20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo. Cintia Aparecida Chagas Arreguy

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo. Cintia Aparecida Chagas Arreguy"

Transcrição

1 20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo Cintia Aparecida Chagas Arreguy

2 Comemoração dos 20 anos do APCBH Há 2 anos, iniciaram-se as discussões de como seria comemorado o aniversário de 20 anos do APCBH. Não queríamos uma comemoração que simplesmente relembrasse e enaltecesse tudo que fizemos de positivo até hoje. Surgiu a idéia de arrumar a casa e fazer um estudo crítico de nosso trabalho.

3 Comemoração dos 20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo, tendo em vista a preservação da memória institucional. Estudo crítico da gestão de documentos e da Tabela de Temporalidade e Destinação de Documentos de Arquivo da PBH.

4 Projeto 20 anos do APCBH: memória institucional e reflexão crítica sobre as práticas arquivísticas Financiado pela FAPEMIG Parceria com a UFMG (Professora Ivana Parrela)

5 Objetivos do projeto Organizar o chamado arquivo do Arquivo, ou seja, a documentação arquivística acumulada no desenvolvimento das atividades administrativas e técnicas do órgão, de forma a estabelecer práticas internas de produção, tramitação, avaliação, descarte e preservação da documentação; Elaborar um instrumento de pesquisa que permita a consulta ao arquivo do APCBH e disponibilizá-lo na página internet da instituição;

6 Objetivos do projeto Realizar um estudo crítico da política de gestão de documentos implantada pelo APCBH, especialmente da sua Tabela de Temporalidade - concepção e uso com vistas a uma reflexão teórico-metodológica que seja também um diagnóstico da política de gestão implementada;

7 Organização do arquivo do Arquivo Iniciado no começo do ano de 2010 teve como um importante produto o plano de classificação de documentos para todas as atividades do APCBH, pois até então o APCBH contava com um plano de classificação que abrangia principalmente as suas atividades meio.

8 O início Edição de uma circular interna, no mês de abril de 2010, chamando todos os funcionários a se envolverem, organizando seus arquivos físicos e seus arquivos em formato digital.

9 Salvaguarda de arquivos digitais Migração de documentos que se encontrassem em disquetes e outras mídias magnéticas removíveis, para discos ópticos (CD s e DVD s) e para os discos rígidos dos computadores. Estabelecimento de rotina de backup Mais tarde, o backup foi automatizado com o uso de um sistema gratuito (Cobian Backup)

10 Documentos em suporte papel Avaliação preliminar dos documentos acumulados em cada divisão com base a Tabela de Temporalidade e Destinação de Documentos (TTDD). Identificação de documentos não listados na TTDD, além daqueles em que que houvesse dúvidas ou questionamentos na aplicação desse instrumento.

11 Limpeza preliminar Iniciou-se um trabalho de limpeza nas mesas e armários de todas as áreas de Arquivo, com vistas a eliminar sumariamente bilhetes, rascunhos, cópias repetidas de documentos e separar documentos pessoais que se encontravam junto aos arquivos de trabalho.

12 Revisão da TTDD Foi criada uma comissão para avaliação inicial dos documentos que haviam sido separados por não constarem na TTDD ou que houvesse dúvidas e questionamentos na aplicação desse instrumento Iniciou-se uma verificação geral nos prazos de guarda e destinação dos documentos produzidos e acumulados pelo APCBH, vários deles utilizados por toda a PBH (relativos a atividades meio)

13 Revisão da TTDD A TTDD do município de Belo Horizonte tem um pioneirismo ao contemplar as atividades meio e fim da Prefeitura já em Assunto será tratado na mesa redonda Arquivos municipais e gestão de documentos. Instrumento é constantemente atualizado pela Câmara Técnica de Avaliação da TTDD da Prefeitura de Belo Horizonte.

14 Revisão da TTDD Necessita de um trabalho mais minucioso de revisão em função de alterações em diversas leis e na realidade das funções e atividades da Prefeitura de Belo Horizonte.

15 Revisão da TTDD Foram detectados problemas de diversas naturezas na Tabela de Temporalidade do Município Prazos de guarda e destinações dos quais se discordava; número de vias diferentes das atualmente produzidas; formulários padronizados que se modificaram ao longo do tempo, com nomes diferentes que necessitam inclusão do novo nome, entre outros.

16 Revisão da TTDD Essas dúvidas estão sendo discutidas e as demandas de alterações da TTDD serão encaminhadas à Câmara Técnica de Avaliação da TTDD.

17 Dificuldades na aplicação da TTDD Dificuldades na aplicação desse importante instrumento até mesmo pelos funcionários do APCBH, principalmente por se tratar de um sistema antigo que, apesar de ter sido um grande avanço para a época, tem uma série de problemas de usabilidade. Trata-se de um dos primeiros sistemas web produzidos pela PBH e que não passou por nenhuma revisão desde então. Atualmente, o sistema passa por algumas adequações de usabilidade, mas necessita ser substituído por outro com funções que o sistema atual não contempla.

18 Construção do plano de classificação Ainda durante a etapa de diagnóstico e organização dos documentos acumulados, iniciou-se a elaboração do novo plano de classificação. Um grupo formado por profissionais de todas as áreas do arquivo se reuniu de modo regular com vistas a estudar as funções, atividades e os documentos gerados em cada uma dessas atividades.

