FPV O próximo nível do aeromodelismo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FPV O próximo nível do aeromodelismo"

Transcrição

1 FPV O próximo nível do aeromodelismo Marcos Paulo de Souza RESUMO Este artigo destina-se a todos os interessados em pilotagem de aeromodelos através de câmeras embarcadas e se propõe a dar uma visão introdutória sobre os conhecimentos que são necessários para uma prática saudável e segura dessa modalidade de pilotagem de aeromodelos. Palavras-Chave FPV, Flight per Vídeo, Pilotagem por câmera 1. INTRODUÇÃO A prática do vôo através de câmeras instaladas em aeromodelos está crescendo em todo o mundo. E como a pratica de qualquer hobby está sempre inserida em um ambiente de muita pesquisa e colaboração, é com esse espírito que gostaria de convidar aos interessados no assunto a lerem esse artigo e contribuir para o aperfeiçoamento dessa nova perspectiva de vôo com aeromodelos. Sou aeromodelista de coração desde a infância, mas somente aos 30 anos tive os recursos necessários para entrar nesse extraordinário universo do aeromodelismo. Desde os primeiros contatos na infância com os aeromodelos com motores a combustão, despertou a paixão pelo hobby, mesmo que apenas como espectador. Ingressei nesse hobby já na era dos motores elétricos brushless 1 e das baterias de Polímero de Lítio, que tem substituído com muita competência os motores a combustão. 1 Brushless é a nomenclatura adotada para os motores elétricos que não utilizam as tradicionais escovas de carbono para conduzir a eletricidade até a bobina do motor, que gera sua rotação.

2 Para aqueles que estão tomando contato com o assunto pela primeira vez acredito ser importante que suas primeiras impressões sobre o assunto sejam as mais sérias e comprometidas possíveis, por isso lhes convido a conhecer o que realmente é o FPV/RPV 2. A inspiração para essa modalidade de vôo parece ter nascido dos experimentos com aeronaves não tripuladas que enviavam dados de telemetria (e posteriormente imagens) de seu vôo para uma estação de controle em solo, onde um controlador coordenava seu plano de vôo e missões. Essas aeronaves foram batizadas de UAV s (Unmaned Aerial Vehicles Veículos Aeroespaciais não Tripulados) Com a popularização das tecnologias wireless 3 para transmissão de áudio, vídeo e dados, foi possível reproduzir em pequenos aeromodelos alguns dos experimentos feitos nos UAV s, nascendo assim o FPV; Essa técnica de pilotagem em aeromodelos é a uma das melhores maneiras de experimentar a sensação de voar em espaço real. Porém ela é também a técnica de pilotagem de aeromodelos que mais exige habilidades e conhecimentos técnicos dos praticantes, pois requer noções de fundamentos de vôo, leitura de instrumentos, orientação, navegação e vários outros conhecimentos relacionados à pilotagem real de uma aeronave. O ponto crucial para a prática saudável de FPV é a segurança. E pensando nela é que praticantes de FPV de todo o mundo estão engajados em tornar os sistemas embarcados em seus aeromodelos cada dia mais seguros e confiáveis. *** IMPORTANTÍSSIMO **** O FPV é uma modalidade nova de pilotagem de aeromodelos que ainda não possui regulamentação por nenhuma confederação de aeromodelismo ou pelos órgãos de controle de tráfego aéreo, o que exige de seus praticantes uma grande responsabilidade. Cito abaixo alguns dos principais riscos que um praticante de FPV pode sofrer ou causar: 2 Siglas de Flight Per Video / First Person View, e Remote Person View. 3 Wireless é a demoninação das tecnologias de transmissão de dados por meio de ondas de radiofreqüência.

3 Perda do aeromodelo pela perda do sinal de vídeo de seu equipamento FPV sem que haja um "co-piloto" em solo monitorando visualmente a localização do aeromodelo, uma vez que se pilota olhando para um monitor, podendo causar sua queda sobre pessoas e/ou propriedades; Perda do aeromodelo pela perda do comando por ultrapassar o limite de alcance do Radio Controle, podendo causar sua queda sobre pessoas e/ou propriedades; Voar em altitude compatível com rotas de aproximação de aeronaves e colocar em risco a segurança de vôo local; Basta que ocorra um desses eventos uma única vez para que toda a comunidade de praticantes de FPV seja banida dos campos de vôo. Por isso a palavra de ordem é SEGURANÇA. O atual nível tecnológico de equipamentos eletrônicos disponíveis ao público em geral abre muitas oportunidades para desenvolvermos sistemas de FPV seguros. Cito dois sistemas que julgo essenciais: os "Pilotos Automáticos" e o "Sistema de Áudio e Vídeo". O coração do sistema de FPV é a sua conexão sem fio de áudio e vídeo com a estação de controle. É com base nas imagens recebidas do sistema de câmeras no aeromodelo que o praticante conduz seu vôo de maneira adequada e segura. Se a conexão sem fio for interrompida por qualquer razão, o piloto não terá nenhuma referência de onde seu aeromodelo estará especialmente em vôos cuja distancia entre o aeromodelo e a estação de controle supere os 500 metros de distância lign of site 4 Para reduzir esse risco no caso de uma falha no sistema de vídeo foram desenvolvidos equipamentos auxiliares que ajudam o praticante a manter o controle do aeromodelo e trazê-lo de volta a base em relativa segurança: são os pilotos automáticos. Eles são um conjunto de circuitos e sensores que auxiliam na estabilização de um aeromodelo no caso da perda do sinal do radio controle ou do sinal de vídeo e pode ser programando para enviar sinais de comando aos servos do aeromodelo para redirecionar seu proa de vôo e trazê-lo novamente para um ponto préprogramado na memória do equipamento. 4 Lign of site: termo em inglês que significa uma distância entre dois pontos livre de obstáculo.

