UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ ELZI CRIPPA DA SILVA PACOTE TURISTICO HISTÓRICO-CULTURAL E NATURAL PARA O MAR GROSSO HOTEL EM LAGUNA/SC.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ ELZI CRIPPA DA SILVA PACOTE TURISTICO HISTÓRICO-CULTURAL E NATURAL PARA O MAR GROSSO HOTEL EM LAGUNA/SC."

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ ELZI CRIPPA DA SILVA PACOTE TURISTICO HISTÓRICO-CULTURAL E NATURAL PARA O MAR GROSSO HOTEL EM LAGUNA/SC. Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI Centro de Ciências Sociais Aplicadas Comunicação, Turismo e Lazer São José 2008

2 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI UNIVALI ELZI CRIPPA DA SILVA PACOTE TURISTICO HISTÓRICO-CULTURAL E NATURAL PARA O MAR GROSSO HOTEL EM LAGUNA/SC. Trabalho de Conclusão de curso apresentado como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Turismo e Hotelaria, na Universidade do Vale do Itajaí, Centro de Ciências Sociais Aplicadas Comunicação, Turismo e Lazer Campus São José. Orientadora: Profª MSc.Renata Silva São José 2008

3 ELZI CRIPPA DA SILVA PACOTE TURISTICO HISTÓRICO-CULTURAL E NATURAL PARA O MAR GROSSO HOTEL EM LAGUNA/SC. Este trabalho de conclusão de curso apresentado como requisito parcial para a obtenção do título de bacharel em Turismo e Hotelaria, da Universidade do Vale do Itajaí, Centro de Ciência Sociais Aplicadas Comunicação, Turismo e Lazer e examinado pelos seguintes professores: Profª MSc.Renata Silva UNIVALI Orientadora Profª Vivian Staroski UNIVALI Membro Examinador Profª Flávia Deucher Sécca UNIVALI Membro Examinador

4 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ Curso de Turismo e Hotelaria José Roberto Provesi Reitor Mário César dos Santos Vice-Reitor Valdir Cechinel Filho Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão Amândia Maria de Borba Pró-Reitora de Ensino Mércio Jaconsen Secretário Executivo Carlos Alberto Tomelin Diretor do Centro de Ciências Aplicadas Comunicação, Turismo e Lazer Silvia Regina Cabral Coordenadora do Curso de Turismo e Hotelaria Arno Minella Responsável de Estágio Curso de Turismo e Hotelaria São José 2008

5 v Dedico este trabalho a minha família em especial a meus pais Walmecir e Viviane e meus irmão Peterson, Denise e Stewson, e meu namorado Ricardo pela compreensão durante estes meses de trabalho e por todo amor, carinho e incentivo, na realização deste curso.

6 AGRADECIMENTOS Em primeiro lugar a Deus, por ter me dado força e segurança para a realização deste trabalho. Ao meu anjo que esta no céu, que sei que esta sempre ao meu lado, meu avô Alberto Crippa. Aos meus pais Walmecir Jorge Rampinelli, Joelson da Silva (Ausente, mas amo muito) e Viviane Catary Crippa, aos meus irmãos por mais que estavam ausentes, sei que torciam por mim, Denise Crippa, Stewson Crippa e Peterson Crippa que estava ao meu lado o tempo todo me incentivando ao estudo. A professora orientadora Renata Silva pela dedicação e paciência. A toda minha família, em especial a minha Dinda (Maria Helena) que por mais que esteja passando por um problema de saúde, sei que tudo irá dar certo, e ela sempre estará pensando positivo. A turma do Hevillys sempre, principalmente minha amigona do coração Josiane, que por mais que estávamos separadas, sempre acreditou em mim. A minha grande amiga do coração que sempre puxando minha orelha me deu muita força Lú Wilpert. E sem duvida ao meu grande amor Ricardo que apesar de tudo esteve ao meu lado, todo o momento deste período difícil e muito importante da minha vida. A todos, MUITO OBRIGADO! E que Deus abençoe TODOS, SEMPRE!!! vi

7 "Nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se encontra todos os segredos, inclusive o da felicidade." vii [Charles Chaplin]

8 RESUMO O turismo é um dos maiores segmentos da economia mundial, com considerável potencial de geração de emprego e renda. No município de Laguna, o turismo se desenvolve muito mais no período de alta temporada. Por esse motivo surgiu a proposta de pacote turístico no período de sazonalidade, nos aspectos histórico-cultural e natural na cidade. Este projeto destaca a importância dos turistas para o desenvolvimento da divulgação do município e do hotel, que tem como objetivo a satisfação dos clientes, otimização de tempo e custos. Os pacotes turísticos são meios para diminuir a sazonalidade no período na baixa temporada. Contudo, o diferencial do pacote, incluindo passeios, hospedagem e guias qualificados, possibilita ao cliente deste hotel ter um melhor final de semana em família. Além disso, foi aplicado questionário aos turistas, com intuito de analisar a oferta turística do município Assim propõe-se distribuição de folder s e anúncios, além da adequação de pessoas qualificadas e capacitadas nesta área de divulgação, pois para o bom desempenho é preciso dispor de todos os recursos necessários para que sejam desenvolvidas da melhor forma possível. Mediante aos resultados obtidos, conclui-se que a região encontra-se na sua fase de consolidação, apresentando aspectos a serem melhorados, como por exemplo, a divulgação da região e de tudo de belo que tem a oferecer. O trabalho também analisa a situação atual da empresa, mostrando as diferentes etapas de sua operacionalização, e apresenta os orçamentos para a implantação de ações propostas. O intuito da implantação da proposta está relacionado com a melhora da lucratividade através do pacote turístico no hotel, consolidando a cidade de Laguna/SC. O projeto conta com a realização de quatro dias e três noites, as quais serão baseadas nas diversas visitações histórico-culturais e naturais e o grande espetáculo A República de Laguna. PALAVRAS-CHAVE: Pacote Turístico. Turismo (Histórico-cultural e natural). Mar Grosso Hotel e Laguna. viii

9 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Sistema do Turismo SISTUR Figura 2 Mapa de Laguna Figura 3 Laguna/SC Figura 4 Vista aérea da Praia do Mar Grosso Hotel Figura 5 Pacote Turístico Figura 6 Folder Figura 7 Anúncio no Jornal Figura 8 Anúncio na Rádio Figura 9 Anúncio no site do Mar Grosso Hotel Figura 10 Organograma LISTA DE QUADROS Quadro 1 Cronograma Quadro 2 Tarifa Promocional Quadro 3 Recursos Humanos LISTA DE TABELAS Tabela 1 Orçamento do material gráfico de divulgação (Folders) Tabela 2 Orçamento dos Anúncios Tabela 3 Orçamento de outros serviços prestados aos clientes Tabela 4 Orçamento de custo do hotel xi

