A TAMPA DO COMANDO À DISTÂNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A TAMPA DO COMANDO À DISTÂNCIA"

Transcrição

1 PASSO A PASSO A TAMPA DO COMANDO À DISTÂNCIA COMPONENTES Com este fascículo também são entregues algumas das peças necessárias para completar o comando à distância universal. Neste caso são dois parafusos e a tampa da carcaça. Continuando com as peças que compõem o comando à distância universal, agora entregam-se a tampa da caixa. Este elemento, de cor preta, protegerá as peças do interior do comando, concretamente o emissor e o receptor, de pancadas e do pó. Embora pareça opaca, a tampa permite a passagem dos raios infravermelhos. Assim, o funcionamento do comando não é influenciado pela presença deste elemento protector. Por esta razão, a tampa é parecida, em termos de função e constituição, com as peças análogas utilizadas nas portas de comunicação por infravermelhos para PC e telemóveis ou nos comandos à distância normais. Para evitar danificar a sua superfície é aconselhável manter a tampa no invólucro de plástico até que chegue a altura de montar o comando à distância. O mesmo conselho aplica-se ao resto das peças entregues até agora, incluindo os dois parafusos de 2,3 x 6 mm que completam o conjunto de elementos incluídos neste fascículo. Estes parafusos, em concreto, vão servir para fixar a placa de controlo do comando à distância à caixa que lhe serve de carcaça. BRAÇOS E MÃO, parafusos de 2,3 x 6 mm 2. Tampa da caixa Peças do comando à distância (à excepção da placa de controlo e da tampa). Primeira parte da caixa (à direita com as outras peças do fascículo 84); a segunda metade da caixa (à esquerda, fascículo 85); o cabo do tipo mini-usb (em cima, à esquerda, fascículo 87); o circuito (em cima, fascículo 88). 1371

2 PASSO A PASS0 DUPLICAR EM C-LIKE O COMPORTAMENTO VISÃO PROGRAMAÇÃO Alguns comportamentos pré-definidos que podem ser activados em O SEU ROBOT são facilmente reproduzíveis utilizando a linguagem de programação C-like. Com o código que apresentamos neste exemplo criaremos um clone do comportamento Visão introduzindo uma variante interessante. No seguinte exemplo em C-like vemos como implementar um programa clone do comportamento Visão, um dos pré-definidos em O SEU ROBOT. Recordemos que este último se encarrega de fazer com que o robot siga com a cabeça os movimentos de um objecto de uma cor determinada, detectado graças à câmara CMOS da cabeça do robot. O reconhecimento dos objectos produz-se processando as imagens captadas pelo sensor. Os píxeis que têm uma cor semelhante à indicada como «target» reagrupam-se para localizar áreas contíguas que correspondam aos objectos identificados. No comportamento pré-definido, a referida cor está configurada em tonalidades semelhantes às da pele de uma pessoa e não se pode modificar. Neste exemplo, no entanto, acrescentámos a possibilidade de personalizar a nosso gosto a cor dos objectos que o O SEU ROBOT segue. Concretamente, podem-se estabelecer, no código C-like do programa, duas cores distintas. Para passar de uma cor para outra basta dar as ordens orais «um» e «dois». Com a ordem «zero» fecha-se a aplicação. CONFIGURAÇÃO DAS CORES Para fazer com que O SEU ROBOT reconheça adequadamente as cores que queremos configurar é preciso defini-las com alguma precisão. A câmara CMOS não percebe as cores da mesma maneira que o sistema de visão humano. Aquilo que para a nossa vista é um amarelo forte, poderá ser captado pela câmara como um amarelo menos saturado. Calibrar as cores é uma operação bastante simples. Em primeiro lugar, temos que arranjar dois pedaços de cartão de duas cores diferentes e que meçam, aproximadamente, 15 x 15 centímetros. Cada um dos recortes será o objectivo que seguirá O SEU ROBOT quando receber, respectivamente, as ordens orais Imagem de um pedaço de cartão de cor captada por O SEU ROBOT e analisada com um programa de tratamento de imagem para se obterem as três componentes de cor (vermelho, verde e azul). «um» e «dois». Depois, indica-se ao robot que tire uma fotografia a cada um dos pedaços de cartão. Para se obter a cor captada pela câmara CMOS é necessário abrir as imagens com um programa de tratamento de imagem (como o Photoshop ou o GIMP, que pode ser descarregado gratuitamente de e utilizar a ferramenta «conta-gotas» para se ter a referência exacta da cor nas imagens, na RGB (vermelho, verde e azul). Para cada um dos três canais de cor é fornecido um valor situado entre 0 e 255. Anotam-se os três valores obtidos para cada um dos dois cartões pois vão servir de referência para configurar as cores do «target» no código C-like do programa. O CÓDIGO DO PROGRAMA Analisamos agora o código do programa. Depois da ação dos arquivos da biblioteca robot.h e c-like.h, necessários para o funcionamento da aplicação, aparecem as duas variáveis X e Y, dedicadas à memorização do ponto central do objecto identificado por O SEU ROBOT. 1372

3 DUPLICAR EM C-LIKE O COMPORTAMENTO VISÃO EXEMPLOS DE PROGRAMAÇÃO Código C-like do programa clone de Visão, descrito nestas páginas. O código terá que ser memorizado num arquivo denominado vision.clike, carregado no robot e compilado utilizando o software Visual C-like Editor. Além do comportamento principal (Main) há outros dois comportamentos, SegueCor e OrdensOrais. Lembramos que é preciso personalizar o código do programa introduzindo o correspondente trio de valores (RGB) nas instruções set_tracking_color. CÓDIGO C-LIKE DO PROGRAMA #include «c-like.h» #include «robot.h» int X = 0; int e = 0; declare( behavior(ordensorais) ); declare( behavior(seguecor) ); void OrdemZero(); void OrdemUm(); void OrdemDois(); define( behavior(main)) set_tracking_color(-,-,-,40); //Substituir os sublinhados pelo trio de valores RGB led_on(led_red); start(ordensorais); start(seguecor); // Main define( behavior(ordensorais) ) local(voice_cmd) = wait_for (voice_cmd, update); switch (local(voice_cmd)) case CMD_ZERO: OrdemZero(); break; case CMD_ONE: OrdemUm(); break; case CMD_TWO: OrdemDois(); break; // OrdensOrais define( behavior(seguecor) ) local(vision) = wait_for (vision, update); X = local(vision).x; Y = local(vision).y; lcd_clear(); lcd_write_int(1,1,x); lcd_write_int(2,1,y); if (X > 35) head_pan_r(1); else if (X < -35) head_pan_r(-1); if (Y > 20) head_tilt_r(1); else if (Y < -20) head_tilt_r(-1); // SegueCor void OrdemZero() end(); void OrdemUm() set_tracking_color(-,-,-,40); // Substituir os guiões pelos valores RGB led_on(led_red); void OrdemDois() set_tracking_color(-,-,-,40); // Substituir os guiões pelos valores RGB led_on(led_yellow); Além do comportamento Main existem outros dois: OrdensOrais e SegueCor. O primeiro ocupa-se de mudar a cor objectivo, consoante a ordem oral («um» ou «dois») ou de encerrar o programa (ordem «zero»). Além disso, configuram-se duas cores diferentes para os led dos olhos, com base na ordem recebida. O segundo comportamento configura o coração do programa. Com base no ponto central do objecto identificado pelo robot, a cabeça desloca-se para manter o enquadramento «centrado». No seu código terás que o guardar num arquivo chamado vision.clike; lembre-se de substituir os primeiros parâmetros (relativos à cor) nas instruções set_tracking_color de acordo com as suas medições. O último parâmetro (o limite) terá que ficar configurado num valor equivalente a 40. As coordenadas do ponto central são mostradas no display do robot, através das instruções lcd_write. Main inicializa a cor objectivo por defeito (escolhendo uma cor entre as medidas experimentalmente) e acciona os outros comportamentos do programa. 1373

4 PASSO A PASSO UM MONITOR PARA A TEMPERATURA PROGRAMAÇÃO Nos exemplos de Java dos fascículos anteriores vimos que é possível, e relativamente simples, aceder aos registos de O SEU ROBOT para ler o valor medido por um dos seus sensores. No novo programa que propomos nestas páginas vamos criar um interface para monitorizar a temperatura ambiente. Com o programa Java de exemplo que aqui apresentamos poderá confirmar como é fácil criar um interface gráfico para monitorizar a temperatura que O SEU ROBOT mede. Desta medição encarrega-se um sensor colocado na frente do robot e controlado, tal como já referimos noutras ocasiões, pela placa electrónica Braços. O interface é bastante simples. Na parte esquerda aparece uma casa de texto que mostra a temperatura medida, ao passo que à direita há um botão que, quando carregado, faz com que o robot pronuncie a referida temperatura. A casa de texto mostra duas cores diferentes consoante o valor medido: verde quando é inferior a 30 graus centígrados e vermelho quando é igual ou superior a este valor. Em cima, o painel para monitorizar a temperatura, enquanto se mede um valor inferior a 30 graus centígrados. Em baixo, o mesmo display quando o sensor mede uma temperatura superior a 30 graus. TEMPERATUREMONITOR Esta aplicação é constituída por uma única classe: TemperatureMonitor. Esta tanto implementa os métodos para a gestão do interface gráfico como para o acesso aos registos do robot. Dado que o programa é composto apenas por uma classe, só é preciso introduzir o código completo num único arquivo chamado TemperatureMonitor.java. Para a compilação e a execução deste programa pode Screenshot dos comandos correspondentes ao início do programa TemperatureMonitor. Indica-se como parâmetro de início a cadeia COM3, que indica a porta de série virtual utilizada neste caso para estabelecer a ligação Bluetooth entre o robot e o PC. aplicar-se aquilo que já vimos em fascículos anteriores. Na primeira parte do código Java encontram-se as declarações do pacote e de ação das classes auxiliares necessárias ao funcionamento do programa. Além das classes para a gestão dos elementos gráficos encontram-se também as que permitem a comunicação com o robot e o acesso aos seus registos. Aqui intervêm os pacotes correspondentes às placas electrónicas Braços e Voz. O sensor de temperatura é controlado pelo primeiro destes dois módulos, ao passo que o segundo é necessário para que o robot possa anunciar a temperatura média. A classe TemperatureMonitor extende JFrame, cuja função é a realização da janela gráfica da aplicação. Como se podem confirmar pelos screenshots que ilustram estas páginas, o interface do programa é minimalista. Como já foi referido, existe uma casa de texto para a visualização da temperatura e um botão para activar a pronúncia desta última por parte do 1374

5 86-paso a paso (3) 10/24/08 12:17 AM Page 1359 UM MONITOR PARA A TEMPERATURA EXEMPLOS DE PROGRAMAÇÃO Exemplos de código Java para a implementação de uma classe para a realização de um interface gráfico para a monitorização da temperatura ambiente, medida pelo correspondente sensor electrónico montado na frente de O SEU ROBOT. public static void main [...] public TemperatureMonitor() [...] private class RefreshDisplay implements Runnable CLASSE TEMPERATUREMONITOR package communication.examples; communication.handler.protocolhandler; communication.handler.internal.internalhandler; communication.transport.connectionprovider; communication.handler.internal.internalmodule; communication.handler.internal.voiceregister; communication.handler.internal.armsregister; java.io.ioexception; javax.swing.*; java.awt.*; java.awt.event.*; public class TemperatureMonitor extends JFrame private static String portname; private ProtocolHandler protocol; private InternalHandler internal; private JPanel panel; private JLabel temp; private JButton speak; Thread t; boolean active = false; robot. O método main cria uma instância de TemperatureMonitor, invocando o construtor. Antes de fazer isso, main confirma se foi indicada pelo utilizador, no início do programa, a porta de série virtual para comunicar com o robot. Vejamos agora como se estrutura o código do construtor. Em primeiro lugar, associa-se ao evento «fecho da janela» o encerramento do programa. Depois chamam-se e colocam-se no painel da aplicação os diferentes elementos gráficos. Para a sua disposição utiliza-se um «layout total» que estabelece a posição exacta de cada objecto gráfico mediante as chamadas aos métodos setbounds. Os dois primeiros parâmetros indicam as coordenadas (X e Y) nas quais ficará colocado o elemento, ao passo que a terceira e a quarta determinam a sua dimensão (largura e altura). Todos os parâmetros são expressos em píxeis. Quando se carrega no botão speak lança-se a invocação do método saytemperature. Finalmente int x = 0; public void run() while(active) x = checktemperature(); if (x < 30) temp.setbackground(color.green); temp.settext(«temperatura: «+ Integer.toString(x) + «C»); else temp.setbackground(color.red); temp.settext(«temperatura: «+ Integer.toString(x) + «C»); try Thread.sleep(2000); catch (Exception e) // class RefreshDisplay private void saytemperature() [...] private boolean conectar() [...] private void desconectar() [...] // class TemperatureMonitor activa-se a ligação com o robot e executa-se o fio t de tipo RefreshDisplay. Analisando este último, o método run é formado por um ciclo while, executado repetidamente até que o valor da variável booleana active se estabelece em «true» (verdadeiro). Com uma cadência de dois segundos, estabelecida mediante a instrução Thread.sleep(2000), mede-se a temperatura ambiente com o sensor. Por isso recorre-se a outro método, checktemperature (do qual falaremos mais adiante). Uma vez memorizado o valor da temperatura na correspondente variável X, configura-se a cor de fundo da casa de visualização: verde se X é inferior a 30 e vermelho no caso contrário. Ocupemo-nos agora do método checktemperature. Como já foi referido, este último realiza uma leitura no registo de O SEU ROBOT correspondente ao controlo do gestor de temperatura. Na eventualidade de se detectarem erros durante 1375

6 PASSO A PASSO EXEMPLOS DE PROGRAMAÇÃO Código Java dos métodos da classe TemperatureMonitor. Aparecem em primeiro lugar o método principal e o construtor. Este último também se ocupa da visualização do interface gráfico no monitor do PC e de executar a ligação com o robot, invocando o método ligar. Depois indicam-se outros dois métodos, o primeiro especial para a leitura da temperatura que o sensor mede (checktemperature) e o segundo para o anúncio da referida temperatura por parte de O SEU ROBOT mediante o módulo Voz (saytemperature). Os métodos ligar e desligar permitem, como de costume, activar e desactivar a ligação entre o robot e o PC através da ligação Bluetooth. Para o código destes últimos podem-se consultar as páginas 1229 e 1230 desta colecção. MÉTODOS DA CLASSE TEMPERATUREMONITOR public static void main(string[] args) if (args.length < 1) System.err.println(«Determina a porta a utilizar para a ligação (ex. COM5)»); return; portname = args[0]; TemperatureMonitor gui = new TemperatureMonitor(); // main public TemperatureMonitor() super(«temperaturemonitor»); addwindowlistener( new WindowAdapter() public void windowclosing(windowevent e) active = false; desconectar(); System.exit(0); ); setbounds(0,0,240,95); panel = new JPanel(); panel.setlayout(null); temp = new JLabel(«Temperatura: «+ «C»); temp.setbounds(10,10,120,40); temp.setopaque(true); speak = new JButton(«Voz»); speak.setbounds(140,10,80,40); speak.setfocusable(false); speak.addactionlistener( new ActionListener() public void actionperformed(actionevent e) saytemperature(); ); panel.add(temp); panel.add(speak); getcontentpane().add(panel); if (!conectar()) System.exit(0); t = new Thread(new RefreshDisplay()); active = true; t.start(); setvisible(true); // class constructor private int checktemperature() int[] buf = new int[1]; try internal.readregister(internalmodule.arms, ArmsRegister.TEMPERATURE, buf); return buf[0]; catch (Exception e) e.printstacktrace(); return -1; // checktemperature private void saytemperature() int[] buf = new int[1]; try internal.readregister(internalmodule.arms, ArmsRegister.TEMPERATURE, buf); internal.writeregister(internalmodule.voice, VoiceRegister.TEMPERATURE, buf); System.out.println(«Speak!»); catch (Exception e) e.printstacktrace(); // saytemperature o acesso aos registos do robot, restitui-se o valor -1 para indicar a citada anomalia. O terceiro a começar pelo fim, saytemperature, lê o registo associado ao sensor de temperatura e activa o anúncio por parte de O SEU ROBOT do valor medido. Para isto é suficiente escrever essa quantidade num registo especial do módulo Voz, concretamente em VoiceRegister.TEMPERATURE. Os dois últimos métodos incluídos na classe TemperatureMonitor são os habituais ligar e desligar, que activam e desactivam respectivamente a ligação Bluetooth entre o robot e o PC. O código destes últimos métodos é idêntico ao explicado no fascículo 77 (e que já utilizámos em diferentes programas Java). Quando se testa este programa é imprescindível não submeter o sensor a temperaturas demasiado elevadas, pois isto poderia deteriorá-lo e danificar outros circuitos ou a estrutura do robot. 1376

CAPA PARA OS CABOS DA CABEÇA

CAPA PARA OS CABOS DA CABEÇA CAPA PARA OS CABOS DA CABEÇA COMPONENTES Entre as peças entregues com este fascículo encontra-se uma espécie de tubo preto para reunir e proteger os cabos que saem da cabeça e vão ao tronco de O SEU ROBOT.

Leia mais

A BANDEJA PORTA-OBJECTOS

A BANDEJA PORTA-OBJECTOS A BANDEJA PORTA-OBJECTOS BRAÇOS E MÃO, 4 COMPONENTES A primeira ferramenta da mão do robot é a bandeja porta-objectos, que se pode colocar nas articulações superiores de O SEU ROBOT. Afase actual de montagem

Leia mais

A PLACA DO COMANDO À DISTÂNCIA

A PLACA DO COMANDO À DISTÂNCIA A PLACA DO COMANDO À DISTÂNCIA COMPONENTES 1. A peça entregue com este último fascículo da colecção é uma placa electrónica muito importante porque permite controlar o comando à distância universal de

Leia mais

MÓDULO 4 SWING Parte 3

MÓDULO 4 SWING Parte 3 Aplicações de Linguagem de Programação Orientada a Objetos 2ºsem/2011 (Professores: Tiago e Daniele) // Exemplo11 Ação do Mouse import javax.swing.*; import java.awt.*; import java.awt.event.actionevent;

Leia mais

Is Event Dispatcher Threade (Animation)

Is Event Dispatcher Threade (Animation) JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedades Utilizadas: Is Event Dispatcher Threade (Animation) FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Nome do aluno: João Vitor Ávila dos Santos Identificação da Turma: 3º Semestre/

Leia mais

Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this.

Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this. Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this.x = x; this.y = y; public String tostring(){ return "(" + x + "," +

Leia mais

Analisar os sistemas operacionais apresentados na figura e responder as questões abaixo: Identificar

Analisar os sistemas operacionais apresentados na figura e responder as questões abaixo: Identificar Projeto Integrador Sistemas Operacionais Prof.ª Lucilia Ribeiro GTI 3 Noturno Grupo: Anderson Alves da Mota. André Luiz Silva. Misael bezerra dos santos. Sandro de almeida silva. Analisar os sistemas operacionais

Leia mais

Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs

Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs Interfaces Gráficas e Eventos - 1 Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs - Utilizar as classes JFrame, JButton, JLabel, ImageIcon,

Leia mais

Programação Gráfica em Java.

Programação Gráfica em Java. Programação Gráfica em Java. Objetivo: Ao final da aula o aluno deverá ser capaz de desenvolver a aplicação gráfica ilustrada ao lado. A interface gráfica será simples, composta por elementos de menus.

Leia mais

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos Threads em Java Programas e Processos Um programa é um conceito estático, isto é, um programa é um arquivo em disco que contém um código executável por uma CPU. Quando este programa é executado dizemos

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Caso não exista nenhum listener registado no objecto que gera o evento, este não terá qualquer efeito.

Caso não exista nenhum listener registado no objecto que gera o evento, este não terá qualquer efeito. Interfaces Gráficas e Eventos - 10 Programação por eventos Um evento ocorre quando o utilizador interage com um objecto gráfico:. manipular um botão com o rato;. introduzir texto num campo de texto. seleccionar

Leia mais

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Java para MEC1100 v2010.10

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Java para MEC1100 v2010.10 Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Java para MEC1100 v2010.10 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina

Leia mais

Programa de Computador que funciona em Rede

Programa de Computador que funciona em Rede Programa de Computador que funciona em Rede professor Robinson Vida Noronha 1 Paradigma Um programa rodando em rede é como uma loja. 2 Uma loja é composta por Vendedores Vendedores 3 Um loja deve servir

Leia mais

1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo:

1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo: 1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo: boolean[][] bool = new boolean[5][5]; for(int v = 0; v < bool.length; v++) { for(int f = 0; f < bool[v].length;

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

COMPROVAR O FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

COMPROVAR O FUNCIONAMENTO DOS MOTORES PASSO A PASSO COMPROVAR O FUNCIONAMENTO DOS MOTORES COMPROVAÇÃO Com a montagem do módulo Braços chegou o momento de testar os motores que se colocaram no robot entre os fascículos 18 e 22. Amontagem correcta

Leia mais

Natureza do Software e dos Sistemas

Natureza do Software e dos Sistemas Natureza do Software e dos Sistemas Jorge H C Fernandes Diferença Fundamental entre Engenharia de Software e outras Engenharias! Os materiais são diferentes As teorias fundamentais são diferentes Dificuldades

Leia mais

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this.