19 Construção do plano de classificação Teve como bases o plano anterior e o plano de classificação do CONARQ (2001), para as atividades meio. Para as atividades fim, a base foi a legislação e a estrutura do Arquivo. Optou-se por utilizar um plano de classificação funcional, por ser mais estável em relação a um plano estrutural. O plano funcional consiste na divisão das funções principais em classes maiores, das funções secundárias em classes menores e das atividades Plano estrutural consiste na subdivisão das classes de acordo com a estrutura organizacional.

20 Construção do plano de classificação No final de 2010, o plano foi apresentado à equipe do APCBH em seminário interno. Sugestões e críticas foram anotadas e incorporadas à versão final do plano.

21 Organização das pastas dos computadores O plano de classificação também foi aplicado às pastas do computadores. Não guardamos documentos eletrônicos nos computadores, mas sim minutas de documentos que foram impressos, assinados e tramitados em papel, com raríssimas exceções.

22 Organização das pastas dos computadores Os principais documentos armazenados nos computadores são as fotografias digitais que retratam as atividades da instituição. As fotografias devem ter um tratamento diferenciado, acompanhando-se sua temporalidade para recolhimento ao arquivo permanente.

23 Imagens digitais Reproduções digitais do acervo e Imagens geradas nas atividades da instituição.

24 Reproduções digitais do acervo Foram organizadas em pastas de acordo com o arranjo do arquivo permanente, sendo cada documento nomeado com o seu respectivo código de arranjo.

25 Fotografias de eventos e atividades do APCBH Foram guardadas nas pastas organizadas de acordo com as funções descritas no plano de classificação.

26 Conclusões A construção do plano de classificação foi muito rica no sentido de rever nossas práticas. Sabe-se que um plano de classificação não é algo fechado e deve ser aperfeiçoado e modificado sempre que novas funções e atividades forem incorporadas e novos documentos forem gerados.

27 Conclusões A elaboração de um plano de classificação é um processo muito rico que nos serviu para rever procedimentos e detectar falhas, propondo alterações com vistas a otimizar o fluxo de documentos e do próprio trabalho. Sendo um recorte, o plano de classificação não retrata toda a diversidade da realidade, constituindo-se uma simplificação de nossas funções e muitas vezes o exercício de encaixar a realidade dentro de um plano mostrou-se bastante desafiador e levou a diversas reflexões.

28 Referências SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: Editora da FGV, Arquivo Nacional (Brasil). Conselho Nacional de Arquivos. Classificação, temporalidade e destinação de documentos de arquivo; relativos às atividades-meio da administração pública. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001.

29 Obrigada! Cintia A. Chagas Arreguy Departamento de Gestão de Documentos Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte

ATENÇÃO: A cópia impressa a partir da intranet é cópia não controlada.

ATENÇÃO: A cópia impressa a partir da intranet é cópia não controlada. Proposto por: Chefe do Serviço de Gestão do Desempenho (SEGED) Analisado por: Diretor do Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DEDEP) Aprovado por: Diretor-Geral da Diretoria-Geral de Gestão de Pessoas

Leia mais

A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA ARQUIVÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL NO BRASIL

A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA ARQUIVÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL NO BRASIL A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA ARQUIVÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL NO BRASIL José Mauro Gouveia (Universidade de Brasília) Eliane Braga de Oliveira (Universidade de Brasília) A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA

Leia mais

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ).

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS Responsável: Juliana Maria Gomes de Almeida Alves Cópia Controlada

Leia mais

CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal

CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal Primeira 1/6 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal Marcelo de Sousa Monteiro Michelle Borges C. Cunha HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES EDIÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB Estabelece a Política para Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico da Escola de Direito de Brasília

Leia mais

INTERDICIPLINARIEDADE NA ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS ESTUDO DE CASO DO NÚCLEO DE ESTUDO, CULTURA, ORALIDADE, IMAGEM E MEMÓRIA NECOIM

INTERDICIPLINARIEDADE NA ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS ESTUDO DE CASO DO NÚCLEO DE ESTUDO, CULTURA, ORALIDADE, IMAGEM E MEMÓRIA NECOIM ENCONTRO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS INTERDICIPLINARIEDADE NA ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS ESTUDO DE CASO DO NÚCLEO DE ESTUDO, CULTURA, ORALIDADE, IMAGEM E MEMÓRIA NECOIM Faro/Portugal 5 Out. de 2013 Imagem disponível

Leia mais

Instruções Normativas da Receita Federal, do ano corrente.

Instruções Normativas da Receita Federal, do ano corrente. DO TJERJ Proposto por: Equipe da Divisão de Tesouraria (DITES) Analisado por: Diretor do Departamento Financeiro (DEFIN) Aprovado por: Diretor-Geral da Diretoria-Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP Fone: (35)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP Fone: (35) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP 37130-000. Fone: (35) 3299-1000 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO EDITAL 082/2016 PROGEPE Orientações

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DA PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 ÍNDICE GERAL 1. INTRODUÇÃO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 3.1 DISPOSIÇÕES INICIAIS...

