Manual de Orientação do Trabalho de Conclusão de Curso. 2ª edição

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Orientação do Trabalho de Conclusão de Curso. 2ª edição"

Transcrição

1 Manual de Orientação do Trabalho de Conclusão de Curso 2ª edição

2 Este Manual é de uso exclusivo e pessoal do aluno da UNICID, sendo proibida a sua comercialização, cópia e reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo. 2

3 Sumário Apresentação Orientações Gerais Primeira etapa: projeto de pesquisa Fases da construção de um projeto de pesquisa Planejamento do projeto de pesquisa Formatação do projeto de pesquisa Segunda etapa: artigo Elementos pré-textuais Elementos textuais Elementos pós-textuais Formatação do artigo Terceira etapa: apresentação presencial do artigo Ata de registro da apresentação Referências Anexos Anexo A Expressões latinas Anexo B Citações Anexo C - Referências de publicações avulsas

4 Apresentação Caro aluno, A elaboração de um trabalho de conclusão do curso (TCC) é uma das exigências da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) para conclusão do curso de pós-graduação lato sensu. Este manual tem por objetivo nortear sua produção acadêmica no que diz respeito às normas a serem utilizadas na formulação de seu TCC e aos critérios de avaliação e apresentação final. Vamos indicar os passos que você deverá seguir, buscando auxiliá-lo na elaboração de seu projeto de pesquisa e, na seqüência, do seu TCC. Assim, esperamos contribuir para facilitar a execução dessa importante tarefa, que é uma das exigências para a conclusão do seu curso. Orientações gerais Para a conclusão do curso de pós-graduação lato sensu, é obrigatória a produção individual de um TCC. Nos cursos ofertados à distância pela UNICID o trabalho a ser desenvolvido é um artigo, precedido de um projeto de pesquisa. Tanto o projeto de pesquisa, quanto o artigo deverão ser encaminhados via Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), e serão devidamente orientados por um professor da Universidade, especializado no assunto. Cada aluno poderá receber até três (3) orientações do professor responsável, as quais podem ser realizadas no decorrer do trabalho. Será considerado aprovado o aluno que seguir os critérios abaixo: Apresentar objeto de estudo com proximidade temática em relação ao curso; Apresentar relevância do artigo; Argumentar e fundamentar teoricamente os conceitos; Utilizar as referências indicadas na orientação do trabalho; Aplicar e se apropriar das indicações e sugestões realizadas; Apresentar clareza e coerência textual; Apresentar, no texto, introdução, desenvolvimento e considerações finais; Cumprir as normas e prazos contidos neste manual e no calendário do curso; Realizar a apresentação presencial e pública do TCC. Primeira etapa: projeto de pesquisa O projeto de pesquisa é a etapa que antecede a elaboração do artigo propriamente dito. Deve-se apresentar, de maneira sucinta, o tema proposto para o trabalho, o problema a ser solucionado, a justificativa e relevância do trabalho, os objetivos e as hipóteses que serão investigadas, quais os principais materiais que irão embasar teoricamente a pesquisa, a metodologia que será utilizada durante o estudo e por fim, o cronograma de execução das atividades envolvidas na pesquisa. 4

5 Fases da construção de um projeto de pesquisa Primeiro passo: escolha do tema Consiste na descrição do objeto de estudo, evidenciando qual a pesquisa pretendida. O pesquisador deve levar em conta sua formação e/ou experiência profissional, sua disponibilidade de tempo, bem como as suas concepções e tendências pessoais. Se o tema é muito amplo, é preciso restringi-lo ou delimitá-lo, isto é, definir o que de fato se deseja pesquisar, indagar, estudar, questionar, identificar, utilizar, esclarecer, aprofundar, aplicar etc. Segundo passo: problematização (ou situação-problema) Feita a escolha do tema, em seguida se efetuará a definição do problema (questão não resolvida que é o objeto de discussão em qualquer área do conhecimento). A formulação do problema deve ser interrogativa, usando uma linguagem clara e objetiva. Terceiro passo: justificativa Após definir o problema da pesquisa, cabe ao pós-graduando justificar as razões de sua escolha, ou seja, porque fazer tal pesquisa, quais serão as contribuições da pesquisa para a área do conhecimento em que se insere, qual sua relevância sob o ponto de vista social e científico. Quarto passo: definição dos objetivos Os objetivos de estudo definem aonde se quer chegar com a pesquisa: para que fazer esse trabalho? O objetivo deve se referir ao saber investigar, inquirir, indagar, estudar, pesquisar, questionar, identificar, utilizar, esclarecer, aprofundar, aplicar etc. Objetivo geral O objetivo geral deve explicitar o que se pretende com o trabalho. Objetivos específicos Para o cumprimento do objetivo geral, os objetivos específicos devem manifestar as etapas previstas para completar a finalidade da proposta. Quinto passo: questões a investigar ou hipóteses Quando o trabalho é uma pesquisa experimental, as questões se relacionam com o problema a ser defendido ou explicado. Qual a minha resposta provisória para o problema? As respostas são provisórias porque ainda não foram pesquisadas nem demonstradas. Assim, a investigação e a continuidade do processo de pesquisa irão explicar a hipótese, sua necessidade, sua verificação, sua comprovação ou falsidade. No trabalho científico, as hipóteses ou questões a serem investigadas devem funcionar como explicação criativa e provisória de um fenômeno, até que os fatos e os dados evidenciados pela pesquisa venham a contradizê-la ou confirmá-la. Assim, as questões a investigar têm a função de orientar o pesquisador na direção daquilo que pretende explicitar ou demonstrar com a pesquisa. Quando o trabalho for de natureza qualitativa, discorre-se sobre o tema escolhido, aprofundando-o com as leituras realizadas. Sexto passo: revisão de literatura ou fundamentação teórica Para direcionar o seu estudo, é preciso fazer uma pesquisa bibliográfica sobre o problema a ser pesquisado, o que envolverá uma revisão da literatura sobre o tema escolhido. 5

