MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO"

Transcrição

1 MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO 1 Informações sobre os sócios, pois são responsáveis pela proposta do negócio. Caso ocorra necessidade, inserir mais campos, linhas ou colunas. Sócio 1 - Nome: RG: Órgão Emissor: CPF: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone: FAX: Formação Profissional: Sócio 2 - Nome: RG: Órgão Emissor: CPF: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone: FAX: Formação Profissional: Atribuições no Empreendimento: Sócio 3 - Nome: RG: Órgão Emissor: CPF: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone: FAX: Sócio 4 - Nome: RG: Bairro: Telefone: Sócio 5 - Nome: RG: Bairro: Telefone: 2 Natureza/Descrição do empreendimento: Individual Limitada Sociedade Anônima Razão Social: Nome Fantasia: CNPJ: Insc. Estadual: Insc. Municipal: Página 1

2 2.1.-Nome dos Sócios e respectivas participações no Capital da empresa Nome do Sócio Participação % Áreas de competência Adm/Produção/Tecnológica (áreas de conhecimento de cada sócio) Nomes do Sócio Área Responsáveis pela gestão do empreendimento (por área). Área Sócio Responsável Área Administração Área Financeira Área de Produção Área Tecnológica Área Comercial: Compras e Vendas 3 Plano estratégico 3.1 Missão Visão - Valores: Missão: Visão: Valores: 3.2 Ameaças e oportunidades: Ameaças: Oportunidades: Página 2

3 3.3 Pontos fortes: 3.4 Pontos fracos: 4 Produtos e serviços Negócio Social 4.1 Descrição do Ramo de Atividade, do Negócio Social (Produto/serviço). 4.2 Foco do Negócio. (Mercado potencial e concorrência) Diferenciais dos produtos/serviços (em relação aos disponíveis no mercado) 4.4 Estágio atual do desenvolvimento do produto/serviço* (Caso ocorra necessidade) Este quadro é para ser preenchido caso os sócios estejam desenvolvendo um novo produto ou um novo serviço...dependendo de prazos para conclusão. FASE ESTÁGIO - PRODUTOS Estágio Atual Cronograma por trimestre (marque com um x) 1º Trim 2º Trim 3º Bim 4º Trim 01 Concepção e Maturação da ideia 02 Especificação do Plano 03 Em desenvolvimento 04 Em teste 05 Protótipo 06 Demonstração em cliente 07 Em comercialização * Quando o projeto se referir a mais de um produto/serviço, fazer um cronograma para cada produto, separadamente. FASE ESTÁGIO - SERVIÇOS Estágio Atual 01 Maturação da ideia 02 Em especificação 03 Em desenvolvimento 04 Em teste 05 Protótipo 06 Demonstração em cliente 07 Em comercialização Cronograma por trimestre (marque com um x) 1º Trim 2º Trim 3º Bim 4º Trim Página 3

4 5) Comercialização 5.1 Estratégias de venda e assistência técnica. (Quais serão as estratégias para vendas?) 6) Plano de investimentos 6.1 Investimentos iniciais Descrição Valor R$ 1. Estudo de mercado (Se for o caso, tem que pagar para terceiros ou você mesmo fazer) 2. Registro de marcas e patentes (Nem sempre é necessário, pois tem custo alto) 3. Honorários (Escritório de Contabilidade e Assessoria) 4. Registro da Empresa (Despesas com JUCESP/RECEITA FED-EST/PREF/Outros Órgãos) 5. Máquinas e Equipamentos 6. Móveis / Utensílios 7. Capital de giro (dinheiro para gerir a empresa mensalmente) 8. Outros (especificar) 9. Total 6.2 Origem dos recursos (investimentos iniciais dos sócios Capital Inicial) Recursos de terceiros Valor Total Recursos próprios (%) Financiamento Banco (%) R$ R$ R$ 7) Receitas e Custos para o (1º Ano) R$ 7.1 Receitas operacionais (Previsão de Vendas de Produtos/Serviços em R$) Ano R$ - 1º Trimestre R$ 2º Trimestre R$ 3º Trimestre R$ 4º Trimestre Total R$ 1º Ano 2º Ano 3º Ano 4º Ano 5º Ano 7.2 Custo fixo anual (1º ano) R$ Descrição Valor Anual 1. Salários e encargos (SALÁRIO-INSS-FGTS-13º-FÉRIAS) 2. Pró-labore (Retirada de salário mensal dos Sócios) 3. Taxas Diversas (Taxa de Telefone Fixo e Celular, Energia Elétrica, Consumo de Água) 4. Material de Escritório (Papel Caneta Grampeador outros) 5. Manutenção e Conservação (Material Limpeza Material de Cozinha Café-Açucar e Outros) 7. Seguros (bens da empresa para os sócios para os funcionários) 8. Outros 10. Total R$ Página 4

