Utilizando o BIM com o Autodesk Revit Structure para o projeto de estações de metrô Marco A. B. Sampaio Frazillio & Ferroni

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Utilizando o BIM com o Autodesk Revit Structure para o projeto de estações de metrô Marco A. B. Sampaio Frazillio & Ferroni"

Transcrição

1 Utilizando o BIM com o Autodesk Revit Structure para o projeto de estações de metrô Marco A. B. Sampaio Frazillio & Ferroni SE5341 Esta seção apresenta o projeto de uma estação de metrô utilizando o Autodesk Revit Structure. É mostrada a modelagem das principais partes da estação que é formada por túnel, plataforma, mezanino, fosso e pisos. O principal objetivo é mostrar algumas das práticas recomendadas para este tipo de projeto. About the Speaker Marco Brasiel é engenheiro civil e mestre em engenharia de estruturas pela USP. Consultor técnico na Frazillio & Ferroni, possui experiência em treinamentos, suporte técnico e desenvolvimento de soluções para projetos de estruturas, arquitetura e instalações utilizando as ferramentas Revit (Structure, Architecture e MEP), Robot Structural Analisys e Structural Detailing.

2 Introdução Neste artigo é apresentada de forma resumida a solução que foi desenvolvida em parceria com a empresa de projetos Figueiredo Ferraz, em um projeto piloto, que teve como objetivo a implantação de um processo de projeto que atendesse aos novos padrões do mercado, que se baseiam em BIM. Assim, é mostrada a modelagem do projeto de estruturas de uma estação de metrô utilizando o Revit Strucure. O projeto é composto por uma estação principal com aproximadamente 170 metros de comprimento, caracterizada por uma plataforma central que atende ao mesmo tempo duas vias de metrô. O acesso à estação é feito por um mezanino superior, o qual se interliga à superfície através de um fosso lateral. A seção transversal do túnel é típica de escavações do tipo NATM, portanto não-circular. O túnel possui uma pequena inclinação longitudinal e, por isso, a estação segue esta mesma inclinação. O piso de concreto do mezanino é sustentado por vigas metálicas que se apóiam lateralmente em pilares que faceiam as paredes do túnel. O projeto é feito no Revit Structure, porém uma integração com o software de análise Autodesk Robot é possível. Esta segunda etapa não será tratada nesta classe. Preliminares Antes de iniciar a modelagem da estação é preciso preparar alguns arquivos que utilizaremos durante o projeto. Uma vez que a seção transversal do túnel não é circular, é mais vantajoso criar um modelo desta seção utilizando uma família de perfis do Revit. Desta maneira, são evitados alguns problemas que podem acontecer se a seção for modelada no próprio projeto Outro ponto importante é a definição dos perfis metálicos que são utilizados no projeto. Os perfis usados neste projeto estão disponíveis para clientes que possuem assinatura de subinscrição, por meio da ferramenta Content Generator, que faz parte do pacote de extensões disponibilizado no portal de subinscrição. Não faz parte deste guia a criação de padrões de representação específicos. São usados os padrões nativos do software. Perfis metálicos A seção transversal deste túnel é comum em escavações feitas pelo método NATM. A sua forma é definida a partir de segmentos de circunferências e, assim, precisamos dos raios e dos centros destas circunferências. 2

3 Antes de iniciar o projeto da estação, vãos criar uma família de perfis (profile) que contém a forma da seção. O detalhe da construção da seção é mostrado na Figura 1. Após abrir o template da família (Menu > New >Family Generic Profile), desenhe utilizando a ferramenta de linhas o perfil mostrado abaixo. Primeiro desenhe o segmento que contorna a parte superior do túnel. Para dar continuidade com os outros arcos você pode utilizar a ferramenta Tangent end arc, ela cria automaticamente uma junção contínua entre dois segmentos de linha. Figura 1 Seção do túnel. Vigas Neste exemplo serão utilizados os perfis metálicos disponíveis no Content Generator ferramenta disponível apenas para clientes com subscription. Vamos utilizar os perfis da norma canadense. W 150x37 W 250x45 W 250x80 W 460x52 W 460x174 W 690x240 3

4 Níveis principais A estação possui quatro níveis principais, plataforma, mezanino, fosso 1, fosso 2, fosso 3 e rua, conforme a figura Figura 2. As duas primeiras são os níveis de dentro do túnel, as demais formam o acesso à estação. Temos que criar seis níveis conforme abaixo: NOME COTA (m) PLATAFORMA 0,0 MEZANINO 4,76 FOSSO 1 10,71 FOSSO 2 16,66 FOSSO 3 22,61 RUA 28,56 Figura 2 Níveis principais As plantas referentes a estes níveis são criadas automaticamente e podem ser acessadas pelo navegador do programa, na esquerda da tela. Observe que a cor do símbolo dos levels é azul. Se acontecer do símbolo ser preto, é porque os níveis foram criados usando a ferramenta copiar. Neste caso, as plantas não são criadas. Estes níveis pretos podem ser entendidos como referências, ou seja, você pode usar ele para ser uma referência de topo de um pilar, ou um patamar de uma escada, mas não há 4

5 necessariamente uma planta deste nível. Para transformar este nível em uma planta use a ferramenta Plan View (View > Plan View > Floor Plan). Uma dica para quem está começando a usar o Revit é criar os níveis sempre alinhados uns com os outros. Você pode fazer isto quando for criar um novo level, aproximando o mouse dos extremos de um nível já existente, até que uma linha azul tracejada apareça. Assim, sempre que você mover a ponta de um dos níveis, os demais que estiverem alinhados com ele se movem junto. Se você precisar desligar o alinhamento de um certo level basta destravar o cadeado que é mostrado na extremidade do nível quando este estiver selecionado. Eixos principais Para começar a modelagem vamos traçar os eixos principais e definir a dimensão longitudinal do túnel. Inicialmente vamos traçar cinco eixos, sendo três longitudinais e dois transversais que delimitam as extremidades do túnel. Conforme a Figura 3. O eixo principal, que está na posição horizontal do desenho, será chamado de x. Crie este eixo com mais de 170 metros, pois o nosso túnel terá aproximadamente esta dimensão. Paralelamente ao eixo x vamos criar mais dois eixos a uma distância de 7,85 metros de x, um acima e outro abaixo. Chamarei estes eixos de EVE.1 e EVD.1. Na direção vertical, são criados mais dois eixos, A e B. O eixo A marca o início do túnel enquanto o eixo B delimita o final. Estes eixos paralelos estão espaçados a uma distância de 175 metros um do outro. Figura 3 - Eixos Planos de referência A nossa estação possui uma inclinação pequena na direção longitudinal. Esta é uma situação bem comum e que, normalmente, costuma dar bastante trabalho para usuários do Revit, pois a uma boa parte destes usuários não utiliza todas as ferramentas disponíveis. 5