6 Escolhido o tema e, por meio da problematização (definição do problema ou questão a ser investigada), esse tema tendo se tornado passível de ser pesquisado, deve-se agora desenvolver a fundamentação teórica. Devem ser investigadas as teorias, as teses, os pontos de vista existentes sobre o tema a ser pesquisado, os quais servirão de base ao seu estudo. Sétimo passo: metodologia da pesquisa A metodologia é utilizada para facilitar o cumprimento dos objetivos. Pergunta- se: para realizar a pesquisa em torno do tema proposto problema/objetivo/hipótese, que procedimentos devem-se adotar? Como fazer para realizar a investigação? Que passos devem ser dados? Nesse momento, é interessante consultar um livro de metodologia da pesquisa (vários deles são indicados nas Referências) para conhecer os métodos (os procedimentos mais amplos de raciocínio) e as técnicas (os procedimentos mais restritos, que se concretizam por meio de instrumentos adequados). Então, é possível descobrir qual a melhor metodologia a ser utilizada na sua investigação. Oitavo passo: cronograma de execução É o controle do tempo necessário para o desenvolvimento do trabalho de pesquisa: como o tempo será distribuído? Quanto tempo será necessário para realizar o trabalho? Que etapas serão agendadas durante a pesquisa? O cronograma de execução deve ser elaborado com base nos prazos de orientação/elaboração estabelecidos no calendário do curso. Nono passo: referências Consulta a todas as referências que possam esclarecer o problema a ser pesquisado: livros, revistas técnicas, periódicos, sites, fichário de biblioteca etc. Planejamento do projeto de pesquisa Para facilitar a elaboração do projeto, sugerimos a criação de uma matriz na qual, de forma clara e esquemática, serão registradas as fases do projeto, evidenciando-se assim a lógica e a coerência entre elas. Tema/objeto da pesquisa Situação-problema Justificativa Objetivo Geral O que será estudado. Questões a serem respondidas na pesquisa. Por quê? O que se pretende com a pesquisa. Objetivos específicos Fundamentação teórica Metodologia de pesquisa Cronograma O que se pretende em cada etapa. Autores fundamentais para a discussão teórica. Como e com que se pretende resolver a problemática. Quando? Etapas a serem desenvolvidas. Para ajudar no planejamento do trabalho, o aluno deve responder às perguntas abaixo e ver se seguiu os passos corretamente: O tema foi definido? O título escolhido é adequado ao tema? O tema foi delimitado para torná-lo claro e objetivo? O tema foi transformado em problema? A importância do estudo foi justificada? 6

7 Os pressupostos teóricos relacionados ao tema foram resumidos? Os objetivos da pesquisa foram definidos? Quais questões serão investigadas para atingir o objetivo proposto? Qual metodologia será utilizada? Qual o tempo disponível para execução desse trabalho? Formatação do projeto de pesquisa Seu projeto de pesquisa deve conter todos os itens descritos abaixo. Elementos integrantes Tema Problematização/ situação-problema Justificativa Objetivos Objetivo geral Objetivo específico Hipóteses Fundamentação teórica Metodologia da pesquisa Cronograma Referências O projeto de pesquisa deve conter de 01 a 04 páginas e obedecer a seguinte formatação: Os textos devem ser digitados em arquivo Word (versão 2003 ou inferior); Para a impressão deve-se utilizar papel branco, tamanho A4 (21,0 x 29,7 cm), digitado na cor preta; Margem superior 3 cm, margem inferior 2 cm, margem direita 2 cm e margem esquerda 3 cm; O texto e os títulos devem ser digitados em fonte Arial ou Times New Roman, tamanho 12; Os parágrafos devem ser iniciados com um recuo de 1,5 cm da margem esquerda; O espaçamento entre linhas e parágrafos (corpo do texto) deve ser de 1,5; Numeração de página no canto inferior esquerdo; Nome da instituição de ensino na parte superior, centralizado, em negrito, fonte 14; Nome do aluno na segunda linha abaixo do nome da instituição, à esquerda e em negrito; 7

8 Nome do curso abaixo do nome do aluno, à esquerda e em negrito; O título na segunda linha abaixo do nome do curso, centralizado, em negrito, fonte 14; e Todos os subtítulos à esquerda e em negrito. Segunda etapa: artigo O artigo caracteriza-se por ser um trabalho extremamente sucinto. Logo, exige-se a apresentação de algumas qualidades, tais como linguagem correta e precisa, coerência na argumentação, clareza das idéias, objetividade, concisão e fidelidade às fontes citadas. Para tanto, é necessário, principalmente, que o autor tenha assimilado o assunto em todas as suas dimensões e detenha um bom conhecimento a respeito do que está escrevendo. São 03 os tipos de artigos existentes: Científico: parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute idéias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento. De revisão: parte de uma publicação que resume, analisa e discute informações já publicadas. Original: parte de uma publicação que apresenta temas ou abordagens originais. Existem diferentes padrões de normas de trabalho científico, decorrentes de simplificações usadas por variadas instituições brasileiras. Nós seguimos as regras da ABNT (NBR 6022:2003), que é, no Brasil, o órgão que regulamenta todas as normas e procedimentos para elaboração e apresentação de trabalhos técnicos e científicos. No que tange ao conteúdo dos artigos, os dados e conceitos emitidos nos trabalhos, bem como a exatidão das referências bibliográficas, são de inteira responsabilidade dos autores. Todos os trabalhos passam por uma verificação rigorosa de conteúdo, a fim de identificar e/ou coibir eventuais cópias (plágios). Por isso, é importante identificar as citações e informar todas as fontes de pesquisa utilizadas na elaboração do TCC. Seu artigo deverá conter os seguintes itens: Partes Elementos integrantes Título e subtítulo; Pré-textuais Nome do autor; Resumo; Palavras-chave. Introdução; Textuais Desenvolvimento; Conclusões e/ou recomendações. Notas explicativas; Pós-textuais Referências; Apêndices (opcional); Anexos (opcional). 8