Leia mais

PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE REGISTROS

PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE REGISTROS APROVAÇÃO: PÁGINA : 1/5 CONTROLE DE REVISÕES: Revisão Data Itens modificados Observações 00 13.02.2006 - - 01 18.06.2007 - - PÁGINA : 2/5 1. OBJETIVO Este procedimento descreve a sistemática estabelecida

Leia mais

GERENCIAR OS DOCUMENTOS DO SISTEMA NORMATIVO ADMINISTRATIVO DO TRT/RJ 1 OBJETIVO

GERENCIAR OS DOCUMENTOS DO SISTEMA NORMATIVO ADMINISTRATIVO DO TRT/RJ 1 OBJETIVO Proposto por: GERENCIAR OS DOCUMENTOS DO SISTEMA NORMATIVO Servidores do NUGESQ Analisado por: Supervisor do NUGESQ Aprovado por: Assessor da ADI Atenção: cópias impressas não são controladas 1 OBJETIVO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC: PAULINO BOTELHO EXTENSÃO ARLINDO BITTENCOURT Código: 092-2 Município: SÃO CARLOS Eixo tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO

Leia mais

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES Projeto apoio a biblioteca FESP-SP : preservação e integração entre equipes, acervo e disciplina Fernanda Kelly Silva de Brito Rosa Maria Beretta Eixo Temático: Preservação da Memória Institucional. Palavras-chave:

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE Primeira 1/7 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Silvia Helena Correia Vidal Aloísio Barbosa de Carvalho Neto HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

EDMS: conceito básico

EDMS: conceito básico EDMS Engineering Document Management System Gestão Eletrônica de Documentos - GED EDMS: conceito básico Propósito: Gerenciar documentos técnicos da empresa durante todo o Ciclo de Vida, seja na fase de

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGOCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 18.290, DE 13 DE JULHO DE 2016. Aprova o Plano de Classificação e a Tabela de Temporalidade de s da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social atividadesfim, para efeitos legais.

Leia mais

XXXXXXX. Todos os técnicos responsáveis pelas atividades de inspeção em indústrias de medicamentos.

XXXXXXX. Todos os técnicos responsáveis pelas atividades de inspeção em indústrias de medicamentos. NOME DO X 1/6 // 1 INTRODUÇÃO O passo seguinte à aprovação de um documento do sistema de qualidade, para que ele possa realmente se tornar efetivo, é o treinamento de todos os envolvidos na execução das

Leia mais

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES UFGD FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO REGIONAL FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES COLEÇÃO: ESTRADA DE FERRO NOROESTE DO BRASIL 1. ÁREA DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. Código de referência: BR CDR

Leia mais

Plano de Cargos, Carreiras e Salários CONTROLE DE REVISÕES

Plano de Cargos, Carreiras e Salários CONTROLE DE REVISÕES Plano de Cargos, Carreiras e Salários Abril de 2013 CONTROLE DE REVISÕES Versão Data Responsável Descrição 0 15/04/2013 Tríade RH Desenvolvimento e Implantação do Plano 1 26/06/2013 Tríade RH Revisão do

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO Gerência de Riscos e Compliance Página 1 Índice 1. Objetivo... 3 2. Abrangência... 3 3. Vigência... 3 4. Conceito... 3 5. Estrutura da Área... 4 6. Análise de Risco de Crédito...

Leia mais

Visando a otimização de nossos processos, disponibilizamos a todos os interessados uma versão de teste do sistema.

Visando a otimização de nossos processos, disponibilizamos a todos os interessados uma versão de teste do sistema. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS SISTEMA PREVENIR O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos para elaborar Boletim Diário de Caixa.

Estabelecer critérios e procedimentos para elaborar Boletim Diário de Caixa. Proposto por: Equipe da Divisão de Tesouraria (DITES) Analisado por: Diretor do Departamento Financeiro (DEFIN) Aprovado por: Diretor da Diretoria-Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF)

Leia mais

Fundamentos da Informática Aula 01 - Computadores: Ferramentas para a era da informação Exercícios - RESPOSTAS Professor: Danilo Giacobo

Fundamentos da Informática Aula 01 - Computadores: Ferramentas para a era da informação Exercícios - RESPOSTAS Professor: Danilo Giacobo Fundamentos da Informática Aula 01 - Computadores: Ferramentas para a era da informação Exercícios - RESPOSTAS Professor: Danilo Giacobo Múltipla escolha 1. A unidade central de processamento é um exemplo

Leia mais

3.2. Bibliotecas. Biblioteca Professor Antônio Rodolpho Assenço, campus Asa Sul: Os espaços estão distribuídos da seguinte forma:

3.2. Bibliotecas. Biblioteca Professor Antônio Rodolpho Assenço, campus Asa Sul: Os espaços estão distribuídos da seguinte forma: 1 3.2. Bibliotecas Contam as Faculdades UPIS com a Biblioteca Professor Antônio Rodolpho Assenço e a Biblioteca do Campus II, que atuam como centros dinâmicos de informação, atendendo o corpo docente e

Leia mais

MANUALIZAÇÃO Elaboração e Uso de Manuais

MANUALIZAÇÃO Elaboração e Uso de Manuais MANUALIZAÇÃO Elaboração e Uso de Manuais Prof. Daciane de O.Silva OSM- Luiz Carlos D Ascenção -Disponível na pasta da xerox 1 Conceito Manual é o conjunto, ou a coleção sistemática de normas, diretrizes,

