Um mar de oportunidades

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Um mar de oportunidades"

Transcrição

1 ESCOLA SUPERIOR NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MARÍTIMA Guia do Estudante de Licenciatura em Engenharia de Máquinas Marítimas (Diurno / Noturno) Ano letivo 2013/2014 Um mar de oportunidades

2 A Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A Escola Superior Náutica Infante D. Henrique (ENIDH), é uma instituição de ensino superior politécnico público, situado em Paço de Arcos, que tem por missão formar oficiais para a Marinha Mercante e quadros superiores para os sectores marítimo e portuário. A ENIDH é uma instituição dotada de autonomia estatutária, pedagógica, científica, cultural, administrativa, financeira, patrimonial e disciplinar. A Escola é constituída por um complexo de estudos náuticos com cerca de 8000 m2 de área, laboratórios, simuladores e biblioteca. Possui ainda refeitório, pavilhão polidesportivo, piscina coberta e tanque de remo. A envolvente e as características únicas da Escola proporcionam um ambiente favorável aos estudos, à prática desportiva e à realização de actividades náuticas. Os alunos deslocados e/ou carenciados têm a possibilidade de ficar alojados no Edifício Social implantado no campus da Escola. 1

3 O Departamento de Engenharia Marítima O Departamento de Engenharia Marítima (DEM), foi constituído em Outubro de 2008, na sequência da publicação dos Estatutos da ENIDH (despacho normativo nº 40/2008, de 18 de Agosto) que adequou os anteriores estatutos ao Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES). O DEM é a unidade orgânica responsável pela gestão dos cursos de mestrado, licenciatura e de especialização tecnológica na área de engenharia da ENIDH. O departamento tem atualmente à sua responsabilidade, as seguintes ofertas formativas: As Licenciaturas em: Engenharia de Máquinas Marítimas (regime diurno) Engenharia de Máquinas Marítimas (regime noturno) Engenharia de Sistemas Electrónicos Marítimos (regime diurno) Os Mestrados em: Engenharia de Máquinas Marítimas Sistemas Eletrónicos Marítimos Os Cursos de Especialização Tecnológica (CET) em: Eletrónica e Automação Naval Manutenção Mecânica Naval O corpo docente do Departamento de Engenharia Marítima é composto por cerca de 34 docentes, sendo cerca de 32% doutorados. Para além dos docentes doutorados atualmente ao serviço do DEM, outros cinco docentes estão igualmente em fase avançada de realização dos respetivos trabalhos de doutoramento. Atualmente, estão inscritos cerca de 300 alunos nos cursos de engenharia da ENIDH, o que corresponde a cerca de 43% do total da população escolar da Escola, constituída por cerca de 700 alunos. O DEM participa igualmente de forma ativa na lecionação dos cursos de licenciatura em Pilotagem, Gestão dos Transportes e Logística e Gestão Portuária, bem como no mestrado em Gestão Portuária. 2

4 A Licenciatura em Engenharia de Máquinas Marítimas (diurno/ noturno) O curso de Licenciatura em Engenharia de Máquinas Marítimas (LEMM) destina se a formar oficiais de máquinas para a marinha mercante ao nível operacional, de acordo com as normas de formação da Convenção Internacional sobre Normas de Formação, Certificação e Serviço de Quartos para Marítimos Convenção STCW da Organização Marítima Internacional (IMO). Deste modo, os diplomados em EMM possuem reconhecimento internacional das suas competências para o exercício de funções de oficial de máquinas chefe de quarto (OOW Officer On the Watch) em qualquer marinha mercante mundial. O curso é igualmente acreditado pela ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos e auditado pela Agência Europeia de Segurança Marítima (EMSA European Maritime Safety Agency). O curso da LEMM diurno, criado na sequência da implementação do Processo de Bolonha, tem a duração de seis semestres, e entrou em funcionamento pela primeira vez no ano lectivo de 2007/2008. O curso noturno da LEMM entrou em funcionamento pela primeira vez no ano seguinte. Os cursos da LEMM funcionam da seguinte forma: Regime diurno: funciona com 6 unidades curriculares por semestre em período diurno Regime noturno: funciona com 4 unidades curriculares por semestre em período póslaboral (horário compreendido entre as 18 h e as 23 h) Na Tabela I podemos observar a evolução dos dados mais significativos acerca dos cursos de LEMM, desde que passaram a funcionar as ofertas em regime diurno e noturno. TABELA I Dados do curso de EMM (regime diurno/noturno) 2008/ / / / /2013 Total de vagas (diurno) Vagas preenchidas (diurno) Alunos do curso (diurno) Total de vagas (nocturno) Vagas preenchidas (noturno) Alunos do curso (noturno) Total de estudantes Total de diplomados

5 Equipamentos de apoio Os alunos do curso da LEMM têm ao seu dispor um vasto conjunto de salas de aula, laboratórios bem equipados e simuladores bastante avançados. A formação em simuladores é fundamental para o desenvolvimento das capacidades individuais e de trabalho em grupo, do futuro engenheiro de Máquinas Marítimas. A salvaguarda da vida humana no mar é uma das áreas à qual é dedicada uma especial atenção, sendo assegurado aos alunos um treino específico em segurança marítima. 4

6 Dez boas razões para ingressar no curso de Engenharia de Máquinas Marítimas 1. Elevada empregabilidade com excelentes níveis de remuneração na marinha mercante nacional e internacional 2. Estágio remunerado a bordo de navios mercantes, após a conclusão do curso, com a duração de seis meses 3. Certificado Internacional de Competência, que habilita ao exercício da profissão de Oficial de Máquinas na Marinha Mercante nacional e internacional, nomeadamente comunitária 4. Curso acreditado pela ANET Associação Nacional de Engenheiros Técnicos e pela FEANI Federation Européene d Associations Nationales d Ingénieurs. O curso é igualmente auditado pela Agência Europeia de Segurança Marítima (EMSA European Maritime Safety Agency) 5. Prestígio social decorrente do exercício da profissão de Oficial de Máquinas da Marinha Mercante 6. Curso leccionado por um corpo docente altamente qualificado e estável 7. Possibilidade de viajar para diversas partes do mundo, o que permitirá conhecer novos países, povos e culturas 8. Campus com excelentes condições para a prática de um ensino de qualidade 9. Excelente localização da Escola junto ao mar e servida por uma boa rede de transportes 10. Acesso à Carta de Patrão de Costa que habilita o diplomado a pilotar embarcações de recreio 5

