O QUE É TCC EM PSICOLOGIA?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O QUE É TCC EM PSICOLOGIA?"

Transcrição

1 O QUE É TCC EM PSICOLOGIA? É o Trabalho de Conclusão de Curso realizado por alunos de nono e décimo semestres do curso de Psicologia e avaliado por banca examinadora. Na defesa de seu trabalho, o aluno apresenta os resultados de sua pesquisa, sob a orientação de um professor do curso. É um trabalho que deve apresentar contribuições relevantes para o conhecimento científico, para a comunidade, para a formação do aluno e para a promoção da iniciação científica no meio discente. Como característica principal do TCC em Psicologia, pode ser indicada sua relação direta com o trabalho de intervenção que o aluno desenvolve em seu estágio. Este caderno visa ser um meio de divulgação dos resumos dos Trabalhos de Conclusão de Curso desenvolvidos pelos alunos do Curso de Psicologia. Além dos resumos dos Trabalhos de Conclusão de Curso, no caderno constam também as datas e locais de apresentação das pesquisas. Confira a seguir...

2 DATA, HORA E LOCAL DAS DEFESAS DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DESENVOLVIDOS PELOS ALUNOS

3 Data Hora Sala/ Bloco 08h15min Sala 205 as Bloco F 09h45min Autor (a) Título do trabalho Orientador (a) Karina de As percepções de homens e SimoneVieira Souza Ferreira mulheres sobre a de Souza infidelidade conjugal. Banca examinadora Lilian Maciejescki e Ana maria Lima da Luz. 09h50min as 11h20min 17h00min as 18h30min Sala 205 Bloco F Sala 303 Bloco F Carolina Brito Schutel Lacerda Silvia Amaral Martins Implicações da separação conjugal em crianças em idade escolar: revisando periódicos. A percepção de três gerações de mulheres sobre o casamento. Simone Vieira de Souza Simone Vieira de Souza Lilian Maciejescki e Deise Maria do Nascimento Lilian Maciejescki Ana Maria Lima da Luz 18/11 19h10min as 20h40min 20h45min as 22h15min Sala 303 Bloco F Auditório C Sala 304 Bloco F Auditório C Sala 303 Bloco F Rudinei Luiz Beltrame Vanessa Machado Martins Grace Kelly Betim Célia Raquel Toledo André Preuss Ouvindo crianças sobre sentidos e significados atribuídos ao transtorno do déficit de atenção e hiperatividade Acabou comigo como pessoa : A caracterização da violência doméstica a partir da percepção de mulheres que sofreram violência doméstica. Interdisciplinaridade e integralidade: caracterização das práticas realizadas na Atenção Básica A Origem do Mal: análise dos elementos que contribuíram para a composição do personagem Hannibal Lecter. A Construção de Sentidos Produzidos por Estudantes Sobre os Discursos de seus Professores. Simone Vieira de Souza Carolina Bunn Bartilotti Juliane Viecili Carolina Bunn Bartilotti Simone Vieira de Souza Maria Ângela Giordani Machado e Maria do Rosário Stotz Fernanda Graudenz Muller e Simone Vieira de Souza Ana Maria Pereira Lopes e Ilse Lisiane Viertel Vieira Fernanda Graudenz Muller e Gabriela Luiza Campos Paulo Roberto Sandrini e Deise Maria do Nascimento

4 Data Hora Sala/ Bloco 08h15min Sala 205 as Bloco F 09h45min 19/11 09h50min as 11h20min 17h00min as 18h30min 19h10min as 20h40min 20h45min as 22h15min Sala 205 Bloco F Sala 303 Bloco F Sala 304 Bloco F Auditório C Sala 303 Bloco F Sala 303 Bloco F Auditório C Autor (a) Título do trabalho Orientador (a) Jéssica Bullying, escola e Simone Vieira Terezinha professores: um estudo de Souza Goulart sobre as relações que os professores estabelecem com o bullying em seu Elizete Branga Carolina Cini Ferrari Vébora Gilvane Duarte Antunes Heloísa Petry Mariana Macedo Nora Karyn Natanne Tezzari Nádia de Melo Ferreira cotidiano de trabalho. Terminei o Ensino Médio em escola pública. E agora? Estudo sobre os alunos concluintes do Ensino Médio de escolas públicas de Palhoça que não desejam cursar a Educação Superior. As implicações do uso do telefone celular nas relações interpessoais de sujeitos. Compreensão sistêmica da obra literária Os Miseráveis De Victor Hugo: da injustiça à justiça nos encontros relacionais humanos. Tá com dó? Leva pra casa! Fundamentos ideológicos da volúpia punitiva em comunidades virtuais favoráveis à redução da maioridade penal. Desenvolvimento de Competências Profissionais: Uma relação entre a percepção de Psicólogos Organizacionais e de Trabalhadores Trabalho e acidentes sobre 2 rodas: a percepção de motociclistas profissionais da grande Florianópolis sobre a ocorrência de acidentes de trabalho em sua profissão. Eles deviam congelar a gente e soltar só quando pagar o último dia de cadeia : sentidos produzidos por homens encarcerados por crimes sexuais contra criança e adolescente. Vanderlei Brasil Vanderlei Brasil Deise Maria do Nascimento Deise Maria do Nascimento Michelle Regina da Natividade Michelle Regina da Natividade Deise Maria do Nascimento Banca examinadora Paulo Roberto Sandrini e Deise Maria do Nascimento Luciano Bittencourt e Sirley Damian de Medeiros Michelle Regina da Natividade e Carolina Bunn Bartilotti Eliedite Mattos Ávilla e Telma Lenzi Paulo Roberto Sandrini e Danielli Vieira Juliane Viecili e Iúri Novaes Luna Carolina Bunn Bartilotti e Taís Evangelho Zavareze Paulo Roberto Sandrini e Simone Vieira de Souza

5 Data Hora Sala/ Bloco 08h15min Sala 205 as Bloco F 09h45min 20/11 09h50min as 11h20min 17h00min as 18h30min 19h10min as 20h40min 20h45min as 22h15min Sala 205 Bloco F Sala 303 Bloco F Sala 304 Bloco F Sala 304 Bloco F Sala 303 Bloco F Auditório C Auditório C Sala 304 Bloco F Sala 303 Bloco F Autor (a) Título do trabalho Orientador (a) Mariana Peres A compreensão famliar Simone Vieira Trajano sobre sua participação no de Souza processo de reinserção Bruna Costa Gallotti Prisco Paraiso Marinuta De Almeida Cattoni Ana Cristina De Souza Rui de Oliveira Jana Lima Galli Gabriela Rabello Suelen Lazaretti Vanessa Mariana Nascimento De Souza Trindade Bruno Roberto Rosa psicossocial. Percepção dos usuários de um CAPS sobre a sua reinserção psicossocial. Adoecer em familia: As estratégias de enfrentamento dos familiares cuidadores do idoso com Mal de Alzheimer. Crescimento da obesidade infantil: influência de fatores familiares e midiáticos. Matar ou morrer? O homicídio praticado pelo policial e suas implicações psicológicas. Reflexos da psique: a visão de mundo de um indivíduo com intenso sofrimento psíquico, expressada por meio de práticas fotográficas. O Rap é compromisso, não é viagem : A percepção de cantores de Rap acerca do fenômeno da desigualdade social O mundo é diferente da ponte pra cá : Os sentidos produzidos por pessoas de Classes Populares acerca da instituição policial. Não quebrou a corrente, mas abriu um elo entre nós : sentidos atribuídos à maternidade por mães dependentes químicas. Decifrando o monstro de olhos verdes : Uma caracterização da percepção de jovensadultos de classe média sobre processo de enciumar-se. Banca examinadora Angela Maria Hoepfner e Andréia Miranda Simone Vieira Angela Maria de Souza Hoepfner e Andréia Miranda Juliane Viecili Maria Ângela Giordani Machado e Sérgio Luiz Sanceverino Simone Vieira de Souza Vanderlei Brasil Ana Maria Lima da Luz e Alessandra D Ávilla Scherer Michelle Regina da Natividade e Adriana Rodrigues Juliane Viecili Maria Ângela Giordani Machado e Gabriela Luiza Campos Deise Maria do Nascimento Deise Maria do Nascimento Carolina Bunn Bartilotti Juliane Viecili Ana Maria Pereira Lopes e Darlene Silveira Paulo Roberto Sandrini e Giovani de Paula Ana Maria Pereira Lopes e Sérgio Luiz Sanceverino Maurício Maliska e Saulo Satoshi Botomé

