A Gênese do Urbanismo Moderno

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Gênese do Urbanismo Moderno"

Transcrição

1 Teorias Urbanas Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Arquitetura e Urbanismo Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo III TH3 Profa. Ana Paula de Oliveira Zimmermann

2 A Gênese do Urbanismo Moderno O Urbanismo tal como conhecemos, que se pretende uma ciência dos estabelecimentos humanos, nasce em decorrência da Rev. Ind. Esta revolução, que começa na Inglaterra, lança toda uma população operária nas cidades, que não estão preparadas para acolhe-las.

3 As Teorias fundadoras do Urbanismo Pré-Urbanismo: um conjunto de textos e de realizações de pensadores políticos sociais do século XIX. São contribuições anteriores ao surgimento da palavra Urbanismo. Urbanismo: se opõe ao pré-urbanismo essencialmente porque ele é feito, não de pensadores (filósofos, economistas, historiadores etc) mas de profissionais que visam colocar em prática suas ideias. Choay distingue os pré-urbanistas em duas correntes: progressistas e culturalistas.

4 O Modelo Progressista Uma série de pensadores repudia a noção tradicional de cidade e elabora modelos que permitem reencontrar uma ordem perturbada pelo maquinismo. Inspirada no racionalismo da filosofia das luzes, ela baseia-se numa concepção abstrata do homem, indivíduo mutável no tempo e no espaço. A ciência deve permitir a definição exata de um modelo urbano perfeito que convenha a todo grupo humano.

5 Entre os autores pré-urbanistas progressistas, são as posições filosóficas, políticas, econômicas e sociais e mesmo éticas que conduzem a se interrogar sobre o papel da organização do espaço habitado, e em particular sobre a organização da cidade. Entre seus autores encontramos: Pierre-Joseph Proudhon Benjamin Ward Richardson Etienne Cabet Júlio Verne Robert Owen Charles Fourier

6 Robert Owen Operário desde os 10 anos, se tornou proprietário de uma fábrica de algodão e também fundador do pensamento socialista. Pela vivência como operário propôs reformas sociais: jornada de trabalho de 10 horas, melhoramento do habitat e escolaridade obrigatória. Propunha comunidades semi-rurais de até 3000 habitantes Deveriam ser espaços higiênicos, ordenados e criadores, auto-sustentáveis.

7 Edifícios públicos e comunitários ao centro Espaço livre para o lazer Quadrilátero edificado: residências, escolas, igrejas Locais de trabalho ficam no exterior, após os jardins. De um lado as atividades mecânicas e industriais. Do outro as instalações agrícolas.

8 Charles Fourier Charles Fourier foi um filósofo, economista e político francês. Filho de um comerciante de tecidos. Serviu no exército durante a revolução francesa. Lançou o jornal O Falanstério, que mais tarde mudou para A Falange. Idealizou e planejou as comunidades chamadas de Falanstérios.

9 Pensamento Charles Fourier adota as fases da sociedade como : selvageria, barbárie, patriarcado e civilização. Fourier abominava o pensamento capitalista da época contemporânea onde vivia (civilização). A classifica como algo passageiro e com conserto. A solução proposta por Fourier é uma reestruturação da sociedade que deverá adotar associação e cooperação. Através das medidas do garantismo, a sociedade sairia de seu estado de civilização e chegaria ao sociantismo, e por fim ao harmonismo.

10 A Cidade Resolver os problemas de salubridade e embelezamento das cidades e as conduzir para a Associação, que se opõe ao Fracionamento. Regime garantista. A Cidade do período garantista deveria ter três anéis concêntricos : 1º Contém a cidade central. 2º Os arrabaldes e as grandes fábricas. 3º as avenidas e o subúrbio

11 Os anéis serão separados por paliçadas, relvas e/ou plantações que não cubram a visão. Toda a cidade deve ter em sua dependência, tanto terreno vazio quanto a superfície construída. Esse espaço será duplo no segundo anel e triplo no terceiro. O espaço de isolamento deve ser no mínimo a metade da fachada diante da qual se localiza. A limitação da altura é dada em relação a largura da rua. As ruas serão voltadas para paisagens campestres ou monumentos arquitetônicos. Algumas ruas serão uniformes, abolindo o monótono tabuleiro de xadrez. As praças devem ocupar 1/8 da superfície e metade das ruas serão arborizadas.

12 Falanstério Na foto: Perspectiva do falanstério, mostrando como este se comunica com seu entorno.

13 Além de apartamentos individuais, o Falanstério devera contar muitas salas de reuniões públicas, os seristérios. Seristérios serão organizados de acordo com a atividade exercida, com regularidade e organização.

14

15

16 Familistério de Godin Jean Baptista Godin compra, em 1859, 18 hectares de um terreno, onde tenta (com sucesso) construir um complexo arquitetônico de habitações para operários Seu projeto é inspirado nas ideias foureistas. A luminosidade, a circulação do ar e o acesso a água potável eram garantidos pela arquitetura própria dos edifícios. O Palácio Social, como ficou conhecido, durou até 1968.