6 Sempre que quisermos trabalhar com planos inclinados, que não são necessariamente os caimentos de piso que vêm da arquitetura, podemos usar planos de referência para posicionar os nossos elementos estruturais diretamente neste plano. Para tanto, criamos reference planes e colocamos um nome neles (você pode optar por não associar um nome, mas precisará clicar neste plano sempre que quiser usá-lo como referência, por isso é preferível nomeá-lo). Antes de criar um plano inclinado, vamos primeiro definir o ponto onde o plano inclinado encontra o plano de planta (horizontal). Na nossa estação, o ponto zero está a 107,658 metros à direita do eixo A. Para definirmos este ponto, vamos usar um reference plane vertical posicionado a tal distância do eixo. Figura 4. Figura 4 Planos de referência. Vamos começar a criação do plano inclinado a partir do ponto de encontro entre o plano MEZANINO e o plano vertical que acabamos de criar. Clique nesta interseção e desenhe um plano com inclinação qualquer, tal que forme uma rampa subindo para direita e terminando um pouco depois do plano B. Assim que você termina de criar o plano, uma cota temporária de ângulo é mostrada. Nesta cota, digite o valor da inclinação, que no nosso caso é de 0,17, ou 179,83 dependendo da referência. Agora já estamos com o nosso plano na inclinação desejada. Pode ser preciso reposicionar o ponto de interseção de nossa referência e isto pode ser feito usando a ferramenta mover. Depois disso, crie mais dois planos paralelos a este que acabou de ser feito, sendo eles abaixo e espaçados de 1,162 e 4,760m do plano inicial. 6

7 Figura 5 Eixos inclinados Os planos foram nomeados REF. MEZANINO, PLANO LONGITUDINAL e REF. PLATAFORMA, de cima para baixo. Túnel Agora podemos iniciar a construção do nosso túnel, que é criado a partir de um Sweep colocado no plano de referência PLANO LONGITUDINAL. Vamos definir o plano inclinado com sendo a nossa referência de trabalho. Para tanto, clique na ferramenta Set work plane localizada na guia Home e escolha o PLANO LONGITUDINAL na lista de opções. Na planta MEZANINO, acione a ferramenta sweep e defina o seu caminho (path) ao longo do eixo x. Finalize o path e escolha o perfil que carregamos no início do projeto. Figura 6 Túnel. 7

8 Para fazer o acabamento nas extremidades do túnel, pode-se usar um void em ambos os lados. Assim, teremos as bocas do túnel exatamente na vertical. Este procedimento precisa ser feito antes de finalizar o sweep do túnel. Finalize o túnel. Figura 7 Acabamento nas extremidades do túnel. Lajes Primeiro vamos criar os pisos que ficam dentro do túnel, são eles o mezanino e a plataforma. O piso da planta MEZANINO terá três trechos, dois deles são as extremidades e o terceiro é o vão principal que corre ao longo da maior parte da estação. As duas lajes menores (extremidade) são planas horizontais enquanto que a terceira segue a inclinação definida pelo plano REF. MEZANINO. A Figura 8 mostra a planta MEZANINO, onde estão em vermelho os trechos planos das extremidades. Figura 8 Lajes da planta MEZANINO. Para criação das lajes das extremidades vamos considerar que e estas são retangulares com dimensões 15,7x20,93 metros. As bordas externas menores de cada laje são os eixos A e B, respectivamente. As bordas laterais coincidem com os eixos EVE.1 e EVD.1. A espessura destas lajes é de 218 mm. Ao finalizar estas lajes, devemos movê-las verticalmente até o REF. MEZANINO, e isto pode ser feito em uma vista lateral ou um corte auxiliar, tal que a laje da esquerda desce 257,3 mm e a laje da direta sobe 137,2 mm, conforme a Figura 9 mostra. 8

9 Figura 9 Offset das lajes laterais (laje esquerda e direita). O vão principal do piso mezanino é inclinado e possui aberturas para as escadas rolantes. A declividade deste trecho é de 0,17. Faremos uma laje retangular e depois adicionamos aberturas usando a ferramenta shaft. A largura desta laje é de 13,2 metros e podemos criar uma laje retangular tal que a sua lateral se inicia a 1,25 metros pra dentro das lajes que fizemos anteriormente, conforme mostra a Figura 11. Ants de finalizar a criação da laje, desenhe uma linha de inclinação, slope arrow, da esquerda para direita, e com as propriedades de acordo com a Figura 10. Figura 10 Definição da inclinação na laje do mezanino. 9

10 Figura 11 Laje principal As aberturas para escada rolante são adicionadas segundo as dimensões mostradas na Figura 13, utilizando a ferramenta shaft (Home > Shaft Opening). Os shafts estão alinhados com o eixo longitudinal da laje e a sua distribuição segue a seguinte regra, que se inicia na borda esquerda da laje: 3,62 28,00 28,00 30,60 28,00 metros, como mostrado na Figura 12. Figura 12 Distribuição dos furos na laje mezanino. 10

11 Figura 13 Furo padrão para escada rolante. A planta do nível plataforma é composta por três lajes, sendo uma principal, localizada no centro da estação e que dá acesso aos trens que param dos dois lados, e duas passarelas de emergência localizadas na lateral do túnel, conforme mostra a Figura 14. Figura 14 - Planta da plataforma. A laje principal possui largura igual a 8,4 metros, enquanto as laterais são iguais a 1,3 metros. A face esquerda destas lajes está a 12,18 m à direita do eixo A e o seus comprimentos são iguais a 150 metros. Para estas três lajes serão consideradas as mesmas inclinações utilizadas anteriormente. O vão entre a laje central e as lajes laterais é de 3,35 m. Acesso (Abertura) O acesso a esta estação é feito lateralmente por um acesso que interliga o túnel a um fosso vertical. Vamos agora abrir o acesso lateral na parede do túnel que fizemos anteriormente. Para criar esta abertura precisamos abrir o editor do sweep do túnel, selecionando o objeto e clicando e em Edit Sweep. Dentro do editor criamos um void com a forma da abertura. A forma 11

