Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Pró - Reitoria de Gestão de Pessoal Coordenadoria de Administração de Pessoal

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Pró - Reitoria de Gestão de Pessoal Coordenadoria de Administração de Pessoal"

Transcrição

1 Aposentadoria Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos integrais ou proporcionais ao tempo de contribuição, observadas as regras específicas para cada situação. Pode ser concedida por tempo de contribuição, por idade, em caráter compulsório ou por invalidez. Proventos é a designação da remuneração do servidor aposentado. O tempo de serviço para aposentadoria é contado como tempo de contribuição, sendo vedado o cômputo de tempo fictício para tal finalidade, exceto para o servidor que reuniu os requisitos para aposentadoria até 16/12/98. É assegurada, para fins de aposentadoria, a contagem recíproca do tempo de contribuição na administração pública e na atividade privada, rural e urbana, desde que não haja concomitância nos períodos de prestação das atividades. Os proventos não poderão exceder a remuneração do servidor no cargo efetivo em que se der a aposentadoria. Não é permitida a percepção de mais de uma aposentadoria pelo regime próprio da previdência social do servidor público, exceto se decorrente de cargos acumuláveis na atividade. As vantagens fixas incorporam-se aos proventos, independentemente do tempo que tenham sido percebidas, com exceção da gratificação por trabalho com equipamentos de Raios X, que pode ser incorporada proporcional ou integralmente, conforme o servidor perceba há menos ou mais de dez anos, respectivamente. Os adicionais de insalubridade, de periculosidade, de irradiação ionizante e a gratificação pela prestação de serviços extraordinários não se incorporam aos proventos da aposentadoria. O servidor público que exerceu, como celetista, no serviço público, atividades insalubres, penosas e perigosas, no período anterior à vigência da Lei n.º 8.112, de 11 de dezembro de 1990, tem direito à contagem especial de tempo de serviço para efeito de aposentadoria, com fatores de conversão de 1,40 e 1,20, conforme seja homem ou mulher, respectivamente. A Emenda Constitucional n o. 20/98 (EC 20/98), publicada no DOU de 16/12/98, a EC n.º 41 (DOU de 31/12/2003) e a EC n.º 47/2005, estabeleceram novas regras para aposentadoria, criando situações distintas para os servidores:

2 Situação do Servidor Em 16/12/98 já havia cumprido todos os requisitos para aposentadoria Admitidos até 16/12/1998 Admitidos até 30/12/2003 Admitidos após 30/12/2003 Aposentadoria pelas regras então vigentes, computando, inclusive, o tempo fictício, preservado a opção pelas regras gerais ou de transição, definidas pela EC 20/98 Regras de transição da EC 20/98, EC 41/2003 e EC 47/2005 Pelo regramento de transição instituído através da EC 41/2003 somente pelas regras gerais constantes da Emenda Constitucional n o. 41/2003 Aposentadoria por Invalidez Aposentadoria concedida ao servidor que, após vinte e quatro meses, no máximo, de afastamento por motivo de saúde ou por acidente em serviço, for considerado definitivamente incapacitado para o trabalho. A aposentadoria pode ser concedida antes do prazo acima referido, se a junta médica oficial, em face das condições do servidor ou da natureza da doença, concluir, de logo, pela sua incapacidade definitiva. São denominadas doenças especificadas em lei e que motivam a aposentadoria por invalidez, com proventos integrais: - tuberculose ativa; - hanseníase; - alienação mental; - neoplasia maligna; - esclerose múltipla; - cegueira posterior ao ingresso no serviço público; - paralisia irreversível e incapacitante; - cardiopatia grave; - doença de Parkinson; - espondiloartrose anquilosante; - nefropatia grave;

3 - estados avançados do mal de Paget (osteíte deformante); AIDS; outras que a lei indicar, com base na medicina especializada. Os proventos são, também, integrais, na forma da lei, nas seguintes hipóteses: - acidente em serviço; - moléstia profissional. Excluídas essas situações, os proventos são proporcionais, ao tempo de contribuição. O servidor aposentado com provento proporcional ao tempo de contribuição, se vier a ser acometido de qualquer doença especificada em lei, passará a perceber proventos integrais. Para tanto, deverá formalizar requerimento junto à. Os proventos de aposentadoria serão calculados pela média aritmética de 80% das maiores contribuições compreendidas no período de julho/94 até o mês da aposentadoria, limitados ao valor da última contribuição, sem paridade com os servidores ativos; Serão reajustados nas mesmas datas e índices utilizados para fins dos reajustes dos benefícios do regime geral de previdência social. O Que Você Deve Fazer Cumprir as determinações da junta médica oficial.

4 Aposentadoria Compulsória Aposentadoria obrigatória do servidor que completar setenta anos de idade. O servidor não deve aguardar em serviço a publicação do ato de aposentadoria. É obrigado a afastar-se no dia imediato a aquele em que completou a idade limite de setenta anos. Os proventos somente serão integrais se, ao completar setenta anos, o servidor contar com tempo de contribuição para aposentadoria integral. Os proventos de aposentadoria serão calculados pela média aritmética de 80% das maiores contribuições compreendidas no período de julho/94 até o mês da aposentadoria, limitados ao valor da última contribuição, sem paridade com os servidores ativos; Serão reajustados nas mesmas datas e índices utilizados para fins dos reajustes dos benefícios do regime geral de previdência social. O Que Você Deve Fazer Encaminhar-se à, munido de cópia da Carteira de Identidade, do CPF, do último contracheque, da declaração de acumulação de cargos (positiva ou negativa) e declaração de bens (positiva ou negativa).

5 Aposentadoria Voluntária Aposentadoria concedida a pedido do servidor que completou os requisitos de tempo de contribuição e idade exigidos, conforme cada situação adiante descrita. Para fazer jus a proventos integrais (*), o servidor que ingressou no serviço público após 30/12/2003 deve preencher, cumulativamente, os seguintes requisitos: - tempo mínimo de dez anos de efetivo exercício no serviço público; - tempo mínimo de cinco anos de efetivo exercício no cargo em que se dará a aposentadoria; - sessenta anos de idade e trinta e cinco de contribuição, se homem; - cinquenta e cinco anos de idade e trinta de contribuição, se mulher. Os proventos serão proporcionais (*) ao tempo de contribuição se o servidor preencher cumulativamente, os seguintes requisitos: - tempo mínimo de dez anos de efetivo exercício no serviço público; - mínimo de cinco anos de efetivo exercício no cargo em que se dará a aposentadoria; - sessenta e cinco anos de idade, se homem, e sessenta anos de idade, se mulher. (*) Os proventos de aposentadoria serão calculados pela média aritmética de 80% das maiores contribuições compreendidas no período de julho/94 até o mês da aposentadoria, limitados ao valor da última contribuição, sem paridade com os servidores ativos; Serão reajustados nas mesmas datas e índices utilizados para fins dos reajustes dos benefícios do regime geral de previdência social. Observação: Os requisitos de idade e de tempo de contribuição serão reduzidos em cinco anos para os que comprovem tempo de efetivo exercício exclusivamente nas funções de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio. Regras de Transição público até 16/12/98 e cumpriu todos os requisitos para aposentadoria até 31/12/2003, assegurado paridade integral entre ativos e inativos: Para Aposentadoria com Proventos Integrais - cinquenta e três anos de idade, se homem, e 48, se mulher; - cinco anos de efetivo exercício no cargo em que se dará a aposentadoria;

6 - tempo de contribuição igual a, no mínimo, 35 anos, se homem, e 30, se mulher; - cumprimento de um período adicional de 20% do tempo que, em 16/12/98, faltava para atingir o limite de tempo acima mencionado. Para Aposentadoria com Proventos Proporcionais - cinquenta e três anos de idade, se homem, e 48, se mulher; - cinco anos de efetivo exercício no cargo em que se dará a aposentadoria; - tempo de contribuição igual a, no mínimo, 30 anos, se homem, e 25, se mulher; - cumprimento de um período adicional de 40% do tempo que, em 16/12/98, faltava para atingir o limite de tempo acima mencionado. Observação: O professor admitido até 16/12/98, cujo tempo de efetivo exercício se deu exclusivamente em atividade de magistério e que optar por aposentar-se pelas regras de transição de Aposentadoria com proventos integrais, terá o tempo exercido até 16/12/1998 acrescido de 17%, se homem, e de 20%, se mulher. público até 16/12/98 vigentes a partir 31/12/2003: Voluntariamente, desde que cumprido tempo mínimo de cinco anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria, tiver cinquenta e três anos de idade, se homem, e quarenta e oito anos de idade, se mulher, observadas as seguintes condições: Aos trinta e cinco anos de contribuição, se homem, e trinta anos, se mulher, acrescidos de um período adicional de contribuição equivalente a vinte por cento do tempo que, no dia 16/12/1998, faltaria para atingir esses limites de tempo. Observação: O servidor que cumprir as exigências para aposentadoria terá os seus proventos de inatividade reduzidos para cada ano antecipado em relação aos limites de idade sessenta anos, se homem, e cinquenta e cinco anos, se mulher, na proporção de três inteiros e cinco décimos por cento, para aquele que completar as exigências para aposentadoria até 31/12/2005, e cinco por cento, para aquele que completar as exigências para aposentadoria a partir de 01/01/2006. O docente admitido até 16/12/98, cujo tempo de efetivo exercício se deu exclusivamente em atividade de magistério, e que optar por aposentar-se pelas regras de transição, terá o tempo exercido até essa data acrescido de 17%, se homem, e de 20%, se mulher. Os proventos de aposentadoria serão calculados pela média aritmética de 80% das maiores contribuições compreendidas no período de julho/94 até o mês da aposentadoria, limitados ao valor da última contribuição, sem paridade com os servidores ativos; Serão reajustados nas mesmas datas e índices utilizados para fins dos reajustes dos benefícios do regime geral de previdência social.

7 público até 31/12/2003: Voluntariamente, com proventos integrais e paridade, observadas as seguintes condições: - sessenta anos de idade, se homem, e cinquenta e cinco anos de idade, se mulher; - trinta e cinco anos de contribuição, se homem, e trinta anos de contribuição, se mulher; - vinte anos de efetivo exercício no serviço público; e - dez anos de carreira e cinco anos de efetivo exercício no cargo em que se der a aposentadoria. Observação: Os requisitos de idade e de tempo de contribuição serão reduzidos em cinco anos para o professor que comprove exclusivamente tempo de efetivo exercício nas funções de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio. público até 16/12/98 vigentes a partir da publicação da EC n.º 47/2005: Voluntariamente, com proventos integrais e paridade, observadas as seguintes condições: - trinta e cinco anos de contribuição, se homem, e trinta anos de contribuição, se mulher; - vinte e cinco anos de efetivo exercício no serviço público; - quinze anos de carreira e cinco anos de efetivo exercício no cargo em que se der a aposentadoria; e - idade mínima resultante da redução, relativamente aos limites de sessenta anos de idade, se homem, e cinquenta e cinco anos de idade, se mulher, de um ano de idade para cada ano de contribuição que exceder aos trinta e cinco anos de contribuição, se homem, e trinta anos de contribuição se mulher. Que Você Deve Fazer Preencher o formulário Processamento de Aposentadoria, dar ciência à Chefia Imediata/área de conhecimento e ao dirigente da unidade e dar entrada na, anexando Declaração de Acumulação de Cargos, Declaração de Bens, último contracheque, cópia do CPF e da carteira de identidade. Base legal Constituição Federal. Lei nº / 1990 e Lei n.º /2004. Emendas Constitucionais n os 20/1998, 41/2003 e 47/2005.

REGIME PRÓPRIO DOS SERVIDORES PÚBLICOS

REGIME PRÓPRIO DOS SERVIDORES PÚBLICOS APOSENTADORIA Os servidores serão aposentados e terão os seus proventos calculados e revistos, na forma prevista na Constituição Federal, observadas as normas gerais de previdência estabelecidas em lei

Leia mais

Grupo de Gestão de Pessoas Coordenadoria de Recursos Humanos Secretaria de Saúde Governo do Estado de São Paulo

Grupo de Gestão de Pessoas Coordenadoria de Recursos Humanos Secretaria de Saúde Governo do Estado de São Paulo Grupo de Gestão de Pessoas Coordenadoria de Recursos Humanos Secretaria de Saúde Governo do Estado de São Paulo APOSENTADORIA Aposentar-se é uma mudança radical na vida do trabalhador e é essencial se

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO 1. Requerimento do servidor. 2. Mapa do tempo de contribuição.

DOCUMENTAÇÃO 1. Requerimento do servidor. 2. Mapa do tempo de contribuição. DEFINIÇÃO É um incentivo pago ao servidor que já preencheu todos os requisitos para se Aposentar, mas opta por permanecer na ativa. Deferido o abono, o servidor continua recolhendo a contribuição previdenciária,

Leia mais

Direito Previdenciário e Infortunístico

Direito Previdenciário e Infortunístico Direito Previdenciário e Infortunístico (o presente texto representa apenas anotações para exposição do autor sem validade para citação) 8º tema Previdência Social para os Servidores Públicos. Desde 1990,

Leia mais

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA PARECER Nº, DE 2003 Redação, para o segundo turno, da Proposta de Emenda à Constituição nº 67, de 2003 (nº 40, de 2003, na Câmara dos Deputados).

Leia mais

CARTILHA INFORMATIVA DE APOSENTADORIA

CARTILHA INFORMATIVA DE APOSENTADORIA CARTILHA INFORMATIVA DE APOSENTADORIA Esta cartilha tem a finalidade de esclarecer as formas e os requisitos da aposentadoria para os servidores do Ministério da Saúde. Agosto/2016 CARO LEITOR, Esta cartilha

Leia mais

Sabemos que existem 3 regimes: a) RGPS Social. Regime Geral de Previdência. b) Regimes Próprios. c) Regime de Previdência Complementar.

Sabemos que existem 3 regimes: a) RGPS Social. Regime Geral de Previdência. b) Regimes Próprios. c) Regime de Previdência Complementar. 1 Sabemos que existem 3 regimes: a) RGPS Social Regime Geral de Previdência b) Regimes Próprios c) Regime de Previdência Complementar. 2 Regimes Próprios Servidores Públicos Vamos informar só a regra geral

Leia mais

CIRCULAR GEPE Nº 004/2004 ABONO DE PERMANÊNCIA

CIRCULAR GEPE Nº 004/2004 ABONO DE PERMANÊNCIA 1 CIRCULAR GEPE Nº 004/2004 De: Para: Gerência de Administração de Pagamento de Pessoal Gerências da GEPE, Gerências Regionais de Recursos Humanos e unidades de pessoal das demais Secretarias ABONO DE

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 749/2009/COGES/DENOP/SRH/MP. Assunto: Aposentadoria por invalidez, integralização dos proventos de aposentadoria.

NOTA TÉCNICA Nº 749/2009/COGES/DENOP/SRH/MP. Assunto: Aposentadoria por invalidez, integralização dos proventos de aposentadoria. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Elaboração das Normas NOTA

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com professores da E.M. Barão do Rio Branco - Vianópolis - 02/Agosto/2014 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime

Leia mais

REGRAS PARA APOSENTADORIA. IPMDC Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Duque de Caxias

REGRAS PARA APOSENTADORIA. IPMDC Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Duque de Caxias REGRAS PARA APOSENTADORIA IPMDC Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Duque de Caxias Regras de aposentadoria com funções de magistério HOMEM: 55 ANOS DE IDADE 30 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo) PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE 2003 (Do Poder Executivo) Modifica os artigos 37, 40, 42, 48, 96, 142 e 149 da Constituição Federal, o artigo 8º da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro

Leia mais

APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO

APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO «DESCONTO PREVIDENCIÁRIO INFOMATIVO FÓRUM DAS SEÇÕES SINDICAIS DO ANDES SN DAS IEES PARANAENSES» APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO PRINCIPAIS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS EC. Ns. 41/2003 E 47/2005 - quebra

Leia mais

Regras para aposentadoria no magistério público

Regras para aposentadoria no magistério público Regras para aposentadoria no magistério público Trate bem a pessoa que você vai encontrar mais tarde: você mesmo. Isabel Fortes SISMMAC Coletivo de Aposentados/as Os sonhos não envelhecem nunca. E a sabedoria

Leia mais

DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO

DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO CENTRO DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO APOSENTADORIA BOAS VINDAS... MSG APOSENTADORIA Objetivo do treinamento Fortalecer o conhecimento das formas mais empregadas de aposentadoria

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA A CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009

PROPOSTA DE EMENDA A CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009 PROPOSTA DE EMENDA A CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009 (Da Senhora Andreia Zito) Acrescente-se o seguinte parágrafo 2º, passando o atual parágrafo único, para 1º, no art. 3º da Emenda Constitucional nº 47, de 2005.

Leia mais

RELATOR: Francisco Humberto Simões Magro, Atuário MIBA n 494

RELATOR: Francisco Humberto Simões Magro, Atuário MIBA n 494 ASSUNTO: Proposta de inclusão na base de cálculo do benefício previdenciário de parcelas temporárias para os servidores segurados do Sistema Municipal de Previdência Social SIMPS de Coronel Bicaco - RS.

Leia mais

2) Como localizar o Comprovante de Rendimentos? Para localizar o Comprovante de Rendimentos o servidor deve proceder da seguinte forma:

2) Como localizar o Comprovante de Rendimentos? Para localizar o Comprovante de Rendimentos o servidor deve proceder da seguinte forma: Comprovante de Rendimentos Perguntas Frequentes 1) O que é Comprovante de Rendimentos? Comprovante de Rendimentos é um documento disponibilizado ao servidor pela Secretaria de Estado da Administração contendo

Leia mais

Tudo o que você precisa saber sobre a previdência e a aposentadoria.

Tudo o que você precisa saber sobre a previdência e a aposentadoria. Tudo o que você precisa saber sobre a previdência e a aposentadoria. Cuidar da sua previdência é fazer o seu futuro mais seguro. Esta cartilha reúne as principais informações sobre a previdência e a aposentadoria

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 8 Brastra (4376 bytes) Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 As MESAS da CÂMARA DOS DEPUTADOS e do SENADO

Leia mais

COMO APOSENTAR-SE NA PREVISCAM

COMO APOSENTAR-SE NA PREVISCAM . Município de Campo Mourão Cidade Escola PREVIDÊNCIA MUNICIPAL PREVISCAM Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Campo Mourão PR Autarquia Municipal - Criada pela Lei 718/90 - Alterada:

Leia mais

Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. 41/2003)

Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. 41/2003) (TEMPO COMUM E/OU TEMPO DE MAGISTÉRIO) - Regra 09 Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. ) De acordo com a Regra Geral que está em vigor desde 31/12/2003 (Emenda Constitucional

Leia mais

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP MINISTÉRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ÓRGÃOS EXTINTOS SAN Quadra 03 Lote A Ed. Núcleo dos Transportes Sala nº 2237 CEP: 70.040-902 BRASÍLIA DF ESPAÇO RESERVADO

Leia mais

AMPARO LEGAL PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIAS A PARTIR DA EC 47/2005 MODALIDADE REGRA REQUISITOS DISPOSITIVOS PROVENTOS

AMPARO LEGAL PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIAS A PARTIR DA EC 47/2005 MODALIDADE REGRA REQUISITOS DISPOSITIVOS PROVENTOS TABELA DE REGRAS E MODALIDADES DE APOSENTADORIA PARA BENEFÍCIOS CONCEDIDOS A PARTIR DA EC 47/2005 - Elaborada pelos servidores da 7ª Controladoria Técnica do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010 - DOU DE 03/01/2011 Dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores

Leia mais

Federal e dispositivos da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro de 1998, e dá outras providências.

Federal e dispositivos da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro de 1998, e dá outras providências. 40862 Sexta-feira 12 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Dezembro de 2003 O SR. PRESIDENTE (José Sarney) Encerrada a votação: Votaram SIM 27 Srs. Senadores; e NÃO, 48. Não houve abstenção. Total: 75 votos. As emendas

Leia mais

MUD U A D NÇA DE D E REGIME

MUD U A D NÇA DE D E REGIME MUDANÇA DE REGIME PRAZO Após a aprovação no CONSU, haverá um prazo fixado (provavelmente 180 dias) para os interessados fazerem a opção pela mudança de regime. CONTRATO Não haverá rescisão contratual,

Leia mais

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU )

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU ) PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU 30.06.2010) Dispõe sobre o salário mínimo e o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO MUNICÍPIO DE RIO CLARO ESTADO DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO MUNICÍPIO DE RIO CLARO ESTADO DE SÃO PAULO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO O QUE É O IPRC? O Instituto de Previdência do Município de Rio Claro IPRC nasceu em 20 de setembro de 2007, através da Lei Complementar Municipal 023/2007. É uma Autarquia Municipal

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Regulamenta o inciso III do 4 do art. 40 da Constituição Federal, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria especial ao servidor público titular de cargo efetivo

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 2.242/2016 DE 15 DE JUNHO DE 2016

LEI MUNICIPAL Nº 2.242/2016 DE 15 DE JUNHO DE 2016 LEI MUNICIPAL Nº 2.242/2016 DE 15 DE JUNHO DE 2016 Altera a Lei Municipal n. 1.554, de 04 de julho de 2005 que Reestrutura o Regime Próprio de Previdência Social do Município de Barra do Bugres/MT e, dá

Leia mais

Lei e MP Novas Regras para Previdência Social

Lei e MP Novas Regras para Previdência Social Lei 13.135 e MP 676 - Novas Regras para Previdência Social LEI N. 13.135, DE 17 DE JUNHO DE 2015 Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 de junho de 2004, nº 8.112, de 11 de dezembro

Leia mais

Cartilha Moléstia Grave e isenção de IR

Cartilha Moléstia Grave e isenção de IR Cartilha Moléstia Grave e isenção de IR Moléstia Grave Será considerado portador de moléstia grave aquele(a) que for diagnosticado(a) com, e somente com, as seguintes enfermidades: a) tuberculose ativa;

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL PARA GUARDAS MUNICIPAIS

APOSENTADORIA ESPECIAL PARA GUARDAS MUNICIPAIS APOSENTADORIA ESPECIAL PARA GUARDAS MUNICIPAIS ART. 40, 1º, III, A E B DA CF (REDAÇÃO DA EC 41/2003): É APLICÁVEL, ATUALMENTE, A TODO E QUALQUER SERVIDOR, INDEPENDENTEMENTE DA DATA DE INGRESSO NO SERVIÇO

Leia mais

CENTRAL DE PERÍCIAS/GAJEF PERÍCIA MÉDICA

CENTRAL DE PERÍCIAS/GAJEF PERÍCIA MÉDICA CENTRAL DE PERÍCIAS/GAJEF PROCESSO Nº: AUTOR (A): ENDEREÇO: IDENTIDADE: CPF: TELEFONE: PERÍCIA MÉDICA ACOMPANHANTES/PARENTESCO: MÉDICO PERITO/CRM: MÉDICO ASSISTENTE INSS/CRM: QUESITOS JUÍZO: 1 O periciando

Leia mais

BANCO CENTRAL DO BRASIL

BANCO CENTRAL DO BRASIL LEI Nº 8.911 DE 11 DE JULHO DE 1994 Dispõe sobre a remuneração dos cargos em comissão, define critérios de incorporação de vantagens de que trata a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, no âmbito do

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC quanto aos procedimentos operacionais

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016)

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016) PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016) Dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes do Regulamento da

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS INTRODUÇÃO Como o objetivo de facilitar o entendimento da matéria relacionada à reforma previdenciária, teceremos alguns comentários

Leia mais

Auditor Fiscal Seguridade Social Art. 201 CF Leandro Macedo

Auditor Fiscal Seguridade Social Art. 201 CF Leandro Macedo Auditor Fiscal Seguridade Social Art. 201 CF Leandro Macedo 2014 2015 Copyright. Curso Agora Eu Eu Passo - - Todos os direitos reservados ao ao autor. O RGPS NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL LEANDRO MACÊDO DEFINIÇÃO

Leia mais

APOSENTADORIA E SUAS MODALIDADES

APOSENTADORIA E SUAS MODALIDADES APOSENTADORIA E SUAS MODALIDADES PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS GRUPO TÉCNICO DE ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Constituição da República Federativa do Brasil Alterada

Leia mais

REGRAS BÁSICAS - PLANO DE BENEFÍCIOS FAF CNPB Nº

REGRAS BÁSICAS - PLANO DE BENEFÍCIOS FAF CNPB Nº 1 - BENEFÍCIOS OFERECIDOS O Plano de Benefícios FAF oferece os seguintes benefícios aos seus participantes, ou aos dependentes de participantes falecidos: I - quanto aos participantes: - suplementação

Leia mais

CARTILHA DA APOSENTADORIA

CARTILHA DA APOSENTADORIA CARTILHA DA APOSENTADORIA APOIO: COMO DEVO PROCEDER $ Informações SEA/DDGEP/GERH Telefone: 2121-1660/162 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Referências: Cartilha do Segurado Publicação AMAZONPREV, 2011. Cartilha

Leia mais

OBSERVAÇÃO: Todo direito contra a Fazenda, prescreve em 5 anos a contar da data do ato. (Art 1.º Decr /32)

OBSERVAÇÃO: Todo direito contra a Fazenda, prescreve em 5 anos a contar da data do ato. (Art 1.º Decr /32) TIPOS DE AÇÃO E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS: IMPORTANTE Para cada ação abaixo relacionada são necessários os seguintes documentos: 1- Procuração; 2- Declaração de pobreza; 3- Autorização para desconto; 4- Contrato;

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.814

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.814 Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.814 Dispõe sobre o pagamento do Adicional de Insalubridade e de Periculosidade aos servidores do Município de Vitória, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de

Leia mais

ABONO DE PERMANÊNCIA. O abono de permanência foi instituído pela EC 41/2003:

ABONO DE PERMANÊNCIA. O abono de permanência foi instituído pela EC 41/2003: Autoria: Sidnei Di Bacco Advogado ABONO DE PERMANÊNCIA O abono de permanência foi instituído pela EC 41/2003: Art. 1º. A Constituição Federal passa a vigorar com as seguintes alterações: (...) Art. 40.

Leia mais

Venc. Básico 323,47 Venc. Básico (VB+GAE) 1.003,50 Anuênio (25%) 80,86 Anuênio (25%) 250,87 Insalubridade (20%) 64,69 Insalubridade (20%) 200,70

Venc. Básico 323,47 Venc. Básico (VB+GAE) 1.003,50 Anuênio (25%) 80,86 Anuênio (25%) 250,87 Insalubridade (20%) 64,69 Insalubridade (20%) 200,70 CONSEQÜÊNCIAS DA INCORPORAÇÃO DA GAE AO VENCIMENTO BÁSICO: ALTERAM AS VANTAGENS DE ANUÊNIO E ADICIONAL DE TEMPO DE SERVIÇO QUE SÃO CALCULADAS SOBRE O VENCIMENTO BÁSICO: EXEMPLOS: 1) Graduado Titular 20

Leia mais

DEFINIÇÃO: APOSENTADORIA INTEGRAL REGRA GERAL

DEFINIÇÃO: APOSENTADORIA INTEGRAL REGRA GERAL DEFINIÇÃO: APOSENTADORIA INTEGRAL REGRA GERAL Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos integrais, por ter completado o tempo de contribuição e idade exigidas por lei. REQUISITOS

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016.

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016. Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 02/2016 TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016.

Leia mais

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica Benefícios por Incapacidade Auxílio Doença e Aposentadoria por Invalidez Prof. H. Gustavo Alves Advogado, Mestre e Doutorando em Dir. Previdenciário PUC/SP,

Leia mais

CURSO NOVOS SERVIDORES LEI 8.112/90 BENEFÍCOS DA SEGURIDADDE APOSENTADORIA

CURSO NOVOS SERVIDORES LEI 8.112/90 BENEFÍCOS DA SEGURIDADDE APOSENTADORIA CURSO NOVOS SERVIDORES LEI 8.112/90 BENEFÍCOS DA SEGURIDADDE APOSENTADORIA 1 2 OBJETIVO: Orientar e esclarecer de forma sucinta, a luz da legislação, um dos benefícios da seguridade social APOSENTADORIA.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 08/2016

PROJETO DE LEI Nº 08/2016 PROJETO DE LEI Nº 08/2016 CONCEDE ISENÇÃO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO (IPTU), SOBRE IMÓVEL INTEGRANTE DO PATRIMÔNIO DE PORTADORES DE DOENÇAS CONSIDERADAS GRAVES, ELENCADAS NESTA LEI, OU QUE

Leia mais

Lei Complementar Municipal Nº , de 28 de maio de 2014.

Lei Complementar Municipal Nº , de 28 de maio de 2014. Lei Complementar Municipal Nº. 1.463, de 28 de maio de 2014. Da nova redação a artigos que menciona e dá outras providências. O Povo do Município de Águas Formosas, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

Aposentadoria especial nos RPPS

Aposentadoria especial nos RPPS Aposentadoria especial nos RPPS Quem deve emitir o PPP e os Laudos Periciais? Conversão de períodos especiais em comum para servidores públicos; Regime Jurídico único????? Mandado de Injunção e Aposentadoria

Leia mais

IV ENCONTRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ALVORADA FORMAÇÃO PARA CANDIDATOS A CONSELHEIROS & SEMINÁRIO DE PREVIDÊNCIA DA REGIÃO

IV ENCONTRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ALVORADA FORMAÇÃO PARA CANDIDATOS A CONSELHEIROS & SEMINÁRIO DE PREVIDÊNCIA DA REGIÃO IV ENCONTRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ALVORADA FORMAÇÃO PARA CANDIDATOS A CONSELHEIROS & SEMINÁRIO DE PREVIDÊNCIA DA REGIÃO METROPOLITANA 2009 LEGISLAÇÃO E BENEFÍCIOS LEGISLAÇÃO

Leia mais

Isenção. Isenção. Prova de Inexistência de Débito (art. 257) Prova de Inexistência de Débito (art. 257)

Isenção. Isenção. Prova de Inexistência de Débito (art. 257) Prova de Inexistência de Débito (art. 257) Isenção São isentas de contribuição para a seguridade social as entidades beneficentes de assistência social que atendam às exigências estabelecidas em lei (art. 195, 7º, CF) Fica isenta das contribuições

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1- DEFINIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1.1 Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos calculados de acordo com a média aritmética das maiores remunerações,

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 19 DE DEZEMBRO DE 2003 Professora por tempo

Leia mais

SENTENÇA. Diretor de Pessoal da Polícia Militar do Estado de São Paulo e outro

SENTENÇA. Diretor de Pessoal da Polícia Militar do Estado de São Paulo e outro fls. 71 SENTENÇA Processo Digital nº: 1027787-03.2015.8.26.0053 Classe - Assunto Mandado de Segurança - Reforma Impetrante: Celso Antonio dos Santos Impetrado: Diretor de Pessoal da Polícia Militar do

Leia mais

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil.

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Diz o art. 48, da Lei 8.213/91: Art. 48. A aposentadoria por idade será devida ao segurado que, cumprida

Leia mais

Associação Nacional dos Servidores da Justiça do Trabalho PARECER Nº

Associação Nacional dos Servidores da Justiça do Trabalho PARECER Nº Aposentadoria por invalidez João Magalhães Filho* PARECER Nº 1. Cuida-se do instituto da aposentadoria por invalidez dos servidores ocupantes de cargos efetivos e vitalícios com escopo nas novas regras

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 246, DE 2014

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 246, DE 2014 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 246, DE 2014 Modifica a Lei nº 7.713, de 22 de dezembro de 1988, que altera a legislação do imposto de renda e dá outras providências; a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

Cartilha Previdenciária

Cartilha Previdenciária Cartilha Previdenciária O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) do Município de Betim, que tem caráter contributivo e solidário,

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de 2011. O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

Regras de Aposentadoria no. Serviço Público.

Regras de Aposentadoria no. Serviço Público. Rolando Rubens Malvásio Júnior. Coordenador Geral da FASUBRA Sindical. rolando@fasubra.org.br 0XX 61 9271.5042 Breve histórico para entendimento: A EC nº 41/03 introduziu quatro regimes normativos de aposentação,

Leia mais

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO CONTRIBUIÇÃO CONTRIBUIÇÃO Legislação Artigo 201, 7º, I, da CF Artigo 52 a 56 Lei 8213/91 Artigo 56 a 63 Decreto 3048/99 Artigo 234 a 245, da IN 77/2015 CONTRIBUIÇÃO Conceito É o benefício devido ao segurado

Leia mais

Informações sobre Aposentadoria

Informações sobre Aposentadoria MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Subsecretaria-Geral do Serviço Exterior Departamento do Serviço Exterior Informações sobre Aposentadoria Departamento do Serviço Exterior Divisão de Pagamentos Esplanada

Leia mais

PROJETO DE LEI. Altera o valor do auxílio-invalidez devido aos militares das Forças Armadas na inatividade remunerada. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI. Altera o valor do auxílio-invalidez devido aos militares das Forças Armadas na inatividade remunerada. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI Altera o valor do auxílio-invalidez devido aos militares das Forças Armadas na inatividade remunerada. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 o O auxílio-invalidez, de que trata a Medida Provisória

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA TREINAMENTO APOSENTADORIA E SUAS MODALIDADES MATERIAL DE APOIO 1 MODELOS 2 Sumário Modelo 1 Portaria (Aposentadoria de Docente que não conta com 05 anos de efetivo exercício no cargo de Professor Titular)...

Leia mais

TABELA DE SALÁRIO-DE CONTRIBUIÇÃO, BENEFÍCIOS, MULTAS, DEMAIS VALORES: ATUALIZAÇÃO A PARTIR DE JANEIRO DE 2014

TABELA DE SALÁRIO-DE CONTRIBUIÇÃO, BENEFÍCIOS, MULTAS, DEMAIS VALORES: ATUALIZAÇÃO A PARTIR DE JANEIRO DE 2014 TABELA DE SALÁRIO-DE CONTRIBUIÇÃO, BENEFÍCIOS, MULTAS, DEMAIS VALORES: ATUALIZAÇÃO A PARTIR DE JANEIRO DE 2014 TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DOS SEGURADOS EMPREGADO, EMPREGADO DOMÉSTICO E TRABALHADOR AVULSO,

Leia mais

PEC DA PREVIDÊNCIA: que propostas podem atingir os servidores públicos federais?

PEC DA PREVIDÊNCIA: que propostas podem atingir os servidores públicos federais? PEC DA PREVIDÊNCIA: que propostas podem atingir os servidores públicos federais? Porto Alegre, dezembro de 2016 Letícia Kolton Rocha Grace Esteves Bortoluzzi 1 A proposta de Emenda à Constituição nº 287/2016

Leia mais

PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015

PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015 PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015 POLÍTICA REMUNERATÓRIA 1. PISO DO MAGISTÉRIO 1.1. Reajuste de 31,78% no vencimento

Leia mais

SALÁRIO DE BENEFÍCIO: ARTS. 31 A 34 DO DECRETO 3048/99 Prof. Andreson Castelucio 1. ITER PARA O CÁLCULO DO BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO 2. CONCEITO DE SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO 3. CONCEITO DE SALÁRIO DE BENEFÍCIO

Leia mais

Apresentação. Contagem, Minas Gerais, julho de José Prata Araújo

Apresentação. Contagem, Minas Gerais, julho de José Prata Araújo Apresentação Durante muitos anos no Brasil, a previdência social foi tratada como sendo um assunto exclusivo de aposentados e pensionistas. Trata-se de um grave erro. Rigorosamente, os aposentados e pensionistas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. Art. 1º. A Lei nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, passa a vigorar com as seguintes alterações:

PROJETO DE LEI Nº. Art. 1º. A Lei nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, passa a vigorar com as seguintes alterações: PROJETO DE LEI Nº Altera, revoga e acrescenta dispositivos das Leis nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, que dispõe sobre a estrutura do Grupo Ocupacional do Magistério da Educação Básica MAG e instituiu

Leia mais

BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Aposentadoria Redação original, EC nº 20/98, EC nº 41/03 e EC nº 47/05 Artigo 40 da CF Redação Original Regra aplicável ao servidor que tenha implementado

Leia mais

Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05

Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05 Agosto 2014 Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05 1) voluntária, por tempo de serviço, com proventos integrais;

Leia mais

IPREMFEL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE FELIXLÂNDIA/MG

IPREMFEL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE FELIXLÂNDIA/MG IPREMFEL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE FELIXLÂNDIA/MG MANUAL PREVIDENCIÁRIO DO SERVIDOR PÚBLICO DO MUNICÍPIO DE FELIXLÂNDIA JANEIRO/2011 APRESENTAÇÃO No contexto atual, cada vez mais é necessário

Leia mais

Histórico Previdenciário período: 1998 à 2011.

Histórico Previdenciário período: 1998 à 2011. Rolando Rubens Malvásio Júnior. Coordenador Geral da FASUBRA Sindical. rolando@fasubra.org.br 0XX 61 9271.5042 Argumentos para o surgimento da EC 20? Inúmeros foram os argumentos apresentados pelo governo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS DIVISÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA.

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS DIVISÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS DIVISÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA Licença Médica Breve Informativo Belém-PA 2011 ELABORAÇÃO: Selma Silveira

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL DOS GUARDAS MUNICIPAIS

APOSENTADORIA ESPECIAL DOS GUARDAS MUNICIPAIS APOSENTADORIA ESPECIAL DOS GUARDAS MUNICIPAIS CURITIBA 15 DE SETEMBRO DE 2012 FESSMUC O QUE É APOSENTADORIA ESPECIAL O QUE É APOSENTADORIA ESPECIAL? EM RAZÃO DE CONDIÇÕES ESPECIAIS NOCIVAS À SAÚDE HÁ REDUÇÃO

Leia mais

Câmara dos Deputados Liderança da Minoria. Constituição Federal PEC nº 287/2016 Art. 1º A Constituição passa a vigorar com as seguintes alterações:

Câmara dos Deputados Liderança da Minoria. Constituição Federal PEC nº 287/2016 Art. 1º A Constituição passa a vigorar com as seguintes alterações: Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, de 2016 (Reforma da Previdência) Altera os arts. 37, 40, 42, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição, para dispor sobre a seguridade social, estabelece

Leia mais

LEI Nº , DE 23 DE SETEMBRO DE 2015.

LEI Nº , DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. LEI Nº 11.922, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. Ficam alterados os arts. 27, 28, 32, 34, 39 e incluídos os arts. 32-A, 32-B, 39-A e o Anexo VI na Lei nº 6.151, de 13 de julho de 1988; alterados os arts. 36,

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO Questões realizadas pela Fundação Carlos Chagas FCC. 1. O financiamento da Seguridade Social, incluindo a assistência social:

DIREITO PREVIDENCIÁRIO Questões realizadas pela Fundação Carlos Chagas FCC. 1. O financiamento da Seguridade Social, incluindo a assistência social: DIREITO PREVIDENCIÁRIO Questões realizadas pela Fundação Carlos Chagas FCC 1. O financiamento da Seguridade Social, incluindo a assistência social: a) é tripartite, a cargo do Poder Público, das empresas

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 1. NOVAS REGRAS PARA OS SERVIDORES QUE INGRESSAREM NO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A PROMULGAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EC Nº 41/03. a) Principais Características. - fim da paridade

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI Nº 3.669, DE 15 DE MAIO DE 2009. Aprova tabelas de vencimento e de subsídio dos servidores das categorias funcionais integrantes das carreiras do Plano de Cargos, Empregos

Leia mais

GRATIFICAÇÃO DE RAIOS X OU SUBSTÂNCIAS

GRATIFICAÇÃO DE RAIOS X OU SUBSTÂNCIAS GRATIFICAÇÃO DE RAIOS X OU SUBSTÂNCIAS RADIOATIVAS DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Vantagem pecuniária de caráter

Leia mais

Texto integral de Proposições

Texto integral de Proposições Texto integral de Proposições PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2008 Estabelece idade mínima para a concessão de aposentadoria no regime geral de previdência social, bem como regra de transição.

Leia mais

Diretoria de Gestão de Pessoas. Imposto de Renda (Dependentes)

Diretoria de Gestão de Pessoas. Imposto de Renda (Dependentes) Diretoria de Gestão de Pessoas Imposto de Renda (Dependentes) - Documentação Exigida de Dependentes para Fins de Imposto de Renda - Formulário de Declaração de Dependentes para Fins de Imposto de Renda

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 519

LEI COMPLEMENTAR Nº 519 LEI COMPLEMENTAR Nº 519 Dispõe sobre a modalidade de remuneração por subsídio para os servidores dos cargos de padrão 01 a 15 do Quadro Permanente do Serviço Civil do Poder Executivo, para os servidores

Leia mais

O seu futuro em boas mãos

O seu futuro em boas mãos O seu futuro em boas mãos Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Março 1994 Aposentadoria por Tempo de Contribuição Os Servidores Públicos

Leia mais

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público Coordenação-Geral de Normatização e Acompanhamento Legal REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA

Leia mais

9.1. Aposentadoria. Leis: Artigos 37 e 40 da CF/88. Documentação: não há. Setor responsável: SMAGP Divisão de Pessoal Concessão de Sepultura

9.1. Aposentadoria. Leis: Artigos 37 e 40 da CF/88. Documentação: não há. Setor responsável: SMAGP Divisão de Pessoal Concessão de Sepultura 9.1. Aposentadoria Descrição: É o exercício de um direito do empregado, cuja conseqüência é a extinção das obrigações contratuais. Existem os seguintes tipos de aposentadoria: aos abrangidos pelo regime

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA 2 LEI Nº 356, DE 28 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DOS ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE PARA OS SERVIDORES PÚBLICOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA O Prefeito Municipal de UTINGA-BAHIA,

Leia mais

PERÍCIA MÉDICA O QUE É?

PERÍCIA MÉDICA O QUE É? PERÍCIA MÉDICA O QUE É? É uma especialidade médica, na qual o perito, após examinar o periciando, emite um parecer técnico conclusivo, sobre a capacidade laborativa do examinado, enquadrando-o em situação

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL 1 CÂMARA LEGSLATA DO DSTRTO FEDERAL Texto atualizado apenas para consulta. LE Nº 5.187, DE 25 DE SETEMBRO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Reestrutura a tabela de vencimentos da carreira Atividades

Leia mais

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA NA UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS REGRAS DE CONCESSÃO Orientação Normativa SPS 03/04

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA NA UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS REGRAS DE CONCESSÃO Orientação Normativa SPS 03/04 MPS SPS Ministério da Previdência Social Secretaria de Previdência Social REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA NA UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS REGRAS DE CONCESSÃO Orientação Normativa SPS 03/04 São Gonçalo /RJ

Leia mais

AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME AUTÁRQUICO OU EFETIVO

AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME AUTÁRQUICO OU EFETIVO INSTRUÇÃO 02-2009 - CRH/PRAD DE 11 DE FEVEREIRO DE 2009, ALTERADA PELA INSTRUÇÃO Nº 01/2010-CRH/PRAD, DE 28 /01/2010. LICENÇA-PRÊMIO Lei 1048/2008 AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME

Leia mais

Haver completado 5 anos de efetivo exercício até a publicação da Medida Provisória no 1.522/96, de 15/10/96.

Haver completado 5 anos de efetivo exercício até a publicação da Medida Provisória no 1.522/96, de 15/10/96. Licença Prêmio por Assuidade Licença concedida pelo prazo de até 3 meses, com a remuneração do cargo efetivo, a título de prêmio por assiduidade, após cada período de 5 anos ininterruptos de exercício,

Leia mais