17 Na foto: Interior do Familistério

18 Corte e planta (setor) do familistério de Godin.

19 Vista da ala esquerda do Familistério Reconstituição do interior de um apartamento do Familistério

20 O Modelo Culturalista Ao contrário do progressista, ele se volta para o passado A ideia é que a cidade é reflexo da cultura, que a cidade e seus habitantes constituem uma unidade orgânica ameaçadas pelas consequências do desenvolvimento industrial Parte da situação do agrupamento humano, da cidade Entre seus teóricos temos: Augustus Welby Northmore Pugin John Ruskin William Morris

21 John Ruskin Sociólogo, crítico, teórico e filósofo da arte Importante para o movimento Arts and Crafts Através da análise crítica da sociedade em que vive, propõe uma cidade ideal A cidade deve ter estreito contato com a natureza e espaços verdes; os edifícios devem ser belos, tratados como obra de arte; devem ser originais e evitar a repetição de formas e elementos arquitetônicos; a assimetria e o traçado espontâneo são desejáveis.

22 William Morris Arquiteto, influenciou o Art Nouveau Buscava a volta do ideal criador medieval, em que havia unidade de estilo entre as edificações mais diferentes. Culpava a Revolução Industrial pela impessoalidade da arquitetura e da cidade, o distanciamento entre o homem e seu habitat urbano

23 O Urbanismo Essas filosofias e ideias influenciaram as primeiras teorias urbanas elaboradas por arquitetos-urbanistas Urbanismo Progressista Entre os Urbanistas Progressistas temos: Tony Garnier, Walter Gropius e Charles- Edouard Jeanneret (Le Corbusier) estes urbanistas buscavam adaptar a cidade às necessidades modernas, englobando a indústria e o novo modo de vida. Urbanismo Culturalista No Urbanismo Culturalista temos: Camillo Sitte, Ebenezer Howard, Raymond Unwin. Buscavam uma nova forma de vida, resgatando valores e costumes passados.

24 O Movimento Humanista Derivados do movimento Humanista temos diferentes correntes filosóficas urbanas: A Corrente Culturalista Fundamenta-se na ideia de que a cidade europeia préindustrial representa um momento excepcional da história e permite, graças ao clima particular da comunidade urbana, uma realização do indivíduo e um desabrochar da cultura.

25 O Urbanismo Antropológico Procura resolver o problema da criação e do planejamento das cidades por meio das informações fornecidas pela antropologia descritiva. Urbanistas: Patrick Geddes, Lewis Munford, Marcel Poete. A Corrente Naturalista É própria dos EUA onde se forma no século XIX uma forte tradição anti-urbana, ligada à imagem nostálgica de uma natureza virgem e ao mito dos pioneiros. Urbanista: Frank Lloyd Wright

26 Referências CHOAY, Françoise. O Urbanismo. Ed. Perspectiva. São Paulo FRAMPTON, Kenneth. História Crítica da Arquitetura Moderna. São Paulo. Martins Fontes. 2008

Urbanismo do Século XIX: Fourier. Edvaldo Feitosa Leonardo Ragano Marcos Lemos Rafael Vianna Ronaldo Dias Tatiane Freitas

Urbanismo do Século XIX: Fourier. Edvaldo Feitosa Leonardo Ragano Marcos Lemos Rafael Vianna Ronaldo Dias Tatiane Freitas Urbanismo do Século XIX: Fourier Edvaldo Feitosa Leonardo Ragano Marcos Lemos Rafael Vianna Ronaldo Dias Tatiane Freitas Charles Fourier 1772-1837 Charles Fourier foi um filósofo, economista e político

Leia mais

Arquitetos do Urbanismo Progressista e Culturalista

Arquitetos do Urbanismo Progressista e Culturalista Arquitetos do Urbanismo Progressista e Culturalista Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Arquitetura e Urbanismo Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo III TH3 Profa. Ana Paula de Oliveira

Leia mais

Movimentos Políticoideológicos XIX

Movimentos Políticoideológicos XIX Movimentos Políticoideológicos séc. XIX SOCIALISMO UTÓPICO Refere-se à primeira fase do pensamento socialista que se desenvolveu entre as guerras napoleônicas e as revoluções de 1848 ( Primavera dos povos

Leia mais

Cidades, urbanismo e lazer

Cidades, urbanismo e lazer Curso: Tecnologia em Gestão Desportiva e do Lazer Disciplina: Planejamento de equipamentos e espaços de lazer Professora: Andréa Costa Cidades, urbanismo e lazer Como são as nossas cidades hoje? Elas sempre

Leia mais

Origens da. Cidade Moderna. Tony Garnier. Arturo Soria. Ebenezer Howard

Origens da. Cidade Moderna. Tony Garnier. Arturo Soria. Ebenezer Howard Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Arquitetura e Urbanismo Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo III TH3 Profa. Ana Paula de Oliveira Zimmermann as cidades modernas Origens da Tony

Leia mais

Arte no Brasil Colonial. Arquitetura e urbanismo. 8º ano

Arte no Brasil Colonial. Arquitetura e urbanismo. 8º ano Arte no Brasil Colonial Arquitetura e urbanismo 8º ano - 2013 A arte no Brasil colonial (1500 a 1808) foi marcada pela forte influência européia. O principal estilo que surge neste período é o BARROCO,

Leia mais

Prof. RAQUEL ROLNIK REGULAÇÃO URBANISTÍCA E ZONEAMENTO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO 2011

Prof. RAQUEL ROLNIK REGULAÇÃO URBANISTÍCA E ZONEAMENTO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO 2011 FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO REGULAÇÃO URBANISTÍCA E ZONEAMENTO ORIGENS (EUROPÉIA E NORTE AMERICANA E SUA DISSEMINAÇÃO NA AMERICA LATINA) Prof. RAQUEL ROLNIK AGOSTO 2011

Leia mais

HTAU I Introdução ao Curso Textos para leitura e debate em aula:

HTAU I Introdução ao Curso Textos para leitura e debate em aula: Textos para leitura e debate em aula: Texto 1 COLIN, Silvio. Capítulos 1, 2 e 3. Uma Introdução à Arquitetura. Rio de Janeiro: UAPÊ, 2000. pg. 19-33. Texto 2 BENEVOLO, Leonardo. Arquitetura e Técnica.

