03 O IQE 04 Conselho de Administração 05 Mensagem do Presidente 06 Opinião Francisco Cordão 08 Abrangência 09 Programa Qualiescola 11 Núcleo São Luiz

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "03 O IQE 04 Conselho de Administração 05 Mensagem do Presidente 06 Opinião Francisco Cordão 08 Abrangência 09 Programa Qualiescola 11 Núcleo São Luiz"

Transcrição

1

2 03 O IQE 04 Conselho de Administração 05 Mensagem do Presidente 06 Opinião Francisco Cordão 08 Abrangência 09 Programa Qualiescola 11 Núcleo São Luiz 15 Núcleo Paraisópolis 17 Núcleo Piauí 19 Núcleo Pernambuco 26 Programa Apoio à Aprendizagem 28 Programa Reinventando a Educação 29 Mural de fotos 30 Ações em Parceria

3 O Instituto Qualidade no Ensino IQE foi criado em 1994 para propiciar educação de qualidade às crianças brasileiras, formando cidadãos preparados para exercer seu papel na sociedade. As ações do IQE têm o objetivo de melhorar a qualidade do ensino nas escolas públicas. Para isso, cria, implementa e avalia programas que transferem tecnologia educacional para escolas e Secretarias de Educação. A atuação do Instituto nas escolas se baseia em 4 pilares: O IQE ensina a ensinar Os professores são capacitados e incentivados a desenvolver novas formas de ensinar. O IQE ajuda a melhorar a gestão Diretores e coordenadores pedagógicos recebem apoio na implementação de processos de gestão para a qualidade. O IQE foca em resultados Os alunos são avaliados periodicamente e recebem reforço escolar. O IQE promove a participação A comunidade é incentivada a participar e a acompanhar os resultados dos programas.

4 Ana Maria Wilheim Arthur Vasconcelos Eduardo Bom Ângelo Fernando B. Pinheiro Francisco Cordão Hélio Magalhães José Helio Contador Filho Marcos Magalhães (Presidente do Conselho) Maria Auxiliadora Albergaria Pereira Michael Morrell Percival Caropreso Peter Milko

5 Cada vez mais as empresas e até mesmo os países, são valorizados em função do seu capital intelectual acumulado. E capital intelectual é conhecimento, que pressupõe sistemas educacionais de qualidade. O quadro atual do ensino em nosso país é catastrófi co, conforme apontam os resultados de recentes exames nacionais e internacionais. Em muitos casos, nossos alunos terminam a 8ª série com o nível de conhecimento de 4ª série. Educação de qualidade não se consegue apenas garantindo o acesso à escola e é por isso que o IQE, nos últimos treze anos, tem centrado esforços no desenvolvimento Marcos Magalhães Presidente do Conselho do IQE e ex-presidente da Philips para o Brasil e América Latina). e na implementação de metodologias que melhorem substancialmente a qualidade de ensino e de aprendizado na escola pública. A transformação que vemos acontecer nas escolas foi viabilizada graças à construção de parcerias com organizações empenhadas em garantir educação de qualidade aos alunos da rede pública, diminuindo a evasão e a defasagem idade-série. A melhoria do desempenho dos alunos nas escolas apoiadas pelo IQE é reflexo não só da metodologia dos programas, mas também da participação ativa de secretarias estaduais e municipais e de empresas que acompanham o programa em encontros periódicos com a equipe do IQE. Os parceiros do IQE empresas, órgãos públicos e organizações da sociedade civil entendem que, ao compartilhar competências, recursos e vontade, o desafi o de transformar o desolador cenário educacional brasileiro pode ser superado.

6 O grande desafi o da Educação Brasileira, neste início de século, é garantir a todos os brasileiros uma Educação Básica de qualidade. Segundo os últimos dados disponíveis, cerca de 97% das crianças em idade Francisco Cordão Membro do Conselho do IQE escolar tem tido oportunidade de acesso ao Ensino Fundamental. O Brasil já deu um passo decisivo em direção à universalização do Ensino Fundamental. O desafi o, agora, é dar um signifi cativo passo em direção à melhoria qualitativa do ensino ofertado. Sabemos que sem um Ensino Fundamental efi ciente é impossível a oferta de Ensino Médio, Educação Profi ssional, e Educação Superior efi cientes. Uma inefi ciência no Ensino Fundamental pode colocar em risco a continuidade dos estudos posteriores, e sabemos que o nosso Ensino Fundamental apresenta índices bastante críticos quanto à sua qualidade. Para enfrentar esse desafi o algumas providências devem ser adotadas: Priorizar os resultados da aprendizagem. Não basta universalizar a oferta da Educação Básica. É preciso garantir que todos os alunos aprendam. Mais que isso: é preciso garantir que eles desenvolvam

7 a competência de articular, mobilizar e colocar em ação conhecimentos, habilidades e valores, para responder aos desafi os da vida diária do cidadão no trabalho e na sociedade. Valorizar o trabalho dos docentes da Educação Básica, tanto por um programa intencionalmente planejado de aprimoramento da formação inicial e continuada dos professores, quanto de incremento dos planos de carreira e de valorização salarial desses docentes. Esse esforço de valorização do trabalho docente implica, tanto num envolvimento maior das universidades na formação inicial e continuada dos docentes e no fomento a pesquisas educacionais que auxiliem esses docentes em sua ação educativa, quanto no aumento dos recursos destinados à Educação. É necessário, em conseqüência, que se promova significativo aumento dos recursos destinados à manutenção e desenvolvimento do ensino, em relação ao nosso PIB Produto Interno Bruto. Além desse esforço em relação ao aprimoramento da qualidade do corpo docente da Educação Básica, é preciso, também, desenvolver intensa programação de aprimoramento da qualidade dos diretores de estabelecimentos de ensino, para que tenham condições de assumir suas funções gerenciais no projeto educacional das escolas, com a efetiva participação dos docentes e de toda a comunidade escolar. Por fi m, é fundamental que as atividades de ensino sejam avaliadas pelos resultados de aprendizagem e que as escolas exercitem a sua autonomia na elaboração, execução e avaliação dos seus projetos pedagógicos, de forma democrática e participativa, em condições de conduzir nossas crianças, adolescentes, jovens e adultos a ver o mundo com perspicácia e nele atuar, porque, ao aprender, aprenderam a aprender e têm condições de continuar aprendendo, uma vez que desenvolveram sua capacidade de aprendizagem.

