VIII CINFORM. Jacqueline D. Dutra 1 Fernanda S. Monteiro 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIII CINFORM. Jacqueline D. Dutra 1 Fernanda S. Monteiro 2"

Transcrição

1 VIII CINFORM PLATAFORMAS DE SOFTWARE LIVRES PARA O ARMAZENAMENTO E DESCRIÇÃO DE OBJETOS EDUCACIONAIS DIGITAIS: ESTUDO INICIAL PARA CUSTOMIZAÇÃO DO BANCO INTERNACIONAL DE OBJETOS EDUCACIONAIS DIGITAIS Jacqueline D. Dutra 1 Fernanda S. Monteiro 2 Resumo: Estudo das plataformas de software livres para armazenamento e descrição de objetos educacionais digitais para customização do Banco Internacional de Objetos Educacionais Digitais (BIOE), a partir da iniciativa da Secretária de Educação a Distância do Ministério da Educação (SEED/MEC), de desenvolver um banco internacional para armazenar e descrever objetos educacionais digitais, centralizando-os e estabelecendo diretrizes para sua organização e recuperação. São verificados critérios determinantes para a customização em plataformas utilizadas pelos repositórios cadastrados no Registry of Open Access Repositories (ROAR) considerando, primordialmente, a confiabilidade de suas informações e a organização de seu cadastro. A plataforma DSpace é escolhida, pois é apresenta o maior satisfação aos critérios. Sua linguagem de programação, Java, é um dos principais pontos identificados como favoráveis devido a portabilidade, segurança, processamento distribuído, robustez e facilidade de uso. Palavras-chave: plataforma de software livre; objeto educacional; repositório. 1 Estudante de Graduação em Biblioteconomia (CID/UnB), Universidade de Brasília. 2 Doutoranda em Ciência da Informação (CID/UnB), Universidade de Brasília.

2 1 INTRODUÇÃO A partir da década de 80 a informação e o conhecimento assumem um papel estratégico na sociedade, fomentando o crescimento intelectual e econômico. Nessa perspectiva, os objetos digitais trouxeram opções para complementar o ensino, motivando a participação dos alunos nas atividades propostas pelo educador. Contudo, a maioria destes objetos são produzidos por iniciativas individuais de professores e pesquisadores, ou mesmo iniciativas institucionais e governamentais que, convenientemente, disponibilizam estes conteúdos na Internet de forma descentralizada, sem diretrizes para organizar, descrever e facilitar sua recuperação. A Secretária de Educação a Distância do Ministério da Educação (SEED/MEC), preocupada com este contexto, tem a iniciativa de desenvolver um banco internacional para armazenar e descrever objetos educacionais digitais. Para tanto, conta com o apoio do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) no seu planejamento e execução. Esta iniciativa faz parte do Plano de Ação 2007 a 2010 desenvolvido pelos países da América Latina, membros da Rede Latino-americana de Portais Educacionais (RELPE), da qual o Brasil é membro, e da Organização dos Estados Iberoamericanos (OEI). A escolha e customização de uma plataforma de software livre, a pesquisa de objetos educacionais digitais e a descrição destes objetos são etapas que prescindem o desenvolvimento deste banco. 2 OBJETIVO GERAL Estudar plataformas de software livres para armazenamento e descrição de objetos educacionais digitais para customização do Banco Internacional de Objetos Educacionais Digitais (BIOE).

3 2.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. Pesquisar as principais plataformas de software livres para armazenamento e descrição de objetos digitais; 2. Definir a plataforma que melhor atende os critérios do Banco Internacional de Objetos Educacionais Digitais para posterior customização. 3 METODOLOGIA O Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) em parceria com a SEED/MEC realizou estudos em artigos, teses, dissertações e instituições que já implantaram repositórios para definir a plataforma de software que atenda os requisitos de customização do BIOE. Após este estudo definiu-se como fundamental seguir o movimento e os padrões da Open Archives Initiative (OAI), pois sua abordagem e reconhecimento internacional estão de acordo com as expectativas do BIOE, um repositório de acesso livre. De acordo com esta definição as plataformas de softwares capazes de atender o interesse deste estudo devem propiciar a criação de repositórios digitais institucionais, desenvolvidos diante da perspectiva do acesso livre a informação e contemplando uma pluralidade de assuntos. Devem, ainda, disponibilizar arquivos abertos conforme as especificações da OAI, garantir sua interoperabilidade e primar pelo auto-arquivamento. Isto porque, o BIOE é concebido como um provedor de dados, e também provedor de serviços, para agregar e disponibilizar coleções distintas, permitindo sua organização, disseminação e acesso, ou seja, um sistema de informação com interface gráfica Web, que contempla tipos de documentos, como vídeos, imagens, animações e simulações, em sua ampla diversidade de formatos.

4 As informações descritas até o momento permitem a composição de uma lista de requisitos que as plataformas de softwares livres pesquisadas devem atender. Esta lista pode ser conferida no quadro a seguir: Quadro 1 Características e requisitos das plataformas de softwares livres a serem estudadas. Características/Requisitos dos repositórios Acesso livre Respaldo da OAI Disponibilizar arquivos abertos Interoperabilidade o OAI-PMH o Metadados Dublin Core Auto-arquivamento Provedor de dados e serviços Tipologia variada de documentos Formato variado de documentos Estrutura de organização da informação Acesso externo ao conteúdo Existe uma expressiva quantidade de plataformas de softwares livres que atendem as especificações informadas e, para este estudo, os critérios da customização exigidos para o BIOE foram pesquisados nas plataformas utilizadas pelos repositórios cadastrados no Registry of Open Access Repositories (ROAR) considerando, primordialmente, a confiabilidade de suas informações e a organização de seu cadastro. O ROAR iniciou em 2004, chamado originalmente de Institutional Archives Registry, e assim como o projeto OpenDOAR e o mais recente Openarchives constitui um cadastro de repositórios. É mantido por Tim Brody, da universidade de Southampton, que não endossa ou recomenda nenhum dos repositórios listados, mas permite que esta lista seja utilizada, visualizada, copiada ou reproduzida sem restrições. Embora tenha sido criado