Leia mais

MODELOS DE URBANISMO:CONCEITOS, DESENHOS E TIPOS

MODELOS DE URBANISMO:CONCEITOS, DESENHOS E TIPOS MODELOS DE URBANISMO:CONCEITOS, DESENHOS E TIPOS CONFORME O Prof. Dra. MARIA ALZIRA MARZAGÃO MONFRÉ RESUMO Apresentação das correntes de pensamento sobre a cidade da era industrial tendo como base referencial

Leia mais

socialistas Utopias Panorama do urbanismo pré-progressista CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA THAU IV PROFª ME.

socialistas Utopias Panorama do urbanismo pré-progressista CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA THAU IV PROFª ME. Utopias socialistas Panorama do urbanismo pré-progressista CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA THAU IV PROFª ME. ANA PAULA GURGEL 01 CONTEXTUALIZAÇÃO 02 O SOCIALISMO UTÓPICO 03 OS UTOPISTAS 04

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCE UFV ARQUITETURA E URBANISMO. COORDENADORA Maristela Siolari da Silva

Currículos dos Cursos do CCE UFV ARQUITETURA E URBANISMO. COORDENADORA Maristela Siolari da Silva 204 Currículos dos Cursos do CCE UFV ARQUITETURA E URBANISMO COORDENADORA Maristela Siolari da Silva siolari@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2014 205 Arquiteto e Urbanista ATUAÇÃO O curso de Arquitetura

Leia mais

LEGISLAÇÃO URBANÍSTICA PLANEJAMENTO URBANO EM JUIZ DE FORA

LEGISLAÇÃO URBANÍSTICA PLANEJAMENTO URBANO EM JUIZ DE FORA LEGISLAÇÃO URBANÍSTICA PLANEJAMENTO URBANO EM JUIZ DE FORA LEGISLAÇÃO URBANÍSTICA O QUE É É um conjunto de normas (leis,decretos, portarias - federais, estaduais e municipais) que regulamentam as atividades,

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCE UFV ARQUITETURA E URBANISMO. COORDENADORA Regina Esteves Lustoza

Currículos dos Cursos do CCE UFV ARQUITETURA E URBANISMO. COORDENADORA Regina Esteves Lustoza 178 Currículos dos Cursos do CCE UFV ARQUITETURA E URBANISMO COORDENADORA Regina Esteves Lustoza rlustoza@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 179 Arquiteto e Urbanista ATUAÇÃO O curso de Arquitetura

Leia mais

PROJETO CONHECER A CIDADE

PROJETO CONHECER A CIDADE PROJETO CONHECER A CIDADE O Projeto Conhecer a Cidade "Conhecer a Cidade" é um projeto da RBE em parceria com a Ordem dos Arquitetos, com a finalidade de promover a educação pela arquitetura, património,

Leia mais

O URBANISMO MODERNO. Prof. Ms. Raquel von Randow Portes

O URBANISMO MODERNO. Prof. Ms. Raquel von Randow Portes UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE URBANISMO - ENGENHARIA CIVIL O URBANISMO MODERNO Prof. Ms. Raquel von Randow

Leia mais

Capitalismo x Socialismo. Introdução para o entendimento do mundo bipolar.

Capitalismo x Socialismo. Introdução para o entendimento do mundo bipolar. Capitalismo x Socialismo Introdução para o entendimento do mundo bipolar. Capitalismo Sistema econômico, político e social no qual os agentes econômicos (empresários, burgueses, capitalistas), proprietários

Leia mais

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média:

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: EXERCÍCIOS ON LINE 3º BIMESTRE DISCIPLINA: Filosofia PROFESSOR(A): Julio Guedes Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: NOME: Nº.: Exercício On Line (1) A filosofia atingiu

Leia mais

FILOSOFIA MODERNA (XIV)

FILOSOFIA MODERNA (XIV) FILOSOFIA MODERNA (XIV) CORRENTES EPSTEMOLÓGICAS (I) Racionalismo Inatismo: existem ideias inatas, ou fundadoras, de onde se origina todo o conhecimento. Ideias que não dependem de um objeto. Idealismo:

Leia mais

Antecedentes Históricos da Administração. Professor Maurício Teixeira

Antecedentes Históricos da Administração. Professor Maurício Teixeira Antecedentes Históricos da Administração Professor Maurício Teixeira Abordagens Mostrar a história Incipiente preocupação com a Administração na antiguidade Influencias da Administração Filosóficas Da

Leia mais

Afinal, o que é patrimônio cultural?

Afinal, o que é patrimônio cultural? Afinal, o que é patrimônio cultural? http://www.youtube.com/watch?v=6afujb7cuq0&feature=relmfu São considerados patrimônio cultural : - os monumentos: obras arquitetônicas, esculturas ou pinturas monumentais,

Leia mais

Museu de História de Ningbo, China

Museu de História de Ningbo, China Museu de História de Ningbo, China Fendas nos espaços internos e terraços externos oferecem vistas da cidade, dos campos de arroz e do relevo do entorno. Em um distrito da cidade de Ningbo, na China, funciona

Leia mais

Os Sociólogos Clássicos Pt.2

Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Max Weber O conceito de ação social em Weber Karl Marx O materialismo histórico de Marx Teoria Exercícios Max Weber Maximilian Carl Emil Weber (1864 1920) foi um intelectual

Leia mais

Não é possível pensar em sociedade separada do espaço que ocupa.

