CONTENTS VOLUME V. 1. Introduction 2. Contents of Current Section on Tropical Ecology Chapters

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTENTS VOLUME V. 1. Introduction 2. Contents of Current Section on Tropical Ecology Chapters"

Transcrição

1 CONTENTS VOLUME V Introduction To Tropical Ecology 1 M. Quesada, Centro de Investigaciones en Ecosistemas, Universidad Nacional Autnoma de Mxico, Mxico. K. Del Claro, Institute of Biology, Federal University of Uberlandia, Brazil 2. Contents of Current Section on Tropical Ecology Chapters Diversity of Prokaryotes, fungi, protozoa, Bryophytes and Pteridophytes in tropical ecosystems 13 Ana Paula Trovatti Uetanabaro Laboratório de Controle de Qualidade Microbiológico de Fármacos, Departamento de Saúde, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Feira de Santana, BA,Brazil Aristóteles Góes-Neto, Laboratório de Pesquisa em Microbiologia (LAPEM), Departamento de Ciências Biológicas, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Feira de Santana, BA, Brazil Luiz Henrique Rosa, Laboratório de Microbiologia, Departamento de Ciências Biológicas, ICEB, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brazil Alexandre Salino, Departamento de Botânica, ICB, C.P. 486, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brazil Alfredo H. Wieloch, Departamento de Zoologia, ICB, C.P. 486, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brazil Carlos A. Rosa, Departamento de Microbiologia, ICB, C.P. 486, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brazil 2. Microbial diversity 2.1. Methods to Study Microbial Diversity 2.2. Prokaryotic Diversity in Tropical Ecosystems Prokaryotic Diversity in Plants and Soil Prokaryotic Diversity in Aquatic Environments 2.3. Fungi: General Characteristics and Diversity Chytridiomycota Zygomycota Glomeromycota Ascomycota Basidiomycota Tropical Diversity of Lichenized Fungi 3. Diversity of Protozoa 3.1. Taxonomic Considerations 3.2. Protozoa Diversity in Tropical Region 4. Diversity of Bryophytes 5. Diversity of Pteridophytes 6. Concluding Remarks Rainforest Structure And Dynamics 45 Leandro da Silva Duarte, Laboratorio de Ecologia Quantitativa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil Gabriel Selbach Hofmann, Laboratorio de Geoprocessamento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil 1. Rainforest Structure And Dynamics 1.1. Physical Structure i

2 Macroclimate Microclimate Geomorphology and Pedology Plant Ecological Groups and Vertical Stratification Altitude Primary Production and Diversity Rainforest Fragmentation 1.2. Rainforest Dynamics A Brief History of Community Dynamics Community Dynamics in Tropical Rainforests Forest Gaps Edge Dynamics A Role for Seed Dispersal 2. Conclusions Tropical Communities 72 Sandra Maria Hartz and Ronei Baldissera, Centro de Ecologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Av. Bento Gonçalves, 9500, CP 15007, CEP , Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil 2. Tropical ecoregions 2.1. Tropical Forests Tropical Rain Forest Tropical Moist Deciduous Forest Tropical Dry Forest 2.2. Tropical Shrubland 2.3. Tropical Desert 2.4. Tropical Mountain Systems 2.5. Mangroves 2.6. Coral Reefs 2.7. Freshwater Ecoregions 3. Main features of tropical communities 3.1. Community Richness and Evenness General Trends in Tropical Diversity Why is there more diversity in the tropics? Scaling Diversity 3.2. Biological Interactions 3.3. Rarity and Endemism 4. Spatial and temporal patterns 4.1. Spatial Patterns 4.2. Temporal Patterns 5. Threats 5.1. Habitat Fragmentation 5.2. Invasive Species 5.3. Overexploitation of Fauna and Flora 5.4. Pollution 5.5. Climatic Changes 6. Conclusions Tropical Dry Forest Structure, Distribution and Dynamics 101 B. Hayden, Department of Biology, Concordia University, Canada D. Greene, Department of Geography, Concordia University, Canada 1.1. Distribution and Climate 1.2. Overview of Dry Forest Structure and Origin ii

3 1.3. Organization of this Review 2. Phenology 2.1. Leaves and Stems 2.2. Roots 3. Sexual Reproduction 3.1. Mating Systems 3.2. Flowering and Pollination 3.3. Fruits and Seeds 4. Subsequent Life History Stages 4.1. Germination, Establishment, and Early Herbivory 4.2. Asexual Reproduction 4.3. Subsequent Growth 5. Growth Rings 6. Disturbance and Succession 7. Forest Structure and Diversity 8. Conservation Habitat fragmentation, Edge effects and Biological Corridors in Tropical Ecosystems 122 Julieta Benitez-Malvido and Victor Arroyo-Rodriguez, Centro de Investigaciones en Ecosistemas, Universidad Nacional Autonoma de Mexico, Antigua Carretera a Patzcuaro No. 8701, Ex Hacienda de San Jose de la Huerta, Morelia, Michoacan, Mexico 2. Habitat Fragmentation 2.1. Impact of Habitat Fragmentation on Populations 2.2. Fragmentation Effects on Communities 2.3. Fragmentation Effects on Ecosystems 3. Edge Effects 4. Biological Corridors 4.1. Fragment Size 4.2. Fragment Shape 4.3. Fragment Isolation 4.4. Matrix Type 5. Conclusions Macroecology 133 José Alexandre Felizola Diniz-Filho, Departamento de Biologia Geral, ICB, Universidade Federal de Goiás (UFG, Cx.P. 131, Goiânia, GO, Brasil Renata Alves da Mata, CNPq Pos-Doctoral Program, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás (UFG), Brasil 2. Patterns and Processes 3. Geographical and Historical Structures 4. Patterns in Species Richness 5. Challenges in Tropical Macroecology 6. Concluding remarks Evolutionary Ecology of Pollination and Reproduction of Tropical Plants 154 M. Quesada and F. Rosas, Centro de Investigaciones en Ecosistemas, Universidad Nacional Autonoma de Mexico, Mexico. Y. Herrerias-Diego, Universidad Michoacana de San Nicolas de Hidalgo, Michoacan, Mexico. R. Aguliar, IMBIV - UNC - CONICET, C.C. 495,(5000) Cordoba, Argentina, J.A. Lobo, Escuela de Biologia, Universidad de Costa Rica G. Sanchez-Montoya, Centro de Investigaciones en Ecosistemas, Universidad Nacional Autonoma de Mexico, Mexico. iii

