SISTEMA DE SECRETARIADO ONLINE UNASP-EC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE SECRETARIADO ONLINE UNASP-EC"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO CAMPUS ENGENHEIRO COELHO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET GABRIEL TARICK ARAUJO DA SILVA VICTOR CORREIA FERRARI WILLIAM HENRIQUE DE MELO SAVOLDI SISTEMA DE SECRETARIADO ONLINE UNASP-EC ENGENHEIRO COELHO 2012

2 GABRIEL TARICK ARAUJO DA SILVA VICTOR CORREIA FERRARI WILLIAM HENRIQUE DE MELO SAVOLDI SISTEMA DE SECRETARIADO ONLINE UNASP-EC Trabalho de Conclusão de Curso do Centro Universitário Adventista de São Paulo do curso de Sistemas para Internet, sob orientação do Prof. Me. Fabiano Souza. ENGENHEIRO COELHO 2012

3 Trabalho de Conclusão de Curso do Centro Universitário Adventista de São Paulo, do curso de Sistemas para Internet apresentado e aprovado em de de Prof. Me. Fabiano Alves de Souza Prof. Me. Thales de Társis Cézare

4 Dedicamos este trabalho aos nossos queridos familiares e colegas que sempre nos deram o apoio necessário para que pudéssemos concluir mais uma etapa de nossas vidas.

5 AGRADECIMENTOS A Deus, por ter nos guiado e capacitado desde o início do curso e, especialmente, por ter nos dado sabedoria para concluir este trabalho; Ao UNASP-EC, pela oportunidade de cursar Tecnologia em Sistemas para Internet numa Instituição Adventista; Ao nosso orientador Prof. Me. Fabiano Souza, que nos deu total apoio e atenção durante a orientação deste trabalho; Aos nossos queridos pais, por acreditar em nosso potencial e por abraçar as nossas decisões; A todos os professores e colegas do curso de Sistemas para Internet que estiveram conosco até aqui.

6 O verdadeiro perigo não é que os computadores começarão a pensar como homens, mas que homens começarão a pensar como computadores. Sydney J. Harris

7 RESUMO O Secretariado Online teve como objetivo desenvolver um sistema para melhor praticidade, agilidade e aproveitamento do tempo dos alunos e funcionários. Devido à pesquisa feita com 10 alunos que estudam no UNASP-EC, foi possível visualizar a insatisfação de 100% dos alunos entrevistados que fazem uso da secretaria presencial. Com a demanda de fila no processo de deferimento da secretaria, principalmente em época de matrícula e rematrícula, pensou-se em um secretariado online que trabalhasse em favor da secretaria presencial transformando o atendimento em um processo mais rápido e eficaz. Para realizar este trabalho foram-se utilizados os seguintes softwares: Adobe Dreamweaver CS5 para a confecção do site e do chat; Adobe Fireworks CS5 para a confecção de logotipos e edição de imagens; Astah Community para os diagramas de caso de uso e Wamp Server para a criação de um servidor local. As linguagens de programação utilizadas foram: HTML, CSS, PHP, JavaScript, jquery e o banco de dados em MySQL. Palavras Chave: Secretariado; Tecnologia; Web.

8 ABSTRACT The Secretariat Online aimed to develop a system to better practicality, flexibility and students' use of time and staff. Due to the survey of 10 students studying in UNASP-EC, it was possible to visualize the dissatisfaction of 100% of pupils surveyed who use the office in person. With the demand queue in pro-cess of acceptance of office, especially in time of enrollment and reenrollment, pen-'m in a secretariat online that worked in favor of the secretary face trans-forming the service in a more rapid and effective. To carry out this study were to use the following software: Adobe Dreamweaver CS5 for making the site and chat; Adobe Fireworks CS5 for making logos and image editing;-tah The Community for the use case diagrams and Wamp Server to create a being-vidor site. The programming languages used are: HTML, CSS, PHP, JavaScript, jquery and MySQL database Keywords: Secretariat, Technology, Web

9 9 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Código em HTML Figura 2 Código em CSS Figura 3 Código em PHP Figura 4 Código em JavaScript Figura 5 Código em jquery Figura 6 Exemplo de UML Figura 7 Inserção de dados na tabela.. 25 Figura 8 Conexão com banco de dados em PHP. 26 Figura 9 Adobe Dreamweaver CS Figura 10 Adobe Fireworks CS Figura 11 Wamp Server Figura 12 AstahCommunity Figura 13 Caso de uso do site Figura 14 Nome do banco de dados Figura 15 Tabela do chat Figura 16 Mapa de navegação Figura 17 Homepage Figura 18 Tela início Figura 19 Aba matrícula Figura 20 Aba revisão de notas Figura 21 Chat online Figura 22 Login do chat online Figura 23 Painel de envio de mensagem Figura 24 Resposta da mensagem enviada Figura 25 Aba contato Figura 26 Código da funcão Mail Figura 27 NivoSlider Figura 28 Novo banner... 43

10 10

11 11 LISTA DE ABREVIATURAS, SIGLAS OU TERMOS OPERACIONAIS DOM DocumentObjectModel (Modelo de Objetos de Documento) HTML Hypertext MarkupLanguage (Linguagem de marcação de hipertexto) MER EntityRelationshipModel (Modelo Entidade Relacionamento) PHP Hypertext Preprocessor (Processador de hipertexto) RDBMS RelationalDatabase Management System SGBD Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados SQL Structured Query Language (Linguagem de Consulta Estruturada) UML UnifiedModelingLanguage (Linguagem Unificada de Modelagem) UNASP-EC Centro Universitário Adventista de São Paulo Campus Engenheiro Coelho WEB (WWW) World Wide Web (Rede de alcance mundial)

12 12 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Objetivos METODOLOGIA Materiais REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Linguagem de programação HTML CSS PHP JavaScript jquery Engenharia de Software UML Banco de Dados MySQL Tecnologias para o desenvolvimento da secretaria virtual Adobe Dreamweaver CS Adobe Fireworks CS Wamp Server Astah Community Prototipação SISTEMA DE SECRETARIADO ONLINE Requisitos do sistema Diagrama de caso de uso Modelagem Banco de dados do chat online Mapa de navegação Prototipação do sistema CONCLUSÃO... 44