10 SUMÁRIO PARTE I - PROJETO DE AÇÃO DEDICATÓRIA... AGRADECIMENTOS... EPÍGRAFE... RESUMO... LISTA DE FIGURAS... LISTA DE QUADRO... LISTA DE TABELA... v vi vii viii xi xi xi 1 INTRODUÇÃO Justificativa Objetivos Objetivo geral Objetivo específicos FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Hotelaria Hotelaria Mundial Hotelaria Brasil Hotelaria em Santa Catarina Tipologia hotelaria Cargos e funções do hotel Histórico do turismo Teoria e definição Tipos de turismo Turismo de lazer Turismo de evento Turismo histórico-cultural e natural Sistema de turismo SISTUR Subsistema ecológico Subsistemas econômico... 50

11 Subsistema social Subsistema cultural Planejamento turístico Sazonalidade Pacote Turístico Marketing turístico DESCRIÇÃO E ANÁLISE DA SITUAÇÃO ATUAL Laguna Hotel Verificação da importância do pacote turístico para os clientes do hotel PROPOSTA DE AÇÃO Definição da proposta Operacionalização Ações/etapas Cronograma Orçamento VIABILIDADE REFÊNCIA APÊNDICE Apêndice A Modelo de pesquisa para os turistas ANEXOS Anexo A Fonte da Carioca Anexo B Casa Pinto D Ulisséa Anexo C Casa de Anita Anexo D Museu Anita Garibaldi Anexo E Marco de Tordesilhas Anexo F Estatua Nossa Senhora da Graça Anexo G Igreja Matriz Santo Antônio dos Anjos Anexo H Farol de Santa Marta

12 Anexo I Pedra do Frade Anexo J Baleia Franca PARTE II RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 IDENTIFICAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO E DO ALUNO Identificação da empresa Identificação do acadêmico JUSTIFICATIVA OBJETIVOS Objetivo geral Objetivos específicos CONTEXTUALIZAÇÃO DA EMPRESA Evolução histórica da organização Infra-estrutura física da empresa Infra-estrutura administrativa Quadro de recursos humanos segundo o organograma Serviços prestados ao cliente DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS POR SETOR Recepção/ Reservas e Administrativo Funções do setor Infra-estrutura do setor Atividades desenvolvidas pelo acadêmico no setor Conhecimentos técnicos adquiridos Aspectos positivos, limitantes e sugestões administrativas Alimentos e Bebidas Funções do setor Infra-estrutura do setor Atividades desenvolvidas pelo acadêmico no setor

13 5.2.4 Conhecimentos técnicos adquiridos Aspectos positivos, limitantes e sugestões administrativas Governança Funções do setor Infra-estrutura do setor Atividades desenvolvidas pelo acadêmico no setor Conhecimentos Técnicos Adquiridos Aspectos positivos, limitantes e sugestões administrativas CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIA ASSESSORIAS TÉCNICAS E EDUCACIONAIS ANEXOS Anexo A Hotel / Prédio Anexo B Entrada do Hotel Anexo C Mesa Café da Manhã Lateral Anexo D Mesa Café da Manhã Frente Anexo E Churrasqueira Coletiva Anexo F Estacionamento Anexo G Cozinha Anexo H Copa Anexo I Rouparia Anexo J Lavabo Anexo K Apartamento Casal Anexo L Apartamento Solteiro Anexo M Apartamento Triplo Anexo N Escritório Proprietário Anexo O Placa em Frente á Avenida Principal Anexo P Visual da Sacada Praia do Mar Grosso Anexo Q Praia Molhes da Barra Anexo R Laguna Antiga Anexo S Folder

14 Anexo T Cartão de Visita Anexo U Cartão Normativo Anexo V Caderno de Entrada e Saída de Hóspedes Anexo X Ficha de Hospedagem Anexo W - Avaliação do Desempenho do Estagiário pela Organização Anexo Y Declaração

15 PROJETO DE AÇÃO PACOTE TURISTICO HISTÓRICO-CULTURAL E NATURAL PARA O MAR GROSSO HOTEL EM LAGUNA/SC.

16 1 INTRODUÇÃO O fenômeno turístico tem ganhado força a cada ano que passa, sendo importante fonte de renda para vários destinos. Vários são os motivos em seus tempos livres ou de lazer. Através disso, vários destinos desenvolvem ações para a captação dessa demanda, de acordo com suas características. A região litorânea do sul de Santa Catarina desenvolve a atividade turística através do recurso mais abundante que são as praias sendo que a maior procura dos turistas é no período de veraneio, devido ao clima subtropical. Entretanto nem todos procuram tais recursos e destinos somente quando o clima lhes é agradável ou favorável, sendo esse um fator muito importante para o desenvolvimento de atividades que atraiam turistas para esta região durante os meses da baixa temporada. O Mar Grosso Hotel está localizado na principal praia (Mar Grosso) de Laguna/SC, com cerca de 1500 m2 de área construída, equipado com 30 apartamentos, estacionamento fechado e coberto, churrasqueira coletiva e uma sala com capacidade de 40 pessoas para diversos eventos. Esta infra-estrutura conta com 08 funcionários suficientes para o atendimento no período de sazonalidade, que compreende entre abril a outubro, mesmo com alguns grandes eventos na cidade (Festa de Santo Antônio e A República em Laguna), inserido nestes meses. Já na alta temporada os números de funcionários dobram para atender a demanda que é muito maior de turistas no hotel. Durante a realização do estágio supervisionado do Curso de Turismo e Hotelaria no Mar Grosso Hotel foi possível observar como é a vivência na baixa e na alta temporada, principalmente a diferença de público entre a baixa e a alta. Como pode ser observado no relatório do estágio foi dado ênfase em três setores: Recepção/Reserva/Administrativo, Alimentos & Bebidas e Governança. É característico este empreendimento possuir uma infra-estrutura pequena, até por ser um hotel mais antigo. Naquela época, há 40 anos atrás, não tinha tantas opções e tecnologia como o Mercado tem hoje. Atualmente o Mar Grosso Hotel enfrenta alguns problemas e o principal é o reflexo da baixa-temporada. Mesmo assim, possuem pouca divulgação o que dificulta ainda mais a identificação do equipamento. Foi dado destaque à sazonalidade pós verão e por isso a idéias para melhorar a baixa deste período. Ao identificar esta situação foi possível trabalhar ferramentas que proporcionem melhor divulgação do hotel assim como de toda a cidade de Laguna/SC, tendendo a melhorar também a procura no período fraco.

