Resultados de 2008: Receita Líquida cresce 29,2%

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resultados de 2008: Receita Líquida cresce 29,2%"

Transcrição

1 Resultados de 2008: Receita Líquida cresce 29,2% São Paulo, 23 de março de 2009 A Primav EcoRodovias S.A. (EcoRodovias), holding integradora e gestora de soluções de logística para a movimentação de pessoas e de bens, divulga seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2008 (4T08) e ao ano de As informações financeiras e operacionais abaixo são apresentadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. As comparações, exceto onde indicado o contrário, referem-se ao quarto trimestre de 2007 (4T07) e ao ano de 2007, já ajustados de acordo com a Lei nº /07 e Medida Provisória 449/08. Os dados pró-forma correspondem à consolidação da Ecocataratas de 01 de janeiro de 2008 a 31 de dezembro de Relações com Investidores Roberto Koiti Nakagome Diretor de Relações com Investidores Raquel Turano de Souza Relações com Investidores Website Endereço Av. Brigadeiro Faria Lima, 3900, 11º andar CEP São 1 Paulo - SP Telefone DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS A receita líquida anual apresentou crescimento de 29,2% em relação ao ano anterior, ocasionado, principalmente pela consolidação da Ecocataratas. O EBITDA anual de R$ 560,0 milhões verificou uma margem de 67,4% no ano de 2008, mantendo-se nos níveis anteriores. Em Fevereiro de 2008, a EcoRodovias concluiu a aquisição da concessionária Rodovia das Cataratas Ecocataratas, sendo esta consolidada no balanço da EcoRodovias a partir de 07 de fevereiro de Firmada associação com a Bracor Investimentos Imobiliários para o desenvolvimento de um condomínio logístico situado às margens do entroncamento do Rodoanel Sul com a Rodovia dos Imigrantes Ecopátio Bracor Imigrantes. 11

2 COMPANHIA A EcoRodovias é uma holding integradora e gestora de soluções de logística para a movimentação de pessoas e de bens. A holding e suas empresas nasceram com a vocação de serem importantes meios para o desenvolvimento socioeconômico do país, aplicando as melhores práticas de governança, gestão e sustentabilidade aos seus negócios, de forma de multiplicar benefícios para todos os públicos que atende. Sob sua administração estão as concessionárias de rodovias: Ecovias dos Imigrantes (SP), Ecovia Caminho do Mar (PR), Ecocataratas (PR) e Ecosul Rodovias dos Sul (RS), que fazem importantes ligações entre centros produtores e de consumo aos portos de Santos (SP), Paranaguá (PR) e Rio Grande (RS), correspondendo a 1.324,4 km de rodovias. Em função de localizações privilegiadas de suas rodovias, a EcoRodovias, estrategicamente, opera também, o terminal intermodal Ecopátio Logística Cubatão (SP) e está implantando o condomínio logístico Ecopátio Bracor Imigrantes, em São Bernardo do Campo (SP). A gestão da EcoRodovias se estende às empresas de serviços corporativos ECSC e de engenharia ECSE e detém 12,75% de participação de controle na STP Serviços e Tecnologia de Pagamentos, responsável pela cobrança eletrônica de pedágios e estacionamentos e que conta com mais de 1 milhão de clientes. ANÁLISE DO RESULTADO Receita Bruta A receita bruta consolidada registrou aumento anual de 30,2% em relação a 2007, totalizando R$ 886,3 milhões. Os principais motivos foram a consolidação da Ecocataratas em 2008, a consolidação proporcional da STP Serviços e Tecnologia de Pagamentos e reajustes tarifários aplicados nas concessionárias de rodovias. Receita Bruta 2008 Var. (em milhões de R$) 4T08 4T07 Var Pró-forma 2007 Var. Pró-forma Ecovias dos Imigrantes 155,2 134,3 15,6% 551,0 551,0 491,0 12,2% 12,2% Ecovia Caminho do Mar 25,9 26,6-2,6% 108,9 108,9 107,0 1,8% 1,8% Ecocataratas 31, ,7 130, Ecosul - Rodovias do Sul 20,1 19,7 2,0% 85,3 85,3 79,2 7,7% 7,7% Logística e Serviços 21,0 0,8-24,4 24,4 3,6 - - Total 253,6 181,4 39,8% 886,3 900,0 680,8 30,2% 32,2% A receita com arrecadação de pedágio e negócios de logística corresponde a 93,7% da receita bruta consolidada. No ano de 2008, a EcoRodovias registrou 40,2% dos pagamentos de pedágio por meio 2

3 eletrônico. As demais receitas (receitas acessórias e prestação de serviços) são provenientes do monitoramento de cargas especiais, painéis publicitários, ocupação de faixa de domínio e acessos e outros serviços de utilização e exploração da faixa de domínio das concessões rodoviárias e serviços de pagamento eletrônico. Tráfego O tráfego consolidado, tanto em número de veículos pagantes quanto em número de eixos equivalentes pagantes, apresentou crescimento de 25,6% e 26,5%, respectivamente, devido, principalmente, à consolidação da Ecocataratas no ano de Neste ano, a EcoRodovias superou os 55,0 milhões de veículos em suas quatro concessionárias, número correspondente a 95,3 milhões de eixos equivalentes. Desconsiderando o tráfego da Ecocataratas para efeitos de comparação em mesma base, o tráfego nas demais concessionárias cresceu 2,6% em número de veículos e 2,7% em eixos equivalentes. Analisando por concessionária, a Ecovias dos Imigrantes registrou crescimento de 3,9%, assim como a Ecosul Rodovias do Sul, com 3,8%. Somente houve queda na concessionária Ecovia Caminho do Mar, menos 4,1%, provocada, principalmente, pela diminuição das exportações de grãos no Porto de Paranaguá. Volume de Tráfego 2008 Var. (em nº de veículos pagantes) 4T08 4T07 Var Pró-forma 2007 Var. Pró-forma Ecovias dos Imigrantes ,0% ,3% 2,3% Ecovia Caminho do Mar ,1% ,5% -0,5% Ecocataratas Ecosul - Rodovias do Sul ,0% ,6% 6,6% Total ,7% ,6% 28,6% Volume de Tráfego 2008 Var. (em nº de eixos equivalentes pagantes) 4T08 4T07 Var Pró-forma 2007 Var. Pró-forma Ecovias dos Imigrantes ,5% ,9% 3,9% Ecovia Caminho do Mar ,8% (4,1%) -4,1% Ecocataratas Ecosul - Rodovias do Sul ,7% ,8% 3,8% Total ,1% ,5% 29,3% O tráfego de veículos comerciais nas quatro concessionárias da EcoRodovias corresponde a 56,6% do tráfego total em eixos equivalentes. Nota: Eixo equivalente é uma unidade básica de referência em estatísticas de cobrança de pedágio no mercado brasileiro. Veículos leves, tais como carros de passeio, correspondem a uma unidade de eixo equivalente. Veículos pesados, como caminhões e ônibus são convertidos em eixos equivalentes por um multiplicador aplicado sobre o número de eixos do veículo, conforme estabelecido nos termos de cada contrato de concessão. Tarifa 3