12 desta seção pode ser circular ou não, depende do projeto. Aqui foi utilizada uma forma nãocircular, semelhante à que foi mostrada no início deste guia. A Figura 15 mostra a parede com a abertura de acesso lateral. Figura 15 Abertura de acesso lateral. Aqui não será mostrada em detalhes a criação desta abertura, cujo procedimento pode ser visto no vídeo desta apresentação. Ainda assim, para modelagem da abertura foi utilizado um void sweep que corta uma das laterais do túnel. Não foi utilizada uma família de perfis prédefinida, igual ao que foi mostrado na criação do túnel, porém este procedimento poderia ter sido feito. Em vez disso, o desenho da seção foi feito manualmente durante a criação do void sweep. Vigas O tabuleiro do mezanino é suspenso por vigas metálicas posicionadas no plano REF. MEZANINO com valor de offset equivalente à espessura da laje, para que esta se acomode no topo das vigas. Antes da criação das vigas foram definidos alguns novos eixos. A disposição destes eixos é mostrada na Figura

13 Figura 16 Eixos auxiliaries. A distribuição das vigas segue o padrão mostrado na Figura 17. O procedimento para criação das vigas é idêntico ao que se faz normalmente. Porém, antes de lançar as vigas, deve-se definir o seu plano de locação (Placement Plane), que fica na barra de opções quando a ferramenta de criação está acionada. Além disso, é importante indicar nas propriedades da viga o nível de referência (Reference Level) que ela fará parte (MEZANINO) e o offset de -218 mm referente à espessura da laje. Assim, as vigas serão posicionadas segundo o plano inclinado e farão parte da planta MEZANINO. Figura 17 Padrão de distribuição das vigas. 13

14 A Figura 18 mostra o piso mezanino com as vigas lançadas. Figura 18 Vigas do mezanino. Fosso e passagem Conforme já foi dito, o acesso a este túnel é feito por um fosso vertical posicionado lateralmente ao túnel. O fosso possui forma cilíndrica e em sua base existe uma laje de grande espessura. A laje é construída com a ferramenta padrão do Revit, Floor, e as paredes foram feitas utilizando a opção extrusão. Para construir a laje precisamos da posição exata do fosso com relação ao túnel. Já temos o acesso à estação, ver Acesso (Abertura), precisamos então alinhar o centro do círculo com o eixo deste acesso. A distância entre o eixo da plataforma e o centro do fosso é de 33,46 m. Conforme mostra a figura abaixo. 14

15 Figura 19 Posicionamento do fosso. O diâmetro externo do nosso fosso é igual a d=35,0 m. A espessura da nossa laje de fundo é igual a h=3,8 m. A espessura da parede lateral do fosso é de e=1,2 m. Com estas informações criamos um novo tipo de laje clicando em Edit Type, duplicando uma das lajes já existente e clicando no botão Structure acessamos a janela de configuração da laje, onde se define a espessura de 3,8 m. Vamos usar apenas uma camada para esta laje seguindo um procedimento de boas práticas onde o material de acabamento é uma nova laje definida pela arquitetura 1. A Figura 21 mostra o fosso concluído (antes, durante e depois do corte). Figura 20 Acabamento do túnel de acesso. 1 Este procedimento é recomendado quando trabalhamos com arquivos link ou quando precisamos ter o projeto da arquitetura compartilhado com o Revit. Neste caso, o projeto arquitetônico foi criado separadamente utilizando o Revit Architecture, porém nenhuma informação referente a este projeto é mencionada aqui nesta classe. 15

16 O túnel de passagem entre o fosso e a estação pode ser feito com a ferramenta Sweep de forma semelhante ao que foi feito com o túnel. Um detalhe muito importante: é preciso criar recortes nos três objetos fosso, passagem e túnel para que estas geometrias se encaixem perfeitamente, para dar o formato do encontro entre os encontros do túnel principal e do fosso com a passagem. Para tanto, é necessário entrar no editor de cada um deles (selecionando o objeto e clicando em Edit Sweep). Dentro do editor, são criados voids idênticos à geometria de corte. Ou seja, dentro do editor do túnel da passagem é criado um void com o formato do túnel principal e outro void com o formato do fosso. Desta maneira, teremos o encaixe perfeito. A Figura 20 mostra o túnel de passagem após o corte com os voids. Figura 21 Fosso e laje de fundo. Estrutura do fosso A estrutura do fosso é criada pelo processo convencional com vigas, lajes e pilares. A espessura da laje é igual a 21,8 cm. São definidas cinco lajes, uma em cada level, exceto no piso PLATAFORMA, onde existe a laje de fundo. A passagem que liga o fosso ao túnel é feita no piso MEZANINO, portanto é preciso criar um piso de acesso neste trecho (Figura 24). A Figura 22 mostra a estrutura concluída. 16

17 Figura 22 Estrura interna do fosso. As principais dimensões da laje são mostradas na Figura 23. Figura 23 Laje do fosso vertical. Os pilares deste trecho estão posicionados segundo a figura abaixo. Observe que os pilares seguem o alinhamento do furo central. 17

18 Figura 24 Planta do fosso. As vigas destes pisos são lançadas de forma convencional. Não é necessária a criação de planos inclinados, portanto não teremos problemas em criá-las. A figura abaixo mostra um esquema das vigas principais do fosso. Figura 25 Vigas do piso do fosso. 18

19 Considerações finais Espera-se que este trabalho tenha mostrado que é possível desenvolver projetos de obras subterrâneas com a plataforma Revit, beneficiando-se com o BIM. Vale ressaltar que aqui foi mostrada apenas a parte do projeto de estruturas, porém sem entrar em detalhes da integração do modelo com o software de análise Robot Structural Analysis. Por causa disso, não foi mencionado nada a respeito dos modelos analíticos. Os projetos de arquitetura e instalações fazem parte do processo de projeto e os três são feitos de forma integrada e compartilhada (link). Entretanto, não faz parte do escopo destra apresentação. Abaixo são apresentados alguns projetos de estações de metrô desenvolvidos pela empresa Figueiredo Ferraz a partir desta metodologia. Todas as imagens foram cedidas pela empresa. Figura 26 Estações de metro em Revit. (Créditos: Figueiredo Ferraz). 19

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Projetos

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Projetos Sistema topograph 98 Tutorial Módulo Projetos Como abrir um projeto existente _ 1. Na área de trabalho do Windows, procure o ícone do topograph e dê um duplo clique sobre ele para carregar o programa.

Leia mais

Tutorial Baseado em video do Sr. Rafael Streda.

