INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER"

Transcrição

1 INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER

2 TIPOS DE DETECTORES DE FUMAÇA ü Detector de fumaça fotoelétrico 1. Câmera ótica 2. Protetor 3. Caixa 4. Fotodiodo 5. Led Infravermelho

3 TIPOS DE DETECTORES DE FUMAÇA ü Detector de fumaça iônico ü Elemento fracamente radioativo Am241 ü Qualquer partícula de fumaça que entre na câmera de ionização pode reduzir ou impedir a corrente, gerando um alarme

4 PERGUNTAS FREQUENTES P1 - Qual a diferença entre detector de fumaça endereçável e o convencional? Os detectores de fumaça convencionais não podem ser identificados individualmente e sim por zona, os detectores de fumaça endereçáveis são identificados pela central de incêndio individualmente porque cada sensor possui um endereço único P2- Qual o tipo de sensor mais adequado : fotoelétrico ou Iônico? É a pergunta errada. A resposta depende do tipo de material combustível existente no local a ser protegido. Os sensores óticos são mais rápidos que os iônicos na detecção de fumaça oriunda de incêndios latentes, mais lentos. Em incêndios rápidos e com muitas chamas os sensores iônicos são mais rápidos e fazem a detecção 30 segundos mais cedo do que o detector ótico. No entanto, devido a dificuldade de descarte dos detectores iônicos, devido aoelemento radioativo, os fabricantes deixaram de produzir.

5 PERGUNTAS FREQUENTES P3 - Quantos sensores de fumaça devem ser instalados num ambiente? Depende. Na existência de sistema de arcondicionado que realiza até 08 trocas de ar por hora, a área de cobertura de um detector de fumaça é de 81m2. Para maiores detalhes consultar norma NBR P4- Quais os locais onde NÃO se deve instalar um sensor de fumaça? ü Onde ocorra forte formação de pó, vapor de água ou fumaça; ü Na proximidade de campos elétricos ( por ex. Lâmpadas fluorescentes distancia mínima de 50cm); ü Locaiscom temperaturas inferiores a 0ºCou superiores a 50ºC..

6 SISTEMA DE AR CONDICIONADO Você só está lendo este texto graças a um sistema de climatização. Essa ligação entre o ar condicionado e os computadores é indireta, mas determinante. O Centro de Processamento de Dados (CPD), conhecido em inglês como Data Center, é o local onde são concentrados os equipamentos de processamento e armazenamento de informações de médias e grandes empresas, a fim de permitir o funcionamento eficiente das redes de computadores. O CPDé composto por diversos armáriosmetálicos (racks), comcabos elétricos e de dados, que liberam uma enorme quantidade de calor. Caso não haja um sistema de refrigeração de confiança, é possível que ocorra um superaquecimento, acarretando sérios problemas para os equipamentos e consequentemente na transmissão dos dados contidos.

7 O que é calor sensível? SISTEMA DE AR CONDICIONADO TIPOS DE CALOR Calor responsável por alterar a temperatura do ar, como por exemplo motores, computadores, iluminação, entre outros. O que é calor latente? Calor responsável por alterar a umidade do ar, como evaporação de água e transpiração das pessoas. INFORMAÇÃO IMPORTANTE Para ambientes de climatização de conforto comum, a relação entre o calor sensível e calor latente é de cerca de 70% (70% sensível e 30% latente). Para ambiente de CPD, a relação entre o calor sensível e calor latente é de cerca de 90% (90% sensível e 10% latente). Sendo assim, o sistema de climatização que atender um ambiente de CPD deve ter capacidade de retirar calor sensível, o que é feito insuflando altas vazões de ar no local.

8 SISTEMA DE AR CONDICIONADO Qual equipamento é o ideal? ü Split para pequenos Data Center; É necessário um cuidado especial para que a instalação não seja realizada acima de um rack. Um possível problema de vazamento na evaporadora poderá danificar os equipamentos do ambiente. ü Sistemas dutados (precisão) : built in, roof top, self contained, entre outros. São muito mais eficientes que os centrais comuns, possuem alto índice de automação com sistemas de alerta contra alteração da temperatura e umidade, alertasde falha, entre outros

9 INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA De acordo com a NBR , a área de cobertura dos detectores de fumaça não sofrerá alterações se esta for de até 08 trocas de ar por hora. Tabela NBR17240

10 INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA

11 INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA

12 PERGUNTAS FREQUENTES P1 Como eu sei quantas trocas de ar por hora o sistema de ar condicionado realiza? Esta informação deve ser fornecida pelo fabricante do sistema de ar condicionado. P2 O sistemas de detecção precoce (aspiração) sofrem com as mesmas interferências do arcondicionado? Não. Os sistemas de detecção precoce possuem outro princípio de funcionamento e detecção. Os sistemas succionam o ar full time para uma câmara interna do equipamento que faz a leitura deste ar. P3 Quando vale a pena instalar detectores pontuais de fumaça ou sistema de detecção precoce? Tudo irá depende da quantidade de trocas de ar/hora e tempo de resposta esperada para a detecção. P4 Posso utilizar um sistema de detecção precoce para realizar disparo de agente limpo (FM200; Novec 1230, etc)? Sim, desde que seja utilizado 02 sistemas de detecção precoce.