Leia mais

Tribunal Superior Eleitoral

Tribunal Superior Eleitoral Tribunal Superior Eleitoral Eleições 2010 SPCE 2010 Manual para Importação da Prestação de Contas Agosto/2010 O SPCE, Sistema de Prestação de Contas de Campanhas Eleitorais, é o sistema desenvolvido pela

Leia mais

PROPOSTA DE PREÇO COM APOSTILAMENTO (2015)

PROPOSTA DE PREÇO COM APOSTILAMENTO (2015) 1 PROPOSTA DE PREÇO COM APOSTILAMENTO (2015) REAJUSTE DOS SERVIÇOS PRESVISTO NO CONTRATO 41/2013, DE ACORDO COM O ACRESCIMO DE R$ 224.469,18, TOTALIZANDO NOVO VALOR DO CONTRATO DE R$ 4.412.326,99. Planilha

Leia mais

Primeira Edição: 20/08/2010 Página 1 de 10 Revisão 01 POP.ADM.001 PROCEDIMENTO ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS

Primeira Edição: 20/08/2010 Página 1 de 10 Revisão 01 POP.ADM.001 PROCEDIMENTO ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS Página 1 de 10 REGISTRO DE ALTERAÇÕES REV. DATA ALTERAÇÃO EFETUADA 00 20/08/2010 Emissão do Documento 01 08/11/2011 Alteração logomarca e revisão do procedimento Claudiane Freire de Oliveira Coordenador

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Hardware - Processador

Hardware - Processador Hardware - Processador O processador (ou CPU) é uma das partes principais do hardware do computador e é responsável pelos cálculos, execução de tarefas e processamento de dados. A velocidade com que o

Leia mais

HARDWARE. Objetivo desta aula Detalhar a parte física do computador e seus principais componentes

HARDWARE. Objetivo desta aula Detalhar a parte física do computador e seus principais componentes HARDWARE Objetivo desta aula Detalhar a parte física do computador e seus principais componentes Tópicos abordados Conceito de Hardware Periféricos de entrada Periféricos de saída Periféricos de entrada

Leia mais

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: GERÊNCIA DE RISCOS JULIANA PENTAGNA GUIMARÃES Diretoria da Sociedade LEANDRO SALIBA Diretoria da Sociedade INDICE 1. OBJETIVO... 2 2. REFERÊNCIAS... 2 3. CONCEITO... 2 4. ABRANGÊNCIA...

Leia mais

XIII CONCURSO SIOMA BREITMAN DE FOTOGRAFIA EDIÇÃO 2013

XIII CONCURSO SIOMA BREITMAN DE FOTOGRAFIA EDIÇÃO 2013 XIII CONCURSO SIOMA BREITMAN DE FOTOGRAFIA EDIÇÃO 2013 O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE torna público que, nos termos da Resolução nº 2.186, de 20 de maio de 2010, encontram-se abertas

Leia mais

Adriana Cybele Ferrari

Adriana Cybele Ferrari Adriana Cybele Ferrari Coordenadora da Unidade de Bibliotecas e Leitura Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo São Paulo, 12 de Março de 2013 Espaços vivos de interação das pessoas; O elemento central

Leia mais

PQ /04/

PQ /04/ PQ.06 03 02/04/2013 1-5 1. OBJETIVO Estabelecer sistematica para o processo de solicitação, análise crítica e preparação para a avaliação da conformidade. 2. DEFINIÇÕES Modelo de Avaliação da Conformidade:

Leia mais

Plano de Segurança da Informação. Política de Segurança

Plano de Segurança da Informação. Política de Segurança Plano de Segurança da Informação Inicialmente, deve se possuir a percepção de que a segurança da informação deve respeitar os seguintes critérios: autenticidade, não repúdio, privacidade e auditoria. Também

Leia mais

Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Suporte Técnico aos Usuários Sistema de Apoio a Gabinetes SAG Tramitação de Minutas em Lote

Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Suporte Técnico aos Usuários Sistema de Apoio a Gabinetes SAG Tramitação de Minutas em Lote Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Suporte Técnico aos Usuários Sistema de Apoio a Gabinetes SAG Tramitação de Minutas em Lote (Versão 1.0 Atualizado em 29/abril/2014) O módulo e-recurso

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Campus Sobral Curso de Engenharia Elétrica

Universidade Federal do Ceará Campus Sobral Curso de Engenharia Elétrica Universidade Federal do Ceará Campus Sobral Curso de Engenharia Elétrica REGULAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO FINAL DE CURSO Comissão: - Prof. Raimundo Furtado Sampaio - Prof. André Lima - Prof.

Leia mais

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses.

