PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 4 VOLUME 1 / 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 4 VOLUME 1 / 2"

Transcrição

1 FUNDAÇÃO AGÊNCIA DE ÁGUA DO VALE DO ITAJAÍ PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 4 Relatório do Projeto Piava (contrato nº ) apresentado à PETROBRAS S/A, referente aos meses de fevereiro, março e abril de º trimestre. VOLUME 1 / 2 Blumenau/SC, maio de 2006

2 1 Sumário Volume 1/2 1 Resumo executivo Técnico Financeiro Articulação das atividades do Projeto Piava das atividades por subprojeto Atividades do subprojeto EDU Atividades do subprojeto PAM Atividades do subprojeto RMC Atividades do subprojeto MUDAS Atividades do subprojeto SIBI Atividades do subprojeto ADM Atividades da Comunicação Prestação de contas Prestação de contas 5 dos produtos Volume 2/2 ANEXOS Produto 01 Cartilha de Educação Ambiental Educação infantil Produto 02 Cartilha de Educação Ambiental 1ª a 4ª série Produto 03 Cartilha de Educação Ambiental 5ª a 8ª série Produto 26 Conselho Municipal de Meio Ambiente: um guia prático

3 2 1. Resumo executivo 1.1 Resumo técnico Este é o quarto relatório parcial do Projeto Piava, referente às atividades desenvolvidas de fevereiro a abril de As atividades práticas, mais concretas, que iniciaram com força em no trimestre anterior, já trazem alguns resultados importantes. No campo da educação 289 professores foram capacitados em Curso de Educação Ambiental para a gestão da água na bacia. Esta capacitação resultou em 212 projetos de educação ambiental envolvendo mais de 152 escolas da bacia que receberam exemplares de materiais didáticos produzidos pelo projeto Piava. No campo de recuperação de mata ciliar, tivemos 176 áreas totalizando m² de área em recuperação e já foram plantadas mudas. No âmbito das políticas ambientais municipais, iniciaram-se os encontros de sensibilização e mobilização de lideranças comunitárias, expandindo a rede que compõem a equipe do projeto Piava, desta forma fortalecendo e integrando o terceiro grande objetivo, às demais atividades. Para lembrar, o Projeto Piava é formado por 6 subprojetos, correspondentes, cada um, ao conjunto das atividades dos 6 objetivos específicos, acrescidas das da comunicação. São eles: EDU educação ambiental; PAM políticas ambientais municipais; RMC recuperação de matas ciliares; MUDAS produção de mudas; SIBI sistema de informações da Bacia do Itajaí; ADM + COM administração e comunicação. O projeto prevê 60 atividades (descritas na matriz lógica), das quais até o presente momento 25 foram concluídas, 23 estão em andamento, 1 em andamento, porém atrasada e as demais estão previstas para o próximo ano de projeto, como mostra o quadro 1. Neste trimestre alcançamos o percentual de 80% de atividades concluídas ou em andamento conforme o cronograma. Comparado ao trimestre anterior obtivemos um acréscimo de 5% nas atividades concluídas e decréscimos de 3% nas atividades atrasadas e 2% nas atividades previstas.

4 3 Quadro 1: Andamento das atividades do Projeto Piava no terceiro trimestre SUBPROJETOS EDU PAM RMC MUDAS SIBI ADM COM TOTAL Atividades Total Concluídas Andamento Atrasadas Previstas % 20% 20% % 11% 11% 44% % 33% % 33% % % 42% 38% 2% 18% % 35% 67% 45% 17% 20% 1.2 Resumo financeiro Do montante transferido pela Petrobras a título de primeira e segunda parcelas permaneceu um saldo do terceiro trimestre de R$ ,31. Houve o repasse da 4ª parcela no valor de R$ e o rendimento neste trimestre foi de R$ 5.618,65. O total de despesas foi de R$ ,73. Estes valores podem ser apreciados na íntegra nos itens 1 e 3 doa capítulo 4 Prestação de contas. 2. Articulação das atividades do Projeto Piava Esta seção contém uma visão geral do andamento do Projeto Piava ao final do décimo segundo mês de execução, mostrando em que subprojetos se localizam as atividades concluídas e em andamento. Segue o diagrama do fluxo de atividades para cada subprojeto, destacando as atividades concluídas e as em andamento. Continuam presentes, inseridas em círculos, as atividades de outros subprojetos que são apoiadas ou dão apoio ao subprojeto em questão. A figura 1 mostra o fluxo de atividades do subprojeto EDUcação ambiental.

5 4 Figura 1: Subprojeto (objetivo específico) EDU Atividade concluída Descrição das atividades Legenda 1 : Atividade em andamento Atividade atrasada 1.1 Gerenciar a oferta de cursos, contatar professores e facilitadores, providenciar a infra-estrutura necessária para cada curso; 1.2 Oferecer Capacitação em educação ambiental para conservação e uso sustentável da água, com 120h/a para nivelamento conceitual multidisciplinar do grupo de coordenação e formação dos multiplicadores das ações educativas; 1.3 Constituir oito equipes de multiplicadores, selecionadas pelo desempenho durante a capacitação e complementariedade de formação; 1.4 Elaborar material didático para as atividades de educação ambiental formal e não-formal; 1.5 Produzir material didático para as ações de capacitação; 1.6 Realizar seletivo para escolha de candidatos: professores e representantes da sociedade civil organizada, de órgãos públicos e privados da bacia, para os cursos de capacitação previstos na atividade 1.7; 1.7 Realizar 18 cursos de capacitação para os selecionados na atividade 1.6; 1.8 Realizar novo seletivo para capacitação de professores e representantes da sociedade civil organizada, de órgãos públicos e privados da bacia. 1.9 Realizar 6 cursos de capacitação para os selecionados na atividade 1.8; 1.10 Acompanhar e assessorar as atividades de educação ambiental em toda a bacia. A figura 2 apresenta o fluxo de atividades do subprojeto Políticas Ambientais Municipais (PAM). 1 Esta legenda se refere às figuras 2 até 8.

6 5 Figura 2: Subprojeto (objetivo específico) PAM Descrição das atividades 2.1 Quatro seminários (8 horas) de formação ambiental para comunicadores, jornalistas e radialistas atuantes na bacia do Itajaí; 2.2 Diagnóstico dos conselhos municipais de meio ambiente nos 50 municípios; 2.3 Formulação de modelo de lei de criação de CMMA e/ou modelo de regimento interno, e encaminhamento para as prefeituras e câmaras de vereadores dos municípios onde inexistem; 2.4 Compilação de guia prático de legislação de proteção de água; 2.5 Realizar 6 seminários microrregionais de sensibilização e mobilização para a gestão ambiental municipal e divulgação do projeto (8 horas); 2.6 Realização de 6 oficinas de capacitação para membros dos CMMA (8 horas); 2.7 Promoção de 6 intercâmbios com experiências exitosas de CMMA (um dia); 2.8 Discussão de diretrizes de proteção de água nos municípios e na bacia no âmbito do Comitê do Itajaí; 2.9 Realização de 6 oficinas de avaliação dos CMMA (8h) para diagnóstico da sua atuação. A figura 3 apresenta o fluxo de atividades do subprojeto de Recuperação de Matas Ciliares (RMC).