7 Plano de estudos (curso diurno 6 semestres) 1º ANO HC ECTS HC ECTS Análise Matemática I 5 6 Análise Matemática II 5 6 Álgebra Linear 4 5 Electrotecnia 5 6 Física Geral 4 6 Química Aplicada 4 6 Programação 4 5 Desenho Técnico 4 5 Tecnologia Marítima 4 4 Materiais 4 4 Inglês 3 4 Inglês Técnico Marítimo 2 3 Totais Totais º ANO HC ECTS HC ECTS Mecânica Aplicada 4 5 Mecânica dos Materiais 5 6 Termodinâmica 4 5 Transmissão de Calor 4 5 Máquinas Eléctricas e Accionamentos 4 5 Electrónica 5 6 Tecnologia Mecânica 4 5 Prática Oficinal 4 4 Mecânica dos Fluidos 4 5 Probabilidades e Estatística 4 5 Métodos Numéricos 4 5 Psicossociologia 2 4 Totais Totais º ANO Máquinas e Sistemas Auxiliares I 4 6 Máquinas e Sistemas Auxiliares II 4 6 Máquinas de Combustão Interna 4 5 Operação de Instalações Marítimas 4 5 Sistemas de Controlo 4 6 Automação 5 6 Estrutura e Estabilidade do Navio 4 5 Órgãos de Máquinas 4 5 Segurança Marítima I 4 4 Segurança Marítima II 5 5 Manutenção 4 4 Cuidados de Saúde 2 3 Totais Totais

8 Plano de estudos (curso nocturno 9 semestres) 1º ANO HC ECTS HC ECTS Álgebra Linear 4 5 Análise Matemática I 5 6 Física Geral 4 6 Química Aplicada 4 6 Programação 4 5 Desenho Técnico 4 5 Tecnologia Marítima 4 4 Materiais 4 4 Totais Totais º ANO HC ECTS HC ECTS Análise Matemática II 5 6 Electrotecnia 5 6 Métodos Numéricos 4 5 Probabilidades e Estatística 4 5 Tecnologia Mecânica 4 5 Prática Oficinal 4 4 Inglês 3 4 Inglês Técnico Marítimo 2 3 Totais Totais º ANO HC ECTS HC ECTS Mecânica Aplicada 4 5 Mecânica dos Materiais 5 6 Termodinâmica 4 5 Transmissão de Calor 4 5 Máquinas Eléctricas e Accionamentos 4 5 Electrónica 5 6 Mecânica dos Fluidos 4 5 Psicossociologia 2 4 Totais Totais º ANO HC ECTS HC ECTS Máquinas e Sistemas Auxiliares I 4 6 Máquinas e Sistemas Auxiliares II 4 6 Máquinas de Combustão Interna 4 5 Automação 5 6 Estrutura e Estabilidade do Navio 4 5 Cuidados de Saúde 2 3 Segurança Marítima I 5 4 Segurança Marítima II 4 5 Totais Totais º ANO HC ECTS Operação de Instalações Marítimas 4 5 Órgãos de Máquinas 4 5 Sistemas de Controlo 4 6 Manutenção 4 4 Totais

9 Saídas Profissionais As atuais Licenciaturas em Engenharia de Máquinas Marítimas (LEMM) proporcionam aos seus alunos uma sólida formação de base de acordo com as normas da Convenção Internacional sobre Normas de Formação, Certificação e Serviço de Quartos para Marítimos Convenção STCW da Organização Marítima Internacional (IMO), que lhes permitam exercer a sua atividade profissional com elevada competência como oficiais de Máquinas Marítimas na Marinha Mercante nacional e internacional. Conforme amplamente documentado em estudos da União Europeia (UE), existe atualmente um elevado défice de oficiais da marinha mercante a nível europeu e mundial (Ver tabela). As profissões marítimas, nomeadamente ao nível de oficiais da marinha mercante, são das poucas na Europa comunitária em que existe um elevado défice de profissionais qualificados, enquanto que na maior parte das restantes profissões existe uma elevada taxa de desemprego, especialmente junto dos jovens diplomados. Os diplomados da LEMM podem exercer um vasto leque de atividades profissionais tanto no mar como em terra, nomeadamente: Engenheiro de Máquinas da Marinha Mercante Gestão técnica de navios Estaleiros de construção e reparação naval Seguradoras com atividade na área marítima Sociedades classificadoras, inspeção de navios e peritagens Administrações marítimas e portuárias Marinas e portos de recreio Produção e distribuição de energia Refrigeração e climatização Eletromecânica, automação e controlo industrial Indústria química e petrolífera Indústria automóvel Energias renováveis Construção civil e obras públicas 8