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Aula 2 Objetivos Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Encapsulamento, data hiding é um conceito bastante importante em orientação a objetos. É utilizado para restringir o acesso

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Java : Comunicação Cliente-Servidor.

Java : Comunicação Cliente-Servidor. Java : Comunicação Cliente-Servidor. Objetivo: Capacitar o aluno a desenvolver uma aplicação servidora para múltiplos clientes. Apresentar as classes Socket e ServerSocket, classes de fluxo de dados, a

Leia mais

Tratamento de Eventos

Tratamento de Eventos Tratamento de Eventos Prof. Marcelo Cohen 1. Visão Geral Para implementar a funcionalidade de uma interface gráfica, pode-se fazer uso de uma repetição sem fim: Faz algum processamento Verifica se o mouse

Leia mais

Universidade da Beira Interior. Sistemas Distribuídos

Universidade da Beira Interior. Sistemas Distribuídos Folha 6-1 Sincronização de Threads A sincronização de Threads em Java é baseada no conceito do Monitor (de Hoare). Cada objecto Java tem associado um monitor (ou lock ) que pode ser activado se a palavra

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

package br.com.cadastro.visao;

package br.com.cadastro.visao; package br.com.cadastro.visao; import java.awt.eventqueue; import java.awt.event.actionlistener; import javax.swing.jframe; import javax.swing.jpanel; import javax.swing.border.emptyborder; import br.com.cadastro.modelo.cliente;

Leia mais

Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand

Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand O Eclipse O Eclipse (www.eclipse.org) e uma IDE (integrated development environment). Diferente de uma

Leia mais

O programa abaixo exemplifica o uso da classe Image para carregar e mostrar uma imagem localizada em um arquivo.

O programa abaixo exemplifica o uso da classe Image para carregar e mostrar uma imagem localizada em um arquivo. 7. Carregando e mostrando imagens locais Esta aula complementa os estudos de programação de interfaces gráficas em Java mostrando como podemos carregar imagens de arquivos locais ou da Internet para uso

Leia mais

Multithreading. Programação Orientada por Objectos com Java. Ademar Aguiar. MRSC - Programação em Comunicações

Multithreading. Programação Orientada por Objectos com Java. Ademar Aguiar. MRSC - Programação em Comunicações Programação Orientada por Objectos com Java www.fe.up.pt/~aaguiar ademar.aguiar@fe.up.pt 1 Multithreading 154 Objectivos Ser capaz de: Explicar os conceitos básicos de multithreading Criar threads múltiplos

Leia mais

Sistemas Paralelos e Distribuídos - 2003/2004 Curso: Matemática /Informática Sistemas Distribuídos - 2003/2004 Curso: Ensino da Informática

Sistemas Paralelos e Distribuídos - 2003/2004 Curso: Matemática /Informática Sistemas Distribuídos - 2003/2004 Curso: Ensino da Informática Java RMI - Remote Method Invocation Folha 5-1 No modelo de programação orientada a objectos, vimos que um programa consiste numa colecção de objectos que comunicam entre si através da invocação dos seus

Leia mais

Exercícios de Revisão Java Básico

Exercícios de Revisão Java Básico Exercícios de Revisão Java Básico (i) Programação básica (estruturada) 1) Faça um programa para calcular o valor das seguintes expressões: S 1 = 1 1 3 2 5 3 7 99... 4 50 S 2 = 21 50 22 49 23 48...250 1

Leia mais

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código }

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código } Este documento tem o objetivo de demonstrar os comandos e sintaxes básicas da linguagem Java. 1. Alguns passos para criar programas em Java As primeiras coisas que devem ser abordadas para começar a desenvolver

Leia mais

Num sistema de objectos distribuídos, dois conceitos são fundamentais.

Num sistema de objectos distribuídos, dois conceitos são fundamentais. Folha 10-1 Java RMI - Remote Method Invocation No modelo de programação orientada a objectos, vimos que um programa consiste numa colecção de objectos que comunicam entre si através da invocação dos seus

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java

Programação Orientada a Objetos em Java Programação Orientada a Objetos em Java Rone Ilídio da Silva Universidade Federal de São João del-rei Campus Alto Paraopeba 1:14 1 Objetivo Apresentar os principais conceitos de Programção Orientada a

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java. Threads Threads Threads. Threads

Programação Orientada a Objetos em Java. Threads Threads Threads. Threads Universidade Federal do Amazonas Departamento de Ciência da Computação IEC481 Projeto de Programas Programação Orientada a Objetos em Java Threads Threads Threads Threads Professor: César Melo Slides baseados

Leia mais

Módulo 7. Interface Gráfica com o Usuário GUI - Introdução. Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio)

Módulo 7. Interface Gráfica com o Usuário GUI - Introdução. Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio) Módulo 7 Interface Gráfica com o Usuário GUI - Introdução Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio) Interface Gráfica com o Usuário Os elementos gráficos utilizados estão no pacote javax.swing.*

Leia mais

CABOS DA PLACA DE PROTÓTIPOS

CABOS DA PLACA DE PROTÓTIPOS CABOS DA PLACA DE PROTÓTIPOS COMPONENTES 1. 2. Para realizar qualquer circuito na placa de protótipos são necessários os cabos de ligação entregues com este fascículo, com o qual também é fornecido um

Leia mais

Programação III. Interface Gráfica - Swing. Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br. Interface Gráfica - Swing

Programação III. Interface Gráfica - Swing. Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br. Interface Gráfica - Swing Programação III Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br Deitel Capítulo 11 : Imagens gráficas e Java 2D Capítulo 12 : Componentes Básicos Capítulo 13 : Componentes Avançados GUI

Leia mais

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Sintaxe Geral Tipos de Dados Comentários Comentários: De linha: // comentário 1 // comentário 2 De bloco: /* linha 1 linha 2 linha n */ De documentação: /** linha1 * linha2 */ Programa Exemplo: ExemploComentario.java

Leia mais

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java.

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java. Exceções em Java Miguel Jonathan DCC/IM/UFRJ (rev. abril de 2011) Resumo dos conceitos e regras gerais do uso de exceções em Java O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação

Leia mais

Exemplo com SWING 1: Fazer uma aplicação, em Java, que tenha, na tela, uma JProgressBar, um JLabel e um JButton.

Exemplo com SWING 1: Fazer uma aplicação, em Java, que tenha, na tela, uma JProgressBar, um JLabel e um JButton. Exemplo com SWING 1: Fazer uma aplicação, em Java, que tenha, na tela, uma JProgressBar, um JLabel e um JButton. A aplicação deve ter duas Threads. A primeira, fará com que a JProgressBar incremente, num

Leia mais

Aula 30 - Sockets em Java

Aula 30 - Sockets em Java Aula 30 - Sockets em Java Sockets Sockets são estruturas que permitem que funções de software se interconectem. O conceito é o mesmo de um soquete (elétrico, telefônico, etc...), que serve para interconectar

Leia mais

Implementando uma Classe e Criando Objetos a partir dela

Implementando uma Classe e Criando Objetos a partir dela Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 04 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Parte: 2 Prof. Cristóvão Cunha Implementando uma Classe

Leia mais

Exemplo 1. Um programa que cria uma instância de uma classe que herda da classe Frame

Exemplo 1. Um programa que cria uma instância de uma classe que herda da classe Frame 6. Como aplicações gráficas funcionam em Java? Todas as aplicações gráficas em Java usam instâncias de classes existentes, que por serem parte da linguagem podem ser executadas em todas as versões de Java

Leia mais

Java Exemplo MDI. Tela Principal

Java Exemplo MDI. Tela Principal Java Exemplo MDI Nesta aula criaremos uma aplicação simples de cadastro para avaliar o nível de dificuldade/facilidade que é desenvolver softwares com a tecnologia Java. No NetBeans, crie um novo projeto

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Seguidor de Linha. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Seguidor de Linha. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Seguidor de Linha Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19 Sensor Smart Seguidor de Linha 1. Introdução Os sensores seguidores de linha são sensores que detectam

Leia mais

(Aula 17) Threads em Java

(Aula 17) Threads em Java (Aula 17) Threads em Java Difícil As Threads thread threads de emjava classificar sãogerenciadaspelajvm. podemser com user criadasdas thread ou kernel Profa. Patrícia A seguintesmaneiras: Fazendo extend

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo Programação Orientada a Objetos em java Polimorfismo Polimorfismo Uma característica muito importante em sistemas orientados a objetos Termo proveniente do grego, e significa muitas formas Em POO, significa

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Alexandre César Muniz de Oliveira Entrada e Saída Parte IV Entrada e Saída Módulo de Interface com o usuário Dividir trabalho Separar processamento de E/S Entrada e Saída

Leia mais

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos.

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos. import java.util.scanner; class Data... class Compromisso... public class Agenda private Compromisso[] compromissos; private Compromisso[] realoquecompromissos (Compromisso[] vetor, int tamanhodesejado)

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

Encoder de Quadratura

Encoder de Quadratura R O B Ó T I C A Sensor Smart de Quadratura Versão Hardware:. Versão Firmware: 2. REVISÃO 2.9 Sensor Smart de Quadratura. Introdução Os encoders são equipamentos utilizados para converter movimentos rotativos

Leia mais

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans.

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. 1 - Criando uma classe em Java Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. Antes de criarmos a(s) classe(s) é necessário criar o projeto

Leia mais

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ... Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public

Leia mais

THREADS EM JAVA. George Gomes Cabral

THREADS EM JAVA. George Gomes Cabral THREADS EM JAVA George Gomes Cabral THREADS Fluxo seqüencial de controle dentro de um processo. Suporte a múltiplas linhas de execução permite que múltiplos processamentos ocorram em "paralelo" (em computadores

Leia mais

Módulo 5 - JDBC java.sql - Conexão com Banco de Dados

Módulo 5 - JDBC java.sql - Conexão com Banco de Dados Aplicações de Linguagem de Programação Orientada a Objetos 2ºsem/2012 (Professor: Tiago) Módulo 5 - JDBC java.sql - Conexão com Banco de Dados Fazer o download do drive de conexão com o BD: http://jdbc.postgresql.org/download.html

Leia mais

8. Interfaces Gráficas de Usuário

8. Interfaces Gráficas de Usuário Vamos discutir como construir aplicações com interface gráfica de usuário (conhecida como GUI - Graphical User Interface). Numa interface gráfica existem botões, caixas de texto, painéis, barras de rolagem,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -INTERFACES GRÁFICAS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -INTERFACES GRÁFICAS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -INTERFACES GRÁFICAS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 2. Programação visual com a IDE Netbeans Projetos Tipos de projetos Desenvolvimento

Leia mais

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Java Básico Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Classes Abstratas construção de uma classe abstrata construção de classes derivadas Classes e Herança Uma classe define

Leia mais

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação Lógica de Programação 3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C Caro Aluno Vamos iniciar o terceiro capítulo da nossa disciplina. Agora vamos começar a aplicar os conceitos vistos nos capítulos anteriores em uma linguagem

Leia mais

Criando um aplicação simples com JAVA e MySQL usando NetBeans Parte II

Criando um aplicação simples com JAVA e MySQL usando NetBeans Parte II Tutorial elaborado pelo professor José Gonçalo dos Santos Contato: jose.goncalo.santos@gmail.com Criando um aplicação simples com JAVA e MySQL usando NetBeans Parte II Introdução Para acompanhar este tutorial

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedade Utilizada: FontSizeAnimation

JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedade Utilizada: FontSizeAnimation JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedade Utilizada: FontSizeAnimation FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Nome do aluno: Paulo Renato S. Veiga Identificação da Turma: 205 Noite Data: 16/05/10 1 Nome da Propriedade

Leia mais

Capítulo 3. Programação por objectos em Java

Capítulo 3. Programação por objectos em Java Capítulo 3. Programação por objectos em Java 1/46 Índice Indice 3.1 - Qualificadores de visualização 3.2 - Classe 3.3 - Objecto 3.4 - Métodos 3.5 - Herança 3.6 - Reescrita de métodos 3.7 - Classes abstractas

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro. Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível.

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro. Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Caso de estudo O cartão fidelidade Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Definição em JAVA da classe CartaoFidelidade, que deverá apresentar uma funcionalidade semelhante

Leia mais

BC0505 Processamento da Informação

BC0505 Processamento da Informação BC0505 Processamento da Informação Assunto: Modularização de código e passagem de parâmetros Aula Prática: 4 Versão: 0.2 Introdução Modularização No Java, como em outras linguagens de Programação Orientadas

Leia mais

Roteiro para criação de Applet

Roteiro para criação de Applet Roteiro para criação de Applet 1. Abra um editor de texto qualquer, como o Bloco de notas, e digite o código abaixo: 1. import java.awt.*; 2. import java.awt.event.*; 3. import java.applet.applet; 4. import

Leia mais

Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread.

Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread. 5 THREADS Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread. 5.1 VISÃO GERAL Uma definição mais abrangente para threads é considerá-lo

Leia mais

Smartphone 5 IPS Quad Core

Smartphone 5 IPS Quad Core Smartphone 5 IPS Quad Core GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO PRIMEIROS PASSOS Instalando o cartão SIM e a bateria Desligue o telemóvel completamente. Retire a tampa traseira. Insira o cartão SIM no slot do cartão

Leia mais

JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedades Utilizadas: imagecomposite FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS

JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedades Utilizadas: imagecomposite FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedades Utilizadas: imagecomposite FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Nome do aluno: Diego Silva de Oliveira Identificação da Turma: 070801805 Data: 16/05/2010 imagecomposite

Leia mais

Programação com Objectos. Processamento de Dados I. 5. Excepções

Programação com Objectos. Processamento de Dados I. 5. Excepções Programação com Objectos Processamento de Dados I 5. Excepções 1 O que é uma excepção? Tratamento de excepções: Try e Catch Lançamento de excepções: Throw e Throws Classes de excepção Programação com Objectos

Leia mais

EMENTA DO CURSO. Tópicos:

EMENTA DO CURSO. Tópicos: EMENTA DO CURSO O Curso Preparatório para a Certificação Oracle Certified Professional, Java SE 6 Programmer (Java Básico) será dividido em 2 módulos e deverá ter os seguintes objetivos e conter os seguintes

Leia mais

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução Carlos Lopes POO e Java Objetivo: proporcionar uma visão dos conceitos de POO e do seu uso na estruturação dos programas em Java. Classes e objetos em

Leia mais

Acesso a Banco. Conexão em Java. Conexão em Java. Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel

Acesso a Banco. Conexão em Java. Conexão em Java. Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel Acesso a Banco Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel As conexões em Java são feitas através de uma ponte que implementa todas as funcionalidades que um banco de dados padrão deve

Leia mais

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente Java RMI - Remote Method Invocation Callbacks Folha 9-1 Vimos, na folha prática anterior, um exemplo muito simples de uma aplicação cliente/ servidor em que o cliente acede à referência remota de um objecto

Leia mais

Conexão Socket na MIDP

Conexão Socket na MIDP Conexão Socket na MIDP A comunicação entre diferentes sistemas é comum na programação, e esta regra não desaparece na construção de aplicativos para pequenos dispositivos e, consequentemente, com o Java

Leia mais

JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Interface Gráfica em Java (GUI)

JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Interface Gráfica em Java (GUI) JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1 Interface Gráfica em Java (GUI) 1 2 Introdução Java fornece um forte suporte para a construção de interfaces gráficas através do pacote java.awt GUI inicial do Java:

Leia mais

Introdução à Programação. Interfaces Gráficas

Introdução à Programação. Interfaces Gráficas Introdução à Programação Interfaces Gráficas Tópicos da Aula Hoje vamos ver conceitos mais avançados de Interfaces Gráficas Elementos de uma GUI Componente Eventos Listeners Padrão Observer Painel Exemplos

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Inicie o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Sistemas Operacionais: Threads

Sistemas Operacionais: Threads Sistemas Operacionais: Threads Threads Única linha de execução x múltiplas linhas de execução Benefícios Tempo de resposta Compartilhamento de recursos Economia de recursos Desempenho em arquiteturas multiprocessadas

Leia mais

Gerenciadores de Layouts

Gerenciadores de Layouts Gerenciadores de Layouts João Carlos Pinheiro jcpinheiro@cefet-ma.br Versão: 1.1 Última Atualização 04 / 2005 1 Objetivos Apresentar os gerenciadores de layouts FlowLayout BorderLayout GridLayout BoxLayout

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

JAVA Orientação a Objetos. Usando diálogos com JOptionPane

JAVA Orientação a Objetos. Usando diálogos com JOptionPane JAVA Orientação a Objetos Usando diálogos com JOptionPane Diálogos: interagindo com o usuário Até agora vimos o método System.out.println para escrever informações na tela (console). A linguagem Java oferece

Leia mais

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 09 Introdução à Java Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Java: Sintaxe; Tipos de Dados; Variáveis; Impressão de Dados.

Leia mais

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Qualiti Software Processes Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Versã o 1.0 Este documento só pode ser utilizado para fins educacionais, no Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco.

Leia mais

Programação Concorrente em java - Exercícios Práticos Abril 2004

Programação Concorrente em java - Exercícios Práticos Abril 2004 Programação Concorrente em java - Exercícios Práticos Abril 2004 1. Introdução As threads correspondem a linhas de controlo independentes no âmbito de um mesmo processo. No caso da linguagem JAVA, é precisamente

Leia mais

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora detalhes da construção de classes e objetos Construtores Implicações da

Leia mais

CÂMARA PARA DOCUMENTOS DC-1000 MANUAL DO UTILIZADOR

CÂMARA PARA DOCUMENTOS DC-1000 MANUAL DO UTILIZADOR CÂMARA PARA DOCUMENTOS DC-1000 MANUAL DO UTILIZADOR www.visionaudiovisual.com/techcam/dc-1000 1 DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE Quando aplicável, os produtos Vision são certificados e cumprem todos os regulamentos

Leia mais

JAVA COM BANCO DE DADOS PROFESSORA DANIELA PIRES

JAVA COM BANCO DE DADOS PROFESSORA DANIELA PIRES Conteúdo O Projeto... 2 Criação de Pacotes... 4 Factory:... 6 DAO:... 15 GUI (Graphical User Interface ou Interface Gráfica de Cadastro)... 18 Evento SAIR... 23 Evento CADASTRAR... 24 1 O Projeto Arquivo

Leia mais

INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos

INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos Chegamos à interface com o usuário. Você já utilizou alguns métodos para dialogar com o usuário, quer enviando mensagens quer lendo dados.

Leia mais

Persistência de Objetos no SGBD PostgreSQL, Utilizando as APIs: JDBC, JDK, Swing e Design Patteners DAO.

Persistência de Objetos no SGBD PostgreSQL, Utilizando as APIs: JDBC, JDK, Swing e Design Patteners DAO. Persistência de Objetos no SGBD PostgreSQL, Utilizando as APIs: JDBC, JDK, Swing e Design Patteners DAO. Robson Adão Fagundes http://robsonfagundes.blogspot.com/ Mini curso Desenvolvimento de aplicação

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 2 Java como ferramenta de experimentação Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas

Leia mais

SISTEMA EXPERIMENTALL 15/11/2009. Olá! A partir de agora vamos conhecer a IDE NetBeans 6.7.1 efetuando um micro projeto swing.

SISTEMA EXPERIMENTALL 15/11/2009. Olá! A partir de agora vamos conhecer a IDE NetBeans 6.7.1 efetuando um micro projeto swing. 15/11/2009 Olá! A partir de agora vamos conhecer a IDE NetBeans 6.7.1 efetuando um micro projeto swing. Crie um novo projeto clicando em arquivo e em novo projeto. Escolha a opção java, aplicativo java

Leia mais

BC1518-Sistemas Operacionais. Prof. Marcelo Z. do Nascimento marcelo.nascimento@ufabc.edu.br

BC1518-Sistemas Operacionais. Prof. Marcelo Z. do Nascimento marcelo.nascimento@ufabc.edu.br BC1518-Sistemas Operacionais Sincronização de Processos (aula 5 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento marcelo.nascimento@ufabc.edu.br Roteiro Semáforos Monitores Passagem de Mensagem Exemplos em S.O.

Leia mais

Classes Abstratas e Interfaces

Classes Abstratas e Interfaces Java Básico Classes Abstratas e Interfaces Marco Antonio, Arquiteto de Software TJDF ma@marcoreis.eti.br Novembro/2005 Classe abstrata Recurso avançado da OO Não pode ser instanciada Deve ser instanciada

Leia mais