7 6 Figura 3: Subprojeto (objetivo específico) RMC Descrição das atividades 3.1 Realização de 6 reuniões de trabalho com as prefeituras, lideranças e coordenadores municipais já existentes, para apresentação do Projeto PIAVA, indicação dos componentes dos grupos de trabalho municipais e negociação de contrapartidas; 3.2 Revisar o modelo do caderno de trabalho municipal, que estrutura a elaboração, a execução e o acompanhamento do projeto municipal de recuperação de matas ciliares (RMC) em 7 etapas, servindo de apoio aos GTMs; 3.3 Elaborar e confeccionar um catálogo eletrônico (fotográfico e informativo) sobre áreas degradadas na Bacia do Itajaí, contendo as diferentes características físicas e as respectivas formas de uso do solo e da água, gerando distintos padrões de degradação. Monitorar o desenvolvimento de áreas em recuperação (após a implantação de projetos municipais), por amostragem, alimentando o catálogo; 3.4 Revisar a coletânea sobre Recuperação de Matas Ciliares, composta de 5 módulos: I - Aspectos institucionais da gestão da água e do Programa de Recuperação da Mata Ciliar, II - Aspectos legais e econômicos da proteção e da recuperação de matas ciliares, III -Caracterização dos ambientes fluviais: geomorfologia, vegetação, fauna e sua interação, IV - Práticas de recuperação de Matas Ciliares, V - Planejamento e Gestão do Projeto Municipal, integrando nela um módulo adicional sobre práticas sustentáveis de uso do solo e da água; 3.5 Realização de 6 oficinas de capacitação dos GTMs, de 40 horas cada, com conteúdo estruturado em 6 módulos: I - Aspectos institucionais da gestão da água e do Programa de Recuperação da Mata Ciliar, II - Aspectos legais e econômicos da proteção e da recuperação de matas ciliares, III -Caracterização dos ambientes fluviais: geomorfologia, vegetação, fauna e sua interação, IV - Práticas de Recuperação de Matas Ciliares, V - Práticas sustentáveis de uso do solo e da água e VI -Planejamento e Gestão do Projeto Municipal; 3.6 Acompanhar o desenvolvimento e a execução dos projetos municipais, segundo a metodologia preconizada no caderno municipal, bem como gerenciar a distribuição de mudas para estes projetos. As figuras 4 e 5 apresentam, respectivamente, as atividades dos subprojetos Produção de MUDAS e Sistema de Informações da Bacia do Itajaí (SIBI).

8 7 Figura 4: Subprojeto (objetivo específico) MUDAS Descrição das atividades 4.1 Oferta de Curso de Capacitação de 20h para coletores de sementes; 4.2 Acompanhamento e assessoria na seleção de árvores matrizes, na coleta e distribuição de sementes aos viveiros; 4.3 Ampliação da estrutura do banco de sementes do Departamento de Engenharia Florestal da FURB; 4.4 Oferta de um curso de capacitação para produtores de mudas, de 30 horas teóricas e 10 horas práticas; 4.5 Assinatura de contratos de produção e fornecimento de mudas com as entidades produtoras de mudas, estabelecendo as espécies de interesse do projeto e o padrão técnico das mudas; 4.6 Acompanhamento da produção de mudas (gerenciamento da oferta). Figura 5: Subprojeto (objetivo específico) SIBI Descrição das atividades 5.1 Estruturar física e logicamente o SIBI; 5.2 Desenvolver formulários, aplicativos de banco de dados e páginas de Internet para inserção e consulta de informações; 5.3 Inserir informações; 5.4 Analisar e gerar novas informações; 5.5 Disponibilizar informações primárias e secundárias via Internet; 5.6 Treinar pessoas para o uso do SIBI. A figuras 6 e 7 apresentam, respectivamente, as atividades da ADMinistração e da COMunicação.

9 8 Figura 6: Subprojeto (objetivo específico) ADM Descrição das atividades 6.1 Oferecer suporte administrativo ao projeto; 6.2 Realizar a administração financeira do projeto; 6.3 Organizar as reuniões e documentação da Câmara Técnica do Projeto, a ser instituída pelo Comitê do Itajaí. Figura 7: Subprojeto (objetivo específico) COM C 1.1 C 1.2 C 1.3 C 1.4 C 1.5 C 1.6 C 1.7 C 1.8 C 1.9 C 1.10 C 1.11 C 1.12 C 1.13 C 1.14 C 1.15 C 1.16 C 1.17 C 1.18 C 1.19 C 2.1 C 3.1 C 3.2 C 3.3 Atividades programáticas Atividades permanentes Atividades suprimidas do projeto original Descrição das atividades 2 C1.1 Trabalho de criação de conceito e identidade visual do PROJETO PIAVA; C1.2 Produzir banners, camisetas, adesivos, folders e cartazes, para distribuir aos diversos públicos, visando a divulgação do PROJETO; C1.3 Produção de papelaria referente ao projeto; C1.4 Coordenação do projeto, elaboração de plano de relações públicas para promover articulações institucionais e orientação para eventos do Projeto; C1.5 Assessoria de imprensa para o Projeto; 2 As atividades suprimidas são descritas em vermelho.

10 9 C1.6 Evento de lançamento do Projeto em uma das cidades pólo da bacia (Itajaí, na região da foz); C1.7 Apresentação da proposta de gestão da bacia, do Comitê do Itajaí e do Projeto, nas Assembléias das Associações de Municípios, nos Conselhos de Desenvolvimento Regional, nas Associações Comerciais e Industriais e nas Universidades; C1.8 Produzir e distribuir (trimestralmente) o Jornal do Comitê da Bacia para divulgação das ações do projeto e do Comitê da Bacia; C1.9 Criar e manter website vinculado ao sítio do Comitê da Bacia (www.comiteitajai.org.br); C1.10 Produzir e veicular documentário A Bacia do Itajaí sobre a situação da Bacia, com foco em recuperação e preservação, voltado para escolas e jornalistas e público atingido por estes; C1.11 Produzir e veicular, mensalmente, em TV de abrangência regional, programete para informar ações do Projeto; C1.12 Produzir spot para rádio com áudio do programete de televisão, com veiculação em rádios da região da Bacia; C1.13 Produzir e veicular anúncio informativo mensal para jornal em veículo de grande circulação regional; C1.14 Promover a Campanha de Cidadania pela Água no Vale do Itajaí Semana da Água; C1.15 Organização de evento e Prêmio Otto Rohkohl de Conservação da Água; C1.16 Divulgação do Prêmio Otto Rohkohl; C1.17 Produção e distribuição para escolas, bibliotecas, instituições municipais, estaduais e nacionais de livro sobre os dois anos do Projeto; C1.18 Concurso Fotográfico sobre a Bacia do Itajaí Categorias Profissional e Amador ; C1.19 Produção de audiovisual com balanço das atividades do projeto, as modificações no ecossistema, depoimentos de envolvidos e autoridades e ações realizadas. C2.1 Assessorar a equipe técnica na produção de material didático (atividade 1.5). C3.1 Produção de programa de rádio voltado para o homem do campo, relacionado com a preservação e recuperação dos recursos hídricos e práticas sustentáveis de uso do solo e da água, com consultoria técnica da EPAGRI. C3.2 Audiovisual de explicação técnica de RMC Recuperação de Matas Ciliares e de nascentes para multiplicadores. C3.3 Auxiliar a equipe técnica no repasse de informações para os agricultores e comunidades atingidas pelo projeto. O próximo capítulo contém a descrição das realizações por subprojeto e por atividade.