10 CERTIFICAÇÃO MARÍTIMA A conclusão do curso de licenciatura em Engenharia de Máquinas Marítimas, satisfaz os requisitos obrigatórios para certificação de oficiais de máquinas, chefes de quarto numa casa da máquina em condução atendida ou oficiais de máquinas de serviço numa casa da máquina em condução desatendida, em navio cuja máquina principal tenha uma potência propulsora igual ou superior a 750 kw, conforme previsto no parágrafo 2.3 da regra III/1 da Convenção STCW 1978 emendada em 1995, bem como no previsto pelo D.L. n.º 280/2001, de 23 de Outubro com as alterações introduzidas pelo D.L. n.º 206/2005, de 29 de Novembro e pelo D.L. n.º 226/2007, de 31 de Maio. A conclusão do curso possibilita também a obtenção dos respectivos certificados de competência, desde que estejam satisfeitos os restantes requisitos exigidos para a certificação, bem como a obtenção dos seguintes certificados de qualificação e provas documentais previstos na Convenção STCW e Emendas, desde que sejam também satisfeitos os restantes requisitos exigidos para a sua emissão: a) Certificado de segurança básica (tabelas A VI/1 1, A VI/1 2, A VI/1 3 e A VI/1 4 do Código STCW); b) Certificado de qualificação para o controlo de operações de combate a incêndios (tabela A VI/3 do Código STCW); c) Certificado de qualificação para ministrar os primeiros socorros a bordo das embarcações (parágrafo 1 da tabela A VI/4 do Código STCW); d) Certificado de qualificação para a condução de embarcações salva vidas e de salvamento (parágrafo 1 da tabela A VI/2 do Código STCW); e) Certificado de qualificação para a condução de embarcações de salvamento rápidas (parágrafo 2 da tabela A VI/2 do Código STCW); f) Certificado de qualificação para o exercício de funções específicas nos navios tanque (petroleiros, químicos e gás liquefeito) (parágrafo 1 da secção A V/1 do Código STCW); g) Certificado de familiarização em navios ro ro de passageiros (parágrafo 2 da secção A V/2 do Código STCW); h) Certificado de controlo de multidões (parágrafo 1 das secções A V/2 e A V/3 do Código STCW); i) Certificado de segurança para tripulantes que prestem assistência directa aos passageiros (parágrafo 3 das secções A V/2 e A V/3 do Código STCW); j) Certificado de familiarização em navios de passageiros (parágrafo 2 da secção A V/3 do Código STCW); k) Certificado de segurança dos passageiros (parágrafo 4 da secção A V/3 do Código STCW); l) Certificado restrito de operador no GMDSS (nos termos do Regulamento constante do Anexo IV do Decreto lei nº 280/2001, de 23/10 e de acordo com o Regulamento das Radiocomunicações da União Internacional de Telecomunicações RR/UIT) 9

11 MARITIME CERTIFICATION Successful completion of all curricular units of the course in Marine Engineering (BEng degree), meets the mandatory requirements for certification of Marine Engineer Officers in watch service in the engine room or designated duty engineers in a periodically unmanned engine room, in ships powered by main propulsion machinery equal or higher than of 750 kw as provided in paragraph 2.3 of regulation III/1 of IMO/STCW 1978 Convention as amended in 1995 and as provided for in Decree N.º 280/2001 of 23 October as amended by Decree N.º 206/2005 of 29 November and by Decree N.º 226/2007 of 31 May. The completion of this degree allows obtaining the relevant certificates of competence and the following qualification certificates and documentary evidence, according the Amendments to the STCW Convention, considering that are satisfied the remaining requirements for the issue of the certificate: a) Certificate of basic safety (tables A VI/1 1, A VI/1 2, A VI/1 3 and A VI/1 4 of the STCW Code); b) Certificate of qualification for the control of fire fighting operations (table A VI/3 of the STCW Code); c) Certificate of qualification to provide medical first aid on board ships (paragraph 1 of table A VI/4 of the STCW Code); d) Certificate of proficiency in survival craft and rescue boats (paragraph 1 of table A VI/2 of the STCW Code); e) Certificate of proficiency in fast rescue boats (paragraph 2 of table A VI/2 of the STCW Code); f) Certificate of qualification to perform special duties on tankers (oil, chemical and liquefied gas tankers) (paragraph 1 of table A V/1 of the STCW Code); g) Certificate of familiarization on Ro Ro passenger ships (paragraph 2 of section A V/2 of the STCW Code); h) Certificate of crowd management (paragraph 1 of section A V/2 and A V/3 of the STCW Code); i) Certificate of safety for personnel providing direct service to passengers (paragraph 3 of section A V/2 and A V/3 of the STCW Code); j) Certificate of familiarization on passenger ships (paragraph 2 of section A V/3 of the STCW Code); k) Certificate of passenger safety (paragraph 4 of section A V/3 of the STCW Code); l) GMDSS restricted operator s certificate (issued under the authority of the Portuguese Administration, in accordance with the provisions of the Radio Regulations of the International Telecommunication Union RR / ITU) 10

12 Cartas de navegador de recreio Os alunos dos cursos da LEMM, têm acesso às cartas de navegador de recreio, de acordo com as regras aprovadas pelo Conselho de Certificação Marítima da ENIDH, na sequência da reestruturação dos cursos efetuada em CARTA DE PATRÃO LOCAL A conclusão das unidades curriculares da LEMM: Tecnologia Marítima Segurança Marítima I Prática de piscina e mar (integrada da unidade curricular Segurança Marítima II) satisfaz os requisitos obrigatórios para a obtenção da Carta de Patrão Local de acordo com o Regulamento da Náutica de Recreio. CARTA DE PATRÃO DE COSTA A conclusão das unidades curriculares: Tecnologia Marítima Estrutura e Estabilidade do Navio Segurança Marítima I Segurança Marítima II satisfaz os requisitos obrigatórios para a obtenção da Carta de Patrão de Costa, de acordo com o Regulamento da Náutica de Recreio. 11

13 Estágios profissionais a bordo Os diplomados em Engenharia de Máquinas Marítimas (LEMM) devem realizar um período de estágio a bordo de seis meses, de acordo com as normas da Convenção Internacional sobre Normas de Formação, Certificação e Serviço de Quartos para Marítimos (STCW), para poderem ascender à categoria de Oficial Chefe de Quarto (2º Oficial de Máquinas, de acordo com o Regulamento de Inscrição Marítima RIM). Deve notar se que, quando o RIM for alterado de modo a adaptar se ao novo STCW aprovado em Manila (2010), o período de estágio para os praticantes de Máquinas passará a ser de doze meses. O endereço actual da Administração Marítima Portuguesa, é: Direcção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) Departamento do Pessoal do Mar Edifício Vasco da Gama, Rua General Gomes Araújo, Lisboa Tel: Fax: A seguir, lista se um conjunto de empresas de navegação / agentes de navegação, que os diplomados em EMM poderão contactar (entre outras) para realizar os respetivos estágios. Transinsular Transportes Marítimos Insulares, S.A. Edifício Gonçalves Zarco, Doca de Alcântara (lado Norte) LISBOA Telefone: (Geral) Fax: /12 Internet: PORTLINE Transportes Marítimos Internacionais, SA Avenida Infante D. Henrique, nº 332 3º Lisboa Telefone: Fax: Mutualista Açoreana de Transportes Marítimos, S.A. Rua do Ouro, º e 6.º Lisboa Telefone: Fax: Contacto: Sr. Comandante António Maia Seco 12