8 Campo Maior José de Freitas Parnaíba Teresina Bezerros Camocim de São Félix Chã Grande Recife Sairé São Joaquim do Monte Curitiba Piracicaba São Paulo Santa Cruz do Sul

9 OBJETIVO O Programa Qualiescola visa a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem dos alunos de escolas públicas de 1ª a 8ª série, por meio de um conjunto de ações articuladas de intervenção na prática escolar. PÚBLICO ALVO Professores, gestores escolares (diretores, coordenadores e/ou supervisores pedagógicos) e alunos. METODOLOGIA São cinco as linhas de ação: Formação continuada de professores em serviço, por meio de ofi cinas presenciais e estudo de materiais de apoio, durante o período de implementação do Qualiescola. Assessoria aos gestores escolares, que participam de ofi cinas periódicas focadas na melhoria da gestão escolar. Avaliação de aprendizagem dos alunos, conduzida, a cada seis meses, para acompanhar a evolução da aprendizagem e orientar o planejamento escolar. Reforço escolar, com materiais adequados a características e ritmos de aprendizagem diferenciados.

10 Construção da gestão participativa, por meio da formação de Conselhos Consultivos, em que se reúnem representantes da escola, de pais e da comunidade (como o Conselho Tutelar e associações locais), ampliando a capacidade de interação da escola com seu entorno. RESULTADOS ESPERADOS Espera-se que, ao fi nal da implementação do Qualiescola, haja transformações: - na qualidade do ensino, reforçando a autonomia e a competência dos professores em sua prática na sala de aula; - na aprendizagem dos alunos, de forma a garantir o domínio das competências exigidas nas disciplinas de 1ª a 8ª série; - na relação da escola com a comunidade externa, ampliando a capacidade de interação com seu entorno e realidade cultural; - na gestão pedagógica da direção, com a constituição de equipes de trabalho atuantes e participativas. Todos os materiais usados no Programa Qualiescola foram desenvolvidos pelo IQE e são adaptados às necessidades e realidades da região de implementação. Transferência de Tecnologia Educacional com Ações Sistêmicas Reforço da Automia Escolar

11 NÚCLEO SÃO LUIZ De 2003 a 2005, o IQE implementou o Programa Qualiescola, em quatro escolas localizadas na região sul da cidade de São Paulo, quando foram atendidos alunos, 90 professores. As quatro escolas constituíram o Núcleo São Luiz. Em 2006 o IQE manteve dois dos eixos do programa Qualiescola: o chamado Apoio à Aprendizagem e a Avaliação de Aprendizagem dos alunos. O Apoio à Aprendizagem consistiu na implementação de grupos de apoio aos alunos com difi culdades de aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática, para que conseguissem desenvolver as habilidades necessárias a essas duas áreas de conhecimento. Para monitorar o desempenho dos alunos e planejar as atividades de ensino, foram propostas duas Avaliações de Aprendizagem de Língua Portuguesa e Matemática. As avaliações foram realizadas por todos os alunos de 1ª a 4ª série. Foram promovidos, também, encontros com coordenadores, professores e diretores dessas escolas. PÚBLICO ALVO alunos, professores, coordenadores e diretores das escolas. TOTAL DE BENEFICIADOS EM 2006: alunos 50 educadores 2 escolas

12 PERÍODO DE REALIZAÇÃO janeiro a dezembro de PARCEIROS Accenture Atos Origin Henkel Becton Dickinson Booz Allen Hamilton Brink s Colgate Palmolive Fundação Bank Boston Fundação dos Rotarianos de SP Fundação Peter Von Siemens Philips do Brasil Whirlpool Pinheiro Neto Advogados Rohm and Haas Química Solvay Farma VOLUNTARIADO As seguintes atividades foram realizadas em 2006 nesse núcleo: Carrer Center Projeto Identifi cação de Oportunidade de Geração de Renda O consultor Sami Boulos Filho deu continuidade ao trabalho iniciado em 2005 na EMEF Prof. Lorenço Manoel Sparapan. O Projeto consiste na capacitação dos alunos do EJA - Educação de Jovens e adultos com o objetivo de identifi car suas competências, avaliar alternativas de emprego, criar redes de relacionamento e desenvolver um currículo atrativo. Os alunos também participaram de aulas de informática, ofi cinas de artesanato e passaram por acompanhamento psicológico. Na tentativa de criar um bolsão de empregos, foi instaurada uma parceria entre a escola e a

13 Associação Comercial do Jardim São Luiz. Até o fi m do ano de 2006 foram atendidos 50 alunos, sendo que 11 foram encaminhados para entrevistas e desses, 4 foram contratados. Delloite Impact Day Em Junho foi realizado o Impact Day na EMEF General De Gaulle. Durante o evento, cerca de 250 funcionários da empresa desenvolveram, por 12 horas, atividades das mais variadas. Dentre as quais, ofi cinas de maquiagem, palestras sobre tabagismo, gravidez e empregabilidade, além de brincadeiras tradicionais como corrida de saco, corda e dança das cadeiras. United Globe Projeto Coaching na Escola Inês Menezes, da empresa United Globe, desenvolveu o projeto Coaching na Escola, com o objetivo de promover o engajamento do professor com a escola pública, formando indivíduos críticos, conscientes e participativos. O projeto contou com 13 voluntários - 12 coaches profi ssionais e 1 web designer. Em 2006 o projeto foi implementado na EMEF General De Gaulle, onde foi conduzido coaching com a diretora, coordenadores, professores e funcionários. Mais detalhes sobre o projeto estão disponíveis no

14 HSBC Palestra O HSBC realizou, no ano de 2006, na EMEF Prof. Lorenço Manoel Sparapan, uma palestra sobre o tema: Criação e preservação do mundo para professores e alunos.