Não é possível pensar em sociedade separada do espaço que ocupa. O ESPAÇO GEOGRÁFICO As sociedades humanas desenvolvem, durante sua história, modos próprios de vida. Estes decorreram da combinação de formas de subsistência material - com culturas diversas -, de diferentes

Leia mais

O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea.

O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea. O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea. Professor: Danilo Borges A Idade Média não alterou substancialmente

Leia mais

SOCIALISMO. Educação igual para todos. História da Educação. Prof. Manoel dos Passos da Silva Costa

SOCIALISMO. Educação igual para todos. História da Educação. Prof. Manoel dos Passos da Silva Costa SOCIALISMO Educação igual para todos Prof. Manoel dos Passos da Silva Costa 1 Do movimento popular pela democratização do ensino forma-se o pensamento pedagógico socialista. PLATÃO (427-347 a.c.) República:

Leia mais

A ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL E SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES

A ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL E SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO Curso: Técnico em Edificações Disciplina: ICCC I Introdução à Construção Civil I Professora:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ /

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ / Lei nº 1.589/2010 Regulamenta a implantação de CONDOMÍNIO RESIDENCIAL HORIZONTAL e CONDOMÍNIO RESIDENCIAL VERTICAL e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUAÇU, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO Na segunda metade do século XVIII, a Inglaterra iniciou um processo que teve consequências em todo o mundo. Esse novo sistema de produção modificou as relações

Leia mais

ANEXO FOTOGRÁFICO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL

ANEXO FOTOGRÁFICO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL ANEXO FOTOGRÁFICO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL FOTO 01 Palacete em ruínas, conhecida como Vila Charquetti. UTM: 675.284 me X 7.252.158 mn. FOTO 02 Detalhe da ornamentação na fachada principal. UTM:

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE HISTÓRIA

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE HISTÓRIA INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE HISTÓRIA INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE HISTÓRIA O QUE É HISTÓRIA? História é uma palavra com origem no antigo termo grego "historie", que significa "conhecimento através da investigação".

Leia mais

SOCIOLOGIA NO ENSINO MÉDIOM. Prof. Dieikson de Carvalho

SOCIOLOGIA NO ENSINO MÉDIOM. Prof. Dieikson de Carvalho SOCIOLOGIA NO ENSINO MÉDIOM Prof. Dieikson de Carvalho O estudo da Sociologia Por que estudar a sociedade em que vivemos? Não basta vivê-la? É possível conhecer a sociedade cientificamente? A sociologia

Leia mais

LE CORBUSIER Conceitos, importância e principais obras

LE CORBUSIER Conceitos, importância e principais obras LE CORBUSIER Conceitos, importância e principais obras Foto de Le Corbusier SUMÁRIO 1-Dados pessoais 2-Conceitos do arquiteto 3-Importância Cinco pontos da nova arquitetura 4- Principais obras 5-Conclusão

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DA PALMÉIA Antiga Estação Moçambo Da Cia. Mogyana De Estradas De Ferro.

ESCOLA MUNICIPAL DA PALMÉIA Antiga Estação Moçambo Da Cia. Mogyana De Estradas De Ferro. ESCOLA MUNICIPAL DA PALMÉIA Antiga Estação Moçambo Da Cia. Mogyana De Estradas De Ferro. O que hoje é um bairro da zona rural de Muzambinho, já foi uma importante estação ferroviária no início do Século

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO GABARITO DISCURSIVA- COMPONENTE ESPECÍFICO ARQUITETURA E URBANISMO QUESTÃO 28 O edifício administrativo da Larkin, projetado por Frank Lloyd Wright em 1904, e o edifício administrativo da Seagram, projetado

Leia mais

Unidade: Introdução à Sociologia

Unidade: Introdução à Sociologia Unidade: Introdução à Sociologia Construção do conhecimento em sociologia Senso comum: conjunto de opiniões, recomendações, conselhos, práticas e normas fundamentadas na tradição, nos costumes e vivências

Leia mais

Teoria de Karl Marx ( )

Teoria de Karl Marx ( ) Teoria de Karl Marx (1818-1883) Professora: Cristiane Vilela Disciplina: Sociologia Bibliografia: Manual de Sociologia. Delson Ferreira Introdução à Sociologia. Sebastião Vila Sociologia - Introdução à

Leia mais

Resolução de Questões do Enem

Resolução de Questões do Enem Resolução de Questões do Enem Resolução de Questões do Enem 1. Sempre teceremos panos de seda E nem por isso vestiremos melhor Seremos sempre pobres e nuas E teremos sempre fome e sede Nunca seremos capazes

Leia mais

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO Contexto Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Crise do Antigo

Leia mais

Edifício São Marcos REGISTRO E DESCRIÇÃO DE UMA OBRA MODERNA

Edifício São Marcos REGISTRO E DESCRIÇÃO DE UMA OBRA MODERNA REGISTRO E DESCRIÇÃO DE UMA OBRA MODERNA A cidade de João Pessoa, na Paraíba, possui bastantes obras modernas importantes e interessantes, mas que não foram levantadas devidamente, para fins acadêmicos.