9 Elementos pré-textuais Os elementos pré-textuais são compostos das informações iniciais necessárias para uma melhor caracterização e reconhecimento da origem e autoria do trabalho. Título Título e subtítulo (se houver) devem figurar na página de abertura do artigo. Contendo um número pequeno de palavras, devem transcrever de forma apropriada o conteúdo do trabalho. Não devem ser sobrecarregados com abreviaturas ou informações entre parêntesis. O título deve ser escrito com letras maiúsculas, centralizado, em negrito e fonte 14. Caso haja um subtítulo, o mesmo deverá ser apresentado após o título, precedido de dois pontos (:), com letras minúsculas e sem negrito. É apresentado na primeira página do artigo. Autor Nome completo, por extenso e na ordem direta, acompanhado de um breve currículo que o qualifique o autor na área de conhecimento do artigo. Deve ser apresentado na segunda linha abaixo do título, alinhado à direita. Usam-se letras maiúsculas apenas para a primeira letra do nome e do sobrenome. Fonte 12. O currículo deve aparecer em rodapé indicado por asterisco na página de abertura ou, opcionalmente, no final dos elementos pós-textuais, onde também devem ser colocados o agradecimento do autor e a data de entrega do artigo. O currículo deve ser composto dos seguintes dados: nome do curso de pós-graduação que está cursando pela Universidade Cidade de São Paulo, nomes da cidade (São Paulo), unidade federativa (São Paulo) e país (Brasil) da instituição, do autor para contato e o nome do orientador. Resumo De forma concisa, em um único parágrafo, deve ser exposto o objetivo do artigo, a metodologia utilizada para solucionar o problema, os resultados alcançados e as conclusões. Deve ser constituído de uma sequência de frases e não de uma simples enumeração de tópicos. Inicia-se com a palavra resumo em maiúsculas, em negrito, seguida de dois pontos, escrita na terceira linha abaixo do nome do autor e alinhada à esquerda. Na mesma linha iniciar o texto de resumo, com espaçamento simples e contendo, no máximo, 250 palavras. Palavras-chave As palavras-chave são palavras representativas do tema e servem para indexar o artigo. Inicia-se com a expressão palavras-chave em maiúsculas, em negrito, seguida de dois pontos, escrita na segunda linha abaixo do resumo e alinhada à esquerda. As palavras-chave serão até 05 expressões, escritas em maiúsculas e minúsculas, separadas por ponto e finalizadas também por ponto. Elementos textuais São os elementos que compõem o texto do artigo. Os subtítulos não devem ter adentramento, devendo ser todos alinhados à esquerda, em negrito e com apenas a primeira letra maiúscula. 9

10 Introdução É a primeira seção do texto. Aqui deve-se definir sucintamente os objetivos do trabalho e as razões de sua elaboração, bem como as relações existentes com outros trabalhos. Observe que a introdução não deve repetir ou parafrasear o resumo, nem dar detalhes sobre a teoria experimental, o método ou os resultados. Também não deve antecipar as conclusões e as recomendações. Esta parte do artigo tem como objetivo fazer uma apresentação geral do que se irá tratar no artigo. A introdução pretende despertar no leitor o interesse pelo artigo escrito. Na introdução, devem ser apresentados o o quê, o por quê e o como. Desenvolvimento Esta é a parte mais importante do texto, pois trata do desenvolvimento do assunto. Referese ao detalhamento da pesquisa e/ou estudo realizado (teorias, descrição de métodos, procedimentos, discussões dos resultados). As descrições apresentadas devem ser suficientes para permitir a compreensão das etapas da pesquisa. Não esqueça de que todas as ilustrações ou quadros-síntese essenciais à compreensão do texto devem ser incluídos no corpo do texto. Questionários utilizados devem constituir material anexo, sendo apresentados em espaço próprio. O corpo do artigo pode ser dividido em seções e subseções, que variam em função da abordagem do tema e do método. Conclusão Parte final do artigo, na qual se apresentam de maneira clara e ordenada as conclusões obtidas a partir dos resultados do trabalho ou levantadas ao longo da discussão do assunto. Devem ser feitas declarações concisas sobre ações a serem desencadeadas no futuro e julgadas necessárias a partir das conclusões obtidas. Elementos pós-textuais O nome do elemento deve ser escrito em letras maiúsculas, em negrito e alinhado à esquerda. Notas explicativas Elemento opcional. São informações que complementam ou reforçam uma idéia passada no texto, a fim de deixar mais claro o entendimento para o leitor. A numeração das notas explicativas deve ser feita em algarismos arábicos consecutivos. Não se inicia uma nova numeração a cada página do artigo. Referências Trata-se da listagem de livros, artigos e outros elementos efetivamente utilizados para elaboração do texto e referenciados ao longo do artigo. Devem ser dispostas em ordem alfabética pelo sobrenome do primeiro autor e seguir a NBR 6023 da ABNT. 10

11 Apêndices Elemento opcional. São documentos complementares ou comprobatórios, elaborados pelo autor, tais como questionários e roteiros de entrevistas. Os apêndices são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos apêndices, quando esgotadas as 23 letras do alfabeto. Anexos Elemento opcional. Nele podem ser acrescentados detalhes, figuras etc., cujo conteúdo não justifique sua inserção no corpo do trabalho, para apresentação de dados ou tabelas originais, complementando o texto. Serve de fundamentação, comprovação e ilustração. Os apêndices são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos apêndices, quando esgotadas as 23 letras do alfabeto. Formatação do artigo O artigo deve conter de 08 a 15 páginas e obedecer a seguinte formatação: Os textos devem ser digitados em arquivo Word (versão 2003 ou inferior); Para a impressão deve-se utilizar papel branco, tamanho A4 (21,0 x 29,7 cm), digitado na cor preta; Margem superior 3 cm, margem inferior 2 cm, margem direita 2 cm e margem esquerda 3 cm; O texto e os títulos devem ser digitados em fonte Arial ou Times New Roman, tamanho 12; Para citações longas, paginação e legendas de quadros, tabelas e ilustrações deve-se utilizar fonte tamanho 10; O espaçamento entre linhas e parágrafos (corpo do texto) deve ser de 1,5; Deve-se utilizar espaçamento simples para citações longas, referências bibliográficas e resumo; As citações longas devem ser separadas do texto que as precede e sucede por três espaços simples; As referências devem ser separadas entre si por dois espaços simples; Os parágrafos devem ser justificados; Os parágrafos devem ser iniciados com um recuo de 1,5 cm da margem esquerda; As citações longas (mais de 03 linhas) devem ser apresentadas com um recuo de 4 cm da margem esquerda; O indicativo de seção precede o subtítulo, alinhado à esquerda, dele separado por um espaço de caractere. A numeração progressiva deve ser apresentada conforme a NBR 6024; e A numeração das páginas deve ser feita em algarismos arábicos seqüenciais, localizada no canto superior direito da folha, iniciando a contagem da 1ª folha, mas ficando visível apenas a partir da 2ª folha. Mais informações sobre referências, citações e expressões latinas podem ser consultadas no anexo deste manual. 11

