MANUAL DE MANUTENÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE MANUTENÇÃO"

Transcrição

1 MANUAL DE MANUTENÇÃO Eixo Dianteiro (Não Trativo) MFS 06 MFS 07 MFS 08 MFS 14 Edição outubro/11 MM11135POR

2 Índice 1 - Informações importantes Vista explodida Introdução e descrição Correção de Falhas Inspeção Lubrificação e Manutenção Ajustes Remoção Preparação das Peças para Montagem Instalação Especificações de Torque Ferramentas especiais MANUAL DE MANUTENÇÃO

3

4 Informações Importantes Atualização das Alterações no Eixo Para se manter o manual de manutenção atualizado, a cada alteração que houver no eixo, será emitida uma Instrução Técnica com os dados e as implicações decorrentes destas alterações. No rodapé de cada página deste manual existe uma área designada para se anotar o número de cada Instrução Técnica que envolve eventuais alterações ocorridas naquela página, como mostra o exemplo abaixo: Segurança É de extrema importância o uso de equipamento de segurança quando da manutenção do eixo. Ao usar martelo ou efetuar qualquer operação que envolva impacto, use óculos de segurança. Ao manusear peças quentes, use luvas adequadas. FIBRAS DE ASBESTOS E SEM ASBESTOS Algumas lonas de freio contém fibras asbestos, um perigoso cancerígeno e causador de doenças pulmonares. Algumas lonas de freio contém fibras sem asbestos, mas sob as quais, os efeitos de uma exposição prolongada são desconhecidos. Muito cuidado deve ser tomado ao se manusear ambos os tipos de material, conforme mostrado neste manual. MANUAL DE MANUTENÇÃO 3

5 Vista explodida 4 MANUAL DE MANUTENÇÃO

6 Nomenclatura das peças da vista explodida ITEM DESCRIÇÃO ITEM DESCRIÇÃO 1 Contrapino 2 Porca Castelo 3 Braço de Direção 4 Chaveta 5 Pivô 6 Parafuso 7 Pino de Lubrificação 8 Tampa da Ponta de Eixo - c/furo para lubrificação 9 Tampa Ponta de Eixo - Selada 10 Junta 11 Rolamento de agulha 12 Bucha da Ponta de Eixo Bronze 13 Bucha da Ponta de Eixo Nylon 14 Ponta de Eixo 15 Porca Castelo 16 Contrapino 17 Vedador - Bucha Ponta de Eixo 18 Porca Parafuso Limitador 19 Parafuso Limitador de Direção 20 Porca Castelo 21 Contrapino 22 Calços 23 Viga 24 Chaveta Plana 25 Chaveta Rosqueada 26 Porca da Chaveta 27 Rolamento Axial e Vedador Plano 28 Rolamento Axial e Vedador 29 Rolamento Axial Integral e Vedador 30 Pino Mestre 31 Chaveta 32 Braço de Ligação 33 Contrapino 34 Porca Castelo 35 Pivô da Barra de Ligação 36 Parafuso da Abraçadeira 37 Porca de Trava 38 Barra de Ligação 39 Vedador de Graxa do Cubo 40 Rolamento Cone Interno 41 Rolamento Capa Interno 42 Parafuso da Roda 43 Cubo 44 Rolamento da Roda Capa - Interno 45 Rolamento da Roda Cone - Interno 46 Porca de Ajuste 47 Anel de Trava Furada 48 Arruela de Trava 49 Contra Porca 50 Arruela D 51 Porca de Ajuste 52 Contrapino 53 Junta 54 Tampa do Cubo 55 Parafuso e Porca 56 Tampa da Ponta de Eixo 57 Arruela Chavetada MANUAL DE MANUTENÇÃO 5

7 Introdução e descrição Descrição Os eixos dianteiros não trativos Meritor têm os seguintes componentes: (Figura 1). Braço de ligação, ponta de eixo e pino mestre. O braço de ligação lado direito, é uma imagem de espelho do braço de ligação lado esquerdo e converte a força da barra de ligação em movimento para girar a ponta de eixo lado direito, roda e pneu em torno do pino mestre. O conjunto da ponta de eixo e pino mestre é similar ao lado esquerdo, exceto pela ausência do braço de direção. Ponta de eixo Pontas de eixo são avaliadas de acordo com a capacidade do eixo dianteiro. Todos os modelos usam pinos da ponta de eixo retos. São usadas 3 tipos de buchas: nylon, bronze e Easy Steer. Braço de Direção O braço de direção (normalmente um componente forjado), converte a força da barra de direção em um movimento de giro através do pino mestre da ponta de eixo lado esquerdo. Figura 1a Figura 1 6 MANUAL DE MANUTENÇÃO

8 Introdução e descrição Identificação dos Eixos Todas as informações necessárias para qualquer eixo dianteiro Meritor estão indicadas na placa de identificação do eixo. Figura 2. Antes de iniciar as operações de serviço, identifique a unidade a ser reparada, consultando a placa de identificação afixada na viga. Essas informações permitirão uma identificação correta das peças de reposição desejadas, permitindo, desta forma, a execução de uma operação de serviço mais rápida e precisa. Model (Modelo) Cust.No. (Número do cliente) Part.No. (Número do produto) Ratio (Reduções do diferencial) Série No. (Número de série) Date (Data de fabricação) Designação do modelo. Veja as Figuras 3 e 3A Para informações sobre todos os Modelos, veja a Figura 4. Figura 2 MODEL CUST. NO. PART. NO. SER. NO. RATIO DATE Placa de Identificação Figura 3 EIXO DIANTEIRO CAPACIDADE BÁSICA A lbs (2268 Kg) B lbs (2722 Kg) C lbs ( Kg) D lbs (4082 Kg) E lbs (4536 Kg) F lbs ( Kg) G lbs (6622 Kg) L lbs ( Kg) LX lbs ( Kg) U lbs ( Kg) SÉRIE BÁSICA FREIO NÚMERO DE ESPECIFICAÇÃO SEQUENCIAL NUMÉRICO FF NX-122 VARIAÇÃO PRINCIPAL 0 Projeto pré FMVSS Pino da ponta de eixo reto c/ vedador e Novo conj. braço de direção 2 Const. pino da ponta c/ vedador 3 Viga e ponta de eixo maiores 4 Bucha Easy Steer 5 Viga tubular 6 Viga de baixo peso 7 Modelo c/ ponto de centro 8 Bucha Easy Steer Plus ALTERAÇÃO DE PROJETO 0 Pino mestre temperado 1 Pino mestre reto 2 Braço de ligação especial 3 Distância de 127 mm (5 ) do centro da ponta de eixo ao assento de mola 4 Distância de 127 mm (5 ) do centro da ponta de eixo ao assento de mola e braço de ligação especiais. 5 Extremidade de roda especial 6 Duplo rebaixamento da viga MANUAL DE MANUTENÇÃO 7

9 Introdução e descrição MODELOS NOVOS Figura 3A Meritor F = Dianteiro GAWR libras ou toneladas INDICA VARIAÇÃO NA VIGA, PINO MESTRE OU BUCHA: 1 - Pino mestre reto - bucha Easy Steer 2 - Pino mestre cônico - rolamento de agulhas 3 - Viga em material liga (Índia) 4 - Pino mestre reto - bucha de bronze S = Eixo direcional não trativo MFS - XX - 000X - NX XXX KPI SEQUENCIAL NUMÉRICO 0 - Não Standard 1-68 (1727,2 mm) 2-69 (1752,6 mm) 3-71 (1803,4 mm) 4-71,5 (1816,1 mm) 5-72 (1828,8 mm) 6-65,25 (1657,4 mm) 7-60 (1524,0 mm) 8-67,5 (1714,5 mm) 9-68,5 (1739,9 mm) FREIO LOCAL DE FABRICAÇÃO N - América do Norte S - América do Sul E - Europa A - Austrália / Ásia ALTURA DO CENTRO DA BOSSA P/ PINO MESTRE ATÉ A SUPERFÍCIE DO ASSENTO DE MOLA 0 - Não Standard 1-3,30 (83,8 mm) 2-3,50 (88,9 mm) 3-3,74 (3,74 mm) 4-5,00 (127,0 mm) 5-2,50 (63,5 mm) VARIAÇÃO PRINCIPAL DE PROJETO A - Ponta de eixo convencional B - Braço de ligação integral C - Braço de ligação integral e prato de freio D - Braço de ligação integral, aranha de freio e cubo unitizado GAWR = Capacidade Total de Carga. KPI = Entre Centros Dos Pinos Mestre = Polegadas 8 MANUAL DE MANUTENÇÃO