Leia mais

THEATRO BERNARDO GUIMARÃES

THEATRO BERNARDO GUIMARÃES THEATRO BERNARDO GUIMARÃES Localizado na Avenida Dr. Américo Luz, n.º 143, está o Theatro Bernardo Guimarães que foi construído no final do século passado, por volta de 1.890, data aproximada, uma vez

Leia mais

Índice de ilustrações

Índice de ilustrações Sumário RESUMO...8 ABSTRACT...9 APRESENTAÇÃO...10 INTRODUÇÃO...11 Capítulo 1 - As cidades do tempo ausente...25 1.1 Razão e sensibilidade...26 1.2 Tempo ausente e pós-modernidade...32 1.3 As cidades do

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO. AUGUSTE COMTE E O PENSAMENTO POSITIVISTA Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir do Prado 2013

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO. AUGUSTE COMTE E O PENSAMENTO POSITIVISTA Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir do Prado 2013 CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO AUGUSTE COMTE E O PENSAMENTO POSITIVISTA Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir do Prado 2013 A Sociologia enquanto ciência Augusto Comte (1798 1857) francês, autor de Catecismo

Leia mais

O Centro da Indústria, Arte e Cidade inscreve-se na nova Praça da Liberdade como um instrumento potencializador desse abrangente projeto de futuro.

O Centro da Indústria, Arte e Cidade inscreve-se na nova Praça da Liberdade como um instrumento potencializador desse abrangente projeto de futuro. O Circuito Cultural é parte de um grande projeto de reestruturação de Belo Horizonte, visando adequá-la aos requisitos dos grandes centros metropolitanos do séc. XXI. O Centro da Indústria, Arte e Cidade

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho. Desenho Artístico. Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma.

Desenho Técnico. Desenho. Desenho Artístico. Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma. Desenho Técnico Desenho Técnico e CAD Prof. Luiz Antonio do Nascimento Desenho 2/29 Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma. Pode ser: Desenho Artístico

Leia mais

CURSO: ARQUITETURA E URBANISMO TURNO: MANHÃ PERÍODO: 1º TURMA: 06011

CURSO: ARQUITETURA E URBANISMO TURNO: MANHÃ PERÍODO: 1º TURMA: 06011 CURSO: ARQUITETURA E URBANISMO TURNO: MANHÃ PERÍODO: 1º TURMA: 06011 PSICOLOGIA E SOC. DO PSICOLOGIA E SOC. DO PSICOLOGIA E SOC. DO MODERNA E CONTEMPORÂNEA INTERNACIONAL PLÁSTICA COMPOSIÇÕES PSICOLOGIA

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho. Desenho Artístico. Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma.

Desenho Técnico. Desenho. Desenho Artístico. Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma. Desenho Técnico Desenho Técnico e CAD Prof. Luiz Antonio do Nascimento Desenho 2/29 Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma. Pode ser: Desenho Artístico

Leia mais

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo.

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. FILOSOFIA MODERNA Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. Período histórico: Idade Moderna (século XV a XVIII). Transformações que podemos destacar: A passagem do feudalismo para o capitalismo

Leia mais

Mudanças políticas pós-liberalismo

Mudanças políticas pós-liberalismo A cidade pós-liberal Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Arquitetura e Urbanismo Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo III TH3 Profa. Ana Paula de Oliveira Zimmermann Doutrina político-econômica

Leia mais

Museu Arqueológico Imagens Missioneiras- Igreja

Museu Arqueológico Imagens Missioneiras- Igreja SÃO NICOLAU 189 SÃO NICOLAU Fundado em 1626, pelo Pe. Roque Gonzales de Santa Cruz, foi a primeira redução do primeiro ciclo missioneiro em terras do Rio Grande do Sul. Teve sua instalação definitiva no

Leia mais

ARQUITETURA SUSTENTÁVEL. Professora: Eliete de Pinho Araujo e alunas: Ana Paula, Carla, Carol Maurício, Karoline e Sandra (Uniceub, 2004).

ARQUITETURA SUSTENTÁVEL. Professora: Eliete de Pinho Araujo e alunas: Ana Paula, Carla, Carol Maurício, Karoline e Sandra (Uniceub, 2004). ARQUITETURA SUSTENTÁVEL Professora: Eliete de Pinho Araujo e alunas: Ana Paula, Carla, Carol Maurício, Karoline e Sandra (Uniceub, 2004). É uma forma de promover a busca pela igualdade social, valorização

Leia mais

Material de Treinamento

Material de Treinamento Material de Treinamento QUEM SOMOS A Via Célere Incorporações Imobiliárias é uma empresa de origem espanhola que possui mais de 25 anos de experiência no mercado de incorporações. Em 2008 o Brasil, em

Leia mais

GEOGRAFIA BACHARELADO E LICENCIATURA. COORDENADOR Eduardo José Pereira Maia

GEOGRAFIA BACHARELADO E LICENCIATURA. COORDENADOR Eduardo José Pereira Maia GEOGRAFIA BACHARELADO E LICENCIATURA COORDENADOR Eduardo José Pereira Maia eduardomaia@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 333 Bacharelado ATUAÇÃO O profissional de Geografia deve ter um perfil que o

Leia mais

Currículo do Curso de Geografia

Currículo do Curso de Geografia Currículo do Curso de Geografia Bacharelado ATUAÇÃO O profissional de Geografia deve ter um perfil que o capacite a compreender os elementos e processos concernentes ao espaço natural e ao espaço construído,