12 Terceira etapa: apresentação presencial do artigo A apresentação presencial do TCC já aprovado é obrigatória para conclusão do curso e deve ser realizada em local, data e horário a serem agendados com o coordenador do agente educacional. Essa apresentação será aberta ao público interessado. Junto aos alunos, o coordenador determinará o tempo para a comunicação oral de cada trabalho, que dura, aproximadamente, de 15 a 20 minutos. De acordo com as definições do agente educacional o aluno poderá utilizar materiais de apoio à apresentação, tais como cartazes, banners, data show ou outros recursos. Ao realizar a apresentação é importante atentar-se para a linguagem utilizada. As principais qualidades da linguagem científica são apresentadas a seguir: Clareza ou significado unívoco dos termos empregados, não deixando margem a várias interpretações. Para tanto, é preciso definir o significado dos termos-chave e indicar a acepção das palavras-chave utilizadas. Precisão ou rigor e exatidão na linguagem, sem aproximações. Em vez de dizer muitos, quase todos ou a maior parte, deve-se dizer seis entre dez, ou 82,3%. Objetividade, não deixando margem a interpretações subjetivas. Em vez de escrever sala muito grande, deve-se escrever sala medindo 12x7m. Em vez de frases taxativas como é evidente que, prefira os dados analisados permitem inferir que.... Seqüência e coesão entre as partes do trabalho, de forma que o conjunto mantenha a lógica e a hierarquização de itens e subitens: a) O problema, b) A análise ou discussão do problema, e c) A resposta ao problema. Capacidade de síntese, utilizando-se do tempo determinado para expor de forma coerente e interligada a introdução, o desenvolvimento e a conclusão do trabalho desenvolvido. Domínio do conteúdo, demonstrando segurança nas colocações. Ata de registro da apresentação A apresentação presencial do TCC deve ser registrada em ata. Ela é gerada pelo coordenador do agente educacional no AVA e, após assinada por ele e pelo aluno, deverá ser encaminhada pelo coordenador ao endereço indicado pela UNICID, para fins de certificação. Referências ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação e documentação. Artigo em publicação periódica científica impressa Apresentação. NBR Rio de Janeiro, Informação e documentação. Citações em documentos Apresentação. NBR Rio de Janeiro, Informação e documentação. Numeração progressiva das seções de um documento escrito Apresentação. NBR Rio de Janeiro,

13 . Informação e documentação. Projeto de pesquisa Apresentação. NBR Rio de Janeiro, Informação e documentação. Publicação periódica científica impressa Apresentação. NBR Rio de Janeiro, Informação e documentação. Referências Elaboração. NBR Rio de Janeiro, Resumos. NB-88. Rio de Janeiro, BONAT, Débora. Metodologia da pesquisa. Curitiba: IESDE, MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Cláudia Servilha. Manual de metodologia da pesquisa no direito. São Paulo: Saraiva, ROLIM, Maria do Carmo Marcondes Brandão. Manual de apresentação de trabalhos acadêmicos. Curitiba: IESDE, SÁ, Elizabeth Schneider de. Manual de normalização de trabalhos técnicos, científicos e culturais. 4. ed. Petrópolis: Vozes, SOARES, Edvaldo. Metodologia científica: lógica, epistemologia e normas. São Paulo: Atlas,

14 14

15 ANEXOS 15

16 Anexo A Expressões latinas Apud: em, extraída de, citada por. É usada nos casos de citação indireta. Ibidem ou ibid.: na mesma obra. Indica que a obra citada é a mesma da citação imediatamente anterior. Nesse caso, não se coloca na chamada, entre parênteses, o sobrenome do autor e sim a expressão ibid., seguida do número da(s) página(s) da citação, quando não for a mesma da citação imediatamente anterior. Exemplos (ibid.) (ibid., p. 3) Idem ou id.: o mesmo autor. Indica que a citação se refere a outra obra do autor imediata e anteriormente citada. Nesse caso, deve-se indicar o ano de publicação e a(s) respectiva(s) página(s). Exemplo (id., 1991, p. 81) Opus citatum, opere citato ou op. cit.: obra citada. Indica que a citação se refere à obra do autor já citado na monografia, sem ser a imediatamente anterior. Após o(s) sobrenome(s) do(s) autor(es), coloca-se essa expressão, seguida do número da(s) página(s). Exemplo (ALMEIDA, op. cit., p. 81) Passim: aqui e ali, em diversas passagens. Indica referências genéricas a várias passagens do texto, sem identificação de páginas determinadas. Em vez de designar o número de páginas correspondentes, usa-se essa expressão. Exemplos (ALMEIDA, 1991, 8-12 passim) (ALMEIDA, op. cit., passim) (id., op. cit., passim) (ibid., passim) 16

17 Anexo B - Citações A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define citação como menção de uma informação extraída de outra fonte (NBR 10520, 2002). Às vezes, menciona-se a opinião de outrem como uma tese a ser refutada; outras vezes, mencionam-se os resultados de investigação em andamento ou já concluída para situar o estado da arte (ou questão) em que se desenvolve uma nova pesquisa. A ABNT define citação direta como transcrição textual de parte da obra do autor consultado. Trata-se da reprodução fiel, ao pé da letra ou ipsis litteris, das palavras de um autor, reprodução que, se for de até três linhas, vem no texto corrido entre aspas duplas. As aspas simples são utilizadas para a citação no interior de citação. Citações diretas ou textuais As citações diretas de até três linhas podem aparecer sob duas formas: a) O acordo de acionistas, válido e eficaz, detém as características de lei entre as partes e por isso, continua afirmando Tavares Borba (1995), obriga plenamente os respectivos signatários. Observe: o nome do autor, no interior da citação, vem em caixa alta e baixa (inicial em maiúscula e o restante em minúscula). b) Livre-arbítrio é sinônimo de liberdade de indiferença quando não prevalece qualquer motivo na decisão. (DUROZOI, 1993, p. 290). Observe: o nome do autor, ao final da citação, está escrito com maiúscula. Quando as citações diretas ocupam mais de três linhas do texto, ganham destaque (sem aspas) em parágrafo especial, recuado 4 cm da margem esquerda, com espaçamento simples e, de preferência, com letra menor (sugere-se o uso de fonte tamanho 10). Encerrado o parágrafo, menciona-se a fonte entre parênteses, sendo o autor em maiúscula, ano e página (informações separadas por vírgula). Exemplo O Treze de Maio não é uma data apenas [...]. É um momento crucial de um processo que avança em duas direções. Para fora: o homem negro é expulso de um Brasil moderno [...]. Para dentro: o mesmo homem negro é tangido para os porões do capitalismo nacional sórdido. O senhor liberta-se do escravo e traz ao seu domínio o assalariado. (BOSI, 1992, p. 272). Nas citações diretas, devem ser indicadas as supressões [...], as interpolações, acréscimos ou comentários (...) e/ou os destaques [grifo nosso] que por acaso forem feitos. Citações indiretas ou conceituais Citação indireta é o texto baseado na obra de autor consultado (NBR 10520, 2002). Tratase de menção das idéias de outrem sem prender-se às palavras, mas citando a fonte e mantendo-se fiel ao pensamento do autor. Exemplo A análise que o professor Darcy Ribeiro (1985, p. 18) fez da situação da Educação Brasileira se centra no descaso da sociedade para com o magistério, profissão majoritariamente feminina. Esse descaso, segundo Ribeiro (idem), manifesta- se em conceder às professoras privilégios ilusórios, como aposentadorias aos 25 anos, negando-lhes o direito à justa remuneração. 17