10 Introdução e descrição Figura 4 - INFORMAÇÕES SOBRE MODELOS DOS EIXOS DIANTEIROS NÃO TRATIVOS NÚM./MOD. CAPACIDADE VARIAÇÃO PRINCIPAL ALTERAÇÃO DO PROJETO FC Kg (7.000 lbs) Projeto pré FMVSS-121 Pino da ponta de eixo reto FC Kg (7.000 lbs) Projeto pré FMVSS-121 Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta FC Kg (7.000 lbs) Projeto pré FMVSS Pino da ponta de eixo reto FC Kg (8.000 lbs) Projeto Easy Steer Pino da ponta de eixo reto FD Kg (4.560 lbs) Viga e ponta de eixo maiores Pino da ponta de eixo reto FC Kg (9.000 lbs) Projeto pré FMVSS-121 Pino da ponta de eixo reto FC Kg (9.000 lbs) Viga e ponta de eixo maiores Pino da ponta de eixo reto MFS Kg (9.000 lbs) Viga e ponta de eixo maiores Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta FD Kg ( lbs) Viga de baixo peso Pino da ponta de eixo reto FE Kg ( lbs) Projeto ponto centrado Pino da ponta temperado FF Kg ( lbs) Pino da ponta de eixo vedado pino da ponta de eixo reto - fora de estrada FF Kg ( lbs) Pino da ponta de eixo reto FF Kg ( lbs) Braço de ligação especial FF Kg ( lbs) Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta FF Kg ( lbs) Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta de eixo ao assento de mola e braço de ligação especial FF Kg ( lbs) Projeto Easy Steer Pino da ponta de eixo reto FF Kg ( lbs) Projeto Easy Steer Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta FF Kg ( lbs) Projeto Easy Steer Braço de ligação especial MFS-13 FF Kg ( lbs) Projeto Easy Steer Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta de eixo ao assento de mola e braço de ligação especial FF Kg ( lbs) Pino da ponta de eixo reto FF Kg ( lbs) Projeto ponto centrado Pino da ponta de eixo reto FG Kg ( lbs) Pino da ponta de eixo reto FG Kg ( lbs) Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta FG Kg ( lbs) Projeto Easy Steer Pino da ponta de eixo reto FG Kg ( lbs) Projeto Easy Steer Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta FL Kg ( lbs) Pino da ponta de eixo reto FL Kg ( lbs) Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta FL Kg ( lbs) Projeto Easy Steer Pino da ponta de eixo reto FL Kg ( lbs) Projeto Easy Steer Distância 127 mm (5 ) do centro da ponta FL Kg ( lbs) Viga do eixo tubular Pino da ponta de eixo reto FU Kg Pino ponta de eixo vedado e conjunto barra de ligação Pino da ponta de eixo cônico FU Kg Extremidade de roda especiais MFS MFS-07 MFS-08RA Kg (5.800 lbs) Projeto Easy Steer Pino da ponta de eixo reto bucha Easy Steer Kg (7.000 lbs) Projeto Easy Steer Pino da ponta de eixo reto bucha Rolamento de agulha Para eixos fabricados no Brasil identificados pelo 8 inicial, adotar os valores para os eixos identificados pelo inicial 9. Ex.: FF-844 adotar valores indicados para FF-944. MANUAL DE MANUTENÇÃO 9

11 Correção de falhas Correção de Falhas Verifique as tabelas abaixo para corrigir possíveis falhas no eixo. CONDIÇÃO CAUSA CORREÇÃO Pneus se desgastam rapidamente ou tem desgaste irregular Veículo com dificuldade para esterçar Terminais da barra de ligação com desgaste Barra de ligação, pivô, braço de direção ou braçode ligação tortos ouquebrados 1. Pneus com calibragem incorreta. 2. Pneus desbalanceados. 3. Alinhamento de eixos tandem incorreto. 4. Divergência incorreta. 5. Geometria do braço de direção incorreta. 6. Folga excessiva do cubo de roda. 1. Baixa pressão no sistema de direção hidráulica. 2. Articulações da direção necessitam de lubrificação 3. Pino mestre emperrado. 4. Geometria do braço de direção incorreta. 5. Caster desajustado. 6. Extremidade dos braços de ligação com dificuldade de movimento 7. Arruela de encosto desgastada. 1. Pivôs da barra de ligação necessitam de lubrificação 2. Condições de operação severas. 3. Coifa danificada no pivô de barra de ligação. 1. Muita pressão no sistema de força da direção. 2. Pressão de interrupção do sistema de força da direção desajustado. 3. Veículo trabalha em condições severas. 4. Caixa de direção mal ajustada ou com mal funcionamento. 5. Limitadores de direção ajustados incorretamente. 1. Calibre os pneus com apressão especificada 2. Balanceie ou troque pneus. 3. Alinhe os eixos tandem. 4. Ajuste a divergência. 5. Repare o braço de direção conforme necessário. 6. Reajuste a folga dosrolamentos da extremidade. 1. Repare o sistema de direção. 2. Lubrifique as articulações de direção. 3. Substitua o pino mestre. 4. Corrija o sistema de direção conforme necessário. 5. Ajuste o caster. 6. Substitua as extremidades. 7. Substitua a arruela. 1. Lubrifique os pivô da barra de ligação. Certifique-se que as tabelas de lubrificação estão sendo seguidas. 2. Aumente a frequência de inspeção de lubrificação. 3. Substitua a coifa. 1. Ajuste a pressão do sistema de força da direção. 2. Certifique-se de que o veículo está operando corretamente. 3. Instale o sistema tipo Add-oncorretamente. 4. Checar. 5. Verificar ajustes do limitadores de direção. 10 MANUAL DE MANUTENÇÃO

12 Correção de falhas Correção de Falhas Verifique as tabelas abaixo para corrigir possíveis falhas no eixo. CONDIÇÃO CAUSA CORREÇÃO Pivô de direção desgastado ou quebrado 1. Torque dos fixadores da barra de direção acima do especificado. 2. Falta de lubrificação ou lubrificante incorreto. 3. Limite de esterçamento direcional desajustado. 1. Aperte os fixadores da barra de direção com os torques especificados 2. Lubrifique as articulações de direção. 3. Ajuste os limitadores com as dimensões especificadas Pinos mestre e buchas desgastados Eixo dianteiro vibrando ou dançando durante a operação 1. Juntas ou vedadores faltando oudesgastados. 2. Lubrificante incorreto 3. O eixo não é lubrificado com frequência especificada 4. Procedimentos de lubrificação incorretos. 5. Frequência de lubrificação incompatível com as condições de operação. 1. Caster desajustado. 2. Rodas e/ou pneus desbalanceados. 3. Amortecedores desgastados. 1. Substitua as juntas e vedadores. 2. Use lubrificante especificado 3. Lubrifique o eixo na frequência especificada 4. Use os procedimentos corretos. 5. Troque a frequência para compatibilizar com as condições de operação. 1. Ajuste o caster. 2. Balanceie ou substitua as rodas e/ou pneus. 3. Substitua os amortecedores. MANUAL DE MANUTENÇÃO 11

13 Inspeção Inspeção Faça os seguintes procedimentos durante uma inspeção: Fixadores. Certifique-se que todos os elemetos de fixação estão apertados com os torques especificados. Use um torquímetro para verificados torques. A leitura deverá ser feita assim que o parafuso ou porca começar a se movimentar. Corrija o torque se necessário. Substitua qualquer fixador danificado. CUIDADO Não se permite o reparo ou recuperação dos componentes do eixo dianteiro. A Meritor recomenda a substituição dos componentes danificados ou fora de especificação. A maioridos componentes sofrem tratamento térmico. Os componentes não podem ser desentortados, soldados, aquecidos ou reparados de qualquer maneira, sem que se reduza a resistência ou a durabilidade do componente e torna sem efeito a garantia podendo ainda causar acidente com o veículo resultando em danos ou ferimentos pessoais. Danos e desgastes. Inspecione as peças do eixo quanto à danos e desgaste. Procure ver se há entortamentos ou trincas. Substitua todas as peças danificadas ou desgastadas. Pontos de pivô. Certifique-se que não existe pontos de pivôs frouxos. Certifique-se que o pontos de pivô estejam lubrificados Operação. Certifique-se que todas as peças se movem livremente por todo o raio de giro. Desgaste do pneu. Inspecione os pneus quanto a indícios de danos ou desalinhamento da suspensão. 2. Use um macaco para levantar o veículo até que as rodas dianteiras estejam suspensas. Apoie o eixo dianteiro sobre cavaletes seguros. 3. Apoie uma base magnética com relógio comparador sobre a viga e apoie o apalpador do relógio sobre o topo da ponta de eixo. Figura Coloque uma alavanca entre a bossa do braço de direção e a viga. Force a ponta de eixo para cima. Figura Zere o relógio comparador. 6. Force a ponta de eixo com a alavanca para cima e faça a leitura no relógio tomando nota do resultado. Figura 5 Checagem da folga vertical da ponta de eixo 1. Coloque blocos na frente e atrás da roda traseira para evitar que o veículo se movimente. ADVERTÊNCIA Não trabalhe sob o veículo apoiado somente pelo macaco. O macaco pode deslizar e causar ferimentos. Use suportes adequados. 12 MANUAL DE MANUTENÇÃO