5 para controlar a lista de repositórios com o software GNU EPrints, cresceu e atualmente apresenta uma lista geral de repositórios de acesso livre. A iniciativa possui atualmente 1007 repositórios e incentiva novos cadastros ao identificar, por meio do hostname de quem o acessa, repositórios disponíveis no domínio e sugerir que sejam cadastrados. Para cadastrar um novo repositório basta fornecer sua homepage ou URL e, caso se saiba, o identificador OAI, seguindo as instruções do formulário de cadastro. Devem ser submetidos ao cadastro repositórios que funcionam com os softwares DSpace, EPrints, Bepress, OPUS, ETD-db, DiVA, Open Repository, CDSWare, Fedora, HAL, ARNO, DoKS, MyCoRe, Fez/Fedora, EDOC, SciX, Open Journal System e outros, para ajudar a identificar quais estão sendo mais utilizados. Há o destaque no cadastro, também, para a classificação de repositórios institucionais ou departamentais, artigos de periódicos de acesso livre, teses e dissertações, bases de dados e índices, repositórios demonstrativos ainda não operacionais e outros. A busca de cadastros de repositórios pode ser livre, utilizando informações preenchidas em todos os campos do formulário de cadastro, e pode utilizar o mecanismo de busca do ROAR, com filtros por país ou área geográfica, software para construção de repositórios e tipo de documento. Alem disso, é possível ordenar os resultados de diferentes formas, como por exemplo, alfabeticamente por nome; por quantidade decrescente de números de registros; cronologicamente, do mais recente para o mais antigo cadastro; e por intensidade da atividade de depósito no repositório. Diante do exposto, as plataformas de softwares livres mais utilizadas em repositórios institucionais, classificação em que se enquadra o BIOE, são o DSpace, EPrints, Bepress, OPUS, DiVA, Open Repository, CDSWare, Fedora, HAL, ARNO, MyCoRe, Fez/Fedora e EDOC, como ilustra o gráfico a seguir, extraído do ROAR:

6 Figura 6 Gráfico de pizza dos softwares utilizados em repositórios institucionais (ROAR, 2008). Com estes dados decidiu-se estudar os critérios de customização nos três mais utilizados, onde se destacam-se, DSpace, E-Prints e Bepress. Porém, como a plataforma deve ser livre, o Bepress, OPUS, DiVA, Open Repository, que não apresentam esta característica, foram excluídos do estudo e, por conseqüência, incorporado ao estudo a 7º plataforma de software mais utilizado no mundo, CDSware. 3.1 DSPACE Projeto colaborativo da Massachusetts Istitute of Technology (MIT) e da Hewlett- Packard Company (HP), desenvolvido no início de 2002 e hoje utilizado por mais de 200 projetos no mundo. É um software livre para criação de repositórios digitais institucionais em bibliotecas, arquivos e centros de pesquisas, que transfere para sua instituição mantenedora a responsabilidade da gestão da informação e a preocupação de que seu acesso seja permanente. Utiliza a linguagem Java e apoia-se em programas de código aberto para sua instalação, tais como o banco de dados relacional PostgreSQL, servidor de

7 aplicações Java Tomcat, motor de pesquisa Lucene, etc. Implementa o protocolo OAI-PMH permitindo a coleta automática de metadados. Os documentos armazenados em um repositório digital que utiliza a ferramenta são organizados de forma a refletir a estrutura da instituição mantenedora em comunidades e coleções. É possível que cada comunidade tenha administradores para gerenciar o acesso ao seu conteúdo, tanto no nível do item submetido quanto da coleção inteira; e definir políticas e fluxos de trabalho. O Dspace permite submeter e descrever documentos digitais, em diferentes formatos, de acordo com um workflow adaptável aos processos específicos de uma comunidade; distribuir estes documentos na Web, possibilitando a pesquisa e o acesso a conteúdos completos; preservar os documentos digitais. A submissão é um processo flexível que permite desde o auto-arquivamento e a descrição até a verificação, revisão e aceite de documentos digitais. É realizada a partir de formulários que identificam o documento digital com metadados baseados no Dublin Core e possui um sistema de aviso instantâneo com s automáticos que informam sobre as etapas da submissão pendentes e concluídas. A recuperação dos documentos distribuídos na Web com o Dspace pode ser a partir de sua estrutura de informação principal de comunidades e coleções; percorrendo listas ordenadas por data, autor e assunto; ou ainda em suas interfaces de busca simples e avançada. Quanto à preservação, para garantir a segurança dos documentos digitais armazenados, o Dspace utiliza técnicas como a realização de cópias de segurança, ou mirroring, e sugestão de atualização do suporte físico. Além disso, a cada item é atribuído um identificador persistente que assegura sua recuperação caso haja um deslocamento dos dados. 3.2 E-PRINTS O E-Prints também é um software livre disponível desde o final do ano 2000, desenvolvido pela University of Southampton, na Inglaterra, por Robert Tansley e Chirstopher Gutteridge. É um software livre para criação de repositórios digitais que pode ser usado em qualquer sistema GNU e UNIX. Escrito em linguagem Perl, utiliza o sistema