18 Quando a citação indireta menciona simultaneamente vários autores, os mesmos devem ser separados por ponto-e-vírgula e apresentados em ordem alfabética. Exemplo Vários acadêmicos defendem a necessidade de uma política pública para defesa e expansão da língua espanhola (ALONSO, 1980; LORENZO, 1998; LLORACH, 1994; M. SECO, 1993). Citação mista Ocorre quando o autor reproduz palavras (citação direta ou textual) e idéias (citação indireta ou conceitual) de outro autor. Exemplo Ortega y Gasset (1965) defende a necessidade de todos os universitários cursarem disciplinas de filosofia que lhes proporcionem uma visão abrangente das idéias que regem o mundo. Esta cosmovisão atualizada libertaria os alunos da especialização exagerada, isto é, de serem os bárbaros modernos ou aqueles que sabem quase tudo de quase nada (p. 208). Citação com indicações de sinais Existem situações em que é necessário utilizar determinados sinais, conforme abaixo. [...] Omissão de um trecho do texto original. [sic] Incorreções ou incoerências: o autor utiliza este sinal para se eximir das incorreções ou incoerências do texto original. (...) Interposições, acréscimos ou comentários do autor na citação. [grifo nosso] ou [sem grifo no original] Quando for necessário dar destaque a uma palavra ou frase em geral, para isso se usa o itálico, acrescenta-se essa expressão, entre colchetes, logo em seguida. [grifo do autor] Caso o autor tenha grifado palavra ou frase no texto original, colocar, em seguida, esta expressão. Citação de citação Exemplo É a menção de uma citação já inserida em outro documento. Piaget (1988), segundo Emília Ferreiro (1993), afirmava que... Citação de informações retiradas da internet Primeiramente, deve-se avaliar a qualidade das informações retiradas da internet. É necessário listar nas suas referências a data da consulta e o endereço eletrônico do site consultado. Exemplo 1 A realidade virtual, para Sereza (2000), é um novo ambiente comunicacional, no qual estamos apenas começando a engatinhar. Na lista de referências SEREZA, H.C. Rumos Literatura põe pé na realidade virtual. In: O Estado de S. Paulo, 24 jun Disponível em: Acesso em: 06 out

19 QUADRO 1 Teoria e técnica das citações 19

20 Anexo C - Referências de publicações avulsas Conceito Publicações avulsas são unidades autônomas, como livros, folhetos, separatas, obras coletivas, anais de congressos e de seminários e trabalhos acadêmicos inéditos. Diferenciam-se das publicações seriadas ou daquelas editadas em períodos geralmente regulares (periódicos mensais, revistas semanais, publicações bimestrais, semestrais etc.). Classificação As publicações avulsas podem ser referenciadas no todo (quando se menciona a obra completa) ou em parte (quando se referencia apenas uma parte ou um capítulo de livro, por exemplo). Publicações avulsas no todo QUADRO 2 - Referência de publicação avulsa no todo O quadro 2 apresenta os elementos essenciais para a identificação de obra avulsa no todo (chamada de monografia pela ABNT na NBR 6023 de ago. 2000). Outros elementos, complementares, podem ser acrescentados para melhor identificação do documento: nome do responsável pela tradução ou revisão e/ou ilustração da obra, bem como indicações das características físicas número de páginas e/ou de volumes, nome da coleção, notas e ISBN International Standard Book Number. Exemplos de referências de obras avulsas no todo por meio dos elementos essenciais e, às vezes, também dos elementos complementares de identificação. Livro de um único autor MELO, Guiomar Namo de. Cidadania e competitividade: desafios educacionais do terceiro milênio. 7. ed. São Paulo: Cortez, ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da educação. 4. ed. rev. e ampl. São Paulo: Moderna, p. Inclui bibliografia e vocabulário. ISBN Livro de dois autores CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro de A. Metodologia científica: para uso de estudantes universitários. 4. ed. São Paulo: Makron Books,

21 MATOS, Francisco Gomes de; CHIAVENATO, Idalberto. Visão e ação estratégica. São Paulo: Makron Books, p. Inclui negócios. ISBN Livro de três autores PASSOS, Lucina M. N.; FONSECA, Albani; CHAVES, Marta. Alegria de saber: matemática, segunda série, 2, primeiro grau livro do professor. São Paulo: Scipione, p. Livro de mais de três autores COLL, Cesar et al. Construtivismo em sala de aula. 5. ed. Trad. Cláudia Schilling. Rev. técnica Sônia Barreira. São Paulo: Ática, Livro de pessoa jurídica BRASIL. Congresso Nacional. Constituição da República Federativa do Brasil. Rio de Janeiro: Globo, MINAS GERAIS. Secretaria Estadual de Educação. Proposta curricular de física: para o ensino médio em Minas Gerais. Belo Horizonte: SEEMG, Livro de Editor (Ed.) CIVITA, Victor (Ed.). Grandes personagens da história universal. São Paulo: Abril Cultural e Industrial, v. Livro de Organizador BARBOSA, Ana Mae (org.). De olho no MAC. São Paulo, MACUSP, Livro de Coordenador SILVA, Benedicto (Coord. Geral). Dicionário de ciências sociais. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV/Inst. Documentação, Livro de Compilador CARDOSO, Ciro Flamarion (Comp.). Escravidão e abolição no Brasil: novas perspectivas. Rio de Janeiro: Zahar, Livro de vários organizadores (Orgs.) SILVA, Rossana Valéria de Souza e; SOUSA, Estela Rodrigues de; SANTOS, Cristiane da Silva (Orgs.). Produção científica em educação física e esportes, 3. Uberlândia: UFU/NUTESSES, p. Série Mestrados e Doutorados em Educação Física e Esportes. Manual DSM. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. 4. ed. Trad. Dayse Batista. Superv. Alceu Fillmann. Coord. Miguel Jorge. Porto Alegre: Artes Médicas, p. NOVA CULTURAL. Grandes temas de medicina: manual ilustrado de anatomia, doenças e tratamentos. São Paulo: Abril, v. 1. Dicionário SIDOU, José Maria Othon. Dicionário jurídico. 4. ed. rev., ampl. e atual. Rio de Janeiro: Forense Universitária, (Biblioteca Jurídica da Associação Brasileira de Letras Jurídicas ABLJ) Catálogo BRASIL. Biblioteca Nacional. Catálogo arquivo de Mateus. Rio de Janeiro: Fundação da Biblioteca Nacional/Dep. Nacional do Livro, p. il. (Coleção Rodolfo Garcia, v. 27) HARTNESS, Ann. Brasil, obras de referência, : uma bibliografia comentada. Brasília: Briquet de Lemos, Inclui índice nomástico e índice de assuntos. 453 p. Folheto 21