14 United European Car Carriers (UECC) Agentes de Navegação, Lda Rua dos Trabalhadores do Mar, 16 2.º B Setúbal Setúbal Telefone: Fax : Internet: GENERAL MARITIME MANAGEMENT (PORTUGAL), LDA Largo Rafael Bordalo Pinheiro, Lisboa, Portugal Telefone: Fax: Sacor Marítima, SA Rua Tomás da Fonseca, Torre C 13º piso Lisboa Portugal Telf: Contacto: Sr. Comandante Francisco Ramos Promarinha, SA Rua Castilho, nº 201, 2.º Drt., Lisboa Portugal Telefone: , , Fax: E mail: Contacto: Sr. Comandante Oliveira SCMA Sociedade de Consultores Marítimos, Lda Rua do Açúcar, 86 r/c D Lisboa Telefone: E mail: ltd.com Internet: Contacto: Sr. Comandante Lázaro Delgado PORTUSCALE CRUISES CRUISE MANAGEMENT, UNIPESSOAL, LDA Rua Ivens 44, 3º, Lisboa Lisboa Telefone:

15 Island Offshore Portugal, Lda Campo Grande, n.º 35, 7 A Lisboa Tel: Mail: Pullmantur Ship Management (Companhia internacional de navios de cruzeiro) Calle Mahonia, 2. Planta 5ª. Campo de las Naciones Madrid Telefone: Contacto: Sra. Maria Castellano Box Lines (Groupo Sousa) Rua do Instituto Industrial, 18 1º Esq Lisboa Telefone: Fax: ABC Maritime Rue Perdtemps Nyon Switzerland Telefone: +41 (0) Contacto: George Pitaoulis 14

16 Estágios profissionais em terra A ENIDH tem vindo a estabelecer diversos protocolos de colaboração com empresas para a realização de estágios profissionais em terra. Destacam se, entre outras, as seguintes empresas: AutoEuropa Estaleiro do Arsenal do Alfeite Estaleiro da Naval Rocha Projecto Detalhe Tecniquitel Os interessados em realizar estágios em terra, nomeadamente alunos finalistas, deverão contactar directamente o Coordenador de Curso da LEMM ou o Presidente do DEM, para formalizar o seu interesse em participar num programa de estágios em terra, numa das empresas que celebrou protocolo de colaboração com a ENIDH. Exemplo de atividade dos estagiários de EMM (Jornal AutoEuropa) 15

17 Prosseguimento de estudos (Mestrado em EMM) A Licenciatura em Engenharia de Máquinas Marítimas tem prosseguimento natural de estudos para o Mestrado em Engenharia de Máquinas Marítimas (MEMM). Este curso tem a duração de dois anos lectivos (180 ECTS) sendo o segundo exclusivamente dedicado à realização de um trabalho de dissertação/projecto/relatório de estágio. A conclusão com aproveitamento do primeiro ano do MEMM satisfaz os requisitos mínimos obrigatórios para a obtenção dos certificados de competência para chefes de máquinas e segundos oficiais de máquinas de navios cuja máquina principal tenha uma potência propulsora igual ou superior a 3000 kw, conforme previsto no parágrafo 2.2 da regra A III/2 do Código STCW (60 ECTS). Para obter o grau académico de mestre (Master of Science), o aluno deverá inscrever se no segundo ano do curso e realizar um trabalho de dissertação/projeto/relatório de estágio, que será objeto de discussão pública perante um júri nomeado para o efeito (60 ECTS). 16

18 Plano de Estudos em Engenharia de Máquinas Marítimas Acesso ao curso de EMM (12º ano / Maiores de 23 anos / CET s,.) Curso de Licenciatura em EMM (6 semestres / 180 créditos regime diurno) (9 semestres / 180 créditos regime noturno) Grau académico de Licenciado Grau de licenciado (B Eng) Estágio profissional a bordo (6 meses de embarque) 1 Certificado de Competência para a categoria de Oficial Chefe de Quarto 1º ano do curso de Mestrado em EMM (2 semestres lectivos 60 créditos) Grau de Mestre (M Eng) Certificado de Competência para obter a categoria de 2º Oficial de Máquinas / Chefe de Máquinas 2º ano do curso de Mestrado em EMM (60 créditos) Grau académico de Mestre Nota: Quando o Regulamento de Inscrição Marítima (RIM) for alterado de modo a contemplar as alterações ao STCW (2010), passarão a ser exigidos 12 meses de estágio profissional a bordo. 17

19 Propinas Matrícula a tempo inteiro: Curso da LEMM diurno: 850,00 (valor referente ao ano letivo 2012/2013) Curso da LEMM noturno: 630,50 (valor referente ao ano letivo 2012/2013) As propinas poderão ser pagas na totalidade no ato de inscrição ou em quatro prestações de acordo com o previsto no calendário escolar. Matrícula a tempo parcial: Pode inscrever se a metade das unidades curriculares por semestre, pelo que as propinas terão a correspondente redução de valores, de acordo com a tabela em vigor. Para obter informações mais detalhadas, deverá contactar o Serviço Académico Matrícula como aluno extraordinário: Pode inscrever se em unidades curriculares isoladas do curso da LEMM até perfazer o máximo de 18 ECTS por ano letivo (máximo de 54 créditos em três anos lectivos). Horário de funcionamento As aulas do curso diurno decorrem de segunda à sexta feira, no período das 08 às 20 horas. As aulas do curso noturno decorrem de segunda à sexta feira, no período das 18 às 23 horas. Creditação de formações As formações de que o aluno já seja titular, poderão ser objeto de creditação na Licenciatura em Engenharia de Máquinas Marítimas, de acordo com as orientações sobre esta matéria aprovadas pelo Conselho Técnico Científico. Neste caso, o aluno deverá solicitar o respetivo plano de creditação junto do Serviço Académico. 18