8 operacional Linux, estrutura de metadados Dublin Core. Utilizado para promover o autoarquivamento, oferece infra-estrutura que permite o processamento automático e produção de versões do documento original; gestão de diversos formatos de documentos digitais, tal como o Dspace; adequação ao protocolo OAI-PMH. Seu funcionamento se dá por meio de dois tipos principais de usuários: visitante e cadastrado. O visitante pode realizar consultas e buscas na base de dados e o cadastrado pode assumir vários papéis no sistema, como publicador, editor ou administrador do sistema, etc. Os documentos digitais seguem um workflow que passa pelo processo de submissão, avaliação até sua publicação para posterior recuperação. 3.3 CDSWARE Desenvolvido e mantido pela Organização Européia de Pesquisa Nuclear desde 2000, CDSware 3 conhecido desde 2006 como CDS Invenio é um software livre, licenciado pela GNU com a General Public Licenc (GLP). Podendo ser usado como sistema de gerenciamento de documentos, em instituições e bibliotecas e como repositório institucional. Escrito quase inteiramente em linguagem Python com alguns módulos externos e funcionalidades desenvolvidas em PHP ou Commom Lisp. Conta com sistema operacional GNU / Unix, servidor Web Apache/PHP e Python, banco de dados MySQL. Com estrutura interna de metadados em MARC 21, tendo sido traduzido para 13 idiomas (alemão, checo, alemão, grego, Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Norueguês, Português, Russo, Eslovaco, sueco, ucraniano) permitindo o usuário final selecionar o idioma de sua escolha. (PEPE, et al.) Capaz de armazenar diversos materiais como artigos, livros, vídeo, fotos, com uma arquitetura modular extensível e personalizável de interoperabilidade. As submissões de documentos podem ser feitas diretamente pelo autor pela Web, usando os módulos WebSubmit e ElmSubmit. Em ambos os casos os metadados são recolhidos em formato raw, convertidos em representação para os metadados do CDS Invenio e finalmente carregado no servidor.

9 Antes da disponibilização na Web o material submetido passa por moderadores, revisores, avaliadores, e caso não atenda os requisitos estipulados retorna ao autor para que sejam feitas as modificações necessárias e posteriormente disponibilizado, cada etapa da submissão conta com um sistema de notificação por a seus responsáveis. 4 RESULTADOS As três plataformas de softwares livres descritas foram estudas com base no quadro de Critérios de customização do BIOE (ANEXO 1). Para o estudo, sites oficiais das plataformas, contato com desenvolvedores e utilização prática de suas funcionalidades foram realizadas, permitindo definir qual a melhor opção para o desenvolvimento do BIOE. 5 CONCLUSÃO Em virtude das informações descritas e do quadro anexo, a plataforma de software livre a ser customizada para o desenvolvimento do BIOE foi o DSpace, pois é a que apresenta o maior satisfação aos critério estabelecidos pela SEED/MEC. A linguagem Java utilizada pela plataforma apresenta vantagens como portabilidade, segurança, processamento distribuído, robustez e facilidade de uso. O banco de dados pode ser gratuito, como solicitado, desde que atenda aplicações complexas, isto é, que envolvam grande volume de dados, característica primordial do BIOE.

10 REFERÊNCIAS PEPE, et al. CERN Document Server Software: the integrated digital library. Disponível em: <cdsware.cern.ch/invenio/doc/elpub2005.pdf>. Acesso em: 12 de fevereiro de IBICT. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. Laboratório de Tecnologia. Disponível em: <http://dspace.ibict.br/dmdocuments/manual_instalacao_ Dspace.pdf>. Acesso em: Janeiro OAI-PMH, The Open Archives Initiative Protocol for Metadata Harvesting. Disponível em <http://www.openarchives.org/oai/openarchivesprotocol.html>. Acesso em janeiro de OPEN SOCIETY INSTITUTE. A guide to institutional repository software. 3. ed. [Budapest]: Disponível em: <http://www.soros.org/openaccess/pdf/osi_guide_ to_ir_software_v3.pdf>. Acesso em 17 de janeiro de EPRINTS.org. University of Southampton. Disponível em: <http://www.eprints.org/>. Acesso em: 11 de janeiro de ROAR. Registry of Open Access Repositories. Disponível em: <http://roar.eprints.org/index.php?action=browse>. Acesso em: 21 de Janeiro de 2008.

11 ANEXO 1 CRITÉRIOS DA CUSTOMIZAÇÃO DO BIOE Critério Dspace Eprints CDS Invenio Acesso livre X X X Credenciamento de pessoas ou instituições de educação; X X X Publicação e disponibilização do acervo de objetos educacionais catalogados e com disponibilização autorizada pela Equipe X X X Gestora; i Possibilidade de tradução; X X X Plataforma Web X X X Disponibilizar esquema de acompanhamento e autorização de cada uma das fases de submissão e avaliação; X X X Modelo de gestão compartilhada especificando instâncias, responsabilidades e participação nos procedimentos de X X X submissão, avaliação e aprovação; Estatística de uso por nº de usuários, nº de downloads; quantidade de objetos; X Permitir definição de metadados para descrição dos objetos; X X X Fluxo de submissão, avaliação e aprovação dos objetos; X X X ii Possibilidade de reapresentação de objetos educacionais já catalogados e que tenham sido modificados (reuso), nos moldes X X X de uma comunidade colaborativa; iii Avaliação e aprovação dos objetos apresentados (resultando em uma pontuação indicativa de aprovação ou não para efeito de X X X catalogação); Módulo de upload (offline/ multiplataforma) X X - Módulo administrativo (portal/php) X - - Multiplataforma (linux/windows) X (Java) - - Linguagem PHP e Java X (Java) - - Banco de Dados PostgreSQL X X - Assinatura Digital X (Java) X Perl X Workflow (usuário, grupo, comitê, gestor) X X X (MySQL) (Python/PHP) Anti-vírus - - X (MySQL) Plataforma Web X X - Tipo de tecnologia: XML, flash X (XML) X (XML) X i Para manutenção do Banco Internacional no idioma de cada país é necessário que a plataforma seja traduzida para o idioma desejado. Dspace e E-prints apresentam a característica de identificação de URL onde os links principais de acesso são traduzidos automaticamente para o idioma identificado de acesso. ii As plataformas de softwares permitem que os materiais já submetidos que sofreram modificações sejam inseridos novamente, contudo a indicação de reuso deve ser feita manualmente no momento da submissão por meio do campo 'Publicação Associada'. iii O processo de avaliação não resulta em pontuação indicativa, mas é possível disponibilizar para este processo download d formulário.

REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009

REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009 REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009 LUME Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Implementado em janeiro de 2008, a

Leia mais

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO Ferreira, S. M. S.P. 1 Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações de Artes Weitzel, S. R. 2 Universidade Federal do

Leia mais

Repositórios, Acesso Livre, Preservação Digital. Questões para hoje e amanhã

Repositórios, Acesso Livre, Preservação Digital. Questões para hoje e amanhã Repositórios, Acesso Livre, Preservação Digital Questões para hoje e amanhã Florianópolis 1.000.000 a.c - 2009 d.c Evolução da prática científica O compartilhamento dos dados das pesquisas mudou para práticas

Leia mais

Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de customização do DSpace

Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de customização do DSpace Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de customização do DSpace Cassandra Lúcia de Maya Viana Miguel Ángel Márdero Arellano Milton Shintaku INTRODUÇÃO Objetivo Customizar

Leia mais

Palavras-chave: Repositório de dados; Softwares Livres; Bibliotecas digitais; Documentos eletrônicos; Universidades; Produção acadêmica.

Palavras-chave: Repositório de dados; Softwares Livres; Bibliotecas digitais; Documentos eletrônicos; Universidades; Produção acadêmica. Bibliotecas digitais: possibilidades da utilização de Softwares livres para disponibilização de trabalhos acadêmicos. Cristina Maria de Queiroz Valeria Ferreira de Jesus Lauriano Resumo Com a evolução

Leia mais

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Roteiro Biblioteca Digital da UNIVATES Bibliotecas: Conceitos Metas da

Leia mais

Open Archives. um marco na história das Bibliotecas Digitais

Open Archives. um marco na história das Bibliotecas Digitais Open Archives um marco na história das Bibliotecas Digitais Motivação Pontiac G6 Preço igual (EUA) USD $17,000 Motivação Dificuldades encontradas pelos pesquisadores no ciclo da comunicação científica

Leia mais

MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Caterina Groposo Pavão, Janise Silva Borges da Costa, Manuela Klanovicz Ferreira, Zaida Horowitz

Leia mais

REPOSITÓRIO DIGITAL: acesso livre à informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul

REPOSITÓRIO DIGITAL: acesso livre à informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul PÔSTER A BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA E O CONTEXTO INSTITUCIONAL Acesso livre e repositórios institucionais: maior visibilidade da produção científica institucional REPOSITÓRIO DIGITAL: acesso livre à informação

Leia mais

POLÍTICA DE REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL

POLÍTICA DE REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL 1. PROPÓSITO A Fundação Bahiana para Desenvolvimento das Ciências (FBDC), mantenedora da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP), vem instituir a Política de Repositório Institucional - RI,

Leia mais

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES DSPACE GESTÃO DE REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11173 Autor Miguel Ferreira Contribuição Luís Miguel Ferros Distribuição

Leia mais

BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO. Liliana Giusti Serra

BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO. Liliana Giusti Serra BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO Liliana Giusti Serra INFORMAÇÃO - NOVA ECONOMIA Ciência da Informação Ciência da Computação CONTEÚDO Tecnologia de Rede BIBLIOTECAS DIGITAIS Interoperabilidade

Leia mais

Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho

Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho Estoril, 13 de Maio de 2004 Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho Eloy Rodrigues, Matilde Almeida, Ângelo Miranda, Augusta Guimarães, Daniela Castro E-mail: {eloy,

Leia mais

PLANO OPERATIVO ARCA REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL

PLANO OPERATIVO ARCA REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL PLANO OPERATIVO V.1.1 setembro/2014 ARCA REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL http://www.arca.fiocruz.br/ O Repositório Institucional (RI) Arca é o principal instrumento de realização do acesso aberto na Instituição,

Leia mais

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: relato de experiência

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: relato de experiência TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Dimensionamento dos impactos dos serviços digitais na Biblioteca GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO. www.diadorim.ibict.br. Brasília 2012 1. Financiadora:

DOCUMENTO DE APOIO. www.diadorim.ibict.br. Brasília 2012 1. Financiadora: www.diadorim.ibict.br DOCUMENTO DE APOIO Brasília 2012 1 Financiadora: 1 Esta é a segunda versão do Documento de Apoio ao diretório Diadorim, publicado em 2011. SUMÁRIO Introdução... 1 Contatos... 3 Acesso

Leia mais

Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica

Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica Rosângela Lacerda de Castro (EMBRAPA) - rosangela.lacerda@embrapa.br Marilaine Schaun Pelufê

Leia mais

Ajuda. Nas abas superiores é possível visualizar os itens em uma ordem específica:

Ajuda. Nas abas superiores é possível visualizar os itens em uma ordem específica: Ajuda A Biblioteca Digital de Monografias (BDM) disponibiliza e preserva documentos digitais implementando a tecnologia de arquivos abertos. Aqui, podem-se encontrar trabalhos de conclusão dos cursos de

Leia mais

Uso de software livre para implementação de provedores de serviços OAI-PMH: caso do provedor de serviços Sabiia

Uso de software livre para implementação de provedores de serviços OAI-PMH: caso do provedor de serviços Sabiia Uso de software livre para implementação de provedores de serviços OAI-PMH: caso do provedor de serviços Sabiia Anderson Hirata Isaque Vacari Introdução A iniciativa de Acesso Aberto promove a interoperabilidade

Leia mais

Implementações no DSpace para Disponibilização de Recursos Educacionais no Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Resumo.

