Eng. Luiz Franco Gerente Geral Westlock America Latina Mail : Cel :

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Eng. Luiz Franco Gerente Geral Westlock America Latina Mail : lfranco@westlock.com.br Cel : +55 11 7645 3355"

Transcrição

1 Eng. Luiz Franco Gerente Geral Westlock America Latina Mail : Cel : Conceito SIL aplicado de forma pratica em válvulas On / Off SIS Sistema Instrumentado de Segurança PST Partial Stroke Testing Sistema de Monitoração Digital de Válvulas

2 TYCO International Soluções Confiáveis e Seguras para o seu Negócio -Uma empresa Global -Presença Local -Marcas líderes de mercado -Estado da arte em tecnologia -Compromisso com o meio ambiente -Investimentos em P&D no Brasil -Presente no seu dia-a-dia -Negócios de USD 17,2 B em Sempre uma boa alternativa

3 WESTLOCK CONTROLS Automação de Válvulas para Controle de Processos e Sistemas de Segurança UMA EMPRESA DO GRUPO TYCO COM ATUAÇÃO INDEPENDENTE E FÁBRICA NO BRASIL ATENDENDO TODA AMÉRICA LATINA. EXPORTANDO TECNOLOGIA PARA PAISES DE TODO PLANETA!!!

4 SEGURANÇA EM PROCESSOS INDUSTRIAIS Atuadores SIL 3 e Partial Stroke Testing ( PST ) CAMADAS DE SEGURANÇA

5 PORQUE DEVEMOS INVESTIR EM SEGURANÇA!!! Sensores + Lógica + ELEMENTOS FINAIS O grande fator: A Lei de Murphy! Se algo puder dar errado, dará! Mr Joseph Murphy Qualquer processo tem suas funções específicas, mas......devido à Lei de Murphy, temos que incluir funções adicionais, para reduzir o risco de que ocorra alguma falha no sistema que possa Danificar ou Destruir bens, ou ainda, ferir / matar pessoas

6 SEGURANÇA EM PLANTA INDUSTRIAL Camadas de Proteção analisadas em um processo industrial

7 CONCEITOS BÁSICOS De Sistemas Instrumentados de Segurança ( SIS ) SISTEMA INSTRUMENTADO DE SEGURANÇA

8 TIPOS DE VÁLVULAS Existe uma grande variedade de válvulas e aplicações: Nosso foco nesta apresentação são as válvulas ESD Controle On-off automatizada Segurança / Alívio Auto-operadas Quebra vácuo Emergency Shut Down Manuais

9 SISTEMA INSTRUMENTADO DE SEGURANÇA ( SIS ) Sensores, Lógica e Elemento Final formam uma corrente onde não pode haver um ponto fraco Uma corrente é tão forte quanto seu elo mais fraco a válvula é um ELO importante

10 CONCEITOS BÁSICOS De Nivel de Integridade de Segurança / Safety Integrity Level ( SIL ) Métodos p/ determinação do SIL - HAZOP modificado - Análise Exclusiva de Conseqüências - Matriz de Risco - Gráfico de Risco - Avaliação Quantitativa - Decisão Corporativa

11 CONCEITOS BÁSICOS De Nivel de Integridade de Segurança / Safety Integrity Level ( SIL ) SIL representa um nível de probabilidade máxima de ocorrência de um acidente, admitido para uma planta ou função. Seu nível é definido através de métodos de avaliação contingencial PFD avg exprime a probabilidade média de que um equipamento falhe de forma comprometedora, quando solicitado. Deve ser a menor possível Deve ser compatível com o SIL pretendido.

12 CONCEITOS BÁSICOS De Sistemas Instrumentados de Segurança ( SIS ) e Sistema Básico de Controle de Processos Segurança Totalmente baseada no PLC de segurança + Transmissor de Posição com Solenóide SIL 3 ( PST ) + Atuador SIL 3 ( não está ligado numa malha de BPCS comum e vulnerável a falhas )

13 CONCEITOS BÁSICOS Classificação de Riscos Graus de Risco

14 Classificando os Riscos Impacto Catastrófico sobre a Comunidade Impacto sobre os Empregados e sobre a Comunidade Danos Importantes sobre Propriedades e Produção. Possíveis ferimentos a Empregados. Danos Menores a Propriedades e à Produção Graus de Risco

15 Associando Probabilidades 99.99%. 99.9%. 99%. 90%. Impacto Catastrófico sobre a Comunidade Impacto sobre os Empregados e sobre a Comunidade Danos Importantes sobre Propriedades e Produção. Possíveis ferimentos a Empregados. Danos Menores a Propriedades e à Produção Percentual de Disponibilidade dos Dispositivos Graus de Risco

16 Associando Probabilidades 99.99%. 0.01%. 99.9%. 0.1%. 99%. 1%. 90%. 10%. Impacto Catastrófico sobre a Comunidade Impacto sobre os Empregados e sobre a Comunidade Danos Importantes sobre Propriedades e Produção. Possíveis ferimentos a Empregados. Danos Menores a Propriedades e à Produção Percentual de Disponibilidade dos Dispositivos Probabilidade de Falha dos Dispositivos na demanda PFD avg Graus de Risco

17 Definindo os Padrões Impacto Catastrófico sobre a Comunidade Impacto sobre os Empregados e sobre a Comunidade Danos Importantes sobre Propriedades e Produção. Possíveis ferimentos a Empregados. Danos Menores a Propriedades e à Produção Percentual de Disponibilidade Probabilidade de Falha na demanda ANSI/ISA S84.01 IEC Graus de Risco PFD avg SIL

18 ANSI/ISA x IEC x TÜV x DIN % 0.001% AK %. 0.01%. 4. AK %. 0.1% AK6 AK %. 1% AK4 AK %. 10% AK2 AK1 2 1 Percentual de Disponibilidade dos Dispositivos Probability of Failure on Demand ANSI/ISA S84.01 IEC TUV Class DIN V PFDavg SIL TUV