4 1.1. The Life Cycle of Angiosperms 1.2. Overview of Angiosperm Diversity 2. Degree of Specificity of Pollination System 3. Diversity of Pollination Systems 3.1. Beetle Pollination (Cantharophily) 3.2. Lepidoptera Butterfly Pollination (Psychophily) Moth Pollination (Phalaenophily) 3.3. Hymenoptera Bee Pollination (Melittophily) Wasps 3.4. Fly Pollination (Myophily and Sapromyophily) 3.5. Bird Pollination (Ornitophily) 3.6. Bat Pollination (Chiropterophily) 3.7. Pollination by No-Flying Mammals 3.8. Wind Pollination (Anemophily) 3.9. Water Pollination (Hydrophily) 4. Reproductive Systems of Angiosperms 4.1. Strategies that Reduce Selfing and/or Promote Cross-Pollination Self Incompatibility Systems Incidence of Self Incompatibility in Tropical Forest 4.3. The Evolution of Separated Sexes from Hermaphroditism From Distyly to Dioecy From Monoecy to Dioecy 5. Phenological Patterns in Tropical Ecosystems 6. Biological Conservation, Pollination and Reproduction of Tropical Trees 7. Conclusion Seed Dispersal and Frugivory in Tropical Ecosystems 176 K. E. Stoner and M. Henry, Centro de Investigaciones en Ecosistemas, Universidad Nacional Autónoma de México 1.1. Definition of Seed Dispersal 1.2. Organization of this Review 2. The Seed Dispersal Cycle 2.1. Primary Dispersal 2.2. Secondary Dispersal 3. Why Seed Dispersal Matters? 3.1. Seed Dispersal and Plant Diversity 3.2. Efficiency, Effectiveness, Quantity and Quality 4. Fruit Syndromes and Fruit Attributes Attracting Disperses 4.1. When is Seed Dispersal a Mutualistic Interaction? 4.2. The Dodo Bird and the Tambalacoque Tree: An Example of an Obligate Mutualism? 5. Field Methods for Studying Seed Dispersal 5.1. Who Disperses What? Removal Studies and Faecal Analyses 5.2. What is Dispersed Where? Monitoring Seed Fate 5.3. Germination Experiments 6. Concepts and Statistical Approaches 6.1. Seed Shadow and the Janzen-Connel Hypothesis 6.2. Modeling Seed Shadows 6.3. Spatial Patterns of Seed Deposition and Seedling Establishment 6.4. Dispersal Limitation: "Winning By Forfeit" 6.5. Seed Sowing Experiments and Disperser Exclusion Experiments 6.6. Mutualistic Networks: Assessing the Stability of Seed Dispersal Systems 6.7. Genetic Techniques iv

5 7. Seed Dispersal and Human Development Importance Of Tropics To Global Carbon Cycle 194 F. Roland, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil J.P.Ometto, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP, Brasil N. Barros, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil F. Pacheco, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil R. Mendonça, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil A. Assireu, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP, Brasil L. Martinelli, Centro de Energia Nuclear na Agricultura, Piracicaba, SP, , Brasil. 1. General Overview 2. The Biosphere and Tropical Regions 3. Carbon Linking Ecosystems 4. Atmospheric Green House Effect 5. Carbon and Ecosystems Functioning 6. Land use Change and Tropical Deforestation 7. Ecological Processes and Hydrological Reservoirs: Implication to Carbon Playing 8. An Integrative View 9. Towards Perspectives Origins And Maintenance Of Tropical Biodiversity 214 Jean Carlos Santos and Jarcilene Almeida-Cortez, Departamento de Botâanica, Universidade Federal de Pernambuco, Pernambuco, Brazil 2. Tropics: Description, Climate and Ecosystems 3. Earth s Biodiversity 4. Why are there So Many Different Kinds of Organisms in the Tropics? 5. Latitudinal Gradients in Species Richness and Their Hypotheses 5.1. History Factor 5.2. The Time and Area Hypothesis 5.3. Climate Change 5.4. Climatic Stability 5.5. Spatial Heterogeneity 5.6. Geographic Area 5.7. Intermediate Disturbance 5.8. Primary Production 5.9. Ambient Energy Evolutionary Speed Rapoport's Rule Geometric Constraints Biotic Interactions Competition Predation 6. Conclusion Index 227 About EOLSS 231 v

Efeitos da fragmentação de habitats em populações vegetais SANDRO MUNIZ DO NASCIMENTO

Efeitos da fragmentação de habitats em populações vegetais SANDRO MUNIZ DO NASCIMENTO Efeitos da fragmentação de habitats em populações vegetais SANDRO MUNIZ DO NASCIMENTO Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Departamento de Botânica, Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas,

Leia mais

INSTRUÇÃO PARA REALIZAÇÃO DA PROVA DE PROFICIENCIA EM INGLÊS

INSTRUÇÃO PARA REALIZAÇÃO DA PROVA DE PROFICIENCIA EM INGLÊS INSTRUÇÃO PARA REALIZAÇÃO DA PROVA DE PROFICIENCIA EM INGLÊS 1) Este caderno contém cinco questões discursivas. Caso apresente defeito de impressão ou falta de questão, o candidato deverá solicitar ao

Leia mais

Pesquisa científica, agricultura e conservação na Amazônia: Gestão e desafios para a sustentabilidade

Pesquisa científica, agricultura e conservação na Amazônia: Gestão e desafios para a sustentabilidade Pesquisa científica, agricultura e conservação na Amazônia: Gestão e desafios para a sustentabilidade Prof. Dr. Richard J. Ladle UFAL & University of Oxford 1 A agricultura sustentável busca soluções integradas

Leia mais

Carbon stocks and changes across a network of Atlantic Forest plots. Simone Vieira (NEPAM/UNICAMP, Brazil)

Carbon stocks and changes across a network of Atlantic Forest plots. Simone Vieira (NEPAM/UNICAMP, Brazil) Carbon stocks and changes across a network of Atlantic Forest plots Simone Vieira (NEPAM/UNICAMP, Brazil) Forest cover South America the greatest concentration of tropical forests in the world Amazonian

Leia mais

Distribuição espacial e temporal de classes de tamanho para três espécies lenhosas de cerrado. no município de Itirapina/SP. LEANDRO T. VIEIRA 1.

Distribuição espacial e temporal de classes de tamanho para três espécies lenhosas de cerrado. no município de Itirapina/SP. LEANDRO T. VIEIRA 1. Distribuição espacial e temporal de classes de tamanho para três espécies lenhosas de cerrado no município de Itirapina/SP. CHRISTIANE E. CORREA 1, CRISTINA BALDAUF 2, HENRIQUE C. P. SILVEIRA 1 e LEANDRO

Leia mais

A ocupação de troncos de sub-bosque por briófitas e líquens é determinada pela orientação geográfica de vertentes?