14 Inspeção O resultado da leitura deve estar entre mm ( ) para eixos novos ou reconstruídos e mm ( ) para eixos em uso. Figura 6. Se a leitura for 0 (zero), remova a ponta de eixo e retire calços do pacote de calços. Veja as seções Remoção e Instalação deste manual. Se a leitura for maior que o máximo especificado, remova a ponta de eixo e adicione calços ao pacote. Veja as seções Remoção e Instalação deste manual. NOTA: Se uma bucha estiver danificada, é necessário trocar as duas buchas da ponta de eixo. 5. Mova lateralmente o topo da lateral do pneu várias vezes. Se o relógio indicar uma folga de 0.25 mm (0.010 ), a bucha está desgastada ou danificada. Substitua as duas buchas. Veja as seções Remoção e Instalação deste manual. Figura 7A. 6. Verifique a bucha inferior da ponta de eixo Instale uma base magnética com relógio comparador na viga e apoie o apalpador do relógio na bossa do braço de ligação na parte inferior da ponta de eixo. Figura 8. Figura 6 Checagem do desgaste das buchas da ponta de eixo 1. Coloque blocos na frente e atrás da roda traseira para evitar que o veículo se movimente. ADVERTÊNCIA Não trabalhe sob o veículo suportado somente pelo macaco. O macaco pode deslizar e causar ferimentos. 2. Use um macaco para levantar o veículo até que as rodas dianteiras estejam suspensas. Apoie o veículo sobre cavaletes seguros. 3. Verifique o desgaste da bucha superior daponta de eixo. Instale uma base magnética com relógio comparador sobre a viga e apoie o apalpador sobre a lateral da bossa do braço de direção na ponta de eixo. Figura 7 4. Zere o relógio comparador. Figura 7A MANUAL DE MANUTENÇÃO 13

15 Inspeção 7. Zere o relógio comparador. 8. Mova lateralmente a parte de baixo da lateral do pneu várias vezes. Se o relógio indicar uma folga de 0.25 mm (0.010 ), ou acima, a bucha inferior está desgastada ou danificada. Substitua as duas buchas.veja as seções Remoção e Instalação deste manual. Figura 8A. Checagem das extremidades da barra de ligação Segure e tente mover a barra de ligação em qualquer direção. Se sentir algum movimento ou folga entre as extremidades da barra de ligação e os braços de ligação, remova e substitua os pivôs da barra de ligação. Veja as seções Remoção e Instalação deste manual. Figura 9. Figura 9 Figura 7A 14 MANUAL DE MANUTENÇÃO

16 Lubrificação e manutenção Tabela de classificação dos veículos de acordo com o grupo de aplicação, data de fabricação e condições de operação. Tabela de Grupos de Aplicação Grupo (Ver pg. 20) Aplicação Ano Fabricação Condições de Operação 1 Somente em estradas pavimentadas ou auto estradas, linhas de transporte Depois Julho 1996 Antes Julho 1996, use o grupo 3. Operações de alta quilometragem (mais de Km / ano [ milhas]) 95% em estradas pavimentadas ou auto-estradas. 2 Bombeiros, Entrega Urbana, Ônibus urbano, Auto-estradas pesadas, Ônibus Escolar, Motor Home Depois Julho 1996 Antes Julho 1996, use o grupo 3. Operações de baixa quilometragem (menos de Km / ano [ milhas]). 3 Madeireira, Óleo, Construção, Transporte pesado, Trator de estrada, Lixo Residencial. Todos Operações de baixa quilometragem (menos de Km / ano [ milhas]) Carga pesada e substancial operação fora de estrada. 4 Mineração, Trator fora de estrada, Entulhos e Terra. Serviço de carga pesada. 5 Mineração, Madeireira, Construção. Trabalhos altamente pesados e operação 80 a100% fora de estrada. MANUAL DE MANUTENÇÃO 15

17 Lubrificação e manutenção Especificações de Lubrificantes Figura 10 Tabela p/ Auto-estrada e Entrega Urbana (Aplicável nos FF e FD incluindo FD-931, FD-933 e FD- 961) Componente Intervalo de Engraxamento Graxa 2 Especific. Meritor Graduação NLGI Classificação de Graxa Pinos Mestre. Buchas Pinos Mestre. Pivôs Braços de Direção. Pivô da Barra de Ligação. Barra de Direção 1 Uma vez ao ano ou o que ocorrer primeiro Graxa Multiuso A B 2 6% Lítio 12-Hidroxyl Stearato 8% Lítio 12-Hidroxyl Stearato 1 Aplica-se a Pivôs em eixos Easy Steer e Convencionais. Inspecione os Pivôs a cada Km ( milhas)quanto a desgaste e danos. Faça a manutenção se necessário. 2 A Meritor reconhece que a industria busca a contínua melhoria na seleção e uso de graxas sintéticas na manutençãode veículos. Contudo, como se sabe, alguns vedadores se expandem em contato com a graxa sintética. Consulte ameritor quanto às referências de aplicação da graxa sintética antes de usa-la na manutenção do veículo. Figura 11 Tabela de Especificação e Intervalos de Engraxamento do Eixo Dianteiro Não Trativo Componente Intervalo de Engraxamento Graxa Especific. Meritor Graduação NLGI Classificação de Graxa Temperatura externa Uma vez ao ano ou o que ocorrer primeiro Graxa Multiuso A ou B 1 ou 2 Pinos Mestre. Buchas Pinos Mestre. Pivôs Braços de Direção. Pivô da Barra de Ligação. Barra de Direção 1 6% Lítio 12-Hidroxystearato ou complexo de lítio Ver as especificaçõesdo fabricante dagraxa quanto aoslimites detemperatura detrabalho Unidade Cubo Selado para Caminhão Cubo não necessita de lubrificação Unidade selada Nenhuma Não 1 Aplica-se a Pivôs em eixos Easy Steer Plus. Nos eixos selados inspecione os Pivôs e Coifa a cada Km ( milhas) quanto a desgaste e danos. Faça a manutenção se necessário. Figura 12 Tabela de Especificação e Intervalos de Troca de Óleo do Cubo de Roda Oper. em Estradas Intervalos Checar Nível Óleo Trocar Óleo Intervalos p/ Operação Fora de Estradas Checar Nível Óleo Trocar Óleo Especific. Meritor Especific. Militar Descrição do óleo Temperatura externa C F Mín Máx. Mín. Máx km (1.000 milhas) O que ocorrer primeiro: Troca de vedadores. Realinhamento de Freios km ( milhas) Uma vez ao ano km (1.000 milhas) O que ocorrer primeiro: Troca de vedadores. Realinhamento de Freios km ( milhas) Uma vez ao ano 0-76A Oil Gear 0-76D Oil Gear 0-76E Oil Gear 0-76J Oil Gear Óleo Motor Carga Pesada Óleo Motor Carga Pesada MIL-L-2105-D MIL-L-2105-D MIL-L-2105-D MIL-L-2105-D MIL-L-2104-B -C, -D ou E MIL-L-2104-B -C, -D ou E GL-5 SAE 85W/140 GL-5SAE 80W/90 GL-5SAE 85W/140 GL-5SAE 75W API-CD, -CE-SF ou -SGSAE 40 ou 50 API-CD, -CE-SF ou -SGSAE Não 10 Não -26 Não -15 Não -40 Não -40 Não Não 10 Não -26 Não Não 1 Designações aceitáveis. Óleos Motor Multi Pesos são aceitáveis se os valores SAE terminarem em 40 ou Designações aceitáveis. Óleos Motor Multi Pesos são aceitáveis se os valores SAE terminarem em 0. Obs: As condições indicadas no Manual do Fabricante do Veículo prevalecem sobre as condições indicadas neste manual 16 MANUAL DE MANUTENÇÃO

18 Lubrificação e manutenção Geral Lubrifique os pinos mestre, os pivôs nas extremidades dos braços de ligação, os pivôs nos braços de direção e os rolamentos engraxados, com o lubrificante aprovado. Veja as Figuras 10, 11 e 12, Tabelas de lubrificação. Lubrifique as extremidades de roda lubrificadas com óleo, com o óleo especificado na Figura 12. Quando Lubrificar e fazer manutenção nos conjuntos. Veja a Tabela na Figura 19 no final desta seção Pinos mestre - eixos dianteiros convencionais. NOTA: Estes procedimentos se aplicam para os eixos dianteiros convencionais 901, 903, 910, 935, 952 e 970. Veja a plaqueta de identificação na viga do eixo. Nos eixos convencionais as engraxadeiras estão localizadas na lateral da ponta de eixo. Figura Aplique lubrificante no pino de lubrificação inferior até que o lubrificante novo escorra e encha a arruela. Pinos mestre - eixos dianteiros selados e Easy Steer ADVERTÊNCIA: Não trabalhe sob o veículo suportado somente pelo macaco. O macaco pode deslizar e causar graves ferimentos. 1. Levante o veículo até que os pneus saiam do chão. Os pneus devem estar suspensos quando os pinos mestre forem lubrificados. Coloque o veículo sobre cavaletes. Coloque calços na frente e atrás das rodas traseiras para impedir que o veículo se mova. 2. Lubrifique os pinos mestre através das engraxadeiras (graxetas) superiores e inferiores na lateral das pontas de eixo. Figura Aplique lubrificante até que o lubrificante novo saia entre o pacote de calços superior e o vedador. 4. Abaixe o veículo até que as rodas toquem o chão. NOTA: Este procedimento se aplica aos eixos dianteiros, séries: 911, 921, 931, 932, 933, 934, 941, 942, 943, 951, 961, 963, 971 e 975. Veja a plaqueta de identificação na viga Nos eixos dianteiros selados e Easy Steer, as engraxadeiras estão localizadas nas tampas superiores e inferiores dos pinos mestre nas pontas de eixo. 1. Certifique-se de que os pneus estão tocando o chão. NÃO LEVANTE O VEÍCULO. 2. Lubrifique os pinos mestre pelas engraxadeiras no topo e na parte de baixo das pontas de eixo. Figura Aplique lubrificante até que o lubrificante novo saia entre o pacote de calços superior e o vedador. NOTA: No Eixo 5301 (MFS-08RA) o lubrificante sai pelo vedador e nas faces de junção da viga com a ponta de eixo. MANUAL DE MANUTENÇÃO 17