22 ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR Rio de Janeiro: ABNT/CB, p. Tese acadêmica BERESFORD, Heron. Os valores, os juízos de valor e o pensamento brasileiro sobre a avaliação f. Tese (Doutorado em Filosofia). Centro de Pós-Graduação, Universidade Gama Filho. Dissertação SILVEIRA JÚNIOR, Paulo César Soter da. O potencial de adesão a um programa de intervenção de hábitos saudáveis como fator de controle de risco coronariano em aeronautas brasileiros f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Motricidade Humana). Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação, Universidade Castelo Branco. Ensaio MARTIN PÉREZ, Jesus. Dialética do trabalho humano e sociedade brasileira. Rio de Janeiro, Ensaio (Concurso Prêmio Castelo Branco). UCB. Publicações avulsas em parte QUADRO 3 Referência de publicação avulsa em parte Capítulo de livro do mesmo autor GUIMARÃES ROSA, João. A hora e a vez de Augusto Matraga. In:. Sagarana. 31. ed. (41. reimp.). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, Conto 9, p Capítulo de livro de outro autor LARA, P. F. Modelos farmacêuticos. In: VALLE, L. et al. Farmacologia integrada, v. 1. Rio de Janeiro: Atheneu, Cap. 11, p Capítulo de livro de um dos autores SOLE, J. Disponibilidade para a aprendizagem e sentido da aprendizagem. In: COLL, Cesar; SOLE, J. et al. O construtivismo em sala de aula. 5. ed. São Paulo: Ática, Cap. 2, p De parte do livro 22

23 HARTNESS, Ann. Grupos étnicos. In: Brasil: obras de referência, uma bibliografia comentada. Brasília: Briquet de Lemos/ Livros, p Verbete de enciclopédia CONSERVADORISMO. In: Enciclopédia Mirador Internacional, v. 6. São Paulo: Encyclopedia Britannica do Brasil Publ., p Volume de coleção LASKO, Peter et al. Origens da arte ocidental. In: READ, Herbert (Org.). As belas artes: enciclopédia ilustrada de pintura, desenho e escultura, v ed. Lisboa: Publicações e Artes Gráficas, Referências de publicações periódicas As publicações periódicas são numeradas porque fazem parte de uma série, acrescida (semanal, mensal, bimestral, anualmente etc.) de novos fascículos. A obra avulsa pode ser referenciada no todo (coleção de fascículos e volumes), em parte (volume, fascículo, caderno, número etc.) ou ainda nos artigos ou matérias do periódico. QUADRO 4 Referência de publicação periódica no todo (coleção) Coleção de revista EDUCAÇÃO. São Paulo: Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (SIESP), EM ABERTO. Brasília: INEP, v. 1, n. 1, nov Irregular até Bimestral Suspensa jul dez Reinicia jan JORNAL BRASILEIRO DE PATOLOGIA. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica QUADRO 5 Referência de publicação periódica em parte (fascículo) 23

24 Fascículo de revista REVISTA DA CRIAÇÃO, meio & mensagem. Rio de Janeiro, a. 6, revista n. 73, abr. de p. CADERNO DE SAÚDE PÚBLICA. Rio de Janeiro: FIOCRUZ/ ENSP, a. 15, v. 4, out./dez., ATUALIDADES EM EDUCAÇÃO. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisas Avançadas em Educação, a. 26, n. 69, mar./abr Suplemento de revista VEJA, Sua carreira, n. 1, ano 2000: Um guia para quem chega ao mercado de trabalho. São Paulo, a. 33, n. 43. Edição especial. Número especial EDUCAÇÃO & SOCIEDADE, Rev. quadrimestral de ciência da educação. Campinas: CEDES, a. 20, n. 68 especial: Formação de profissionais da educação: políticas e tendências, dez p. QUADRO 6 Referência de publicação periódica em parte (artigo) Artigo de revista Institucional QUERINO, Magda Maria de Freitas. Aceleração de aprendizagem: a redescoberta do prazer de aprender. Em Aberto. Brasília: INEP, v. 17, n. 71, p , jan REALE, M. Universalidade da cultura. Revista Brasileira de Filosofia. São Paulo: IBF, v. 44, n. 192, p , out. dez., Artigo de um autor GUEDES, P. A raiz da turbulência. Exame. São Paulo: Abril, a. 35, autor n. 7, p. 31, 4 abr SANT ANNA, Raquel Santos. O desafio da implantação do projeto ético-político do serviço social. Serviço Social e Sociedade. São Paulo: Cortez, a. 21, n. 62, p , mar Artigo de vários autores FURLAN, S. A.; MENDONÇA, M.; GERN, R. M.; SANTOS, V. M.; ARAÚJO, R. P. Influência da suplementação de palha de arroz na produção de Pleurotus sajor caju. Saúde e Ambiente. Joinville, v. 1, n. 1, p. 60-3, nov Referências de documento de evento Incluem o conjunto de documentos de um evento científico ou cultural, em forma de anais, resumos, atas, tópicos temáticos etc. 24

25 QUADRO 07 Referência de documento de evento no todo Anais de congresso SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E PRÊMIO UFF, 10, 2000, Niterói. Anais... Niterói (RJ): UFF/PROPP, 2000, 478 p. Resumos de encontro SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 7, Rio de Janeiro: UERJ/DCARH, 1998, 600 p. QUADRO 08 Referência de trabalho apresentado em evento em parte Artigo de revista institucional SANTOS, D. Conceito jurídico de soberania nas comunidades internacionais integradas. In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2, Recife (PE). Anais... Recife: UNICAP, p. FERNANDES, K. C.; PINHEIRO, D. de O.; SILVA, G. N.; SILVA, R. S. da. Estudo sobre o papel das plantas medicinais na vida dos moradores da agrovila Vila Fazenda Pirituba (SP). In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 10, Botucatu (SP). Resumos... Araraquara: UNESP, p. 25

Etapas da construção de um projeto de pesquisa

Etapas da construção de um projeto de pesquisa Etapas da construção de um projeto de Primeiro passo: escolha do tema Consiste na descrição do objeto de estudo, evidenciando qual a pretendida. O dor deve levar em conta sua formação e/ou experiência

Leia mais

Manual de orientação para a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de orientação para a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso Manual de orientação para a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso 1.a edição Sumário Orientações gerais...7 Quanto às orientações para realização do trabalho...7 Quanto aos critérios de avaliação...7