20 Contactos / Endereços de Coordenador da Licenciatura (diurna / noturna): Prof. Luis Mendonça Presidente do Conselho de Departamento de Engenharia Marítima: Prof. Victor Franco Presidente do Conselho Técnico Científico: Prof. Luis Baptista Presidente do Conselho Pedagógico: Prof. Luis Mendonça Presidente do Conselho de Certificação Marítima: Prof. João Frade Associação de alunos: Biblioteca: Serviço Académico: Endereços e Páginas Web Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Av. Engenheiro Bonneville Franco, PAÇO D ARCOS Telefone: Fax: geral: Netpa Interno: Netpa externo: NIBs para pagamentos à ENIDH Alojamentos/propinas/taxas: Pagamento de cursos: Aluguer de espaços (Piscina/pavilhão):

A Engenharia de Máquinas Marítimas da ENIDH: Algumas notas complementares

A Engenharia de Máquinas Marítimas da ENIDH: Algumas notas complementares A Engenharia de Máquinas Marítimas da ENIDH: Algumas notas complementares Luis Filipe Baptista 1 No artigo apresentado no número anterior da revista, com o título A Engenharia de Máquinas Marítimas na

Leia mais

FARMÁCIA ESTAÇÃO COMBOIOS

FARMÁCIA ESTAÇÃO COMBOIOS FARMÁCIA ESTAÇÃO COMBOIOS DMM 2º piso Laboratórios Presidente DMM 2º piso Oficinas Silo mergulho VTS Piscina Edifício II ITN Secretaria Edifício Social Parque incêndios Pavilhão Refeitório PRAIA Entrada

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

Infante D. Henrique. MESTRADOS Pilotagem. LICENCIATURAS Pilotagem. escola superior náutica. enautica.pt CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA CET

Infante D. Henrique. MESTRADOS Pilotagem. LICENCIATURAS Pilotagem. escola superior náutica. enautica.pt CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA CET MESTRADOS Pilotagem Engenharia de Máquinas Marítimas Sistemas Eletrónicos Marítimos Gestão Portuária LICENCIATURAS Pilotagem escola superior náutica Infante D. Henrique Engenharia de Máquinas Marítimas

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE INFORMAÇÃO PESSOAL. João Alfredo Tavares Amaro Rua Frei Amador Arrais 39 - r/c Ap. 104 7801-902 Beja PORTUGAL CURRICULUM VITÆ

M ODELO EUROPEU DE INFORMAÇÃO PESSOAL. João Alfredo Tavares Amaro Rua Frei Amador Arrais 39 - r/c Ap. 104 7801-902 Beja PORTUGAL CURRICULUM VITÆ M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITÆ INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Institucional João Alfredo Tavares Amaro Rua Frei Amador Arrais 39 - r/c Ap. 104 7801-902 Beja PORTUGAL Telefone (+351) 284 311 311 Fax

Leia mais

ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS

ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS ANO LECTIVO 2008/2009 O Presidente do Conselho Directivo da Escola Náutica Infante D. Henrique,

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação Gestão Logística Edital 1ª Edição 2012 1 Enquadramento Tem vindo a ser reconhecida, por políticas governamentais

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos cursos do ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado O presente regulamento estabelece as normas que complementam as que decorrem do regime

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

para o exercício da actividade marítima como Pescador

para o exercício da actividade marítima como Pescador Marinhagem da Pesca Jovens, até 25, com escolaridade de 4 Conferir competências profissionais nucleares ao nível da marinhagem da pesca e permitir o ingresso no itinerário de Qualificação de como 970 horas

Leia mais

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016 EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL Ano letivo de 2015/2016 João Baptista da Costa Carvalho, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), torna público a

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

第 三 章 執 行 預 算 第 135/2005 號 行 政 長 官 批 示. 7) Executar o plano de formação de pessoal; ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ;

第 三 章 執 行 預 算 第 135/2005 號 行 政 長 官 批 示. 7) Executar o plano de formação de pessoal; ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ; N.º 19 9-5-2005 BOLETIM OFICIAL DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU I SÉRIE 545 ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ; ( 八 ) 核 實 收 支 文 件, 並 為 船 舶 建 造 廠 的 正 常 運 作 提 供 輔 助 7) Executar o plano de formação de pessoal;

Leia mais

A conferência da IMO de Manila:

A conferência da IMO de Manila: Miolo 237:Layout 1 10/09/20 11:58 Page 30 A conferência da IMO de Manila: Principais alterações à Convenção e ao Código STCW Sumário Neste artigo descrevem-se sucintamente alguns aspectos da Convenção

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS RELATÓRIO DE ANÁLISE AOS INQUÉRITOS DE INGRESSO DOS NOVOS ALUNOS

Leia mais

CFMA CENTRO DE FORMAÇÃO MARITIMA DE ANGOLA. Prospecto do curso 2013/14

CFMA CENTRO DE FORMAÇÃO MARITIMA DE ANGOLA. Prospecto do curso 2013/14 CFMA CENTRO DE FORMAÇÃO MARITIMA DE ANGOLA Prospecto do curso 2013/14 Patrocinado pela: Índice STCW Primeiros Socorros Básicos... 4 STCW Prevenção de Incêndios e Combate a Incêndios... 5 STCW Segurança

Leia mais

ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA SUPLEMENTO AO DIPLOMA (versão em português) A estrutura do suplemento ao diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. Tem por objetivo fornecer

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Segurança e Higiene no trabalho

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Segurança e Higiene no trabalho O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Segurança e Higiene no trabalho ÍNDICE HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 3 INSCRIÇÕES E NÚMERO