11 10 3. das atividades por subprojeto As atividades realizadas ou em andamento deste trimestre são descritas neste capítulo, seguindo o modelo, apresentado na quadro 2 abaixo, já utilizado nos relatórios anteriores. As atividades já concluídas nos outros trimestres não constam do presente detalhamento. Quadro 2: Modelo para detalhamento das atividades Atividade: Situação Ações s Indicadores de Financeiro Valor orçado Valor gasto de todas as ações realizadas ou em andamento para a execução da atividade s encontradas durante a execução das ações Todos os indicadores listados na matriz lógica Valor dos Indicadores Todos os meios de verificação listados na matriz lógica mais os novos meios que surgiram. s usadas para realizar a atividade Valor orçado para realizar a atividade no segundo trimestre mais o saldo do trimestre anterior. Valor gasto para realizar a atividade Algumas observações complementares devem ser feitas em relação ás informações constantes nestas tabelas. a) A situação de cada atividade pode ser: C = atividade concluída; P = atividade em andamento no prazo; An = Atividade antecipada; e A = atividade atrasada. b) Para descrever os usa-se itens em preto (os meios previstos na matriz lógica e disponíveis); itens em vermelho (meios previstos na matriz lógica mas ainda não disponíveis); itens em azul (os meios já anexados nos relatórios anteriores) e itens em verde (novos meios de verificação, não previstos no projeto). c) O presente relatório parcial limita-se a comprovar os indicadores de, pois ainda é cedo para avaliar os indicadores de resultados, que se referem aos objetivos específicos e não apenas às atividades necessárias para cumprir os objetivos. d) Os meios de verificação disponíveis são numerados seqüencialmente. Segundo esta mesma numeração, estes meios constam do capítulo 5 dos produtos. e) Todas as despesas de pessoal, de combustível e de material de consumo são computadas no subprojeto ADM. Às diversas atividades só são computadas as despesas diretas previstas. Como no capítulo anterior, a descrição é feita para cada subprojeto.

12 Atividades do subprojeto EDU Atividade 1.1: Gerenciamento dos cursos e eventos Os cursos e demais eventos do Projeto Piava estão sendo planejados, sendo que toda a logística (datas, espaços, ministrantes) está sendo organizada pela equipe do EDU Não houve. Cronograma dos cursos estabelecido. Professores contatados e comprometidos. Espaços para realização de todas as atividades estabelecidos e acertados Plano de atividades de capacitação, de sensibilização e de mobilização a serem realizadas, com conteúdos, datas, ministrantes, locais definidos, aprovado pela Câmara Técnica do Projeto Relatório das capacitações do Subprojeto Mudas Serviços de Multiplicadores Aluguel de ônibus Bolsas e ajuda de custo para participação em eventos Total Situação: P , , , , , , , ,41

13 12 Atividade 1.5: Produção de material didático para as ações de capacitação. Produção de material didático para as capacitações de educação ambiental. As cartilhas infantis foram finalizadas e entregues para todas as escolas participantes do projeto, cada educador recebeu 100 cartilhas para trabalhar com seus alunos. Não houve Materiais impressos finalizados e editorados Materiais produzidos no Projeto Piava Revisão e aprovação dos materiais pela equipe de multiplicadores e Câmara Técnica do Projeto Passagens aéreas e terrestres Inscrições Total Situação: C -665,16 475,04-350,00 300, , ,00 Caderno do educador ambiental 1. Cartilha educativa educação infantil, 2. Cartilha educativa 1ª a 4ª séries 3. Cartilha educativa 5ª a 8ª séries

14 13 Atividade 1.7: Realização de 18 cursos de capacitação para os selecionados na atividade 1.6 Os dez cursos previstos foram realizados conforme planejamento. Foram capacitados 276 educadores de 45 municípios da bacia. Em alguns municípios o período dos cursos coincidiu com a escolha de vagas para professores temporários o que ocasionou algumas ausências. Houve também alguns problemas isolados de falta de comunicação entra as secretarias de educação e os educadores. Preferiu-se não fazer a avaliação individual dos participantes. Listas de participantes distribuídos por região geográfica Registro de correspondência enviada aos participantes Interesse e desempenho dos participantes Índice de freqüência dos participantes Desempenho dos ministrantes 4. Lista de presença dos cursos 5. Ficha de avaliação dos ministrantes Ficha de avaliação individual dos participantes 6. Relatório final das capacitações aprovado pela CT-Piava Situação: C

15 14 Atividade 1.10: Acompanhamento e assessoramento das atividades de educação ambiental em toda a bacia Nos meses de março e abril foram realizadas visitas de acompanhamento a todos os educadores capacitados em fevereiro. Foram visitados os 276 educadores dos 44 municípios já envolvidos nas atividades de educação ambiental. Numero de visita agendadas Número de visitas realizadas Plano de visitas 216 Relatório de visitas aprovado pela CT-Piava 8. Programa de ações para a Semana da Água aprovado pela CT-Piava Situação: P

16 Atividades do subprojeto PAM Atividade 2.1: Quatro seminários (8 horas) de formação ambiental para comunicadores, jornalistas e radialistas atuantes na Bacia do Itajaí Não houve demanda aos cursos oferecidos aos comunicadores. Todavia há uma grande procura por este tipo de informação pelo ministério público, neste sentido esta sendo articulada a realização de um seminário específico no mês de setembro de Não houve Cronograma de seminários estabelecidos. Espaços para realização de todas as atividades estabelecidos e acertados Materiais de comunicação disponíveis Comunicadores convidados Não Não Não Relatório dos Seminários Situação: A

17 16 Atividade 2.5: Realizar 6 seminários microrregionais de sensibilização e mobilização para a gestão ambiental municipal e divulgação do projeto (8 horas) Esta atividade está em andamento. Até o momento já foram realizados 3 seminários (mês de abril) em maio serão realizados mais 5 seminários. No total serão feitos 8 seminários de 4 horas em que estão sendo convidadas em torno de 1400 lideranças. Não houve Cronograma de seminários estabelecido Espaços para realização dos seminários estabelecidos e acertados Materiais de comunicação disponíveis Lideranças identificadas e convidadas Parcialmente Relatório dos Seminários Situação: P

18 Atividades do subprojeto RMC Atividade 3.3: Elaboração de um catálogo eletrônico. Elaboração e confecção de um catálogo eletrônico sobre áreas degradadas na Bacia do Itajaí, contendo as diferentes características físicas e as respectivas formas de uso do solo e da água, gerando distintos padrões de degradação. Para verificar quais as variáveis que serão utilizadas no levantamento das áreas degradadas foi elaborada uma base conceitual. O catálogo encontra-se em construção, até o momento foram levantadas 30% das áreas. Desse modo, restam amostrar todas as áreas para que o catálogo esteja no modelo definitivo. Não houve. Estrutura do catálogo definida Número de áreas identificadas Informações sobre uso do solo e características ambientais mapeadas e descritas Tipologia de áreas degradadas proposta Formas de recuperação descritas Dados de monitoramento coletados Não 30 áreas Não Não Não Base conceitual aprovada pela CT do Projeto Piava. Relatório de atividades 1 aprovado pela CT-Piava 9. Relatório de atividades 2 aprovado pela CT-Piava 3. Catálogo em construção Situação: P 3 Aprovado na 12 reunião da CT-Piava de 26 de maio de 2006.