13 Trabalhos futuros REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 45

14 14 1 INTRODUÇÃO Com o avanço da tecnologia torna-se gradual, e até mesmo natural, as modificações e transformações do sistema. O que antes era manual, hoje está automatizado tornando tarefas rápidas e mais eficientes. Para atender a exigência competitiva do mundo atual é preciso se adequar a esta mudança, atualizando os processos. Com o passar dos anos e a correria do dia a dia o ser humano se tornou um ser tecnológico, devido aos sistemas tecnológicos. Tudo o que se pode fazer para ganhar tempo ou simplesmente não perdê-lo, passou a fazer parte da rotina das pessoas. Hoje muitos serviços são oferecidos por recursos da internet devido à praticidade, tendo como exemplo o acesso à conta do banco sem a necessidade de enfrentar uma fila. Isso prova a ânsia das pessoas de tentar aproveitar o tempo da melhor forma possível. Pode-se afirmar que, dessa forma, tempo tornou-se moeda de consumo. Boa parte das faculdades particulares já tem suas secretarias virtuais, como é o caso da Estácio de Sá, o que facilita o trabalho do aluno e poupa tempo dos secretários para o melhor desempenho em outros trabalhos. O fator tempo é primordial, quanto mais ágil o processo melhor, porque o cliente fica mais satisfeito devido o bom e rápido atendimento, o que aumenta a credibilidade da qualidade de ensino da instituição, afinal, todas as áreas estão interligadas. Partindo do pressuposto de que um secretariado online nas universidades, no geral, é a otimização dos serviços da secretaria presencial, o trabalho realizado tem a oferecer o rápido acesso aos alunos que desejam fazer sua matrícula e requerimento de revisão de notas. É possível estabelecer a hipótese de que um sistema de secretaria online, que ofereça deferimento através de chat em momento comercial e os serviços acima citados, minimizará filas e a insatisfação dos alunos devido atendimento demorado. Pensando no tempo em que pode ser ganho das pessoas, principalmente daquelas que não gostam de enfrentar fila, surgiu uma ideia de um sistema de secretariado online para o UNASP-EC cuja secretaria é ainda apenas presencial. Eis a hipótese

15 15 do presente trabalho: sugerir o uso da tecnologia da web para facilitar os processos de secretariado. Como o secretariado estudantil do UNASP-EC demanda tempo e longas filas de espera dos usuários e também trabalho exaustivo dos funcionários, por que não desenvolvermos um sistema web que facilite o processo? Portanto, este trabalho apresentará o desenvolvimento de um sistema de secretariado online. 1.1 Objetivos Tem-se como principal objetivo agilizar os processos da secretaria do Unasp-EC tanto para os alunos quanto para os funcionários, fazendo com que o tempo de ambos seja mais bem aproveitado dando abertura a outras atividades, proporcionando ao usuário recursos via web como: requerimento de revisão de notas, atendimento (chat) e matrícula. Construir um sistema/site com a linguagem HTML, PHP, JavaScript; Construir um banco de dados com MySQL para o uso do Chat Online; Fazer interface para melhor usabilidade do sistema.

16 16 2 METODOLOGIA A tarefa de desenvolvimento consiste em levantamento de requisitos, modelagem do banco de dados, definição dos casos de uso, criação de protótipo, testes e apresentação do protótipo para os interessados. Segundo os objetivos, foi feita uma pesquisa exploratória, que de acordo com Medeiros (2005, p.42) estabelece critérios, métodos e técnicas para elaboração de uma pesquisa visando oferecer informações sobre o objeto da pesquisa e orientar a formulação de protótipos a serem testados; e bibliográfica, que compreende a escolha do assunto, elaboração do plano de trabalho, análise e interpretação dos textos (livros selecionados) e a redação propriamente dita. 2.1 Materiais Para a confecção deste trabalho foi criado algoritmos em PHP e outras linguagens como: JavaScript e HTML. Para os casos de uso foram utilizadas as metodologias UML. Os softwares usados para a construção de algoritmos e design de interface foram: Adobe Dreamwaver CS5; Wamp Server; Adobe Fireworks CS5; Astah Community.

17 17 3 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 3.1 Linguagem de programação Gudwin (1997, p.1) diz que para se implementar um algoritmo em um computador, é necessário descrevê-lo (por intermédio de uma linguagem de programação ) de uma forma que o computador esteja apto a executá-lo. Foram desenvolvidas, ao longo da história da computação, diversas linguagens de programação, cada qual, há seu tempo, introduzindo facilidades e recursos que foram tornando a tarefa de programar mais fácil e menos suscetível a erros. De acordo com Willrich (2010, PDF, p.2), informalmente, uma linguagem de programação pode ser definida como sendo um conjunto limitado de instruções (vocabulário), associado a um conjunto de regras (sintaxe) que define como as instruções podem ser associadas, ou seja, como se podem compor os programas para a resolução de um determinado problema. As linguagens de programação podem ser classificadas em níveis de linguagens, sendo que os níveis mais baixos são mais próximos da linguagem interpretada pelo processador e mais distante das linguagens naturais. Partindo para o desenvolvimento do projeto proposto, foram pesquisadas algumas linguagens de programação que oferecesse mais comodidade, agilidade no tempo para o desenvolvimento e confiabilidade. Pode-se citar a linguagem JAVA (utilizando orientação a objetos), PHP (linguagem dinâmica que permite comunicação com o SQL), SQL (banco de dados) e HTML (formatação de texto). Essas linguagens serão tratadas na próxima sessão. Por fim, Willrich (2010, PDF, p.14) descreve que uma linguagem de programação fornece o suporte a um estilo ou paradigma de programação se ela fornece funcionalidades que a tornam conveniente para usar determinado estilo. Uma linguagem não suporta uma técnica se é necessário esforços excepcionais ou destreza para escrever tal programa: ela meramente habilita a técnica a ser usada.