5 7.3 Custo Variável Gastos de acordo com o movimento da empresa no (1º ano) R$ Descrição Valor Anual R$ 1. Matéria Prima ou Compras de Produtos para Revenda 2. Material de Embalagem 3. Impostos Sobre as Vendas (+/- 5%) 4. Frete sobre as Compras 5. Outros ( Pagamento de Comissões sobre as vendas) 6. Total R$ 8) Demonstrativos simplificados de resultados (1º ano) Item Descrição Valores R$ 1 + Receita bruta (Quadro 7.1) 2 (-) (-) Custos Fixos ( Quadro 7.2) 3 (-) (-) Custos variáveis (Quadro 7.3) 4 (=) Resultado Operacional (1 2 3) 9 Projeção do fluxo de caixa mensal do 1º ano Trabalhe com valores em MIL R$1.000 Caso seja necessário, utilize folha anexa para montar o fluxo de caixa. Mensal Descrição Total Capital INICIAL/Saldo Inicial 1. Receita Operacional 2. (A) Total de Entrada 3. Despesa Operacional Investimentos (B) Total de Saída (C) Saldo do MÊS (A-B) A = Total da Entrada: CAPITAL INICIAL + (1 Receita Operacional) B = (3 + 4) C = (A B) Obs: O Saldo do Final Mês será o Saldo Inicial do próximo mês. 10) Indicadores 10.1 Ponto de equilíbrio anual: Primeiro ano (se não houver previsão de receita para o primeiro ano, não considere este item) P.E = Custo Fixo Anual Receita Prevista Anual Custo Variável x 100 Página 5

6 10.2 Tempo de retorno do investimento (TR) : Número de meses necessário para recuperar o dinheiro aplicado no investimento inicial. TR = Investimento Inicial Resultado operacional x 12 11) Utilização da infra-estrutura 11.1 Área física necessária para sua Empresa em M2: 11.2 Caso os sócios achem necessário, descrever outras necessidades quanto a serviços administrativos, treinamentos, consultoria, laboratórios, oficinas, etc.: Além dos itens desta planilha, elaborar o gráfico do Ponto de Equilíbrio, Balanço Patrimonial, conforme Fluxo de Caixa. Caso seja necessário, poderá inserir folhas avulsas para planilhas. Apresentação do Plano de Contas será: Planilha e Gráficos preenchidos, Apresentação do através do PowerPoint, com as imagens do processo do negócio. 12 Considerações finais. (Texto Livre) Página 6

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO 1 Informações sobre os sócios, pois são responsáveis pela proposta do negócio. Caso ocorra necessidade, inserir mais campos, linhas ou colunas. Sócio 1 - Nome: Sócio 2 - Nome:

Leia mais

ROTEIRO PARA PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA PLANO DE NEGÓCIOS I. APRESENTAÇÃO: dizer o que você quer fazer, que projeto/trabalho é o seu: Montar uma empresa? Implementar atividades (numa empresa já existente)? Renovar métodos? Assimilar

Leia mais

Divulgação de Resultados. Alteração no Agrupamento de Custos e Despesas e Revisão da Forma e Conteúdo do Demonstrativo de Fluxo de Caixa

Divulgação de Resultados. Alteração no Agrupamento de Custos e Despesas e Revisão da Forma e Conteúdo do Demonstrativo de Fluxo de Caixa Divulgação de Resultados Alteração no Agrupamento de Custos e Despesas e Revisão da Forma e Conteúdo do Demonstrativo de Fluxo de Caixa Objetivos e documentos impactados Objetivo: Agrupamento de Custos

Leia mais

3. CNAE E FATURAMENTO: 3.1. CNAE Principal (Código e Descrição da Atividade Econômica Principal, conforme CNPJ):

3. CNAE E FATURAMENTO: 3.1. CNAE Principal (Código e Descrição da Atividade Econômica Principal, conforme CNPJ): BNDES/GOIÁSFOMENTO CARTA-CONSULTA 1. RESUMO DA OPERAÇÃO PROPOSTA: 1.1. Sobre a Empresa 1.1.1. Empresa/Proponente: 1.1.2. Objetivo Social: 1.1.3. Localização do Empreendimento Proposto (município): 1.2.

Leia mais

Orçamento. (continuação) 06/09/2016. Orçamento de Vendas. Orçamento de Produção. Orçamento de Estoque Final

Orçamento. (continuação) 06/09/2016. Orçamento de Vendas. Orçamento de Produção. Orçamento de Estoque Final Orçamento (continuação) Vendas Estoque Final Produção matéria-prima direta mão-de-obra direta custos indiretos de fabricação Custo dos Produtos Vendidos investimentos financiamentos Caixa despesas de vendas

Leia mais

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO 1 Informações sobre o responsável pela proposta. Nome : Identidade: Órgão Emissor: CPF: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone: FAX: E-mail Formação Profissional: Atribuições

Leia mais

PR Ministério da Educação

PR Ministério da Educação PLANO DE NEGÓCIOS SIMPLIFICADO Obs.: este formulário deverá ser entregue após a realização do Curso sobre Elaboração de Plano de Negócios que está previsto para fevereiro e março de 2013. A FUTURA EMPRESA

Leia mais

APRENDA A FORMAR PREÇO DE VENDA. 08 a 11 de outubro de a 12 de novembro de 2016

APRENDA A FORMAR PREÇO DE VENDA. 08 a 11 de outubro de a 12 de novembro de 2016 APRENDA A FORMAR PREÇO DE VENDA 08 a 11 de outubro de 2014 09 a 12 de novembro de 2016 Missão do Sebrae Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orientar na implantação e no desenvolvimento de

Leia mais

7. Análise da Viabilidade Econômica de. Projetos

7. Análise da Viabilidade Econômica de. Projetos 7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos 7. Análise da Viabilidade Econômica de Terminologia em Custos: Gasto Investimento Custo Despesa Perda Desembolso 1 7. Análise da Viabilidade Econômica de

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL. Saldos em 31/12/2013

BALANÇO PATRIMONIAL. Saldos em 31/12/2013 PARTIDO: BALANÇO PATRIMONIAL ORGÃO DO PARTIDO UF EXERCÍCIO CÓDIGO CONTA Saldos em 31/12/2014 Saldos em 31/12/2013 CÓDIGO 1.1. ATIVO CIRCULANTE 2.1. PASSIVO CIRCULANTE 1.1.1. ATIVO CIRCULANTE - FUNDO PARTIDÁRIO

Leia mais

Contabilidade. História. Administração Prof.: Marcelo dos Santos. Contabilidade Gerencial 1

Contabilidade. História. Administração Prof.: Marcelo dos Santos. Contabilidade Gerencial 1 Administração Prof.: Marcelo dos Santos Contabilidade Gerencial 1 Contabilidade É a ciência teórica e prática que estuda os métodos de cálculo e registro da movimentação financeira e patrimônio das empresas.

Leia mais

FÓMULAS DE LANÇAMENTOS

FÓMULAS DE LANÇAMENTOS LANÇAMENTO CONTÁBIL Denominação que se dá ao registro de um fato contábil. Para o lançamento utilizaremos o método das partidas dobradas. O princípio fundamental desse método é o de que não há devedor

Leia mais

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO Fones: (83) 2-92 / 2-925 MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO Marcelo Alves de Barros, Dr. mbarros@computacao.ufcg.edu.br Este documento em forma de roteiro apresenta o conteúdo de referência para a elaboração do

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO

CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO Formação de preço CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO O preço se define a partir do público a quem se dirige o produto e como a empresa se coloca em relação aos produtos e serviços dos concorrentes. Por isso, depende

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA.

FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA. FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA gleicilene@unifei.edu.br Formação do Preço de Venda Fatores que influenciam a formação de preço de um produto ou serviço: Decisões da Concorrência: preço corrente, limitação

Leia mais

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos ::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: adsense1 AS RESPOSTAS ESTÃO DE VERMELHO. O BALANÇO PATRIMONIAL - EXERCÍCIOS 1) Aponte a alternativa em que não

Leia mais

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente?

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente? 1-Estruture o Balanço Patrimonial da Cia Alfa com os dados a seguir (em $ milhões - empresa comercial): (não há problema se sobrarem linhas...) Caixa 100; Ações de Outras Companhias 1.000; Fornecedores

Leia mais

Etapa 7 Plano Financeiro

Etapa 7 Plano Financeiro 17/10/12 Etapas do Plano de Negócios Etapa Detalhes 7. Plano financeiro Investimentos Projeção de resultados Ponto de equilíbrio Projeção fluxo de caixa Vendas Despesas Mão de obra Investimento é tudo

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2013

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2013 Etec Paulino Botelho Código: 091.06 Município: São Carlos EE: Professor Arlindo Bittencourt Eixo Tecnológico: Gestão

Leia mais

Título do Projeto:

Título do Projeto: RELATÓRIO DA ANÁLISE FINANCEIRA DATA www.estudosfinanceiros.com.br Título do Projeto: Localização: O presente relatório apresenta e descreve as necessidades de investimento e custos para a industrialização

Leia mais

Empresa 4 BETA Balanço Patrimonial em 31/12/X0

Empresa 4 BETA Balanço Patrimonial em 31/12/X0 1. Cenário: 1 A Empresa sec 5fabrica somente o produto. O processo orçamentário começa em outubro, antes do final do período contábil a 31 de Dezembro. Os resultados esperados no ano corrente, a se encerrar

Leia mais

1 D: Compra de Mercadorias ,00 D: ICMS a recuperar 6.300,00 C: Banco S/A ,00. 2 D: Salários a pagar 9.000,00 C: Caixa 9.

1 D: Compra de Mercadorias ,00 D: ICMS a recuperar 6.300,00 C: Banco S/A ,00. 2 D: Salários a pagar 9.000,00 C: Caixa 9. Curso de Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Comercial I 3ª Fase Professora: Lyss Paula de Oliveira ESTADO DE MATO GROSSO Resolução de Atividades Extra: Lançamentos no Diário: 1 D: Compra de Mercadorias

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

ORÇAMENTO DE VENDAS TOTAL = ,00 DADO 1. Demonstrativo 1. Preço de Venda. Unidades. Vendas Totais. Produto

ORÇAMENTO DE VENDAS TOTAL = ,00 DADO 1. Demonstrativo 1. Preço de Venda. Unidades. Vendas Totais. Produto ORÇAMENTO INDUSTRIA TÊXTIL SÃO JOSÉ ORÇAMENTO DE VENDAS Demonstrativo 1 Produto Unidades Preço de Venda Vendas Totais C de Casal 5000 210,00 1050000,00 C de Solteiro 6000 180,00 1080000,00 C de Criança

Leia mais

CRF/BA. Comparativo da Despesa Paga CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DA BAHIA - CRF-BA CNPJ: / Página:1/6

CRF/BA. Comparativo da Despesa Paga CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DA BAHIA - CRF-BA CNPJ: / Página:1/6 CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DA BAHIA - CRF-BA CNPJ: 13.529.565/0001-02 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 10.692.70 517.916,89 9.309.452,52 1.383.247,48 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS

Leia mais

CRF/BA. Comparativo da Despesa Paga CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DA BAHIA - CRF-BA CNPJ: / Página:1/6

CRF/BA. Comparativo da Despesa Paga CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DA BAHIA - CRF-BA CNPJ: / Página:1/6 CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DA BAHIA - CRF-BA CNPJ: 13.529.565/0001-02 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 10.292.70 9.375.483,91 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES 10.038.70

Leia mais

Gerenciamento de Custos em Projetos: A Visão do PMBok

Gerenciamento de Custos em Projetos: A Visão do PMBok Gerenciamento de Custos em Projetos: A Visão do PMBok Definições... Gerenciamento de Custos do Projeto O gerenciamento de custos do projeto inclui os processos envolvidos em planejamento, estimativa, orçamentação

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

ORÇAMENTO EMPRESARIAL

ORÇAMENTO EMPRESARIAL ORÇAMENTO EMPRESARIAL Engenharia de Produção Prof. Flávio Smania Ferreira flavioferreira@live.estacio.br http://flaviosferreira.wordpress.com PLANO DE ENSINO Ementa: A natureza do processo de planejamento

Leia mais

Apresentação INOVACRED

Apresentação INOVACRED Apresentação INOVACRED Financiamento Reembolsável Objetivo: Financiar empresas no desenvolvimento e/ou aprimoramento de produtos, processos ou serviços, bem como inovação em marketing ou inovação organizacional,

Leia mais

PROJETO EXECUTIVO DA CAMPANHA SUA NOTA VALE DINHEIRO

PROJETO EXECUTIVO DA CAMPANHA SUA NOTA VALE DINHEIRO PROJETO EXECUTIVO DA CAMPANHA SUA NOTA VALE DINHEIRO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE (Preencher todos os campos. Caso não exista a informação, anular o campo com um traço) NOME DA ENTIDADE CÓDIGO IDENTIFICADOR

Leia mais

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os CRISE Contabilidade Escreve, oficializa É a ciência que registra os Possuem denominador financeiro comum acontecimentos verificados no patrimônio de uma entidade Conjunto de bens direitos e obrigações

Leia mais

introdução ao marketing - gestão do design

introdução ao marketing - gestão do design introdução ao marketing - gestão do design Universidade Presbiteriana Mackenzie curso desenho industrial 3 pp e pv profa. dra. teresa riccetti Fevereiro 2009 A gestão de design, o management design, é

Leia mais

Freguesia de Norte Pequeno

Freguesia de Norte Pequeno Mapa do Orçamento de Receita (Inicial) Ano de 2016 Orçamento de Receita - Previsões Iniciais Data: 29-10-2016 Ano: 2016 (unidade: euros) 01.... 01.02... Código Designação Montante Receitas Correntes Impostos

Leia mais

CONCURSO DE IDEIAS. Já tens uma ideia? Vamos agora preencher o formulário?

CONCURSO DE IDEIAS. Já tens uma ideia? Vamos agora preencher o formulário? CONCURSO DE IDEIAS Já tens uma ideia? Vamos agora preencher o formulário? Identificação dos promotores e professores Os promotores é quem desenvolve o projeto VOCÊS! Identifiquem os dados de todos os elementos

Leia mais

CURSO DE SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria nº 433 de 21/10/2011 DOU de 24/10/2011 PLANO DE CURSO

CURSO DE SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria nº 433 de 21/10/2011 DOU de 24/10/2011 PLANO DE CURSO CURSO DE SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria nº 433 de 21/10/2011 DOU de 24/10/2011 Componente Curricular: Ética e Empreendedorismo Código: Pré-requisito: Período Letivo:

Leia mais

Oficina Elaborando Um m P l P a l n a o o de d e Ne N g e ó g c ó i c o i

Oficina Elaborando Um m P l P a l n a o o de d e Ne N g e ó g c ó i c o i Oficina Elaborando Um Plano de Negócio s Olá! Vamos iniciar agora um mergulho no mundo do planejamento de novos negócios! SEJA BEM-VINDO(A)! O Plano de Negócio... Analisa todas as variáveis em conjunto

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº /07

RESOLUÇÃO CFC Nº /07 RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.115/07 Aprova a NBC T 19.13 Escrituração Contábil Simplificada para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais

Leia mais

LUCRATIVIDADE : CRESCER, SOBREVIVER OU MORRER

LUCRATIVIDADE : CRESCER, SOBREVIVER OU MORRER LUCRATIVIDADE : CRESCER, SOBREVIVER OU MORRER SALVADOR SERRATO salvadors@sebraesp.com.br O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Orientar na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de

Leia mais

ANEXO 4.1 MODELO DE DECLARAÇÃO DE PROPOSTA DE DESCONTO

ANEXO 4.1 MODELO DE DECLARAÇÃO DE PROPOSTA DE DESCONTO ANEXO 4.1 MODELO DE DECLARAÇÃO DE PROPOSTA DE DESCONTO À Secretaria Municipal de Obras, Infraestrutura e Transporte do Município de São Mateus Comissão Especial de Licitação Ref. Concorrência nº 002/2016

Leia mais

PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... GASTOS

PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... GASTOS PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS Revisão de conceitos... GASTOS é uma expressão mais genérica, significa aquisição de algo, compra. É o sacrifício financeirodespendido pela empresa na aquisição

Leia mais

22/04/2013 ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) DEPRECIAÇÃO, CUSTOS FIXOS E CUSTOS VARIÁVEIS

22/04/2013 ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) DEPRECIAÇÃO, CUSTOS FIXOS E CUSTOS VARIÁVEIS ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 DEPRECIAÇÃO, CUSTOS FIXOS E CUSTOS VARIÁVEIS 1 CONCEITO Os Bens Patrimoniais, devido ao uso e pelo desgaste natural

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2013

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2013 EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2013 Plano de Negócios (Max 20 pág. sem anexos) Dados gerais do projeto 1. Resumo do Projeto; Descrever de maneira sucinta do que se trata o projeto. 2. Objetivo do Projeto;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Análise de Investimentos Copyright Pereira, F. I. Prof. Isidro MINI

Leia mais

Sumário. Parte II Mensuração do desempenho gerencial 31. Parte I Gestão 1. Gestão rural no século XXI 3

Sumário. Parte II Mensuração do desempenho gerencial 31. Parte I Gestão 1. Gestão rural no século XXI 3 Parte I Gestão 1 CAPÍTULO 1 Gestão rural no século XXI 3 Estrutura do estabelecimento agropecuário 4 Novas tecnologias 7 A era da informação 8 Controle de ativos 9 Recursos humanos 10 Produção para atender

Leia mais

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Flávio Smania Ferreira 5 termo ADMINISTRAÇÃO GERAL e-mail: flavioferreira@live.estacio.br blog: http://flaviosferreira.wordpress.com Demonstrações Contábeis: Representa

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Emerson Carlos Baú Msc Ciências Econômicas

PLANO DE NEGÓCIOS. Emerson Carlos Baú Msc Ciências Econômicas PLANO DE NEGÓCIOS Emerson Carlos Baú Msc Ciências Econômicas O QUE É PLANO DE NEGÓCIO? Um Plano de Negócio é um documento que descreve os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para que

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS APAE MORADA NOVA DE MINAS/MG

ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS APAE MORADA NOVA DE MINAS/MG DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCICIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E 31 DE DEZEMBRO DE 2007. Balanço Patrimonial Demonstração do Resultado do Exercício Demonstração das mutações do patrimônio líquido

Leia mais

MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Objetivos do Curso O curso tem por objetivo capacitar os participantes no desenvolvimento de competências relacionadas com a utilização dos

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Detalhado

Modelo de Plano de Contas Detalhado Modelo de Plano de Contas Detalhado Código da Conta Descrição da Conta 1. A T I V O 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.01 DISPONÍVEL 1.1.01.01 Caixa 1.1.01.02 Bancos c/ Movimento 1.1 01.03 Aplicações Financeiras

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO. 2.1 Custos diretos e custos indiretos

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO. 2.1 Custos diretos e custos indiretos CONTABILIDADE DE CUSTOS Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO 2.1 Custos diretos e custos indiretos Prof.: Marcelo Valverde CUSTOS Em relação a unidade produzida

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS EXERCÍCIO DE 2010

PRESTAÇÃO DE CONTAS EXERCÍCIO DE 2010 PRESTAÇÃO DE CONTAS EXERCÍCIO DE 2010 RESTOS A PAGAR DE 2009 PAGOS EM 2010 VI e AR 73.190,00 Valores Líquidos da folha (Serviços médicos p/ funcionários + HE) 17.712,04 Entidades Públicas Credoras (Cota

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO DE PLANO DE NEGÓCIOS. 2.1 Empresa Líder. Grupo Econômico CNAE principal Faturamento / Rec. Oper. Bruta de 2015

ANEXO I ROTEIRO DE PLANO DE NEGÓCIOS. 2.1 Empresa Líder. Grupo Econômico CNAE principal Faturamento / Rec. Oper. Bruta de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO ANEXO I ROTEIRO DE PLANO DE NEGÓCIOS Linha Temática PN solicita Não - Reembolsáveis 1 1 - Título do Plano de Negócio 2 - Cadastramento 2.1 Empresa Líder Razão Social CNPJ Grupo Econômico

Leia mais

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social.

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social. Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Professor: Roberto César Balanço Patrimonial ATIVO Circulante Compreende contas que estão constantemente em giro - em movimento, sua conversão em dinheiro

Leia mais

Brasil Pharma. Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016

Brasil Pharma. Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016 Brasil Pharma Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016 2 Destaques 2T16 Destaques: Margem Bruta Margem bruta de 30,0%, com crescimento de 1,6 p.p. em relação ao 1T16 e 2,4 p.p. em relação ao

Leia mais

Custos Diretos são facilmente alocados à produção. E os custos indiretos?

Custos Diretos são facilmente alocados à produção. E os custos indiretos? Custos Diretos são facilmente alocados à produção. E os custos indiretos? Custeio significa apropriação de custos. Custeio por absorção Custeio Variável Custeio ABC Custeio por absorção: é derivado de

Leia mais

Belém-PA Dezembro de 2010

Belém-PA Dezembro de 2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUO DE CIÊNCIAS SOCIAS E APLICADAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DOCENTE: HEBER MOREIRA DISCENTES: DIEGO C. TAVARES 08001004501 LIDIANE MARQUES 04001000701 PLANO DE NEGÓCIO Belém-PA

Leia mais

Esquema Básico de Custos (Absorção)

Esquema Básico de Custos (Absorção) Esquema Básico de Custos (Absorção) Vamos exemplificar o esquema básico da Contabilidade de Custos, lembrando que é parte relativa a utilização de Custos para Avaliação de Estoques para fins fiscais e

Leia mais

DATA 29/05/2014 Pagina 2 2.1.3.1.1.00.00.00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PR S C 0,00 582,25 3.432,21 2.849,96 C 2.1.3.1.1.01.00.00

DATA 29/05/2014 Pagina 2 2.1.3.1.1.00.00.00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PR S C 0,00 582,25 3.432,21 2.849,96 C 2.1.3.1.1.01.00.00 DATA 29/05/2014 Pagina 1 1.0.0.0.0.00.00.00 ATIVO S D 26.200,85 197.350,24 153.749,66 69.801,43 D 1.1.0.0.0.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE S D 15.643,04 197.350,24 153.614,51 59.378,77 D 1.1.1.0.0.00.00.00

Leia mais

PRÁTICA PROFISSIONAL (PP) I e II (TCC I e II) ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS

PRÁTICA PROFISSIONAL (PP) I e II (TCC I e II) ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PRÁTICA PROFISSIONAL (PP) I e II (TCC I e II) ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS Disciplinas: 254CD-04 Projeto de Negócios (TCC I - Via Empreendedora/240h) 254PN-04 Plano de Negócios (TCC II - Via Empreendedora/240h)

Leia mais

FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO

FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO Ponto de Equilíbrio Ponto de equilíbrio: - Quanto eu tenho que vender para obter lucro? - Por quanto eu vou vender os serviços? Calculo da

Leia mais

0007 ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO IPESC 20/11/ :08 Pág:0001 CNPJ: / Período: 01/07/2014 a 31/07/2014 Balancete Societário

0007 ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO IPESC 20/11/ :08 Pág:0001 CNPJ: / Período: 01/07/2014 a 31/07/2014 Balancete Societário 0007 ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO IPESC 20/11/2014 15:08 Pág:0001 1 S 1 ATIVO 938.218,79 47.302,43 30.140,53 955.380,69 2 S 1.1 CIRCULANTE 71.826,90 47.302,43 30.140,53 88.988,80 3 S 1.1.01 DISPONÍVEL

Leia mais

Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular SBBq

Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular SBBq A 1. Nome do Evento: 2. Organizador Sociedade Brasileira de Bioquímica e Formulário de Proposta para SBBq Conferences IDENTIFICAÇÃO DO EVENTO 3. Período da Realização: Início: Fim: 4. Local do Evento 5.

Leia mais

Av. João Machado, nº 553, Centro, Empresarial Plaza Center, 3º andar, sala 307. João Pessoa-PB - CEP:

Av. João Machado, nº 553, Centro, Empresarial Plaza Center, 3º andar, sala 307. João Pessoa-PB - CEP: 2 Av. João Machado, nº 553, Centro, Empresarial Plaza Center, 3º andar, sala 307. João Pessoa-PB - CEP: 58013-520 3 Fone: (83) 3513-2000 - Fax: (83) 3513-2001 - www.ampb.org.br - Twitter: @AMPB_magistrado

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ: Folha 59 BALANÇO PATRIMONIAL (Valores expressos em milhares de reais) ATIVO 2009 2008 PASSIVO 2009 2008 CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa 13 2.938 Empréstimos e financiamentos Banco 3.874 6.202 Fornecedores

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE RECEITAS E DESPESAS EXERCÍCIO TÍTULO DA CONTA DESCRIÇÃO DA CONTA TOTAL R$