4 A tarifa média consolidada por eixo equivalente apresentou pequena variação positiva de 0,4% em relação ao ano anterior devido à consolidação da Ecocataratas. Porém, as tarifas médias das concessionárias apresentaram aumento provocado pelos reajustes contratuais das tarifas básicas, sendo Ecovias dos Imigrantes (11,5% em julho de 2008), Ecovia Caminho do Mar (9,7% em dezembro de 2008) e Ecosul Rodovias do Sul (4,1% em abril de 2008). Tarifa Média 2008 Var. (em R$ / eixo equivalente) 4T08 4T07 Var Pró-forma 2007 Var. Pró-forma Ecovias dos Imigrantes 11,42 10,22 11,8% 10,65 10,65 9,87 7,9% 7,9% Ecovia Caminho do Mar 10,72 9,94 7,8% 10,28 10,28 9,75 5,3% 5,3% Ecoataratas 6, ,27 6, Ecosul - Rodovias do Sul 4,82 4,6 4,8% 4,73 4,73 4,56 3,7% 3,7% Consolidado 9,29 8,94 4,0% 8,67 8,61 8,63 0,4% -0,2% Nota: o cálculo da Tarifa Média Consolidada é realizado através da média ponderada das tarifas médias de cada concessionária. Custos Operacionais e Despesas Administrativas Os custos dos serviços prestados e despesas gerais e administrativas e com vendas teve um crescimento de 24,8% em relação ao ano de 2007, passando de R$ 321,8 milhões em 2007 para R$ 401,6 milhões em As variações mais significativas tiveram os seguintes fatores: consolidação da Ecocataratas, aumento dos custos e despesas de pessoal devido aos reajustes salariais proveniente do dissídio coletivo e aumento do quadro de colaboradores para os novos projetos na área de logística. Custos Operacionais e Despesas Administrativas 2008 Var. (em milhões de R$) 4T08 4T07 Var Pró-forma 2007 Var. Pró-forma Pessoal 25,2 20,8 21,0% 88,4 88,7 64,4 37,4% 37,7% Conservação e Manutenção 13,2 11,5 14,5% 49,5 49, ,0% 51,2% Serviços de Terceiros 21,1 12,2 72,7% 67,7 67,8 41,2 64,3% 64,6% Seguros 2,2 1,8 24,3% 8,4 8,6 7,1 18,3% 21,1% Poder Concedente 3,9 5,5 (29,2%) 19,5 19,7 17,5 11,4% 12,6% Depreciação / Amortização 41, ,2% 131,3 133,4 113,7 15,5% 17,3% Outros 7,6 14,8 (48,9%) 36,8 37,8 44,9 (18,0%) (15,8%) Total 114,9 95,6 20,2% 401,6 405,8 321,8 24,8% 26,1% Os serviços de terceiros são basicamente compostos por serviços de ambulância, resgates e remoções, serviços de consultoria e de limpeza. EBITDA O EBITDA (receita líquida custos dos serviços prestados despesas gerais e administrativas + depreciação) no ano de 2008 atingiu R$ 560,0 milhões, 28,7% superior ao ano de A margem EBITDA resultou em 67,4%, apenas 0,3 pontos percentuais abaixo do ano de 2007, seguindo a 4

5 manutenção do índice, de acordo com as diretrizes da companhia. Resultado Financeiro O resultado financeiro líquido do ano de 2008 foi 104,3% superior em relação ao ano de 2007, atingindo o valor negativo (despesa) de R$ 158,5 milhões devido, principalmente aos encargos incorridos da emissão de notas promissórias da EcoRodovias, utilizados para a aquisição da Ecocataratas, conforme descrito no item Endividamento. Observa-se o aumento na variação monetária sobre o direito de outorga decorrente do ajuste a valor presente, em conformidade com a Lei /07. Resultado Financeiro 2008 Var. (em milhões de R$) 4T08 4T07 Var Pró-forma 2007 Var. Pró-forma Juros sobre Debêntures (11,4) -12,4-8,5% (51,0) (51,0) (49,9) 2,2% 2,2% Juros sobre Financiamentos (17,8) (56,0) (55,7) (4,1) 1265,9% 1258,5% Variação Monetária - Debêntures e Financiamentos (2,9) (15,3) -81,0% (34,0) (34,0) (21,9) 55,3% 55,3% Variação Monetária Direito de Outorga (2,5) (13,5) (13,5) (7,8) 73,1% 73,1% Receitas de Aplic. Financeiras 4,3 2,5 72,0% 11,1 11,0 10,5 5,7% 4,8% Outros Efeitos Financeiros (9,7) 2,2-536,4% (15,1) (15,2) (4,4) 243,2% 245,5% Total (39,9) (23,0) 73,5% (158,5) (158,4) (77,6) 104,3% 104,1% Lucro Líquido O lucro líquido no trimestre apresentou uma pequena queda de 2,2%, enquanto que no total do ano, essa queda foi de 19,0%, devido, principalmente ao aumento de despesas financeiras e os impactos da amortização, do imposto de renda e contribuição social sobre o ágio da Ecocataratas e dos impostos diferidos da controladora. Endividamento Em 31 de dezembro de 2008, a dívida bruta da EcoRodovias somou R$ 1.044,9 milhões, um aumento de 85,7% em relação ao fechamento do ano de Em termos de dívida líquida, o aumento foi maior, atingindo 125,6%. Todos os financiamentos são em moeda local (R$). Em janeiro de 2008, a EcoRodovias emitiu R$ 430,0 milhões em Notas Promissórias, prazo de 360 dias, com propósito de financiar a aquisição da concessionária Ecocataratas. Apesar da crise econômica mundial que atingiu a liquidez no mercado de crédito e, consequentemente, as operações de longo prazo, em dezembro de 2008, a EcoRodovias liquidou parte desta dívida através da segunda emissão de Notas Promissórias no valor de R$ 360,0 milhões, também pelo prazo de 360 dias. Os financiamentos junto ao Banco Bradesco e ItauBBA correspondem a valores destinados a investimentos e renovação de dívida de concessionárias de rodovias. Além deste montante, também foram desembolsadas as segunda e terceira parcelas do financiamento BNDES para a execução das obras do terminal intermodal Ecopátio Logística Cubatão. 5