A ocupação de troncos de sub-bosque por briófitas e líquens é determinada pela orientação geográfica de vertentes? A ocupação de troncos de sub-bosque por briófitas e líquens é determinada pela orientação geográfica de vertentes? Rodrigo Marciente Introdução A distribuição espacial de organismos pode ser explicada

Leia mais

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Marcello de Lima Azambuja A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Dissertação de Mestrado Dissertation presented to the Postgraduate Program in Informatics of the Departamento

Leia mais

Tema Conservação da Biodiversidade Painel: Marcelo Tabarelli, UFPE

Tema Conservação da Biodiversidade Painel: Marcelo Tabarelli, UFPE Tema Conservação da Biodiversidade Painel: Marcelo Tabarelli, UFPE A Secundarização da Floresta e o Futuro da Biodiversidade da Mata Atlântica Marcelo Tabarelli UFPE www.ufpe.br/ecoplan/ Perturbações antrópicas

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Palavras cognatas, palavras repetidas e marcas tipográficas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Fatos: A língua inglesa teve origem

Leia mais

Mudanças climáticas e serviços ecossistêmicos. Jean Paul Metzger Instituto de Biociências, USP

Mudanças climáticas e serviços ecossistêmicos. Jean Paul Metzger Instituto de Biociências, USP Mudanças climáticas e serviços ecossistêmicos Jean Paul Metzger Instituto de Biociências, USP Plano Duas histórias Os serviços ecossistêmicos e o IPBES Cenários de mudanças climáticas e os serviços Primeira

Leia mais

QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS

QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS Revisão 10 9 Janeiro 2006 Critérios Gerais para Classificação de Periódicos Na classificação adotada pela OBT, estamos buscando usar, na

Leia mais

IPEF n.47, p.62-65, mai.1994. FENOLOGIA DE FLORAÇÃO E FRUTIFICAÇÃO EM POPULAÇÃO NATURAL DE AÇAIZEIRO (Euterpe oleracea Mart.) NO ESTUÁRIO AMAZÔNICO

IPEF n.47, p.62-65, mai.1994. FENOLOGIA DE FLORAÇÃO E FRUTIFICAÇÃO EM POPULAÇÃO NATURAL DE AÇAIZEIRO (Euterpe oleracea Mart.) NO ESTUÁRIO AMAZÔNICO IPEF n.47, p.62-65, mai.1994 FENOLOGIA DE FLORAÇÃO E FRUTIFICAÇÃO EM POPULAÇÃO NATURAL DE AÇAIZEIRO (Euterpe oleracea Mart.) NO ESTUÁRIO AMAZÔNICO Mário Augusto Gonçalves Jardim (1) Paulo Yoshio Kageyama

Leia mais

WELCOME! GCF Task Force Webinar on the GCF Support Network Tool. Audience: Global GCF Stakeholders

WELCOME! GCF Task Force Webinar on the GCF Support Network Tool. Audience: Global GCF Stakeholders WELCOME! GCF Task Force Webinar on the GCF Support Network Tool Audience: Global GCF Stakeholders Host: Amelia Peterson, GCF Training & Knowledge Networks Director Webinar Protocol & Agenda 10:00-05 What

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA Código: CBI31000 Créditos: 03 Período: 5 o (quinto período) Disciplina: Biologia da Conservação

Leia mais

Curriculum vitae. 1. Dados pessoais. 4510-537 Fânzeres Portugal. 2. Formação académica

Curriculum vitae. 1. Dados pessoais. 4510-537 Fânzeres Portugal. 2. Formação académica Curriculum vitae 1. Dados pessoais Nome completo José Carlos Lopes de Carvalho Local e data de Porto, 02-07-1973 Nascimento Morada Rua dos Cravos, 180 4510-537 Fânzeres Portugal Telefone (351) 926029573

Leia mais

O SERVIÇO DE POLINIZADORES E A EFICÁCIA REPRODUTIVA DAS PLANTAS EM FRAGMENTOS VEGETAIS DE CERRADO NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS, GOIÁS

O SERVIÇO DE POLINIZADORES E A EFICÁCIA REPRODUTIVA DAS PLANTAS EM FRAGMENTOS VEGETAIS DE CERRADO NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS, GOIÁS O SERVIÇO DE POLINIZADORES E A EFICÁCIA REPRODUTIVA DAS PLANTAS EM FRAGMENTOS VEGETAIS DE CERRADO NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS, GOIÁS Giselle Lopes Moreira 1,2, Juliana Cristina de Sousa 1,3 e Mirley Luciene

Leia mais

NOVOS CONTEÚDOS - PLATAFORMA UNO - março/2015

NOVOS CONTEÚDOS - PLATAFORMA UNO - março/2015 NOVOS CONTEÚDOS - PLATAFORMA UNO março/2015 NOVOS CONTEÚDOS - PLATAFORMA UNO - março/2015 A Plataforma UNO recebeu novos conteúdos durante o mês de março. Confira as novidades! Discovery Education As disciplinas

Leia mais

Prémio Melhor Comunicação

Prémio Melhor Comunicação One to one amino acid base pair contacts of AraR, a regulator of sugar utilization in Bacillus subtilis Isabel Correia 1, Irina Franco 1, Isabel Sá-Nogueira 1,2 1 Instituto Tecnologia Química e Biológica,

Leia mais

Workshop Maximização dos serviços do ecossistema vinha. UTAD, 13 e 14 de Novembro de 2013 DIVERSITY MANAGER

Workshop Maximização dos serviços do ecossistema vinha. UTAD, 13 e 14 de Novembro de 2013 DIVERSITY MANAGER Workshop Maximização dos serviços do ecossistema vinha. UTAD, 13 e 14 de Novembro de 2013 DIVERSITY MANAGER Development of a management tool for enhancing functional diversity in Wine landscapes DIVERSITY

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Biologia POLINIZAÇÃO E QUALIDADE DE SEMENTES PRODUZIDAS POR Psychotria tenuinervis (RUBIACEAE) EM FRAGMENTOS DE MATA ATLÂNTICA: EFEITO DA DISTÂNCIA DE BORDAS

Leia mais

Palavras chave: Priorização dinâmica; modelagem de distribuição de espécies; análise de incerteza; uso do solo. Introdução

Palavras chave: Priorização dinâmica; modelagem de distribuição de espécies; análise de incerteza; uso do solo. Introdução Prioridades de Conservação de Mamíferos do Cerrado Frente às Mudanças Climáticas e Expansão Agrícola Frederico Augusto M. V. FALEIRO*; Dr. Rafael Dias LOYOLA Instituto de Ciências Biológicas (ICB) *fvfaleiro@gmail.com

Leia mais

0960-3115 Biodiversity and Conservation A1 CIÊNCIAS AGRÁRIAS I Em Atualização

0960-3115 Biodiversity and Conservation A1 CIÊNCIAS AGRÁRIAS I Em Atualização Consulta por Classificação / Área Avaliação ISSN 0001-706X Acta Tropica A1 CIÊNCIAS AGRÁRIAS I Em Atualização 0065-2113 Advances in Agronomy A1 CIÊNCIAS AGRÁRIAS I Em Atualização 0065-2296 Advances in

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia/ Faculty of Sciences and Technology. Licenciatura em Design e Multimédia/1st Cycle in Design and Multimedia 6.