13 INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DÚVIDAS?

14 ESPECIALISTAS EM PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO Projeto Instalação Manutenção Assistência Técnica Nas disciplinas: ü ü ü ü ü ü Sprinklers Hidrantes Espuma Detecção e Alarme CO2 e Agentes Limpos Regularização Corpo de Bombeiros

15 Qualidade... Comprometido com a qualidade de seus serviços, o Grupo ICS realiza pesquisas de satisfação com todos os seus clientes. AVALIAÇÃO MÉDIA:9,64 O grupo ICS utiliza o método NPS (Net Promoter Score) - amplamente aplicado por empresas de todo o mundo - para medir o nível de satisfação dos Clientes por meio de uma pesquisa que avalia o quanto você recomendaria a companhia para amigos e familiares. Respostas de 102 clientes

16 O Reconhecimento... v 100 maiores empresas do segmento de serviços especiais de engenharia Revista O Empreiteiro (54 posição) v Entre as 100 PME s que mais crescem no Brasil Deloitte e Revista Exame (26 posição)

17 OBRIGADO! Felipe Melo

MANUAL DE SERVIÇO. Condicionadores de Ar Split High-Wall. Modelos LX-HX

MANUAL DE SERVIÇO. Condicionadores de Ar Split High-Wall. Modelos LX-HX Condicionadores de Ar Split High-Wall Modelos LX-HX Prezado Assistente Técnico, Este documento foi desenvolvido com o objetivo de proporcionar a você, o maior número de informações possíveis, buscando

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO BRASIL Com a moderna forma de viver, existe maior exposição ao risco de incêndio. Vídeo desenvolvido,

Leia mais

TM-182 REFRIGERAÇÃ ÇÃO O E CLIMATIZAÇÃ ÇÃO. Prof. Dr. Rudmar Serafim Matos

TM-182 REFRIGERAÇÃ ÇÃO O E CLIMATIZAÇÃ ÇÃO. Prof. Dr. Rudmar Serafim Matos Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica TM-182 REFRIGERAÇÃ ÇÃO O E CLIMATIZAÇÃ ÇÃO Prof. Dr. Rudmar Serafim Matos A carga térmica é a quantidade de calor

Leia mais

SENSOR STK 903 SENSOR DE FUMAÇA FOTOELÉTRICO STK SAMTEK

SENSOR STK 903 SENSOR DE FUMAÇA FOTOELÉTRICO STK SAMTEK SENSOR DE FUMAÇA FOTOELÉTRICO STK 903 www.samtek.com.br Agradecemos a sua preferência por nossos produtos. Nossos produtos possuem vários certificados nacionais e internacionais sendo projetados de modo

Leia mais

Tecnologias para Extinção de incêndio

Tecnologias para Extinção de incêndio Tecnologias para Extinção de incêndio Apresentação referente às tecnologias disponíveis para extinção de incêndio. Adelmiro Mendes Ferreira 1 3M No mundo e no Brasil 2 112 anos de fundação nos EUA, 68

Leia mais

SENSOR STK 461 SENSOR STK SAMTEK

SENSOR STK 461 SENSOR STK SAMTEK SENSOR STK 461 www.samtek.com.br Agradecemos a sua preferência por nossos produtos. Nossos produtos possuem vários certificados nacionais e internacionais sendo projetados de modo a oferecer a máxima segurança

Leia mais

Msc. Eng. Fernando Pozza

Msc. Eng. Fernando Pozza Sistemas de Climatização por Condensação a Ar: Maximizando o Desempenho do Sistema em Cargas Parciais Através da Análise do Perfil de Temperaturas Externas Msc. Eng. Fernando Pozza Situação da Energia

Leia mais

Controlador climatização, s/ ajuste, com entrada binária 4 canais

Controlador climatização, s/ ajuste, com entrada binária 4 canais Controlador climatização, s/ ajuste, com entrada binária 4 canais N.º art...2178 ORTS.. Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser

Leia mais

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE COORDENAÇÃO DE MANUTENÇÃO SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE COORDENAÇÃO DE MANUTENÇÃO SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS Instruções de preenchimento: AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE Para preenchimento desta ficha, sugere-se a participação das equipes Comercial, de Manutenção, de TI, de Meio ambiente, de Operações

Leia mais

26/08/ Agosto/2012

26/08/ Agosto/2012 26/08/2012 1 Agosto/2012 Refrigeração. 26/08/2012 2 Circuito Frigorifico O ciclo de refrigeração ou ciclo frigorífico é um ciclo termodinâmico que constitui o modelo matemático que define o funcionamento

Leia mais

Lista de problemas número 1. Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO

Lista de problemas número 1. Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO Lista de problemas número 1 Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO 1) Determinar as propriedades do R-134 nas seguintes condições: a) t = - 40 o C x = 1 b) p = 1 MPa t = 80 0 C c) p

Leia mais

Projeto Instalação Sala 3D v. 1.0 Pearson Sistemas do Brasil

Projeto Instalação Sala 3D v. 1.0 Pearson Sistemas do Brasil / 2 v..0 Pearson Sistemas do Brasil Pearson Centro de Serviços Compartilhados Rua Deolinda, 70 Jardim Macedo Ribeirão Preto SP Brasil Pág./2 Departamento de Qualidade em TI Fone +55 (6) 3603 9272 2/ 2

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS II. Segurança contra Incêndio - Detecção e Alarme

SISTEMAS PREDIAIS II. Segurança contra Incêndio - Detecção e Alarme PCC-2466 SISTEMAS PREDIAIS II Segurança contra Incêndio - Detecção e Alarme Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio Definição da Norma NBR 9441/98 Sistema constituído pelo conjunto de elementos planejadamente