6 Credores (em milhões de R$) 31/12/ /12/2007 Var. Taxas Debêntures - Ecovias dos Imigrantes 522,9 493,6 5,9% IGP-M + 9,50% / 104,00% CDI Notas Promissórias - EcoRodovias 361,7 CDI + 4,50% a.a. BNDES - Ecopátio Logística Cubatão 64,7 38,9 66,3% TJLP + 2,40% a.a. ItauBBA - Ecocataratas 40,9 137,00% CDI Unibanco 0,5 1,1-54,5% TJLP + 6,00% a.a. Bradesco - Ecovia Caminho do Mar 23,7 29,2-18,8% 107,70% CDI Bradesco - Ecovia Caminho do Mar 10,2 CDI + 5,50% a.a. Bradesco - Ecosul - Rodovias do Sul 20,3 CDI + 5,50% a.a. Divida Total 1044,9 562,8 85,7% Caixa Disponível 62,5 127,3-50,9% Divida Líquida 982,4 435,5 125,6% Investimentos Os investimentos realizados na EcoRodovias ao longo do ano de 2008 foram superiores em 62,5% em relação ao ano de 2007 devido, principalmente, à obras previstas contratuais realizadas na concessionária Ecovias dos Imigrantes: 3ª faixa da SP-055 (km 274 ao km 292), construção do viaduto no km 262 e travessia no km 285, ambos na SP-055 e finalizados em dezembro/2008. CAPEX 2008 Var. (em milhões de R$) 4T08 4T07 Var Pró-forma 2007 Var. Pró-forma Ecovias dos Imigrantes 66,5 28,7 131,9% 188,9 188,9 96,9 95,1% 95,1% Ecovia Caminho do Mar 7,8 3,5 122,1% 18,9 18,9 16,6 13,8% 13,8% Ecocataratas 18, , Ecosul - Rodovias do Sul 4,9 6,8-27,4% 16,1 16,1 13,9 16,1% 16,1% Ecopátio Logística Cubatão 14,4 14,7-2,1% 41,1 41,1 50,2-18,1% -18,1% Outras empresas 7,8 0,8-10,1 10,1 6,5 - - Total 119,8 54,5 119,9% 299,2 298,5 184,1 62,5% 62,1% Dividendos De acordo com a Política de Dividendos da EcoRodovias, em vigor desde o segundo semestre de 2008, a distribuição máxima deve ser de 50% do lucro líquido. No ano de 2008, foram distribuídos R$ 122,4 milhões, valor 22,3% superior em relação ao distribuído em RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL O Ecoviver, programa de responsabilidade socioambiental da EcoRodovias, voltado à educação ambiental de crianças e jovens, encerrou o terceiro ano de atividades com presença em 16 cidades dos estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, com atendimento a mais de 100 mil alunos de escolas 6

7 públicas nas regiões em que o grupo atua. O projeto inclui palestras para professores das escolas, instruindo-os em como trabalhar a questão do lixo em sala de aula e eventos que incluem a teoria dos 3Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar). O reconhecimento das atividades desenvolvidas nas comunidades do entorno das empresas do grupo vem, também, através de premiações recebidas, como o Top Ambiental ADVB do projeto Ecoviver e o prêmio Empresa Sustentável promovido pela revista Meio Ambiente Industrial. EMPRESAS DO GRUPO Responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), a Ecovias os Imigrantes é o principal corredor de exportação para o Porto de Santos, ligando a região metropolitana de São Paulo ao Pólo Petroquímico de Cubatão, às indústrias do ABCD e à Baixada Santista. Em seus 176,8 km de extensão, passam mais de 32 milhões de veículos todos os anos. A concessionária Ecovia Caminho do Mar é responsável pelo conjunto de rodovias federais e estaduais que formam o principal corredor de transporte de bens do Paraná e turismo para o litoral do estado, através da BR-277, PR-508 e PR-407. Adquirida pela EcoRodovias em fevereiro de 2008, a Ecocataratas faz a ligação entre os municípios de Guarapuava e Foz do Iguaçu, através de 387,1 km da BR-277. O trecho, que passa pelo município de Cascavel, administra o Lote 03 do Anel de Integração do Paraná. A maior malha viária concedida do Brasil é administrada pela Ecosul Rodovias do Sul, com 623,8 km no Pólo Rodoviário de Pelotas. Além da importante ligação ao Porto de Rio Grande, a Ecosul Rodovias do Sul também desempenha papel no turismo em direção ao litoral sul brasileiro. 7

8 O Ecopátio Logística Cubatão, criado em abril de 2006, tem o objetivo de administrar o terminal intermodal e regulador de fluxo de caminhões e cargas com destino ao Porto de Santos. Localizado em uma área de 442,7 mil metros quadrados e com sistemas de monitoramento e controle de tráfego e cargas, irá ajudar os exportadores e o porto na administração da logística de seus produtos. O projeto conta com apoio do BNDES no financiamento das obras. Em parceria com a empresa Bracor, o Ecopátio Bracor Imigrantes, localizado em São Bernardo do Campo (SP) será destinado à implantação de um condomínio logístico, através da construção, locação, operação e manutenção de armazéns especializados em logística. ECSC Centro de Serviços Corporativos e ECSE Centro de Serviços de Engenharia são empresas que unificaram a prestação de serviços às demais unidades de negócios do grupo. A STP Serviços e Tecnologia de Pagamentos S.A. foi criada em 2000 com o principal interesse de facilitar a vida dos usuários de rodovias e estacionamentos em shopping centers e aeroportos, expandindo a cobrança eletrônica de pedágios e garantindo maior fluidez às estradas em que atua, em âmbito nacional. Pioneira e líder na implementação do sistema de Identificação Automática de Veículos (AVI) no Brasil, a STP está presente em mais de 176 praças de pedágio no país, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais e Santa Catarina e administra mais de 1,3 milhão de tags. Disclaimer Estas informações e declarações contêm considerações futuras referentes às perspectivas de negócios, que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais considerações refletem as crenças e perspectivas de nossa Administração e a informações que a Companhia possui acesso. As declarações sobre o futuro não são garantias de desempenho e as condições dependem, sobretudo, das condições econômicas, de mercado, políticas governamentais e fatores operacionais. Portanto, os resultados futuros das empresas do grupo poderão diferir significativamente das atuais expectativas. 8