Implementações no DSpace para Disponibilização de Recursos Educacionais no Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Resumo. Implementações no DSpace para Disponibilização de Recursos Educacionais no Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Janise Silva Borges da Costa, Caterina Groposo Pavão, Manuela

Leia mais

TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO (RI-FJP)

TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO (RI-FJP) TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO (RI-FJP) Roger de Miranda Guedes Biblioteca Professora Maria Helena de Andrade Fundação João Pinheiro Belo Horizonte 2013

Leia mais

MINI-CURSO REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Tecnologias, Politicas e Gestão. Lorena Tavares de Paula

MINI-CURSO REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Tecnologias, Politicas e Gestão. Lorena Tavares de Paula MINI-CURSO REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Tecnologias, Politicas e Gestão Lorena Tavares de Paula Sumário 1 Contexto: internet, open access, Big data, Web semântica 2 Conceitos: Objeto informacional, Repositório

Leia mais

Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento

Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento Promoção do acesso universal Informação atualizada Facilidade de pesquisa Compartilhamento de informação Facilidade de manutenção da informação

Leia mais

Open Archives e Open Access

Open Archives e Open Access Mesa redonda: Tecnologias de Informação Open Archives e Open Access Sumário Cenário Mundial da Comunicação Científica O modelo Open Archives O movimento do acesso livre Ações do Ibict em direção ao acesso

Leia mais

Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais

Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais Seminário Repositórios Institucionais e de Objetos Virtuais de Aprendizagem Florianópolis, Novembro - 2009 Anna Christina

Leia mais

SOFTWARE LIVRE PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS E PROVEDORES DE SERVIÇOS: EXPERIÊNCIA DA EMBRAPA INFORMÁTICA AGROPECUÁRIA

SOFTWARE LIVRE PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS E PROVEDORES DE SERVIÇOS: EXPERIÊNCIA DA EMBRAPA INFORMÁTICA AGROPECUÁRIA SOFTWARE LIVRE PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS E PROVEDORES DE SERVIÇOS: EXPERIÊNCIA DA EMBRAPA INFORMÁTICA AGROPECUÁRIA Isaque Vacari (1), Marcos Cezar Visoli (2), Fernando César Lima Leite

Leia mais

REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL. Caterina Groposo Pavão

REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL. Caterina Groposo Pavão REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL Caterina Groposo Pavão 17/10/2014 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO INTELECTUAL DA UFRGS REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS: etapas para criação 2 LUME REPOSITÓRIO

Leia mais

Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário

Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário São Paulo, junho de 2007 1º Versão SUMÁRIO 1 Introdução... 3 2 Autor... 5 2.1 Cadastro no sistema (http://submission.scielo.br),

Leia mais

Publicação em contexto académico: OJS na prática

Publicação em contexto académico: OJS na prática Publicação em contexto académico: OJS na prática sumário 1. Publicações científicas em ambiente académico: um cenário pouco homogéneo 1.1 o papel das bibliotecas de ensino superior 2. OJS Open Journal

Leia mais

A Biblioteca Digital do Senado Federal. DSpace

A Biblioteca Digital do Senado Federal. DSpace A Biblioteca Digital do Senado Federal eo DSpace André Luiz Lopes de Alcântara Chefe do Serviço de Biblioteca Digital Simone Bastos Vieira Diretora da Biblioteca do Senado Federal BIBLIOTECA DO SENADO

Leia mais

Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS

Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS Janise Silva Borges da Costa,Manuela Klanovicz Ferreira, Afonso Comba

Leia mais

Tiago Rodrigo Marçal Murakami

Tiago Rodrigo Marçal Murakami Tiago Rodrigo Marçal Murakami Bacharel em Biblioteconomia pela USP Estudante de Administração Pública na UFOP Editor do Blog Bibliotecários sem Fronteiras - BSF Responsável pelo RABCI Estrutura e objetivo

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Sobre O SOAC. 2. Histórico. 3. Contato. 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências

SUMÁRIO. 1. Sobre O SOAC. 2. Histórico. 3. Contato. 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências SUMÁRIO 1. Sobre O SOAC 2. Histórico 3. Contato 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências 4.1 Página Capa Localizada no Menu Horizontal Principal 4.2 Página Sobre Localizada

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA USO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS

ORIENTAÇÕES PARA USO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS ORIENTAÇÕES PARA USO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA Lavras / MG 2013 ORIENTAÇÕES PARA USO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UFLA O Repositório Institucional da Universidade Federal de Lavras (RIUFLA) está

Leia mais

BDU Biblioteca Digital da UNIVATES (http://www.univates.br/bdu)

BDU Biblioteca Digital da UNIVATES (http://www.univates.br/bdu) Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Univates, Centro Universitário Rua Avelino Talini, 171 - Lajeado - RS

Leia mais

Guia de Depósito Teses

Guia de Depósito Teses Guia de Depósito Teses Descreva o documento que está a depositar Página 1 Se seleccionar todas as opções nesta página, visualizará um formulário diferente, modificado com o intuito de capturar informações

Leia mais

REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS BASEADOS EM DSPACE E EPRINTS E SUA VIABILIDADE NAS INSTITUIÇÕES ACADÊMICO-CIENTÍFICAS RESUMO

REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS BASEADOS EM DSPACE E EPRINTS E SUA VIABILIDADE NAS INSTITUIÇÕES ACADÊMICO-CIENTÍFICAS RESUMO REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS BASEADOS EM DSPACE E EPRINTS E SUA VIABILIDADE NAS INSTITUIÇÕES ACADÊMICO-CIENTÍFICAS Cassandra Lúcia de Maya Viana, IBICT SAS Q. 5 Lt. 6 Bl. H - Brasil cassandra@ibict.br Miguel

Leia mais

Acesso Aberto, Repositórios Institucionais e os Periódicos Científicos do MZUSP

Acesso Aberto, Repositórios Institucionais e os Periódicos Científicos do MZUSP XIII SEMANA DO LIVRO E DA BIBLIOTECA NA USP 25 A 29 DE OUTUBRO DE 2010 ACESSO ABERTO À PRODUÇÃO CIENTÍFICA NA USP VIII SEMANA DO LIVRO E DA BIBLIOTECA NO MZUSP Acesso Aberto, Repositórios Institucionais

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

DIÁLOGO CIENTÍFICO: EPrints como um ambiente virtual aberto da comunicação científica RESUMO. 1. Introdução