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

AVA - AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

AVA - AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Caro Aluno, Você produzirá, de acordo com as Normas da Educação a Distância, um Artigo Científico como Trabalho de Conclusão de Curso - TCC, para cumprimento dos requisitos necessários à aprovação nos

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga Ibitinga/ SP 2010 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 REGRAS GERAIS... 3 2.1 DAS FINALIDADES... 3 2.2

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio. Brasileira de Normas Técnicas - (ABNT), ensaiando-os e

Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio. Brasileira de Normas Técnicas - (ABNT), ensaiando-os e COMO FAZER O RELATÓRIO DE ESTÁGIO APRESENTAÇÃO Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio feitos pelos alunos do Colégio Agrícola Estadual Adroaldo Augusto Colombo, de acordo com

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA - FADIVA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PESQUISA E MONOGRAFIA PROFª Ms Mª AUXILIADORA PINTO COELHO FROTA MATÉRIA: METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS PONTA GROSSA 2010 2 SUMÁRIO 1

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Este texto trata a respeito das Normas da ABNT e do Manual do Unisal com a finalidade de orientar os alunos sobre as regras básicas para a publicação

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO São Carlos 2009 2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO

Leia mais

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005)

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Errata Folha de Rosto Capa ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Epígrafe Resumo L. estrangeira Resumo Agradecimentos Dedicatória Folha de Aprovação Anexos Apêndices Glossário Referências

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA Padronização de Projeto de Monografia e de Monografia 1- Apresentação As informações abaixo visam

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

MANUAL Mostra de Responsabilidade Social

MANUAL Mostra de Responsabilidade Social MANUAL Mostra de Responsabilidade Social 1. REGRAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO/TEXTO Após pesquisas sobre Responsabilidade Social, escrever um artigo entre 3 a 5 páginas, seguindo os itens abaixo: 1 elementos

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

CONDIÇÕES PARA SUBMISSÃO NORMAS PARA PUBLICAÇÃO

CONDIÇÕES PARA SUBMISSÃO NORMAS PARA PUBLICAÇÃO CONDIÇÕES PARA SUBMISSÃO NORMAS PARA PUBLICAÇÃO Todas as contribuições destinadas à Revista Interface Tecnológica devem estar rigorosamente baseadas nas regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Educação Artística Unifadra / Dracena SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Educação Artística

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 Jaciara-MT COMPOSIÇÃO DA MONOGRAFIA MONOGRAFIA Recebe nº página CAPA FOLHA DE ROSTO FOLHA DE APROVAÇÃO DEDICATÓRIA (OPCIONAL) AGRADECIMENTO (OPCIONAL) EPIGRAFE

Leia mais

FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO

FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO LONDRINA 2009 SUMÁRIO 1 ESTRUTURA DO ARTIGO CIENTÍFICO...01 1.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS...01

Leia mais

REVISTA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CESCAGE

REVISTA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CESCAGE REVISTA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CESCAGE INSTRUÇÕES AOS AUTORES 1 GERAIS: Originais: Artigos, resenhas, análises jurisprudenciais devem ser enviados

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS JUINA/MT JULHO/2009 SUMÁRIO Introdução...

Leia mais

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA CURITIBA 2012 SUMÁRIO 1. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA...03 1.1. Elementos pré-textuais...03

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Andersown Becher Paes de Barros * Ideraldo Bonafé ** RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

FACULDADE SATC/UNESC METODOLOGIA CIENTÍFICA PARA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

FACULDADE SATC/UNESC METODOLOGIA CIENTÍFICA PARA RELATÓRIO DE ESTÁGIO FACULDADE SATC/UNESC METODOLOGIA CIENTÍFICA PARA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Este documento tem por função dar orientações sobre a elaboração do relatório de estágio para os alunos de Tecnologias. Abordaremos

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS DOS TRABALHOS Formato: A4 Cor preta Espaçamento entre linhas: 1,5cm Fonte texto: Times New Roman, 12 ou Arial, 11 Margem superior

Leia mais

O título e subtítulo (quando houver) devem ser separados por dois pontos (:).

O título e subtítulo (quando houver) devem ser separados por dois pontos (:). VIII Jornada Ibmec de Iniciação Científica - 2013 Normas para submissão dos artigos Os autores devem ser cuidadosos com a apresentação técnica, com a sintaxe e a ortografia de seu texto, sob pena de recusa

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias.

Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias. Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias. Goiânia, 2010 SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1. INTRODUÇÃO...3 1.1-

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA A primeira etapa para a organização do TCC nos cursos de pós-graduação lato sensu a distância consiste na elaboração do projeto de pesquisa,

Leia mais

ESTRUTURA DO TIID 2010

ESTRUTURA DO TIID 2010 ESTRUTURA DO TIID 2010 7. Anexos c 7. A ficha de entrevista, agora com as respostas, deve ser apresentada como anexo, após as referências bibliográficas. 6. Referências Bibliográficas 6. As referências

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa

PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011 Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa REFERÊNCIA NORMATIVA Documentos indispensáveis à aplicação deste documento ABNT NBR 6023

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO Finalidade de um Artigo Científico Comunicar os resultados de pesquisas, idéias e debates de uma maneira clara, concisa e fidedigna. Servir de medida da produtividade

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

(CAPA) INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA

(CAPA) INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA (CAPA) INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA CAMPUS BRASÍLIA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

FAJ FACULDADE DE JUSSARA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (Artigo Científico) Instruções aos autores e orientadores

FAJ FACULDADE DE JUSSARA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (Artigo Científico) Instruções aos autores e orientadores FAJ FACULDADE DE JUSSARA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (Artigo Científico) Instruções aos autores e orientadores ESTRUTURA DO ARTIGO 1. Recomenda-se a utilização do processador

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos Keina Cristina S. S. Silva, Bibª. Me. Marilene S. de Araújo, Bibª. Esp. Sale Mário Gaudêncio, Bibº. Esp. Vanessa Christiane A. S. Borba, Bibª. Esp. Vanessa Oliveira Pessoa, Bibª. Esp. Apresentação de Trabalhos

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos Escola SENAI Jose Polizotto Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos Marília 2008 Biblioteca - Escola SENAI José Polizotto Manual para elaboração de trabalhos

Leia mais

Guia de orientações para publicar artigo na revista Comunicação & Informação: para o(s) autor(es)

Guia de orientações para publicar artigo na revista Comunicação & Informação: para o(s) autor(es) UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO REVISTA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO Guia de orientações para publicar artigo na revista Comunicação

Leia mais

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Mestrado Profissional em Metrologia e Qualidade Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial 2010 APRESENTAÇÃO

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Segundo a NBR 15287:2011

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC)

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) compreende a elaboração de trabalho de caráter individual teórico, projetual ou aplicativo, com observância de exigências

Leia mais

NORMAS PARA FORMATAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS PARA FORMATAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Faculdades Milton Campos (FMC) NORMAS PARA FORMATAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Texto organizado a partir das normas vigentes da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) Emilce Maria Diniz Bibliotecária

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS Baseado nas obras de Júnia Lessa França e Ana Cristina de Vasconcellos; Rosy Mara Oliveira. Atualizado

Leia mais

O TÍTULO DO TRABALHO DEVERÁ SER EM FONTE TIPO ARIAL 12, NEGRITO, CENTRALIZADO, ESPAÇO SIMPLES (ESPAÇAMENTO DE 1,0) SEM PONTO FINAL

O TÍTULO DO TRABALHO DEVERÁ SER EM FONTE TIPO ARIAL 12, NEGRITO, CENTRALIZADO, ESPAÇO SIMPLES (ESPAÇAMENTO DE 1,0) SEM PONTO FINAL O TÍTULO DO TRABALHO DEVERÁ SER EM FONTE TIPO ARIAL 12, NEGRITO, CENTRALIZADO, ESPAÇO SIMPLES (ESPAÇAMENTO DE 1,0) SEM PONTO FINAL Nome do autor principal (sigla da instituição a que pertence, entre parênteses)

Leia mais

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS O texto a seguir tratará das seguintes normalizações: A. NBR 14724:2001 Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação Informações pré-textuais

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Rosangela Alves de Oliveira * Nome do (s) autor (s) RESUMO Este trabalho estabelece as orientações para apresentação de um artigo científico. Todas as informações

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA DO PPGE Revista Educação e Emancipação

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA DO PPGE Revista Educação e Emancipação NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA DO PPGE Revista Educação e Emancipação A Revista Educação e Emancipação (ISSN 1677-6097) do Programa de Pós- Graduação em Educação (PPGE) da Universidade

Leia mais

SISTEMA EAD. Manual de Orientacao para Elaboracao do Trabalho de Conclusao de Curso

SISTEMA EAD. Manual de Orientacao para Elaboracao do Trabalho de Conclusao de Curso SISTEMA EAD Manual de Orientacao para Elaboracao do Trabalho de Conclusao de Curso 2008 IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por escrito dos

Leia mais

Envio de trabalhos. 1.3. Serão aceitos somente os trabalhos enviados para o correio eletrônico da revista (revistaaproximacao@gmail.com).

Envio de trabalhos. 1.3. Serão aceitos somente os trabalhos enviados para o correio eletrônico da revista (revistaaproximacao@gmail.com). Envio de trabalhos 1.1. Serão aceitos trabalhos na área de Filosofia, de alunos vinculados a cursos de graduação (não necessariamente em Filosofia). Aceitaremos também contribuições de pós-graduandos e

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO Nome Sobrenome 1 Nome Sobrenome 2 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência para o programa de apoio

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CITAÇÕES E NOTAS DE RODAPÉ

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CITAÇÕES E NOTAS DE RODAPÉ 1 UNIVERSIDADE POSITIVO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CITAÇÕES E NOTAS DE RODAPÉ CURITIBA 2012 2 UNIVERSIDADE POSITIVO Reitor José Pio Martins Pró-Reitor Administrativo Arno Antonio

Leia mais

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/ DE 30 DE MAIO DE 2011/ PRODEMA-UFS DE Estas normas de redação foram definidas como diretrizes básicas pelo Colegiado do Núcleo de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Leia mais

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA. Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA. Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002 BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002 São Carlos 2012 Guia para elaboração de Referências As orientações abaixo são de acordo com a NBR 6023/2002 da Associação

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE QUÍMICA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC 1 APRESENTAÇÃO As recomendações a seguir resumem os princípios para a elaboração

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É essencial o uso de normas técnicas para uma boa apresentação e compreensão da leitura de um trabalho acadêmico-científico.

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Palavras-chave: Mínimo Três. Máximo Cinco. Separadas por Ponto Final. Palavras Compostas Conta-se uma Palavra.

Palavras-chave: Mínimo Três. Máximo Cinco. Separadas por Ponto Final. Palavras Compostas Conta-se uma Palavra. 1 TÍTULO DO ARTIGO TODO MAIUSCULO: Se Houver Subtítulo Somente a Primeira Letra de Cada Palavra em Maiúsculo (o título com subtítulo não pode ultrapassar 3 linhas) Nome do Autor 1 Nome do Co-autor (se

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO RESUMO. Palavras-chave: Artigo Científico. Normalização. NBR 6022/03.

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO RESUMO. Palavras-chave: Artigo Científico. Normalização. NBR 6022/03. ARTIGO CIENTÍFICO Texto com autoria declarada que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados de diversas áreas do conhecimento (ABNT/NBR 6022:2003). 2.1.1 Modelo de artigo COMO

Leia mais

REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS A Revista Ius Gentium é uma publicação anual do Curso de Direito (graduação e pós-graduação) da Faculdade Internacional de Curitiba, que visa: propiciar à comunidade

Leia mais

Quanto ao texto do corpo do projeto:

Quanto ao texto do corpo do projeto: MODELO DE PROJETO DE PESQUISA EM INICIAÇÃO CIENTÍFICA Quanto ao texto do corpo do projeto: Projeto deve ser redigido com no máximo 20 (vinte) páginas digitadas em papel tamanho A4 (210mm x 297mm), margem

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Prezado(a) Aluno(a): Esta pequena orientação e o modelo de relatório em anexo foram produzidos com o objetivo de facilitar a elaboração do Relatório

Leia mais

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica:

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Conforme NBR 6022:2003 Seção de atendimento ao usuário - SISBI Outubro 2013 Normas técnicas Norma técnica é um documento estabelecido

Leia mais

Título do trabalho: subtítulo do trabalho

Título do trabalho: subtítulo do trabalho Título do trabalho: subtítulo do trabalho Resumo Este documento apresenta um modelo de formatação a ser utilizado em artigos e tem como objetivo esclarecer aos autores o formato a ser utilizado. Este documento

Leia mais

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA RECeT POLÍTICA EDITORIAL

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA RECeT POLÍTICA EDITORIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS PRESIDENTE EPITÁCIO CNPJ 10.882.594/0001-65 Al. José Ramos Júnior, 27-50, Jardim Tropical Presidente Epitácio

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espacejamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 2 espaços 1,5 Fonte 14 Nome do Estagiário Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA BAMBUÍ ANO Fonte

Leia mais