15 NÚCLEO PARAISÓPOLIS Em 2006, o IQE iniciou a implementação do Programa Qualidade no Ensino em escolas da comunidade de Paraisópolis, região da capital paulista carente de serviços públicos. Os 110 educadores das escolas Maria Zilda Gamba Natel e Homero dos Santos Forte participaram de ofi cinas quinzenais de capacitação. Nessas ofi cinas, foram desenvolvidos os temas apontados pelas avaliações diagnósticas como as maiores difi culdades dos alunos que necessitavam ser retomados nas salas de aulas. As avaliações em Leitura e Interpretação, Produção de Textos e Matemática, foram realizadas nos meses de março, junho e novembro, por alunos de 1ª a 4ª série das duas escolas. PÚBLICO ALVO alunos, professores, coordenadores e diretores das escolas. TOTAL DE BENEFICIADOS EM 2006: alunos 110 educadores 2 escolas PERÍODO DE REALIZAÇÃO março a dezembro de PARCEIRO Associação Crescer Sempre

16 jun/06 4ª SÉRIE nov/06 NOTAS MÉDIAS DE ALUNOS NAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO (NÚCLEO SÃO LUIZ/SP) MATEMÁTICA LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS PRODUÇÃO DE TEXTOS jun/06 4ª SÉRIE nov/06 NOTAS MÉDIAS DE ALUNOS NAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO (NÚCLEO PARAISÓPOLIS/SP) MATEMÁTICA LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS PRODUÇÃO DE TEXTOS

17 NÚCLEO PIAUÍ Em 2006, o IQE iniciou suas atividades no Piauí em quatro municípios: José de Freitas, Campo Maior, Teresina e Parnaíba, benefi ciando, diretamente, alunos, 697 educadores e 78 escolas. De fevereiro a julho, foi implementado o Programa Pró-Formador que tem como objetivo qualifi car professores-formadores nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática. O Instituto formou 69 profi ssionais, que participaram de um curso de 360 horas. Os profi ssionais que mais se destacaram, durante o curso, foram indicados para formar, em Língua Portuguesa e em Matemática, os demais educadores de sua localidade. Em junho, foram apresentados os fundamentos e ações do Programa Qualiescola a todos os professores dos quatro municípios. Ainda nesse mês, os alunos das escolas integrantes do Programa realizaram avaliação diagnóstica inicial em Leitura, Produção de Textos e Matemática. Com base na análise dos resultados das avaliações*, foram planejadas as ofi cinas de formação continuada dos professores. Essas ofi cinas estão sendo desenvolvidas nas escolas participantes pelos professores-formadores, desde agosto de *As avaliações realizadas nesse núcleo foram apenas as diagnósticas de entrada, portanto ainda não existem dados comparativos. Foram realizadas, ainda, visitas de especialistas do IQE para acompanhar o desempenho dos alunos, analisar e reorganizar o planejamento de aulas e rever alternativas de apoio à

18 aprendizagem dos alunos. Em outubro, os diretores e coordenadores escolares participaram de ofi cinas em que foram discutidos temas relevantes em gestão escolar. Uma reunião, com todos os parceiros do Programa Qualiescola, para avaliar as ações implementadas e discutir o planejamento de 2007, encerrou o ano de PÚBLICO ALVO Secretarias de Educação, alunos, professores, coordenadores e diretores das escolas. TOTAL DE BENEFICIADOS EM 2006: alunos 697 educadores 69 professores/formadores 78 escolas PERÍODO DE REALIZAÇÃO janeiro a dezembro de PARCEIROS Fundação Raul Furtado Bacellar Fundação Latino Americana para Saúde e Educação Secretária Estadual de Educação e Cultura do Estado do Piauí Secretaria Municipal de Educação de José de Freitas Secretaria Municipal de Educação de Campo Maior Secretaria Municipal de Educação de Parnaíba.

19 NÚCLEO PERNAMBUCO Em 2006, o IQE expandiu sua atuação em Pernambuco, iniciando a implementação do Qualiescola nos municípios de Chã Grande, Bezerros e mais seis escolas de Recife. Além disso, nesse período, deu-se continuidade os seguintes projetos: em Recife, Núcleo de Recife iniciado em 2004, com previsão de conclusão para julho de 2007 e nos municípios de Camocim de São Félix, Sairé e São Joaquim do Monte, Núcleo do Interior, iniciado em A implementação do Qualiescola nos municípios de Pernambuco conta com forte envolvimento e comprometimento da comunidade com os resultados da implantação do Programa. Foram formados os Conselhos Consultivos, cujos membros, representantes dos poderes executivo e legislativo municipais, Secretarias de Educação, empresas parceiras, associações locais, pais de alunos e professores, avaliam e discutem as ações implementadas e propõem, se necessário, novas ações. Durante o ano, foram aplicadas duas avaliações diagnósticas aos alunos que partiparam dos Programas, para acompanhar o desempenho escolar desses alunos. Realizaram-se, também, atividades de voluntariado empresarial nas escolas. As empresas Philips, Gerdau e Ampla Comunicação, desde 1999, atuam nas Escolas Estaduais Edmur Arlindo de Oliveira, Senador Aderbal Jurema e Cônego Rochael de Medeiros,

20 respectivamente; entre 2005 e 2006 foi signifi cativa a parceria estabelecida entre o Colégio Fazer Crescer e a Escola Estadual São Francisco de Assis. Essa parceria deu-se por meio de ações conjuntas de organização e ampliação de acervo da biblioteca escolar, exposições na Feira de Ciências e mobilização da comunidade com palestras dirigidas, principalmente, aos pais dos alunos. Outras ações voluntárias fi caram a cargo da Armafer e da Faculdade Santa Helena com as escolas Tabajara e Padre Donino. Todas as escolas onde as ações voluntárias aconteceram apresentaram melhora dos resultados nas últimas avaliações de novembro de PÚBLICO ALVO Secretarias de Educação, alunos, professores, coordenadores, diretores e pais. TOTAL DE BENEFICIADOS EM 2006: RECIFE alunos 373 professores 11 formadores 38 escolas SAIRÉ alunos 80 professores 4 formadores 19 escolas

