ADMINISTRAÇÃO DE VENDAS: OS MÉTODOS DE COMO FAZER UM BOM NEGÓCIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ADMINISTRAÇÃO DE VENDAS: OS MÉTODOS DE COMO FAZER UM BOM NEGÓCIO"

Transcrição

1 ADMINISTRAÇÃO DE VENDAS: OS MÉTODOS DE COMO FAZER UM BOM NEGÓCIO Adriel Rodrigo LIMA 1 - RGM Daniel Aparecido PANSONATO¹ - RGM Erick Michel ALVES¹ - RGM Francisco Ferreira da SILVA NETO¹ - RGM Luis Fernando Lourenço TEZOTTO¹ - RGM Paulo Henrique BORDGNON¹ - RGM Renato Francisco Saldanha SILVA 2 Ailton EUGENIO 3 Resumo Administração de Vendas (ADMV), os métodos têm como objetivo definir as táticas de como fazer um bom negocio, tanto na vida profissional como pessoal. Para ser um bom vendedor ou negociador tem que conhecer bem o que vai ser negociado e com quem esta sendo negociado, tornando uma das coisas mais importantes para ter uma boa tática. Uma organização quando contrata um vendedor, não é apenas para vender um produto, mas sim passar a imagem da empresa para com os seus clientes, não adianta ter um bom produto, e não ter pessoas capacitadas para vende-lo. Tem pessoas que tem facilidade de negociar, esse tipo de negociador faz com que o cliente compre um produto que ele não quer, e consegue torná-lo satisfeito com o que está sendo negociado, isto é uma tática de vedas. Em uma Organização é extremamente importante ter uma tática de vendas, para com isto fazer ótimos negócios! Palavras-Chave: Vendas; Negociar; Táticas. Introdução Propondo um entendimento dos processos internos da organização relacionados a vendas, foi em 1930, em que as empresas produzindo em série, a oferta passou a superar a demanda, fazendo com que houvesse a necessidade das empresas buscarem os consumidores ao invés de esperá-los no estabelecimento, foi a partir dai que começaram surgir às primeiras técnicas de vendas. 1 Formandos(a) do curso de Administração do CEUNSP (ano de conclusão 2012) 2 Professor do CEUNSP;Especialista em Administração; Orientador do TCC 3 Professor do CEUNSP;Especialista em Administração;

2 Em 1950 perceberam que somente a venda a qualquer custo não era viável, e as vendas não eram constantes, e passaram a dar ênfase à conquista e valorização dos negócios em longo prazo, estabelecendo relações permanentes com a clientela, e com isso o cliente passou a dominar o mercado através de seus desejos e necessidades. Nos dias atuais para administrarmos nossas empresas e o nosso trabalho de maneira que possibilite ao nosso negócio sobreviver e crescer no mercado, este trabalho tem por finalidade apresentar uma série de ações urgentes e necessárias. Neste caso, os trabalhos de venda quando bem executado, possibilita o melhor aproveitamento dos recursos, como o tempo e o dinheiro. É a atividade de vendas responsável por trazer o dinheiro necessário para a prosperidade da empresa e de seus colaboradores, e, além disso, representar a organização perante aos clientes, e criar um relacionamento com os mesmos. As empresas quando contrata um vendedor, não é apenas para vender um produto, mas sim para passar a imagem dela á seus clientes, na maioria das vezes é o vendedor a ligação entre ambas às partes. Para muitos clientes o vendedor é a organização, e por essa razão deve ser dada importância à estruturação da força de vendas, assim como, os objetivos e estratégias devem estar bem traçadas, e isso independe do tamanho das organizações, sejam elas de grande, médio, ou pequeno porte. Á área de vendas trabalha em conjunto com os clientes, buscando informações dos mesmos, entendendo suas necessidades e sugerindo produtos adequados as necessidades encontradas e oferecendo um serviço de pós-venda que renda a satisfação desejada, também podemos atribuir a esses profissionais o sucesso de novos produtos, a manutenção dos atuais produtos e a base para surgimento de novas tendências com base em informações extraídas dos clientes finais, O vendedor, em sua atividade diária, está em constante contato com o mercado e justamente por isso ninguém melhor que ele pode perceber a ação a ser tomada e o preço da concorrência, e as necessidades não atendidas, avaliar os resultados das promoções e propagandas da empresa, bem como sugerir alterações nas políticas e estratégias de vendas da organização. O fato é que nos dias atuais devido à concorrência bastante acirrada, faz com que ter um bom vendedor pode ser um diferencial, pois ele é o responsável direto pelo aumento da demanda e desenvolvimento de novos mercados.

3 Porém não basta somente a organização ter vendedores capacitados e qualificados, mas também são necessárias de ambas as partes, existir um excelente canal de comunicação em relação às situações e processos internos da organização (lead time, PCP, prazos de entrega, estoque e etc.). A administração de vendas consiste basicamente em técnicas avançadas e sofisticadas que, pela necessidade de recursos, somente estão ao alcance de grandes empresas onde suas principais ferramentas são planejamento, organização, direção, e controle na área de vendas, adaptando as a realidade. E também é responsabilidade da administração de vendas o recrutamento, seleção, treinamento, delegação, determinação de rotas, supervisão, pagamento e motivação, à medida que as tarefas se aplicam a força de vendas. Objetivo da Administração de Vendas A administração de vendas tem como objetivo conduzir a empresa para os caminhos desejados. Os objetivos podem ser quantitativos, como, por exemplo, obter certa fatia de mercado, ou qualitativos, como projetar uma imagem de competência, e são muito importantes para conduzir o trabalho dos administradores. Antigamente o objetivo da administração de vendas era somente vender, vender, e vender, nos dias atuais, este conceito mudou, e passou a focar não somente nas vendas, mas sim no cliente, em avaliar quais são suas reais necessidades, o que a organização pode fazer para ajudá-lo, bem como no atendimento pré-venda e pósvenda, para assim conseguir uma fidelização com os clientes. Planejamento da Administração de Vendas Planejar é uma das funções do gerente de vendas. Planejamento significa decidir com antecipação o que deve ser feito, e constitui-se na primeira etapa do processo administrativo, através dele é possível precaver contra as eventualidades futuras, adequando a empresa a um nível de atividades necessárias. Em sua essência o planejamento de vendas consiste, a partir dos objetivos empresariais, em analisar as situações internas e externas; fazer uma previsão do que pode acontecer, para preparar-se para atender e executar essa previsão e controlar o trabalho para que tais objetivos sejam alcançados.

4 Plano de Vendas Após fazer o planejamento é um elaborado um plano de vendas que é um documento escrito, do qual constam os principais tópicos do planejamento. Deve ser um documento operacional da empresa, que servirá de conduta para as todas as atividades do pessoal envolvido no que foi planejado. Para executar um plano de vendas, o planejador precisa ter profundo conhecimento dos passos mencionados nas providências necessárias para o planejamento. Por isso serão apresentados em ordem sequencial, mais lógica para o plano, os seguintes itens: Potencial de mercado, Potencial de vendas, Previsão, Orçamento, Territórios, Rotas, Quotas. Propondo um melhor entendimento desses itens do plano de vendas, vamos fazer um breve resumo sobre eles: Potencial de mercado Estima-se o valor total da capacidade do mercado brasileiro no ramo da atuação da empresa. Esta estimativa vai refletir a situação econômica do momento. Em época de prosperidade, é evidente que o potencial seja maior do que em épocas de recessão. A capacidade máxima que o território nacional pode absorver de um produto representa 100%. Supondo que São Paulo corresponde a 50% deste total, o potencial da cidade de São Paulo é, portanto, de 50%. Normalmente divide-se em regiões para facilitar as estimativas. Potencial de vendas A partir dessas informações pode se calcular o potencial de vendas. A capacidade de vendas da empresa e do mercado parte da análise da demanda total do mercado. Suponhamos que a demanda estimada do produto seja de unidades o potencial de vendas da empresa será de unidades, haja vista que o potencial de mercado de São Paulo representa 50% do mercado total. Previsão de vendas Deve se ter um quadro geral do seu mercado de atuação, esse quadro deverá fazer uma previsão do que ocorrerá no período a ser planejado, este período pode ser mensal, anual, para dois ou três ou anos, ou para outro qualquer. A previsão é feita a partir da análise da empresa e de seu ambiente, da concorrência além de outros fatores

5 que influenciam na determinação da previsão, como condições gerais dos negócios, do ramo, do produto no mercado e das condições internas da companhia. A previsão pode ser feita por produto, por região e mercado ou por cliente. Para isso utilizamos métodos científicos ou não científicos. Orçamento Logo após a elaboração do plano de vendas com base em previsões, do que decorrera á luz das informações coletadas, o administrador deve providenciar o orçamento de vendas, nada mais é que o planejamento financeiro destas expectativas de ocorrências. A vantagem de um orçamento de vendas é proporcionar uma expectativa futura e permitir que os vários setores se preparem para atender a produção esperada e as vendas. Pode-se controlar o desempenho de vários setores da empresa comparando-se os resultados com o planejamento, servindo, portanto como um instrumento de avaliação, e também determinar um orçamento mais favorável a certos departamentos ou produtos que a administração tenha interesse de vender, servindo assim de meio para a coordenação. Territórios São as unidades geográficas em que se apresentam divididas as zonas de vendas. Primeiramente, o administrador deve ter cuidado para que a divisão seja harmoniosa e o território seja divido de forma proporcional não só no tamanho, como também em número de clientes, pois os territórios divididos de formas desiguais podem causar insatisfação entre os vendedores e, conseqüentemente reduzir a sua motivação. Rotas Para a definição de rotas, são vários os caminhos que os vendedores deverão percorrer para dar cobertura apropriada ao território de vendas, ela é determinada pelo potencial de vendas na área, pela freqüência de visitas necessária, e pelo número de clientes. O trabalho de determinação de rotas é simples. Inicialmente marcam-se no mapa vários pontos-de-venda de acordo com o potencial de compras dos clientes. Logo após marcam-se os vários itinerários a serem percorridos, obedecendo à forma mencionada. As anotações podem ser feitas com lápis de cor, alfinetes, ou outra forma qualquer. Deve-se dar cobertura total aos territórios estabelecidos.

6 Quotas As cotas servem como parâmetros para análise da atividade de vendas. Além de ser um instrumento de controle, contribui para a motivação do vendedor. Por estar em intima relação com o aspecto motivação. Lembrando que se deve levar em consideração para elaborar uma quota a capacidade de demanda de determinada região, préestabelecida. Gerenciamento de Vendas O gerente de vendas é responsável pelo desempenho da equipe e pelos resultados alcançados. Como administrador deverá conduzir seus subordinados ao caminho da obtenção dos objetivos perseguidos pela empresa, pois a administração é a arte de executar serviços por intermédio de pessoas, que não é tarefa das mais fáceis, advindo daí a necessidade de uma cooperação dos indivíduos, pois sem ela dificilmente o trabalho será realizado e o objetivo atingido. É evidente que não basta à qualidade de administrador para gerenciar pessoas ou um departamento, mas também há a necessidade de conhecer também o trabalho de vendas e dos demais departamentos, e o conhecimento inclui não só o produto como também o oficio. Quanto maior a empresa mais difícil se torna a comunicação por isso surge à necessidade de certas diretrizes. As diretrizes das grandes empresas geralmente seguem uma formalidade maior, ou seja, as comunicações são feitas por escrito enquanto nas pequenas e médias empresas são informais comunicadas oralmente. As estratégias e táticas são desenvolvidas para alcançar objetivos e metas, ou seja, são planos de ação que partem de uma análise do meio ambiente onde se determinam oportunidades e ameaças do mercado, e também se observando os pontos fortes e fracos para o aproveitamento das oportunidades ou ameaças detectadas. A diferença é que a estratégia é sempre mais geral envolvendo todas as partes da organização e é na maioria das vezes de longo prazo, enquanto as táticas são relacionadas a um setor especifico e a maioria delas é de curto prazo. Para determinar as estratégias e táticas o administrador deve seguir certas leis, que são parâmetros que direcionam o sentido da estratégia e da tática. É importante que um gerente ao gerenciar uma organização, conheça a cultura e desenvolva em si suas habilidades e devidas competências exigidas.

7 Os gerentes desempenham papeis essenciais, são diversas suas atividades, e não tem estabelecido os padrões exigidos. Essas atividades podem ser realizadas individualmente ou em equipes, mas todas iniciadas e incentivadas a partir dos gerentes, ou seja, são pensantes e inovadores. Os Gerentes devem comunicar claramente e persuadirem, outras qualidade criticas para o sucesso inclui liderança, autoconfiança, motivação, capacidade de decisão, flexibilidade, julgamento empresarial e determinação. É importante saber que liderar é diferente de administrar, mas não pelas razões que a maioria das pessoas imagina que ser líder é ter uma visão global é saber ensinar e também aprender, sendo este último o de maior importância para um espírito de líder, sua principal função é conduzir pessoas, sabendo como as influenciá-las e assim conseguir melhores resultados, as pessoas é o maior ativo de uma organização e o seu mais importante recurso, em outras palavras é o capital intelectual da organização, e por essa razão é de extrema importância uma boa liderança sob os mesmos. Liderança e administração são dois sistemas de ação complementares, necessários ambos para o êxito de um negócio em um ambiente volátil, a liderança complementa a administração, não a substitui, porém nem todos são bons em administração e em liderança, e vice e versa. Cada líder desenvolve o seu estilo de liderança de acordo com as bases em que consistem sua filosofia e seus valores, porém alguns deles utilizam também do poder (legitimo, referente, saber) para liderar. Podemos distinguir este tipo de poder de três maneiras: Poder Legítimo: É conferido pela posição ocupada na organização. Inclui quase sempre, dois poderes que o complementam: o poder da recompensa e o coercitivo ou de punição, instrumentos para o exercício do poder legítimo. Poder Referente: É a influencia exercida pelo líder em virtude da afeição e do respeito que as pessoas tem por ele, em função de suas qualidades como seu caráter, a força de sua personalidade sua coragem, sua capacidade de agir, e sua ousadia. O fundamento básico do poder referente é o exemplo. Poder do saber: É baseado nos conhecimentos que a pessoa tem, incluise os conhecimentos técnicos, a experiência e poder da informação. Algumas pessoas não sedem informações para reter este tipo de poder.

8 Conforme disse anteriormente cada líder desenvolve o seu estilo de liderança que pode ser: autocrática, democrática, e livre. Propondo um melhor compreendimento dos estilos de Liderança, segue um breve resumo de cada estilo: Liderança Autocrática: No estilo de liderança autocrática, é o administrador que impõe as ordens e o que implica na obediência por parte dos demais (subordinados), para este tipo de liderança, o líder é extremamente dominador e pessoal nos elogios e criticas ao trabalho de cada membro do grupo. Liderança Democrática: Na liderança democrática a preocupação é com a participação da equipe, o líder se preocupa em orientar, estimular, acatar e ouvir as opiniões do grupo, ponderando as mesmas antes de tomar qualquer decisão. É aquele que determina junto com a força de vendas as diretrizes, permitindo a equipe esboçar as técnicas para alcançar os objetivos desejados. Liderança Livre: A liderança livre caracteriza-se pela total liberdade de uma equipe de vendas, o líder pouco interfere no andamento dos processos e na tomada de decisões perante as situações, são os representantes dos líderes que direcionam suas ações como acham melhor. Aqui a liderança é bastante passiva, este estilo de liderança é bem aplicado quando utilizado com uma equipe de força de vendas de um alto nível os quais conhecem bem o ramo dos negócios e do mercado. Recrutamento do pessoal de vendas Em algumas organizações o gerente de vendas, participa e auxilia na tomada de decisões quanto ao recrutamento e seleção de candidatos junto do departamento de recursos humanos, em algumas ocasiões é responsável pela decisão final, e em outras pode ser responsável por todo o processo de recrutamento e seleção dos candidatos, isso apenas se diferencia de organização para organização, e principalmente do objetivo e o tamanho de cada uma delas. O processo de contratação em si, é bastante variável. Uma pequena empresa na maioria das vezes faz a contratação de forma direta, simplificada, enquanto uma média ou grande pode fazer com que o candidato passe por várias etapas de seleção, antes de ser efetivamente contratado, para este ultimo caso, existem vários procedimentos: Determinação do tipo de trabalho e equipe de vendas: Aqui são considerados não só a natureza do trabalho de vendas a partir do segmento que está sendo visada, como também a decisão sobre a estrutura da força da equipe de vendas.

9 Diretrizes para contratação: Determinação dos principais trabalhos a serem realizados pelos vendedores, elaborando a partir disso, uma descrição de cargo e a especificação dos perfis do vendedor. Obtenção dos candidatos para selecionar os que melhores se enquadram nas características determinadas: nesta etapa são utilizadas as formas de recrutamento e seleção dos candidatos. Lembrando que todo esse processo de recrutamento e seleção geram custos para a empresa, devendo a mesma escolher a melhor maneira de executá-la a fim de reduzir estes custos. Uma equipe de vendas deve ser determinada inicialmente pelos clientes, daí a necessidade de uma noção de segmentação. Segmentação: A ideia da segmentação é separar os mercados com características semelhantes, ou seja, separar um grupo homogêneo de um mercado formado por grupos heterogêneos. Com isto, é possível compreender mais os desejos e as necessidades dos consumidores e a partir daí, oferecer produtos e serviços mais adequados. Existem várias formas de segmentação de mercado, as principais são: geografia, demográfica, e psicográfica. Segmentação Geográfica: O mercado é dividido por regiões, como norte, sul, estados, municípios, bairros etc. Segmentação Demográfica: Os mercados são divididos levando-se em conta sexo, idade, estado civil, profissão etc. Segmentação Psicográfica: O mercado é dividido segundo características de personalidade, estilos de vida, atitudes, entre outros. Além desses segmentos que são usados para o mercado de consumo, podem-se utilizar outros para dividir os mercados industriais. Os mercados industriais são geralmente segmentados por tipo de atividade, tamanho da empresa, capacidade de compra e localização geográfica. Em marketing qualquer esforço deve considerar inicialmente o consumidor, tudo deve ser feito em função dele, para segurar sua satisfação e com isso obter lucros em longo prazo. Portanto, o setor de vendas como parte do marketing também tem de agir colocando o consumidor em primeiro lugar, pois muitos clientes gostam de comprar com vendedores com quem se sentem bem, e se identificam por isso a importância de contratar vendedores que proporcionem tal satisfação.

10 Podemos definir os tipos de vendedores da seguinte maneira: 1. Vendedores missionários: São aqueles empregados pelo fabricante para trabalhar com seus intermediários e clientes, tem como finalidade conseguir boa imagem e estimular a procura, ajudar os intermediários a treinar o pessoal de vendas e muitas vezes cuidar dos pedidos de entrega pelos intermediários. 2. Entregadores de mercadorias: Refrigerantes, cigarros e produtos de mercearia são vendidos dessa forma. A ênfase maior é dada na própria entrega da mercadoria. O vendedor de caminhão visita vários estabelecimentos varejistas faz a entrega de seus produtos e tira novos pedidos. 3. Tomadores de pedidos internos: É o típico caso das vendas a varejo em que o vendedor aguardam os compradores que entram na loja ou entram em contato com o fornecedor com alguma determinação de comprar, neste caso o papel do vendedor é mais de orientação e assistência aos compradores. Isto não significa que a venda seja inferior. Tomadores de pedidos se relacionam com o tipo de venda utilizada na situação requerendo elevado profissionalismo. 4. Tomadores de pedidos externos: São aqueles vendedores que visitam os clientes, objetivando a reposição de estoques. Todo esforço de marketing já foi feito junto a esses consumidores. A venda neste estágio podem ser bem mais fácil, uma vez o cliente já teve experiência anteriores com o produto do vendedor. 5. Vendedor técnico: Produtos altamente sofisticados exigem conhecimentos profundos do vendedor para adaptação as reais necessidades do consumidor. Nos casos citados, geralmente são contratados engenheiros ou outros especialistas, para que, além do trabalho de vendas possam prestar assistências técnicas aos consumidores. 6. Vendedor de produtos tangíveis: O vendedor tem a função básica de criar demanda conseguir novos clientes para sua empresa. Nos casos em que o consumidor não sabe como o produto poderá satisfazer as suas necessidades, o vendedor assume papel relevante na apresentação de vendas, com demonstrações e argumentos convincentes. É o caso de vendas de enciclopédias, seguros de vida etc. 7. Vendedor de produtos intangíveis: É aquele vendedor cuja função é também criar demanda conseguir novos clientes para a empresa. Neste caso, porém, trabalha com a venda de serviços. Toda empresa se interessa por contratar profissionais altamente qualificados para o trabalho de vendas, de seus produtos. Os gerentes procuram avidamente supervendedores. No entanto, difícil é saber o que faz com que um vendedor seja

11 realmente bom. Entre as principais conclusões, constatou-se que os supervendedores tem facilidade natural de conquista e são pessoas com talento para ganhar a aceitação alheia. Diretrizes para a Contratação Primeiramente para se definir as diretrizes de contratação, deve-se estabelecer quais as responsabilidades e os deveres da força de vendas, esta etapa do processo favorece a definição o tipo de vendedor que será necessário para executar as funções, permite estabelecer uma base para o tipo de treinamento que deverá ser realizado após as contratações e ainda possibilita determinação da política de remuneração. Algumas empresas ao analisar o cargo de vendas, solicitam auxilio do próprio vendedor partindo do principio de que eles familiarizado com o assunto, independentemente de quem realiza a análise, o importante é que seja feita segundo critérios rigorosos que permitam desencadear as demais etapas. A descrição do cargo depende desta análise. Após determinado a descrição do cargo, é preciso definir as especificações ou qualificações do individuo para a ocupação da posição de vendedor. Na especificação procura-se estabelecer e identificar as seguintes características: físicas (idade, altura) ambientais (família, motivação, meio de vida) personalidade (empatia, capacidade de persuasão) experiência adquirida (vendas, empregos anteriores), mentais (nível de educação, QI etc.). É necessário também que se especifique o grau de importância de cada qualificação, de acordo com a análise das etapas anteriores, determina-se o nível de características prioritárias que, portanto, nortearão o processo de contratação. As categorias especificadas na decorrência da descrição de cargos são: Características físicas: Aparência, comunicação, postura, saúde. Características mentais: Habilidade no raciocínio lógico, técnico ou conceitual. Características gerais: Sexo, idade, estado civil, classe social etc. Personalidade: Ambição, honestidade, auto-realização, entusiasmo etc. Nível de experiência: Educacional e no trabalho. Basicamente o recrutamento se divide em três formas: o recrutamento interno, recrutamento externo e o recrutamento misto. Recrutamento é o conjunto de todos os

12 procedimentos para convocar, habilitar e empregar um determinado grupo de pessoas para a execução de atividades especifica de cunho empresarial ou social. Recrutamento interno: Se trata da divulgação da vaga apenas aos colaboradores que já fazem parte do quadro de funcionários da organização, oferecendo-lhe uma oportunidade de promoção, transferência, gerando-lhe uma oportunidade de crescimento dentro da organização plano de carreira e motivação. Recrutamento externo: É a divulgação de uma forma mais ampla, abrangendo o público em geral, por meio de anúncios na internet, jornais, revistas, agências de empregos e rádio. Recrutamento misto: É utilizado de uma mescla dos dois processos mencionados acima, recrutando alguns candidatos internos e alguns candidatos externos á organização. Passada a fase do contato com os possíveis candidatos a vaga por meio do recrutamento, a única forma de conhecer melhor os candidatos é por meio da SELEÇÃO. A seleção nada mais é que a oportunidade de conhecer com mais detalhes o candidato e escolher o com o perfil mais adequado para ocupar a vaga. Uma das técnicas principais para este etapa do processo seletivo é a da Entrevista Estruturada, o responsável para esta atividade seja o próprio recrutador ou até mesmo alguém da organização com mais afinidade, deve ser cuidadoso para não eliminar o candidato equivocadamente ou perder uma boa contratação. Este tipo de entrevista é importante para verificar as experiências profissionais anteriores, o tempo em que permaneceu em cada uma delas e o motivo de sua saída, dependendo do nível de exigência do cargo e o nível de decisão do mesmo, também pode ser solicitado que o candidato relate situações de conflitos, de decisão ou mudança que precisou conduzir ou participou. Após a entrevista pode ser solicitado que o candidato realize um teste teórico (questões gerais ou técnicas) para poder comprovar algumas de suas habilidades ou qualificações discriminadas em seu currículo. Lembrando que testes práticos no próprio local de trabalho por algumas horas ou até mesmo alguns dias não podem ser realizados, pois já pode ser considerado como vinculo empregatício, podendo acarretar problemas futuros á organização.

13 Processo de Vendas Não é mais possível imaginar alcançar os objetivos do fechamento de negócio, deixando para o momento da venda tudo o que for necessário para a sua concretização. As etapas devem ser executadas com a profundidade e a abrangência necessárias. O êxito desse processo dependerá do sucesso de cada parte. O processo de vendas é amplo e dependente de um processo e maior que vem do departamento de marketing. A atividade de vendas é considerada uma um processo em razão de compreender série de etapas. Este processo engloba: Procura e avaliação dos clientes Abordagem Apresentação Tratamento de objeções Fechamento Pós-venda Os vendedores visam alcançar seus objetivos de venda quando procuram e avaliam os clientes, nem um bom cliente para os produtos de uma empresa é bom para as outras empresas. Algumas empresas visam clientes com alto poder aquisitivo, capacidade de compra enquanto outras têm como prioridade reconhecimento social ou status. Existem alguns métodos utilizados para se obter os nomes dos clientes mais qualificados, entre eles citamos: Contínua: O vendedor solicita em sua entrevista a indicação para Corrente novos contatos, para melhores resultados deve-se pedir uma carta de recomendação, um telefonema, etc. Centro de Influencias: O representante de vendas se relaciona com uma pessoa ou um grupo de pessoas que sirvam como centro de influencia. Esses centros de influencias são pessoas que se propõem a indicar esses clientes com ou sem participação financeira. Observação Pessoal: é o método de se observar as necessidades e as intenções de compra a partir de conversas informais para obtenção de nomes de possíveis clientes, neste método também incluem atividades sociais ou mesmo leituras de periódicos, revista, entre outras.

14 Assistente de Vendas: É a contratação de um vendedor júnior, para que ele possa visitar prováveis compradores, entretanto, quando alguém se mostra interessado ele conta com o apoio do vendedor titular, que fará a apresentação e fechará o negócio. Novas Contas (Cold Canvassing): Neste caso o vendedor, faz visitas sem marcar entrevista, de porta em porta. Mesmo que não consiga fazer uma apresentação, ele obtém nomes e indicações para contatos futuros. Outras Fontes: São clientes antigos, exposições, amigos, outros vendedores, concursos, além de outras fontes indicadas pela clientela. O Sucesso da venda começa na chegada, abordar o cliente é um passo importantíssimo, pois é o momento que você tem para conquistar ou perder a atenção do cliente. Uma abordagem bem feita é parte de uma venda fechada. A aparência é muito importante, ela poderá ser determinante para contatos seguintes, mas além disso, outros requisitos são necessários. A apresentação de vendas deve ser adequada conforme o tipo do produto há varias formas de apresentação que são do tipo: memorizada, formula de vendas e satisfação de necessidades. Mas qualquer tipo de apresentação deve se considerar os objetivos básicos, que observa se há interesse do cliente. A apresentação segue certas orientações: a demonstração deve ser simples e de fácil entendimento, evitar aspectos que possam distrair a atenção dos clientes, o vendedor deve obter deste um compromisso através de respostas positivas. Durante a apresentação ocorrem com frequência varias objeções, é praticamente quase impossível de elas não ocorrerem. A não ser em casos de extrema necessidade reconhecida pelo consumidor, o vendedor encontra de uma forma ou de outra, objeções no início da entrevista, na metade da apresentação ou mesmo na ocasião do fechamento de uma venda. O cliente apresenta objeções por uma série de razões. O cliente pode não estar muito disposto a atender alguém naquele dia, ou pode simplesmente estar tentando livrar-se do vendedor, ele também pode não perceber a necessidade do serviço ou produto a ser apresentado, não ter dinheiro para compra ou até mesmo negar pelo simples hábito de dizer não. É recomendável que as respostas para as possíveis objeções sejam preparadas com antecedência, através de experiências passadas. Pois assim é possível preparar-se antecipadamente diminuindo o numero de resposta inadequadas a muitas delas.

15 Mas se o vendedor não for um fechador competente, ele não será um bom vendedor, mesmo que tenha sido bom em todas as outras etapas anteriores. Por isso o vendedor deve ser treinado em técnicas específicas de fechamento. A instrução inicial, é interessante ao tentar o fechamento, antes de fazer a solicitação, sejam resumidos os principais pontos da apresentação, para que assim sejam esclarecidas duvidas que possam ter deixado o cliente um pouco confuso a respeito das vantagens e benefícios do produto. Os métodos mais utilizados para o fechamento são: Direto: a forma mais direta de fechar uma venda é fazer a solicitação diretamente ao cliente, sem rodeios; Formação de barreiras: ao formular varias perguntas induzindo o cliente a responder sim a todas elas, o vendedor cria certas barreiras psicológicas, não existindo aparente motivo para recusar a oferta, no momento do fechamento ; Ofertas especiais: ofertas que motivam a compra de imediato incluem colocações do tipo compre hoje e faça o melhor negocio, não deixe para amanhã. Considerações Finais Conclui-se que a Administração de vendas (ADMV), nos dias atuais é o que possibilita ao negócio se manter sólido e crescer no mercado, e que basicamente não consiste somente em vender, mas sim em técnicas avançadas e sofisticadas e que pelas necessidades de recursos só estão ao alcance das grandes empresas. A administração de vendas engloba desde o planejamento dos objetivos até o serviço de pós-venda e busca em conjunto com os clientes informações dos mesmos, entendendo e sugerindo produtos adequados as suas necessidades e oferecendo um serviço pós venda que renda satisfação desejada. Conforme mencionado no trabalho, para se obter uma boa administração de vendas deve-se seguir rigorosamente cada etapa do processo, afim de atingir resultados satisfatórios que venham a contribuir com os objetivos da organização, nos dias atuais, os clientes além de buscar produtos com qualidade, buscam também um bom atendimento e um bom relacionamento com seus fornecedores, afim de se estabelecerem parcerias, e não somente criar um vinculo de cliente x fornecedor, e para

16 isso realmente existir é necessário ter uma equipe de vendas extremamente capacitada, motivada e integrada com a empresa e seus objetivos. Referências Bibliográficas CASAS, Alexandre Luzzi Las. Administração de Vendas. 8. Ed. Atlas: GITOMER, Jeffrey. Livro de Vendas: 12,5 Princípios de Excelência em Vendas. 1. Ed. M. Books: SP, LUPPA, Luis Paulo. O Vendedor Pit Bull. 1. Ed. Resultado: Rio de Janeiro, ZIGLAR, Zig. Segredos da Arte de Vender. 6. Ed. Record:2002. BIBLIOTECA on-line. Disponível em:<http: amigosnerd. net/trabalho/ planejamento-motivacional-da-equipe>acesso em:16/05/12.

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

A l e x a n d r a P a u l o

A l e x a n d r a P a u l o A l e x a n d r a P a u l o ESCOLA SECUNDÁRIA SERAFIM LEITE TRABALHO FINAL TÉCNICAS DE VENDA Alexandra Paulo 11ºI Nº 21160 Disciplina: Comercializar e vender Prof: João Mesquita 20-12-2012 2012-2013 1

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES Cassia Uhler FOLTRAN 1 RGM: 079313 Helen C. Alves LOURENÇO¹ RGM: 085342 Jêissi Sabta GAVIOLLI¹ RGM: 079312 Rogério Bueno ROSA¹ RGM:

Leia mais

Relatório de Competências

Relatório de Competências ANÁLISE CALIPER DO POTENCIAL DE DESEMPENHO PROFISSIONAL Relatório de Competências LOGO CLIENTE CALIPER Avaliação de: Sr. Márcio Modelo Preparada por: Consultora Especializada Caliper e-mail: nome@caliper.com.br

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

Perfil de estilos de personalidade

Perfil de estilos de personalidade Relatório confidencial de Maria D. Apresentando Estilos de venda Administrador: Juan P., (Sample) de conclusão do teste: 2014 Versão do teste: Perfil de estilos de personalidade caracterizando estilos

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento.

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Por PAULA FRANCO Diante de um cenário empresarial extremamente acirrado, possuir a competência atitude

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Fábio Pires 1, Wyllian Fressatti 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pires_fabin@hotmail.com wyllian@unipar.br RESUMO. O projeto destaca-se

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

Manual de administração

Manual de administração Manual de administração Como fazer outsourcing dos sistemas de informação Índice Introdução Passo 1 - Definir o enquadramento Passo 2 - Analisar os recursos e serviços internos Passo 3 - Analisar os recursos

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MARKETING

PLANEJAMENTO DE MARKETING PLANEJAMENTO DE MARKETING A análise ambiental e o planejamento beneficiam os profissionais de marketing e a empresa como um todo, ajudando os gerentes e funcionários de todos os níveis a estabelecer prioridades

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA Elaine Schweitzer Graduanda do Curso de Hotelaria Faculdades Integradas ASSESC RESUMO Em tempos de globalização, a troca de informações

Leia mais

Recrutamento e seleção

Recrutamento e seleção Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem Recrutamento e seleção Fernanda Maria Togeiro Fugulin RECRUTAMENTO Fase que antecede a seleção, de divulgação, em que se deverá atrair candidatos potencialmente

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA Daniela Vaz Munhê 1 Jenifer Oliveira Custódio Camara 1 Luana Stefani 1 Murilo Henrique de Paula 1 Claudinei Novelli 2 Cátia Roberta Guillardi

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Associação Comercial e Empresarial de São João da Boa Vista

Associação Comercial e Empresarial de São João da Boa Vista Programa de Treinamento Contínuo Baseado nos Dvds Commit para Associação Comercial e Empresarial de São João da Boa Vista Introdução: Um programa de treinamento bem estruturado, além de qualificar os funcionários,

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Curso de Operador de Telemarketing (Call Center)

Curso de Operador de Telemarketing (Call Center) Curso de Operador de Telemarketing (Call Center) Este curso tem como objetivo formar operador de telemarketing (homens ou mulheres) para trabalhar em empresas de pequeno, médio e grande porte e nos mais

Leia mais

Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL. Prof. Roberto Almeida

Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL. Prof. Roberto Almeida Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL Prof. Roberto Almeida Esta estratégia compreende o comportamento global e integrado da empresa em relação ao ambiente que a circunda. Para Aquino:Os recursos humanos das

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO EXTENSÃO E. E. INDIA VANUÍRE Código: 9136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

Como se tornar um líder de Sucesso!

Como se tornar um líder de Sucesso! Como se tornar um líder de Sucesso! Os 10 mandamentos do Como se tornar um líder de Sucesso! O líder é responsável pelo sucesso ou fracasso de uma organização. A liderança exige de qualquer pessoa, paciência,

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

Missão, Visão e Valores

Missão, Visão e Valores , Visão e Valores Disciplina: Planejamento Estratégico Página: 1 Aula: 12 Introdução Página: 2 A primeira etapa no Planejamento Estratégico é estabelecer missão, visão e valores para a Organização; As

Leia mais

MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S

MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S A contratação contínua de talentos não pode ser isolada da estratégia geral da empresa, pois o correto recrutamento irá agregar pessoas mais valiosas, trazendo mais resultados.