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses. SRH - SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS MISSÃO DA UNIDADE: Promover as políticas de recursos humanos contribuindo para o funcionamento e aprimoramento das atividades desenvolvidas pela Universidade.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE ADMISSÃO, ALTERAÇÕES CADASTRAIS E DESLIGAMENTO DE FUNCIONÁRIOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE ADMISSÃO, ALTERAÇÕES CADASTRAIS E DESLIGAMENTO DE FUNCIONÁRIOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Data Elaboração: 15/06/2016 Código: PTI-02 Elaborado por: Julio Cezar Nicolosi Gerente TI Área Responsável: Tecnologia da Informação Revisado por: Gabriele G. Heilig Coord. de Auditoria

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Ano de Elaboração 2014 Apresentação A empresa E. Orlando Roos Comércio de Cereais Ltda, vem através deste documento consolidar o bem mais valioso que uma instituição pode ter:

Leia mais

Metodologia SciELO. Odila Duru BIREME/OPAS/OMS. I Encontro de Editores de Revistas Científicas na Área de Psicologia São Paulo, 30 de agosto de 2004

Metodologia SciELO. Odila Duru BIREME/OPAS/OMS. I Encontro de Editores de Revistas Científicas na Área de Psicologia São Paulo, 30 de agosto de 2004 Metodologia SciELO Odila Duru BIREME/OPAS/OMS I Encontro de Editores de Revistas Científicas na Área de Psicologia São Paulo, 30 de agosto de 2004 Novas Perspectivas da Comunicação Científica Peer Review

Leia mais

Manual de Identidade Visual. Normas e padrões de utilização

Manual de Identidade Visual. Normas e padrões de utilização Manual de Identidade Visual Normas e padrões de utilização Apresentação A Fundep - Fundação de Desenvolvimento da pesquisa, vem através deste documento consolidar o bem mais valioso que uma instituição

Leia mais

GERIR O TRÂMITE DE EXPEDIENTES 1 OBJETIVO

GERIR O TRÂMITE DE EXPEDIENTES 1 OBJETIVO Proposto por: Serviço de Mensageria () Analisado por: Diretor do Departamento de Infraestrutura Operacional (DEIOP) Aprovado por: Diretor Geral da Diretoria- Geral de Logística (DGLOG) 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

Elaboração de um plano de trabalho para captura, conservação e acesso de. Elaboração de um plano de trabalho

Elaboração de um plano de trabalho para captura, conservação e acesso de. Elaboração de um plano de trabalho Elaboração de um plano de trabalho Elaboração de um plano de trabalho Elaboração de um plano de trabalho Elaboração de um plano de trabalho Elaboração de um plano de trabalho Elaboração de um plano de

Leia mais

Criação do Conhecimento como processo Sintetizador

Criação do Conhecimento como processo Sintetizador Criação do Conhecimento como processo Sintetizador Criação do Conhecimento como Processo Sintetizador Coleta de informações publicadas e não publicadas Coleta de informações externas Coleta de informações

Leia mais

Colégio Estadual Osmar Guaracy Freire Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Curso Técnico em Eventos

Colégio Estadual Osmar Guaracy Freire Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Curso Técnico em Eventos Colégio Estadual Osmar Guaracy Freire Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Curso Técnico em Eventos FORMAÇÃO EM AÇÃO - SEGUNDO SEMESTRE CURSO TÉCNICO EM EVENTOS APUCARANA/2014 Colégio Estadual Osmar

Leia mais

CINEMATECA BRASILEIRA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL / MINISTÉRIO DA CULTURA ROLOS DE NITRATO PERDIDOS NO INCÊNDIO Introdução

CINEMATECA BRASILEIRA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL / MINISTÉRIO DA CULTURA ROLOS DE NITRATO PERDIDOS NO INCÊNDIO Introdução CINEMATECA BRASILEIRA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL / MINISTÉRIO DA CULTURA ROLOS DE NITRATO PERDIDOS NO INCÊNDIO Introdução Na madrugada do dia 03 de fevereiro de 2016, ocorreu um incêndio que atingiu um

Leia mais

Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL. Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006

Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL. Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006 Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006 DOU de 20.3.2006 Aprova o Programa Gerador de Documentos do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica -

Leia mais

Boletim Trabalho no Rio de Janeiro

Boletim Trabalho no Rio de Janeiro Boletim Trabalho no Rio de Janeiro Uma proposta para a Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego da Cidade do Rio de Janeiro 1. Antecedentes A ideia de uma publicação que abordasse a conjuntura do mercado

Leia mais

REGULAMENTO II CONCURSO DE FOTOGRAFIA DO IFF CAMPUS MACAÉ BIOLOGIA PRA MIM É... CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

REGULAMENTO II CONCURSO DE FOTOGRAFIA DO IFF CAMPUS MACAÉ BIOLOGIA PRA MIM É... CAPÍTULO I DAS FINALIDADES REGULAMENTO II CONCURSO DE FOTOGRAFIA DO IFF CAMPUS MACAÉ BIOLOGIA PRA MIM É... CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º. O presente concurso tem a finalidade de incentivar o interesse pela Biologia através

Leia mais

Ferramentas eletrónicas e preservação digital. - A realidade do Algarve -

Ferramentas eletrónicas e preservação digital. - A realidade do Algarve - Ferramentas eletrónicas e preservação digital A presente comunicação tem por base parte do diagnóstico que a Rede de Arquivos do Algarve (RAalg) realizou em 205 aos Arquivos do Algarve, com a finalidade

Leia mais

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH AEP Seminário 02 de Abril de 2008 Breves reflexões sobre a GRH - Programas de desenvolvimento dos recursos humanos não estão interligados com a estratégia - Recursos Humanos geridos como centros de custo

Leia mais

Câmara dos Deputados - Comissão de Defesa do Consumidor. Audiência Pública: Modelo de Negócio das Moedas Virtuais. Brasília,

Câmara dos Deputados - Comissão de Defesa do Consumidor. Audiência Pública: Modelo de Negócio das Moedas Virtuais. Brasília, Câmara dos Deputados - Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública: Modelo de Negócio das Moedas Virtuais Brasília, 18.11.2015 Tipos de moedas Substitutos potenciais das moedas físicas Moeda (tradicional)-

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

REGULAMENTO Depósito de Documentos no Repositório Científico. Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinete Apoio à Reitoria 1.