19 Lubrificação e manutenção Figura 14 Pivôs dos braços de direção, pivôs das barras de ligação e barras de direção. 1. Certifique-se que os pneus estão tocando o chão. 2. Aplique o lubrificante até que o lubrificante novo escorra da coifa. Figura 15 Rolamentos de roda lubrificados com graxa. Veja a Figura Remova o pneu e o conjunto da roda. Remova e desmonte o cubo. Veja Remoção da Extremidade de Roda. 2. Remova o lubrificante antigo de todas as peças. Descarte os vedadores. Inspecione os rolamentos da roda quanto à danos ou desgaste. Substitua-os se houver danos ou desgaste. Veja Preparação das Peças Para Montagem. 3. Force a entrada de lubrifiante pelas cavidades entre os roletes e a gaiola pelo lado maior do cone. Coloque lubrificante no cubo, no espaço entre as capas dos rolamentos, até o nível do diâmetro menor destas. Figura 16. Figura Instale os cones interno e externo nas respectivas capas no cubo. As capas devem estar justamente assentadas nas sedes do cubo. 5. Instale os novos vedadores nos cubos. 6. Instale o conjunto de rodas e pneus. Instale o rolamento cone externo da roda no cubo. Instale a porca de ajuste. 7. Ajuste os rolamentos da roda. Veja a Seção Ajuste dos rolamentos da roda. 18 MANUAL DE MANUTENÇÃO

20 Lubrificação e manutenção Rolamentos de roda lubrificados com óleo Verifique o nível na tampa. Se o nível do óleo não estiver dentro da especificação graduada na tampa, remova o bujão de enchimento e coloque o óleo especificado até o nível indicado. Figura 17. Aperto das porcas das chavetas dos pinos mestre NOTA: Este procedimento se aplica a todos os modelos de eixo dianteiro, exceto 901, 903 e 970. Verifique a placa de identificação na viga. Aperte as porcas que fixamas chavetas na lateral da ponta de eixo com torque de lbf. pé (41-61 N.m) na frequência indicada abaixo. Figura 18. Depois dos primeiros Km (6.000 Milhas) de operação do veículo. A cada Km ( Milhas) de operação. Figura 18 MANUAL DE MANUTENÇÃO 19

21 Lubrificação e manutenção Lubrificação e Manutenção Figura 19 Tabela de lubrificação, inspeção e manutenção. Componente (Ver pág. 15) Intervalos de serviço 48 horas km/ 100 horas milhas Primeiros km operação milhas km milhas km milhas km milhas km milhas km milhas Extrem. barra de ligação Aplicação Grupo 1 I L* Aplicação Grupo 2 I L* Aplicação Grupo 3 I, L* Aplicação Grupo 4 I, L* Aplicação Grupo 5 I, L* Inspecione o conj. da Barra de Ligação Aplicação Grupo 1 I Aplicação Grupo 2 I L Aplicação Grupo 3 I Aplicação Grupo 4 I Aplicação Grupo 5 I I L Inspec. barra de ligação I L Pivô do braço de direção I L km milhas km milhas Pivo eiso Easy Steer I L Pivô selado I L Barra de direção I L Pinos mestre, buchas I L Paraf. braço de direção I L Rolamentos axiais I L Inspecione jogo vertical na ponta de eixo Aplicação Grupo 1 Aplicação Grupo 2 I L Aplicação Grupo 3 I Aplicação Grupo 4 I Aplicação Grupo 5 I Desgaste buchas superiores e inferiores dos pinos mestre Aplicação Grupo 1 Aplicação Grupo 2 I Aplicação Grupo 3 I Aplicação Grupo 4 I Aplicação Grupo 5 I Porcas de chaveta Veículo novo T Veículo em uso T Inspeção unidade cubo selado I = Inspecionar L = Lubrificar T = Torque *Se o seu veículo é lavado com máquina de pressão, os intervalos de lubrificação devem ser mais frequentes. I I I 20 MANUAL DE MANUTENÇÃO

22 Ajustes Inspeção antes do alinhamento Verifique os itens abaixo antes de fazer o alinhamento das rodas dianteiras. Inspeção Veja a seção Inspeção. Página 12. Rodas e Pneus Certifique-se que os pneus estão com a calibragem correta. Certifique-seque os pneus dianteiros são do mesmo tamanho e tipo. Certifique-se que as porcas estejam apertadas com o torque especificado Certifique-se que as rodas estejam balanceadas. Suspensão Dianteira Certifique-se que os elementos de fixação estejam apertados com o torque especificado Verifique se as molas estão danificada Verifique se os batentes estão desgastados ou danificados Eixo traseiro e suspensão traseira O desgaste do pneu dianteiro pode ser causado pelo eixo traseiro. Se a banda externa de um pneu dianteiro estiver desgastada e a banda interna do outro pneu dianteiro estiver desgastada, verifique o seguinte: Certifique-se que todos os fixadores estejam apertados com o torque especificado Certifique-se que as molas não estejam desgastadas ou danificadas Certifique-se que as buchas dos feixes de mola não estejam danificadas ou desgastadas Certifique-se que os torques das hastes (se usados) estejam corretamente ajustados. Certifique-se que o chassi não esteja torto Certifique-se que o eixo traseiro (especialmente um eixo tandem) esteja corretamente alinhado. Veja os procedimentos do fabricante do veículo ou da suspensão. Referências a qualquer recomendações e especificações do fabricante do veículo ou da suspensão. MANUAL DE MANUTENÇÃO 21

23 Ajustes Alinhamento das rodas dianteiras Verifique o alinhamento das rodas dianteiras quando ocorrer as seguintes situações: A cada Km ( Milhas) ou 24 meses (manutenção normal). Quando o veículo não esterça corretamente. Para corrigir condições de desgaste de pneus. Existem dois tipos de alinhamento das rodas dianteiras. Um alinhamento simplificado e outro alinhamento mais completo. Alinhamento simplificado das rodas dianteiras Faça um alinhamento simplificado das rodas dianteiras para todas as condições de manutenção normais. Faça o alinhamento simplificado das rodas dianteiras na seguinte sequência: 1. Inspecione todos os sistemas que podem afetar o alinhamento. Veja Inspeção Antes do Alinhamento, nesta seção. 2. Verifique e ajuste os rolamentos de roda 3. Verifique e ajuste a divergência Alinhamento completo das rodas dianteiras Faça um alinhamento completo das rodas dianteiras para corrigir direção e desgaste de pneus. Faça o alinhamento completo das rodas dianteiras na seguinte sequência: 1. Inspecione todos os sistemas que podem afetar o alinhamento. Veja Inspeção Antes do Alinhamento, nesta seção. 2. Verifique e ajuste os rolamentos de roda 3. Verifique e ajuste o ângulo de giro máximo 4. Se o veículo possuir sistema de direção hidráulica, verifique e ajuste a liberação de pressão no sistema de direção hidráulica. Veja o procedimento na página Verifique e ajuste o ângulo de giro (divergência nos giros e ângulo Ackerman). 6. Verifiquea inclinação do pino mestre (ou eixo de direção). 7. Verifique o Camber 8. Verifique e ajuste o ângulo Caster 9. Verifique e ajuste a divergência 22 MANUAL DE MANUTENÇÃO

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 Conheça o funcionamento, diagnóstico e reparo do ajustador de freio automático, um componente primordial para segurança, aplicado em veículos pesados. Que a

Leia mais

SUSPENSÃO 2-1 SUSPENSÃO CONTEÚDO

SUSPENSÃO 2-1 SUSPENSÃO CONTEÚDO R1 SUSPENSÃO 2-1 SUSPENSÃO CONTEÚDO página ALINHAMENTO... 1 SUSPENSÃO DIANTEIRA - 4X4... 13 página SUSPENSÃO DIANTEIRA-4X2... 6 SUSPENSÃO TRASEIRA... 23 ALINHAMENTO ÍNDICE página DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO ALINHAMENTO

Leia mais

7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 NX-4 FALCON

7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 NX-4 FALCON NX-4 FALCON 7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 DIAGNOSE DE DEFEITOS 7-3 COMPRESSÃO DO CILINDRO 7-4 REMOÇÃO DA TAMPA DO CABEÇOTE 7-5 DESMONTAGEM DA TAMPA DO 7-6 CABEÇOTE REMOÇÃO DA ÁRVORE DE

Leia mais

Seção 12 Conjunto do motor

Seção 12 Conjunto do motor Seção 12 Conjunto do motor Página CONJUNTO DO MOTOR... 164 Instalação do virabrequim... 164 Instale o pistão e a biela... 164 Instalação do eixo de cames... 164 Instalação da bomba de óleo... 165 Instalação

Leia mais

MANUAL DE MANUTENÇÃO

MANUAL DE MANUTENÇÃO MANUAL DE MANUTENÇÃO Eixos Diferenciais Tandem MT 46-145 MT 50-168 Edição outubro/11 Índice 1 - Vista Explodida... 04 2 - Introdução... 09 3 - Remoção e desmontagem... 12 4 - Preparação das Peças - Remontagem...

Leia mais

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Engate Automático

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Engate Automático Manual de Montagem, Operação e Manutenção Português Índice Página 1 Introdução e características gerais 1 Introdução e características gerais 3 1.1 Introdução 3 1.2 Características gerais 3 1.3 Valor D

Leia mais

Aros e Rodas Manual de Segurança e Serviços

Aros e Rodas Manual de Segurança e Serviços Aros e Rodas Manual de Segurança e Serviços ÍNDICE SEÇÃO PÁGINAS I Apresentação 1 II Nota Especial aos Clientes / Alertas e Cuidados 2 III Procedimentos de Segurança para Manusear Aros e Rodas 3 IV Nomes

Leia mais

Manual Dana de Montagem de Eixos Diferenciais você Linha Direta Dana Canal On-Line Equipes de Promoção e Assistência Técnica

Manual Dana de Montagem de Eixos Diferenciais você Linha Direta Dana Canal On-Line Equipes de Promoção e Assistência Técnica Como já é tradição no mercado, a Dana apresenta mais uma novidade que vai facilitar muito a vida dos profissionais que trabalham na reparação de sistemas de transmissão. É a nova edição do Manual Dana

Leia mais

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Página CILINDROS... 150 Inspeção e medição... 150 Retificação de cilindros... 150 Acabamento... 151 Limpeza... 151 MANCAIS DE MOTOR... 152 Mancal

Leia mais

-MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T

-MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T -MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T NOTA: O operador deve LER o Manual de Instruções antes de utilizar a Paleteira Müller 3T. Obrigado por ter escolhido e utilizar a Paleteira Müller

Leia mais

TF-830 MOTOCICLETA. Leia cuidadosamente antes do uso

TF-830 MOTOCICLETA. Leia cuidadosamente antes do uso TF-830 MOTOCICLETA Leia cuidadosamente antes do uso Leia este manual cuidadosamente antes de usar este produto. O manual o informará como operar e montar o produto de uma forma correta para que nenhuma

Leia mais

Mancais de rolamento I

Mancais de rolamento I A UU L AL A Mancais de rolamento I Um mecânico de manutenção, ao iniciar a desmontagem de um conjunto mecânico, constatou a existência de uma série de rolamentos. Examinando os rolamentos, verificou que

Leia mais

Sumário. FS 6209 Manual de Serviços

Sumário. FS 6209 Manual de Serviços FS 6209 Sumário Seção A Visão geral da transmissão FS6209 Transmissão Eaton Synchromesh 9 velocidades Descrição do modelo 1 Identificação da transmissão 1 Descrição Geral 2 Características 2 O Sistema

Leia mais

MANUAL DE MANUTENÇÃO

MANUAL DE MANUTENÇÃO MANUAL DE MANUTENÇÃO Eixos Cardan MM-0998 Edição outubro/11 Conteúdo 1 - Linhas de transmissão... 03 2 - Introdução... 05 3 - Remoção e Desmontagem... 06 4 - Montagem e Instalação... 08 5 - Lubrificação...

Leia mais

DESMONTADORA/MONTADORA DE PNEUS

DESMONTADORA/MONTADORA DE PNEUS DESMONTADORA/MONTADORA DE PNEUS MANUAL DE OPERAÇÃO 1 Índice Introdução... 3 Limitações de Uso... 3 Instruções Gerais de Segurança... 3 Especificações Técnicas... 4 Descrição da STC-210... 5 Acessórios

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig SCHULZ: INÍCIO DE FABRICAÇÃO - ABRIL/005 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/ - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 10 psig CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ISENTO DE ÓLEO L C DESLOCAMENTO TEÓRICO pés /min PRESSÃO MÁX.

Leia mais

Motocicleta Elétrica para Crianças TF-840

Motocicleta Elétrica para Crianças TF-840 Motocicleta Elétrica para Crianças TF-840 Manual para Instalação e Operação Design de simulação de motocicleta Funções para frente e para trás Função de reprodução de música na parte frontal O produto

Leia mais

Parafusos do cubo R10 Parafusos da tampa TAMANHO. Tamanho Torque de aperto

Parafusos do cubo R10 Parafusos da tampa TAMANHO. Tamanho Torque de aperto Acoplamento Falk Wrapflex Instalação e manutenção Tipos R10, R31, R35 Tamanhos 2 a 80 (Pág. 1 de 8) TIPO R10 TIPO R35 1 Montagem dos cubos BE Cubos R10 ESPAÇAMENTO TIPO R31 Cubos do eixo R31/R35 (R31)

Leia mais

EIXO DIFERENCIAL SIMPLES REDUÇÃO 17X

EIXO DIFERENCIAL SIMPLES REDUÇÃO 17X EIXO DIFERENCIAL SIMPLES REDUÇÃO 17X Índice Notas de serviço... 2 Introdução... 4 Manutenção... 9 Padrões de contato de engrenagens hipoide... 37 Susbstituição do vedador do pinhão... 40 Remoção do sistema

Leia mais

Eaton Embreagens para serviço pesado CLSM0200 fevereiro 2010

Eaton Embreagens para serviço pesado CLSM0200 fevereiro 2010 Manual de serviço Eaton Embreagens para serviço pesado CLSM000 fevereiro 00 Embreagem de 95 mm para serviço pesado Easy-Pedal Value Clutch UltraShift DM para serviço pesado Embreagem USP com atuador eletrônico

Leia mais

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Aparelho de Levantamento. Série B200

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Aparelho de Levantamento. Série B200 Manual de Montagem, Operação e Manutenção Aparelho de Levantamento Série B200 Português Índice Página 1 Aplicação e características gerais 1 Aplicação e características gerais 3 1.1 Aplicação 3 1.2 Características

Leia mais

Manual de Instruções. Carreta Agrícola

Manual de Instruções. Carreta Agrícola Manual de Instruções Carreta Agrícola Parabéns! Você acaba de adquirir um produto de qualidade, desenvolvido com a mais alta tecnologia TRAPP. Este produto lhe proporcionará rapidez e eficiência nos trabalhos,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES E CATÁLOGO DE PEÇAS

MANUAL DE INSTRUÇÕES E CATÁLOGO DE PEÇAS MANUAL DE INSTRUÇÕES E CATÁLOGO DE PEÇAS E E D A D I C I T A PR M E A Ç N A R SEGU E D O Ã Ç A T MOVIMEN S A M R O F A T A PL Código: MD160036 Editorado em: maio 2010 Revisão: A Índice Geral 1- Introdução

Leia mais

X20 30 36 AC GEARLESS

X20 30 36 AC GEARLESS 3141 pt - 02.1999 / a Este manual deve ser entregue ao usuário final X20 30 36 AC GEARLESS Manual de instalação e manutenção Com o objetivo de obter o máximo de desempenho de sua nova máquina GEARLESS,

Leia mais

Actuador de Diafragma 657 de Tamanhos 30-70 e 87 da Fisher

Actuador de Diafragma 657 de Tamanhos 30-70 e 87 da Fisher Manual de Instruções Actuador 657 (30-70 e 87) Actuador de Diafragma 657 de Tamanhos 30-70 e 87 da Fisher Conteúdo Introdução................................... 1 Âmbito do Manual...........................

Leia mais

REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06

REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06 m a n u a l REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06 1 2 ÍNDICE Rebitadeira Hidropneumática RF06... 04 Características da ferramenta... 04 Recomendações... 05 Especificações de regulagem... 06 Manutenção... 12

Leia mais

COMO MEDIR A PRESSÃO DO ÓLEO

COMO MEDIR A PRESSÃO DO ÓLEO Página 1 de 6 COMO MEDIR A PRESSÃO DO ÓLEO MOTOR WILLYS 6 CILINDROS BF-161 Com uma simples medição da pressão do óleo você pode avaliar o estado geral do seu motor Willys seja ele novo ou usado e evitar

Leia mais

Manual de Manutenção 10ª Edição

Manual de Manutenção 10ª Edição Manual de Manutenção 10ª Edição Nosso Freio, Sua Segurança Falar da história da Master é resgatar uma trajetória de sucessos. Em 1986, quando foi fundada a partir de uma joint-venture entre Randon e Rockwell

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11/08 DICAS PARA O TÉCNICO REPARADOR AUDI 01J MULTITRONIC ENGATE À FRENTE DEMORADO VIBRAÇÃO NA RETOMADA OU SAÍDA

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11/08 DICAS PARA O TÉCNICO REPARADOR AUDI 01J MULTITRONIC ENGATE À FRENTE DEMORADO VIBRAÇÃO NA RETOMADA OU SAÍDA BOLETIM INFORMATIVO Nº 11/08 DICAS PARA O TÉCNICO REPARADOR AUDI 01J MULTITRONIC ENGATE À FRENTE DEMORADO VIBRAÇÃO NA RETOMADA OU SAÍDA RECLAMAÇÃO: Alguns veículos AUDI A4 e A6 equipados com a transmissão

Leia mais

CSR/Instruções de inspeção para técnicos

CSR/Instruções de inspeção para técnicos INSTRUÇÕES DE INSPEÇÃO Escavadeiras CSR/Instruções de inspeção para técnicos Esta instrução é um recurso técnico informal. Para obter especificações e procedimentos corretos, refira-se sempre às instruções

Leia mais

MANUAL DE MANUTENÇÃO

MANUAL DE MANUTENÇÃO MANUAL DE MANUTENÇÃO Eixos Cardan MM-96147 Edição outubro/11 Contentes 1 - Linhas de transmissão... 03 2 - Introdução... 05 3 - Inspeção... 06 4 - Série RPL Permalube TM... 12 5 - Full-Round... 23 6 -

Leia mais

ALINHADOR DE PAINEL A LASER GEO LASER

ALINHADOR DE PAINEL A LASER GEO LASER MANUAL DE OPERAÇÃO ALINHADOR DE PAINEL A LASER GEO LASER REVISÃO 00 SUMÁRIO 1. INFORMAÇÕES GERAIS... 2 2. MANUTENÇÃO... 3 3. DEFINIÇÃO DOS ÂNGULOS CARACTERÍSTICOS PRINCIPAIS... 4 4. PRÉ-REQUISITOS PARA

Leia mais

Transmissão FSO 1305. Manual de Serviços

Transmissão FSO 1305. Manual de Serviços Transmissão FSO 1305 Manual de Serviços Índice Introdução...4 Designações e especificações...5 Lubrificação...6 Operação...7 Fluxo de potência...8 Aplicação de colas e selantes...9 Recomendações de torque...10

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MONTAGEM PASSO A PASSO

PROCEDIMENTO DE MONTAGEM PASSO A PASSO 3189P RETENTOR APLICADO NO CUBO DE RODA TRASEIRO DO EIXO MÉRITOR 1) Após desmontagem e limpeza do cubo, verificar o estado do alojamento do mesmo. 5) O retentor deverá ser aplicado até o encosto final

Leia mais

Manual de instruções. Rampa de alinhamento

Manual de instruções. Rampa de alinhamento Manual de instruções Rampa de alinhamento Apresentação Primeiramente queremos lhe dar os parabéns pela escolha de um equipamento com nossa marca. Somos uma empresa instalada no ramo de máquinas para auto

Leia mais

Carolina Vilanova. 26/12/13 www.omecanico.com.br/modules/revista.php?action=printout&recid=423. Desmontagem e dicas da caixa VW

Carolina Vilanova. 26/12/13 www.omecanico.com.br/modules/revista.php?action=printout&recid=423. Desmontagem e dicas da caixa VW Desmontagem e dicas da caixa VW Vamos apresentar nessa reportagem as características, dicas de manutenção, desmontagem e montagem da caixa de câmbio MQ200, que em suas várias aplicações, equipa a maioria

Leia mais

CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA

CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA *Imagens meramente ilustrativas CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA Modelo V8 Chave de impacto

Leia mais

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção.

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. MODELO: BYG AR 1533 Índice 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. 7. Diagrama elétrico. 8. Diagrama hidráulico. 9. Peças

Leia mais

APLICAÇÃO DA FERRAMENTA PARA RETIFICAR ASSENTO DA ESFERA EM BOMBAS DENSO Produtos relacionados: 323.02.13 Óleo de corte 323.01.941 Ferramenta para retificar assento da esfera em bombas Denso 410.03.19

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Página 1 de 9 Informativo nº 9 VENTILADOR DE MESA 30cm VENTNK1200 ASSUNTO: Lançamento. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Alimentação: Cor: Potência do aparelho: Consumo de energia: Característica diferencial: Período

Leia mais

16. RODAS/PNEUS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 16-1

16. RODAS/PNEUS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 16-1 16. RODAS/PNEUS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 16-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 16-1 REMOÇÃO/INSTALAÇÃO DA RODA 16-2 SUBSTITUIÇÃO DO ROLAMENTO DA RODA 16-8 INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PNEUS 16-9 REMOÇÃO DO PNEU 16-11

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MACACO PORTATIL HIDRAULICO COM MALETA- 2TON TMHP2T

MANUAL DE INSTRUÇÕES MACACO PORTATIL HIDRAULICO COM MALETA- 2TON TMHP2T MANUAL DE INSTRUÇÕES MACACO PORTATIL HIDRAULICO COM MALETA- 2TON TMHP2T www.tanderequipamentos.com.br assistencia@tanderequipamentos.com.br Conteúdo I. INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO... 3 III. INSTRUÇÕES DE USO...

Leia mais

Instruções de Uso e Segurança

Instruções de Uso e Segurança Instruções de Uso e Segurança Alicates Nunca utilize os alicates como martelo para não criar folga. Não martele os isolamentos, pois eles se danificarão; Utilizar alicates para apertar ou desapertar porcas

Leia mais

EQ 7881. Manual de montagem, instalação e operação

EQ 7881. Manual de montagem, instalação e operação EQ 7881 Manual de montagem, instalação e operação 0 A Rampa para elevação e alinhamento de veículos EQ 7881 foi desenvolvida e fabricada para facilitar e auxiliar os trabalhos de alinhamento de direção,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DIESEL PARA SOLDA ELÉTRICA MODELO OL MODELO OL - MOTOR PERKINS

MANUAL DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DIESEL PARA SOLDA ELÉTRICA MODELO OL MODELO OL - MOTOR PERKINS Consulte as Assistências Técnicas Autorizadas acesse: www.bambozzi.com.br/assistec.xls ou ligue: +55 (16) 33833806 / 33833807 MANUAL DE INSTRUÇÕES BAMBOZZI PRODUTOS ESPECIAIS LTDA. Av. XV de Novembro,

Leia mais

AFIADOR ELÉTRICO 511 A Manual de Instruções

AFIADOR ELÉTRICO 511 A Manual de Instruções AFIADOR ELÉTRICO 511 A Manual de Instruções ESTE MANUAL CONTÉM INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE MONTAGEM, OPERAÇÃO, MANUTENÇÃO E SEGURANÇA REFERENTES AO AFIADOR ELÉTRICO DE BANCADA OREGON 511A. FAVOR LER

Leia mais

Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA

Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA A Maggion Inds. de Pneus e Máquinas Ltda. garante, por um período de 5 ( cinco

Leia mais

MANUTENÇÃO EM MANCAIS E ROLAMENTOS Atrito É o contato existente entre duas superfícies sólidas que executam movimentos relativos. O atrito provoca calor e desgaste entre as partes móveis. O atrito depende

Leia mais

Serra de Fita LB1200F. MANUAL DE INSTRUÇÕES IMPORTANTE: Leia antes de usar.

Serra de Fita LB1200F. MANUAL DE INSTRUÇÕES IMPORTANTE: Leia antes de usar. Serra de Fita LB1200F MANUAL DE INSTRUÇÕES IMPORTANTE: Leia antes de usar. ESPECIFICAÇÕES Modelo Tamanho da roda Capacidade máxima de corte Velocidade em vazio Velocidade de corte Tamanho da lâmina Dimensões

Leia mais

Atuador de diafragma Fisher 667 tamanhos 30 a 76 e 87

Atuador de diafragma Fisher 667 tamanhos 30 a 76 e 87 Manual de instruções Atuador 667 Tamanhos 30 a 76 e 87 Atuador de diafragma Fisher 667 tamanhos 30 a 76 e 87 Índice Introdução... 1 Escopo do manual... 1 Descrição... 2 Especificações... 3 Serviços educacionais...

Leia mais

APOSTILA DE MANUTENÇÃO - Compactador RAM 70 (Honda) -

APOSTILA DE MANUTENÇÃO - Compactador RAM 70 (Honda) - APOSTILA DE MANUTENÇÃO 1- OBJETIVO. Apresentar os passos necessários para a manutenção do compactador RAM70 com motor Honda GX120. 2- PASSOS DE DESMONTAGEM / MONTAGEM. Retirar filtro de ar. Retirar mangueira

Leia mais

DIAGNÓSTICOS E CORREÇÕES DE SISTEMA DE FREIOS HIDRÁULICOS. 9ª Edição

DIAGNÓSTICOS E CORREÇÕES DE SISTEMA DE FREIOS HIDRÁULICOS. 9ª Edição DIAGNÓSTICOS E CORREÇÕES DE SISTEMA DE FREIOS HIDRÁULICOS 9ª Edição POLÍTICA DE QUALIDADE Nosso compromisso é melhorar continuamente a qualidade de nossos produtos e serviços, atendendo ou superando os

Leia mais

Galoneira Industrial série ZJ-W562

Galoneira Industrial série ZJ-W562 Galoneira Industrial série ZJ-W562 Instruções de Segurança IMPORTANTE Antes de utilizar sua máquina, leia atentamente todas as instruções desse manual. Ao utilizar a máquina, todos os procedimentos de

Leia mais

Componentes do Ponto de Distribuição

Componentes do Ponto de Distribuição Componentes do Ponto de Distribuição Ferramenta(s) Especial(ais) Placa de Alinhamento, Árvore de Comando de Válvulas 303-D039 ou similar Remoção CUIDADO: durante os procedimentos de reparo, a limpeza é