Leia mais

Sistemas de Ar Condicionado Residenciais

Sistemas de Ar Condicionado Residenciais Eng. Dr. Fulvio Vittorino - IPT 1 Sistemas de Ar Condicionado Residenciais Eng. Dr. Fúlvio Vittorino IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo Objetivo Processos e equipamentos mecânicos

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37 Subestação elétrica SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

Cooperação Brasil Alemanha Programa Energia

Cooperação Brasil Alemanha Programa Energia Cooperação Brasil Alemanha Programa Energia MAPEAMENTO PARA PUBLIC-PRIVATE-PARTNERSHIPS NOS SETORES DE ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ENTRE O BRASIL E A ALEMANHA Raymundo Aragão Anima Projetos

Leia mais

(atualizada em 11/2006) NBR 5667-1:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro fundido dúctil - Parte 1 - Hidrantes de Coluna NBR 5667-2:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro dúctil - Parte 2 - Hidrantes

Leia mais

SUMÁRIO BOTOEIRAS... CABO DE INSTRUMENTAÇÃO... CENTRAIS DE ALARME... Convencional - Endereçável DETECTORES DE FUMAÇA... DETECTORES DE TEMPERATURA...

SUMÁRIO BOTOEIRAS... CABO DE INSTRUMENTAÇÃO... CENTRAIS DE ALARME... Convencional - Endereçável DETECTORES DE FUMAÇA... DETECTORES DE TEMPERATURA... SUMÁRIO BOTOEIRAS... 02-07 CABO DE INSTRUMENTAÇÃO... 08 CENTRAIS DE ALARME... Convencional - Endereçável 09-18 DETECTORES DE FUMAÇA... 19-21 DETECTORES DE TEMPERATURA... 22 PLACAS DE SINALIZAÇÃO... 23-24

Leia mais

Extinção de incêndio. Tecnologias para. Apresentação referente às tecnologias disponíveis para extinção de incêndio. Adelmiro Mendes Ferreira

Extinção de incêndio. Tecnologias para. Apresentação referente às tecnologias disponíveis para extinção de incêndio. Adelmiro Mendes Ferreira Tecnologias para Extinção de incêndio Apresentação referente às tecnologias disponíveis para extinção de incêndio. Adelmiro Mendes Ferreira 1 Adelmiro Mendes Ferreira + De 36 anos de carreira na 3M do

Leia mais

Indicador Digital TM-2000/AN. Manual de usuário Série: E Indicador Digital MAN-DE-TM2000AN Rev.: 02.00/08

Indicador Digital TM-2000/AN. Manual de usuário Série: E Indicador Digital MAN-DE-TM2000AN Rev.: 02.00/08 Indicador Digital TM-2000/AN Manual de usuário Série: E Indicador Digital MAN-DE-TM2000AN Rev.: 02.00/08 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Indicador Digital TM200/ANX. Para garantir o uso correto

Leia mais

SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIARIA. São Paulo, 22 de setembro de 2005

SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIARIA. São Paulo, 22 de setembro de 2005 SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIARIA São Paulo, 22 de setembro de 2005 SISTEMAS PARA DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO Um Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio

Leia mais

SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS

SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS 1 ANEXO I ITUAÇÃO FÍICA PARA CONCEÃO DE EPAÇO COMERCIAI Instruções de preenchimento: Para preenchimento desta ficha sugere-se a participação das equipes Comercial, Manutenção, TI, Meio ambiente, Operações

Leia mais

USO DO APARELHO DE TESTE DE EQUIPAMENTO AUXILIAR DE IP

USO DO APARELHO DE TESTE DE EQUIPAMENTO AUXILIAR DE IP 1/5 1. Objetivo Estabelecer procedimentos para testes de reator, ignitor e polaridade com o aparelho de teste de equipamento auxiliar de IP, para execução de trabalhos de construção e manutenção em iluminação

Leia mais

D10024A Central de Incêndio Analógica Endereçável

D10024A Central de Incêndio Analógica Endereçável Centrais Analógicas Endereçáveis D10024A Central de Incêndio Analógica Endereçável Código do Modelo Código do Pedido Descrição D10024A 4 998 800 570 Central de incêndio analógica endereçável A central

Leia mais

TESTE DE LAMPADAS TL-12

TESTE DE LAMPADAS TL-12 TESTE DE LAMPADAS TL-12 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso TESTE DE LAMPADAS TL-12. Para garantir o uso correto e eficiente do TL-12, leia este manual completo e atentamente para entender como

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO CATEGORIA: BOTOEIRAS / ACIONADORES MANUAIS SUBCATEGORIA: ACIONADORES MANUAIS DE ALARME DE INCÊNDIO Acionador Manual de Alarme de Incêndio À Prova de Tempo IP54 Quebra Vidro Código: AFAM1PT. O acionador

Leia mais

MANUAL DO PRODUTO MANUAL DO PRODUTO MODELO DFOL

MANUAL DO PRODUTO MANUAL DO PRODUTO MODELO DFOL DETECTOR DE FUMAÇA ÓTICO LINEAR MODELO DFOL PARA MÉDIOS E GRANDES SISTEMAS IDEAL PARA GALPÕES ALCANCE DE 20 A 100 METROS ÁREA DE COBERTURA MÁXIMA 14x100M² ECONOMIA NA INSTALAÇÃO EM GRANDES ÁREAS ONDE SE

