Luís Toscano, novo responsável pelo Millennium bcp na Suíça

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Luís Toscano, novo responsável pelo Millennium bcp na Suíça"

Transcrição

1 Ano 2 - N 13 - Novembro 2008 Distribuição gratuita Director: António Veloso Direcção: Postfach Hasliberg Hohfluh - T Luís Toscano, novo responsável pelo Millennium bcp na Abono de Família O abono de família aumenta já a partir de 1 de Janeiro de 2009 Pág. 11 Construção Civil Salários aumentam 2,4 por cento na construção Pág. 12 Ensino de português na Cerca de 153 professores e alunos espalhados por mais de 900 turmas, dispersas por todos os cantões da Pág. 13 Pensões flexíveis para todos Para o sindicato são razões de equidade, de saúde, com vantagens para o mercado de trabalho, de justiça Pág. 12 Entrevista No contexto da actual crise, aquilo que posso dizer é que Millennium bcp está sempre à disposição para qualquer esclarecimento que seja necessário. Pág. 8-9 Dinheiro debaixo do colchão Pág. 6/7

2 O Portuga 3 EDITORIAL Esperança Director: Colaboradores: Publicidade: Fotografia: Paginação: Internet: Impressão: Contactos: Tiragem: António Veloso Cristina Gameiro David Margarido Armando Miranda Rogério Sampaio Álvaro Oliveira Benjamim Ferreira Manuel Vasconcelos José Martinho Arlete Kaufmann Nuno Carvalho António Veloso Tel Álvaro Oliveira António Veloso Ricardo Michael Luís Veloso Tipografia Coraze O Portuga Dir. António Veloso Postfach Hasliberg Hohfluh Telefone: Fax: exemplares Todos os artigos assinados e opiniões avulso expressas em reportagem são da inteira responsabilidade dos seus autores, quer o seu conteúdo esteja ou não de harmonia com a linha de orientação deste jornal. O PORTUGA pretende ser uma tribuna plural de opinião e com direito a um diálogo constante dos mais diversos quadrantes da sociedade. O conteúdo das publicações são da inteira responsabilidade dos anunciantes. Pode receber o jornal O Portuga em sua casa Pode receber comodamente o jornal O Portuga em sua casa pelo período de 1 ano (12 números) por CHF Para tal preencha e envie o formulário abaixo. Nome Morada A América elegeu um presidente negro. A América mudou. A primeira afirmação é um facto; a segunda, parecendo sê-lo, pode não passar de uma percepção, mas há um sentimento de esperança que se ouve dos americanos, principalmente. Estas eleições tiveram um acompanhamento mundial, mais do que o habitualmente acontece com as eleições para presidente dos Estados Unidos. A corrida à Casa Branca teve nestas eleições uma maior importância, precisamente por coincidir com o mergulho do mundo na maior crise financeira das últimas décadas. Eleito o sucessor da governação de George W. Bush, ver-se-á a força do novo presidente americano a partir de Janeiro, quando Barack Obama oficializar a sua entrada na Casa Branca. Terá de provar que responde ao mundo. Por enquanto, duas palavras ganharam primazia: simbolismo e esperança. Ambas são indispensáveis em política, na economia e no quotidiano das pessoas Mas como o sistema caiu, também terá de haver, na prática, uma reacção e esse simbolismo e esperança durarão enquanto as pessoas mantiverem essa chama acesa. Terá de haver uma resposta para o mundo se levantar. Numa altura que parece que nem toda a gente não sabe ainda muito bem os efeitos da chamada crise financeira mundial é certamente um momento de grande reflexão nas nossas vidas. Sabermos avaliar os nossos valores, a nossa humildade, o que pretendemos e, sobretudo, para onde caminhamos. Mas é preciso estar alertas aos interesses e joguinhos, também no nosso burgo, por parte de alguns que se auto-denominam como poderosos. Estes temem a descida das bolsas. É que isto da chamada crise financeira já se provou que até os mais poderosos caem, sobretudo, quando se trata de pessoas gananciosas. Há casos recentes que comprovam isso mesmo. Pode ser tomada uma de três atitudes possíveis. De passividade, provavelmente a pior, de lamento ou de procurar formas de actuar e resolver o problema. O problema parece ser de difícil solução, mas continuo a dizer que é preciso acreditar e ter esperança. Até sempre! António Veloso Director BCE corta taxa de juro em 0,50% Economia -Crise financeira leva três bancos centrais a descer juros. Na Zona Euro, taxa pode voltar a cair no próximo mês Código postal Localidade País Telefone Enviar para: O Portuga Dir. António Veloso Postfach HasliBerg Hohfluh O PORTUGA é distribuído na por LUSOMEDIA Distribuidor em toda a da imprensa portuguesa Telefone: O banco Central Europeu no passado dia 7 de Novembro, voltou a cortar a taxa de juro na Zona Euro em 0,50%, para 3,25%. Esta foi a segunda descida dos juros em cerca de um mês e o presidente da instituição deixou em aberto novos cortes para Dezembro. Discutimos várias opções em relação à dimensão do corte de juros, disse o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, confirmando que esteve em cima da mesa um corte de 0,75%. Discutimos os prós e contras e decidimos unanimemente descer em 0,50%, revelou. Novos cortes. Salientando que não nos pré-comprometemos, Trichet afirmou que não excluo que podemos descer outra vez os juros. Disse que só depois de serem conhecidas novas projecções do Eurostat é que se pode colocar a hipótese de rever os nossos dados. Em Portugal, a reacção do ministro das Finanças não se fez esperar. A decisão é um alívio para as famílias portuguesas que DÊ-NOS A SUA OPINIÃO! têm créditos, afirmou Teixeira dos Santos. O governante sublinhou ainda, citado pela agência Lusa, que o corte nas taxas directoras do preço do dinheiro é um sinal de que as iniciativas concertadas que os governos europeus têm vindo a tomar estão a ser importantes no sentido de recapitalizar e dar garantias ao sistema financeiro. Descida.Mas não foi apenas O BCE que anunciou um corte nos juros, política também seguida na, onde os juros caíram para 2%. jornaloportuga.com