Leia mais

PROGRAMA DA PÓS-GRADUAÇÃO. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Franca. Foucault, a história e os modos de subjetivação no Ocidente

PROGRAMA DA PÓS-GRADUAÇÃO. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Franca. Foucault, a história e os modos de subjetivação no Ocidente PROGRAMA DA PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUIÇÃO: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Franca DISCIPLINA: Foucault, a história e os modos de subjetivação no Ocidente PROFESSOR: Dr. Jean Marcel Carvalho

Leia mais

I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU

I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU PROVA BA 2º SEMESTRE AU I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU Projeto de Arquitetura e Urbanismo I 1. Espaço Público e Espaço

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MONITORIA HISTÓRIA - DISCURSIVA

EXERCÍCIOS DE MONITORIA HISTÓRIA - DISCURSIVA 1ª série Ens. Médio EXERCÍCIOS DE MONITORIA HISTÓRIA - DISCURSIVA Prof.: Adelarmo Luís Carvalho 1. (Unicamp 2010) Na Europa, até o século XVIII, o passado era o modelo para o presente e para o futuro.

Leia mais

Plano de Paris. Universidade Federal do Paraná Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação 20º EVINCI Outubro Antonella Arcoverde Gobbo

Plano de Paris. Universidade Federal do Paraná Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação 20º EVINCI Outubro Antonella Arcoverde Gobbo Universidade Federal do Paraná Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação 20º EVINCI Outubro 2012 Antonella Arcoverde Gobbo INICIAÇÃO CIENTÍFICA PESQUISA VOLUNTÁRIA 2012 Plano de Paris Contribuições para

Leia mais

18926 Diário da República, 2.ª série N.º de junho de 2013

18926 Diário da República, 2.ª série N.º de junho de 2013 18926 Diário da República, 2.ª série N.º 111 11 de junho de 2013 Unidades Curriculares do Plano de Estudos anterior Unidades Curriculares do Plano de Estudos agora publicado Optativa**......................

Leia mais

Papel: contribuir para a compreensão da natureza e funcionamento da tradição humana.

Papel: contribuir para a compreensão da natureza e funcionamento da tradição humana. 1 Antropologia, a Ciência do homem A ciência - antropologia divide-se em dois campos: 1) Antropologia Física - Refere-se à forma Física do Homem (biologia humana); 2) Antropologia Social - Comportamento

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES CONTEÚDOS CURRICULARES Informática Aplicada à Educação Carga Horária: 40 horas Histórico da informática na educação. Familiarização com softwares, sistemas Operacionais

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : CIÊNCIAS ECONÔMICAS. CRÉDITOS Obrigatórios: 152 Optativos: 24.

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : CIÊNCIAS ECONÔMICAS. CRÉDITOS Obrigatórios: 152 Optativos: 24. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:11:59 Curso : CIÊNCIAS

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS 12) Segundo Marx,as relações de produção ou a natureza da produção e a organização do trabalho, determinam a organização de uma sociedade em um específico momento histórico. Em relação ao pensamento de

Leia mais

Código: PUER0001 Obrigatória : Eletiva : Sim Período : 8º Carga Horária : 60 HORAS. Número de Créditos: TEÓRICO 04; PRÁTICOS 00; TOTAL: 04

Código: PUER0001 Obrigatória : Eletiva : Sim Período : 8º Carga Horária : 60 HORAS. Número de Créditos: TEÓRICO 04; PRÁTICOS 00; TOTAL: 04 Disciplina: PLANEJAMENTO URBANO Código: PUER0001 Obrigatória : Eletiva : Sim Período : 8º Carga Horária : 60 HORAS Número de Créditos: TEÓRICO 04; PRÁTICOS 00; TOTAL: 04 Pré-Requisito: ARQUITETURA Co-Requisito:

Leia mais

quarta-feira, 4 de maio de 2011 A CRISE DO ANTIGO REGIME O ILUMINISMO

quarta-feira, 4 de maio de 2011 A CRISE DO ANTIGO REGIME O ILUMINISMO A CRISE DO ANTIGO REGIME Definição: movimento filosófico, intelectual e científico que contrariou as bases do Antigo Regime; Quando: século XVIII; Onde? ING (início), FRA (auge); Quem? O iluminismo representou

Leia mais

Curso de História. Prof. Fabio Pablo. efabiopablo.wordpress.com

Curso de História. Prof. Fabio Pablo. efabiopablo.wordpress.com efabiopablo.wordpress.com Conteúdo O humanismo e o Renascimento Cultural Marco Polo. Multimídia A arte renascentista e o mecenato A Revolução Científica #Conceito O Renascimento foi um movimento artístico,

Leia mais

História das artes e estética. UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2!!! Prof. M.Sc. KAREN KELES!

História das artes e estética. UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2!!! Prof. M.Sc. KAREN KELES! UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2 Prof. M.Sc. KAREN KELES Curso Arquitetura e Urbanismo Carga Horária 80 Horas - 4 horas semanais Ementa: Estética como campo filosófico. 66 horas teórica - prática

Leia mais

Bateria de Sociologia I trimestre

Bateria de Sociologia I trimestre Colégio: Nome: Nº Professor (a): Série: 1º ano Data: / /2014 Bateria de Sociologia I trimestre Turma: 01. Qual é o papel da reforma protestante na ideia do individuo. 02. Qual é o papel da língua para

Leia mais

Como surgiram os MITOS?