Faculdade de Ciências e Tecnologia/ Faculty of Sciences and Technology. Licenciatura em Design e Multimédia/1st Cycle in Design and Multimedia 6. Faculdade de Ciências e Tecnologia/ Faculty of Sciences and Technology Código/ Code Nome disciplina/ Course unit name Ano/Year Sem. ECTS Curso/ Degree programme Obs. 00760 Design e Comunicação/Design and

Leia mais

Efeito de borda na produção de frutos de Mollinedia schottiana (Sprengel) Perkins (Monimiaceae) L.F. Alberti a, S.B. Correa b L.A.

Efeito de borda na produção de frutos de Mollinedia schottiana (Sprengel) Perkins (Monimiaceae) L.F. Alberti a, S.B. Correa b L.A. Efeito de borda na produção de frutos de Mollinedia schottiana (Sprengel) Perkins (Monimiaceae) L.F. Alberti a, S.B. Correa b L.A. Sanches c, a Instituto de Biociências, Departamento de Botânica, Universidade

Leia mais

INSTITUTO FLORESTAL: CIÊNCIA, DESENVOLVIMENTO E POLÍTICA FLORESTAL RODRIGO A. B. M. VICTOR

INSTITUTO FLORESTAL: CIÊNCIA, DESENVOLVIMENTO E POLÍTICA FLORESTAL RODRIGO A. B. M. VICTOR * INSTITUTO FLORESTAL: CIÊNCIA, DESENVOLVIMENTO E POLÍTICA FLORESTAL RODRIGO A. B. M. VICTOR 1 Mudanças da Estrutura dos Ecossistemas Florestas não fragmentadas 8000 anos atrás Mudanças da Estrutura dos

Leia mais

Mudanças de clima, e projeções de extremos de chuva no Estado de São Paulo derivados do modelo regional ETA CPTEC ate finais do Século XXI

Mudanças de clima, e projeções de extremos de chuva no Estado de São Paulo derivados do modelo regional ETA CPTEC ate finais do Século XXI Mudanças de clima, e projeções de extremos de chuva no Estado de São Paulo derivados do modelo regional ETA CPTEC ate finais do Século XXI Jose A. Marengo, Carlos A. Nobre CCST/INPE São Paulo, Brasil Problemática

Leia mais

Uso de sensoriamento remoto na análise da fragmentação da Mata Atlântica no litoral norte de Pernambuco, Brasil

Uso de sensoriamento remoto na análise da fragmentação da Mata Atlântica no litoral norte de Pernambuco, Brasil Uso de sensoriamento remoto na análise da fragmentação da Mata Atlântica no litoral norte de Pernambuco, Brasil Michelle Bandeira Trindade 1 Sandro Barbosa Figueira 2 Hernande Pereira da Silva 2 Ana Carolina

Leia mais

SPATIAL DISTRIBUITION OF TURBITY IN A STRETCH OF MADEIRA RIVER MONITORING MADEIRA RIVER PROJECT PORTO VELHO (RO)

SPATIAL DISTRIBUITION OF TURBITY IN A STRETCH OF MADEIRA RIVER MONITORING MADEIRA RIVER PROJECT PORTO VELHO (RO) SPATIAL DISTRIBUITION OF TURBITY IN A STRETCH OF MADEIRA RIVER MONITORING MADEIRA RIVER PROJECT PORTO VELHO (RO) 4th scientific meeting of the ORE-HIBAM. September 2011 4a Scientific Meeting ORE-HYBAM

Leia mais

Documento para discussão no GT

Documento para discussão no GT Quanto ainda resta da Caatinga? Uma estimativa preliminar Carlos Henrique Madeiros Casteleti José Maria Cardoso da Silva Marcelo Tabarelli André Maurício Melo Santos Universidade Federal de Pernambuco,

Leia mais

Características biológicas das espécies de palmeiras podem predizer sua raridade em uma floresta de terra firme na Amazônia Central?

Características biológicas das espécies de palmeiras podem predizer sua raridade em uma floresta de terra firme na Amazônia Central? Características biológicas das espécies de palmeiras podem predizer sua raridade em uma floresta de terra firme na Amazônia Central? Maria Beatriz N. Ribeiro Introdução Explicar os padrões de distribuição

Leia mais

Membros. Financiadores

Membros. Financiadores Projeto de Pesquisa: ADAPTA- CENTRO DE ESTUDOS DE ADAPTAÇÕES DA BIOTA AQUÁTICA DA AMAZÔNIA Descrição: Interações Biológicas com o Ambiente. Mecanismos de defesa e/ou resistência comuns entre peixes e mamíferos.

Leia mais

Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários

Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários Fanuel Nogueira GARCIA, Laerte Guimarães FERREIRA Universidade Federal de Goiás

Leia mais

OFFSHORE INTERACTIONS

OFFSHORE INTERACTIONS FORWARD Framework for Ria Formosa water quality, aquaculture, and resource development COEXIST Interaction in Coastal Waters: A roadmap to sustainable integration of aquaculture and fisheries OFFSHORE

Leia mais

182 MACHADO & SOARES: COMUNIDADE MUSCOIDEA

182 MACHADO & SOARES: COMUNIDADE MUSCOIDEA III SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA. 2014 181 Comunidade Muscoidea (Diptera, Insecta): Estudo do efeito de borda e bioindicadores na Reserva Natural Vale D. F. Machado¹* & E.D.G. Soares

Leia mais

Síndromes de dispersão na maior área de proteção da Mata Atlântica paraibana

Síndromes de dispersão na maior área de proteção da Mata Atlântica paraibana Biotemas, 26 (3): 99-108, setembro de 2013 ISSNe 2175-7925 99 http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n3p99 Síndromes de dispersão na maior área de proteção da Mata Atlântica paraibana Camila Ângelo

Leia mais

FACULDADE ASSIS GURGACZ-FAG RAFAEL JOSE FERREIRA

FACULDADE ASSIS GURGACZ-FAG RAFAEL JOSE FERREIRA FACULDADE ASSIS GURGACZ-FAG RAFAEL JOSE FERREIRA LEVANTAMENTO DE MAMÍFEROS DE MÉDIO PORTE EM FRAGMENTO FLORESTAL NO MUNICIPIO DE SANTA TEREZA DO OESTE - PR CASCAVEL 2010 1 RAFAEL JOSE FERREIRA LEVANTAMENTO

Leia mais

REVISTA SABER ACADÊMICO N 15 / ISSN 1980-5950 SARAIVA, G. F. R. & ANDRADE, R. S. 2013.