18 HTML Camargos e Menezes (2008, p.3) dizem que a linguagem de formatação HTML é, hoje, a mais usada para criação de páginas para a Web. As páginas da internet são chamadas páginas HTML, sendo uma página HTML um arquivo de texto comum que contém textos, imagens, vídeos e hyperlinks, contendo também comandos especiais chamados tags, que indicam ao navegador como deve ser feita a exibição de determinado elemento na janela do usuário. Por fim, a HTML é uma ferramenta poderosa para criação de sítios quando o assunto é formatação e padronização do conteúdo, pois, de acordo com Goodman (2001, p.4), com a HTML um autor de página da Web controla a experiência do usuário com o conteúdo. O autor Silva (2008, p.25 e 26) considera o HTML como uma linguagem de marcação, ou melhor, para marcação de hipertexto, que é todo conteúdo inserido em um documento para Web e que tem como principal característica a possibilidade de se interligar a outros documentos da Web. O que torna possível a construção de hipertextos são os links, presentes nas páginas dos sites. Resumindo: HTML trata-se de uma linguagem de marcação e se destina a marcar ou estruturar conteúdos para a Web. Trata-se de uma linguagem bastante simples e de fácil compreensão. Atualmente já é possível utilizar versão 5 disponível para o uso dos programadores. A figura 1 mostra um exemplo de uma documentação em html. Neste código é desenvolvido um formulário no qual o usuário insere seu nome podendo desta maneira acessar o chat de atendimento online.

19 19 Figura 1 Código em HTML CSS em Cascata. CSS são as siglas de Cascading Style Sheets, em português, Folhas de Estilo CSS é uma tecnologia que nos permite criar páginas web de uma maneira mais exata. Graças às CSS somos muito mais donos dos resultados finais da página, podendo fazer muitas coisas que não se podia fazer utilizando somente HTML, como incluir margens, tipos de letra, fundos, cores. As Folhas de Estilo em Cascata se escrevem dentro do código HTML da página web, somente em casos avançados se podem escrever em um arquivo à parte e linkar a página com esse arquivo.

20 20 Figura 2 Código CSS PHP Camargos e Menezes (2008, p.3) apresentam o PHP como uma das linguagens de programação mais usadas para criações de páginas dinâmicas para internet. Uma característica importante, inerente a todas as linguagens que implementam páginas dinâmicas, é o fato de sempre funcionarem paralelamente à linguagem HTML, ou seja, a linguagem PHP utiliza códigos HTML em seus próprios códigos. Assim, como referem Welling e Thomson (2005, p.xxvi), o PHP é uma linguagem de criação de scripts do lado do servidor que foi projetada especificamente para a Web. Dentro de uma página HTML, pode-se embutir código de PHP que será executado toda vez que a página for visitada. O código de PHP é interpretado no servidor Web e gera HTML ou outra saída que o visitante verá. A principal versão atual do PHP é a v Como o PHP é um produto de código-fonte aberto é possível utilizá-lo, alterá-lo e redistribuí-lo gratuitamente. Na figura 3 mostra o código parcial do chat online utilizado no projeto proposto, no qual descreve uma inserção de mensagens temporárias no banco de dados (linha 5 à 12) e a atualização do painel de mensagens (linhas 14 à 20).

21 21 Figura 3 Código em PHP JavaScript Damiani (2006, p.9) define JavaScript como uma linguagem orientada a objetos baseada em protótipos. Scripts da linguagem JavaScript são incluídos em páginas HTML de três formas: 1) colocando as instruções em tags<script> e </script>, 2) inserindo manipuladores de eventos dentro de tags HTML específicas, 3) inserindo código JavaScript dentro de um arquivo com extensão.js e colocando o seu nome como valor do atributo src da tag<script>. A JavaScript, de acordo com Goodman (2001, p.8), foi criada para funcionar como uma linguagem de programação integrada a documentos HTML, tendo um pequeno vocabulário e um modelo de programação de fácil compreensão. A ultima versão disponível da linguagem JavaScript é a versão Esta versão possui suporte para programação orientada a objetos integrada a estrutura de eventos dos browsers através do DOM, que segundo Damiani (2006, p.55) expõe elementos de um documento HTML e a própria janela do navegador como objetos dentro de uma hierarquia bem definida justamente para ser manipulada pelo JavaScript, assim, o DOM faz parte do navegador e não da linguagem de script. A figura 4 mostra a interação que existe entre o JavaScript com o HTML e um documento Ajax. Este código exibe as funções desempenhadas pelo JavaScript que neste caso tem a função de exibir as mensagens digitadas pelo usuário - com destino ao atendente - na tela. Para que não

22 22 haja desconfiguração dos caracteres foi criada uma função para tratar os dados e exibilos de forma correta no navegador. Figura 4: Código em Java Script jquery Segundo Silva (2008, p. 25), jquery é uma poderosa biblioteca JavaScript criada para simplificar a criação de efeitos visuais e de interatividade em web sites. Desenvolvedores especialistas em JavaScript, ao conhecerem as maravilhas de que a biblioteca é capaz, com certeza vão se perguntar: "Por que não pensei nisso antes?" Iniciantes, com noções rudimentares de JavaScript, experimentarão uma curva de aprendizado inimaginável para aqueles experientes com a linguagem. jquery propicia a criação de scripts de uma forma tão simples e intuitiva que consegue com meia dúzia de linhas os mesmos efeitos de um script de 30 a 40 linhas desenvolvido com JavaScript tradicional.

23 23 Figura 5 Código jquery Fonte: Internet 3.2 Engenharia de software Segundo Sommerville (2007, p.5), engenharia de software é uma área da computação voltada a especificação, desenvolvimento e manutenção de sistemas de software que está relacionada com todos os aspectos da produção de software, desde os estágios iniciais de especificação do sistema até sua manutenção, depois que este entrar em operação. Software não é apenas um programa de computador, mas também todos os dados de documentação e configuração associados, necessários para que o programa opere corretamente. Um sistema de software consiste, geralmente, de um conjunto de programas separados; arquivos de configuração, que são utilizados para configurar esses programas; documentação do sistema, que descreve a estrutura do sistema; a documentação do usuário, que explica como usar o sistema; e sites Web por meio dos quais os usuários obtêm informações recentes sobre o produto. Enfim, a engenharia de software se dedica aos problemas práticos da produção de software UML A UML é, segundo Booch, Rumbaugh e Jacobson (2006, p.13), uma linguagempadrão para a elaboração da estrutura de projetos de software, que poderá ser empregada para a visualização, a especificação, a construção e a documentação de artefatos que façam uso de sistemas complexos de software.