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DIESEL PARA SOLDA ELÉTRICA MODELO O - MOTOR PERKINS

MANUAL DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DIESEL PARA SOLDA ELÉTRICA MODELO O - MOTOR PERKINS Consulte as Assistências Técnicas Autorizadas acesse: www.bambozzi.com.br/assistec.xls ou ligue: +55 (16) 33833806 / 33833807 MANUAL DE INSTRUÇÕES BAMBOZZI PRODUTOS ESPECIAIS LTDA. Av. XV de Novembro,

Leia mais

Estrada do Engenho D água 1295, Anil. Rio de Janeiro, RJ, Cep: 22765-240. Contato via telefone: Rio de Janeiro: (21) 3072-3333

Estrada do Engenho D água 1295, Anil. Rio de Janeiro, RJ, Cep: 22765-240. Contato via telefone: Rio de Janeiro: (21) 3072-3333 Estrada do Engenho D água 1295, Anil Rio de Janeiro, RJ, Cep: 22765-240 Contato via telefone: Rio de Janeiro: (21) 3072-3333 São Paulo: (11) 3522-4773 Vitória: (27) 4062-8307 Belo Horizonte: (31) 4063-8307

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO. DPE Desmontadora de Pneus Elétrica

MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO. DPE Desmontadora de Pneus Elétrica MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO DPE Desmontadora de Pneus Elétrica 01 - Cabeçote Fixador 02 Garras 03 Bicos de Pato Deslocador 04 Haste Móvel 05 Braço Deslocador 06 Trava da Haste Móvel 07 Mola 08 Bico

Leia mais

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Índice da seção Página Bielas Montagem da biela no pistão... 4 Verificação Instalação... 7 Remoção Torque... 8 Pistões Montagem do pistão na biela... 4 Verificação do desgaste

Leia mais

www.zoje.com.br Manual ZJ8700 Montagem e Operacional

www.zoje.com.br Manual ZJ8700 Montagem e Operacional Manual ZJ8700 Montagem e Operacional MANUAL DE INSTRUÇÕES Para obter o máximo das muitas funções desta máquina e operá-la com segurança, é necessário usá-la corretamente. Leia este Manual de Instruções

Leia mais

ELEMENTOS DE VEDAÇÃO. Treinamento. Antenor Vicente

ELEMENTOS DE VEDAÇÃO. Treinamento. Antenor Vicente ELEMENTOS DE VEDAÇÃO Treinamento Antenor Vicente VEDAÇÃO PROCESSO USADO PARA IMPEDIR A PASSAGEM, DE MANEIRA ESTÁTICA OU DINÂMICA DE LÍQUIDOS, GASES E SÓLIDOS DE UM MEIO PARA OUTRO JUNTAS JUNTA É TODO MATERIAL

Leia mais

McCannalok VÁLVULA BORBOLETA DE ALTO DESEMPENHO MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. The High Performance Company

McCannalok VÁLVULA BORBOLETA DE ALTO DESEMPENHO MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. The High Performance Company McCannalok VÁLVULA BORBOLETA DE ALTO DESEMPENHO MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO The High Performance Company Índice do Conteúdo Informações de Segurança - Definição de Termos... 1 Introdução... 1 Instalação...

Leia mais

PARA O ALUNO. 2. Não utilizar celular em sala de aula (em caso de urgência pedir licença para o professor e atender a ligação fora da sala).

PARA O ALUNO. 2. Não utilizar celular em sala de aula (em caso de urgência pedir licença para o professor e atender a ligação fora da sala). 1. Ter disciplina e respeito em sala de aula. PARA O ALUNO. 2. Não utilizar celular em sala de aula (em caso de urgência pedir licença para o professor e atender a ligação fora da sala). 3. Manter a Escola

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C Manual de Instruções e Lista de Peças Máquina de Corte Circular de Tecido 950C 104A 104B Singer é uma marca registrada da The Singer Company Limited ou suas afiliadas. 2009 Copyright The Singer Company

Leia mais

Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214

Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214 Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214 ADVERTÊNCIA: Leia atentamente este manual antes de usar o produto. ÍNDICE SEÇÃO PÁGINA Introdução 3 Normas gerais de segurança 3 Normas especificas de segurança

Leia mais

Manual de Operação. Lixadeira pneumática de alta velocidade 5"- TESM5P

Manual de Operação. Lixadeira pneumática de alta velocidade 5- TESM5P Manual de Operação Lixadeira pneumática de alta velocidade 5"- TESM5P . DADOS TÉCNICOS LIXADEIRA ORBITAL Modelo: Velocidade sem carga: Pressão de ar: Entrada de ar: Disco de lixa: Consumo de ar: TESM5P

Leia mais

6 Manutenção de Tratores Agrícolas

6 Manutenção de Tratores Agrícolas 6 Manutenção de Tratores Agrícolas 6.1 Introdução Desenvolvimento tecnológico do país Modernização da agricultura Abertura de novas fronteiras agrícolas Aumento no uso de MIA Aumento da produtividade Maiores

Leia mais

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Quinta-roda JSK 38C JSK 38G

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Quinta-roda JSK 38C JSK 38G Manual de Montagem, Operação e Manutenção Quinta-roda JSK 38C JSK 38G Índice Página 1 Aplicação e modelos 4 1.1 Aplicação 4 1.2 Dimensionamento 4 1.3 Segurança 4 Português 2 Montagem 5 2.1 Especificações

Leia mais

MOTORES ESTACIONÁRIOS GX 120/160/200

MOTORES ESTACIONÁRIOS GX 120/160/200 MOTORES ESTACIONÁRIOS GX 120/160/200 MANUAL DO PROPRIETÁRIO INTRODUÇÃO GX 120/160/200 MANUAL DO PROPRIETÁRIO 1 Aproveitamos a oportunidade para agradecê-lo pela escolha do Motor Estacionário Honda. Desejamos

Leia mais

Uso de ferramentas. Um aprendiz de mecânico de manutenção. Ferramentas de aperto e desaperto

Uso de ferramentas. Um aprendiz de mecânico de manutenção. Ferramentas de aperto e desaperto A U A UL LA Uso de ferramentas Um aprendiz de mecânico de manutenção verificou que uma máquina havia parado porque um parafuso com sextavado interno estava solto. Era preciso fixá-lo novamente para pôr

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSWV 80 MAX/AD - MSWV 80 MAX/425 - WWV 80 G/425 2 ESTÁGIOS - 175 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSWV 80 MAX/AD - MSWV 80 MAX/425 - WWV 80 G/425 2 ESTÁGIOS - 175 psig CT 2 MSWV 80 MAX/AD MSWV 80 MAX/425 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR MSWV 80 MAX/AD MSWV 80 MAX/425 2 ESTÁGIOS 175 psig SCHULZ: INÍCIO DE FABRICAÇÃO MAIO/20 WAYNE: INÍCIO DE FABRICAÇÃO AGOSTO/20 CARACTERÍSTICAS

Leia mais

Manual de Instruções e Certificado de Garantia

Manual de Instruções e Certificado de Garantia CHAVE CATRACA 1/2" MXT-0511 07 01 05 1100 Manual de Instruções e Certificado de Garantia Identificação da Empresa SIGMA TOOLS Comércio de Máquinas, Equipamentos e Acessórios LTDA Rua Joaquim Lapas Veiga,

Leia mais

Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30

Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30 Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30 Manual de peças Empilhadeira ÍNDICE 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 Montagem Da Transmissão Transmissão

Leia mais

Atuador de Diafragma Fisher 657 Tamanhos 30-70 e 87

Atuador de Diafragma Fisher 657 Tamanhos 30-70 e 87 Manual de instruções Atuador 657 (30-70 e 87) Atuador de Diafragma Fisher 657 Tamanhos 30-70 e 87 Índice Introdução... 1 Escopo do manual... 1 Descrição... 2 Especificações... 2 Serviços educacionais...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO TALHA MANUAL DE CORRENTE BLK

MANUAL DO USUÁRIO TALHA MANUAL DE CORRENTE BLK MANUAL DO USUÁRIO TALHA MANUAL DE CORRENTE BLK ttadvertência Este equipamento não deve ser instalado, operado ou consertado por uma pessoa que não tenha lido e compreendido todo o conteúdo deste manual.

Leia mais

Manual de instalação, operação e manutenção

Manual de instalação, operação e manutenção Manual de instalação, operação e manutenção para a válvula esférica assentada em metal RSVP aprimorada da MOGAS Como INSTALAR A VÁLVULA CORRETAMENTE ALÍVIO DE TENSÃO DAS SOLDAS CONFORME ASME B31.1 FAÇA

Leia mais

Manual de Instruções e Certificado de Garantia

Manual de Instruções e Certificado de Garantia CHAVE DE IMPACTO 3/4" SGT-0543 07 01 05 4300 Manual de Instruções e Certificado de Garantia Identificação da Empresa SIGMA TOOLS Comércio de Máquinas, Equipamentos e Acessórios LTDA Rua Joaquim Lapas Veiga,

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇO TÉCNICO

MANUAL DE SERVIÇO TÉCNICO MANUAL DE SERVIÇO TÉCNICO BOMBAS PARA USO GERAL SÉRIES 32 E 432 TAMANHOS C - F - FH SEÇÃO TSM 310.1 PÁGINA 1 DE 7 ASSUNTO D CONTEÚDO Introdução........................ 1 Informações especiais.................