9 ANEXOS BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO (em milhões de R$) 31/12/ /12/2007 Variação ATIVO Disponibilidades 34,7 43,5 (8,8) Aplicações financeiras 18,7 73,0 (54,3) Títulos e Valores Mobiliários 9,1 10,8 (1,7) Clientes 63,1 26,3 36,8 Impostos a recuperar 4,6 10,4 (5,8) Despesas antecipadas 3,6 3,6 - Depósitos judiciais 7,2-7,2 Outros créditos 2,7 1,2 1,5 ATIVO CIRCULANTE 143,6 168,8 (25,2) Imposto de renda e contribuição social diferidos 6,9 3,9 3,0 Depósitos judiciais 1,4-1,4 Despesas antecipadas 0,4-0,5 Realizável a longo prazo 8,7 3,9 4,9 Investimentos 2,7 4,8 2,1 Imobilizado 1.338, ,8 190,9 Intangível 402,9 66,9 336,0 Permanente 1.744, ,5 524,8 ATIVO NÃO CIRCULANTE 1.752, ,4 528,7 TOTAL DO ATIVO 1.896, ,2 504,4 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Fornecedores 66,0 17,5 48,5 Empréstimos e financiamentos 446,5 9,1 437,4 Debêntures 16,5 22,3 (5,8) Impostos, taxas e contribuições a recolher 12,0 9,9 2,1 Empresas ligadas 12,4 1,5 10,5 Credor pela concessão 13,4 12,0 1,4 Salários e obrigações sociais 14,5 11,1 3,4 Provisão para imposto de renda e contribuição social 12,8 6,2 6,6 Dividendos e juros sobre capital próprio a pagar 27,5 55,0 (27,5) Outras contas a pagar 10,1 10,5 (0,4) PASSIVO CIRCULANTE 631,7 155,1 476,6 Empréstimos e financiamentos 75,5 60,1 15,4 Debêntures 506,4 471,3 35,1 Credor pela concessão 66,3 101,0 (34,7) Imposto de renda e contribuição social diferidos 6,4 46,2 (39,8) Provisão para contingências 20,1 10,3 9,8 Adiantamento de clientes 4,9 5,4 (0,5) Outras contas a pagar 0,6 1,1 (0,5) PASSIVO NÃO CIRCULANTE 680,2 695,4 (15,2) PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NÃO CONTROLADORES 3,6 4,8 (1,2) Capital social 466,7 466,7 - Reserva legal 34,6 27,7 6,9 Reserva de retenção de lucros 79,8 42,5 37,3 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 581,1 536,9 44,2 TOTAL DO PASSIVO 1.896, ,2 504,4 9

10 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS (em milhões de R$) 4T08 4T Receita Bruta de Vendas 253,7 181,4 886,3 680,8 Receita com Arrecadação de Pedágio e Logística 224,1 173,6 830,4 654,0 Receitas acessórias e de prestação de serviços 29,6 7,8 55,9 26,8 Impostos (17,2) (10,0) (55,0) (37,5) RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 236,5 171,4 831,3 643,3 Custo dos Serviços Prestados (83,0) (70,8) (299,5) (247,5) LUCRO BRUTO 153,4 100,6 531,7 395,8 Despesas Gerais e Administrativas (32,9) (24,8) (102,1) (74,3) Amortização de ágio de investimentos (7,3) (0,5) (27,0) (2,0) EBIT 113,2 75,3 402,2 319,5 Resultado Financeiro (39,9) (23,0) (158,5) (77,6) Outras Receitas Líquidas 0,1 (0,1) 0,5 0,2 Equivalência Patrimonial (3,2) 1,1-2,6 LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL 70,2 53,3 243,6 244,7 Imposto de Renda e Contribuição Social (34,9) (17,2) (111,9) (82,8) Participação de Minoritários (0,4) (0,4) (2,2) (2,1) LUCRO LÍQUIDO 34,9 35,7 129,5 159,8 Depreciação e Amortização 49,1 30,2 158,3 115,7 EBITDA 162,4 105,5 560,0 435,2 10

11 FLUXO DE CAIXA (R$ milhões) FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social 243,6 244,7 Ajustes para conciliar o lucro líquido ao caixa oriundo das atividades operacionais Depreciação e amortização 131,3 113,8 Amortização de ágio em investimentos 27,0 2,0 Baixa do ativo imobilizado 1,0 0,9 Encargos financeiros e variação monetária sobre financiamentos, empréstimos e debêntures 140,9 78,6 Variação monetária com o poder concedente 13,5 7,8 Constituição de provisão para contingências 9,8 4,8 Equivalência patrimonial - (2,6) Redução (aumento) nos ativos operacionais: Clientes (3,8) (4,6) Empresas ligadas 0,1 (0,1) Impostos a recuperar 6,0 (6,8) Despesas antecipadas 0,5 1,0 Depósitos judiciais (8,5) - Outros créditos 0,8 1,6 Aumento (redução) nos passivos operacionais: Fornecedores 8,4 (9,0) Credor pela concessão (10,8) (9,8) Obrigações sociais 2,5 3,0 Impostos, taxas e contribuições a recolher 0,4 (0,3) Empresas ligadas 10,9 (1,7) Juros pagos (119,3) (38,6) Outras contas a pagar 0,7 (3,7) Imposto de renda e contribuição social pagos (106,0) (121,4) Caixa oriundo das (aplicado nas) atividades operacionais 349,2 259,6 FLUXO DE CAIXA DAS OPERAÇÕES DE INVESTIMENTOS Dividendos recebidos 1,6 Investimentos na controlada STP (2,7) (11,8) Aquisição Rodovia das Cataratas (424,5) - Aquisição de imobilizado e intangível (284,9) (178,1) Redução de capital de minoritários (1,2) - Dividendos de minoritários - (1,4) Efeito caixa na aquisição de investimentos 15,4 - Outros 4,1 - Caixa aplicado nas atividades de investimentos (709,2) (189,7) Títulos e valores mobiliários 1,6 (5,3) Captação de financiamentos terceiros 856,9 65,8 Pagamento de financiamentos (436,1) (24,4) Pagamento de dividendos a controladores anteriores (16,3) - Pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio (122,4) (100,1) Caixa oriundo da (aplicado na) atividade de financiamento 283,6 (64,1) Diminuição de caixa e bancos e aplicações financeiras (76,4) (5,8) Caixa e bancos e aplicações financeiras - no início do exercício 116,6 110,7 Caixa e bancos e aplicações financeiras - no fim do exercício 53,4 116,5 11

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006

Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006 Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006 São Paulo, 03 de agosto de 2006. Confab Industrial S.A. (BOVESPA:CNFB4), uma empresa Tenaris, anunciou hoje os resultados correspondentes aos

Leia mais

4T15 Apresentação de Resultados

4T15 Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados 02 de Fevereiro de 2016 Tais declarações têm como base crenças e suposições de nossa Administração tomadas dentro do nosso melhor conhecimento e informações a que a Companhia

Leia mais

Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo

Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. MÓDULO DE QUESTÕES DE CONTABILIDADE

Leia mais

EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011

EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011 EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011 ECORODOVIAS ESTRUTURA SOCIETÁRIA A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos

Leia mais

EcoRodovias anuncia resultado consolidado do 4T05 e de 2005

EcoRodovias anuncia resultado consolidado do 4T05 e de 2005 Release de Resultados EcoRodovias anuncia resultado consolidado do 4T05 e de 2005 EBITDA consolidado de R$ 356,4 milhões e margem EBITDA de 67,5% em 2005 São Paulo, 09 de março de 2006 A Primav EcoRodovias