Tutorial Baseado em video do Sr. Rafael Streda. Tutorial Baseado em video do Sr. Rafael Streda. Tipos de Conexões Veremos nestes exemplos os Tipos de Conexões entre obejtos existentes no Active3D, o objetivo é mostrar de uma forma bem prática a aplicação

Leia mais

1- Tela inicial do AUTOCAD 2013

1- Tela inicial do AUTOCAD 2013 1- Tela inicial do AUTOCAD 2013 2- Clique em NOVO 3- Para mudar a cor do fundo digite OP (de options): Se quiser veja o vídeo ilustrativo desse procedimento: http://www.youtube.com/watch?v=g7kig_yhpx4

Leia mais

UM CORTE COMPLETO >PARA QUALQUER VERSÃO PLENA DO DATACAD<

UM CORTE COMPLETO >PARA QUALQUER VERSÃO PLENA DO DATACAD< www.datacad.com.br Aula Extra 4 UM CORTE COMPLETO >PARA QUALQUER VERSÃO PLENA DO DATACAD< Obs.: Esta aula requer o uso de uma versão plena do DataCAD, por que prevê o uso do comando de Máscaras. Caso você

Leia mais

Criação de Peças Hidráulicas para o Revit MEP

Criação de Peças Hidráulicas para o Revit MEP Paulo Henrique Giungi Galvão Coordenador de Implementação de Revit/BIM Tecgraf Campinas / Santos / Goiás / Ribeirão Preto Esse curso foi projetado para oferecer soluções profissionais de forma rápida,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AUTOCAD

INTRODUÇÃO AO AUTOCAD INTRODUÇÃO AO AUTOCAD O AUTOCAD é um software que se desenvolveu ao longo dos últimos 30 anos. No início o programa rodava no sistema D.O.S., o que dificultava um pouco seu uso. Com o surgimento do sistema

Leia mais

Experiência do uso de REVIT em Projeto de Estrutura

Experiência do uso de REVIT em Projeto de Estrutura REVIT em Projeto de Estrutura Angelo Ricardo Rech REFE engenharia Descrição do processo de implantação e treinamento no uso do Revit Structure, e relato das vantagens alcançadas no uso diário profissional.

Leia mais

Planejamento 4D com Navisworks a partir de um modelo criado no Revit

Planejamento 4D com Navisworks a partir de um modelo criado no Revit Planejamento 4D com Navisworks a partir de um modelo criado no Revit Palestrante - Arq. Claudia Campos Lima Frazillio&Ferroni Co-apresentador Eng. Marco Brasiel Frazillio&Ferroni Esta aula começa com a

Leia mais

Cronograma das Aulas do Curso Revit Structure (260h):

Cronograma das Aulas do Curso Revit Structure (260h): Para adquirir esse Combo agora e garantir seus estudos, acesse o site abaixo: http://www.escoladesoftware.com.br/combo-cursos-revitarquitetura-revit-structure-robot Cronograma das Aulas do Curso Revit

Leia mais

ÍNDICE Parte I Instalação do Software Tela Laje IBTS v. 5.0 Parte II Registro para Utilização do Software Tela Laje IBTS v 5.0

ÍNDICE Parte I Instalação do Software Tela Laje IBTS v. 5.0 Parte II Registro para Utilização do Software Tela Laje IBTS v 5.0 ÍNDICE Parte I Instalação do Software Tela Laje IBTS v. 5.0... 4 1 Configurações mínimas para o funcionamento do software... 4 2 Instalar o software... 5 3 Desinstalar o software... 5 Parte II Registro

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE. Tutorial SweetHome3D

Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE. Tutorial SweetHome3D Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE Tutorial SweetHome3D Trabalho apresentado ao Prof. Carlo na Disciplina de Software Livre no curso Pós Graduação em Tecnologia da Informação Aplicada a

Leia mais

Viabilizando a utilização do Autodesk Revit Structure com outras soluções de cálculo

Viabilizando a utilização do Autodesk Revit Structure com outras soluções de cálculo Viabilizando a utilização do Autodesk Revit Structure com outras soluções de cálculo Palestrante: Rafael Ramalho ConstruBIM Co-Palestrante: Manuel Casanova Estra Engenharia A utilização da tecnologia BIM

Leia mais

Autodesk Inventor 7. Tutorial de Modelamento 3D Básico. Modelamento de uma Polia. Autor: Cristiano Nogueira Silva

Autodesk Inventor 7. Tutorial de Modelamento 3D Básico. Modelamento de uma Polia. Autor: Cristiano Nogueira Silva Autodesk Inventor 7 Tutorial de Modelamento 3D Básico Modelamento de uma Polia Autor: Cristiano Nogueira Silva Reprodução e divulgação totalmente permitidas pelo autor. Apenas pedimos que sejam mantidas

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

UMC Inventor 8 Procedimento para criação de um modelo de peça paramétrica simples projeto Projeto.

UMC Inventor 8 Procedimento para criação de um modelo de peça paramétrica simples projeto Projeto. UMC - Tecnologia de Automação Industrial Desenho 3 Prof.: Jorge Luis Bazan. Modulo 2 Inventor 8 Procedimento para criação de um modelo de peça paramétrica simples a) Defina um novo projeto para conter

Leia mais

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010.

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010. 1 Publisher 2010 O Publisher 2010 é uma versão atualizada para o desenvolvimento e manipulação de publicações. Juntamente com ele você irá criar desde cartões de convite, de mensagens, cartazes e calendários.

Leia mais

Treinamento IDCad 2015

Treinamento IDCad 2015 Treinamento IDCad 2015 Carregar IDCad Instalando e configurando o IDCad 2015 (Ver guia de Instalação). Abrindo o IDCad 2015. Criando parede inicial. Desenhar paredes comandos (PARE, PARD, PARC). Executar

Leia mais

INTEGRAÇÃO TECNOLÓGICA

INTEGRAÇÃO TECNOLÓGICA INTEGRAÇÃO TECNOLÓGICA Prof. Li Chong Lee Bacelar de Castro Brasília (DF), 02 de março de 2012 CONHECENDO A FERRAMENTA CONHECENDO A FERRAMENTA OBJECT INSPECTOR: Usando o inspetor se tem rápido acesso aos

Leia mais

Curso de Treinamento no Solid Edge

Curso de Treinamento no Solid Edge Curso de Treinamento no Solid Edge Versão 17.0 Módulo 5 - Construindo Features Especiais - I Editores: Prof. Dr.-Ing. Klaus Schützer Marcelo Soares da Silva Laboratório de Sistemas Computacionais Faculdade

Leia mais

PLANTA BAIXA AULA 09. O que é um Projeto Arquitetônico?

PLANTA BAIXA AULA 09. O que é um Projeto Arquitetônico? PLANTA BAIXA AULA 09 Projetos de Arquitetura: Conceitos e Representações 1 O que é um Projeto Arquitetônico? conjunto de passos normativos, voltados para o planejamento formal de um edifício qualquer,

Leia mais

Tutorial Blender. por Luis Carlos Retondaro (yudeen) yudeen@gmail.com http://www.retondaro.pro.br

Tutorial Blender. por Luis Carlos Retondaro (yudeen) yudeen@gmail.com http://www.retondaro.pro.br Tutorial Blender por Luis Carlos Retondaro (yudeen) yudeen@gmail.com http://www.retondaro.pro.br Modelagem de cabeça estilo cartoon para animação (box modelling) Este tutorial foi adaptado de um vídeo

Leia mais

NAPNE / RENAPI. Google SketchUp 8

NAPNE / RENAPI. Google SketchUp 8 NAPNE / RENAPI Google SketchUp 8 Agosto de 2011 Sumário 1 Introdução... 4 2 Requisitos básicos... 4 3 Itens... 4 3.1 Assista os tutoriais em vídeo... 5 3.2 Leia dicas e truques... 6 3.3 Visite a Central

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de OCR com separação de código de correção no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se na

Leia mais

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D 3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D Com finalidade de avaliar alguns aspectos da metodologia BIM e algumas das ferramentas computacionais envolvidas, buscou-se um projeto de engenharia

Leia mais

Prof. Vinícius C. Patrizzi ESTRADAS E AEROPORTOS

Prof. Vinícius C. Patrizzi ESTRADAS E AEROPORTOS Prof. Vinícius C. Patrizzi ESTRADAS E AEROPORTOS Elementos geométricos de uma estrada (Fonte: PONTES FILHO, 1998) GEOMETRIA DE VIAS 1. INTRODUÇÃO: A geometria de uma estrada é definida pelo traçado do

Leia mais

Publisher. Publisher. versão 2012.2

Publisher. Publisher. versão 2012.2 versão 2012.2 Publisher Publisher Para diagramar, vamos utilizar o Publisher, do pacote de programas Microsoft Office. As instruções valem para as versões 2003, 2007 e 2010 do pacote. Vamos aprender através

Leia mais

DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA AULA 01 PROF ALINE FERNANDES

DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA AULA 01 PROF ALINE FERNANDES DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PROJETO ARQUITETÔNICO SÍMBOLOS GRÁFICOS PASSOS PARA MONTAGEM DE PLANTA BAIXA: 1. Deve-se estimar o tamanho

Leia mais

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Página 1 de 9 Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Capitulos 01 - Requisitos 02 - Etaqpas 03 - Traçado 04 - Trafego e Clssificação 05 - Geometria 06 - Caracteristicas Técnicas 07 - Distancia

Leia mais

1 Fluxo de trabalho de desenho de quadros estruturais

1 Fluxo de trabalho de desenho de quadros estruturais Lição 1 Fluxo de trabalho de desenho de quadros estruturais Visão geral do fluxo de trabalho de desenho de quadro estrutural Você pode criar segmentos de caminho e quadros estruturais usando o aplicativo

Leia mais

Introdução ao SolidWorks (I): Funcionalidades Básicas. João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca

Introdução ao SolidWorks (I): Funcionalidades Básicas. João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Introdução ao SolidWorks (I): Funcionalidades Básicas João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Bibliografia n SolidWorks 2014 Teacher Guide SolidWorks n SolidWorks 2014 Student Workbook SolidWorks

Leia mais

Manual PAINT.NET de imagens

Manual PAINT.NET de imagens Manual PAINT.NET de imagens 1. Instalação 1.1 - Para instalar o programa paint.net, o primeiro passo é baixá-lo do endereço a seguir e salvá-lo em seu computador. http://ww2.prefeitura.sp.gov.br/paint_net/paint.net.3.36.exe

Leia mais

Publisher. Publisher. versão 2012.2

Publisher. Publisher. versão 2012.2 versão 2012.2 Publisher Publisher Para diagramar, vamos utilizar o Publisher, do pacote de programas Microsoft Office. As instruções valem para as versões 2003, 2007 e 2010 do pacote. Vamos aprender através

Leia mais

Visibilidade, Criação e Aplicação de Modelos de Vistas, Organização do Browser

Visibilidade, Criação e Aplicação de Modelos de Vistas, Organização do Browser Visibilidade, Criação e Aplicação de Modelos de Vistas, Organização do Browser Miriam Castanho Contier Arquitetura Esta palestra lhe mostrará: Como controlar a expressão gráfica do REVIT a partir do controle

Leia mais

APOSTILA 3D (notas de aula)

APOSTILA 3D (notas de aula) PROJETO E COMPUTAÇÃO GRÁFICA APOSTILA 3D (notas de aula) Prof a. Renata Maria A. Baracho Porto Prof. Marcelo Franco Porto Abril 2010 1 Professores Prof a Renata Maria A. Baracho Porto Prof. Marcelo Franco

Leia mais

3 Medidas, Proporções e Cortes

3 Medidas, Proporções e Cortes 3 Medidas, Proporções e Cortes 3.1 Garagens A Figura 3.1 apresenta algumas dimensões que podem ser usadas para projetos de garagens. Em geral, para projetos residenciais, podem-se usar as dimensões de

Leia mais

Montar planilhas de uma forma organizada e clara.

Montar planilhas de uma forma organizada e clara. 1 Treinamento do Office 2007 EXCEL Objetivos Após concluir este curso você poderá: Montar planilhas de uma forma organizada e clara. Layout da planilha Inserir gráficos Realizar operações matemáticas 2

Leia mais

Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM

Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM 6.1. INTRODUÇÃO A geometria de uma estrada é definida pelo traçado do seu eixo em planta e pelos perfis longitudinal e transversal. A Fig. 6.1 apresentada

Leia mais

KISSsoft 03/2014 Tutorial 6

KISSsoft 03/2014 Tutorial 6 KISSsoft 03/2014 Tutorial 6 Editor de Eixos-Árvore KISSsoft AG Rosengartenstrasse 4 8608 Bubikon Suiça Telefone: +41 55 254 20 50 Fax: +41 55 254 20 51 info@kisssoft.ag www.kisssoft.ag Índice 1 Começando

Leia mais

Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta aulas práticas sobre RETAS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.1d. 2006 RETAS CAD

Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta aulas práticas sobre RETAS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.1d. 2006 RETAS CAD 1 1. INTRODUÇÃO. RETAS CAD Iniciaremos o estudo das retas construindo no CAD alguns exercícios já construídos na aula teórica utilizando a régua e o compasso. Entretanto, o nosso compasso aqui será o comando

Leia mais

Guia de Referência Complementar ao manual do ARCHUS

Guia de Referência Complementar ao manual do ARCHUS D+ Design Plus Guia de Referência Complementar ao manual do ARCHUS - software para desenvolvimento de projetos versão D+ - Design Plus Guia de Referência Desenvolvido por: www.dynamiccad.com.br Todos os

Leia mais

DESENHO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS II UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

DESENHO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS II UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE DESENHO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS II DESENHO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS II Informações sobre este material didático: Edição: 1ª Edição Data da versão: 30/12/2006 Autor(es): Bruno Campos Pedroza, DSc Professor

Leia mais

Microsoft PowerPoint

Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint é utilizado para desenvolver apresentações. Os trabalhos desenvolvidos com este aplicativo normalmente são apresentados com o auxílio de um datashow. Apresentações

Leia mais

Integração das soluções Autodesk no processo BIM

Integração das soluções Autodesk no processo BIM Rafael Giovannini Maccheronio Best Software A partir deste ano (FY12), a Autodesk passa a disponibilizar a seus clientes pacotes de software(suites) compostas por diversos software. Essa sessão tem por

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA CEG212- TÉCNICAS DE REPRESENTAÇÃO DIGITAL 3D

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA CEG212- TÉCNICAS DE REPRESENTAÇÃO DIGITAL 3D UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA CEG212- TÉCNICAS DE REPRESENTAÇÃO DIGITAL 3D Prof a. Luzia Vidal de Souza Prof. Márcio Henrique de Sousa Carboni 2015 SUMÁRIO 1. BIM...

Leia mais

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ 1 1. Introdução Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ O ImageJ é um software livre (freeware) que pode ser obtido gratuitamente no site http://rsb.info.nih.gov/ij/. Esse software é

Leia mais

Para alterar o texto diretamente na página selecione a ferramenta Texto e clique sobre o bloco de texto parágrafo ou artístico.

Para alterar o texto diretamente na página selecione a ferramenta Texto e clique sobre o bloco de texto parágrafo ou artístico. Quando precisarmos utilizar trechos de texto mais longos, como frases inteiras e parágrafos, utilizaremos o recurso Texto Parágrafo. Para iniciarmos um texto parágrafo selecionamos a ferramenta Texto e

Leia mais

DESENVOLVENDO A FACHADA

DESENVOLVENDO A FACHADA www.datacad.com.br Aula Extra 3 DESENVOLVENDO A FACHADA DESENVOLVENDO A FACHADA DOS PAVIMENTOS A PARTIR DA PLANTA BAIXA: Para isso, utilizaremos como referência as plantas baixas de cada pavimento. Com

Leia mais

Curso Autodesk Inventor CADesign Parte 1

Curso Autodesk Inventor CADesign Parte 1 Autodesk Inventor 5 - Tutorial de Modelamento 3D Pág. 1/24 Curso Autodesk Inventor CADesign Parte 1 Cristiano Nogueira Silva* Começamos nesta edição da revista apresentando um curso de Autodesk Inventor

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP Curso: Arquitetura e Urbanismo Assunto: Cálculo de Pilares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 4 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP

Leia mais

Autodesk Civil 3D. Adaptado para o Brasil

Autodesk Civil 3D. Adaptado para o Brasil Autodesk Civil 3D Adaptado para o Brasil Abordamos a parte de labels do Civil3D onde criei uma sequência de comandos que no final resultaram na formatação típica brasileira para identificar estes componentes

Leia mais

Tutorial do programa

Tutorial do programa 1 Tutorial do programa I. Guia Rápido 1. Clique no produto. 2. Clique na pasta de imagens. 3. Clique em preenchimento auto. 4. Verificar pedido. 5. Finalizar pedido. 6. Fazer pagamento / Entrega. 7. Fazer

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS - PRORH COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE CONCURSO PÚBLICO PARA CARGO DE SERVIDOR

PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS - PRORH COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE CONCURSO PÚBLICO PARA CARGO DE SERVIDOR Questão 1: O desenho possibilita a representação dos objetos. Por meio dos desenhos temos a construção de ideias. No caso da arquitetura, o desenho consiste: a) na representação exata da planta alta e

Leia mais

Comportamento das janelas. Mike McBride Jost Schenck Tradução: Marcus Gama

Comportamento das janelas. Mike McBride Jost Schenck Tradução: Marcus Gama Mike McBride Jost Schenck Tradução: Marcus Gama 2 Conteúdo 1 Comportamento das janelas 4 1.1 Foco.............................................. 4 1.1.1 Política de Foco...................................

Leia mais

Tutorial Básico Autodesk Revit Architecture 2011 Primeiros Passos no Revit

Tutorial Básico Autodesk Revit Architecture 2011 Primeiros Passos no Revit Tutorial Básico Autodesk Revit Architecture 2011 Primeiros Passos no Revit Tutorial ensinando os princípios básicos para a elaboração de um projeto arquitetônico para documentação e publicação. Daniel

Leia mais

Desenho e Projeto de tubulação Industrial

Desenho e Projeto de tubulação Industrial Desenho e Projeto de tubulação Industrial Módulo I Aula 08 1. PROJEÇÃO ORTOGONAL Projeção ortogonal é a maneira que o profissional recebe o desenho em industrias, 1 onde irá reproduzi-lo em sua totalidade,

Leia mais

Desenho bidimensional

Desenho bidimensional Desenho bidimensional As empresas tem migrado do desenho 2D para o 3D pelos seguintes motivos: Diminuição do ciclo de desenvolvimento do produto; Fornecimento de informações atualizadas; Evitar ou diminuir

Leia mais

Iniciar um Projeto ProjetoPreliminar

Iniciar um Projeto ProjetoPreliminar REVIT 2013 PT GUIA DO USUÁRIO Iniciar um Projeto ProjetoPreliminar Organizado por Manuel Lemos a partir do guia originalda Autodeskespecialmente para os cursos gratuitos do blog www.plataformabim.com.br

Leia mais

Bem vindo ao ajuda do software QUICKFISH para criação de sites.

Bem vindo ao ajuda do software QUICKFISH para criação de sites. Bem vindo ao ajuda do software QUICKFISH para criação de sites. SUMÁRIO 1 Exemplo de site criado no software QUICKFISH...02 2 Salvando Seu Site...03 3 Publicando Seu Site...03 4 Visão inicial do Software

Leia mais

Neste texto, faremos o lançamento de armadura de flexão positiva inclinada, armadura de costela e estribo variável, em uma viga.

Neste texto, faremos o lançamento de armadura de flexão positiva inclinada, armadura de costela e estribo variável, em uma viga. Tratamento de ferros inteligente Vigas Neste texto, faremos o lançamento de armadura de flexão positiva inclinada, armadura de costela e estribo variável, em uma viga. Para qualquer detalhamento, a edição

Leia mais

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I Circulações Verticais São meios não mecânicos e mecânicos que permitem a ligação entre planos de níveis

Leia mais

Introdução ao SolidWorks (VI): Elementos de Rotação e de Sweep. João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca

Introdução ao SolidWorks (VI): Elementos de Rotação e de Sweep. João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Introdução ao SolidWorks (VI): Elementos de Rotação e de Sweep João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Elemento de Revolução n n n Um elemento de revolução, é criado por rotação de um perfil

Leia mais

Usando a interface do Revit

Usando a interface do Revit Prof Reginaldo Santos Conceitos essenciais do Revit Os tópicos a seguir fornecem as informações necessárias para iniciar um projeto no Revit Architecture. Usando a interface do Revit O Revit Architecture

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS. Curso de Matemática

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS. Curso de Matemática Introdução ao GeoGebra software livre 0 CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS Curso de Matemática Primeiros Passos Com o Software Livre GeoGebra Março de 2010 Prof. Ilydio Pereira de Sá Introdução ao

Leia mais

DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES

DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES Na representação dos projetos de edificações são utilizados os seguintes desenhos: _ Planta de situação _ Planta de localização

Leia mais

A base do BIM para engenharia estrutural. Autodesk Revit. Structure 2010

A base do BIM para engenharia estrutural. Autodesk Revit. Structure 2010 A base do BIM para engenharia estrutural. Autodesk Revit Structure 2010 Melhore a Eficácia, a Precisão e a Coordenação O software Autodesk Revit Structure oferece modelagem simultânea para projeto estrutural,

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO DE UTILIZAÇÃO DO DENTALSLICE

GUIA SIMPLIFICADO DE UTILIZAÇÃO DO DENTALSLICE GUIA SIMPLIFICADO DE UTILIZAÇÃO DO DENTALSLICE O ambiente virtual de planejamento DentalSlice (Bioparts) possibilita simulações realistas de planos de tratamento, levando em consideração tanto a quantidade

Leia mais

UNESP Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Farmacêuticas

UNESP Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Farmacêuticas CURSO DE EXCEL - 1 - ÍNDICE PLANILHAS, COLUNAS, LINHAS E CÉLULAS....3 PLANILHAS...3 COLUNAS...3 LINHAS...4 PREENCHIMENTO AUTOMÁTICO...5 REFERÊNCIAS RELATIVAS...6 REFERÊNCIAS ABSOLUTAS...7 FORMATAÇÃO DE

Leia mais

ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES. O Projeto de passarela para pedestres será desenvolvido em duas fases:

ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES. O Projeto de passarela para pedestres será desenvolvido em duas fases: ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto de Passarela para Pedestres em Projetos de Engenharia Ferroviária. 2. FASES DO PROJETO O

Leia mais

Curso de Navegadores e Internet

Curso de Navegadores e Internet Universidade Estadual do Oeste do Paraná Pró Reitoria de Extensão Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Licenciatura em Matemática Colegiado da Ciência da Computação Projeto de Extensão:

Leia mais

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados.

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Windows Menu Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Minimizar Fechar Maximizar/restaurar Uma janela é composta de vários elementos

Leia mais

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT O PowerPoint é uma poderosa ferramenta que faz parte do pacote Office da Microsoft. O principal uso desse programa é a criação de apresentação de slides, para mostrar

Leia mais

SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT

SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT Esse tutorial traz passo a passo instruções para criação de um desenho no ambiente Draft. Na criação dos desenhos você aprenderá as técnicas

Leia mais

Dialux evo Cálculo de Iluminação artificial para ambientes

Dialux evo Cálculo de Iluminação artificial para ambientes Dialux evo Cálculo de Iluminação artificial para ambientes Esse guia de prático de acompanhamento e consulta visa balizar as aulas apresentadas através das vídeo aulas. É fundamental que você assista em

Leia mais

GEOMAX SÉRIE ZOOM APLICATIVO LINHA DE REFERÊNCIA. 1- Exemplo de locação usando o aplicativo Linha de referência:

GEOMAX SÉRIE ZOOM APLICATIVO LINHA DE REFERÊNCIA. 1- Exemplo de locação usando o aplicativo Linha de referência: GEOMAX SÉRIE ZOOM APLICATIVO LINHA DE REFERÊNCIA Introdução. O Objetivo deste guia é ensinar como utilizar o programa Linha de refeência das estações Totais Geomax série ZOOM 20 e 30, sem qualquer menção

Leia mais

Estalo Desenvolvimento e Tecnologia Rua Ismael Carlos Correia, 107 CEP 89221-520 - Joinville - SC estalo@estalo.com.br

Estalo Desenvolvimento e Tecnologia Rua Ismael Carlos Correia, 107 CEP 89221-520 - Joinville - SC estalo@estalo.com.br Estalo Thermal Design Conteúdo Apresentação...4 1.1 O QUE É O ESTALO THERMAL DESIGN?...4 1.2 ONDE ELE SE APLICA?...4 1.3 COMO SE REALIZA A ENTRADA DE DADOS?...4 Ajuda para utilização do programa...5 2.1

Leia mais

Domus Profissional: programa para criação de móveis e ambientes sob medida. Apresenta uma foto realista dos móveis inseridos no ambiente.

Domus Profissional: programa para criação de móveis e ambientes sob medida. Apresenta uma foto realista dos móveis inseridos no ambiente. Os programas Domus são divididos em 4 aplicativos para atender às diferentes necessidades das pequenas e médias fábricas de móveis, ou de profissionais que se dedicam somente ao desenvolvimento de projetos

Leia mais

Tags de Portas e Janelas Para o Padrão Brasileiro

Tags de Portas e Janelas Para o Padrão Brasileiro Fabrício Ferreira Arquiteto Urbanista Ajustar os TAGs de portas e janelas que o Revit já possui aos padrões brasileiros. Criaremos dois tipos de TAGs, um com indicação do tipo de porta e janela (ex.: P01,

Leia mais

Bem-vindo! Prazer em conhecê-lo.

Bem-vindo! Prazer em conhecê-lo. Bem-vindo! Prazer em conhecê-lo. A nova ferramenta para a confecção de livros do Blurb, o BookWright, foi projetado para ser o mais intuitivo possível, mas duas cabeças não pensam da mesma forma. E todos

Leia mais

Apostila de CorelDRAW

Apostila de CorelDRAW APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA 3 ABRINDO O CORELDRAW 3 OS PRIMEIROS PASSOS. 4 PREPARANDO A ÁREA DE TRABALHO 4 CAIXA E ESTRELA COMBINADA. 5 SALVANDO E IMPRIMINDO ARQUIVOS DO CORELDRAW 8 EDITANDO A FIGURA 8 CONVERTENDO

Leia mais

AutoCAD Mechanical Acelerando seus projetos 2D José Luiz Gallego de Mello Jr

AutoCAD Mechanical Acelerando seus projetos 2D José Luiz Gallego de Mello Jr José Luiz Gallego de Mello Jr MA4529 - Essa classe tem o propósito de mostrar as principais funcionalidades da solução AutoCAD Mechanical, que permitem reduzir drasticamente o tempo de criação de desenhos