24 24 Para Larman (2007, p.39), a palavra visual na definição (linguagem visual) é um ponto chave a UML é a notação diagramática padrão, de fato, para desenhar ou apresentar figuras (com algum texto) relacionadas a software. Booch, Rumbaugh e Jacobson (2006, p.13) citam que a UML é adequada para modelagem de sistemas, cuja abrangência poderá incluir sistemas de informação corporativos a serem distribuídos a aplicações baseadas em Web e até sistemas complexos embutidos de tempo real. É uma linguagem muito expressiva, abrangendo todas as visões necessárias ao desenvolvimento e implantação desses sistemas. Aprender a aplicar a UML de maneira efetiva tem início com a formação de um modelo conceitual da linguagem, o que pressupõe o entendimento de três principais elementos: os blocos básicos de construção da UML, as regras que determinam como esses blocos de construção deverão ser combinados e alguns mecanismos básicos que se aplicam a toda linguagem. Como a UML é apenas uma linguagem, é somente uma parte de um método para desenvolvimento de software, é independente do processo, apesar de ser perfeitamente utilizada em processo orientado a casos de usos, centrado na arquitetura, iterativo e incremental. Um exemplo de UML é mostrado na figura 6.

25 25 Figura 6 Exemplo de UML 3.3 Banco de dados Elmasri e Navathe (2005, p.4) definem banco de dados, de forma ampla, como sendo uma coleção de dados relacionados, onde dados são fatos que podem ser gravados e que possuem um significado implícito. De forma restrita, possui as seguintes propriedades: Representa alguns aspectos do mundo real, sendo chamado, às vezes, de minimundo. As mudanças no minimundo são refletidas no banco de dados; É uma coleção lógica e coerente de dados com algum significado inerente, jamais ao acaso; É projetado, construído e povoado por dados, atendendo a uma proposta específica. Possui um grupo de usuários definido e algumas aplicações preconcebidas, de acordo com o interesse desse grupo de usuários.

26 26 Em outras palavras, um banco de dados possui algumas fontes das quais os dados são derivados, alguns níveis de interação com os eventos do mundo real e um público efetivamente interessado em seus conteúdos. Pode ser de qualquer tamanho e de complexidade variável, assim como gerado e mantido manualmente ou pode ser computadorizado. Neste último caso, pode ser criado e mantido tanto por um grupo de aplicativos escritos especialmente para essa tarefa como por um sistema gerenciador de banco de dados MySQL O MySQL é, como cita Welling e Thomson (2005, p.xxvi), um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional (RDBMS) poderoso e muito rápido. Um banco de dados permite armazenar, pesquisar, classificar e recuperar dados de forma eficiente. O servidor do MySQL controla o acesso aos dados para assegurar que vários usuários possam trabalhar com os dados ao mesmo tempo, fornecer acesso rápido aos dados e assegurar que somente os usuários autorizados obtenham acesso. Como é possível ver na figura 7, o MySQL está gerenciando o banco de dados do sistema do chat online da secretaria através da interface gráfica do phpmyadmin. Existe uma tabela no banco de dados para que exista o registro e acesso aos dados inseridos às tabelas na hora da conversa no chat. Figura 7 Inserção de dados na tabel

27 27 Segundo Babin (2007, p.46), o MySQL se utiliza do SQL ao fazer consultas ao banco de dados. SQL é uma linguagem padrão para banco de dados relacionais, ou seja, um subconjunto dos bancos de dados existentes, pois, como informa Costa (2006, p.16), foi a primeira linguagem de acesso para Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Relacionais. Analisa-se, na figura 8, o código utilizado para fazer a conexão com o banco de dados que foi criado no phpmyadmin acima exposto. O código está em PHP e faz a conexão com o banco dados do sistema de chat online. Figura 8 Conexão do bando de dados em PHP 3.4 Tecnologias para o desenvolvimento da secretaria virtual Existem muitas tecnologias disponíveis para construção de sites. A seguir serão revisadas e escolhidas para o desenvolvimento do Secretariado Online Adobe Dreamweaver CS5 Manzini (2007, p.13 e 15) descreve que o Dreamweaver oferece inúmeras ferramentas visuais para a criação de sites integrados com poderosos recursos de codifi-

28 28 cação. É ainda a única ferramenta que trabalha com a criação de páginas dinâmicas no mercado, como o PHP e o JavaScript. O Dreamweaver utiliza um sistema conhecido como WYSIWYG (What You See Is What You Get - O que você vê é o que você obtém) no qual mostra a capacidade de um programa de um computador que permite ter a mesma aparência de sua utilização, pode-se criar páginas diretamente na janela Dreamweaver que terá aproximadamente a mesma aparência do resultado final da página a ser criada. Não há necessidade de conhecer a linguagem utilizada, pois o Dreamweaver gera todo código necessário para criação. Os códigos JavaScripts, por exemplo, estão disponíveis com painéis para configurá-los. Um dos pontos positivos do Dreamweaver (figura 9) é a capacidade de se trabalhar com um grande número de páginas ao mesmo tempo. Figura 9 Adobe Dreamweaver CS Adobe Fireworks CS5 Segundo Manzini (2007, p.76), o Fireworks é um editor de imagem. Existe completa integração entre os softwares Fireworks e Dreamweaver, que abre o Fireworks como um editor externo para edição de imagens através do botão editar no Fireworks (Edit in Fireworks).

29 29 Segundo o site da Adobe (2012, p.2), o Fireworks é um programa versátil para criação, edição e otimização de gráficos da Web. Você pode criar e editar imagens de bitmap e de vetor, projetar efeitos da Web, como sobreposições e menus pop-up, recortar e aperfeiçoar gráficos para reduzir seu tamanho de arquivo e poupar tempo automatizando tarefas repetitivas. Você pode exportar ou salvar um documento como arquivo JPEG, arquivo GIF ou um arquivo de outro formato. Esses arquivos podem ser salvos junto com arquivos HTML contendo tabelas HTML e código JavaScript, para que você possa usá-los na Web. O software Adobe Fireworks CS5 ajuda a criar rapidamente excelentes designs para sites, além de editar imagens em geral (figura 10). Figura 10 Adobe Fireworks CS Wamp Server Conforme descreve o próprio site da Wamp Server, ela é uma plataforma de desenvolvimento web no Windows que lhe permite criar aplicações web dinâmicas com Apache2, PHP e MySQL. A Wamp Server instala automaticamente tudo que se precisa para começar a desenvolver aplicações web e é muito intuitivo de usar, pois se é capaz de sintonizar o servidor sem sequer tocar os arquivos de configuração.

