Nota: o áudio e o texto em inglês desta lição foram extraídos do site https://www.lingq.com Esta é uma lição nova e diferente! Nela você encontrará

Leia mais

Inglês Técnico Instrumental

Inglês Técnico Instrumental Inglês Técnico Instrumental Aula 5 Inglês Técnico Instrumental - Aula 5 1 Objectives Empregar os verbos no passado de modo a exercitar exemplos práticos do cotidiano do técnico em informática; Elaborar

Leia mais

ENSINO MÉDIO 1. MEMBROS DA FAMÍLIA 2. ALIMENTOS 3. DIAS DA SEMANA 4. MESES 5. ESTAÇÕES DO ANO 6. NUMERAIS CARDINAIS E ORDINAIS

ENSINO MÉDIO 1. MEMBROS DA FAMÍLIA 2. ALIMENTOS 3. DIAS DA SEMANA 4. MESES 5. ESTAÇÕES DO ANO 6. NUMERAIS CARDINAIS E ORDINAIS SÍNTESE DA AULA DE INGLÊS ENSINO MÉDIO I VOCABULÁRIO IMPORTANTE: 1. MEMBROS DA FAMÍLIA 2. ALIMENTOS 3. DIAS DA SEMANA 4. MESES 5. ESTAÇÕES DO ANO 6. NUMERAIS CARDINAIS E ORDINAIS II - PERSONAL PRONOUNS

Leia mais

Bem-vindo ao Inspector Stone uma produção da BBC Learning. Vamos começar o espetáculo.

Bem-vindo ao Inspector Stone uma produção da BBC Learning. Vamos começar o espetáculo. The case of the missing ring Script: part three A transcrição abaixo não é uma cópia fiel do áudio. Apresentadora: Bem-vindo ao Inspector Stone uma produção da BBC Learning English. Série 1 o caso da aliança

Leia mais

Letra da música Gypsy da Lady Gaga em Português

Letra da música Gypsy da Lady Gaga em Português Letra da música Gypsy da Lady Gaga em Português Letra da música Gypsy da Lady Gaga em Português Cigana Às vezes uma história não tem fim Às vezes acho que nós poderíamos ser apenas amigos Porque eu sou

Leia mais

Cristina is buying some music on the Internet. Roberto asks her what she is doing. Let's listen to their conversation.

Cristina is buying some music on the Internet. Roberto asks her what she is doing. Let's listen to their conversation. Welcome to BrazilianPodClass Video Edition This podcast aims at teaching Brazilian Portuguese. BrazilianPodClass Cristina is buying some music on the Internet. Roberto asks her what she is doing. Let's

Leia mais

Aula 2: Formação das equipes de desenvolvimento

Aula 2: Formação das equipes de desenvolvimento Aula 2: Formação das equipes de desenvolvimento Autores Eduardo Zancul (USP), Sergio Scheer (UFPR), Roseli Lopes (USP), Paulo Blikstein (Stanford University) A atividade de projeto de engenharia é realizada

Leia mais

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015 Pets reality There are about 30 millions abandoned pets only in Brazil. Among these amount, about 10 millions are cats and the other 20 are dogs, according to WHO (World Health Organization). In large

Leia mais

Estratégia de Leitura Elementos de Referência. Reference devices ou elementos de referência

Estratégia de Leitura Elementos de Referência. Reference devices ou elementos de referência Estratégia de Leitura Elementos de Referência Reference devices ou elementos de referência Ao ler textos sobre qualquer assunto, em qualquer área de conhecimento, todo leitor percebe uma relação de REFERÊNCIA

Leia mais

3 Is there any comical story you would like to share as well?

3 Is there any comical story you would like to share as well? Interview with John Cotis John Cotis is an Australian tutor in Academic English and Media Studies and Quality Assurance Lead at the Kingston University London International Study Centre. 1 - How did you

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

Verbs - Simple Tenses

Verbs - Simple Tenses Inglês Prof. Davi Verbs - Simple Tenses Simple Present Simple Past Simple Future Simple Present - Formação Infinitivo sem o to Ausência do auxiliar (usa-se to do ) Inclusão de s na 3ª pessoa do singular

Leia mais

São eles: SOME (Algum, alguma, alguns,algumas). É utilizado em frases afirmativas,antes de um substantivo. Ex.:

São eles: SOME (Algum, alguma, alguns,algumas). É utilizado em frases afirmativas,antes de um substantivo. Ex.: Pronomes Indefinidos Indefinite Pronouns Esses pronomes são utilizados para falar de pessoas, objetos ou lugares indefinidos Referem a pessoas ou coisas, de modo vago ou impreciso São eles: SOME (Algum,

Leia mais

THE INFINITIVE. O infinitivo éa forma original do verbo e pode aparecer com ou sema partícula to.

THE INFINITIVE. O infinitivo éa forma original do verbo e pode aparecer com ou sema partícula to. THE INFINITIVE O infinitivo éa forma original do verbo e pode aparecer com ou sema partícula to. Usa-se o infinitivo sem to: Após os verbos anômalos, os verbos auxiliares doe wille os verbos makee let.

Leia mais

Lição 40: deve, não deve, não deveria

Lição 40: deve, não deve, não deveria Lesson 40: must, must not, should not Lição 40: deve, não deve, não deveria Reading (Leituras) You must answer all the questions. ( Você deve responder a todas as We must obey the law. ( Nós devemos obedecer

Leia mais

LESSON 1 PRONOUNS ( II ) (LIÇÃO 1 PRONOMES ( II ) )

LESSON 1 PRONOUNS ( II ) (LIÇÃO 1 PRONOMES ( II ) ) LESSON 1 PRONOUNS ( II ) (LIÇÃO 1 PRONOMES ( II ) ) 1. INTERROGATIVE PRONOUNS (PRONO- MES INTERROGATIVOS) Interrogative Tradução Exemplos Pronouns What (O) que? Qual? What does he want? (O que ele quer?)

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE INGLÊS 6º ANO BÁSICO Name: Nº Class: Date: / / Teacher: Nota: (1)

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE INGLÊS 6º ANO BÁSICO Name: Nº Class: Date: / / Teacher: Nota: (1) ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE INGLÊS 6º ANO BÁSICO Name: Nº Class: Date: / / Teacher: Nota: (1) Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os conteúdos mínimos necessários. Agora, você

Leia mais

Eu também passei por esse problema

Eu também passei por esse problema Eu também passei por esse problema Eu também passei por esse problema Eu também passei por esse problema Eu também passei por esse problema Eu também passei por esse problema 1- ACHO QUE NÃO Bem, como

Leia mais

THE SIMPLE FUTURE TENSE

THE SIMPLE FUTURE TENSE C.E. GISNO Subject: ENGLISH Teacher: ANDRÉ MATA Name: Number: Grade: 8 th Date: / / See the examples: 1. I will travel next week. 2. She will travel tomorrow. 3. You will travel in four months. INFINITIVO

Leia mais