REVISTA SABER ACADÊMICO N 15 / ISSN 1980-5950 SARAIVA, G. F. R. & ANDRADE, R. S. 2013. 97 Artigo original LEVANTAMENTO POPULACIONAL, FENOLOGIA E BIOLOGIA DA REPRODUÇÃO DE OECEOCLADES MACULATA (LINDL.) LINDL. (ORCHIDACEAE) SARAIVA, G. F. R. 1, ANDRADE, R. S. 2 Nome Completo: Gustavo Francisco

Leia mais

Society Changing Needs in Advanced Materials

Society Changing Needs in Advanced Materials Society Changing Needs in Advanced Materials Evando Mirra de Paula e Silva UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais CGEE Rio de Janeiro, 26/07/2010 Available materials set a limit to the techniques

Leia mais

Uso de Sistema de Informações Geográficas para a seleção de indicadores de qualidade ambiental em fragmentos de Mata Atlântica

Uso de Sistema de Informações Geográficas para a seleção de indicadores de qualidade ambiental em fragmentos de Mata Atlântica Uso de Sistema de Informações Geográficas para a seleção de indicadores de qualidade ambiental em fragmentos de Mata Atlântica Silvania Goularte Correia 1 Rogério Hartung Toppa 1 1 Universidade Federal

Leia mais

Adriana Maria de Aquino Agno N.S. Acioli Alberto C.C. Bernardi Alexandra Priscilla Tregue-Costa Andrea R. L. Nascimento Cássia Roberta Campos

Adriana Maria de Aquino Agno N.S. Acioli Alberto C.C. Bernardi Alexandra Priscilla Tregue-Costa Andrea R. L. Nascimento Cássia Roberta Campos 07-BiodiversidadeA(18-19) 5/20/08 4:52 PM Page 749 Lista de Autores Adriana Maria de Aquino Laboratório Fauna do Solo, Embrapa Agrobiologia, Caixa Postal 74505, Seropédica, RJ Brasil, CEP 23890-000, e-mail:

Leia mais

Phylogeography of anurans widespread in the Brazilian Atlantic forests. João Alexandrino

Phylogeography of anurans widespread in the Brazilian Atlantic forests. João Alexandrino Phylogeography of anurans widespread in the Brazilian Atlantic forests João Alexandrino Obrigado! Maria Carol Célio Vanessa João Lab. do Célio! Felipe Lingnau Cyntia Pardal Leo Malagolli Luís Giasson Mirco

Leia mais

Panorama a a Socioambiental oa a Indígena dg do Lavrado (Savanas) de Roraima

Panorama a a Socioambiental oa a Indígena dg do Lavrado (Savanas) de Roraima Panorama a a Socioambiental oa a Indígena dg do Lavrado (Savanas) de Roraima Robert Miller Instituto Olhar Etnográfico Brasília-DF 1. O Ambiente Físico 2. Panorama Socioambiental 3. Iniciativas de Gestão

Leia mais

Participatory Map of Rio de Janeiro

Participatory Map of Rio de Janeiro Leandro Gomes Souza Geographer Luiz Roberto Arueira da Silva Director of City Information Pereira Passos Institute - City of Rio de Janeiro About us Pereira Passos Institute (IPP) is Rio de Janeiro municipal

Leia mais

6 Só será permitido o uso de dicionário INGLÊS/INGLÊS. 8 Utilize para rascunhos o verso de cada página deste Caderno.

6 Só será permitido o uso de dicionário INGLÊS/INGLÊS. 8 Utilize para rascunhos o verso de cada página deste Caderno. 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

Desmatamento Amazônico e Mudanças as Climáticas

Desmatamento Amazônico e Mudanças as Climáticas Desmatamento Amazônico e Mudanças as Climáticas Ciclone Catarina: evidência de mudança a do clima? Evidência do Aquecimento Global Emissões Globais 70-75% 75% das Emissões de GEE Queima de Combustíveis

Leia mais

Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais

Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais 6 Dinâmica Biológica RESUMO O objetivo deste projeto foi o de estudar os efeitos ecológicos da fragmentação florestal em alguns grupos importantes como árvores, palmeiras, sapos e formigas. Por fragmentação

Leia mais

Consulta por Classificação / Área Avaliação

Consulta por Classificação / Área Avaliação Consulta por Classificação / Área Avaliação ISSN 0065-2504 Advances in Ecological Research A1 BIODIVERSIDADE Atualizado 0168-1923 Agricultural and Forest Meteorology (Print) A1 BIODIVERSIDADE Atualizado

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS COMUNIDADES LOCAIS DO PANTANAL MATO- GROSSENSE PARA A CONSERVAÇÃO DA AVIFAUNA LOCAL

A IMPORTÂNCIA DAS COMUNIDADES LOCAIS DO PANTANAL MATO- GROSSENSE PARA A CONSERVAÇÃO DA AVIFAUNA LOCAL 468 A IMPORTÂNCIA DAS COMUNIDADES LOCAIS DO PANTANAL MATO- GROSSENSE PARA A CONSERVAÇÃO DA AVIFAUNA LOCAL Samuel Borges de Oliveira Júnior¹ & Michèle Sato² 1 Biólogo, Doutorando em Ecologia e Recursos

Leia mais

Galhas de Insetos da Restinga de Arraial do Cabo, RJ, Brasil. S. P. Carvalho-Fernandes 1 * & V. C. Maia 1

Galhas de Insetos da Restinga de Arraial do Cabo, RJ, Brasil. S. P. Carvalho-Fernandes 1 * & V. C. Maia 1 III SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA. 2014 277 Galhas de Insetos da Restinga de Arraial do Cabo, RJ, Brasil S. P. Carvalho-Fernandes 1 * & V. C. Maia 1 1 Departamento de Entomologia, Museu

Leia mais

ESTRUTURA E SERAPILHEIRA EM UM MANGUEZAL DE ILHÉUS, BAHIA, BRASIL

ESTRUTURA E SERAPILHEIRA EM UM MANGUEZAL DE ILHÉUS, BAHIA, BRASIL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC Departamento de Ciências Biológicas Programa de Pós-Graduação em Sistemas Aquáticos Tropicais Área de concentração: Ecologia ESTRUTURA E SERAPILHEIRA EM UM MANGUEZAL