6 Data Hora Sala/ Bloco 08h15min Sala 205 as Bloco F 09h45min 21/11 09h50min as 11h20min 13h30min as 15h00min 17h00min as 18h30min 19h10min as 20h40min 20h45min as 22h15min Sala 205 Bloco F Sala 103 Bloco F Sala 103 Bloco F Sala 303 Bloco F Auditório C Sala 303 Bloco F Sala 303 Bloco F Auditório C Autor (a) Título do trabalho Orientador (a) Camila O estudante com Paralisia Alessandra Medeiros de Cerebral e suas estratégias D Ávilla Araújo de enfrentamento frente ao Scherer ambiente acadêmico no Ensino Superior: Um Raquel Cristina do Rêgo Hâncio Maria Lucia Rosa Coutinho Edinara Heiderscheidt Fernando José Müller Clarice Grunschy Valentina Baldino Cibils Luana da Silva Lopes Bruna Fabiane Zacchi Estudo de Caso. Ela nunca fica satisfeita : Obesidade infantil e dinâmica familiar Percepção da Imagem Corporal de Pacientes Renais Crônicos Transplantados. Maternidade tardia e Carreira profissional: As implicações dessa escolha para a vida pessoal da mulher. Avaliação, seleção e gestão: a percepção de candidatos a cargos gerenciais acerca da avaliação psicológica vinculada a processos seletivos. O processo de maternidade quando o filho tem dificuldade intelectual e do desenvolvimento. Coaching Executivo: Um estudo acerca da percepção de Coachees sobre os resultados obtidos em sua vida profissional após a realização de um processo de Coaching. O que vou ser quando crescer? A criança e os fatores intervenientes na construção do seu projeto profissional Psicólogos que atuam com vida na preparação para a morte Alessandra D Ávilla Scherer Alessandra D Ávilla Scherer Vanderlei Brasil Michelle Regina da Natividade Carolina Bunn Bartilotti Michelle Regina da Natividade Michelle Regina da Natividade Carolina Bunn Bartilotti Banca examinadora Simone Vieira de Souza e Vanessa Andrade Simone Vieira de Souza e Lilian Maciejescki Ana Maria Lima da Luz e Lilian Maciejescki Ana Maria Lima da Luz e Lilian Maciejescki Carolina Bunn Bartilotti e Renata de Andrade Mafra Maria Ângela Giordani Machado e Greice Carolina das Neves Vanderlei Brasil e Camila Berni Vanderlei Brasil e Célia Borges Maria Ângela Giordani Machado e Greice Carolina das Neves

7 Data Hora Sala/ Bloco 22/11 08h15min Sala 205 as Bloco F 09h45min 22/11 09h50min as 11h20min 22/11 11h20min as 12h50min Sala 205 Bloco F Sala 205 Bloco F Autor (a) Título do trabalho Orientador (a) Flávia Lisboa Ramos Ana Jakellyne Pécori Viana Mariana Effting de Sousa Padrão de beleza na cultura ocidental: implicações na vida de adolescentes na contemporaneidade Percepção de profissionais da saúde sobre a atuação do Psicólogo na equipe interdisciplinar O paciente hospitalizado à luz da Teoria Cognitivo- Comportamental. Alessandra D Ávilla Scherer Alessandra D Ávilla Scherer Alessandra D Ávilla Scherer Banca examinadora Rosane Romanha e Isabela Machado da Silva Isabela Machado da Silva e Dulcinéia Ghizoni Schneider Rosane Romanha e Vera Baião

8 S

9 ANTUNES, Vébora G. D. Compreensão sistêmica da obra literária Os Miseráveis De Victor Hugo: da injustiça à justiça nos encontros relacionais humanos. Trabalho de Conclusão de Curso TCC, Curso de Psicologia. Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça/SC. A tentativa de Victor Hugo em registrar o olhar dos pobres sobre os ricos em Os Miseráveis, atingiu níveis de mudança e transformações sociais intangíveis. Tal modificação paradigmática é confirmada pelos sentimentos atribuídos aos pobres entre suas insatisfações, reivindicações e anseios. No dicionário Aurélio (1995), indica-se o termo miséria como estado de extrema pobreza, já para o termo justiça, qualquer ato em conformidade com o código de leis vigente, em acordo com cada cultura. Assim, quem quebra o pacto social, se sujeita às penas previstas nos respectivos códigos. Para o autor da obra, além do significado literal, o sentido de ser miserável, nas vivências de seus personagens, estabelece relações com a injustiça praticada pelo regime político vigente, agravado pela aplicação das penas criminais estabelecidas, aos que incorriam em delitos e infrações. Portanto, com vistas à interface entre Psicologia e Justiça, foi investigada por meio das narrativas do protagonista Jean Valjean e quatro dos personagens da obra as construções de senso e concepções de justiça nas relações sociais estabelecidas. Caracterizou-se a presente pesquisa quanto aos seus objetivos, exploratória - descritiva, com análise qualitativa. Ao final, foram estabelecidas três categorias: Justiça e complexidade: do individual ao social; Justiça e postura restaurativa; Justiça e disciplina: lei e controle da ordem social. Pautou-se, com base nos objetivos propostos e no referencial teórico deste estudo, articulação dos dados relevantes selecionados com a diferenciação entre justiça tradicional e práticas contemporâneas sobre justiça, orientando-se pelo aporte da Teoria relacional sistêmica, em resposta ao problema de pesquisa. Palavras-Chave: Miseráveis. Justiça. Sistêmica. Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde. Orientadora: Deise Maria do Nascimento. Membros da Banca examinadora: Telma Pereira Lenzi Eliedite Mattos Ávila. Data, hora e local da Defesa: 19 de novembro de 2013, às 17hs, na sala 304, Bloco F.

10 ARAÚJO, Camila Medeiros. O estudante com Paralisia Cerebral e suas estratégias de enfrentamento frente ao ambiente acadêmico no Ensino Superior: Um Estudo de Caso. Trabalho de Conclusão de Curso TCC (Curso de Psicologia Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, A presente pesquisa tem como objetivo, analisar as estratégias de enfrentamento utilizadas por um estudante com Paralisia Cerebral no curso de graduação de Educação Física de uma Universidade da Grande Florianópolis. Foi entrevistado um estudante com diagnóstico de Paralisia Cerebral do tipo Quadriplégica Espática que se encontra na sexta fase do curso superior de uma Instituição privada do Estado de Santa Catarina. Devido que há somente um estudante com este diagnóstico na Instituição e por falta de pesquisas nacionais com acadêmicos do ensino superior com Paralisia Cerebral, foi escolhido realizar um estudo de caso, que é classificada como pesquisa qualitativa de caráter exploratório utilizando entrevista semi-estruturada para a coleta de dados. Os dados coletados foram analisados por categorias e subcategorias de acordo com os objetivos específicos. Os resultados apontaram que o estudante utiliza como estratégia de enfrentamento para estar no ambiente acadêmico tecnologia assistida e usufrui dos direitos de acessibilidade, onde a estrutura da Universidade oferece os recursos necessários para que o mesmo tenha acesso às informações e consiga locomover-se no ambiente universitário. A comunicação alternativa facilita o processo de aprendizagem durante a trajetória do curso, o auxílio dos colegas e professores durante as aulas se faz necessário para a compreensão e sociabilidade do mesmo. Palavras-chave: Paralisia Cerebral; Inclusão; Acessibilidade. Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde Orientador: Alessandra D Ávila Scherer Membros da Banca examinadora: Simone Vieira de Souza Vanessa Andrade Manoel Data, hora e local da defesa: 21 de novembro de 2013, às 08h15min, na sala 205, Bloco F.

11 BELTRAME, Rudinei Luiz. Ouvindo crianças sobre sentidos e significados atribuídos ao transtorno do déficit de atenção e hiperatividade. Trabalho de Conclusão de Curso TCC (Curso de Psicologia Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, Essa pesquisa é produto de discussões realizadas sobre medicalização da sociedade, e consequentemente, da vida e da educação. Por medicalização entende-se o processo que transforma questões culturais, sociais, econômicas, políticas, comportamental em questões médicas e individuais. Logicamente, se o problema é do indivíduo, poder-se-ia tratá-lo e curálo. Ignorando todo o vasto contexto problemático, precário, de desigualdades, de exclusão, de padrões e normas, de competitividade, de homogeneidade em que estamos inseridos. Na tentativa de adentrar a este tema, o presente estudo investiga a produção de significado e sentidos produzidos por crianças/ estudantes que foram diagnosticados com Déficit de Atenção com ou sem hiperatividade. Para compreender este fenômeno e suas implicações na realidade, optou-se por realizar um estudo de caso. Participaram desse estudo quatro estudantes entre 7 e 14 anos de idade, que foram diagnosticado por um profissional da saúde. Também foram fontes de informação os respectivos responsáveis pelos estudantes. Como resultados pode se destacar que todos os diagnósticos surgiram a partir de queixas oriundas da escola. Em consequência, os familiares buscaram ajuda nos consultórios dos especialistas. Estes por sua vez, fizeram avaliações em um curto espaço de tempo e pautadas apenas nas narrativas da escola e dos responsáveis. Por conseguinte, foi possível identificar que ocorrem produções de sentidos e significados que transformam a forma de perceber o estudante na sua relação com os familiares e com a escola. De certo, a única coisa que se pode afirmar é que este fenômeno complexo incomoda, principalmente, os outros. Esses outros podem ser: a escola, familiares, amigos, a sociedade em geral que não está preparada para compreender a diversidade. Compreender como crianças subjetivam o diagnóstico abre possibilidades para intervenções mais assertivas, com diminuição de danos. Uma vez que, as implicações deste suposto transtorno pode escamotear uma vida de fracasso, rejeição, exclusão nas diversas dimensões da existência. Palavras-chave: Medicalização. TDAH. Subjetivação do diagnóstico. Dificuldade de Aprendizagem. Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde. Orientador: Simone Vieira de Souza, Dra.

12 Membros da Banca examinadora: Deise Maria do Nascimento. Paulo Roberto Sandrini. Data, hora e local de Defesa: 18 de novembro de 2013, às 19h10min, na sala 303 do bloco F.

13 BETIM, Grace K. Interdisciplinaridade e integralidade: caracterização das práticas realizadas na Atenção Básica. Trabalho de Conclusão de Curso TCC (Curso de Psicologia Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, Este trabalho teve como objetivo caracterizar as práticas realizadas na Atenção Básica, relatadas por meio de publicação científica. A Atenção Básica tem como meta, entre outras, substituir o modelo biomédico por um modelo de cuidado mais amplo, centrado no sujeito, com ênfase no trabalho interdisciplinar, com delimitação clara de território sob a responsabilidade de cada equipe. O estudo consistiu numa pesquisa bibliográfica, foi realizado a partir do exame de oito artigos científicos, que relatavam práticas realizadas no contexto da Atenção Básica, publicados em base de dados online. Para o exame foi elaborado um protocolo de registro das informações que constituíram categorias de análise. Foi possível concluir que as práticas realizadas na Atenção Básica, em geral priorizaram os métodos grupais. As técnicas utilizadas podem favorecem o desenvolvimento da autonomia e construção de novos sentidos para o processo de produção de saúde. Além disso, podem promover o fortalecimento do vínculo entre os usuários, profissionais da Atenção Básica e a comunidade. Os objetivos das ações foram de modo geral, prestar assistência, promoção e prevenção da saúde nos processos de produção de qualidade de vida com a população. Os dados parecem indicar que a interdisciplinaridade, é uma dificuldade a ser superada, pelos profissionais que atuam no SUS, já que não houve dados suficientes para caracterizar as ações como interdisciplinares. Houve indícios de atuação multiprofissional e duas ações que sugeriam o trabalho interdisciplinar, no entanto não ofereceram dados conclusivos. Os resultados relatados nos artigos analisados foram em geral, melhora na qualidade de vida das pessoas atendidas e mudanças nos processos de trabalho dos profissionais envolvidos nas ações. Os resultados apresentados nos artigos demonstram que, as práticas analisadas estavam na direção dos princípios do SUS. No entanto, para corresponder com a amplitude que pretende a Atenção Básica no SUS, será necessário avançar nas formas de produzir saúde com a população, pois as práticas ainda são limitadas, principalmente nos aspectos de articulação entre os profissionais e entre os setores que compõe o sistema. Palavras-chave: Atenção Básica, Interdisciplinaridade, Integralidade. Núcleo Orientado: Psicologia e saúde. Orientadora: Juliane Viecili

14 Membros da banca: Ana Maria Lopes Ilse Lisiane Viertel Vieira Data, hora e local de Defesa: 18 de novembro de 2013, às 19h10min, na sala 304 do bloco F

15 BRANGA, Elizete. Terminei o Ensino Médio em escola pública. E agora? Estudo sobre os alunos concluintes do Ensino Médio de escolas públicas de Palhoça que não desejam cursar a Educação Superior. Trabalho de Conclusão de Curso TCC (Curso de Psicologia Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, A escolha profissional pode ser compreendida como a primeira etapa de processos de planejamento de carreira que se desenvolverão ao longo de trajetórias profissionais. Considerando que a escolha profissional para determinados jovens não se encontra vinculada necessariamente ao ingresso na Educação Superior, este estudo exploratório, delineado como um levantamento, objetivou indagar aos jovens do 3º ano do Ensino Médio das escolas públicas do município de Palhoça/SC se eles pretendiam ou não cursar a Educação Superior nos próximos dois anos após a conclusão o Ensino Médio. O objetivo central foi compreender os motivos que levam alunos do último ano do Ensino Médio de escolas públicas de Palhoça a não desejarem cursar a Educação Superior. Realizou-se um censo nas escolas públicas da cidade de Palhoça que ofertavam Ensino Médio. A técnica de coleta de informações foram dois questionários, o primeiro com foco nos objetivos desta pesquisa e o segundo voltado para os alunos que manifestaram o desejo de cursar a Educação Superior no dia da coleta dos dados, que aconteceu nas salas de aulas das escolas, no ano de Participaram desta pesquisa 788 jovens, destes, 89,2% responderam que pretendiam cursar a Educação Superior após a conclusão da Educação Básica e 10,8% dos alunos disseram que não, assim a parcela da amostra que foi analisada neste estudo é composta por 85 jovens. Os dados coletados das questões fechadas foram submetidos à análise estatística descritiva (frequência). Os resultados evidenciaram: os motivos da escolha por não desejar cursar a Educação Superior, o sentido do trabalho, os temas geradores de preocupação, a escolaridade dos pais/responsáveis, o papel da escola, o desempenho escolar e as expectativas/anseios profissionais na percepção desta juventude. Palavras-chave: Escolha Profissional; Juventude; Ensino Médio; Desenvolvimento Profissional. Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano Orientador: Vanderlei Brasil Banca examinadora: Luciano Gonçalves Bitencourt Sirley Damian de Medeiros Data, hora e local de Defesa: Dia 19 de novembro de 2013, as 09h45min na sala 205, Bloco F.