Leia mais

Sumário. Detectores Automáticos. Iluminação de Emergência. Prof. Ivan Bottger

Sumário. Detectores Automáticos. Iluminação de Emergência. Prof. Ivan Bottger Sumário Detectores Automáticos Iluminação de Emergência Sumário Análise de riscos Resistência / Reação Atuação Detecção Extinção Retirada dos ocupantes Detectores Automáticos NBR 17240:2011 - Execução

Leia mais

1

1 1 12.07.11 Seguradoras, Corretores e resseguradores. 12.08.11 Reunião técnica 1: Levantamento dos problemas e sugestões. 16.09.11 Reunião técnica 2. Desenvolvimento das sugestões. 17.10.11 Reunião técnica

Leia mais

Método de Gretener. Método de Cálculo Simplificado de Avaliação do Risco de Incêndio

Método de Gretener. Método de Cálculo Simplificado de Avaliação do Risco de Incêndio Método de Gretener Método de Cálculo Simplificado de Avaliação do Risco de Incêndio INTRODUÇÃO Um método com estas características, ágil, de fácil aplicação e rápida utilização, tem que aglutinar muita

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO Sistema de Ar-Condicionado Tipo Split. ÌNDICE 1. INTRODUÇÃO 1.1 NORMAS TÉCNICAS 1. 2 ORIENTAÇÕES INICIAIS 2. SERVIÇOS 3. EQUIPAMENTOS E MATERIAIS 4. REQUISITOS PARA FORNECEDORES

Leia mais

KIT DE ILUMINAÇÃO COM FIBRAS OPTICAS PARA DECORAÇÃO

KIT DE ILUMINAÇÃO COM FIBRAS OPTICAS PARA DECORAÇÃO MANUAL DE INFORMAÇÕES AO USUÁRIO E CONDIÇÕES DE GARANTIA A Fibra Óptica Brasileira KIT DE ILUMINAÇÃO COM FIBRAS OPTICAS PARA DECORAÇÃO ATENÇÃO: Não utilize este equipamento sem antes consultar este manual.

Leia mais

Manual de Utilizador

Manual de Utilizador Índice 1 Visão Geral... 1 2 Comandos... 3 3 Configurações... 3 3.1 Temporização de circuitos... 4 3.2 Calendarização para on/off de circuitos... 5 3.3 Definições de on/off de circuitos em função valores

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO NT-16

PLANO DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO NT-16 Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Definições 4 Referências normativas 5 Procedimentos ANEXOS A Planilha de levantamento de dados B Fluxograma do Plano de Intervenção de Incêndio 1 Objetivo Esta Norma Técnica

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA

INVERSOR DE EMERGÊNCIA INVERSOR DE EMERGÊNCIA O Inversor de Emergência trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação normal e emergência.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TM-364 MÁQUINAS TÉRMICAS I. Máquinas Térmicas I

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TM-364 MÁQUINAS TÉRMICAS I. Máquinas Térmicas I UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TM-364 MÁQUINAS TÉRMICAS I Máquinas Térmicas I "Existem três tipos de pessoas: as que sabem e as que não sabem contar...

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM O Inversor de Emergência SLIM trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação

Leia mais

ÓCULOS 3D MANUAL DO UTILIZADOR. Antes de utilizar este equipamento, leia este manual atentamente e guarde-o para consultas futuras.

ÓCULOS 3D MANUAL DO UTILIZADOR. Antes de utilizar este equipamento, leia este manual atentamente e guarde-o para consultas futuras. MANUAL DO UTILIZADOR ÓCULOS 3D Antes de utilizar este equipamento, leia este manual atentamente e guarde-o para consultas futuras. AG-S100 REV.01 www.lge.com Atenção Leia estas instruções de segurança

Leia mais

SPRINKLERS COMPONENTES VÁLVULAS ACESSÓRIOS

SPRINKLERS COMPONENTES VÁLVULAS ACESSÓRIOS ACESSÓRIOS COMPONENTES VÁLVULAS SPRINKLERS COMBATE A Skop tem sua origem e grande parte de sua história vinculada à comercialização de sprinklers nacionais de fabricação própria, conhecidos pela marca

Leia mais

CONTROLADOR DE CARGA CTL-100

CONTROLADOR DE CARGA CTL-100 Manual do usuário Série: A MAN-DE- Rev.: 01.01-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso. Para garantir o uso correto e eficiente, é imprescindível a leitura completa deste manual para um bom entendimento

Leia mais

Manual de instalação cartao grafica collors.indd 1 13/07/ :47:38 cartao grafica collors.indd 1 13/07/ :47:38

Manual de instalação cartao grafica collors.indd 1 13/07/ :47:38 cartao grafica collors.indd 1 13/07/ :47:38 Manual de instalação Esquema de instalação Collors Refletores RGB Para interligar os refletores com a caixa de comando utilize os seguintes cabos Até 25 metros cabo PP 4 x 0,5mm Acima de 25 metros cabo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO GÁS

MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO GÁS MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO GÁS Progás Indústria Metalúrgica Ltda. Av. Eustáquio Mascarello, 5 - Desvio Rizzo Caxias do Sul - RS - Brasil Fone: 0800.979. www.progas.com.br - e-mail: progas@progas.com.br

Leia mais

TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO

TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Prof. Dr. Rudmar Serafim Matos CLIMATIZAÇÃO PROGRAMA DE CLIMATIZAÇÃO 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Volume III. Curso Técnico Módulo 2 INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA ÁREA TÉCNICA DE REFRIGERAÇÃO E CONDICIONAMENTO DE AR

Volume III. Curso Técnico Módulo 2 INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA ÁREA TÉCNICA DE REFRIGERAÇÃO E CONDICIONAMENTO DE AR INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS SÃO JOSÉ ÁREA TÉCNICA DE REFRIGERAÇÃO E CONDICIONAMENTO DE AR METODOLOGIA PARA O CÁLCULO DA ESPESSURA DE ISOLANTE NECESSÁRIA A UMA APLICAÇÃO Volume III Curso

Leia mais

VOLT-AMPERÍMETRO GAUSS VA 600. Manual do Usuário.