19 18 Atividade 3.5: Capacitação de 150 membros de GTM s Tendo em vista a formação da parceria institucional entre a Fundação Agência de Água do Vale do Itajaí e a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI), foram ofertados mais três cursos de capacitação em recuperação de ambientes fluviais. O público alvo foi formado por extensionistas rurais e facilitadores da empresa supracitada, tendo ainda a participação de 6 municípios que perderam as capacitações regionais anteriormente oferecidas pelo Piava. Fizeram parte desses cursos Laurentino, Mirim Doce, Rodeio, Doutor Pedrinho, Ilhota e Presidente Nereu, tendo sido formados mais 6 Não houve Ementa, carga horária e cronogramas definidos. Relação de ministrantes definidos Número de inscritos por curso Cronograma dos cursos definido Ementa dos cursos definida com carga horária por módulo. Cronograma definido, com ementa e carga horária por módulo. Relatório do curso de Ituporanga Relatórios dos cursos de: Rio do Sul, Situação: C

20 19 GTMs. Os cursos foram de 20 horas cada sendo ministrados no Centro de Treinamento da EPAGRI em Agronômica CETRAG e Itajaí CETREI. Foram capacitadas ao total 160 pessoas. Índice de freqüência dos participantes Blumenau, Itajaí, Brusque e Ibirama. 10. Relatório dos cursos da EPAGRI, coontendo: Índice de aproveitamento dos participantes. Cronograma definido, com ementa e carga horária por módulo. Relação de ministrantes

21 20 Atividade 3.6: Acompanhamento do desenvolvimento e execução dos projetos municipais. Mensalmente o corpo técnico do RMC agenda visitas aos municípios que enviam projetos de recuperação, com o objetivo de vistoriar as áreas cadastradas e liberar as mudas solicitadas. Essas visitas são agendadas em articulação com o respectivo GTM. Na ocasião, os GTMs são novamente orientados quanto à metodologia preconizada no caderno municipal e/ou pendências relativas a sua participação no Projeto Piava (convênios, relatórios e recibos em atraso, preenchimento incorreto dos formulários ou ausência de dados cadastrais). O auxílio financeiro é sempre relacionado com o desenvolvimento positivo do GTM. Após aprovação dos projetos Devido ao fato de alguns municípios terem enviado à capacitação pessoas sem afinidade com questões ambientais, o andamento dos trabalhos torna-se ineficiente e/ou moroso. Nem o incentivo financeiro tem sido uma ferramenta eficiente na tentativa de mobilizar alguns destes GTMs. O período de recesso das prefeituras municipais prejudicou o agendamento das vistorias nos Plano mensal de visitas a grupos municipais. Número de projetos locais aprovados. Tamanho das áreas a serem recuperadas.. Número de mudas requeridas. Plano de distribuição de mudas m² unidades Relatório trimestral de acompanhament o, referente aos meses de novembro e dezembro de 2005 e janeiro de Relatório trimestral acompanhamento, referente aos meses de fevereiro, março e abril de Projetos locais aprovados Apoio aos projetos municipais Situação: P , ,00

22 21 encaminhados ao RMC, o subprojeto MUDAS providencia a destinação das mudas que chegam aos municípios com auxílio das respectivas prefeituras. O plantio é realizado sob a supervisão do coordenador do GTM e o relatório é enviado ao RMC. meses de dezembro e janeiro, bem como o envio dos relatórios de acompanhamento e a assinatura de alguns convênios. No mês subseqüente, por ocasião de novas vistorias, as mudas plantadas são inspecionadas pelo corpo técnico do RMC para início da análise de recuperação. O acompanhamento é feito por meio de planos mensais e registrado em relatórios trimestrais diferentemente do que estava previsto no projeto original, que citava plano anual e relatório mensal.

23 Atividades do subprojeto MUDAS Atividade 4.2: Acompanhamento e assessoria na seleção de árvores matrizes, na coleta e distribuição de sementes aos viveiros. Viagens junto às entidades produtoras de mudas; Visitas a possíveis áreas potenciais para coleta de sementes Número de árvores matrizes selecionadas Número de coletas acompanhadas 96 (3T) 143 (4T) 239 Total 35 (2T) 20 (3T) 22 (4T Formulário para identificação da árvore matriz Fotos de algumas matrizes Situação: P Eficiência das coletas 77 Total Ótima 12. Relação das árvores matrizes 13. Relatório de viagens de coletas 14. Qualidade fisiológica das sementes coletadas

24 23 Atividade 4.3: Ampliação da estrutura do Banco de Sementes da FURB (BSFURB) Elaboração de planilhas para o controle de entrada e saída de sementes. Aquisição e instalação da câmara fria. Aquisição e instalação de germinador e caixas de germinação. Adequação das instalações físicas do banco de sementes Equipamentos Instalados Volume de sementes coletadas Volume de sementes distribuídas 33604,64 g (4T) 64499,2 g total 20279,82 g (4T) 30882,8 g Total Vistoria "in loco" (fotos); Formulário de controle de entrada de sementes Formulário de controle de saída de sementes 15. Relatório de coleta e distribuição de sementes Situação: C

25 24 Atividade 4.6: Acompanhamento da produção de mudas. Disponibilizar para os viveiristas a listagem das espécies que serão produzidas para o projeto, bem como a inclusão de outras possíveis espécies. Visitas quinzenais aos viveiros para acompanhamento da produção e estruturação dos viveiros que estão em fase de implantação. Número de vistorias realizadas Qualidade das mudas produzidas 43 (4T) Fotos de alguns viveiros Excelente (dentro padrão estabelecido pelo projeto) 16. Relatório mensal da produção de mudas Produção de mudas Situação: P , ,00

26 Atividades do subprojeto SIBI Atividade 5.2: Desenvolver formulários, aplicativos de banco de dados e páginas de Internet para inserção e consulta de informações. Desenvolvimento de 10 páginas de web para disponibilização de mapas e informações cartográficas, 10 módulos do sistema de informações, 4 páginas de disponibilização de relatório do módulo RMC e 4 páginas de inserção de dados do módulo RMC. Demora na entrega do produto pela empresa contratada. Nº de formulários desenvolvidos Nº de aplicativos desenvolvidos Página da Internet desenvolvida 8 Texto sobre a concepção do SIBI elaborado como apoio às atividades do 1 Subprojeto. Relatório Trimestral do SIBI aprovado pela CT-Piava 4 Serviços de terceiros Situação: P 2.540, ,00 4 Relatórios apresentado na 12ª reunião da CT-Piava 26 de abril de 2006.