19 CONCEITOS BÁSICOS Classificação de Riscos

20 EMERGENCY SHUT DOWN Arquiteturas de Sistemas de ESD : Topologias usuais no mercado...mas todas terminam numa Válvula!!! Ter um ESD com uma válvula convencional NÃO oferece a segurança desejada. É o mesmo que usar a tecnologia de forma não muito apropriada

21 SEGURANÇA EM VÁLVULAS Para sistemas de ESD ( Emergency Shut Down ) em Refinarias, Plataformas, Dutos e Indústrias em geral PFD SIS = PFD EP + PFD L + PFD EF PFD EP + PFD L + PFD EF = PFD SIS 0, , ,05 = 0,0555 SIL2 SIL3 SIL1 = ( SIL 1 ) Solução: Utilização de uma válvula convencional UMA ou com VÁLVULA acessório CERTIFICADA de PFD inadequado SIL 3 COM PST

22 A IMPORTÂNCIA DA PFD avg Para sistemas de ESD ( Emergency Shut Down ) em Refinarias, Plataformas, Dutos e Indústrias em geral SIL3: PFD = to PFD = λ x t/2 λ : dangerous failure rate t : test interval (year) SIL3 TYCO Valve/Actuator + SIL3 Westlock PST = SIL3 3 PFD = PFD = PFD = SIL3 TYCO Valve/Actuator + SIL3 Accessory B = Devemos prestar atenção especial nos acessórios! PFD = SIL2 PFD = 12 PFD = 10000

23 ATENÇÃO ESPECIAL PARA AS VÁLVULAS Muitas vezes os Elementos Finais não recebem muita atenção e isso é muito perigoso

24 CONCEITOS BÁSICOS Determinação de PFD avg Probabilidade combinada dos vários equipamentos, tendo em conta, para cada um: PFD avg = f{ MTBF d ; TI; MTTR } PFD avg = Probabilidade Média de Falha na Demanda MTBFd = Tempo Médio Entre Falhas perigosas MTTR = Tempo Médio de Reparo TI = Intervalo entre Testes

25 exemplo de cálculo 2/3 Definição de PFD avg : PFD avg = DC x λ D sol x (MTTR x TI PS / 2) + (1 - DC) x λ D sol * TI FS / 2) PFD avg = Probability Média de Falha da Demanda D C = Cobertura do diagnóstico λ D TI PS = Intervalo entre Testes (Partial Stroke) TI FS = Intervalo entre Testes (Full Stroke) MTTR = Tempo Médio de Reparo WESTLOCK WESTLOCK

26 PARTIAL STROKE TESTING Gerenciamento remoto das válvulas dos sistemas de Emergency Shut Down Partial Stroke Testing - é um dispositivo que permite o teste full stroke da solenóide e o teste partial stroke da válvula de shutoff (por exemplo, fazendo-a a movimentar-se de 100% de abertura para 80%),um tanto que permite saber que ela não está emperrada ou com algum outro problema operacional, sem afetar significativamente o fluxo. Permite testar a válvula sem necessidade de fechamento total e, portanto, sem efetuar shutdowns freqüentes.

27 PARTIAL STROKE TESTING Porque o Partial Stroke Testing é fundamental para garantir a segurança de sua planta ou duto? Válvulas Shutoff permanecem abertas ou fechadas por longos períodos e cada vez mais devem atender aos requerimentos dos processos e sistemas de segurança para que fiquem mais tempo ainda sem ser acionadas. O principal tipo de falha em válvulas tem sido o travamento. ( ou seja, numa situação REAL de emergência, a válvula não funcionaria ) Se uma válvula é parte de um SIS, ela é o item que mais contribui (~70%) para o indesejável aumento do PFD avg ou tem o impacto mais negativo sobre a redução de risco a ser atingida pelo SIS. Para garantir que as válvulas de shutoff não estão travadas e para evitar testes periódicos in-loco ( manuais ), o D-EPIC PST da Westlock constitui uma ferramenta fundamental para garantir as malhas dos SIS ś.

28 PARTIAL STROKE TESTING Porque o Partial Stroke Testing é fundamental para garantir a segurança de sua planta ou duto? Partial Stroke Testing produz uma significante redução da PFDavg ( Média da Probabilidade de Falha sob Demanda ) dos elementos finais de controle. O Auto-teste constante da solenóide, da eletrônica ( hardware e software ) e verificação do status da válvula formam uma combinação eficiente para garantir o desempenho dos SIS ś, reduzindo consideravelmente a probabilidade de falhas.

29 Test Interval PFD avg 168 hours (weekly) 1.12 x hours (monthly) 4.85 x horas (quarterly) 1.45 x horas (semi-annual) 2.91 x year 5.81 x years 1.16 x years 1.74 x years 2.32 x years 2.91 x WESTLOCK

30 PFD avg x test interval avg 0, ,0001 0,001 0,01 0,1 1 SIL 4 SIL 3 SIL 2 SIL 1 SIL 0 falcon solenoid Test Interval

31 PARTIAL STROKE TESTING Como funciona o PST em uma válvula esfera NA ( Normalmente Aberta ) e NF ( Normalmente Fechada ) Válvula Normalmente Aberta Exemplo em Válvula Esfera Válvula Normalmente Fechada

32 ATUADORES DE RESPOSTA RÁPIDA Soluções em acionamento para Válvulas ESD ( Emergency Shut Down ) com SIL 3 Biffi Hidráulico Biffi Pneumático Biffi Elétrico Morin Pneumático

33 PARTIAL STROKE TESTING Como Funciona numa Válvula Normalmente Aberta ( NA )

34 MODELO DE PARTIAL STROKE TESTING MECÂNICO : instalado no atuador das válvulas

35 MODELO DE PARTIAL STROKE TESTING MECÂNICO : instalado no castelo das válvulas

36 MODELO DE PARTIAL STROKE TESTING AUTOMATIZADO : PAINEL DE COMANDO OU POSICIONADOR INTELIGENTE

37 MODELO DE PARTIAL STROKE TESTING ELETRÔNICO DIGITAL : TRANSMISSOR ELETRÔNICO DE POSIÇÃO COM SOLENÓIDE INTEGRADA E DIAGNÓSTICOS REMOTOS D-EPIC 37

38 PARTIAL STROKE TESTING D-Epic : Transmissor de posição da válvula sem contato com a válvula ( maior precisão e sensibilidade ) O sensor de Efeito Hall representa um significativo avanço para garantir uma operação de PST confiável e segura. Não há contatos mecânicos da haste da válvula com o D-EPIC PST, garantindo maior precisão, confiabilidade e disponibilidade operacional, reduzindo o custo de manutenção e permitindo percentuais mínimos de acionamento, evitando distúrbios nos processos quando o SIS utiliza válvulas normalmente abertas

39 PARTIAL STROKE TESTING D-Epic : Transmissor de posição da válvula sem contato com a válvula ( maior precisão e sensibilidade ) Projetado para calibração não intrusiva LCD e Indicador Visual Sensor de Posição sem contato com a haste da válvula Opção de montagem remota Sinal de saída digital e modulante Aplicação em válvulas Rotativas e Lineares Protocolo HART e Foundation Fieldbus Robusto ( invólucro em aço inox ) Terças Tecnológicas do Petróleo

40 CALIBRACAO E PARAMETRIZACAO Possibilidade de ser realizada internamente ou externamente ( chave magnetica ) Display Alfanumérico PARTIAL STROKE TESTING ( D-Epic ) SEGURANÇA EM VÁLVULAS ( SIL 3 ) Comandos Internos Comandos Externos ( magnético ) 40

41 PARTIAL STROKE TESTING D-Epic : Transmissor de Posição para Montagem em válvulas Lineares e Rotativas Terças Tecnológicas do Petróleo Invólucro em aço inoxidável

42 PARTIAL STROKE TESTING Diagnósticos e Prognósticos das Válvulas: Gráficos, Alarmes em caso de falha e Gestão de ativos

43 LINHA DE PRODUTO - QUANTUM Sistemas de Monitoração e Controle Simples Bobina (01 solenóide) Sistemas de Monitoração e Controle Dupla Bobina / Dupla Solenóide

44 PONTO IMPORTANTE : VÁLVULA SOLENÓIDE WESTLOCK COM RE-BREATHER(TM). IMPEDE ENTRADA DO MEIO EXTERNO NA CÂMARA DOS ATUADORES, REDUZINDO CUSTO DE MANUTENÇÃO E RISCOS DE FALHAS

45 SOLENÓIDE CONVENCIONAL Alimentação Pneumática > 45 PSI 3 1 Exauste da Bobina FONTE VCC Respiro do Diafragma 2 Respiro do Atuador Respiro da Mola

46 SOLENÓIDE FALCON II Alimentação Pneumática > 45 PSI FONTE VCC 4 2

47 LINHA DE PRODUTO - INTELLIS Monitor de Posição somente Sistemas de Monitoração e Controle Simples Bobina (01 solenóide) Sistemas de Monitoração e Controle Dupla Bobina / Dupla Solenóide

48 SIL 3 Concebido com base na Linha Quantum Grande redução com instalação Grande redução em cabos Redução nos custos de instalação Homologados pelos órgãos normalizadores

49 Implementação de Redes para automação de válvulas

50 DeviceNet ModBus Foundation Fieldbus ProfiBus AS-i

51 Invólucros em Plástico de Engenharia, Alumínio Copper Free e Aço Inox 316

52 MONITORAMENTO REMOTO DAS VÁLVULAS OS SISTEMAS DA TYCO POSSIBILITAM MONITORAMENTO REMOTO DAS VÁLVULAS ESD LAN LAN Comando de PST LAN Rede Industrial -

53 EMERGENCY SHUT DOWN Por isso o PST é importantíssimo para garantir a segurança das plantas e dutos Fire Suppression PSV F&G BPCS Garantir que a válvula vai funcionar quando requisitada pelo ESD / SIS!!!

54 OBRIGADO PELA ATENÇÃO. PERGUNTAS Visitem nosso web site:

qw7w Eng. Luiz Franco Gerente Geral Westlock America Latina Mail : lfranco@westlock.com.br Cel : +55 11 7645 3355 Tyco Day - Brasil 1

qw7w Eng. Luiz Franco Gerente Geral Westlock America Latina Mail : lfranco@westlock.com.br Cel : +55 11 7645 3355 Tyco Day - Brasil 1 qw7w Eng. Luiz Franco Gerente Geral Westlock America Latina Mail : lfranco@westlock.com.br Cel : +55 11 7645 3355 Conceito SIL aplicado de forma pratica em válvulas On / Off SIS Sistema Instrumentado de

Leia mais

Sistema de Proteção contra Sobrepressão

Sistema de Proteção contra Sobrepressão Sistema de Proteção contra Sobrepressão Sistema de Proteção contra Sobrepressão HIPPS O QUE É UM SISTEMA HIPPS? HIPPS é uma sigla para High Integrity Pressure Protection System (Sistema de Proteção contra

Leia mais

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas White Paper Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas Válvulas avulsas ou terminal de válvulas para controle de equipamentos automatizados pneumáticos?

Leia mais

VÁLVULAS BORBOLETA COM SEDE RESILIENTE MANUAL DE SEGURANÇA

VÁLVULAS BORBOLETA COM SEDE RESILIENTE MANUAL DE SEGURANÇA VÁLVULAS BORBOLETA COM SEDE RESILIENTE MANUAL DE SEGURANÇA The High Performance Company ÍNDICE 1.0 Introdução...1 1.1 Termos e abreviações... 1 1.2 Acrônimos... 1 1.3 Suporte ao produto... 2 1.4 Literatura

Leia mais

BENEFÍCIOS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DE ATIVOS

BENEFÍCIOS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DE ATIVOS BENEFÍCIOS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DE ATIVOS Benefícios Econômicos com os Protocolos Digitais 50% das atividades de manutenção das indústrias são ações corretivas 12% dos custos

Leia mais

Posicionador digital PD

Posicionador digital PD Posicionador digital PD PFLEX - Protocolo Hart Descrição O posicionador PD - PFLEX, através da comunicação digital, utiliza o protocolo HART e recebe um sinal de entrada e controla a pressão de alimentação

Leia mais

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação (do latim Automatus, que significa mover-se por si) ; Uso de máquinas para controlar e executar suas tarefas quase sem interferência humana, empregando

Leia mais

Sistemas Instrumentados de Segurança (SIS)

Sistemas Instrumentados de Segurança (SIS) Sistemas Instrumentados de Segurança (SIS) Autor: Elisio Carvalho Silva Data: 13/01/2012 Introdução Os sistemas instrumentados de segurança (SIS) são utilizados para permitir uma maior segurança num equipamento

Leia mais

Manual de segurança SIL

Manual de segurança SIL Manual de segurança SIL PolyTrans P32000P0/1* ThermoTrans P32100P0/1* SensoTrans P32200P0/1* SensoTrans P32300P0/1* www.knick.de Índice 1 Âmbito de aplicação e padrões... 4 1.1 Abreviaturas...6 2 Descrição

Leia mais

SENTRONIC 608/609 Versão para sub-bases Conector DN 4 Peso: 560 g Orifício para parafusos M4 Interface de programação Parafuso M4 para ligação à terra Orifício para parafusos M4 DN 8 Peso: 1.130 g Orifícios

Leia mais

CONCURSO PETROBRAS DRAFT. Sistemas Instrumentados de Segurança (SIS) Questões Resolvidas. Produzido por Exatas Concursos www.exatasconcursos.com.

CONCURSO PETROBRAS DRAFT. Sistemas Instrumentados de Segurança (SIS) Questões Resolvidas. Produzido por Exatas Concursos www.exatasconcursos.com. CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - ELETRÔNICA TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - INSTRUMENTAÇÃO Sistemas Instrumentados de Segurança (SIS) Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS

Leia mais

Sensores e atuadores (continuação)

Sensores e atuadores (continuação) AULA 05: Sensores e atuadores (continuação) OBJETIVO: Apresentar os sensores e atuadores mais utilizados nos projetos de automação.. A pirâmide de automação Nível 5: Gerenciamento corporativo Nível 3:

Leia mais

Soluções de detecção de gases tóxicos e combustíveis. Desempenho e segurança que vão além da conformidade com padrões

Soluções de detecção de gases tóxicos e combustíveis. Desempenho e segurança que vão além da conformidade com padrões Soluções de detecção de gases tóxicos e combustíveis Desempenho e segurança que vão além da conformidade com padrões Soluções confiáveis Det-Tronics, sua parceira em segurança Nosso sistema de detecção

Leia mais

CÁLCULO DO SIL ATINGIDO ESTUDO DE CASO

CÁLCULO DO SIL ATINGIDO ESTUDO DE CASO CÁLCULO DO SIL ATINGIDO ESTUDO DE CASO Elvio Nascimento de Oliveira elvio.oliveira@braskem.com.br BRASKEM PVC/AL Abstract Imperfections in instrumented systems of security must lead the normative studies

Leia mais

Segurança de Processo e Controle Crítico Integração do Controle de Processo com Sistemas de Segurança

Segurança de Processo e Controle Crítico Integração do Controle de Processo com Sistemas de Segurança Segurança de Processo e Controle Crítico Integração do Controle de Processo com Sistemas de Segurança Rogério Rodrigues Marcio Cruz MAIO-2015 2 Agenda Visão de Mercado e tendências Expectativas Dos Clientes

Leia mais

POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar

POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS a ma + Comunicação Digital HART DESCRIÇÃO O posicionador microprocessado FY proporciona o posicionamento rápido e seguro dos atuadores tipo diafragma ou cilindro.

Leia mais

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Industriais Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Ementa Proposta CAP: 1 - INTRODUÇÃO ÀS REDES INDUSTRIAIS ; CAP: 2 - MEIOS FÍSICOS ; CAP: 3 - REDES

Leia mais

Sensor Hall A tecnologia dos Posicionadores Inteligentes de última geração

Sensor Hall A tecnologia dos Posicionadores Inteligentes de última geração Sensor Hall A tecnologia dos Posicionadores Inteligentes de última geração César Cassiolato Gerente de Produtos - Smar Equipamentos Industriais Ltda INTRODUÇÃO É notável o avanço da Física e eletrônica

Leia mais

Soluções para controle industrial Sistema avançado de controle de traço térmico NGC-40

Soluções para controle industrial Sistema avançado de controle de traço térmico NGC-40 Soluções para controle industrial Sistema avançado de controle de traço térmico NGC-40 SOLUÇÕES PARA GERENCIAMENTO TÉRMICO WWW.THERMAL.PENTAIR.COM DIGITRACE NGC-40 O NGC-40 é um avançado sistema modular

Leia mais

Boa prática no desenv. dos projetos de automação na Bacia de Campos

Boa prática no desenv. dos projetos de automação na Bacia de Campos Boa prática no desenv. dos projetos de automação na Bacia de Campos Eng. Denyson Lima denyson@petrobras.com.br Petrobrás - Bacia de Campos - Plataformas Petrobrás - Bacia de Campos -Plataformas Macro Processo

Leia mais

DAXXO RELÉ PARA CCM INTELIGENTE

DAXXO RELÉ PARA CCM INTELIGENTE DAXXO RELÉ PARA CCM INTELIGENTE Daxxo é um relé eletrônico para gerenciamento e proteção de motores em CCM s inteligentes que oferece um novo conceito em proteção e monitoramento de motores elétricos.

Leia mais

Automação Industrial Parte 2

Automação Industrial Parte 2 Automação Industrial Parte 2 Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html Perspectiva Histórica Os primeiros sistemas de controle foram desenvolvidos durante a Revolução

Leia mais

Gerenciamento e Monitoramento On-line / Manutenção Preditiva em Válvulas on/off & Válvulas de Emergência

Gerenciamento e Monitoramento On-line / Manutenção Preditiva em Válvulas on/off & Válvulas de Emergência Gerenciamento e Monitoramento On-line / Manutenção Preditiva em Válvulas on/off & Válvulas de Emergência P09 Metso Ricardo Pestana Ferraz Engenheiro de Produto FCO/Valve Controls BL ricardo.ferraz@metso.com

Leia mais

Segurança em Máquinas Soluções Rexroth

Segurança em Máquinas Soluções Rexroth Segurança em Máquinas Soluções Rexroth 2 Produtividade necessita de segurança Sistema ABS de antibloqueio de frenagem, controle eletrônico do chassis e sensores de aviso de distância são características

Leia mais

PROFIsafe o perfil de segurança PROFIBUS

PROFIsafe o perfil de segurança PROFIBUS PROFIsafe o perfil de segurança PROFIBUS César Cassiolato Gerente de Produtos - Smar Equipamentos Industriais Ltda e Vice-Presidente da Associação PROFIBUS Brasil. INTRODUÇÃO A demanda por mais e mais

Leia mais

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 19, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro

Leia mais

Safety Integrated. SIMATIC Safety Matrix. A ferramenta de gerenciamento para todas as fases do Safety Lifecycle. Brochura Setembro de 2010

Safety Integrated. SIMATIC Safety Matrix. A ferramenta de gerenciamento para todas as fases do Safety Lifecycle. Brochura Setembro de 2010 SIMATIC Safety Matrix A ferramenta de gerenciamento para todas as fases do Safety Lifecycle Brochura Setembro de 2010 Safety Integrated Answers for industry. Segurança funcional e gerenciamento do Safety

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ATIVOS. Como usar as informações das Redes Profibus e Profinet para Diagnósticos e Manutenção de Equipamentos de Automação

GERENCIAMENTO DE ATIVOS. Como usar as informações das Redes Profibus e Profinet para Diagnósticos e Manutenção de Equipamentos de Automação GERENCIAMENTO DE ATIVOS Como usar as informações das Redes Profibus e Profinet para Diagnósticos e Manutenção de Equipamentos de Automação DIRETRIZ SUA AUTOMAÇÃO TEM INTELIGÊNCIA? SEU SISTEMA ENTREGA INFORMAÇÃO?

Leia mais

Aula 03 Redes Industriais. Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves

Aula 03 Redes Industriais. Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves 1 Aula 03 Redes Industriais Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Plano de aula Tópicos da aula: 1 Introdução 2 Benefícios na utilização de redes 3 Dificuldades na utilização de redes

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais

Permite visualização em campo de até 8 variáveis recebidas ciclicamente via mestre PROFIBUS-DP

Permite visualização em campo de até 8 variáveis recebidas ciclicamente via mestre PROFIBUS-DP Permite visualização em campo de até 8 variáveis recebidas ciclicamente via mestre PROFIBUS-DP Ideal para aplicações com qualquer dispositivo PROFIBUS-PA Trabalha com qualquer mestre classe 1 PROFIBUS-DP

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Soluções em Sensores e Sistemas

Soluções em Sensores e Sistemas Soluções em Sensores e Sistemas Balluff 30 anos no Brasil Com uma história de sucesso de mais de 90 anos, iniciada em 1921, em Neuhausen, Alemanha, a Balluff é especializada na fabricação de sensores e

Leia mais

Monitor de Temperatura MONITEMP

Monitor de Temperatura MONITEMP ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp foi desenvolvido para supervisionar até 3 (três) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp Plus foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Série 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial

Série 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial Identifica a pressão diferencial requerida para atuar em filtros com pó Boa interferência de imunidade tal como na Diretiva EMC Usando operação dot matrix

Leia mais

Aplicações de uso geral / zonas perigosas

Aplicações de uso geral / zonas perigosas AVID Série Z Monitorizador de Válvulas Rotativas Proporcionando uma monitorização integrada e um controlo das válvulas de processo automatizadas, a série Z foi projetada tanto para aplicações de uso geral

Leia mais

Automação Industrial AULA 02: Simbologias. Apresentar e trabalhar os símbolos mais utilizados nos projetos de automação. OBJETIVO:

Automação Industrial AULA 02: Simbologias. Apresentar e trabalhar os símbolos mais utilizados nos projetos de automação. OBJETIVO: AULA 02: Simbologias OBJETIVO: Apresentar e trabalhar os símbolos mais utilizados nos projetos de automação. Contextualização: Nível 5: Gerenciamento corporativo Nível 3: Nível 2: Nível 4: Gerenciamento

Leia mais

Transmissores RHT-WM-485-LCD, RHT-DM-485-LCD e RHT-P10-485-LCD

Transmissores RHT-WM-485-LCD, RHT-DM-485-LCD e RHT-P10-485-LCD Transmissores RHT-WM-485-LCD, RHT-DM-485-LCD e RHT-P10-485-LCD TRANSMISSOR DE TEMPERATURA E UMIDADE MANUAL DE INSTRUÇÕES V1.0x B 1 INTRODUÇÃO Os transmissores RHT-WM-485-LCD, RHT-DM-485-LCD e RHT-P10-485-

Leia mais

Biffi Atuadores Morin Série S

Biffi Atuadores Morin Série S Atuadores pneumáticos de um quarto de volta, de simples efeito (retorno por mola) e de duplo efeito, em aço inoxidável Binários de saída até 26.890 Nm Caraterísticas e Vantagens Aplicações gerais Para

Leia mais

Produtos pneumáticos para sistemas de segurança

Produtos pneumáticos para sistemas de segurança E Produtos pneumáticos para sistemas de segurança Conteúdo (BS EN 983 EN692) EN 983 Válvula de alívio (5.1.2) Suprimento de pressão (5.1.4) Fechamento (desligar) Cilindros com travamento Conexão-retenção

Leia mais

1 DIFERENCIAIS. de CO do forno são até 200% menores do que exige a legislação.

1 DIFERENCIAIS. de CO do forno são até 200% menores do que exige a legislação. FORNO CREMATŁRIO JUNG - CR270012 1 2 Obs.: As imagens acima são meramente ilustrativas. O equipamento das fotos é semelhante ao modelo cotado, entretanto, sua aparência, acessórios e funcionalidade podem

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

Transmissor de Pressão Diferencial NP800H

Transmissor de Pressão Diferencial NP800H Transmissor de Pressão Diferencial NP800H MANUAL DE INSTRUÇÕES V2 DESCRIÇÃO O transmissor inteligente NP800H é utilizado na medição e monitoração de pressão diferencial em ambientes agressivos, onde além

Leia mais

Tecnologia de sistemas.

Tecnologia de sistemas. Tecnologia de sistemas. HYDAC Dinamarca HYDAC Polônia HYDAC Brasil HYDAC Índia HYDAC China HYDAC França HYDAC Alemanha Seu parceiro profissional para a tecnologia de sistemas. Com mais de 7.500 colaboradores

Leia mais

6. CILINDROS PNEUMÁTICOS

6. CILINDROS PNEUMÁTICOS 6. CILINDROS PNEUMÁTICOS Os cilindros, também conhecidos como atuadores lineares, são elementos pneumáticos de trabalho os quais transformam a energia proveniente do ar comprimido em energia mecânica,

Leia mais

Análise das Necessidades do Cliente da SKF. Energia e Sustentabilidade

Análise das Necessidades do Cliente da SKF. Energia e Sustentabilidade Análise das Necessidades do Cliente da SKF Energia e Sustentabilidade Análise das Necessidades do Cliente da SKF Energia e Sustentabilidade A indústria responde por um terço de todo o consumo de energia.

Leia mais

SPPA - T3000 Automação para Usinas de Geração de Energia

SPPA - T3000 Automação para Usinas de Geração de Energia Siemens Power Generation 2005. All Rights Reserved SPPA - T3000 Automação para Usinas de Geração de Energia Eder Saizaki - Energy Fossil Instrum. e Elétrica A história do SDCD SIEMENS em Plantas de Geração

Leia mais

1. Especificar a arquitetura dos controladores lógicos compatíveis a cada aplicação.

1. Especificar a arquitetura dos controladores lógicos compatíveis a cada aplicação. Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça - SP Eixo Tecnológico: Controle e Processo Industrial Habilitação

Leia mais

PROFINET. O padrão em Ethernet Industrial para Automação

PROFINET. O padrão em Ethernet Industrial para Automação PROFINET O padrão em Ethernet Industrial para Automação O que é PROFINET? É um padrão aberto baseado no Industrial Ethernet É desenvolvimento da PROFIBUS & PROFINET International (PI) Utiliza padrões TCP/IP

Leia mais

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada!

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada! Electron do Brasil Tecnologia Digital Qualidade Comprovada! Ensaios de Tipo Realizados Tecnologia ao seu alcance Catálogo Monitemp - rev3 Produtos Certificados! www.electrondobrasil.com O Monitor de Temperatura

Leia mais

Comunicado à Imprensa

Comunicado à Imprensa Industry 4.0 Página 1 de 6 Beckhoff na Hanover Messe: Hall 9 Stand F06 Indústria 4.0 Fórum: Controle baseado em PC como base tecnológica para aplicações em fabricas inteligentes Com o Indústria Integrada

Leia mais

Manual de Instruções TORVEL. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45. Manual Técnico. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45

Manual de Instruções TORVEL. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45. Manual Técnico. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45 Manual Técnico 1 Índice 1. Precauções de segurança...3 2. Diagrama hidropneumático...4 3. Principais componentes e suas funções...5 4. Características técnicas...6 e 7 5. Instalação...8 e 9 6. Componentes

Leia mais

Adicionando valor na produção

Adicionando valor na produção Adicionando valor na produção Em um mercado global altamente competitivo e em constantes transformações, a otimização do resultado dos processos de produção é fundamental. Pressões ambientais e de custo,

Leia mais

Válvulas pneumáticas série 8000

Válvulas pneumáticas série 8000 Válvulas pneumáticas série 8000 10-30.3-1 Válvulas acionadas pneumaticamente com molas de fechamento potentes para operação confiável Projeto compacto com solenóide integrado, exaustor rápido e chaves

Leia mais

Industrial. CVI3 Sistema de montagem avançado. More Than Productivity. Soluções integradas Controle avançado do processo Flexibilidade incomparável

Industrial. CVI3 Sistema de montagem avançado. More Than Productivity. Soluções integradas Controle avançado do processo Flexibilidade incomparável Industrial Tools 3 Sistema de montagem avançado Soluções integradas Controle avançado do processo Flexibilidade incomparável More Than Productivity Soluções totalmente integradas para aplicações delicadas

Leia mais

SERVIÇOS DE ADEQUAÇÃO CONFIGURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE REDES ADEQUAÇÃO DE PAINÉIS

SERVIÇOS DE ADEQUAÇÃO CONFIGURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE REDES ADEQUAÇÃO DE PAINÉIS SERVIÇOS DE ADEQUAÇÃO SERVIÇOS DE ADEQUAÇÃO ENGENHARIA MONTAGEM DE PAINÉIS AUTOMAÇÃO CONFIGURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE REDES A EMPRESA A Altercon Engenharia em Automação e Sistemas Industriais Ltda., foi constituída

Leia mais

BERMAD VÁLVULAS DE CONTROLE PARA PROTEÇÃO CONTRA incêndio

BERMAD VÁLVULAS DE CONTROLE PARA PROTEÇÃO CONTRA incêndio BERMAD VÁLVULAS DE CONTROLE PARA PROTEÇÃO CONTRA incêndio APLICAÇÕES Off Shore THE HEART OF YOUR SYSTEM EXPERIÊNCIA, CONFIABILIDADE, COMPROMISSO Seja nas profundezas do oceano ou a poucas milhas da costa,

Leia mais

Amboretto Skids. Soluções e manuseio de fluidos para indústria de óleo, gás, papel e água

Amboretto Skids. Soluções e manuseio de fluidos para indústria de óleo, gás, papel e água Soluções e manuseio de fluidos para indústria de óleo, gás, celulose e água 1 Disponível para Locação, Leasing e Cartão Amboretto Skids Soluções e manuseio de fluidos para indústria de óleo, gás, papel

Leia mais

Instrumentação Fieldbus: Introdução e Conceitos

Instrumentação Fieldbus: Introdução e Conceitos Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF Instrumentação Fieldbus: Outros Processos de Introdução e Conceitos Separação custo Prof a Ninoska Bojorge Introdução Competitividade Complexidade dos

Leia mais

Redes Sem Fio. Em termos de benefícios podemos citar, entre outros:

Redes Sem Fio. Em termos de benefícios podemos citar, entre outros: Wireless Line Redes Sem Fio Nos últimos anos, a tecnologia de redes sem fio sofreu grandes avanços tecnológicos, o que hoje pode proporcionar: segurança, confiabilidade, estabilidade, auto-organização

Leia mais

Tecnologias, Soluções e Aplicações. Ultrassônico para Nível

Tecnologias, Soluções e Aplicações. Ultrassônico para Nível Tecnologias, Soluções e Aplicações Ultrassônico para Nível Índice Liderança em tecnologia ultrassônica 3 Como conquistamos o seu negócio 4 Modelos e versões 5 Sobre o Ultrassônico 6 Ultrassônico em Sistema

Leia mais

Tecnologia de controle para máquinas operatrizes móbil.

Tecnologia de controle para máquinas operatrizes móbil. Tecnologia de controle para máquinas operatrizes móbil. HYDAC Matriz na Alemanha Seu parceiro competente para máquinas operatrizes móbil. HYDAC Itália HYDAC Holanda HYDAC França HYDAC Coréia HYDAC China

Leia mais

United Electric Controls MANUAL DE SEGURANÇA DO TRANSMISSOR DE SEGURANÇA ONE SERIES

United Electric Controls MANUAL DE SEGURANÇA DO TRANSMISSOR DE SEGURANÇA ONE SERIES United Electric Controls MANUAL DE SEGURANÇA DO TRANSMISSOR DE SEGURANÇA ONE SERIES OneST-SM-PTBR-01 1 INTRODUÇÃO Este manual de segurança fornece as informações necessárias para projetar, instalar, verificar

Leia mais

S.T.A.I. (SERVIÇOS TÉCNICOS DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL) REDE PROFIBUS PA ALISSON TELES RIBEIRO

S.T.A.I. (SERVIÇOS TÉCNICOS DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL) REDE PROFIBUS PA ALISSON TELES RIBEIRO g S.T.A.I. (SERVIÇOS TÉCNICOS DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL) REDE PROFIBUS PA ALISSON TELES RIBEIRO SUMÁRIO 1. Objetivo 2. História 3. O Que é Profibus? 4. Profibus PA 5. Instrumentos 6. Bibliografia 1. OBJETIVO

Leia mais

Grid e Gerenciamento Multi-Grid

Grid e Gerenciamento Multi-Grid Principais Benefícios Alta disponibilidade, Escalabilidade Massiva Infoblox Oferece serviços de rede sempre ligados através de uma arquitetura escalável, redundante, confiável e tolerante a falhas Garante

Leia mais

smar Fieldbus Devices FR302 Relé Fieldbus

smar Fieldbus Devices FR302 Relé Fieldbus smar Fieldbus Devices Relé Fieldbus Relé Fieldbus Características Saída Discreta de Conexão direta ao FOUNDATION Fieldbus TM ; Blocos Funcionais instanciáveis para ajuste e controle discreto em campo;

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE

CONCEITOS BÁSICOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE CONCEITOS BÁSICOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL - ENG3501 PROFª. LETÍCIA CHAVES Conceitos básicos de Instrumentação 1 INTRODUÇÃO 1.1 Histórico 1.2 Elementos de uma Malha de Controle

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM 07/12/2015

EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM 07/12/2015 SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO - SAAE CNPJ: 21.260.443/0001-91 - Inscrição Estadual: isento Rua Nonô Ventura, 394, CEP 35680-205, Bairro Lourdes - Itaúna/MG EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM

Leia mais

BAIXA MANUTENÇÃO, EXCEPCIONAL RENDIMENTO

BAIXA MANUTENÇÃO, EXCEPCIONAL RENDIMENTO BAIXA MANUTENÇÃO, EXCEPCIONAL RENDIMENTO O projeto fundamental das bombas Iwaki Air manteve-se constante através dos anos. Este legado de qualidade significa que as bombas tem uma longa vida útil e não

Leia mais

CONVERSOR DE FOUNDATION FIELDBUS PARA SINAL 4-20 ma B91. smar

CONVERSOR DE FOUNDATION FIELDBUS PARA SINAL 4-20 ma B91. smar CONVERSOR DE FOUNDATION FIELDBUS PARA SINAL 4-2 ma B91 DESCRIÇÃO O FI32 pertence à primeira geração de equipamentos FOUNDATION Fieldbus. Ele é um conversor destinado a interfacear uma rede FOUNDATION Fieldbus

Leia mais

A mais completa linha de Terminais de Válvulas

A mais completa linha de Terminais de Válvulas A mais completa linha de Terminais de Válvulas Inovações para perfomance otimizada e economia A linha de terminais de válvulas Ampla e variada linha de terminais de válvulas para todas as aplicações Instalação

Leia mais

Família PS 6000 A perfeição da engenharia em solda por resistência

Família PS 6000 A perfeição da engenharia em solda por resistência Família PS 6000 A perfeição da engenharia em solda por resistência 2 Família PS 6000 A perfeição da engenharia em solda por resistência A Família PS 6000 é o mais recente sistema de solda por resistência

Leia mais

EC FX NH3. Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia

EC FX NH3. Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia EC FX NH3 Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia Sensor e transmissor EC-FX-NH3 apresentação de um sensor melhor, mais forte, mais duradouro para refrigeração industrial Tecnologia

Leia mais

Monitor de Temperatura M96

Monitor de Temperatura M96 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura M96 foi desenvolvido para supervisionar até 8 (oito) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE

INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE Catálogo Técnico INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE CATÁLOGO TÉCNICO ÍNDICE CATÁLOGO TÉCNICO... 1 INTRODUÇÃO... 2 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 2 DADOS TÉCNICOS... 3 ENSAIOS DE TIPO REALIZADOS...

Leia mais

Unidade de Rastreamento para Logística Básica MANUAL DE INSTALAÇÃO

Unidade de Rastreamento para Logística Básica MANUAL DE INSTALAÇÃO Unidade de Rastreamento para Logística Básica DE INSTALAÇÃO CalAmp A CalAmp é líder no fornecimento de soluções que utilizam comunicação sem fio. Possui um extenso portfólio de produtos com recursos inteligentes

Leia mais

Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO

Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO Gerência de Redes Subterrâneas Diretoria Regional II Paulo Deus de Souza Técnico do Sistema Elétrico

Leia mais

GE Energy Management Industrial Solutions. Sistema de Gerenciamento de Motores. EntelliPro. Relé Inteligente. GE imagination at work

GE Energy Management Industrial Solutions. Sistema de Gerenciamento de Motores. EntelliPro. Relé Inteligente. GE imagination at work GE Energy Management Industrial Solutions Sistema de Gerenciamento de Motores EntelliPro Relé Inteligente GE imagination at work Funcionalidade e benefícios Fase de engenharia Funcionalidades Rápida inicialização,

Leia mais

Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP

Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP Eng. Fernando Azevedo COPEL Distribuição Eng. Henrique Florido Filho - Pextron 1 A Copel Companhia Paranaense de Energia,

Leia mais

SLATE Gestão Integrada de Equipamentos de Combustão. A revolucionária integração de. segurança configurável e lógica programável

SLATE Gestão Integrada de Equipamentos de Combustão. A revolucionária integração de. segurança configurável e lógica programável SLATE Gestão Integrada de Equipamentos de Combustão A revolucionária integração de segurança configurável e lógica programável em uma única plataforma Complexidade. Hoje é assim. Componentes individuais

Leia mais

O que é automação? SENAI / RJ. Julho / 2011

O que é automação? SENAI / RJ. Julho / 2011 O que é automação? SENAI / RJ Julho / 2011 O que é automação? Automação industrial é o uso de qualquer dispositivo mecânico ou eletro-eletrônico para controlar máquinas e processos. Entre os dispositivos

Leia mais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais BI AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL Sistema Integrado de Teste em Umbilicais Objetivos da Apresentação Demonstrar a Arquitetura de hardware e software da National Instruments utilizada na solução; Discutir

Leia mais

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Nível de Óleo para Transformadores e reatores MNO, é um equipamento microprocessado de alta precisão que indica o nível de óleo em escala

Leia mais

Software Médico. Embarcado

Software Médico. Embarcado Software Médico Embarcado III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica Porto Alegre 24 de Novembro de 2012 Tecnologias utilizadas no século passado em EEm s nas décadas de 60/70 Programação de Sistemas

Leia mais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais L I N H A D E P R O D U T O S PA R A Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais Índice Apresentação 03 Características Individuais Controlador de Processos C702 Aquisitor de

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

People. Passion. Performance.

People. Passion. Performance. People. Passion. Performance. Apresentando Chicago Pneumatic É simples assim. Você tem trabalho a fazer e clientes a atender. A CP está aqui para ajudá-lo a realizar seu trabalho, sem compromisso. Nosso

Leia mais

Equipamento para Sistemas de Descoqueamento Hidráulico

Equipamento para Sistemas de Descoqueamento Hidráulico Equipamento para Sistemas de Descoqueamento Hidráulico Experience In Motion Experience In Motion A Flowserve é pioneira em avanços significativos na tecnologia de descoqueamento hidráulico e a transformou

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

GE Digital Energy Power Quality. Energy Commander TM. Conjunto de Manobra em Paralelo

GE Digital Energy Power Quality. Energy Commander TM. Conjunto de Manobra em Paralelo GE Digital Energy Power Quality Energy Commander TM Conjunto de Manobra em Paralelo 2 Energy Commander TM Conjunto de Manobra em Paralelo Conjuntos de Manobra em Paralelo A ligação em paralelo é uma operação,

Leia mais

TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

Modelos de Redes em Camadas

Modelos de Redes em Camadas Modelos de Redes em Camadas Prof. Gil Pinheiro 1 1. Arquitetura de Sistemas de Automação Sistemas Centralizados Sistemas Distribuídos Sistemas Baseados em Redes Arquitetura Cliente-Servidor 2 Sistemas

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs Robôs e seus Periféricos

Leia mais

Atuadores Pneumáticos

Atuadores Pneumáticos / / D Atuadores Pneumáticos Os atuadores pneumáticos HiTork são dispositivos utilizados para o acionamento de válvulas de controle e outros elementos semelhantes. Possuem construção robusta, grandes torques

Leia mais

ABINEE TEC 2005. Automação. Fieldbus - Visão da Indústria. Augusto Passos Pereira

ABINEE TEC 2005. Automação. Fieldbus - Visão da Indústria. Augusto Passos Pereira Automação Fieldbus - Visão da Indústria Augusto Passos Pereira Gerente de Engenharia de Aplicações e Marketing Yokogawa América do Sul Ltda. 1 Subtítulo Adequação da escolha dos protocolos digitais de

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 16 MORAES, C. C. Engenharia de Automação Industrial, Cap. 6 Microeletrônica equipamentos microprocessados necessidade

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

Fundamentos de Automação. Atuadores e Elementos Finais de Controle

Fundamentos de Automação. Atuadores e Elementos Finais de Controle Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Atuadores

Leia mais