Como surgiram os MITOS? PENSAMENTO MÍTICO MITO MITO Nasce do desejo de entender o mundo para afugentar o medo e a insegurança. é um relato de algo fabuloso que se supõe ter acontecido num passado remoto e quase sempre impreciso.

Leia mais

GRUPOS DE PLANTAS ORNAMENTAIS UTILIZADAS NO PAISAGISMO NOS CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DA CIDADE DE LAVRAS-MG.

GRUPOS DE PLANTAS ORNAMENTAIS UTILIZADAS NO PAISAGISMO NOS CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DA CIDADE DE LAVRAS-MG. GRUPOS DE PLANTAS ORNAMENTAIS UTILIZADAS NO PAISAGISMO NOS CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DA CIDADE DE LAVRAS-MG. PATRÍCIA DUARTE DE OLIVEIRA PAIVA 1 ; PAULO ROBERTO CORRÊA LANDGRAF 2 ; PETTERSON BAPTISTA DA

Leia mais

Currículos dos Cursos UFV. GEOGRAFIA Bacharelado e Licenciatura. COORDENADOR Leonardo Civale

Currículos dos Cursos UFV. GEOGRAFIA Bacharelado e Licenciatura. COORDENADOR Leonardo Civale 150 Currículos dos Cursos UFV GEOGRAFIA Bacharelado e Licenciatura COORDENADOR Leonardo Civale civale@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2013 151 Bacharelado ATUAÇÃO O profissional de Geografia deve ter

Leia mais

22/08/2014. Tema 6: Ciência e Filosofia. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes. Ciência e Filosofia

22/08/2014. Tema 6: Ciência e Filosofia. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes. Ciência e Filosofia Tema 6: Ciência e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Ciência e Filosofia Ciência: vem do latim scientia. Significa sabedoria, conhecimento. Objetivos: Conhecimento sistemático. Tornar o mundo compreensível.

Leia mais

Currículo - Versão para Imprimir

Currículo - Versão para Imprimir Currículo BACHARELADO EM FILOSOFIA s Obrigatorios: 144 s Eletivos: 28 s Complementares: 6 Semestre selecionado: 2013/1 Etapa 1 HUM01059 HUM01502 HUM01060 HISTÓRIA DA FILOSOFIA GREGA LÓGICA I - A Etapa

Leia mais

Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética

Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética. Definições e Conceitos O termo ética deriva do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa). Ética

Leia mais

História do Direito Português Turma A Regente: Prof. Doutor António Pedro Barbas Homem. Introdução

História do Direito Português Turma A Regente: Prof. Doutor António Pedro Barbas Homem. Introdução História do Direito Português 2015-2016 Turma A Regente: Prof. Doutor António Pedro Barbas Homem Introdução Capítulo 1 Idade Média Capítulo 2 Idade Moderna Capítulo 3 Idade Contemporânea: século XIX (1820-1910)

Leia mais

Mormu pioneiro. e da habitação em. social

Mormu pioneiro. e da habitação em. social ID: 62771243 21-01-2016 Tiragem: 12402 País: Portugal Period.: Diária Âmbito: Economia, Negócios e. Pág: 20 Cores: Cor Área: 4,54 x 30,73 cm² Corte: 1 de 1 o arquitecto Nuno Teotónio Pereira bateu-se pelos

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico DESENHO ARQUITETÔNICO I O Projeto Arquitetônico O que é um projeto arquitetônico? É uma representação em um plano das projeções de uma edificação. Possui três fases: 1. Fase preliminar - Estudo da viabilidade

Leia mais

Modernidade: o início do pensamento sociológico

Modernidade: o início do pensamento sociológico Modernidade: o início do pensamento sociológico Os dois tipos de solidariedade Solidariedade Mecânica Solidariedade Orgânica Laço de solidariedade Consciência Coletiva Divisão social do trabalho Organização

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano 2014 Título do Projeto: Cozinha da igreja São Pedro Tipo de Projeto:

Leia mais

1º ano. Cultura, Diversidade e o Ser Humano

1º ano. Cultura, Diversidade e o Ser Humano Culturas, Etnias e modernidade no mundo e no Brasil A diversidade cultural Capítulo 11 - Item 11.4 O choque entre culturas e etnocentrismo Capítulo 11 Relativismo cultural e tolerância Capítulo 11 Civilização

Leia mais

CURSO: JORNALISMO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: JORNALISMO EMENTAS º PERÍODO CURSO: JORNALISMO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: TEORIAS DA COMUNICAÇÃO Estudo do objeto da Comunicação Social e suas contribuições interdisciplinares para constituição de uma teoria da comunicação.

Leia mais

O mito moderno da natureza intocada: Antônio Carlos Diegues

O mito moderno da natureza intocada: Antônio Carlos Diegues O mito moderno da natureza intocada: Antônio Carlos Diegues Antônio Ruas: Professor Universitário UERGS, Gestão Ambiental Sanitarista - Escola de Saúde Pública 1. Nas pgs 17-18 texto: 1. qual a origem

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

GESTÃO EM SAÚDE. Teorias da Administração. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira

GESTÃO EM SAÚDE. Teorias da Administração. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira 1 GESTÃO EM SAÚDE Teorias da Administração - 2 DEFINIÇÕES GESTÃO - engloba pessoas, processos e planejamento. ADMINISTRAÇÃO - finanças, contabilidade e mercado. 3 DEFINIÇÕES O conceito de administração

Leia mais

HORÁRIO º Período - Turma: 06011A

HORÁRIO º Período - Turma: 06011A HORÁRIO 2016.1 MANHÃ 1º Período - Turma: 06011A Geometria Gráfica Geometria Gráfica Geometria Gráfica Desenho Artístico História das Artes Desenho Artístico História das Artes Desenho Artístico História

Leia mais

1B Aula 01. O Iluminismo

1B Aula 01. O Iluminismo 1B Aula 01 O Iluminismo O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo O Iluminismo foi acima de tudo uma revolução cultural porque propôs uma nova forma de entender a sociedade e significou uma transformação

Leia mais

Povoamento disperso; económicas predominantes: agricultura, pecuária e silvicultura.

Povoamento disperso; económicas predominantes: agricultura, pecuária e silvicultura. Ano Lectivo 2010/2011 Geografia 8º Ano de escolaridade Professora Márcia Monsanto Áreas de fixação humana Espaço rural: Povoamento disperso; Actividades económicas predominantes: agricultura, pecuária

Leia mais

Cliente: Itaú Cultural Veículo: IstoÉ Gente Online Data: 14/01/2015 Página: 01 Seção: Home

Cliente: Itaú Cultural Veículo: IstoÉ Gente Online Data: 14/01/2015 Página: 01 Seção: Home Página: 01 Página: 02 Paisagens brasileiras Depois de quatro anos de reformas, o Itaú Cultural, em São Paulo, abre para o público o Espaço Olavo Setubal, que exibirá as mais importantes representações

Leia mais

ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO)

ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO) ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO) Cumprido o tronco comum, para perfazer os 180 créditos ECTS, o aluno pode optar por um ou dois majors, por um major e dois

Leia mais

PURP 63 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA. AP 10 UP 8 INSTITUTO DE METEOROLOGIA (INMET), CEB e CAESB

PURP 63 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA. AP 10 UP 8 INSTITUTO DE METEOROLOGIA (INMET), CEB e CAESB AP 10 UP 8 Folha 1 / 6 AP 10 UP 8 Folha 2 / 6 DISPOSITIVOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO VALOR PATRIMONIAL PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO A ATRIBUTOS DE CONFIGURAÇÃO URBANA: TECIDO (MALHA

Leia mais

PARECER DOS RECURSOS

PARECER DOS RECURSOS Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Concurso Público de Ingresso no Magistério Público Estadual EDITAL Nº 21/2012/SED PARECER DOS RECURSOS CARGO: Professor de Sociologia 12) Assinale

Leia mais

Vista aérea da região de Patamares - foto em junho de 2011

Vista aérea da região de Patamares - foto em junho de 2011 Imagem ilustrativa Imagine acordar bem cedo, ver a beleza do mar e colocar os pés na areia da praia. Levar o seu filho para a escola, bem pertinho de onde você mora, e poder encontrá-lo mais rápido no

Leia mais

Roteiro para Recuperação anual Filosofia 2014

Roteiro para Recuperação anual Filosofia 2014 CENTRO EDUCACIONAL JUSCELINO KUBITSCHEK 6º Ano Ensino Fundamental 5ª série (6º Ano): Unidade 3 do livro: O homem é a medida de todas as coisas O que é o homem? O homem é uma máquina que pensa. O homem

Leia mais

Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção

Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção de evolução social na compreensão deste sociólogo sobre

Leia mais

Instituição: Colégio Mauá Professor: Marcelo Tatsch Disciplina: Geografia

Instituição: Colégio Mauá Professor: Marcelo Tatsch Disciplina: Geografia Otawa - Canadá Washington D.C Cidade do México - México Instituição: Colégio Mauá Professor: Marcelo Tatsch Disciplina: Geografia ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA URBANIZAÇÃO E POPULAÇÃO - formação das metrópoles

Leia mais

Um ensaio sobre criacionismo e evolucionismo. Judith Sonja Garbers Psicóloga e Especialista em Teologia

Um ensaio sobre criacionismo e evolucionismo. Judith Sonja Garbers Psicóloga e Especialista em Teologia Um ensaio sobre criacionismo e evolucionismo Judith Sonja Garbers Psicóloga e Especialista em Teologia História do Evolucionismo I A Teoria da evolução é fruto de um conjunto de pesquisas, ainda em desenvolvimento,

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Fundamentos e Metodologia nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental II Código da Disciplina: EDU 325 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável:

Leia mais

Análise Territorial do Conjunto Habitacional do Monte Verde Florianópolis - SC

Análise Territorial do Conjunto Habitacional do Monte Verde Florianópolis - SC Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Arquitetura e Urbanismo Disciplina : Teoria Urbana Acadêmicas: Ana Luiza Tomasi, Natália Moneró, Greice Merin Moresco, Thiele Londero. Análise Territorial

Leia mais

HISTORIOGRAFIA EM TRABALHO E EDUCAÇÃO

HISTORIOGRAFIA EM TRABALHO E EDUCAÇÃO HISTORIOGRAFIA EM TRABALHO E EDUCAÇÃO O termo historiografia significa a graphia ou a escrita da história. Seus significados correntes são a arte de escrever a história e os estudos históricos e críticos

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/UEFS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/UEFS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Componente Curricular: Filosofia Código: CTB - 110 CH Total: 60h Pré-requisito: Filosofia Geral Período Letivo: 2014. 2 Turma: 1º semestre Professor: Ana Paula dos Santos Lima

Leia mais