27 26 Atividade 5.3: Inserir informações Os dados estão sendo inseridos por cada subprojeto. No total já foram cadastrados 100 registros no banco de dados. Nº de formulários disponibilizados/ enviados Nº de formulários preenchidos ou devolvidos 8 Relatório aprovado na Câmara Técnica 100 Situação: P Atividade 5.4: Analisar e gerar novas informações Formam gerados aproximadamente 20 mapas com base nos dados coletados por cada subprojeto. Nº de novas informações geradas Nº de relatórios de projetos emitidos Qualidade da informação gerada 20 Relatório aprovado na Câmara Técnica 0 60% aprovação 17. Questionário WEB sobre a qualidade da informação Situação: P

28 27 Atividade 5.5: Disponibilização de informações via internet Foi desenvolvida e publicada a página de internet do SIBI (www.comiteitajai.org.br/sibi) onde constam as informações de cada módulo. Nº de acessos à página do SIBI Não Estatística do número de acessos Questionário WEB sobre a interface e dificuldade de acesso 5 Situação: P 5 Idem produto 17.

29 Atividades do subprojeto ADM Atividade 6.1: Oferecer suporte administrativo ao projeto Relatório Trimestral 03 Arquivamento da documentação administrativa. Controle e compras de material de consumo Controle de correspondência eletrônica enviada e recebida Controle sobre notas e atestos para pagamento. Agendamento para uso dos veículos Apoio em cursos oferecidos pelo projeto Manutenção de veículos Não houve. Cadastro atualizado de endereços de lideranças, câmaras de vereadores, técnicos municipais, educadores e demais participantes e/ou envolvidos no projeto Arquivo de documentos do projeto Equipamentos e materiais adquiridos Controle do material de consumo Arquivo de correspondências Arquivo de textos e materiais de cada subprojeto Contratos Concessão de bolsas de pesquisa / extensão (15) Notas, doc. de compra e venda dos veículos Apólice de seguro dos veículos Fotos dos veículos Fotos do escritório da Fundação Prorrogação bolsa de pesquisa / extensão (2) Técnico Apoio e suporte administrativo Estagiários Empresa de Consultoria Aluguel de salas Reprografia Postagem Combustível Seguro dos Automóveis Seguro de Vida Outras despesas Situação: P , , , , , , ,36 346, ,70 669, , , , , , ,00 983,02 550, , ,18 256,32 788,86

PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 5

PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 5 FUNDAÇÃO AGÊNCIA DE ÁGUA DO VALE DO ITAJAÍ PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 5 Relatório do Projeto Piava (contrato nº 6000.0007158.04.2) apresentado à PETROBRAS S/A, referente aos meses de maio, junho

Leia mais

PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 7

PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 7 FUNDAÇÃO AGÊNCIA DE ÁGUA DO VALE DO ITAJAÍ PROJETO PIAVA RELATÓRIO TRIMESTRAL 7 Relatório do Projeto Piava (contrato nº 6000.0007158.04.2) apresentado à PETROBRAS S/A, referente aos meses de novembro,

Leia mais

LIVRO ILUSTRADO PROJETO PIAVA

LIVRO ILUSTRADO PROJETO PIAVA LIVRO ILUSTRADO COM RESULTADOS DO PROJETO PIAVA PROPOSTA EDITORIAL O livro vai apresentar um balanço dos dois anos de atividades do Projeto Piava - construção de uma política sustentável de uso da água

Leia mais

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil Após um mais de ano de trabalho e experiências adquiridas a CRIC apresenta à diretoria regional as diretrizes que regem

Leia mais

Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP

Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Referência Ficha Técnica Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Elaboração Projeto ART e Acervo Técnico - Equipe

Leia mais

Formas de Comprovação de Contrapartidas

Formas de Comprovação de Contrapartidas Formas de Comprovação de Contrapartidas A entidade patrocinada deverá comprovar o cumprimento das contrapartidas estabelecidas no contrato de patrocínio nas formas definidas abaixo: Contrapartidas de Imagem

Leia mais

Capítulo I Da Origem. Capítulo II Dos Órgãos Colegiados

Capítulo I Da Origem. Capítulo II Dos Órgãos Colegiados NORMATIZAÇÃO ADMINISTRATIVA, DIDÁTICO-PEDAGÓGICA PARA AS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NOS CURSOS TÉCNICOS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

Leia mais

Congresso Nacional de Negras e Negros do Brasil Construindo um Projeto Político do Povo Negro para o País

Congresso Nacional de Negras e Negros do Brasil Construindo um Projeto Político do Povo Negro para o País PLANO DE COM UNICAÇÃO, MÍDIA E DIVULGAÇÃO Elaboração: Ebomy Conceição Reis d' Ógùm- Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro- Brasileira Marcio Alexandre Martins Gualberto Coletivo de Entidades Negras

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO FINANCEIRO Nº 01

RELATÓRIO DE DESEMPENHO FINANCEIRO Nº 01 RELATÓRIO DE DESEMPENHO FINANCEIRO Nº 01 Fortalecimento da Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas na Amazônia Instituto de Conservação Ambiental The Nature Conservancy do Brasil - TNC Brasil

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

Critérios de Elegibilidade Resolução CNAS nº08/2013 e Resolução CNAS nº10/2014

Critérios de Elegibilidade Resolução CNAS nº08/2013 e Resolução CNAS nº10/2014 Critérios de Elegibilidade Resolução CNAS nº08/2013 e Resolução CNAS nº10/2014 Municípios com alta incidência de trabalho infantil que apresentaram: a) mais de 250 casos de trabalho infantil ou com taxa

Leia mais

Ações de Educação Ambiental do INEA com foco em recursos hídricos. Gerência de Educação Ambiental (GEAM/DIGAT/INEA)

Ações de Educação Ambiental do INEA com foco em recursos hídricos. Gerência de Educação Ambiental (GEAM/DIGAT/INEA) Ações de Educação Ambiental do INEA com foco em recursos hídricos Gerência de Educação Ambiental (GEAM/DIGAT/INEA) Ações: Agenda Água na Escola (SEA); Cartilha de atividades de sensibilização, pesquisa

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA A 1ª Conferência Nacional de Defesa Civil e Assistência Humanitária CNDC ocorreu entre os dias 23 e 25 de março

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM. memoriafsm.org

Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM. memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória memoriafsm.org CENÁRIO DOS ESPAÇOS NO FÓRUM SOCIAL MUNDIAL Pontos Fortes Potencialidades Dificuldades Estrangulamentos