Leia mais

MBA - Executivo. Edital 2ª Edição 2013-2014

MBA - Executivo. Edital 2ª Edição 2013-2014 MBA - Executivo Edital 2ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 Enquadramento e Objectivos O MBA Executivo é uma realização da Escola Superior de Ciências Empresariais, do Instituto Politécnico de Setúbal

Leia mais

Curso de Secretariado Clínico

Curso de Secretariado Clínico EDITAL Curso de Secretariado Clínico Edição 2015/2017 A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) anuncia a abertura do Curso de Secretariado Clínico,

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017)

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017) EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA (Edição 2015-2017) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO

REGULAMENTO ACADÉMICO I. Disposições Gerais Artigo 1º Objetivo O regulamento académico tem por objetivo definir a aplicação das normas que organizam e regulam todas as formações conducentes à obtenção do grau de licenciado

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO GAYA

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO GAYA NORMAS REGULAMENTARES DAS LICENCIATURAS DO ISPGAYA Preâmbulo As presentes normas visam dar cumprimento ao estabelecido no artigo n.º14.º do Decreto- Lei n.º 74/2006, de 24 de março, na sua redação atual,

Leia mais

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ANÁLISE ESTATÍSTICA DOS INQUÉRITOS REALIZADOS AOS ALUNOS DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008 4 Ratificar a decisão de início de procedimento e de escolha do procedimento prévio à contratação, bem como todos os actos procedimentais subsequentes

Leia mais

Largo Ramos da Costa, 7520 Sines. Responsável pelos sectores de Eletricidade e de Serralharia da Autarquia.

Largo Ramos da Costa, 7520 Sines. Responsável pelos sectores de Eletricidade e de Serralharia da Autarquia. M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Oliveira, José Manuel Santana De Oliveira Morada Praceta Nau Roxo, Lote n.º 5 Sines 7520-268 SINES Telefone 961740416 Fax 269630239 Correio electrónico

Leia mais

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012 Mestrado Construção Civil Edital 3ª Edição 2011-2012 Barreiro, Maio de 2011 ENQUADRAMENTO O curso de Mestrado em Construção Civil da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro do Instituto Politécnico de

Leia mais

ACEF/1314/02887 Decisão de apresentação de pronúncia

ACEF/1314/02887 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1314/02887 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1314/02887 Decisão de apresentação de pronúncia Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da Comissão de Avaliação Externa 1. Tendo recebido

Leia mais

Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado. Edital 1ª Edição 2012-2013

Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado. Edital 1ª Edição 2012-2013 Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado Edital 1ª Edição 2012-2013 Barreiro, Maio de 2012 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Gestão da Sustentabilidade do Edificado (PGGSE) é uma realização

Leia mais

Regulamento do Mestrado em Engenharia Industrial. Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial

Regulamento do Mestrado em Engenharia Industrial. Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS DE MESTRADO EM ENGENHARIA INDUSTRIAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento

Leia mais

Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia

Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia Ensinar a saber fazer Profissionais com Futuro desde 1990 L I C E N C I A T U R A S ADEQUADAS AO PROCESSO DE BOLONHA Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia A estratégia do ISTEC

Leia mais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais O presente regulamento visa aplicar o regime estabelecido

Leia mais

Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal

Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal INSCRIÇÕES ABERTAS NOS SERVIÇOS ACADÉMICOS!!! Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal Reabilitação Urbana e do Património Edificado

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Instituto Politécnico de Viseu. MESTRADO EM Engenharia Electrotécnica Energia e Automação Industrial

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Instituto Politécnico de Viseu. MESTRADO EM Engenharia Electrotécnica Energia e Automação Industrial Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu Instituto Politécnico de Viseu MESTRADO EM Engenharia Electrotécnica Energia e Automação Industrial EDITAL Edição 2010/2012 1. DESTINATÁRIOS Podem candidatar-se

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

REGULAMENTO DE SEMINÁRIO / ESTÁGIO DA LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES PREÂMBULO

REGULAMENTO DE SEMINÁRIO / ESTÁGIO DA LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES PREÂMBULO REGULAMENTO DE SEMINÁRIO / ESTÁGIO DA LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES PREÂMBULO A disciplina de Seminário/Estágio, do 3º ano da Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014)

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014) 1/10 EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes

Leia mais

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa SECÇÃO A Disposição geral Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as normas aplicáveis

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÕES DO INSTITUTO SUPERIOR DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÕES DO INSTITUTO SUPERIOR DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÕES DO INSTITUTO SUPERIOR DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS INDICE PREÂMBULO... 2 ARTIGO 1 - (Âmbito)... 2 ARTIGO 2 (Natureza)... 2 ARTIGO 3 (Gestão das atividades de pós-gradução)...

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DO CURSO DE MESTRADO EM DESPORTO 2009 REGULAMENTO

REGULAMENTO ESPECIFICO DO CURSO DE MESTRADO EM DESPORTO 2009 REGULAMENTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior MESTRADO EM DESPORTO REGULAMENTO Artigo 1º Natureza e âmbito de aplicação 1. O curso pretende atingir os objectivos apresentados

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

MESTRADO EM FISIOLOGIA MOLECULAR DE PLANTAS 4ª EDIÇÃO

MESTRADO EM FISIOLOGIA MOLECULAR DE PLANTAS 4ª EDIÇÃO Escola de Ciências MESTRADO EM FISIOLOGIA MOLECULAR DE PLANTAS 4ª EDIÇÃO UNIVERSIDADE DO PORTO UNIVERSIDADE DO MINHO FACULDADE DE CIÊNCIAS ESCOLA DE CIÊNCIAS DEPARTAMENTO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA DE BIOLOGIA

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus. Regulamento de Estudos dos Cursos de Especialização Tecnológica (CET)

Escola Superior de Educação João de Deus. Regulamento de Estudos dos Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Regulamento de Estudos dos Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Preâmbulo A criação de oportunidades de formação para públicos diversos, com necessidades específicas, tem sido, desde sempre, uma

Leia mais

NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universitas, Crl A.1.a. Descrição