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 O desempenho do processo de recrutamento e seleção e o papel da empresa neste acompanhamento: Um estudo de caso na Empresa Ober S/A Indústria E Comercio Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ

Leia mais

O que é Benchmarking?

O que é Benchmarking? BENCHMARKING Sumário Introdução Conhecer os tipos de benchmarking Aprender os princípios do bechmarking Formar a equipe Implementar as ações Coletar os benefícios Exemplos Introdução O que é Benchmarking?

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO CONCURSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM TEMA 04: ATIVIDADES DO ENFERMEIRO ATIVIDADES DO ENFERMEIRO SUPERVISÃO GERENCIAMENTO AVALIAÇÃO AUDITORIA

Leia mais

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL: PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL: PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL: PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS 2012 Graduando em Psicologia na Universidade Federal do Ceará (UFC), Brasil adauto_montenegro@hotmail.com

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam tratar da identificação bem como do estabelecimento de uma estrutura organizacional apropriada ao

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

Inteligência Competitiva

Inteligência Competitiva Inteligência Competitiva Prof. Patricia Silva psilva@univercidade.br Aula 6 Objetivos da aula 6 n Análise SWOT n Bibliografia: Estratégia de Marketing O C. Ferrell Cap. 4 Strenghts (forças), Weaknesses

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt*

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Quando falamos de captação de recursos para uma organização, podemos estar falando em captação de dinheiro, de materiais, de produtos,

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Aprenda a vender VOCÊ, suas IDEIAS, PRODUTOS e SERVIÇOS

Aprenda a vender VOCÊ, suas IDEIAS, PRODUTOS e SERVIÇOS WORKSHOP COACHING APLICADO PARA O DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS - Comunicação, Marketing, Negociação e Vendas para Empresários, Vendedores e Profissionais Liberais Aprenda a vender VOCÊ, suas IDEIAS, PRODUTOS

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Programas de incentivo

Programas de incentivo Prof. Edmundo W. Lobassi Hoje, vamos abordar o tema Programas de Incentivo. Muitos profissionais de marketing acreditam que os programas de incentivo estejam sempre vinculados aos esforços de vendas, como

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA Aula 16/02/2012

ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA Aula 16/02/2012 FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE UNIPAC DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, CIÊNCIAS SOCIAIS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA. Rua Tiradentes, nº. 66 Centro Uberlândia/MG - Telefax: (34) 3291-2100

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

O que é Administração

O que é Administração O que é Administração Bem vindo ao curso de administração de empresas. Pretendemos mostrar a você no período que passaremos juntos, alguns conceitos aplicados à administração. Nossa matéria será puramente

Leia mais

Mensagem do presidente

Mensagem do presidente Mensagem do presidente A giroflex-forma está em um novo momento. Renovada, focada em resultados e nas pessoas, ágil e mais competitiva no mercado de assentos e de mobiliário corporativo. Representando

Leia mais

Como atrair e reter talentos

Como atrair e reter talentos Como atrair e reter talentos na Panificação PORQUE A DISCUSSÃO DE TALENTOS É IMPORTANTE PARA ORGANIZAÇÕES COMPETITIVAS? Em toda a história do mundo empresarial, nunca houve tanta preocupação e cuidados

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Abordagem da estratégia Análise de áreas mais específicas da administração estratégica e examina três das principais áreas funcionais das organizações: marketing,

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Projeto de Vendas e Marketing. Projeto de Vendas A ARTE DE VENDER. Instituição: Profissional em Marketing: Emir José Nogueira Mendonça 1 / 19

Projeto de Vendas e Marketing. Projeto de Vendas A ARTE DE VENDER. Instituição: Profissional em Marketing: Emir José Nogueira Mendonça 1 / 19 Projeto de Vendas A ARTE DE VENDER Instituição: Profissional em Marketing: Emir José Nogueira Mendonça 1 / 19 Carga Horária: Horas Período: / / CONTEÚDO PROGRAMÁTICO TEMAS 1. Conceito 2. Características

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO

COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO 1 COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO 1 INTRODUÇÃO: Empregos sempre existem. Bons empregos são mais raros, portanto mais difíceis de serem encontrados; A primeira coisa a ser feita é encontrar o emprego,

Leia mais

LIDERANÇA COMO FATOR DE SUCESSO EMPRESARIAL (2006)

LIDERANÇA COMO FATOR DE SUCESSO EMPRESARIAL (2006) 11. AUTORES: LILIAN DA SILVA ALVES LÍVIA SANCHEZ PONTES DA FONSECA TÍTULO: LIDERANÇA COMO FATOR DE SUCESSO EMPRESARIAL (2006) Orientador : Silvio Montes Pereira Dias Co-orientadora : Sônia Maria de Barros

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

Empreendedorismo COMPETÊNCIAS HABILIDADES

Empreendedorismo COMPETÊNCIAS HABILIDADES Empreendedorismo Curso de Moda e Estilismo Graduação em Administração de Empresas Especialização em Marketing Empreendedorismo COMPETÊNCIAS Conhecer o processo de empreender utilizando as estruturas, as

Leia mais