4 Vamos agora entender um pouco mais esses dois sistemas básicos para uma pratica segura de FPV. 2. SISTEMAS DE AUDIO E VIDEO PARA FPV Somente através desses equipamentos é possível a pratica do FPV. Sua profunda compreensão de funcionamento e limitações levará ao praticante a níveis muito seguros de vôo. O sistema consiste basicamente de uma microcâmera conectada a um transmissor de áudio e vídeo wireless, ambos instalados dentro do aeromodelo, que envia as imagens através de radiofreqüência para um receptor em solo, que por sua vez as envia para um monitor. Com isso o piloto tem a imagem em tempo real daquilo que o aeromodelo está "observando". Atualmente existem quatro grupos de freqüências que utilizam tecnologia de espalhamento espectral de baixa potência 5 disponíveis para transmissão de áudio e vídeo, que permitem aos praticantes de FPV fácil acesso, sejam pelo preço acessível dos equipamentos ou pela dispensa de licenças especiais para operação. São elas: Faixa de 900 Mhz (Mega Hertz) Faixa de 1.2 Ghz (Giga Hertz) Faixa de 2.4 Ghz (Giga Hertz) Faixa de 5.8 Ghz (Giga Hertz) Cada faixa de freqüência tem características próprias de propagação, penetração no espaço, transporte de dados, capacidade de transposição de obstáculos, entre outras. Como o objetivo desse artigo é introduzir os interessados aos conceitos básicos sobre o FPV, não irei aprofundar estas particularidades sobre cada faixa de freqüência, mas recomendo muito uma pesquisa mais profunda. 5 No Brasil o limite de potencia permitido é de 125 mw segundo Capítulo III, Seção IX, Art 40, Inciso VI do Anexo a Resolução nº 365 da ANATEL,.

5 Lembre-se que esse é o elemento mais importante do FPV. Sem um sistema de vídeo confiável e adequado ao tipo de vôo que você pretende fazer sempre existirá a dúvida se seu aeromodelo fará um próximo vôo. Seguem algumas dicas para orientar sua pesquisa: Dimensionamento de um Rádio-Enlace ponto a ponto o Potência de Transmissão o Ganho de Antenas o Sensibilidade de Recepção o Atenuação de Espaço Livre o Zona de Fresnel Tipos de antena o Omnidirecionais o Setoriais o Direcionais o Helicoidais o Parabólicas o Yagi o outras Legislação ANATEL - ANEXO À RESOLUÇÃO No 365, DE 10 DE MAIO DE 2004 Fontes de interferências 2.1. Exemplos de fontes de interferências nos locais de vôo Sistemas com Bluetooth, que operam na faixa de freqüência que vai de GHz até GHz; Sistemas de redes sem fio, que operam na faixa de freqüência que vai de GHz até GHz, e em alguns caso pode operar também na faixa de 5 GHz;

6 Padrão Região/País Frequência Potência b & g Américas 2,4-2,4835 GHz 1000 mw b & g Europa 2,4-2,4835 GHz 100 mw b & g Japão 2,4-2,497 GHz 10 mw b & g Espanha 2,4-2,4875 GHz 100 mw b & g França 2,4-2,4835 GHz 100 mw ª Américas 5,15-5,25 GHz 40 mw ª América do Norte 5,25-5,35 GHz 200 mw ª América do Norte 5,47-5,725 GHz Não aprovado a América do Norte 5,725-5,825 GHz 800 mw Celulares GSM Quad-Band, que operam em faixas de 850 MHz, 900 MHz, 1800 MHz (1.8 GHz) ou 1900 MHz (1.9 GHz); Transmissões Radioamadoras que operam em UHF: contatos via satélite, reflexão lunar, emissão-piloto, repetidoras e comunicação digital. Faixa de 70 cm 430 a 440 MHz Faixa de 33 cm a 928 MHz Faixa de 23 cm 1240 a 1300 MHz Faixa de 13 cm 2300 a 2450 MHz Com esse panorama geral sobre sistemas de transmissão de áudio e vídeo sem fio podemos escolher corretamente os equipamentos para um vôo FPV seguro.

7 3. SISTEMA DE PILOTO AUTOMÁTICO PARA FPV Os sistemas auxiliares de suporte a vôos autônomos podem ser considerados a apólice de seguro do praticante de FPV consciente e responsável. Esse equipamento é o cérebro do sistema de FPV e ajudará o praticante a garantir a integridade de pessoas e propriedades, além do seu próprio investimento. Existem diversos sistemas eletrônicos que se propõe a governar um aeromodelo em caso de perda do sinal do rádio controle. Alguns sistemas bem simples estão presentes nos próprios receptores dos aeromodelos de alguns fabricantes, e são conhecidos pela função FAIL SAFE 6. Essa função é uma programação feita no receptor antes do vôo para reagir a uma possível perda do sinal do transmissor, enviando comandos aos servos do aeromodelo para executarem os movimentos programados. Contudo, essa programação é muito limitada e não garante que o aeromodelo desgovernado não cause danos a terceiros. Um bom sistema de auto governança necessita de parâmetros bem programados e de dados recebidos de sensores que determinarão a atual situação do vôo do aeromodelo, como por exemplo, altitude, velocidade do ar, localização geográfica e orientação em relação ao solo. Com esses dados o sistema pode calcular todas as instruções necessárias para reorientar e estabilizar o vôo do aeromodelo no sentido desejado. Um sistema de piloto automático necessita basicamente dos seguintes componente: o Placa de circuito gerenciadora, normalmente dotada de um microprocessador e um sistema operacional (firmware) que processa os dados enviados pelos sensores e transforma-os em comandos para o aeromodelo; o Módulo de GPS conectado a placa gerenciadora para fornecê-la as coordenadas geográficas da posição atual do aeromodelo. A placa gerenciadora utiliza esses dados 6 FAIL SAFE é o termo em inglês que significa Segurança Contra Falhas

8 para determinar onde o aeromodelo está no espaço em relação às coordenadas geográficas do local de decolagem (ou de pouso), gravadas em sua memória antes da decolagem; o Sensor de pressão do ar conectado a placa gerenciadora para fornecê-la a velocidade do ar sob as asas do aeromodelo, calculada pela diferença da pressão do ar nos Tubos de Pitot. A placa gerenciadora utiliza esses dados para determinar a necessidade de mais ou menos potencia do motor para garantir a sustentação do aeromodelo em vôo; o Sensor infravermelho para detectar esse espectro da luz solar que atravessa a camada atmosférica, e que diferencia o céu da terra. A placa gerenciadora usa esse dado para orientar e estabilizar o aeromodelo em relação ao solo; Com esses dados, a placa gerenciadora tem condições de gerar comandos para o aeromodelo de maneira a corrigir e estabilizar sua atitude de vôo e redirecioná-lo para o local programado na memória do piloto automático, que pode ser o seu local de decolagem ou o seu destino de pouso. A complexidade desse tipo de sistema está relacionada com a quantidade de funções que desejamos que ele execute. Normalmente eles tendem a ser compactos para não prejudicarem a característica de vôo do aeromodelo e por isso são limitados. Entretanto existem projetos de pilotos automáticos criados por praticantes de FPV que permitem o usuário alterar a programação de seu sistema operacional e assim programar novas funcionalidades. Um piloto automático pode decolar e pousar o aeromodelo com precisão, contando com a ajuda de outros sensores, tais como o sensor ultrasom para detectar a exata distancia do aeromodelo em relação ao solo, e com isso acionar flaps, acionar trens de pouso, ajustar a potencia do motor, etc. O limite para suas funcionalidades é o seu tamanho e peso final, que o permita ser colocado dentro do espaço disponível no aeromodelo. Para complementar as noções básicas sobre um vôo em FPV seguro e responsável não poderíamos deixar de falar sobre o sistema que dá a vida ao aeromodelo e transfere para as mãos do piloto a sensação de estar no comando: O sistema de Radio Controle