Leia mais

Problemas ambientais urbanos

Problemas ambientais urbanos MEC, 4º ano, 2º sem, 2008-09 Desafios Ambientais e de Sustentabilidade em Engenharia Problemas ambientais urbanos 3ª aula Maria do Rosário Partidário CITIES ENVIRONMENT Inputs Outputs Energy Food Water

Leia mais

As Mudanças climáticas e os ecossistemas marinhos e costeiros. Situação dos manguezais brasileiros

As Mudanças climáticas e os ecossistemas marinhos e costeiros. Situação dos manguezais brasileiros As Mudanças climáticas e os ecossistemas marinhos e costeiros. Situação dos manguezais brasileiros Comissão Mista Permanente Sobre Mudanças Climáticas CMMC Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco

Leia mais

Comunidade de palmeiras em fragmentos florestais no Vale do Paraíba

Comunidade de palmeiras em fragmentos florestais no Vale do Paraíba Comunidade de palmeiras em fragmentos florestais no Vale do Paraíba Gabriela da Cunha Souza Orientadora: Dra. Simey Thury Vieira Fisch http:// www.virtualvale.com.br/ http://upload.wikimedia.org/wikipedia/

Leia mais

Michelle Andrade Furtado Trabalho da disciplina CCST 312 Professor responsável: Drª Maria Isabel Escada São José dos Campos, 12 de Agosto de 2011.

Michelle Andrade Furtado Trabalho da disciplina CCST 312 Professor responsável: Drª Maria Isabel Escada São José dos Campos, 12 de Agosto de 2011. Proposta: Falar sobre a relação da paisagem com o reservatório da hantavirose, o roedor silvestre, e discutir os métodos utilizados pelos estudos que analisaram a influência da estrutura da paisagem nos

Leia mais

The Brazilian Pantanal: an overview

The Brazilian Pantanal: an overview The Brazilian : an overview www.cpap.embrapa.br The Brazilian Paraguay River basin in Brazil, Bolivia e Paraguay Data source: Padovani et al unpublished data Data Source: Padovani et al. www.cpap.embrapa.br

Leia mais

1. Apresentação de todos os participantes: docentes e alunos.

1. Apresentação de todos os participantes: docentes e alunos. Unidade Curricular Paisagem, Biodiversidade e Sociedade Área Científica Paisagem, Ambiente e Ordenamento Ano Curricular 1 Horas de Trabalho 156 Horas de Contacto TP-30;TC-15;OT-15 ECTS 6 Observações Obrigatória

Leia mais

1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal

1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal 1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal Ações do Governo Federal Visando à Valorização e Conservação da Biodiversidade Vegetal João de Deus Medeiros joao.medeiros@mma.gov.br Departamento

Leia mais

Coordenação de Pesquisas em Biodiversidade - CBIO

Coordenação de Pesquisas em Biodiversidade - CBIO Coordenação de Pesquisas em Biodiversidade - CBIO Nome do GP Nome do Líder Membros do GP Biota do Solo e Vegetação em Sistemas Lucille Marilyn May Kriger d Amorim Antony Luiz Augusto Gomes de Souza, José

Leia mais

Gisele dos Santos de Miranda. As Transformações Espaciais em Campo Grande como Reprodução Simbólica da Barra da Tijuca: uma Análise da Expansão de

Gisele dos Santos de Miranda. As Transformações Espaciais em Campo Grande como Reprodução Simbólica da Barra da Tijuca: uma Análise da Expansão de Gisele dos Santos de Miranda As Transformações Espaciais em Campo Grande como Reprodução Simbólica da Barra da Tijuca: uma Análise da Expansão de Condomínios Fechados e de Shopping Centers na Periferia

Leia mais

Validation of the Paratest as efficient method for parasitological diagnosis

Validation of the Paratest as efficient method for parasitological diagnosis Validation of the Paratest as efficient method for parasitological diagnosis TEODORO B. K.; ROBERTO T. N.; BRASIL D. M. E SOUZA L. B.; SOUZA M. C.; PAULETTO M. C. A. C.; MAMED J. A.; SBRAVATE-MARTINS C.

Leia mais

OBrasil sendo o país detentor da maior biodiversidade do planeta, tendo

OBrasil sendo o país detentor da maior biodiversidade do planeta, tendo KA Cad 2009_4 08.03.10 10:24 Page 23 Biodiversidade e Biopirataria: contradição entre a biodiversidade e a pobreza no mundo 23 PAULO Y. K AGEYAMA INTRODUÇÃO OBrasil sendo o país detentor da maior biodiversidade

Leia mais

RESUMO. Palavras chave: Interação solo/planta; fertilizante orgânico; ecologia.

RESUMO. Palavras chave: Interação solo/planta; fertilizante orgânico; ecologia. PROJETO: Interação Solo Planta: fatores edáficos no desenvolvimento vegetal. Prof. Theodoro Guerra de Oliveira Júnior Aluna: Juliana Cristina da Silveira RESUMO A Mata Atlântica é um dos ecossistemas mais

Leia mais

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Licenciatura em Engenharia Informática Degree in Computer Science Engineering Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Performance analysis of large distributed

Leia mais

EPLNA_2012. Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis

EPLNA_2012. Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis Prof. Dr. Igor Renato Bertoni Olivares Top 02 in analytical chemistry Impact Factor - 6,6

Leia mais

PRINCIPAIS SECAS OCORRIDAS NESTE SÉCULO NO ESTADO DO CEARÁ: UMA AVALIAÇÃO PLUVIOMÉTRICA

PRINCIPAIS SECAS OCORRIDAS NESTE SÉCULO NO ESTADO DO CEARÁ: UMA AVALIAÇÃO PLUVIOMÉTRICA PRINCIPAIS SECAS OCORRIDAS NESTE SÉCULO NO ESTADO DO CEARÁ: UMA AVALIAÇÃO PLUVIOMÉTRICA José M. Brabo Alves; Rubenaldo A. Silva; Everaldo B. Souza; Carlos A. Repelli Departamento de Meteorologia -Divisão

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - MESTRADO PPGECB UESC

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - MESTRADO PPGECB UESC UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - MESTRADO PPGECB UESC PROCESSO SELETIVO 2012-2014 PROVA DE COMPREENSÃO DE LINGUA INGLESA

Leia mais

Governancia da Água. Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água

Governancia da Água. Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água A Água e o Programa Horizonte 2020 (8ºPQ) Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água Governancia da Água Francisco

Leia mais

Uncertainities on land cover and land ue data sets designed for global models

Uncertainities on land cover and land ue data sets designed for global models Global Land Project OSM, 2014 Uncertainities on land cover and land ue data sets designed for global models Gilberto Câmara National Institute for Space Research (INPE) Brazil IFGI, University of Münster,