DEMONSTRATIVO DE RECEITAS E DESPESAS EXERCÍCIO TÍTULO DA CONTA DESCRIÇÃO DA CONTA TOTAL R$ PARTIDO: ÓRGÃO DO PARTIDO: DEMONSTRATIVO DE RECEITAS E DESPESAS EXERCÍCIO MUNICÍPIO: TÍTULO DA CONTA DESCRIÇÃO DA CONTA TOTAL R$ 4. RECEITAS 4.1 RECEITAS OPERACIONAIS 4,1.1. RECEITAS OPERACIONAIS - FUNDO

Leia mais

PROJETO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PROJETO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Atividade: Plano de Inicialização de Negócios

Atividade: Plano de Inicialização de Negócios Atividade: Plano de Inicialização de Negócios Etapa 1 Criação e Configuração Criação do Projeto Crie um novo projeto chamado Inicialização de Negócios. Configuração do Projeto Clique na guia Projeto >

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 78.050 132.536 Fornecedores 23.096 19.064 Contas

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE MATADOUROS, ABATEDOUROS, FRIGORÍFICOS, CHARQUEADOS E DERIVADOS DE ORIGEM ANIMAL Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO

Leia mais

CRP/RS Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: /

CRP/RS Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: / Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: 03.230.787/0001-76 Participação das despesas sobre os centros de custo - Fase Pagamento Período: 01/01/2015 a 31/12/2015 01 - SEDE 01.01 - GESTÃO

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicações Práticas

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicações Práticas Introdução O capítulo desenvolverá aplicações práticas do processo de análise econômico-financeira com base nas demonstrações de uma empresa de eletroeletrônicos Todos os valores dos demonstrativos estão

Leia mais

Instituição: Instituto do Vinho do Douro e Porto,I.P. Ano: 2008 Mapa: Fluxos de Caixa

Instituição: Instituto do Vinho do Douro e Porto,I.P. Ano: 2008 Mapa: Fluxos de Caixa Recebimentos SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR Execução Orçamental - Fundos Próprios 16 01 01 De dotações orçamentais (OE ou OE...) 0,00 0,00 De receitas próprias Na posse do serviço 10.302.904,47 10.302.904,47

Leia mais

Curso de Administração Trabalho Integrado. Roteiro 2010/1 1º., 3º. e 5º. semestres 1. INTRODUÇÃO

Curso de Administração Trabalho Integrado. Roteiro 2010/1 1º., 3º. e 5º. semestres 1. INTRODUÇÃO Curso de Administração Trabalho Integrado Roteiro 2010/1 1º., 3º. e 5º. semestres 1. INTRODUÇÃO Trabalhar a interdisciplinaridade tem sido um desafio para muitos cursos de graduação. Outra questão é a

Leia mais

Contabilidade e Análise de Custos II 2016

Contabilidade e Análise de Custos II 2016 I. EXERCÍCIOS CUSTO FIXO, LUCRO E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO EXERCÍCIO 1 A empresa Arte em Estilo produz móveis de luxo por encomendas. Seus custos fixos totalizam R$ 9.600,00 por semana e suas despesas fixas

Leia mais

Sumário. Prefácio, xix

Sumário. Prefácio, xix Sumário Prefácio, xix 1 Introdução, 1 Objetivo do livro, 2 1.1 Citações importantes sobre planejamento financeiro com destaque para o fluxo de caixa no contexto empresarial, 2 2 Administração financeira

Leia mais

CRM/MG. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais CNPJ: / Página:1/5

CRM/MG. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais CNPJ: / Página:1/5 Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais CNPJ: 22.256.879/0001-70 Comparativo da Paga 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 30.345.00 5.193.686,26 13.591.852,81 16.753.147,19

Leia mais

Paulo Humberto Sturion

Paulo Humberto Sturion Paulo Humberto Sturion TÓPICOS DA PALESTRA ESCOPO DO TRABALHO E CONCEITOS UTILIZADOS APRESENTAÇÃO PLANILHAS: CUSTOS DESPESAS PREÇOS CONSIDERAÇÕES FINAIS ESCOPO DO TRABALHO E DEFINIÇÕES Informações para

Leia mais

ÍNDICES DE RENTABILIDADE

ÍNDICES DE RENTABILIDADE ÍNDICES DE ENTABILIDADE MÚLTIPLA ESCOLHA 1. Uma firma apresentou a seguinte demonstração do resultado: DEMONSTAÇÃO DO ESULTADO 31.12 % 31.12 +1% nas vendas aument o % Vendas...... 2. 1 4. +1 ( )Custo das

Leia mais

Formulário de Qualificação da Empresa / Empreendimento

Formulário de Qualificação da Empresa / Empreendimento Formulário de Qualificação da / Empreendimento Nome da /Empreendimento: Formulário de Qualificação da - V04-1 /15 - Informações Gerais da : Nome: Endereço: Cidade: Estado: CEP: Fone: Fax: Nome Fantasia:

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL. Aula 9. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL. Aula 9. Prof.: Marcelo Valverde CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL Aula 9 Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino da Disciplina: CONTABILIDADE GERENCIAL UNIDADE 05 Custeio Variável 5.1 Conceito de margem de contribuição 5.2 Custeio variável

Leia mais

Quarta-feira, 15 de abril de nº Ano XIX - Caderno C esta edição tem 32 páginas CONTA DESCRIÇÃO SDO. ANTERIOR DÉBITO CRÉDITO SDO.

