UM ESTUDO DE CASO PARA AVALIAÇÃO DE COMUNICABILIDADE EM FÓRUNS ONLINE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UM ESTUDO DE CASO PARA AVALIAÇÃO DE COMUNICABILIDADE EM FÓRUNS ONLINE"

Transcrição

1 UM ESTUDO DE CASO PARA AVALIAÇÃO DE COMUNICABILIDADE EM FÓRUNS ONLINE Juliano Ratusznei (BIC/UNICENTRO), Rodrigo Mattos Mengue (ICV/UNICENTRO), Lucélia de Souza (Orientadora Dep. de Ciência da Computação/UNICENTRO), Palavras-chave: Interação Humano-Computador, Engenharia Semiótica, Avaliação de interfaces. Resumo: Este trabalho apresenta um estudo de caso referente à aplicação da avaliação de comunicabilidade em interfaces web de fóruns de discussão online. Os testes foram aplicados em três ambientes que têm como foco a programação de computadores, por diferentes perfis de usuários. Baseado no resultado dos testes, foi modelado um ambiente no contexto da Engenharia Semiótica e implementado em PHP/PostgreSQL produzindo um ambiente facilitador para a aprendizagem. Introdução Um dos métodos de avaliação que têm se destacado é a avaliação de comunicabilidade, a qual é uma propriedade (ou habilidade) relacionada à teoria da Engenharia Semiótica (ES) da área de Interação Humano-Computador (IHC). A ES visa verificar o quão-comunicável está sendo a interface para os usuários, ou seja, não basta o sistema ser funcional senão apresentar de forma comunicável suas habilidades ao usuário [SERG, 2007]. Trata-se de um método empírico, que envolve a presença de usuários para sua aplicação, apresentando resultados qualitativos e interpretativos sobre a interação [JAI, 2007]. Afim de se identificar como a mensagem designer-usuário está sendo recebida e entendida pelo usuário, (sendo esta a forma como a ES visualiza as interfaces: um ato de comunicação), o desenvolvimento da avaliação de comunicabilidade consiste de três etapas: etiquetagem, interpretação e geração do perfil semiótico, as quais serão descritas na próxima seção tendo como foco a aplicação do método em três fóruns online. Materiais e Métodos Atualmente é inviável disponibilizar um software ou produto para uso sem que o mesmo antes tenha passado por um processo de avaliação de interfaces, pois com os resultados dos testes é possível prevenir muitos problemas que poderiam aparecer posteriormente com seu uso, diminuindo inclusive o número de versões a serem lançadas. Os testes foram aplicados em um cenário construído em um laboratório de pesquisa para que não houvesse interferências externas. Os autores desse artigo atuaram como observadores diretos, a interação foi gravada e todas as ações do usuário registradas fazendo uso do software HyperCam (que é shareware, sendo usado em uma versão de testes), que gera um filme da interação. Foram selecionadas pessoas de diferentes perfis (com conhecimento ou não em Informática e no uso de fóruns), as quais receberam instruções de como o teste seria aplicado, bem como foi lhes passado informações referentes às questões éticas, tais como sobre o fato de que quem estava sendo avaliado era o sistema e não elas, que elas poderiam desistir do teste a qualquer momento e que seus dados

2 jamais serão revelados, apenas os resultados dos testes, afim de confirmação dos mesmos. A etapa de etiquetagem consistiu em os autores assistirem o filme de interação de cada usuário, identificando possíveis rupturas na comunicação, as quais foram associadas à expressões comunicativas (tags), tais como Cadê?, E agora?, O que é isto?, Êpa!, entre outras. Conforme a Figura 1, um usuário tenta várias vezes digitar o código de verificação, causando erros de interação devido à imagem distorcida e/ou ausência do uso de caixa alta, informação esta não evidente na tela, rotulado pela tag Por que não funciona?. A interpretação é a caracterização das expressões quanto ao tipo de falha que representam e com que freqüência e contexto ocorrem. Por exemplo, a tag associada à Figura 1 constitui-se na falha temporária onde um usuário tenta esclarecer o ato comunicativo feito pelo sistema através de repetidos testes de hipóteses sobre o significado da comunicação, justificado pelas tentativas do usuário de não entender por que o código de verificação está incorreto, conforme a mensagem de erro apresentada. Quanto ao mapeamento das tags em relação às rupturas na comunicação, a expressão Por que não funciona? caracteriza-se como um problema de atribuição de significado. Figura 1. Mensagem de erro para a entrada de caráter alfanumérico em um fórum