9 4. SISTEMA DE RÁDIO CONTROLE PARA FPV Para esse capítulo necessitaremos compreender algumas informações sobre Radio Controles. A primeira delas é que os radio controles atuais não foram concebidos para atender as exigências de segurança dessa nova modalidade de vôo. Seu conceito foi, e ainda é, de atender as necessidades dos praticantes em aeromodelismo para um raio de alcance visual, ou seja, para fazer vôos até onde os olhos enxergam o aeromodelo. A maioria dos fabricantes de radio controles atestam seus produtos dentro desse parâmetro, onde muitas vezes ainda subestimam o potencial do equipamento em suas literaturas técnicas para não gerar expectativas erradas nos clientes e assim gerar insatisfação ou acidentes. Exemplos disso vem do fabricante FUTABA, que garante para seus rádios que operam em FM (72 MHz) alcance de até 800 metros e para seus rádios que operam em UHF (2.4 GHz) o alcance de até 300 metros. Na verdade esses alcances praticamente representam a média dos alcances visuais de um ser humano padrão em relação a objetos que não ultrapassem 1,0 metro quadrado de área visível dentro desses alcances. Fisiologicamente falando, um objeto de 1 metro quadrado (e.g.: 1,20 de envergadura por 0,80 de comprimento), observado de uma distancia de 800 metros oferece uma percepção de tamanho pouco maior do que de um maço de cigarros. Por esse motivo, nenhum radio atual tem a especificação técnica necessária para utilização em vôos de FPV que ultrapassem os alcances garantidos por seus fabricantes. Mesmo considerando que você tenha um excelente sistema de vídeo e um piloto automático que só faltasse falar, ainda assim você estaria negligenciando o fator segurança e colocando pessoas em risco ao voar com seu radio convencional fora dos parâmetros especificados pelo fabricante. Muitos praticantes pelo mundo afora reportam em fóruns suas experiências de alcances com rádios tradicionais maiores que aqueles expressos pelos fabricantes, mas todas são experiências sem padrões de parâmetros de teste e sem comprovação técnica. O alcance de um radio transmissor não está relacionado apenas com sua potencia de saída, mas também com o meio de

10 propagação, condições meteorológicas e fontes externas de interferência. Por isso que os fabricantes subestimam o alcance de seus rádios para que eles entreguem o alcance garantido em quase qualquer situação do ambiente de propagação. Um fator fundamental sobre o Radio Controle usado para FPV é que ele sempre tenha o seu alcance maior que o alcance do sistema de vídeo. Se o sistema de vídeo tiver alcance maior do que seu rádio você poderá voar alem do alcance do radio e assistirá a queda do seu aeromodelo pela perda do sinal de controle. O contrário não acontece, se seu radio tiver um alcance maior que o sistema de vídeo, pois este último lhe fornecerá "sinais" de perda de alcance através de chuviscos na imagem antes dele efetivamente perder a conexão, permitindo que você manobre o avião e retorne para um ponto de melhor recepção. O radio controle não emite esse tipo de "AVISO", a menos que você consiga ler o RSSI 7 de seu receptor e monitorar seus níveis baixos de sinal. Isso é possível, como veremos mais a frente, com o uso de telemetria ou OSD 8, com receptores que forneçam essa leitura. Existem atualmente alguns esforços de praticantes de FPV no desenvolvimento de sistemas de radio controle que transmitem em UHF na faixa de 70 cm (423 a 440 MHz) e de 23 cm (902 a 928 MHz) com grande alcance, utilizando potencia de saída de 500mW, situação regulamentada para uso por radioamadores licenciados. Isso traz uma luz sobre o assunto do ponto de vista da segurança, sem infringir nenhuma legislação local, ou até mesmo internacional. Apenas como referências, seguem alguns projetos de rádios-controle de longo alcance disponíveis para consultas na internet: o DragonLink UHF RC System o Thomas Scherrer UHF RC System o EZ UHF RC System 7 RSSI: Received Signal Strenght Indication, termo em inglês para Indicação da Força do Sinal Recebido que alguns receptores oferecem a possibilidade de leitura através de circuitos auxiliares, tais como o OSD 8 OSD: On Screen Display, termo em inglês para um dispositivo eletrônico que sincroniza caracteres de texto sobre imagem capturada de qualquer fonte de vídeo. É o princípio dos TelePrompts que jornalistas usam para ler a noticia, mesmo olhando para a câmera, pois a informação está passando sobre sua própria imagem num monitor especialmente destinado para esse fim.