3 Ano 2 - N 13 - Novembro O Portuga Crise Financeira opinião Resido em Genebra há 17 anos e sou uma leitora atenta ao vosso jornal. Tenho uma pergunta a colocar que será uma dúvida que trespassa a generalidade da comunidade emigrante. Até que ponto esta crise poderá afectar a os trabalhadores portugueses na? Lurdes Silva - Genebra (GE) Comunidade de Bulle Sou membro de uma colectividade de Bulle e gostaria que se fosse desenvolvido pelo jornal O Portugal um trabalho sobre a nossa Comunidade. Já realizámos vários eventos ao longo do ano em prol da nossa comunidade, mas há outras organizações em Bulle como comissões de pais, a Missão Católica, entre outras, que também desenvolvem acções meritórias que mereciam um relevo público. Por isso acho que seria interessante fazerem um artigo em conjunto. Aproveito esta ocasião para saudar a vossa equipa por toda a informação que todos os meses chega à nossa colectividade, através do jornal O PORTUGA. Manuel Pais - Bulle (FR) Pedido de Informação A RECESSÃO MORAL por Benjamim Ferreira, Consultor O título não é meu, confesso, Li-o, algures, numa publicação diária, em terras de S. Paulo. Fixei-o na memória do dia porque me chamou a atenção. Conhecia a recessão económica, posso imaginar a recessão política de alguns partidos, atrevo-me a falar de recessão afectiva mas, Recessão Moral, não. Não me atreveria a falar dela mesmo quando acompanhava, alegre e distraidamente, as aventuras da bolsa e os desperdícios da energia. Nem dela me lembrei quando, face a notícias de jornais, deixei a pena à solta para escrever sobre os salários pornográficos de alguns senhores. Talvez essa minha atitude exalasse o cheiro de um moralismo ultrapassado; na minha profunda convicção, com a verdade e justiça do meu lado, não consegui distinguir o escandaloso pecado mortal de salários sem sentido, do pecado venial da recessão moral. Não consegui distinguir a desmedida ambição de muitos investimentos financeiros com a sensata recomendação da mais simples prudência. Talvez tudo tenha começado aí: sem moral, não há economia ou sistema financeiro que resista. Ter-se um aumento de salário, por exemplo, porque houve um aumento de riqueza, é mais do que evidente. Ter-se um aumento de riqueza porque se mexeu na tabela de contas ou porque, uns senhores muito bem apresentados, disseram e escreveram que a aquela empresa era a melhor da cidade, da província, do país e da galáxia, já não é tão evidente. Ter-se um aumento de tudo (salário, benesses e mordomias) porque as contas bateram certinho, porque alguém comprou a dívida ou porque se reassegurou o crédito, isso aí é muito, muito pouco evidente. Rotura económica Armando de Miranda Engenheiro Nas cidades as folhas caducas que o vento traz ao nosso encontro lembram-nos o início do Outono, nos campos o tempo das vindimas em toda a grande bacia do mediterrâneo. Olhamos o futuro com a preocupação de uma situação de rotura económica que se adivinha dramática para muitos de nós que corremos o risco de perder trabalho, casa e protecção Tal como as moedas também os dias difíceis trazem consigo uma outra face oposta de oportunidade de reagirmos com aquilo que temos de melhor. Aprendemos mais com o sofrimento do que com a alegria e é nestes momentos de mudança profunda e generalizada que temos a grande oportunidade de ascender à vanguarda como país. A necessidade aguça o engenho e Portugal caminha a passos ousados e firmes para a vanguarda na utilização das melhores tecnologias disponíveis. Neste oceano da informação, que está mesmo aqui à nossa frente e, que vimos descobrindo de há duas décadas a esta parte, navegam por gosto a maioria dos novos portugueses. Todos temos vários talentos que podemos observar na satisfação com que o seu desempenho nos premeia. Ao fazermos aquilo de que gostamos, primeiro fazemos bem e segundo parece que nunca nos cansamos! É nesta liberdade que temos de virmos construindo cada vez mais carreiras profissionais associadas ao gosto por aquilo que fazemos que a qualidade do desempenho português se está a afirmar com sucessos surpreendentes e muitas vezes inesperados pelos próprios. Somos modestos e muito diplomatas, faz parte da nossa cultura, o que nos diferencia e nos faz sentir historicamente muito à vontade no mercado global banhado por esse imenso oceano da informação. Nas novas localizações dos pólos de desenvolvimento mundial, os portugueses mostram capacidade de expansão integrando a cultura local e formando conhecimento. Somos apreciados pelas novas competências e partilhamos solidariamente o sucesso. Cada vez sentimos mais confiança nas nossas relações transatlânticas que nos auguram um futuro surpreendente. Não resisto a citar o escritor João Guimarães Rosa, autor de Grande Sertão: Veredas, para quem Amor é futuro à vista. Opinião do leitor 5 OPINIÃO Caro leitor, este espaço é seu. Para o envio das cartas pode optar pelo correio electrónico: por fax: , ou correio postal: Postfach 108, 6083 Hasliberg Hohfluh (BE). O Jornal O PORTUGA reserva - se o direito de resumir as cartas por razões de espaço e de autorizar a publicação. Pode pedir o anonimato, mas deve indicar sempre o nome, a morada e também o telefone, para o caso de ser necessário algum esclarecimento. Estou na há cerca de 2 anos, tenho 23 anos e estou grávida de 2 meses. Há pouco tempo assinei um contrato de trabalho com um hotel mas não disse que estava grávida e vou começar a trabalhar no dia 12 do próximo mês de Dezembro. Será que nessa altura, quando eu disser ao patrão que estou grávida ele terá direito a despedir-me por não o ter informado da situação que me encontro? Obrigada pela atenção, desejando felicidades para todos. Dê-nos a sua opinião! Anónima - Thun (BE) jornaloportuga.com A sua opinião conta! Participe, elogie, denuncie e partilhe as suas opiniões... Escreva-nos para: O Portuga Dir. António Veloso Postfach HasliBerg Hohfluh Telefone: Fax Mas, ter como garantia de um empréstimo, as dívidas de um grupo de clientes, as declarações de dívida de um conjunto de empresas ou, ainda, as dívidas ao fisco, isso é pura especulação económica e suicídio financeiro. Todas essas coisinhas juntas deram aquilo em que nos encontramos hoje: a desgraça de muita gente, a brusca queda do mercado de trabalho, a desaceleração da economia, o congelamento de salário, a queda ainda maior do poder de compra, o aumento espectacular das taxas de juro, a praga do endividamento e uma extraordinária lição de humildade a muita gente. Tudo isso pôs a economia a andar de muletas. Ainda mexe, mas não corre. Ainda murmura, mas já não fala. Agora que as mãos estão a arder, espero bem que a maioria dos senhores responsáveis pela gestão de dinheiros e de pensões tenham aprendido qualquer coisa. Espero que tenham aprendido que os salários devem corresponder a uma riqueza real e não a uma especulativa projecção de resultados. Espero que tenham aprendido que a distribuição de dividendos não pode ser a única força motora da economia, das relações de trabalho e das agendas dos Conselhos de Administração da maioria das empresas. Um só exemplo, apesar de simplista, para explicar como o delírio financeiro foi virtude salarial, em determinadas actividades e pecado mortalíssimo, noutras profissões: Já imaginaram o salário da uma empregada de caixa calculado em função do hipotético aumento do volume de vendas, projectado para todo o ano? Pecado mortal. Foi isto, mais ou menos, o que aconteceu com a economia, com os salários dos senhores dos bancos e das bolsas. E para que isso fosse possível, meteram-se em negócios como quem joga à roleta russa.. Delírio financeiro. Algum dia, o azar havia bater à porta. Aconteceu agora: a ausência de princípios, a fé cega nas leis de mercado, a ganância sem nome, numa palavra, a recessão moral dos últimos anos, provocou o desastre dos dias de hoje.