VOLT-AMPERÍMETRO GAUSS VA 600. Manual do Usuário. VOLT-AMPERÍMETRO GAUSS VA 600 Manual do Usuário www.gauss.ind.br Caro Cliente, Parabéns por adquirir um produto GAUSS! O volt-amperímetro VA600 foi desenvolvido dentro dos mais exigentes padrões de qualidade

Leia mais

CONVERSOR-ISOLADOR DE SINAIS TRM-670

CONVERSOR-ISOLADOR DE SINAIS TRM-670 CONVERSOR-ISOLADOR DE SINAIS TRM-670 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso CONVERSOR-ISOLADOR DE SINAIS TRM-670. Para garantir o uso correto e eficiente do TRM-670, leia este manual completo e atentamente

Leia mais

CONFORTO TÉRMICO. A importância das boas práticas em instalação e manutenção para o funcionamento ideal dos condicionadores de ar PÁGINAS 9, 10 E 11

CONFORTO TÉRMICO. A importância das boas práticas em instalação e manutenção para o funcionamento ideal dos condicionadores de ar PÁGINAS 9, 10 E 11 CONFORTO TÉRMICO A importância das boas práticas em instalação e manutenção para o funcionamento ideal dos condicionadores de ar PÁGINAS 9, 10 E 11 FIC FRIO 1 2 OUT NOV DEZ 2015 FIC FRIO 3 4 OUT NOV DEZ

Leia mais

GRUPO NOVO BRASIL LINHA DE PRODUTOS 01/2002-REV.00

GRUPO NOVO BRASIL LINHA DE PRODUTOS 01/2002-REV.00 UNID ABRIGOS PARA HIDRANTES E MANGUEIRAS DE INCENDIO Medidas Padrão: Caixa de embutir com moldura removível: 50 x 70 x 25 (cm); Predial / Industrial 75 x 45 x 17 (cm);. Predial / Industrial Caixa externa

Leia mais

Refrigerador de Vinho Termelétricos

Refrigerador de Vinho Termelétricos Refrigerador de Vinho Termelétricos Adega Modelo ADG03 1 Manual de Instrução Por favor, leia com cuidado e siga todas as normas de segurança e instruções de funcionamento antes de usar. I. Importantes

Leia mais

Sustentabilidade: A Contribuição da Eficiência Energética

Sustentabilidade: A Contribuição da Eficiência Energética 18ª Audiência de Inovação Sustentabilidade: A Contribuição da Eficiência Energética Marco Antonio Saidel saidel@usp.br Grupo de Energia do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas da

Leia mais

1 Indicações de segurança. 2 Estrutura do aparelho. 3 Função. Controlador climatização com entrada binária 4 canais. N.º art.

1 Indicações de segurança. 2 Estrutura do aparelho. 3 Função. Controlador climatização com entrada binária 4 canais. N.º art. Controlador climatização com entrada binária 4 canais N.º art. 2178TS Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser realizadas por electricistas

Leia mais

Catálogo de Lâmpadas de LED Ano: 2012

Catálogo de Lâmpadas de LED Ano: 2012 Catálogo de Lâmpadas de LED V.2012.C06 Iluminação LED O mercado de iluminação está passando por mais uma revolução no que se refere à forma de emissão da luz elétrica, possibilitando novas aplicações e

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina EMC Refrigeração e Condicionamento de Ar Prof.: Cláudio Melo

Universidade Federal de Santa Catarina EMC Refrigeração e Condicionamento de Ar Prof.: Cláudio Melo Universidade Federal de Santa Catarina EMC 5472 - Refrigeração e Condicionamento de Ar Prof.: Cláudio Melo EXERCÍCIOS SUPLEMENTARES DE CONDICIONAMENTO DE AR 01) Uma câmara frigorífica para resfriamento

Leia mais

CATÁLOGO Telefone: (11) Encontre um de nossos representantes

CATÁLOGO Telefone: (11) Encontre um de nossos representantes Encontre um de nossos representantes Norte e Centro-oeste (11) 8346-2657 norte@lampadasgolden.com.br centro.oeste@lampadasgolden.com.br Nordeste nordeste@lampadasgolden.com.br (11) 8946-5440 Sul sul@lampadasgolden.com.br

Leia mais

Temperatura. Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE. Escalas termométricas. Conceitos importantes. Relação entre as escalas 2/6/2011

Temperatura. Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE. Escalas termométricas. Conceitos importantes. Relação entre as escalas 2/6/2011 Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE Professor Miguel Neto Temperatura É a ciência que estuda e desenvolve os instrumentos de medidas de temperatura. Está divida em: Pirometria: Medição de altas temperaturas,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2011 Instrução Técnica nº 29/2011 - Comercialização, distribuição e utilização de gás natural 689 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

ADAPTADOR RJ-45 PARA BORNE AA-400

ADAPTADOR RJ-45 PARA BORNE AA-400 ADAPTADOR RJ-45 PARA BORNE Manual do usuário Adaptador RJ-45 para Borne MAN-PT-DE-AA400 Rev.: 1.00-11 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso. Para garantir o uso correto e eficiente, é imprescindível