11 Aqui cabe um relevante comentário. Quando falamos de FPV estamos considerando dois grandes sistemas de radio-enlace, por assim dizer: O radio-enlace entre o Transmissor e o Receptor do aeromodelo, que executam os comando de vôo, e o radio-enlace entre o Transmissor e o Receptor do sistema de áudio e vídeo. É indispensável que os dois sistemas não interfiram um no outro, ou seja, quando estivermos montando nossos aeromodelos para voar em FPV teremos que estudar muito bem as freqüências que trabalharam em conjunto no sistema. Um exemplo prático para ilustrar isso é que não se deve usar uma freqüência de 2.4Ghz para transmissão de áudio e vídeo em conjunto com um sistema de radio controle também de 2.4GHz. Isso certamente causará alguma interferência entre eles. Nota: Os radio controles mais modernos que utilizam a freqüência 2.4Ghz normalmente são dotados da tecnologia FHSS (Frequency Hopping Spread Spectrum). Essa tecnologia consiste em microprocessadores e vários filtros eletrônicos no transmissor e receptor para varrer toda a faixa de freqüência e procurar pelas freqüências com menos interferências externas, o que torna o sistema muito mais seguro para vôos em locais com vários rádios operando na mesma faixa de freqüência. Contudo, essa tecnologia ainda foi compatibilizada com sistemas de transmissão de áudio e vídeo sem fio, o que os deixa muito sensíveis a interferências. Se dois praticantes de FPV estiverem voando com transmissores de áudio e vídeo na mesma freqüência, muito provavelmente ambos sofrerão mutua interferências em suas recepções, podendo levar a queda dos aeromodelos pela falta de uma imagem adequada do vôo. A seguir apresentarei alguns outros equipamentos atualmente disponíveis e desenvolvidos para aprimorar a experiência de imersão do praticante em uma sensação mais completa de estar voando dentro de seu aeromodelo.

12 5. SISTEMAS COMPLEMENTARES PARA FPV Existem vários acessórios que o praticante de FPV pode colocar em seu aeromodelo para aumentar a segurança e a sensação de pilotagem durante o vôo. São eles: 1. Sistema de Telemetria: ele coleta dados através de sensores instalados no aeromodelo, processa e transmite para a estação de controle as informações sobre o vôo tais como voltagem da bateria do receptor (ou do motor para o caso de aviões elétricos), temperatura de componentes como turbinas e speed controls, altitude, velocidade do ar, distância percorrida, e quaisquer outras informações que sejam possíveis serem coletadas e transmitidas. Abaixo estão alguns dos sensores mais utilizados para monitorar o comportamento de vôo do aeromodelo, similares aqueles utilizados pelo Piloto Automático. a. Módulo de GPS: fornece as coordenadas geográficas do aeromodelo que são utilizadas para calcular a distância percorrida, a altitude do avião em relação ao ponto de decolagem, sua velocidade em relação ao solo, proa de vôo e direção para retorno ao ponto de origem; b. Sensor de pressão do ar no tubo de Pitot: fornece a velocidade do ar que está passando sob as asas do aeromodelo, determinando sua sustentação. Cada avião possui uma velocidade de STALL, ou seja, a velocidade mínima do ar passando sob as asas onde, abaixo dela, o avião perde a sustentação e cai; c. Sensor de temperatura: fornece a temperatura das superfícies onde eles são conectados, ajudando a gerenciar componentes onde a temperatura seja um fator crítico tais como turbinas e speed controls d. Sensor de Voltagem e Amperagem: fornece o valor da tensão e da corrente consumida por sistemas que utilizam energia elétrica tais como motores elétricos e os circuitos eletrônicos embarcados; e. Sensor infravermelho: fornece dados de referência entre céu e terra pela captura da luz infravermelha que atravessa a atmosfera, permitindo determinar a linha do horizonte e assim criar o chamado "horizonte artificial";

13 f. Sensor de pressão barométrica: fornece uma referência muito mais precisa da altitude do aeromodelo do que os módulos de GPS, podendo ser utilizado para determinar a exata altitude do aeromodelo pela subtração entre a altitude no ponto de decolagem e as altitudes aferidas ao longo do vôo; g. Sinal RSSI do receptor: Alguns receptores possuem uma função importante para FPV que é a informação da força do sinal do transmissor que está chegando a suas antenas. Com essa informação é possível determinar a hora de retornar para um ponto mais próximo da estação de controle para evitar a perda do alcance do controle; 2. Sistema de OSD: sigla para On Screen Display é um recurso utilizado para inserir e sincronizar informações de texto a imagens de vídeo. Ele normalmente é utilizado em conjunto com sistemas de telemetria para facilitar a visualização das informações de vôo para o praticante ao colocá-las sobrepostas as imagens de vídeo que o piloto recebe em sua estação de controle provenientes do seu aeromodelo. 3. Pan and Tilt: é o sistema de panoramização e verticalização da câmera de vídeo instalada no aeromodelo, permitindo que o piloto movimente a câmera em diversas direções e possa observar o vôo com se fosse o movimento do pescoço do piloto. Consiste de dois servos interconectados e juntos conectados a câmera, que recebem do receptor os comandos para movimentá-los. 4. Head Tracking: é uma espécie de giroscópio eletrônico adaptado para ser preso à cabeça do piloto para monitorar seus movimentos e transformá-los em sinais PPM que são enviados ao aeromodelo para movimentar a Pan and Tilt utilizando canais livres do sistema de radio controle. Isso elimina a necessidade de comandos manuais para movimentar os servos da câmera a aumenta a sensação de pilotagem virtual, pois, ao movimentar a cabeça em um determinado sentido, o sistema faz com que a câmera no aeromodelo se movimente no mesmo sentido e na mesma intensidade do movimento. Com essa visão geral sobre os fundamentos do FPV o praticante pode referenciar suas pesquisas para atender suas necessidades específicas e assim evoluir na prática dessa modalidade de vôo.

14 6. AGRADECIMENTOS, USOS E DIREITOS AUTORAIS Vale lembrar que, assim como você está recebendo essas informações, é muito importante que suas descobertas sejam compartilhadas com todos os interessados no assunto, garantindo assim o desenvolvimento de métodos, técnicas e equipamentos cada vez mais seguros. Esse artigo é disponibilizado gratuitamente, mas tem todos seus direitos autorais reservados. Você pode utilizá-lo para instrução própria, mas não poderá usá-lo comercialmente sem a atribuição dos devidos créditos autorais e pagamentos dos royalties previstos em lei. Se você deseja contribuir com a atualização desse artigo, enviem suas sugestões, criticas e comentários para para que eles sejam devidamente citados e tenham os créditos atribuídos a você como colaborador e co-autor. Em breve esses artigos serão traduzidos para 5 idiomas e suas contribuições alcançarão o mundo inteiro, por isso participe. Desejo a todos muito sucesso em suas pesquisas e experimentos, e vôo espetaculares com seus aeromodelos FPV. 7. REFERÊNCIAS [ 1 ] Website ANATEL [ 2 ] Website AEROMODELIMO VIRTUAL [ 3 ] Quadro de freqüências de telefones celulares GSM -