16 CATTONI, Marinuta de Almeida. Adoecer em familia: As estratégias de enfrentamento dos familiares cuidadores do idoso com Mal de Alzheimer. Trabalho de Conclusão de Curso TCC (Curso de Psicologia Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, Este estudo buscou identificar as estratégias de enfrentamento dos familiares cuidadores do idoso com Mal de Alzheimer. Tal pesquisa se justifica devido ao aumento da população idosa e as prováveis enfermidades que acompanham o prolongamento da vida, entre as quais se inclui o Mal de Alzheimer. Por se tratar de uma doença crônico-degenerativa e com sintomas irreversíveis que resultam na dependência parcial e até total, cuja função de cuidados geralmente é assumida por familiares, torna-se importante averiguar de que forma ocorre o enfrentamento desta situação de doença dentro do contexto familiar, bem como quais as repercussões nos planos de vida pessoal, na saúde física e emocional destes familiares cuidadores. Trata-se de uma pesquisa exploratória, de natureza qualitativa, cujos dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada e categorizados posteriormente. A pesquisa contou com a participação de seis familiares de idosos com diagnóstico de Mal de Alzheimer, os quais se identificaram como principais cuidadores. O estudo permitiu identificar que o enfrentamento tanto do problema de saúde no contexto familiar quanto em relação às emoções destes cuidadores ao lidarem com o adoecimento de uma pessoa com quem há vínculo afetivo, ocorre num processo rápido, carente de informações prévias e de recursos de apoio da área de saúde estendido aos familiares. Sendo assim, apesar das dificuldades, foi possível verificar respostas de enfrentamento por parte dos familiares na medida em que se envolveram no acompanhamento ao idoso em processo de adoecimento, o que repercutiu em uma reorganização familiar em prol do bem-estar aos idosos. Ao mesmo tempo, as estratégias de cuidados e interações junto aos idosos levou os familiares a se reconhecerem na função de cuidadores, em cujo processo as demandas tanto físicas como emocionais poderiam ter sido minimizadas mediante disponibilidade e acesso à intervenção de profissionais da saúde, como da área da Psicologia. Palavras-chave: Alzheimer. Familiares cuidadores. Estratégias de enfrentamento. Núcleo Orientado: Psicologia e Práticas Sociais Orientador: JulianeViecili Membros da Banca examinadora: Maria Ângela Giordani Machado Sérgio Luiz Sanceverino Data, hora e local da defesa: 20 de novembro de 2013, às 17h, na sala 303, Bloco F.

17 CIBILS, Valentina. Coaching Executivo: Um estudo acerca da percepção de Coachees sobre os resultados obtidos em sua vida profissional após a realização de um processo de Coaching. Trabalho de Conclusão de Curso TCC (Curso de Psicologia Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, O presente estudo consiste no relato da pesquisa: Coaching Executivo: um estudo acerca da percepção de Coachees sobre os resultados obtidos em sua vida profissional após realização de um processo de Coaching. Os objetivos específicos desse estudo consistem em identificar as demandas profissionais que levaram o Coachee a buscar um Coach para realizar um processo de Coaching Executivo, caracterizar o processo de Coaching Executivo na percepção do Coachee e verificar a avaliação que o Coachee fez do processo que realizou. A partir dos objetivos propostos, a pesquisa se caracterizou como exploratória, de natureza qualitativa, quanto ao delineamento, foi classificada como estudo de caso, e de corte transversal. Foram entrevistados seis Coachees que realizaram o processo de Coaching Executivo em um período mínimo de seis meses, isto pois durante esse período, pressupôs-se que eles já teriam colocado em prática algumas ações desenvolvidas no plano de ação proposto no processo de Coaching. A análise de dados se organizou em três eixos temáticos os quais correspondem diretamente aos três objetivos específicos da pesquisa. A pesquisa revelou que todos os Coachees buscaram o processo devido a questionamentos profissionais, porém foram identificadas outras questões, como inovação profissional, avaliação de competências profissionais e questionamentos pessoais. De forma geral, todos os Coachees tinham uma noção, mesmo que básica sobre o Coaching Executivo, o que tornou possível fazer discussões sobre o conceito de Coaching Executivo, sobre o tempo de duração do processo e sobre as ferramentas utilizadas. Com o estudo, pode-se verificar que todos os Coachees demonstraram satisfação quanto ao processo realizado, o que promoveu discussões sobre os resultados obtidos em suas vidas profissionais, resultados obtidos em outras áreas de suas vidas, como a pessoal, familiar e amorosa, assim como os pontos positivos e negativos do processo de Coaching. A produção dessa pesquisa além de se voltar para os resultados profissionais obtidos pelos Coachees após a realização do processo de Coaching Executivo, proporcionou o aprofundamento desse processo sobre um olhar da Psicologia, evidenciando a existência de mais um campo de atuação para os Psicólogos. Palavras-Chave: Coaching, Coaching Executivo, Coachee e Psicologia.

18 Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano Orientador: Michelle Regina da Natividade Membros da Banca examinadora: Camila Berni Vanderlei Brasil Data, hora e local da defesa: 21 de novembro de 2013, às 19h10min, na sala 303, Bloco F.

19 COUTINHO, Maria Lúcia Rosa. Percepção da Imagem Corporal de Pacientes Renais Crônicos Transplantados.Trabalho de Conclusão de Curso - TCC (Curso de Psicologia- Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, O presente artigo tem como objetivo analisar a percepção de pacientes renais crônicos transplantados acerca de sua imagem corporal. Foram entrevistados nove pacientes renais crônicos, que realizaram o transplante há pelo menos cinco anos. O trabalho é classificado como pesquisa exploratória e qualitativa. O instrumento utilizado foi a entrevista semiestruturada. Para a análise de dados foi empregada a técnica de análise de conteúdo, o que permitiu a construção de categorias temáticas: imagem corporal, satisfação com a imagem corporal, aparência física antes e após o transplante, sentimentos antes e após o transplante, comportamentos antes e após o transplante, cuidados com o corpo antes e após o transplante, e, significado do transplante. Constatou-se que dois participantes apresentaram uma imagem corporal negativa após o transplante, decorrentes dos efeitos colaterais da medicação imunossupressora. A maioria dos participantes da pesquisa refere que tiveram uma melhora da aparência física e da qualidade de vida, após o transplante. Os entrevistados vivenciaram sentimentos de tristeza, de inferioridade, de medo antes do transplante e sentimentos de alegria, liberdade por se verem livres da máquina. Os participantes cuidavam de seus corpos através de atividades físicas antes do transplante, mas relatam que não faziam a prevenção e/ou manutenção da saúde por meio de exames; possibilitando em alguns casos a doença renal crônica se antecipar de maneira silenciosa. O transplante é considerado pela maioria dos participantes da pesquisa como resgate da qualidade de vida. Palavras-chave: Percepção. Imagem corporal. Pacientes renais crônicos. Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde Orientadora: Alessandra D Ávila Scherer Banca Examinadora: Ana Maria Lima da Luz Lilian Maciejescki Data, hora e local da defesa: 21 de novembro de 2013, às 13h30min na sala 103, Bloco F.

20 FERRARI, Carolina Cini. As implicações do uso do telefone celular nas relações interpessoais de sujeitos. Trabalho de Conclusão de Curso TCC (Curso de Psicologia Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, As tecnologias já estão ocupando muitos espaços no cotidiano em geral e o aparelho celular, em especial, parece estar no foco de mudanças subjetivas e comportamentais das pessoas. Esse aparelho agrupa um conjunto de funções de múltiplo uso que desperta muito interesse, favorecendo a realização de diversas tarefas cotidianas das pessoas. Além disso, parece ocupar um lugar central entre os objetos de consumo, sendo cobiçado por parcela significativa da população, independente da classe social. Neste artigo, busca-se, então, compreender as implicações do uso do telefone celular nas relações interpessoais de cinco sujeitos com idades entre 25 e 30 anos e que fazem uso desse aparelho de forma regular. Foram abordadas questões como as relações interpessoais influenciadas pelo uso do aparelho, assim como os motivos e sentimentos envolvidos em seu uso. A partir da análise de dados foi possível concluir a grande participação do telefone celular e seus impactos nas relações sociais, pessoais, profissionais e amorosas dos sujeitos, assim como a dependência e sentimento de posse do aparelho. Além disso, verificou-se a necessidade de mais produções que investiguem as transformações do comportamento das pessoas frente ao uso desse tipo de telefone, assim como é preciso que os profissionais de Psicologia estejam atentos às transformações por ele provocadas, porque elas não são apenas parte da reestruturação de uma sociedade, mas principalmente de alterações no comportamento, nos conflitos internos, no jeito de ser do homem, implicando em novos sentimentos e ações decorrentes dessas novas tecnologias. Palavras-chave: aparelho celular, relações interpessoais, comportamento e tecnologia. Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano Orientador: Vanderlei Brasil Membros da Banca examinadora: Carolina Bunn Bartilotti Michele Regina da Natividade Data e hora da defesa: 19 de Novembro de 2013, às 17h, na sala 303, Bloco F.