4 Ano 2 - N 13 - Novembro DINHEIRO DEBAIXO DO COLCHÃO na minha rua mas que têm alguma coisa a ver com tudo o que se tem vivido nos últimos meses. Um deles dá pelo nome de John Maynard Keynes, inglês, do século XIX, nascido em 1883 e homem muito importante no pensamento da economia moderna. O Outro chama-se Adam Smith, nasceu no século XVIII, mais propriamente no ano de 1723, escocês, e disse coisas muito interessantes sobre A Riqueza das Nações. Este senhor Smith teve um seguidor importante, mesmo muito importante, bem mais próximo dos nossos dias, chamado Milton Friedman, americano, falecido há cerca de 2 anos. Este senhor Friedman, se fosse vivo, deveria ter as orelhas a arder e a fumegar por todas as acusações que lhe atiramos à cara e por todos os desvarios cometidos nos últimos anos. Coitado do senhor, que, assim o espero, deve descansar em paz desde Não sei se o senhor Friedman poderá ser acusado de todos os males do planeta financeiro e de todas as asneiras cometidas em seu nome. Mas sei que as suas teorias financeiras e as suas teorias económicas, estruturadas a partir do pensamento do seu mentor, o tal Sr. Smith foram as que se impuseram e predominaram na análise e nas práticas financeiras e económicas dos últimos 25 anos. Chamam a isso liberalismo económico ou, o que acentua ainda mais as cores do quadro negro que vivemos, ultraliberalismo. Se o senhor Smith (com o Sr. Friedman como seguidor) é considerado o pai da ciência económica moderna e do liberalismo económico, o senhor Keynes é considerado o pai do intervencionismo económico, defensor de um Estado moderado com funções claramente definipor Benjamim Ferreira, Consultor 1 OS DINHEIROS DE SEMPRE Vamos brincar ao dinheiro, às coisas do dinheiro e da economia, como quem fala de coisas sérias. Mesmo muito sérias e fundamentais, para todos nós. Vamos tentar falar do que aconteceu ao mundo financeiro, nestas últimas semanas dos meses de Setembro e Outubro. Vamos tentar compreender por que é que os políticos andam a correr de um lado para o outro, por que é que alguns bancos estão à rasquinha (o caso da UBS, por exemplo), porque é que os juros não param de subir, por que é que, cada vez, podemos comprar menos coisas com o mesmo dinheiro. Numa palavra só, por que é que os senhores da cúpula, aqueles que podem e mandam, aqueles que decidem quem ganha mais, quem ganha menos ou quem ganha milhões, nos apanharam a massa quase toda? Porque é que não deixámos o dinheirinho debaixo do colchão à espera de melhores dias? Esses senhores e senhoras andaram em requintadíssimas manobras de sedução durante cerca de 3 décadas: foram empréstimos e juros baixos, créditos para a casa, para o carro, para a cama, para o colchão, apoios financeiros a pequeninos, a pequenos, a medianos, a grandes e a grandessíssimos empresários; foram alianças com anjos e demónios; foram ganhos muito mais do que aqueles que ganham os frequentadores das máquinas dos casinos. E agora, quando a tempestade chegou, abandonaram o barco como quem é apanhado em flagrante delito de violação. Andaram a namorar o planeta com palavrinhas mansas e mensagens lindíssimas para deixarem, agora, as namoradas e as amantes penduradas, em desespero permanente. Paixões de conveniência, pois! Vejamos como é que o filme foi feito. 2- AS VIRTUDES DAS PAIXÕES É importante afirmar, antes de mais nada, que todas as relações amorosas são virtuosas. Como as amantes. Como os amantes. Como as paixões. Como os bancos. Como a bolsa. Como o dinheiro. São as virtudes da presença, a persistência da relação, o impulso da acção e a compulsão da despesa. São, também, a ilusão da facilidade, a desmemória das contas e a agilidade dos argumentos. São, ainda, os cansaços do consumo, os consumos excessivos e os excessos de tudo. Pensem, dois minutos, no que fizeram os bancos e tantas empresas de serviços e produtos, durante estes últimos anos. Pensem, sobretudo, se a memória lhes sobrar, como faziam, particularmente, em Portugal quando emprestavam dinheiro para férias, caros de luxo e finsde-semana de sonho. Pensem nos bancos quando propunham créditos como quem distribui a bênção do Senhor. Pensem neles quando nos tratavam com a gentileza de uma donzela e nos convidavam com a leveza de uma adolescente: nem a Santa Madre Igreja da minha infância fora, algures, tão generosa, clarividente, previdente e sensata. Com esmolas deste tamanho, alguém deveria desconfiar. Mas nem sequer um santo dos pequeninos espevitou o olhar e arregaçou as calças, diante de tanta mentira. Mentiras santas, diria. Mentirinhas em papel brilhante e em sorriso sedutor. E as empresas de consumo? E os equipamentos electrónicos? E os apartamentos caríssimos? E os carros da última geração? E as mobílias em madeira exótica? E as festas dos namorados? E outras festas quaisquer? E os presentes de Natal? E se é fácil pôr o dedo acusador em insnhos, projectos e algumas economias) no bolso de cada um ou debaixo do colchão. Instalou-se a desconfiança e apareceram os ciúmes. 3- OS RESPONSÁVEIS POR TUDO ISTO Há dois senhores que nunca moraram tituições e empresas de todo o género, não nos podemos esquecer da responsabilidade (ou irresponsabilidade) de cada cidadão quando se atirava, de cabeça, para novo empréstimo, novo prazer e nova tortura: sadismo e masoquismo financeiro. Agora, acabados que são os segredos de alcova, agora que apareceram as verdades, zangaram-se as comadres. Ninguém acredita em ninguém; ninguém empresta a ninguém; ninguém compra, vende, promete e investe. Fica tudo (so- das, capaz de relançar o crescimento e o consumo mediante o equilíbrio entre as leis da oferta e da procura. Se o senhor Smith e o seu amigo Fredman são o diabo, o senhor Keynes é um anjo: muito fácil para ser verdade, tanto uma como outra afirmação. 4- O QUE É QUE DISSERAM ESTES SE- NHORES Estes dois senhores disseram coisas muito importantes que condicionaram e orientaram as escolhas económicas e financeiras dos últimos anos. Ou seja, dito de outro modo, estes dois senhores são os criadores de dois modelos diferentes de fazer, dizer, viver e decidir em termos económicos e financeiros. Isto implica, logicamente, que estes dois senhores são inspiradores, profetas e messias de modelos sociais bem diferentes. Vejamos o que disseram e que modelos económicos criaram. A partir daquilo que eles disseram e criaram é mais fácil compreender o que dizem os jornais e a situação na qual nos encontramos. O senhor Smith, disse, entre muitas coisas bonitas e certinhas, estas: O capitalismo é o estado natural das relações sociais. O motor do progresso é deixar as coisas ao sabor das leis do mercado. Uma mão invisível guia o mercado para a eficiência. Se fosse mesmo assim, ou quase assim, muitas famílias americanas, obrigados a abandonar as suas casas, ainda lá estariam a viver. Tiveram que abandoná-las porque deixaram de ter dinheiro suficiente para pagar as prestações exigidas pelos bancos. E os bancos tiveram que aumentar as taxas de juro porque o reembolso do dinheiro emprestado não dava para a amortização do capital. E o capital não chegava porque os investimentos feitos em acções foram um desastre. E o desastre aconteceu porque os consumidores das acções perderam a confiança no mercado e nos bancos. E os bancos não emprestaram mais dinheiro porque perderam a confiança entre eles... uma roda viva de coisas, todas elas muito virtuais, que provocaram o desabar de algumas certezas económicas devido a muitas irresponsabilidade de gestão. Por isso mesmo, e porque o estado natural das relações sociais não pode ser o capitalismo, os governos andam todos a correr para apagarem o fogo provocado pela irresponsabilidade de muitos senhores, muito importantes. Por isso mesmo, houve falências, aflições, fuga de capitais e ameaças em levar gente ao banco dos réus. O Presidente francês, por exemplo, não se cansa de dizer que os responsáveis devem ser julgados pelos actos cometidos. Como conclusão, as teorias e as práticas económicas e financeiras inspiradas pelo senhor Smith e pelo seu amigo Friedman, são as grandes responsáveis pelas situações em que nós estamos: simplificando o pensamento destes senhores, digamos que tudo é bom desde que dê lucro! Não isto o que vivemos? Não é isto o que queremos? E o que é que disse o nosso amigo Keynes? O Estado só deve intervir quando for necessário regular e regulamentar o crescimento económico e as relações entre as forças económicas e produtivas. O intervencionismo do Estado tem os limites naturais das leis de mercado: quando tudo estiver equilibrado, o Estado deve assumir o seu papel de espectador (liberalismo intervencionista). É indispensável introduzir atitudes racionais na economia e nas relações económicas. CONCLUSÃO Não pode haver liberalismo económico sem justiça social. A justiça social não será respeitada e seguida se for só o mercado a ditar e a impor as suas próprias leis: consumo, concorrência, concentração empresarial, salários, globalização e muitas coisas mais que fazem parte do nosso quotidiano. Cada vez que puxamos da carteira há qualquer coisa bem complexa por de trás do produto a pagar: na produção do bem a consumir, no investimento para o produzir, na logística para o transportar e conservar, no preço proposto e na embalagem, por exemplo. Vivemos um momento histórico importante que vai deixar marcas e memórias. Como sempre, os mais fortes e os mais ricos sair-se-ão desta situação com um sorriso nos lábios e com uns milhões de francos a mais na conta bancária. Mas nada vai continuar como a dantes. Vejamos o que disseram os autores americanos do livro O Choque do Futuro publicado em 1970 Alvin e Heidi Toffler há dias, em texto publicado numa revista brasileira: Só a História nos permite identificar como as mudanças tecnológicas, económicas, sociais e culturais estão entrelaçadas e se influenciam mutuamente. Ou seja, o nosso olhar sobre o passado pode dar forma ao presente de hoje, darlhe sentido e serenidade deixando que o futuro se construa e apareça mais cedo. Mas, desta vez, o futuro apareceu cedo demais. Mesmo com um futuro mais à mão, acabou-se a economia virtual. A economia real, a das coisas, a dos produtos, a do trabalho sério e produtivo, aquela que se parece, um pouco mais, com a economia do tempo dos nossos avós, está de volta. Dê-nos a sua opinião! Bem vistas as coisas, o senhor Keynes teve assento em muitos conselhos de Ministros e em muito programas políticos de partidos que estiveram no poder, durante os últimos anos. A economia, o funcionamento económico e as acções que lhe estão associadas, são actividades indispensáveis ao funcionamento e à coesão social. Mas elas só têm sentido se tiverem em conta princípios importantes ligados aos direitos e garantias dos cidadãos: igualdade de oportunidades, repartição equitativa da riqueza, protecção dos mais fracos, acesso a serviços universais e, se possível, gratuitos, justiça e muitos outros. jornaloportuga.com

5 Ano 2 - N 13 - Novembro Grande Entrevista Grande Entrevista 9 PERFIL Fazer mais e melhor Dr. Luís Toscano Representante - Millennium BCP Nome: Luís Miguel Toscano Carneiro Função que exerce no Banco Millennium bcp: Responsável local pelo mercado da Suiça Assumiu funções em: 1 de Setembro de 2008 Idade: 37 Naturalidade: Porto Estado civil: Casado, 2, de 10 e 6 anos Empresa: Millennium bcp Formação Académica: Economia + Pos graduação em Investigação Operacional Grande Entrevista António Veloso Redactor De que forma está a viver o processo de integração numa nova realidade social e cultural? É sempre um pouco complicado para uma família entrar numa nova realidade. Há que aprender uma série de coisas, que se calhar nem mereciam a nossa atenção tal era o hábito com que as vivíamos No entanto, a comunidade portuguesa aqui na não só é muito numerosa como é bastante activa. É muito fácil encontrar alguém que fala a nossa língua em qualquer serviço que precisemos Numa altura em que toda a gente fala da chamada crise financeira, que esta a passar por uma grande turbulência e que já esta a ter um impacto negativo na economia real, o jornal O PORTUGA esteve à conversa com o Dr. Luís Toscano, novo responsável pelo Millenium bcp na. Entrou para a banca em 1995, para uma área de controlo de gestão onde, entre outras coisas, era responsável pela prestação de informação de controlo ao Banco de Portugal. Depois as oportunidades foram-lhe surgindo sempre dentro de áreas muito técnicas, como o departamento de risco de crédito de empresas, em 1997, o núcleo de apoio técnico (objectivos e orçamento) em 2001, a unidade de animação comercial (marketing interno) em 2002, a Unidade de planeamento e controlo orçamental em 2003 e a Direcção de Informação de Gestão (áreas comerciais) em É em 2007 que surge a primeira oportunidade de desempenhar funções na área comercial, primeiro em Oliveira de Azeméis e depois em Cabeçais (Arouca), onde estava quando lhe foi feito este convite. e é também fácil encontrar restaurantes, cafés, supermercados portugueses, o que ajuda bastante a matar as saudades. A imprensa escrita e a rádio ajudam também a manter uma sensação de proximidade que é muito importante. Quais os principais desafios a que tem que fazer frente neste novo cenário? A nível profissional o desafio de quem está nesta casa (Millennium bcp) é sempre o mesmo: fazer mais e melhor pelo cliente. E isto implica, nesta situação, conhecer as pessoas, conhecer as comunidades, estar perto nos momentos importantes da vida das pessoas e da actividade das muitas associações. No fundo, os desafios aqui são os mesmos que temos que vencer no mercado doméstico. O sistema financeiro português é seguro. Dizemos nós, diz o governo, diz o próprio FMI no seu último relatório. Os bancos portugueses estão seguros mas também financeiras de que o sistema português não sofreria com o impacto desta crise. Importa referir que os nossos bancos não estavam directamente expostos aos produtos financeiros que agora se chamam tóxicos. A comunidade portuguesa está a viver momentos de alguma ansiedade por causa da falta de confiança que se gerou, mas esse é um sentimento que está a esmorecer e a dar lugar novamente à segurança. Que prognósticos arriscaria fazer sobre o futuro da economia nos próximos anos? Há quem diga que os economistas são muito bons mas é a prever o passado A economia sempre funcionou por ciclos. Ora cresce mais, ora abranda um pouco. Neste momento, vivemos um período de abrandamento, que se sente mais nuns países do que noutros. Se é certo que depois de um ciclo pior vem sempre um ciclo melhor, já é mais difícil dizer exactamente quando. Ainda assim, estou certo de que grande parte dos problemas se vão atenuar rapidamente assim que as pessoas voltarem a confiar no sistema financeiro e as relações comerciais voltem ao normal. Para terminar gostaria de deixar uma mensagem para a comunidade portuguesa? No contexto da actual crise, aquilo que posso dizer é que Millennium bcp está sempre à disposição para qualquer esclarecimento que seja necessário. Qualquer dúvida que as pessoas tenham pode (e deve) ser esclarecida junto dos nossos profissionais. No que diz respeito à comunidade, o apoio do banco às iniciativas é e será sempre uma constante pois queremos contribuir para que a comunidade portuguesa se mantenha viva e activa como até aqui. Qual a função dos escritórios de representação do Millennium bcp na? Apoiar os nossos clientes, actuais e futuros em todas as suas necessidades financeiras. O envio de dinheiro gratuitamente para Portugal e a sua aplicação são uma parte fundamental do apoio que prestamos aqui. Nos nossos escritórios (Genebra, Lausane, Zurique) os clientes podem resolver todos os assuntos, esclarecer todas as dúvidas e conhecer todas as soluções financeiras que temos para oferecer. Apenas não é possível levantar ou depositar dinheiro. Para além dos vossos escritórios de Representação, que outras formas existem de contacto com a Comunidade? Existe, para além dos escritórios, uma rede de promotores comerciais que ajuda os clientes no seu relacionamento com o banco, seja na abertura de conta seja no pedido de cartões ou na simples actualização da morada. Os clientes têm ainda à disposição os canais de proximidade, como sejam o atendimento telefónico (call center) ou a internet onde podem realizar inúmeras transacções e consultas de forma cómoda, simples e segura. Que serviços oferece o millenniumbcp aos seus clientes? O Millennium bcp é um banco de serviço completo. Todas as necessidades financeiras (e de seguros) podem ser asseguradas por nós. Todas as contas estão em Portugal e não na, pois actuamos aqui em representação do Banco Português. Nas comunidades de emigrantes, o serviço mais procurado é o envio de fundos (que é gratuito para qualquer beneficiário) e a sua aplicação. Nesta época de incerteza os nossos clientes têm apostado bastante nos nossos produtos SEM QUALQUER RISCO, o que tem muito a ver com a actual crise. Neste momento um assunto que faz manchete em toda a imprensa a nível mundial é a crise financeira. Até que ponto esta crise afecta também a comunidade portuguesa aqui na Suiça? Dado o clima de alarmismo que se criou, a comunidade está, como é normal, receosa. Devo dizer que o sistema financeiro português é seguro. Dizemos nós, diz o governo, diz o próprio FMI no seu último relatório. Os bancos portugueses estão seguros. Foram dadas garantias políticas

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012 NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Nome da Equipa GMR2012 Alexandre Sousa Diogo Vicente José Silva Diana Almeida Dezembro de 2011 1 A crise vista pelos nossos avós

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 22

Transcrição de Entrevista n º 22 Transcrição de Entrevista n º 22 E Entrevistador E22 Entrevistado 22 Sexo Masculino Idade 50 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Conhece os teus Direitos A caminho da tua Casa de Acolhimento Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E

Leia mais

Descontar para a reforma na Suíça e a sua situação em caso de divórcio em Portugal

Descontar para a reforma na Suíça e a sua situação em caso de divórcio em Portugal Descontar para a reforma na Suíça e a sua situação em caso de divórcio em Portugal 1. Fundamento A reforma na Suíça apoia se em três pilares, a saber a AHV ("Eidgenössische Invaliden und Hinterlassenenverswicherung"

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012 1. Pela 12 ª vez relatamos atividades e prestamos contas. Este é dos actos mais nobres de um eleito, mostrar o que fez, como geriu o dinheiro dos cidadãos, dar transparência à governação. Constitui um

Leia mais

Senhor Presidente. Senhor Presidente,

Senhor Presidente. Senhor Presidente, Intervenção proferida pelo Deputado Clélio Meneses aquando da discussão do Plano e Orçamento para 2012. Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente, Senhora e Senhores Membros do

Leia mais

NOS@EUROPE. Anexo I. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Gestoras Escola Secundária com 3º CEB do Fundão

NOS@EUROPE. Anexo I. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Gestoras Escola Secundária com 3º CEB do Fundão Anexo I NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Gestoras Escola Secundária com 3º CEB do Fundão Ana Maria Ribeiro da Cruz Diana Patrícia Henriques Fernandes Joana Catarina

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs)

Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs) Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs) AS COMUNICAÇÕES ENTRE ADVOGADO E CLIENTE SÃO ESTRITAMENTE CONFIDENCIAIS Este documento destina-se a abordar questões que possam surgir no decurso

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais

GOVERNO UTILIZA EMPRESAS PUBLICAS PARA REDUZIR O DÉFICE ORÇAMENTAL, ENDIVIDANDO-AS E ARRASTANDO-AS PARA A SITUAÇÃO DE FALENCIA TÉCNICA

GOVERNO UTILIZA EMPRESAS PUBLICAS PARA REDUZIR O DÉFICE ORÇAMENTAL, ENDIVIDANDO-AS E ARRASTANDO-AS PARA A SITUAÇÃO DE FALENCIA TÉCNICA GOVERNO UTILIZA EMPRESAS PUBLICAS PARA REDUZIR O DÉFICE ORÇAMENTAL, ENDIVIDANDO-AS E ARRASTANDO-AS PARA A SITUAÇÃO DE FALENCIA TÉCNICA RESUMO DESTE ESTUDO Os principais jornais diários portugueses divulgaram

Leia mais

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA --- EMBARGO DE DIVULGAÇÃO ATÉ ÀS 21:00 HORAS DE 01.01.13 --- Palácio de Belém, 1 de janeiro de 2013 --- EMBARGO DE DIVULGAÇÃO ATÉ ÀS 21:00

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto.

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. <Os Inovadores> <Escola Profissional Atlântico> NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Dezembro de 2011 1 A

Leia mais

Apresentação e Discussão do Orçamento Retificativo para 2012

Apresentação e Discussão do Orçamento Retificativo para 2012 Apresentação e Discussão do Orçamento Retificativo para 2012 Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados A proposta do Orçamento

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt São Paulo-SP, 05 de dezembro de 2008 Presidente: A minha presença aqui

Leia mais

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO Por que ler este livro? Você já escutou histórias de pessoas que ganharam muito dinheiro investindo, seja em imóveis ou na Bolsa de Valores? Após ter escutado todas essas

Leia mais

05/12/2006. Discurso do Presidente da República

05/12/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, no encerramento da 20ª Reunião Ordinária do Pleno Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Palácio do Planalto, 05 de dezembro de 2006 Eu acho que não cabe discurso aqui,

Leia mais

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo 1 INTRODUÇÃO O Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas em colaboração com o Secretariado Entreculturas elaborou esta brochura

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

O jardim de infância. Informações destinadas aos pais. na região de língua alemã do cantão de Berna. Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna

O jardim de infância. Informações destinadas aos pais. na região de língua alemã do cantão de Berna. Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna O jardim de infância na região de língua alemã do cantão de Berna Informações destinadas aos pais Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna Ficha técnica: Edição e Copyright: Direcção da Instrução

Leia mais

introdução Olá, eu chamo-me Paulo Rebelo e sou apostador profissional.

introdução Olá, eu chamo-me Paulo Rebelo e sou apostador profissional. introdução Olá, eu chamo-me Paulo Rebelo e sou apostador profissional. O ensino é uma das minhas paixões, pois é muito gratificante poder transmitir aos meus alunos a experiência que adquiri ao longo de

Leia mais

MANIFESTO. A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa

MANIFESTO. A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa QUEM SOMOS NÓS? MANIFESTO A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa Somos adultos que participam em acções de alfabetização oriundos da Bélgica, França, Alemanha, Irlanda, Holanda,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 54 CAPA www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 CAPA 55 ENTREVISTA COM PAULO VARELA, PRESDIDENTE DA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGAL ANGOLA O ANGOLA DEVE APOSTAR NO CAPITAL HUMANO PARA DIVERSIFICAR

Leia mais

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista.

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista. Tínhamos acabado de jantar. Defronte de mim o meu amigo, o banqueiro, grande comerciante e açambarcador notável, fumava como quem não pensa. A conversa, que fora amortecendo, jazia morta entre nós. Procurei

Leia mais

Desigualdades criam dificuldades à sustentabilidade da Segurança Social Pág. 1

Desigualdades criam dificuldades à sustentabilidade da Segurança Social Pág. 1 Desigualdades criam dificuldades à sustentabilidade da Segurança Social Pág. 1 A ELIMINAÇÃO DA DESIGUALDADE DAS REMUNERAÇÕES ENTRE HOMENS E MULHERES EM PORTUGAL MELHORARIA A REPARTIÇÃO DA RIQUEZA E A SUSTENTABILIDADE

Leia mais

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. Eu quero não parar coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - de consigo.o usar que eu drogas f o? aç e Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

Declaração ao país. António José Seguro. 19 de Julho de 2013. Boa tarde. Durante esta semana batemo-nos para que:

Declaração ao país. António José Seguro. 19 de Julho de 2013. Boa tarde. Durante esta semana batemo-nos para que: Declaração ao país António José Seguro 19 de Julho de 2013 Boa tarde. Durante esta semana batemo-nos para que: Não houvesse mais cortes nas reformas e nas pensões Não houvesse mais despedimentos na função

Leia mais

Proposta de Lei da Imigração Inovações que mudam a vida das pessoas

Proposta de Lei da Imigração Inovações que mudam a vida das pessoas da Imigração Inovações que mudam a vida das pessoas Fui expulso, mas tenho um filho menor a cargo a viver em Portugal. Podem recusar-me a entrada? Sim. A residência de filhos menores em Portugal é apenas

Leia mais

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Em primeiro lugar gostaria de expressar o meu agradecimento

Leia mais

Senhor Embaixador dos Estados Unidos da América, Exmo. Senhor Presidente do Conselho de Administração da Oeiras International School,

Senhor Embaixador dos Estados Unidos da América, Exmo. Senhor Presidente do Conselho de Administração da Oeiras International School, Senhor Embaixador dos Estados Unidos da América, Excelência, Exmo. Senhor Presidente do Conselho de Administração da Oeiras International School, Exma. Senhora Directora da Oeiras International School,

Leia mais

Educação Financeira PASSATEMPOS. O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA. Diretox Dominox caça-palavra

Educação Financeira PASSATEMPOS. O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA. Diretox Dominox caça-palavra Educação Financeira O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA PASSATEMPOS Diretox Dominox caça-palavra 2 O Paraná Banco propõe um desafio consciente a você! O Paraná Banco,

Leia mais

GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE

GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Doença Profissional Prestações por Morte (N13 v4.06) PROPRIEDADE

Leia mais

Entrevista com Tetrafarma. Nelson Henriques. Director Gerente. Luísa Teixeira. Directora. Com quality media press para Expresso & El Economista

Entrevista com Tetrafarma. Nelson Henriques. Director Gerente. Luísa Teixeira. Directora. Com quality media press para Expresso & El Economista Entrevista com Tetrafarma Nelson Henriques Director Gerente Luísa Teixeira Directora Com quality media press para Expresso & El Economista Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As

Leia mais

4. Síria. Repressão aumenta e EUA agravam sanções (págs. 1 e 14)

4. Síria. Repressão aumenta e EUA agravam sanções (págs. 1 e 14) RESUMO DE IMPRENSA Domingo, 01 de Maio de 2011 PÚBLICO (DOMINGO, 01) 1. Uma multidão em nome de João Paulo II. A beatificação de um papa obscurantista, ou do obreiro de um renascimento católico? (manchete,

Leia mais

Técnicas de fecho de vendas

Técnicas de fecho de vendas Técnicas de fecho de vendas Índice Estratégias para a conversão de prospectos em clientes... 3 Algumas estratégias e técnicas de fecho de vendas... 4 Recolha de objecções... 4 Dar e depois 5rar o rebuçado

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais!

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Por Rafael Piva Guia 33 Prático Passos para criar Ideias de Negócio Vencedores! Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Que bom que você já deu um dos

Leia mais

Neste e-book vamos esclarecer melhor como é feita essa transição financeira, quais os melhores investimentos para a aposentadoria, como você deve administrar os demais gastos, onde é possível cortar despesas

Leia mais

2 1,2 1,3 2,5 2 3,2 3 0,5-4,2 1,8 1,3% 1,9 0,9 0,8 2,2 1,7 3,1 2,9 0,4-4,1 1,8 1,16%

2 1,2 1,3 2,5 2 3,2 3 0,5-4,2 1,8 1,3% 1,9 0,9 0,8 2,2 1,7 3,1 2,9 0,4-4,1 1,8 1,16% A SITUAÇÃO ACTUAL É MAIS GRAVE DO QUE EM 1977/78 E EM 1983/84 POR PORTUGAL PERTENCER À ZONA EURO E NESTA DOMINAR UMA POLITICA NEOLIBERAL DE SUBMISSÃO AOS MERCADOS. Um erro grave é confundir a situação

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

Com inflação e juros em alta, hora de fazer 'ajuste fiscal' em casa

Com inflação e juros em alta, hora de fazer 'ajuste fiscal' em casa Veículo: O Globo Data: 07/09/15 Com inflação e juros em alta, hora de fazer 'ajuste fiscal' em casa Em tempos de desaceleração da economia e inflação e juros em alta, a cada mês as famílias se deparam

Leia mais

5 Conversas à volta da Motivação

5 Conversas à volta da Motivação 5 Conversas à volta da Motivação SOFRE DA SÍNDROME DO CACHORRINHO? 2 Que limites impõe a si próprio? 1 Um#dos#problemas#que#mais#encontro#nas#vendas#de#hoje#em#dia#quando#trabalho#com# as#equipas#em#termos#de#formação#e#coaching#comercial#tem#a#ver#com#a#síndrome#do#

Leia mais

AJUDA DE MÃE. APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT)

AJUDA DE MÃE. APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT) AJUDA DE MÃE APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT) Objectivos: Informar, apoiar, encaminhar e acolher a mulher grávida. Ajudar cada

Leia mais

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #6 Eu Posso com a s fazer próprias justiça mãos? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

Dos documentos que se seguem quais os necessários para abrir uma conta num banco?

Dos documentos que se seguem quais os necessários para abrir uma conta num banco? Quais as principais funções de um banco? A Captar depósitos e gerir a poupança dos seus clientes. B Conceder empréstimos a empresas, particulares e ao Estado. C Disponibilizar meios e formas de pagamento

Leia mais

Bruxelas, 3 de Dezembro de 1980. Sr. Vice-Primeiro-Ministro:

Bruxelas, 3 de Dezembro de 1980. Sr. Vice-Primeiro-Ministro: Decreto n.º 143-A/80 Acordo, por troca de cartas, entre a República Portuguesa e a Comunidade Económica Europeia Relativo à Implementação de Uma Ajuda Pré-Adesão a Favor de Portugal O Governo decreta,

Leia mais

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com Clínica Maló Paulo Maló CEO www.clinicamalo.pt Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas que aqui figuram em linguagem

Leia mais

Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer a todos, que se disponibilizaram, para estar presentes nesta cerimónia.

Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer a todos, que se disponibilizaram, para estar presentes nesta cerimónia. Cumprimentos a todas as altas individualidades presentes (nomeando cada uma). Caras Colegas, Caros Colegas, Minhas Senhoras, Meus Senhores, Meus Amigos Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer

Leia mais

Teste sua empregabilidade

Teste sua empregabilidade Teste sua empregabilidade 1) Você tem noção absoluta do seu diferencial de competência para facilitar sua contratação por uma empresa? a) Não, definitivamente me vejo como um título de cargo (contador,

Leia mais

PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil

PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários

Leia mais

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Uma Cidade para Todos Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal

Leia mais

coleção Conversas #14 - outubro 2014 - e r r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #14 - outubro 2014 - e r r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. não Eu Não r que o f existe coleção Conversas #14 - outubro 2014 - a z fu e r tu r uma fa o para c ul m d im ad? e. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção

Leia mais

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo Era uma vez a família Rebolo, muito simpática e feliz que vivia na Amadora. Essa família era constituída por quatro pessoas, os pais Miguel e Natália e os seus dois filhos Diana e Nuno. Estávamos nas férias

Leia mais

Trabalho 3 Scratch na Escola

Trabalho 3 Scratch na Escola Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra Departamento de Matemática Trabalho 3 Scratch na Escola Meios Computacionais de Ensino Professor: Jaime Carvalho e Silva (jaimecs@mat.uc.pt)

Leia mais

R I T A FERRO RODRIGUES

R I T A FERRO RODRIGUES E N T R E V I S T A A R I T A FERRO RODRIGUES O talento e a vontade de surpreender em cada projecto deixou-me confiante no meu sexto sentido, que viu nela uma das pivôs mais simpáticas da SIC NOTÍCIAS.

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. 2+2 Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. 2+2 Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto 2+2 Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas Anita Santos Diogo Gautier Helena Santos Eurico Alves Dezembro de 2011 1 A Crise Atual:

Leia mais

MANUAL DO JOVEM DEPUTADO

MANUAL DO JOVEM DEPUTADO MANUAL DO JOVEM DEPUTADO Edição 2014-2015 Este manual procura expor, de forma simplificada, as regras do programa Parlamento dos Jovens que estão detalhadas no Regimento. Se tiveres dúvidas ou quiseres

Leia mais

A Escola obrigatória no Cantão de Zurique

A Escola obrigatória no Cantão de Zurique Portugiesisch A Escola obrigatória no Cantão de Zurique Informação para os pais Objectivos e linhas gerais A escola obrigatória oficial, no Cantão de Zurique, é obrigada a respeitar os valores fundamentais

Leia mais

IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO. N questionário. Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade:

IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO. N questionário. Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade: IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO N questionário Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade: Grau de Ensino: 1. Nenhum 2. Escola primária ou ciclo preparatório 3. Escola Secundária/qualificações

Leia mais

A acção executiva e o utente da justiça

A acção executiva e o utente da justiça A acção executiva e o utente da justiça A morosidade dos tribunais tornou-se num lugar-comum que, como tal, desculpa muitas das deficiências do sistema judicial. A morosidade passou, assim, a ser tomada

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal

Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal À margem do Fórum promovido pela Associação Mais Portugal Cabo Verde, que o trouxe

Leia mais

3 Dicas Poderosas Para Investir Em Ações. "A única maneira de fazer um grande trabalho é. amar o que você faz." Steve Jobs. Por Viva e Aprenda 2

3 Dicas Poderosas Para Investir Em Ações. A única maneira de fazer um grande trabalho é. amar o que você faz. Steve Jobs. Por Viva e Aprenda 2 "A única maneira de fazer um grande trabalho é amar o que você faz." Steve Jobs Por Viva e Aprenda 2 Por Viva e Aprenda Declaração De Ganhos Com O Uso De Nossos Produtos A empresa O Segredo Das Ações"

Leia mais

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim.

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim. INTRODUÇÃO LIVRO: ECONOMIA E SOCIEDADE DIEGO FIGUEIREDO DIAS Olá, meu caro acadêmico! Bem- vindo ao livro de Economia e Sociedade. Esse livro foi organizado especialmente para você e é por isso que eu

Leia mais

ENTREVISTA "Não se ganha com. a caça ao dividendo"

ENTREVISTA Não se ganha com. a caça ao dividendo ENTREVISTA "Não se ganha com a caça ao dividendo" JORGE BENTO FARINHA, VICE-PRESIDENTE DA PORTO BUSINESS SCHOOL Em Portugal não se ganha dinheiro com a caça ao dividendo Co-autor do livro "Dividendos e

Leia mais

IDÉIAS EM CONSTRUÇÃO DOCUMENTOS PARA ESTUDO 03-03

IDÉIAS EM CONSTRUÇÃO DOCUMENTOS PARA ESTUDO 03-03 1 IDÉIAS EM CONSTRUÇÃO DOCUMENTOS PARA ESTUDO 03-03 O PAPEL DO FUNDO ROTATIVO NA FORMAÇÃO DE UMA NOVA CULTURA DE CRÉDITO Introdução Obedecendo a mesma dinâmica dos dois números anteriores, esse texto trata

Leia mais

O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS

O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS QUE OPORTUNIDADES PÓS-LICENCIATURA ESPERAM? EXPECTATIVAS QUE INQUIETAÇÕES TÊM OS ALUNOS DE DC? MADALENA : M QUAL É A TUA PERSPECTIVA DO MERCADO

Leia mais

coleção Conversas #22 - maio 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #22 - maio 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #22 - maio 2015 - assistente social. agora? Sou E Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa

POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa A UGT saúda o debate em curso na Comissão dos Assuntos Europeus sobre o Futuro da Europa e, particularmente, sobre o futuro do Tratado Constitucional. O

Leia mais

ESTATUTOS. Artigo 1º (Nome e Sede)

ESTATUTOS. Artigo 1º (Nome e Sede) ESTATUTOS Artigo 1º (Nome e Sede) O nome da associação é A Rocha Associação Cristã de Estudos e Defesa do Ambiente e a sua sede é na Cruzinha, Mexilhoeira Grande, em Portimão. Artigo 2º (Natureza e Fins)

Leia mais

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo)

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) Duração: 5 Sessões (45 minutos) Público-Alvo: 6 a 7 anos (1º Ano) Descrição: O programa A Família é constituído por uma série de cinco actividades. Identifica o

Leia mais

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO ESTUDO IMIGRANTES E IDENTIDADES

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO ESTUDO IMIGRANTES E IDENTIDADES 1 INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO ESTUDO IMIGRANTES E IDENTIDADES O presente inquérito por questionário foi elaborado no âmbito do Estudo Imigrantes e Identidades, que está a ser desenvolvido pela Divisão de

Leia mais

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Cartão Europeu de Seguro de Doença (N39 - v4.07) PROPRIEDADE Instituto da Segurança

Leia mais

G.C.P - GUIA DE CREDENCIAMENTO PROFISSIONAL

G.C.P - GUIA DE CREDENCIAMENTO PROFISSIONAL G.C.P - GUIA DE CREDENCIAMENTO PROFISSIONAL I - Adquira o Kit de Trabalho e Tenha sua Franquia Individual em sua Cidade. II Conheça nosso Marketing de Rede. Fácil de fazer, fácil de divulgar. III Na última

Leia mais

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA I N S T I T U T O P O L I T É C N I C O D E C A S T E L O B R A N C O ENGENHARIA INFORMÁTICA Aspectos Sócio-Profissionais da Informática Jovens Empresários de Sucesso e Tendências

Leia mais

Sind-UTE/MG - 2013 ANASTASIA, CADÊ OS R$ 8 BILHÕES DA EDUCAÇÃO. www.sindutemg.org.br

Sind-UTE/MG - 2013 ANASTASIA, CADÊ OS R$ 8 BILHÕES DA EDUCAÇÃO. www.sindutemg.org.br ANASTASIA, CADÊ OS R$ 8 BILHÕES DA EDUCAÇÃO www.sindutemg.org.br 1 Desde o ano de 1988, a Constituição Federal manda que os governadores invistam 25% de impostos arrecadados em educação. Por que esta regra

Leia mais

REFLEXÃO SOBRE A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE. (De acordo com o Decreto Regulamentar nº2/2008, de 10 de Janeiro)

REFLEXÃO SOBRE A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE. (De acordo com o Decreto Regulamentar nº2/2008, de 10 de Janeiro) REFLEXÃO SOBRE A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE (De acordo com o Decreto Regulamentar nº2/2008, de 10 de Janeiro) Ao iniciar esta reflexão convém referir, caso subsista ainda alguma dúvida,

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 1 Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 Entrevistador- Como o senhor vê a economia mundial e qual o posicionamento do Brasil, após quase um ano da quebra do

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

Eduardo Branco, presidente da APAN. É preciso. regressar. ao consumo. Pág. 30

Eduardo Branco, presidente da APAN. É preciso. regressar. ao consumo. Pág. 30 Eduardo Branco, presidente da APAN É preciso regressar ao consumo Pág. 30 Fátima de Sousa jornalista fs@briefing.pt "A quadratura do círculo é sermos mais eficientes, ou seja, conseguirmos fazer mais com

Leia mais

Reestruturar o Sector Empresarial do Estado

Reestruturar o Sector Empresarial do Estado PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 458/XI/2.ª Reestruturar o Sector Empresarial do Estado A descrição de carácter económico-financeiro apresentada na próxima secção não deixa dúvidas sobre a absoluta necessidade

Leia mais

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria e Multimédia O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Metodologia da Investigaça

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 3: Gerenciamento de dívidas

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 3: Gerenciamento de dívidas Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 3: Gerenciamento de dívidas Objetivo Auxiliar no gerenciamento de dívidas e de como quitá-las, conscientizando as pessoas da importância em diminui-las e de

Leia mais