Leia mais

Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde

Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde Microbial Biomass In Lettuce Culture Under Different Organic Fertilizers And Management Of Green Manure

Leia mais

ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT

ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT Elaine Barbosa da SILVA¹ Laerte Guimarães FERREIRA JÚNIOR¹ Antonio Fernandes dos ANJOS¹ Genival Fernandes

Leia mais

LEVANTAMENTO PRELIMINAR DAS INTERAÇÕES ECOLÓGICAS OCORRENTES NO BOSQUE MUNICIPAL "Rangel Pietraróia" NA CIDADE DE MARÍLIA SÃO PAULO

LEVANTAMENTO PRELIMINAR DAS INTERAÇÕES ECOLÓGICAS OCORRENTES NO BOSQUE MUNICIPAL Rangel Pietraróia NA CIDADE DE MARÍLIA SÃO PAULO 1 REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN: 1677-0293 Número 29 Julho de 2016 Periódico Semestral LEVANTAMENTO PRELIMINAR DAS INTERAÇÕES ECOLÓGICAS OCORRENTES NO BOSQUE MUNICIPAL "Rangel Pietraróia"

Leia mais

Atendimento urbano por rede coletora de esgotos. Fonte: Conjuntura (2009). ANA

Atendimento urbano por rede coletora de esgotos. Fonte: Conjuntura (2009). ANA PROGRAMA PELD Rogers et all, 2006 Atendimento urbano por rede coletora de esgotos. Fonte: Conjuntura (2009). ANA Paris, 24 e 25 de Março G8 + 5 Academias Números do problema Mundial da Água 2,6 bilhões

Leia mais

COMPORTAMENTO DO VENTO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE. Cristiane Nobre Prudente 1 Adma Raia 2 Ruibran Januário dos Reis 3

COMPORTAMENTO DO VENTO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE. Cristiane Nobre Prudente 1 Adma Raia 2 Ruibran Januário dos Reis 3 COMPORTAMENTO DO VENTO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE Cristiane Nobre Prudente 1 Adma Raia 2 Ruibran Januário dos Reis 3 RESUMO A ação do vento é de grande importância para diversas áreas, como

Leia mais

EFEITO DAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS NA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DO SUBMÉDIO DO VALE SÃO FRANCISCO

EFEITO DAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS NA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DO SUBMÉDIO DO VALE SÃO FRANCISCO EFEITO DAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS NA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DO SUBMÉDIO DO VALE SÃO FRANCISCO Thieres G. F. da SILVA 1,4, José Edson F. de MORAIS 1, Wellington J. da S. DINIZ 1, Jannaylton E.

Leia mais

BIODIVERSIDADE DE EPIFITICOS EM FOLHAS DE AVICENNIA GERMINANS E TOLERÂNCIA A SALINIDADE

BIODIVERSIDADE DE EPIFITICOS EM FOLHAS DE AVICENNIA GERMINANS E TOLERÂNCIA A SALINIDADE BIODIVERSIDADE DE EPIFITICOS EM FOLHAS DE AVICENNIA GERMINANS E TOLERÂNCIA A SALINIDADE VICTOR O. VENDRAMINI¹ 1 ; ITAMAR S. MELO² 2 Nº 0702015 Embrapa Meio Ambiente Jaguariúna, SP CP 69, CEP 13.820-000

Leia mais

Simulação Gráfica e Visão Computacional. Soraia Raupp Musse

Simulação Gráfica e Visão Computacional. Soraia Raupp Musse Simulação Gráfica e Visão Computacional Soraia Raupp Musse Objetivo Analisar exemplos comerciais e do estado-da-arte científicos que utilizam dados reais para aprimorar a qualidade de simulações e animações.

Leia mais

GIS in Disaster Risk Management in Mozambique

GIS in Disaster Risk Management in Mozambique GIS in Disaster Risk Management in Mozambique 1 Contents 1. Disasters in Mozambique 2. Role of GIS 3. Some Examples 4. CIG Profile 2 1. Disasters in Mozambique Frequent disasters are: Droughts Floods (+

Leia mais

Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE IV EXPOEPI International Perspectives on Air Quality: Risk Management Principles for Oficina de Trabalho: Os Desafios e Perspectivas da Vigilância Ambiental

Leia mais

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios Sandra Sofia Brito da Silva Dissertação

Leia mais

Análise da qualidade de imagens Landsat-1-MSS entre os anos de 1972 e 1975 para o bioma Cerrado

Análise da qualidade de imagens Landsat-1-MSS entre os anos de 1972 e 1975 para o bioma Cerrado Análise da qualidade de imagens Landsat-1-MSS entre os anos de 1972 e 1975 para o bioma Cerrado Carlos Antônio Melo CRISTÓVÃO Laerte Guimarães FERREIRA Jr. Universidade Federal de Goiás - UFG Instituto

Leia mais

Eline Matos Martins & Gustavo Martinelli

Eline Matos Martins & Gustavo Martinelli II SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA. 2013 23 Listas Vermelhas e Estratégias de Conservação: a atuação do Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora) com as espécies da Flora ameaçadas

Leia mais

Ontology Building Process: The Wine Domain

Ontology Building Process: The Wine Domain Ontology Building Process: The Wine Domain João Graça, Márcio Mourão, Orlando Anunciação, Pedro Monteiro, H. Sofia Pinto, and Virgílio Loureiro Summary Context Ontology Wine Domain Existing Wine Ontologies

Leia mais

Estudo comparativo dos limites legais de Emissões Atmosféricas no Brasil, EUA e Alemanha.

Estudo comparativo dos limites legais de Emissões Atmosféricas no Brasil, EUA e Alemanha. Estudo comparativo dos limites legais de Emissões Atmosféricas no Brasil, EUA e Alemanha. Ricardo de Lima Silva (1) ; Cristiane Ferreira Pimenta (2) ; Prof. Neimar Freitas Duarte (3). (1) Mestrando em

Leia mais

A relação dos projetos aprovados, indeferidos e não pré-qualificados éa seguinte:

A relação dos projetos aprovados, indeferidos e não pré-qualificados éa seguinte: CT-INFRA - Fundo de Infra-Estrutura RESULTADO DO EDITAL 03/2001 CT-INFRA O Comitê Gestor do CT-INFRA, em reunião realizada em 03 de junho de 2002, tomando como base a avaliação de mérito do Comitê Assessor,

Leia mais

CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NOS BIOMAS DA AMÉRICA DO SUL

CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NOS BIOMAS DA AMÉRICA DO SUL CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NOS BIOMAS DA AMÉRICA DO SUL Luis Salazar 1, Carlos Nobre 1, e Marcos D. Oyama 2 Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, Instituto Nacional de Pesquisas