17 Por ser um hotel de menor porte, aconchegante e familiar e com diárias acessíveis é possível observar que para o seu melhoramento, principalmente em época sazonal no hotel, se faz necessário propor pacotes turísticos nos segmentos histórico-cultural e natural, para o Mar Grosso Hotel na cidade de Laguna/SC. Segundo dados da ABIH-SC (2008): Atualmente Santa Catarina conta com cerca de meios de hospedagem entre hotéis, pousadas, hotéis fazendas, albergues, hospedarias e outros. A predominância é de hotéis do tipo tradicional, com administração familiar, embora tenha crescido nos últimos anos a presença de hotéis de rede no Estado e a profissionalização da empresas do tipo familiar. O objetivo primordial é aumentar o número de hóspedes no Mar Grosso Hotel, mostrando as potencialidades, atratividades e diversão que o município dispõe para uma boa estadia. 1.1 Justificativa Há muitos anos existe a idéia de que Laguna é uma cidade que vive apenas do turismo de verão, aquele que movimenta o município apenas entre o Natal e o Carnaval, época em que o clima favorece a utilização das praias (Prefeitura Municipal de Laguna, 2008). Hoje, Laguna está se modificando aos poucos para receber os turistas o ano todo, com eventos tradicionais já existentes há alguns anos no período de sazonalidade. É importante ressaltar, que, pela tradição de ser uma cidade calma, com excelente qualidade de vida, onde a segurança é satisfatória do que nos grandes centros, como Rio de Janeiro, São Paulo e muitas capitais do Nordeste brasileiro, muitos turistas acabam trazendo a família, independente da época do ano, para uns dias de folga. É pensando em cada um destes vários tipos de turistas que chegam à cidade os de verão, os de lazer, os de acaso, os que vêm visitar familiar e amigos que está sendo pensado/criado o pacote turístico na baixa-temporada, para atrair turistas para a cidade de Laguna / SC, para conhecer as belezas naturais e histórico-culturais que a cidade tem a oferecer e também que o turista sinta a satisfação de estar hospedado em um hotel como se

18 fosse a sua própria casa fora de casa. Trata-se de uma ferramenta de turismo simples e mais barata. Levando todos estes aspectos em consideração, o autor Oliveira (2001, p.36) conceitua turismo da seguinte forma: Denomina-se turismo o conjunto de resultados de caráter econômico, financeiro, político, social e cultural, produzidos numa localidade, decorrentes da presença temporária de pessoas que se deslocam de seu local habitual de residência para outros, de forma espontânea e sem fins lucrativos. Mas nem todos procuram tais recursos e destinos somente quando o clima lhe é agradável ou favorável, sendo esse um fator muito importante para o desenvolvimento de atividades que atraiam turistas para esta região durante os meses da baixa temporada. Observando todo o funcionamento do turismo na cidade de Laguna percebem-se então algumas deficiências, estando entre elas ás formas de desenvolvimento da atividade turística, os tipos de público que freqüentam a cidade, o problema da sazonalidade que dificulta a vida dos empreendedores na baixa temporada, e o mau aproveitamento de toda sua extensão com seus diversos atrativos. Laguna a mais de 40 anos recebe visitantes para turismo cultural, histórico, de lazer e religioso. A praia Mar grosso é considerada a principal de Laguna e possui atualmente 11 estabelecimentos hoteleiros, sendo que o mais afastado está há 300 metros da sua orla. O Mar grosso Hotel, com quase 40 anos, atravessa dificuldades de captação de novos clientes, já que sua estrutura física, antiga, o desfavorece em relação aos outros equipamentos mais novos que também buscam o mesmo publico. Assim, o hotel esta oferecendo um diferencial que seria pacote turístico, além dos clientes já fidelizados, também abre espaço para um novo publico que prefere um ambiente mais casual, informal e caseiro. Esta proposta aumenta o potencial deste estabelecimento dentro do Mercado nesta cidade. 1.2 Objetivos Objetivo geral Propor pacote turístico histórico-cultural e natural, no período de sazonalidade dentro do Mar Grosso Hotel, destacando a cidade de Laguna/SC.

19 1.2.2 Objetivos específicos - Identificar a importância do desenvolvimento do pacote turístico para os clientes do Mar Grosso Hotel; - Verificar os eventos que serão realizados na cidade no segundo semestre de 2008 e aliar aos projetos do hotel; - Definir data, atrações e acompanhamento aos turistas; - Apresentar os serviços turísticos de alimentação, hospedagem e transporte para o pacote turístico; - Definir ações de marketing para divulgação de pacotes turísticos.

20 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 2.1 Hotelaria Hotelaria Mundial. Segundo Campos e Gonçalves (1998), não se sabe ao certo quando e como surgiu a atividade hoteleira no mundo. De acordo com Costa (apud CANDIDO; VIEIRA, 2004, p.68), o que se conhece hoje da história da hospedagem no mundo, é que hospedar pessoas é uma prática muito antiga. Supõe-se que esta atividade tenha nascido da necessidade natural que os viajantes têm de procurar abrigo, apoio e alimentação durante suas viagens. Para Barbosa e Leitão (2005), há quem acredite que um turismo embrionário era praticado por povos primitivos ainda na pré-história, quando decidiam viajar até o mar e retornavam. Assim, foi na Grécia, alguns séculos antes da era cristã (mais precisamente no século VII a.c.), que se teve a notícia do primeiro hotel construído. Num primeiro momento no Santuário de Olímpia, lugar onde eram realizados os jogos olímpicos, foram construídos o estádio e o pódio, e então mais tarde foram acrescentados os balneários e uma hospedaria capaz de abrigar os visitantes (CAMPOS; GONÇALVES, 1998, p.72) e os atletas que vinham para os eventos desportivos realizados a cada quatro anos na cidade-estado de Olímpia. Os jogos olímpicos motivaram as primeiras viagens de lazer. Por isso, segundo Barbosa e Leitão (2005), a expansão do Império Romano fez surgir um intenso intercâmbio comercial, dando origem também, a viagens de lazer em que não faltavam atrações, como: espetáculos circenses e lutas de gladiadores. Desse modo, comparado aos gregos, tem-se a mesma contribuição por parte das termas romanas, pois estas se destinavam ao lazer, contribuindo com cômodos para os usuários descansarem. Dependendo do status do cliente, poderiam ser oferecidos aposentos luxuosos e de grandes dimensões ou aposentos menores, mais simples e até de uso coletivo. Tanto gregos, como os romanos tiveram grande influência na evolução da hotelaria. No entanto, os romanos destacaram-se mais por serem ótimos construtores de estradas, propiciando dessa forma, uma expansão de viagem por seus territórios e o surgimento de abrigos para os viajantes Campos e Gonçalves (1998). Todos os territórios europeus dominados por Roma adaptaram sua cultura