REGULAMENTO Depósito de Documentos no Repositório Científico. Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinete Apoio à Reitoria 1. REGULAMENTO Depósito de Documentos no Repositório Científico Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor 1.1 Revisto e confirmado por: Data de Aprovação Inicial 26 de Março de 2012 Data de aplicação da

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 18.289, DE 13 DE JULHO DE 2016. Aprova o Plano de Classificação e a Tabela de Temporalidade de s da Secretaria Municipal de Gestão e Finanças atividadesfim, para efeitos legais. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8

RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Instituto Paulista de Ensino FIPEN CPA - Comissão Própria de Avaliação RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Dezembro/2014 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 4 A O PROCESSO DE AUTO AVALIACÃO... 6 B - DIMENSÕES... 7 1.

Leia mais

Informática. Backup do Windows. Professor Márcio Hunecke.

Informática. Backup do Windows. Professor Márcio Hunecke. Informática Backup do Windows Professor Márcio Hunecke www.acasadoconcurseiro.com.br Informática BACKUP DO WINDOWS Para ajudar a assegurar que você não perderá os arquivos, você deverá fazer o backup

Leia mais

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO UFERSA DISCIPLINA: INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes 2012.2 INTRODUÇÃO Principais ferramentas - garantia da inocuidade,

Leia mais

1º CONCURSO FOTOGRÁFICO NATAL DO CORAÇÃO REGULAMENTO

1º CONCURSO FOTOGRÁFICO NATAL DO CORAÇÃO REGULAMENTO 1º CONCURSO FOTOGRÁFICO NATAL DO CORAÇÃO REGULAMENTO 1 APRESENTAÇÃO: 1.1 O Concurso Fotográfico NATAL DO CORAÇÃO 2012, é uma iniciativa da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Santa Maria (CDL) e Prefeitura

Leia mais

F10Backup. Mais segurança e tranquilidade para os dados da sua escola. VERSÃO 01/2015

F10Backup. Mais segurança e tranquilidade para os dados da sua escola.  VERSÃO 01/2015 F10Backup Mais segurança e tranquilidade para os dados da sua escola VERSÃO 01/2015 www.f10.com.br F10 Backup, imprescindível para qualquer banco de dados Tudo na vida está propenso a falhas. E pensando

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMA/SMF Nº 82 DE 19 DE ABRIL DE 2016.

RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMA/SMF Nº 82 DE 19 DE ABRIL DE 2016. RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMA/SMF Nº 82 DE 19 DE ABRIL DE 2016. Acrescenta parágrafo à Resolução Conjunta CGM/SMA/SMF nº 70, de 10 de maio de 2013, para determinar procedimentos a serem adotados no caso de

Leia mais

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO 1 Nome do Projeto 2 Código Projeto Fiscalização do Exercício e Atividade Profissional 3 Coordenador(a) 4 Tipo de Projeto João Augusto de Lima Estratégico 5 Gestor(a) 6 Programa Igor de Mendonça Fernandes

Leia mais

Resolução de Problemas da Informática Básica. Roger Daniel Boeira

Resolução de Problemas da Informática Básica. Roger Daniel Boeira Resolução de Problemas da Informática Básica Roger Daniel Boeira boeira.roger@gmail.com Usuário: userlab Senha: Equileus rogerdanielboeira.weebly.com Práticas de Backup O que é backup e como fazer? Backup

Leia mais

Manual de Compliance e Controles Internos Compliance

Manual de Compliance e Controles Internos Compliance Manual de Compliance e Controles Internos Compliance Junho de 2016 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. APLICABILIDADE... 2 3. RESPONSABILIDADES... 2 3.1. ÁREAS INTERNAS 2 3.2. COMPLIANCE 2 3.3. DIRETORIA 2 3.4.

Leia mais

No. Revisão Data. Autor TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS.

No. Revisão Data. Autor TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS. Procedimentos Operacionais No. Revisão Data 1764/00 08 30/04/2012 SGS do Brasil Ltda. Manual de Procedimentos Industrial Autor Aprovado por Fabiane Vencato Marcelo Stenzel TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES,

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Sistemas Operacionais (SOP A2)

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Sistemas Operacionais (SOP A2) Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Sistemas Operacionais (SOP A2) Visão Geral Referências: Sistemas Operacionais Modernos. Andrew S. Tanenbaum. Editora Pearson. 3ª ed. 2010. Seção: 1.1

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL UNIFICADO EDITAL DE DOAÇÃO DE BENS PÚBLICOS N.

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL UNIFICADO EDITAL DE DOAÇÃO DE BENS PÚBLICOS N. ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL UNIFICADO EDITAL DE DOAÇÃO DE BENS PÚBLICOS N. 001/2016 Ao Exmº Dr. Sr. MÁRIO ROBERTO KONO DE OLIVEIRA, MMº. Juiz de Direito

Leia mais

1º SEMINÁRIO: Gestão Estratégica para Departamentos Jurídicos e Escritórios de Advocacia. LOCAL: Recife-PE 22/11/2013

1º SEMINÁRIO: Gestão Estratégica para Departamentos Jurídicos e Escritórios de Advocacia. LOCAL: Recife-PE 22/11/2013 DIVISÃO DE CONSULTORIA 1º SEMINÁRIO: Gestão Estratégica para Departamentos Jurídicos e Escritórios de Advocacia LOCAL: Recife-PE 22/11/2013 TEMA DA PALESTRA: Gestão de Fluxos de Trabalho e Indicadores

Leia mais

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES Preservação e organização de documentos teatrais: o laboratório de informações e memória da ECA/USP Elizabeth Ferreira Cardoso Ribeiro Azevedo Cibele Araújo Camargo Marques dos Santos Andréia Alves Ferreira

Leia mais

REGISTRAR NÃO CONFORMIDADE HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação

REGISTRAR NÃO CONFORMIDADE HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação REGISTRAR NÃO CONFORMIDADE HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 15/03/2013 01 Item 5.4 Revisão das Notas Elaborado por: Revisado por: Marcela Garrido Saada Chequer

Leia mais

A importância do estudo e descrição das entidades produtoras de arquivos, através da elaboração de Registos de Autoridade Arquivística (RAA)

A importância do estudo e descrição das entidades produtoras de arquivos, através da elaboração de Registos de Autoridade Arquivística (RAA) A importância do estudo e descrição das entidades produtoras de arquivos, através da elaboração de Registos de Autoridade Arquivística (RAA) I Encontro de Arquivos Contemporâneos ENTRE PARADIGMAS: DA CUSTÓDIA

Leia mais

Guia de uso do Cartão do Número de Pessoa Física

Guia de uso do Cartão do Número de Pessoa Física Guia de uso do Cartão do Número de Pessoa Física 1 Uso e manuseio do Cartão do Número de Pessoa Física 1 O Cartão do Número de Pessoa Física pode ser usado como documento de identificação pessoal e do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia COMO SOLICITAR UM PROJETO? Para solicitações de projetos de arquitetura e engenharia,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 OBJETIVO Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores de resíduos sólidos provenientes

Leia mais

. ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS

. ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS . ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS ASPECTOS LEGAIS LEI Nº 4.751, DE 7 DE FEVEREIRO DE 2012 Dispõe sobre o Sistema de Ensino e a Gestão Democrática do Sistema de Ensino Público do Distrito Federal. PORTARIA Nº

Leia mais

Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações. Professora: Caroline Camera

Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações. Professora: Caroline Camera Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações Professora: Caroline Camera Origens da Contabilidade de Custos A preocupação com a Contabilidade nasceu desde que o homem passou a possuir

Leia mais

ANEXO I PLANO DE TRABALHO 1/3 GOVERNADOR DO ESTADO FRANCISCO SÁ CAVALCANTE

ANEXO I PLANO DE TRABALHO 1/3 GOVERNADOR DO ESTADO FRANCISCO SÁ CAVALCANTE ANEXO I PLANO DE TRABALHO 1/3 1-DADOS CADASTRAIS ÓRGÃO/ENTIDADEPROPONENTE GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS ENDEREÇO RODOVIA VITAL DE MENDONÇA KM 09 FLORES CIDADE UF CEP DDD/TELEFONE E.A MANAUS AMAZONAS 69048-660

Leia mais

INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE

INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE (2013-2014) 1 Maputo, October, 2014 CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA

Leia mais

TESTES DE SOFTWARE Unidade 1 Importância do Teste de Software. Luiz Leão

TESTES DE SOFTWARE Unidade 1 Importância do Teste de Software. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático 1.1 - O teste nas fases de vida e de desenvolvimento de um software. 1.2 - O teste na engenharia de sistemas e na engenharia de

Leia mais

Introdução ao Hardware Informática Básica e Aplicada PROFESSOR: DANIEL BRANDÃO

Introdução ao Hardware Informática Básica e Aplicada PROFESSOR: DANIEL BRANDÃO Introdução ao Hardware Informática Básica e Aplicada PROFESSOR: DANIEL BRANDÃO 1 Quem sou eu? Daniel Brandão Graduado em Sistemas para Internet Especialista em Tecnologia Para Aplicações Web Desenvolvedor

Leia mais

e-manual Premium Manual (2 volumes) 4 Mapas Desdobráveis (oferta ao aluno)

e-manual Premium Manual (2 volumes) 4 Mapas Desdobráveis (oferta ao aluno) zona de cola GEOGRAFIA 8.o ANO Manual ( volumes) 4 Mapas Desdobráveis (oferta ao aluno) Caderno de Atividades Caderno do Aluno (oferta ao aluno) Guia do Professor (na banda lateral do manual) Guia do Professor

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS AVALIAR DESEMPENHO DE CONTRATADA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS AVALIAR DESEMPENHO DE CONTRATADA MP080.100.030.160.040 1/11 MANUAL DE PROCEDIMENTOS AVALIAR DESEMPENHO DE CONTRATADA ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 R. 0 1 2