Leia mais

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli USP/FEA/EAC Curso de Graduação em Administração Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli 1 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14 ATIVO Exercício Atual PASSIVO Exercício Atual ATIVO CIRCULANTE 652.201,35 PASSIVO CIRCULANTE 236.288,68 Caixa e Equivalentes de Caixa 652.201,35 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores acionistas, A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A., ( CVC ou Companhia ) apresenta a seguir seu Relatório da Administração e as informações contábeis intermediárias

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T15 e 9M15

Apresentação de Resultados 3T15 e 9M15 Apresentação de Resultados 3T15 e 9M15 Ressalvas sobre os resultados As informações financeiras consolidadas consideram a proporção da participação da Triunfo em cada controlada. Os números operacionais

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO GWI RENDA IMOBILIÁRIA

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO GWI RENDA IMOBILIÁRIA I. OBJETO DO FUNDO Relatório da Instituição Administradora Período janeiro a junho 2014 Fundo de Investimento Imobiliário GWI Renda Imobiliária O Fundo de Investimentos Imobiliário GWI Renda Imobiliária,

Leia mais

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS fg 2º TRIMESTRE DE 2016 Retomada do crescimento de vendas totais e mesmas lojas, aliada a ganho consistente de market share no mercado total a. A receita líquida totalizou R$4,3 bilhões no 2T16, com retomada

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP)

Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP) Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP) Julho, 2009 1 Divisão de aluguel de carros Receita líquida (R$ milhões) 197,1 271,3 CAGR: 31,3% 357,2 442,7 585,7 278,6 4,8% 291,9

Leia mais

Resultados Título da apresentação

Resultados Título da apresentação Resultados 2015 Título da apresentação Aviso Legal Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros do Banco Pan. Essas declarações estão baseadas

Leia mais

CNPJ: / DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMONIO LIQUIDO

CNPJ: / DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMONIO LIQUIDO Rio de Janeiro, 18 de fevereiro de 2016. DT-P 16-007. CONTÉM: PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES BALANÇO PATRIMONIAL COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. (R$) 864.940.364,29 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

CIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA - COELBA 6ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

CIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA - COELBA 6ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 CIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA - COELBA 6ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T13

Apresentação de Resultados 1T13 Apresentação de Resultados 1T13 14 de Maio de 2013 Resultados 4T13/2013 28 de Fevereiro de 2014 Destaques do Período Receita Líquida R$ mm EBITDA Ajustado R$ mm Geração Op. de Caixa R$ mm 1 A receita líquida

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 6 de maio de 2016 Magazine Luiza Destaques Vendas E-commerce Margem Bruta EBITDA e Lucro Líquido Capital de Giro Endividamento Luizacred Aumento da receita bruta de 3% totalizando

Leia mais

RECEITA BRUTA CRESCE 37,9% E EBITDA AJUSTADO AUMENTA 48,1% NO 3T07

RECEITA BRUTA CRESCE 37,9% E EBITDA AJUSTADO AUMENTA 48,1% NO 3T07 1 São Paulo, 14 de novembro de 2007 A General Shopping Brasil S.A. (BOVESPA: GSHP3), empresa com expressiva participação no mercado de shopping centers do Brasil, anuncia hoje os resultados do terceiro

Leia mais

É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas de Resultado).

É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas de Resultado). Olá, meus amigos! Tudo bem? É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas de Resultado). O plano foi elaborado pelo nosso

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ CIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ CIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

WEBCAST Teleconferência

WEBCAST Teleconferência São Paulo Avenida Cidade Jardim WEBCAST Teleconferência 08-11-2007 Goiânia Avenida 85 APRESENTAÇÃO RESULTADOS - 3º TRIMESTRE 2007 Aviso Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas

Leia mais

A receita de uso de rede diminuiu 6,1% em relação ao 3T11 e apenas 0,6% em relação ao 2T12, principalmente em função da redução da VU-M.

A receita de uso de rede diminuiu 6,1% em relação ao 3T11 e apenas 0,6% em relação ao 2T12, principalmente em função da redução da VU-M. RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.340,9 5.128,2 4,1 4.923,2 8,5 15.574,6 14.326,7 8,7 Receita de serviço móvel 5.078,2 4.959,7 2,4 4.697,9 8,1 14.962,1 13.535,4 10,5 Franquia e utilização

Leia mais

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada 2011 Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada Prezados Participantes: O ano de 2011 foi mais um ano marcado por muitas incertezas nas economias mundiais acarretando uma instabilidade

Leia mais

Demonstrações Contábeis Decifradas

Demonstrações Contábeis Decifradas RESOLUÇÃO A resolução dessa questão demanda a capacidade de classificação dos elementos patrimoniais e do resultado como componentes dos fluxos de caixa das atividades operacionais, de investimento e de

Leia mais

FATO RELEVANTE CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS S/A CNPJ: / COMPANHIA ABERTA

FATO RELEVANTE CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS S/A CNPJ: / COMPANHIA ABERTA CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS S/A CNPJ: 00.001.180/0001-26 COMPANHIA ABERTA Centrais Elétricas Brasileiras S/A ( Companhia ou Eletrobras ) esclarece aos seus acionistas e ao mercado em geral que, conforme

Leia mais

Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre

Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre BM&FBOVESPA: ECOR3 Relações com Investidores Roberto Koiti Nakagome Diretor de Relações com Investidores Raquel Turano de Souza

Leia mais

Comentários de DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS - 4T12 E 2012

Comentários de DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS - 4T12 E 2012 São Paulo, 13 de maio de 2013 A Unidas S.A. anuncia os seus resultados do quarto trimestre de 2012 (4T12) e do ano de 2012. As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando

Leia mais

Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre

Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre BM&FBOVESPA: ECOR3 Relações com Investidores Roberto Koiti Nakagome Diretor de Relações com Investidores Raquel Turano de Souza

Leia mais

Resultados 3T11. * Os dados da ANFAVEA não incluem mais os números da exportação de veículos desmontados (CKD).

Resultados 3T11. * Os dados da ANFAVEA não incluem mais os números da exportação de veículos desmontados (CKD). 1) DESTAQUES DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2011 Receita operacional líquida consolidada de R$ 827,0 milhões, um aumento de 35,3% em relação ao terceiro trimestre de 2010; Geração bruta de caixa (EBITDA) de

Leia mais

É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais).