Quarta-feira, 15 de abril de nº Ano XIX - Caderno C esta edição tem 32 páginas CONTA DESCRIÇÃO SDO. ANTERIOR DÉBITO CRÉDITO SDO. Imprensa Oficial da Estância de Atibaia esta edição tem 32 páginas ANDRE ASSESSORIA CONTABIL LTDA BALANCETE ANALíTICO 0472 APM DA EMEIF FELIPE PATACHO CALLEGARI CNPJ: 86.872.884/0001-90 FOLHA: 000001 DATA:

Leia mais

Modelagem Financeira Market Place

Modelagem Financeira Market Place Modelagem Financeira Market Place 1 Introdução Um dos grandes desafios para os empreendedores de uma startup é transformar o modelo de negócios em números, ou seja, estimar as receitas, custos e despesas

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações. Professora: Caroline Camera

Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações. Professora: Caroline Camera Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações Professora: Caroline Camera Origens da Contabilidade de Custos A preocupação com a Contabilidade nasceu desde que o homem passou a possuir

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO (SINTÉTICO) - DEMONSTRATIVO CONTÁBIL LEVANTADA EM 31/01/2015

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO (SINTÉTICO) - DEMONSTRATIVO CONTÁBIL LEVANTADA EM 31/01/2015 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO (SINTÉTICO) - DEMONSTRATIVO CONTÁBIL LEVANTADA EM 31/01/2015 APSOL GREEN - Associação dos Moradores do Residencial GGC Portal do Sol Green C.N.P.J.: 14.244.510/0001-19

Leia mais

REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL. PROFª: Gitano Souto Silva

REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL. PROFª: Gitano Souto Silva REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL PROFª: Gitano Souto Silva BALANÇO PATRIMONIAL O Balanço Patrimonial é uma demonstração contábil que evidencia, por meio das contas PATRIMONIAIS

Leia mais

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário Capítulo 16 DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO 16.1 Planejamento Orçamentário 16.1 Planejamento orçamentário 16.2 Elaboração de quadros orçamentários 16.3 Projeções de resultados Administração Financeira:

Leia mais

BALANCETE ANALÍTICO - MAIO/2015

BALANCETE ANALÍTICO - MAIO/2015 : 1 Saldo Anterior Débito no Mês Crédito no Mês Saldo Atual 1 ATIVO 6.600.996,71D 1.428.409,73 1.333.082,55 6.696.323,89D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 4.439.661,86D 1.363.308,43 1.313.426,98 4.489.543,31D 1.1.1

Leia mais

Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015

Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015 Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015 São Paulo Inova O Programa São Paulo Inova é uma iniciativa do Estado de São Paulo para apoiar empresas paulistas de base tecnológica e de perfil inovador em

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Áudio, Vídeo e Foto

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Áudio, Vídeo e Foto Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 2.024.098,05 432.765,55 1.591.332,50 DESPESA CORRENTE 1.256.703,32

Leia mais

TEXTO AULA 7: Cronograma e Orçamento.

TEXTO AULA 7: Cronograma e Orçamento. TEXTO AULA 7: Cronograma e Orçamento. 7.1 Cronograma (Prazos) Quando se pergunta a alguém o que faz um projeto ser bem-sucedido, temos como uma das respostas mais freqüentes: prazos realistas. E o que

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANGUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: CONTABILIDADE DE CUSTOS Eixo tecnológico: GESTÃO E NEGOCIOS

Leia mais

PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CACAU EM EUNÁPOLIS-BA

PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CACAU EM EUNÁPOLIS-BA PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CACAU EM EUNÁPOLIS-BA Os produtores de Eunápolis se reuniram, em 11/05, para participarem do levantamento de custos de produção de cacau para o projeto Campo Futuro,

Leia mais

O TRATAMENTO DAS RECEITAS FINANCEIRAS NA ANÁLISE ECONÔMICA

O TRATAMENTO DAS RECEITAS FINANCEIRAS NA ANÁLISE ECONÔMICA O TRATAMENTO DAS RECEITAS FINANCEIRAS NA Receita financeira é operacional ou não? Tratamento da receita financeira em separado. Como fazer? Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor

Leia mais

F ormulário de Ins c riç ão - E dital 001/16/P re P R OIN.UE G

F ormulário de Ins c riç ão - E dital 001/16/P re P R OIN.UE G F ormulário de Ins c riç ão - E dital 001/16/P re P R OIN.UE G OBS..: Este formulário em pdf é apenas o espelho do formulário online que deve ser preenchido para facilitar a compreensão das informações

Leia mais

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 04/04/1963 - Distância da capital: 320 km - Área: 1.129 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Chapada do Apodi - População: 12.374 (IBGE/2007)

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são palestras

Leia mais