21 CAMOCIM DE SÃO FÉLIX alunos 74 professores 4 formadores 17 escolas CHÃ GRANDE alunos 90 professores 4 formadores 29 escolas SÃO JOAQUIM DO MONTE alunos 84 professores 4 formadores 33 escolas BEZERROS alunos 78 professores 4 formadores 6 escolas PERÍODO DE REALIZAÇÃO janeiro a dezembro de PARCEIROS CHÃ GRANDE Maximagem Diagnóstico por Imagem Clínica Radiológica Boris Berenstein Clínica Radiológica e Ultrassonografia Centro de Medicina Nuclear de PE Centro Diagnóstico Multimagem Imax Diagnósticos Médicos Secretaria Municipal de Educação de Chã Grande

22 RECIFE Acripel Pharma Armafer Acumuladores Moura Albalab Ampla Comunicações Celpe - Grupo Neoenergia Chesf - Companhia Hidroelétrica do São Francisco Colégio Fazer Crescer Construtora Queiroz Galvão EMS Sigma Pharma Faculdade Santa Helena Gerdau S/A Itapessoca Agro Industrial S/A Karne e Keijo Logística Integrada Ltda Lg. Philips-Displays Maximagem Diagnósticos Megaó Indústria e Comércio Ltda Petroflex. Philips do Brasil Tim Nordeste S/A Wal-Mart Brasil White Martins Gases Ind. do Nordeste S/A Whirlpool

23 SÃO JOAQUIM DO MONTE, CAMOCIM DE SÃO FELIX E SAIRÉ Phillips do Brasil Secretaria Municipal de Educação de São Joaquim do Monte Secretaria Municipal de Educação de Camocim Secretaria Municipal de Educação de Sairé *As avaliações realizadas nesse núcleo foram apenas as diagnósticas de entrada, portanto ainda não existem dados comparativos. BEZERROS* EMS Secretaria Municipal de Educação de Bezerros

24 jul/05 4ª SÉRIE nov/06 NOTAS MÉDIAS DE ALUNOS NAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO (CAMOCIM DE SÃO FÉLIX/PE) MATEMÁTICA LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS PRODUÇÃO DE TEXTOS mar/06 4ª SÉRIE nov/06 NOTAS MÉDIAS DE ALUNOS NAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO (CHÃ GRANDE/PE) MATEMÁTICA LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS PRODUÇÃO DE TEXTOS

25 abr/04 4ª SÉRIE nov/06 NOTAS MÉDIAS DE ALUNOS NAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO (RECIFE/PE) MATEMÁTICA jul/05 LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS 4ª SÉRIE PRODUÇÃO DE TEXTOS nov/06 NOTAS MÉDIAS DE ALUNOS NAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO (SAIRÉ/PE) MATEMÁTICA out/05 LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS 4ª SÉRIE PRODUÇÃO DE TEXTOS nov/06 NOTAS MÉDIAS DE ALUNOS NAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO (SÃO JOAQUIM DO MONTE/PE) MATEMÁTICA LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS PRODUÇÃO DE TEXTOS

26 O Programa de Apoio à Aprendizagem, consiste na implementação do atendimento ao aluno com difi culdades de aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática, para que ele consiga desenvolver as habilidades necessárias a essas duas áreas de conhecimento. Em Curitiba, o IQE implementou o Programa, benefi ciando 366 alunos. As atividades de apoio à aprendizagem foram iniciadas em 2005, em instituições, lares e contraturnos municipais. Para orientar o encaminhamento desse trabalho, foram capacitados 10 professores para atuar com os grupos de alunos em aulas de reforço em Língua Portuguesa e Matemática. Os alunos foram avaliados em junho e novembro e receberam todo o material necessário para as aulas de apoio. PÚBLICO ALVO alunos e professores de lares e contraturno da prefeitura. TOTAL DE BENEFICIADOS EM 2006: 366 alunos 10 professores de apoio 6 instituições de apoio à criança PERÍODO DE REALIZAÇÃO janeiro a dezembro de PARCEIRO HSBC

27 jun/05 4ª SÉRIE nov/06 NOTAS MÉDIAS DE ALUNOS NAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO (CURITIBA/PR) MATEMÁTICA LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS PRODUÇÃO DE TEXTOS

28 OBJETIVO O Programa Reinventando a Educação, destinado à formação de educadores na modalidade de Educação a distância, foi implementado em 2006, pelo IQE, em Piracicaba, SP. Participaram do curso 132 educadores da cidade. PÚBLICO ALVO Educadores e Secretaria Municipal de Educação. METODOLOGIA Utilizando o ambiente Learning Village-IBM e com o acompanhamento de tutores, foram implementados módulos nos seguintes temas: Gestão da escola pública Alfabetização Notícia na sala de aula Geometria nas séries iniciais O Programa conta com 40 horas por módulo, sendo 24 online, destinadas à realização de atividades individuais e em grupo e 16 offl ine, para atividades de leitura de textos subsidiários e análise e produção de seqüências didáticas. TOTAL DE BENEFICIADOS EM 2006: 132 educadores. PERÍODO DE REALIZAÇÃO março a julho de PARCEIROS IBM do Brasil Caterpillar do Brasil Secretaria de Educação de Piracicaba

29

30 REDE AGENTE- MARKETING RELACIONADO A CAUSAS (MRC) Formada, inicialmente, por iniciativa do IDIS - Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social, a Rede MRC é um movimento de organizações do terceiro setor que trabalha para que a ferramenta de Marketing Relacionado a Causas seja difundida entre as empresas e também entre as próprias organizações que compõem a rede. Seu principal objetivo é ampliar a prática de MRC pautada pela transparência e efetividade e, dessa forma, facilitar a concretização de parcerias entre empresas e o terceiro setor, mobilizando a sociedade para transformações sócio-ambientais, promovendo igualdade social. Iniciada há 2 anos, o IQE participa das reuniões mensais da Rede desde o início e, ao longo desse tempo, vem se capacitando sobre o tema, estudando casos e trocando experiências com as outras 22 organizações que integram a rede. CURSO DE GESTÃO ESCOLAR EM RECIFE Com a intenção de envolver todos os responsáveis pela gestão da escola no processo de formação, seja ela administrativa e/ou pedagógica, o Programa Qualiescola também vem desenvolvendo a formação continuada dos gestores e da equipe técnica escolar no Recife e municípios do agreste pernambucano, em parceria com o setor privado.

31 Em 2006, foram oferecidas, aos diretores das 36 escolas estaduais, 56 horas de formação, sendo 32 com a participação de empresas parceiras (Gerdau, Ampla e EMS). Nesses encontros, foram abordados temas pedagógicos e realizadas atividades pertinentes à gestão do processo escolar. PRÊMIO QUALIESCOLA Com o objetivo de reconhecer as práticas pedagógicas e de gestão desenvolvidas por educadores de Santa Cruz do Sul - RS a partir dos fundamentos do Programa Qualiescola, foi criado, em 2006, o Prêmio SMEC Santa Cruz do Sul / Qualiescola. A iniciativa é uma parceria entre o IQE, Philip Morris do Brasil, Universal Leaf Tabacos e a Secretaria de Educação de Santa Cruz do Sul, dando continuidade à implementação do Programa Qualiescola, que se realizou entre 2003 e 2005 e envolveu 32 escolas, 245 professores e alunos. As duas empresas apoiaram a implementação do Programa e do Prêmio Qualiescola em um amplo projeto corporativo para a erradicação do trabalho infantil. Todas as 32 escolas do município participaram do prêmio, que teve 35 projetos inscritos. Desses, foram selecionados e premiados projetos nas categorias: Gestão Escolar - escola rural Comunidade - escolar rural e urbana Língua Portuguesa - escola rural e urbana Matemática - escola rural e urbana Autoridades municipais (prefeito José Alberto Wenzel e secretário de Educação Nazário Bohen), equipe do IQE e parceiros patrocinadores.

32

O Dirigente Municipal de Educação e a articulação com o terceiro setor

O Dirigente Municipal de Educação e a articulação com o terceiro setor Missão Promover e realizar ações que contribuam para a melhoria da qualidade da educação pública e que fomentem o desenvolvimento social de comunidades de baixa renda. Visão Ser referência como fundação

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009.

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009. Plano de Ação Colégio Estadual Ana Teixeira Caculé - Bahia Abril, 2009. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR Unidade Escolar: Colégio Estadual Ana Teixeira Endereço: Av. Antônio Coutinho nº 247 bairro São

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Ao Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde E-mail: deges@saude.gov.br - prosaude@saude.gov.br CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Nós promovemos o desenvolvimento sustentável de diversas maneiras Uma delas é por meio do Investimento Social INVESTIMENTO INVESTIENTO SOCIAL - Estratégia

Leia mais

Mobilização e Participação Social no

Mobilização e Participação Social no SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Mobilização e Participação Social no Plano Brasil Sem Miséria 2012 SUMÁRIO Introdução... 3 Participação

Leia mais

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Colocar foto de autor AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Autoras: Queiroz, Helena Maria Gomes Coelho, Michelle Queiroz Introdução Objetivo Geral:

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO BÁSICA: EDUCAÇÃO BÁSICA: 1. Definir os padrões mínimos de qualidade estabelecidos pela LDB, considerando as especificidades

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE O Colégio Estadual Djenal Tavares de Queiroz, foi fundado

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2010

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2010 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2010 Palestras informativas Promover ações educativas para a promoção do voluntariado transformador. Mobilizar voluntários. Toda a comunidade de Curitiba e Região Metropolitana

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO -SME NATAL/RN - 2002

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO -SME NATAL/RN - 2002 PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO -SME PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 2002-2005 NATAL/RN - 2002 PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SME PLANO MUNICIPAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ A N E X O I E D I T A L D E C O N C U R S O P Ú B L I C O Nº 01/2015 D O S R E Q U I S I T O S E A T R I B U I Ç Õ E S D O S C A R G O S RETIFICAÇÃO

Leia mais

Avaliação Econômica Programa Excelência em Gestão. Gerência de Avaliação de Projetos

Avaliação Econômica Programa Excelência em Gestão. Gerência de Avaliação de Projetos Avaliação Econômica Gerência de Avaliação de Projetos São Paulo, 27 de agosto de 2012 1 O Programa Parceria entre a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo e Fundação Itaú Social; Coordenação técnica

Leia mais

Cartilha para Conselhos. Municipais de Educação

Cartilha para Conselhos. Municipais de Educação Cartilha para Conselhos Municipais de Educação Sistemas de ensino são o conjunto de campos de competências e atribuições voltadas para o desenvolvimento da educação escolar que se materializam em instituições,

Leia mais

Relatório Síntese do Programa 2006 a 2010

Relatório Síntese do Programa 2006 a 2010 Relatório Síntese do Programa 2006 a 2010 1 Programa de Intervenção Pedagógica-Alfabetização no Tempo Certo Relatório Síntese I Histórico: Em 2004 foi implantado em Minas Gerais o Ensino Fundamental de

Leia mais

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO:

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO: EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO: PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1. Profissionais da educação: formação inicial e continuada 1.1. Implantar

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

CEDHAP CENTRO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO APLICADO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO

CEDHAP CENTRO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO APLICADO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO Heloísa Lück Diretora Educacional do CEDHAP Centro de Desenvolvimento Humano Aplicado Curitiba - PR Artigo publicado na revista Gestão em Rede no. 24 de out.

Leia mais

2. CARACTERIZAÇÃO DO PETI NO CONTEXTO NACIONAL

2. CARACTERIZAÇÃO DO PETI NO CONTEXTO NACIONAL OS IMPACTOS DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) NA POLÍTICA EDUCACIONAL. Maria de Lourdes Bandeira Rodrigues (UESPI/UFPI) GT 05 Estado e Política Educacional. 1. INTRODUÇÃO Neste trabalho

Leia mais

Proposta pedagógica e planejamento: as bases do sucesso escolar

Proposta pedagógica e planejamento: as bases do sucesso escolar Proposta pedagógica e planejamento: as bases do sucesso escolar Lucita Briza, 2005 (novaescola@atleitor.com.br) Para oferecer um ensino adequado às necessidades de seus alunos, a escola precisa saber o

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO

CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO Este documento apresenta os resultados dos debates desenvolvidos pelo Grupo de Trabalho Capoeira e Educação, do 1º Encontro Regional do Programa Nacional de Salvaguarda

Leia mais

Número de funcionários: Aproximadamente 1200 colaboradores na sede administrativa e industrial.

Número de funcionários: Aproximadamente 1200 colaboradores na sede administrativa e industrial. PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 Categoria Franqueador Máster Dados da empresa Razão Social: IBAC Indústria Brasileira de Alimentos e Chocolates Nome Fantasia: Cacau Show Data de fundação:

Leia mais

Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial

Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Programa 0049 DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL Objetivo Ampliar e melhorar a oferta de atendimento aos portadores de necessidades educativas especiais. Público Alvo Alunos com necessidades educativas

Leia mais

Apoio: BIT Company Franchising Rua Fidêncio Ramos, 223 conj. 131 13º andar Vila Olimpia

Apoio: BIT Company Franchising Rua Fidêncio Ramos, 223 conj. 131 13º andar Vila Olimpia Nome da empresa: BIT Company Data de fundação: Julho de 1993 Número de funcionários: 49 funcionários Localização (cidade e estado em que estão sede e franquias): Sede em São Paulo, com franquias em todo

Leia mais

Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente

Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente A Prova Docente: Breve Histórico Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente Instituída pela Portaria Normativa nº 3, de

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

RELATóRIO ANUAL 2012. victor civita. prêmio victor civita

RELATóRIO ANUAL 2012. victor civita. prêmio victor civita Angela Dannemann Diretora da Fundação Victor Civita Mensagem da diretora A data mais aguardada na Fundação Victor Civita todos os anos o Dia do Professor contou com uma festa especial em 2012. No dia 15

Leia mais

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa É um compromisso formal assumido pelos governos federal, do Distrito Federal, dos estados

Leia mais

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos.

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos. BACHARELADO Administração O curso de Administração tem como objetivo formar profissionais que poderão atuar como executivos, técnicos em funções administrativas e/ou empreendedores, com capacidade de alinhar

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h. Estrutura Curricular do Curso Disciplinas

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h. Estrutura Curricular do Curso Disciplinas CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h Ética profissional na Educação Fundamentos históricos, conceitos, sociais e legais na Educação Inclusiva Legislação Aplicável na Educação Inclusiva Fundamentos

Leia mais

Categoria Franqueador Pleno

Categoria Franqueador Pleno PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Dados da empresa Razão Social EDACOM TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMATICA LTDA Nome fantasia EDACOM

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO Secretaria de Estado da Educação Estado do Paraná Núcleo Regional de Educação de União da Vitória COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio Rua Presidente Kennedy, 200 Fone: (42) 3552

Leia mais

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social Responsabilidade Social INSTITUTO DE CIDADANIA EMPRESARIAL DO MARANHÃO ICE/MA MISSÃO: Difundir o conceito de desenvolvimento sustentável de modo a incentivar as empresas a adotarem a responsabilidade social

Leia mais

Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014.

Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014. Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014. Dispõe sobre o processo de escolha para a designação de Professor para exercer a função gratificada de Vice-Diretor de Escola e Coordenador Pedagógico, nas Unidades

Leia mais

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária Apoio: Secretária municipal de educação de santo Afonso PROJETO INTERAÇÃO FAMÍLIA X ESCOLA: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. É imperioso que dois dos principais

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

SEMINÁRIO: PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA

SEMINÁRIO: PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA SEMINÁRIO: PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA Período: 23 e 24 de fevereiro de 2015 Local: Centro de Educação e Centro de Artes e Comunicação CAC Fórum Estadual de Educação

Leia mais

GRADUAÇÃO FGV EM SÃO PAULO. Administração Pública. fgv.br/vestibular

GRADUAÇÃO FGV EM SÃO PAULO. Administração Pública. fgv.br/vestibular GRADUAÇÃO FGV EM SÃO PAULO Administração Pública fgv.br/vestibular Idealismo, Excelência e Credibilidade A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944, com o objetivo de preparar profissionais

Leia mais

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Municípios participantes Adrianópolis Bocaiúva do Sul Cerro Azul Doutor Ulysses Rio Branco do Sul Tunas do Paraná Itaperuçu Campo Magro Colombo Almirante Tamandaré

Leia mais

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina Primeiro escritório de inclusão social da América Latina 18 de setembro Nós do Centro: mais uma ação para a comunidade do Grupo Orsa O Grupo Orsa, por meio da Fundação Orsa, inaugura um espaço inovador

Leia mais

EDUCAÇÃO BÁSICA NO ESTADO DE SÃO PAULO : AVANÇOS E DESAFIOS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO

EDUCAÇÃO BÁSICA NO ESTADO DE SÃO PAULO : AVANÇOS E DESAFIOS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO EDUCAÇÃO BÁSICA NO ESTADO DE SÃO PAULO : AVANÇOS E DESAFIOS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO MAIO/2014 O desafio da universalização Em São Paulo hoje: 98,7% das crianças de 6 a 14 anos estão

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 95/2011 Dispõe sobre a Política Municipal de Atendimento de Educação Especial, por meio do Programa INCLUI, instituído pelo Decreto nº 51.778, de 14 de setembro de 2010, e dá outras providências.

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC 30/05/12

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC 30/05/12 Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC 30/05/12 Alguns dados disponíveis sobre analfabetismo Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo

Leia mais

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO PROPOSIÇÕES ESTRATÉGIAS E RESPONSABILIDADE* UNIÃO DF ESTADOS MUNICÍPIOS 1. Profissionais da educação:

Leia mais

Metodologia do Modelo Lógico

Metodologia do Modelo Lógico Modelo Lógico Material elaborado com base no Modelo lógico do Programa Brasil Alfabetizado e na Nota Técnica nº 6 do IPEA, elaborada por Martha Cassiolato & Simone Gueresi (2010) Introdução O Modelo Lógico

Leia mais

Viver a Responsabilidade Social sem fronteiras

Viver a Responsabilidade Social sem fronteiras Telecom Social Viver a Responsabilidade Social sem fronteiras Eduardo Octaviano Diretor de Comunicação Corporativa Brasília, 4 de maio de 2005 TIM Empresa do Grupo Telecom Italia Início das atividades

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO O que buscamos Proporcionar educação com qualidade social para todas as crianças. Erradicar o analfabetismo, ampliar o nível

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Missão 03 Valores Institucionais 03 Escola Especial de Educação Básica 04 Clínica de Audição, Voz e Linguagem Prof. Dr. Mauro Spinelli

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ

PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Art. 1 - A Política Estadual

Leia mais

PUBLICADO DOC 27/09/2012, PÁG 85

PUBLICADO DOC 27/09/2012, PÁG 85 PUBLICADO DOC 27/09/2012, PÁG 85 PROJETO DE LEI 01-00415/2012 do Executivo (Encaminhado à Câmara pelo Sr. Prefeito com o ofício ATL 96/12). Aprova o Plano Municipal de Educação da Cidade de São Paulo para

Leia mais

FOME DE LER: UMA PARCERIA EXITOSA

FOME DE LER: UMA PARCERIA EXITOSA FOME DE LER: UMA PARCERIA EXITOSA Angela da Rocha Rolla1 RESUMO FOME DE LER é um Programa de Leitura desenvolvido pelo Laboratório de Leitura e Escrita do Curso de Letras ULBRA/Guaíba em parceria com a

Leia mais

Transformando o presente, construindo o amanhã.

Transformando o presente, construindo o amanhã. Transformando o presente, construindo o amanhã. Primeira sede em 1988 História No dia 23 de novembro de 1988, a Fundação Belgo-Mineira foi oficialmente constituída, a fim de promover ações de marketing

Leia mais

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Eixo I O plano Nacional de Educação e o Sistema Nacional de Educação: organização e regulação. Instituir, em cooperação

Leia mais

REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI

REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI Francisco Cleiton da Rocha 1 Marcos Vinícius de Sousa 2 Stella Indira Rocha Lobato 3 1 Professor Assistente da Universidade

Leia mais

Prof. Adm. José Ednaldo Ferreira Pedroza

Prof. Adm. José Ednaldo Ferreira Pedroza Prof. Adm. José Ednaldo Ferreira Pedroza Mestrando e Especialista em Gestão de Empresas; MBA em Gestão Pública Municipal; Graduado em Administração; Aperfeiçoamento Docente em EAD. Professor/Tutor do Curso

Leia mais

EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica

EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica FÓRUNS DE ESTUDOS: UMA ALTERNATIVA DE DISCUSSÃO DE NOVAS POSSIBILIDADES E AÇÕES NA MELHORIA DO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO E FORTALECIMENTO

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Projeto Biblioteca Escolar: Quem lê aprende, imagina e viaja...

Projeto Biblioteca Escolar: Quem lê aprende, imagina e viaja... Mostra Local de: Tomazina Projeto Biblioteca Escolar: Quem lê aprende, imagina e viaja... Categoria do projeto: I - Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

EDUCAÇÃO GRUPO POSITIVO

EDUCAÇÃO GRUPO POSITIVO EDUCAÇÃO 38 GRUPO POSITIVO Contribuição para o desenvolvimento Positivo trabalha para que sua contribuição ao ensino de O qualidade extrapole suas unidades e alcance de forma construtiva toda a sociedade.

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de bolsa paga diretamente ao beneficiário e pagamento de demais despesas a ela vinculadas.

Detalhamento da Implementação Concessão de bolsa paga diretamente ao beneficiário e pagamento de demais despesas a ela vinculadas. Programa 1448 Qualidade na Escola Numero de Ações 48 Ações Orçamentárias 009U Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Produto: Bolsa concedida Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 364

Leia mais

Escola Municipal Andre Urani Ginásio Experimental de Novas Tecnologias Educacionais / GENTE RJ 27/06/2013

Escola Municipal Andre Urani Ginásio Experimental de Novas Tecnologias Educacionais / GENTE RJ 27/06/2013 Escola Municipal Andre Urani Ginásio Experimental de Novas Tecnologias Educacionais / GENTE RJ 27/06/2013 Informações da instituição A Escola Municipal André Urani está situada na Rocinha e é a primeira

Leia mais

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL Resumo 1 Discente do Curso de Serviço Social da Faculdade Novos Horizontes MG 2 Discente do Curso de Serviço

Leia mais

AS 20 METAS DO PNE COMISSÃO TÉCNICA DO PME VACARIA/RS

AS 20 METAS DO PNE COMISSÃO TÉCNICA DO PME VACARIA/RS AS 20 METAS DO PNE COMISSÃO TÉCNICA DO PME VACARIA/RS Meta 1: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 a 5 anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO

EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO Remígio Todeschini 1 1.Introdução O presente texto pretende ser uma contribuição inicial da relação de cooperação entre a Educação

Leia mais

Plano Plurianual de Gestão 2013-2017. Etec Rubens de Faria e Souza. Município: Sorocaba Plano Político Pedagógico

Plano Plurianual de Gestão 2013-2017. Etec Rubens de Faria e Souza. Município: Sorocaba Plano Político Pedagógico Plano Plurianual de Gestão 2013-2017 Etec Rubens de Faria e Souza Município: Sorocaba Plano Político Pedagógico ORIENTAÇÕES: O Projeto Político Pedagógico é a identidade da escola. Nesta tela, apresente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM COORDENÇÃO PEDAGOGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM COORDENÇÃO PEDAGOGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM COORDENÇÃO PEDAGOGICA A ELABORAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESCOLAR O Planejamento é o principal instrumento norteador da ação dos coordenadores e profissionais

Leia mais

A EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: A EXPERIÊNCIA DE CURITIBA.

A EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: A EXPERIÊNCIA DE CURITIBA. A EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: A EXPERIÊNCIA DE CURITIBA. ANDREA MALMEGRIM ELIAS (PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA), JORDANA DE SOUZA SEHNEM ALVES (PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA).

Leia mais

PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO DA ESCOLA 2012 A 2014

PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO DA ESCOLA 2012 A 2014 PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO DA ESCOLA 2012 A 2014 1 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR COLÉGIO ESTADUAL CHATEAUBRIANDENSE ENSINO MÉDIO, NORMAL E PROFISSIONAL R. ESTADOS UNIDOS, 170 - JD. AMÉRICA ASSIS CHATEAUBRIAND

Leia mais

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica 15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME Política Nacional de Educação Infantil Mata de São João/BA Junho/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores urbanos e rurais

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento

LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento PNE PME LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento locais e nacionais (prova Brasil e IDEB) 10% do

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA EM SERVIÇO DE FORMADORES DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CURITIBA

FORMAÇÃO CONTINUADA EM SERVIÇO DE FORMADORES DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CURITIBA FORMAÇÃO CONTINUADA EM SERVIÇO DE FORMADORES DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CURITIBA MENDONÇA, Ida Regina Moro Milléo SMECuritiba imendonca@sme.curitiba.pr.gov.br

Leia mais

Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha. Planejamento para 2015

Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha. Planejamento para 2015 Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha Planejamento para 2015 Formação Aprender faz parte da vida, sendo um processo permanente de desenvolvimento humano

Leia mais

VI Conferencia Regional de voluntariado IAVE. Guayaquil Ecuador

VI Conferencia Regional de voluntariado IAVE. Guayaquil Ecuador VI Conferencia Regional de voluntariado IAVE Guayaquil Ecuador 2013 PerguntAção no Programa de Voluntariado Promon: conectando o conhecimento para criar, construir e transformar Autora: Marisa Villi (Assessora

Leia mais

PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ

PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ TEMA PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES Educação para a Paz Aplicadores:

Leia mais

POLO 19 POLO 17 POLO 18 POLO 22 POLO 24 POLO 21 POLO 25. E.M. Nilcelina S. Ferreira

POLO 19 POLO 17 POLO 18 POLO 22 POLO 24 POLO 21 POLO 25. E.M. Nilcelina S. Ferreira 17 19 18 E.M. Nilcelina S. Ferreira 20 22 21 23 24 25 5 Metas para a Gestão Democrática META 1 a. garantir a autonomia políticod i d á t i c o - p e d a g ó g i c a e administrativa às instituições educacionais

Leia mais

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES Marcia Regiane Miranda Secretaria Municipal de Educação de Mogi das Cruzes marcia.sme@pmmc.com.br

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS Perguntas mais frequente e respostas do Departamento de Políticas Educacionais. 1. Qual é a nomenclatura adequada para o primeiro ano do ensino fundamental

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ORIENTAÇÕES BÁSICAS PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA SEE PARAIBA 2015 2018 Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas. Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte

Leia mais

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: uma política de apoio à gestão educacional Clélia Mara Santos Coordenadora-Geral

Leia mais

PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios. Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015

PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios. Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015 PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015 Ação Educativa Organização não governamental fundada por um

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil 1 Carta-Compromisso pela Garantia do Direito à Educação de Qualidade Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil Para consagrar o Estado Democrático de Direito, implantado pela Constituição

Leia mais

PLANO DE METAS EDUCAÇÃO PARAIBA

PLANO DE METAS EDUCAÇÃO PARAIBA PLANO DE METAS EDUCAÇÃO PARAIBA 2015 2018 Mensagem do Governador No projeto político que anima o Governo do Estado da Paraíba a educação tem, além das prioridades que vêm sendo desenhadas pelo arranjo

Leia mais

Em Vitória de Santo Antão,

Em Vitória de Santo Antão, Programa Ação Saudável é ampliado e recebe investimento de R$ 10 milhões Com novo aporte da Mondelēz International Foundation, Evoluir Educação para Sustentabilidade e Instituto de Educação & Esporte juntam-se

Leia mais

Curso desenvolvido para atender todas as necessidades do mercado empresarial. Formado com um time de professores com extensa experiência de mercado

Curso desenvolvido para atender todas as necessidades do mercado empresarial. Formado com um time de professores com extensa experiência de mercado Curso desenvolvido para atender todas as necessidades do mercado empresarial. Formado com um time de professores com extensa experiência de mercado em grandes empresas de Pernambuco. Diferenciais:. A cada

Leia mais

FUNDAÇÃO TELEFÔNICA: EDUCAÇÃO INOVATIVA

FUNDAÇÃO TELEFÔNICA: EDUCAÇÃO INOVATIVA FUNDAÇÃO TELEFÔNICA: EDUCAÇÃO INOVATIVA INOVAÇÃO EDUCATIVA FOCO DE ATUAÇÃO DA FUNDAÇÃO TELEFÔNICA VIVO INOVAÇÃO EDUCATIVA VISÃO_ Conectando pessoas e instituições podemos transformar o futuro, tornando-o

Leia mais

Prefeitura de São José do Rio Preto, 30 de Janeiro de 2013. Ano IX nº 2732 DHOJE SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO SME N 02/2013

Prefeitura de São José do Rio Preto, 30 de Janeiro de 2013. Ano IX nº 2732 DHOJE SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO SME N 02/2013 Prefeitura de São José do Rio Preto, 30 de Janeiro de 2013. Ano IX nº 2732 DHOJE SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO SME N 02/2013 Estabelece diretrizes, normas e prazos para entrega dos Planos

Leia mais

O Novo perfil do Pedagogo: Desafios e Possibilidades

O Novo perfil do Pedagogo: Desafios e Possibilidades O Novo perfil do Pedagogo: Desafios e Possibilidades Marcos de referência: O período de transição do século XX para o século XXI tem sido marcado por inúmeras e profundas mudanças sociais, econômicas e

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS LEI Nº 2.073, DE 30 DE JULHO DE 2014. **Altera a Lei Ordinária nº 2.021, de 8 de Janeiro de 2014. Altera a Lei 2.021, de 08 de janeiro de 2014, que dispõe sobre o Plano Plurianual PPA 2014-2017, na forma

Leia mais

O Plano Nacional de Educação 2011 2020 e a política educacional Mineira. 22 Fórum Estadual da UNDIME MG

O Plano Nacional de Educação 2011 2020 e a política educacional Mineira. 22 Fórum Estadual da UNDIME MG O Plano Nacional de Educação 2011 2020 e a política educacional Mineira 22 Fórum Estadual da UNDIME MG 26 à 28/04 2011 Secretaria de Estado de Educação Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica

Leia mais