30 30 Wamp Server possui o Apache, PHP e MySQL acoplados, ou seja, monta um servidor local completo com o compilador PHP v5.4.3 e com o APACHE sendo o próprio servidor (figura 11). Figura 11 - WampServer Astah Community Ferramenta gratuita de modelagem UML na qual é possível realizar diagramas de classe, caso de uso, ajuste de tamanho e alinhamento dos diagramas (figura 12).

31 31 Figura 12 AstahCommunity Fonte: Internet Prototipação É uma abordagem, como cita Cavalcanti (PPT), baseada numa visão evolutiva do desenvolvimento de software, afetando o processo como um todo. Esta abordagem envolve a produção de versões iniciais (protótipos) de um sistema futuro com o qual se pode realizar verificações e experimentações para se avaliar algumas de suas qualidades antes que o sistema venha realmente a ser construído, visto que, para o usuário, a interface é o sistema. É importante considerar que, desde o início do desenvolvimento do protótipo, deve-se estar bem definido quais são os objetivos a serem atingidos com a criação, para que, quando os usuários experimentarem o protótipo,não tenham falsas expectativas levando a experiência ao fracasso. Definido os objetivos, decide-se quais os requisitos a implementar no protótipo. É necessário nesta fase estabelecer um compromisso entre os requisitos a implementar e os que não serão implementados. Dependendo do tipo de prototipagem adotada, prototipagem de baixa fidelidade (protótipos que não se assemelham com o produto final) ou alta fidelidade (protótipos que mais se assemelham com o produto final), diferentes compromissos serão neces-

32 32 sários estabelecer. O tempo de desenvolvimento do protótipo é essencial que seja o mais curto possível. O rápido desenvolvimento do protótipo permitirá que os utilizadores experimentem o protótipo na fase inicial do desenvolvimento, minimizando os custos associados às alterações nos requisitos.

33 33 4 SISTEMA DE SECRETARIADO ONLINE Esta seção descreve o processo de desenvolvimento do site Secretaria Virtual. O processo teve início com a obtenção dos requisitos funcionais através dos casos de uso. A seguir foram analisados os requisitos não funcionais através de cenários. E foi realizada a modelagem do sistema utilizando diagramas de classe, de sequência e mapas de navegação. 4.1 Requisitos do Sistema Os requisitos do sistema foram levantados através de reuniões com a coordenadora da secretaria presencial, a professora Marcelle, do UNASP-EC. Através destas reuniões pudemos perceber a carência que existe de praticidade para certos serviços. Depois da avaliação de quais serviços são viáveis e compatíveis com a web, o sistema de Secretaria Virtual é composto pelos seguintes requisitos: Matrícula: O usuário possui a opção de fazer uma matrícula nos cursos oferecidos pelo site já existente para matrícula do Unasp-EC. Revisão de notas: É possível enviar um formulário em HTML com tratamento em PHP para a secretaria virtual eliminado a necessidade de ir até a secretaria física. O usuário preenche o formulário e o mesmo é enviado via função Mail do PHP. Chat Online: Para esclarecimento e tira dúvidas foi desenvolvido em PHP e JavaScript um serviço de atendimento online. Contato: O usuário tem a opção de enviar um para a secretaria Diagrama de caso de uso No diagrama abaixo é exposto às opções que o usuário tem ao acessar ao sistema da secretaria online. O indivíduo possui a opção de escolher um ou mais serviços e através deste diagrama conseguimos entender melhor a interação do usuário com o sistema/site.

34 34 Ao acessar a opção Matrícula o usuário é direcionado ao site previamente desenvolvido pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo onde é possível que o usuário faça sua matrícula online como se estivesse fazendo na secretaria presencial. Através deste serviço o usuário é matriculado em poucos minutos e com muito mais praticidade. Já na opção Revisão de Notas, o usuário deve ser aluno matriculado do UNASP-EC, pois só é possível a execução do serviço se o aluno tiver o RA (Registro Acadêmico). Neste serviço o aluno tem a oportunidade de reivindicar a nota de qualquer disciplina previamente cursada. O usuário tem a opção de um Chat Online como indica a figura abaixo. O chat online tem por objetivo principal facilitar o contato entre o usuário e a secretaria. As dúvidas são esclarecidas através de um atendente capacitado para responder qualquer tipo de pergunta relacionado a matrículas, revisão de notas e rematrícula, obviamente. Por fim, o usuário tem a opção de enviar um para a secretaria virtual através da opção Contato. O serviço está disponível vinte e quatro horas por dia assim como os serviços acima citados, exceto o Chat Online que fica em funcionamento apenas em horário comercial. Figura 13 Caso de Uso do site

35 Modelagem Segundo Booch, Rumbaugh e Jacobson (2005, p.3), a modelagem é uma parte central de todas as atividades que levam à implantação de um bom software. Os modelos construídos servem para comunicar a estrutura e o comportamento desejados do sistema, para visualizar e controlar a arquitetura do sistema, para compreender melhor o sistema que está sendo elaborado e, finalmente, para gerenciar riscos. Pensando nisto, a seguir serão mostradas as etapas de nossa modelagem com os respectivos modelos Banco de dados do chat online O chat online foi desenvolvido em PHP com conexão com o banco de dados em MySQL. Para o acesso aos dados e estruturas do banco de dados foi utilizada a interface gráfica do phpmyadmin. Como mostra a figura 14, o nome do banco de dados do chat online é bdchat. Figura 14 Nome do banco de dados

36 36 Este banco é composto por uma tabela chamada chat que possui quatro colunas. São elas: id, nome, mensagem e datahora como mostra a figura 15. Figura 15 Tabela do chat Mapa de navegação A figura 16 mostra um esquema semelhante a um Sitemap. Através deste mapa de navegação, podemos notar quais serviços são oferecidos pelo site da secretaria virtual. É possível perceber que o site oferece seis serviços ao usuário. Estes seis serviços tem como objetivo principal facilitar ao máximo, através da secretaria virtual, o acesso aos serviços da secretaria física.

37 Figura 16 Mapa de navegação 37

38 Prototipação do sistema Nesta seção são apresentadas as telas do sistema e imagens contendo os testes realizados para os cenários criados. A primeira tela do sistema é o site da Secretaria Virtual onde há vários botões para serem utilizados, conforme indicado na figura abaixo. Figura 17 Homepage (index.html) Cada item destacado tem uma importante função e são estas: 1 Início: O botão início direciona o usuário a página inicial conforme mostra a figura 18.