É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais). Olá, meus amigos! Tudo bem? É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais). O plano foi elaborado pelo nosso

Leia mais

Estrutura das Demonstrações Contábeis

Estrutura das Demonstrações Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis Conteúdo Programático As Demonstrações Contábeis; Balanço Patrimonial (BP); Demonstração do Resultado do Exercício (DRE); Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados

Leia mais

CONTABILIDADE AVANÇADA. Avaliação de Investimentos em Participações Societárias

CONTABILIDADE AVANÇADA. Avaliação de Investimentos em Participações Societárias CONTABILIDADE AVANÇADA Avaliação de Investimentos em Participações Societárias INTRODUÇÃO Considera-se Participações Societárias quando uma sociedade (Investidora) vem à aplicar recursos na aquisição de

Leia mais

BEING GLOBAL RESULTADOS 1.º SEMESTRE 2013 AGOSTO DE 2013

BEING GLOBAL RESULTADOS 1.º SEMESTRE 2013 AGOSTO DE 2013 BEING GLOBAL RESULTADOS 1.º SEMESTRE 2013 AGOSTO DE 2013 ANÁLISE DE RESULTADOS ANEXOS DESTAQUES página 3 Proveitos Operacionais de 289 M, a registar uma subida de 18,5 % quando comparado com o ano anterior,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS APAE MORADA NOVA DE MINAS/MG

ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS APAE MORADA NOVA DE MINAS/MG DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCICIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E 31 DE DEZEMBRO DE 2007. Balanço Patrimonial Demonstração do Resultado do Exercício Demonstração das mutações do patrimônio líquido

Leia mais

Resultados do 2T15 Agosto, 2015

Resultados do 2T15 Agosto, 2015 Resultados do Agosto, 2015 Destaques Operacional Redução de 0,61 p.p. nas perdas totais no vs., totalizando 9,3% FEC de 3,50 vezes, 14,6% menor do que no ; DEC de 9,97 horas, 22,2% maior do que Investimentos

Leia mais

Contabilidade Introdutória

Contabilidade Introdutória Contabilidade Introdutória Profa. Mara Jane Contrera Malacrida 1 Ö : Parte residual do patrimônio Riqueza líquida da empresa PL = Ativo Passivo Evidencia os recursos dos proprietários aplicados no empreendimento

Leia mais

23 DE NOVEMBRO DE 2010

23 DE NOVEMBRO DE 2010 Reunião APIMEC - MG 23 DE NOVEMBRO DE 2010 ECORODOVIAS ESTRUTURA SOCIETÁRIA A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos de logística

Leia mais

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) 1 - CONTEXTO OPERACIONAL Bicicletas Monark S.A. ( Companhia ) tem por objetivo a industrialização

Leia mais

Lumina Resíduos Industriais S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010

Lumina Resíduos Industriais S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em de 2010 Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo Nota explicativa 31 de dezembro de 2010 31 de dezembro 1º de janeiro

Leia mais

ANEXO 6. Reajustes e Cálculos das Contraprestações Públicas Mensais de Amortização Fixa e Variável e Penalidades

ANEXO 6. Reajustes e Cálculos das Contraprestações Públicas Mensais de Amortização Fixa e Variável e Penalidades ANEXO 6 Reajustes e Cálculos das Contraprestações Públicas Mensais de Amortização Fixa e Variável e Penalidades 1 1. OBJETIVO O objetivo deste anexo é detalhar a forma de cálculo e de reajustes da receita

Leia mais

Lucro Fiscal x Lucro Societário

Lucro Fiscal x Lucro Societário Lei n o 12. 973/14 Lucro Fiscal x Lucro Societário Alterações Práticas na Atividade Comercial Prof. Eric Aversari Martins Um Breve Histórico 11.638/07 Harmonização das Normas Contábeis 11.941/09 Instituição

Leia mais

SANTOS BRASIL ENCERRA O 4T15 COM CRESCIMENTO DE 13,0% NO TOTAL DE CONTÊINERES MOVIMENTADOS.

SANTOS BRASIL ENCERRA O 4T15 COM CRESCIMENTO DE 13,0% NO TOTAL DE CONTÊINERES MOVIMENTADOS. SANTOS BRASIL ENCERRA O 4T15 COM CRESCIMENTO DE 13,0% NO TOTAL DE CONTÊINERES MOVIMENTADOS. São Paulo, 09 de março de 2016 As informações trimestrais (ITR) e as demonstrações financeiras padronizadas (DFP)

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI SELECT RF / Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI SELECT RF / Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI SELECT RF 23.682.485/0001-46 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FUNDO

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 30 de Abril de 2016 Folha: 1 Prefeitura Municipal Demonstracao. Unidade Gestora: CONSÓRCIO - CISGA

Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 30 de Abril de 2016 Folha: 1 Prefeitura Municipal Demonstracao. Unidade Gestora: CONSÓRCIO - CISGA Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 30 de Abril de 2016 Folha: 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO 994.183,15 D 181.380,01 162.761,34 1.012.801,82 D 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

Resultados do ano de 2015

Resultados do ano de 2015 Resultados do ano de 2015 2 de março de 2016 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES RELATÓRIO ANUAL 2015

RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES O Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional da Paraíba OABPrev- Nordeste apresenta o relatório das suas principais atividades durante o ano

Leia mais

Relatório Mensal. Rio Bravo Crédito Imobiliário II - FII

Relatório Mensal. Rio Bravo Crédito Imobiliário II - FII Relatório Mensal Rio Bravo Crédito Imobiliário II - FII Dezembro 2015 Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário FII O fundo Rio Bravo Crédito Imobiliário II FII iniciou suas atividades

Leia mais

Anexo à Instrução 17/96

Anexo à Instrução 17/96 Anexo à Instrução 17/96 SOCIEDADES EMITENTES OU GESTORAS DE CARTÕES DE CRÉDITO Sociedade... SITUAÇÃO ANALÍTICA EM / / SALDOS DEVEDORES 10 - CAIXA VALORES (em contos) 11 - DEPÓSITOS À ORDEM NO BANCO DE

Leia mais

REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL. PROFª: Gitano Souto Silva

REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL. PROFª: Gitano Souto Silva REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL PROFª: Gitano Souto Silva BALANÇO PATRIMONIAL O Balanço Patrimonial é uma demonstração contábil que evidencia, por meio das contas PATRIMONIAIS

Leia mais

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2015

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2015 Resultados 1º Trimestre de 2015 8 de Maio de 2015 Receita líquida avança 14,8%, com sólido crescimento orgânico Cnova Receita líquida: +14,8% Vendas mesmas lojas: +4,0% EBITDA (1) : R$ 1,057 bilhão Margem

Leia mais

Bradesco. Sustentabilidade nos negócios e práticas socioambientais. Ivani Benazzi de Andrade Gerente do Departamento de Relações com o Mercado