Leia mais

Manual WebAdmin News

Manual WebAdmin News Manual WebAdmin News 20/12/2008 Login: Com a integração das páginas de notícias ao site atual da empresa, você consegue publicar notícias e artigos com a cara da sua empresa, sem precisar conhecer os detalhes

Leia mais

ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO

ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto Geométrico dos Projetos de Engenharia Ferroviária, Projeto Básico e Projeto Executivo. 2. FASES DO PROJETO

Leia mais

Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan

Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan Tutorial 6 Solid Works No SolidWorks peça para abrir uma nova montagem. Peça para cancelar o início da montagem. Clique na seta abaixo do ícone Inserir componentes

Leia mais

Universidade Federal do Mato Grosso - STI-CAE. Índice

Universidade Federal do Mato Grosso - STI-CAE. Índice CAPA Universidade Federal do Mato Grosso - STI-CAE Índice 1. Página da área administrativa... 1.1 Botões e campo iniciais... 2. Explicar como funcionam as seções... 2.1. Seções dinâmicos... 2.1.1 Como

Leia mais

CT 3.1. PRODIM STAIRS Prodim Escadas / Manual versão 1.0

CT 3.1. PRODIM STAIRS Prodim Escadas / Manual versão 1.0 CT 3.1 PRODIM STAIRS Prodim Escadas / Manual versão 1.0 Informações Gerais Index 1 Prodim Escadas 1.1 A solução para escadas 3 3 2 Protocolo de medição de escadas 2.1 Começando 2.2 Configurando 2.3 Começando

Leia mais

Introdução ao GeoGebra

Introdução ao GeoGebra Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Introdução ao GeoGebra Prof. Dr. José Carlos de Souza Junior AGOSTO 2010 Sumário 1 Primeiros Passos com o GeoGebra 4 1.1 Conhecendo o Programa............................

Leia mais

Seleção Retangular Esta é uma das ferramentas mais usadas. A seleção será indicada pelas linhas tracejadas que fazem a figura de um retângulo.

Seleção Retangular Esta é uma das ferramentas mais usadas. A seleção será indicada pelas linhas tracejadas que fazem a figura de um retângulo. O que é o Gimp? O GIMP é um editor de imagens e fotografias. Seus usos incluem criar gráficos e logotipos, redimensionar fotos, alterar cores, combinar imagens utilizando o paradigma de camadas, remover

Leia mais

Energia conservada em uma mola. Introdução. Materiais Necessários

Energia conservada em uma mola. Introdução. Materiais Necessários Intro 01 Introdução A energia é algo intangível e, portanto, as medidas de energia envolvem, necessariamente, processos de medidas indiretas. Em outras palavras, para medir energia, medimos outras grandezas

Leia mais

CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS

CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS Este tutorial tem como objetivo instruir passo à passo como criar templates de peças, utilizar os novos recursos de cadastro de propriedade de peças e criação de legenda. 1-

Leia mais

Microsoft Power Point

Microsoft Power Point Microsoft Power Point 1- Introdução... 2 2- Criar uma apresentação... 3 3- Criar uma apresentação com base no modelo de design... 3 4- Cor do fundo da apresentação... 4 5- Ferramentas de Desenho... 6 6-

Leia mais

CALDsoft7 - Software de planificação em caldeiraria

CALDsoft7 - Software de planificação em caldeiraria CALDsoft7 - Software de planificação em caldeiraria Calculando uma peça com o CALDsoft7 É muito simples calcular uma peça com o CALDsoft7, basta seguir os passos apresentados abaixo: - Escolher a peça

Leia mais

Modelagem de informações de. construçãocapítulo1: Capítulo. Objetivo do capítulo

Modelagem de informações de. construçãocapítulo1: Capítulo. Objetivo do capítulo construçãocapítulo1: Capítulo 1 Modelagem de informações de A modelagem de informações de construção (BIM) é um fluxo de trabalho integrado baseado em informações coordenadas e confiáveis sobre um empreendimento,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE Estúdio de Arquitetura: Sustentabilidade Steel Framing Aluna: Gabriela Carvalho Ávila Maio de 2014 ÍNDICE 1 Introdução... 4 2 Sistema Ligth Steel Framing... 5 2.1

Leia mais

Ensinando Colaboração aos Estudantes

Ensinando Colaboração aos Estudantes Arq. Fernando Lima Autodesk Education ED4900_V Essa aula vai demonstrar o processo básico de colaboração usando o Autodesk Revit 2013, depois de preparar o projeto básico de arquitetura vamos simular um

Leia mais

Revit Architecture. Guia de Introdução do Revit Architecture

Revit Architecture. Guia de Introdução do Revit Architecture Revit Architecture Guia de Introdução do Revit Architecture Junho de 2008 2008 Autodesk, Inc. Todos os direitos reservados. Exceto quando especificamente permitido pela Autodesk, Inc., esta publicação,

Leia mais

Prática 3 Microsoft Word

Prática 3 Microsoft Word Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado da Paraíba, Campus Sousa Disciplina: Informática Básica Prática 3 Microsoft Word Assunto: Tópicos abordados: Prática Utilização dos recursos

Leia mais

www.educandusweb.com.br

www.educandusweb.com.br Sistema Terra-Lua-Sol Índice 1. Introdução... 3 2. Simulador... 3 2.1 Painel Principal... 3 O que ocorreu com dimensões e distâncias dos corpos estudados?... 5 2.2 Visualização - Wireframe/Texturizada...

Leia mais

Conhecendo o Word... 2 Configurar área de trabalho... 3 Abrir um arquivo já gravado:... 5 Salvar (guardar) o seu trabalho:... 6

Conhecendo o Word... 2 Configurar área de trabalho... 3 Abrir um arquivo já gravado:... 5 Salvar (guardar) o seu trabalho:... 6 Microsoft Word 1- Conhecendo o Word... 2 2- Configurar área de trabalho... 3 3- Abrir um arquivo já gravado:... 5 4- Salvar (guardar) o seu trabalho:... 6 5- Formatar a fonte:... 7 6- Desfazendo / repetindo

Leia mais

PACOTE TOPOGRAFIA. Cálculos

PACOTE TOPOGRAFIA. Cálculos PACOTE TOPOGRAFIA Cálculos Este aplicativo é responsável pelos cálculos de topografia e UTM do Sistema topograph. As cadernetas de levantamento de campo podem ser introduzidas a partir de dados levantados

Leia mais

PASSO A PASSO MOVIE MAKER

PASSO A PASSO MOVIE MAKER PASSO A PASSO MOVIE MAKER Nesta etapa, você deverá apresentar o programa e ajudá-los a montarem o filme. Veja como é fácil. Siga as instruções do passo-a-passo: DICA O que é o Movie Maker? Com o Microsoft

Leia mais