39 39 Figura 18 Tela início (index.html) 2 Matrícula: Como mostra a figura 19, o usuário tem a opção de fazer sua matrícula online. Ao clicar na aba número 2 o usuário é direcionado ao site de matrícula do UNASP-EC. Figura 19 - Aba Matrícula (rematrícula.html)

40 40 3 Revisão de Notas: Após clicar na aba de número 3 o usuário terá de preencher um formulário proposto. Depois de preencher o formulário o usuário é necessário que seja pressionado o botão enviar para que os dados preenchidos no formulário sejam enviados por para a secretaria virtual. Figura 20 Aba Revisão de Notas(revisaodenotas.html) 4 Chat Online: Ao clicar na aba Chat Online, o usuário será direcionado para uma página que contem um link para acessar ao chat conforme mostra a figura 21.

41 41 Figura 21 Chat Online(chatonline.html) O chat online foi criado em PHP, jquery com conexão com o banco de dados MySQL. O usuário deve acessar ao chat com seu nome conforme mostra a figura 22. Figura 22 Login do chat online Após o usuário inserir seu nome na tela de Login, uma nova tela se abrirá exibindo o painel de envio de mensagens instantâneas. A figura 23 mostra a inserção de dados no painel de mensagens. Figura 23 Painel de envio de mensagens

42 42 A figura 24 mostra o recebimento da mensagem que foi enviada pelo usuário João ao outro usuário chamado Paulo. Figura 24 Resposta da mensagem enviada 5 Contato: Quando o usuário clicar em na aba contato abrirá uma página contendo um formulário em HTML e JQuery com tratamento em PHP, conforme apresenta a imagem abaixo.

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Aula 1 Desenvolvimento Web. Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme

Aula 1 Desenvolvimento Web. Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme Aula 1 Desenvolvimento Web Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme Plano de Aula Ementa Avaliação Ementa Noções sobre Internet. HTML

Leia mais

O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento

O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery http://re.granbery.edu.br - ISSN 1981 0377 Curso de Sistemas de Informação - N. 7, JUL/DEZ 2009 O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto

Leia mais

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROF. ERWIN ALEXANDER UHLMANN Universidade Guarulhos Página 1 Agradecimentos Agradeço a todos os alunos que com suas dúvidas me ajudaram a

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web

Introdução à Tecnologia Web Introdução à Tecnologia Web JavaScript Histórico e Características Índice 1 JAVASCRIPT... 2 1.1 Histórico... 2 1.2 Aplicações de JavaScript... 2 a) Interatividade... 2 b) Validação de formulários... 2

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2 Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2 Objetivo. O objetivo da disciplina é conhecer os princípios da programação de

Leia mais

Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula

Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula Aula 1 Capítulo 1 - Introdução ao Dreamweaver CS6 Aula 2 Continuação do Capítulo 1 - Introdução ao Dreamweaver CS6 Aula 3 Capítulo 2 - Site do Dreamweaver

Leia mais

Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos de Minas.

Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos de Minas. PALAVRA DO COORDENADOR Estimado, aluno(a): Seja muito bem-vindo aos Cursos Livres do UNIPAM. Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET WEBSITE MUNDO MULHER GABRIELA DE SOUZA DA SILVA LUANA MAIARA DE PAULA SILVA

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino Eduardo Kokubo kokubo@inf.univali.br Fabiane Barreto Vavassori, MSc fabiane@inf.univali.br Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI Centro de Ensino Superior

Leia mais

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3 DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INFORMATIZADO PARA O CONTROLE DE PROCESSOS DA QUALIDADE NA DIRETORIA DE METROLOGIA CIENTÍFICA E INDUSTRIAL DIMCI/INMETRO. Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando

Leia mais

MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição

MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus Campinas SP Brasil MANUAL DA PLATAFORMA

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS

A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Gláucio Alves Oliveira; Ildeberto de Genova Bugatti Resumo O trabalho utilizou técnicas de integração entre tecnologia de Realidade

Leia mais

Tecnologia WEB III. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. PHP e MySQL. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012.

Tecnologia WEB III. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. PHP e MySQL. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. Tecnologia WEB III Prof. Erwin Alexander Uhlmann PHP e MySQL UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. Agradecimentos Agradeço à minha esposa Kátia por entender minha

Leia mais

6 Aplicações Ricas para Internet

6 Aplicações Ricas para Internet 6 Aplicações Ricas para Internet DESENVOLVIMENTO WEB II - 7136 6.1. Evolução das aplicações para web O crescente número de pessoas que usufruem da informatização das tarefas cotidianas, viabilizadas na

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

Sumário. HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1

Sumário. HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1 Sumário HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1 Linguagem HTML HTML é a abreviação de HyperText Markup Language, que pode ser traduzido como Linguagem de Marcação de Hipertexto. Não é uma linguagem

Leia mais

SISTEMA WEB PARA RESERVA DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO UNASP

SISTEMA WEB PARA RESERVA DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO UNASP CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET ALEXANDRE MARCON ALFIERI LUIS HENRIQUE SCHUTZ SISTEMA WEB PARA RESERVA DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância 1 Introdução Bruno Astuto Arouche Nunes Sergio Barbosa Villas-Boas 1 Henrique Falleiros Tendo em vista que o processo de ensino, nos dias de hoje,

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Tipos de Sites. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br

Introdução à Tecnologia Web. Tipos de Sites. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br IntroduçãoàTecnologiaWeb TiposdeSites ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br TiposdeSites Índice 1 Sites... 2 2 Tipos de Sites... 2 a) Site

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM

SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM Marcelo Karpinski Brambila Acadêmico em Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil Guaíba mkbrambila@connect-rs.com.br

Leia mais

Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG

Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG Henrique de Oliveira Graduando em Sistemas de Informação Fernando Roberto Proença Mestre em Ciência

Leia mais

Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS

Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS Alcides Vaz da Silva 1 Luiz Gustavo Galves Mählmann 2 Newton Muller 3 RESUMO Este artigo apresenta o projeto de desenvolvimento de um Sistema de Informação

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

SUMÁRIO. Faculdade Católica do Tocantins www.catolica-to.edu.br

SUMÁRIO. Faculdade Católica do Tocantins www.catolica-to.edu.br MANUAL DO PORTAL ACADÊMICO Passo a passo do Portal Acadêmico www.catolica-to.edu.br - suporterm@catolica-to.edu.br SUMÁRIO Objetivo Manual do Portal Acadêmico... 03 Navegadores... 03 Endereço Eletrônico

Leia mais

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE)

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) 1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) Segundo Tonsig (2003), para conseguir desenvolver um software capaz de satisfazer as necessidades de seus usuários, com qualidade, por intermédio de uma arquitetura sólida

Leia mais

Ferramentas como, por exemplo, linhas de conexão, formas automáticas, sombras pendentes, WordArt, etc.

Ferramentas como, por exemplo, linhas de conexão, formas automáticas, sombras pendentes, WordArt, etc. Ambiente de trabalho Ambiente de trabalho Porquê criar páginas web? A World Wide Web é a melhor forma das pessoas comunicarem umas com as outras. Nos dias de hoje, é importante poder comunicar com outras

Leia mais

Instalação de Moodle 1

Instalação de Moodle 1 Instalação de Moodle (local em Windows XP) 1. Introdução...2 2. Instalação de XAMPP...3 3. Instalação de Moodle...9 3.1. Download de Moodle...9 3.2. Criar uma Base de Dados...10 3.3. Instalação de Moodle...11

Leia mais

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem)

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) ead.clinicajulioperes.com.br Sumário navegável Como acesso o ambiente?... Como assisto aos vídeos?... Como preencher meu perfil?...

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno 1 MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno Acessando o sistema 1- Para acessar a Faculdade Interação Americana Virtual digite o seguinte endereço: http://ead.fia.edu.br/

Leia mais

Introdução a UML. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com

Introdução a UML. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com Introdução a UML Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com Introdução a UML UML (Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada) é uma linguagem-padrão para a elaboração da estrutura de

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Ambiente de Desenvolvimento Após instalar o Wamp Server, inicie o servidor. Um ícone aparecerá na SystemTray. A cor do ícone indica seu estado: Verde: servidor

Leia mais

CRÉDITO CARGA DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA HORÁRIA TEÓRIC PRÁTICA TEO/PRA T OUTRAS TEOR/PRÁTICAS 20 20 20

CRÉDITO CARGA DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA HORÁRIA TEÓRIC PRÁTICA TEO/PRA T OUTRAS TEOR/PRÁTICAS 20 20 20 UNIDADE UNIVERSITÁRIA: FCT - Faculdade de Ciências e Tecnologia/UNESP CURSO: Ciência da Computação Noturno HABILITAÇÃO: Bacharelado OPÇÃO: DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: DMC Departamento de Matemática e Computação

Leia mais

Rastreabilidade de requisitos através da web

Rastreabilidade de requisitos através da web Rastreabilidade de requisitos através da web Fernando dos Santos (FURB) fds@inf.furb.br Karly Schubert Vargas (FURB) karly@inf.furb.br Christian Rogério Câmara de Abreu (FURB) crca@inf.furb.br Resumo.

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes 01 - Apresentação do SiteMaster - News Edition O SiteMaster foi desenvolvido para ser um sistema simples de gerenciamento de notícias, instalado em seu próprio computador e com configuração simplificada,

Leia mais

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular Plano de Ensino Plano de Ensino Apresentação da Unidade Curricular o Funcionamento, arquitetura e conceitos fundamentais dos bancos de dados relacionais e objeto relacionais. Utilização de linguagem DDL

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

CURSO : Empreendedorismo 40 Hrs aulas

CURSO : Empreendedorismo 40 Hrs aulas CURSO : Empreendedorismo 40 Hrs aulas Empreendedorismo o O que é empreendedorismo? o Síndrome do empregado o Os mandamentos do empreendedor de sucesso o E o que não é empreendedorismo? Traçando o perfil

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2 ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 Definição de uma tecnologia de implementação e do repositório de dados para a criação da ferramenta

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL DE PROGRAMADOR WEB Campus Lages Junho/2014 Parte 1 (solicitante) DADOS DO CAMPUS PROPONENTE 1. Campus: Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages. 2.

Leia mais

Ferramenta para design de web site Macromedia Dreamweaver Fábio Fernandes

Ferramenta para design de web site Macromedia Dreamweaver Fábio Fernandes Ferramenta para design de web site Macromedia Dreamweaver Fábio Fernandes Em Abril de 2005, as duas maiores gigantes em desenvolvimento de software de web, gráfico e multimídia design se juntaram: a Adobe

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

WWW - World Wide Web

WWW - World Wide Web WWW World Wide Web WWW Cap. 9.1 WWW - World Wide Web Idéia básica do WWW: Estratégia de acesso a uma teia (WEB) de documentos referenciados (linked) em computadores na Internet (ou Rede TCP/IP privada)

Leia mais

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Gabriel Ramos Guerreiro - DEs, UFSCar 1 2 Anderson Luiz Ara-Souza - DEs, UFSCar 1 3 Francisco Louzada-Neto - DEs, UFSCar 1 4 1. INTRODUÇÃO Segundo Cavalcanti

Leia mais

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44)

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) 28) A orientação a objetos é uma forma abstrata de pensar um problema utilizando-se conceitos do mundo real e não, apenas, conceitos computacionais. Nessa perspectiva, a adoção

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO Departamento: Disciplina: Pré-Requisitos: I D E N T I F I C A Ç Ã O Sistemas de Informação Engenharia de Software Aplicada (ESA) Engenharia de Software (ES) CH: 7 Curso: Bacharelado em Sistemas de Informação

Leia mais

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Índice ANTES DE VOCÊ COMEÇAR... 4 PRÉ-REQUISITOS... 4 SCREEN SHOTS... 4 A QUEM SE DESTINA ESTE MANUAL... 4 COMO UTILIZAR ESTE MANUAL... 4 Introdução... 5 INSTALANDO

Leia mais

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno Guia Rápido de Utilização Ambiente Virtual de Aprendizagem Perfil Aluno 2015 APRESENTAÇÃO O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) open source¹. Esta Plataforma tornouse popular e hoje é utilizada

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Apostila Active Brasil de Webdesign. Daniel de Menezes Gularte Omar Queiroz. 2002 Apostila de Webdesign ver. 1 rev. 0. Curso de Web Design

Apostila Active Brasil de Webdesign. Daniel de Menezes Gularte Omar Queiroz. 2002 Apostila de Webdesign ver. 1 rev. 0. Curso de Web Design APOSTILA WEBDESIGN Apostila Active Brasil de Webdesign Daniel de Menezes Gularte Omar Queiroz A livre distribuição dessa cópia está proibida, sendo de material exclusivo do curso de Webdesign da Active

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR

NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL

Leia mais

WEBDISC - Sistema Web para Gerenciamento de Disciplinas

WEBDISC - Sistema Web para Gerenciamento de Disciplinas Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM WEBDISC - Sistema Web para Gerenciamento de Disciplinas Aluno: Antonio Carlos

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Caro aluno da EAD da ULBRA Para você ter acesso às salas das disciplinas ofertadas

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS EDILBERTO SILVA 1, AQUILA ISRAEL (1316079) 2, CYNTHIA FERREIRA (1316079) 2, MARKO DE CASTRO (1316119) 2, RAFAELA ALMEIDA (1316189)

Leia mais

HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO

HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO Djalma Gonçalves Costa Junior¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí - PR - Brasil djalma.g.costajr@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA Você deve ter em mente que este tutorial não vai te gerar dinheiro apenas por você estar lendo, o que você deve fazer e seguir todos os passos

Leia mais

Construindo Sites com. CSS e (X)HTML. sites controlados por folhas de estilo em cascata. Maurício Samy Silva. Novatec

Construindo Sites com. CSS e (X)HTML. sites controlados por folhas de estilo em cascata. Maurício Samy Silva. Novatec Construindo Sites com CSS e (X)HTML sites controlados por folhas de estilo em cascata Maurício Samy Silva Novatec capítulo 1 Ferramentas básicas de desenvolvimento Este capítulo destina-se aos iniciantes.

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO MANUAL NETAULA PERFIL ALUNO Caro aluno da EAD da ULBRA Para você ter acesso às salas das disciplinas ofertadas

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Tópicos de Ambiente Web Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Roteiro Motivação Desenvolvimento de um site Etapas no desenvolvimento de software (software:site) Analise

Leia mais

VPAT (Voluntary Product Accessibility Template, Modelo de Acessibilidade de Produto) do eportfolio da Desire2Learn Maio de 2013 Conteúdo

VPAT (Voluntary Product Accessibility Template, Modelo de Acessibilidade de Produto) do eportfolio da Desire2Learn Maio de 2013 Conteúdo VPAT (Voluntary Product Accessibility Template, Modelo de Acessibilidade de Produto) do eportfolio da Desire2Learn Maio de 2013 Conteúdo Introdução Recursos de acessibilidade principais Navegação usando

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

Proposta Loja Virtual. Schmitt Tricot

Proposta Loja Virtual. Schmitt Tricot Proposta Loja Virtual Schmitt Tricot Apresentação: Atualmente atuo no mercado de sites e lojas virtuais desde 2010, desenvolvendo novas ideias, trabalhando com agilidade, para sempre atender a todas as

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com. IntroduçãoàTecnologiaWeb FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb

Leia mais

Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno

Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno Maio 2008 Conteúdo 1 Primeiros passos...4 1.1 Tornando-se um usuário...4 1.2 Acessando o ambiente Moodle...4 1.3 O ambiente Moodle...4 1.4 Cadastrando-se

Leia mais

Parte I Introdução ActionScript_30_01.indd 1 5/11/2010 08:29:29

Parte I Introdução ActionScript_30_01.indd 1 5/11/2010 08:29:29 Parte I Introdução ActionScript_30_01.indd 1 5/11/2010 08:29:29 ActionScript_30_01.indd 2 5/11/2010 08:29:34 Aprendendo uma nova linguagem... ActionScript é uma linguagem e, como um novo idioma ou a linguagem

Leia mais

Matriz Curricular Curso: Programador Profissional

Matriz Curricular Curso: Programador Profissional Matriz Curricular Curso: Programador Profissional DURAÇÃO 350 horas 12 meses 7 horas semanais Manhã, tarde e noite Conteúdo a distância disponível 24 horas. DISCIPLINAS PRESENCIAIS Lógica de Programação

Leia mais

PHP AULA1. Prof. Msc. Hélio Esperidião

PHP AULA1. Prof. Msc. Hélio Esperidião PHP AULA1 Prof. Msc. Hélio Esperidião NAVEGADOR O navegador também conhecido como web browseré um programa que habilita seus usuários a interagirem com documentos hospedados em um servidor Web. SERVIDOR

Leia mais

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

Manual de uso do Gerente

Manual de uso do Gerente Manual de uso do Gerente Manual do Hypnobox: www.hypnobox.com.br/manual Índice Acessar o Hypnobox Endereço o www Login e Senha Tela Principal Perfil de acesso Editar Dados pessoais Fila de corretores Gerenciar

Leia mais

Revista Eletrônica da FANESE ISSN 2317-3769

Revista Eletrônica da FANESE ISSN 2317-3769 FRAMEWORK PARA TREINAMENTOS NA WEB BASEADO EM VÍDEO SOBRE DEMANDA Ícaro Carlos Andrade Costa 1 Igor Antônio Andrade Costa 2 Ricardo Ariel Correa Rabelo 3 Renata Azevedo Santos Carvalho 4 RESUMO A educação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS GIZ/PROGRAD. Tutorial UFMG Virtual Os primeiros passos do docente

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS GIZ/PROGRAD. Tutorial UFMG Virtual Os primeiros passos do docente UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS GIZ/PROGRAD Tutorial UFMG Virtual Os primeiros passos do docente Nereu Agnelo Cavalheiro contato@nereujr.com Tutorial UFMG Virtual Primeiros passos do docente Este

Leia mais

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências da Computação e Estatística Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP André

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência Produto IV: ATU SAAP Manual de Referência Pablo Nogueira Oliveira Termo de Referência nº 129275 Contrato Número 2008/000988 Brasília, 30 de outubro de 2008 1 Sistema de Apoio à Ativideade Parlamentar SAAP

Leia mais

COORDENAÇÃO DE EAD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO. Versão 1.0

COORDENAÇÃO DE EAD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO. Versão 1.0 COORDENAÇÃO DE EAD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2015 SUMÁRIO 1. O MOODLE 3 2. Acesso à Plataforma 3 2.1. Cadastrar-se em uma disciplina 4 2.2. Página Inicial do Curso 5 3.

Leia mais