Leia mais

ANEXO II - TERMO DE REFERÊNICA EDITAL Nº 05373/2009

ANEXO II - TERMO DE REFERÊNICA EDITAL Nº 05373/2009 ANEXO II - TERMO DE REFERÊNICA EDITAL Nº 05373/2009 OBJETO: Contratação de serviços de desenvolvimento de software para criar o Website da Sudam, utilizando a linguagem de programação PHP, com o Banco

Leia mais

Termo de Referência Criação e Layout de materiais de divulgação Processo Seletivo RSBIO nº 019 UGP

Termo de Referência Criação e Layout de materiais de divulgação Processo Seletivo RSBIO nº 019 UGP Termo de Referência Criação e Layout de materiais de divulgação SELEÇÃO DE CONSULTORES AVISO DE SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PROJETO RS BIODIVERSIDADE / GEF / BANCO MUNDIAL SERVIÇOS DE CONSULTORIA

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 Cruz das Almas BA 2013 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO

Leia mais

4. Relatório Final e Comprovação das Contrapartidas

4. Relatório Final e Comprovação das Contrapartidas 1. Da Solicitação de Patrocínio O proponente interessado em firmar patrocínio cultural com o Serpro deverá encaminhar à Coordenação Estratégica de Comunicação Social, pelo e-mail cultura@serpro.gov.br,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE COMUNICAÇÃO, TURISMO E ARTES Coordenação de Jornalismo

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE COMUNICAÇÃO, TURISMO E ARTES Coordenação de Jornalismo UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE COMUNICAÇÃO, TURISMO E ARTES Coordenação de Jornalismo REGIMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM JORNALISMO Capítulo I Da concepção de estágio O Estágio visa oportunizar

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA EDITAL Nº 018/14 PROEX

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA EDITAL Nº 018/14 PROEX EDITAL Nº 018/14 PROEX PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS DE EXTENSÃO E DE DIFUSÃO ACADÊMICA A Universidade Estadual de Ponta Grossa por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade

Leia mais

MaxPrêmios O Sistema que automatiza todas as etapas de um processo de premiação

MaxPrêmios O Sistema que automatiza todas as etapas de um processo de premiação MaxPrêmios O Sistema que automatiza todas as etapas de um processo de premiação Um processo tradicional de premiação esbarra nas seguintes dificuldades: Logística difícil e custosa de transporte, envio

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP

ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP INTRODUÇÃO A Agenda 21 Local é um instrumento de planejamento de políticas públicas que envolve tanto a sociedade

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

APRESENTAÇÃO. O presente manual tem por finalidade principal orientar técnicos sociais dos

APRESENTAÇÃO. O presente manual tem por finalidade principal orientar técnicos sociais dos APRESENTAÇÃO O presente manual tem por finalidade principal orientar técnicos sociais dos municípios no processo de seleção de demanda, na elaboração e na execução do Projeto de Trabalho Social - PTS junto

Leia mais

EDITAL N. 001/2015 PROJETO DE PESQUISA PIBIC/PIBITI/CNPQ/UNISALESIANO 2015/2016

EDITAL N. 001/2015 PROJETO DE PESQUISA PIBIC/PIBITI/CNPQ/UNISALESIANO 2015/2016 EDITAL N. 001/2015 PROJETO DE PESQUISA PIBIC/PIBITI/CNPQ/UNISALESIANO 2015/2016 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária, no uso de suas atribuições legais, torna público o presente edital

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA APOIO A PROJETOS CULTURAIS DA REGIÃO NORTE INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA APOIO A PROJETOS CULTURAIS DA REGIÃO NORTE INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA APOIO A PROJETOS CULTURAIS DA REGIÃO NORTE INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO 1 1. O que é o Programa Amazônia Cultural? Trata-se de programa gerenciado pela Representação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA SELO MUNICÍPIO VERDE - 10ª EDIÇÃO Nº01/2014

REGULAMENTO DO PROGRAMA SELO MUNICÍPIO VERDE - 10ª EDIÇÃO Nº01/2014 REGULAMENTO DO PROGRAMA SELO MUNICÍPIO VERDE - 10ª EDIÇÃO Nº01/2014 O presente regulamento estabelece as normas e procedimentos para inscrição e participação no Programa Selo Município Verde -10ª Edição.

Leia mais

Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM. memoriafsm.org

Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM. memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Atividades de comunicação no FSM ÍNDICE 1. GT de Comunicação 2. Assessoria de imprensa/produção

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS Inscrição para seleção de Candidatos à 3ª edição do Curso

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO CUNI Nº 085, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2011. O Conselho Universitário da Universidade Federal de Lavras, no uso de suas atribuições regimentais, e tendo em vista o que foi deliberado

Leia mais

CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE CASOS/EXEMPLOS DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO ROTEIROS DO BRASIL

CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE CASOS/EXEMPLOS DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO ROTEIROS DO BRASIL CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE CASOS/EXEMPLOS DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO ROTEIROS DO BRASIL Considerações Gerais Para comemorar os cinco anos do Programa de Regionalização

Leia mais

MANUAL DE PROJETOS SOCIAIS

MANUAL DE PROJETOS SOCIAIS MANUAL DE PROJETOS SOCIAIS CAMPOS DOS GOYTACAZES - RJ 2010 O Manual a seguir orienta o preenchimento do Formulário de Projetos Sociais dos Conselhos. Assim, para o encaminhamento de Projetos Sociais aos

Leia mais

EDITAL. Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade

EDITAL. Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade EDITAL Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade 1. Justificativa Geral A Declaração do Milênio deixa clara a importância da participação social ao considerar

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental PROJETO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Leia mais

Semeando o Verde. Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente)

Semeando o Verde. Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Semeando o Verde Mostra Local de: Maringá PR Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Usina de Açúcar Santa Terezinha Ltda. Cidade: Maringá

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001616 - TECNOLOGIA EM FOTOGRAFIA E IMAGEM Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001616 - TECNOLOGIA EM FOTOGRAFIA E IMAGEM Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001616 - TECNOLOGIA EM FOTOGRAFIA E IMAGEM Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

PLANEJAMENTO OPERACIONAL DAS AÇÕES

PLANEJAMENTO OPERACIONAL DAS AÇÕES PLANEJAMENTO OPERACIONAL DAS AÇÕES Ação Atividade Recurso Prazo Responsável Articular com o Comitê Participação em reuniões de planeja e 4 Computadores com internet Quinzenal Alexandre Almeida Estadual

Leia mais

MANUAL SIATEX. www.siatex.ufba.br

MANUAL SIATEX. www.siatex.ufba.br MANUAL SIATEX www.siatex.ufba.br Atualização outubro de 2014 ÍNDICE APRESENTAÇÃO...3 CADASTRO...4 ACOMPANHAMENTO...7 CANCELAMENTO...7 RELATÓRIO...8 Inscrição Externa...8 Upload da assinatura...10 CERTIFICAÇÃO...11

Leia mais

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016.

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. 1 Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. Formulários obrigatórios para Prestação de Contas PRESTAÇÃO DE CONTAS - PROJETOS INCENTIVADOS PELA DME E/OU SUAS SUBSIDIÁRIAS.