Camada Física: Meios de transmissão não guiados

Camada Física: Meios de transmissão não guiados Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Meios de transmissão não guiados Transmissão sem Fio Pessoas cada vez mais dependente das redes; Alguns especialistas afirmam

Leia mais

Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge

Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge lacjorge@gmail.com VANTS NA AGRICULTURA Vantagens sobre aeronaves convencionais e satélites Custo

Leia mais

Especificações Técnicas e Funcionais

Especificações Técnicas e Funcionais Introdução Especificações Técnicas e Funcionais A presente Especificação, elaborada pela São Paulo Transporte S.A. SPTrans, tem como objetivo estabelecer os requisitos técnicos, operacionais e funcionais

Leia mais

Transmissor EXT-240 de áudio e vídeo sem fio

Transmissor EXT-240 de áudio e vídeo sem fio Transmissor de áudio e vídeo sem fio Manual de operação Índice I. Introdução... 1 II. Informações de segurança... 1 III. Especificações... 1 IV. Instruções de instalação... 2 1. Opções de posicionamento...

Leia mais

Comunicação sem fio - antenas

Comunicação sem fio - antenas Comunicação sem fio - antenas Antena é um condutor elétrico ou um sistema de condutores Necessário para a transmissão e a recepção de sinais através do ar Na transmissão Antena converte energia elétrica

Leia mais

Telemetria para Medição de Consumo Especificações Técnicas

Telemetria para Medição de Consumo Especificações Técnicas Página: 2 / 5 Telemetria para Medição de Consumo Introdução Este documento apresenta as características técnicas da solução de telemetria do consumo de água, gás e energia (e outros medidores com saída

Leia mais

www.philips.com/welcome

www.philips.com/welcome Register your product and get support at www.philips.com/welcome SDV1225T/55 PT Manual do Usuário Sumário 1 Importante 4 Segurança 4 Aviso para os EUA 4 Aviso para o Canadá 4 Reciclagem 4 Português 2

Leia mais

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio Transmissão das Ondas Eletromagnéticas Prof. Luiz Claudio Transmissão/Recebimento das ondas As antenas são dispositivos destinados a transmitir ou receber ondas de rádio. Quando ligadas a um transmissor

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES Radiocontrole digital de 3 canais 2.4GHz Leia todas as instruções antes de operar este sistema. MANUAL DE INSTRUÇÕES Av. das Carinás, 550 - Moema São Paulo, SP, 04086-011 suporte@aeromodelli.com.br www.aeromodelli.com.br

Leia mais

RASTREADOR GPS PESSOAL E DE CARGA

RASTREADOR GPS PESSOAL E DE CARGA GR PERSONAL - MXT 100 e 101 RASTREADOR GPS PESSOAL E DE CARGA O MXT 100/101 é um dispositivo portátil de rastreamento utilizado para monitorar e controlar cargas, bagagem, pessoas, animais e outros meios

Leia mais

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL Baseados em nossa experiência em aplicações de GPS e Telemetria, e devido às pequenas dimensões (70x40x20 mm) do GT PERSONAL GPS este dispositivo portátil executa o

Leia mais

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO Dezembro de 2011 ELO Sistemas Eletrônicos S.A. 100406082 Revisão 0.0 Índice ÍNDICE... I INTRODUÇÃO 1... 1 CONTEÚDO DESTE MANUAL... 1 ONDE

Leia mais

Visão geral das redes sem fio

Visão geral das redes sem fio Visão geral das redes sem fio 1 - Introdução O termo redes de dados sem fio pode ser utilizado para referenciar desde dispositivos de curto alcance como o Bluetooth à sistemas de altas taxas de transmissão

Leia mais

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03 UFSM-CTISM Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03 Professor: Andrei Piccinini Legg Santa Maria, 2012 Par trançado Cabo coaxial Fibra óptica Meios Não-guiados Transmissão por rádio Microondas

Leia mais

Informativo de Segurança e Saúde

Informativo de Segurança e Saúde Informativo de Segurança e Saúde 03/2010 Introdução: O Grupo Técnico de Estudos de Espaços Confinados GTEEC, coordenado pela CPFL Energia e ligado ao Comitê de Segurança e Saúde no Trabalho - CSST da Fundação

Leia mais

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 55 Roteiro Definição Benefícios Tipos de Redes Sem Fio Métodos de Acesso Alcance Performance Elementos da Solução

Leia mais

Manual de Instruções. Rádios para telemetria

Manual de Instruções. Rádios para telemetria Manual de Instruções Rádios para telemetria Waveflow Waveport USB Waveport Bluetooth Suporte Técnico +55 38 3690-9748 +55 38 3690-9722 www.agua.elster.com.br Montes Claros - Minas Gerais -Brasil SUMÁRIO

Leia mais

Segurança em redes sem fio Freqüências

Segurança em redes sem fio Freqüências Segurança em redes sem fio Freqüências Carlos Lamb Fausto Levandoski Juliano Johann Berlitz Vagner Dias Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) 16/08/2011 AGENDA INTRODUÇÃO ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO

Leia mais

Camada Física. Bruno Silvério Costa

Camada Física. Bruno Silvério Costa Camada Física Bruno Silvério Costa Sinais Limitados por Largura de Banda (a) Um sinal digital e suas principais frequências de harmônicas. (b) (c) Sucessivas aproximações do sinal original. Sinais Limitados

Leia mais

Por Luciano Cardoso Fucci - Aeroplas Modelismo

Por Luciano Cardoso Fucci - Aeroplas Modelismo Por Luciano Cardoso Fucci - Aeroplas Modelismo Este artigo não se destina a aeromodelistas experientes, mas se você é um curioso ou iniciante no Aeromodelismo, aqui vão algumas informações que poderão

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão Os meios físicos de transmissão são compostos pelos cabos coaxiais, par trançado, fibra óptica, transmissão a rádio, transmissão via satélite e são divididos em duas

Leia mais

Protocolo wireless Ethernet

Protocolo wireless Ethernet Protocolo wireless Ethernet Conceituar as variações de redes sem fio (wireless) descrevendo os padrões IEEE 802.11 a, b, g e n. Em meados de 1986, o FCC, organismo norte-americano de regulamentação, autorizou

Leia mais

PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados

PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados AVL s (Automatic Vehicle Location), nos veículos das empresas que realizam

Leia mais

Câmera CFTV Digital Sem Fio

Câmera CFTV Digital Sem Fio Câmera CFTV Digital Sem Fio Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

Definições de Sinais e Sistemas

Definições de Sinais e Sistemas Definições de Sinais e Sistemas O que é um Sinal? O que é um Sistema? Visão Geral de Sistemas Específicos Processamento de Sinais Analógicos Versus Digitais Definições de Sinais e Sistemas 1 O que é um

Leia mais

Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15

Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15 Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15 Introdução, com algumas características Uma rede sem fios ou uma rede Wireless é uma infraestrutura das comunicações sem fio que permite a transmissão

Leia mais

Sistemas Wireless: Comunicação via satélite. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Sistemas Wireless: Comunicação via satélite. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Sistemas Wireless: satélite. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Satélite Aspectos Gerais Os satélites de comunicação: Surgiram na década de 60. Contendo características

Leia mais

Drone de mapeamento profissional

Drone de mapeamento profissional Drone de mapeamento profissional 4 razões para escolher o ebee 01. Mais mapas e maior precisão O ebee cobre até 12 km 2 (4,6 mi 2 ) em um único voo, enquanto que, voos sobre áreas menores e com baixa

Leia mais

Redes de Computadores I - Meios de Transmissão. por Helcio Wagner da Silva

Redes de Computadores I - Meios de Transmissão. por Helcio Wagner da Silva Redes de Computadores I - Meios de Transmissão por Helcio Wagner da Silva Classificação Meios guiados: Par trançado. Cabo coaxial. Fibra óptica. Meios Não-guiados: Transmissão por rádio. Microondas. Infravermelho.

Leia mais

Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação

Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação Designação de Aerovias ROTAS CONTINENTAIS: São aerovias traçadas sobre o continente ligando pontos e/ou auxílios de

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Objetivos: Camada física

Leia mais

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global 1 Sistema de Posicionamento Global é um sistema de posicionamento por satélite que permite posicionar um corpo que se encontre à superfície

Leia mais

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS)

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Este tutorial apresenta a tecnologia LMDS (Local Multipoint Distribuition Service), acesso em banda larga para última milha por meio de rádios microondas.

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

Comunicação da informação a longas distâncias

Comunicação da informação a longas distâncias Comunicação da informação a longas distâncias População mundial versus sistema de comunicação Comunicação, informação e mensagem Comunicação - é o ato de enviar informação, mensagens, sinais de um local

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...9 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 Moto é um rastreador exclusivo para Motos desenvolvido com os mais rígidos

Leia mais

A Física por trás da Tecnologia RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM

A Física por trás da Tecnologia RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM A Física por trás da Tecnologia RFID Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM 2 Espectro electromagnético 3 Espectro de frequência para o sistema RFID Tamanho da antena Existe uma razão de proporção

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA x = Como pode cair no enem (ENEM) Os radares comuns transmitem micro-ondas que refletem na água, gelo e outras partículas na atmosfera. Podem, assim,

Leia mais

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de transmissão - Exemplos práticos Aula-05. Professor: Andrei Piccinini Legg.

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de transmissão - Exemplos práticos Aula-05. Professor: Andrei Piccinini Legg. UFSM-CTISM Comunicação de Dados - Exemplos práticos Aula-05 Professor: Andrei Piccinini Legg Santa Maria, 2012 Meio de é o caminho físico entre o transmissor e o receptor. Como visto numa aula anterior

Leia mais

Apostila Básica sobre Alarmes Residenciais

Apostila Básica sobre Alarmes Residenciais Apostila Básica sobre Alarmes Residenciais Luiz Bertini - 1 - - 2 - Apostila Básica sobre Alarmes Residenciais O objetivo desta apostila é apresentar alguns conhecimentos para quem já conhece um pouco

Leia mais

SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO

SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO Marcelo Pessoa Engenheiro de soluções para saneamento Introdução As indústrias buscam eficiência, aumento da qualidade e a redução de custos. Para alcançar isto investem

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-2118 / 3232-1975 / 0800-281-1975

Documento sujeito a revisões periódicas CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-2118 / 3232-1975 / 0800-281-1975 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Estações de Radiocomunicação - Licença de Operação

Leia mais

SpinCom Telecom & Informática

SpinCom Telecom & Informática Rastreador GPS/GSM modelo Com as fortes demandas por segurança e gestão de frota, a SpinCom, acaba de lançar o rastreador GPS/GSM modelo. O rastreador é indicado para aplicações de rastreamento de automóveis,

Leia mais

Convivência Banda C Satélite e WiMAX

Convivência Banda C Satélite e WiMAX Convivência Banda C Satélite e WiMAX 16 de agosto de 2011 Interferência na Banda C Sinal satélite ( transmitido a 36.000 km de distância) recebido com potência muito menor que sinal WiMAX (transmitido

Leia mais

COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE. Prof. MSc. Sandro M Malta

COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE. Prof. MSc. Sandro M Malta COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE Prof. MSc. Sandro M Malta Satélite Definição É chamado de satélite todo objeto que gira em torno de outro objeto. Ele é classificado em dois tipos: satélite natural satélite artificial.

Leia mais

Drone de mapeamento de nível topográfico

Drone de mapeamento de nível topográfico Drone de mapeamento de nível topográfico 3 motivos para escolher o ebee RTK 01. Precisão do nível topográfico Precisão absoluta do ortomosaico/modelo de elevação digital é de até 3 cm (1,2 polegadas)

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Fundamentos em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Camada Física Primeira cada do modelo OSI (Camada 1) Função? Processar fluxo de dados da camada 2 (frames) em sinais

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes Sem Fio Fabricio Breve Tipos de transmissão sem fio Rádio Infravermelho Laser Aplicações Em ambientes internos: Ideal para situações onde não é possível utilizar cabeamento

Leia mais

Mouse Magic Sem Fio. Manual do Usuário

Mouse Magic Sem Fio. Manual do Usuário Mouse Magic Sem Fio Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Goldship, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações necessárias

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 1- MODELO DE CAMADAS 1. INTRODUÇÃO A compreensão da arquitetura de redes de computadores envolve a compreensão do modelo de camadas. O desenvolvimento de uma arquitetura de redes é uma tarefa complexa,

Leia mais

Posicionamento por Satélite. Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça

Posicionamento por Satélite. Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça Posicionamento por Satélite Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça O Sistema GPS - Características Básicas O sistema GPS é composto por três segmentos:

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO TETROS AUTO

MANUAL DE INSTALAÇÃO TETROS AUTO MANUAL DE INSTALAÇÃO TETROS AUTO N de Homologação: 1703-09-2791 Versão 1.00 Manual de Instalação TETROS AUTO 2 Índice Página 1. Introdução... 3 2. Especificações técnicas... 4 3. Conhecendo o equipamento...

Leia mais

RECEPTOR GPS ME1513 ANTENA. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda

RECEPTOR GPS ME1513 ANTENA. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda RECEPTOR GPS ME1513 ANTENA 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda Prefácio Obrigado por escolher o Receptor GPS ME-1513. Este manual mostra o layout para ligação da antena do módulo ME1513, de

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS Fabiana da Silva Podeleski Faculdade de Engenharia Elétrica CEATEC podeleski@yahoo.com.br Prof. Dr. Omar Carvalho Branquinho Grupo de Pesquisa

Leia mais

PORTARIA DETRO/PRES. N O 889 DE 23 DE JULHO DE 2008* (*publicada em 12 de agosto de 2008)

PORTARIA DETRO/PRES. N O 889 DE 23 DE JULHO DE 2008* (*publicada em 12 de agosto de 2008) PORTARIA DETRO/PRES. N O 889 DE 23 DE JULHO DE 2008* (*publicada em 12 de agosto de 2008) DISPÕE SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE MONITORAMENTO POR GPS DOS VEÍCULOS UTILIZADOS NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Leia mais

RÁDIO COM CD/MP3/USB/ENTRADA AUXILIAR

RÁDIO COM CD/MP3/USB/ENTRADA AUXILIAR VC-330 MANUAL DE INSTRUÇÕES RÁDIO COM CD/MP3/USB/ENTRADA AUXILIAR NOTA: Por medida de segurança o aparelho vem de fábrica com o seletor de voltagem direcionado para 220V. Se a corrente elétrica de sua

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO FREQÜENCÍMETRO PARA CONTROLE REMOTO MODELO FC-650

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO FREQÜENCÍMETRO PARA CONTROLE REMOTO MODELO FC-650 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO FREQÜENCÍMETRO PARA CONTROLE REMOTO MODELO FC-650 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS

Leia mais

Manual Do Usuário ( v1.2 ) Dji Phantom 3 Professional

Manual Do Usuário ( v1.2 ) Dji Phantom 3 Professional Manual Do Usuário ( v1.2 ) Dji Phantom 3 Professional Preparando a Aeronave Removendo a trava do gimbal Remova a trava do gimbal deslizando ela para a direita ( olhando a aeronave de frente ), como mostra

Leia mais

Última atualização: Maio de 2009 www.trackmaker.com Produto Descontinuado

Última atualização: Maio de 2009 www.trackmaker.com Produto Descontinuado Módulo Rastreador Veicular Manual de Instalação Última atualização: Maio de 2009 www.trackmaker.com Produto Descontinuado O Módulo Rastreador T3 introduz uma nova modalidade de localização e rastreamento

Leia mais

RDT Radiotransmissão

RDT Radiotransmissão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA RDT Radiotransmissão Prof. Ramon Mayor Martins,

Leia mais

AULA 9: REDES SEM FIO

AULA 9: REDES SEM FIO AULA 9: REDES SEM FIO Objetivo: Detalhar conceitos sobre a aplicação, configuração, métodos utilizados para autenticação de usuários e segurança de acesso a redes sem fio. Ferramentas: - Emuladores de

Leia mais

Lúcio Ma>as Eng. Diretor Lucio.ma>as@novaterrageo.com.br www.novaterrageo.com.br

Lúcio Ma>as Eng. Diretor Lucio.ma>as@novaterrageo.com.br www.novaterrageo.com.br Lúcio Ma>as Eng. Diretor Lucio.ma>as@novaterrageo.com.br www.novaterrageo.com.br Carlos Jamel Biólogo, Diretor cjamel@novaterrageo.com.br www.novaterrageo.com.br Webinar - A Invasão dos VANTs 13/08/2012

Leia mais

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Definições e Conceitos AERÓDROMO: Área definida sobre a terra ou água destinada à chegada, partida e movimentação de aeronaves; AERÓDROMO CONTROLADO: Aeródromo

Leia mais

RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA. Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios

RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA. Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios Soluções ICS A ICS desenvolve soluções que utilizam hardware com tecnologia de ponta. Os softwares

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...8 2 APRESENTAÇÃO: O SS300 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Subtransmissão / Departamento de Automação e Telecomunicação Especificação Técnica ETD 00.042 Rádio Comunicação Móvel VHF Dados e Voz Versão:

Leia mais

Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Componentes do processo de comunicação.

Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Componentes do processo de comunicação. Meios de transmissão Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Quando enviamos uma informação para um destino, ela vai por um canal de comunicação. Esse canal de comunicação tem um limite

Leia mais

Celular Câmera GPS Leia atentamente os avisos antes de utilizar este produto. As formas e cores das imagens exibidas neste manual podem diferir daquelas dos produtos reais. Os conteúdos dos manuais podem

Leia mais

Powered By: IMPORTANTE:

Powered By: IMPORTANTE: Powered By: IMPORTANTE: Este manual contém informações seguras de operação. Por favor, leia e siga as instruções desse manual. Falhas podem resultar em ferimentos pessoais, morte, e/ou danos no Delphi

Leia mais

PARA QUE SERVE O QUADRICOPTERO SIRIUS SD4:

PARA QUE SERVE O QUADRICOPTERO SIRIUS SD4: Skydrones, nova empresa gaucha de aviônica, que atua no desenvolvimento de microvants veículos aéreos não tripulados, testa seu protótipo SIRIUS SD4, com novo sistema de telemetria. O produto estará pronto

Leia mais

RECEPTOR AM DSB. Transmissor. Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1

RECEPTOR AM DSB. Transmissor. Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1 RECEPTOR AM DSB Transmissor Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1 O receptor super-heteródino O circuito demodulador que vimos anteriormente é apenas parte de um circuito mais sofisticado capaz de

Leia mais

Esta cartilha responde a questões comuns sobre a emissão das ondas eletromagnéticas e sua relação com a saúde humana. Após sua leitura, você

Esta cartilha responde a questões comuns sobre a emissão das ondas eletromagnéticas e sua relação com a saúde humana. Após sua leitura, você Esta cartilha responde a questões comuns sobre a emissão das ondas eletromagnéticas e sua relação com a saúde humana. Após sua leitura, você conhecerá mais sobre a regulamentação que trata da exposição

Leia mais

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014 REDES WIRELES Prof. Marcel Santos Silva Comunicação Sem Fio Usada desde o início do século passado Telégrafo Avanço da tecnologia sem fio Rádio e televisão Mais recentemente aparece em Telefones celulares

Leia mais

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour WLAN: Parte I Técnicas de Modulação, Taxas de Transmissão e Alcance Faixa de Freqüências faixa desde até comprimento da onda ELF 30 Hz 300 Hz 10 7 metros

Leia mais

semitransparente, móvel em que fazemos a sintonia), preste atenção, pois se o radio é AM/FM ele possui dois capacitores em um (um do lado e outro do

semitransparente, móvel em que fazemos a sintonia), preste atenção, pois se o radio é AM/FM ele possui dois capacitores em um (um do lado e outro do Por volta de 1985, quando comecei a me interessar por aviação, busquei estar próximo dela de todas as formas possíveis. Páraquedismo, aeromodelismo, plastimodelismo e rádio escuta de aeronaves (naquela

Leia mais

Manual do Usuário Carregador Sem Fio DT-601 da Nokia

Manual do Usuário Carregador Sem Fio DT-601 da Nokia Manual do Usuário Carregador Sem Fio DT-601 da Nokia Edição 1.1 PT-BR Componentes Conheça seu carregador sem fio. 1 Cabo USB 2 Luz indicadora 3 Área de carregamento Não há níquel na superfície deste produto.

Leia mais

Headphone com Microfone sem Fio USB

Headphone com Microfone sem Fio USB Headphone com Microfone sem Fio USB Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Goldship, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS À medida que uma onda se propaga, por mais intensa que seja a perturbação que lhe dá origem, uma parte da sua energia será absorvida pelo meio de propagação,

Leia mais

INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM ROBÔS LEGO

INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM ROBÔS LEGO RAYNER DE MELO PIRES ANA PAULA SUZUKI ANDRÉ REIS DE GEUS GABRIELA QUIRINO PEREIRA SALVIANO LUDGÉRIO FELIPE GOMES INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM ROBÔS LEGO JULHO DE 2010 SUMÁRIO 1 O que é o NXT?...4 2 Explicando

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Lista de Exercícios A1

Lista de Exercícios A1 1 a QUESTÃO: A figura abaixo mostra simplificadamente um sistema de televisão inter-oceânico utilizando um satélite banda C como repetidor. O satélite tem órbita geoestacionária e está aproximadamente

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores.

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. PROJETO DE PESQUISA 1. Título do projeto Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. 2. Questão ou problema identificado Controlar remotamente luminárias, tomadas e acesso

Leia mais

O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação

O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação No dia 15 de dezembro de 1989, o voo KLM 867, operado por um Boeing 747-406M, o PH-BFC, decolou de Amsterdam com destino ao Aeroporto de Narita, no Japão,

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. Roteiro de Estudos Redes PAN II O Portal Teleco apresenta periodicamente Roteiros de Estudo sobre os principais temas das Telecomunicações. Os roteiros apresentam uma sugestão de tutoriais publicados para

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Os dados são gravados em um cartucho USB. Este modo de gravação oferece total proteção contra a perda

Leia mais

Modem USB Guia Rápido MF190 ZTE CORPORATION. NO. 55, Hi-tech Road South, ShenZhen, P.R.China Postcode: 518057

Modem USB Guia Rápido MF190 ZTE CORPORATION. NO. 55, Hi-tech Road South, ShenZhen, P.R.China Postcode: 518057 Modem USB Guia Rápido ZTE CORPORATION NO. 55, Hi-tech Road South, ShenZhen, P.R.China Postcode: 518057 MF190 INFORMAÇÕES LEGAIS Copyright 2011 ZTE CORPORATION. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte

Leia mais

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 19, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro

Leia mais

INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil

INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil A reportagem exibida na semana passada mostrava algumas falhas na comunicação entre o avião monomotor em que estava o nosso repórter

Leia mais

PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO

PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO Diego de Brito Piau, Gilberto Arantes Carrijo Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Engenharia Elétrica, Uberlândia-MG diegopiau@yahoo.com.br, gilberto@ufu.br

Leia mais

MICROFONES SEM FIO UHF

MICROFONES SEM FIO UHF MICROFONES SEM FIO UHF Microfones sem fio de alta tecnologia e durabilidade. Este manual está sujeito à mudanças sem aviso prévio. As imagens e ilustrações neste manual buscam aproximar-se ao máximo do

Leia mais

Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados?

Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados? Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados? 1. Introdução Alguma vez você já se deu conta que o microondas de sua casa tem uma capacidade computacional maior do que tinha o projeto Apolo, que levou

Leia mais

Manual de Instruções. Crossover 4 Vias HD-X4W. Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada

Manual de Instruções. Crossover 4 Vias HD-X4W. Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada 9V RMS Tweeter CH Crossover /octave 2K, 4K, 6K, 8K Mid CH Crossover /octave Low: 0, 0, 0Hz em Flat High:,, 1,Hz Mid Bass Crossover /octave

Leia mais

COMUNICAÇÕES A LONGAS DISTÂNCIAS

COMUNICAÇÕES A LONGAS DISTÂNCIAS Física 11º Ano COMUNICAÇÕES A LONGAS DISTÂNCIAS MARÍLIA PERES TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÃO Produziu p pela p primeira vez ondas eletromagnéticas em laboratório (1887) utilizando um circuito para produzir

Leia mais

NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T

NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T ANEXO 5 NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T Uma das vantagens mais marcantes do ISDB-T é a sua flexibilidade para acomodar uma grande variedade de aplicações. Aproveitando esta característica única do ISDB-T, vários

Leia mais

Relatório de Teste de Diferentes Antenas e Equipamentos para o Protocolo NOVUS IEEE 802.15.4

Relatório de Teste de Diferentes Antenas e Equipamentos para o Protocolo NOVUS IEEE 802.15.4 Relatório de Teste de Diferentes Antenas e Equipamentos para o Protocolo NOVUS IEEE 802.15.4 ÍNDICE Índice 1 Introdução 2 Equipamentos Utilizados 3 Modelo de Propagação do Sinal 5 Zona de Fresnel 6 Link

Leia mais