Leia mais

UNIDADE CENTRAL DE CONTROLE INTERNO - UCI AV. JOSÉ HUMÁRCIO CARLOS FERREIRA, S/N.º, CENTRO CAPÍTULO I

UNIDADE CENTRAL DE CONTROLE INTERNO - UCI AV. JOSÉ HUMÁRCIO CARLOS FERREIRA, S/N.º, CENTRO CAPÍTULO I UNIDADE CENTRAL DE CONTROLE INTERNO - UCI AV. JOSÉ HUMÁRCIO CARLOS FERREIRA, S/N.º, CENTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 001/2013 - UCI "Dispõe sobre o Manual de Normas e Procedimentos (MNP), uniformiza, disciplina

Leia mais

AUXÍLIO-FUNERAL 1 OBJETIVO

AUXÍLIO-FUNERAL 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe do Departamento de Administração de Pessoal (DEAPS) Analisado criticamente por: Diretora do Departamento de Administração de Pessoal (DEAPS) Aprovado por: Diretor-Geral da Diretoria-

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais

Objetivo: Garantir a continuidade das ações de melhoria no ambiente de trabalho, visando a produtividade e bem estar dos colaboradores da Unidade.

Objetivo: Garantir a continuidade das ações de melhoria no ambiente de trabalho, visando a produtividade e bem estar dos colaboradores da Unidade. Definição: Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de manter padrões de organização e limpeza, agilizando atividades diárias e diminuindo tempo e custos. Objetivo: Garantir a continuidade das ações

Leia mais

Conceitos e ferramentas da qualidade. PROFESSORA: Erika Liz

Conceitos e ferramentas da qualidade. PROFESSORA: Erika Liz Conceitos e ferramentas da qualidade PROFESSORA: Erika Liz Introdução e Definições As organizações, ao longo de suas existências, sempre buscaram, ainda que de modo empírico, caminhos para suas sobrevivência

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS INSTRUÇÃO NORMATIVA CGM N.º 0/09 1 / 5 O CONTROLADOR GERAL DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO XINGU MT., no uso de suas atribuições legais, com base na Lei Municipal n.º 353/2008, regulamentado pelo Decreto Municipal

Leia mais

NOSSA POLÍTICA AMBIENTAL

NOSSA POLÍTICA AMBIENTAL A PUMA TAMBORES, com o objetivo de divulgar a sua política ambiental e conscientizar seus fornecedores e prestadores de serviços quanto aos aspectos ambientais, elaborou este Manual de Requisitos Ambientais

Leia mais

REGULAMENTOS. Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia,

REGULAMENTOS. Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, 28.5.2014 L 159/41 REGULAMENTOS REGULAMENTO DELEGADO (UE) N. o 574/2014 DA COMISSÃO de 21 de fevereiro de 2014 que altera o anexo III do Regulamento (UE) n. o 305/2011 do Parlamento Europeu e do Conselho

Leia mais

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade:

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade: Resolução n 225, de 21 de junho 2016. Aprova emendas ao Regimento Geral da Universidade, cria setores e dá outras providências. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Planalto Catarinense

Leia mais

Assunto 2: Administração do Conhecimento

Assunto 2: Administração do Conhecimento Assunto 2: Administração do Conhecimento Objetivos do Capítulo Administração do Conhecimento 1. Explicar como os sistemas de administração do conhecimento podem ajudar na iniciativa de construir uma empresa

Leia mais

Condições gerais da Biblioteca de Dianópolis

Condições gerais da Biblioteca de Dianópolis CÂMPUS DIANÓPOLIS UNITINS SUDESTE A avaliação interna da Unitins destacou como principais problemas identificados pelos discentes, docentes e técnicos administrativos, nas instalações físicas da universidade:

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011

PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011 PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA 2011 Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011 PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 PRORROGAÇÃO PARA 2011 OBJECTIVO ESTRATÉGICO OBJECTIVO ESPECÍFICO

Leia mais

Unidade: Pesquisa Operacional e a Tomada de

Unidade: Pesquisa Operacional e a Tomada de Unidade: Pesquisa Operacional e a Tomada de Unidade I: Decisão 0 Unidade: Pesquisa Operacional e a Tomada de Decisão Pesquisa Operacional é um ramo da ciência administrativa que fornece instrumentos para

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO PARA O CONCURSO DE IDEIAS PARA LOGOTIPO DO GABINETE DA JUVENTUDE DA CÂMARA MUNICIPAL DO BARREIRO

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO PARA O CONCURSO DE IDEIAS PARA LOGOTIPO DO GABINETE DA JUVENTUDE DA CÂMARA MUNICIPAL DO BARREIRO O Gabinete da Juventude da Câmara Municipal do Barreiro irá promover, no âmbito da inauguração das novas instalações do Espaço J, várias iniciativas de modo a comemorar este evento. Integrado nas iniciativas

Leia mais

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL. Processo Eletrônico

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL. Processo Eletrônico CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL Processo Eletrônico Lúcio Melre da Silva STI - CJF Justiça Federal Brasileira Processos em Tramitação na Justiça Federal Período: 2002 a setembro de 2007 Ano TRFs (1) SJs (1)

Leia mais