Leia mais

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO PRELIMINAR DA VEGETAÇÃO DA PRAÇA DOM JOSÉ GASPAR, MUNICÍPIO DE SÃO PAULO: INSTRUMENTO

Leia mais

Transport in Brazil Overview. Dr. Giselle Xavier Brookes Visiting Research Fellow UDESC - State University of Santa Catarina - Brasil

Transport in Brazil Overview. Dr. Giselle Xavier Brookes Visiting Research Fellow UDESC - State University of Santa Catarina - Brasil Transport in Brazil Overview Dr. Giselle Xavier Brookes Visiting Research Fellow UDESC - State University of Santa Catarina - Brasil Brazil in the World http://www.geographicguide.com/maps.htm Latin America

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular

Ficha da Unidade Curricular ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS CURSO Licenciatura em Engenharia Informática U.C. ENGENHARIA DE SOFTWARE I Ficha da Unidade Curricular Horas presenciais / Ano 56 Ano Lectivo 2010 /

Leia mais

Influência da estrutura arbórea na ocorrência de térmitas arborícolas na RPPN da Serra do Teimoso, Jussari, Bahia, Brasil.

Influência da estrutura arbórea na ocorrência de térmitas arborícolas na RPPN da Serra do Teimoso, Jussari, Bahia, Brasil. Influência da estrutura arbórea na ocorrência de térmitas arborícolas na RPPN da Serra do Teimoso, Jussari, Bahia, Brasil. Antonio José Dias Vieira 1, Camila Righetto Cassano 2, Joice Rodrigues de Mendonça

Leia mais

Novas tecnologias de armazenamento de energia

Novas tecnologias de armazenamento de energia Novas tecnologias de armazenamento de energia New technologies for energy storage Alberto Jorge Bernardo www.efacec.com Porquê? Why? Aumento da penetração de renováveis (RES) Increase of renewables penetration

Leia mais

BANCO DE DADOS E MAPAS ATUALIZADOS SOBRE POPULAÇÕES DE PRIMATAS BRASILEIROS CRITICAMENTE EM PERIGO DE EXTINÇÃO

BANCO DE DADOS E MAPAS ATUALIZADOS SOBRE POPULAÇÕES DE PRIMATAS BRASILEIROS CRITICAMENTE EM PERIGO DE EXTINÇÃO BANCO DE DADOS E MAPAS ATUALIZADOS SOBRE POPULAÇÕES DE PRIMATAS BRASILEIROS CRITICAMENTE EM PERIGO DE EXTINÇÃO LIMA, A. B. de 1 ; ALFONSO-SILVA, S. P. 2 ; ASSIS, A. B. de 3 & JERUSALINSKY, L. 4 RESUMO:

Leia mais

Field Observations and modeling of the Brazil Current system REMO and INCT

Field Observations and modeling of the Brazil Current system REMO and INCT Field Observations and modeling of the Brazil Current system REMO and INCT Afonso de Moraes Paiva Coastal and Oceanographic Engineering Group Program of Ocean Engineering COPPE Federal University of Rio

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS (LETRA MAIÚSCULA, NEGRITO, TIMES NEW ROMAN 14, CENTRALIZADO,

Leia mais

Water Footprint of Bioenergy

Water Footprint of Bioenergy Water Footprint of Bioenergy Rita Monteiro rita.monteiro@usp.br Brasília, 19 de março de 2013 Brasília, 29 de março de 2013 WATER FOOTPRINT different approaches Rita Monteiro rita.monteiro@usp.br WATER

Leia mais

Correlação de Miconia albicans e concentração de alumínio no solo em um fragmento de cerrado denso, Itirapina.

Correlação de Miconia albicans e concentração de alumínio no solo em um fragmento de cerrado denso, Itirapina. Correlação de Miconia albicans e concentração de alumínio no solo em um fragmento de cerrado denso, Itirapina. ARILDO DE S. DIAS 1, CLÁUDIA DE M. MARTINELLI 2, LARISSA G. VEIGA 1, RICARDO GABRIEL MATTOS

Leia mais

EFEITO DO ISOLAMENTO E DO TAMANHO DA ÁREA SOBRE RIQUEZA DE ESPÉCIES DE FAUNA ABRIGADA EM TRONCOS

EFEITO DO ISOLAMENTO E DO TAMANHO DA ÁREA SOBRE RIQUEZA DE ESPÉCIES DE FAUNA ABRIGADA EM TRONCOS EFEITO DO ISOLAMENTO E DO TAMANHO DA ÁREA SOBRE RIQUEZA DE ESPÉCIES DE FAUNA ABRIGADA EM TRONCOS Discentes: Letícia Gomes, Poliana Moreno, Geraldo Freire, Pamela Moser, Mariana Garcez Stein e Danilo Fortunato

Leia mais

EDITAL N. 004 /2013 PROPESPG/UNIFAP DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 PROCESSO SELETIVO 2013 CURSO DE DOUTORADO EM BIODIVERSIDADE TROPICAL - PPGBIO

EDITAL N. 004 /2013 PROPESPG/UNIFAP DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 PROCESSO SELETIVO 2013 CURSO DE DOUTORADO EM BIODIVERSIDADE TROPICAL - PPGBIO EDITAL N. 004 /2013 PROPESPG/UNIFAP DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 PROCESSO SELETIVO 2013 CURSO DE DOUTORADO EM BIODIVERSIDADE TROPICAL - PPGBIO A Universidade Federal do Amapá, através da e da Coordenação

Leia mais

1) Esta prova de inglês é de caráter classificatório e deverá ser desenvolvida em no máximo em 2 (duas) horas, com início às 09:00 horas local;

1) Esta prova de inglês é de caráter classificatório e deverá ser desenvolvida em no máximo em 2 (duas) horas, com início às 09:00 horas local; PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS PROVA DE INGLÊS Seleção do Mestrado PPGCA 2013 Nome: Nº de inscrição: Data: Linha de Pesquisa: ( ) Física do Clima ( ) Ecossistemas Amazônicos e Dinâmicas

Leia mais

EDITAL CAPES N o 11/2014 - PRÓ-EQUIPAMENTOS INSTITUCIONAL RESULTADO FINAL - PROPOSTAS RECOMENDADAS

EDITAL CAPES N o 11/2014 - PRÓ-EQUIPAMENTOS INSTITUCIONAL RESULTADO FINAL - PROPOSTAS RECOMENDADAS CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICAS R$ 165.000,00 CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA NUCLEAR R$ 165.000,00 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. CELSO SUCKOW DA FONSECA R$ 395.500,00 CENTRO FEDERAL

Leia mais