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico GRANULADO ESCURO BRASILEIRO TIPO 1 (GEB-1) Não há (produto natural)

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico GRANULADO ESCURO BRASILEIRO TIPO 1 (GEB-1) Não há (produto natural) Folha: 1 / 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: GRANULADO ESCURO BRASILEIRO TIPO 1 Código Interno: GEB-1 Principais usos recomendados: Matéria prima para borracha. Cas number: Empresa:

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 11

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 11 TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS CONFORTO AMBIENTAL Aula 11 USO RACIONAL DA ENERGIA Identificar onde, na edificação, ocorrem os maiores gastos. Geralmente consegue-se reduzir o gasto energético reduzindo

Leia mais

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT 1 OBJETIVO A presente Orientação Técnica altera e complementa as normas de fornecimento contemplando as mudanças ocorridas em conformidade com as alterações da REN 414/2010 da ANEEL, implementadas através

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO OBJETIVO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Definir critérios para elaboração de Simulação Hidráulica para Sistemas de Abastecimento de Água de Pequeno Porte (até 12.500 ligações), Médio Porte (até 62.500 ligações)

Leia mais

Direcione a mangueira de cristal diâmetro de 6mm interno através da unidade evitando dobras no processo de drenagem. Preto Preto

Direcione a mangueira de cristal diâmetro de 6mm interno através da unidade evitando dobras no processo de drenagem. Preto Preto Este produto foi fabricado com a mais avançada tecnologia, e dentro dos mais rigorosos padrões de qualidade. Além disso, você conta com a garantia e o suporte técnico da Elgin S.A. Para que a bomba MINI

Leia mais

SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP

SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP Manual de usuário SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP MAN-DE-PICKUP Rev.: 01.00-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP. Para garantir o uso

Leia mais

DISTRIBUIDOR - REPRESENTANTE

DISTRIBUIDOR - REPRESENTANTE PRODUTO: SEL-SV-UL-O2- K4 FOLHA TÉCNICA 1/5 1. CERTIFICAÇÕES DA SELCON 2. APLICAÇÃO Sensor utilizado para indicar a presença de chama em queimadores de gás, óleos leves e pesados ou qualquer outro tipo

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO

NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO ESTAS NORMAS SÃO PRODUZIDAS E REVISADAS POR (ABNT) ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, ATRAVÉS DO COMITÊ BRASILEIRO Nº55 (CB 55) COM SEDE NA

Leia mais

1.1 Apresentação 1.2 Assistência técnica 1.3 Inspeção no ato do recebimento 1.4 Especificações técnicas. 2.1 Introdução 2.

1.1 Apresentação 1.2 Assistência técnica 1.3 Inspeção no ato do recebimento 1.4 Especificações técnicas. 2.1 Introdução 2. ÍNDICE SEÇÃO 1 Dados Gerais 1.1 Apresentação 1.2 Assistência técnica 1.3 Inspeção no ato do recebimento 1.4 Especificações técnicas SEÇÃO 2 Funcionamento 2.1 Introdução 03 2.2 Funcionamento 03 SEÇÃO 3

Leia mais

VANTAGENS. Modularidade. Máxima Flexibilidade. Inspecção. Montagem. As vantagens deste novo sistema são numerosas:

VANTAGENS. Modularidade. Máxima Flexibilidade. Inspecção. Montagem. As vantagens deste novo sistema são numerosas: O sistema Giacoklima é um sistema inovador ideal para a climatização no Verão e Inverno, que alia o bem estar ao baixo consumo energético. O elemento chave deste sistema é a utilização da água, que permite

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Botoeira / Acionador Manual À Prova de Tempo IP54 - Quebra Vidro Com Módulo Endereçável. Código AFAM3PT-E O acionador manual de alarme de incêndio AFAM3PT-E é um equipamento que deve ser instalado na parede

Leia mais

Eletrocentro ELW. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Eletrocentro ELW. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Eletrocentro ELW Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas SOLUÇÃO ELÉTRICA INTEGRADA PARA FLEXIBILIZAR SEU NEGÓCIO TEMPO Redução do tempo de construção, se comparado à alvenaria. FACILIDADE

Leia mais

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0 1. OBJETIVO Este informativo técnico tem como objetivo orientar o envio dos documentos e o preenchimento correto da planilha do Projeto Expresso v 2.0. 2. APLICAÇÃO O projeto expresso visa atender as ligações

Leia mais

Fatores que influenciam na perda de peso em uma câmara de resfriamento de carcaça.

Fatores que influenciam na perda de peso em uma câmara de resfriamento de carcaça. Fatores que influenciam na perda de peso em uma câmara de resfriamento de carcaça. A perda de peso ou perda de umidade em uma carcaça dentro de uma câmara de resfriamento ocorre por duas situações: 1.