Bradesco. Sustentabilidade nos negócios e práticas socioambientais. Ivani Benazzi de Andrade Gerente do Departamento de Relações com o Mercado Bradesco Sustentabilidade nos negócios e práticas socioambientais Ivani Benazzi de Andrade Gerente do Influência nos negócios... Sustentabilidade Corporativa Posicionamento Bradesco 71 anos de experiência

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2015

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2015 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2015 DESTAQUES PERSPETIVAS FUTURAS CARTEIRA DE ENCOMENDAS ANÁLISE DE RESULTADOS DESTAQUES Volume Negócios atinge 221 M ( +17 % YTD) Recuperação significativa na performance operacional,

Leia mais

Balanço Social Dados Consolidados Unimeds RJ. Fórum Atuarial, Financeiro-Contábil, Mercado e Regulação

Balanço Social Dados Consolidados Unimeds RJ. Fórum Atuarial, Financeiro-Contábil, Mercado e Regulação Balanço Social 2011 Dados Consolidados Unimeds RJ Fórum Atuarial, Financeiro-Contábil, Mercado e Regulação Rio das Ostras-RJ, 13, 14 e 15 de julho-2012 Balanço Social Consolidado 2011 BALANÇO SOCIAL O

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

EBITDA da Algar Telecom registra crescimento de 15,8% no 3T12, com margem de 26,1%

EBITDA da Algar Telecom registra crescimento de 15,8% no 3T12, com margem de 26,1% EBITDA da Algar Telecom registra crescimento de 15,8% no 3T12, com margem de 26,1% DESTAQUES DO 3T12 Adição de 316 mil UGRs, totalizando mais de 2,2 milhões de unidades, crescimento de 16,5% em relação

Leia mais

Conceitos Introdutórios. A Inflação nas Finanças. Demonstrações Contábeis

Conceitos Introdutórios. A Inflação nas Finanças. Demonstrações Contábeis Conceitos Introdutórios Mercado Financeiro Brasileiro A Inflação nas Finanças Demonstrações Contábeis Conceitos Introdutórios Retornar Conceitos Introdutórios ADMINISTRAÇÃO A administração é o processo

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10 TELECONFERÊNCIAS 12/05/2010 (quarta-feira) AGENDA 2010 Uma só empresa, melhor e mais forte SUMÁRIO EXECUTIVO 1 PRESENÇA NACIONAL 2 2 1 720 escolas associadas no Ensino Básico

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

1 Instrumentos Elegíveis ao Capital Principal Reservas de lucros Outras receitas e outras reservas (97) - -

1 Instrumentos Elegíveis ao Capital Principal Reservas de lucros Outras receitas e outras reservas (97) - - Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar 3 Anexo 1 Composição do Patrimônio de Referência (PR) e informações sobre a adequação do PR Data base : 30/06/2015 Capital Principal: instrumentos e reservas

Leia mais

Receita Bruta da Profarma atinge R$ 702,6 milhões no 1T08 com crescimento de 26,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Receita Bruta da Profarma atinge R$ 702,6 milhões no 1T08 com crescimento de 26,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Receita Bruta da Profarma atinge R$ 702,6 milhões no 1T08 com crescimento de 26,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Rio de Janeiro, 05 de Maio de 2008 A Profarma Distribuidora de Produtos

Leia mais

TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII (Administrado pela Pentágono S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários)

TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII (Administrado pela Pentágono S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários) 1 Contexto operacional O TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII, cadastrado junto a Comissão de Valores Mobiliários sob o código (107-4) é um Fundo de Investimento Imobiliário, regido pelo seu

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 (Em Reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 (Em Reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 (Em Reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, Autarquia Federal nos termos da Lei n 4.324/64

Leia mais

ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003

ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003 ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003 PRODUTOS, LANÇAMENTOS E PERFORMANCE COMERCIAL: Durante o primeiro trimestre de 2003, a Rossi Residencial

Leia mais

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE... 19 APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 PARTE I CONTABILIDADE GERAL CAPÍTULO I NOÇÕES DE CONTABILIDADE... 27 1. Noções de Contabilidade... 27 1.1. Conceitos, objetivos, campo

Leia mais

Lucros não Realizados na Consolidação das D.C. Universidade Federal de Pernambuco Contabilidade Societária 2 Profa: Márcia Tavares

Lucros não Realizados na Consolidação das D.C. Universidade Federal de Pernambuco Contabilidade Societária 2 Profa: Márcia Tavares Lucros não Realizados na Consolidação das D.C Universidade Federal de Pernambuco Contabilidade Societária 2 Profa: Márcia Tavares Situações A empresa B vendeu para a controlada A mercadorias por R$ 140.000

Leia mais

ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13

ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13 ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13 DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS Em 03 de outubro, foi concluída a venda de participação de 10% na empresa Serviços

Leia mais

PAINEL III - O MERCADO DE CAPITAIS CHAVE DO DESENVOLVIMENTO BRASILEIRO: COMO UNIVERSALIZAR O USO DO MERCADO DE CAPITAIS PELAS EMPRESAS DO PAÍS

PAINEL III - O MERCADO DE CAPITAIS CHAVE DO DESENVOLVIMENTO BRASILEIRO: COMO UNIVERSALIZAR O USO DO MERCADO DE CAPITAIS PELAS EMPRESAS DO PAÍS PAINEL III - O MERCADO DE CAPITAIS CHAVE DO DESENVOLVIMENTO BRASILEIRO: COMO UNIVERSALIZAR O USO DO MERCADO DE CAPITAIS PELAS EMPRESAS DO PAÍS Rio de Janeiro, 18/05/2016 Carlos A. Rocca CEMEC Centro de

Leia mais

Unidade IV AVALIAÇÃO DAS. Prof. Walter Dominas

Unidade IV AVALIAÇÃO DAS. Prof. Walter Dominas Unidade IV AVALIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Walter Dominas Conteúdo da unidade IV 1) Análise do capital de giro Ciclo operacional, Ciclo Econômico e Financeiro Importância do Capital Circulante

Leia mais

Resultados do 1T de Maio de 2011

Resultados do 1T de Maio de 2011 Resultados do 12 de Maio de 2011 Destaques de Receita Bruta de R$ 254 milhões, contra R$ 228 milhões no, crescimento de 11,4%; Margem Bruta de 30,4% no, contra 33,1% no mesmo período em 2010; EBITDA de

Leia mais

EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Divulgação de Resultados do 1T13

EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Divulgação de Resultados do 1T13 EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A Divulgação de Resultados do 1T13 Tráfego comercial cresce 3,0% no 1T13 Receita Bruta Operacional cresce 35,5% no 1T13 ECO101 assina Contrato de Concessão para

Leia mais

ANEXO I BALANCETE ANALÍTICO (MODELO)

ANEXO I BALANCETE ANALÍTICO (MODELO) ANEXO I A) - DADOS CONTÁBEIS E FINANCEIROS I. Balancete Contábil BALANCETE ANALÍTICO (MODELO) Período: 01/xx/20xx a 31/xx/20xx CONTA 1 - ATIVO 1.1 - CIRCULANTE 1.1.01 - DISPONIBILIDADES 1.1.01.01 - FUNDO

Leia mais

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Detalhado

Modelo de Plano de Contas Detalhado Modelo de Plano de Contas Detalhado Código da Conta Descrição da Conta 1. A T I V O 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.01 DISPONÍVEL 1.1.01.01 Caixa 1.1.01.02 Bancos c/ Movimento 1.1 01.03 Aplicações Financeiras

Leia mais

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A.