Leia mais

1 - CONTEXTO O Projeto Corredores Ecológicos, componente do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais Brasileiras tem como principal

1 - CONTEXTO O Projeto Corredores Ecológicos, componente do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais Brasileiras tem como principal MINISTÉRIO DO MEIO AMBENTE SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA PILOTO PARA A PROTEÇÃO DAS FLORESTAS TROPICAIS BRASILEIRAS PROJETO CORREDORES ECOLÓGICOS SUB PROJETO CONSOLIDAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA DOS ÓLEOS

Leia mais

A seguir serão apresentados os detalhes de cada módulo dos três níveis.

A seguir serão apresentados os detalhes de cada módulo dos três níveis. Plano Integrado de Mapeamento (PIM) O Plano Integrado de Mapeamento nasceu de uma necessidade de otimização de esforços e recursos, qualificação das informações obtidas e minimização da carga de formulários

Leia mais

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015 PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015 Abertura de prazo para solicitação de serviços pelas entidades cadastradas no Projeto Serviços e Cidadania e sediadas em Curitiba e Região Metropolitana O

Leia mais

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS PORTO ALEGRE EM AÇÃO É ESPORTE E EDUCAÇÃO O esporte não é educativo a priori, é o educador que precisa fazer dele ao mesmo tempo um objeto e meio

Leia mais

EDITAL PIC Nº 01/2009

EDITAL PIC Nº 01/2009 EDITAL PIC Nº 01/2009 O Reitor da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, com vistas à chamada para a seleção de bolsista/estudante de Iniciação Científica para o Programa Institucional de Iniciação

Leia mais

PROPOSTA PANNA K.O. BRASIL TURNÊ 2014

PROPOSTA PANNA K.O. BRASIL TURNÊ 2014 PROPOSTA PANNA K.O. TURNÊ 2014 Projeto aprovado pelo Ministério dos Esportes pela lei de incentivo ao esporte no. 11.438/06 e o Decreto no. 6.180/07. Número do processo: 58701.000099/2011-93, publicado

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO, 3 2 FUNCIONALIDADE ADMINISTRATIVA, 3 2 S ORGANIZACIONAIS DO CENTRO DE ESTUDOS, 3

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultor para a elaboração e execução do Projeto Conceitual e do Planejamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA A 1ª Conferência Nacional de Defesa Civil e Assistência Humanitária CNDC ocorreu entre os dias 23 e 25 de março

Leia mais

SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE CURSISTAS

SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE CURSISTAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO. PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO PRÓ-CONSELHO CURSO DE EXTENSÃO A DISTANCIA FORMAÇÃO

Leia mais

Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade

Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade EDITAL 2015 PROJETO BRA/11/023 Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas

Leia mais

Relatório de Gestão Setorial 2010

Relatório de Gestão Setorial 2010 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial 2010 Cruz das Almas BA 2010 ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES Período: Janeiro

Leia mais

Planos estratégicos de comunicação 2013/2014 Programa Áreas Protegidas da Amazônia - ARPA

Planos estratégicos de comunicação 2013/2014 Programa Áreas Protegidas da Amazônia - ARPA 1. Plano de Comunicação interna 1.1 Aspectos estruturantes 1.1.1 Objetivo O objetivo maior do plano de comunicação interna é fortalecer a gestão do Programa Arpa, a coesão entre parceiros e agentes diretamente

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 O Presidente do Instituto Pauline Reichstul-IPR, torna público que receberá inscrições para o processo seletivo de pessoal para atuação no projeto Ações Integradas

Leia mais

3.1.2 Coleta e checagem de dados das entidades convidadas:... 7. 3.2.4 Documentos necessários à organização e acompanhamento do planejamento:...

3.1.2 Coleta e checagem de dados das entidades convidadas:... 7. 3.2.4 Documentos necessários à organização e acompanhamento do planejamento:... FÓRUM PERMANENTE DE DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA IRRIGADA FÓRUM Produto 5 Documento técnico de planejamento e organização de 1 (um) seminário regional do Fórum Permanente de Desenvolvimento da Agricultura

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B TERMO DE REFERÊNCIA DO PROCESSO CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES EXECUTORAS DE AÇÕES DE QUALIFICAÇÃO SOCIAL E

Leia mais

Projeto Agricultura de Baixo Carbono e Desmatamento Evitado para a Redução da Pobreza no Brasil

Projeto Agricultura de Baixo Carbono e Desmatamento Evitado para a Redução da Pobreza no Brasil CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ELABORAÇÃO, E IMPLEMENTAÇÃO DE UM PLANO DE COMUNICAÇÃO PARA O PROJETO AGRICULTURA DE BAIXO CARBONO E DESMATAMENTO EVITADO PARA A REDUÇÃO DE POBREZA NO BRASIL. País - Brasil Projeto

Leia mais

PLANO INTERMUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS

PLANO INTERMUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PLANO INTERMUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS APRESENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO REGIÃO DO SERTÃO ALAGOANO 1º PARTE CAPACITAÇÃO TÉCNICA O que é o Plano de Resíduos? O que é o Plano de Resíduos?

Leia mais

MANUAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO

MANUAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO MANUAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO Um projeto surge em resposta a um problema concreto. Elaborar um projeto é, antes de tudo,

Leia mais

Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico.

Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Seminário Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas da Implementação Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Danilo Gonçalves

Leia mais

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014 PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014 Abertura de prazo para solicitação de serviços pelas entidades cadastradas no Projeto Serviços e Cidadania e sediadas em Curitiba e Região Metropolitana O

Leia mais

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões As oportunidades de trabalho e as novas profissões ligadas à arte contemporânea têm crescido muito nos últimos anos, impulsionadas

Leia mais

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local -

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local - Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Assistente Técnico Local - No âmbito do Programa Pará - Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial de Políticas para

Leia mais

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS EDITAL FLD 04/2011 SELEÇÃO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DE REDES SOCIAIS QUE ATUAM NA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM JUSTIÇA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICA 1. OBJETIVO Selecionar projetos

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO COMUNITÁRIA 2015.2

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO COMUNITÁRIA 2015.2 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO COMUNITÁRIA 2015.2 A Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Comunitária da Universidade Salvador UNIFACS torna público

Leia mais

CCS CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 24/ 2015. Processo Seletivo para BOLSISTA PARA APOIO A FORMAÇÃO EM SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL - MARANHÃO

CCS CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 24/ 2015. Processo Seletivo para BOLSISTA PARA APOIO A FORMAÇÃO EM SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL - MARANHÃO 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCS CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 24/ 2015 Processo Seletivo para BOLSISTA PARA APOIO A FORMAÇÃO EM SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL

Leia mais

V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012

V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012 V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012 Federação Nacional das Empresas de Serviços de Limpeza Ambiental (FEBRAC) Um dia de cidadania faz o mundo melhor Introdução Após analisar

Leia mais

PROF. RAIMUNDO NONATO DA COSTA SABÓIA VILARINS Presidente do Conselho Universitário Reitor Pro Tempore da UERR