21 à arte de hospedar, fazendo com que ao longo de suas estradas surgissem às pousadas. Nessa época, todos os estabelecimentos deveriam obedecer a regras muito rígidas, como por exemplo: não poderiam aceitar nenhum hóspede que não tivesse uma carta de recomendação assinada por uma autoridade, mesmo estando a serviço do imperador. Com o uso do cavalo como meio de transporte nas vias e estradas romanas, surgiram novos tipos de hospedagem: o stabuluna (ofereciam hospedagem para o viajante e tratamento para a montaria); as mutationes (mantidas pelo Estado, destinado à troca de animais e repouso dos viajantes); as mansiones (destinados a abrigar tropas militares em marcha) e as tarbenae (lugares em que se vendiam produtos da terra, comidas e bebidas), além de pequenas pousadas ao redor dessas (BARBOSA; LEITÃO, 2005). De acordo com Campos e Gonçalves (1998), nas grandes e refinadas mansiones (grandes hotéis situados ao longo da rodovia) essas regras eram seguidas a risca, mas o mesmo não acontecia nas pequenas pousadas ao seu redor. Essas hospedarias eram muito numerosas e davam nome a alguns lugares, como: Circus ou Via Appia, onde ocorriam toda sorte de orgias, crimes e desordens. Em épocas de intrigas políticas e intensa luta pelo poder, os magistrados mantinham essas pousadas sobre extrema vigilância, já que civis, militares e funcionários do correio ali se hospedavam. Chegavam até a pagar certa quantia para os donos de hotéis relatarem o que ouviam dos hóspedes. Esse panorama foi seguido até final da Idade Antiga, pois com a queda do Império Romano as estradas tornaram-se pouco seguras. As Guerras Sucessivas e a dificuldade do comércio existir faziam com que se tivessem menos viajantes na estrada. Como não se tinha tantos viajantes, não se tinha tantos hóspedes. Quando necessária, isto é, quando se tinha viagens de caráter religioso (único turismo que passou a existir nessa época), a hospedagem era oferecida pelos monastérios e outras instituições religiosas, pois estas eram mais seguras e confiáveis. Essa hospitalidade tornou-se, mais tarde, uma atividade organizada, com a construção de quartos e refeitórios separados e monges que atendiam exclusivamente aos viajantes. Nesses abrigos, os hóspedes eram obrigados a cuidar da própria alimentação, da iluminação (velas, lampiões, etc.) e das roupas de dormir, além de depender da boa vontade e da acolhida dos responsáveis pelos estabelecimentos. As pousadas que, neste período também atendiam somente aos viajantes religiosos, logo depois assumiram características de negócio lucrativo diante do movimento intenso de soldados, peregrinos e mercadores (BARBOSA; LEITÃO, 2005). No século XIII, como relata Campos e Gonçalves (1998), as viagens pela Europa voltaram a se tornar mais seguras, e com isso, as hospedarias puderam se restabelecer ao longo das rodovias. Ainda neste século, com a mudança do perfil da hotelaria, que passou a

22 ser olhada como uma atividade profissional tem-se a criação do Primeiro Grêmio dos Proprietários de Pousadas, na Itália, em 1282 (BARBOSA; LEITÃO, 2005). Devido a essa rápida expansão, países como França e Inglaterra implantaram leis e normas para regulamentar a atividade hoteleira. Na França, o processo ocorreu mais rápido que na Inglaterra, onde somente em 1514 (século XVI), os hoteleiros de Londres foram reconhecidos legalmente, isto é, passaram de hospedeiros para hoteleiros. Em 1589, foi o ano em que foi editado o primeiro guia de viagens de que se tem notícia. Neste guia, tinham-se bem definidos os diferentes tipos de acomodações disponíveis para viajantes a negócios ou a passeios. No século XVII, consolidavam-se na Europa as diligências, carruagens puxadas por cavalos. Esse novo meio de transporte garantia um grande fluxo constante de hóspedes para pousadas e hotéis das estradas. Muitos serviços de diligências eram oferecidos pelos hotéis. Neles também ficava o terminal de rota e estábulos, diferenciais para poder assegurar clientes para seu estabelecimento. Segundo Campos e Gonçalves (1998), o surgimento das ferrovias (em 1840) proporcionou a reforma e a reconstrução de velhos estabelecimentos e o surgimento de outros em estradas que levavam à capital. As pousadas destinavam seus serviços a um tipo de estação de chegadas e partidas, dispondo também de salas de espera, escritório de reservas tanto de hospedagem como de passagens de diligencias de várias rotas. Com o desaparecimento das diligencias, a rede hoteleira que dependia dela sofreu um forte abalo: tinham-se novas regras de hospedagem e o tempo das viagens diminuirá com a ferrovia, por ser um meio de transporte muito mais rápido. Segundo Costa (2004), foi após a Revolução Industrial que a hospedagem tornou-se uma atividade rentável, de modo que, foi iniciada sua exploração comercial. Para Campos e Gonçalves (1998, p. 77) No final do século XIX, os hóspedes tinham se tornado muito mais exigente o que fez com que surgissem hotéis de grande luxo, como os famosos: Savoy, Ritz, Claridge, Carlton, e outros, que acompanhavam a tendência dos fabulosos trens e navios de passageiros da época. Dessa maneira, os hotéis ganharam forma e organização para atender aos clientes. César Ritz revolucionou a hotelaria tradicional, introduzindo o conceito de apartamento, isto é, quartos com banheiros privativos (COSTA, 2004). Nas palavras de Campos e Gonçalves (1998), a hotelaria americana obedeceu aos critérios europeus, principalmente, o dos ingleses. Devido à ocupação do Oeste do país, onde

23 foi descoberto ouro, surgiram vilas que mais tarde se transformariam em grandes cidades. Nessas cidades tinham-se os chamados saloons, lugares onde, primeiramente, se oferecia comida, bebida e diversão, para depois ter também alojamento para os clientes. As diligências tiveram grande importância nos Estados Unidos, pois incentivaram a hospedagem em fazendas que ficavam no meio da rota para os viajantes. Mas, assim como na Europa, a chegada das ferrovias fez os hotéis se adaptar aos novos tempos. De acordo com Campos e Gonçalves (1998, p. 78), uma característica própria da hospedagem nos EUA, foi o surgimento de hotéis ao longo dos rios navegáveis na forma de grandes embarcações, que ofereciam hospedagem, cassinos e diversão aos clientes. Os primeiros grandes hotéis norte-americanos surgiram na Costa do Atlântico, pois era lá que se tinha grande navegação marítima, o que proporcionava intenso fluxo de passageiros. No século XX, segundo Costa (2004), o trabalho nas indústrias começava a se tornar profissional, de modo que, os profissionais adquiriram o direito às férias. Os hotéis passaram a se ocupar desta nova clientela. Depois da II Guerra Mundial, o crescimento do turismo, devido a uma expansão de renda da população e do aumento do tempo disponível para o lazer (Costa, 2004), estimulou a construção de hotéis em grandes cidades, como nas capitais e nos principais centros de atração turística de diversos países, como: Itália, Dinamarca, Noruega, Espanha, Suécia. Desse modo, se teve o nascimento de grandes corporações hoteleiras, cujos nomes são conhecidos no mundo todo: Accor, Holiday Inn, Hilton, Meridien, Manhattan, entre outros. Por investirem bilhões de dólares e comandarem o mercado, essas grandes redes ditam a evolução dos padrões de hospedagem, equipamentos e serviços, realizando um vasto programa de modernização (CAMPOS; GONÇALVES, 1998). Na década de 70, o turismo passa por inovações e há o aparecimento de hotéis voltados, exclusivamente, para o lazer: os chamados Resorts (COSTA, 2004) Hotelaria no Brasil Segundo Campos e Gonçalves (1998), a enorme dimensão geográfica, a localização privilegiada, e a grande variedade de climas permitem que o Brasil tenha uma exploração turística muito variada, dispondo de grande extensão de litoral, cidades em regiões montanhosas e áreas como o Pantanal Mato-grossense e a Amazônia. A hospedagem é bastante diferenciada nas regiões brasileira, pois cada uma mantém suas características e costumes próprios. Tais características fizeram com que o país tivesse uma vantagem em termos de exploração do potencial turístico.

24 De acordo com Barbosa e Leitão (2005), a carta de Pero Vaz de Caminha ao Rei de Portugal, Dom Manoel, é o primeiro registro de hospedagem no Brasil, pois nela era relatado o contato entre duas tradições de hospitalidade: a indígena e a portuguesa. De um lado, os índios compartilhavam com os navegantes a exuberância da terra em que viviam. De outro lado, os portugueses que herdaram dos antigos a visão sagrada da hospitalidade. Quando surgiram as expedições bandeirantes para explorar o interior do território descoberto, tivemos o primeiro foco de hospedagem no interior do Brasil. Ranchos rústicos e toscos, improvisados à beira da estrada para abrigar os viajantes, assemelhavam-se as antigas estalagens européias, e vieram a se tornar, anos mais tarde, cidades. O Brasil é considerado um país muito jovem, e nossa tradição em hospedagem foram baseados em modelos europeus e, posteriormente, no modelo norte-americano (CAMPOS; GONÇALVES, 1998). Segundo Costa (2004), no Brasil não houve demanda para hotelaria durante muitos anos, pois não se tinham viajantes, nem comércio. No período colonial, os viajantes que vinham ao país hospedavam-se nas casas grandes dos engenhos e fazendas, nos casarões das cidades, ou nos conventos. A gentileza e a generosidade do anfitrião eram fatores importantes de prestigio na sociedade (BARBOSA; LEITÃO, 2005). A hotelaria, em São Paulo, foi impulsionada pelo bom período econômico no Segundo Império. O hotel que marcou a hotelaria em São Paulo foi o Hotel Términus, que se direcionava ao Turismo de Negócios. Já, o Rio de Janeiro caracterizava-se como pólo turístico de lazer, com a construção do Copacabana Palace Hotel (considerado o grande marco da hotelaria no Brasil), construído em 1923, e o Hotel Glória (COSTA, 2004). Os primeiros grandes hotéis brasileiros foram construídos por imigrantes, que viam na nova terra uma possibilidade de sucesso. Quase toda a estrutura desses hotéis era importada, já que o Brasil ainda não era um país industrializado, e por isso não fabricava nenhum dos materiais necessários na construção, como: telhas, azulejos, cerâmicas, móveis, roupas de cama e mesa, etc. De acordo com Campos e Gonçalves (1998), a hotelaria brasileira só começou a crescer em meados do século XIX, quando muitas capitais e cidades grandes ganharam grandes e elegantes hotéis. Foi também quando se intensificaram as viagens em busca de cultura e recreação. A evolução dos meios de transporte (trens, navios) tornou as viagens mais acessíveis para outros segmentos da população que não fossem da nobreza, pois se tem o surgimento da classe média, com melhores salários e maior possibilidade de gastos com lazer (BARBOSA; LEITÃO, 2005). Nas palavras de Barbosa e Leitão (2005), os hotéis de melhor

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem 1º Semestre 2013 O Cadastur Registro Hotel, Hotel histórico, hotel de lazer/resort,

Leia mais

QUEM SOMOS intercâmbio

QUEM SOMOS intercâmbio Inglaterra Mini Programa HIGH SCHOOL QUEM SOMOS intercâmbio O Number One Intercâmbio possui mais de 15 anos de mercado oferecendo as melhores opções de viagem para você e sua família, seja a lazer, trabalho

Leia mais

CRESCIMENTO OFERTA LEITOS (%)

CRESCIMENTO OFERTA LEITOS (%) 3.9 Oferta Turística Para análise da oferta turística em Sergipe, o PDITS Costa dos Coqueirais apresenta a evolução da oferta turística no estado no período 1980-2000. Indica ainda o número atual de quartos

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

HOTELARIA CLÁSSICA X HOTELARIA HOSPITALAR

HOTELARIA CLÁSSICA X HOTELARIA HOSPITALAR HOTELARIA CLÁSSICA X HOTELARIA HOSPITALAR Palestrante: Marilia Mills CONCEITOS Hotelaria Clássica é a reunião de serviços com características próprias e que tem por finalidade oferecer hospedagem, alimentação,

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC 1 INTRODUÇÃO Alice Mecabô 1 ; Bruna Medeiro 2 ; Marco Aurelio Dias 3 O turismo é uma atividade que hoje é considerada um dos meios econômicos que

Leia mais

O turismo e os recursos humanos

O turismo e os recursos humanos Introdução O turismo e os recursos humanos Belíssimas praias, dunas, cachoeiras, cavernas, montanhas, florestas, falésias, rios, lagos, manguezais etc.: sem dúvida, o principal destaque do Brasil no setor

Leia mais

Apartamentos Disponíveis em Salvador

Apartamentos Disponíveis em Salvador Apartamentos Disponíveis em Salvador Não é surpresa que um apartamento em Salvador seja a escolha de muitos compradores que querem viver ou investir nessa linda cidade litorânea. Tem tudo o que um investidor

Leia mais

Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria

Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria Merielle Barbosa Lobo Pró-Saúde Hospital Materno Infantil Tia Dedé Tocantins Brasil merielle.hmitd@prosaude.org.br A ORIGEM DA ATIVIDADE HOTELEIRA O hotel

Leia mais

O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM E A HOTELARIA NO BRASIL

O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM E A HOTELARIA NO BRASIL O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM E A HOTELARIA NO BRASIL Anna Carolina do Carmo Castro Larissa Mongruel Martins de Lara RESUMO: O presente estudo tem por objetivo explicar a

Leia mais

QUEM SOMOS intercâmbio

QUEM SOMOS intercâmbio alemanha Programa HIGH SCHOOL QUEM SOMOS intercâmbio O Number One Intercâmbio possui mais de 15 anos de mercado oferecendo as melhores opções de viagem para você e sua família, seja a lazer, trabalho ou

Leia mais

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA Viviane Santos Salazar 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 O mercado Crescimento da demanda por hospedagem Copa do Mundo Olimpíadas Qual a representatividade

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1 ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1 1. Localização (discriminação): Municípios de Viçosa do Ceará, Ipú, Tianguá, Ubajara, São Benedito, Carnaubal e Guaraciaba do Norte. (Total de

Leia mais

TRANSFORMANDO OPORTUNIDADES EM RESULTADOS:

TRANSFORMANDO OPORTUNIDADES EM RESULTADOS: TRANSFORMANDO OPORTUNIDADES EM RESULTADOS: O Médio Vale do Itajaí é uma das regiões mais desenvolvidas de SC. Um fator primordial para esse potencial econômico é a sua tradição industrial, que faz com

Leia mais

www.redeadm.com.br Fortaleza-CE

www.redeadm.com.br Fortaleza-CE www.redeadm.com.br Fortaleza-CE 03 Conhecendo a RAH. Seu hotel, flat ou condomínio em ótimas mãos. Com a RAH Rede Administradora Hoteleira, você tem à sua disposição uma empresa que garante a melhor administração

Leia mais

QUEM SOMOS intercâmbio

QUEM SOMOS intercâmbio Nova Scotia Programa HIGH SCHOOL QUEM SOMOS intercâmbio O Number One Intercâmbio possui mais de 15 anos de mercado oferecendo as melhores opções de viagem para você e sua família, seja a lazer, trabalho

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

Artigo 16 Como montar uma Cafeteira

Artigo 16 Como montar uma Cafeteira Artigo 16 Como montar uma Cafeteira O consumo de café é um hábito entre os brasileiros, seja em casa, no trabalho ou na rua. Esse hábito vem crescendo e se modificando também. O interesse pelos cafés finos