Leia mais

PROGRAMA DE AUTOCONTROLE PLANO DE CONTROLE DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO

PROGRAMA DE AUTOCONTROLE PLANO DE CONTROLE DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO Objetivo Responsável pela elaboração Campo de aplicação Cópia confidencial Cópia controlada Folha 1/5 Identificação Descrever o plano de instalação, manutenção e controle do sistema de iluminação da empresa

Leia mais

Honeywell Industrial Safety

Honeywell Industrial Safety AVISULAT 2016 Honeywell Industrial Safety Sistema de detecção de amônia NR36 Cleber Rocha 0 Por um mundo mais seguro 1 História de sucesso comprovada 39 anos EC-FX Mais de 200 anos de experiencia integrada

Leia mais

INDICADORES DO MAU FUNCIONAMENTO DO AR CONDICIONADO METROFERROVIÁRIO. Autores. Jackson de Carvalho Galocha

INDICADORES DO MAU FUNCIONAMENTO DO AR CONDICIONADO METROFERROVIÁRIO. Autores. Jackson de Carvalho Galocha Autores Jackson de Carvalho Galocha (jgalocha@metrosp.com.br) Luis Carlos Rebelo (lrebelo@metrosp.com.br) Monografia apresentada para a conclusão do Curso de Especialização em Tecnologia Metro-ferroviária

Leia mais

Quem busca economia prefere Heliotek

Quem busca economia prefere Heliotek Linha de aquecimento para piscina Quem busca economia prefere Heliotek A marca de aquecimento solar do grupo Bosch Aquecedor solar de piscina A opção com melhor custo-benefício para aquecer sua piscina

Leia mais

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 93 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM. SERRA POLICORTE DE BANCADA (Armação de Aço)

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 93 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM. SERRA POLICORTE DE BANCADA (Armação de Aço) LISTA DE CHECAGEM DE SERRA POLICORTE DE BANCADA (Armação de Aço) 1 Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho. Obras

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE AVIÁRIO UTILIZANDO A PLATAFORMA ARDUINO

AUTOMAÇÃO DE AVIÁRIO UTILIZANDO A PLATAFORMA ARDUINO AUTOMAÇÃO DE AVIÁRIO UTILIZANDO A PLATAFORMA ARDUINO Paulo Sergio Mattos Périgo¹, Bruno Fernando Serrano¹, Wyllian Fressati¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pauloperig@gmail.com,

Leia mais

PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES TÍTULO 32 PETROLEIROS CAPÍTULOS ABORDAGEM

PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES TÍTULO 32 PETROLEIROS CAPÍTULOS ABORDAGEM PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES TÍTULO 32 PETROLEIROS SEÇÃO 5 MOTORES E MECÂNICA CAPÍTULOS A B C D E F G H I T ABORDAGEM DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA MATERIAIS

Leia mais

Amplificador Derivador AMP-950

Amplificador Derivador AMP-950 Amplificador Derivador AMP-950 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Amplificador Derivador AMP-950. Para garantir o uso correto e eficiente do AMP-950, leia este manual completo e atentamente para

Leia mais

Latex 850 & 820 Impressoras Scitex LX850 & LX820. Lista de verificação de preparação do site

Latex 850 & 820 Impressoras Scitex LX850 & LX820. Lista de verificação de preparação do site Latex 850 & 820 Impressoras Scitex LX850 & LX820 Lista de verificação de preparação do site 2013 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Primeira edição Avisos legais As informações contidas neste documento

Leia mais

Manual do Usuário AU205 - OBDII

Manual do Usuário AU205 - OBDII Manual do Usuário AU205 - OBDII Parabéns, você acaba de adquirir um produto inovador e extremamente útil para o seu dia-a-dia. O OBDII Carrorama by Multilaser é resultado de investimentos que buscaram

Leia mais

SERIE SMT125 STD DADOS TÉCNICOS OPCIONAIS * GRADE MOVEL * GRADE FIXA * DUTO FLEXIVEL MEDIDAS INSTALAÇÃO INFORMAÇÕES TÉCNICAS RPM 2100.

SERIE SMT125 STD DADOS TÉCNICOS OPCIONAIS * GRADE MOVEL * GRADE FIXA * DUTO FLEXIVEL MEDIDAS INSTALAÇÃO INFORMAÇÕES TÉCNICAS RPM 2100. SERIE SMT125 STD DADOS TÉCNICOS Ø MM 125 mm RPM 2100 POTENCIA 25 W VAZÃO 200/270 m³/h PRESSÃO 14/20 mmca RUIDO (db) 00 db ÁREA ATÉ 14 m² 26,2 x 21,7 x 20 cm ACABAMENTO PLÁSTICO BRANCO OPCIONAIS * GRADE

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA ESPECIAL DE CONCESSÕES E PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA ESPECIAL DE CONCESSÕES E PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS ANEXO 7 - Quadro de Indicadores de Desempenho QID 1. A mensuração do desempenho operacional, financeiro e gerencial da CONCESSIONÁRIA será realizada por meio dos CRITÉRIOS DE DESEMPENHO apresentados no

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais. 9/23/2010 UTFPR Campus Curitiba DAELT Instalações Prediais 1

Instalações Elétricas Prediais. 9/23/2010 UTFPR Campus Curitiba DAELT Instalações Prediais 1 Instalações Elétricas Prediais 9/23/2010 UTFPR Campus Curitiba DAELT Instalações Prediais 1 Nesta seção os seguintes assuntos serão abordados: Cargas de iluminação Cargas de tomadas -TUG s Cargas de tomadas

Leia mais

AR FUSION. Brasil. Pneumática. Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP AR FUSION. Pneumática. VRP9-01 pressão de trab. 07bar

AR FUSION. Brasil. Pneumática. Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP AR FUSION. Pneumática. VRP9-01 pressão de trab. 07bar Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP VRP9-01 pressão de trab. 07bar WWW.ARFUSION.COM.BR Resfriador de painel VORTEX Os Resfriadores com Ar Comprimido - Vortex são destinados à aplicações especiais

Leia mais

10/ REV 0 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. Manual de Instruções

10/ REV 0 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. Manual de Instruções 10/12 912-09-05 780872 REV 0 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO Manual de Instruções INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha do Hidromassageador Aqua Foot 2. Para garantir o melhor desempenho de seu produto, ler atentamente

Leia mais

Descargas com Sensor. DRACO Automação de sanitários de alto tráfego, a melhor experiência.