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração

Leia mais

Contabilidade e Gestão Financeira

Contabilidade e Gestão Financeira Contabilidade e Gestão Financeira Contabilidade Demonstrações Financeiras MESG - Mestrado Engenharia de Serviços e Gestão FEUP 2010 Rui Padrão Funções Património Passivo Eq. Fund. Factos patr. Inventário

Leia mais

ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. Divulgação de Resultados do 1T14

ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. Divulgação de Resultados do 1T14 X ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A Divulgação de Resultados do 1T14 DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS Em 20 de março de 2014, foi concluída a operação de venda de 11,41% da Serviços e Tecnologia

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 204 Com qualidade de serviço e responsabilidade socioambiental, administramos seis concessões rodoviárias, um terminal portuário e quatorze unidades de logística. E para cumprirmos

Leia mais

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 31 Interests in Joint Ventures

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 31 Interests in Joint Ventures Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 31 Interests in Joint Ventures Situação: PARCIALMENTE CONVERGENTE 1. Introdução O IAS 31 Interests in Joint Ventures trata da contabilização das

Leia mais

Receita Líquida Consolidada (R$ Bilhões) Lucro Bruto Consolidado (R$ Milhões) EBITDA Consolidado (R$ Milhões)

Receita Líquida Consolidada (R$ Bilhões) Lucro Bruto Consolidado (R$ Milhões) EBITDA Consolidado (R$ Milhões) Destaques do 2T14 Receita Líquida Consolidada (R$ Bilhões) 32,1% 21.9 24.2 27.2 26.4 29.0 Receita líquida de R$29,0 bilhões, expansão de R$7,0 bilhões, ou 32,1% superior ao 2T13. 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14

Leia mais

Instrução n. o 4/2015 BO n. o

Instrução n. o 4/2015 BO n. o Instrução n. o 4/2015 BO n. o 6 15-06-2015 Temas Supervisão Elementos de Informação Índice Texto da Instrução Mapas anexos à Instrução 4/2015 Notas auxiliares de preenchimento anexas à Instrução 4/2015

Leia mais

Volume Total de Crédito

Volume Total de Crédito Parte I Volume de Crédito A) Recursos Livres e Recursos Direcionados Período R$ milhões Variação % Junho2005 535.594 Junho2015 3.102.172 490,2% Volume Total de Crédito 4.000.000 2.000.000 R$ milhões B)

Leia mais

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Demonstração da composição e diversificação

Leia mais

Companhia Brasileira de Distribuição

Companhia Brasileira de Distribuição Companhia Brasileira de Distribuição Grupo Pão de Açúcar ABAMEC São Paulo Novembro Visão do Mercado Mercado de Varejo Alimentício: R$67bi CBD 14,1% Carrefour 14,1% Bompreço 4,5% Sonae 4,5% Outros 59,2%

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO - CONTADOR

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO - CONTADOR Questão n o 1 a) Fundamentação teórico-conceitual Capital autorizado: é o capital que consta no estatuto da Companhia sendo o limite para autorização do aumento do capital social independentemente de reforma

Leia mais

ANEXO II AVALIAÇÃO ECONÔMICO FINANCEIRA DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA

ANEXO II AVALIAÇÃO ECONÔMICO FINANCEIRA DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA ANEXO II AVALIAÇÃO ECONÔMICO FINANCEIRA DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA 1 Sumário 1 - INTRODUÇÃO... 3 2 - PROJEÇÃO DAS RECEITAS, DESPESAS E INVESTIMENTOS...

Leia mais

TRIMESTRE Variação (%) SEMESTRE Variação (%) (R$ mm) 2T15 2T14 2T15/2T14 1S15 1S14 1S15/1S14

TRIMESTRE Variação (%) SEMESTRE Variação (%) (R$ mm) 2T15 2T14 2T15/2T14 1S15 1S14 1S15/1S14 São Paulo, 14 de agosto de 2015 - A Somos Educação S.A. (BM&FBOVESPA: SEDU3) divulga seus resultados do 2º trimestre de 2015 (2T15) e do primeiro semestre de 2015 (1S15). Os comentários aqui incluídos

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER DIVIDENDOS AÇÕES / Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER DIVIDENDOS AÇÕES / Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER DIVIDENDOS AÇÕES 03.396.639/0001-26 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FUNDO

Leia mais

DATA 29/05/2014 Pagina 2 2.1.3.1.1.00.00.00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PR S C 0,00 582,25 3.432,21 2.849,96 C 2.1.3.1.1.01.00.00

DATA 29/05/2014 Pagina 2 2.1.3.1.1.00.00.00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PR S C 0,00 582,25 3.432,21 2.849,96 C 2.1.3.1.1.01.00.00 DATA 29/05/2014 Pagina 1 1.0.0.0.0.00.00.00 ATIVO S D 26.200,85 197.350,24 153.749,66 69.801,43 D 1.1.0.0.0.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE S D 15.643,04 197.350,24 153.614,51 59.378,77 D 1.1.1.0.0.00.00.00

Leia mais

José Eduardo Mendonça S. Gonçalves

José Eduardo Mendonça S. Gonçalves José Eduardo Mendonça S. Gonçalves Contribuições dos sócios 51 Capital * Nota: para efeitos de apresentação no Balanço, deduzir saldos das contas: 261 Accionistas c/ subscrição * 262 Quotas não liberadas

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE Prof. Wanderson S. Paris, M.Eng. prof@cronosquality.com.br NOÇÕES DE CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS X ATIVIDADES

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES 08.892.340/0001-86 Informações referentes a Agosto de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures

MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício

Leia mais

Plano de Contas Código Descrição Natureza

Plano de Contas Código Descrição Natureza 1 ATIVO 11 ATIVO CIRCULANTE 111 ATIVO DISPONIVEL 111001 NUMERARIOS 1.1.1.001.0001-0 CAIXA PEQUENO 111002 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.1.1.002.0001-5 BANCO BRADESCO SA 1.1.1.002.0002-3 BANCO DO BRASIL 1.1.1.002.0003-1

Leia mais

Release de Resultados 1T de abril de 2016

Release de Resultados 1T de abril de 2016 Release de Resultados 1T16 27 de abril de 2016 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais