UMA APLICAÇÃO PRÁTICA DE INTERFACE NATURAL DE USUÁRIO COM MICROSOFT KINECT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UMA APLICAÇÃO PRÁTICA DE INTERFACE NATURAL DE USUÁRIO COM MICROSOFT KINECT"

Transcrição

1 UMA APLICAÇÃO PRÁTICA DE INTERFACE NATURAL DE USUÁRIO COM MICROSOFT KINECT Alan da Silva 1 Orientador Agnus Horta 2 RESUMO Este trabalho descreve o desenvolvimento de uma aplicação prática de interface natural de usuário utilizando o dispositivo Microsoft Kinect. O objetivo deste trabalho é aplicar os conceitos adquiridos ao longo do curso, para a implementação de um software, capaz de controlar o computador, com gestos realizados pelos braços e mãos através do Kinect. A implementação evidenciou a complexidade do processo de comunicação humano e a dificuldade de transmitir essa comunicação a um computador. Palavras-chave: Sensor Kinect. Interface Natural de Usuário. Software. 1 INTRODUÇÃO A interação entre o homem e a máquina é uma das áreas mais interessantes da computação. Desde os primórdios, o homem tem procurado meios e estratégias de interatividade, que visam à simplicidade e naturalidade ao passar uma instrução para um computador. É também tema de várias pesquisas que contribuem para o seu desenvolvimento. O objetivo da interação homem-computador é, ou deveria ser, prover uma interface tão natural quanto possível. De fato, a solução perfeita seria aquela na qual o usuário nem percebesse a utilização de uma interface, expõe TEBBUTT (1995). O estudo de interfaces homem-máquina vem contribuindo para o avanço multidisciplinar como computação, psicologia educacional, sociologia e design. A maioria das interfaces atuais utilizam equipamentos de controle, que exigem uma curva de aprendizagem, geralmente dotadas de botões e às vezes de difícil manuseio. Com o avanço da tecnologia, a interação natural, se tornou primordial para o sucesso tanto da aplicação como o dispositivo, seja ela através de gestos ou fala. 1 Aluno do 8º período do curso da Ciência da Computação do Centro Universitário do Sul de Minas UNIS-MG. 2 Orientador do curso da Ciência da Computação do Centro Universitário do Sul de Minas UNIS-MG..

2 Este trabalho descreve, através do desenvolvimento de um software, um conceito recente de utilização de computadores, onde, um comando do mundo real é passado para o mundo digital através de gestos corporais com auxílio de um equipamento. Esse é o conceito de interface natural de usuário (NUI). 2 REFERENCIAL TEÓRICO 2.1. Interface Natural de Usuário Barthet (1998) afirma que existe uma linguagem de interação que permite ao usuário, através de um grupo de palavras e de regras, expressar as operações que ele deseja executar em uma máquina, que podem ser comandos ou dados. O meio pelo qual se realiza essas operações dá-se o nome de interface de usuário. É nas interfaces de usuário de computador que ocorrem às interações, análises e visualizações das informações. Este trabalho aborda uma das áreas de interfaces de usuário, a Interface Natural de Usuário ou a NUI (Natural User Interface), que é uma evolução de comunicação entre homem e computador (NATURAL, 2011). O propósito da NUI é incorporar a naturalidade de se realizar movimentos ou gestos para a manipulação da aplicação. O usuário tem que se sentir a vontade para interagir com a aplicação. Deve possui uma curva de aprendizagem mínima ao ponto de que o usuário tenha a sensação de estar interligado com a aplicação Engenharia de Software O desenvolvimento de um software envolve diversas etapas que devem ser analisadas para que se atinja um bom desempenho e qualidade na implementação. Esse desenvolvimento pode ser visto como um conjunto de atividades, métodos, transformações e práticas que norteiam pessoas na produção de um software (REZENDE, 2005). O presente projeto contempla a engenharia de software como metodologia de desenvolvimento, manutenção e gestão, por que abrange todo o processo de desenvolvimento, do começo ao fim (PRESSMAN, 1995).

3 O paradigma de desenvolvimento seguido foi a prototipação como mostra a figura 1, pois atende dois grandes requisitos pertinentes a implementação do software. O primeiro diz a velocidade de desenvolvimento, no sentido de propiciar-se o usuário uma visão mais real do software que será projetado. O segundo é o envolvimento do usuário à medida que o desenvolvimento do software evolui (TOSING, 2008). Figura 1 Diagrama de Paradigma de Prototipação. Fonte: (TOSING, 2008).

4 2.3. Plataforma.NET Framework O.NET Framework é um projeto da Microsoft para desenvolvimento de aplicações que visam à abstração de vários códigos para um interesse comum, podendo ser utilizado em vários projetos. O programador escreve o código especificamente para a plataforma.net e não para um sistema operacional específico, com isso ganha-se portabilidade da aplicação, onde o aplicativo gerado pode ser executado em qualquer dispositivo que contenha.net Framework. A plataforma foi criada para atender certos objetivos como, consistência na programação no paradigma orientação a objeto, minimizar conflitos em ambientes de execução, implantação e versionamento, atender aos padrões de comunicação dados das tecnologias atuais e garantir que os códigos baseados em.net Framework possam se integrar a qualquer outro código (LIMA, 2002). O desenvolvimento da aplicação de interface natural de usuário utilizou esta tecnologia, pois esta agrega valor, interoperabilidade confiabilidade com os outros sistemas, visto que a aplicação é executada em uma camada acima do sistema operacional Linguagem de Programação C# O avanço da tecnologia exige um grande esforço do desenvolvedor no que tange a criação e implementação de aplicativos para os sistemas operacionais atuais. Novos conceitos e paradigmas surgem e dificuldades são encontradas para o desenvolvimento. Algumas dessas dificuldades são associadas à linguagem de programação escolhida para o desenvolvimento da aplicação. A linguagem de programação escolhida para o desenvolvimento foi o C# 3,, que é uma evolução da linguagem Microsof C e Microsoft C++ (GUIMARÃES, 2011). A linguagem de programação C# é uma linguagem de programação orientada a objeto criada pela empresa Microsoft, que permite o desenvolvimento de aplicações para sistema operacional Windows, aplicações para internet, implementação de Web Service, aplicações console, entre outras. Assim como o framework.net, a linguagem faz parte do Visual Studio. É uma linguagem recente, derivada do C/C++, e foi desenvolvida para trabalhar especialmente para a plataforma.net (LIPPMAN, 2003). 3 C# Pronuncia-se C Sharp.

5 2.5. Microsoft Kinect O sensor Kinect Microsoft, como mostra a figura 2, é um dispositivo (acessório) de interação natural, desenvolvido para ser utilizado em um console de vídeo game da empresa Microsoft, o Xbox360. O nome Kinect é uma junção de um termo grego kínésis (que significa movimentar ou mover) com connect (que em inglês se refere ao ato de conectar). Ele tem por função, realizar o mapeamento do movimento corporal e transferir de forma digital para o console. Pode ser considerado um verdadeiro sistema de detecção de gestos e movimentos. Conta também com microfones que são utilizados para detecção da voz do usuário ou jogador (PROGRAMMING GUIDE, 2010). O Kinect é uma barra horizontal conectada a uma pequena base com um pivô motorizado e é designado a ser posicionada pouco acima ou pouco abaixo da tela. Formado por uma câmera RGB 4, um sensor de profundidade e um microfone e rodando um software proprietário, provê uma completa captura tridimensional, reconhecimento facial e vocal (MOUSINHO 2011, p.1). O uso sensor Kinect apresentado neste projeto é fundamental, pois é o dispositivo que compõe todo o sistema de identificação de movimentos e gestos. É a partir do sensor que a aplicação recebe os dados gerados e os transforma em informação tangível de ser trabalhada. Figura 2 Microsoft Kinect Fonte: 4 RGB Abreviatura utilizada para Red Green Blue (Vermelho Verde Azul), sistema utilizado na reprodução de cores em dispositivos eletrônicos corrente.

6 2.6. SDK Kinect O PROGRAMMING GUIDE (2010) descreve o SDK 5 kinect como uma ferramenta de programação para desenvolvedores de aplicativos, permitindo o acesso fácil aos recursos oferecidos pelo dispositivo Kinect Microsoft. Ele possui todo o suporte necessário para o desenvolvimento de aplicações para o Kinect Microsoft, incluindo drives de instalação, documentação técnica divida em tópicos com mais de 100 páginas de instruções detalhadas para a maioria das funcionalidades do dispositivo. É através do SDK que foi tratado o acesso às fluxos de dados gerados pelo Kinect Microsoft, além da capacidade de controlar a angulação do dispositivo Transformação de Sistema de Coordenadas A transformação do sistema de coordenadas é um conceito de computação gráfica utilizado na aplicação para mapear as coordenadas da janela de visualização para área de trabalho do computador. Utiliza-se a transformação de sistema de coordenadas do mundo real, que é usado para representar um ambiente de interatividade criado para usuário, para o sistema de coordenada da porta de visão, que é a área de trabalho do computador (BUENO, 2011). A técnica utilizada na aplicação é a especificação de uma área retangular chamada área de controle que irá representar as coordenadas da área de trabalho. Para realização deste intento será conseguido através da utilização da equação: Onde, xd é o ponto de coordenada destino, xdi é o ponto inicial da coordenada do ponto de destino, xdf é o ponto final da coordenada do ponto de destino, xm é o ponto de coordenada do mundo real, xmi é o ponto inicial da coordenada do mundo real e xmf é o ponto final da coordenada do mundo final (FOLEY, 1996). 5 SDK Sigla utilizada para Software Development Kit (ou Software Developers Kit pacote de desenvolvimento de software), é um pacote que permite os desenvolvedores criar aplicativos para uma plataforma específica.

7 3 DESENVOLVIMENTO 3.1. O Sistema O sistema desenvolvido foi batizado com o nome de NUI UNIS e tem por finalidade interpretar os gestos do usuário e realizar ação. Está ação pré-determinada e específica. Possui duas funções que são chamadas modos de operação, o modo apresentação de slides e controle de computador. A iniciação do sistema só é concedida se o sensor Kinect estiver corretamente instalado e configurado, caso não atenda a nenhum desses requisitos, a aplicação emitirá uma mensagem de erro e fechará. A aplicação consegue reconhecer os gestos com uma distância mínima de um metro até quatro metros. Apesar de o sensor Kinect reconhecer duas pessoas, apenas uma pessoa deve ficar em frente ao aparelho para que não haja interferência de identificação de usuário Tela Principal A tela inicial do sistema, figura 4, tem uma apresentação em tempo real do que o sensor Kinect está enviando para a aplicação, isso foi definido para que o usuário possa ter um feedback do que está acontecendo na aplicação. A forma escolhida para apresentação dos dados segue o mesmo padrão escolhido por Blake (2011), onde os controles são destacados por elipses de cor vermelha, alterando o formato caso atenda a uma ação específica. Contém também, uma barra de menus onde cada opção é representada por ícones, para acesso as configurações e controle de funções com a qual se deseja trabalhar.

8 Figura 4 Tela principal do sistema. Fonte: Próprio Autor Menu de Configurações Possui uma tela de configurações, figura 5, onde o usuário deverá salvar as preferências que se tornará padrão para o sistema. Logo que o sistema é iniciado ele recupera as informações de configuração e ajuste. Essas informações são transferidas para a aplicação e para o sensor Kinect. Possui o modo de operação inicial, que define qual a funcionalidade a aplicação iniciará. A tela contém os ajustes da caixa de controle, como dito anteriormente, tem a função limitar a área de atuação para controle do computador. As distâncias informadas nessa caixa de controle são medidas em pixels.

9 O usuário poderá definir a angulação inicial do sensor Kinect, limitado a 27 graus para cima e 27 graus para baixo. Essa movimentação está limitada a 2 toques a cada 15 segundos. Essa limitação é imposta pelo SDK Kinect para evitar o esforço excessivo das engrenagens do sensor. Possui também a possibilidade de especificar a distancia que ativa a ação da função específica. Essas distâncias são medidas em metros e tem como ponto de origem a cabeça. Essas configurações se fazem necessário, pois é considerado que a aplicação poderá ser utilizada em vários ambientes e diferentes situações. Figura 5 Tela de configurações do sistema. Fonte: Próprio Autor.

10 3.4. Variáveis de Retorno Como complemento de informação ao usuário, a aplicação dispõe de uma tela específica que demonstra as distâncias no plano gerado pelo sensor Kinect, como mostra a figura 6. Essas distâncias estão em unidades de metros e contempla as coordenadas em 3 dimensões, para a cabeça, mão direita e mão esquerda. As informações são apresentadas em tempo real e com precisão. Essas informações são de fundamental importância para que o usuário possa se posicionar melhor em relação ao sensor Kinect e tirar maior proveito das funcionalidades da aplicação. Figura 6 Tela de apresentação de variáveis principais do sistema. Fonte: Próprio Autor Funções Pré-Estabelecidas A aplicação possui duas funções pré-estabelecidas que podem ser alternadas através do menu na tela principal do sistema. Essas funções são chamadas de modos de operação. Como dito anteriormente as funções funcionam de modo alternado, isto é, não podem ser acionadas ao mesmo tempo. Com isso evitou-se o alto custo no processamento das funções, evitando que a aplicação trave ao interpretar o comando ou causar lentidão na interpretação. Os modos de operação definidos são modo de apresentação de slides e modo de controle de computador.

11 Modo Apresentação de Slides Este modo de operação tem por finalidade utilizar gestos dos braços e as mãos para avançar ou retroceder apresentações no computador. A lógica utilizada para essa função é calcular o distância que a mão direita ou esquerda afasta perpendicularmente em relação à cabeça. Essa distância é pré-definida na tela de configurações e é calculada em metros. Essa configuração se faz necessária para que o usuário tenha a liberdade de ajustar o melhor ponto de acionamento de acordo com a distância ideal desejada, para que no momento da apresentação o usuário possa se movimentar e não acionar o comando indevidamente. Afastando-se a mão direita perpendicularmente para a direita em relação à cabeça ativa-se a ação de avançar o slide. Afastando-se a mão esquerda perpendicularmente para a esquerda em relação à cabeça ativa-se a ação de retroceder slide. A dificuldade encontrada nesse modo de operação, o movimento das mãos que mais se adequa para o avanço e retrocesso dos slides, de maneira que ao realizar o movimento, fique o mais natural possível Modo Controle de Computador O modo de operação de controle de computador simula a utilização do mouse do computador, utilizado os gestos do braço da mão direita para mover o cursor e a mão esquerda para simular o clique do mouse. Para essa função foi utilizada o cálculo da distância em que a mão direita avança frontalmente em relação à cabeça para ativar o controle do computador e simular a movimentação do mouse. Na implementação dessa função, encontrou-se, uma grande dificuldade para o movimento das mãos alcançarem toda a área de trabalho do computador e simular o movimento do mouse. Para gerar essa simulação e suavizar os movimentos, como dito anteriormente, foi utilizada a técnica de transformação de coordenadas, também utilizada na área de conhecimento de computação gráfica, com isso, o usuário poderá acessar os itens existentes na área de trabalho do computador.

12 Utilizando-se dessa mesma lógica, o movimento frontal em relação à cabeça para a mão esquerda, simula o clique do botão esquerdo do mouse. O modo Controle de Computador comtempla as funções básicas de acesso aos itens do computador. 4 CONCLUSÃO Este trabalho teve como proposta o desenvolvimento de uma aplicação prática de interface natural de usuário utilizando o dispositivo Microsoft Kinect. Obteve-se resultado satisfatório no desenvolvimento da aplicação. A transmissão de uma ação humana através de gestos e expressões corporais torna-se complexa e dispendiosa. Isso se dá pelo fato da complexidade do processo de comunicação humana. A utilização do sensor Kinect foi de fundamental importância, pois facilita os cálculos e a identificação da posição dos membros corporais (cabeça e mãos), visto que o sensor tem funções implementadas específicas para este fim. Foi detectada que o SDK da Microsoft apesar da facilidade no desenvolvimento, é uma versão de testes e tem-se melhorar a sua precisão nos cálculos. Como melhoria na aplicação, pode-se melhorar a precisão no controle do computador assim que o SDK Kinect for atualizado, além de suavizar ainda mais o movimento do mouse do computador, bem como melhorar a interpretação dos gestos para avançar ou retroceder os slides. Pode-se ainda implementar o movimento de acesso que simula o botão direito do mouse.

13 A PRACTICAL APPLICATION OF NATURAL USER INTERFACE WITH MICROSOFT KINECT ABSTRACT This Scientific Article describes the development of an practical application of natural user interface using the Microsoft Kinect device. The objective of this article it s applying the concepts that was been acquires during this course, to implement the software, capable of the computer controlling, with gests driven by the arms and hands. This intent was achieved by using a device that was developed for this goal, the Kinect. The implementation evidenced the complexity of the human communication process and the difficulty to transmit this communication for a computer. Key Words : Kinect Sensor. Natural User Interface. Software.

14 REFERÊNCIAS BARTHET, Marie-France. Logiciels interactifs et ergonomie: modèles e méthodes de conception. Paris: Dunod, BLAKE, Joshua. Kinect PowerPoint Control. Disponível em: <http://kinectpowerpoint.codeplex.com/>. Acesso em: 13 out BUENO, Márcio; SOUSA, Robson Pequeno de; LINS, Robson. Transformações 2D. Disponível em: <http://marciobueno.com/arquivos/ensino/cg/cg_05_transformacoes_2d.pdf>. Acesso em: 12 nov FOLEY, James D. et al. Computer graphics: principles and practice: Second Edition in C. 2ª Ed. United States: Addison-wesley, p. GUIMARÃES, Rentado. Conceitos Básicos de Programação e Introdução ao C#. Disponível em: <http://msdn.microsoft.com/pt-br/vcsharp/gg aspx>. Acesso em: 10 set INTERFACES NATURAIS Disponível em: <http://www.eps.ufsc.br/disserta/hugo/cap_2/cp2_hug.htm>. Acesso em: 20 set LIMA, Edwin. C# e.net - Guia do Desenvolvedor. 1ª Ed. Rio de Janeiro: Campus, p. LIPPMAN, Stanley B.. C# Um Guia Prático. 1ª Ed. Porto Alegre: Bookman, p. MICROSOFT.Net Framework, o que é isso e para que serve? Disponível em: <http://dicasdainformatica.blogspot.com/2011/04/microsoft-net-framework-o-que-e-issoe.html#ixzz1batdxanc>. Acesso em: 12 set MOUSINHO, Lucas. Sobre o Kinect. Disponível em: <http://www.portalkinext.com/kinect/saiba-um-pouco-mais-do-sensor-da-microsoft.html>. Acesso em: 04 nov NATURAL User Interface Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/natural_user_interface>. Acesso em: 05 set PRESSMAN, Roger S.. Engenharia de Software: Uma abordagem profissional. 3ª Edição São Paulo - Sp: Makron Books, p. PROGRAMMING GUIDE. Getting Started with the Kinect for Windows SDK Beta from Microsoft Reserch. Disponível em: <http://research.microsoft.com/enus/um/redmond/projects/kinectsdk/guides.aspx>. Acesso em: 10 ago

15 REZENDE, Denis Alcides. Engenharia de Software e Sistemas de Informação. 3ª Edição Rio de Janeiro: Brasport, p. TEBBUTT, David. In touch with tomorrow. In PC PRO, Feb 1995, p Dennis Publication, United Kingdom. TOSING, Sérgio Luiz. Engenharia de Software: Análise e Projeto de Sistemas. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, p.

Computação Afetiva: Uma ferramenta para avaliar aspectos afetivos em aplicações computacionais.

Computação Afetiva: Uma ferramenta para avaliar aspectos afetivos em aplicações computacionais. 286 Computação Afetiva: Uma ferramenta para avaliar aspectos afetivos em aplicações computacionais. Saulo William S. Costa, Ailton Lopes de Sousa, Yomara Pires Laboratório de Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009

ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009 ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009 1 INDICE 1. Instalação do Software...3 2. Tela Inicial...3 3. Criando arquivo de configurações (Alt + C + C)...4 3.1 Sensores

Leia mais

Avaliação de Desvio Postural em Ombro utilizando Kinect em uma Visão do Plano Coronal-Anterior 1

Avaliação de Desvio Postural em Ombro utilizando Kinect em uma Visão do Plano Coronal-Anterior 1 Avaliação de Desvio Postural em Ombro utilizando Kinect em uma Visão do Plano Coronal-Anterior 1 Gabriel C. S. G. Paula 2, Pierre Soares Brandão 3, Fernando Luiz de Oliveira 4, Fabiano Fagundes 5 1 Projeto

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

Manual do usuário. Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR

Manual do usuário. Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR Manual do usuário Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR 1 INSTALAÇÃO 1.1 Requisitos de sistema 1.2 Conteúdos do CD de instalação 1.3 Instalação 2 CONFIGURAÇÃO 2.1 ENUTV setup 2.2 Midas Touch 1.1 REQUISITOS

Leia mais

36 Anais da Semana de Ciência e Tecnologia, Ouro Preto, v. 4, p. 1 120, 2012.

36 Anais da Semana de Ciência e Tecnologia, Ouro Preto, v. 4, p. 1 120, 2012. CONTROLE À DISTÂNCIA DE UM MOTOR UTILIZANDO RECURSOS DE VISÃO COMPUTACIONAL Matheus Henrique Almeida Nascimento 1, Gean Carlo Neves Correa 2, Cristiano Lúcio Cardoso Rodrigues 3 e Sílvia Grasiella Moreira

Leia mais

Localização Geográfica no Google Maps com o Auxílio de Redes Wireless

Localização Geográfica no Google Maps com o Auxílio de Redes Wireless Localização Geográfica no Google Maps com o Auxílio de Redes Wireless Henrique G. G. Pereira 1, Marcos L. Cassal 1, Guilherme Dhein 1, Tarcízio R. Pinto 1 1 Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) Rua

Leia mais

HeadMouse. Grupo de Investigação em Robótica. Universidade de Lérida

HeadMouse. Grupo de Investigação em Robótica. Universidade de Lérida HeadMouse Grupo de Investigação em Robótica Universidade de Lérida Manual de utilização e perguntas frequentes O que é o HeadMouse? O HeadMouse é um programa gratuito desenhado para substituir o rato convencional.

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

Introdução ao Veridis Biometrics SDK VERIDIS

Introdução ao Veridis Biometrics SDK VERIDIS Introdução ao Veridis Biometrics SDK Versão do SDK: 5.0 2013 Veridis Biometrics VERIDIS BIOMETRICS Versão do Documento Versão Data Modificações 1 2 3 4 5 23/mar/2011 17/mai/2011 29/jul/2011 3/out/2011

Leia mais

Diferentes modos para visualizar gravações no Software HMS Client

Diferentes modos para visualizar gravações no Software HMS Client Diferentes modos para visualizar gravações no Software HMS Client O Software HMS Client permite visualização de imagens de 3 maneiras diferentes: Imagens dos dispositivos (Mini Câmeras e NVRs) gravadas

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8

CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8 CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8 1) No sistema operacional Microsoft Windows 8, uma forma rápida de acessar o botão liga/desliga é através do atalho: a) Windows + A. b) ALT + C. c) Windows + I. d) CTRL +

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O conteúdo deste documento tem como objetivos geral introduzir conceitos mínimos sobre sistemas operacionais e máquinas virtuais para posteriormente utilizar

Leia mais

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Olá, seja bem-vindo à primeira aula do curso para desenvolvedor de Android, neste curso você irá aprender a criar aplicativos para dispositivos

Leia mais

Sistema de Reconhecimento de Voz Aplicabilidade

Sistema de Reconhecimento de Voz Aplicabilidade Sistema de Reconhecimento de Voz Aplicabilidade Luis Gustavo de Carvalho Uzai Prof. Mauricio Duarte Tecnologia em Informática para a Gestão de Negócios Faculdade de Tecnologia de Garça (Fatec) Caixa Postal

Leia mais

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 1 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 1 Procedimentos para Download e Instalação do NVDA... 2 Iniciando

Leia mais

CAPÍTULO IV Sistema Operacional Microsoft Windows XP

CAPÍTULO IV Sistema Operacional Microsoft Windows XP CAPÍTULO IV Sistema Operacional Microsoft Windows XP Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais são programas que como o próprio nome diz tem a função de colocar o computador em operação. O sistema Operacional

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Depurando aplicações Professor: Danilo Giacobo OBJETIVOS DA AULA Aprender dicas e técnicas para encontrar erros em aplicações Android. Conhecer os recursos que auxiliam

Leia mais

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL Núcleo IFRS Manual do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 3 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 3 Procedimentos para Download

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 1 APRESENTANDO O C#

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 1 APRESENTANDO O C# LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 1 APRESENTANDO O C# 1.1 - Apresentação Quando fazemos nossas compras em um supermercado, é comum encontrarmos um código de barras impresso nos produtos expostos

Leia mais

UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE

UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS EM WINDOWS MOBILE. PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno:

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Interação Humana com Computador

Interação Humana com Computador Interação Humana com Computador Tecnologias de Computadores André Ferraz N.º24881 Jason Costa N.º25231 Ana Pereira N.º25709 IHC Estudo, planeamento e desenho de uma interação entre o utilizador e computadores.

Leia mais

Informática Aplicada

Informática Aplicada Informática Aplicada SO Windows Aula 3 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 APRESENTAÇÃO Todo computador precisa de um sistema operacional. O Windows

Leia mais

Introdução à Informática Professor: Juliano Dornelles

Introdução à Informática Professor: Juliano Dornelles Pra que serve o computador? O computador é uma extensão dos sentidos humanos. Pode ser utilizado no trabalho, nos estudos e no entretenimento. Com finalidades de interação, comunicação, construção de conteúdo,

Leia mais

O Primeiro Programa em Visual Studio.net

O Primeiro Programa em Visual Studio.net O Primeiro Programa em Visual Studio.net Já examinamos o primeiro programa escrito em C que servirá de ponto de partida para todos os demais exemplos e exercícios do curso. Agora, aprenderemos como utilizar

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

17:47:08. Introdução à Informática com Software Livre

17:47:08. Introdução à Informática com Software Livre 17:47:08 Introdução à Informática com Software Livre 1 17:47:09 Audacity 2 Audacity 17:47:09 Audacity é um Software Livre de edição digital de áudio, disponível principalmente nas plataformas: Windows,

Leia mais

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework Introdução ao C# Microsoft.NET (comumente conhecido por.net Framework - em inglês: dotnet) é uma iniciativa da empresa Microsoft, que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas

Leia mais

PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL

PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL Adson Diego Dionisio da SILVA 1, Saulo Soares de TOLEDO², Luiz Antonio Costa Corrêa FILHO³, Valderí Medeiros

Leia mais

GEADA. Gerador de Expressões Algébricas em Digrafos Acíclicos. para versão 1.0, de agosto/2008. Autor: Márcio Katsumi Oikawa

GEADA. Gerador de Expressões Algébricas em Digrafos Acíclicos. para versão 1.0, de agosto/2008. Autor: Márcio Katsumi Oikawa GEADA Gerador de Expressões Algébricas em Digrafos Acíclicos para versão 1.0, de agosto/2008. Autor: Márcio Katsumi Oikawa 1 1 Introdução O GEADA (Gerador de Expressões Algébricas em Digrafos Acíclicos)

Leia mais

Sistema operacional Windows 7, Windows Live Mail e Adobe Reader. Sistemas operacionais em concursos públicos

Sistema operacional Windows 7, Windows Live Mail e Adobe Reader. Sistemas operacionais em concursos públicos Sistema operacional Windows 7, Windows Live Mail e Adobe Reader Sistemas operacionais em concursos públicos Antes de tudo é importante relembrarmos que o sistema operacional é um tipo de software com a

Leia mais

Aula: BrOffice Impress primeira parte

Aula: BrOffice Impress primeira parte Aula: BrOffice Impress primeira parte Objetivos Conhecer as características de um software de apresentação; Saber criar uma apresentação rápida com os recursos de imagem e texto; Saber salvar a apresentação;

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Introdução ao Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Introdução ao Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Introdução ao Windows 7 O hardware não consegue executar qualquer ação sem receber instrução. Essas instruções são chamadas de software ou programas de computador. O software

Leia mais

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Instituto Federal do Sertão-PE Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Prof. Felipe Correia Conteúdo Por que estudar Design de Interfaces e Usabilidade?! Conceitos básicos sobre Design! Primeira

Leia mais

Ferramentas RAD e DELPHI

Ferramentas RAD e DELPHI Origem: http://my.opera.com/maicokrause/blog/ferramentas-rad-e-delphi Data: 17 Nov 2009 Autor: Maico Krause Ferramentas RAD e DELPHI Thursday, 16. July 2009, 14:27:40 Desenvolvimento, Delphi, Engenharia

Leia mais

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1 DESAFIO Um dos maiores avanços percebidos pela área de qualidade de software foi comprovar que a qualidade de um produto final (software) é uma consequência do processo pelo qual esse software foi desenvolvido.

Leia mais

Microsoft Office PowerPoint 2007

Microsoft Office PowerPoint 2007 INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007 O Microsoft Office PowerPoint 2007 é um programa destinado à criação de apresentação através de Slides. A apresentação é um conjunto de Sides que são exibidos em

Leia mais

Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá

Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá Automação Industrial Porto Alegre, Outubro de 2014 Revisão: B Conhecer os principais conceitos e aplicações de um Software Supervisório; Conhecer

Leia mais

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Índice

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Índice Índice Caderno 2 PG. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão,

Leia mais

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores Attack 1.35 Software de controle e Monitoração de amplificadores 1 Índice 1 Hardware necessário:... 3 1.1 Requisitos do computador:... 3 1.2 Cabos e conectores:... 3 1.3 Adaptadores RS-232 USB:... 4 1.4

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

INTERFACE PARA APRESENTAÇÕES INTERATIVAS COM KINECT/NUI

INTERFACE PARA APRESENTAÇÕES INTERATIVAS COM KINECT/NUI 1 INTERFACE PARA APRESENTAÇÕES INTERATIVAS COM KINECT/NUI Adriana Morais da Silva, Leonardo Bolognese RESUMO Este projeto tem por objetivo o desenvolvimento introdutório utilizando o sensor de movimento

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

Usuário. Gaming. Guia do. Mouse

Usuário. Gaming. Guia do. Mouse www.mtek.com.br Guia do Usuário L103G Todas as marcas, logos e nomes de empresas mencionados são propriedades de seus respectivos proprietários. Este produto está sujeito a alterações sem prévio aviso.

Leia mais

LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP. Guia de instalação do software

LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP. Guia de instalação do software LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP Guia de instalação do software HP LaserJet Enterprise M4555 MFP Series Guia de instalação do software Direitos autorais e licença 2011 Copyright Hewlett-Packard Development

Leia mais

Brasil. Características da Look 312P. Instalação da Look 312P

Brasil. Características da Look 312P. Instalação da Look 312P Características da Look 312P 1 2 3 Lente Foco manual pelo ajuste da lente. Bolso Você pode colocar o cabo no bolso. Corpo dobrável Ajuste a Look 312P em diferentes posições. Instalação da Look 312P 1.

Leia mais

MANUAL PARA INCLUSÃO DIGITAL- ANDRAGOGIA

MANUAL PARA INCLUSÃO DIGITAL- ANDRAGOGIA Inclusão Digital - Software - Sistema Operacional (SO) Introdução O objetivo dessa cartilha é informar o usuário das características básicas dos softwares, do Sistema Operacional utilizados em um computador.

Leia mais

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares SENAI São Lourenço do Oeste Introdução à Informática Adinan Southier Soares Informações Gerais Objetivos: Introduzir os conceitos básicos da Informática e instruir os alunos com ferramentas computacionais

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE. Tutorial SweetHome3D

Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE. Tutorial SweetHome3D Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE Tutorial SweetHome3D Trabalho apresentado ao Prof. Carlo na Disciplina de Software Livre no curso Pós Graduação em Tecnologia da Informação Aplicada a

Leia mais

Anderson Pereira, Emerson Demetrio, Fernando Mateus, Lucas Bergmann

Anderson Pereira, Emerson Demetrio, Fernando Mateus, Lucas Bergmann Anderson Pereira, Emerson Demetrio, Fernando Mateus, Lucas Bergmann Sistema Operacional E no inicio... Windows CE: - Sistema Operacional criado pela Microsoft para dispositivos sistemas embarcados (Tablet

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Instruções para Uso do Software VISIO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Instruções para Uso do Software VISIO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instruções para Uso do Software VISIO Fevereiro/2006 Instruções para uso do Visio... 03 Instruções para Uso do Software VISIO 2 Instruções para uso do Visio O Visio 2003...

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS Relembrando... Gabinete Ligando o computador São três passos básicos O ambiente Windows O Windows é um tipo de software chamado sistema operacional

Leia mais

HeadMouse. Grupo de Investigação em Robótica. Universidade de Lérida

HeadMouse. Grupo de Investigação em Robótica. Universidade de Lérida HeadMouse Grupo de Investigação em Robótica Universidade de Lérida Manual de utilização e perguntas frequentes O que é o HeadMouse? O HeadMouse é um programa gratuito desenhado para substituir o mouse

Leia mais

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ÍNDICE BLUELAB RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ELEMENTOS DA TELA INICIAL DO BLUELAB PROFESSOR guia Meu Espaço de Trabalho...07 A INTERFACE DO BLUELAB...07 INICIANDO

Leia mais

Indice. Indice.1. 6.1- Reprodução Local...18. 6.2- Reprodução Remota...19

Indice. Indice.1. 6.1- Reprodução Local...18. 6.2- Reprodução Remota...19 Indice Indice.1 1. Introdução...2 1.1. Ambiente de Operação...2 1.2. Instruções de Instalação...2 2. Instalação e desinstalação...3 2.1. Instalação...3 2.2. Desinstalação...4 2.3. Reparo...5 3. Operação

Leia mais

Comece aqui. Interação com o BrightLink

Comece aqui. Interação com o BrightLink Interação com o BrightLink As canetas interativas BrightLink transformam qualquer parede ou mesa em uma área interativa, com ou sem um Com um computador, você pode usar o Easy Interactive Tools (duas canetas).

Leia mais

1 Como seu Cérebro Funciona?

1 Como seu Cérebro Funciona? 1 Como seu Cérebro Funciona? UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) O cérebro humano é capaz de processar as informações recebidas pelos cinco sentidos, analisá-las com base em uma vida inteira de experiências,

Leia mais

Ambiente de Programação dos Painéis de Operação. Incon Eletrônica Ltda. Rua Alfeo Ambrogi, 735 CEP 13570-540 São Carlos SP

Ambiente de Programação dos Painéis de Operação. Incon Eletrônica Ltda. Rua Alfeo Ambrogi, 735 CEP 13570-540 São Carlos SP Ambiente de Programação dos Painéis de Operação Incon Eletrônica Ltda. Rua Alfeo Ambrogi, 735 CEP 13570-540 São Carlos SP Índice 1)Introdução...2 2)Instalação do Oppe...3 3)Descrição do OPPE...4 3.1 Selecionar

Leia mais

Sistemas Eletrônicos de Apresentação. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 47p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Sistemas Eletrônicos de Apresentação. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 47p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Ismael Souza Araujo Pós-graduado em Gerência de Projetos PMBOK UNICESP, Graduado em Tecnologia em Segurança da Informação - UNICESP. Professor de concurso da área de informática e consultor em EAD.

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Conjunto Agrotécnico Visconde da Graça CAVG Disciplina: Informática Apresentação Gráfica

Universidade Federal de Pelotas Conjunto Agrotécnico Visconde da Graça CAVG Disciplina: Informática Apresentação Gráfica Apresentação Gráfica Microsoft Office Power Point 1 Sumário 1. MICROSOFT POWER POINT... 4 1.1. INICIANDO O MICROSOFT POWER POINT... 4 2. CONHECENDO A INTERFACE DO POWER POINT... 5 2.1. O DOCUMENTO DO POWER

Leia mais

Seu manual do usuário YAMAHA UX16 http://pt.yourpdfguides.com/dref/512336

Seu manual do usuário YAMAHA UX16 http://pt.yourpdfguides.com/dref/512336 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Em seguida leia com atenção o manual de instruções para obter um melhor aproveitamento de seu painel.

Em seguida leia com atenção o manual de instruções para obter um melhor aproveitamento de seu painel. MANUAL - Manual De Instruções Do Software - Termo De Garantia Manual de instruções do software LEDMIDIA Seu Painel Ledmidia tem as seguintes características: 1 Exibe qualquer tipo de fonte de letra que

Leia mais

Capitulo 11 Multimídias

Capitulo 11 Multimídias Capitulo 11 Multimídias Neste capítulo são exploradas as ferramentas multimídias presentes no SO Android customizadas para o Smartphone utilizado neste manual. É inegável o massivo uso destas ferramentas,

Leia mais

Instruções de instalação do software de edição e conexão EmbroideryEditor. Exclusivo para máquina de bordar MC500E

Instruções de instalação do software de edição e conexão EmbroideryEditor. Exclusivo para máquina de bordar MC500E Instruções de instalação do software de edição e conexão EmbroideryEditor Exclusivo para máquina de bordar MC500E Instruções para instalar o EmbroideryEditor Requisitos do sistema no computador: * Sistema

Leia mais

Evolution3.0. Manual do Utilizador

Evolution3.0. Manual do Utilizador Evolution3.0 Manual do Utilizador 1 Conteúdos Conteúdos... 2 Principais Características... 3 Requisitos de Sistema... 4 Instalar e Desinstalar a Aplicação... 5 Instalar... 5 Desinstalar... 8 Evolution

Leia mais

Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A

Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A 2 Digifort Mobile - Versão 1.0 Índice Parte I Bem vindo ao Manual do Digifort Mobile 1.0 5 1 Screen... Shots 5 2 A quem... se destina este manual 5 3 Como utilizar...

Leia mais

Manual Digifort Explorer Cliente de Monitoramento Versão 6.2.0.0 Rev. A

Manual Digifort Explorer Cliente de Monitoramento Versão 6.2.0.0 Rev. A Manual Digifort Explorer Cliente de Monitoramento Versão 6.2.0.0 Rev. A 2 Cliente de Monitoramento - Versão 6.2.0.0 Índice Part I Bem vindo ao Manual do Digifort Explorer 4 1 Screen... Shots 4 2 A quem...

Leia mais

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: APLICATIVO ANDROID PARA DEFICIENTES VISUAIS REDIGIREM MENSAGENS DE TEXTO NAS TELAS TOUCHSCREEN

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA TREINAMENTO EM INFORMÁTICA MÓDULO V

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA TREINAMENTO EM INFORMÁTICA MÓDULO V UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA TREINAMENTO EM INFORMÁTICA MÓDULO V MACAPÁ-AP 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO AO AutoCAD 2011

1 - INTRODUÇÃO AO AutoCAD 2011 1 - INTRODUÇÃO AO AutoCAD 2011 1.1- INTRODUÇÃO Este capítulo tem como objetivo principal familiarizar o usuário com a interface do AutoCAD 2011, isto é, a forma com a qual o usuário se comunica com o software

Leia mais

Manual. Rev 2 - junho/07

Manual. Rev 2 - junho/07 Manual 1.Desbloquear o software ------------------------------------------------------------------02 2.Botões do programa- --------------------------------------------------------------------- 02 3. Configurações

Leia mais

EXCENOMIC UMA FERRAMENTA DE AUXÍLIO À ANÁLISE DE INVESTIMENTO

EXCENOMIC UMA FERRAMENTA DE AUXÍLIO À ANÁLISE DE INVESTIMENTO . EXCENOMIC UMA FERRAMENTA DE AUXÍLIO À ANÁLISE DE INVESTIMENTO Eduardo Bonchristiani Filho (UNIFEI) bonchristiani@hotmail.com Leonardo Sousa de Albuquerque Lima (UNIFEI) leopara@yahoo.com.br Edson de

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados.

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Windows Menu Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Minimizar Fechar Maximizar/restaurar Uma janela é composta de vários elementos

Leia mais

Applets no Geogebra. Acesse os endereços dados a seguir e conheça exemplos de Applets. http://206.110.20.132/~dhabecker/geogebrahtml/index.

Applets no Geogebra. Acesse os endereços dados a seguir e conheça exemplos de Applets. http://206.110.20.132/~dhabecker/geogebrahtml/index. Applets no Geogebra Sonia Regina Soares Ferreira UFBA Applet é um software aplicativo que é executado no contexto de outro programa. Os applets geralmente tem algum tipo de interface de usuário, ou fazem

Leia mais

Manual de instalação e configuração da Ferramenta Android SDK

Manual de instalação e configuração da Ferramenta Android SDK Trabalho de Programação para Dispositivos Móveis Turma: 1011 Camila Botelho camilacunhabotelho@gmail.com Manual de instalação e configuração da Ferramenta Android SDK Introdução O Android é uma ferramenta

Leia mais

Manual Simulador de Loja

Manual Simulador de Loja Manual Simulador de Loja Índice Início Menu Loja Modelo Loja Modelo Menu Criar Minha Loja Criar Minha Loja Abrir Projeto Salvo Teste Seu Conhecimento 0 04 05 08 09 8 9 0 Início 5 4 Figura 00. Tela inicial.

Leia mais

ASTRONOMIA, O CÉU EM NOSSAS MÃOS UTILIZANDO O DS9

ASTRONOMIA, O CÉU EM NOSSAS MÃOS UTILIZANDO O DS9 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE DEPARTAMENTO DE FÍSICA ASTRONOMIA, O CÉU EM NOSSAS MÃOS UTILIZANDO O DS9 São Cristóvão SE 2013 Pré-requisitos Conhecimentos de informática básica. Objetivos Obter arquivos

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8 SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8 Desenvolver juntamente aos professores, alunos, equipe diretiva e demais participantes atividades que auxiliem no uso do aplicativo KlogoTurtle e KPresenter assim os

Leia mais

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 2 INTRODUÇÃO Esse documento contém as instruções básicas para a utilização do TabFisc Versão Mobile (que permite ao fiscal a realização do seu trabalho

Leia mais

Proibida a reprodução total ou parcial. Todos os direitos reservados 1 www.certificadodigital.com.br

Proibida a reprodução total ou parcial. Todos os direitos reservados 1 www.certificadodigital.com.br Proibida a reprodução total ou parcial. Todos os direitos reservados 1 Sumário 1. Instalação do Assistente do Certificado Digital Serasa Experian... 3 2. Instalando o Certificado Digital A3... 4 3. Teste

Leia mais

b 1 Copyright 2008-2012 In9 Mídia Soluções Digitais Inc. All rights reserved.

b 1 Copyright 2008-2012 In9 Mídia Soluções Digitais Inc. All rights reserved. b 1 Conteúdo Capítulo 1... 3 Instalando o Neonews... 3 Neonews no Linux... 6 Capítulo 2... 7 Configurando o NeoNews... 7 Capítulo 3... 13 Teclas de Atalho do NeoNews Player... 13 2 Capítulo 1 Instalando

Leia mais

Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP

Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Paulo Fernando da Silva psilva@senior.com.br Sérgio Stringari stringari@furbbr Resumo. Este artigo apresenta a especificação

Leia mais

TAP: Um aplicativo para auxílio à aprendizagem de língua estrangeira

TAP: Um aplicativo para auxílio à aprendizagem de língua estrangeira TAP: Um aplicativo para auxílio à aprendizagem de língua estrangeira Jefferson O. A. de Araujo 1, Francisco Madeiro 1, Annie L. B. de Moura 2, Rodrigo de S. Alves 1 1 Centro de Ciências e Tecnologia Universidade

Leia mais

V O C Ê N O C O N T R O L E.

V O C Ê N O C O N T R O L E. VOCÊ NO CONTROLE. VOCÊ NO CONTROLE. O que é o Frota Fácil? A Iveco sempre coloca o desejo de seus clientes à frente quando oferece ao mercado novas soluções em transportes. Pensando nisso, foi desenvolvido

Leia mais

PORTUGUÊS. Mesa Digitalizadora. Manual do Utilizador. Windows 2000 / XP / Vista

PORTUGUÊS. Mesa Digitalizadora. Manual do Utilizador. Windows 2000 / XP / Vista Mesa Digitalizadora Manual do Utilizador Windows 2000 / XP / Vista 1 I. Informação Geral 1. Visão Geral Bem-vindo ao mundo das canetas digitais! Irá descobrir que é muito fácil controlar o seu computador

Leia mais

Manual do usuário. Mobile Client

Manual do usuário. Mobile Client Manual do usuário Mobile Client Mobile Client Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para a sua instalação e operação e traz

Leia mais

SMART Ink 3.1 GUIA DO USUÁRIO PARA SISTEMAS OPERACIONAIS WINDOWS

SMART Ink 3.1 GUIA DO USUÁRIO PARA SISTEMAS OPERACIONAIS WINDOWS SMART Ink 3.1 GUIA DO USUÁRIO PARA SISTEMAS OPERACIONAIS WINDOWS Informações sobre marcas comerciais SMART Ink, SMART Notebook, SMART Meeting Pro, Pen ID, smarttech, o logotipo e todos os slogans da SMART

Leia mais

Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1

Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1 Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1 Esta adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10 abrange novas funcionalidades e outras alterações específicas ao ZoomText 10.1. Para obter instruções

Leia mais

Informática básica Telecentro/Infocentro Acessa-SP

Informática básica Telecentro/Infocentro Acessa-SP Informática básica Telecentro/Infocentro Acessa-SP Aula de hoje: Periférico de entrada/saída, memória, vírus, Windows, barra tarefas. Prof: Lucas Aureo Guidastre Memória A memória RAM é um componente essencial

Leia mais

SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ. 2 DICAS PEDAGÓGICAS:. 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO. 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD. 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO.

SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ. 2 DICAS PEDAGÓGICAS:. 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO. 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD. 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO. SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ... 2 DICAS PEDAGÓGICAS:... 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO... 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD... 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO... 3 PASSO 3 INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO... 4 CRIANDO NOVAS

Leia mais

Sistema irá modular até 32 câmeras: Você pode conectar de 1 até 32 câmeras.

Sistema irá modular até 32 câmeras: Você pode conectar de 1 até 32 câmeras. MANUAL DO SISTEMA Introdução Apresentação Requisitos mínimos Instalação do programa Acessando o Secullum DVR Tela Principal Indicador de espaço em disco Disposição de telas Status de Gravação Usuário atual

Leia mais

Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client?

Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client? Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client? Assim que abrir o DVR Client, no canto superior direito há um grupo de opções denominado Login, preencha de acordo

Leia mais

INFORMÁTICA WORD. TELA DO WORD Nome do Arquivo que esta sendo editado: Botão Office Diversos Textos Barra de Títulos Nome do programa: Microsoft Word

INFORMÁTICA WORD. TELA DO WORD Nome do Arquivo que esta sendo editado: Botão Office Diversos Textos Barra de Títulos Nome do programa: Microsoft Word WORD INTRODUÇÃO O MS Word é um editor de textos cujos recursos facilitam a criação de documentos, memorandos, cartas comerciais ou pessoais, enfim, tudo aquilo que se relaciona a texto. Até mesmo páginas

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Calculadora Virtual HP Prime

Calculadora Virtual HP Prime Calculadora Virtual HP Prime Número de peça HP: NW280-3002 Edição 2, fevereiro de 2014 Avisos Legais Este manual e os exemplos nele incluídos são fornecidos "tal como estão" e estão sujeitos a alteração

Leia mais