DIÁLOGO CIENTÍFICO: EPrints como um ambiente virtual aberto da comunicação científica RESUMO. 1. Introdução DIÁLOGO CIENTÍFICO: EPrints como um ambiente virtual aberto da comunicação científica VIANA, CASSANDRA LÚCIA DE MAYA Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia cassandra@ibict.br MÁRDERO

Leia mais

IV SEMINÁRIO HISPANO-BRASILEIRO DE PESQUISA EM INFORMAÇÃO, DOCUMENTAÇÃO E SOCIEDADE SOFTWARES LIVRE PARA ANÁLISE DE INFORMAÇÃO ESTRUTURADA

IV SEMINÁRIO HISPANO-BRASILEIRO DE PESQUISA EM INFORMAÇÃO, DOCUMENTAÇÃO E SOCIEDADE SOFTWARES LIVRE PARA ANÁLISE DE INFORMAÇÃO ESTRUTURADA IV SEMINÁRIO HISPANO-BRASILEIRO DE PESQUISA EM INFORMAÇÃO, DOCUMENTAÇÃO E SOCIEDADE SOFTWARES LIVRE PARA ANÁLISE DE INFORMAÇÃO ESTRUTURADA SOB A ÓTICA DO CONHECIMENTO ABERTO Lillian Alvares, Kira Tarapanoff

Leia mais

Biblioteca Digital para a coleção de lundus do acervo Mozart de Araújo

Biblioteca Digital para a coleção de lundus do acervo Mozart de Araújo Biblioteca Digital para a coleção de lundus do acervo Mozart de Araújo Adriana Olinto Ballesté Laboratório Nacional de Computação Científica UNIRIO-PPGM e-mail: adri@lncc.br Jupter Martins de Abreu Jr.

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4011 EDITAL Nº 01/2010 1. Perfil: Iphan Central 15 3. Qualificação educacional: - Graduação concluída em Arquitetura e Urbanismo, desejável Pósgraduação

Leia mais

EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN. TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br

EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN. TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN Prof. Dr. José Eduardo Santarem Segundo USP santarem@usp.br TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br Introdução Disponibilizar Dados Disponibilizar

Leia mais

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO / NÃO 1 Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação Registro de sugestões de compra de materiais bibliográficos

Leia mais

Open Archives: contexto

Open Archives: contexto Open Archives Arquivos Abertos Impacto da Internet nos Sistemas de Informação Documentos em papel Documentos eletrônicos Bases de dados referenciais Bases em texto completo Sistemas isolados Interoperabilidade

Leia mais

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM. IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM. IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP Manoel Francisco Carreira 1 Gislaine Camila Lapasini Leal

Leia mais

RELATÓRIO 3 CONJUNTO DE METADADOS DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA ENAP

RELATÓRIO 3 CONJUNTO DE METADADOS DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA ENAP RELATÓRIO 3 CONJUNTO DE METADADOS DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA ENAP Projeto básico sobre Repositório Digital: Definição da Arquitetura Informacional / Definição do Conjunto de Metadados / Definição

Leia mais

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos Curso de Introdução ao Plone Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Modulo A Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Laurimar Gonçalves

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a indexação e resumos, julgue os itens a seguir. Julgue os itens subsecutivos, referentes à gestão da informação e do conhecimento. 51 Coerência intraindexador refere-se

Leia mais

Conteúdo SOFTWARE LIVRE. Terminologia. Histórico de Software Livre. Terminologia: Software livre. Terminologia: Software livre

Conteúdo SOFTWARE LIVRE. Terminologia. Histórico de Software Livre. Terminologia: Software livre. Terminologia: Software livre Conteúdo SOFTWARE LIVRE SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002 Histórico de Software Livre Terminologia Fases do Licença de Software Livre

Leia mais

repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite

repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite Por que, para quem e como criar repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite A produção do conhecimento É viabilizadamedianteprocessos decomunicação

Leia mais

Sistemas de gestão de conteúdo para objetos de aprendizagem: características desejáveis e soluções existentes. Liane Tarouco CINTED/UFRGS

Sistemas de gestão de conteúdo para objetos de aprendizagem: características desejáveis e soluções existentes. Liane Tarouco CINTED/UFRGS Sistemas de gestão de conteúdo para objetos de aprendizagem: características desejáveis e soluções existentes Liane Tarouco CINTED/UFRGS 1 Gestão de conteúdo Alternativas metodológicas e tecnológicas para

Leia mais

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Janise Silva Borges da Costa, Beatriz Helena de Souza Cestari, Carla Metzler

Leia mais

Portaria da Presidência

Portaria da Presidência 1 10 O Presidente da, no Uso de suas atribuições e da competência que lhe foi delegada pela Portaria do MS/n o 938, de 22.07.99, RESOLVE: 1.0 PROPÓSITO Instituir a Política de Acesso Aberto ao Conhecimento,

Leia mais

ESTRATÉGIAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DA UNIRIO

ESTRATÉGIAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DA UNIRIO ESTRATÉGIAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DA UNIRIO Simone da Rocha Weitzel 1, Elisa Campos Machado 2 1 Professora Doutora, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro-RJ

Leia mais

Anote aqui as informações necessárias:

Anote aqui as informações necessárias: banco de mídias Anote aqui as informações necessárias: URL E-mail Senha Sumário Instruções de uso Cadastro Login Página principal Abrir arquivos Área de trabalho Refine sua pesquisa Menu superior Fazer

Leia mais

Busca de informação cientifica em Ciências da Comunicação: ferramenta de coleta automática ARCom 1

Busca de informação cientifica em Ciências da Comunicação: ferramenta de coleta automática ARCom 1 Busca de informação cientifica em Ciências da Comunicação: ferramenta de coleta automática ARCom 1 Roberto Seiti Yamashiro 2 Sueli Mara S.P. Ferreira 3 Resumo Falar em produção cientifica em ciências da

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM

OBJETOS DE APRENDIZAGEM MEDs e METADADOS OBJETOS DE APRENDIZAGEM O que é um objeto de aprendizagem? Segundo Wiley, D.A.,2000 Qualquer entidade DIGITAL que pode ser usada, reusada ou referenciada durante um processo de aprendizagem

Leia mais

PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST. Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner

PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST. Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner Agenda ProQuest Dissertations and Theses Histórico da UMI e PQDT Como e por que usar a PQDT? Processo de publicação

Leia mais

2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa.

2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa. Repositório Institucional da Universidade de Brasília HISTÓRICO 2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa.

Leia mais

Proposta de Serviço Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase

Proposta de Serviço Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase Proposta de Serviço Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase Federação de Repositórios Educa Brasil - FEB Rosa Maria Vicari Universidade Federal do Rio Grande do Sul 23.10.2009 1. Concepção do serviço 1.1.

Leia mais

Palavras-chave: i3geo, gvsig, Mapserver, integração, plugin. Contato: edmar.moretti@terra.com.br ou edmar.moretti@gmail.com

Palavras-chave: i3geo, gvsig, Mapserver, integração, plugin. Contato: edmar.moretti@terra.com.br ou edmar.moretti@gmail.com III Jornada Latinoamericana e do Caribe do gvsig Artigo: Integração do software i3geo com o gvsig Autor: Edmar Moretti Resumo: O i3geo é um software para a criação de mapas interativos para internet qu

Leia mais

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo Manual do Usuário Índice Conheça o Projeto...3 Apresentação...3 Finalidade...3 Objetivo...3 Histórico...4 Usando o Portal...5 Efetuando o cadastro na biblioteca digital...5 Logando na Biblioteca Digital...6

Leia mais

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Curso de Introdução ao Plone Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Parte IV - Criação

Leia mais

Software Livre e GIS: Quais são as alternativas?

Software Livre e GIS: Quais são as alternativas? Software Livre e GIS: Quais são as alternativas? Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org 1 Sumário Conceitos GIS e Software Livre Ferramentas: Thuban Qgis Jump MapServer O Futuro das Tecnologias

Leia mais

Automação do processo de gerenciamento e publicação de revistas científicas

Automação do processo de gerenciamento e publicação de revistas científicas Automação do processo de gerenciamento e publicação de revistas científicas Equipe SEER Desenvolvimento Web Ibict/MCT Sumário 4 Introdução 4 Requisitos Básicos 4 Hardware 4 Software 4 Instalação do Sistema

Leia mais

3 Estudo de Ferramentas

3 Estudo de Ferramentas 3 Estudo de Ferramentas Existem diferentes abordagens para automatizar um processo de desenvolvimento. Um conjunto de ferramentas pode ser utilizado para aperfeiçoar o trabalho, mantendo os desenvolvedores

Leia mais

Repositório de Conteúdo Digital UFSC (DSpace) http://repositorio.ufsc.br

Repositório de Conteúdo Digital UFSC (DSpace) http://repositorio.ufsc.br Repositório de Conteúdo Digital UFSC (DSpace) http://repositorio.ufsc.br Programação 1)Considerações Iniciais 2)Uso básico do repositório 3)Controle de acesso e fluxo de submissão 4)Tópicos Avançados 5)Exercícios

Leia mais

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Fernando César Lima Leite fernandodfc@gmail.com 1. A comunicação científica e sua importância Qualquer

Leia mais

Questões jurídicas nas bibliotecas digitais. Um panorama dos mais importantes problemas de direitos autorais e de responsabilidade

Questões jurídicas nas bibliotecas digitais. Um panorama dos mais importantes problemas de direitos autorais e de responsabilidade Questões jurídicas nas bibliotecas digitais Um panorama dos mais importantes problemas de direitos autorais e de responsabilidade Sumário 1. O que uma biblioteca digital oferece? 2. Obrigações gerais do

Leia mais

Banco Internacional de Objetos Educacionais BIOE

Banco Internacional de Objetos Educacionais BIOE Banco Internacional de Objetos Educacionais BIOE INTRODUÇÃO Milton Shintaku IBICT Fernanda de Souza Monteiro UFG Marcos Novais IBICT Maria da Conceição Afonso CESPE/UnB Veruska da Silva Costa CESPE/UnB

Leia mais

Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o caso do Repositório Digital da UFRGS

Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o caso do Repositório Digital da UFRGS Segunda Conferencia de Directores de Tecnología, Tical 2012 Gestión de las TI en Ambientes Universitarios, Lima, 2 y 3 de Julio de 2012 Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL A coordenadoria do projeto Laboratório de Cultura Digital, vinculado ao Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, torna pública a seleção de equipe para o referido projeto, conforme previsto

Leia mais

Desenvolvimento de Software Livre para a área

Desenvolvimento de Software Livre para a área Desenvolvimento de Software Livre para a área de Saúde Daniel Weingaertner Departamento de Informática UFPR Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL Programa de Extensão Conhecendo Padrões

Leia mais

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Versão Março 2008 1 Introdução Este documento tem por objetivo

Leia mais

Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais. Reunião MinC 20/03/2015

Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais. Reunião MinC 20/03/2015 Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais Reunião MinC 20/03/2015 Reunião MinC Proposta de Pauta Apresentação equipe: Leo, Murilo, Dalton, Marcel, Marco e Eduardo; Situação geral

Leia mais

Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento

Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org 1 Sumário Conceitos GIS e Software Livre Ferramentas: Jump Qgis Thuban MapServer

Leia mais

REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA: UMA EXPERIÊNCIA DE CUSTOMIZAÇÃO DO DSPACE

REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA: UMA EXPERIÊNCIA DE CUSTOMIZAÇÃO DO DSPACE REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA: UMA EXPERIÊNCIA DE CUSTOMIZAÇÃO DO DSPACE VIANA, C. L. M. MÁRDERO ARELLANO, M. A. SHINTAKU, M. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

Leia mais

Biblioteca digital: novo paradigma da informação

Biblioteca digital: novo paradigma da informação Biblioteca digital: novo paradigma da informação Murilo Bastos da Cunha Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Brasília, DF E-mail: murilobc@unb.br Introdução A Internet está revolucionando

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015. 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015. 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015 O INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT), Unidade de Pesquisa do Ministério

Leia mais

SocialDB Social Digital Library

SocialDB Social Digital Library Social Digital Library Laboratório L3P NARRATIVA DO PROJETO SOCIALDB 06/2015 Gestor de uma coleção "Sou produtor cultural (ou fotógrafo) e quero criar um lugar na internet com uma seleção de obras artísticas

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais.

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais. Edital MCT/FINEP/MC/FUNTTEL Plataformas para Conteúdos Digitais 01/2007 Projeto OBAA Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais

Leia mais

ANEXO I DO OBJETO/ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I DO OBJETO/ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I DO OBJETO/ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 - Aquisição de Sistema de Gerenciamento de Bibliotecas, destinado ao Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal Fluminense (UFF), que compreenda funções

Leia mais

REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL: produção intelectual do Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA)

REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL: produção intelectual do Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA) REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL: produção intelectual do Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA) Alessandra Saraiva de Sousa¹ ¹Especialista, Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA),

Leia mais

Introdução 13/06/2012. Software Livre

Introdução 13/06/2012. Software Livre Software Livre Introdução Software Livre, software de código aberto ou software aberto é qualquer programa de computador cujo código-fonte deve ser disponibilizado para permitir o uso, a cópia, o estudo

Leia mais

Comunidades e sub-comunidades

Comunidades e sub-comunidades Biblioteca Digital de Alimentação e Nutrição Humana APOIO AO UTILIZADOR Figure BDNut 1 Tutorial de pesquisa - Biblioteca 2009, revisto a 2014-11 Objetivos Este tutorial tem como objetivo orientar o utilizador

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL CRIAÇÃO DE SITE GERENCIÁVEL PROPOSTA_1408_0401_(FLAMEL_FACTORY) Página 1 de 10 PROPOSTA COMERCIAL CRIAÇÃO DE SITE GERENCIÁVEL

PROPOSTA COMERCIAL CRIAÇÃO DE SITE GERENCIÁVEL PROPOSTA_1408_0401_(FLAMEL_FACTORY) Página 1 de 10 PROPOSTA COMERCIAL CRIAÇÃO DE SITE GERENCIÁVEL Página 1 de 10 Santo André, 04 de Agosto de 2014. À Flamel Factory A/c.: Sra. Lucenir Ramos de Andrade Hott PROPOSTA COMERCIAL SOBRE A PROPOSTA A proposta desenvolvida pela World Online tem como objetivo

Leia mais

Sumário. 4 Introdução. 4 Definições. 4 Utilização. 4 Padrões. 4 Conclusão. 4 Os padrões permitem 4 Padrões USMARC 4 Padrões Dublin Core

Sumário. 4 Introdução. 4 Definições. 4 Utilização. 4 Padrões. 4 Conclusão. 4 Os padrões permitem 4 Padrões USMARC 4 Padrões Dublin Core Sumário 4 Introdução 4 Definições 4 Utilização 4 Padrões 4 Os padrões permitem 4 Padrões USMARC 4 Padrões Dublin Core 4 Conclusão Introdução 4 A constante evolução da área de informática, permite com que

Leia mais

Usar FTK Imager para gerar evidências, exportar arquivos de evidências, criar imagens forenses e converter imagens existentes.

Usar FTK Imager para gerar evidências, exportar arquivos de evidências, criar imagens forenses e converter imagens existentes. AccessData BootCamp Forensic Toolkit, FTK Imager, Password Recovery Toolkit and Registry Viewer O curso AccessData BootCamp fornece conhecimento e habilidade necessária para instalar, configurar e o uso

Leia mais

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino Escolher o Sponte Educacional é escolher inteligente Sistema web para gerenciamento de instituições

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 4º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 4º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 4º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014 O INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência,

Leia mais

PRESERVAÇÃO DIGITAL DA MEMÓRIA TÉCNICO-CIENTÍFICA DO INPE

PRESERVAÇÃO DIGITAL DA MEMÓRIA TÉCNICO-CIENTÍFICA DO INPE PRESERVAÇÃO DIGITAL DA MEMÓRIA TÉCNICO-CIENTÍFICA DO INPE BANON, G. J. F. *, RIBEIRO, M. L. *, BANON, L. C. A grande inovação da área digital foi a possibilidade de criar com grande facilidade e rapidez,

Leia mais

MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem;

MOODLE é o acrónimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment Software livre, de apoio à aprendizagem; Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; A expressão designa ainda

Leia mais

Implementação da Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal no Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas SEER.

Implementação da Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal no Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas SEER. Implementação da Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal no Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas SEER. Rodrigo F. Meirelles 1 e-mail: rodrigomei@hotmail.com Relata a experiência de implementação

Leia mais

Shavlik Protect. Guia de Atualização

Shavlik Protect. Guia de Atualização Shavlik Protect Guia de Atualização Copyright e Marcas comerciais Copyright Copyright 2009 2014 LANDESK Software, Inc. Todos os direitos reservados. Este produto está protegido por copyright e leis de

Leia mais

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas & 1 Índice 2 Introdução...3 3 A Plataforma de Curricula DeGóis...3 3.1 É utilizada porque...3 3.2 Com a utilização do DeGóis ganho...4 3.1

Leia mais

Implementação de Interoperabilidade entre Repositórios Digitais por meio do Protocolo OAI-PMH. Renan Rodrigues de Oliveira Cedric Luiz de Carvalho

Implementação de Interoperabilidade entre Repositórios Digitais por meio do Protocolo OAI-PMH. Renan Rodrigues de Oliveira Cedric Luiz de Carvalho Implementação de Interoperabilidade entre Repositórios Digitais por meio do Protocolo OAI-PMH Renan Rodrigues de Oliveira Cedric Luiz de Carvalho Technical Report - RT-INF_003-09 - Relatório Técnico March

Leia mais