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

Invista no hotel certo

Invista no hotel certo Invista no hotel certo O QUE VOCÊ PROCURA EM UM INVESTIMENTO HOTELEIRO ESTÁ AQUI. A economia de minas gerais cresce acima da média nacional: 5,15% no 1º trim./2011. Fonte: Informativo CEI-PIB MG _Fundação

Leia mais

CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO

CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO EMPREENDIMENTOS DE PEQUENO PORTE 01 APRESENTAÇÃO MELNICK EVEN DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Melnick Even, com 20 anos de atuação no mercado gaúcho

Leia mais

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA Nome: Péricles Santos Matos No. USP 5200617 Curso ECA: Turismo Dados do Intercâmbio Universidade:_Universidade de Coimbra Curso: Turismo, Lazer e Patrimônio Período:

Leia mais

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM Imagens para explicar que às vezes o turista quer um lugar simples, no meio da natureza para descansar, basta estar limpo, asseado e arejado, nem todos querem luxo, existe vários perfis de clientes.(grifo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER PESQUISA DA OFERTA DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM NO MUNICÍPIO DE ITAPEMA Janeiro UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA. Iron House Real Estate

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA. Iron House Real Estate INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Iron House Real Estate São Paulo-SP, 18 novembro de 2013 Herton Ferreira Cabral Junior FOLHA DE APROVAÇÃO

Leia mais

Por que Investir em Caldas Novas-GO? E Por que o Mirante da Serra?

Por que Investir em Caldas Novas-GO? E Por que o Mirante da Serra? Por que Investir em Caldas Novas-GO? E Por que o Mirante da Serra? Grupo Di Roma investe R$ 147 milhões em Caldas Novas --------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007.

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. Aprova as Instruções Gerais para o Funcionamento dos Hotéis de Trânsito do Exército (IG 30-52). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições

Leia mais

TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1

TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1 TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1 Amanda Fantatto de Melo 2 ; Priscilla Gomes Welter 3 ; Sônia R. de S. Fernandes 4 INTRODUÇÃO O turismo

Leia mais

IDENTIFICANDO O HÓSPEDE EM PONTA GROSSA ATRAVÉS DO MÉTODO DE PESQUISA DE DEMANDA

IDENTIFICANDO O HÓSPEDE EM PONTA GROSSA ATRAVÉS DO MÉTODO DE PESQUISA DE DEMANDA 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( X) TRABALHO (

Leia mais

Hudson At Avenue One. San Jose, Califórnia, Estados Unidos. A Mais Nova Vila Urbana De San Jose

Hudson At Avenue One. San Jose, Califórnia, Estados Unidos. A Mais Nova Vila Urbana De San Jose Hudson At Avenue One A Mais Nova Vila Urbana De San Jose San Jose, Califórnia, Estados Unidos Hudson At Avenue One San Jose, Califórnia, Estados Unidos O Avenue One é a única vila urbana no coração de

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO 1 DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO Cesar Simões Salim Professor e Autor de livros de empreendedorismo cesar.salim@gmail.com Visite meu blog: http://colecaoempreendedorismo.blogspot.com/

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

UMA ANÁLISE SOBRE AS DIVERSAS PAISAGENS DA LAGOA MAIOR EM TRÊS LAGOAS/MS

UMA ANÁLISE SOBRE AS DIVERSAS PAISAGENS DA LAGOA MAIOR EM TRÊS LAGOAS/MS UMA ANÁLISE SOBRE AS DIVERSAS PAISAGENS DA LAGOA MAIOR EM TRÊS LAGOAS/MS Cínthia dos Santos Sêna 1 Esp Luziane Albuquerque 2 RESUMO O presente trabalho visa analisar as diversas paisagens que compõem a

Leia mais

Campus Cabo Frio. Projeto: Incubadora de Empresas criação de emprego e renda.

Campus Cabo Frio. Projeto: Incubadora de Empresas criação de emprego e renda. Campus Cabo Frio Trabalho de Microeconomia Prof.: Marco Antônio T 316 / ADM Grupo: Luiz Carlos Mattos de Azevedo - 032270070 Arildo Júnior - 032270186 Angélica Maurício - 032270410 Elias Sawan - 032270194

Leia mais

RÁDIO E TV TÉCNICO EM ATUAÇÃO NO MERCADO

RÁDIO E TV TÉCNICO EM ATUAÇÃO NO MERCADO O CEET - Centro Estadual de Educação Técnica Vasco Coutinho é uma Instituição de Ensino criada e mantida pelo Governo do Estado do Espírito Santo e transferido através da lei n 9.971/12, para Secretaria

Leia mais

COMO VIAJAR BARATO EM 7 SIMPLES PASSOS O Seu guia definitivo para viajar pelo mundo sem gastar uma fortuna.

COMO VIAJAR BARATO EM 7 SIMPLES PASSOS O Seu guia definitivo para viajar pelo mundo sem gastar uma fortuna. COMO VIAJAR BARATO EM 7 SIMPLES PASSOS O Seu guia definitivo para viajar pelo mundo sem gastar uma fortuna. aprendaaviajarbarato.com.br ALINE BALTAZAR 1 Don t let your dreams be dreams... Jack Johnson

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/2015

PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/2015 PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/2015 1- JUSTIFICATIVA O setor de eventos vem passando por uma grande reformulação. Dos eventos corporativos, hoje mais bem estruturados e com foco específico,

Leia mais

CUMBUCO: TURISMO E NEGÓCIO

CUMBUCO: TURISMO E NEGÓCIO C U M B U C O CONCEITO STYLE CUMBUCO é um conceito de unidade habitacional que inclui em um único produto uma série de características e vantagens exclusivas. Projetadas por Joélio Araújo, de Fortaleza,

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia Universidade Estácio de Sá Turismo, Hotelaria e Gastronomia A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

WORLD CUP Turistas África do Sul, Junho/2010

WORLD CUP Turistas África do Sul, Junho/2010 WORLD CUP Turistas do Sul, Junho/20 Total: 4.835 entrevistas : 46% (n=2.204) : 4% (n=202) : 41% (n=2.000) : 6% (n=307) : 3% (n=122) Perfil dos entrevistados PRINCIPAL FINANCIADOR DA VIAGEM Está pagando

Leia mais

UNIBRASIL Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO

UNIBRASIL Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO UNIBRASIL Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CURITIBA 2011 CURSO DE TURISMO ESCOLA DE NEGÓCIOS MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Ao fazer o

Leia mais

SEJAM BEM VINDOS. Colégio Incomar - 9ºano / Lumiar Turismo

SEJAM BEM VINDOS. Colégio Incomar - 9ºano / Lumiar Turismo SEJAM BEM VINDOS Colégio Incomar - 9ºano / Lumiar Turismo Sitio Carroção Data com disponibilidade: 20 a 23 de dezembro de 2015 VIAGEM DE FORMATURA Sítio do Carroção: O Sítio do Carroção é o único resort

Leia mais

SINDUSCON PREMIUM 2014 LITORAL NORTE CATEGORIA: EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO DESTAQUE REGIÃO TRAMANDAÍ/IMBÉ

SINDUSCON PREMIUM 2014 LITORAL NORTE CATEGORIA: EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO DESTAQUE REGIÃO TRAMANDAÍ/IMBÉ SINDUSCON PREMIUM 2014 LITORAL NORTE CATEGORIA: EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO DESTAQUE REGIÃO TRAMANDAÍ/IMBÉ APRESENTAÇÃO BÁRIL A Báril começou em Porto Alegre em 1994, construindo edifícios residenciais.

Leia mais

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015 V.4 - N.4 - Setembro de 2015 Vilma Lúcia da Silva 05 Assessora de Comunicação do Parque da Cidade Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal Só no mês de setembro o Parque da Cidade recebeu

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 042, DE 11 DE MAIO DE 2011 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 297ª Reunião Ordinária, realizada em 11 de maio de 2011, e considerando

Leia mais

Construindo do seu jeito

Construindo do seu jeito Construindo do seu jeito Editorial Construindo do seu jeito Qual o seu estilo de viver? Com liberdade ou prefere exclusividade? Preza pela comodidade, tecnologia, estética ou funcionalidade? Não precisa

Leia mais

MERCURE SALVADOR RIO VERMELHO HOTEL

MERCURE SALVADOR RIO VERMELHO HOTEL LOCAL DO EVENTO O XLI CONSOLDA 2015 será realizado de 12 a 15 de outubro no MERCURE SALVADOR RIO VERMELHO HOTEL - Rua Fonte do Boi 215 - Rio Vermelho, Salvador-BA - 41940-360 Fone: (71) 3172-9200. Mercure

Leia mais

Country Club at ChampionsGate

Country Club at ChampionsGate Country Club at ChampionsGate Equilíbrio Entre Vida Ativa E Relaxamento Ao Estilo De Resort ChampionsGate, Flórida, Estados Unidos Country Club at ChampionsGate ChampionsGate, Flórida, Estados Unidos Ótima

Leia mais

José Elias, 141. Conceito:

José Elias, 141. Conceito: Conceito: menu No meio do jardim tem um escritório. Na beira da janela, uma floreira. Na alma,inspiração. Nasce no ponto mais valorizado do Alto da Lapa o único projeto comercial que leva o verde para

Leia mais

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico, Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, Lote 6, 1050-124 Lisboa Tel. 211 140 200 Fax. 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Na faculdade (Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz") fui muito bem recebida, a professora que me orientou esteve sempre disponível, os

Na faculdade (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) fui muito bem recebida, a professora que me orientou esteve sempre disponível, os O que me levou a participar no programa de mobilidade foi a vontade de sair do país, aproveitando as oportunidades daí decorrentes, para ver como é lá fora, poder ter um termo de comparação, além da oportunidade

Leia mais

São Paulo. O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios. tsando@visitesaopaulo.com

São Paulo. O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios. tsando@visitesaopaulo.com São Paulo O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios São Paulo Convention & Visitors Bureau Fundação 25 de Janeiro Entidade estadual, mantida pela iniciativa privada. Captação e apoio

Leia mais

O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem

O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem escolheu o Solar Tambaú. Localizado à beira-mar de

Leia mais

De que jeito se governava a Colônia

De que jeito se governava a Colônia MÓDULO 3 De que jeito se governava a Colônia Apresentação do Módulo 3 Já conhecemos bastante sobre a sociedade escravista, especialmente em sua fase colonial. Pouco sabemos ainda sobre a organização do

Leia mais

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine Turismo de (bons) negócios 26 KPMG Business Magazine Segmento ganha impulso com eventos internacionais e aumento da demanda interna Eventos mobilizaram mais de R$ 20,6 bilhões em 2011 A contagem regressiva

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Existe apagão de hotéis no Brasil? O setor diz que não. Reportagem do portal Exame.com 28/04/2011

Urban View. Urban Reports. Existe apagão de hotéis no Brasil? O setor diz que não. Reportagem do portal Exame.com 28/04/2011 Urban View Urban Reports Existe apagão de hotéis no Brasil? Reportagem do portal Exame.com 28/04/2011 Problemas de superlotação são pontuais, segundo hoteleiros e consultores trânsito da cidade ficasse

Leia mais

OPÇÕES DE TURISMO DURANTE A FEIRA EM JOINVILLE

OPÇÕES DE TURISMO DURANTE A FEIRA EM JOINVILLE OPÇÕES DE TURISMO DURANTE A FEIRA EM JOINVILLE Roteiro Turístico por Joinville Saída do Hotel e iniciando pelo Museu da Imigração, Rua das Palmeiras, Panorâmico nas Praças do Imigrantes, da Barca, Prefeitura

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

www.idestur.org.br - info@idestur.org.br

www.idestur.org.br - info@idestur.org.br ROTEIROS PAULISTAS DE TURISMO EQUESTRE O Turismo Eqüestre que tem nos eqüídeos o principal atrativo ou, pelo menos, uma das principais motivações, já é reconhecido em diferentes países como um importante

Leia mais

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Clipping. Vantagens de casas e apartamentos em condomínios fechados. 35ª Edição Comercial - Maio de 2013 de 2012

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Clipping. Vantagens de casas e apartamentos em condomínios fechados. 35ª Edição Comercial - Maio de 2013 de 2012 + Boletim de Conjuntura Imobiliária 35ª Edição Comercial - Maio de 2013 de 2012 Secovi-DF, Setor de Diversões Sul, Bloco A, nº44, Centro Comercial Boulevard,Salas 422/424, (61)3321-4444, www.secovidf.com.br

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora

Leia mais

Fluxos de capitais, informações e turistas

Fluxos de capitais, informações e turistas Fluxos de capitais, informações e turistas Fluxo de capitais especulativos e produtivos ESPECULATIVO Capital alocado nos mercados de títulos financeiros, ações, moedas ou mesmo de mercadorias, com o objetivo

Leia mais

REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO

REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO Esta Carta de Compromisso expressa o propósito de seus signatários anfitriões cariocas e os agentes profissionais que os representam de oferecer hospedagem

Leia mais

BRASIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOIS LAJEADOS LEI MUNICIPAL Nº 460/95

BRASIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOIS LAJEADOS LEI MUNICIPAL Nº 460/95 BRASIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOIS LAJEADOS LEI MUNICIPAL Nº 460/95 INSTITUI O PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO A CONSTRUÇÃO OU AMPLIA- ÇÃO DE EDIFICAÇÃO COM FINALIDADE HOTELEIRA,

Leia mais

Planejamento de Marketing

Planejamento de Marketing PARTE II - Marketing Estratégico - Nessa fase é estudado o mercado, o ambiente em que o plano de marketing irá atuar. - É preciso descrever a segmentação de mercado, selecionar o mercado alvo adequado

Leia mais

Novas matrizes para Classificação Hoteleira. Selo de Qualidade em Turismo. Estudo de Viabilidade para implantação de Hotel Conceito

Novas matrizes para Classificação Hoteleira. Selo de Qualidade em Turismo. Estudo de Viabilidade para implantação de Hotel Conceito Novas matrizes para Classificação Hoteleira Selo de Qualidade em Turismo Estudo de Viabilidade para implantação de Hotel Conceito Brasília, 13 de janeiro de 2010 Novas matrizes para Classificação Hoteleira

Leia mais

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: LISTZ MADRUGA VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA:

Leia mais

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online.

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Assunto E-commerce Metodologia Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Quantidade de entrevistas realizadas: 1.652 mulheres Perfil: 18 a 50 anos Mercado: Brasil

Leia mais

3. TURISMO EM AMBIENTES AQUÁTICOS. 3.3 Mercado de turismo náutico no Brasil;

3. TURISMO EM AMBIENTES AQUÁTICOS. 3.3 Mercado de turismo náutico no Brasil; 3. TURISMO EM AMBIENTES AQUÁTICOS 3.3 Mercado de turismo náutico no Brasil; Breve panorama do mercado de turismo náutico (ou das atividades de lazer náutico?) no Brasil O mercado náutico de lazer envolve

Leia mais

L B O C A L I Z A R ÇÃO A S I L

L B O C A L I Z A R ÇÃO A S I L L O C A L I Z A Ç Ã O BRASIL L O C A L I Z A Ç Ã O B R A S I L B R A S I L NOVA REALIDADE 6º PIB DO MUNDO 5ª MAIOR ECONOMIA EM 2015 OLIMPÍADAS E COPA DO MUNDO U M P A Í S EM DESTAQUE SANTA CATARINA L O

Leia mais

A decolagem do turismo

A decolagem do turismo A decolagem do turismo OBrasil sempre foi considerado detentor de um enorme potencial turístico. Em 1994, no entanto, o país recebeu menos de 2 milhões de turistas internacionais, um contingente que, na

Leia mais

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45%

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45% 1 2 A FECOMÉRCIO SC, com o intuito de mapear o perfil do turista e do empresário do turismo de carnaval em Santa Catarina, realizou uma pesquisa com esses públicos nas quatro cidades de maior movimento

Leia mais

FRANQUIA O BOTICÁRIO SÃO FRANCISCO DO SUL (SC) RELAÇÃO COM A COMUNIDADE

FRANQUIA O BOTICÁRIO SÃO FRANCISCO DO SUL (SC) RELAÇÃO COM A COMUNIDADE FRANQUIA O BOTICÁRIO SÃO FRANCISCO DO SUL (SC) RELAÇÃO COM A COMUNIDADE RESUMO A reconstituição e o resgate da memória do centro de histórico da cidade foi o audacioso trabalho que a franquia O Boticário

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

Hotel Green Hill, tudo para sua felicidade num só lugar!

Hotel Green Hill, tudo para sua felicidade num só lugar! Apresentação Você está prestes a conhecer a mais completa e inovadora proposta de hospedagem, lazer, entretenimento e eventos da região. Com estrutura diversificada e qualidade de atendimento, o Hotel

Leia mais

Conforto + Praticidade = Sucesso Absoluto.

Conforto + Praticidade = Sucesso Absoluto. 1 2 2 3 Conforto + Praticidade = Sucesso Absoluto. O melhor custo-benefício transformado num diferencial único. Construtora Souza Maria No mercado desde 2001, a Construtora Souza Maria atua nos segmentos

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 06.02.15 EDITORIA: CAPA E CIDADES

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 06.02.15 EDITORIA: CAPA E CIDADES FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 06.02.15 EDITORIA: CAPA E CIDADES Classificação: Positiva VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 06.02.15 EDITORIA: ECONOMIA Classificação: Positiva VEÍCULO: TRIBUNA DO

Leia mais

Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo. Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001

Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo. Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001 Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001 A Diretoria da EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo, no uso de suas atribuições

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning.

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. Autor(a): Gliner Dias Alencar Coautor(es): Joaquim Nogueira Ferraz Filho, Marcelo Ferreira de Lima, Lucas Correia de Andrade, Alessandra

Leia mais

AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO SUSTENTABILIDADE DOS CAMPOS GERAIS ROTA DOS TROPEIROS : ANÁLISE DE CONTEXTO ATUAL

AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO SUSTENTABILIDADE DOS CAMPOS GERAIS ROTA DOS TROPEIROS : ANÁLISE DE CONTEXTO ATUAL AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO SUSTENTABILIDADE DOS CAMPOS GERAIS ROTA DOS TROPEIROS : ANÁLISE DE CONTEXTO ATUAL Graziela Scalise Horodyski Tatiene Konig da Silva RESUMO: Este trabalho consiste

Leia mais

Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui.

Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui. Beira-Mar de São José kplatz.com.br Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui. Crescer e se desenvolver. Palavras-chave que destacam a Região Metropolitana da Grande Florianópolis. As mais

Leia mais

Hotel Pousada. Nosso Hotel possui os seguintes tipos de apartamentos:

Hotel Pousada. Nosso Hotel possui os seguintes tipos de apartamentos: Hotel Pousada Onde tudo começou! O Hotel Pousada está localizado no interior do complexo, em local mais que privilegiado entre o Parque das Fontes e a entrada do Hot Park. É o local perfeito para aproveitar

Leia mais

Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS.

Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS. Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS. Assim, foram selecionados profissionais experientes nessa área

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER PESQUISA DA OFERTA DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM NO MUNICÍPIO DE LUIS ALVES Janeiro 2013 UNIVERSIDADE DO VALE

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

Trabalho submetido ao XVIII Prêmio Expocom 2011, na Categoria Cartaz Avulso, modalidade cartaz avulso.

Trabalho submetido ao XVIII Prêmio Expocom 2011, na Categoria Cartaz Avulso, modalidade cartaz avulso. RESUMO Email Marketing: Pós-Graduação em Arquitetura Contemporânea 1 Silvia Fernanda Santos de SENA 2 Thiago Jerohan Albuquerque da Cruz 3 Fernando Israel FONTANELLA 4 Universidade Católica de Pernambuco,

Leia mais

ESTRADA REAL. Melhor época

ESTRADA REAL. Melhor época ESTRADA REAL Bem-vindo(a) ao Brasil do século XVIII. Era ao longo destes caminhos que as coisas aconteciam durante os 100 anos em que este foi o eixo produtivo mais rico do jovem país que se moldava e

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Segmentação do mercado Caracterização dos entrevistados Percepções sobre o turismo no Brasil V. Hábitos e comportamentos sobre turismo VI. VII. VIII. Prioridade de investimento

Leia mais

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / /

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / / FICHA DE CADASTRO EMPRETEC Município Data: / / Caro Empreendedor, Obrigado por seu interesse pelo Empretec, um dos principais programas de desenvolvimento de empreendedores no Brasil e no Mundo! As questões

Leia mais

Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1. Introdução

Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1. Introdução Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1 Introdução A Música e as artes quando praticada como atividade profissional, não é diferente de qualquer outra área de conhecimento. A formação de um músico

Leia mais

HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO

HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO Karla Cristinni Canteri 1 Larissa Mongruel Martins De Lara 2 RESUMO O presente resumo visa apresentar as novas tendências

Leia mais

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - CCT CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS - CESA MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS TURÍSTICOS MPGNT ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

Leia mais