Leia mais

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente 1. Perfil Profissional Edital de abertura de concurso Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente O/A Técnico/a Especialista em Gestão da Qualidade e do Ambiente é o/a

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Decreto n.º4/01 De 19 de Janeiro Considerando que a investigação científica constitui um pressuposto importante para o aumento da produtividade do trabalho e consequentemente

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E

M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Ana Teresa Bernardo Guia RUA CENTRO REPUBLICANO, 70 2º ESQ 2300 359 TOMAR, PORTUGAL Telefone 966 166 243 Correio

Leia mais

MAPA DE COMPETÊNCIAS DOS INSTRUTORES DOS CURSOS DO ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO- 2014

MAPA DE COMPETÊNCIAS DOS INSTRUTORES DOS CURSOS DO ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO- 2014 MARINHA DO BRASIL CAPITANIA DOS PORTOS DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE ENSINO PROFISIONAL MARÍTIMO MAPA DE COMPETÊNCIAS DOS INSTRUTORES DOS CURSOS DO ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO- 2014 CURSO DISCIPLINA

Leia mais

Pós-Graduação. Contabilidade e Finanças. Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Edital 1ª Edição 2012

Pós-Graduação. Contabilidade e Finanças. Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Edital 1ª Edição 2012 Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação Contabilidade e Finanças Edital 1ª Edição 2012 3ª Fase Enquadramento O Sines Tecnopolo apresenta, em parceria

Leia mais

MBA Master Business Administration

MBA Master Business Administration MBA Master Business Administration Objectivos O Master pretende complementar os conhecimentos teóricos e práticos de gestão em geral, proporcionando informação sobre as técnicas de gestão e de apoio à

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA BANCA E SEGUROS

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA BANCA E SEGUROS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA BANCA E SEGUROS ÁREA DE FORMAÇÃO Finanças, Banca e Seguros PERFIL PROFISSIONAL Técnico Especialistas em banca e Seguros LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Decreto-lei nº 88/2006,

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL Considerando que, nos termos do n 3 do artigo 45. do Decreto -Lei n 74/2006, de 24 de margo, alterado pelos Decretos-Lei n

Leia mais

REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA (Com base no Regulamento de Estudos revisto e alterado em Reunião do Conselho Científico de 27 Novembro 2006) Anos Lectivos 2006/2007 e 2007/2008 Artigo 1.º

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM GESTÃO DE ENERGIA E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

REGULAMENTO DO MESTRADO EM GESTÃO DE ENERGIA E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA De forma a dar cumprimento ao estabelecido no artigo 26.º do Decreto-lei n.º 74/2006, de 24 de março, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de julho, o Conselho Pedagógico do Instituto Superior

Leia mais

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Universidade do Algarve Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Licenciatura (1º Ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Directores de Curso: Prof.ª Doutora Maria João Bebianno

Leia mais

Banca, Seguros e Mercados Financeiros

Banca, Seguros e Mercados Financeiros Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama Sines Tecnopolo Pós-Graduação Banca, Seguros e Mercados Financeiros Edital 2ª Edição 2011 1 Enquadramento A Escola Superior

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Especialização Tecnológica

Regulamento dos Cursos de Especialização Tecnológica Regulamento dos Cursos de Especialização Tecnológica Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. O presente regulamento estabelece o regime de funcionamento dos Cursos de Especialização Tecnológica, doravante designados

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

CURSO DE MESTRADO na especialidade de ENSINO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS NATURAIS NO 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO EDITAL

CURSO DE MESTRADO na especialidade de ENSINO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS NATURAIS NO 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO EDITAL CURSO DE MESTRADO na especialidade de ENSINO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS NATURAIS NO 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO EDITAL Apresentação O Mestrado em Ensino do 1.º Ciclo do Ensino

Leia mais

Curso de Gestão Para Empresários e Directores

Curso de Gestão Para Empresários e Directores Curso de Gestão Para Empresários e Directores Sob a direcção do Doutor José Nunes Maia, Professor Aposentado do ISCTE Lisboa, a MoreData pretende dar início à 1ª edição do Curso de Gestão para Empresários

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 3907 seguem as atribuições e competências que lhes são conferidas pelos respectivos estatutos, aprovados, respectivamente, pelos Decretos-Leis n. os 74/95,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MODALIDADE MECÂNICA, COM ÊNFASE EM AUTOMOBILÍSTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de 3 APROVADO POR: Conselho Técnico Científico 26 09 2011 Data: / / 26 09 2011 Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de licenciado na ESEP INTRODUÇÃO Os Decretos Lei n.º

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS Artigo 1.º Duração e estrutura do ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre 1. O ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre, ministrado na ESTBarreiro/IPS,

Leia mais

Criação e Natureza. Objectivos. Organização. Qualif. Profissional. Actividades. Serviços Prestados. Lig. Internacionais.

Criação e Natureza. Objectivos. Organização. Qualif. Profissional. Actividades. Serviços Prestados. Lig. Internacionais. A ORDEM DOS ENGENHEIROS Foi criada em 24 de Novembro de 1936 pelo Decreto N.º 27288, é uma Associação Pública que representa os licenciados em engenharia, sendo a sucessora da antiga Associação dos Engenheiros

Leia mais

Instituto Superior da Maia ISMAI CET. Realização de Eventos Multimédia

Instituto Superior da Maia ISMAI CET. Realização de Eventos Multimédia Instituto Superior da Maia ISMAI CET Realização de Eventos Multimédia CoordenadorA Professora Doutora Célia Sousa Vieira cvieira@ismai.pt fundamentos e Objectivos A área de formação deste CET reside nos

Leia mais

Nuno Alexandre de Almeida Carapito. Engenheiro Mecânico

Nuno Alexandre de Almeida Carapito. Engenheiro Mecânico Curriculum Vitae INFORMAÇÃO PESSOAL Rua José Leite Vasconcelos Lote 165 3º Esq, 3020-106 Coimbra (Portugal) 915011628 nuno.carapito@hotmail.com Sexo Masculino Data de nascimento 07/07/1982 Nacionalidade

Leia mais

2. O Artigo 7.º do DL 78/20006, Exercício da função de perito qualificado, estabelece:

2. O Artigo 7.º do DL 78/20006, Exercício da função de perito qualificado, estabelece: Assunto: SCE Certificação de Competências 1. O Decreto Lei n.º 78/2006, de 4 de Abril, transpõe parcialmente para a ordem jurídica nacional a directiva n.º 2002/91/CE, do parlamento Europeu e do Conselho,

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DO ALGARVE MESTRADO EM CONTABILIDADE

FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DO ALGARVE MESTRADO EM CONTABILIDADE FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DO ALGARVE MESTRADO EM CONTABILIDADE EDIÇÃO 2011 / 2013 ÍNDICE 1. Apresentação.. 3 2. Objectivos...... 3 3. Condições de Acesso. 3 4. Organização do Curso e Plano de

Leia mais

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fedrave - Fundação Para O Estudo E

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais ÍNDICE CONTABILIDADE, FISCALIDADE E FINANÇAS EMPRESARIAIS... 3 OBJECTIVOS...

Leia mais

EDITAL. Ao longo da formação deverá adquirir competências que lhe permitam:

EDITAL. Ao longo da formação deverá adquirir competências que lhe permitam: EDITAL Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Especialização Tecnológica em Técnicas de Secretariado Clínico 4.ª Edição Biénio 2014-2016 A Escola Superior

Leia mais

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo Bernburg Dessau Köthen Hochschule Anhalt Fachbereich Angewandte Biowissenschaften und Prozesstechnik Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF Departamento de Biociências

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR FORMAÇÃO SGS ACADEMY LOCAL: LISBOA, PORTO E FUNCHAL GRUPO SGS PORTUGAL O Grupo SGS Société Générale de Surveillance S.A é a maior

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei

Leia mais

Regulamento de Acesso e Ingresso de Estudantes Internacionais. 1º, 2º e 3º ciclos do IST

Regulamento de Acesso e Ingresso de Estudantes Internacionais. 1º, 2º e 3º ciclos do IST Regulamento de Acesso e Ingresso de Estudantes Internacionais 1º, 2º e 3º ciclos do IST O Decreto- Lei nº 36/2014 de 10 de março regula o estatuto do Estudante Internacional (EEI). O Regulamento de Ingresso

Leia mais

ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL

ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL Universidade d de Coimbra A Universidade nº 1 dos países de expressão portuguesa (World University Rankings, The Times Higher Education Supplement e QS QuacquarelliSymonds) É a universidade portuguesa

Leia mais

REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E ACADÉMICOS

REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E ACADÉMICOS Campus Universitário de Viseu REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E ACADÉMICOS Preâmbulo O presente Regulamento visa definir os princípios gerais e procedimentos a adotar nos diferentes atos que se

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão de Projectos

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão de Projectos Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama Sines Tecnopolo Pós-Graduação Gestão de s Edital 1ª Edição 2012 1 Enquadramento O Sines Tecnopolo apresenta, em parceria com

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3.

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3. Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3.ª Edição 2014/2015 EDITAL A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Artigo 1º (Âmbito) O presente regulamento aplica se a todos os cursos ministrados no ISEP, podendo existir casos em

Leia mais

Certificados de Capacidade dos Pescadores

Certificados de Capacidade dos Pescadores 1 CONVENÇÃO N. 125 Certificados de Capacidade dos Pescadores I Aprovada na 50ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho (Genebra 1966), entrou em vigor no plano internacional em 15.7.69. II Dados

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO Despacho Presidente n.º 2013/29 Valores de propina e outras taxas para o ano letivo de 2013/2014 Nos termos previstos no Regulamento de propinas em vigor na ESEP

Leia mais

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros Regulamento do Programa de Estágios Curriculares no Ministério dos Negócios Estrangeiros Preâmbulo Na sequência do acordo tripartido celebrado entre o Governo e os parceiros sociais em junho de 2008 e

Leia mais

QUERES ENT PARA O MER REGISTO NACIONAL DE MEMBROS ESTUDANTES. Membros Estudantes Os estudantes do último ano do 1.º ciclo, dos cursos

QUERES ENT PARA O MER REGISTO NACIONAL DE MEMBROS ESTUDANTES. Membros Estudantes Os estudantes do último ano do 1.º ciclo, dos cursos REGISTO NACIONAL DE MEMBROS ESTUDANTES Membros Estudantes Os estudantes do último ano do 1.º ciclo, dos cursos de Engenharia registados na OET, podem fazer a sua inscrição na Ordem, na qualidade de membro

Leia mais

CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA

CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA Certificado Nº ANEXO CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA Expedido de acordo com as disposições da Convenção Internacional para Salvaguarda da Vida Humana no Mar, 1974, como emendada, (daqui em diante

Leia mais

O ENSINO DE ENGENHARIA NA EUROPA 1

O ENSINO DE ENGENHARIA NA EUROPA 1 O ENSINO DE ENGENHARIA NA EUROPA 1 Paulo César da Costa Pinheiro Departamento de Engenharia Mecânica da UFMG Av. Antônio Carlos 6627 31270-901 Belo Horizonte, MG DIPLOMAS OBTIDOS NAS ESCOLA DE ENGENHARIA

Leia mais

MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA

MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA Angra do Heroísmo 2007 1 MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA Objectivos dos dois

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I.

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 23/2008 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, do Centro

Leia mais

ISEL. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

ISEL. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa A Marca Marvila O como parceiro activo na visibilidade e na economia de Marvila José Carlos Quadrado O que é o? É das mais antigas Escolas públicas de Engenharia

Leia mais

MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL (MEC) Parceria: ESTBarreiro/IPS- ISE/UAlg

MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL (MEC) Parceria: ESTBarreiro/IPS- ISE/UAlg MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL (MEC) Parceria: ESTBarreiro/IPS- ISE/UAlg OBJETIVO O objectivo do curso consiste na atribuição de uma especialização de natureza profissional, decorrente da continuação dos

Leia mais