3 Por que não funciona?

4 A terceira etapa da avaliação de comunicabilidade consiste na geração do perfil semiótico que é a reconstrução da meta-comunicação transmitida pelo designer tal como será percebida pelo usuário. Na ruptura relacionada à expressão Por que não funciona?, o template endereça o problema relacionado a reformulação da mensagem de erro que deve esclarecer o que pode estar ocorrendo, ou seja, a descrição de que o usuário pode refazer outra imagem por clicar no link correspondente e que maiúsculas/minúsculas interferem na digitação, bem como a imagem poderia estar mais próxima da ação a ser entrada pelo usuário para melhor visualização da mesma. Conclusões Os resultados dos testes de comunicabilidade foram levados em consideração no design de um fórum denominado Fórum Pascal, especificado por meio da linguagem Molic (Modeling Language for Interaction as Conversation), [Barbosa; Paula, 2003] e implementado em PHP usando sistema de banco PostgreSQL/SQL. A Tabela 1 apresenta os fóruns analisados, e a ocorrência das expressões que identificam as principais rupturas na comunicação, sendo as que acontecem com maior freqüência são as tags Cadê? e Ué, o que houve?, caracterizando-se como falhas de comunicabilidade relacionadas ao problema de navegação e de atribuição de significado, respectivamente. Tais expressões caracterizam-se como falhas temporárias, onde, no caso da expressão "Cadê?", a semiose do usuário é temporariamente interrompida porque o usuário não encontra a expressão apropriada para sua ilocução e a expressão Ué, o que houve? Indica que o usuário não entende a ilocução do designer ou seu representante na interface. Tabela 1. Comparativo entre as expressões comunicativas identificadas nos fóruns online baseado em [de Souza; Prates; Barbosa, 1999]. Interação versus Comunicabilidade Ocorrência das interjeições Interjeição Problema Fórum 1 Fórum 2 Fórum 3 Cadê? Durante a navegação E agora? 6-3 Epa! Na atribuição de significado e/ou de Onde estou? navegação Que é isso? Por que não funciona? Na atribuição de significado Ué, o que houve? 10-5 Vai de outro jeito Affordance baixa / inexistente / recusada Não, obrigado. 1-3 Desisto! FRACASSO NA TAREFA Os problemas identificados foram tratados no design do ambiente, e a especificação com a linguagem Molic permitiu aos designers refletirem sobre sua visão de design, especificando os diagramas hierárquicos de metas e de tarefas e o modelo de interação que contêm as cenas com os diálogos dos usuários. Espera-se com o Fórum Pascal, contribuir para facilitar a interação onde usuários de áreas distintas possam solucionar suas dúvidas quanto ao aprendizado

5 da programação, fazendo uso de um ambiente que apresente interfaces bemcomunicáveis. Referências [Barbosa; Paula, 2003] Barbosa, S.D.J.; Paula, M.G. Interaction Modelling as a Binding Thread in the Software Development Process. Workshop Bridging the Gaps Between Software Engineering and HCI (ICSE). Oregon, USA. May [SERG, 2007] Semiotic Engineering Research Group. Em Acesso ago/2007. [JAI, 2007] Prates, R.O.; Barbosa, S.D.J. Introdução à Teoria e Prática da Interação Humano Computador fundamentada na Engenharia Semiótica. In Tomasz Kowaltowski & Karin Breitman (org.) Atualizações em Informática XXVII Congresso da Sociedade Brasileira de Computação. Jornadas de Atualização em Informática (JAI), JAI/SBC Julho de [de Souza; Prates; Barbosa, 1999] de Souza, C.S.; Prates, R.O.; Barbosa, S.D.J. A Method for Evaluating Software Communicability In C.J.P. de Lucena (ed.) Monografias em Ciência da Computação. PUC-Rio Inf MCC11/99. Computer Science Department, PUC-Rio, Brazil.

Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário

Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário Objetivos - por que avaliar? Critérios - o que avaliar? Métodos e técnicas - como avaliar? Forma - quando e onde avaliar?

Leia mais

Mediadores de Interação na Web: Acessibilidade Baseada em Gente

Mediadores de Interação na Web: Acessibilidade Baseada em Gente 1 Mediadores de Interação na Web: Acessibilidade Baseada em Gente Clarisse Sieckenius de Souza SERG - Semiotic Engineering Research Group Departamento de Informática, PUC-Rio clarisse@inf.puc-rio.br http://www.serg.inf.puc-rio.br

Leia mais

USO DOS CONCEITOS DE INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NO DESENVOLVIMENTO WEB PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

USO DOS CONCEITOS DE INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NO DESENVOLVIMENTO WEB PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Discutindo a visibilidade da EaD Pública no Brasil USO DOS CONCEITOS DE INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NO DESENVOLVIMENTO WEB PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Priscilla Márcia Scarpelli Bastos 1, Diogo Marcos de

Leia mais

INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB

INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB Professor: Alberto Barbosa Raposo (abraposo@inf.puc-rio.br Sala 417 RDC) Aula Inaugural 29/Fev/2012 INF 1403 Site da disciplina SERG,

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Engenharia Cognitiva e Semiótica Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Engenharia Cognitiva Fundamentos

Leia mais

Interface Homem- Computador

Interface Homem- Computador Interface Homem- Computador (IHC) Profª. Leticia Lopes Leite Software Educacional I Interface Deve ser entendida como sendo a parte de um sistema computacional com a qual uma pessoa entra em contato física,

Leia mais

Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação

Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação 1 Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação INF1403 Introdução a IHC Luciana Salgado Representações e Aspectos de IHC Representações e Aspectos de IHC Representações e Aspectos de IHC Representações

Leia mais

Humano-Computador (IHC)

Humano-Computador (IHC) 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WA Professora: Clarisse Sieckenius de Souza O Método M de Inspeção Semiótica (MIS) 2/2 26/04/2010 2 O MIS vai EXPLICITAR a mensagem DO DESIGNER

Leia mais

SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário 1 Apresentação... 3 1- Introdução... 4 2- Acessando GLPI:... 5 3- Abrindo chamado:... 6 3.1-

Leia mais

Mistool, uma Ferramenta para Aplicação Colaborativa do Método de Inspeção Semiótica

Mistool, uma Ferramenta para Aplicação Colaborativa do Método de Inspeção Semiótica Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM Mistool, uma Ferramenta para Aplicação Colaborativa do Método de Inspeção Semiótica

Leia mais

Aplicação do Método M Exemplo: Bloco de Notas [Bim, 2009]

Aplicação do Método M Exemplo: Bloco de Notas [Bim, 2009] 1 Aplicação do Método M de Inspeção Semiótica (MIS) Exemplo: Bloco de Notas [Bim, 2009] Introdução a IHC 09/05/2013 2 MIS do Bloco de Notas - Etapa de Preparação (1/2) Porção do artefato inspecionada:

Leia mais

CommEST Uma ferramenta de apoio ao método de Avaliação de Comunicabilidade

CommEST Uma ferramenta de apoio ao método de Avaliação de Comunicabilidade CommEST Uma ferramenta de apoio ao método de Avaliação de Comunicabilidade Luciana Cardoso de Castro Salgado, Clarisse Sieckenius de Souza Departamento de Informática / PUC-Rio SERG Semiotic Engineering

Leia mais

TRANSMISSOR ECF. Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista. Manual de Utilização

TRANSMISSOR ECF. Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista. Manual de Utilização TRANSMISSOR ECF Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista Manual de Utilização 1. Histórico de alterações Data Versão Alteração 04/12/2012 1 Criação do documento 28/02/2013 2 Revisão 2. Proposta

Leia mais

Teoria para IHC: Engenharia Semiótica

Teoria para IHC: Engenharia Semiótica Teoria para IHC: Engenharia Semiótica ERBASE EPOCA 2009 2010 Engenharia Semiótica: uma nova perspectiva A Engenharia Semiótica é uma abordagem para IHC na qual o design e a interação fazem parte de um

Leia mais

Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno

Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno Introdução O Ambiente de Aprendizagem, ou AVA, é um aplicativo web onde os educadores e alunos podem disponibilizar materiais didáticos,

Leia mais

8 Considerações finais

8 Considerações finais 8 Considerações finais Neste trabalho, propusemo-nos a elaborar uma ferramenta epistêmica de apoio ao design de SiCo s, fundamentada na EngSem, que ajude o designer a elaborar seu projeto da comunicação

Leia mais

Modelagem de Interação

Modelagem de Interação 1 Modelagem de Interação Turma 3WA: Profa Clarisse de Souza Aula 16: 23/05/2012 Um cenário simples para pensar Aplicação: MS Word Função: Gravação e Uso de Macros Cenário em questão: Um usuário avançado

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 3 Implementação do SMD 93

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 3 Implementação do SMD 93 Capítulo 3 Implementação do SMD 93 CAPÍTULO 3 IMPLEMENTAÇÃO DO SMD Este capítulo reserva-se à apresentação da implementação do SMD tomando como partida o desenvolvimento do Projeto Preliminar que consta

Leia mais

Interação Humano-Computador: Conceitos Básicos INF 1403 Introdução a IHC Aula 03 19/02/2014 Conteúdo da Aula Interação, Interface e Affordance Critérios de qualidade de uso Usabilidade Experiência do Usuário

Leia mais

Avaliação da comunicabilidade de sistema odontológico de município de Quizada-Cé

Avaliação da comunicabilidade de sistema odontológico de município de Quizada-Cé Avaliação da comunicabilidade de sistema odontológico de município de Quizada-Cé Andréia Libório Sampaio Universidade Federal do Ceará Campus Quixadá andreia.ufc@gmail.com Resumo Communicability is a characteristic

Leia mais

Avaliação de IHC: objetivos

Avaliação de IHC: objetivos Avaliação de IHC: objetivos Decisões de design afetam usabilidade Conhecimento dos usuários e de suas necessidade Design: Design: diferentes diferentes soluções soluções possíveis possíveis Interação:

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP Interação Humano-Computador Avaliação em IHC: Percurso Cognitivo www.inf.puc-rio.br/~inf1403 4 paradigmas para a avaliação de IHC 1. O rápido e rasteiro (que prima pela informalidade) 2. Os testes de usabilidade

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

Prova 2. Olá! Meu nome é João. Sou professor da Universidade X. Eu queria de te dar os parabéns pelo seu trabalho. Gostei muito dele.

Prova 2. Olá! Meu nome é João. Sou professor da Universidade X. Eu queria de te dar os parabéns pelo seu trabalho. Gostei muito dele. INF1303 Introdução a Interação Humano-Computador Turma: 3VB, das 19 até 21 horas Professor: Bruno Santana da Silva Data: 09/05/2006 Aluno: Matrícula: Prova 2 Cenário da Prova: Site da SBC Suponha que você

Leia mais

Avaliação da proposta de um modelo de sistema de ajuda online para a UFMG Virtual

Avaliação da proposta de um modelo de sistema de ajuda online para a UFMG Virtual Avaliação da proposta de um modelo de sistema de ajuda online para a UFMG Virtual Letícia Capelão 1, Raquel Prates 2, Leonardo Freitas 3, Heider Maciel 3 Faculdade de Letras 1, Laboratório de Ciência da

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte.

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. MANUAL DE SUPORTE Controle de Suporte Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. SUMÁRIO Considerações Iniciais... 3 Acesso... 4 Controle de Suporte... 5 1. Solicitação de Atendimento...

Leia mais

Universidade Anhanguera Uniderp Centro de Educação a Distância

Universidade Anhanguera Uniderp Centro de Educação a Distância Universidade Anhanguera Uniderp Centro de Educação a Distância CURSOS DE GRADUAÇÃO MODALIDADE A DISTÂNCIA 2º semestre letivo / 2012 Sumário 1. Objetivo... 04 2. O Ambiente Virtual de Aprendizagem... 04

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01)

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Submissão de Relatórios Científicos Sumário Introdução... 2 Elaboração do Relatório Científico... 3 Submissão do Relatório Científico... 14 Operação

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Precisamos reinventar a forma de ensinar e aprender, presencial e virtualmente, diante de tantas mudanças na sociedade e no mundo do trabalho. Os modelos tradicionais

Leia mais

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Use esta lista de verificação para ter certeza de que você está aproveitando todas as formas oferecidas pelo Windows para ajudar a manter o seu

Leia mais

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem)

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) ead.clinicajulioperes.com.br Sumário navegável Como acesso o ambiente?... Como assisto aos vídeos?... Como preencher meu perfil?...

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC)

INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB Professor: Alberto Barbosa Raposo 09/04/2012 Departamento de Informática, PUC-Rio Testes com usuários Como avaliar? inspeção (por especialistas)

Leia mais

SIGA Guia de Procedimentos

SIGA Guia de Procedimentos SIGA Guia de Procedimentos Desenvolvimento de Aeroportos Fev13 1. Apresentação Menu 2. Problemas de Conectividade Remoção/Reisntalação Aplicativo SIGA Configuração Pcte Dados VIVO 3. Problemas com o Aparelho

Leia mais

MANUAL DE USO SERASAJUD

MANUAL DE USO SERASAJUD MANUAL DE USO SERASAJUD JULHO DE 2015 Controle de Revisão Data da Revisão Versão Documento Versão DF-e Manager Executor Assunto Revisado 08/10/2013 1.0 Rodrigo Vieira Ambar/Gigiane Martins Criação 18/03/2104

Leia mais

Moodle - CEAD Manual do Estudante

Moodle - CEAD Manual do Estudante Moodle - CEAD Manual do Estudante Índice Introdução 3 Acessando o Ambiente 4 Acessando o Curso 5 Navegando no Ambiente do Curso 5 Box Participantes 5 Box Atividades 5 Box Buscar nos Fóruns 5 Box Administração

Leia mais

Avaliação dos Equívocos Descritos por Nielsen em Páginas Web

Avaliação dos Equívocos Descritos por Nielsen em Páginas Web Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Departamento de Informática Aplicada Interação Homem-Computador INF01043 Aluno: Leonardo Garcia Fischer Cartão UFRGS: 116627 Matrícula:

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EAD 1

MANUAL DO ALUNO EAD 1 MANUAL DO ALUNO EAD 1 2 1. CADASTRAMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Após navegar até o PORTAL DA SOLDASOFT (www.soldasoft.com.br), vá até o AMBIENTE DE APRENDIZAGEM (www.soldasoft.com.br/cursos).

Leia mais

Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste

Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste 1 - Informações Gerais 1.1 - Compatibilidade O Sistema Lisura é um sistema web, o que significa que ele poderá funcionar em qualquer computador que esteja

Leia mais

A construção de um manual sobre a utilização dos modelos também poderá alavancar o uso das representações. Este conteria a explicação detalhada da

A construção de um manual sobre a utilização dos modelos também poderá alavancar o uso das representações. Este conteria a explicação detalhada da 6 Conclusões No âmbito do framework teórico da Engenharia Semiótica, este trabalho faz parte de um esforço conjunto para desenvolver ferramentas epistêmicas que apóiem a reflexão do designer durante o

Leia mais

Introdução: Objetivo:

Introdução: Objetivo: Introdução: O Sistema Comprev via web será disponibilizado para os Regimes Próprios no dia 03 de dezembro de 2012 e será composto pelos Módulos Comprev RO, Comprev RI (Internet). Para o acesso a esses

Leia mais

MANUAL. Perfil de Professor

MANUAL. Perfil de Professor MANUAL Perfil de Professor Índice 1. Acesso 1.1. Acessando o Canal do Norte... 03 2. Disciplinas 2.1. Acessando Disciplinas... 07 3. Recursos 3.1. Adicionando Recursos... 10 3.2. Página de texto simples...

Leia mais

Sistema de chamados técnicos GUIA DO USUÁRIO. Gestão de Atendimento de Chamados Técnicos. SoftSol Sistemas & Informática

Sistema de chamados técnicos GUIA DO USUÁRIO. Gestão de Atendimento de Chamados Técnicos. SoftSol Sistemas & Informática Sistema de chamados técnicos GUIA DO USUÁRIO Gestão de Atendimento de Chamados Técnicos SoftSol Sistemas & Informática Agenda Importância do sistema Catálogo de serviços Entender o processo Acessar o sistema

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

Curso de atualização Educação Integral e Integrada. Tutorial Moodle. Belo Horizonte, 2013.

Curso de atualização Educação Integral e Integrada. Tutorial Moodle. Belo Horizonte, 2013. Curso de atualização Educação Integral e Integrada Tutorial Moodle Belo Horizonte, 2013. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ACESSANDO O AMBIENTE... 4 3. CONHECENDO O AMBIENTE... 5 3.1. CAIXAS DE UTILIDADES... 5 4.

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

SISGEF Sistema de Gestão Financeira MÓDULO NOTAS FISCAIS Via Prestador Manual versão 1.0.1

SISGEF Sistema de Gestão Financeira MÓDULO NOTAS FISCAIS Via Prestador Manual versão 1.0.1 SISGEF Sistema de Gestão Financeira MÓDULO NOTAS FISCAIS Via Prestador Manual versão 1.0.1 Autoria Cristiane Mendes Belo Horizonte 2015 Índice Introdução... 3 Objetivo... 3 Considerações Gerais... 3 Glossário

Leia mais

2. Sistemas Multi-Agentes (Multi-Agent System - MAS)

2. Sistemas Multi-Agentes (Multi-Agent System - MAS) AORML uma linguagem para modelagem de uma aplicação Multiagentes: Uma Aplicação no Sistema Expertcop. Hebert de Aquino Nery, Daniel Gonçalves de Oliveira e Vasco Furtado. Universidade de Fortaleza UNIFOR

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI PERFIL TÉCNICO Versão 2.0 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E TELECOMUNICAÇÕES PREFEITURA DE GUARULHOS SP 1 Objetivo: Esse manual tem como objetivo principal instruir os

Leia mais

Manual Telemetria - RPM

Manual Telemetria - RPM Sumário Apresentação... 2 Home... 2 Definição do Idioma... 3 Telemetria RPM... 4 Pré-requisitos necessários para utilizar o menu Telemetria RPM... 5 Faixas RPM... 11 Configura Faixa do Veículo... 15 Acumulado

Leia mais

Projeto WEB SAI. Tutorial do usuário Representante(s) da Unidade(s)

Projeto WEB SAI. Tutorial do usuário Representante(s) da Unidade(s) Projeto WEB SAI Tutorial do usuário Representante(s) da Unidade(s) Centro Paula Souza Setembro/2014 Sumário Sumário... 1 Tabela de figuras... 2 Introdução... 3 Informações importantes.... 3 Conceitos...

Leia mais

Manual do Usuário. SCA - Sistema de Controle de Acesso

Manual do Usuário. SCA - Sistema de Controle de Acesso Manual do Usuário SCA - Sistema de Controle de Acesso Equipe-documentacao@procergs.rs.gov.br Data: Julho/2012 Este documento foi produzido por Praça dos Açorianos, s/n CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (51)

Leia mais

Notas de versão do cliente

Notas de versão do cliente Notas de versão do cliente Fiery Color Profiler Suite, v4.7.2 Este documento contém informações importantes sobre esta versão. Não se esqueça de fornecer essas informações a todos os usuários antes de

Leia mais

Guia do Aluno Disciplinas EAD. UNIPs

Guia do Aluno Disciplinas EAD. UNIPs Guia do Aluno Disciplinas EAD UNIPs Sumário GUIA DO ALUNO / DISCIPLINAS EAD - UNIPs 3 1. ACESSO... 3 2. AULA INSTRUCIONAL / INTRODUÇÃO À EAD... 5 3. DISCIPLINA EAD... 8 4. COMO ESTUDAR NA EAD... 10 5.

Leia mais

Manual do Usuário 2013

Manual do Usuário 2013 Manual do Usuário 2013 MANUAL DO USUÁRIO 2013 Introdução Um ambiente virtual de aprendizagem é um programa para computador que permite que a sala de aula migre para a Internet. Simula muitos dos recursos

Leia mais

Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012. Clodis Milene Raquel Sílvia Simone

Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012. Clodis Milene Raquel Sílvia Simone Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012 Clodis Milene Raquel Sílvia Simone 1 abril a junho de 2013 75 respondentes válidos cursos: graduação pós-graduação stricto sensu pós-graduação lato sensu avulsos

Leia mais

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como:

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como: Manual do Aluno É com muita satisfação que apresentamos o Reunir Unopar. Ambiente Virtual de Aprendizagem Colaborativa que tem por objetivo principal ser um espaço colaborativo de construção do conhecimento

Leia mais

A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000

A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000 A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000 Jair Cavalcanti Leite Universidade Federal do Rio Grande do Norte Campus Universitário, Lagoa Nova 59072-970 Natal,

Leia mais

Ambiente Moodle 2º Semestre de 2010 Modelo A4

Ambiente Moodle 2º Semestre de 2010 Modelo A4 Ambiente Moodle 2º Semestre de 2010 Modelo A4 Apresentação dos Professores Carla Kozan- Administração (4º Sem), Direito Matutino (4º Sem), Direito Noturno (4º Sem) Ciências Contábeis (4º Sem), Computação

Leia mais

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário Setor de Tecnologia da Informação 2012 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL

GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL Ambiente Virtual de Aprendizagem - MOODLE GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL http://salavirtual.faculdadesaoluiz.edu.br SUMÁRIO 1. Acessando Turmas 4 2. Inserindo Material 4 3. Enviando Mensagem aos Alunos 6

Leia mais

Estilos de Interação

Estilos de Interação Universidade Federal Fluminense Mestrado em Computação Interação Humano-Computador Prof Ana Cristina Adrielle Aparecida da Silva Linha de Comando Estilos de Interação A interação realizada por linha de

Leia mais

Sistema de Controle. Como entrar no sistema. Tela inicial. Funcionalidades do sistema. Controle de permissões. Menu Aplicativo

Sistema de Controle. Como entrar no sistema. Tela inicial. Funcionalidades do sistema. Controle de permissões. Menu Aplicativo Sistema de Controle Logístico de Medicamentos Como entrar no sistema 1 Tela inicial Funcionalidades do sistema Controle de permissões Menu Aplicativo Gerenciador de relatórios 0800 61 2439 siclom@aids.gov.br

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA

O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA PRÁTICA 1) TÍTULO O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Ouvidoria da Caixa, responsável pelo atendimento, registro,

Leia mais

02/10/2012. Padronização de interfaces. Referências

02/10/2012. Padronização de interfaces. Referências Referências Engenharia de Usabilidade Prof.: Clarindo Isaías Pereira da Silva e Pádua Contribuição: Cláudio Márcio de Souza Vicente Gestus Hix, D.; Hartson, H. R. Developing User Interfaces: ensuring usability

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2º Semestre de 2006/2007 Terceiro enunciado detalhado do projecto: Portal OurDocs ic-es+alameda@mega.ist.utl.pt ic-es+tagus@mega.ist.utl.pt 1. Introdução O terceiro enunciado do

Leia mais

Manual de Utilização. Obter Acesso aos Sistemas Educação. Projeto: Obter Acesso Versão Doc.: <1.0> Data de criação: 15/10/2010

Manual de Utilização. Obter Acesso aos Sistemas Educação. <Versão: 1.0> Projeto: Obter Acesso Versão Doc.: <1.0> Data de criação: 15/10/2010 Obter Acesso aos Sistemas Educação Manual de Utilização Página 1/9 Conteúdo 1. Introdução... 3 1.1 Objetivo... 3 1.2 Escopo... 3 1.3 Acesso... 3 1.4 Requisitos básicos... 3 2. Interface de

Leia mais

CADASTRAMENTO ÚNICO VERSÃO 7.3 INCLUSÃO E MANUTENÇÃO DE USUÁRIOS

CADASTRAMENTO ÚNICO VERSÃO 7.3 INCLUSÃO E MANUTENÇÃO DE USUÁRIOS CADASTRAMENTO ÚNICO VERSÃO 7.3 INCLUSÃO E MANUTENÇÃO DE USUÁRIOS Para a prefeitura foi definido dois tipos de usuários: Usuário máster e Usuário Final. O cadastramento para acesso ao CadÚnico V7 é feita

Leia mais

AUTOR(ES): VINICIUS RUIZ PONTES SILVA, JAQUELINE CRISTINA DA SILVA, JOÃO PAULO DE OLIVEIRA HONESTO

AUTOR(ES): VINICIUS RUIZ PONTES SILVA, JAQUELINE CRISTINA DA SILVA, JOÃO PAULO DE OLIVEIRA HONESTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA PARA INTERCÂMBIOS ESTUDANTIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

Professora: Clarisse Sieckenius de Souza

Professora: Clarisse Sieckenius de Souza 1 INF1403 O Método M de Inspeção Semiótica (MIS) Professora: Clarisse Sieckenius de Souza 2 Caracterização de IHC A visão centrada na comunicação A idéia ia central de Engenharia Semiótica Os designers

Leia mais

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20 Guia de utilização Índice Introdução... 3 O que é o sistema BlueTalk... 3 Quem vai utilizar?... 3 A utilização do BlueTalk pelo estagiário do Programa Acessa Escola... 5 A arquitetura do sistema BlueTalk...

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

Manual de acesso ao UNICURITIBA Virtual (Moodle) para alunos

Manual de acesso ao UNICURITIBA Virtual (Moodle) para alunos Manual de acesso ao UNICURITIBA Virtual (Moodle) para alunos 2015 Sumário Acessando o UNICURITIBA Virtual... 3 Conhecendo o UNICURITIBA Virtual... 4 1. Foto do Perfil... 4 2. Campo de Busca... 5 3. Bloco

Leia mais

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências da Computação e Estatística Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP André

Leia mais

MANUAL DO ALUNO PARA NAVEGAR NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - AVA

MANUAL DO ALUNO PARA NAVEGAR NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - AVA MANUAL DO ALUNO PARA NAVEGAR NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - AVA MANUAL DO ALUNO PARA ACESSO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Conteúdo Tela de acesso... 4 Dados de Cadastro... 5 Dados cadastrais...

Leia mais

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Formosa Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Prof. M.Sc. Victor Hugo Lázaro Lopes IHC Paradigmas de IHC AGENDA Engenharia Cognitiva

Leia mais

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel Universidade Cruzeiro do Sul/CETEC, Av. Ussiel Cirilo, 225 São Paulo Resumo A TV é um importante

Leia mais

Manual de Administração

Manual de Administração Gerência de Informática Repositório de Documentos do GHC Manual de Administração Versão 1.1 Novembro de 2015 Repositório de Documentos do GHC Manual de Administração Índice 1 Acesso ao Sistema...3 2 Adicionar

Leia mais

O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa?

O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa? Que tipo de navegadores são suportados? Preciso permitir 'cookies' O que são 'cookies' da sessão? O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa?

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET WEBSITE MUNDO MULHER GABRIELA DE SOUZA DA SILVA LUANA MAIARA DE PAULA SILVA

Leia mais

SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS

SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS 5. PARTICIPANTES DA DISCIPLINA 6. ENVIAR MENSAGENS 7. PARTICIPAÇÃO NO FÓRUM 8.

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 3.4 1º de julho de 2013 Novell Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

Características do PHP. Começando a programar

Características do PHP. Começando a programar PHP Introdução Olá pessoal. Desculpe o atraso na publicação da aula. Pude perceber pelas respostas (poucas) ao fórum que a realização da atividade do módulo I foi relativamente tranquila. Assistam ao vídeo

Leia mais

Instruções para download e instalação da atualização de Mapa GPS (v3)

Instruções para download e instalação da atualização de Mapa GPS (v3) Instruções para download e instalação da atualização de Mapa GPS (v3) Antes de iniciar o processo, você precisará um pen drive USB com uma capacidade de 2 GB ou maior. Em caso de dúvida ou dificuldade

Leia mais

SWAT - Sistema Web de Avaliação de Trabalhos

SWAT - Sistema Web de Avaliação de Trabalhos SWAT - Sistema Web de Avaliação de Trabalhos Kayran dos Santos David Menotti Universidade Federal de Ouro Preto Bacharelado em Ciência da Computação Disciplina de Monograa II 17 de Setembro de 2011 1 /

Leia mais

VPAT (Voluntary Product Accessibility Template, Modelo de Acessibilidade de Produto) do eportfolio da Desire2Learn Maio de 2013 Conteúdo

VPAT (Voluntary Product Accessibility Template, Modelo de Acessibilidade de Produto) do eportfolio da Desire2Learn Maio de 2013 Conteúdo VPAT (Voluntary Product Accessibility Template, Modelo de Acessibilidade de Produto) do eportfolio da Desire2Learn Maio de 2013 Conteúdo Introdução Recursos de acessibilidade principais Navegação usando

Leia mais

Release Notes do Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão (e-sic) v. 2.1.7

Release Notes do Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão (e-sic) v. 2.1.7 Release Notes do Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão (e-sic) v. 2.1.7 O objetivo deste Release Notes é listar e, em alguns casos, ter uma breve explicação sobre as implementações efetuadas.

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Softblue Logic IDE Guia de Instalação www.softblue.com.br Sumário 1 O Ensino da Lógica de Programação... 1 2 A Ferramenta... 1 3 Funcionalidades... 2 4 Instalação... 3 4.1 Windows...

Leia mais

www.aluminiocba.com.br Manual do Usuário Certificação

www.aluminiocba.com.br Manual do Usuário Certificação Manual do Usuário Certificação Manual do Usuário - Certificação Versão 1.0 Página 2 CBA Online Manual do Usuário Certificação Versão 1.1 19 de maio de 2004 Companhia Brasileira de Alumínio Departamento

Leia mais

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 4.0 Março de 2015 Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho de equipe.

Leia mais