Descargas com Sensor. DRACO Automação de sanitários de alto tráfego, a melhor experiência. Descargas com Sensor As válvulas de descargas com sistema de detecção HTEC Infra, substituem válvulas convencionais, com o diferencial do funcionamento completamente automático. Detectam a presença do

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Sensor / Detector de Chama Convencional Tipo Ultravioleta Código: AFC9104. O detector de chama AFC9104 é um equipamento que deve ser instalado no teto ou na parede das edificações e tem como função enviar

Leia mais

PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES CAPÍTULOS ABRANGÊNCIA

PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES CAPÍTULOS ABRANGÊNCIA PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES TÍTULO 22 ROLL ON/ROLL OFF SEÇÃO 6 TUBULAÇÃO CAPÍTULOS A B C D E F G H T ABRANGÊNCIA MATERIAIS E MÃO DE OBRA PRINCÍPIOS

Leia mais

Ref.: Processo n.º / Objeto: Aquisição de câmeras para compor o sistema de monitoramento e atender as necessidades deste conselho.

Ref.: Processo n.º / Objeto: Aquisição de câmeras para compor o sistema de monitoramento e atender as necessidades deste conselho. SELIC/COLOG, em 11 / 02 / 2014. Ref.: Processo n.º 01300.001494/2013-9 Objeto: Aquisição de câmeras para compor o sistema de monitoramento e atender as necessidades deste conselho. Informamos que o pedido

Leia mais

Workshop. Climatização e Cogeração Abril de Ronaldo Andreos

Workshop. Climatização e Cogeração Abril de Ronaldo Andreos Workshop Climatização e Cogeração Abril de 2008 Ronaldo Andreos Cia de Gás de São Paulo Fone: (11) 4504-5238/5072 Cel.: (11) 9638-8907 e-mail: randreos@comgas.com.br Climatização (Ar Condicionado) Agenda

Leia mais

D E T E C Ç Ã O e A L A R M E / 1 7

D E T E C Ç Ã O e A L A R M E / 1 7 D E T E C Ç Ã O e A L A R M E 2 0 1 6 / 1 7 02 www.alvenius.ind.br A Empresa Ao longo de sua trajetória, a Alvenius soma um consistente desenvolvimento por meio da introdução de novos conceitos de produtos.

Leia mais

COMBATE SPRINKLERS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS VÁLVULAS

COMBATE SPRINKLERS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS VÁLVULAS SPRINKLERS VÁLVULAS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS COMBATE A Skop tem sua origem e grande parte de sua história vinculada à comercialização de sprinklers nacionais de fabricação própria, conhecidos pela marca

Leia mais

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL METAL/MECÂNICA SENAI RR SENAI RR SENAI, SUA CONQUISTA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS 1. TÍTULO COMANDOS ELÉTRICOS PARA REFRIGERAÇÃO Proporcionar ao treinando conhecimentos teóricos e 2. OBJETIVO práticos

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

Metrologia 30 Não há Eletricidade 60 Não há Tecnologia dos Materiais I 30 Não há

Metrologia 30 Não há Eletricidade 60 Não há Tecnologia dos Materiais I 30 Não há Curso Técnico Subsequente em Eletromecânica Técnico em Eletromecânica CÂMPUS LAGES MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 285h Introdução à Eletromecânica 15 Não há Qualidade, meio ambiente,

Leia mais

BOMBA PRESSURIZADORA MANUAL DE SERVIÇO PB-088MA, 088JA PB-135MA, 135JA PB-S250MA, S250JA PB-350MA, 350JA MODELO

BOMBA PRESSURIZADORA MANUAL DE SERVIÇO PB-088MA, 088JA PB-135MA, 135JA PB-S250MA, S250JA PB-350MA, 350JA MODELO BOMBA PRESSURIZADORA MANUAL DE SERVIÇO MODELO PB-088MA, 088JA PB-135MA, 135JA PB-S250MA, S250JA PB-350MA, 350JA Leia atentamente este manual antes de instalar ou operar o equipamento para assegurar uma

Leia mais

Misturador Submersível modelo ABS XRW 900

Misturador Submersível modelo ABS XRW 900 Misturador Submersível modelo ABS XRW 900 Principais Aplicações O misturador submersível modelo ABS XRW é um equipamento compacto e versátil para uma ampla gama de aplicações, incluindo o uso em líquidos

Leia mais

A importância da ABNT NBR e a QUALIDADE DO AR INTERIOR

A importância da ABNT NBR e a QUALIDADE DO AR INTERIOR A importância da ABNT NBR 16401-1 e a QUALIDADE DO AR INTERIOR Validade: a partir de 04 / set / 2.008 NBR 16401-1 Projetos e Instalações NBR 16401-2 Parâmetros de Conforto Térmico NBR 16401-3 Qualidade

Leia mais

Econômico Fórmula concentrada que permite economia no gasto do produto quando diluído.

Econômico Fórmula concentrada que permite economia no gasto do produto quando diluído. Drax Desengraxante / Desengordurante Eficiente Formulação especial que garante a eficácia do produto na remoção de sujidades pesadas no piso, como graxas e óleos de equipamentos. Versátil Pode ser utilizado

Leia mais