O QUE É TCC EM PSICOLOGIA?

O QUE É TCC EM PSICOLOGIA? O QUE É TCC EM PSICOLOGIA? É o Trabalho de Conclusão de Curso realizado por alunos de nono e décimo semestres do curso de Psicologia e avaliado por banca examinadora. Na defesa de seu trabalho, o aluno

Leia mais

O QUE É TCC EM PSICOLOGIA?

O QUE É TCC EM PSICOLOGIA? O QUE É TCC EM PSICOLOGIA? É o Trabalho de Conclusão de Curso realizado por alunos de nono e décimo semestres do curso de Psicologia e avaliado por banca examinadora. Na defesa de seu trabalho, o aluno

Leia mais

1.4 Objeto e Metodologia

1.4 Objeto e Metodologia 1.4 Objeto e Metodologia O objeto a pesquisa cujos dados serão apresentados foi definido juntamente com a SAS- Secretaria de Assistência Social de Presidente Prudente em especial com a equipe do CREAS

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PSICOLOGIA Ementário/abordagem temática/bibliografia básica (3) e complementar (5) Morfofisiologia e Comportamento Humano Ementa: Estudo anátomo funcional

Leia mais

SUPERANDO A DEPRESSÃO RESUMO

SUPERANDO A DEPRESSÃO RESUMO SUPERANDO A DEPRESSÃO Andreza do Ouro Corrêa - andreza.correa@ymail.com Mayara Cristina Costa Mariângela Pinto da Silva Gislaine Lima da Silva - gilisilva@ig.com.br Curso de Psicologia Unisalesiano/ Lins

Leia mais

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 337 DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM

Leia mais

EVASÃO ESCOLAR: UMA EXPRESSÃO DA QUESTÃO SOCIAL NO CONTEXTO DA ESCOLA 1

EVASÃO ESCOLAR: UMA EXPRESSÃO DA QUESTÃO SOCIAL NO CONTEXTO DA ESCOLA 1 EVASÃO ESCOLAR: UMA EXPRESSÃO DA QUESTÃO SOCIAL NO CONTEXTO DA ESCOLA 1 KAEFER, Carin Otília 2 ; LEAL, Francine Ziegler 3. 1 Resultado de projeto de extensão do Curso de Serviço Social da UNIFRA. 2 Orientadora/

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores ALUNOS COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA REGULAR: UM ESTUDO SOBRE A VISAO DE PROFESSORES SOBRE A INCLUSÃO

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA Área Temática: Direitos Humanos e Justiça Liza Holzmann (Coordenadora da Ação de Extensão) Liza Holzmann 1 Palavras Chave:

Leia mais

29 de novembro de 2013 SUMÁRIO

29 de novembro de 2013 SUMÁRIO Câmpus Alfenas 29 de novembro de 2013 SUMÁRIO GRUPO 1: Aline, Angélica, Daniele, Eliana, Fabiana e Juciara... 2 GRUPO 2: Danielle, Fernanda, Izilda, Luciene, Luísa, Mariana, Rosana, Sidnea, Viviane Carvalho

Leia mais

O PROCESSO TERAPÊUTICO EM UM CAPSad: A VISÃO DOS TRABALHADORES

O PROCESSO TERAPÊUTICO EM UM CAPSad: A VISÃO DOS TRABALHADORES 122 O PROCESSO TERAPÊUTICO EM UM CAPSad: A VISÃO DOS TRABALHADORES Carlise Cadore Carmem Lúcia Colomé Beck Universidade Federal de Santa Maria Resumo Os movimentos da Reforma Sanitária e da Reforma Psiquiátrica

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO EPB0178 QUEBRA DO SIGILO PROFISSIONAL EM CASOS DE PEDOFILIA GABRIELE

Leia mais

17/06 - SEGUNDA AUDITÓRIO BLOCO C Horário Aluno Título do artigo Banca

17/06 - SEGUNDA AUDITÓRIO BLOCO C Horário Aluno Título do artigo Banca 17/06 - SEGUNDA AUDITÓRIO BLOCO C 11:30 Alan Kornin Beatriz Mendes Reis Nogueira Caroline Crespo Nunes CHANG TI: IDENTIFICAÇÃO DO FATOR CONSTITUCIONAL ATRAVÉS DE UMA ANÁLISE MORFOLÓGICA SEGUNDO A TERAPÊUTICA

Leia mais

MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO

MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO Autor: Riselda Maria de França Oliveira Universidade Estadual do Rio de Janeiro - riseldaf@hotmail.com Co-autor: Marcelo Alex de Oliveira

Leia mais

Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero

Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero Mostra Local de: Apucarana (Municípios do Vale do Ivaí) Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que

Leia mais

Ações Socioeducativas

Ações Socioeducativas AÇÕES SOCIOEDUCATIVAS NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Assistência Social Ações Socioeducativas Garantia dos direitos Inclusão social Desenvolvimento do protagonismo Desenvolvimento da autonomia individual

Leia mais

Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES

Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES Jovanka de Freitas S. Limeira Psicóloga Setor Socioeducacional Caruaru 2014 APRESENTAÇÃO O presente projeto sugere

Leia mais

Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação-Porto\Portugal. Uma perspectiva comportamental em Adolescentes Obesos: Brasil x Portugal

Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação-Porto\Portugal. Uma perspectiva comportamental em Adolescentes Obesos: Brasil x Portugal Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação-Porto\Portugal Discente: Genaina Bibiano Vieira Disciplina: Desenvolvimento Humano Uma perspectiva comportamental em Adolescentes Obesos: Brasil x Portugal

Leia mais

TOXICOMANIAS* COSTA, Priscila Sousa 1 ; VALLADARES, Ana Cláudia Afonso 2

TOXICOMANIAS* COSTA, Priscila Sousa 1 ; VALLADARES, Ana Cláudia Afonso 2 1 EFEITOS TERAPÊUTICOS DA COLAGEM EM ARTETERAPIA NAS TOXICOMANIAS* COSTA, Priscila Sousa 1 ; VALLADARES, Ana Cláudia Afonso 2 Palavras-chave: Arteterapia, Enfermagem psiquiátrica, Toxicomania, Cuidar em

Leia mais

CÂNCER DE MAMA:PERSPECTIVAS SOBRE AS RELAÇÕES FAMILIARES

CÂNCER DE MAMA:PERSPECTIVAS SOBRE AS RELAÇÕES FAMILIARES V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 CÂNCER DE MAMA:PERSPECTIVAS SOBRE AS RELAÇÕES FAMILIARES Simone Lemos 1 ; Suzei Helena Tardivo Barbosa 2 ; Giseli

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso: Psicologia Núcleo Temático:Psicologia e Saúde Coletiva Disciplina:Psicologia Escolar I Professor(es): Marcos Vinícius de Araújo

Leia mais

3 METODOLOGIA DA PESQUISA

3 METODOLOGIA DA PESQUISA 43 3 METODOLOGIA DA PESQUISA Medeiros (2005) esclarece que a pesquisa científica tem por objetivo maior contribuir para o desenvolvimento humano. Para isso, conta com métodos adequados que devem ser planejados

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPACTO DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ VOCÊ É A PEÇA PRINCIPAL PARA ENFRENTAR ESTE PROBLEMA Brasília - DF 2008

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

Palavras-chave: Transição acadêmico-profissional; formação em Psicologia; mercado de trabalho.

Palavras-chave: Transição acadêmico-profissional; formação em Psicologia; mercado de trabalho. 1 FORMAÇÃO, INSERÇÃO E ATUAÇÃO PROFISSIONAL NA PERSPECTIVA DOS EGRESSOS DE UM CURSO DE PSICOLOGIA. BOBATO, Sueli Terezinha, Mestre em Psicologia pela UFSC, Docente do Curso de Psicologia na Universidade

Leia mais

UMA ANÁLISE DO PROCESSO DE INTERNAÇÃO E REABILITAÇÃO DE PACIENTES DO CAPS

UMA ANÁLISE DO PROCESSO DE INTERNAÇÃO E REABILITAÇÃO DE PACIENTES DO CAPS TERRA E CULTURA, ANO XX, Nº 38 87 UMA ANÁLISE DO PROCESSO DE INTERNAÇÃO E REABILITAÇÃO DE PACIENTES DO CAPS *Ana Carolina Nóbile *Fernando Koga *Giselle Monteiro Avanzi **Carmen Garcia de Almeida RESUMO

Leia mais

Caderno de Propostas. 26, 27 e 28 de abril de 2013 Espaço APAS - São Paulo

Caderno de Propostas. 26, 27 e 28 de abril de 2013 Espaço APAS - São Paulo Caderno de Propostas VIII COREP - SP Congresso Regional de Psicologia Psicologia, Ética e Cidadania: Práticas Profissionais a Serviço da Garantia de Direitos 26, 27 e 28 de abril de 2013 Espaço APAS -

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Serviço Social 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Serviço Social 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Serviço Social 2011-2 A INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO PROGRAMA PROJOVEM URBANO Alunos: VARGAS,

Leia mais

BANCAS DE MONOGRAFIA - 2º2014 - NOITE

BANCAS DE MONOGRAFIA - 2º2014 - NOITE BANCAS DE MONOGRAFIA - 2º2014 - NOITE SEGUNDA-FEIRA: 24 DE NOVEMBRO DE 2014 Data: 24 de novembro de 2014 Horário: 19:00 às 20:30 Local: Multimeios 30 Equipamento: datashow Rosimar Santos Fernandes Qualidade

Leia mais

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013 II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013 TEMÁTICA: EDUCAÇÃO, QUESTÃO DE GÊNERO E DIVERSIDADE EDUCAÇÃO

Leia mais

SÍNDROME DE BURNOUT: ATIVIDADES PREVENTIVAS COM PROFISSIONAIS DA SAÚDE DA FAMÍLIA

SÍNDROME DE BURNOUT: ATIVIDADES PREVENTIVAS COM PROFISSIONAIS DA SAÚDE DA FAMÍLIA SÍNDROME DE BURNOUT: ATIVIDADES PREVENTIVAS COM PROFISSIONAIS DA SAÚDE DA FAMÍLIA ARAÚJO, Andréia 1 ; RODRIGUES, Hingridy Aparecida 2 ; FERRARI, Rogério 3 ; MAGALHÃES, Josiane 4 ; FRANÇA, Flávia Maria

Leia mais

O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA

O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA (2011) Dayana Lima Dantas Valverde Psicóloga, graduada pela Faculdade de Tecnologia e Ciências de Feira de Santana, BA. Pós-graduanda em Saúde Mental

Leia mais

Psicologia: Eixos estruturantes e ênfases curriculares

Psicologia: Eixos estruturantes e ênfases curriculares Psicologia: Eixos estruturantes e ênfases curriculares Resumo Andréia Silva da Mata 1 Márcia Regina F. de Brito 2 O presente estudo teve como objetivo principal analisar o desempenho dos estudantes dos

Leia mais

O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG

O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG Juliana Diniz Gutierres FURG Stephany Sieczka Ely FURG Maria Renata Alonso Mota FURG Suzane da Rocha Vieira FURG Resumo: Esse estudo apresenta parte dos

Leia mais

Tema: Criminalidade e Cotidiano. Título: A violência na História do Brasil.

Tema: Criminalidade e Cotidiano. Título: A violência na História do Brasil. Arquivo do Estado de SP O Uso dos Documentos de Arquivo na Sala de Aula Tema: Criminalidade e Cotidiano. Título: A violência na História do Brasil. Mariana Ramos Apolinário 2º semestre 2013 São Paulo SP

Leia mais

PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO

PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO a Área da Assistência Social PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO Assistência Social na PNAS Situada como proteção social não contributiva;

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA Ementário Relações Interpessoais e Ética Profissional Concepções sobre o Processo Inter-relacional no Trabalho; Competência Interpessoal; Qualidade de Vida no

Leia mais

Pós-Graduação Especialização em Psicomotricidade e/ou Educação Infantil. Local: Avenida Pereira Rego, 1545, Centro, Candelária

Pós-Graduação Especialização em Psicomotricidade e/ou Educação Infantil. Local: Avenida Pereira Rego, 1545, Centro, Candelária Pós-Graduação Especialização em Psicomotricidade e/ou Educação Infantil Local: Avenida Pereira Rego, 1545, Centro, Candelária Carga horária: 360 horas Resolução 01/2007 CES/CNE/MEC: "Art. 5. Os cursos

Leia mais

-RESUMOS DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL DA FASF LUZ - 2013

-RESUMOS DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL DA FASF LUZ - 2013 -RESUMOS DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL DA FASF LUZ - 2013 Monografias e Artigos (Ordem Alfabética dos Alunos, Orientador (a), Título e Resumo) Ana Cristina Fonseca

Leia mais

Metodologia da Pesquisa

Metodologia da Pesquisa BACHARELADO EM ENFERMAGEM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I Prof. Me. Eurípedes Gil de França Metodologia da Pesquisa AULA 5 Refere-se ao como vou fazer a pesquisa. É a parte mecânica da pesquisa. Por meio

Leia mais

Caros alunos de Psicologia que irão cursar estágios específicos no 1º semestre de 2013:

Caros alunos de Psicologia que irão cursar estágios específicos no 1º semestre de 2013: 1 EDITAL II - Atribuições de Estágio em Psicologia Educacional, Psicologia do Trabalho, Psicologia Clínica e Psicologia Institucional/Social para o 1º semestre de 2013 Caros alunos de Psicologia que irão

Leia mais

Ao começar a escrita deste artigo é importante considerar alguns pontos

Ao começar a escrita deste artigo é importante considerar alguns pontos EDUCAÇÃO CONTRA O TRABALHO INFANTOJUVENIL: CONSIDERAÇÕES SOBRE MÉTODO E VULNERABILIDADES Felipe Pitaro * Ao começar a escrita deste artigo é importante considerar alguns pontos de partida. O primeiro diz

Leia mais

Efeitos circulares entre a violência doméstica contra a criança e o adolescente e a violência nas escolas

Efeitos circulares entre a violência doméstica contra a criança e o adolescente e a violência nas escolas Efeitos circulares entre a violência doméstica contra a criança e o adolescente e a violência nas escolas Profª MSc Adriana Costa de Miranda Universidade Estadual de Roraima UERR adriana.soc@uerr.edu.br

Leia mais

Curso de Capacitação em Bullying

Curso de Capacitação em Bullying Curso de Capacitação em Bullying Segundo pesquisa do Instituto Cidadania e da Fundação Perseu Abramo, a violência é o tema que mais preocupa os brasileiros entre 15 e 24 anos (55% do total), à frente de

Leia mais

DISCRIMINAÇÃO DO TRABALHO FEMININO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS ENTRE HOMENS E MULERES

DISCRIMINAÇÃO DO TRABALHO FEMININO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS ENTRE HOMENS E MULERES DISCRIMINAÇÃO DO TRABALHO FEMININO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS ENTRE HOMENS E MULERES Werena de Oliveira Barbosa Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras FAFIC werena19@hotmail.com Juliana

Leia mais

O Trabalho do Assistente Social no Contexto Hospitalar em Porto Alegre: Uma Análise na Perspectiva do Trabalho em Equipe

O Trabalho do Assistente Social no Contexto Hospitalar em Porto Alegre: Uma Análise na Perspectiva do Trabalho em Equipe 1378 O Trabalho do Assistente Social no Contexto Hospitalar em Porto Alegre: Uma Análise na Perspectiva do Trabalho em Equipe V Mostra de Pesquisa da Pós- Graduação Cristiane Ferraz Quevedo de Mello 1,

Leia mais

BANCAS DE TCC PSICOLOGIA 2015/2

BANCAS DE TCC PSICOLOGIA 2015/2 SEGUNDA-FEIRA 30 DE NOVEMBRO DE 2015 17h E01 121 Kamily Ramos Moro Clarisse Mosmann Patrícia Balestrin 1. Síndrome de Down e Estimulação Precoce: sentimentos e percepções dos genitores frente às novas

Leia mais

MARCAS DA AVALIAÇÃO ESCOLAR: FRUSTRAÇÕES E CONQUISTAS

MARCAS DA AVALIAÇÃO ESCOLAR: FRUSTRAÇÕES E CONQUISTAS MARCAS DA AVALIAÇÃO ESCOLAR: FRUSTRAÇÕES E CONQUISTAS Deise de Lima 1 Orientadora - Fernanda Bertoldo 2 Resumo Este artigo tem por objetivo relatar os caminhos da pesquisa desenvolvida durante o curso

Leia mais

Atuação do psicólogo na Assistência Social. Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia

Atuação do psicólogo na Assistência Social. Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia Atuação do psicólogo na Assistência Social Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia Concepção de Assistência Social Assistência social direito social e dever estatal Marco legal: Constituição

Leia mais

Introdução. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1

Introdução. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA INCLUSÃO

Leia mais

TRABALHO SOCIAL COM FAMÍLIAS NO SUAS IRACI DE ANDRADE DRA. SERVIÇO SOCIAL

TRABALHO SOCIAL COM FAMÍLIAS NO SUAS IRACI DE ANDRADE DRA. SERVIÇO SOCIAL TRABALHO SOCIAL COM FAMÍLIAS NO SUAS IRACI DE ANDRADE DRA. SERVIÇO SOCIAL OBJETIVO DO CURSO Capacitar trabalhadores da assistência social para a utilização dos instrumentos técnico-operativos trabalho

Leia mais

1 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

1 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 1 EDUCAÇÃO E PRECONCEITO RACIAL: CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS NAS PERCEPÇÕES DAS FAMÍLIAS NEGRAS E BRANCAS NO MUNICIPIO DE CUIABÁ MONTEIRO, Edenar Souza UFMT edenar.m@gmail.com GT-21: Afro-Brasileiros

Leia mais

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A MULHER

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS PAPÉIS E COMPETÊNCIAS O SERVIÇO PSICOSSOCIAL NO CREAS... O atendimento psicossocial no serviço é efetuar e garantir o atendimento especializado (brasil,2006). Os profissionais envolvidos no atendimento

Leia mais

Gênero, ética e sentimentos: A resolução de conflitos no campo da educação

Gênero, ética e sentimentos: A resolução de conflitos no campo da educação PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade Gênero, ética e sentimentos: A resolução de conflitos no campo da educação Valéria Amorim Arantes 1 Brigitte Ursula Stach Haertel

Leia mais

Pós-graduação Especialização em Educação Especial: Déficit Cognitivo/Deficiência Mental com Enfoque Pedagógico

Pós-graduação Especialização em Educação Especial: Déficit Cognitivo/Deficiência Mental com Enfoque Pedagógico Pós-graduação Especialização em Educação Especial: Déficit Cognitivo/Deficiência Mental com Enfoque Pedagógico Local: Taquari Carga horária: 400 horas. Resolução 01/2007 CES/CNE/MEC: "Art. 5. Os cursos

Leia mais

LISTA DE RESUMOS APROVADOS NOS GRUPOS DE TRABALHO

LISTA DE RESUMOS APROVADOS NOS GRUPOS DE TRABALHO LISTA DE RESUMOS APROVADOS NOS GRUPOS DE TRABALHO GT 1 - PROTEÇÃO SOCIAL, POLÍTICA SOCIAL E SEGURIDADE SOCIAL 21/05/2015 19:00 às 22:00 hs A EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO MUNICÍPIO DE CAJAZEIRAS-PB: O Flávia SONHO

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

A ESPIRITUALIDADE DA FAMÍLIA AO TER UM FAMILIAR INTERNADO POR DOENÇA CRÔNICA: RELATO DE VIVÊNCIA 1

A ESPIRITUALIDADE DA FAMÍLIA AO TER UM FAMILIAR INTERNADO POR DOENÇA CRÔNICA: RELATO DE VIVÊNCIA 1 A ESPIRITUALIDADE DA FAMÍLIA AO TER UM FAMILIAR INTERNADO POR DOENÇA CRÔNICA: RELATO DE VIVÊNCIA 1 ROSSATO, Karine 2 ; GIRARDON-PERLINI, Nara Marilene Oliveira 3, MISTURA, Claudelí 4, CHEROBINI, Márcia

Leia mais

MANUAL ATRIBUIÇÕES E ROTINAS PSICOLOGIA HOSPITALAR

MANUAL ATRIBUIÇÕES E ROTINAS PSICOLOGIA HOSPITALAR MANUAL 1 E L A B O R A Ç Ã O HGWA: Fernanda Azevedo de Souza: Coordenação, UCE Adulto (UCE I e AVC Subagudo) e Cuidados Paliativos Isabelle de Freitas Luz - Clínica Pediátrica, UCE Pediátrica e PAD Pediátrico

Leia mais

Política Nacional de Saúde do Homem

Política Nacional de Saúde do Homem Política Nacional de Saúde do Homem O Ministério da Saúde lançou a Política Nacional de Saúde do Homem. O objetivo é facilitar e ampliar o acesso da população masculina aos serviços de saúde. A iniciativa

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SNAS DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL - DPSE SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM

Leia mais

Trabalhos Aprovados: Eixo: Educação Infantil Manhã (8:30 às 12:00hrs.) Sala 26

Trabalhos Aprovados: Eixo: Educação Infantil Manhã (8:30 às 12:00hrs.) Sala 26 AS APRESENTAÇÕES ACONTECERÃO DIA 20/05 (QUARTA-FEIRA), NO PERÍODO DA MANHÃ E DA TARDE! Trabalhos Aprovados: Eixo: Educação Infantil Manhã (8:30 às 12:00hrs.) Sala 26 s: Práticas na leitura e escrita na

Leia mais

VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR.

VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR. VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR. Resumo: CARNEIRO, Alana Caroline 1. SIVEIRA, Adriane 2. SOUZA,

Leia mais

Comunicação 01 NOME DO TRABALHO HORÁRIO PROFESSOR Prédio novo 1-Contabilidade Gerencial 20H KATHE

Comunicação 01 NOME DO TRABALHO HORÁRIO PROFESSOR Prédio novo 1-Contabilidade Gerencial 20H KATHE Comunicação 01 1-Contabilidade Gerencial 20H KATHE Sala 08-10º. Período de Psicologia 2- A importância da tecnologia da informação como diferencial competitivo na empresa 3- Secretariado executivo e a

Leia mais

Alessandra Santana. Angélica Cristina da Silva Freire

Alessandra Santana. Angélica Cristina da Silva Freire Câmpus Alfenas 28 de novembro de 2011 SUMÁRIO Alessandra Santana... 2 Angélica Cristina da Silva Freire... 2 Bárbara Luiza Novais... 3 Bruna Aparecida Reis... 3 Carolina Esteves Martins... 4 Celsianne

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise

Leia mais

CRONOGRAMA DE COMUNICAÇÃO ORAL DOS ARTIGOS CIENTÍFICOS PEDAGOGIA 13/10/2015

CRONOGRAMA DE COMUNICAÇÃO ORAL DOS ARTIGOS CIENTÍFICOS PEDAGOGIA 13/10/2015 CRONOGRAMA DE COMUNICAÇÃO ORAL DOS ARTIGOS CIENTÍFICOS PEDAGOGIA 13/10/2015 HORÁRIO TÍTULO AUTOR (ES) EXAMINADORES SALA 1 19h15 A FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR SOUZA, Sandra Rodrigues de; WAGNER, Rosemeire

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO PRIMÁRIA DE SINTOMAS DO TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR E A BUSCA POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS

IDENTIFICAÇÃO PRIMÁRIA DE SINTOMAS DO TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR E A BUSCA POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS IDENTIFICAÇÃO PRIMÁRIA DE SINTOMAS DO TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR E A BUSCA POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS Cayla Aparecida de Sousa 1 ; Cícero Marcelo Félix Junior 1 ; Sandra Cristina Catelan- Mainardes

Leia mais

Estudo epidemiológico realizado de 4 em 4 anos, em colaboração com a Organização Mundial de Saúde.

Estudo epidemiológico realizado de 4 em 4 anos, em colaboração com a Organização Mundial de Saúde. Mafalda Ferreira, Margarida Gaspar de Matos, Celeste Simões & Equipa Aventura Social Estudo epidemiológico realizado de 4 em 4 anos, em colaboração com a Organização Mundial de Saúde. Objectivo: Conhecer

Leia mais

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL Resumo 1 Discente do Curso de Serviço Social da Faculdade Novos Horizontes MG 2 Discente do Curso de Serviço

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: CLASSIFIQUE EM VERDADEIRO (V) OU FALSO (F) AS SENTENÇAS ABAIXO:

QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: CLASSIFIQUE EM VERDADEIRO (V) OU FALSO (F) AS SENTENÇAS ABAIXO: QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: 1. Um tapinha no bumbum não é considerado violência devido ao baixo grau de agressão. 2. A prática sexual com indivíduos menores de 14 anos, com o consentimento

Leia mais

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORTEADORES Art. 1º Os procedimentos em saúde mental a serem adotados

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero Nesta unidade, analisaremos os aspectos específicos referentes

Leia mais

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero.

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero. Pesquisa O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero. Introdução Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e políticas capazes de ampliar a inserção da mulher no mercado de trabalho.

Leia mais

TERAPIA COMUNITÁRIA E O CAPS PROMOVENDO A REINSERÇÃO SOCIAL

TERAPIA COMUNITÁRIA E O CAPS PROMOVENDO A REINSERÇÃO SOCIAL TERAPIA COMUNITÁRIA E O CAPS PROMOVENDO A REINSERÇÃO SOCIAL Maria Ferreira de Oliveira Filha 1 Renata Cavalcanti Cordeiro 2 Camilla de Sena Guerra 3 Marina Nascimento de Moraes 4 Mayra Helen Menezes Araruna

Leia mais

UPP do São João, Matriz e Quieto: Algumas considerações acerca do trabalho dos policiais com as crianças dessas comunidades

UPP do São João, Matriz e Quieto: Algumas considerações acerca do trabalho dos policiais com as crianças dessas comunidades UPP do São João, Matriz e Quieto: Algumas considerações acerca do trabalho dos policiais com as crianças dessas comunidades Alessandro Luís Corrêa 1 RESUMO Este artigo foi baseado na prática profissional

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga IlanaPinsky Maria Carmen Viana Divulgação: Maio de 2014. 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Subsecretaria

Leia mais

MEMÓRIAS DE PESQUISA: A HISTÓRIA DE VIDA CONTADA POR MULHERES VIGIADAS E PUNIDAS

MEMÓRIAS DE PESQUISA: A HISTÓRIA DE VIDA CONTADA POR MULHERES VIGIADAS E PUNIDAS MEMÓRIAS DE PESQUISA: A HISTÓRIA DE VIDA CONTADA POR MULHERES VIGIADAS E PUNIDAS 1 Introdução O presente estudo se insere no contexto do sistema penitenciário feminino e, empiricamente, tem como tema as

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

FAMÍLIA : DEMANDAS PARA O SERVIÇO SOCIAL

FAMÍLIA : DEMANDAS PARA O SERVIÇO SOCIAL FAMÍLIA : DEMANDAS PARA O SERVIÇO SOCIAL Jéssica Caroline Medeiros SILVA 1 RESUMO: O presente estudo traz à discussão a família, visualizando-a na perspectiva critica como uma construção histórica. Analisamos

Leia mais

A ARTICULAÇÃO DE REDE EM PROJETOS DE JUSTIÇA RESTAURATIVA

A ARTICULAÇÃO DE REDE EM PROJETOS DE JUSTIÇA RESTAURATIVA Cristina Telles Assumpção Meirelles Cecília Assumpção Célia Bernardes Heloise Pedroso Marta Marioni Monica Cecília Burg Mlynarz Violeta Daou Vania Curi Yazbek - Coordenadora da Equipe ARTICULAÇÃO DE REDES

Leia mais

BUSCA ATIVA DE POSSÍVEIS PORTADORES DE HIV/AIDS EM PROJETO EXTENSIONISTA E SEU PERFIL

BUSCA ATIVA DE POSSÍVEIS PORTADORES DE HIV/AIDS EM PROJETO EXTENSIONISTA E SEU PERFIL 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação

V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação 520 V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação Política de Atendimento à Primeira Infância: formação e desempenho do Visitador no Programa Primeira Infância Melhor Carolina de Vasconcellos Drügg, Marta Luz

Leia mais

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM PROJETO INTERINSTITUCIONAL SAÚDE, EDUCAÇÃO E CIDADANIA: APOIO PSICOSSOCIAL AS FAMÍLIAS POR MEIO DA PARTICIPAÇÃO DE PAIS EM GRUPOS DE REFLEXÃO Daniela Cristina Grégio

Leia mais

Os gargalos para o ingresso e a permanência das mulheres no mercado de TI, no Brasil Bárbara Castro

Os gargalos para o ingresso e a permanência das mulheres no mercado de TI, no Brasil Bárbara Castro Os gargalos para o ingresso e a permanência das mulheres no mercado de TI, no Brasil Bárbara Castro Dra. em Ciências Sociais (UNICAMP) Bom dia, Primeiramente gostaria de cumprimentar a todos e a todas

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA ACERCA DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 1

PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA ACERCA DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 1 PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA ACERCA DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 1 VOIGT, Bruna Francisco 2 ; PREIGSCHADT, Gláucia Pinheiro 2 ; MACHADO, Rafaela Oliveira 2

Leia mais

Resolução SME N 24/2010

Resolução SME N 24/2010 Resolução SME N 24/2010 Dispõe sobre orientações das rotinas na Educação Infantil, em escolas e classes de período integral da rede municipal e conveniada, anexos I e II desta Resolução, com base no Parecer

Leia mais

TÍTULO: SOFRIMENTO PSÍQUICO EM FAMÍLIAS DE DEPENDENTES ALCOÓLICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM

TÍTULO: SOFRIMENTO PSÍQUICO EM FAMÍLIAS DE DEPENDENTES ALCOÓLICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM TÍTULO: SOFRIMENTO PSÍQUICO EM FAMÍLIAS DE DEPENDENTES ALCOÓLICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO AUTOR(ES): ANDRESSA

Leia mais

CARTA DE BRASÍLIA. Com base nas apresentações e debates, os representantes das instituições e organizações presentes no encontro constatam que:

CARTA DE BRASÍLIA. Com base nas apresentações e debates, os representantes das instituições e organizações presentes no encontro constatam que: CARTA DE BRASÍLIA Contribuições do I Seminário Internacional sobre Políticas de Cuidados de Longa Duração para Pessoas Idosas para subsidiar a construção de uma Política Nacional de Cuidados de Longa Duração

Leia mais

SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL

SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL Priscilla Pinto Costa da Silva 1 Emília Amélia Pinto Costa da Silva 2 Luiz Arthur Cavalcanti Cabral 1 Eronaldo de Sousa Queiroz Junior 1 Nayrla

Leia mais

Maria Inês Gazzola Paulino

Maria Inês Gazzola Paulino CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde PROTEÇÃO À SAÚDE DOS SERVIDORES DEFICIENTES DO SUS BETIM Maria Inês Gazzola Paulino Betim Agosto, 2012 1 1. PROBLEMA

Leia mais