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS TALHAS ELÉTRICAS GUINCHOS DE ALAVANCA TALHAS COM ACIONAMENTO MANUAL 1) NORMAS UTILIZADAS: NBR 10401 e 10402 Especificação: Fixa as condições exigíveis

Leia mais

INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS. MODELO FE 45 CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Ø 45 mm PROFUNDIDADE DE CORTE TIPO DE ENCAIXE CM 2 MEDIDAS DE SEGURANÇA

INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS. MODELO FE 45 CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Ø 45 mm PROFUNDIDADE DE CORTE TIPO DE ENCAIXE CM 2 MEDIDAS DE SEGURANÇA 1 INTRODUÇÃO As Furadeiras de Base Magnética Merax caracterizam-se por serem robustas, porém leves e de fácil transporte. Utilizam qualquer tipo de broca, preferencialmente as brocas anulares. Trabalham

Leia mais

MODELOS: ART 2045, ART 2053, ART 2055 e ART 2058

MODELOS: ART 2045, ART 2053, ART 2055 e ART 2058 MODELOS: ART 2045, ART 2053, ART 2055 e ART 2058 ADVERTÊNCIAS PRÉVIAS A capacidade de carga e altura está determinada da seguinte forma : *Quando a altura de levantamento está abaixo de 3300 mm(incluindo

Leia mais

Atuadores giratórios 2SC5. Complementação das Instruções de uso SIPOS 5. Sujeito a alterações sem aviso prévio!

Atuadores giratórios 2SC5. Complementação das Instruções de uso SIPOS 5. Sujeito a alterações sem aviso prévio! Atuadores giratórios 2SC5 Complementação das Instruções de uso SIPOS 5 Edição 03.13 Sujeito a alterações sem aviso prévio! Conteúdo Complementação das instruções de uso SIPOS 5 Conteúdo Conteúdo 1 Fundamentos...

Leia mais

GUINCHO DE CONEXÃO DE BARCAS YOYO

GUINCHO DE CONEXÃO DE BARCAS YOYO Patterson Company 870 Riversea Road Pittsburgh, PA 15233 Telefone: 1 800-322-2018 Fax: 1 412-322-2785 MANUAL DE OPERAÇÃO E PEÇAS DO GUINCHO DE CONEXÃO DE BARCAS YOYO Preencha os espaços a seguir e guarde

Leia mais

Instruções para o Motorista

Instruções para o Motorista Eaton Fuller Heavy Duty Transmissions Instruções para o Motorista Fuller Heavy Duty Transmissions FTS- XX108LL Abril 2009 CUIDADOS Leia completamente as instruções para o motorista antes de operar a transmissão.

Leia mais

TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA

TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA Manual Sobre Segurança e Utilização de equipamentos Hidráulicos de Alta Pressão. Página 1 de 24 DE TORVEL PARA VOCÊ... EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS

Leia mais

Controle de Medidas - Instrumentos de Medição. Prof. Casteletti PAQUÍMETRO UNIVERSAL

Controle de Medidas - Instrumentos de Medição. Prof. Casteletti PAQUÍMETRO UNIVERSAL PAQUÍMETRO UNIVERSAL O paquímetro é um instrumento usado para medir dimensões lineares internas, externas e de profundidade. Consiste em uma régua graduada, com encosto fixo, na qual desliza um cursor.

Leia mais

GUIA PRÁTICO DE MANUTENÇÃO - 416E

GUIA PRÁTICO DE MANUTENÇÃO - 416E GUIA PRÁTICO DE MANUTENÇÃO - 416E GUIA PRÁTICO PARA VOCÊ REALIZAR A MANUTENÇÃO DO SEU PRÓPRIO EQUIPAMENTO. Para que sua Retroescavadeira Cat 416E alcance a performance máxima, as manutenções preventivas

Leia mais

NIVELADOR DE DOCA DESLIZANTE

NIVELADOR DE DOCA DESLIZANTE PREFÁCIO NIVELADOR DE DOCA DESLIZANTE APLICAÇÃO: Este manual contém informações para a operação e manutenção, bem como uma lista ilustrada de peças do NIVELADOR DOCA de fabricação exclusiva da ZELOSO.

Leia mais

GUINCHO HIDRÁULICO G-1000

GUINCHO HIDRÁULICO G-1000 GUINCHO HIDRÁULICO G-1000 MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO ZELOSO DESDE 1956 PREFÁCIO GUINCHO HIDRÁULICO APLICAÇÃO: Este manual contém informações para a operação e manutenção, bem como uma lista ilustrada

Leia mais

Manual de Montagem, Operação, Manutenção e Reparo. Engate de Container

Manual de Montagem, Operação, Manutenção e Reparo. Engate de Container Manual de Montagem, Operação, Manutenção e Reparo Engate de Container Março / 2005 O Engate de Container tem como função principal, promover o acoplamento de implementos rodoviários com containers para

Leia mais

Preparativos Antes da Montagem

Preparativos Antes da Montagem Preparativos Antes da Montagem Manter o local da montagem seco e livre de poeira. Observar a limpeza do eixo, alojamento e das ferramentas. Organizar a área de trabalho. Selecionar as ferramentas adequadas

Leia mais

MANUAL DE INTRUÇÕES CORTADOR DE GRAMA À GASOLINA

MANUAL DE INTRUÇÕES CORTADOR DE GRAMA À GASOLINA MANUAL DE INTRUÇÕES CORTADOR DE GRAMA À GASOLINA NCG4 Conteúdo 1.Descrição... 4 2.Montagem da alça... 4 4-PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA... 5 6.MOTOR DE PARTIDA:... 7 7-MEDIDAS DE SEGURANÇA... 10 INTRUÇÕES DE

Leia mais

Para garantir uma operação segura, leia cuidadosamente este manual antes de usar a talha.

Para garantir uma operação segura, leia cuidadosamente este manual antes de usar a talha. ÍNDICE I. Componentes básicos... 3 II. Instalação... 3 III. Requisitos elétricos... 7 IV. Segurança... 7 V. Manutenção... 12 VI. Inspeções diárias... 12 VII. Inspeções mensais... 13 VIII. Inspeções anuais...

Leia mais

Manual de Instrução e garantia

Manual de Instrução e garantia Manual de Instrução e garantia 2013 Manual de Instrução e Garantia Obrigado pela sua escolha e aquisição do produto Rodas easymob, um sistema mecânico integrado para a redução do esforço e ampliação de

Leia mais

Eggy. Ref. IXCI6044. MAX 22Kg. Em conformidade com a norma Européia EN 14344

Eggy. Ref. IXCI6044. MAX 22Kg. Em conformidade com a norma Européia EN 14344 Eggy Ref. IXCI6044 Em conformidade com a norma Européia EN 14344 MAX 22Kg Assento traseiro de bicicleta Eggy 2 1 B 2 3D E 4 5 3 6 7G 8 9 I M 10 N 11 12 NN 4 O O P P Q 13 14 Q 15 16 5 PT Assento traseiro

Leia mais

CARVE MOTOR. 50cc V.05

CARVE MOTOR. 50cc V.05 CARVE MOTOR 50cc V.05 Leia atentamente as instruções deste manual. O usuário deve seguir rigorosamente todos os procedimentos descritos, bem como estar ciente dos riscos inerentes à prática de esportes

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO. incl. Planos A + B + B1 execução. rotinas + procedimentos FROTA SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MANUTENÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO. incl. Planos A + B + B1 execução. rotinas + procedimentos FROTA SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MANUTENÇÃO PLANO DE MANUTENÇÃO C incl. Planos A + B + B1 execução rotinas + procedimentos FROTA OPERAÇÃO URBANA 1) Principais objetivos : Avaliação anual (aproxim.) do estado mecânico do veículo Acertos mecânicos

Leia mais

Características Técnicas Identificação dos componentes do elevador modelo PF 2.5 S

Características Técnicas Identificação dos componentes do elevador modelo PF 2.5 S Índice 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 Características Técnicas 02 Recomendações Importantes 06 Localização e Instalação 07 Montagem e Instalação 11 Lubrificação 28 Posicionamento do Veículo 29 Funcionamento

Leia mais

Índice. 5.2.7 Instalação da Unidade de Força, linhas. h id ráu lica s...13. 1 Precauções 1. 5.2.8 Conexão da linha de ar.15

Índice. 5.2.7 Instalação da Unidade de Força, linhas. h id ráu lica s...13. 1 Precauções 1. 5.2.8 Conexão da linha de ar.15 Índice 1 Precauções 1 2 Estrutura Geral e Princípios de Trabalho 2 2.1 Diagrama Estrutural..2 2.2 Princípio de Trabalho.4 3 Ferramentas para instalação e ajuste... 6 4 Desembalando.6 5 Instalação 6 5.1

Leia mais

Bomba injetora: todo cuidado é pouco

Bomba injetora: todo cuidado é pouco Bomba injetora: todo cuidado é pouco Bomba injetora: todo cuidado é pouco Veja como identificar os problemas da bomba injetora e retirá-la corretamente em casos de manutenção Carolina Vilanova A bomba

Leia mais