PROF. RAIMUNDO NONATO DA COSTA SABÓIA VILARINS Presidente do Conselho Universitário Reitor Pro Tempore da UERR Dispõe sobre a aprovação do Regulamento Geral da Pós Lato Sensu da Universidade Estadual de Roraima. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO E REITOR PRO TEMPORE DA - UERR, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2 MINISTÉRIO DA CULTURA Diretoria de Infraestrutura Cultural Secretaria Executiva Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2 1. Objetivos A Praça do PAC é de

Leia mais

RELATIVO AO PROCESSO SELETIVO INTERNO SIMPLIFICADO DE PROFESSOR FORMADOR PARA O PARFOR/IFPI

RELATIVO AO PROCESSO SELETIVO INTERNO SIMPLIFICADO DE PROFESSOR FORMADOR PARA O PARFOR/IFPI INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCESSO DE MATRÍCULA PARA OS CURSOS PRESENCIAIS DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA - PARFOR

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL A coordenadoria do projeto Laboratório de Cultura Digital, vinculado ao Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, torna pública a seleção de equipe para o referido projeto, conforme previsto

Leia mais

Formulário para Solicitação de Patrocínio Edital 001/2015

Formulário para Solicitação de Patrocínio Edital 001/2015 ANEXO II Formulário para Solicitação de Patrocínio Edital 001/2015 Procedimentos para o envio de projeto ao CAU/MS: 1. Após preencher o Formulário para Solicitação de Patrocínio ao CAU/MS, confira os itens

Leia mais

Tutorial SIGAMAZÔNIA - Área Pesquisador

Tutorial SIGAMAZÔNIA - Área Pesquisador Tutorial SIGAMAZÔNIA - Área Pesquisador 2015 TUTORIAL SIGAMAZÔNIA Desenvolvido por: FAPESPA LABES-UFPA Sumário Sumário... 3 CADASTRO NO SISTEMA... 5 FAZENDO LOGIN NO SIGAMAZÔNIA... 5 MENU INICIAL... 6

Leia mais

Nome do Responsável: Cargo do Responsável: Contatos do Responsável: Estado ou Município ou Distrito Federal: Referente ao período: Nome do órgão:

Nome do Responsável: Cargo do Responsável: Contatos do Responsável: Estado ou Município ou Distrito Federal: Referente ao período: Nome do órgão: RELATÓRIO DA REDE DE ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS Nome do Responsável: Cargo do Responsável: Contatos do Responsável: Estado ou Município ou Distrito Federal: Referente ao período: Nome do órgão:

Leia mais

Município: JOÃO PESSOA / PB

Município: JOÃO PESSOA / PB O Plano Brasil Sem Miséria O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado com o desafio de superar a extrema pobreza no país. O público definido como prioritário foi o dos brasileiros que estavam em situação de

Leia mais

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI PLANO DE TRABALHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PCS Plano de Trabalho ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 2.1. Objetivos Específicos... 1 3. PÚBLICO ALVO... 2 4. METAS... 2 5.

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA 1. APRESENTAÇÃO Com base nos valores da economia solidária e da cultura livre, o Estúdio Gunga empresa de comunicação focada na criação de sites, editoração gráfica,

Leia mais

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta . Capa: - Título do projeto - Nome da instituição proponente - Linha de ação a ser apoiada. Roteiro para elaboração de Projeto Proposta. Identificação da instituição proponente e responsável legal - devem

Leia mais

EDITAL Nº 003/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIOS NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAÍ

EDITAL Nº 003/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIOS NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAÍ EDITAL Nº 003/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIOS NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAÍ O Município de Miraguaí - RS, torna público a abertura de inscrições para Processo Seletivo

Leia mais

COMISSÃO DO CONCURSO PARA SELEÇÃO DO SELO COMEMORATIVO DOS 10 ANOS DA ESCOLA DO LEGISLATIVO SENADOR JOSÉ LINDOSO

COMISSÃO DO CONCURSO PARA SELEÇÃO DO SELO COMEMORATIVO DOS 10 ANOS DA ESCOLA DO LEGISLATIVO SENADOR JOSÉ LINDOSO COMISSÃO DO CONCURSO PARA SELEÇÃO DO SELO COMEMORATIVO DOS 10 ANOS DA ESCOLA DO LEGISLATIVO SENADOR JOSÉ LINDOSO Inscrição: 15.9.2015 a 30.10.2015 Prazo de Entrega dos Trabalhos: 17 horas do dia 30.10.2015

Leia mais

8º SALÃO DE TURISMO DO ESPÍRITO SANTO E 3º SALÃO DE ARTESANATO DO ESPÍRITO SANTO.

8º SALÃO DE TURISMO DO ESPÍRITO SANTO E 3º SALÃO DE ARTESANATO DO ESPÍRITO SANTO. 1 APRESENTAÇÃO DE CASOS/EXEMPLOS DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO ROTEIROS DO BRASIL 8º SALÃO DE TURISMO DO ESPÍRITO SANTO E 3º SALÃO DE ARTESANATO DO ESPÍRITO SANTO.

Leia mais

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015)

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015) Edital de Seleção Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário (Turma 2015) Belém Pará Novembro de 2014 Realização Página 2 de 9 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3.

Leia mais

EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO

EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO O projeto deve ser elaborado no formulário em WORD, disponível para download

Leia mais

CCS CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 19/ 2015. Processo Seletivo para BOLSISTA PARA ARTICULAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL E PODER PÚBLICO - PIAUÍ

CCS CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 19/ 2015. Processo Seletivo para BOLSISTA PARA ARTICULAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL E PODER PÚBLICO - PIAUÍ 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCS CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 19/ 2015 Processo Seletivo para BOLSISTA PARA ARTICULAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL E PODER PÚBLICO - PIAUÍ

Leia mais

Tendo a seguinte vaga de: NÍVEL SUPERIOR PÓS-GRADUAÇÃO Código I Técnico Responsável pela Coordenação Geral do Projeto

Tendo a seguinte vaga de: NÍVEL SUPERIOR PÓS-GRADUAÇÃO Código I Técnico Responsável pela Coordenação Geral do Projeto COTAÇÃO PRÉVIA Nº 01/2012 MELHOR TÉCNICA Técnico Responsável pela Coordenação Geral do Projeto Técnico Responsável pela Gestão Administrativa e Financeira do Projeto A FA - Fundação Araripe, em atendimento

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE Unidade de Gestão Local UGL Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável Microbacias II TERMO DE REFERÊNCIA

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE Unidade de Gestão Local UGL Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável Microbacias II TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA AVALIAÇÃO FINANCEIRA E ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1. Número: 05/2011 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE 2.1. Contratante

Leia mais

ANEXO III Orientações e formulários para prestação de contas (Edital 01/2016 de Seleção Pública de Projetos Culturais para Patrocínio pelo CAU/RJ)

ANEXO III Orientações e formulários para prestação de contas (Edital 01/2016 de Seleção Pública de Projetos Culturais para Patrocínio pelo CAU/RJ) ANEXO III Orientações e formulários para prestação de contas (Edital 01/2016 de Seleção Pública de Projetos Culturais para Patrocínio pelo CAU/RJ) Em conformidade com as competências do CAU/UF previstas

Leia mais